Maria Julia Pereira Reis

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/5185705370337910
  • Última atualização do currículo em 21/11/2018


Mestranda do Programa do Pós Graduação em Ciências Farmacêuticas - PPGCF/UFAL. Foi monitora da Disciplina Fitoterapia, da ESENFAR, UFAL. Tem experiência na área de Síntese de fármacos, em especial Antimaláricos, cujo projeto foi elaborado pelo Grupo de Química Medicinal - GCAR/UFAL. Possui experiência como "Estagiária Interna" em Farmácia Hospitalar, na Santa Casa de Misericórdia de Serrinha, na Bahia. Possui experiência como "estagiária farmacêutica" na Farmácia Magistral, Fórmula Bela, em Belo Jardim - PE. Atualmente é Estagiária na Garantia de Qualidade da Hebron, em Caruaru - PE. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Maria Julia Pereira Reis
Nome em citações bibliográficas
REIS, M. J. P.


Formação acadêmica/titulação


2012
Graduação em andamento em Farmácia.
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
Título: ESTUDO DAS PLANTAS DA RENAME-FITO NO ÂMBITO DA TOXICOLOGIA CLÍNICA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA.
Orientador: Maria Aline Barros Fidelis de Moura.
2009 - 2011
Ensino Médio (2º grau).
Centro de Educação Integrada Mais, CEI%20MIRASSOL, Brasil.
2001 - 2008
Ensino Fundamental (1º grau).
Colegio Diocesano Monsenhor Francisco de Assis Neves, CDBJ, Brasil.




Formação Complementar


2018
MBA em Farmacologia Clínica e Farmácia Clínica com ênfase em Prescrição Farmacêuti. (Carga Horária: 360h).
Faculdade Cathedral, I-BRAS, Brasil.
2018
MBA em MBA em Gestão e Auditoria em Sistemas da Saúde. (Carga Horária: 504h).
Centro de Formação, Aperfeiçoamento Profissional e Pesquisa, CEFAPP, Brasil.
2016 - 2016
Manejo Clínico de Chikungunya. (Carga horária: 30h).
Ministério da Saúde, MS, Brasil.
2016 - 2016
Zika: abordagem clínica na atenção básica. (Carga horária: 45h).
Ministério da Saúde, MS, Brasil.
2015 - 2015
IV Curso Introdutório da Liga de Farmácia Hospitalar (ANO IV-2015). (Carga horária: 8h).
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: Monitora, Enquadramento Funcional: Monitora, Carga horária: 12
Outras informações
Monitora da Disciplina Fitoterapia Monitora da Disciplina de Toxicologia

Vínculo institucional

2017 - 2018
Vínculo: Iniciação Científica, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica, Carga horária: 12
Outras informações
De Novembro/2017 até Julho/2018 - LABORATÓRIO DE TECNOLOGIA DE NANOSSISTEMAS CARREADORES DE SUBSTÂNCIAS ATIVAS - TECNANO/UFAL De NOVEMBRO/2017 até Julho/2018 - LABORATÓRIO DE PESQUISA EM TRATAMENTO DE FERIDAS DA ESCOLA DE ENFERMAGEM E FARMÁCIA - LPTF/UFAL

Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitora, Carga horária: 12
Outras informações
Monitor da Disciplina Estágio Farmacêutico 2

Vínculo institucional

2013 - 2014
Vínculo: Voluntária, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica, Carga horária: 12
Outras informações
De Março/2013 (03/2013) até Novembro/2013 (02/2014) - Grupo de Química Medicinal GCAR/UFAL


Hebron Indústrias Químicas e Farmacêuticas, HEBRON, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 24



Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Avaliação da toxicidade da própolis vermelha de Alagoas, utilizando o Zebrafish (Danio rerio) como modelo animal.
Descrição: O Zebrafish é um pequeno teleósteo de característica transparente, sendo usado atualmente como modelo em diversas áreas de pesquisa, dentre elas no âmbito da toxicologia. Isso se deve às características genéticas e embrionárias do animal, tendo seu genoma semelhante ao humano. O seu desenvolvimento é observado através do seu córion, que contribui para a detecção de anormalidades desde o desenvolvimento embrionário, auxiliando nos diferentes ensaios de toxicidade. A função dessa avaliação toxicológica é estabelecer limites e determinar a segurança de um produto, como a própolis, para uso humano. Com a escassez de estudos toxicológicos referentes ao uso da própolis vermelha no estado de Alagoas, o Paulistinha é um excelente modelo biológico para esses testes, sendo a mesma influenciada pela biodiversidade regional do mangue do Estado de Alagoas, que conta com a contribuição botânica da Dalbergia ecastophyllum e da sazonalidade do local..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Maria Julia Pereira Reis - Integrante / Maria Aline Barros Fidelis de Moura - Coordenador.
2017 - 2018
Avaliação de diferentes condições de cultivo de Beauveria bassiana para micossíntese de nanopartículas de prata
Descrição: A Bauveria bassiana é um fungo, pertencente ao grupo dos entomopatogênicos brancos encontrados principalmente em solos de todo o mundo. Utilizado no controle biológico de importantes pragas da agricultura e de insetos vetores de doenças animais e humanas, possuindo ampla variedade de metabólitos secundários. Além do interesse como agente biológico para controle de pragas, é conhecido que algumas linhagens de Beauveria bassiana podem catalisar reações de hidroxilação, oxidação e redução, podendo ser usadas como agentes redutores na biossíntese de nanopartículas de prata (AgNPs). Nesse contexto, o presente trabalho irá investigar o cultivo da B. bassiana e seu uso para a produção das espécies metálicas reduzidas, possibilitando a diminuição da toxicidade durante este processo. Assim, para avaliar o potencial oxi-redutor do fungo, verificaremos as melhores condições de cultivo, as quais o fungo será submetido para, assim, determinar as que produzam bioprodutos capazes de obter melhor potencial redutor e, portanto, selecionar a melhor forma de cultivo para obtenção de nanopartículas de prata, visto que, os diferentes metabólitos secundários podem ser produzidos pelo fungo, interferindo, dessa forma, de diferentes maneiras no potencial redutor, possibilitando a otimização da síntese..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .

Integrantes: Maria Julia Pereira Reis - Integrante / Camila Braga Dornelas - Coordenador / Valter Alvino dos Santos - Integrante / Juliana Almerino Silva - Integrante.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Farmácia / Subárea: Ciências Farmacêuticas.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Microbiologia.
3.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Farmácia / Subárea: Síntese de Medicamentos.
4.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Farmácia / Subárea: Antimaláricos.
5.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Farmácia / Subárea: Toxicologia e Plantas Tóxicas.


Idiomas


Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2018
Segundo Lugar em Apresentação Oral de Trabalho Científico, UFAL.


Produções



Produção bibliográfica
Apresentações de Trabalho
1.
REIS, M. J. P.; MOURA, M. A. B. F. . ASPECTOS FARMACOLÓGICOS DAS PLANTAS DA RENAME. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
REIS, M. J. P.; LIMA, L. A. D. ; SANTOS, P. O. S. ; PAULINO, P. A. T. ; CONCEICAO, M. A. ; SILVA, E. L. ; MARQUES, J. L. ; MOURA, M. A. B. F. . APRESENTAÇÃO DOS ASPECTOS FARMACOLÓGICOS, TOXICOLÓGICOS E FITOTERÁPICOS DAS PLANTAS DA RENAME-FITO. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Calourada dos feras de Farmácia 2017.2.Química Geral e Inorgânica. 2018. (Outra).

2.
Análisses de Risco e Prioridades na qualificação de Instalações e na Indústria Cosmética. 2017. (Seminário).

3.
I Jornada de Hematologia e Hemoterapia. 2017. (Congresso).

4.
Simpósio Acadêmico de Toxicologia e Drogas de Potencial Abuso. 2017. (Simpósio).

5.
VI Jornada Regional de Ciências Farmacêuticas da UFAL. 2017. (Congresso).

6.
II JORNADA ACADÊMICA DO HUPAA / II SEMINÁRIO QUALIDADE EM SAÚDE E SEGURANÇA DO PACIENTE. 2016. (Congresso).

7.
V JORNADA REGIONAL DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DA UFAL. APRESENTAÇÃO DOS ASPECTOS FARMACOLÓGICOS, TOXICOLÓGICOS E FITOTERÁPICOS DAS PLANTAS DA RENAME-FITO. 2016. (Congresso).

8.
IV CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE. 2015. (Congresso).

9.
I Encontro Científico de Monitores da ESENFAR.Organizadora do evento. 2014. (Encontro).

10.
IV Jornada Regional de Ciências Farmacêuticas da UFAL. 2014. (Congresso).

11.
I Alagoas CAIITE. 2013. (Congresso).

12.
III JORNADA DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DA UFAL. 2013. (Congresso).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
GRILLO, L. M. ; REIS, M. J. P. . I Semana do Farmacêutico na UFAL. 2018. (Outro).

2.
REIS, M. J. P.; PAULINO, P. A. T. ; GRILLO, L. A. M. . I dia do Farmacêutico na UFAL. 2018. (Congresso).

3.
REIS, M. J. P.; Reys, J. R. M ; LEÂO, A. L. ; BARBOSA, C. V ; SANTOS, J. A. . VII Jornada Regional de Ciências Farmacêuticas. 2018. (Congresso).

4.
REIS, M. J. P.; GRILLO, L. M. ; PAULINO, P. A. T. . Calourada dos Feras de Farmácia 2017.2. 2018. (Outro).

5.
REIS, M. J. P.; DORNELAS, C. B. ; ABREU, I. P. ; LINS, S. ; BARROS, P. R. . VI Jornada Regional de Ciências Farmacêuticas. 2017. (Congresso).

6.
REIS, M. J. P.. I Encontro Científico de Monitoria da ESENFAR. 2014. (Congresso).



Inovação



Projetos de pesquisa



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 17/02/2019 às 20:08:12