Hugo Cainã Ferreira Monteiro

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/0251968198752540
  • Última atualização do currículo em 11/12/2018


Mestrando em Meteorologia pelo Instituto de Ciências Atmosféricas - ICAT na Universidade Federal de Alagoas - UFAL, atuando na área da Modelagem atmosférica e oceânica com o modelo regional RegCM, Bacharel em Meteorologia (2017) também pela UFAL, com pesquisa relacionadas ao campo da Oceanografia Física, especificamente a região do estuário do rio São Francisco. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Hugo Cainã Ferreira Monteiro
Nome em citações bibliográficas
MONTEIRO, H. C. F.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Alagoas, Reitoria, Instituto de Ciências Atmosféricas.
Universidade Federal de Alagoas
Tabuleiro do Martins
57072900 - Maceió, AL - Brasil
Telefone: (82) 32141367


Formação acadêmica/titulação


2017
Mestrado em andamento em Meteorologia.
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil. Orientador: Dr. Rosiberto Salustiano.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Modelagem.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra
2012 - 2017
Graduação em Meteorologia.
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
Título: Características hidrodinâmicas do estuário do rio São Francisco no período de inverno de 2014.
Orientador: Geógenes Hilário Cavalcante Segundo.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.




Formação Complementar


2016 - 2016
MATLAB ? Tratamento de dados eólicos. (Carga horária: 6h).
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
2013 - 2013
Interação Oceano-Atmosfera. (Carga horária: 6h).
Sociedade Brasileira de Meteorologia, SBMET, Brasil.
2008 - 2013
Inglês. (Carga horária: 360h).
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, SENAC, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2014
Vínculo: Monitor, Enquadramento Funcional: Extensão Universitaria Icat, Carga horária: 12
Outras informações
Monitoria referente as disciplinas de Matemática 1 e Matemática 2

Vínculo institucional

2014 - 2014
Vínculo: Monitor, Enquadramento Funcional: Extensão Universitaria Icat, Carga horária: 12
Outras informações
Monitoria referente as disciplinas de Física 1 e Física 2

Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Monitor, Enquadramento Funcional: XXIII Encontro de Iniciação Científica, Carga horária: 4

Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Monitor, Enquadramento Funcional: XXIII Encontro de Iniciação Científica, Carga horária: 4


Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2013
Vínculo: Contratado, Enquadramento Funcional: Agente de mapeamento e pesquisa, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.



Projetos de pesquisa


2014 - 2017
LEVANTAMENTO DA ESTRUTURA SALINA E CONDIÇÕES HIDRODINÂMICAS NO ESTUÁRIO DO RIO SÃO FRANCISCO
Descrição: Os ambientes estuarinos são áreas onde existem conexões entre o mar e um rio ou outro ambiente de água ?doce?, possibilitando o processo de salinização que ocorre em geral quando a vazão do rio encontra-se baixa, fazendo com que o mar adentre e aumente o teor de sais presente no sistema. No caso do estuário do rio São Francisco este é dominado pela influência do rio e da maré, e sua circulação pode apresentar dois tipos de classificação segundo do tipo cunha salina parcialmente estratificada ou bem misturado com fluxo quase uniforme na vertical. Considerando os usos múltiplos dos ambientes estuarinos, o estuário do rio São Francisco, apresenta importância regional em diversas escalas, sendo especialmente importante do ponto de vista ecológico, por ser local de desova, crescimento e alimentação de várias espécies marinhas, além do seu grande valor comercial. O projeto visa ainda entender a hidrodinâmica região, pois esta fornecerá a base para outros estudos ecológicos sistêmicos e de transporte de materiais. As variáveis aqui monitoradas, são consideradas vitais, uma vez que podem provocar alterações no ecossistema, além de poder trazer prejuízos diretos para a população local. O objetivo geral deste projeto é monitorar e avaliar a estrutura salina existente na interação mar-rio no estuário do rio São Francisco. Os objetivos especificos são os seguintes: ? Determinar a variação temporal do perfil salino no estuário; ? Caracterizar a distribuição longitudinal da salinidade; ? Identificar o tipo de massa d'agua presente no estuário; ? Estimar o volume do prisma de maré visando estipular o volume de água acumulado à montante da seção de medição, devido à elevação da maré; ? Avaliar e classificar o estuário de acordo com o tipo de circulação predominante; ? Determinar as componentes principais da maré no canal principal do rio. Para esta pesquisa, os estudante já poderão iniciar o processo de familiarização com dado previamente medidos em fevereiro de 2014 e a serem medidos em junho de 2014. Além dos dados coletados em 2014, estão previstos mais quatro campanhas oceanográficas para o ano de 2015, sendo duas no verão (sizígia e quadratura) e duas no inverno (sizígia e quadratura). As coletas de dados na Laguna Manguaba serão realizadas com frequência trimestral para os dados de corrente, parâmetros físicos e meteorológicos. As amostras de sedimento serão realizadas duas vezes ao longo do período da pesquisa. Serão feitos perfis verticais das propriedades (profundidade, Temperatura, Condutividade), medidos a cada 30 min e durante 25 horas, utilizando-se uma Sonda Multiparamétrica YSI 6600. Os perfis verticais de corrente serão medidos com um ADP a intervalos de 0,5 metros de profundidade, sendo amostrados continuamente durante 25 horas. O deslocamento da entrada da água do mar será medido durante o período de estofa da maré de enchente. Todas as posições das estações de coleta serão registradas com GPS (GPS Garmin e-trex). Dados de elevação da maré serão coletados com marégrafo fixado no porto em Piaçabuçu. A importância do projeto esta associada as eminentes transformações a qual esta região está sofrendo, e a importância do rio na qualidade e desenvolvimento sócio-econômico. Nesse contexto, o presente estudo ajudara a buscar evidências científicas no tocante a caracterização da estrutura salina e hidrodinâmica do estuário do rio São Francisco, essencial para o estudo de base de qualquer sistema estuarino.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Hugo Cainã Ferreira Monteiro - Integrante / ANA CAROLINA CAVALCANTE DE LIMA - Integrante / GEORGENES HILARIO CAVALCANTE SEGUNDO - Coordenador / Hugo Carvalho de Almeida - Integrante.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
MONTEIRO, H. C. F.; SILVA JUNIOR, R. S. ; LINS, M. C. C. ; NEVES, B. M. . ANÁLISE DOS CENÁRIOS CLIMÁTICOS PARA A CIDADE DE MACEIÓ - AL NO ANO DE 2017, UTILIZANDO O MODELO REGCM 4.7. In: XX Congresso Brasileiro de Meteorologia, 2018, Maceió. XX Congresso Brasileiro de Meteorologia, 2018. v. XX.

