Isabella Flud Pacheco

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3876432730545296
  • Última atualização do currículo em 18/10/2018


Sou graduanda em Letras - Português pela Universidade Federal de Santa Catarina, membro do Núcleo de Estudos Gramaticais (https://neg-ufsc.org/) da UFSC e bolsista de Iniciação Científica (PIBIC/CNPq) sob orientação da Profª Drª Roberta Pires de Oliveira. Em 2017 meu projeto de pesquisa teve como título "O sistema nominal no Guarani: A semântica de 'kueri' ". Atualmente pesquiso evidencialidade no Guarani Mbyá e Kaiowá. Tenho interesse na área da semântica formal com ênfase em modalidade e na semântica de línguas indígenas brasileiras. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Isabella Flud Pacheco
Nome em citações bibliográficas
FLUD, I.;FLUD PACHECO, I.


Formação acadêmica/titulação


2016
Graduação em andamento em Abi - Letras Língua Portuguesa.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2012 - 2014
Ensino Médio (2º grau).
Escola Estadual Amenaide Braga de Queiroz, EEAMQ, Brasil.




Formação Complementar


2018 - 2018
Interação Tempo/Modalidade na Semântica das Línguas Naturais. (Ferreira, M). (Carga horária: 9h).
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Brasil.
2018 - 2018
Tempo, Aspecto e Modo/Modalidade: Uma introdução. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
2018 - 2018
EISSI Syntax School: Cartography and explanation - Luigi Rizzi.. (Carga horária: 12h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2018 - 2018
Semântica Formal. Roberta Pires de Oliveira. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2018 - 2018
Anotações de dados linguísticos e o programa FLEx. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2018 - 2018
EISSI Semantics School: Attitude Ascriptions and Speech Reports - Kratzer. (Carga horária: 12h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2017 - 2017
Introdução à psicolinguística. Ministrado por Eduardo Kenedy. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2017 - 2017
Emergência da Linguagem e o Programa Minimalista. (Carga horária: 3h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2017 - 2017
Aquisição da linguagem: processos e tipos. (Carga horária: 3h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2017 - 2017
Introdução à Metodologia de campo em Linguística.. (Carga horária: 3h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2016 - 2016
Introdução ao LaTeX. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2016 - 2016
O Ensino de Gramática na Educação Básica: reflexões e perspectivas. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2016 - 2016
Experimentos em Linguística: Preliminares Teóricas e Práticas. (Carga horária: 3h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.


Atuação Profissional



Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Iniciação Científica, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:



Projetos de pesquisa


2017 - Atual
A modalidade e os nominais através das Línguas

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Roberta Pires de Oliveira em 12/05/2018.
Descrição: Este projeto de 4 anos irá investigar uma proposta sintático-semântica-pragmática para os modais nas línguas naturais, tendo a semântica como foco. Esse é um território vasto. A hipótese central é que os modais, entendido em sentido amplo (auxiliares modais, advérbios modais, adjetivos modais e morfemas) carregam uma variável contextual, como ocorre nos adjetivos de grau. Supomos que se trata de uma pressuposição. Essa variável (um pronome?) é interpretada em diferentes momentos da derivação. A hipótese avança Hacquard (2010) com uma implementação diferente (em que modais são relativos a mundos e não a eventos) e permite a existência de deônticos altos (ought to be , Brennan, 1993). Exploraremos a ideia de que a Base Modal Ordenada é atualizada em diferentes momentos da derivação. Buscamos relacionar o ato de fala ? afirmar ou ordenar ou exclamar ? à modalidade. Asserções, relatos são epistêmicos, indicam a posição de conhecimento do falante: o falante relata uma ordem. Derivamos então a leitura epistêmica ou deôntico baixo, ought to do . Uma ordem é de outra natureza. Não é possível ordenar alguém a acreditar em algo, por princípio a crença é livre. Obtemos então a leitura deôntica alta e a distribuição clássica na literatura entre epistêmicos e deônticos. Desenvolvemos a hipótese de Pires de Oliveira & Ferreira Rech (no prelo). A subordinação confirma que a estrutura é afirmar uma ordem. Não é possível ordenar a alguém para afirmar algo; pode-se dizer algo sem estar comprometido com o dito mas não se pode afirmar algo sem esse comprometimento, que é do livre arbítrio. Há uma explicação pragmática para a ordem epistêmicos e deônticos. Além de almejar uma apresentação formalizada da proposta (Veja o Apêndice para uma primeira versão), essa hipótese será verificada na análise de diferentes evidências empíricas: (i) o papel do tempo e do aspecto que parece suprimir a leitura epistêmica; (ii) a interpretação simbolética em inglês e no Português Brasileiro; (iii) adjetivos modais (de grau) através das línguas, também em línguas que não têm adjetivos como Kotiria (Tukano Oriental): (iv) advérbios modais no Português Brasileiro e em outras línguas, em particular no Wapichana,; (v) condicionais no Português Brasileiro e no Wapichana que parece utilizar a justaposição como estratégia; (vi) sistema modal em línguas não indo-européias em particular o Wapichana. Diferentes metodologias de coleta de dados serão utilizadas, incluindo experimentos controlados. Como deve estar claro esse é um projeto interdisciplinar e que conta com uma equipe: dos alunos da iniciação científica a supervisões de pós-doutoramento. Este projeto pretende contribuir para a área da semântica formal das línguas naturais, para a educação, para processos de revitalização de línguas em perigo e para a compreensão da cognição em sentido amplo...
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
Psico-Linguística, Semântica Experimental e Ensino

