Eugenio Da Silva Santos

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/5887231036368086
  • Última atualização do currículo em 15/12/2018


Técnico em Agronegócio e discente do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal de Sergipe - Campus do Sertão. Atualmente, bolsista do Projeto Opará: Águas do São Francisco e integrante do Grupo de pesquisa Xique-Xique: sobre Gêneros e Sexualidades da Universidade Federal de Sergipe. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Eugenio Da Silva Santos
Nome em citações bibliográficas
SANTOS, E. S.


Formação acadêmica/titulação


2015
Graduação em andamento em Engenharia Agronômica.
Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.
2016 - 2017
Curso técnico/profissionalizante em Técnico em Agronegócio.
Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, SENAR - SE, Brasil.
2012 - 2014
Ensino Médio (2º grau).
Colegio Estadual Almirante Barroso, CEAB, Brasil.




Formação Complementar


2018 - 2018
Extensão universitária em UFS na festa literária de Glória. (Carga horária: 25h).
Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.
2018 - 2018
Extensão universitária em Capacitação em estatística básica e experimental. (Carga horária: 60h).
Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.
2017 - 2017
Extensão universitária em Noções Gerais sobre ABNT aplicadas a Trabalhos Acadêmicos. (Carga horária: 20h).
Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.
2016 - 2016
Extensão universitária em Recursos computacionais aplicados á experimentação agropecuária. (Carga horária: 45h).
Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.
2016 - 2016
Curso de Silagem e Fenação. (Carga horária: 24h).
Centro Xingó de Convivência com o semiárido, CXCS, Brasil.
2016 - 2016
Interpretação de resultados de análise de solo. (Carga horária: 8h).
Embrapa Tabuleiros Costeiros, EMBRAPA, Brasil.
2015 - 2015
Extensão universitária em Recursos Florais Utilizados por Abelhas. (Carga horária: 9h).
Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.
2013 - 2013
Informática básico ao avançado. (Carga horária: 114h).
Editec Informática, EI, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - 2017
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20

Atividades

02/2018 - Atual
Estágios , Sociedade Sócio-Ambiental do Baixo São Francisco - Canoa de Tolda, .

Estágio realizado
Auxiliar na restauração florestal em áreas de preservação permanente (APPs) e Reserva Legal (RL)..


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
IMPORTÂNCIA SÓCIO-ECONÔMICA DO BENEFICIAMENTO DO UMBU PARA O ASSENTAMENTO JACARÉ CURITUBA-SE
Descrição: De acordo com dados do IBGE (2010) a produção extrativa do umbu no Brasil alcançou, aproximadamente, 9265 toneladas em 2008, com áreas de coleta espalhadas por todo o Nordeste, com exceção dos estados do Maranhão e de Sergipe, e nos estados de Minas Gerais e Amazonas, gerando uma renda de R$ 6.414.000,00. Essa produção tem sido reduzida progressivamente, em 1990 segundo o IBGE a produção do fruto no país era de 19.861 t, em 1999 a produção já havia caído para 10.207 t. O umbuzeiro é uma das poucas plantas preservadas pela população local, e mesmo assim, corre o risco de diminuição e/ou extinção de seu germoplasma, em decorrência do extrativismo e da implantação de pastagens e agricultura irrigada, sobre áreas onde ocorre naturalmente, sendo necessárias medidas para preservar a sua variabilidade genética. O umbuzeiro propaga-se facilmente por semente, entretanto, por serem altamente palatáveis, as plântulas são consumidas por animais, comprometendo assim a regeneração natural da espécie. Dificilmente encontram-se mudas de umbuzeiro em áreas de pastagens. É necessário o estudo de produtos com culturas inerentes ao semiárido brasileiro; a utilização do umbuzeiro e seus subprodutos insere-se nesse propósito, pois em virtude de suas especificidades fisiológicas, podem atingir elevados níveis de rendimento. Há uma gama de aptidões e produtos próprios a esta cultura que precisam ser exploradas tanto na subsistência, como em escala comercial, mediante produção dentro de padrões de conformidade exigidos pelos mercados e com a desejável diferenciação de produtos. Com o beneficiamento é possível garantir um melhor preço na comercialização do produto; facilitar e ampliar a comercialização; reduzir a perda da produção; incentivar para melhorar a produção; despertar para a necessidade de preservação e cultivo de plantas regionais; como forma de organização das comunidades e proporcionar momentos para a capacitação dos trabalhadores e trabalhadoras. Dessa forma tornase o alvo desse projeto oferecer às famílias do assentamento Jacaré Curituba, uma possibilidade de renda, independente das variações climáticas, já que o umbuzeiro (Spondias tuberosa Arr. Cam.) produz todos os anos grandes quantidades de frutos, tornando-o uma cultura viável comercialmente para o semiárido e despertar na população a necessidade de preservação das plantas nativas com a agregação de valores aos produtos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
Opará: águas do São Francisco
Descrição: As águas do rio São Francisco geram riqueza, deslumbramento e, também, conflitos. A bacia hidrográfica do rio São Francisco que abrange uma população estimada em 11 milhões e 700 mil habitantes possui suas águas utilizadas para inúmeras atividades humanas, a saber, consumo urbano e rural, geração de energia elétrica, agricultura irrigada, indústria, mineração, navegação e lazer. Nesse contexto, se insere este projeto denominado Opará: águas do rio São Francisco que tem por objetivo impulsionar e desenvolver junto às comunidades do baixo São Francisco, em Sergipe e Alagoas, ações ligadas a sustentabilidade do uso da água, considerando, especialmente, temas que envolvam a Gestão dos Recursos Hídricos e a Segurança Hídrica. Executar-se-ão atividades de recomposição de rede de drenagem natural e da mata ciliar, gestão de bacias hidrográficas, racionalização e conscientização e uso múltiplos da água. O projeto se encontra estruturado em quatro eixos: restauração florestal, educação ambiental, monitoramento e pesquisas, e vai atuar na região semiárida dos estados de Sergipe e Alagoas, na bacia hidrográfica do São Francisco. Pretende-se restaurar áreas degradadas da caatinga, treinar de forma participativa em atividades de educação, com destaque para as oficinas de equidade de gênero e o Cine Beira Rio, monitorar qualiquantitativamente o rio São Francisco, o rio Jacaré e o riacho Mato da Onça, bem como realizar pesquisas acadêmicas. O planejamento para a sustentabilidade organizacional se baseia em uma equipe multidisciplinar formada por parceiros como a Sociedade Canoa de Tolda, Universidade Federal de Sergipe e Cooperativa Regional dos Assentados de Reforma Agrária do Sertão de Sergipe. A equipe executora desse projeto trabalhará no sentido de promover a divulgação/comunicação dos resultados do trabalho de maneira efetiva, promovendo ações que viabilizem a relação entidades participantes ? área sob intervenção? interlocutores ? resultados, com a intenção de promover mudanças na forma de compreensão da sustentabilidade ambiental, a partir do uso materiais de comunicação previstos na presente proposta..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2017 - 2017
SAÚDE DOS SOLOS NO ALTO SERTÃO SERGIPANO
Descrição: O projeto ?Saúde dos Solos no Alto Sertão Sergipano? é de caráter social, educativo e ambiental, o qual busca inserirse na proposta do Campus do Sertão para uma agricultura socialmente justa, ambientalmente aceita e financeiramente viável. Possui previsão de ações integradas entre produtores, profissionais e comunidade acadêmica, buscando: debater sobre erosão de solo e degradação de terras; esclarecer dúvidas sobre o impacto da erosão dos solos e degradação das terras no ambiente e na vida; identificar a campo as formas e danos do processo erosivo; dialogar sobre práticas de controle do processo erosivo; dialogar sobre práticas conservacionistas de uso do solo. O público alvo será, prioritariamente, agricultores familiares situados nos assentamentos e comunidades rurais presentes no município de Nossa Senhora da Glória, porém com possibilidade futura de ampliação para os demais municípios do Alto Sertão Sergipano. Nesta ação, buscase parceria com produtores, associações, movimentos sociais e órgãos públicos do Município de Nossa Senhora da Glória ? SE..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) .
Integrantes: Eugenio Da Silva Santos - Integrante / Tiago Barreto Garcez - Coordenador.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Desenvolvimento territorial.
2.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Sociologia rural.
3.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Manejo e Conservação do Solo.


