Maria Clara Barreto

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6808559758065459
  • Última atualização do currículo em 09/08/2018


Técnica em Segurança do Trabalho pelo Instituto Federal Catarinense Campus Luzerna, Realizou curso profissionalizante em vendas no SENAC Joaçaba e atualmente cursando Agronomia no Instituto Federal Catarinense Campus Concórdia. Tem experiência na área de Engenharia de Produção, com ênfase em Higiene e Segurança do Trabalho (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Maria Clara Barreto
Nome em citações bibliográficas
BARRETO, M. C.


Formação acadêmica/titulação


2018
Graduação em andamento em Agronomia.
Instituto Federal Catarinense, Campus Concórdia, IFC, Brasil.
2015 - 2017
Ensino Médio (2º grau).
Instituto Federal Catarinense - Campus Luzerna, IFC, Brasil.




Formação Complementar


2015 - 2017
Segurança do Trabalho.
Instituto Federal Catarinense - Campus Luzerna, IFC, Brasil.
2014 - 2015
Vendas.
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - SC, SENAC/SC, Brasil.



Projetos de pesquisa


2016 - 2017
Monitoramento das propriedades físico-químicas durante a produção de cerveja artesanal
Descrição: Os processos fermentativos para produção de bebidas eram utilizados pelos antigos egípcios, germanos e israelitas a cerca de 10 mil anos atrás. Os sumérios e os assírios desenvolveram a técnica de produzir bebidas fermentadas pelo processo de malteação de grãos, dentre elas a cerveja, aproximadamente oito mil anos atrás. Somente na segunda metade de 1800, a primeira cerveja fabricada com título de Bohemia foi produzida em Petropólis no estado do Rio de Janeiro (Rosa e Afonso, 2015). A cerveja é uma mistura complexa de constituintes como água, fermento, malte, lúpulo presentes nas etapas da produção de cerveja (Blanco et al., 2015). Considerando que a cerveja é uma mistura de vários componentes químicos é possível utilizar essa premissa como justificativa para desenvolver um projeto que avalia as etapas de produção desta bebida. A produção de cerveja ocorre através de um processo bioquímico denominado fermentação alcoólica que consiste na decomposição dos açucares por leveduras produzindo etanol (C2H5OH) e gás carbônico CO2. As leveduras são microorganismos que utilizam enzimas zimases para a reação com açucares fermentáveis (maltose, glicose e outros açucares simples) que foram obtidos anteriormente através da hidrólise de polissacarídeos (amido) na etapa de maltagem (Ferreira e Montes, 1999). As leveduras mais frequentemente utilizadas para produção de cerveja são a Saccharomyces cerevisiae (alta fermentação) e Saccharomyces uvarum (baixa fermentação). A levedura Saccharomyces pastorianus é utilizada para a produção da cerveja pilsen, que atualmente responde por mais da metade do mercado de cerveja global, e é a mais consumida no território brasileiro Brasil (J. Matson, 2011). Embora seu consumo esteja mais associado à cultura popular, a cerveja possui propriedades benéficas a saúde quando consumida moderadamente. A cerveja contém quantidades significativas de vitaminas do complexo B, principalmente folatos e riboflavina, selênio e vários antioxidantes provenientes do malte e do lúpulo (Siqueira et al., 2008) A cerveja possui uma riqueza em composição e processo de preparação que justifica o interesse de investigar suas propriedades e etapas de produção. A cerveja é um exemplo de como a química está inserida em nosso cotidiano, não apenas no que diz respeito à preparação desse produto em suas diversas etapas, mas também no controle de qualidade necessário para que seja consumido sem risco à saúde e/ou obtenção de cervejas de baixa qualidade. Desta forma, o controle do processo produção da cerveja é bastante promissor como uma ferramenta de ensino que pode ampliar a participação dos alunos do ensino médio em atividades de pesquisa promovendo um aumento de seus conhecimentos de química e áreas afins...
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2016 - 2017
Levantamento de Mapa de Riscos em Laboratório de Ensaios Mecânicos e Metalúrgicos
Descrição: Mapeamento de Riscos é uma representação gráfica dos riscos presentes no local laboral. É composto por círculos, o âmbito dos círculos determina o grau de risco, com cores diferentes com objetivo para representar os riscos. É exigido pelo Ministério do Trabalho que todos os locais laborais, independentes do tamanho da in-dústria ou instituição, desfrutem desse meio para promover a segurança e saúde dos trabalhadores, e este deve possuir uma CIPA. Como disposto na Norma Regulamentadora 5 (NR. 5), o Mapeamento de Riscos é uma atribuição da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). Ele é importante para que se faça um diagnóstico do local laboral, assim identificando os riscos presen-tes a fim de tentar minimizar estes, com o auxílio de Equipamento de Proteção Individual (EPI? s), es-clarecendo para os trabalhadores, docentes e discentes os riscos que estão se submetendo durante a rea-lização de sua atividade laboral. O processo de construção do mapeamento de riscos envolve análise dos riscos, presentes nos laborató-rios do IFC, será desenvolvido pois no nosso campus não existe nenhum levantamento de riscos e isso irá gerar melhoras no ambiente laboral, para os servidores, alunos e comunidade podendo visualizar quais são os agentes que podem lhe causar uma doença futura ou até mesmo um grave acidente. Preve-nindo um problema que poderia ser causado naquele local. Também o levantamento do mapa de risco do Laboratório de Ensaios Mecânicos e Metalográficos faz parte do que está proposto pelo Grupo de Pesquisa em Processos Metalúrgicos para a caracterização de materiais onde somente ocorre em grandes centros tecnológicos como Universidades Federais e em grandes capitais. Com os avanços tecnológicos e científicos de pequenas e médias empresas longe des-tes centros, a caracterização de novos materiais e dos materiais já existentes são de grande interesse para empresas da região. Isso gerou uma grande necessidade que hoje está completamente descoberta. Então o grupo se propôs a pesquisar, desenvolver e organizar uma estrutura que atenda os interesses das em-presas quanto a desenvolvimento de novos materiais e otimização dos já existente. Sendo assim o levan-tamento do mapa de risco faz parte da organização da estrutura do laboratório de pesquisa de Ensaios Mecânicos e Metalográficos, contribuindo para criar também uma cultura de Segurança e Saúde no Tra-balho formando assim ações preventivas e preditivas tanto na pesquisa como também na extenção..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Outros Projetos


