Maria Carolina Pires de Andrade

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/7385344808311775
  • Última atualização do currículo em 25/04/2018


Concluiu o curso Licenciatura em Ciências Biológicas na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Integra o Coletivo de Estudos em Marxismo e Educação (COLEMARX) como aluna de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, participando do Grupo de Trabalho "Empresariamento da educação pública". Pesquisa atualmente o movimento de construção e implementação da Base Nacional Comum Curricular, a inserção do empresariado na formulação deste documento, seus possíveis impactos nô âmbito do currículo, da profissão docente e da avaliação e seus desdobramentos no que concerne á formação humana / da subjetividade do trabalhador. Interessa-se também por temáticas e questões relacionadas ao Ensino de Ciências e Biologia. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Maria Carolina Pires de Andrade
Nome em citações bibliográficas
ANDRADE, M. C. P.


Formação acadêmica/titulação


2018
Mestrado em andamento em Educação.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil. Orientador: Vânia Cardoso da Motta.
Palavras-chave: Base Nacional Comum Curricular; Formação humana; Política educacional.
2014 - 2017
Graduação em Ciências Biológicas.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Título: Educação Integral e a Dualidade Educacional no contexto das Contrarreformas: Uma relação possível?.
Orientador: Cláudia Lino Piccinini.
2010 - 2013
Curso técnico/profissionalizante em Técnico em Eletrotécnica.
Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, CEFET/RJ, Brasil.
2010 - 2012
Ensino Médio (2º grau).
Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, CEFET/RJ, Brasil.




Formação Complementar


2017 - 2017
A arma da crítica: Introdução ao pensamento vivo de Marx. (Carga horária: 30h).
Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, CEFET/RJ, Brasil.
2016 - 2016
Ciências nas avaliações de larga escala: quais os diálogos com a proposta d. (Carga horária: 4h).
Universidade Estadual de Maringá, UEM, Brasil.
2014 - 2014
Fotografia Científica. (Carga horária: 6h).
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
2014 - 2014
Cérebro, comportamento e evolução. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
2010 - 2014
Curso de Inglês. (Carga horária: 360h).
Instituto Brasil Estados Unidos, IBEU, Brasil.
2011 - 2011
Aplicações da Microscopia Óptica no Estudo da Biologia. (Carga horária: 30h).
Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, CEFET/RJ, Brasil.


Atuação Profissional



Colégio Santa Teresa de Jesus, CSTJ, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: Estágio Profissional, Enquadramento Funcional: Responsável do laboratório de Ciências, Carga horária: 17
Outras informações
Atuou como responsável do laboratório de ciências, ministrando aulas práticas para os alunos da educação infantil e do ensino fundamental I e auxiliando os professores nas atividades práticas com o ensino fundamental II e ensino médio.

Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: Colégio Santa Teresa de Jesus, Enquadramento Funcional: Monitora de Ciências Naturais, Carga horária: 3
Outras informações
Atuou como Monitora de Ciências Naturais, atendendo alunos do Ensino Fundamental II uma vez por semana.


Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Aluna de Projeto de Extensão (PIBEX), Carga horária: 20

Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: Voluntária, Enquadramento Funcional: Aluna de Iniciação Científica no COLEMARX, Carga horária: 20

Vínculo institucional

2014 - 2016
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Aluna de Iniciação Científica (PIBIC), Carga horária: 20
Outras informações
Aluna de iniciação científica no laboratório de Doenças Neurodegenerativas do Instituto de Bioquímica médica da UFRJ.


Colégio de Aplicação da UFRJ, CAP-UFRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - 2017
Vínculo: Estágio Supervisionado, Enquadramento Funcional: Aluna de prática de ensino, Carga horária: 10
Outras informações
Como parte da formação em licenciatura, acompanho as turmas de sexto ano do ensino fundamental e primeiro ano do ensino médio.


Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, CEFET/RJ, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitora de Biologia, Carga horária: 8


Hospital Gaffrée Guinle, HGG, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Estágio profissional, Enquadramento Funcional: Estagiária no ambulatório de genética, Carga horária: 10



Projetos de pesquisa


2015 - Atual
O caráter utópico de emancipação através do Estado e a impossibilidade teórico-política de reivindicação de um sentido transformador da escola pública na sociedade capitalista.
Descrição: Temos por hipótese que creditar um caráter transformador da sociedade à educação escolar em geral e à educação escolar pública em especial não se sustentam numa análise histórica que considera o caráter classista da sociedade, da educação e também os efeitos seculares da escolarização na sociedade capitalista. Tal crédito vincula-se a suposição de que educadores e gestores do processo educativo, através do Estado e de Estados, podem promover transformação social, além de promover a socialização e ascensão social em alguns contextos. Segundo essa perspectiva, entende-se o Estado como entidade capaz de atuar no equilíbrio do conflito entre classes e em consequência desse posicionamento, supõe-se que a disputa pelos poderes de Estado é uma via possível na construção de uma sociedade transformada, emancipada (sociedade sem classes?). Nossa hipótese caminha na direção oposta a estas reivindicações ? entendemos que educamos segundo dinâmicas sociais específicas e no contemporâneo, em que o capitalismo é mundial, o sentido da educação e da escolarização continua a corresponder à lógica social geral capitalista, razão pela qual se revela uma utopia na atual sociedade de classes que os próprios Estados reivindiquem um sentido transformador e emancipador da sociedade desde a educação ou da escolarização stricto sensu. Segundo esta suposição, o sentido transformador e emancipador da sociedade capitalista desde a educação ou da escolarização, além de uma impossibilidade teórico-política, é uma impossibilidade histórica, uma promessa moderna que ou nunca esteve em pauta ou nunca se cumpriu, razão pela qual devamos assumir que não se dará historicamente. Na direção de demonstrar esta hipótese e em continuidade à pesquisa ?Gênese e desenvolvimento do conceito de classe social: elaboração teórica para análise de disputas políticas no campo educacional?, estamos atualmente em fase de planejamento de outra investigação que se realiza em duas dimensões. Uma primeira dimensão diz respeito à promessa pedagógica moderna e suas principais orientações metodológicas sugerem a necessidade de inventariar a tradição pedagógica moderna que, no seu conjunto, reivindica um sentido de transformação social através da educação e da escola pública, inquirindo (i) a conjuntura histórica em que se expressa essa tradição, (ii) os pensadores sociais expoentes dessa tradição, identificando suas posições sociais, institucionais, teóricas e sua atuação política de classe, (iii) no plano teórico, as concepções de Estado, de sociedade e da relação entre Estado e sociedade que fundamentaram as diferentes reivindicações desses pensadores modernos e, por fim, (iv) a forma e o conteúdo de educação que reivindicam. A princípio, estabelecemos como expoentes da gênese desta tradição de educação e pedagogia moderna Juan Amós Comenius, Condorcet (Marie-Jean-Antoine-Nicolas Caritat), Émile Durkheim e John Dewey entre outros ideólogos que venhamos a considerar relevantes historicamente seja na pedagogia ?europeia?, estadunidense ou brasileira, através de, por exemplo, Anísio Teixeira. Para além dessa dimensão da pesquisa sobre o pensamento pedagógico moderno, nossa hipótese exige a demonstração do esgotamento da promessa pedagógica moderna e pensamos que nessa dimensão da pesquisa, pode ser explorada, de maneira integrada e relacionada ao conteúdo e forma das promessas pedagógicas modernas, uma série de estudos demográficos, sociológicos e históricos sobre a escolarização moderna ao longo do século XX. Através do aprofundamento dessa segunda dimensão da pesquisa ? de feição mais concreta -, supomos ser possível demonstrar nossa hipótese do caráter utópico das reivindicações que relacionam escolarização, transformação social e emancipação social.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2014 - 2016
Efeitos da lipotoxicidade induzida por palmitato, um ácido graxo saturado e suas implicações na doença de Alzheimer esporádica
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2012 - Atual
Clipping Socioambiental
Descrição: O ?Projeto Clipping Socioambiental, informação e debate nas salas de aula?, iniciado em 2012, tem como objetivo criar materiais educacionais - texto escrito, com imagens e audiovisuais -, divulgados pela web, no blog http://clippsocioambiental.blogspot.com.br/ e no Facebook, com foco em controvérsias sociocientíficas sobre temas de grande circulação e interesse escolar. O corpo teórico que nos orienta baseia-se na perspectiva da linguagem em Bakhtin (1985) e da semiótica social de Kress e van Leeuwen (1996). Consideramos que o processo educativo deve servir à emancipação da classe trabalhadora, de modo que o projeto busca, através de controvérsias atuais, levar o aluno a assumir posição de classe (na perspectiva sócio-histórica), desenvolver capacidade argumentativa e de crítica à produção do conhecimento disseminado pela escola. Outro objetivo do projeto, não menos importante, é mostrar aos alunos e professores a ciência como processo em constante debate e transformação, fugindo do senso comum imposto por mídias mercantis que trabalham no sentido oposto. Todo o material é produzido com base em leituras de artigos sociocientíficos de fontes, como: revistas científicas, blogs de pesquisadores, fundações de apoio à pesquisa e organizações sociais engajadas na luta de classes. Na elaboração dos clippings destacam-se Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Filosofia e Ciências Humanas - CFCH Faculdade de Educação 2016.2 as controvérsias, para que o conflito e o debate ocorram, visando a defesa de posições próprias pelos alunos. O Projeto também desenvolve oficinas de criação de textos e de criação de blog em escolas. Nesse sentido, esperamos que o público desenvolva estratégias de autoria, divulgação de material próprio para ensino-aprendizagem e de compartilhamento do trabalho escolar, além de outras metodologias e materiais que possam suscitar o interesse pela pesquisa, leitura e argumentação. Com isso, levamos a proposta para os discentes, de modo a conhecerem uma nova possibilidade de aproximar a ciência da classe que vive do trabalho. A ideia de elaboração do material educativo foi concebida a partir da constatação de que vivemos num mundo onde a web 2.0 é cada vez mais usada pelo público em geral e dentro e fora do espaço escolar (MOURA, 2010), propiciando formas de mediação e interação que favoreçam a comunicação das partes..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Maria Carolina Pires de Andrade - Integrante / Cláudia Lino Piccinini - Coordenador / Juliana Asevedo - Integrante.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação / Subárea: educação.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Ciência Política / Subárea: ciência política.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2017
Membro efetivo da SBENBIO, Associação Brasileira de Ensino de Biologia.
2017
Menção Honrosa 8ª Semana de Integração Acadêmica da UFRJ, Universidade Federal do Rio de Janeiro.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
ANDRADE, M. C. P.2017ANDRADE, M. C. P.; BORBA, R. C. N. ; SOARES, A. G. ; PICCININI, C. L. . A UNESCO como agente ideológico e suas formulações para a educação. REVISTA DO CFCH (CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DA UFRJ), v. 2017, p. 1-5, 2017.

