Roberta Olivério Naegeli

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/7396783111465236
  • Última atualização do currículo em 31/10/2017


Laboratório de Etologia e Bioacústica (Ebac) da Universidade de São Paulo (USP), campus de Ribeirão Preto. Professora voluntária da área de Língua Portuguesa - Projeto Educacional Interdisciplinar Comunitário/PEIC (2016-atualmente); Coordenadora da área de Língua Portuguesa - Projeto Educacional Interdisciplinar Comunitário/PEIC (2017); Membro de gestão de pessoas - Irhis Consultoria Júnior em Psicologia (2016-2017). (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Roberta Olivério Naegeli
Nome em citações bibliográficas
NAEGELI, R. O.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade de São Paulo.
Avenida do Café - de 3001 ao fim - lado ímpar
Vila Monte Alegre
14040000 - Ribeirão Preto, SP - Brasil
Telefone: (16) 993055413


Formação acadêmica/titulação


2016
Graduação em andamento em Psicologia.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.




Atuação Profissional



Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Irhis Consultoria Júnior em Psicologia, IRHIS, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Membro de Gestão de Pessoas


Projeto Educacional Interdisciplinar Comunitário, PEIC, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professora de Língua Portuguesa, Carga horária: 4



Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Dividir? Depende do recurso: o que controla o comportamento cooperativo de crianças em turmas escolares?
Descrição: O comportamento cooperativo humano pode ser investigado a partir do Dilema dos Bens Públicos, tratado pela Teoria dos Jogos. Neste dilema, quanto maior for a cooperação entre os participantes, maior será o ganho coletivo ao final de uma partida. Em estudos recentes descobriu-se que a cooperação tende a ser mais alta quando o recurso é não alimentício do que quando ele é alimentício. Partindo da premissa de que o recurso pode exercer função de reforçador, neste contexto, ele funcionaria como reforço para determinados comportamentos -cooperar ou não cooperar. O objetivo deste projeto é investigar a influência de tipos de reforçadores diferentes -alimentícios e não-alimentícios- sobre o comportamento de cooperar, em um contexto de jogo com crianças. Participarão deste estudo 30 crianças de 10 anos, divididas em dois grupos. Os participantes serão convidados a participar de um jogo no qual receberão três moedas de plástico que poderão ser investidas à critério do jogador (nenhuma, uma, duas ou as três moedas) em uma urna, de forma anônima. Para cada moeda investida na urna, a pesquisadora acrescentará mais duas moedas e o montante final será dividido igualmente entre todos os participantes da sessão. As moedas poderão ser trocadas por itens de interesse da criança ao final de cada sessão, em uma espécie de ?lojinha?. Para um grupo, a loja conterá materiais escolares ou adesivos; para o outro, itens alimentícios, como balas, chocolates e wafers. Espera-se comparar o efeito desses diferentes recursos sobre o comportamento cooperativo, medido pela quantidade de moedas investidas na urna, e assim verificar em qual deles há maior prevalência de atitudes cooperativas.. Considerando a importância da cooperação para a nossa sociedade, é de suma importância a investigação de variáveis que estejam relacionadas com o aumento da frequência de comportamentos cooperativos entre os indivíduos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberta Olivério Naegeli - Coordenador / Patrícia Ferreira Monticelli - Integrante / Aline Melina Vaz - Integrante.
2016 - 2017
EFEITO DA APLICAÇÃO DE UM SISTEMA DE ECONOMIA DE FICHAS EM JOGOS COOPERATIVOS
Descrição: Uma forma de investigar o comportamento cooperativo é por meio da realização de jogos cooperativos, que são uma simulação experimental do Dilema dos Bens Públicos. Esse tipo de jogo prevê que quanto maior a cooperação, maior o ganho coletivo ao final do jogo. Numa situação de jogo, o tamanho do grupo de participantes é uma variável importante a ser considerada, entretanto, não está claro o papel dos reforçadores sobre o comportamento cooperativo. Pesquisas como esta são importantes para que possamos aumentar nossa compreensão sobre o fenômeno da cooperação, identificando as variáveis que nos levam ora para comportamentos cooperativos em algumas situações, ora para comportamentos mais individualistas em outras. Participarão desta pesquisa 25 crianças de 10 anos de uma instituição de ensino regular. As crianças serão convidadas a participar de um jogo cooperativo. Neste jogo todas as crianças da turma receberão três fichas, e serão orientadas a doá-las em uma urna. Depois que todos tiverem feito suas doações (de forma anônima) a pesquisadora contabilizará o total de doações, junto às crianças. Para cada ficha doada, a pesquisadora acrescentará mais duas fichas. As fichas poderão ser trocadas por itens de interesse da criança ao final de cada sessão, em uma espécie de ?lojinha?, que conterá materiais escolares, adesivos e pequenos brinquedos. Quanto mais interessante o item, mais moedas serão necessárias para a realização da troca. O presente trabalho pretende investigar o efeito da aplicação do sistema de economia de fichas (que possibilita o acesso a uma variedade de reforçadores) no comportamento de cooperar em crianças submetidas a uma situação de jogo cooperativo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberta Olivério Naegeli - Integrante / Patrícia Ferreira Monticelli - Coordenador / Aline Melina Vaz - Integrante.


Projetos de extensão


2016 - Atual
PEIC
Descrição: 2016-2017: professora voluntária da área de Língua Portuguesa 2017-2018: coordenadora da área de Língua Portuguesa e professora voluntária.
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Francês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.


Produções



Produção bibliográfica


Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
47ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Psicologia. A preferência lateral do observador não afeta a ilusão da mão de borracha. 2017. (Congresso).

2.
47ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Psicologia. 2017. (Congresso).

3.
XL Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Neurociência e Comporamento. É possível que uma ?poupança de moedas? promova cooperação entre crianças?. 2017. (Congresso).

4.
XL Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Neurociência e Comporamento. 2017. (Congresso).

5.
XL Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento. Pensando sobre a mente do animal não-humano com crianças de uma escola pública de Sertãozinho. 2017. (Congresso).

6.
XVI Jornada da Análise do Comportamento da Universidade Federal de São Carlos. 2017. (Congresso).

7.
III Encontro Temas em Debate: Competências de Coaching para Liderança. 2016. (Congresso).

8.
Terças na Sociedade - Teoria e Técnica da Psicanálise "Semeando a Psicanálise". 2016. (Seminário).

9.
X Congresso de Gestão, Estratégias e Pessoas. 2016. (Congresso).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
NAEGELI, R. O.. GEP Brasil 2016 - Congresso de Gestão, Estratégias e Pessoas. 2016. (Congresso).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 18/01/2019 às 9:46:44