Natacha Silva Araújo Rena

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/5202973767095132
  • Última atualização do currículo em 03/12/2018


Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Escola de Arquitetura da UFMG (1995). Mestre em Arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000). Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade de São Paulo (2006). Pós-doutorado na Espanha pela Universidad de Sevilla (2016). Professora nível Adjunto III do Curso de Arquitetura da EAUFMG. Coordenou o CENEX ? Centro de Extensão da Escola de Arquitetura da UFMG entre 2011-2015 e entre 2017 e 2018. Coordenou o Programa DESEJA.CA - Desenvolvimento Sustentável e Empreendedorismo Solidário no Jardim Canadá entre 2010 e 2015, que foi contemplado no edital MEC/SESU em 2013-2014 e também o Programa ASAS- Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra entre 2004 e 2010, contemplado duas vezes no edital da UNISOL/Santander. Atualmente é líder do Grupo de Pesquisa do CNPQ denominado INDISCIPLINAR sediado na Escola de Arquitetura da UFMG. O Grupo de Pesquisa INDISCIPLINAR possui suas ações focadas na produção contemporânea do espaço urbano considerando os processos de globalização e é formado por professores, pesquisadores, alunos de graduação e pós-graduação oriundos de diversos campos do conhecimento (www.indisciplinar.com). Publicou diversos artigos em periódicos, capítulos de livros, artigos completos em anais e 9 livros. Orientou mais de 60 trabalhos de iniciação científica/extensão e mais de 60 trabalhos de conclusão de curso. Organizou 15 eventos internacionais. Recebeu 37 prêmios e/ou homenagens. Desde 2000 participou de 13 projetos de pesquisa na UFMG, sendo que coordenou 10 destes. Também participou de 17 projetos de Extensão sendo que coordenou 9 destes. Atualmente coordena 3 Projetos de Pesquisa (Geopolítica e Territórios, Plataforma Urbanismo Biopolítico, Territórios Populares), 1 Programa de Extensão (IndLab) e 4 Projetos de Extensão. Os últimos livros publicados foram: Cidade Eletronika: Tecnopolíticas do comum: artes, urbanismo e democracia; Arte e Espaço: uma situação política no Século XXI; Design e Política; DESEJACA: arquitetura, artesanias e tecnologia social no Jardim Canadá; I Seminário Internacional Urbanismo Biopolítico. Atualmente é conselheira do CENEX EAUFMG, editora-chefe da revista Interfaces da PROEX UFMG e participa do CELA - Centro de Estudos Latinoamericanos - da DRI - Diretoria de Relações Internacionais. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Natacha Silva Araújo Rena
Nome em citações bibliográficas
RENA, N. S. A.;RENA, NATACHA

Endereço


Endereço Profissional
Escola de Arquitetura nda UFMG, ACR.
Rua Paraíba, 697 Funcionários 30130-140
Funcionários
30130140 - Belo Horizonte, MG - Brasil
Telefone: (031) 34098845
Ramal: 8846
URL da Homepage: www.indisciplinar.com


Formação acadêmica/titulação


2002 - 2006
Doutorado em Comunicação e Semiótica.
Pontifícia Universidade de São Paulo, PUCSP, Brasil.
Título: Isay Weinfeld: a comunicação da diferença em arquitetura, Ano de obtenção: 2006.
Orientador: Silvio Ferraz Mello Filho.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Arquitetura; Arte; Deleuze; Contemporaneidade.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas
Grande Área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Comunicação.
Setores de atividade: Desenvolvimento Urbano; Produtos e Serviços Recreativos, Culturais, Artísticos e Desportivos.
1997 - 2000
Mestrado em Arquitetura e Urbanismo.
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Título: Acontecimento Arquitetônico Minimal,Ano de Obtenção: 2000.
Orientador: Celina Borges Lemos.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Arquitetura; Minimalismo; Deleuze; Arte; Guattari; Contemporaneidade.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas
Grande Área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Arquitetura e Urbanismo / Subárea: Projeto de Arquitetura e Urbanismo / Especialidade: Planejamento e Projetos da Edificação.
Grande Área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Arquitetura e Urbanismo / Subárea: Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo / Especialidade: História da Arquitetura e Urbanismo.
1987 interrompida
Graduação interrompida em 1999 em Economia.
Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil.
Ano de interrupção: 1999
1990 - 1995
Graduação em Arquitetura e Urbanismo.
Escola de Arquitetura nda UFMG, EAUFMG, Brasil.
Título: Escola de Cinema.
Orientador: Eduardo Mascarenhas.


Pós-doutorado


2015
Pós-Doutorado.
Universidad de Sevilla, US, Espanha.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas
Grande Área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Arquitetura e Urbanismo.
Grande Área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Arquitetura e Urbanismo / Subárea: Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo / Especialidade: Teoria do Urbanismo.


Atuação Profissional



Fundação de Apoio à Faculdade de Educação da USP, FAFE/SP, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Professor 20 horas entre agosto de 2010 e agosto de 2012. A partir de agosto de 2012, Professor 40 horas com dedicação exclusiva. Lotada no Departamento de Análise Crítica _ ACR. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa PRÁXIS liderado por Denise Morado, coordenando o Programa de extensão DESEJACA e um Projeto de Extensão TECA até 2015. Membro da Congregação da Escola de Arquitetura entre 2012 e 2015. Coordenadora do CENEX _ Extensão da Escola de Arquitetura da UFMG de acordo com a Portaria no. 027/2011-SEC/EA. Coordenadora acadêmica do Programa Escala Estudantil de Intercambio alunos na America Latina. Membro da Comissão de Avaliadores de Extensão no Comitê II: Comitê Assessor de Divulgação Científica_ Atividade ligada à Reitoria da UFMG _ Portaria de Delegação de Competência 4121 Líder do Grupo de Pesquisa INDISCIPLINAR http://plsql1.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0333604R0CMT3E Grupo de Pesquisa do CNPQ sediado na Escola de Arquitetura da UFMG, e tem suas ações focadas na produção contemporânea do espaço urbano. Linhas de pesquisa: Cartografias críticas; Cidade Instantânea e Urbanismo Performativo; Cultura e Território; Ecologia Política e Sustentabilidade; Neoliberalização da Política Urbana e Gentrificação; Saberes e práticas sócio-espaciais

Vínculo institucional

2010 - 2012
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor adjunto, Carga horária: 20

Atividades

08/2014 - Atual
Ensino, Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
CARTOGRAFIAS BIOPOTENTES. MAPEANDO O COMUM EM BELO HORIZONTE
PRODUÇÃO BIOPOLÍTICA DO ESPAÇO URBANO: PROCESSOS DE GLOBALIZAÇÃO E DISPUTAS TERRITORIAIS
08/2013 - Atual
Ensino, NPGAU, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Biopolíticas na Produção do Espaço Contemporâneo
CARTOGRAFIAS BIOPOTENTES. MAPEANDO O COMUM EM BELO HORIZONTE
I Método cartográfico e produção do espaço
03/2013 - Atual
Outras atividades técnico-científicas , Escola de Arquitetura, Escola de Arquitetura.

Atividade realizada
Coordenadora Acadêmica do Programa Escala Estudantil de Intercâmbio de Alunos na América Latina _ Atividade ligada ao Colegiado da UFMG.
08/2012 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Arquitetura, .

Cargo ou função
Congregação da EAUFMG.
08/2011 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Arquitetura, .

Cargo ou função
Membro da Comissão de Avaliadores de Extensão no Comitê II: Comitê Assessor de Divulagação Científica_ Atividade ligada à Reitoria da UFMG _ Portaria de Delegação de Competência 4121.
03/2011 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Escola de Arquitetura, .

08/2010 - Atual
Ensino, Arquitetura e Urbanismo, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Arquitetura Contemporânea, Cidade e Cultura I
Arquitetura Contemporânea, Cidade e Cultura II
Cartografias Emergentes
Projetos Socioambientais
Teoria e Arquitetura Contemporânea
Trabalho de Conclusão de Curso
Viagem de Estudos
01/2011 - 03/2018
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Arquitetura, .

Cargo ou função
Coordenadora do CENEX _ Extensão da Escola de Arquitetura da UFMG.

Faculdade de Arquitetura e Engenharia, FEA-FUMEC, Brasil.
Vínculo institucional

2000 - 2006
Vínculo: professor, Enquadramento Funcional: Professor Titular II, Carga horária: 30

Atividades

03/2008 - 07/2012
Extensão universitária , FEA FUMEC, .

Atividade de extensão realizada
PROJETO ASAS - ARTESANATO SOLIDÁRIO NO AGLOMERADO DA SERRA.
03/2006 - 07/2012
Ensino, Especialização em Design, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Design de Interiores
09/2004 - 07/2012
Ensino, Especialização em Moda, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Interfaces: Moda e Arquitetura.
09/2004 - 07/2012
Outras atividades técnico-científicas , FEA, FEA.

Atividade realizada
Líder de Grupo de Pesquisa DIFERENÇAS. ARTE, ARQUITETURA E EXPERIÊNCIA ESTÉTICA..
02/2003 - 07/2012
Ensino, Design de interiores, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Artesanato e Design
Cultura Brasileira
Espaços Contemporâneos
Filosofia do Habitat
História da Arte I
Núcleo de Projeto
Núcleo de TFG
8/2000 - 07/2012
Ensino, Arquitetura e Urbanismo, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Análise Crítica
Coordenação Geral do TFG em Arquitetura e Urbanismo
Projeto I
Projeto IV
Projeto V
Trabalho Final de Graduação
06/2000 - 07/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, FEA FUMEC, .

Cargo ou função
Membro do Conselho Universitário.
02/2003 - 07/2011
Direção e administração, FEA, .

Cargo ou função
Coordenação do Trabalho Final de Graduação do curso de Arquitetura e Urbanismo.
03/2007 - 07/2008
Extensão universitária , FEA FUMEC, .

Atividade de extensão realizada
Projeto de extensão ASAS.
05/2007 - 07/2007
Extensão universitária , FEA FUMEC, .

Atividade de extensão realizada
PROJETO RONDON - Capacitação em Artesanato e Design no norte de Minas Gerais.
04/2006 - 03/2007
Extensão universitária , FEA FUMEC, .

Atividade de extensão realizada
Design e artesanato solidário: Intervenção para capacitação de artesãos de vilas e favelas.
03/2006 - 03/2007
Extensão universitária , FEA FUMEC, .

Atividade de extensão realizada
Artesanato Solidário: Barreiro.
01/2007 - 02/2007
Extensão universitária , FEA FUMEC, .

Atividade de extensão realizada
PROJETO RONDON - Capacitação em Artesanato e Design no estado do ACRE.
03/2005 - 05/2006
Extensão universitária , FEA FUMEC, .

Atividade de extensão realizada
Sempre Savassi: Cultura e Design.

Universidade do Leste de Minas Gerais, UNILESTEMG, Brasil.
Vínculo institucional

2003 - 2006
Vínculo: professor, Enquadramento Funcional: horista, Carga horária: 5

Vínculo institucional

2000 - 2003
Vínculo: professor, Enquadramento Funcional: professor, Carga horária: 40

Atividades

02/2001 - 02/2003
Conselhos, Comissões e Consultoria, CEPE, .

Cargo ou função
representante do curso de arquitetura e urbanismo.
08/2000 - 02/2003
Ensino, Arquitetura e Urbanismo, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Cartografias Urbanas
Estúdio de Introdução à Arquitetura e ao Urbanismo
06/2000 - 02/2003
Conselhos, Comissões e Consultoria, CAU, .

Cargo ou função
Membro do Conselho de Curso.
01/2002 - 01/2003
Direção e administração, CAU, .

Cargo ou função
Coordenador do Curso de Arquitetura e Urbanismo.
08/2002 - 10/2002
Ensino, Arquitetura Contemporânea e suas interfaces com a, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Arquitetura Contemporânea

Universidade de Itaúna, UIT, Brasil.
Vínculo institucional

2000 - 2001
Vínculo: Professor, Enquadramento Funcional: Professor Horista, Carga horária: 10

Atividades

06/2000 - 03/2001
Ensino, Arquitetura e Urbanismo, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Projeto de Arquitetura I

Escola de Arquitetura nda UFMG, EAUFMG, Brasil.
Vínculo institucional

1996 - 1997
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor Substituto, Carga horária: 20



Linhas de pesquisa


1.
Saberes e práticas sócio-espaciais

Objetivo: Desenvolvimento de tecnologia social envolvendo estudos e projetos de interesse social nas áreas de design, arquitetura, urbanismo, assim como o desenvolvimento de estratégias e táticas de intervenção em comunidades em estado de vulnerabilidade social. São localidades nas quais os estudos e as ações são desenvolvidas com intenção de trabalhar melhorias de condições de vida: vilas e favelas, áreas rurais, territórios ameríndios..
Palavras-chave: Arquitetura Contemporânea; design e artesnato social; práticas sócio-espaciais; forças contra-hegemônicas; produção do espaço; artesanato urbano.
2.
Cartografias críticas e Produção do Comum

Objetivo: Estudo e produção de cartografias (críticas, colaborativas e/ou experimentais) que são construídas coletivamente e não somente mapeiam o cotidiano dos campos de pesquisa do grupo como também têm um papel importante na transformação da realidade durante seu processo cartográfico. Produção micropolítica voltada para ações sociais e construção de um campo potente na práxis integrada ao desenvolvimento de conhecimento que se quer transformador e gerador de novas realidades sociais..
Palavras-chave: cartografias; mapeamento; cotidiano; comum; micropolítica; biopotência.
3.
Cidade Instantânea e Urbanismo Performativo

Objetivo: Este campo de investigação aponta para o entendimento de uma cidade que emerge em coletivos sem escala, sem localização e com fronteiras e limites extremamente fluidos. A Cidade Instantânea é percebida no cotidiano em situações condicionadas por tecnologias de comunicação/informação e especialmente a computação ubíqua. Propõe-se também investigar a potência de um urbanismo performativo como processo metodológico cartográfico compatível para lidar com a Cidade Instantânea..
Palavras-chave: cidade instantânea; ubiquidade; urbanismo performativo; cartografias; micropolítica.
4.
Cultura e Território

Objetivo: A cultura e seus diversos campos teóricos relacionando cultura e natureza, cultura e civilização, cultura erudita e cultura popular, a lógica cultural do capitalismo tardio, cultura na era do capitalismo cognitivo, cultura e mercado, cidades criativas, cultura e território, cultura e resistência positiva, cultura e biopolítica, ativismo cultural, artes e artesanias, tecnologia social, criação e resistência..
Palavras-chave: cultura; território; capitalismo cognitivo; resistência; Biopolítica; ativismo cultural.
5.
Ecologia Política e Sustentabilidade

Objetivo: Procura-se investigar a potência da naturalização extensiva como ativadora da produção do comum e de novos modos de vida, mais sustentáveis, nos espaços urbanos. Entende-se que o espaço é todo e sempre urbano e que novos modos de pensar e agir na produção do espaço, levando em conta os processos de mundialização das cidades, passam por estabelecer novas relações entre artifício e natureza a partir de parâmetros fora da lógica dicotômica moderna que cinde o mundo entre artificial e natural..
Palavras-chave: ecologia política; sustentabilidade; novos modos de vida; naturalização extensiva; produção do espaço; urbano.
6.
Espaços habitados e resistências nas cidades latinoamericanas

Objetivo: O grupo de estudos multidisciplinares em urbanismo e arquitetura latino-americanas - MALOCA foi formado a partir das necessidades prementes de buscar respostas a questões na área voltadas para o contexto latino-americano de ensino, hábitos de morar e construir, práticas e saberes na/da cidade, sob uma perspectiva pós-colonial e descolonial com vistas a uma arquitetura da autonomia ou uma arquitetura cidadã no Brasil e na América Latina..
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas
Palavras-chave: resistência; Arquitetura Contemporânea; ecologia política; Habitação Contemporânea; Arquitetura Indígena.
7.
Neoliberalização da Política Urbana e Gentrificação

Objetivo: Procura-se investigar a neoliberalização da política urbana em curso a partir de uma avaliação crítica das experiências de aplicação e concepção de Operações Urbanas. Este instrumento urbanístico de flexibilização dos controles de uso e ocupação do solo a partir de PPPs vem assumindo uma primazia sobre os demais instrumentos de planejamento previstos no Plano Diretor Municipal, o que tem implicado na crescente subordinação dos interesses coletivos aos privados..


