Andrey Oliveira

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8801423843663572
  • Última atualização do currículo em 05/10/2018


Graduando do oitavo período do curso de Psicologia da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI). Integra o quadro de membros do grupo "Políticas Públicas, Emergências, e Desastres" vinculado à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Membro da comissão científica de organização da I e II Jornada de Análise do Comportamento do Vale do Itajaí (2017-2018). Coordenou grupos de orientação profissional para adolescentes e grupos psicoeducativos para manejo da dor crônica (2016-2017). É membro voluntário do laboratório Fator Humano (UFSC), realizando atividades envolvidas com o projeto: "Avaliação de fatores de risco ao estresse ambiental/ocupacional em expedicionários do Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR)". (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Andrey Oliveira
Nome em citações bibliográficas
OLIVEIRA, A.


Formação acadêmica/titulação


2015
Graduação em andamento em Psicologia.
Universidade do Vale do Itajaí, UNIVALI, Brasil.




Formação Complementar


2017 - 2017
Interações terapeuta-cliente: comportamentos selecionados por consequências. (Carga horária: 3h).
Instituto de Terapia por Contingências de Reforçamento, ITCR, Brasil.
2017 - 2017
Avaliação psicológica na clínica cognitivo-comportamental. (Carga horária: 4h).
Instituto Brasileiro de Avaliação Psicológica, IBAP, Brasil.
2017 - 2017
Análise do comportamento e neurociências: fundamentos filosóficos. (Carga horária: 3h).
Instituto de Terapia por Contingências de Reforçamento, ITCR, Brasil.
2017 - 2017
Resultados da avaliação psicológica e o planejamento da intervenção para cr. (Carga horária: 4h).
Instituto Brasileiro de Avaliação Psicológica, IBAP, Brasil.
2016 - 2016
Dependência Química e manejo Terapêutico no Tratamento Clínico. (Carga horária: 8h).
Universidade do Vale do Itajaí, UNIVALI, Brasil.
2010 - 2011
Specialist Web Design. (Carga horária: 132h).
Cetelbras, CETELBRAS, Brasil.
2010 - 2011
Graphic Design. (Carga horária: 84h).
Cetelbras, CETELBRAS, Brasil.
2006 - 2011
Inglês. (Carga horária: 720h).
InFlux, INFLUX, Brasil.
2009 - 2010
Manutenção de Microcomputadores. (Carga horária: 60h).
Cetelbras, CETELBRAS, Brasil.
2008 - 2009
Technology Course. (Carga horária: 215h).
Cetelbras, CETELBRAS, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Bolsista Voluntário, Enquadramento Funcional: Membro do Diretório do Grupo CNPq, Carga horária: 7
Outras informações
Membro do grupo "Políticas Públicas e Emergências e Desastres" do Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil (CNPq).

Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: Bolsista Voluntário, Enquadramento Funcional: Bolsista Voluntário, Carga horária: 8
Outras informações
"Daqui eu não saio": apego à moradia em área suscetível a ocorrência de desastre de origem natural. Atividades do bolsista: Observação direta estabelecendo relações e coleta de dados in loco, aplicação de questionários.


Universidade do Vale do Itajaí, UNIVALI, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - 2017
Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 3
Outras informações
Responsável pela coordenação de um grupo psicoeducativo para o manejo da dor crônica. Responsável pela confecção de material educativo, e divulgação do grupo.

Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: Voluntário, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 3
Outras informações
Projeto de Estágio Básico do grupo de Orientação Profissional. Atividades do estagiário: Confecção e preparação dos materiais para execução das atividades do grupo. Aplicação de técnicas de orientação profissional e manejo do grupo. Análise do progresso do grupo com base em referencial teórico especializado.



Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Gerenciamento de riscos e do comportamento seguro em expedicionários polares
Descrição: Ambientes Isolados, Confinados e Extremos (ICE), como a Antártica e o ártico exigem condutas de proteção aos riscos inerentes às atividades de trabalho de seres humanos com possibilidades elevadas de ocorrência de incidentes e agravos à saúde e segurança. Riscos são eventos com potencial danoso e o comportamento seguro se refere a um conjunto de ações de exposição controlada ao risco, imediato ou iminente, que visam a proteção das pessoas que trabalham, da sua organização e da imagem de seu país. O objetivo desse projeto é promover o gerenciamento de riscos e do comportamento seguro em expedicionários polares e difundir os conhecimentos específicos do fator humano envolvido em contexto polar para a sociedade em geral, a comunidade científica de áreas relacionadas à saúde e segurança e aos expedicionários polares, em linguagem adequada a cada público. O método da pesquisa compreende etapas exploratórias, descritivas e explicativas, com estudos transversais e longitudinais, numa iniciativa interdisciplinar em prol da saúde e segurança de expedicionários e seu reconhecimento frente à população. Serão realizadas entrevistas, observações, survey, intervenções e experimentos, análises documentais, registros imagéticos, ensaios clínicos e desenvolvidos modelos e protocolos por meio de abordagens qualitativas e quantitativas. Ferramentas tecnológicas decorrentes da pesquisa de caráter interdisciplinar serão ofertadas para os programas polares com o intuito de reduzir a probabilidade de riscos e adoecimentos no contexto, contribuindo para etapas de seleção, treinamento, preparação e acompanhamento in loco e pós expedições polares: mapas de risco (origem e consequências); descrição de cargos, equipamentos e sistemas; fatores protetivos aos expedicionários. Os resultados do projeto de divulgação científica compreendem ainda uma demanda de exposição positiva da atuação humana em regiões ICE e orientações de carreira nesse segmento..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Andrey Oliveira - Integrante / Roberto Moraes Cruz - Coordenador / Gabriel de Melo Cardoso - Integrante / Aline Ferreira de Freitas - Integrante / Paola Barros-Delben - Integrante / Agnieszka Skorupa - Integrante / Antonio Fernando Boleto Rosado - Integrante / Leandro Fernandes Malloy-Diniz - Integrante / Ricelli Endrigo Ruppel da Rocha - Integrante / Daniela Ornellas Ariño - Integrante / Vanderleia de Paula Biavati - Integrante / William Moldenhauer de Jesus - Integrante / Bruna de Freitas Caetano - Integrante / Antônio Coimbra de Brum - Integrante / Mariana Lopez Teixeira - Integrante / Andrea Duarte Pesca - Integrante.
2018 - Atual
Comportamento seguro no trabalho de civis e militares em ambientes polares
Descrição: Em ambientes Isolados, Confinados e Extremos (ICE), como os contextos polares da Antártica e do Ártico, o comportamento seguro, ou ações de exposição controlada ao risco ambiental e ocupacional que visam a proteção dos indivíduos, reduz a probabilidade de ocorrência de danos pessoais e prejuízos materiais. O objetivo desta pesquisa é avaliar o comportamento seguro no trabalho de civis e militares em ambientes polares. O método empregado é de um delineamento descritivo-explicativo, cortes longitudinais e transversais e abordagem mista, qualitativa e quantitativa, conforme a etapa da pesquisa. São resultados parciais da inserção pioneira, desde 2014 na Antártica: a construção de um modelo teórico do comportamento seguro em ambiente polar, elaboração de mapas de risco e sugestões para mitigação da ocorrência de acidentes e agravos á saúde. São resultados esperados desta pesquisa: o aperfeiçoamento do modelo teórico de comportamento seguro em ambientes ICE, por meio da testagem da sensibilidade do modelo em contextos polares; o diálogo e o compartilhamento de experiências interdisciplinares e internacionais na coleta, análise e produção de conhecimento, a criação de um banco de dados e um programa de atenção à saúde e segurança de expedicionários polares, pautado em uma tecnologia digital, considerando os instrumentos e metodologia adequados às especificidades de cada ambiente ICE..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Andrey Oliveira - Integrante / Roberto Moraes Cruz - Coordenador / Paola Barros-Delben - Integrante.
2016 - Atual