2.
BORBA, R. C. N.2016BORBA, R. C. N. ; ANDRADE, M. C. P. ; VILLARDO, M. C. B. ; MATOS, G. I. . O ensino experimental de Biologia no CEFET/RJ através de minicursos: discutindo as contribuições para o corpo discente. Revista de Ensino de Biologia da Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBENBio), v. 9, p. 2315-2325, 2016.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
PICCININI, C. L. ; NEVES, R. M. C. ; ANDRADE, M. C. P. . Consensos de especialistas em educação em ciências sobre educação científica escolar no âmbito da reforma curricular da educação básica brasileira do século XXI. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, 2017, Florianópolis. Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, 2017.

2.
ANDRADE, M. C. P.; PICCININI, C. L. ; NEVES, R. M. C. . Base Nacional Comum Curricular: disputas ideológicas na educação nacional. In: Colóquio Internacional Marx e o Marxismo, 2017, Rio de Janeiro. Anais do Colóquio Internacional Marx e o Marxismo, 2017.

3.
ANDRADE, M. C. P.; Cláudia Piccinini ; LIMA, M. J. G. S. ; AZEVEDO, M. . O ensino de Biologia no currículo integrado do CEFET/RJ. In: Encontro Regional de Ensino de Biologia, 2017, Rio de Janeiro. Encontro Regional de Ensino de Biologia, 2017.

4.
PICCININI, C. L. ; ANDRADE, M. C. P. . Educação Ambiental na Base Nacional Comum Curricular. In: Encontro Nacional de Ensino de Biologia, 2017, Rio de Janeiro. Encontro Regional de Ensino de Biologia, 2017.