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Geopolítica e Territórios
Descrição: O trabalho pretende abordar o crescimento da participação da sociedade civil organizada - em suas diversas formas e classificações - nos processos decisórios, consultivos ou deliberativos das políticas urbanas, e avaliar o peso deste crescimento na realidade dos territórios urbanos em questão, realizando um paralelo com o papel do Estado e sua condição na atual conjuntura político-econômica. Além disso, pretende-se abordar esses processos em uma perspectiva transescalar, tendo em vista os atuais processos de reestruturação produtiva, as alterações na Divisão Internacional do Trabalho e as mudanças no Capitalismo Global como um todo. Ademais, o trabalho passa por um recorte temporal das problemáticas urbanas em questão, visando averiguar os efeitos práticos destas transformações para o desenvolvimento e bem-estar nos territórios estudados. Este projeto Geopolítica e Territórios tem como objetivo principal constituir uma leitura crítica dos conceitos de "governança urbana" e "participação da sociedade civil" relacionados à produção do espaço nas cidades brasileiras e latino-americanas - sobretudo Belo Horizonte e São Paulo - partindo da análise das redes estabelecidas entre Estado, Mercado e Sociedade Civil Organizada, inauguradas pelas novas formas de participação institucional (MARICATO, 2007), assim como pela emergência dos ?novíssimos movimentos sociais? (GOHN, 2017). Além disso, pretende-se, como objetivo específico, rastrear dentro dos fóruns de política urbana da ONU (UN Habitat) (RABELO; FANTIN; 2017) (FERREIRA, 2017) a emergência, elaboração e aplicação destes conceitos, em relação às políticas territoriais. Pretende-se, também, identificar como estes conceitos surgem nas recomendações das instituições financeiras multilaterais (BID, BM e FMI) como condicionantes para a realização de empréstimos para o poder público na execução de políticas urbanas (ARANTES, 2006). O trabalho será desenvolvido por meio de: (i) Articulação de bibliografia para a compreensão dos atuais processos que envolvem o objeto de estudo; (ii) Estudo e avaliação das agendas desenvolvidas nas últimas conferências da UN Habitat - dentre outras reuniões temáticas - a partir de bibliografia dedicada e, também, por meio do próprio texto resultante dos encontros; (iii) Levantamento bibliográfico dedicado à investigação do surgimento dos conceitos de ?governança urbana? e ?participação da sociedade civil?, e suas aparições no âmbito da gestão de cidades; (iv) Estudo de caso da atuação de Organizações da Sociedade Civil (OSCs) junto à administrações municipais, principalmente em São Paulo e Belo Horizonte com as redes Nossa São Paulo e Nossa BH; (v) Levantamento e classificação (a partir de referências bibliográficas) dos principais atores envolvidos nos processos protagonizados e articulados pelas OSCs, incluindo movimentos sociais; (vi) Realização de uma ?topologia de rede? envolvendo os atores levantados para identificar as relações estabelecidas; (vii) Cruzamento de dados territoriais, temporais e qualitativos por meio da plataforma ?IndAtlas?; (viii) Elaboração de diagrama de forças com as relações estabelecidas entre os atores levantados e suas participações nos processos considerados; (ix) Rastreamento dos conceitos de "governança" e "participação da sociedade civil" nos casos analisados; (x) Avaliação do efeito prático da aplicação da agenda estudada no contexto do desenvolvimento das cidades em questão..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Henrique Dias Porto - Integrante / Maíra Ramirez Nobre - Integrante / Danilo Caporalli Barbosa - Integrante.
2018 - Atual
IndAtlas - Plataforma Tecnopolítica de Investigação Urbana
Descrição: Proposta submetida no âmbito da Chamada 01/2018 da FAPEMIG Demanda Universal - processo número APQ-01090-18. A presente proposta visa o desenvolvimento e a implementação da plataforma digital de Investigação Urbana IndAtlas, atualmente em fase de prototipagem por uma equipe transdisciplinar liderada pelo Grupo de Pesquisa Indisciplinar - UFMG. Propõe-se que ela seja composta por: 1) mapas colaborativos online; 2) produção de linhas do tempo e infográficos; 3) produção de topologias de redes (grafos); 4) articulação com redes sociais e páginas Wiki. Dessa forma, pretende-se reunir na mesma aplicação Web, as possibilidades de investigar transformações do território a partir de múltiplos aspectos, contando com a contribuição cidadã de usuários conectados à Internet, focando particularmente em ferramentas de GIS (Geographic Information Systems) e VGI (Volunteer Geographic Information). A IndAtlas, portanto, se articularia a partir de quatro eixos: espacial/territorial; temporal; social e informacional. A sobreposição dessas camadas, além da conectividade entre os componentes utilizados impõe um grande desafio, com sua articulação e retroalimentação constituindo aspectos-chave. O grupo já vem produzindo esse tipo de análise, sob a definição de narrativa cartográfica, mas ainda não conta com uma única ferramenta capaz de relacionar e sobrepor dados de todos esses eixos. A IndAtlas visa, então, integrar as coletas de dados espaciais feitas tanto por pesquisadores quanto por cidadãos comuns, incluindo usuários dos espaços investigados como protagonistas da produção de conhecimento. Dessa forma, são estabelecidos vários canais de comunicação entre os atores envolvidos na produção e na gestão das cidades. Neste momento, o projeto se encontra em fase de desenho conceitual (ou da versão BETA), tendo sido um protótipo inicial submetido a uma primeira rodada de testes em workshop realizado no festival Cidade Eletrônika, em janeiro de 2018. Sua consolidação e implementação, contudo, dependem de mais recursos e prazo, o que poderia ser viabilizado com a aprovação da presente proposta..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Ana Isabel Anastasia de SÁ - Integrante / Michele Brito - Integrante / marcelo maia - Integrante / CLODOVEU AUGUSTO DAVIS JUNIOR - Integrante / Jéssica Dayane de Abreu Borges - Integrante / ANA CLARA MOURÃO MOURA - Integrante.
Financiador(es): FAPEMIG - Auxílio financeiro.
2017 - Atual
Urbanismo Biopolítico: cartografia das lutas territoriais territoriais
Descrição: O projeto de pesquisa denominado "Urbanismo Biopolítico: uma cartografia das lutas territoriais" cartografa um recorte das políticas neoliberais de produção do espaço que envolvem diversas resistências ao avanço do capitalismo financeiro contemporâneo (em tempos de globalização) sobre o território de Belo Horizonte. Chamamos de Urbanismo Biopolítico, o conjunto de forças que constituem as disputas pela produção do espaço nas metrópoles contemporâneas propiciando que tracemos uma cartografia do conjunto de atores que compõem esas forças envolvendo tanto o Urbanismo Neoliberal (do Estado-capital) quanto o Urbanismo Biopotente (das resistências positivas,insurgentes e cidadãs). O grupo de pesquisa Indisciplinar atua em diversas Frentes de Ação: Territoriais e Temáticas. Este projeto irá trabalhar diretamente com 2 Frentes de Ação vinculadas aos projetos extensionistas do Indisciplinar: 1. Frente de Ação Territorial ?Zona Cultural? que atua junto ao Conselho Municipal da Zona Cultural do Centro de Belo Horizonte; 2. Frente de Ação Temática ?Cartografia das lutas territoriais? contemporâneas em Belo Horizonte. Esta pesquisa pretende realizar um estudo teórico sobre os processos de globalização e produção de subjetividades em tempos de: CMI (Capitalismo Mundial Integrado) para Félix Guattari e Suelly Rolnik, Capitalismo Flexível para David Harvey, Império para Michael Hardt e Antonio Negri e Capitalismo Tardio para Fredric Jameson. Os objetivos gerais desta pesquisa são: Ampliação do envolvimento da Universidade com as principais lutas urbanas em defesa de direitos e justiça social; Aperfeiçoamento da plataforma tecnopolítica de investigação urbana ?Urbanismo Biopolítico?, por meio da otimização do uso das ferramentas wiki, mapa georreferenciado e modos de divulgação (blog e fanpage) vinculados à cartografia das frentes de ação territoriais deste projeto envolvendo as duas frentes de ação supracitadas; Consolidação da rede de investigação que gerou o INCT Tecnopolíticas: territórios urbanos e redes digitais. Pretende-se apontar como há uma narrativa, um discurso, hegemônico que envolve a ONU e todas as agências envolvidas com as ?elites globais?, prioritariamente financeiras, que produz um campo conceitual e teórico, porém fortemente político, que vai pautar as diretrizes mundiais para os processos de globalização e, consequentemente, influenciar fortemente a constituição de poíticas públicas para a produção do espaço na contemporaneidade. Os eventos que envolvem a UN-Habitat (ONU Habitat) vêm pautando os grandes projetos de intervenção urbana, que são acompanhados de programas de financiamento das grandes obras e das novas gestões empresariais para os territórios em todo o mundo. Portanto, esta pesquisa busca cartografar os principais programas e as principais diretrizes envolvidas nas recentes políticas urbanas no Brasil e em especialmente no território da região central de Belo Horizonte, que está atualmente no coração de uma nova Operação Urbana Consorciada denominada OUC NovaBH e posteriormente ACLO, mas também é uma região que tem determinado um limite que configura um espaço chamado de Zona Cultural, que pretende adotar uma série de políticas de valorização envolvendo, principalmente, a cultura como mote para o que chamamos também de gentrificação..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Henrique Dias Porto - Integrante / Paula de Moreira Guimaraes - Integrante / Maíra Ramirez Nobre - Integrante / Danilo Caporalli Barbosa - Integrante.
2017 - Atual
Territórios populares: Reestruturação territorial, desigualdades e resistências nas metrópoles brasileiras
Descrição: O tema da desigualdade territorial das cidades brasileiras e, particularmente das condições precárias de moradia a que estão submetidas parcelas significativas da população, tem sido objeto de reflexões há várias décadas, assim como de ações de movimentos sociais e políticas públicas voltadas para sua superação. Particularmente no campo das políticas urbanas, ?favelas? e ?periferias? constituíram não apenas o objeto de reflexões, ações e políticas, mas também o léxico a partir do qual as desigualdades foram nomeadas e o campo a partir do qual as ações e políticas foram articuladas. Intervenções em favelas assim como melhorias urbanísticas nas periferias e em suas conexões com as centralidades urbanas marcaram ações de governos assim como adentraram o universo da competição político-eleitoral, especialmente nas grandes cidades. Por outro lado, a partir dos movimentos sociais de periferias e favelas, e da própria construção crítica do paradigma de cidade excludente e dual, todo um esforço regulatório, no campo do ordenamento jurídico do planejamento urbano foi sendo formulado, em torno da matriz conceitual da ?inclusão socioterritorial? e da ?redistribuição? da renda urbana, especialmente daquela decorrente de decisões da própria regulação. Em que pese a presença ainda dos elementos apontados acima, o cenário das cidades brasileiras contemporâneas, e particularmente o tema da desigualdade socioterritorial parece não mais caber no interior neste léxico. Recortes importantes como raça e gênero estiveram ausentes na construção deste modelo, assim como o tema da violência. A matriz centro/periferia tampouco deu conta de detectar ?periferias? no centro ? para além da presença de favelas ? e seu lugar na configuração desta desigualdade. A presença ? genérica e pouco compreendida ? de cortiços localizados em bairros centrais, por exemplo, revela a maior complexidade destas configurações. Também não é mais possível tematizar a ?periferia? nem mesmo as ?favelas? como algo homogêneo oposto de forma dual ao ?centro?, uma vez que processos de consolidação dos assentamentos, assim como a chegada de produtos imobiliários produzidos no âmbito do mercado formal como condomínios de apartamentos, redes varejistas e shopping centers transformou, de forma heterogênea, estas geografias. Finalmente, a trajetória mais recente de revisão do marco regulatório e ordenamento jurídico da política urbana sofreu uma guinada, especialmente na última década, em direção a um outro paradigma, voltado não para ?redistribuição? e ?inclusão?, mas para a promoção de frentes de expansão de ativos imobiliários financeirizados (ou complexo imobiliário financeiro) através sobretudo da implementação de projetos urbanos e parcerias público privadas. Este tem sido um dos componentes do ?ajuste? urbano, que, na conjuntura atual também inclui cortes orçamentários, eliminação de programas sociais e amplo programa de privatizações de espaços, equipamentos e serviços públicos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (4) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / Ana Isabel Anastasia de SÁ - Integrante / Denise Morado Nascimento - Integrante / Marcela Silviano Brandão - Integrante / Raquel Rolnik - Coordenador / Paula Santoro - Integrante / marilia PIMENTA - Integrante / Maíra Ramirez Nobre - Integrante / luis henrique Marques - Integrante / Jeroen Johannes Klink - Integrante / Michele Brito - Integrante / patricia azevedo - Integrante / susan oliveira - Integrante.
2016 - 2018
Financiamento do desenvolvimento urbano, planejamento, inclusão socioterritorial e justiça social nas cidades brasileiras
Descrição: O projeto tem como objetivo monitorar e analisar as parcerias público-privadas (PPPs) voltadas ao desenvolvimento urbano em São Paulo, Belo Horizonte e Fortaleza, buscando verificar o impacto de seu desenho, modelo, gestão e implementação sobre as desigualdades sociais existentes e sobre o acesso das populações aos processos decisórios e aos bens urbanos, assim como em relação aos direitos dos moradores dos assentamentos informais e outras populações vulneráveis. O contexto nacional durante os primeiros meses deste projeto foi fortemente marcado pelo processo de impeachment da ex-presidenta Dilma Roussef, com imenso impacto que ainda não pode ser de todo compreendido, no quadro político, institucional e econômico, mas também para a capacidade de articulação dos movimentos sociais e forças progressistas em todas as cidades envolvidas no projeto, e com incidência nos resultados das eleições municipais. O momento político nacional se relaciona fortemente com a pesquisa. A Operação Lava Jato, ação da Polícia Federal de investigação a crimes de corrupção, escancarou as relações perversas entre Estado e mercado e expôs as relações de poder de vários agentes presentes nas grandes intervenções urbanas promovidas pelo Estado. As imagens espetaculares de políticos sendo presos fortalecem um discurso cuidadosamente construído pela grande mídia, de desvalorização da política e que demoniza o Estado forte e a gestão pública, já que estes estariam inteiramente contaminados pela corrupção. A solução apontada é de encolhimento do Estado, com transferência de cada vez mais funções ao privado, seja através de privatizações, concessões ou PPPs, todas difundidas como alternativa eficiente à falência do Estado, especialmente no atual cenário de crise econômica e fiscal. O fato que praticamente todas as grandes empresas ligadas às obras de infraestrutura estavam envolvidas nos esquemas de corrupção investigados não parece contribuir para que a desconfiança ao poder público se estenda também ao poder privado. Neste contexto em que verifica-se a ampliação de frentes para a penetração da gestão privada e a evolução dos marcos regulatórios em torno dos diferentes modelos de concertação público-privados, seja para criação de parcerias ou de transferência da gestão do público pelo privado, nas esferas nacional, estadual e municipal, bem como regulação específica para o desenvolvimento urbano, abriu-se como frente de trabalho a atividade de aprofundamento de sua compreensão através de um esforço de construção de uma tipificação . Um exemplo especialmente relevante para essa pesquisa são as transformações recentes no marco legal das PPPs, com atualizações em aspectos que envolvem disputa de interesses, como (i) tentativas de isolamento da atividades imobiliário-financeiras desenvolvida no âmbito das concessões e PPPs das oscilações da gestão e de interesses políticos, defendidas como medidas anticorrupção, mas que funcionam para dar maiores garantias ao privado; (ii) a pressão por instrumentos que possibilitem a mobilização de terras públicas para viabilizar atividades e rentabilidades imobiliárias privadas, apresentadas combinadas, em tese, com objetivos de interesse público; (iii) a disputa em relação ao conceito de interesse público na transformação urbana..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (4) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / MARCELA SILVIANO - Integrante / Denise Morado Nascimento - Integrante / Júlia Ávila Franzoni - Integrante / Daniela Faria - Integrante / Raquel Rolnik - Integrante / Paula Santoro - Coordenador / Brenda de Castro - Integrante / marilia PIMENTA - Integrante / BERNARDO NEVES - Integrante / Daniel Medeiro de Freitas - Integrante / luis henrique Marques - Integrante.