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Roberta Pires de Oliveira em 12/05/2018.
Descrição: Este projeto visa entender a semântica das línguas naturais experimentalmente como um método para refletir sobre as questões de processamento e arquitetura da linguagem. A metodologia é experimental e conversa com a psicolinguística e a cognição...
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Isabella Flud Pacheco - Integrante / Roberta Pires de Oliveira - Coordenador / Ruan Mariano - Integrante / Kayron Beviláqua - Integrante / Luisandro Mendes de Souza - Integrante / Jair Gonçalves Martins - Integrante / Monica Monawar - Integrante / Brenda Talissa Pires - Integrante.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras.
2.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Lingüística / Subárea: Teoria e Análise Lingüística.


Idiomas


Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Apresentações de Trabalho
1.
FLUD, I.; PIRES DE OLIVEIRA, R. . Evidentiality in Guarani: Methodological remarks and preliminary results. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

2.
FLUD, I.; PIRES DE OLIVEIRA, R. . Evidencialidade em Guarani: Observações metodológicas e resultados preliminares. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
SCHAFFER, T. M. ; FERRARI, C. ; FLUD, I. . Modality in Wapishana. (Pôster). 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).

4.
FLUD, I.. Evidencialidade em Guarani: Observações metodológicas e resultados preliminares. (Pôster). 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

5.
FLUD PACHECO, I.; PIRES DE OLIVEIRA, R. . O sistema nominal no Guarani Mbyá: A semântica de Kueri (Pôster). 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
3rd EISSI - Encontro Internacional de Sintaxe e Semântica & Interfaces. 2018. (Encontro).

2.
I CITAM - I Congresso Internacional de Tempo, Aspecto e Modo. 2018. (Congresso).

3.
Linguística Formal I. 2018. (Congresso).

4.
XII Semana Acadêmica de Letras da UFSC. 2018. (Outra).

5.
Grupo de Estudos de Línguas em Contato - GELIC. 2017. (Outra).

6.
II Encontro dos Seminários de Estudos Gramaticais (SEG). 2017. (Seminário).

7.
I Seminário sobre Modificação Gradual. 2017. (Seminário).

8.
SeNAG - Seminário de Novas Abordagens em Gramática. 2017. (Seminário).

9.
SINPEL - Seminário Integrado de Pesquisas em Linguística. 2017. (Seminário).

10.
XI Semana de Letras da UFSC. 2017. (Outra).

11.
15ª SEPEX - Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão - UFSC. 2016. (Outra).

12.
I Encontro dos Seminários de Estudos Gramaticais (SEG). 2016. (Encontro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Iniciação científica
1.
Roberta Pires de Oliveira. Evidencialidade no Guarani. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Letras - Língua Portuguesa) - Universidade Federal de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Iniciação científica
1.
Roberta Pires de Oliveira. O sistema nominal no Guarani: A semântica de 'kueri'. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Letras - Língua Portuguesa) - Universidade Federal de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Isabella Flud Pacheco.




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/12/2018 às 20:56:18