Avaliação da eficácia de sistemas informatizados para ensino de comportamentos científicos para profissionais em nível superior
Descrição: O ensino superior tem por objetivo a capacitação de profissionais em múltiplas áreas com base no conhecimento e no método científico, de forma a produzirem mudanças significativas na sociedade, em direção a um mundo mais justo, produtivo, inclusivo, ético e sustentável. Entretanto, apenas 11% da população brasileira com diploma de nível superior é considerada letrada cientificamente. Tal indicador sinaliza um grave problema em nosso país: mesmo a população com formação superior não sabe lidar com o conhecimento e com o método científico. As decorrências disso são diversas: indistinção entre informações produzidas de diferentes maneiras (senso-comum, fé...), indistinção entre ciência e pseudociências, ausência de critérios para avaliar a confiabilidade de informações, falta de clareza no possível papel da ciência no desenvolvimento de um país, etc. Embora a formação científica deva iniciar nos anos iniciais na escola, é na universidade o contexto no qual espera-se que os egressos tenham garantida a formação de qualidade em ciência. Compreender o método científico é requisito para uma atuação profissional coerente com a qualificação ?nível superior?. Ainda assim, com as evidências de que a formação científica não tem sido garantida na própria universidade, torna-se de grande importância iniciativas que lidem com tal problema. Uma estratégia complementar ao ensino formal que as novas tecnologias da informação possibilitaram, são os ambientes virtuais de ensino. O objetivo deste projeto é avaliar a eficiência, eficácia e efetividade de um sistema online de ensino, público e gratuito, desenvolvido no departamento de psicologia da UFSC para ensino de Ciência. Serão examinados os dados relacionados ao desempenho de todos participantes desse sistema. O sistema online é programado a partir da tecnologia designada Programação de Condições para Desenvolver Comportamentos (PCDC) no ambiente virtual Moodle-Grupos da UFSC. Como parte da tecnologia PCDC, são registradas informações do desempenho de cada participante em linha de base, durante os programas de ensino específicos e realizadas medidas de follow-up dos comportamentos-objetivo de ensino. Os dados serão analisados por meio de delineamentos experimentais. A análise dos dados possibilitará avaliar, com clareza e precisão, a eficiência, eficácia e efetividade do sistema criado, de modo a ser possível aperfeiçoar o sistema para garantir que funcione como uma condição adicional para formação de profissionais em nível superior..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (23) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Andrey Oliveira - Coordenador / Helder Lima Gusso - Integrante.
2016 - Atual
Riscos e impactos psicossociais em expedicionários expostos a ambientes polares
Descrição: O comportamento seguro (CS) no trabalho é definido por ações de exposição controlada ao risco, existente ou eminente, orientadas para evitar a ocorrência de eventos indesejáveis. Em ambientes isolados, confinados e extremos (ICE), como a Antártica, o CS está sob influência de específicos precursores que interagem entre si visando a proteção de indivíduos, grupos e organização, com potencial de redução da probabilidade de acidentes e adoecimentos. O Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR), gerido pela Marinha do Brasil, mantém a Estação Antártica Comadante Ferraz (EACF), que em 2012 foi destruída por um incêndio e resultou em duas mortes, atribuído como causa erro operacional. Diante das demandas do PROANTAR o objetivo desta pesquisa é avaliar CS no trabalho de expedicionários da EACF. Objetivos específicos: construir um modelo conceitual de CS no trabalho; identificar os precursores do CS e da saúde no trabalho em contexto antártico; caracterizar cargos e riscos psicossociais para o trabalho em missões anuais de expedicionários militares da EACF; elaborar protocolos de levantamento de dados relacionados ao CS e seus precursores a expedicionários militares do PROANTAR; relacionar fatores e recursos precursores do CS no trabalho em expedicionários militares na EACF e sua variação no tempo. O delineamento descritivo e a abordagem mista foram empregados na pesquisa..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Andrey Oliveira - Integrante / Roberto Moraes Cruz - Coordenador / Paola Barros-Delben - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.