2016 - Atual
Plataforma Urbanismo Biopolítico: uma cartografia das lutas territoriais
Descrição: O objetivo geral desta pesquisa é robustecer a análise qualitativa sobre a economia política dos Grandes Projetos Urbanos OUC, os atores envolvidos, engenharia de financiamento, custos públicos, discursos e instrumentos urbanísticos envolvidos para produção de estudos técnicos, material gráfico e mapeamento que permita, além da mobilização social e denúncia de possíveis irregularidades, a comparação desse GPU com outros que estão sendo mapeados pelos parceiros do Labcidade e IPPUR. Envolvendo a cartografia como método de investigação, este projeto de pesquisa também se conecta a ações extensionistas do grupo de pesquisa Indisciplinar e a diversos movimentos sociais envolvidos nas lutas territoriais em Belo Horizonte como Brigadas Populares, Auditoria Cidadã da Dívida, MLB, Parque jardim América, Rede Verde dentre outros. Um dos objetivos da pesquisa é produzir conhecimento através da fricção entre o cotidiano das lutas (nas redes e ruas) de modo a traduzir dados complexos sobre os grandes projetos urbanos que, em geral, possuem informações jurídicas com linguajar técnico erudito que inviabiliza a mobilização efetiva dos movimentos sociais envolvidos nas resistência. O projeto de pesquisa portanto, atua em rede com outros projetos de pesquisa, outros grupos acadêmicos e movimentos sociais, no que se chama o "campo cego das lutas" produzindo informações transescalares que possam colaborar no avanço do conhecimento gerado cotidianamente. Para isso, além da produção de artigos científicos e textos acadêmicos, também produz-se infográficos, diagrama, textos sintéticos e simples, utilizando fortemente as redes sociais para divulgação da informação e mobilização social. Outras ações como produção de material técnico para participação em audiências públicas e representações no Ministério Público faz parte do cotidiano desta pesquisa. Linhas do tempo, mapas colaborativos georreferenciadas, wikis, e outras de produção de informação de maneira colaborativa também participam das ações cotidianas do grupo. Além disso, atua-se com um grupo de pesquisa sobre Urbanismo Neoliberal para capacitar os atores acadêmicos envolvidos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Ana Isabel Anastasia de SÁ - Integrante / Júlia Ávila Franzoni - Integrante / Joviano MAYER - Integrante / Daniela Faria - Integrante / Josiane Alves Soares da Silva - Integrante / lucca MEZZACAPPA - Integrante / marilia PIMENTA - Integrante / BERNARDO NEVES - Integrante / Henrique Dias Porto - Integrante.
2013 - 2015
Novos processos de projeto em arquitetura, urbanismo e design adequados às transformações socioespaciais da metrópole contemporânea: Fundamentos para intervenções no Bairro Jardim Canadá
Descrição: O objetivo desta pesquisa é fundamentar e instrumentalizar ações extensionistas no Bairro Jardim Canadá , voltadas para a promoção da qualidade de vida e empoderamento da comunidade local. Pretende-se investigar novos processos de projeto de intervenção urbana e arquitetônica e de design que sejam capazes de: 1- Reconhecer, representar e incorporar no processo projetivo a complexidade da dinâmica urbana e o fluxo de transformação constante do espaço urbano, próprios dos processos metropolitanos contemporâneos, de difícil consideração em processos determinísticos e lineares de projetação, vislumbrando mapeamento das demandas, potenciais e problemas da transformação do Bairro Jardim Canadá em nova centralidade urbana do eixo sul de expansão metropolitana; 2-Reconhecer, dialogar e incorporar saberes populares em processos de projeto mais adequados à apropriação e transformações dos espaços da vida cotidiana e à participação ativa da comunidade. Vislumbra-se contribuir para o empoderamento da comunidade, e sua permanência na região, ameaçada pela expansão do capital imobiliário; 3-Incorporar materiais e processos de construção alternativos para urbanismo, arquitetura e design, aproveitando potencial de reciclagem de resíduos produzidos na região, principalmente de madeira, vislumbrando seu potencial de processamento, aplicação e comercialização no bairro..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (38) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / Juliana Torres - Coordenador / Simone Tostes - Integrante / MARCELA SILVIANO - Integrante.
Financiador(es): FAPEMIG - Auxílio financeiro.
2013 - 2015
Cartografias Emergentes
Descrição: Este projeto de pesquisa denominado CARTOGRAFIAS EMERGENTES busca formar uma rede de protagonismo comunitário à partir de tecnologia social baseada em plataformas online utilizando mapas georeferenciados, além da produção de diagramas e cartografias sintéticas. Pertencente a uma das dentro das linhas de pesquisa do Grupo de Pesquisa Extensionista INDISCIPLINAR denominada NEOLIBERALIZAÇÃO DA POLÍTICA URBANA E GENTRIFICAÇÃO, esta pesquisa procura investigar a neoliberalização da política urbana em curso em Belo Horizonte a partir de uma avaliação crítica das experiências de aplicação e concepção de Operações Urbanas no município utilizando o método de copesquisa chamado Cartografias Críticas. Estas cartografias buscam sintetizar as informações coletadas e os conceitos preparados em discussões coletivas ao longo da pesquisa. Nos últimos anos, este instrumento urbanístico de flexibilização dos controles de uso e ocupação do solo a partir de parcerias público-privadas vem assumindo uma primazia sobre os demais instrumentos de planejamento urbano previstos no Plano Diretor municipal, o que tem implicado na crescente subordinação dos interesses coletivos aos interesses privados de proprietários fundiários, incorporadoras imobiliárias e grandes empreiteiras do ramo da construção civil, assim como detonado novos processos de segregação socioespacial e gentrificação em determinados territórios da cidade. Para a realização deste pesquisa propões a produção de cartografias críticas colaborativas envolvendo 3 eixos: EIXO 01: processos de gentrificação em regiões centrais atravessadas por projetos para a COPA, REGIÃO CENTRAL/ CORREDOR CULTURAL, REAL DA RUA, FAMÍLIA DE RUA; EIXO 02: conflitos em vilas e favelas/ posse de terra e mercado imobiliário/ Vila Viva; EIXO 03: conflitos em áreas de ocupação por direito à Moradia. Neste sentido o aluno terá oportunidade de desenvolver um trabalho de pesquisa relacionado diretamente a problemas reais e atuais em nossa sociedade. Além de obter um conhecimento técnico e científico através de leituras, terá a oportunidade de se envolver com setores importantes da sociedade e se integrar a um grupo de pesquisadores envolvidos com políticas públicas fundamentais para a construção de uma sociedade mais justa..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / TALITA LESSA - Integrante / MAIA, Marcelo Reis - Integrante / BERQUÓ, Paula Bruzzi - Integrante / Ana Isabel Anastasia de SÁ - Integrante / Rodrigo Bastos - Integrante.
2013 - 2015
Cartografias Emergentes: A distribuição territorial da produção cultural em Belo Horizonte
Descrição: A pesquisa proposta, que enquadra-se no eixo temático "inovação em cultura", tem como objeto o estudo sistematizado da distribuição territorial das iniciativas culturais referentes aos setores prioritários da Secretaria da Economia Criativa em Belo Horizonte. Pretende-se produzir cartografias críticas, georreferenciadas e colaborativas que, por meio de processos acadêmicos e participativos, localizem, no território da cidade, as atividades culturais existentes e os tipos de financiamento utilizados para a sua realização. Pretende-se, assim, gerar um panorama territorial complexo, de caráter científico, que possa constituir base de dados para análises sobre a relação entre a distribuição das iniciativas culturais no espaço urbano, os mecanismos utilizados para o seu fomento e as implicações deste quadro no cenário sócio-territorial da cidade. Busca-se, para tanto, considerar os setores da economia criativa a partir de uma perspectiva ampla. Assim, serão incluídas nas cartografias tanto atividades que ocorrem em equipamentos culturais, quanto atividades itinerantes e independentes, promovidas por micro produtores e grupos minoritários na escala cotidiana e hiper-local. Estas últimas, apesar de serem altamente significativas para a produção cultural da cidade, desenvolvem-se atualmente de maneira quase invisível no território, sendo normalmente desconsideradas nos mapas produzidos. O seu mapeamento mostra-se, no entanto, fundamental para uma compreensão ampla da atividade cultural da cidade, que abarque a complexidade de suas dinâmicas e possibilite que estas ocorram de maneira sustentável, inclusiva e descentralizada, em toda a sua diversidade. Ao incluir-se tais atividades nas cartografias, confere-se a elas maior visibilidade e cria-se, assim, condições para que as mesmas - que normalmente ocorrem sem qualquer tipo de reconhecimento ou financiamento - sejam contempladas, de maneira mais sistemática, pelas políticas culturais e pelos mecanismos de fomento públicos e privados. Acredita-se que o estímulo a tais iniciativas, além de ampliar as possibilidades de desenvolvimento sócio-econômico das comunidades locais, possa contribuir para a construção de uma dinâmica urbana territorialmente mais integrada e inclusiva. A proposta baseia-se, portanto, na hipótese de que a cultura, se pensada de maneira ampla e em conjunto com o planejamento urbano, possa constituir importante motor de inclusão social e desenvolvimento na cidade, a partir da ativação de processos que transformem e dinamizem o seu cenário sócio-territorial. Acredita-se que as ideias incorporadas à questão cultural por meio dos princípios da economia criativa possam em muito contribuir nesse sentido. Pretende-se incorporar às cartografias produzidas os preceitos inclusivos de tal política por meio da implementação de ferramentas e variáveis de análise que, baseados na inovação, na diversidade cultural e na sustentabilidade, possibilitem estudos prospectivos que apontem para novos modelos possíveis de desenvolvimento da cidade..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / BERQUÓ, Paula Bruzzi - Integrante / Ana Isabel Anastasia de SÁ - Integrante / Luiza Magalhães - Integrante / David Narvaez - Integrante / fernanda QUINTÃO - Integrante / Júlia Ávila Franzoni - Integrante.
2011 - 2012
Design e artesanato: história e contemporaneidade
Descrição: DescriçãoO objetivo principal desta pesquisa é a construção de um panorama contemporâneo das relações entre o design e o artesanato no Brasil e no mundo. A construção de uma linha do tempo proporciona um estudo crítico do design e do artesanato antes, durante e depois da revolução industrial. Conhecer as escolas de design de Belo Horizonte assim como as linhas de pesquisa existentes na área para que os projetos de extensão que envolvam a temática possam deter também um conhecimento mais profundo das questões históricas e teóricas, e assim, gerar conhecimento através de teoria e da prática, estabelecendo uma relação mais real com o ensino e as metodologias de projeto em design é também objetivo desta pesquisa..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Alexandre Menezes - Integrante.
2010 - 2011
Desenvolvimento de Tecnologia Social para realização de projetos de capacitação em artesanato e design tendo o Projeto ASAS como estudo de caso
Descrição: Esta pesquisa pretende estudar os procedimentos metodológicos utilizados no projeto de extensão ASAS_Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra, com intuito de desenvolver de forma sistemática uma série de diretrizes e procedimentos criativos colaborativos para serem disponibilizados e, assim, reaplicados em diversos projetos de capacitação em artesanato e design por quem interessar. O ASAS é um bom estudo de caso para geração de tecnologia social porque tem como objetivo a criação de produtos artesanais singulares, utilizando práticas criativas focadas na colaboração e na autonomia produtiva dos beneficiários gerando um forte empoderamento técnico e criativo na comunidade envolvida. Objetivo Geral Estudar a metodologia utilizada no ASAS e identificar características e procedimentos criativos e colaborativos que contribuam positivamente para capacitar e formar multiplicadores do conhecimento adquirido é a expectativa desta pesquisa. Técnicas heterogêneas e híbridas de repasse e troca de conhecimento foram utilizadas ao longo dos três anos de capacitação e observa-se que o objetivo principal do trabalho extensionista foi sempre, além de ensinar técnicas de criação, empoderar a comunidade para que no futuro os artesãos não necessitem mais da intervenção de designers para criar objetos inventivos. Pressupõe-se que os procedimentos criativos colaborativos utilizados no processo incentivaram a união do grupo. Como praticamente não existem metodologias de procedimentos colaborativos em design publicadas, acredita-se que é papel da universidade registrar, organizar, analisar e desenvolver informações que possam construir novas tecnologias sociais que auxiliem em projetos de geração de emprego e renda para comunidades em estado de vulnerabilidade social. Objetivos Específicos ? Elaborar tecnologias sociais que auxiliem a produção artesanal, destacando a idéia de um artesanato produzido nas fronteiras entre a arte contemporânea e o design, o que pode qualificar os pro.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Alexandre Menezes - Integrante / Flávio Lima - Integrante / Adriana Tonani - Integrante / Bruno Oliveira - Integrante.
2007 - 2008
Artesanato Urbano e Identidade Cultural
Descrição: Projeto que desenvolve um diagnóstico das grandes ações realizadas no Brasil que adotam a capacitação em artesanato e design..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador.
Financiador(es): Fundação Nacional de Desenvolvimento do Ensino Superior Particular - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 1
2004 - 2005
Táticas de Sobrevivência. A reinvenção do cotidiano a partir da necessidade.
Descrição: Levantamento de inventos numa pequena vila (favela) na cidade de Belo Horizonte..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Cássia Macieira - Integrante.
Financiador(es): Universidade FUMEC - Bolsa.Número de orientações: 1
2002 - 2003
Sistemas Infraestruturais - Arte Cidade Vitória Minas Gerais
Descrição: Estudo da macro região entre Belo Horizonte e Vitória. Processos de industrialiação e urbanização..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador.
2001 - 2003
Rizomas Urbanos: uma representação virtual para as cidades atuais
Descrição: Pesquisa que resgata as transformações na representação arquitetônica das cidades em um período de mais de dois mil anos, desde o tempo da Grécia Antiga até os dias atuais, acompanhando as inovações tecnológicas, artísticas, urbanísticas e culturais de cada época. O trabalho atravessa diversos períodos históricos: Grécia Antiga, onde as técnicas de representação rudimentares traduziam os interesses e necessidades do povo de sua época; Império Romano, com sua necessidade de projetar em grande escala; Idade Média, quando a população passou a se refugiar em castelos e mosteiros num crescimento descontrolado observado nos desenhos e pinturas da época; Renascimento quando as técnicas de perspectiva permitiam um controle preciso da aparência final de um projeto; Barroco, marcado por uma dualidade entre as formas geométricas de projetar e as formas sensuais na pintura e escultura; Historicismo que cobre os períodos Eclético e Neoclássico, com novas tecnologias construtivas do passado e de localidades; atualidade, em que as tecnologias digitais permitem o fornecimento de grande quantidade de informação para o usuário.permitiam um controle preciso da aparência.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Marcos Ribeiro MACEDO - Integrante.


