Raphaela Cibelly dos Santos Leão

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/0160786684061827
  • Última atualização do currículo em 04/06/2018


Mestranda em Gestão dos Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia (PPGEDAM) no Núcleo de Meio Ambiente (NUMA) pela Universidade Federal do Pará (UFPA), Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Pará (UFPA) - 2016 e Técnica em Meio Ambiente pela Fundação Centro de Referência em Educação Ambiental Profº Eidorfe Moreira Escola Bosque (Funbosque) - 2010. Integra o Grupo de Pesquisa Sociedade-Ambiente das Amazônias (GPSA), coordenado pelo Prof. Dr. Otávio do Canto. Possui experiência na área de Sociologia, com ênfase em estudos sobre conflitos socioambientais em comunidades quilombolas da Ilha do Marajó, Pará. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Raphaela Cibelly dos Santos Leão
Nome em citações bibliográficas
LEÃO, R. C. S.;LEÃO, Raphaela Cibelly dos Santos

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Pará, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas..
Campus Universitário do Guamá, Av. Augusto Correa nº. 01
Guamá
66075110 - Belém, PA - Brasil
Telefone: (91) 32010000


Formação acadêmica/titulação


2017
Mestrado profissional em andamento em Gestao dos Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazonia.
Universidade Federal do Pará, UFPA, Brasil.
Título: CONFLITO SOCIOAMBIENTAL E GESTÃO DE RECURSOS NATURAIS EM TERRITÓRIOS QUILOMBOLAS DA AMAZÔNIA: o caso da comunidade Deus me Ajude, Salvaterra, Marajó/PA, Ano de Obtenção: .
Orientador: Luís Otávio do Canto Lopes.
Coorientador: Sérgio Cardoso de Moraes.
Palavras-chave: Conflito socioambiental; Gestão de recursos naturais; Comunidade quilombola; Ilha de Marajó/PA.
2012 - 2016
Graduação em Ciências Sociais.
Universidade Federal do Pará, UFPA, Brasil.
Título: CONFLITOS NAS BEIRADAS: quilombolas e fazendeiros na Ilha do Marajó, PA.
Orientador: Profº Drº Luís Fernando Cardoso e Cardoso.
2009 - 2010
Curso técnico/profissionalizante em Meio Ambiente.
Fundação Centro de Referência em Educação Ambiental Profº Eidorfe Moreira, FUNBOSQUE, Brasil.




Atuação Profissional



Universidade Federal do Pará, UFPA, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Iniciação Cientiífica, Carga horária: 20
Outras informações
Titulo do Plano de Trabalho: CONFLITOS SOCIAIS PELA APROPRIAÇÃO DOS RECURSOS AQUÁTICOS NA COMUNIDADE QUILOMBOLA DE SÃO BENEDITO DA PONTA - SALVATERRA - MARAJÓ/PA Orientador: Profº Drº Luís Fernando Cardoso e Cardoso

Vínculo institucional

2013 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Iniciação Científica, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Título do Plano de Trabalho: O conflito pela apropriação do Açaí na comunidade de São Benedito da Ponta, Salvaterra, Marajó - PA. Orientador: Profº Drº Luís Fernando Cardoso e Cardoso