2.
LINS, M. C. C. ; SILVA JUNIOR, R. S. ; NEVES, B. M. ; NOGUEIRA, V. H. A. ; MONTEIRO, H. C. F. . ANÁLISE DO IMPACTO DA INCLUSÃO DA QUÍMICA NO MODELO WRF/CHEM. In: XX Congresso Brasileiro de Meteorologia, 2018, Maceió. XX Congresso Brasileiro de Meteorologia, 2018. v. XX.

3.
NEVES, B. M. ; SILVA JUNIOR, R. S. ; LINS, M. C. C. ; NOGUEIRA, V. H. A. ; MONTEIRO, H. C. F. . ANÁLISE DA EFICIÊNCIA MODELO WRF. In: XX Congresso Brasileiro de Meteorologia, 2018, Maceió. XX Congresso Brasileiro de Meteorologia, 2018. v. XX.

4.
ARAUJO, F. L. L. ; SILVA JUNIOR, R. S. ; LUNA, D. R. F. ; MONTEIRO, H. C. F. . TESTE DE SIGNIFICÂNCIA ESTATISTICA, PARA VALIDAÇÃO DA PREVISÃO DO TEMPO PARA O ESTADO DE ALAGOAS. In: XX Congresso Brasileiro de Agrometeorologia e V Simpósio de Mudanças Climáticas e Desertificação no Semiárido Brasileiro, 2017, Juazeiro e Petrolina. ANAIS DO XX CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA E V SIMPÓSIO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E DESERTIFICAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO, 2017.

5.
MONTEIRO, H. C. F.; ALMEIDA, H. C. ; CAVALCANTE, G. H. ; MEDEIROS, P. R. P. . Analise das Correntes no Estuário do Baixo São Francisco durante as Marés de Sizígia E Quadratura. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016, Salvador. Anais de Resumo, 2016.

6.
ALMEIDA, H. C. ; MONTEIRO, H. C. F. ; CAVALCANTE, G. H. ; MEDEIROS, P. R. P. ; ARAUJO, R. C. . Condições Hidrodinâmicas no Estuário do Baixo São Francisco durante o período de redução de vazão. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016, Salvador. Anais de Resumo, 2016.

7.
LIMA, A. C. C. ; NASCIMENTO, J. R. L. ; MONTEIRO, H. C. F. ; SOUZA, R. M. G. ; CAVALCANTE, G. H. . Estudo Preliminar das Correntes e Distribuição das Propriedades Físicas da Laguna Manguaba. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2014, Itajaí. Anais de resumo, 2014.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
MONTEIRO, H. C. F.; GEORGENES HILARIO CAVALCANTE SEGUNDO ; ALMEIDA, H. C. ; ARAUJO, R. C. . ANÁLISES DA HIDRODINÂMICA DO ESTUÁRIO DO RIO SÃO FRANCISCO NO PERÍODO DE INVERNO NO ANO DE 2014. In: Anais do XXIX Semana Nacional de Oceanografia, 2017, Maranhão. Anais do XXIX Semana Nacional de Oceanografia, 2017. v. XXIX. p. 978855722035.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
IX semana de meteorologia. 2016. (Outra).

2.
V Seminário Atmosfera-Sociedade. 2016. (Outra).

3.
25° Encontro de Iniciação Científica/PIBIC. 2015. (Encontro).

4.
I Workshop Internacional sobre a água no semiárido Brasileiro. 2013. (Outra).

5.
VII semana de meteorologia. 2013. (Outra).

6.
V simpósio intenacional de climatologia. 2013. (Simpósio).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
MARIANO, G. L. ; MONTEIRO, H. C. F. . V Seminário Atmosfera-Sociedade. 2016. (Outro).

2.
MARIANO, G. L. ; MONTEIRO, H. C. F. . IX Semana de Meteorologia. 2016. (Outro).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 19/01/2019 às 3:04:54