Projetos de extensão


2017 - Atual
Geopolítica e Cidades
Descrição: Este projeto pretende criar um amplo diálogo e um campo de atuação junto ao Projeto Brasil criado entre 2014 e 2015 a partir de encontros de movimentos sociais de escala nacional como o MST e o Via Capesina. A necessidade de expandir os estudos e as estratégias de atuação em busca de mais direitos no Brasil levou a criação deste projeto articulado com muitos movimentos sociais e instituições, e consequentemente, gerou diversos GTs. Em 2016 a rede constituída inicialmente para o debate se ampliou e foi realizado um encontro entre os dias 14 e 15 de outubro, criando assim diversos GTs de porte nacional para avançar no trabalho de organização do Projeto Brasil. O GT de Reforma Urbana é coordenado por Ermínia Maricato e Karina Leitão, professoras da USP e coordenadoras do LabHab. Este projeto de extensão pretende realizar inúmeras atividades extensionistas junto aos movimentos sociais e organizações vinculados à Frente Brasil Popular (como MST, Levante, MAB, Via Campesina, Renap) que estão associadas ao Projeto Brasil, para debater e ampliar o campo de discussão sobre as relações contemporâneas entre territórios nacionais envolvidos em processos de globalização e programas e projetos constitutivos de novas políticas públicas, auxiliando na atuação dos movimentos junto às lutas por mais direitos sociais. Propõe-se a realização de palestras, fóruns de debate, produção de material didático, vídeos, que possam colaborar com uma agenda programática rurubana (atuando tanto no rural quanto nas cidades e nos territórios de fronteira entre ambos). As políticas envolvendo a reforma urbana nos alerta para a necessidade de iniciar um novo ciclo de discussões para estabelecimento de diretrizes e de referências para construção de agenda ampla, plural, que colabore com a formação de plataformas e de programas nacionais de maneira estratégica. A melhoria das condições de vida de toda população dentro de um modelo desenvolvimento econômico e social, levando em consideração a urgência na distribuição de direitos urbanos, sociais e coletivos, que estejam em sintonia tanto com a premissa do direito à cidade, quanto do direito à terra e aos meios de produção, que possam trazer um compartilhamento justo das riquezas e da renda no Brasil é o objetivo principal do Projeto Brasil. Portanto, pretende-se criar um campo transversal de debate entre este projeto e o GT de Reforma Urbana que pertence ao Projeto Brasil. Também pretende-se abrir um campo ampliado para pensar as cidades brasileiras em diálogo com outros GTs do Projeto Brasil como os GTs: o Soberania nacional, Relações Internacionais e Integração. Neste sentido, conhecer as agendas dos processos de globalização e as estruturas institucionais criadas para que projetos de interesses transnacionais sejam sobrepostos às reais necessidades de cada região brasileira, faz-se fundamental num primeiro momento. Mas também discutir e divulgar esses processos é importante para a formação de grupos para pensar e apontar pautas para uma nova agenda rururbana..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Henrique Dias Porto - Integrante / Paula de Moreira Guimaraes - Integrante / Maíra Ramirez Nobre - Integrante / Danilo Caporalli Barbosa - Integrante.
2017 - Atual
Seminário Internacional Urbanismo Biopolítico
Descrição: O evento Seminário Internacional Urbanismo Biopolítico: Urbanismo neoliberal e a Produção do comum urbano, com registro no Siex de n.201976 é uma ação do Grupo de Pesquisa Indisciplinarque tem sede na Escola de Arquitetura e Design da UFMG e é formado por professores (as), pesquisadores (as), alunos (as) de graduação e pós-graduação oriundos (as) de diversos campos do conhecimento (arquitetura, urbanismo, geografia, economia, ciências políticas, literatura, artes, meio ambiente, etc). Possui suas ações focadas no monitoramento da produção capitalista do espaço urbano via PPPs e outros mecanismos de financeirização dos territórios que são próprios do urbanismo neoliberal. Também atua junto a movimentos sociais (e outros diversos atores) no fortalecimento de redes que se articulam em prol da justiça social, da democracia real e, consequentemente, na produção de espaços coletivos, colaborativos e constitutivos do comum. As ações do grupo envolvem também participação e incidência em diversas redes nacionais e internacionais de pesquisa em torno da problemática urbana contemporânea, do desenvolvimento de políticas públicas que evitem a segregação social e a gentrificação e tem como principal dispositivo de investigação-ação uso intensivo das tecnopolíticas (atuação ubíqua entre redes e ruas) para articulação das lutas territoriais por direitos urbanos. A primeira versão aconteceu em 2017..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Ana Isabel Anastasia de SÁ - Integrante / Marcela Silviano Brandão - Integrante / Luciana Bragança - Integrante / Daniel Medeiro de Freitas - Integrante / marcelo maia - Integrante.
2017 - Atual
Programa Natureza Política
Descrição: O Programa de extensão NATUREZA POLÍTICA pertence ao grupo de pesquisa INDISCIPLINAR, sediado na Escola de Arquitetura da UFMG, cujos integrantes são professores, pesquisadores, alunos de graduação e pos-graduação oriundos de diversos campos do conhecimento, que desenvolvem suas atividades buscando a articulação da teoria com a prática e o fortalecimento do tripé ensino-pesquisa e extensão. O programa foi criado em função da percepção que a temática ambiental estava presente em diversos projetos vinculados ao Programa de extensão IND.LAB, e que era preciso organizá-los em um mesmo eixo de investigação, para articular melhor suas interfaces e suas estratégias de ação. Desde 2016, os projetos de extensão ?Artesanias do comum? e ?Natureza Urbana? estão trabalhando juntos em uma mesma frente de ação, o Parque das Ocupações, uma área de preservação ambiental localizado nas fronteiras das ocupações urbanas autoconstruídas no Barreiro. A temática ambiental , presente em todas as frentes de ação do projeto ?Natureza urbana? (Fica Ficus, Parque Jardim América, dentre outros), ao se juntar às questões sociais associadas à luta pela moradia , ganhou uma conotação política ampliada. Ao mesmo tempo, o projeto ?Artesanias do Comum?, que já tinha em seus objetivos o reaproveitamento dos resíduos e a produção de tecnologia social numa esfera muito local, focada nas ocupações urbanas autoconstruídas localizadas na região do Barreiro e da Izidora, passa a incorporar questões regionais e a se conectar com outras lutas ambientais. Também a pauta feminista já vinha sendo incorporada à esse projeto, visto que nas ocupações citadas o papel das mulheres é determinante na produção daquele espaço, inclusive no que diz respeito à forma de se compartilhar e de se distribuir responsabilidades e cuidados, nas suas mais diferentes manifestações. Por outro lado, o projeto de extensão ? Cartografias emergentes? possui duas frentes de ação que se conectam aos projetos de extensão citados: "Feminismo e espaço" e " Cartografia do Rio Doce". Pretende-se que a aproximação da frente "Feminismo e espaço" das ações feministas do projeto "Artesanias do Comum" possa fortalecer a discussão sobre uma ?natureza? (não essencialista) feminina e feminista na produção política e democrática nas ocupações autoconstruídas. Com relação à segunda frente, ela constitui-se na investigação das práticas empresariais relativas ao desastre-crime desencadeado pelo rompimento da barragem em Mariana-MG. Ressalta-se neste contexto que é perceptível a configuração de um campo assimétrico de forças, que permite a influência dos discursos dominantes sobre a percepção dos acontecimentos e principalmente, propiciam o domínio empresarial sobre os encaminhamentos institucionais. A "Cartografia do Rio Doce" visa desarticular as estratégias corporativas de controle territorial e ainda, dar a ver discursos e movimentos invisibilizados, constituindo-se uma atuação contra-hegemônica. Essa frente de ação atua junto ao MAB - Movimento dos Atingidos por Barragens, dentre outros. Diante de tantas tangências, a coordenação do grupo de pesquisa Indisciplinar, junto com os coordenadores desses projetos, percebeu que associá-los sob um mesmo ?guarda-chuva? será de grande valia para o fomento de todas as questões citadas (sociais, ambientais, políticas e econômicas) em suas diversas escalas de abordagem (local, regional, global). Importante ressaltar que partimos do entendimento que no capitalismo contemporâneo a extração da mais valia não acontece apenas por meio da exploração do trabalho, mas que, na sua versão rentista, ele se realiza também pelos processos de financeirização do território. Ao mesmo tempo, considerando que a dinâmica da urbanização se dá de maneira extensiva (MONTE-MOR), fica difícil separar a natureza e os bens comuns fora dessa dinâmica..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / MARCELA SILVIANO - Coordenador / Luciana Bragança - Integrante.
2017 - Atual
Natureza Urbana
Descrição: NATUREZA URBANA é um projeto extensionista, foi vinculado ao Programa IND.LAB_Laboratório Nômade do Comum, pertencente ao grupo INDISCIPLINAR, grupo de pesquisa do CNPQ sediado na Escola de Arquitetura da UFMG, que tem suas ações focadas na produção contemporânea do espaço urbano. Estará agora Vinculado ao Programa Natureza Política dentro do mesmo grupo de pesquisa. Em fevereiro de 2013, o grupo de Pesquisa Indisciplinar inicia sua participação efetiva na teia formada ao redor do movimento Fica Ficus. Desde então, muitas conexões com outros grupos e movimentos em defesa da qualidade de vida urbana aconteceram. Entre 2013 e 2015, com a intensificação dos movimentos multitudinários contra os processos de urbanização neoliberal no Brasil, constituiu-se uma rede de apoio mútuo compartilhando experiências ativistas e aos poucos, agregando movimentos sociais, culturais e ambientais, tanto da Região Metropolitana de Belo Horizonte quanto de outras regiões do país como o Parque Augusta de São Paulo ou o Ocupe Estelita de Recife. O Indisciplinar faz parte da Rede Verde que é um movimento que emerge na conexão das ações coletivas pela defesa da Mata do Planalto, do Parque Jardim América e das demais áreas verdes da cidade ameaçadas pelo Projeto de Emenda à Lei Orgânica (PELO) de Belo Horizonte que propõe mudanças nas regras de ocupação das áreas verdes da cidade. De autoria da prefeitura, a proposta PELO nº 7/2014 permite a instalação de equipamentos públicos de saúde, educação e assistência social em praças, parques, reservas ecológicas e espaços tombados, onde até então é proibida qualquer construção. Em 2016 foi elaborado um seminário no Verão Arte contemporânea com o objetivo de aproximar ainda mais essas lutas e difundir o desejo por uma cidade mais verde. Gestado dentro do IND.Lab o Natureza urbana apoia esses movimentos no que diz respeito à projetos de parques urbanos e natureza na cidade. Está sendo desenvolvido atualmente o Projeto do Parque das Ocupações do Barreiro em Belo Horizonte MG, Brasil, proposto na interseção entre uma área de proteção Ambiental e a ocupação habitacional como forma de promover a convivência e a interação entre ambos. Valendo-se da premissa de que seria possível uma convivência harmoniosa entre ocupação e área verde e que a existência da área de proteção ambiental seria importante para a qualidade do espaço das habitações foi proposto o Parque. A necessidade de trabalhar essa questão torna-se ainda mais pertinente se entendemos as dinâmicas do capital imobiliário e neoliberalismo, que resultam nas cidades onde o seu avanço provoca a perda de espaços para morar da população pobre nos centros urbanos, forçando a sua migração para regiões não especulativas, não ocupadas ou para onde o zoneamento urbano não permite ocupação legal. Dessa forma é que surge o conflito ocupação e área de proteção Ambiental. Porém a presença desse verde é extremamente necessária para boa qualidade de vida da população. O Parque das Ocupações é uma tentativa de mostrar a importância de ocupar sem deixar de lado a sustentabilidade e mostrar como é possível a coexistência de habitações e áreas verdes, independente de poder aquisitivo e como essas questões podem ser complementares e ser reforçarem mutuamente. Assim a proposta cresce e tem a necessidade de se desdobrar. Estamos atualmente pleiteando uma verba junto ao subcomitê de Bacias Hidrográficas do Rio Arrudas para implantação do parque. Parques, praças, jardins, áreas de preservação ambiental são fundamentais para a qualidade de vida e garantem uma vida mais saudável e locais coletivos para que os cidadãos possam viver parte das suas vidas também em espaços de convívio que não sejam necessariamente shoppings, instituições, condomínios fechados, entre outros. O direito à vida de qualidade nas cidades deve fazer parte da vida cotidiana de todos!.
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / MARCELA SILVIANO - Integrante / Luciana Bragança - Coordenador.
2017 - Atual
Artesanias do Comum
Descrição: ARTESANIAS DO COMUM é um projeto extensionista, que estava vinculado ao Programa IND.LAB_Laboratório Nômade do Comum até o momento, e agora passa a compor o programa "NATUREZA POLíTICA", ambos pertencente ao grupo INDISCIPLINAR, grupo de pesquisa do CNPQ sediado na Escola de Arquitetura da UFMG. O grupo tem suas ações focadas na produção contemporânea do espaço urbano. Seus integrantes são professores, pesquisadores, alunos de graduação e pos-graduação oriundos de diversos campos do conhecimento de várias instituições acadêmicas no Brasil e no exterior, que buscam em suas ações a articulação entre a teoria e o prática, e o fortalecimento do tripé ensino-pesquisa e extensão. O projeto ARTESANIAS DO COMUM parte do entendimento que apesar das forças hegemônicas de produção, baseadas exclusivamente na lógica da indústria e da ciência, cujo foco principal é o mercado, há uma invenção potente no cotidiano, engendrada taticamente pelos moradores, para resolver questões pertinentes à produção social do espaço, seja na escala do corpo, da moradia e/ou da cidade. Inspirados em Boaventura de Souza Santos, denominamos essas ações de Artesanias e apostamos na importância do seu mapeamento e na identificação de seus pressupostos de produção. Essas artesanias se aproximam das invencões do cotidiano teorizadas pelo Michel de Certeau e do saber-fazer do artífice explicitado por Sennett. Outro conceito que nos é caro é o conceito do comum, entendido aqui como sendo o ?excedente que não pode ser expropriado pelo capital nem capturado na arregimentação do corpo político global? (HARDT; NEGRI), que se manifesta por meio de revoltas globais, mas também por ?práticas, linguagens, condutas, hábitos, formas de vida e desejos?. Por fim, temos como balizas teóricas os pressupostos da economia solidária e da tecnologia social, e, por isso, os textos do Roberto Dagnino e Paul Singer são também algumas de nossas referências. Imbuídos desses conceitos, o objetivo desse projeto é o de potencializar práticas urbanas e arquitetônicas nas quais as artesanias e a produção do comum estejam presentes, a partir de uma cartografia ampla de seus procedimentos e pressupostos, tendo como horizonte o projeto e/ou a construção de dispositivos arquitetônicos e urbanos que possam fortalecer uma rede de produção e troca baseada na solidariedade e no compartilhamento de saberes científicos e cotidianos, atravessados simultaneamente por questões e decisões políticas e poéticas. Em 2016, o ARTESANIAS DO COMUM firmou parceria com a Casa Tina Martins, importante casa de referência para a mulher em situação de violência. A parceria firmada visa a criação de dispositivos para melhor apropriação do espaço da casa. Também no ano de 2016, o ARTESANIAS DO COMUM firmou parceria com o MLB (Movimento de luta nos bairros, vilas e favelas), em ações diretas em ocupações urbanas autoconstruídas coordenadas pelo movimento, como por exemplo a criação do projeto 'Parque das ocupações", localizado no bairro Barreiro, em Belo Horizonte. Esse projeto está sendo desenvolvido em parceria com outro projeto de extensão do grupo Indisciplinar, o NATUREZA URBANA, e sua continuidade no ano de 2018 é de grande importância, tendo em vista o envolvimento das comunidades locais com a proposta do parque e a participação no sub-comité da bacia Rio Arrudas. No momento, o grupo está envolvido com a reforma de um ônibus que foi doado ao MLB, no intuito de transformar seu interior em um espaço para acolher atividades econômicas (feiras e bazares) e atividades culturais (biblioteca, teatro e projeção de filme). Além disso, o terreno onde será estacionado o ônibus também está sendo motivo de discussões e elaboração de propostas. Aposta-se que o ônibus será um importante instrumento de articulação dos moradores das ocupações do Barreiro, podendo, em suas atividades móveis, expandir esse propósito..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / MARCELA SILVIANO - Coordenador / Luciana Bragança - Integrante.
