Maíra Pires Andrade

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/9717743456910825
  • Última atualização do currículo em 22/11/2018


Atualmente é doutoranda em História pela PUC-SP. Possui Mestrado em História na área de concentração de História do Tempo Presente pela UDESC ( 2017), com financiamento da CAPES. Graduada em História (Licenciatura e Bacharelado) pela UDESC (2015). É pesquisadora associado do Centro de Estudos Culturais e da Diáspora ( CECAFRO) e atua no grupo de pesquisa "Corpo, cultura, arte da memória oral." Atuou como pesquisadora do Grupo de Pesquisa Ensino de História, memória e culturas (CNPq/UDESC) de 2013 até 2017.Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: história, populações de origem africana, relações étnico-raciais e diversidade. Atua como professor conteudistas produzindo material didático para DTCOM. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Maíra Pires Andrade
Nome em citações bibliográficas
ANDRADE, M. P.


Formação acadêmica/titulação


2018
Doutorado em andamento em História.
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP, Brasil.
Orientador: Amailton Magno Azevedo.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
2015 - 2017
Mestrado em História.
Universidade do Estado de Santa Catarina, UDESC, Brasil.
Título: QUAL ÁFRICA? A HISTÓRIA DAS ÁFRICAS E AS PRÁTICAS DE ENSINO NA UDESC (2000-2015),Ano de Obtenção: 2017.
Orientador: Cristiani Bereta da Silva.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Ensino de História; História africana e afro brasileira; Lei 10.639; Representações; Estágio.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Educação.
2011 - 2015
Graduação em Abi - História.
Universidade do Estado de Santa Catarina, UDESC, Brasil.
Título: História e Memória: Os debates entre os intelectuais de Santa Catarina na 1º Conferência Estadual de Ensino Primário de 1927.
Orientador: Luciana Rossato.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
2004 - 2010
Ensino Médio (2º grau).
Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires, CFNP, Brasil.




Formação Complementar


2017 - 2017
Grupo de Estudos da cultura Negra na Diáspora - Ajeun Cultural.
Universidade do Estado de Santa Catarina, UDESC, Brasil.
2015 - 2017
Grupo de Estudos Críticos da Branquitude.
Universidade do Estado de Santa Catarina, UDESC, Brasil.
2013 - 2017
Grupo de estudos do Laboratório de Ensino de História.
Universidade do Estado de Santa Catarina, UDESC, Brasil.
2015 - 2015
Usos da internet para história:Desafios do present. (Carga horária: 6h).
Universidade do Estado de Santa Catarina, UDESC, Brasil.
2012 - 2012
Oficina AudioVisual. (Carga horária: 10h).
Câmara Clara, CC, Brasil.


Atuação Profissional



Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidade do Estado de Santa Catarina, UDESC, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2017
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisadora
Outras informações
Bolsista CAPES vinculado ao Mestrado em História

Vínculo institucional

2013 - 2016
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Iniciação Ciêntífica do CNPq, Carga horária: 20
Outras informações
Bolsista voluntário de Iniciação Ciêntífica do CNPq no projeto intitulado de "Exames de Admissão ao Ginásio e o ensino de História do Brasil (décadas de 1930-1970)."

Vínculo institucional

2013 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Iniciação Científica do CNPq, Carga horária: 20
Outras informações
Bolsista de Iniciação Científica do CNPq do projeto intitulado de "Nação e Região: uma leitura a partir das culturas política e das políticas para o ensino de História em Santa Catarina nas décadas de 1930 a 1940"

Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitoria da disciplina de Imagem e Som, Carga horária: 12
Outras informações
Monitora da disciplina de Prática Curricular em Imagem e Som I, do Curso de graduação em História, de 01 de março á 10 de julho de 2013.

Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de extensão, Carga horária: 520
Outras informações
Bolsista de extensão na Ação de extensão: " Imagem, som e história local:elementos para ampliar o processo de alfabetização"


Núcleo de Estudos Afro Brasileiros da UDESC, NEAB, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2017
Vínculo: Livre, Enquadramento Funcional: Pesquisadora
Outras informações
Pesquisadora Associada ao Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB/UDESC).


Associação Nacional de História - Seção Santa Catarina, ANPUH/SC, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - 2017
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Livre, Carga horária: 20
Outras informações
Secretária editorial da Revista História Hoje- ANPUH


DTCOM Comunicação e Educação, DTCOM, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Livre, Enquadramento Funcional: Professor Conteudista, Carga horária: 20
Outras informações
-Produzi material didático para disciplinas do curso de graduação á distância em História da Universidade Laureate.