5.
ANDRADE, M. C. P.; PICCININI, C. L. . Educação Ambiental na Base Nacional Comum Curricular: Contradições, retrocessos e o apagamento do debate socioambiental. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação Ambiental, 2017, Juiz de Fora. Encontro Nacional de Pesquisa em Educação Ambiental, 2017.

6.
BORBA, R. C. N. ; ANDRADE, M. C. P. ; SOARES, A. G. ; PICCININI, C. L. . A UNESCO e suas formulações para a educação: o ensino de ciências em debate. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, 2017, Florianópolis. Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, 2017.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
BORBA, R. C. N. ; ANDRADE, M. C. P. ; SOARES, A. G. ; PICCININI, C. L. . A UNESCO e suas formulações para a educação: o ensino de ciências em debate. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2017, Florianópolis. Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2017.

2.
ANDRADE, M. C. P.; PICCININI, C. L. . Autoria, disputa pela qualidade e o que prevalece na formação cientifica escolar na Base Nacional Comum Curricular. In: Semana da Biologia UFRJ, 2017, rio de janeiro. Biosemana UFRJ, 2017.

3.
PICCININI, C. L. ; ANDRADE, M. C. P. ; NEVES, R. M. C. . Consensos de especialistas em educação em ciências sobre educação científica escolar no âmbito da reforma curricular da educação básica brasileira do século XXI. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, 2017, Florianópolis. Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, 2017.

4.
ANDRADE, M. C. P.; PICCININI, C. L. . Educação Ambiental na Base Nacional Comum Curricular: Contradições, retrocessos e o apagamento do debate socioambiental. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação Ambiental, 2017, Juiz de Fora. Encontro Nacional de Pesquisa em Educação Ambiental, 2017.

5.
PICCININI, C. L. ; ANDRADE, M. C. P. ; ALMEIDA, J. L. A. A. . PROJETO CLIPPING SOCIOAMBIENTAL, CINCO ANOS DE EXPERIÊNCIAS NA PRODUÇÃO DE MATERIAL EDUCATIVO NO FORMATO DE BLOG. In: 8ª Semana de Integração Acadêmica da UFRJ, 2017, Rio de Janeiro. 8ª Semana de Integração Acadêmica da UFRJ, 2017.

6.
ANDRADE, M. C. P.; PICCININI, C. L. . EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR: RETROCESSOS, CONTRADIÇÕES NO APAGAMENTO E O DEBATE SOCIOAMBIENTAL. In: 8 ª Semana de Integração Acadêmica da UFRJ, 2017, Rio de Janeiro. 8 ª Semana de Integração Acadêmica da UFRJ, 2017.

7.
ANDRADE, M. C. P.. Dualidade Educacional e Educação Integral: presentes no ensino de Biologia?. In: 5º Encontro da Prática de Ensino UFRJ, 2017, Rio de Janeiro. 5º Encontro da Prática de Ensino UFRJ, 2017.

8.
ANDRADE, M. C. P.; BORBA, R. C. N. ; PICCININI, C. L. . A UNESCO COMO AGENTE IDEOLÓGICO E SUAS FORMULAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO. In: 8ª Semana de Integração Acadêmica da UFRJ, 2017, Rio de Janeiro. 8ª Semana de Integração Acadêmica da UFRJ, 2017.

9.
ANDRADE, M. C. P.; PICCININI, C. L. . Base Nacional Comum Curricular, Movimento Pela Base e os interesses públicos e privados na disputa pela ideologia educacional brasileira. In: Semana de Integração Acadêmica, 2016, Rio de Janeiro. Semana de Integração Acadêmica, 2016.

10.
ANDRADE, M. C. P.; SILVA, A. M. ; MELO, H. M. ; FERREIRA, S. T. ; FELICE, F. G. . Palmitato como possível link entre a obesidade e a doença de Alzheimer. In: Semana de Integração Acadêmica, 2016, Rio de Janeiro. Semana de Integração Acadêmica, 2017.

