Maiara Rudinea Rauber

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3423597104572048
  • Última atualização do currículo em 13/03/2018


Acadêmica de Jornalismo - Bacharelado na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus Frederico Westphalen. Integrante do Resto - Laboratório de Práticas Jornalísticas (CNPq/UFSM), na linha de pesquisa Estudos de gênero e práticas de comunicação. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Maiara Rudinea Rauber
Nome em citações bibliográficas
RAUBER, M. R.;RAUBER, M.


Formação acadêmica/titulação


2015
Graduação em andamento em Comunicação Social - Jornalismo.
Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
2002 - 2012
Ensino Médio (2º grau).
E.E.B. Prof. Elza Mancelos de Moura, EEBPEMM, Brasil.




Atuação Profissional



Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Auxiliar, Carga horária: 6



Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Leituras íntimas: comunicação, leitura crítica da mídia e relações gênero na afetividade de mulheres e homens
Descrição: O projeto visa à reflexão e formação crítica de alunas e alunos nos temas que articulam a comunicação - leitura crítica da mídia, e as relações gênero na afetividade de mulher e homens. O eixo teórico-crítico que orienta as reflexões é o papel das mídias na reprodução dos papéis tradicionais de gênero na sociabilidade afetiva de mulheres e homens. Ao final da execução deste projeto espera-se que as/os participantes tenham condições de multiplicar conteúdos críticos na forma de oficinas de leitura crítica da mídia, que deverão ser ofertadas em um futuro projeto de extensão..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - 2017
Comunicação, linguagem e mudança social
Descrição: O presente projeto considera um dos desafios essenciais da Comunicação enquanto prática social e campo científico. Além da centralidade da relação entre sujeitos, o olhar e a ação comunicacional requisitam manter viva a possibilidade de ação social via linguagem, ou seja, de que o ato comunicativo e sua dimensão simbólica sejam considerados como construto na dinâmica das diferentes interações sociais. Propõe pensar modos de atravessamento da área da Comunicação, e, mais especificamente, do Jornalismo, pelos estudos de linguagem e a perspectiva da ação e da transformação pela palavra. Discurso e narrativa emergem como linhas de interesse para alcançar pesquisas e produções que localizem essa força do dizer e sua relação com as diferentes esferas do social, tensionando compreender o gesto de ruptura e de acolhida da diferença que, via comunicação, diferentes trabalhos analisam, especialmente em direção a novos coletivos, novos espaços e novas formas de produção de sentido sobre o social. Podemos resumir nossa questão central em como a perspectiva da mudança social e a ação no mundo via linguagem afetam os trabalhos de pesquisa em Comunicação/Jornalismo por uma ótica de ação, em direção a mudança social. Nosso recorte empírico inicial considerará uma busca em bancos de dados acadêmicos de referência e relevância comprovada para a área, buscando identificar linhas e atores que se mobilizam em tal discussão e os modos escolhidos para desenvolver a tarefa que assumem. Financiamento: Bolsa PIBIC/CNPq 2016/2017.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Maiara Rudinea Rauber - Integrante / Reges Toni Schwaab - Coordenador.
2016 - 2016
A fundação da reportagem no gesto do reconhecimento
