Rhuann Lima Fernandes Porto

Bolsista de Iniciação Científica do CNPq

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/4069406680992245
  • Última atualização do currículo em 07/11/2018


Graduando em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Bolsista de Iniciação Científica PIBIC/CNPq na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), desenvolvendo a pesquisa: O Corpo em Instituições Escolares, sob orientação do Prof.º Dr.º Antonio Jorge Gonçalves Soares. É Assistente de Pesquisa na Bloco 4 Foundation, promovendo a construção de espaços de pesquisa sobre ativismo, cidadania e políticas sociais em Moçambique e atuando nos Programas de Pesquisa: Artivismo e o Direito a Cidade e RAProtestar. Além disso, integra o Grupo de Pesquisa Ciências Sociais e Educação, ligado ao departamento de Sociologia do Instituto de Ciências Sociais da UERJ, Coordenado pela Prof.ª Dr.ª Helena Maria Bomeny. No momento presente, Fernandes também está inserido no Projeto de Pesquisa: O que as crianças pensam sobre a escola? Imagens, filosofias e infâncias na construção democrática da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental, Coordenado pelo Prof.º Dr.º Renato Nogueira, exercendo a função de Auxiliar de Pesquisa. Fernandes tem interesse e desenvolve estudos nas áreas de Sociologia e Ciência Política, com ênfase nos estudos de Teoria Sociológica, Pensamento Político Brasileiro, Teoria Política, Antropologia Política, Epistemologia das Ciências Sociais e Teoria Pós-colonial. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Rhuann Lima Fernandes Porto
Nome em citações bibliográficas
FERNANDES, Rhuann

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Candido Mendes, Centro de Estudos Sociais Aplicados.
Edifício Cândido Mendes
Centro
20011901 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil
Telefone: (21) 35436468
Ramal: 6468
URL da Homepage: http://cesap-ucam.com.br/


Formação acadêmica/titulação


2015
Graduação em andamento em Ciências Sociais.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.




Formação Complementar


2016 - 2016
Extensão universitária em Métodos de pesquisa. (Carga horária: 20h).
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
2016 - 2016
Descrição e Reformatação de Livros, Noções de Arquivo e Reforma Ortográfica. (Carga horária: 12h).
Arquivo Nacional - Ministério da Justiça, AN, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Iniciação Científica PIBIC/CNPQ, Carga horária: 8
Outras informações
Funções Determinadas: Dedicar-se integralmente às atividades acadêmicas e de pesquisa, com os principais objetivos específicos do Programa: estimular uma articulação entre a graduação e pós-graduação; fomentar a produção de atividades científica, tecnológica e artístico-cultural; aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como o desenvolvimento do pensar cientificamente e da criatividade, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa; e ampliação do acesso e a integração do estudante à cultura científica.

Atividades

01/2018 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Educação, .


Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - 2018
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitor, Carga horária: 10
Outras informações
Monitor da disciplina Sociologia III do Departamento de Sociologia ICS/UERJ sob orientação do professor doutor David Soares. A disciplina tem como objetivo central fornecer elementos para compreensão da proposta teórico-metodológica de Durkheim e fundamentos para o entendimento da realidade social enquanto sistema. A bolsa de monitoria compreende a participação de alunos de graduação em atividades de ensino e pesquisa, supervisionadas por um professor orientador, tendo em vista o desenvolvimento de potencialidades para a docência universitária e a investigação científica.

Atividades

10/2017 - 06/2018
Estágios , Centro de Ciências Sociais, .

Estágio realizado
Monitor da disciplina Sociologia III.

Centro de Estudos Sociais Aplicados, CESAP, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - 2018
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Auxiliar de Pesquisa, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
O CESAP (Centro de Estudos Sociais Aplicados), fundado em 1981, vem dedicando-se desde sua origem à reflexão transdisciplinar sobre o cotidiano e o tempo presente em suas dimensões globais. Aliando forte vocação experimental ao compromisso com a produção de massa crítica singular e inovadora sobre as múltiplas regramatizações do contemporâneo, o CESAP está voltado na abordagem e no encaminhamento de suas pesquisas para a articulação entre culturas jovens e a produção de novas subjetividades.


Arquivo Nacional - Ministério da Justiça, AN, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Atuou no projeto de organização e controle de Arquivos do âmbito do Poder Judiciário, realizado sob orientação técnica do setor de Documentos do Judiciário e Extrajudicial da Coordenação de Documentos Escritos. Durante o período que integrou esse projeto, ocupou-se das seguintes atividades: descrição, controle, conferência e alimentação das Bases de Dados DOC/JUD das certidões de nascimento das Pretorias Cíveis do Rio de Janeiro de acordo com as normas estabelecidas na Seção.