11.
MELO, B. C. ; ANDRADE, M. C. P. ; MELO, H. M. ; SILVA, G. S. S. ; FERREIRA, S. T. ; FELICE, F. G. . Efeitos do palmitato na cognição e sinalização por insulina no hipocampo de camundongos: implicações para a doença de Alzheimer esporádica. In: Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Tecnológica, Artística e Cultural, 2015, Rio de Janeiro. Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Tecnológica, Artística e Cultural, 2015.

12.
LIMA FILHO, R. A. S. ; PENY, J. A. ; ANDRADE, M. C. P. ; SILVA, N. M. L. E. ; FELICE, F. G. ; FERREIRA, S. T. . Efeito dos oligômeros de AB na via jak2-stat3 no Hipocampo de camundongos adultos.. In: Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Tecnológica, Artística e Cultural, 2015, Rio de Janeiro. Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Tecnológica, Artística e Cultural, 2015.

13.
ANDRADE, M. C. P.; Lignani, L. B. . Para além da véspera das provas: Atividades da monitoria da coordenação de Biologia. In: I seminário do programa jovens talentos para a ciência, 2013, rio de janeiro. I seminário do programa jovens talentos para a ciência, 2013.

Apresentações de Trabalho
1.
ANDRADE, M. C. P.. Base Nacional Comum Curricular: disputas ideológicas na educação nacional. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
ANDRADE, M. C. P.. Afinal, o que é Currículo?. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
BORBA, R. C. N. ; ANDRADE, M. C. P. ; SOARES, A. G. ; PICCININI, C. L. . A UNESCO e suas formulações para a educação: o ensino de ciências em debate. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
ANDRADE, M. C. P.; PICCININI, C. L. . Educação Ambiental na Base Nacional Comum Curricular: contradições, retrocessos e o apagamento do debate socioambiental. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
ANDRADE, M. C. P.; PICCININI, C. L. ; LIMA, M. J. G. S. ; AZEVEDO, M. . O ensino de biologia no currículo integrado do CEFET/RJ. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
PICCININI, C. L. ; ANDRADE, M. C. P. . Educação Ambiental na Base Nacional Comum Curricular. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
MOTTA, V. C. ; TAVARES, P. H. ; ANDRADE, M. C. P. . Plano Nacional de Educação e suas implicações na educação brasileira. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

8.
ANDRADE, M. C. P.. Base Nacional Comum Curricular: quais as implicações para a formação de professores. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

9.
ANDRADE, M. C. P.; Lignani, L. B. . ?Para além da véspera das provas: Atividades da monitoria da coordenação de Biologia?,. 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).


Demais tipos de produção técnica
1.
ANDRADE, M. C. P.; PICCININI, C. L. . Projeto Clipping Socioambiental, informação e debates em sala de aula. 2017. (Relatório de pesquisa).

2.
ANDRADE, M. C. P.; MELO, H. M. ; FELICE, F. G. . Palmitato como possível link entre a obesidade e a doença de Alzheimer. 2016. (Relatório de pesquisa).

3.
MATOS, G. I. ; ANDRADE, M. C. P. . Aplicações da Microscopia Óptica no estudo da Biologia. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).



Bancas




Participação em bancas de comissões julgadoras
Outras participações
1.
ANDRADE, M. C. P.. XVIII Jornada Jovens Talentos para a Ciência. 2017. FAPERJ.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
II Seminário Políticas Públicas do Tempo Presente.Crise Capitalista e contrarreformas: qual o lugar do ensino médio?. 2018. (Seminário).

2.
5º Encontro da Prática de Ensino.Educação Integral e Dualidade Educacional: presentes no ensino de biologia?. 2017. (Encontro).

3.
BIOSEMANA UFRJ..Autoria, disputa pela qualidade e o que prevalece na formação cientifica escolar na Base Nacional Comum Curricular. 2017. (Encontro).

4.
Colóquio Internacional Marx e o Marxismo 2017. Base Nacional Comum Curricular, disputas ideológicas na educação nacional. 2017. (Congresso).

5.
Encontro de Pesquisa em Educação Ambiental. A Educação Ambiental na Base Nacional Comum Curricular: retrocessos, contradições e o apagamento do debate socioambiental. 2017. (Congresso).

6.
Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. A UNESCO e suas formulações para a educação: o ensino de ciências em debate. 2017. (Congresso).