Projetos de pesquisa


2015 - Atual
Movimentos Sociais Quilombolas na Ilha do Marajó (PA): Imbricações políticas e culturais na luta pelo reconhecimento do território
Descrição: Pretende-se analisar o processo de politização das práticas culturais locais no contexto da organização sociopolítica das comunidades quilombolas do município de Salvaterra, Ilha do Marajó (PA). Partiremos, assim, do conceito de política cultural, o qual permite entender o "processo pelo qual o cultural se torna fato político na luta dos movimentos sociais" (ALVAZES, DAGNINO & ESCOBAR 1988, p. 17). A matriz teórica desse conceito está ligada ao pensamento social anglo-americano e tem se mostrado ferramenta eficiente na análise das realidades sociopolíticas dos grupos sociais latino-americanos. Nesse sentido, enfatizamos que nos distanciamos do uso corrente desse conceito no Brasil, o qual está vincula às ações do Estado ou de outras instituições na promoção da cultura artística. Escolhemos o município de Salvaterra pela intensa mobilização política das comunidades quilombolas e também pela experiência do pesquisador na interlocução com os grupos; aspectos que facilitarão a execução da pesquisa. A investigação terá como parte dos referenciais as discussões sobre movimentos sociais negros, rurais e urbanos, na América Latina, buscando, nessa literatura, fundamentos para compreender o processo de politização da cultura, e, de fundo, a teoria do reconhecimento, na qual os conceitos de reconhecimento, conflitos e movimentos sociais são centrais. A investigação seguirá os caminhos metodológicos já traçados pelas Ciências Sociais, ou seja, procederá a uma análise de dados empíricos, assumindo que os discursos e práticas sociais dos sujeitos investigados serão absolutamente importantes para compreensão da realidade social. Busca-se com a pesquisa contribuir para a consolidação do programa pós-graduação do qual fazemos parte, com a formação de pesquisadores aptos a atuar na Amazônia e, ainda, para o entendimento das realidades das comunidades quilombolas da Amazônia brasileira..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Raphaela Cibelly dos Santos Leão - Integrante / Luís Fernando Cardoso e Cardoso - Coordenador / Heribert Schmitz - Integrante / Maria José da Silva Aquino Teisserenc - Integrante / Dalva Maria da Mota - Integrante / Pierre Teisserenc - Integrante.
2014 - Atual
Rituais da Morte: Uma Abordagem Comparativa Entre Grupos Rurais Negros De Santiago (África) e da Ilha do Marajó (Brasil)
Descrição: Descrição: Existe resistência ao estudo dos rituais de morte entre os pesquisadores. Isso se revela pela literatura escassa sobre a temática nas áreas de antropologia e sociologia, mesmo na História Social são ainda poucos os trabalhos com essa problemática. Os estudos clássicos apresentam pistas interessantes à expansão dessa área de estudos, mas ainda assim são poucos os estudiosos que enfrentam este fenômeno tentando expandir a compreensão sobre uma realidade chave nas relações humanas em qualquer parte do mundo. E é nesse caminho ainda pouco percorrido que pretendemos seguir para compreender os rituais de morte. Queremos expandir uma área de pesquisa, treinar alunos e construir um grupo de debate sobre temática a fim de expandir e expressar nossas preocupações com a organização social dos grupos negros rurais em dois países, em dois continentes: Brasil, na América do sul, e Cabo Verde, na África insular. Se há escassez nos estudos dos rituais de morte na área antropologia e sociologia, menos ainda temos trabalhos que busquem revelar tais aspectos entre as populações rurais. Daí congregarmos grupos de pesquisadores com experiências distantes, mas que se aproximam por terem, em espaços geográficos distintos, a mesma categoria de sujeitos como focos de investigação. No Brasil, o grupo é liderado por um pesquisador que estuda grupos negros rurais na Ilha do Marajó, já em Cabo Verde, o outro grupo é liderado por um pesquisador com experiência em estudar os rituais de morte entre as populações rurais da Ilha de Santiago. Os estudos sobre os rituais de morte podem revelar aspecto de aproximação entre os universos simbólicos dos grupos rurais dos dois continentes, tornando visíveis aspectos importantes com relação à formação histórica dos grupos dos dois grupos, já que ambos tiveram como colonizadores os portugueses, os quais influíram em muitos aspectos da vida ritualísticos dessas sociedades. Mas a influência dada pela matriz portuguesa, de forma nenhuma pode ser vista como capaz de apagar a criatividade e maneira particular com que estes grupos percebem as relações entre os vivos, e destes com os mortos. Portanto, o interesse de congregar esforços de pesquisa é compreender o mundo simbólico dos grupos rurais, isso para que possamos expandir a compreensão sobre as realidades humanas. Pois, acreditamos que uma chave para se compreender as relações sociais entre os vivos e entender as relações sociais que se instauram no momento chave para qualquer grupo, a morte de um afim..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia.