Projetos de extensão


2017 - Atual
OPERANDA - Transformando conhecimento científico em comportamento
Descrição: O OPERANDA - Transformando conhecimento científico em comportamento ? é um programa de extensão da Universidade Federal de Santa Catarina criado em março de 2017. O programa surgiu a partir da identificação do baixo índice de letramento científico entre universitários e da dificuldade de compreender as possibilidades de uso do método científico como base para atuação profissional. Tais dados evidenciam a necessidade de desenvolver programas de ensino para formar pessoas capazes de apresentar comportamentos científicos. Muito além do que apenas ensinar as pessoas a falar sobre Ciência, ensinar a tomar decisões e agir com base no método científico, é o que deveria caracterizar a formação de jovens brasileiros no ensino superior. Desde meados do século XX, há uma longa tradição de estudos experimentais em laboratórios de pesquisas básicas e aplicadas sobre processos de aprendizagem, conhecimento sistematizado em um campo recentemente denominado programação de condições para desenvolver comportamentos (PCDC). O conhecimento produzido nesse campo é sistematicamente ignorado nos programas de formação de professores, tornando o ensino incoerente com as descobertas relacionadas aos processos de ensinar e aprender. Considerando tais informações, o OPERANDA é um sistema online que disponibiliza programas de ensino de modo público e gratuito, elaborados de modo consistente a partir da lógica do campo da programação de condições para desenvolver comportamentos. Nossa missão é ensinar comportamentos profissionais científicos aos estudantes do ensino superior, de modo que possam tomar decisões e atuar profissionalmente com base no método científico. Contamos, no momento, com uma equipe que envolve um professor, uma doutoranda, três graduandos bolsistas e mais 23 graduandos voluntários. A infra-estrutura utilizada é a do Laboratório Fator Humano da UFSC. As principais atividades do programa envolvem: (a) sistematizar conhecimento produzido a respeito de diferentes formas de produção de conhecimento científico; (b) elaborar programas de ensino, com base na literatura e no conhecimento no campo da PCDC; (c) programar, na plataforma digital da UFSC, os programas de ensino de modo a torna-los acessíveis; (d) produzir conhecimento acerca dos programas de ensino elaborados, avaliando sua eficiência, eficácia e efetividade. Temos três princípios norteadores em nosso trabalho. (1) Ponto de partida de elaboração dos programas de ensino são as principais necessidades sociais relacionadas ao uso do método científico na atuação de profissionais de nível superior. Essas necessidades são identificadas na literatura e por meio de investigações empíricas. (2) Não ensinamos conteúdo. Desenvolvemos comportamentos profissionais! Nosso objetivo é desenvolver comportamentos que a pessoa apresentará, ao atuar profissionalmente, após concluir o programa de ensino. Selecionamos informações e criamos estratégias de ensino que facilitem o desenvolvimento desse comportamento. Mais do que criar condições para uma pessoa aprender a "falar sobre", criamos condições para ela apresentar o comportamento esperado. Por exemplo, no ensino do comportamento "elaborar uma planilha de dados", mais do que definir uma planilha de dados, ao aluno são criadas condições de ensino para que ele literalmente "elaborasse uma planilha de dados". (3) Seguimos princípios de elaboração de condições/estratégias de ensino empiricamente validadas. O desenvolvimento do ensino é orientado por cinco princípios: (a) respeito ao ritmo do aluno; (b) promoção gradual da aprendizagem do aluno; (c) elaboração de estratégias de ensino que exija que o aluno "aprenda fazendo"; (d) apresentação de feedback imediato e informativo acerca do desempenho do aluno; e (e) avaliação contínua do programa de ensino para seu constante aperfeiçoamento..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (23) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Andrey Oliveira - Coordenador / Helder Lima Gusso - Integrante.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia Experimental.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Análise do Comportamento.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Neuropsicologia.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Resumos publicados em anais de congressos
1.
DELBEN, P. B. ; OLIVEIRA, A. ; CARDOSO, G. M. ; LOPEZ-TEIXEIRA, M. ; CRUZ, R. M. . Perception of military expeditionaries regarding the precursor resources of safe working behavior in Antarctica. In: V SYMPOSIUM APECS-BRASIL Achievements and challenges in a decade of changes in national and international scene, 2018, Belo Horizonte. Book of Abstract, 2018. p. 19-19.