Descrição: O projeto pretende ampliar a discussão das interfaces da narrativa jornalística para além da tradicional relação com a literatura e a história. Para tanto, busca dirigir o debate sobre a reportagem jornalística e sua construção narrativa como devedora do gesto de reconhecimento, mantendo em permanente evidência o Outro como dimensão primeira da comunicação. Procuramos entender o narrar jornalístico como contratempo, como o que abre a possibilidade do possível. O Outro sintetiza um convite inquietante ao fim da distância, em que pese ele estar, paulatinamente, constituindo um limite à aproximação. Para Paul Ricoeur, a reciprocidade do reconhecimento é a exigência ética mais profunda. Em Emmanuel Lévinas, o princípio ético absoluto é o cuidado com o outro, que decorre de uma responsabilidade incondicional e infinita como estrutura fundamental da subjetividade. Nosso recorte empírico são espaços narrativos que funcionam em condições não hegemônicas de produção e circulação, selecionando, a partir deles, um corpus de reportagens jornalísticas de diferentes países da América Latina. A motivação conceitual e metodológica considera que essa produção jornalística heterotópica, advinda dos cacos e das migalhas (Gagnebin, 2010), pela significação do insignificante, se transvestiria em potência para o tensionamento pretendido.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2015 - 2016
O feminismo na comunicação: uma análise dos trabalhos apresentados nos congressos de Comunicação e da produção cientifica (dissertações e teses) dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação no Brasil - 2005 a 2015
Descrição: Este projeto apresenta uma proposta de pesquisa sobre a presença do conceito de feminismo nos textos apresentados nos principais congressos anuais da Comunicação e dos trabalhos produzidos nos âmbito das Pós-graduações (dissertações e teses) em Comunicação no no Brasil - período de 2005 à 2015. Considerando que estes eventos reúnem os principais nomes da pesquisa em Comunicação no país parte-se do entendimento que os trabalhos ali apresentados, e que compõem seus anais, são representativos dos temas que tem interessados pesquisadoras e pesquisadores da área..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2017 - 2017
Ações de visibilidade e divulgação de programas de projetos de extensão da UFSM
Descrição: O presente programa tem o objetivo de iniciar, articular e desenvolver ações específicas de divulgação das atividades de extensão efetivadas pela Universidade Federal de Santa Maria em sua região de abrangência, promovendo, em especial, a socialização do conhecimento produzido por meio da relação dialógica entre Universidade e diferentes setores da sociedade. Alinhado ao proposto pela Política Nacional de Extensão (PNE), o programa visa a produção de diferentes materiais de comunicação e divulgação científica, de circulação periódica, bem como publicações específicas, direcionadas e abertas aos diferentes agentes da extensão, docentes, técnicos, discentes e comunidade. De um ponto de vista mais geral, esperamos contribuir com os objetivos dos diferentes programas e projetos de extensão da UFSM, aumentando sua visibilidade e contribuindo para a circulação do conhecimento produzido por eles em conjunto com os públicos atendidos por meio de revistas, cadernos especiais, livros e materiais jornalísticos, observando os eixos temáticos definidos pela PNE: Comunicação; Cultura; Direitos Humanos e Justiça; Educação; Meio Ambiente; Saúde; Tecnologia e Produção; Trabalho e Geração de Renda...
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2016 - 2016
I Simpósio Internacional de Comunicação - SIC
Descrição: Eventos são instrumentos de comunicação dirigida aproximativa. São momentos de encontro reconhecimento entre os indivíduos e compartilhamento de experiências. No caso de eventos científicos esses concretizam-se como oportunidades de debate e produção de conhecimento. Em 2016, o Departamento de Ciências da Comunicação, da Universidade Federal de Santa Maria, Campus Frederico Westphalen, comemora seus 10 anos de existência. Como marco dessa data e forma de comemoração os professores desse colegiado departamental propõem a realização do ISimpósio Internacional de Comunicação ? SIC. Propondo a temática: Processos de Comunicação e Transformação Social, o SIC contará com convidados palestrantes de expressiva contribuição na área das Ciências Sociais Aplicadas I. Conferências e mesas, organizadas para as noites de 22 a 24 de agosto de 2016, debaterão os atuais processos de comunicação e de transformação social..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (10) .