Idiomas


Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.
Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Apresentações de Trabalho
1.
LEÃO, R. C. S.. Conflito socioambiental e gestão de recursos naturais na comunidade quilombola Deus me Ajude, Salvaterra-Pará-Brasil. 2018. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

2.
LEÃO, R. C. S.. CONFLITO SOCIOAMBIENTAL E GESTÃO DE RECURSOS NATURAIS EM TERRITÓRIOS QUILOMBOLAS DA AMAZÔNIA: o caso da comunidade Deus me Ajude, Salvaterra, Marajó/PA. 2018. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

3.
LEÃO, R. C. S.; CARDOSO, L. F. C. E ; LOPES, O. C. L. . Conflitos socioambientais: recursos pesqueiros em disputa na Ilha de Marajó/PA. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

4.
LEÃO, R. C. S.. CONFLITOS SOCIAIS PELA APROPRIAÇÃO DOS RECURSOS AQUÁTICOS NA COMUNIDADE QUILOMBOLA DE SÃO BENEDITO DA PONTA - SALVATERRA - MARAJÓ. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

5.
LEÃO, R. C. S.. O conflito pela apropriação do açaí na comunidade quilombola São Benedito da Ponta, Salvaterra, Marajó-PA. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

6.
LEÃO, R. C. S.. Os conflitos pela apropriação de recursos naturais na comunidade quilombola São Benedito da Ponta, Salvaterra, Marajó-PA. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

7.
LEÃO, R. C. S.. O CONFLITO PELA APROPRIAÇÃO DO AÇAÍ NA COMUNIDADE DE SÃO BENEDITO DA PONTA, SALVATERRA, MARAJÓ - PA. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).


Demais tipos de produção técnica
1.
SOUZA, J. L. S. ; SOUZA, A. O. ; CANTO, O. ; CARDOSO, L. F. C. E. ; SILVA, H. N. ; LEÃO, R. C. S. ; SOARES, D. A. S. . Mapa de Uso, Conflitos e Reivindicação da Comunidade Quilombola Deus me Ajude, Salvaterra-Pará-Brasil. 2018. (Cartas, mapas ou similares/Mapa).

2.
LEÃO, R. C. S.; CARDOSO, L. F. C. E . Conflitos sociais pela apropriação do recursos aquáticos na comunidade quilombola de São Benedito da Ponta - Salvaterra - Marajó. 2015. (Relatório de pesquisa).

3.
LEÃO, R. C. S.; CARDOSO, L. F. C. E . O conflito pela apropriação do açaí na comunidade de São Benedito da Ponta, Salvaterra, Marajó - PA. 2014. (Relatório de pesquisa).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Agricultura Urbana: definição e desafios para cidades sustentáveis. 2017. (Outra).

2.
I Seminário de Impactos Socioambientais de Grandes Projetos na Amazônia: crises, conflitos e perspectivas. 2017. (Seminário).

3.
Reserva Nacional do Cobre e Associados (RENCA): Um Debate Necessário. 2017. (Outra).

4.
Treinamento do Portal de Periódicos da CAPES. 2014. (Outra).

5.
Mesa - redonda: Meio-ambiente, cultura e identidade: diálogos etno-botânicos. 2013. (Outra).

6.
Semana do Calouro de Ciências Sociais da UFPA: (Cons) Ciências Sociais - A sociedade no Foco da Reflexão. 2012. (Outra).

7.
62ª Reunião Anual da SBPC. INCIDÊNCIA, USO E FUNÇÃO DE TREPADEIRAS LENHOSAS (CIPÓS) NA ILHA DE CARATATEUA, BELÉM, PARÁ. 2010. (Congresso).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 20/10/2018 às 13:10:29