Ana Cristina Lima do Nascimento

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/9576438740449604
  • Última atualização do currículo em 12/11/2014


Possui graduação em História pela Universidade Federal do Amazonas (2005). Atualmente é professora de ensino fundamental e médio da Escola Municipal Professora Francisca Goes dos Santos. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil e Arqueologia. Participa do Núcleo de Socioeconomia como pesquisadora, atuando também como colaboradora em projetos de Pesquisa e Extensão desenvolvidos na Comunidade São Francisco, Careiro da Várzea-Amazonas. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Ana Cristina Lima do Nascimento
Nome em citações bibliográficas
NASCIMENTO, A. C. L.


Formação acadêmica/titulação


2007 - 2008
Especialização em História e Ensino de História do Brasil. (Carga Horária: 400h).
Centro Universitário do Norte, UNINORTE, Brasil.
Título: As práticas Políticas no município de Careiro da Várzea.
Orientador: Orange Matos Feitosa.
2001 - 2005
Graduação em História.
Universidade Federal do Amazonas, UFAM, Brasil.
Título: As práticas políticas no Município de Careiro da Várzea - Amazonas-1989-2000.




Atuação Profissional



Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas, FAPEAM, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidade Federal do Amazonas, UFAM, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Escola Municipal Professora Francisca Goes dos Santos, EMPFGS, Brasil.
Vínculo institucional

1995 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professora de Ensino fundamental e médio, Carga horária: 40