2017 - 2017
SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EXPOSITORES DA FEIRA GERA 2017
Descrição: As feiras são de grande importância econômica para a região do meio-oeste de Santa Catarina, pois atraem grande circulação de pessoas e geram movimento na economia. Porém, por ter um grande alcance, necessitam proporcionar segurança, ser prevenidas em casos de sinistros, disponibilizar informação ao público e conforto aos expositores. Com essa finalidade, o presente projeto elaborou um questionário para conferir o planejamento e a organização dos expositores; e paralelamente, elaborou material informativo com questões de segurança para o público flutuante. Com a análise dos resultados, este projeto valoriza as ações prevencionistas e identifica algumas possíveis melhorias para as próximas edições da Feira GERA..
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
2016 - 2016
Elaboração De Mapa De Risco Dos Laboratórios Do Instituto Federal Catarinense ? Campus Luzerna

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Mario Wolfart Junior em 09/08/2018.
Descrição: Mapa de risco é uma representação gráfica dos riscos presentes em ambientes laborais, tendo como objetivo informar aos trabalhadores e aos visitantes quais os riscos presentes naqueles ambientes. O mapeamento dos riscos proporciona uma visualização geral dos riscos aos que os trabalhadores estão se submetendo. Devido à grande quantidade de riscos presentes nos laboratórios do Instituto Federal Catarinense ? Campus Luzerna e à necessidade de que os docentes, discentes e técnicos que exercem suas funções neste local possam antever quaisquer riscos a estão expostos durante sua jornada acadêmica e laboral, até mesmo para conscientizá-los da importância dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI), passando a utilizá-los durante sua atividade. Esse projeto buscou desenvolver mapas de riscos em todos os laboratórios do bloco B, atentando principalmente ao fato de que grandes acidentes podem ser gerados por falta de pequenas prevenções. Contou com análises qualitativas dos trabalhadores e quantitativas dos riscos, tendo a partir dessas análises, o grau e o tipo de riscos presentes em cada laboratório. A partir dessas análises, foram implementados no programa AutoCAD, os riscos com suas cores e o grau que eles possuem, tendo em vista que o laboratório de usinagem apresenta maior periculosidade e insalubridade, sendo mais enfatizado nos resultados e discussões. E assim, proporcionando aos alunos, professores e técnicos uma visão mais detalhada e cautelosa frente aos riscos identificados, prevenindo acidentes decorrentes dos tais..
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
2015 - 2015
Trajetória dos Resíduos Descartados Conscientização pública
Descrição: Projeto que tinha o objetivo de orientar o público em geral sobre os resíduos sólidos domiciliar que podem ser reciclados, e conscientizar os trabalhadores das associações de reciclagem sobre os riscos e a valorização de suas atividades, por meios orais ou eletrônicos..
Situação: Concluído; Natureza: Outra.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção/Especialidade: Higiene e Segurança do Trabalho.
2.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Química.


Produções



Produção bibliográfica
Apresentações de Trabalho
1.
BARRETO, M. C.. Levantamento de Mapa de Riscos em Laboratórios de Ensino. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
BARRETO, M. C.. Monitoramento das Propriedades Fisico-quimica Durante a Produção de Cerveja Artesanal. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Feira GERA 2017. Segurança do Trabalho para Expositores da Feira GERA 2017. 2017. (Exposição).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 17/01/2019 às 1:37:24