Projetos de pesquisa


2018 - Atual
CULTURA E MEMÓRIA AFRICANA E AFRO-BRASILEIRA NA ESCOLA: EXPERIÊNCIAS DE IMPLEMENTAÇÃO DA LEI FEDERAL 10.639/03 PRESENTES NO PRÊMIO EDUCAR PARA A IGUALDADE RACIAL
Descrição: As demandas do movimento negro resultaram na transformação de uma antiga reinvindicação em uma legislação, simbolizando a constituição de uma memória e de um pensamento negro sobre a educação (CARDOSO, 2014). Frente à aprovação da Lei Federal 10.639/03 e demais documentos desdobrados a partir desta, resultado de constantes lutas do movimento negro, que buscou ao longo dos anos compor uma memória sobre a história das populações de origem africana, em meio as disputas de narrativas que insistem direcionar às Áfricas e as relações raciais no Brasil, a partir de um viés colonial e eurocêntrico, diversos estudos apontam a importância de apreender as experiências de implementação destas normativas dentre os seus obstáculos e desafios. Passados 14 anos da Lei 10.639/03, o quadro da sua implementação surge ainda com continuidades de um ensino eurocêntrico e colonial. A partir disso, este projeto de doutorado, visa não apenas compreender esta problemática, mas também mapear e potencializar as experiências exitosas de efetivação da referida Lei no espaço escolar. Dentre as ações do movimento negro, temos o Prêmio Educar para a Igualdade Racial do CEERT, a partir deste, pretendemos investigar as memórias formuladas através das experiências finalistas do Prêmio, entre a sua 2º e 7º edição ( 2003- 2015) e as contribuições destas para o enfrentamento das práticas coloniais, racistas e da branquitude, intrínsecas à estruturação da sociedade brasileira. Nesses parâmetros, analisarei às bases e critérios estabelecidos pelo Prêmio; sob quais perspectivas de memória e narrativa estas experiências estão inseridas e os desafios à implementação da Lei Federal 10.639/03. Utilizarei como fonte para além dos projetos finalistas do Prêmio, estabelecendo um recorte entre o Ensino Fundamental II e o Ensino Médio, documentos oficiais, como Projeto Político Pedagógico das escolas, Leis, normativas e entrevistas com os professores responsáveis pelos projetos e com os avaliadores, utilizando como suporte a metodologia da História Oral. Como aporte teórico, usarei o viés dos Estudos Culturais, a perspectiva do campo da crítica pós- colonial e dos Estudos Críticos da Branquitude, de modo a contribuir para um deslocamento dos debates envolvendo as Áfricas, as relações raciais, as identidades, a educação e as ações do movimento negro..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Maíra Pires Andrade - Coordenador.
2015 - 2017
QUAL ÁFRICA? A HISTÓRIA DAS ÁFRICAS E AS PRÁTICAS DE ENSINO NA UDESC (2000-2015)
Descrição: Esta pesquisa, desenvolvida na área de concentração de História do Tempo Presente, tem como tema central as perspectivas do ensino de história das Áfricas a partir dos Estágios Curriculares Supervisionados do curso de Graduação em História da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). A partir disso, o objetivo foi investigar quais são as representações sobre a história das Áfricas e das populações de origem africana, apropriadas e expressas pelos estudantes na condição de estagiários, na disciplina de Estágio Curricular Supervisionado. Isto é, analisei quais os sentidos e abordagens direcionados à história das Áfricas pelos estudantes, na posição de professores em escolas de educação básica, buscando perceber como estes se apropriam das orientações da Lei Federal 10.639/03 e as mudanças e permanências depois da regulamentação desta normativa. Para o alcance desses objetivos, utilizei como fonte histórica principal os relatórios da disciplina de Estágio Curricular Supervisionado do curso de História da UDESC, selecionando uma amostragem de 24 relatórios, com recorte temporal de 2000 a 2015. Em relação ao aporte teórico, embasei-me em autores como Franz Fanon (2005), Anibal Quijano (2009) e Achille Mbembe (2014) para pensar a colonialidade e o racismo na atualidade e Stuart Hall (1997) para mobilizar o conceito de representação. Nesse aspecto, abordei os trechos dos relatórios em que a África ou as populações de origem africana são invisibilizados ou vistos a partir de um viés eurocêntrico. Mas, também, analisei relatórios contendo dimensão vinculada a uma perspectiva positiva e descolonizada em relação a estas populações, chamando atenção para possibilidades de abordagem desta temática em sala de aula. Entretanto, trouxe à tona as permanências de uma estrutura colonial e racista que, mesmo após a Lei Federal 10.639/03, ainda permanece no espaço escolar. A partir das análises percebi nos relatórios a existência de elementos que contribuem para a formulação de representações variadas sobre as Áfricas: uma África com tradições homogêneas, onde a ancestralidade e a oralidade surgem de modo generalizado; a África congelada no passado, onde visualizamos apenas o Egito das pirâmides e dos faraós; uma África que remonta apenas à história da escravidão; a África que se vincula apenas ao Brasil escravista e, por fim, podemos ver a África constituída pelas suas diversidades e pluralidades, uma África que também é produtora de conhecimento. Nesse panorama, esta pesquisa contribui para pensarmos os principais embates e obstáculos que envolvem a experiência do ensino de história das Áfricas na educação básica, observados a partir da prática do docente no processo de formação inicial e possibilitando a elaboração e a atualização de novas estratégias de ensino e aprendizagem desta temática, tanto no âmbito da universidade como na escola..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2016
Exames de Admissão ao Ginásio? e o ensino de História do Brasil (décadas de 1930-1970). CNPq/Processo: 304878/2012-0.
Descrição: Investiga o ensino de História do Brasil prescrito e dada a ler aos estudantes em seus aspectos simbólicos, políticos e culturais nas décadas de 1930 a 1970, no Brasil. O trabalho será desenvolvido a partir da análise da síntese dos conteúdos de História do Brasil selecionados nos livros de exames de admissão ao Ginásio, que foram publicados e circularam entre as décadas de 1930 e 1970. Os ?Exames de Admissão ao Ginásio? foram instituídos na esteira da Reforma Francisco Campos, pelo Decreto n.19.890 de 18 de abril de 1931, que reformou o Ensino Secundário e perdurou oficialmente até 1971. Durante quarenta anos, estudantes do Primário que desejavam ascender ao Ginásio submeteram-se a verdadeiros vestibulares orais e escritos que eram os exames de admissão. Na pesquisa privilegiar-se-ão as diferentes edições do livro Programa de Admissão - editadas a partir da década de 1950, pela Companhia Editora Nacional - que teve Joaquim Silva (1880-1966) como principal nome responsável pela disciplina de História. Esse foi um dos livros mais vendidos pela Companhia Editora Nacional e marcou gerações de estudantes que ? ao terminarem o Primário - se preparavam para os exames de admissão.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (2) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Maíra Pires Andrade - Integrante / Cristiani Bereta da Silva - Coordenador / João Manoel Nunes - Integrante / Juliano Cabral Pereira - Integrante / Regina Horge Mendes - Integrante / Rosiane da Silva Ribeiro Bechler - Integrante / Rosiane Marli Antônio Damázio - Integrante / Célia Santana Silva - Integrante / Elaine Prochnow Pires - Integrante / Iara Steiner Perin - Integrante.
2013 - 2015
Nação e Região: uma leitura a partir das culturas política e das políticas para o ensino de História em Santa Catarina nas décadas de 1930 a 1940
Descrição: O projeto objetiva analisar as politicas para o ensino de História em Santa Catarina nas décadas de 1930 a 1940 em articulação com as políticas nacionais. Parte-se da premissa que no período entre o final do século XIX até a década de 1940 a escrita de uma História Pátria ocupou papel central nas preocupações de políticos e intelectuais da educação, o que põe em perspectiva a própria construção de uma história regional. Nesta pesquisa o recorte proposto é de 20 anos, cobrindo as décadas de 1930 a 1940. Dentro desse período analisar-se-ão documentos como jornais, revistas, programas de ensino, leis, relatórios de Estado, livros didáticos, relatos e memórias; artigos de intelectuais e/ou políticos do período buscando construir uma série histórica documental representativa das estratégias de construção e delimitação de um projeto de futuro do país a partir da reescrita da sua história. Espera-se também dar continuidade a pesquisa anterior (A organização do ensino de História e a construção do saber histórico escolar em Santa Catarina (1889 a 1940) no sentido de reiterar a preocupação de identificar e discutir as relações estabelecidas (em suas aproximações e distanciamentos) entre a produção historiográfica e a produção de uma história de (e para) Santa Catarina para o uso escolar, neste período. Pretende-se ainda problematizar as relações entre história nacional e história regional por meio da análise da produção sobre a História do Brasil e Santa Catarina pelos Institutos Histórico e Geográfico Brasileiro (Rio de Janeiro) e Catarinense (Florianópolis). Como o período recortado cobre o período do Estado Novo (1937-1945) serão estabelecidos eixos específicos para análise e tratamento das fontes referentes a este período. Contudo, importa notar que a cultura política estadonovista não pode ser observada reduzida ao curto período de 8 anos, pois ao demarcar a instalação de um modelo de Estado autoritário, centralizado politicamente, cujo intervencionismo sobre a sociedade foi crescente, ela se articula a transformações e demais políticas que reverberaram na divulgação de normas e valores sobre o comportamento políticos de sujeitos individuais e coletivos e deram o tom para a escrita e o ensino de História do Brasil e de Santa Catarina que ultrapassaram o período. O objetivo principal é o de contribuir para as discussões realizadas sobre as relações entre ensino de História e cultura política, no sentido de compreender como o ensino de História participou, nas décadas de 1930 a 1940, de projeções simbólicas sobre o futuro do Brasil, e de Santa Catarina, em particular, a partir de leituras compartilhadas de seu passado..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Especialização: (3) / Mestrado acadêmico: (5) / Mestrado profissional: (5) / Doutorado: (5) .
Integrantes: Maíra Pires Andrade - Integrante / Cristiani Bereta da Silva - Coordenador.
Número de produções C, T & A: 5


