Felipe da Silva Vital

Bolsista de Iniciação Científica do CNPq

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/0044003881744180
  • Última atualização do currículo em 31/10/2018


Bolsista CNPq na área de Linguística, com ênfase em teoria linguística aplicada à morfologia e fonologia do Português brasileiro (PB), do português indígena e suas variedades e de línguas indígenas faladas no Brasil, com especial atenção a variedades do Guarani (Mbyá e Nhandeva) faladas no estado do Rio de Janeiro. Atua em projetos nesta linha de pesquisa na Faculdade de Letras da UFRJ e no Museu Nacional/UFRJ (neste último, por meio do projeto ?Lìnguas da Amazônia Brasileira: Estudos de Fonologia, Gramática e História ? Fase II; coordenação: Marília Lopes da Costa Facó Soares; períodos: julho/2018 a julho/2019 . Além de participar de um projeto de pesquisa voltado para o ensino, no IFRJ (Campus Rio de Janeiro) (Projeto "Morfologia e uso: por novas perspectivas de ensino para o português", sob a coordenação do prof. dr. Vítor de Moura Vivas, com financiamento do CNPQ/IFRJ, desde Julho/2015. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Felipe da Silva Vital
Nome em citações bibliográficas
VITAL, F. S.

Endereço


Endereço Profissional
Santa Mônica Centro Educacional.
Rua Geminiano Gois
Freguesia (Jacarepaguá)
22743670 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil
Telefone: (21) 30692188


Formação acadêmica/titulação


2013
Graduação em andamento em Letras - Português e Literaturas de Língua Portuguesa.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
2008 - 2011
Ensino Médio (2º grau).
Colégio Estadual Olinto da Gama Botelho, CEOGB, Brasil.





Linhas de pesquisa


1.
Bolsista do CNPq/PIBIC do projeto "Morfologia e uso: por novas perspectivas de ensino para o português".


Projetos de pesquisa


2016 - Atual
Enantiomorfismo prosódico na linguagem TTK (linguagem do "catete")
Descrição: Neste projeto, que tem como foco a interface morfologia-prosódia, analisamos um fenômeno giriático que consiste no mapeamento direita-esquerda da palavra-input, mantendo a estrutura silábica, no output (em caso de multissílabos). O fenômeno apresenta similaridade na frança (conhecido por "verlan") e no Peru ("vesre"), três línguas neolatinas. Utilizamos o conceito de enantiomorfismo prosódico (GONÇALVES, 1992) para conceituar o mapeamento com direcionalidade invertida (direita-esquerda). Para dar conta da gramática do TTK, usamos os aportes da Teoria da Otimalidade, em sua versão standard (PRINCE & SMOLENSKY, 1993)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Felipe da Silva Vital - Integrante / Carlos Alexandre Victorio Gonçalves - Coordenador.
2015 - Atual
Morfologia e uso: por novas perspectivas para o ensino de português
Descrição: Geralmente, o que os livros didáticos propõem no estudo da morfologia está muito distante do uso. Além disso, a interface com a semântica e com o texto não é explorada. Fundamentando-nos em autores como Gonçalves (2011; 2012), Gonçalves & Almeida (2014), Basílio (1987; 2010; 2011) e Vivas (2010; 2015), pretendemos, em futuros trabalhos, aplicar ao ensino o que é produzido e discutido em morfologia no âmbito acadêmico. Focalizando o uso e o texto, apresentaremos possibilidades de efetivar um ensino de morfologia, conforme o que apregoam os PCN´s. Esse projeto envolve o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ) e o CNPQ e é coordenado por Vítor de Moura Vivas, além de alunos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Estudamos estratégias para propor mudanças no estudo de morfologia no Ensino Médio. É fundamental passar a ensinar morfologia 1) atentando para o uso, 2) focalizando as mudanças e 3) observando a criatividade do falante. Pretendemos discutir a abordagem, no Ensino Médio, de questões referentes à interface entre morfologia e texto. Muitas vezes, em livros didáticos, o texto é usado como pretexto em questões de morfologia. Temos o objetivo de apresentar aos alunos estratégias morfológicas que influenciam diretamente na elaboração / leitura do texto..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Felipe da Silva Vital - Integrante / Carlos Alexandre Victorio Gonçalves - Integrante / Wallace Bezerra de Carvalho - Integrante / Tainá Vinco - Integrante / Vítor de Moura Vivas - Coordenador.
2015 - Atual
Da Disneylândia à cracolândia: um estudo sobre o formativo -lândia no atual estágio do PB
Descrição: A pesquisa, baseada em Gonçalves (2011; 2012), tem como objetivo analisar o formativo -lândia a fim de discutir seu estatuto morfológico: radical ou afixo. Destarte, aplicamos o continuum composição-derivação (BOOIJ, 2002; BAUER, 2005). Ainda sobre o formativo em questão, diferentemente de Vieira (2009), mostramos como o formativo possui um papel morfológico etimologicamente..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Felipe da Silva Vital - Integrante / Carlos Alexandre Victorio Gonçalves - Coordenador.