C.E Trasilbo Filgueiras, CETRAF, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2018
Vínculo: Voluntário, Enquadramento Funcional: Tutor/Mentoring - Ensino de Filosofia, Carga horária: 4
Outras informações
O Pré-Vestibular Comunitário Nós por Nós - Por uma Educação Emancipadora nas Periferias foi fundado no ano de 2015, no bairro Jardim Catarina, em São Gonçalo. Funciona até o presente momento dentro das dependências do Colégio Estadual Trasilbo Filgueiras, sob a autorização da Secretaria de Estado de Educação de São Gonçalo (SEEDUC/SG). O Pré-Vestibular preza por uma proposta Educacional Decolonial, que visa romper com estigmas perpetrado por uma educação que tem por base a modernidade branca europeia, a qual estabelece uma visão de mundo que é compreendida como a verdade única e é construída a partir da inferiorização de todas as outras possibilidades de conhecimento. Para romper com tais aspectos, o Pré-vestibular convida graduandos (as) para aplicar aulas e para conhecer as suas proposições educacionais, tais como: considerar a modificação ou a lógica do espaço e ressignificá-lo; a necessidade do espaço que possibilitasse os (as) estudantes a reescrever o conhecimento escolar/ancoragem social dos conteúdos; o espaço do reconhecimento das identidades culturais; o espaço do questionamento das representações sobre os (as) ?outros? (as); o espaço da crítica cultural e o espaço do desenvolvimento de pesquisas/produção de novos conhecimentos.


Bloco 4 Foundation, B4, Moçambique.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Assistente de Pesquisa, Carga horária: 10
Outras informações
A Bloco 4 Foundation é uma instituição que procura promover a construção de espaços de pesquisa sobre ativismo, cidadania e políticas sociais em Moçambique. A missão da Instituição é de contribuir para a garantia dos direitos fundamentais às comunidades menos favorecidas, promovendo a pesquisa sobre o ativismo, cidadania e políticas sociais em Moçambique. Os programas abarcam componentes de pesquisa académica e de intervenção social à medida que entendem que possam contribuir de forma significativa para emancipação social em defesa de grupos mais vulneráveis no cenário político e social moçambicano. A Bloco 4 atua em 5 programas de Pesquisa, são eles: Antropologia visual e da imagem; Artivismo e o Direito a Cidade; Políticas de intimidade; RAProtestar e Diversidade sexual e de gênero, ativismo, cidadania e direitos humanos. Atuo nos programas: 1) Artivismo e o Direito a Cidade Atualmente nas cidades moçambicanas, ocupações de espaços públicos, por coletivos de diversas índoles, dispersos ou organizados, na luta pelo direito à cidade, a partir de uma grande multiplicidade de iniciativas, voltadas à denúncia de vulnerabilidade social e que atenta contra ordem ideológico- político instituída, o que sugere-nos pensar, na forma como se dão e são negociadas, as diferentes fricções entre estes e o Estado, a partir das lentes do artivismo. Neste sentido, este grupo de pesquisa, centra-se em documentar e compreender questões de visualidade urbana no contexto de diálogos glocais, que definem as formas existenciais da cidade; promover espaços de engajamento coletivo, através intervenções artvistas urbanas e, por fim, advogar por uma política de visualidade. 2) RAProtestar: No contexto dos movimentos sociais em Moçambique, tem sido notório nos últimos tempos, o surgimento de vozes no seio da juventude, que baseando-se no principio de representatividade, tem questionado incansavelmente os representantes do Estado, sobre os processos políticos e económicos no contexto



Linhas de pesquisa


1.
A Educação do Corpo em Instituições Escolares

Objetivo: A linha de pesquisa "A Educação do Corpo em Instituições Escolares" tem como foco principal o estudo da formação e do desenvolvimento das instituições educacionais e das políticas das quais resultaram e que executaram, assim como de seus atores. Em seu conjunto, tais estudos priorizam a compreensão dos efeitos das políticas do Estado sobre a educação escolar e o corpo - da educação básica ao ensino superior - particularmente no que tange aos processos de inclusão / exclusão e de democratização / reprodução da dualidade escolar, entendida em suas diversas dimensões, a exemplo do geral e do profissional, do propedêutico e do terminal, do laico e do religioso, do público e do privado. O pesquisador se articula com essa linha privilegiando a análise e os efeitos das políticas públicas voltadas diretamente ou indiretamente para educação do corpo de jovens e crianças em instituições escolares, esportivas e em projetos sociais..
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Educação.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Educação / Subárea: Fundamentos da Educação / Especialidade: Sociologia da Educação.
Palavras-chave: Corpo; Educação; Políticas Públicas; Currículo.