2017 - Atual
BH S/A
Descrição: O Grupo de Pesquisa Indisciplinar atua na elaboração de cartografias do processo de neoliberalização e produção biopolítica atrelados à produção contemporânea do espaço urbano. O termo cartografia descreve a opção teórico-metodológica que pressupõe a não separação entre pesquisador e o objeto de pesquisa, e que identifica tanto os processos de investigação quanto as ações executadas. Neste contexto de intencional sobreposição entre teoria e prática, atores híbridos (pesquisadores, resistências, comunidades afetadas, entre outros) atuam em duas frentes de ação principal: (a) os processos destituintes contra o urbanismo neoliberal em suas múltiplas dimensões expropriadoras do patrimônio público; e (b) os processos constituintes/instituintes de novos espaços engendrados pela coletividade e autonomia cidadã em defesa do comum. Desde 2011, um conjunto de projetos vem sendo objeto de pesquisa-ação do Grupo Indisciplinar, entre outros: a Operação Urbana Consorciada Antônio Carlos/ Leste Oeste (OUC ACLO, antiga OUC Nova BH); a Operação Urbana do Izidoro; a criação e operação da empresa PBH Ativos S/A; e o acompanhamento da revisão do Plano Diretor. Resulta dessa prática um extenso material que poderia ser organizado a partir de cinco dimensões: (a) a espacial-territorial, composta por cartografias colaborativas e ferramentas de georreferenciamento e interação; (b) a temporal, por meio do levantamento, análise e representação da evolução dos fenômenos investigados; (c) a conceitual-informacional, utilizando produção colaborativa, processual e em rede do conhecimento como forma de desenvolvimento dos marcos teóricos que norteiam a pesquisa e armazenamento de bases de dados; (d) a comunicacional ou de criação de redes, a partir do uso tático das redes sociais e canais de comunicação de ampla utilização na internet; e (e) a de incidência política e formação, por meio de ações de rua como aulas públicas, formação popular e oficinas que trabalharem junto à população afetada, movimentos sociais parceiros e outras organizações e garantam a participação dos afetados nos projetos e, ainda, incidência junto aos órgãos de fiscalização e controle. Além de cumprir seu objetivo inicial ? imbricar teoria e prática nas frentes de ação definidas ? a cartografia dos projetos vem revelando sombreamentos e conexões entre conceitos, práticas, agentes, instituições e estratégias territoriais cujo aprofundamento e retroalimentação, através de temas transversais, passaram a constituir uma demanda necessária para continuidade, contextualização e eficácia dos trabalhos. Entre os temas transversais pode-se citar a hegemonia dos Projetos de Parceria Público-Privada, as inflexões no perfil de agentes investidores, o agravamento da assimetria de poder no campo da produção do espaço, as alterações na arquitetura institucional e na legislação urbana alinhada a interesses de agentes privados e ao empreendedorismo urbano, o abandono ou distorção de pautas da reforma urbana e função social da propriedade. O projeto de extensão BH S/A propõe, portanto, a necessária conexão entre frentes de atuação do Grupo Indisciplinar, sem, no entanto, perder o viés de extensão e os pressupostos da pesquisa-ação da prática de cartografia dos projetos. Para tal, além do aprofundamento conceitual, o projeto prevê que toda a produção de conhecimento seja voltada para subsidiar as ações em andamento, através, sobretudo, da produção e amplo acesso às informações, pautada na tradução da logotécnica especialista e contextualização de processos pontuais em relação a escalas ampliadas de produção do espaço urbano. A questão central do projeto BH S/A será, portanto, cartografar, em diferentes escalas, a dimensão social, econômica e territorial das frentes de neoliberalização do espaço urbano municipal estudadas..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / Thiago Canettieri - Integrante / Daniel Medeiro de Freitas - Coordenador.
2017 - Atual
Programa IndUrb
Descrição: O Programa IND.URB é uma proposta de programa de extensão vinculada ao Grupo de Pesquisa do CNPQ sediado na Escola de Arquitetura da UFMG denominado Indisciplinar (http://blog.indisciplinar.com) e visa desenvolver projetos de extensão associados à pesquisa, gerando tecnologia social e atuando em rede com diversos movimentos sociais e comunidades em estado de vulnerabilidade, com ênfase na dimensão urbana desses processos e seus efeitos sobre o planejamento, produção e gestão do espaço urbano. O programa resulta do desmembramento do programa extensionista IND.LAB ? Laboratório Nômade do Comum que, desde 2012, trabalha a investigação e mobilização social em diferentes frentes de ação, e cujo desenvolvimento demandou a reestruturação dos projetos de extensão do Grupo Indisciplinar em três programas de extensão: o Programa IND.LAB, o Programa IND.URB, e o Programa Natureza Política. Nesse novo arranjo, o Programa IND.URB. passa a abrigar dois projetos: o Projeto BH S/A, iniciado no segundo semestre de 2016, e o Projeto Plataforma do Urbanismo Biopolítico, iniciado em 2012. Alinhado aos demais programas extensionistas do Grupo Indisciplinar, o IND.URB. trabalha a partir de quatro dimensões principais: (a) a espacial-territorial, composta por cartografias colaborativas e ferramentas de georreferenciamento e interação; (b) a temporal, por meio do levantamento, análise e representação da evolução dos fenômenos investigados; (c) a conceitual-informacional, utilizando produção colaborativa, processual e em rede do conhecimento como forma de desenvolvimento dos marcos teóricos que norteiam a pesquisa e armazenamento de bases de dados; (d) a comunicacional ou de criação de redes, a partir do uso tático das redes sociais e canais de comunicação de ampla utilização na internet, aulas públicas, formação popular e oficinas..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / Thiago Canettieri - Integrante / lucca MEZZACAPPA - Integrante / Daniel Medeiro de Freitas - Coordenador.
2016 - Atual
Plataforma Urbanismo Biopolítico: uma cartografia das lutas e conflitos territoriais
Descrição: Projeto de extensão (n.402594) associado ao Programa de Extensão ?IndLab - Laboratório Nômade do Comum? com objetivo de produzir informação e dispositivos de ação relativos às lutas urbanas envolvendo 4 territórios e/ou temas urbanos fundamentais na produção do espaço em Belo Horizonte: Zona Cultural, Nova BH/ ACLO, PBH Ativos, Operação Urbana Isidoro..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / MARCELA SILVIANO - Integrante / Paulo Bernardo Vaz - Integrante / MAIA, Marcelo Reis - Integrante / Ana Isabel Anastasia de SÁ - Integrante / Júlia Ávila Franzoni - Integrante / André Victor Ramos - Integrante / Daniela Faria - Integrante / Felipe Soares - Integrante / Brenda de Castro - Integrante / Thiago Canettieri - Integrante / lucca MEZZACAPPA - Integrante / marilia PIMENTA - Integrante / Mariana BUBANTZ - Integrante.
2014 - 2015
Morar Indígena_Comunicação e Cultura
Descrição: O Programa Morar Indígena surge da parceria entre UFMG e Coahb e pretende promover um o elo de ligação entre a UFMG e a população de baixa-renda específica (indígena) através de ações envolvendo os modos de vida indígenas e protótipos de habitação indígena para todas as tribos homologadas do Estado de Minas Gerais. O resultado será uma formação acadêmica que dê relevância social às populações específicas possibilitando aos alunos o desenvolvimento de estágios mais complexos, aos nativos o respeito que tanto reivindicam e ao poder público a implantação de novas tecnologias desenvolvidas pelos acadêmicos. A população indígena mineira nunca recebeu uma ação totalmente voltada a eles principalmente na área habitacional (seja por parte do Governo ou da Academia). O mesmo se observa em âmbito nacional. A multi e interdisciplinaridade ocorrerá no momento em que estudantes e professores de diversas áreas de várias áreas estiverem atuando em sintonia no projeto. O Projeto Morar na Minas Indígena_cultura, comunicação e gestão pretende atuar dentro do Programa Morar na Minas Gerais, na elaboração de projetos de moradia que contemple as características sociais e culturais indicando o modelo de edificação e organização urbana mais apropriado para as 12 etnias distribuídas em 21 municípios. Além de respeitar a identidade de cada etnia, os nativos serão parte do projeto uma vez que participarão de todas as tomadas de decisões junto aos estudantes/orientadores e, ainda, serão capacitados pelos estudantes para a autoprodução tornando-se, posteriormente, em multiplicadores. No desenvolvimento dos projetos será considerada a ecotécnica visando à produção de moradias que proporcionem um ambiente agradável, com conforto técnico e ecologicamente correto utilizando-se o máximo possível de materiais encontrados nas próprias Reservas de forma a possibilitar uma construção sustentável economicamente, socialmente e ambientalmente. Estima-se a participação de estudantes de várias áreas do conhecimento uma vez que o conceito de "habitação" vai muito além da moradia propriamente dita. No caso deste projeto específico, além de acompanhamento de todo o processo de criação e desenvolvimento daos projetos de arquitetura auto-gestionados, irá auxiliar na elaboração gráfica de todo o processo, desenvolvimento de cartilhas, de material audio-visual para divulgação e para auxiliar na comunicação com as tribos/ aldeias e com os Municípios. Também irá produzir vídeos documentários, criar um blog/site georreferenciado, para que possa ser criada uma rede colaborativa e um meio no qual todas as informações envolvendo todos os projetos possam estar registradas, garantindo transparência do processo e também a geração de tecnologia social e possíveis re-aplicações das metodologias utilizadas. Este projeto também pretende auxiliar nos procedimentos de auto-gestão da construção da arquitetura e de todos os trabalhos de pesquisa e investigação envolvidos no programa como os ligados à espeleologia, arqueologia, farmácia, dentre outros. A ideia que é que esta equipe auxilie na produção gráfica em diversos níveis, desde produtos gráficos impressos como catálogos, flyers e cartazes, quanto produtos para mídias sociais..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Juliana Torres - Integrante / MAIA, Marcelo Reis - Integrante / Frederico CANUTO - Integrante.
2014 - 2015
Mapeando o Comum: Cartografia da Cultura Multitudinária
Descrição: Este projeto visa promover encontros, debates, reflexão, exposição e produção de obras artísticas, tendo como ponto de confluência o embate com o termo Multidão. Teve início no projeto Multitude que foi um acontecimento de arte contemporânea formado por encontros, debates, exposição, performances, apresentações cênicas e produção crítica, tendo como ponto de confluência o embate com o termo multidão. Partimos da observação de que nos últimos anos vêm surgindo uma série de obras e projetos que se relacionam com a ideia de multidão em vários aspectos, de forma mais conceitual ou como reflexo de um contexto específico. O projeto reuniu algumas dessas obras artísticas em torno de um recorte temático, pautado pela discussão do termo nos campos filosóficos, sociológicos e políticos, propondo incorporar práticas multitudinárias para a condução dos eventos, em uma abordagem tanto de forma quanto de conteúdo. Dentro deste projeto, iniciamos um trabalho com outro projeto internacional denominado Mapping the commons ou Mapeando o comum e já realizamos alguns workshops mapeando o comum nas cidades de Belo Horizonte e São Paulo. Ele faz parte de uma série de projetos que compõem as ações do Grupo de Pesquisa INDISCIPLINAR. Neste grupo, uma das linhas de pesquisa é "Cultura e Território: A cultura e seus diversos campos teóricos relacionando cultura e natureza, cultura e civilização, cultura erudita e cultura popular, a lógica cultural do capitalismo tardio, cultura na era do capitalismo cognitivo, cultura e mercado, cidades criativas, cultura e território, cultura e resistência positiva, cultura e biopolítica, ativismo cultural, artes e artesanias, tecnologia social, criação e resistência" e possui alguns projetos de pesquisa e extensão aprovados com bolsistas do Proex e do Prpq vinculados a esta pesquisa. Também aprovamos e estamos desenvolvendo uma pesquisa CNPQ/ MINC denominado "CARTOGRAFIAS EMERGENTES. A distribuição territorial da produção cultural em Belo Horizonte" e uma das etapas deste projeto é o desenvolvimentos do Mapeamento do Comum em Belo Horizonte e em São Paulo. O Mapeando o comum em BH aconteceu em partes em dois eventos, tanto no VAC 2013 dentro do projeto Cartografias Biopotentes, quanto no Cartografias do Comum que foi realizado junto do Espaço Tim do Conhecimento e além de mostra, exposição, tivemos um seminário Internacional denominado Multiplicidades..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / BERQUÓ, Paula Bruzzi - Integrante / Pablo de Soto - Integrante.
2014 - Atual
Programa IND.LAB