Idiomas


Português
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2018
Primeiro lugar no concurso Melhor Trabalho de Conclusão de Curso apresentado no curso Técnico em Agronegócio, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - Sergipe.


Produções



Produção bibliográfica
Capítulos de livros publicados
1.
LIMA, A. K. V. O. ; SANTOS, E. S. ; COSTA, P. R. S. M. ; RAFAEL, U. N. . 'Eu num sou bicho para comer isso!...': Experiências sobre o uso da palma na alimentação humana em Poço Redondo - Sergipe. In: Patricia Rosalba Salvador Moura Costa; Antenor de Oliveira Aguiar Netto. (Org.). Lugares, Potencialidades e Resistências: Terra e Povo no São Francisco. 01ed.Aracaju: Criação Editora, 2018, v. , p. 39-64.

Apresentações de Trabalho
1.
SANTOS, E. S.; COSTA, P. R. S. M. ; LIMA, A. K. V. O. . Experiências sobre o uso da palma na alimentação humana em Poço Redondo - Sergipe. 2018. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

2.
SANTOS, E. S.. O projeto saúde dos solos no alto Sertão Sergipano. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).


Produção técnica
Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
SANTOS, E. S.. Realizando monitoramento hídrico no São Francisco. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).


Demais tipos de produção técnica


Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
II Simpósio do Bioma Caatinga e VI workshop de Sementes e Mudas da Caatinga. 2018. (Simpósio).

2.
Mulheres do Sertão: Lutas e Diversidades. 2018. (Seminário).

3.
I Semana de Zootecnia da UFS-CAMPUS DO SERTÃO. 2017. (Seminário).

4.
IV SEMAC - Campus do Sertão. 2017. (Seminário).

5.
Manejo Sustentável para a Cultura do Coqueiro. 2017. (Seminário).

6.
VIII Encontro Sergipano de Zootecnia. 2017. (Encontro).

7.
III Reunião Nordestina de Ciência do solo. 2016. (Seminário).

8.
1º Encontro Sobre os Benefícios das Abelhas na Agricultura. 2015. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
NETTO, A. O. A. ; COSTA, P. R. S. M. ; SANTOS, E. S. . III Seminário de Recuperação Hidroambiental. 2018. (Outro).

2.
COSTA, P. R. S. M. ; SANTOS, E. S. . Mulheres do Sertão: Lutas e diversidades. 2018. (Congresso).

3.
GARCEZ, T. B. ; SANTOS, E. S. . Manejo do Solo no Alto Sertão Sergipano. 2017. (Exposição).

4.
GARCEZ, T. B. ; LEMOS, N. L. S. ; SANTOS, E. S. . I Dia de campo sobre Gramíneas forrageiras no Alto Sertão. 2017. (Exposição).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 21/01/2019 às 24:39:30