Projetos de extensão


2012 - 2012
Imagem, som e história local: Elementos para ampliar o processo de alfabetização
Descrição: O projeto realizado na Escola Básica São Tarcisio no município de São Bonifácio no período de um ano abrangeu as turmas de segundo e sétimo ano estendendo resultados também aos pais dos alunos, professores e demais funcionários da escola. No segundo ano o objeto de estudo foi às fotografias e a propaganda. Analisando as minunciosamente, desde as técnicas utilizadas de ângulo, sombra, planos até a indumentária da foto, os alunos puderam perceber que atrás de uma imagem tem muito mais do que se pode ver. A fotografia assim como um texto é algo construído e que pode ser montada e editada conforme o desejo de quem está produzindo. No âmbito da edição de imagens foi introduzido a temática referente a linguagem das propagandas. Através da edição os alunos compreenderão como funciona o mecanismo das propagandas, estas nesse caso devem ter uma linguagem seja imagética ou textual diferenciada que desperte a atenção do comprador. No sétimo ano o tema escolhido foi o rádio. Em 2012 comemora-se no Brasil 90 anos de rádio, este foi um importante meio de comunicação para a formação do Estado brasileiro e mesmo hoje entre diversas novas tecnologias o rádio ainda permanece no cotidiano das pessoas. Através da problematização do rádio em sala de aula, os alunos criaram um programa e ao mesmo tempo usaram o recurso de edição de áudio..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) .
Integrantes: Maíra Pires Andrade - Integrante / FERNANDA BIAVA - Integrante / Lucas Baccin - Integrante / Barbara Giese - Coordenador.


Revisor de periódico


2018 - Atual
Periódico: Revista de Estudos Históricos Latino Americano


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da África.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Espanhol
Lê Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2015
Mensão Honrosa pela apresentação de trabalho "Que história ensinar? Propostas para o ensino de história escolar a partir dos anais da 1º Conferência Estadual de Ensino primário de 1927 de Santa Catar, UDESC- 25º Seminário de Iniciação Cientifica.
2014
Melhor Pôster apresentado no XV Encontro Estadual de História da ANPUH-SC, XV Encontro Estadual de História da ANPUH-SC.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
ANDRADE, M. P.2018ANDRADE, M. P.. A HISTÓRIA DAS ÁFRICAS SOB A PERSPECTIVA DA FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL: UMA ANÁLISE DOS RELATÓRIOS DE ESTÁGIO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UDESC (2000-2015). REVISTA FÓRUM IDENTIDADES, v. 25, p. 91-104, 2018.

