Amanda Fontes Sartório

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/0241406372426021
  • Última atualização do currículo em 16/10/2018


Graduanda em Psicologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Amanda Fontes Sartório
Nome em citações bibliográficas
SARTÓRIO, A. F.


Formação acadêmica/titulação


2012
Graduação em andamento em Psicologia.
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
2009 - 2011
Ensino Médio (2º grau).
Curso e Colégio Sartre, GES, Brasil.




Atuação Profissional



Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:



Projetos de pesquisa


2015 - 2016
Reforma Universitária e a implantação do novo Currículo de Psicologia na Ufba: uma pesquisa exploratória.
Descrição: O presente projeto se propõe a analisar o curso de graduação de psicologia da Ufba e suas significativas mudanças nos últimos 15 anos. Uma avaliação sobre a implantação do novo currículo da graduação em psicologia está, há anos, sendo encaminhada pela coordenação acadêmica, mas devido a tantas mudanças estruturais e administrativas, sentimos esmaecer a visão geral do processo. Uma pesquisa exploratória é justificável ao propormos, através de levantamento bibliográfico, entrevistas e questionários, uma descrição desta implantação que possa subsidiar a avaliação curricular dos professores..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Amanda Fontes Sartório - Coordenador / Wilson Alves Senne - Integrante / Rodrigo Caldas Pereira - Integrante.
2015 - 2015
A questão da adaptação em psicologia
Descrição: O presente projeto se propõe a abordar criticamente as implicações, no que diz respeito à compreensão do comportamento humano, da assimilação feita pela psicologia do paradigma biológico da adaptação, a partir de fins do século XIX. Sabemos da importância do progresso da Biologia, durante o século XIX, para a consolidação da psicologia como campo independente do saber. Não só a Teoria da Evolução, de Charles Darwin, como também as descobertas neurofisiológicas que se deram durante o referido século criaram as condições para que autores como Weber, Fechner, e finalmente Wundt, encontrassem um caminho para o que, a partir de então, se considerou como o início da psicologia como ciência , caminho esse que se considera ter sido aberto pela possibilidade da experimentação em psicologia. Concomitantemente ao desenvolvimento da Biologia, a forte tendência materialista mecanicista do zeitgeist daquele momento apontava a concepção do ser humano como organismo como o caminho mais adequado para estudá-lo, corroborando, sobremaneira, a tendência reducionista que se colocava com a abordagem adaptacionista em psicologia. Desse modo, com algumas exceções, a relação homem-mundo, entendida, então, como relação organismo-meio, passa a ser concebida como sendo regida pela necessidade de adaptação, decorrente do critério biológico da sobrevivência. A questão que a presente pesquisa pretende averiguar é: até que ponto se justifica, em psicologia, o paradigma da adaptação? Não será esse um paradigma que, eminentemente biológico, uma vez transposto para a psicologia inviabiliza a apreensão da dinâmica homem-mundo em toda a sua plenitude? Ao mesmo tempo, a pesquisa se propõe a avaliar até que ponto as escolas da psicologia, chão sobre o qual a prática psicológica se ergue, assim como a própria produção teórica da atualidade em psicologia, ainda são reféns da concepção adaptacional, colocando a psicologia como um campo do saber permeado por uma forte tendência à manutenção do status quo, e se caracterizando pela incapacidade de produzir conceitos que abordem o ser humano enquanto sujeito crítico. À parte a importância do tema que aqui se propõe em termos da própria construção da psicologia como ciência, ou seja, sua importância epistemológica, a pesquisa se justifica, também, tendo em vista a grande importância que a psicologia vem assumindo no contexto atual das ciências humanas e sociais, em função de sua inserção cada vez maior em práticas vinculadas às políticas públicas, assim como em diversas instâncias sociais tanto em termos da saúde, quanto da educação e do trabalho. Considera-se aqui necessária a avaliação proposta, assim, não só em termos epistemológicos, como também enquanto questionamento que se propõe problematizar/elucidar a própria prática psicológica na atualidade..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) .
Integrantes: Amanda Fontes Sartório - Integrante / Betty Malin - Coordenador / Lucas Vezedek Santana de Oliveira - Integrante / Leila Mignac Ferrari - Integrante / Cléber da Silva Papaterra - Integrante / Clara Magalhães Chamusca - Integrante.
2014 - 2014
Estudos Epistemológicos em Psicologia
Descrição: A pesquisa visa abordar a produção do saber no campo da psicologia através de análise epistemológica da gênese dos conceitos nesse campo científico. Pretende-se realizar estudos comparativos e análises epistemológicas das várias teorias, procurando campos conceituais estruturais que as liguem ou diferenciem, através da análise dos pressupostos teóricos, epistemológicos, e mesmo filosóficos das várias escolas. A Psicologia tem sido considerada, em termos da literatura produzida no campo da epistemologia a partir de meados do século XX, especialmente em função da abordagem arqueológica proposta pelo pensador francês Michel Foucault, como sendo inapelavelmente um campo de dispersão do saber (Garcia-Roza, 1977), ou como se constituindo a partir de matrizes (Figueiredo, 1991) que se constituiriam em nascedouros distintos, dando origem a inúmeros e diferentes rebentos (Figueiredo, 2009, pp. 181, 182). O que se pretende investigar com a pesquisa, em última análise, é até que ponto as concepções acima se sustentam, ou seja, se não há um possível campo próprio e unitário concernente à psicologia, que se delineia com as questões que se colocam a esse campo científico, mesmo tendo em vista a diversidade das abordagens psicológicas, campo esse cuja definição ainda caberia buscar, por mais que o mesmo seja negado pela chamada pós-modernidade. Nesse sentido, nosso propósito é investigar na diversidade das teorias e abordagens, os pontos unificadores das divisões teóricas, pontos de instauração das divergências, que têm sido considerados como de incompatibilidade radical, mas que, epistemologicamente, merecem ser investigados uma vez que, a rigor, divergências podem ocultar semelhanças, questões em comum e soluções díspares, mas irmanadas em seus aspectos epistemológicos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) .
Integrantes: Amanda Fontes Sartório - Integrante / Betty Malin - Coordenador / Lucas Vezedek Santana de Oliveira - Integrante / Leila Mignac Ferrari - Integrante / Cléber da Silva Papaterra - Integrante / Clara Magalhães Chamusca - Integrante.


Projetos de extensão


2013 - 2014
PET/Redes - Surdez
Descrição: Este projeto visa colaborar com o sistema de saúde e seus gestores na implantação e implementação da rede de atenção à saúde da pessoa com deficiência auditiva e seus familiares, tomando como ponto de partida o Distrito Sanitário do Subúrbio Ferroviário (BEGROW, 2013)..
Situação: Desativado; Natureza: Extensão.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Produções



Produção bibliográfica


Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
9º Congresso Norte-Nordeste de Psicologia. 2015. (Congresso).

2.
5ª Jornada Baiana de Psicologia Jurídica. 2013. (Outra).

3.
SIMSOCIAL - Simpósio em Tecnologias Digitais e Sociabilidade. 2013. (Simpósio).

4.
VI Aula Pública do SUS. 2013. (Outra).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 10/12/2018 às 3:09:25