Descrição: O Programa IND.LAB é uma iniciativa vinculada ao Grupo de Pesquisa do CNPQ sediado na Escola de Arquitetura da UFMG denominado Indisciplinar (http://blog.indisciplinar.com) e desenvolve projetos de extensão associados à pesquisa gerando tecnologia social atuando em rede com diversos movimentos sociais. Os projetos extensionistas vinculados a este programa até o momento (agosto de 2017) eram: Cartografias Emergentes, Artesanias do Comum, Natureza Urbana, Compartilhamento e Distribuição do Comum, BH S/A. Um primeiro ciclo deste programa (2012, 2013, 2014) dedicou-se a trabalhar investigação e mobilização social para se opor a um grande projeto urbano viabilizado pelo instrumento urbanístico de Operação Urbana Consorciada ? inicialmente denominado Nova BH ? que configura, na verdade, uma extensa parceria público-privada. Ainda nesse primeiro ciclo, destaca-se a parceria entre o grupo Indisciplinar e o movimento Fica-Ficus, voltado a combater o extermínio de árvores centenárias em uma alameda tombada pelo patrimônio histórico e cultural na região central de Belo Horizonte, dando início ao envolvimento do grupo com as lutas pela Natureza Urbana. Neste primeiro momento, antes do surgimento do Programa INDLAB, estas ações citadas eram frentes de ação do Projeto Cartografias Emergentes que foi se desdobrando em outros projetos e que incitou à criação deste programa. O segundo ciclo (2015) de ações do Indisciplinar já possuía o programa INDLAB em ação com diversos projetos vinculados e envolveu a atuação do grupo em uma grande rede denominada Resiste Izidora. Ainda no ano de 2015, o grupo se envolveu mais profundamente em lutas ambientalistas ? dando continuidade à trajetória iniciada com o Fica-Fícus. O envolvimento mais direto aconteceu com o movimento pelo Parque Jardim América. Este processo de trabalho levou o grupo a auxiliar na criação de uma rede ampla de luta pelo verde urbano denominada Rede Verde. Além disto, atuou-se junto ao novo processo da PBH de construção de uma nova operação urbana para substituir a Nova BH denominada ACLO. Além destas frentes de ação, os projetos vinculados ao INDLAB também atuaram junto aos movimentos culturais e sociais do centro da cidade, participando do Conselho Municipal da Zona Cultural e iniciando outras frentes de ação junto a movimentos como Auditoria Cidadã da Dívida investigando a empresa PBH Ativos. Atualmente muitas Frentes de Ação que faziam parte deste programa estão migrando para outros dois programas criados: Programa IndUrb e Programa Natureza Política, redistribuindo assim melhor as atividades sob coordenações diferentes e agrupadas por temáticas mais próximas já que o grupo de pesquisa Indisciplinar vem ganhando dimensão com novos projetos, participação de novos professores e também de novos pesquisadores de mestrado e doutorado, além de múltiplos parceiros. O novo ciclo deste programa (de agosto de 2016 em diante inclui dois projetos antigos que ganharam novos nomes: Cartografias das Lutas (que era denominado por Mapeando o Comum) e Plataformas Tecnopolíticas (que era denominado Compartilhamento e Distribuição do Comum). A partir de agora, teremos também como atividades importantes do IndLab a inclusão do blog de opinião InDebate (http://indebate.indisciplinar.com/), a Revista Indisciplinar (http://blog.indisciplinar.com/sobre-a-revista/), o Ind_Cine e um conjunto de seminários e eventos. Os projetos Cartografias Emergentes, Artesanias do Comum, Natureza Urbana migraram para o programa denominado Natureza Política, e as frentes de ação Izidora, PBHAtivos, OUC Aclo, Santa Tereza migraram para o novo programa IndUrb e compõem o Plataforma Urbanismo Biopolítico. Os novos projetos vinculados a este programa também fazem parte das ações do INCT TECNOPOLÍTICAS: Territórios Urbanos e Redes Digitais aprovado em 2016..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Simone Tostes - Integrante / MARCELA SILVIANO - Integrante / TALITA LESSA - Integrante / MAIA, Marcelo Reis - Integrante / BERQUÓ, Paula Bruzzi - Integrante / FERRARI, Junia - Integrante / Ana Isabel Anastasia de SÁ - Integrante / marilia PIMENTA - Integrante / Daniel Medeiro de Freitas - Integrante / Maíra Ramirez Nobre - Integrante / Danilo Caporalli Barbosa - Integrante / luis henrique Marques - Integrante / Michele Brito - Integrante / patricia azevedo - Integrante.
2014 - Atual
Artesanias do comum
Descrição: Artesanias do Comum é um projeto extensionista que pertence ao Programa IND.LAB_Laboratório Nômade do Comum, e possui ações que trabalham processos artesanais, acreditando que a autogestão dos espaços e de diversas ações colaborativas podem ser desenvolvidas dentro de uma lógica tática de confecção dos próprios utilitários, mobiliário, e arquitetura. A ênfase nas artesanias também pressupões o uso de materiais recicláveis e reutilizados e a produção coletiva dos espaços. O projeto Artesanias do Comum pretende montar 3 laboratórios de confecção artesanal no Espaço Comum Luiz Estrela, que é uma ocupação cultural que adquiriu concessão de uso de um casarão (da década de 20) durante 20 anos. Como atividade principal deste projeto, pretende-se construir mobiliário e coleções de produtos artesanais para serem comercializados dentro dos preceitos da economia solidária. Este projeto faz parte do grupo INDISCIPLINAR, que é um Grupo de Pesquisa do CNPQ sediado na Escola de Arquitetura da UFMG..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / MARCELA SILVIANO - Integrante / TALITA LESSA - Integrante / FERRARI, Junia - Integrante / Luiza Magalhães - Integrante.
2014 - Atual
Cartografia das Lutas
Descrição: Este projeto visa promover mapas, plataformas, encontros, debates, reflexão, exposição, tendo como ponto de confluência as lutas territoriais. As atividades deste projeto início com as atividades junto ao projeto "Multitude" que foi um acontecimento de arte contemporânea realizado no SESC Pompeia em SP em 2014 e que foi formado por encontros, debates, exposição, performances, apresentações cênicas e produção crítica, tendo como ponto de confluência o embate com o termo multidão, no qual participamos de workshops e exposição envolvendo o projeto Mapping The Commons que é um projeto internacional junto ao qual já realizamos alguns workshops em Belo Horizonte e São Paulo. Partimos da observação de que nos últimos anos vêm surgindo uma série de obras e projetos que se relacionam com a produção dos commons urbanos em vários aspectos, de forma mais conceitual ou como reflexo de um contexto específico. O projeto vem reunindo cartografia da produção tanto de obras artísticas quanto de movimentos sociais militantes e ativistas em torno de um recorte temático, pautado pela discussão dos termos multidão e produção do comum nos campos filosóficos, sociológicos e políticos, propondo incorporar práticas multitudinárias para a condução dos eventos, em uma abordagem tanto de forma quanto de conteúdo. Este projeto faz parte de uma série de projetos que compõem as ações do Grupo de Pesquisa INDISCIPLINAR e vem se redesenhando de acordo com os acontecimentos envolvendo as lutas urbanas nos últimos anos. Além do Mapping The Commons, já desenvolvemos também os eventos: "Cartografias Biopotentes" no VAC de 2014 (http://blog.indisciplinar.com/eventos-2014/cartografias-biopotentes-verao-arte-contemporanea-2014/) com workshops e palestras; "Cartografia do Comum" (http://blog.indisciplinar.com/eventos-2014/cartografias-do-comum/) no espaço do Conhecimento da UFMG em 2014; "Tecnopolíticas do Comum" no Cidade Eletronika em 2015, além de termos iniciado o trabalho de investigação e atuação junto às lutas urbanas no evento artístico "Ativismo Urbano" em 2012 (http://blog.indisciplinar.com/cidade-eletronika-2012-origem-do-indisciplinar/) que deu origem ao Grupo de Pesquisa Indisciplinar. Outra atividade importante realizada no contexto deste projeto foi o Seminário Internacional denominado "Multiplicidades" (http://blog.indisciplinar.com/847/) em 2014, através do qual desenhamos o projeto para o nosso atual INCT denominado "Tecnopolíticas: territórios urbanos e redes digitais". Também vinculada a este projeto de extensão, realizamos um projeto de pesquisa do CNPQ/ MINC denominado "CARTOGRAFIAS EMERGENTES. A distribuição territorial da produção cultural em Belo Horizonte" que teve interface direta com o desenvolvimentos do Mapeamento do Comum em Belo Horizonte e em São Paulo. Este projeto gerou uma série de interfaces com disciplinas e outros grupos de pesquisa e coletivos de arte e partiu do princípio de que a cultura também está relacionada a seus diversos campos teóricos imbricando cultura e natureza, cultura e civilização, cultura erudita e cultura popular, a lógica cultural do capitalismo tardio, cultura na era do capitalismo cognitivo, cultura e mercado, cidades criativas, cultura e território, cultura e resistência positiva, cultura e biopolítica, ativismo cultural, artes e artesanias, tecnologia social, criação e resistência. Muitas ações foram realizadas junto a outros projetos de pesquisa e extensão aprovados com bolsistas do Proex e do Prpq como o Cartografias Emergentes. O mapa colaborativo está aberto à novos relatos: https://culturabh.crowdmap.com/main e o resultado final da pesquisa: https://drive.google.com/?/0B7X1-JNexXRaU3pJOVdaRUhLR0U/view Inicia-se um novo ciclo deste projeto de extensão envolvendo diretamente a Cartografia das Lutas Territoriais que também é realizado com o LabCidade/ USP via o projeto de pesquisa Territórios Populares..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / Ana Isabel Anastasia de SÁ - Integrante / Marcela Silviano Brandão - Coordenador / marilia PIMENTA - Integrante / BERNARDO NEVES - Integrante / Maíra Ramirez Nobre - Integrante / luis henrique Marques - Integrante / patricia azevedo - Integrante.
2014 - Atual
Plataformas Tecnopolíticas
Descrição: Entende-se TECNOPOLÍTICAS, registro n. 402311 no Siex, como desenvolvimento colaborativo de tecnologia social aberta e reaplicável, baseando-se em iniciativas como o movimento open source (software livre) ou peer to peer (entre pares) que promovem o livre compartilhamento de conhecimento a partir de novos modelos de licenciamento de conteúdo. Deste modo, esta ação de extensão do IndLab, estará focada na experimentação e aplicação prática de plataformas de tecnologias digitais de comunicação. "Plataformas Tecnopolíticas" é uma ação de extensão iniciada em 2015, que até então, era conhecida pelo título ?Compartilhamento e Distribuição do Comum?. Desde seu início, esta ação de extensão associada à pesquisa e ao ensino vem convergindo tecnologias digitais de comunicação em rede e ações diretas com a sociedade feitas pelo Indisciplinar, potencializando redes, compartilhando e distribuindo dados de interesse público e criando juntamente com o grupo uma metodologia de trabalho própria. Esta ação tem pesquisado, experimentado e capacitado alunos, professores e parceiros do Indisciplinar em plataformas e dispositivos de rede. Atua também como suporte técnico de todos os projeto de extensão do Indisciplinar sendo responsável pela configuração, registro e hospedagem dos conteúdos online tais como webpages, blogs, mapas colaborativos, wikis, banco de dados e desenvolvimento de aplicativos. Atualmente esta ação administra 4 domínios na internet: indisciplinar.com, indlab.net, tecnopoliticas.net, urbanismo.wiki e zonaculturalbh.org que juntos suportam 7 plataformas wiki e 21 blogs, além das plataformas de mapeamento colaborativo e banco de dados. A primeira plataforma desenvolvida por este projeto foi o O EmBreveAqui (EBA) http://embreveaqui.indisciplinar.com. O EBA buscou identificar vazios (lotes, terrenos, áreas residuais de infraestrutura urbana, imóveis desocupados, etc.) e ocupá-los com idéias. Esta base operacional conectou disciplinas de graduação da UFMG e de outras instituições, recebendo propostas que ocupam estes espaços não apenas com projetos arquitetônicos, urbanísticos e paisagísticos, mas potencialmente, com desenhos de políticas públicas, sociais e culturais. O EBA promoveu seminários e aulas. Juntamente com as disciplinas URB048 e URB053, desenvolveu uma metodologia própria utilizando a plataforma wiki e a plataforma de mapeamento colaborativo, construindo um banco de dados juntamente com as turmas seguido de análise e visualização de dados. A Rede Verde e posteriormente a ação de extensão Natureza Urbana, surgiram também da experimentação de metodologias de articulação em plataformas tecnopolíticas. Esta ação de extensão está vinculada ao INCT Tecnopolíticas: territórios urbanos e redes digitais (https://goo.gl/3MVyJN), uma rede de pesquisa psra investigar a aplicação das tecnologias digitais de comunicação aos processos de produção do espaço urbano. Este instituto pretende produzir conhecimento e explorar tecnologias que promovam a interseção entre as redes digitais e as dinâmicas espaciais urbanas. Recentemente esta frente de ação tem desenvolvido a plataforma IndAtlas, em parceria com uma das frentes do projeto de extensão Plataforma Urbanismo Biopolítico: uma cartografia das lutas e conflitos territoriais. Esse trabalho vem sendo desenvolvido em parceria com o Laboratório de Georreferenciamento ? LABGEO da UFMG Além da parceria com o LabGeo, estamos negociando uma nova parceria com o laboratório LabCS+X (Laboratório de Computação Interdisciplinar do DCC/UFMG, coordenado pelo Professor Dr. Clodoveu Augusto Davis Junior, para o desenvolvimento da interface e programação. Teremos também como atividades importantes nesta ação de extensão o blog de opinião InDebate (http://indebate.indisciplinar.com/), a Revista Indisciplinar (http://blog.indisciplinar.com/sobre-a-revista/), o Ind_Cine e um conjunto de seminários e eventos..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / MAIA, Marcelo Reis - Coordenador / Ana Isabel Anastasia de SÁ - Integrante / Jessica Borges - Integrante / Michele Brito - Integrante.
2013 - Atual
Cartografias Emergentes
Descrição: Projeto - 401860 - Cartografias Emergentes O projeto de exztensão Cartografias Emergentes foi o primeiro projeto extensionista desenvolvido do grupo de pesquisa Indisciplinar e vem funcionando como uma incubadora de novos projetos de pesquisa e de extensão. O Cartografias Emergentes esteve diretamente vinculado ao Programa ?INDLAB ? Laboratório Nômade do Comum? até o agosto de 2017 buscando investigar a cidade e atuando em rede com diversos movimentos sociais que disputam territórios com o Estado-capital. Entrando em um novo ciclo, este projeto agora será vinculado ao novo Programa Natureza Política, ampliando a participação nas Lutas Territoriais para outras escalas. Já foram Frentes de Ação deste projeto diversos processos envolvendo disputas territoriais em Belo Horizonte como: Fica Ficus, Parque Jardim América, Resiste Izidora, Corredor Cultural/ Zona Cultural, Operação Urbana Nova BH/ ACLO, Vila Dias/ Santa Tereza, dentre outras. Entendemos que este projeto funciona como uma incubadora dos projetos de extensão vinculados ao grupo de pesquisa Indisciplinar, que vão se desdobrando em outros projetos, se ampliando e consequentemente gerando novos programas. Em novo ciclo, este projeto possui algumas Frentes de Ação como: Cartografias do Rio Doce (junto com Indisciplinar UFOP), Feminismos e Parque JÁ. Todas estas FAs estão diretamente relacionadas a projetos de mestrado e doutorado dos pesquisadores vinculados ao grupo. Em especial a frente de ação Cartografias do Rio Doce constitui-se na investigação das práticas empresariais de aprofundamento do desastre-crime desencadeado pelo rompimento da barragem da Samarco/Vale/BHP Billiton, em Mariana-MG. Ressalta-se neste contexto que é perceptível a configuração de um campo assimétrico de forças, que permite a influência dos discursos dominantes sobre a percepção dos acontecimentos e principalmente, propiciam o domínio empresarial sobre os encaminhamentos institucionais. Tal pesquisa visa desarticular as estratégias coorporativas de controle territorial e ainda, dar a ver discursos e movimentos invisibilizados, constituindo-se uma atuação contra-hegemônica. Esta FA atua junto ao MAB - Movimento dos Atingidos por Barragens, dentre outros. Todas as frentes de ação do grupo de pesquisa Indisciplinar são desenvolvidas através de dispositivos tecnopolíticos que envolvem: pesquisas teóricas e conceituais; participação em reuniões e atos junto aos movimentos sociais, culturais e ambientais; participação em atividades políticas como audiências públicas e reuniões de conselhos municipais e estaduais; organização tecnopolítica dos movimentos parceiros realizando colaborativamente e em rede fanpages, blogs, cartilhas, flyers, documentários, infográficos, revistas, livros jornais; produção e participação em eventos artísticos, políticos e culturais como o VAC, Cidade Eletronika, dentre outros; representações em Ministério Público; representação em Conselho Municipal; produção de cartografias e mapas colaborativos; formação de rede entre grupos de pesquisa e também entre movimentos sociais; aulas públicas; seminários, workshops e outros eventos acadêmicos abertos; pesquisas de graduação, pós-graduação (mestrado, doutorado e pós-doutorado); artigos científicos em revistas indexadas e também edita uma revista Indexada denominada Indisciplinar. Atualmente o grupo desenvolve parcerias com diversos grupos e instituições de pesquisa. Utiliza-se o método cartográfico que envolve uma série de dispositivos tecnopolíticos ampliando a investigação-participante em diversas direções incorporando investigadores de diversas áreas para atuar em processos que envolvem fortemente, para além da arquitetura e do urbanismo, o direito e a comunicação. Além da atuação de mobilização dos movimentos sociais para compor redes de atuação social-política-técnica-jurídica. http://cartografiasdoriodoce.indisciplinar.