2.
ANDRADE, M. P.2018ANDRADE, M. P.. AS REPRESENTAÇÕES SOBRE O ENSINO DE HISTÓRIA DAS ÁFRICAS: UMA ANÁLISE DA FORMAÇÃO INICIAL DOS PROFESSORES DE HISTÓRIA DA UDESC A PARTIR DOS ESTUDOS PÓS- COLONIAIS E DECOLONIAIS (2000-2006). EDUCAÇÃO BÁSICA REVISTA, v. 4, p. 125-166, 2018.

3.
ANDRADE, M. P.2018ANDRADE, M. P.. A BRANQUITUDE E A COLONIALIDADE NA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO BÁSICA (2000-2015). Revista ABPN, v. 10, p. 238-264, 2018.

4.
ANDRADE, M. P.2018 ANDRADE, M. P.. Movimento Negro, educação e os princípios da Lei 10.639/03?. AEDOS: REVISTA DO CORPO DISCENTE DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DA UFRGS (ONLINE), v. 9, p. 194-216, 2018.

5.
ANDRADE, M. P.2017ANDRADE, M. P.. MOVIMENTO NEGRO E EDUCAÇÃO: ABDIAS NASCIMENTO, MNU E OS PRINCÍPIOS DA LEI 10.639/03. REPECULT, v. 2, p. 18-41, 2017.

6.
ANDRADE, M. P.2017 ANDRADE, M. P.. Qual África ensinar nas escolas? A história africana e afro-brasileira nos Relatórios Finais de Estágio Supervisionado do curso de História da UDESC (2000 ? 2006). Revista Vernáculo, v. 2/2017, p. 148-175, 2017.

7.
ANDRADE, M. P.2017ANDRADE, M. P.. A colonialidade em questão: A história africana e afro brasileira nos Relatórios Finais de Estágio Supervisionado do curso de História da UDESC (2000 ? 2006). Revista UNIABEU, v. 10, p. 56-70, 2017.

8.
ANDRADE, M. P.2017ANDRADE, M. P.. Considerações sobre a História das Áfricas no estágio supervisionado de História (2000-2006, UDESC). História & Ensino, v. 23, p. 139-158, 2017.

9.
ANDRADE, M. P.2016ANDRADE, M. P.. O Ensino de História entre as décadas de 1920 á 1930: propostas para o ensino de história escolar a partir dos Anais da 1º Conferência Estadual de Ensino Primário de 1927 de Santa Catarina. Revista Vernáculo, v. 38, p. 75-105, 2016.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
ANDRADE, M. P.; SILVA, E. J. O. L. . História do Brasil colônia. 1. ed. São Paulo: Universidade Anhembi Morumbi, 2018. v. 1. 100p .

2.
ANDRADE, M. P.. Qual África? A história das Áfricas e as práticas de ensino na UDESC (2000-2015). 1. ed. Novas Edições Acadêmicas, 2018. v. 1. 253p .

Capítulos de livros publicados
1.
ANDRADE, M. P.. Narrando uma história: a escravidão brasileira a partir das narrativas construídas pelas crianças do sétimo ano da Escola Básica Municipal Vitor Miguel de Souza. In: Luciana Rossato; Nucia Alexandra Silva de Oliveira. (Org.). Experiências de ensino de história no estágio supervisionado. 1ed.Goiania: CeA Alfa Comunicações, 2015, v. III, p. 136-154.

2.
ANDRADE, M. P.. Nação, língua e ensino: aspectos da nacionalização a partir dos discursos de Carlos Gomes de Oliveira. In: Cristiani Bereta da Silva. (Org.). Educar para a nação: cultura política, nacionalização e ensino de história nas décadas de 1930 e 1940. 1ed.Curitiba: Editora CRV, 2014, v. , p. 189-205.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
ANDRADE, M. P.; GENTIL, Flávio W. M. . O ensino de História e nacionalização em Santa Catarina na década de 1930. História Catarina, Florianópolis, p. 43 - 47, 02 jun. 2014.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
ANDRADE, M. P.. ENTRE A ÁFRICA PLURAL E A ESCRAVIDÃO: A HISTÓRIA DAS ÁFRICAS NOS RELATÓRIOS FINAIS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UDESC (2007 - 2015). In: ?XXIV SEMANA ACADÊMICA DO CURSO DE HISTÓRIA ? FURB - A FORMAÇÃO DO HISTORIADOR: A PRÁTICA DOCENTE E A ESCRITA DA HISTÓRIA, 2018, Blumenau. XXIV Semana Acadêmica de Históra: "A formação do historiador: a Prática Docente e a Escrita da História"., 2017. v. IV. p. 187-199.

2.
ANDRADE, M. P.; RASCKE, Karla Leandro . As Áfricas no Estágio Supervisionado do Curso de História da UDESC (2000-2015). In: VIII Semana Acadêmica de História ? 'Desafios históricos: embates, traumas e práticas', 2018, Florianópolis. ANAIS DA SEMANA ACADÊMICA DE HISTÓRIA (FAED-UDESC). Florianópolia: UDESC, 2017. v. 8. p. 1-11.

3.
ANDRADE, M. P.. Para além da Lei 10.639/03: uma análise das experiências do ?Prêmio Educar para a Igualdade Racial?. In: XXIV Encontro Estadual de História da ANPUH-SP, 2018, São Paulo. Anais do XXIV Encontro Estadual de História da ANPUH-SP. São Paulo, 2018. p. 1-12.

4.
ANDRADE, M. P.. CAMPOS EM DISPUTAS: MEMÓRIAS, HISTÓRIAS E REPRESENTAÇÕES SOBRE HISTÓRIA DAS ÁFRICAS NA TURMA DE 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DA ESCOLA VITOR MIGUEL DE SOUZA. In: VI Seminário Educação, Relações Raciais e Multiculturalismo, 2017, Florianópolis. VI SEMINÁRIO DA EDUCAÇÃO, RELAÇÕES RACIAIS E MULTICULTURALISMO DIVERSIDADE, IGUALDADE E DEMOCRACIA: OS DESAFIOS DO BRASIL CONTEMPORÂNEO, 2017. v. 6. p. 388-398.