Integrantes: Maiara Rudinea Rauber - Coordenador / AMANDA LÚCIA BITTENCOURT DOS SANTOS - Integrante / ANA PAULA BORN - Integrante / ALICE BUZANELO - Integrante / ALISSON SOLON PANDOLFO BONOTTO - Integrante / ANDREA FRANCIELE WEBER - Integrante / ANGELA MARIA ZAMIN - Integrante / ANGELI CHICATTE SORTICA - Integrante / BIANCA BALDOINO BORTOLUCCI - Integrante / CARINE DE FÁTIMA ZANDONÁ BADKE - Integrante / CLAUDIA HERTE DE MORAES - Integrante / DAIANE SCHEID - Integrante / DANIELE DIAS DE MORAES RODRIGUES - Integrante / DJULIA SCHNEIDER - Integrante / EDUARDO RITTER - Integrante / FABIO DA SILVA - Integrante.
2015 - 2015
Produção Editorial em ação: do autor ao leitor, da academia à sociedade
Descrição: Visa criar oportunidades formativas em Comunicação - Produção Editorial, envolvendo produção de publicações, divulgação, circulação e leitura. Pontos-chave para o encadeamento produtivo do livro e revistas e que tem como foco o registro, seja ele em texto ou imagem, da história e memória. As ações de extensão junto à comunidade local, nacional e internacional ampliam a noção das etapas de produção, distribuição, circulação e consumo de produtos de cunho cultural como as publicações e inserção em eventos reconhecidamente de expressão na comunidade. É uma proposta de trabalho interdisciplinar que agrega corpo docente, discente e técnico-administrativo dos cursos do Departamento de Ciências da Comunicação, bem como de outros departamentos e Centros da UFSM. O público-alvo são os leitores e transeuntes de eventos do qual o programa faz parte: Feira do Livro de Santa Maria, Feira do Livro de Porto Alegre, Colóquio Universidad Buenos Aires, estudantes de graduação e pós-graduação do Departamento de Ciências da Comunicação, expectadores da exposição Neusa Carson, alunos da rede de ensino fundamental de Santa Maria. Os referenciais teórico-metodológicos utilizados são a partir do material abordado no curso, tanto em disciplinas teórico como nas práticas e que envolvem temas como a edição, produção de livros, cadeia produtiva do livro, memória da leitura, da escrita e da edição. A metodologia será diversificada para que se possa atender as múltiplas propostas, a saber: produção editorial de catálogos, periódico editorial, livro paradidático, participação com ações em eventos: exposição, mesa-redonda, oficinas. Em todas as etapas deve haver o treinamento sobre a proposta, reunião de grupos de trabalho, pesquisa do público-alvo, planejamento da atuação, caracterizando-se como pré, produção e pós produção do programa. O processo de realização deve ser participativo e atuante, valorizando-se o trabalho em equipe e a colaboração do sujeito no processo. Os resultados esperados são a aproximação da academia e comunidade; ampliação de conhecimento e da relação de ensino e aprendizagem , por facilitar as relações entre os agentes do campo editorial que vai do autor ao leitor. Igualmente, o desdobramento das propostas em outras como o foi ano passado com a exposição que seguiu para a Profitecs, maior divulgação das tarefas e espaço de atuação para o egresso de Comunicação Social - Produção Editorial, oportunidade de sintonia entre os cursos do Departamento de Ciências da Comunicação, entrosamento e participação entre os corpos docente, discente e técnico-administrativo de mais de um Centro da UFSM, enriquecendo a convivência e o aprendizado para a vida..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Comunicação / Subárea: Jornalismo e Editoração.