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (4) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Simone Tostes - Integrante / MARCELA SILVIANO - Integrante / TALITA LESSA - Integrante / BERQUÓ, Paula Bruzzi - Integrante / MAIA, Marcelo Reis - Integrante / Ana Isabel Anastasia de SÁ - Integrante / Rodrigo Bastos - Integrante / David Narvaez - Integrante / Júlia Ávila Franzoni - Integrante / Anne Elly Pereira Fonseca - Integrante / Marilia Pimenta Chaves - Integrante / Paula de Moreira Guimaraes - Integrante.
2011 - 2015
GRÁF.CA_ Núcleo de produção gráfica do DESEJA.CA
Descrição: Projeto - 401261 - Este projeto de extensão desenvolve material gráfico e didático em geral, para todo o Programa DESEJA.CA - DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E EMPREENDEDORISMO SOCIAL NO JARDIM CANADÁ, ou seja, identidade visual, material didático, site, flyers de divulgação, apostilas, etc. O DESEJA.CA visa a melhoria da qualidade de vida e a diminuição da pobreza no bairro Jardim Canadá - Região Metropolitana de Belo Horizonte, através de ações de extensão iniciadas pela Escola de Arquitetura da UFMG .O programa propõe a inserção de um grupo de beneficiários em processos de empreendedorismo social, visando à inclusão produtiva via economia criativa e solidária. Visando atender o maior número de participantes nas oficinas ofertadas pelo programa, mesmo aqueles que possuem pouca ou nenhuma formação em leitura (analfabetos), a proposta deste trabalho é gerar uma apostila didática que use linguagem visual como forma de comunicação do conteúdo específico, como marcenaria, tecelagem e estamparia criando suporte para as oficinas integradas entre si de marcenaria (Projeto MAR.CA), de tecelagem (Projeto TE.CA) e de estamparia (Projeto ESTAM.CA), voltadas para a criação e produção de produtos manufaturados com resíduos coletados no bairro. Com a participação da comunidade na concepção e na produção do material didático, espera-se um resultado final com maior grau de adequação às necessidades dos beneficiários..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / Juliana Torres - Integrante / Alexandre Menezes - Coordenador.
2011 - 2015
TE.CA _ OFICINAS DE TECELAGEM NO JARDIM CANADÁ
Descrição: Projeto - 401260 - TE.CA _ OFICINAS DE TECELAGEM NO JARDIM CANADÁ.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Juliana Torres - Integrante.
2011 - 2015
Programa DESEJACA_ DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E EMPREENDEDORISMO SOCIAL NO JARDIM CANADÁ
Descrição: DESEJA.CA-programa extensionista no bairro Jardim Canadá-localidade estratégica da RMBH,que nasceu da pareceria entre Escola de Arquitetura da UFMG e JA.CA,com objetivo de melhorar a qualidade de vida dos moradores do bairro e diminuir a pobreza local.A intenção do programa é atuar junto ao desenvolvimento local através de ações de extensão,pesquisa e ensino,eventos culturais,em parcerias com empresas,estado,associações e instituições culturais.A estratégia central do programa reside na inserção de um grupo de beneficiários em processos de empreendedorismo social em núcleos de produção de artesanato e design,visando à inclusão produtiva via economia criativa e solidária.Engloba quatro projetos principais:MAR.CA-oficina de marcenaria;TE.CA-Oficina de tecelagem;ESTAM.CA-oficina de estamparia;GRAF.CA-oficina de produção gráfica.Estas oficinas são voltadas para a criação e produção de produtos manufaturados com resíduos coletados no bairro.Espera-se articular estes grupos produtivos com o mercado consumidor de objetos com alto valor agregado devido às características identitárias que estarão presente nos produtos,resultado de uma metodologia de criação voltada para a valorização das singularidades da cultura local.Pretende-se também produzir,a partir das produções nas oficinas,intervenções urbanas e arquitetônicas que melhorem a qualidade dos espaços cotidianos da comunidade.Além desses projetos,o programa engloba uma disciplina na graduação,duas pesquisas e prevê para a realização de seminário internacional e publicação de um livro indexado..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (32) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Juliana Torres - Integrante / Alexandre Menezes - Integrante / MARCELA SILVIANO - Integrante / TOSTES, Simone - Integrante.
2011 - 2015
ESTAM.CA _ Oficinas de Estamparia no Jardim Canadá
Descrição: Projeto - 401259 - ESTAM.CA _ Oficinas de Estamparia no Jardim Canadá Este Projeto vincula-se ao Programa DESEJA.CA - DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E EMPREENDEDORISMO SOCIAL NO JARDIM CANADÁ. Em sintonia com o Programa, pretende-se a consolidação de ações de extensão, iniciadas pela Escola de Arquitetura da UFMG no bairro Jardim Canadá - Região Metropolitana de Belo Horizonte - visando à melhoria da qualidade de vida e à diminuição da pobreza local. Propõe-se a inserção de um grupo de beneficiários em processos de empreendedorismo social, visando à inclusão produtiva via economia criativa e solidária através da realização de atividades ligadas à estamparia em tecidos, madeira e papel, em técnicas simples que permitem um rápido aprendizado e a utilização de matéria-prima diversificada, advinda, inclusive, de diversos tipos de resíduos sólidos. Este Projeto ESTAM.CA estará vinculado a outros projetos pertencentes ao Programa DESEJA.CA e pretende gerar capacitação em artesanato e design com foco na geração de renda, através da capacitação de um grupo aproximado de 15 beneficiários (que se tornarão agentes multiplicadores do conhecimento adquirido)..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / Juliana Torres - Coordenador.
2011 - 2015
MAR.CA_DESIGN COM MADEIRA RECICLADA
Descrição: Projeto - 400772 - MAR.CA_DESIGN COM MADEIRA RECICLADA _ Este projeto iniciou-se em 2011 constituindo-se um primeiro passo para a implantação de um programa de extensão da Escola de Arquitetura, visando à melhoria da qualidade de vida no bairro Jardim Canadá, Nova Lima, MG e a diminuição da pobreza local. Com o MAR.CA, iniciou-se um conjunto de intervenções junto à sua comunidade que, em 2012, ampliou com a consolidação do projeto, articulando-o a outros projetos de extensão TE.CA, ESTAM.CA e GRAF.CA, todos vinculados a um Programa DESEJA.CA e à pesquisa financiada pela Fapemig, que visa à fundamentar essas ações de extensão. O MAR.CA, bem como os outros projetos, fundamenta as ações de extensão sob dois eixos: da geração de renda, através da capacitação e qualificação profissional de um grupo de beneficiários diretos para sua inserção em processos de empreendedorismo social, visando à inclusão produtiva via economia criativa e solidária; e das intervenções arquitetônicas e urbanas que melhorem a qualidade dos espaços cotidianos da comunidade. A estratégia que articula esses eixos no MAR.CA é a da implantação de uma marcenaria voltada para o design de produtos inventivos (objetos, mobiliário e material para construção civil) com resíduos de madeira presentes no lixo da região. Espera-se que os produtos sejam comercializados em mercados de alto padrão, devido ao valor agregado de design, ao mesmo tempo em que possam se direcionar para intervenções nos espaços comuns e habitações locais. Pretende-se promover uma nova linguagem que valorize o produto e insira a identidade local, gerando produtos com fortes características do lugar e da comunidade envolvida O projeto é desenvolvido em parceria com o Centro de Arte e Tecnologia Ja.Ca, articulando as áreas de competência da Escola de Arquitetura ? design, arquitetura e urbanismo ? e introduzindo metodologia do premiado projeto de extensão ASAS, coordenado pela Profa. Natacha (coordenadora do DESEJA.CA), na Universidade FUMEC. Integra o projeto, uma equipe de professores da EA-UFMG, participantes não bolsistas, bolsistas e parceiros voluntários externos à UFMG. Os bolsistas de extensão atuam diretamente nos processos de capacitação de pessoas da comunidade. Para envolvimento de alunos da Escola de Arquitetura e de outras áreas da UFMG é ofertada a disciplina UNI009 ? Oficina Multidisciplinar: Projetos Socioambientais. O Jardim Canadá situa-se distante da sede do município e está ilhado entre as margens de um parque natural, uma mineração, condomínios de luxo e uma importante rodovia federal. A relação entre esses vizinhos imediatos e a própria identidade árida de uma comunidade formada por imigrantes recentes se explicita em paradoxos recorrentes de pobreza e periferia. Com uma localização estratégia na região metropolitana, surgem residências de alta renda, consolida-se um polo de serviços e de comércio, em atendimento às demandas cotidianas do eixo sul de expansão residencial, e cresce a implantação de empresas e pequenas indústrias do setor da construção civil e moveleira. Ao lado deste cenário, mantêm-se bolsões de pobreza, revelados pelos índices locais. Segundo dados do IBGE de 2000, o Jardim Canadá possuía 1.049 domicílios e 4.200 habitantes. Hoje estima-se que este número esteja em torno de 7.400. Cerca de 65% das 1322 famílias residentes no bairro recebem menos de 3 salários mínimos, a maioria com renda per capta entre R$127,50 à R$255,00; destas famílias, 502 estão cadastradas em programas governamentais de complementação de renda, mas apenas 375 recebem auxílio de programas como Vida Nova e Bolsa Família. Desta população, a maioria está desempregada, realizando pequenos serviços para sobrevivência e mantém-se no bairro com dificuldade, devido à escassez de oferta de habitação de baixo custo na região e ao alto preço dos aluguéis cobrados nos cortiços..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Integrante / Juliana Torres - Coordenador.
2011 - 2012
asas_AGLOMERADAS
Descrição: O asas_ AGLOMERADAS começou suas atividades em 2007 e desde então tem desenvolvido processos continuados de capacitação criativa e produtiva em design e artesanato no Aglomerado da Serra. Atualmente o grupo de artesãos busca se consolidar como um núcleo produtivo estruturado e, começando a firmar sua marca no mercado de design socioambiental, necessita, neste momento, de um acompanhamento em relação à gestão e à formalização seus processos produtivos e criativos. Este projeto se propõe a suprir tais demandas, assim como ampliar o alcance do projeto, suas parcerias e fontes de financiamento das ações. Por meio de oficinas focadas nos processos já desenvolvidos pelo grupo (estamparia, encadernação, bordado e costura), pretende-se consolidar a metodologiaem forma de uma tecnologia social reaplicável. Também faz parte do escopo deste projeto promover ações de integração do AGLOMERADAS com outros grupos como o BAMBU e o MODALAGE, visando a formação de uma rede produtiva no Aglomerado da Serra..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador.
2011 - 2012
asas_MODALAJE
Descrição: O asas_ MODALAJE consiste no desenvolvimento um plano de capacitação que vise a consolidação de um núcleo produtivo de costura e bordado experimentais e pesquisa e produção de moda no Aglomerado da Serra. Este projeto pretende realizar atividades de capacitação voltadas para o empoderamento criativo e técnico de seus beneficiários, assim como oficinas que visem o estabelecimento de um processo integrado e sustentável de planejamento, autogestão e produção de objetos com alto valor agregado. Em parceria com a Associação de Moradores da Vila Cafezal, o projeto em execução desde 2010 estrutura suas ações visando a formação de multiplicadores em uma rede produtiva no Aglomerado, em conjunto com os grupos Aglomeradas e Bambu..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador.
2010 - 2011
NUMAS
Descrição: O NUMAS hoje se inclui na Rede produtiva ASAS e é um projeto de capacitaçào em artesanato e design que atua com um núcleo chamado atualmente de ASAS_Meninas do Cafezal. O mais recente projeto do ASAS iniciou suas atividades em Agosto de 2010 contendo: um núcleo de costura e modelagem experimental e outro de produção de moda e formação de modelos. O núcleo de costura conta com oficinas de bordados, desconstrução de roupas, modelagem experimental, reaproveitamento têxtil, moulage criativa, patchwork, planejamento e desenvolvimento de coleção. Os beneficiários deste projeto são costureiras da associação já existente chamada Meninas do Cafezal. O outro núcleo visa a formação de modelos para passarela e editoriais com oficinas de desfile, maquiagem, postura, consultoria de imagem, fotografia de moda comercial e conceitual, bem como a capacitação de produtores de moda que possam trabalhar desde à edição dos desfiles até atividades ligadas ao styling de coleções e editoriais..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Bruno Oliveira - Integrante.
2007 - 2012
Programa ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra
Descrição: O ASAS é uma atividade extensionissta iniciada em 2007, que teve início como um projeto isolado de capacitação em artesanato e design e hoje se tornou uma rede produtiva através de três projetos de extensão em andamento: ASAS_Aglomeradas, ASAS_Meninas do Cafezal (ambos coordenados pela professora Natacha Rena e pelo técnico Bruno Oliveira) e ASAS_Bambu (coordenado pelo professor Flávio Negrão). Estes projetos são desenvolvidos paralelamente e procuram elaborar processos de produção complementares visando constituir e fortalecer uma rede produtiva. Busca-se o desenvolvimento de projetos com o objetivo de consolidar tecnologias sociais reaplicáveis. Pretende-se realizar capacitações com intuito de geração de renda e que resultem na produção de objetos com alto valor agregado, que transitam entre o design contemporâneo e o artesanato urbano. Todas as ações do ASAS são focadas no empoderamento de seus beneficiários e pretendem estabelecer processos colaborativos tanto de criação quanto de autogestão. Faz parte também dos objetivos do ASAS, o empoderamento dos alunos, que participam ativamente de todo o processo desde a sua concepção, passando pelo desenvolvimento e planejamento das atividades, até a realização das oficinas como oficineiros. Os atuais parceiros do projeto são: Fica Vivo, BH cidadania, Escola Municipal PE. Guilherme Peters, Loja Grampo, Quina Galeria, Raiz da Terra; ACES..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / Bruno Oliveira - Integrante.