5.
ANDRADE, M. P.. A HISTÓRIA DAS ÁFRICAS E A COLONIALIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA ESCOLAR. In: VI Seminário Educação, Relações Raciais e Multiculturalismo, 2017, Florianópolis. VI Seminário Educação, Relações Raciais e Multiculturalismo. Florianópolis, 2017. v. 6. p. 399-413.

6.
ANDRADE, M. P.. A história das Áfricas entre e invisibilização e a valorização: uma análise dos relatórios finais de estágio supervisionado do curso de História da UDESC (2000 ? 2015). In: XXIX Simpósio Nacional de História - contra os preconceitos: história e democracia, 2017, Brasília. Anais do XXIX Simpósio Nacional de História - contra os preconceitos: história e democracia, 2017. p. 1-14.

7.
ANDRADE, M. P.. A História Africana e Afro-brasileira nas práticas de ensino do Curso de História da UDESC. In: III Seminário Internacional História do Tempo Presente, 2017, Florianópolis. III Seminário Internacional História do Tempo Presente. Florianópolis: UDESC, 2017. v. 3. p. 1-20.

8.
ANDRADE, M. P.. QUAL ÁFRICA ENSINAR? A HISTÓRIA DAS ÁFRICAS NOS RELATÓRIOS FINAIS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UDESC (2000 ? 2015). In: III COPENE SUL, 2017, Florianópolis. III COPENE SUL ANAIS 2017, 2017. v. 1. p. 840-850.

9.
ANDRADE, M. P.. A História das Áfricas e a prática de ensino nos Estágios Supervisionados do Curso de História na UDESC (2000-2015). In: Quintas Jornadas de Estudios Afrolatinoamericanos, 2017, Buenos Aires. Actas de las Quintas Jornadas del GEALA. Buenos Aires: Ediciones del CCC Centro Cultural de la Cooperación Floreal Gorini,, 2017. v. 1. p. 150-160.

10.
ANDRADE, M. P.. A colonialidade no ensino de História: reflexões sobre o Ensino de História das Áfricas. In: VII Semana Acadêmica de História ? Pensar a História : Interdisciplinariedade, temporalidade e novos sujeitos?, 2016, Florianópolis. Anais da VII Semana Acadêmica de História, 2016. v. 7. p. 1-15.

11.
ANDRADE, M. P.. 'Movimento Negro e a educação no Brasil: A trajetória dessas organizações e as sua influencia nos princípios da Lei 10.639'. In: XVI Encontro Estadual de História da ANPUH-SC, 2016, Chapecó. Anais do XVI Encontro Estadual de História da ANPUH-SC, 2016. p. 1-12.

12.
ANDRADE, M. P.. O ensino de História escolar a partir dos debates dos intelectuais de Santa Catarina na 1º Conferência Estadual de Ensino Primário de 1927. In: VI Semana Acadêmica de História ' Visões de Mundo: história,representações e narrativas', 2015, Florianópolis. ANAIS DA SEMANA ACADÊMICA DE HISTÓRIA (FAED-UDESC). VI Semana Acadêmica de História ?, 2015. v. 6. p. 1-16.

13.
ANDRADE, M. P.. Discursos de Carlos Gomes de Oliveira: uma análise das políticas da nacionalização de ensino em Santa Catarina em 1933 e 1939. In: V Semana Acadêmica de História ? Historia e Segredo: Dimensões entre o Publico e o Privado, 2014, Florianópolis. ANAIS DA SEMANA ACADÊMICA DE HISTÓRIA (FAED-UDESC), 2014. v. 5.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
ANDRADE, M. P.. QUE HISTÓRIA ENSINAR? PROPOSTAS PARA O ENSINO DE HISTÓRIA ESCOLAR A PARTIR DOS ANAIS DA 1º CONFERÊNCIA ESTADUAL DE ENSINO PRIMÁRIO DE 1927 DE SANTA CATARINA. In: 25º SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 2015, Florianópolis. 25º SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 2015.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
ANDRADE, M. P.. ENTRE A ÁFRICA PLURAL E A ESCRAVIDÃO: A HISTÓRIA DAS ÁFRICAS NOS RELATÓRIOS FINAIS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UDESC (2007 - 2015). In: XXIV SEMANA ACADÊMICA DE HISTÓRIA - FURB, 2017, Blumenau. XXIV SEMANA ACADÊMICA DE HISTÓRIA - FURB, 2017.

2.
ANDRADE, M. P.. ENTRE A AUSÊNCIA E A INVISIBILIZAÇÃO: A HISTÓRIA AFRICANA E AFRO BRASILEIRA NOS RELATÓRIOS FINAIS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UDESC (2000 -2006). In: Congresso Brasileiro de Pesquisadores Negros, 2017, Dourados - MS. Congresso Brasileiro de Pesquisadores Negros, 2017.

3.
ANDRADE, M. P.. ?Como ensinar a história da África? A história das Áfricas e a prática de ensino nos Estágios Supervisionados da UDESC (2000-2015)?. In: XI Encontro Nacional de Pesquisadores em Ensino de História, 2017, Rio de Janeiro. XI Encontro Nacional de Pesquisadores em Ensino de História, 2017.

4.
ANDRADE, M. P.. A História Africana e Afro-brasileira nas práticas de ensino do Curso de História da UDESC. In: III SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA DO TEMPO PRESENTE, 2017, Florianópolis. III SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA DO TEMPO PRESENTE, 2017. v. 3.

5.
ANDRADE, M. P.; SILVA, Cristiani Bereta . Nação, língua e ensino: aspectos da nacionalização a partir dos discursos de Carlos Gomes de Oliveira. In: 24º Seminário de Iniciação Científica da UDESC, 2014, Florianópolis. 24º SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 2014.