Produções



Produção bibliográfica
Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
RAUBER, M.; SCHWAAB, R. ; TEIXEIRA, L. M. G. ; RODRIGUES, R. M. . Breve leitura das reportagens vencedoras do Prêmio Gabriel García Márquez de Jornalismo (2013-2016). In: INTERCOM SUL, 2017, Caxias do Sul. XVIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sul, 2017.

2.
SCHWAAB, R. ; RAUBER, M. R. . Reportagem, reconhecimento e o que nunca vamos saber: uma leitura do Especial Tapajós da Agência Pública. In: 14° Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, 2016, Palhoça, SC. Caderno de Resumos do 14° Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo. Palhoça: Universidade do Sul de Santa Catarina, 2016. v. 1.

3.
JUNG, C. M. ; RODRIGUES, L. V. ; RAUBER, M. ; MARTINS, V. S. . A pesquisa em Comunicação no Brasil e seus encontros com o feminismo (2005/2014). In: XIII Congresso da Associação Latinoamericana de Investigadores da Comunicação (ALAIC), 2016, Ciudad de México. Teoría y Metodología de la Investigación en Comunicación, 2016. p. 247-252.

4.
JUNG, C. M. ; STASIAK, L. ; RAUBER, M. ; RICHTER, T. G. ; PERIUS, J. M. ; SANGALETTI, L. . Fotojornalismo no Instagram: análise das publicações dos jornais Folha de São Paulo e Estadão.. In: INTERCOM SUL, 2016, Curitiba. XVII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sul, 2016.

5.
JUNG, C. M. ; RAUBER, M. ; MARTINS, V. S. . O discurso da pesquisa em Comunicação sobre violência contra mulheres. In: Simpósio Internacional de Comunicação, 2016, Frederico Westphalen. Simpósio Internacional de Comunicação. Santa Maria: Biblioteca Central UFMS, 2016. v. 1. p. 126-135.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
JUNG, C. M. ; RODRIGUES, L. V. ; RAUBER, M. ; MARTINS, V. S. . Quando a comunicação encontra o feminismo: um mapeamento da produção científica da Comunicação no Brasil.. In: Jornada Integrada Acadêmica - JAI, 2016, Santa Maria. 31ª Jornada Acadêmica Integrada, 2016.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
SCHWAAB, R. ; RAUBER, M. R. . Reportagem, reconhecimento e o que nunca vamos saber: uma leitura do Especial Tapajós da Agência Pública. In: 14° Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, 2016, Palhoça, SC. Caderno de Resumos do 14° Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo. Palhoça: Universidade do Sul de Santa Catarina, 2016. v. 1.

2.
JUNG, C. M. ; RAUBER, M. ; MARTINS, V. S. . O discurso da pesquisa em Comunicação sobre violência contra mulheres. In: Simpósio Internacional de Comunicação, 2016, Frederico Westphalen. Simpósio Internacional de Comunicação. Santa Maria: Biblioteca Central da UFSM, 2016. v. 1. p. 126-135.

Apresentações de Trabalho
1.
JUNG, C. M. ; RODRIGUES, L. V. ; RAUBER, M. ; MARTINS, V. S. . Quando a comunicação encontra o feminismo: um mapeamento da produção científica da Comunicação no Brasil. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

2.
JUNG, C. M. ; RAUBER, M. ; MARTINS, V. S. . O discurso da pesquisa em Comunicação sobre violência contra mulheres. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

3.
JUNG, C. M. ; RODRIGUES, L. V. ; RAUBER, M. ; MARTINS, V. S. . A pesquisa em Comunicação no Brasil e seus encontros com o feminismo (2005/2014). 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
JUNG, C. M. ; PERIUS, J. M. ; SANGALETTI, L. ; STASIAK, L. ; RAUBER, M. ; RICHTER, T. G. . Fotojornalismo no Instagram: análise das publicações dos jornais Folha de São Paulo e Estadão. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
RAUBER, M.; SCHWAAB, R. . Reportagem, reconhecimento e o que nunca vamos saber: uma leitura do Especial Tapajós da Agência Pública. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
SCHWAAB, R. ; RAUBER, M. R. . Reportagem, reconhecimento e o que nunca vamos saber: uma leitura do Especial Tapajós da Agência Pública. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
14° Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo.. 2016. (Congresso).

2.
14° Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo - Reportagem, reconhecimento e o que nunca vamos saber: uma leitura do Especial Tapajós da Agência Pública.Reportagem, reconhecimento e o que nunca vamos saber: uma leitura do Especial Tapajós da Agência Pública. 2016. (Encontro).