Apresentações de Trabalho
1.
DELBEN, P. B. ; OLIVEIRA, A. ; LOPEZ-TEIXEIRA, M. ; CRUZ, R. M. . Perception of military expeditionaries regarding the precursor resources of safe working behavior in Antarctica. 2018. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

2.
DELBEN, P. B. ; CARDOSO, G. M. ; OLIVEIRA, A. ; THIEME, A. L. ; CRUZ, R. M. . Comportamento seguro em ambientes isolados, confinados e extremos. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
DELBEN, P. B. ; FREITAS, A. F. ; CARDOSO, G. M. ; OLIVEIRA, A. ; CRUZ, R. M. . Future-oriented temporal perspective and mood in Antarctica. 2018. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

4.
ALVES, R. B. ; KRUG, C. ; OLIVEIRA, A. ; SANTOS, C. R. . Instrumentos de Medida sobre Percepção de Risco de desastres: uma revisão sistemática. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
ALVES, R. B. ; SANTOS, C. R. ; OLIVEIRA, A. . Como atrair acadêmicos do Curso de Psicologia para o estudo da Psicometria? um relato de experiência. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
47° Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Psicologia e 1° Congresso Brasileiro de História da Psicologia. 2017. (Outra).

2.
8º Congresso Brasileiro de Avaliação Psicológica. Como atrair acadêmicos do curso de psicologia ao estudo da psicometria? Um relato de experiência. 2017. (Congresso).

3.
8º Congresso Brasileiro de Avaliação Psicológica. Instrumentos de Medida sobre Percepção de Risco de Desastres: uma revisão sistemática. 2017. (Congresso).

4.
I Congresso sobre Riscos Psicossociais e Saúde nas Organizações e no Trabalho e V Seminário Catarinense de Prevenção ao Assédio Moral no Trabalho. Fatores e Recursos Relacionados ao Comportamento Seguro no Trabalho em Expedicionários Militares do Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR). 2017. (Congresso).

5.
III Jornada de Análise do Comportamento. 2017. (Outra).

6.
JACs do Brasil (Online): II Jornada de Análise do Comportamento. 2017. (Congresso).

7.
V Congresso Brasileiro de Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR) e Encontro de Terapeutas Comportamentais. 2017. (Congresso).

8.
VI Seminário Internacional de Habilidades Sociais. 2017. (Seminário).

9.
Vivências e Estágios na realidade do Sistema Único de Saúde - VER-SUS. 2017. (Outra).

10.
XXVI Encontro Brasileiro de Psicologia e Medicina Comportamental. 2017. (Encontro).

11.
IV Semana Integrada: Ensino, Pesquisa e Extensão do Centro de Ciências da Saúde - CCS. 2016. (Seminário).

12.
III Semana Integrada do CCS. 2015. (Seminário).

13.
XL Seminário de Estágios e XXX Semana de Trabalhos de Iniciação Científica - Curso de Psicologia. 2015. (Seminário).

14.
XXV Semana Acadêmica de Psicologia - Atuação em Psicologia: Campos e Possibilidades. 2015. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
FIELDKIRCHER, F. ; OLIVEIRA, A. ; REICHERT, R. A. ; ASSONI, F. . I Jornada de Análise do Comportamento do Vale do Itajaí. 2017. (Outro).



Inovação



Projetos de pesquisa


Outras informações relevantes


E-mail para contato: andrey-4000@hotmail.com OU andreyoliveira4000@gmail.com.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/01/2019 às 8:54:29