Apresentações de Trabalho
1.
ANDRADE, M. P.. ?Entre a África plural e a escravidão: a história das Áfricas nos relatórios finais de estágio supervisionado da UDESC (2007 - 2015)?. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

2.
ANDRADE, M. P.. Movimento Negro e educação: a aplicação da Lei Federal 10.639/03 através do 'Prêmio Educar para Igualdade Racial'. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
ANDRADE, M. P.. a Para uma educação anti-racista: Experiências de implementação da Lei Federal 10.639/03 presentes no Prêmio Educar para Igualdade Racial. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

4.
ANDRADE, M. P.. 'Para além da Lei 10.639/03: uma análise das experiências do ?Prêmio Educar para a Igualdade Racial?. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

5.
ANDRADE, M. P.. Qual África ensinar? A História das Áfricas nos Relatórios Finais de Estágio Supervisionado do Curso de História da UDESC (2000-2015). 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

6.
ANDRADE, M. P.. ?ENTRE A AUSÊNCIA E A INVISIBILIZAÇÃO: A HISTÓRIA AFRICANA E AFRO BRASILEIRA NOS RELATÓRIOS FINAIS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UDESC (2000- 2006). 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
ANDRADE, M. P.. ENTRE A ÁFRICA PLURAL E A ESCRAVIDÃO: A HISTÓRIA DAS ÁFRICAS NOS RELATÓRIOS FINAIS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UDESC (2007 - 2015). 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

8.
ANDRADE, M. P.. A história das Áfricas entre e invisibilização e a valorização: uma análise dos relatórios finais de estágio supervisionado do curso de História da UDESC (2000 ? 2015). 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

9.
ANDRADE, M. P.. A História das Áfricas e a prática de ensino nos Estágios Supervisionados do Curso de História na UDESC (2000-2015). 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

10.
ANDRADE, M. P.. Como ensinar a história da África? A história das Áfricas e a prática de ensino nos Estágios Supervisionados da UDESC (2000-2015). 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
ANDRADE, M. P.; RASCKE, Karla Leandro . ?As Áfricas no Estágio Supervisionado do Curso de História da UDESC ( 2000-2015)?. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

12.
ANDRADE, M. P.. A História Africana e Afro-brasileira nas práticas de ensino do Curso de História da UDESC. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

13.
ANDRADE, M. P.. Cultura e memória africana e afro-brasileira na escola: Experiências de implementação da Lei federal 10.639/03 presentes no ?Prêmio Educar para a Igualdade Racial?. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

14.
ANDRADE, M. P.. A colonialidade no ensino de História: reflexões sobre o Ensino de História das Áfricas. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

15.
ANDRADE, M. P.. A História das Áfricas e a colonialidade no Ensino de História escolar. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

16.
ANDRADE, M. P.. Campos em Disputas: memórias, histórias e representações sobre História das áfricas na turma de 8º ano do ensino fundamental da Escola Vitor Miguel de Souza. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

17.
ANDRADE, M. P.. 'Movimento Negro e a educação no Brasil: A trajetória dessas organizações e as sua influencia nos princípios da Lei 10.639'. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

18.
ANDRADE, M. P.. Arte de contar histórias: das narrativas das crianças ás representações sobre a escravidão brasileira. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

19.
ANDRADE, M. P.. Que História ensinar?Propostas para o ensino de história escolar a partir dos anais da 1º Conferência Estadual de Ensino Primário de 1927 de Santa Catarina. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

20.
ANDRADE, M. P.. Arte de contar histórias: das narrativas das crianças ás representações sobre a escravidão brasileira. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

21.
ANDRADE, M. P.. O ensino de História escolar a partir dos debates dos intelectuais de Santa Catarina na 1º Conferência Estadual de Ensino Primário de 1927. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
ANDRADE, M. P.. Nação, Língua e Ensino: Aspectos da nacionalização a partir dos discursos de Carlos Gomes de Oliveira. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

23.
ANDRADE, M. P.. Discursos de Carlos Gomes de Oliveira: uma análise das políticas da nacionalização do ensino em Santa Catarina entre 1933 e 1939. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

24.
ANDRADE, M. P.. Oficina: Noções de Windows Movie Maker. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

25.
ANDRADE, M. P.. Reconstruindo Mitologias. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

26.
ANDRADE, M. P.. Memória, mídia e educação: revisitando o município de São Bonifácio-2012. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
ANDRADE, M. P.. Conteudista para a DTCOM. 2018.

2.
ANDRADE, M. P.. Eixo Educação e Ações Afirmativas. 2018.

3.
ANDRADE, M. P.. Avaliadora do Painel de Integração do IFC-Araquari na Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão. 2017.

4.
ANDRADE, M. P.. Secretária Revista História Hoje - ANPUH. 2015.


Demais tipos de produção técnica
1.
ANDRADE, M. P.. Relações étnico raciais e combate ao racismo. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
ANDRADE, M. P.. Brasil Império. 2018. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Produção de material didático).

3.
ANDRADE, M. P.. História da América - Século XVIII - XX.. 2018. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Produção de material didático).

4.
ANDRADE, M. P.. Formação Sócio-Histórica e Política do Brasil. 2018. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Produção de Material didático).

5.
ANDRADE, M. P.. Brasil Colônia. 2018. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Material didático).

6.
ANDRADE, M. P.. Noções de Windows Movie Maker. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

7.
ANDRADE, M. P.; LEMOS, Igor . Anais da V Semana Acadêmica de História ? 'História e Segredo: Dimensões entre o Público e o Privado.. 2014. (Editoração/Anais).

8.
ANDRADE, M. P.. Nação, língua e ensino: aspectos da nacionalização a partir dos discursos de Carlos Gomes de Oliveira. 2014. (Relatório de pesquisa).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
?Mulher negra e feminicídio". 2018. (Outra).