3.
31ª Jornada Acadêmica Integrada - O Outro como questão: a noção de reportagem e possíveis linhas de fuga na sua definição..O Outro como questão: a noção de reportagem e possíveis linhas de fuga na sua definição.. 2016. (Outra).

4.
31ª Jornada Acadêmica Integrada - Quando a comunicação encontra o feminismo: um mapeamento da produção científica da Comunicação no Brasil..Quando a comunicação encontra o feminismo: um mapeamento da produção científica da Comunicação no Brasil.. 2016. (Outra).

5.
Aula Inaugural: A participação da comunicação na transformação das diferenças em desigualdades.. 2016. (Outra).

6.
Curso de Extensão Pesquisa Empírica em Comunicação - Modulo I: Observação participante e trabalho com sujeitos. 2016. (Outra).

7.
Curso de Extensão Pesquisa Empírica em Comunicação - Módulo II: Análise de Conteúdo.. 2016. (Outra).

8.
I Simpósio Internacional de Comunicação.. 2016. (Simpósio).

9.
I Simpósio Internacional de Comunicação. Expansão universitária na relação entre a qualidade e a quantidade.. 2016. (Simpósio).

10.
I Simpósio Internacional de Comunicação.O discurso da pesquisa em Comunicação sobre violência contra mulheres.O discurso da pesquisa em Comunicação sobre violência contra mulheres.. 2016. (Simpósio).

11.
XIII Congresso Latinoamericano de Investigadores de la Comunicación. 2016. (Congresso).

12.
XIII Congresso Latinoamericano de Investigadores de la Comunicación - A pesquisa em Comunicação no Brasil e seus encontros com o feminismo (2005/2014). A pesquisa em Comunicação no Brasil e seus encontros com o feminismo (2005/2014). 2016. (Congresso).

13.
XVII Congresso de Ciências de Comunicação na Região Sul - Fotojornalismo no instagram: análises das publicações dos jornais Folha de São Paulo e Estadão-. Fotojornalismo no instagram: análises das publicações dos jornais Folha de São Paulo e Estadão. 2016. (Congresso).

14.
A Importância do Cinema Documental. 2015. (Outra).

15.
Assessoria de Imprensa/Comunicação. 2015. (Seminário).

16.
Edição de Video. 2015. (Oficina).

17.
Jornalismo Esportivo: interior x capital. 2015. (Outra).

18.
Jornalismo Impresso no Interior. 2015. (Outra).

19.
Radiojornalismo no Interior. 2015. (Seminário).

20.
Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla 2015: Sessão de Cinema com Áudio-descrição: Arte da Loucura.. 2015. (Seminário).



Educação e Popularização de C & T



Apresentações de Trabalho
1.
JUNG, C. M. ; RODRIGUES, L. V. ; RAUBER, M. ; MARTINS, V. S. . Quando a comunicação encontra o feminismo: um mapeamento da produção científica da Comunicação no Brasil. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

2.
JUNG, C. M. ; RAUBER, M. ; MARTINS, V. S. . O discurso da pesquisa em Comunicação sobre violência contra mulheres. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

3.
JUNG, C. M. ; RODRIGUES, L. V. ; RAUBER, M. ; MARTINS, V. S. . A pesquisa em Comunicação no Brasil e seus encontros com o feminismo (2005/2014). 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
JUNG, C. M. ; PERIUS, J. M. ; SANGALETTI, L. ; STASIAK, L. ; RAUBER, M. ; RICHTER, T. G. . Fotojornalismo no Instagram: análise das publicações dos jornais Folha de São Paulo e Estadão. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
RAUBER, M.; SCHWAAB, R. . Reportagem, reconhecimento e o que nunca vamos saber: uma leitura do Especial Tapajós da Agência Pública. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 14/12/2018 às 18:29:41