Projetos de extensão


2016 - Atual
Projeto Ubuntu - "eu sou porque nós somos"
Descrição: O projeto de aula Ubuntu tem como prerrogativa trabalhar as habilidades de leitura, escrita, pensamento crítico, criatividade, além de desenvolver a autoestima dos funcionários terceirizados da Faculdade de Letras. O curso é dividido em três módulos de aula: 1) Leitura e produção de textos (língua portuguesa), 2) Cultura e arte e 3) Língua estrangeira..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) .
Integrantes: Felipe da Silva Vital - Coordenador / Viviane Mendes de Moraes - Integrante / Moíra Souza - Integrante / Amanda Barbosa Bastos - Integrante / Flaviana dos Santos Silva - Integrante.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Lingüística / Subárea: Teoria e Análise Lingüística.


Idiomas


Espanhol
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.
Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2018
Bolsa de iniciação científica no projeto "Lìnguas da Amazônia Brasileira: Estudos de Fonologia, Gramática e História ? Fase II", sob a coordenação da prof. dra. Marília Lopes da Costa Facó Soares, CNPQ/MUSEU NACIONAL.
2016
Bolsa de extensão no projeto "Ubuntu: eu sou porque nós somos", sob a coordenação da prof. dra. Viviane Mendes de Moraes, CLAC/UFRJ.
2015
2º lugar na "XXXV Semana de Química Rio de Janeiro" na categoria Linguística, Letras e Artes com o projeto de pesquisa "Morfologia e uso: por novas perspectivas para o ensino de português", Instituto Federal de educação, tecnologia e ciência-RJ.
2015
Bolsa de iniciação científica pelo projeto "morfologia e uso: por novas perspectivas de ensino de português", sob a organização do prof. dr. Vitor de Moura Vivas, CNPQ/IFRJ.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
C.A.V, Gonçalves2017 C.A.V, Gonçalves ; VITAL, F. S. . Da Disneylândia à Cracolândia: um estudo sobre o formativo -lândia no atual estágio do português brasileiro. CADERNOS DO NEMP, v. 1, p. 15-29, 2017.

2.
VITAL, F. S.2017VITAL, F. S.; Vivas, V. M . A DERIVAÇÃO E O ENSINO DE MORFOLOGIA: POR UMA ABORDAGEM CAUTELAR. Cifefil, v. 1, p. 1426-1444, 2017.

3.
OLIVEIRA, R. A.2016OLIVEIRA, R. A. ; Vinco, Tainá ; Vivas, V. M ; VITAL, F. S. ; Carvalho, W.B ; C.A.V, Gonçalves . Revendo a Composição: Por uma Abordagem Centrada no Uso. REVISTA PHILOLOGUS, v. 1, p. 924, 2016.

4.
Vivas, V. M2016Vivas, V. M ; VITAL, F. S. ; Carvalho, W.B ; C.A.V, Gonçalves ; SOUZA, T. V. ; BATISTA SILVEIRA, E. F. . A RELAÇÃO ENTRE PESQUISA E ENSINO EM MORFOLOGIA. REVISTA PHILOLOGUS, v. 20, p. 315, 2016.