2.
Branquitude: estudos sobre a identidade branca no Brasil? com Lourenço Cardoso.. 2018. (Outra).

3.
Cotidiano e enfrentamentos. 2018. (Outra).

4.
Defesa do doutorado de Danilo Luiz Marques. 2018. (Outra).

5.
Defesa do doutorado de Karla Leandro Rascke. 2018. (Outra).

6.
Encontro Histórias Afro-Atlânticas: caminhos do saber, maneiras de expor.. 2018. (Encontro).

7.
Exposição histórias Afro-Atlânticas MASP. 2018. (Exposição).

8.
Exposição Jamaica Jamaica!. 2018. (Exposição).

9.
Gente que transforma a educação: Experiências de Equidade Racial e de Genêro. 2018. (Seminário).

10.
II Seminário Mulheres Negras Ubuntu: 40 anos do movimento negro sob o prisma feminino. 2018. (Seminário).

11.
I Semana de Geografia da África: A diáspora em discussão. 2018. (Outra).

12.
MASP Seminários: Arte e descolonização. 2018. (Seminário).

13.
Palestra e Lançamento do livro de Cidinha da Silva. 2018. (Outra).

14.
Um olhar sobre a produção cinematográfica de Burkina Faso. 2018. (Outra).

15.
XVII Semana de História da PUC-SP: Cultura e Política.. 2018. (Outra).

16.
XXIV Encontro Estadual da ANPUH: História e democracia: precisamos falar sobre isso. 2018. (Encontro).

17.
Apropriação cultural. 2017. (Outra).

18.
Coloquio y Taller ?Educación Superior y Pueblos Indígenas y Afrodescendientes en América Latina. Políticas públicas: posibilidades, obstáculos y desafíos?. 2017. (Congresso).

19.
Congresso de Pesquisadores Negros. ENTRE A AUSÊNCIA E A INVISIBILIZAÇÃO: A HISTÓRIA AFRICANA E AFRO BRASILEIRA NOS RELATÓRIOS FINAIS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UDESC (2000 - 2006). 2017. (Congresso).

20.
Educação das relações étnico raciais (ERER) na educação básica e na educação de jovens e adultos (EJA). 2017. (Outra).

21.
Experiência de coletivos, feminista, negro e LGTBT. 2017. (Outra).

22.
III Congresso Nacional de Pesquisadores Negros do Sul - III COPENE SUL. 2017. (Congresso).

23.
III Seminário Internacional de História do Tempo Presente. 2017. (Seminário).

24.
III Seminário Internacional História do Tempo Presente.A História Africana e Afro-brasileira nas práticas de ensino do Curso de História da UDESC. 2017. (Seminário).

25.
IX COPENE NACIONAL - Novas Fronteiras da Intolerância racial:. ENTRE A AUSÊNCIA E A INVISIBILIZAÇÃO: A HISTÓRIA AFRICANA E AFRO BRASILEIRA NOS RELATÓRIOS FINAIS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UDESC (2000 - 2006). 2017. (Congresso).

26.
No coração do Estado ditatorial. Pesquisar o pessoal militar do regime de 1964 - Maud Chirio. 2017. (Seminário).

27.
Quintas Jornadas de Estudios Afrolatinoamericanos. A História das Áfricas e a prática de ensino nos Estágios Supervisionados do Curso de História na UDESC (2000-2015). 2017. (Congresso).

28.
VI SERNEGRA.Cultura e memória africana e afro-brasileira na escola: Experiências de implementação da Lei federal 10.639/03 presentes no ?Prêmio Educar para a Igualdade Racial?. 2017. (Seminário).

29.
XI Encontro Nacional de Pesquisadores em Ensino de História.?Como ensinar a história da África? A história das Áfricas e a prática de ensino nos Estágios Supervisionados da UDESC (2000-2015)?. 2017. (Encontro).

30.
XXIX Simpósio Nacional de História - Contra os Preconceitos: História e Democracia. 2017. (Simpósio).

31.
XXIX Simpósio Nacional de História - Contra os Preconceitos: História e Democracia.A história das Áfricas entre e invisibilização e a valorização: uma análise dos relatórios finais de estágio supervisionado do curso de História da UDESC (2000 ? 2015). 2017. (Simpósio).

32.
?A influencia do Pan Africanismo no processo de Independência dos países africanos de língua oficial portuguesa?. 2016. (Encontro).

33.
Descomemoração do Golpe. 2016. (Outra).

34.
Fontes e escrita da história: o uso dos impressos periódicos pelo historiador ? Tania Regina de Luca. 2016. (Seminário).

35.
Fontes judiciárias, legislativas e institucionais para a história da família, da infância e da juventude no Tempo Presente". 2016. (Oficina).

36.
Miradas estrangeiras: um exercício de história comparada e história do tempo presente?. 2016. (Encontro).

37.
VI Seminário da Educação, Relações Raciais e Multiculturalismo.CAMPOS EM DISPUTAS: MEMÓRIAS, HISTÓRIAS E REPRESENTAÇÕES SOBRE HISTÓRIA DAS ÁFRICAS NA TURMA DE 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DA ESCOLA VITOR MIGUEL DE SOUZA // A HISTÓRIA DAS ÁFRICAS E A COLONIALIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA ESCOLAR. 2016. (Seminário).

38.
XVI Encontro Estadual de História da ANPUH-SC.Movimento Negro e a educação no Brasil: A trajetória dessas organizações e as sua influencia nos princípios da Lei 10.639. 2016. (Encontro).

39.
As lutas dos Movimentos Negros e seus impactos na educação: currículos de história no Rio de Janeiro e em Nova York ? Amilcar Araujo Pereira. 2015. (Encontro).