7.
Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. A UNESCO e suas formulações para a educação: o ensino de ciências em debate. 2017. (Congresso).

8.
Encontro Regional de Ensino de Biologia. Educação Ambiental na Base Nacional Comum Curricular. 2017. (Congresso).

9.
Encontro Regional de Ensino de Biologia. O Ensino de Biologia no Currículo Integrado do CEFET/RJ. 2017. (Congresso).

10.
Semana de Educação da UFRJ.Plano Nacional de Educação e suas implicações na educação brasileira. 2017. (Encontro).

11.
XX Encontro Estadual dos Sem Terrinha.Poluição, meio ambiente e seres vivos: por que a sobrevivência de cada um deles é tão importante para nós?. 2017. (Oficina).

12.
7ª Semana de Integração Acadêmica da UFRJ.. Base Nacional Comum Curricular, Movimento pela Base, interesses públicos e orivados na disputa pela ideologia educacional brasileira. 2016. (Congresso).

13.
III Encontro de Prática de Ensino da Licenciatura em Ciências Biológicas.. 2016. (Encontro).

14.
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.Você é o que você come.. 2016. (Oficina).

15.
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.Terrário com ervas culinárias ? interativo e interdisciplinar para a aprendizagem de conceitos sociocientíficos. 2016. (Oficina).

16.
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.Fungos também são alimentos. 2016. (Oficina).

17.
Seminário Anísio Teixeira. 2016. (Seminário).

18.
Seminário Políticas Públicas do Tempo Presente. 2016. (Seminário).

19.
VI Encontro Nacional de Ensino de Biologia (ENEBIO). Aplicações da Microscopia Óptica no Ensino da Biologia. 2016. (Congresso).

20.
XXXVII Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Tecnológica, Artística e Cultural da UFRJ. Efeito dos Oligômeros β-Amiloides na Via JAK2-STAT3 no Hipocampo de Camundongos Adultos. 2015. (Congresso).

21.
BIO NA RUA. 2014. (Feira).

22.
BIOSEMANA UFRJ. 2014. (Encontro).

23.
III International Symposium Frontiers in Neuroscience. 2014. (Congresso).

24.
Sábado da ciência ECVBIO: Ecologia, Reciclagem e Biodiversidade.A presença das Algas nos nossos dias: por que tão importantes?. 2014. (Oficina).

25.
Sábado da ciência no ECVBIO: Ecologia, reciclagem e biodiversidade.Ecologia de algas: visíveis aos olhos?. 2014. (Oficina).

26.
XVIII BioSemana UFRJ. 2014. (Encontro).

27.
XXXVI Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Tecnológica, Artística e Cultural da UFRJ. 2014. (Congresso).

28.
Encontro Regional de Ensino de Bilogia. 2012. (Congresso).

29.
Encontro Regional de Ensino de Biologia.Visualizando Células: animais e vegetais. 2012. (Oficina).

30.
Semana de Extensão 2012 - Tecnologias verdes, sustentabilidade e os impactos socioeconômicos: qual a contribuição do mundo acadêmico?.Abordando a constituição bioquímica das células no ensino médio. 2012. (Oficina).

31.
Semana de Extensão 2012 - Tecnologias verdes, sustentabilidade e os impactos socioeconômicos: qual a contribuição do mundo acadêmico?.Brincando de Deus. 2012. (Oficina).

32.
Semana de Extensão do CEFET/RJ.?Educação alimentar ? o que os rótulos dos alimentos nos dizem?. 2012. (Oficina).

33.
Semana de Extensão 2011 - Mudanças climáticas, desastres naturais e prevenção de riscos. 2011. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
ANDRADE, M. C. P.. Seminário Políticas Públicas do Tempo Presente. 2016. (Congresso).

2.
ANDRADE, M. C. P.. Encontro Regional de Ensino de Biologia. 2012. (Congresso).



Outras informações relevantes


2017: Aprovada no processo seletivo para ingresso no mestrado, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1º lugar geral.

2017: Aprovada no processo seletivo para ingresso no mestrado, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Pontifícia Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), em 5º lugar geral.

2017: Aprovada no processo seletivo para ingresso no mestrado, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNI-RIO) em 2º lugar da linha.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 19/12/2018 às 12:41:18