5.
VITAL, F. S.2015 VITAL, F. S.; Carvalho, W.B ; Vivas, V. M ; C.A.V, Gonçalves . PROBLEMAS NO ENSINO DE COMPOSIÇÃO, DERIVAÇÃO E PROCESSOS NÃO CONCATENATIVOS: A NECESSIDADE DE UM ENSINO DE MORFOLOGIA CRITERIOSO E PAUTADO NO USO. Revista Philologus, v. 63, p. 1788-1799, 2015.

6.
VITAL, F. S.2015 VITAL, F. S.; Carvalho, W.B ; Vinco, Tainá ; OLIVEIRA, R. A. ; Vivas, V. M ; C.A.V, Gonçalves . Novas perspectivas para o ensino de Morfologia. revista philologus, v. 19, p. 258, 2015.

Capítulos de livros publicados
1.
Vivas, V. M ; VITAL, F. S. ; Carvalho, W.B ; C.A.V, Gonçalves ; OLIVEIRA, R. A. . Morfologia e Ensino: Novas abordagens voltadas para o Ensino Médio.. In: Carlos Alexandre Victorio Gonçalves; Neide Higino da Silva. (Org.). Novos horizontes da pesquisa em morfologia. 1ed.Campinas: Pontes, 2017, v. 1, p. 205-.

2.
C.A.V, Gonçalves ; VITAL, F. S. . Fonologia e Morfologia: enantiomorfismo na "gualín do TTK" ("língua" do catete). In: Carlos Alexandre Victorio Gonçalves; Neide Higino da Silva. (Org.). Novos horizontes da pesquisa em morfologia. 1ed.Campinas: Pontes, 2017, v. 1, p. 131-.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
9ª SIAC - semana de integração acadêmica da UFRJ.SOBRE A PROSÒDIA DA LÍNGUA INDÍGENA GUARANI (VARIEDADES MBYA E NHANDEVA). 2018. (Outra).

2.
II Jornada do LEPELL: reflexões sobre leitura, língua e sociedade na educação básica.Revendo a derivação no âmbito escolar. 2018. (Outra).

3.
I SIMPÓSIO DO NEMP.O ensino de morfologia nas escolas: a derivação em outra perspectiva. 2017. (Simpósio).

4.
I SIMPÓSIO DO NEMP.(Re)analisando o TTK: uma proposta por ranking de restrições. 2017. (Simpósio).

5.
XXI CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA. Morfologia e ensino: novas perspectivas e estratégias em temas diversos. 2017. (Congresso).

6.
VIII SIMPÓSIO NACIONAL DE ESTUDOS FILOLÓGICOS E LINGUÍSTICOS.Os limites entre a Composição e a Derivação: análise dinâmica centrada no uso. 2016. (Simpósio).

7.
X JIT / V FÓRUM ITE, IFRJ, NILÓPOLIS. MORFOLOGIA E ENSINO: ABORDAGEM DE PROBLEMAS E EXPECTATIVA DE SOLUÇÕES. 2016. (Congresso).

8.
XXXVIII Jornada de Iniciação Científica UFRJ.Enantiomorfismo prosódico da linguagem TTK. 2016. (Outra).

9.
XI colóquio "Os estudos lexicais em diferentes perspectivas". Aspectos neológicos de -lândia: Composição ou Derivação?. 2015. (Congresso).

10.
XI Jornada de iniciação científica e tecnológica do IFRJ (XXXV Semana de Química Rio de Janeiro: produzindo ciência". Morfologia e uso: por novas perspectivas para o ensino de português. 2015. (Feira).

11.
XXXVII Jornada de Iniciação Científica UFRJ.Da Disneylândia à cracolândia: um estudo sobre o formativo -lândia no atual estágio do PB.. 2015. (Outra).



Inovação



Projetos de pesquisa

Projeto de extensão



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 13/12/2018 às 18:59:13