40.
Cuartas Jornadas de Estudios Afrolatinoamericanos del GEALA. 2015. (Simpósio).

41.
Educação das relações Étnico-raciais. 2015. (Outra).

42.
Ensino de Historia e Historia Indígena. 2015. (Outra).

43.
Estude no exterior- Graduação e Pós Graduação. 2015. (Outra).

44.
Feminismo Negro. 2015. (Seminário).

45.
I Seminário de Religião de Matriz Africana em Santa Catarina. 2015. (Seminário).

46.
Negritude, Branquitude e Equidade. 2015. (Seminário).

47.
Oficina: Caixa de memória. 2015. (Oficina).

48.
Religiões de Matriz Africana e Afro-Brasileira. 2015. (Outra).

49.
Roteiros nacionais de imigração, itinerários culturais e doutorado sanduiche. 2015. (Outra).

50.
XVIII Simpósio Nacional de História. 2015. (Simpósio).

51.
XXVIII Simpósio Nacional de História - ANPUH. 2015. (Simpósio).

52.
Antropologia da Morte: rituais do Benin. 2014. (Encontro).

53.
Fronteiras do Pensamento 2014, Conferência do Mia Couto. 2014. (Congresso).

54.
Fronteiras do Pensamento 2014, Conferência do Paul Bloom. 2014. (Congresso).

55.
V Semana Acadêmica de História - Oficina Abayomi Arte em Retalhos. 2014. (Oficina).

56.
Minicurso Mídia e Conflitos. 2013. (Outra).

57.
Minicurso Sensíveis Memórias de um tempo arbítrio: a segunda guerra mundial vvivida em Santa Catarina. 2013. (Outra).

58.
Semana Acadêmica de história " Entre o Discursos e a Espada: conflitos,traumas e memórias. 2013. (Simpósio).

59.
Caixa de História Local: conhecer e criar. 2012. (Oficina).

60.
Minicurso " História e Loucura". 2012. (Simpósio).

61.
Oficina AudioVisual do projeto InterGerações. 2012. (Oficina).

62.
Semana Acadêmica de História: Destrinchando Quimeras. 2012. (Simpósio).

63.
XIV Encontro Estadual de História. 2012. (Simpósio).

64.
Semana Acadêmica de História: Rupturas e Permanências: Por uma História do Brasil. 2011. (Simpósio).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
ANDRADE, M. P.. II Seminário Mulheres Negras Ubuntu: 40 anos do movimento negro sob o prisma feminino,. 2018. (Outro).

2.
ANDRADE, M. P.. Palestra e Lançamento do livro de Cidinha da Silva. 2018. (Outro).

3.
ANDRADE, M. P.. ? Palestra e lançamento do livro ?Branquitude: estudos sobre a identidade branca no Brasil? com Lourenço Cardoso.. 2018. (Outro).

4.
ANDRADE, M. P.. Um olhar sobre a produção cinematográfica de Burkina Faso? com Wendpanga Eric Segueda. 2018. (Outro).

5.
ANDRADE, M. P.. III COPENE SUL. 2017. (Congresso).

6.
ANDRADE, M. P.. Experiência de coletivos, feminista, negro e LGBT. 2017. (Outro).

7.
ANDRADE, M. P.. ?IX CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISADORES/AS NEGROS/AS ? COPENE". 2017. (Congresso).

8.
ANDRADE, M. P.. Educação das relações étnico raciais (ERER) na educação básica e na educação de jovens e adultos (EJA). 2017. (Outro).

9.
ANDRADE, M. P.. Apropriação cultural. 2017. (Outro).

10.
ANDRADE, M. P.. VI Seminário da Educação, Relações Raciais e Multiculturalismo - Diversidade, igualdade e democracia: os desafios do Brasil contemporâneo. 2016. (Congresso).

11.
ANDRADE, M. P.. ?Descomemoração do Golpe?. 2016. (Outro).

12.
ANDRADE, M. P.. VI Semana Acadêmica de História. 2015. (Congresso).

13.
ANDRADE, M. P.. V Semana Acadêmica de História: História e segredo: dimensões entre o público e o privado. 2014. (Congresso).

14.
ANDRADE, M. P.. Ensino de História como objeto de pesquisa proferida pelo Prof. Dr. Luis Reznik. 2014. (Outro).

15.
ANDRADE, M. P.. Cinema pela Verdade. 2012. (Festival).



Educação e Popularização de C & T



Cursos de curta duração ministrados
1.
ANDRADE, M. P.. Noções de Windows Movie Maker. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Outras informações relevantes


Participa das reuniões do Grupo de Estudos do Laboratório de Ensino de História (LEH) desde agosto de 2013 e com previsão de término em Novembro de 2017.
Participa do Grupo de Estudos Críticos da Branquitude, vinculado ao Programa Memorial Antonieta de Barros do NEAB/UDESC, carga horária de 44 horas, desde março de 2015 e com previsão de término em novembro de 2017.
Atua no Grupo de Estudos da cultura Negra na Diáspora - Ajeun Cultural, vinculado ao Programa Memorial Antonieta de Barros do NEAB/UDESC , desde o primeiro semestre de 2017 e com previsão de término em novembro de 2017.
Participa do projeto de extensão intitulado Museu da memória e cultura afro em Santa Catarina, vinculado ao Programa Memorial Antonieta de Barros do NEAB/UDESC, desde o início de 2017.
Atua no projeto Observatório de Cultura Afro-Brasileira em Santa Catarina, vinculado ao Programa Memorial Antonieta de Barros do NEAB/UDESC, desde o início de 2017.
Atua como pesquisadora do Grupo de Pesquisa "Multiculturalismo: Estudos Africanos e da Diáspora" no NEAB desde o início de 2017.
Atuou como pesquisadora do Grupo de Pesquisa Ensino de História, memória e culturas (CNPq/UDESC) de 2013 até 2017.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 19/12/2018 às 12:37:04