Projetos de pesquisa


2014 - Atual
Se as pedras falassem quem sabe a história seria outra: ambiente e arqueologia na localidade de terra preta na Comunidade de São José em Terra Nova Careiro da Várzea - AM
Descrição: A relação entre homem e natureza, nos últimos quinhentos anos, vem contribuindo para a degradação ambiental em vários pontos do planeta Terra, pois (...) o homem não tinha nenhuma consciência da necessidade de respeitar a natureza (SOARES, p. 15, 2003). Jornais, revistas e publicações científicas, nas últimas décadas, têm demonstrado que a problemática ambiental é de cunho econômico, social, ético, político, etc. A história da sociedade brasileira foi quase totalmente construída a partir da chegada dos lusitanos ao Nordeste, em 22 de abril de 1500, quando Pedro Álvares Cabral atracou suas naus em solos nacionais ( No Brasil antes dos brasileiros, Prous, 2006). Destarte, ficou convencionado que a história do Brasil foi inaugurada com a chegada da esquadra de Cabral . Pois bem! Não é bem isso: no continente americano, antes da chegada de Cristóvão Colombo, nas ilhas de Hispaniola (Fausto, p. 7, 2000), já havia populações humanas com requintados graus de desenvolvimento em vários ramos do conhecimento, chamados de saberes ecológicos (Santos, 2006). Ademais, foi na América que houve a domesticação de variedades de espécies vegetais, que, hoje, servem de alimentos para o homem moderno. Nesse sentido, para se reaver a história indígena pré-colonial amazônica, é mister que se busquem os achados arqueológicos, que são alguns dos elementos que podem remontar o seu passado, na medida em que a sua história iniciou bem antes da primeira expedição chefiada por Francisco Orellana, cujos registros etno-históricos acusam ter havido numerosas populações por todo o vale Amazônico (Porro, 1996). Doravante, a pretensão do projeto é estimular a consciência ambiental, por meio da observação, e esclarecer que os vestígios arqueológicos estão inseridos no contexto histórico das sociedades humanas, as quais alteraram o meio ambiente com o propósito de garantir a sua cultura. Nesse sentido, os alunos estão imbuídos de divulgar um pouco dessa a história local por meio de oficinas, de palestras, nas escolas de Careiro da Várzea. Em 2013, foi elaborado um álbum fotográfico por alunos, pelo coordenador e por voluntários do projeto Ambiente e arqueologia revelando a história da Comunidade São Francisco da Terra Nova Careiro da Várzea . Na Escola Estadual Coronel Fiúza, cujo incentivo foi da FAPEAM, a partir do projeto A Ciência na Escola-PCE . O objetivo é dar continuidade no projeto. Este poderá contribuir para a formação de cidadãos e de cidadãs conscientes a ponto de perceberem que a Terra está sendo degradada pelos procedimentos que o homem vem orquestrando nos últimos quinhentos anos de ocupação, no continente americano..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2013
Ambiente e arqueologia revelando a história da Comunidade São Francisco da Terra Nova-Careiro da Várzea
Descrição: A expressão resgate ou salvamento em arqueologia é utilizado no sentido de recuperar vestígios que são encontrados em sítios arqueológicos. Estes vestígios são encontrados pelas ações naturais ou pela intervenção do homem com possíveis impactos gerados. Na comunidade São Francisco da Costa da Terra Nova, segundo informação de moradores daquela localidade existe um sitio arqueológico. Não existe registro ou dados de trabalho realizado neste local. Neste sentido, surgiu o interesse em estudar/pesquisar esta área com ajuda de dois especialistas em arqueologia.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2013 - Atual
Residência Agrária: Organização social e identificação de mercados - OSIM
Descrição: O projeto, resultado de articulação institucional SEPROR/SECT/FAPEAM/UFAM operacionalizado pelo NUSEC e CCA, tem como objetivo principal proporcionar a melhoria da qualidade de vida para população rural atendida através do apoio à organização social e acesso a canais de comercialização. Contemplará 2.400 famílias rurais que não são assistidas por políticas sociais, econômicas, culturais e ambientais, o que vem promovendo uma exclusão social dessas populações. Trata-se de assim, de potencializar por meio tecnologias sociais e ecotecnologias que visem a sustentabilidade, a segurança alimentar, novas oportunidades de emprego e renda para as populações tradicionais amazônicas visando à conservação e preservação do ambiente e da cultura material e imaterial..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
2010 - Atual
Parque Tecnológico da Universidade Federal do Amazonas: Rede de Inovação e Extensão Tecnológica para a Inclusão Social.
Descrição: Este projeto propõe a criação do Parque Tecnológico para Inclusão Social da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) cuja estrutura funcionará a partir da montagem de uma Rede de Inovação e Extensão Tecnológica voltada para inclusão social com sustentabilidade. O Parque operará sob a direção do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), como gestor e indutor das oportunidades na Rede, abrangendo as Unidades Acadêmicas do Interior da UFAM. O conjunto das ações a serem empreendidas pela Rede promoverá a inclusão social dos diversos segmentos que se encontram em situação risco e vulnerabilidade social e ambiental, envolvidos direta e indiretamente, criando oportunidades de acesso para o usufruto Bens e Serviços Sociais e para adoção de práticas sustentáveis de geração de renda. A atuação do projeto abrangerá a sede e o meio rural de 24 municípios atendendo mais de 800 comunidades no estado do Amazonas. A Rede de Inovação e Extensão Tecnológica para Inclusão Social será composta por um conjunto de Subprojetos cuja totalidade das ações proposta resultará no desenvolvimento de estudos sobre a dinâmica sócio-cultural e política nas comunidades ribeirinhas e tradicionais do estado do Amazonas, na produção e a transferência de tecnologias sociais e tecnologias social e tecnicamente apropriadas para empresas e empreendimentos econômicos solidários, de modo a fornecer subsídios qualificados para as políticas públicas na área sócio-ambiental, política, cultural, econômica e tecnológica, voltadas para a realidade amazônica, com ações afirmativas de inclusão social a partir de um processo sócio-educativo e participativo pautado num aporte teórico-metodológico da pesquisa-ação abrangendo um conjunto de princípios ético-político, sócio-cultural e de inclusão social num efetivo esforço de manter a sinergia entre os atores no plano do território delimitado..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História.


Idiomas


Espanhol
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Apresentações de Trabalho
1.
NASCIMENTO, A. C. L.. Ações Socioeducativas em extensão: Uma experiencia de Formação Integral com a Juventude Rural. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

2.
NASCIMENTO, A. C. L.. Um encontro de saberes no Amazonas. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
I Seminário de experiência agroecologico no contexto amazonico.Produçao de plantas ornamentais em viveiro agroflorestal na Comunidade de São Francisco, Costa de Terra Nova.. 2012. (Seminário).

2.
I Seminário de experiência agroecologico no contexto amazonico.Ações socioeducativas em Extensão: Uma experiência de formação integral com a juventude rural. 2012. (Seminário).

3.
1ª Mostra e Intercâmbio de Experiência Em Educação Ambiental na Amazônia. 2010. (Outra).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/10/2018 às 18:52:02