Projetos de pesquisa


2016 - 2018
Territórios Literários: novas tecnologias, práticas de leitura e de compartilhamento na contemporaneidade.
Descrição: Desinteresse pela leitura, alheamento à realidade e fixação por novas tecnologias são lugares comuns facilmente atrelados aos jovens da contemporaneidade. Em consonância com a necessidade de mudar a pergunta em torno de ?quanto se lê? para a problemática de ?como se lê?, esta pesquisa se dedica a investigar as práticas de leitura por meio de um amplo espectro de dispositivos, plataformas e suas variadas possibilidades de utilização em espaços físicos e virtuais. Sob esta perspectiva, é pensado o caráter híbrido e, por vezes, fragmentado da circulação de informações em um contexto de mobilidades e deslocamentos que implicam em reinvenções tanto da cidade, quanto do espaço íntimo hermético naturalizado como lócus da experiência de leitura. Interessa-nos tematizar como o acesso a tempos e a espaços outros, propiciado por essa experiência é atravessado pelo desejo de encontro e de compartilhamento com outros leitores; impulsionado por plataformas virtuais como o Youtube e por ocupações sutis e significativas do tecido urbano que se valem de bibliotecas livres, ninhos de livros em pontos de transporte público, sarais e intervenções poético-visuais em torno da celebração da leitura no ambiente da cidade. Nossos interlocutores são booktubers, jovens que compartilham suas experiências com os livros por meio de vídeos na internet e ainda coletivos mobilizados pela produção e circulação de artefatos literários diversos ? gibis, livros, instalações ? no espaço público. Tais artefatos são tomados como artifício metodológico que nos leva ao encontro de diferentes modos de estar face a face promovidos pelo jovens em questão, que em nada se assemelham ao estereótipo do leitor solitário e anti social que se refugia da agitação da urbe. O olhar atento à variedade de suportes e de cenas de interação, volta-se, portanto, ao dinamismo da experiência e sua potência para ocupar, reapropriar, fabular e manusear realidades e lugares..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Rhuann Lima Fernandes Porto - Integrante / Maria Isabel Mendes de Almenida - Coordenador / Anthony Rodrigo da Silva Rodrigues - Integrante / Thaís Costa da Silva - Integrante / Eduardo Artur dos Santos Ramos de Freitas - Integrante.Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.
2016 - Atual
Sociologia no Ensino Médio: percepção dos estudantes
Descrição: Esta pesquisa é parte de atividades desenvolvidas no Grupo de Pesquisa Ciências Sociais e Educação que reúne atividades de ensino, pesquisa e extensão e têm os seguintes objetivos:  Desenvolver estudos que abranjam diferentes dimensões da relação entre as Ciências Sociais e a Educação, com ênfase no contexto brasileiro, mas não apenas neste.  Investigar os processos sociais, econômicos e políticos implicados na formação (inicial e continuada) e na inserção profissional de bacharéis, licenciados e especialistas em Ciências Sociais, Antropologia, Ciência Política e Sociologia.  Promover pesquisas sobre o campo educacional formal (sistemas escolares em todos os níveis de formação) e informal, tomando como referência os fundamentos teóricos e metodológicos da Antropologia, Ciência Política e Sociologia.  Promover estudos sobre aspectos históricos, pedagógicos, metodológicos e curriculares do ensino das Ciências Sociais na Educação Básica no Brasil e em contextos internacionais.  Promover ações extensionistas que colaborem para a eficácia escolar e para o enfrentamento das desigualdades educacionais no Brasil, em todos os níveis de ensino.  Contribuir para a melhoria da qualidade da formação dos cientistas sociais no País em todos os níveis e modalidades de formação. A pesquisa proposta está inserida em um dos eixos do Grupo, Laboratório de pesquisa e extensão em ensino das Ciências Sociais na Educação Básica (LAECS) e tem como objetivo avaliar a percepção que estudantes recém egressos do Ensino Médio têm sobre a experiência que tiveram em suas escolas com o ensino de Sociologia..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Rhuann Lima Fernandes Porto - Coordenador / Helena Bomeny - Integrante / Raquel Balmant Emerique - Integrante.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação / Subárea: Relações Étnico-Raciais.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação / Subárea: Fundamentos da Educação/Especialidade: Sociologia da Educação.
5.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Epistemologia das Ciências Sociais.


Idiomas


Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
FERNANDES, Rhuann2018FERNANDES, Rhuann; ROCHA, Flávio. . Considerações sobre racismo e branqueamento: a lei 10.639/03 como um dos mecanismos de autoafirmação da identidade negra. REVISTA ÁFRICA E AFRICANIDADES, v. 21, p. 1-28, 2018.

Artigos aceitos para publicação
1.
FERNANDES, Rhuann. Poesia em Movimento: ocupação da cidade via literatura em saraus na região metropolitana do rio de janeiro. REVISTA TRÊS [...] PONTOS (UFMG), 2017.

Apresentações de Trabalho
1.
FERNANDES, Rhuann. Raça e o sistema de cotas raciais: fundamentações necessárias para a ampliação da análise. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
FERNANDES, Rhuann. Capitalismo tardio e os fins dos sonhos: o endividamento da população negra. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
FERNANDES, Rhuann. O papel do estado frente às relações raciais: dispositivos da branquidade. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

4.
FERNANDES, Rhuann. Branquitude e Racismo Epistêmico: uma correlação de forças poderosas. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
FERNANDES, Rhuann. A Construção da Identidade Nacional Brasileira: Uma Crítica Pós-Colonial. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
FERNANDES, Rhuann. Representação e Imagem: a construção do outro como fundamento do Ser, um olhar sobre as telenovelas brasileiras em Moçambique. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
FERNANDES, Rhuann. Ampliando olhares: fundamentações sobre Raça e comissões de verificação de cotas raciais nas IES.. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
FERNANDES, Rhuann; ROCHA, Flávio. . Branqueamento e Branquitude: uma (re)leitura dos processos de construção identitária do negro a partir da lei 10.639/03.. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
FERNANDES, Rhuann. Por um novo movimento teórico: a decolonialidade como combate ao epistemicídio. 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

Outras produções bibliográficas
1.
FERNANDES, Rhuann. Sociedade da Transparência. Rio de Janeiro, Centro: Revista Habitus, 2018 (Resenha).


Produção técnica
Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
FERNANDES, Rhuann. Educação e Mercado Profissional no Contexto Brasileiro. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).


Demais tipos de produção técnica


Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Gênero, Políticas Públicas e conflito político no Brasil de hoje. 2018. (Simpósio).

2.
Ações Afirmativas na UERJ: caminhos para avaliação da política. 2017. (Seminário).

3.
Cineafro UERJ. 2017. (Exposição).

4.
Conferência de Expressões Culturais Negras e Formação da Identidade Brasileira. 2017. (Simpósio).

5.
I Congresso de Graduação em Antropologia. 2017. (Congresso).

6.
Introdução à Filosofia Africana - Aula Inaugural da Linha de Pesquisa Gênero, Raças e Culturas do Programa de Pós-graduação em Filosofia da UFRJ. 2017. (Seminário).

7.
Violência como efeito escola: impactos educacionais da violência extramuros e políticas públicas.. 2017. (Outra).

8.
Educação Continuada, Infância e Literatura. 2016. (Simpósio).

9.
Lei 10.639/03 e a África como o berço da Filosofia no Ocidente. 2016. (Seminário).

10.
Jovens, mobilização política e construção de si em favelas cariocas. 2015. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
ALMENIDA, M. I. M. ; GOMES, Lilian ; COSTA, T. ; FERNANDES, Rhuann ; Martins, A. C. . A ansiedade no cotidiano das juventudes contemporâneas​. 2018. (Outro).

2.
FERNANDES, Rhuann; GOMES, Lilian ; COSTA, T. . Subjetividade nas redes sociais: logins, personas e identidades. 2017. (Outro).

3.
FERNANDES, Rhuann. 2ª Semana de Estudos e Práticas Tradicionais Africanas. 2017. (Outro).

4.
FERNANDES, Rhuann. 1º Congresso de Filosofia Africana e Afrodiaspórica da UERJ. 2017. (Congresso).

5.
FERNANDES, Rhuann; Martins, A. C. ; GOMES, Lilian ; COSTA, T. . Memes: Intertextualidade, compartilhamento e humor nas redes sociais.. 2017. (Outro).

6.
FERNANDES, Rhuann; GOMES, Lilian ; COSTA, T. . Quando o leitor é também autor: escrita e leitura de fanfics.. 2017. (Outro).

7.
FERNANDES, Rhuann. 1ª Semana de Estudos e Práticas Tradicionais Africanas. 2016. (Outro).



Outras informações relevantes


1º Colocado no tipo de vaga: N/I - Vaga reservada para negros ou indígenas no Vestibular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro no curso de Ciências Sociais do ano de 2015/1. 

Aprovado e classificado para realização de Intercâmbio de Graduação no Exterior, pela Diretoria de Cooperação Internacional da UERJ (DCI UERJ), a fim de estudar e cursar disciplinas e desenvolver pesquisas durante um período letivo (seis meses) na Universidade Pedagógica de Moçambique (UP), de 28 de Agosto de 2018 a 15 de Abril de 2019. Neste Intercâmbio, está cursando as seguintes disciplinas: Sociologia da Informação; Sociologia do Trabalho; Estratificação e Mobilidade Social; Antropologia Cultural de Moçambique; África Pré-Colonial; História Cultural e Religiosa de Moçambique e História Contemporânea de Moçambique. Estas cadeiras serão contabilizadas em sua formação, por intermédio do Sistema Aluno Online UERJ.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/11/2018 às 2:16:21