Projetos de desenvolvimento


2016 - Atual
INCT - Tecnopolíticas: territórios Urbanos e Redes Digitais
Descrição: INCT Tecnopolíticas: territórios Urbanos e Redes Digitais é uma rede de pesquisa de alto impacto científico e social dedicada a investigar a aplicação de tecnologias digitais de comunicação aos processos de produção do espaço urbano. Além disso, nosso interesse é fortalecer uma rede ibero-americana com ênfase na América Latina. Nesse sentido, a rede conta majoritariamente com investigadores iberoamericanos. Este projeto mescla áreas de conhecimento à princípio distintas como a Comunicação e o Urbanismo, e por isso temos uma coordenação que vem da Arquitetura e do Urbanismo via professora da EA/UFMG Natacha Rena, que é líder do grupo de pesquisa Indisciplinar e com uma vice-coordenação da professora Fernanda Bruno da Escola de Comunicação da UFRJ, que por sua vez é coordenadora do MediaLab RJ. Participam da rede diversos grupos de pesquisa nacionais e internacionais ( Universidades Brasileiras: BH/ Minas: UFMG (Grupo Insdiciplinar, Praxis e LabGEO), PUC-MG (Comunicação e Redes Hipermidiáticas); UFOP (Opacidades: o urbano e a cosntrução do comum); São Paulo: USP, UFABC ; FAAP; Rio de Janeiro: UFRJ (Medialab, Cidade, habitação e educação); UFF; Vitória/ES: UFES (LABIC, Laboratório de Planejamento e Projetos); UNILA. Parceiros Internacionais: Internet Interdisciplinary Institute (IN3) - Universitat Oberta de Catalunya (UOC): Manuel Castells, Javier Toret Medina; Arnau Monterde, Antonio Calleja López, Eunate Serrano Casado; Peer to Peer Foundation: Michel Bawens (fundador) e Janice Figueiredo; Departamento de Sociologia de La Universidad Nacional de Colombia: Victor Manuel Gómez Campo (diretor); Pontifícia Universidad Javeriana de Bogotá: Carlos Hernandez Correa (diretor PEI ? Programa Internacional de La Facultad de Drquitectura y Diseño), Daniel Huertas Nadal (Docente e pesquisador do projeto Nuevos Territorios); Estudio SPN Madrid: Juana Canet, Rut Cuenca y Elena Gómez; Urbano Humano Agency - Domenico Di Siena; Colegio de México (Colmex) - Jaime Erazo Espinosa; Pontificia Universidad Católica del Ecuador: Santiago del Hierro professor e coordenador da pos-graduação em desenho urbano; Pontificia Universidad Católica del Ecuador: Gary Leggett (facultad de arquitectura y urbanismo); Lancaster Institute for the Contemporary Arts of Lancaster University Professor Nick Dunn). Link para o detalhamento da proposta do INCT: http://tecnopoliticas.net/index.php?title=P%C3%A1gina_principal.
Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (23) / Especialização: (4) / Mestrado acadêmico: (10) / Doutorado: (15) .

Integrantes: Natacha Silva Araújo Rena - Coordenador / TALITA LESSA - Integrante / MAIA, Marcelo Reis - Integrante / Ana Isabel Anastasia de SÁ - Integrante / Janaína Marx - Integrante.


Membro de corpo editorial


2018 - Atual
Periódico: INTERFACES - REVISTA DE EXTENSÃO DA UFMG
2016 - Atual
Periódico: Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades
2015 - Atual
Periódico: Indisciplinar
2014 - 2015
Periódico: Lugar Comum (UFRJ)
2014 - Atual
Periódico: Cadernos de Arquitetura e Urbanismo da PUC Minas
2002 - 2004
Periódico: Revista AR
1998 - 2002
Periódico: FLUXO


Membro de comitê de assessoramento


2012 - Atual
Agência de fomento: UFMG


Revisor de periódico


2014 - Atual
Periódico: Cadernos de Arquitetura e Urbanismo
2016 - Atual
Periódico: Revista Indisciplinar
2018 - Atual
Periódico: INTERFACES - REVISTA DE EXTENSÃO DA UFMG


Revisor de projeto de fomento


2015 - Atual
Agência de fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Arquitetura e Urbanismo / Subárea: Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo.
2.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Arquitetura e Urbanismo.
3.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Arquitetura e Urbanismo / Subárea: Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo/Especialidade: Ensino de Arquitetura.
4.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Arquitetura e Urbanismo / Subárea: Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo/Especialidade: Teoria da Arquitetura.
5.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Desenho Industrial / Subárea: Design.
6.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Fundamentos e Crítica das Artes.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2012
Primeiro Lugar _ Professora Orientadora _ Prêmio Talento Criativo Morar Mais, Morar mais por menos.
2012
Patronesse da Turma de Arquitetura e Urbanismo da FUMEC _ Primeiro Semestre de 2012, FUMEC.
2012
Finalista como coordenadora do Programa Deseja.ca no Terceiro Prêmio do Objeto Brasileiro, A CASA museu do objeto brasileiro.
2012
Finalista como coordenadora do Programa ASAS Terceiro Prêmio do Objeto Brasileiro, A CASA museu do objeto brasileiro.
2011
Primeiro lugar nacional do Prêmio Top Educacional Professor Mário Palmério 2010 com o Projeto ASAS_ Rede Produtiva no Aglomerado da Serra, ABMES_ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS MANTENEDORAS DE ENSINO SUPERIOR.
2011
Primeiro lugar no Prêmio CIDADANIA SEM FRONTEIRA na categoria Trabalho e Produção com o Programa ASAS, Ministério da Ciência e Tecnologia em Primeiro.
2011
Professora Homenageada do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade FUMEC, Universidade FUMEC.
2010
Primeiro lugar nacional no Segundo Prêmio Objeto Brasileiro com o Projeto ASAS_ na categoria ação socioambiental _coleção Natureza na Favela, museu A CASA.
2010
Finalista com o Projeto de extensão ASAS no Prêmio Planeta Casa, Editora Abril e Revista Casa Cláudia.
2010
ÓPERA PRIMA _ Primeiro lugar nacional na categoria PVC, Brasken e revista Projeto.
2010
Patronesse, Curso de Arquitetura e Urbanismo da FUMEC.
2010
Professora homenageada, Curso de Design de Interiores da FUMEC.
2010
Prêmio no Concurso de Projetos de Extensão Nacional UNISOL/SANTANDER com o Projeto Rede de produção artesanal no Aglomerado da Serra em 2007 e em 2010, UNISOL/ SANTANDER.
2009
Professora homenageada, Curso de Arquitetura e Urbanismo da FUMEC.
2009
Patronesse, Curso de Arquitetura e Urbanismo FUMEC.
2008
Patronesse dos formando em Arquitetura e Urbanismo da FUMEC_ turma 2008, FUMEC.
2008
Professora Homenageada do curso de Arquitetura e Urbanismo, FUMEC.
2008
Menção honrosa prêmio Objeto Brasileiro_Categoria Ação Sócio-ambiental, A CASA nuseu do objeto brasileiro.
2008
ÓPERA PRIMA _ Primeiro lugar nacional orientação de TFG _ Prêmio BRASKEN, BRASKEm e ÓPERA PRIMA.
2008
22 PRÊMIO MUSEU DA CASA BRASILEIRA_CATEGORIA TRABALHOS ESCRITOS NO LIVRO, MUSEU DA CASA BRASILEIRA.
2008
Luminária Tetra selecionada para exposição no Primeiro Prêmio OBJETO BRASILEIRO_Categoria Objeto Autoral, A CASA museu do objeto brasileiro.
2008
Finalista do concurso Planeta Casa em 2008 com as Luminárias Tetra, Casa Cláudia.
2008
Concuros Unisol/ Banco Real com o Projeto ASAS, Unisol/ Banco Real.
2007
Patronesse dos formandos de Arquitetura e Urbanismo do primeiro semestre de 2007, FUMEC.
2007
Paraninfa da Turma de Arquitetura e Urbanismo do segundo semestre de 2007, FUMEC.
2007
EXPOSIÇÃO MELHORES PRODUTOS_Tapete Coleção Patchwork, MUSEU DA CASA BRASILEIRA.
2007
Menção honrosa Catálogo SEMPRE SAVASSI, Museu da Casa Brasileira.
2006
Paraninfa da Turma de Arquitetura e Urbanismo do segundo semestre de 2006, FUMEC.
2006
Professora Homenageada da turma de formandos em Arquitetura e Urbanismo, FUMEC.
2005
Professora homenageada do curso de Design, FUMEC.
2005
Patronesse da turma de Arquitetura e Urbanismo no segundo semestre de 2005, Unileste MG.
2004
Professora homenageada da turma de Arquitetura e Urbanismo, FUMEC.
2002
Patronesse da Turma de Arquitetura e Urbanismo, FUMEC.
2001
VI Prêmio Um sonho de banheiro Deca, Deca e Revista Arquitetura e Construção.
2001
Espaço D, Revista Espaço D.
2000
V Prêmio Um sonho de banheiro Deca, Deca.
1999
Primeiro Prêmio USIMINAS - IAB MG de arquitetura, USIMINAS - IAB MG.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
SA, A. I.2018SA, A. I. ; BRITO, M. ; FREITAS, C. R. ; RENA, N. S. A. . IndAtlas: Technopolicies and Urban Territory Investigation Platform. DISEGNARECON - ATTI DEI SEMINARI, v. 11, p. 202-218, 2018.

2.
SILVIANO, MARCELA2018SILVIANO, MARCELA ; BRAGANÇA, Luciana ; AMARAL, M. ; BARBOSA, M. ; RENA, N. S. A. . Tecnologia social biopotente: parque das ocupações e extensão universitária. revista indisciplinar, v. v.4, p. 80-106, 2018.

3.
FRANZONI, J. A.2017FRANZONI, J. A. ; FARIA, D. ; RENA, N. S. A. . Nós entre tramas: cartografia indisciplinar na Izidora. Revista Indisciplinar, v. 2, p. 29, 2017.

4.
MARX, J.2017MARX, J. ; CASTRO, Brenda ; SILVA, Josiane ; RENA, N. S. A. . #NãoVaiTerNovaBH: linhas de fuga na produção da cidade neoliberal. VIRUS, v. 14, p. 1-15, 2017.

5.
SOARES, F.2017SOARES, F. ; PIMENTA, M. ; NEVES, B. ; RENA, N. S. A. . Zona Cultural Praça da Estação, Belo Horizonte: conflitos entre estratégias de gentrificação do Estado-capital e táticas anti-gentrificação de movimentos sociais. VIRUS, v. 14, p. 1-13-13, 2017.

6.
RENA, N. S. A.;RENA, NATACHA2016RENA, N. S. A.; BRANDAO, M. S. ; RENA, Alemar ; NEVES, B. . Cartografia enquanto método de investigação: uma conversa com Virgínia Kastrup. Revista Indisciplinar, v. 2, p. 17-30, 2016.

7.
RENA, N. S. A.;RENA, NATACHA2016RENA, N. S. A.; MAYER, Joviano ; NEVES, B. ; SILVA, Josiane . Cartografando os movimentos multitudinários em Belo Horizonte: as Jornadas de Junho e depois. Revista Indisciplinar, v. 2, p. 9-26, 2016.

8.
RENA, N. S. A.;RENA, NATACHA2015RENA, N. S. A.; BERQUÓ, Paula . Processos criativos biopotentes constituindo novas possibilidades de constituição do comum no território urbano. Lugar Comum (UFRJ), v. 21, p. 163-180, 2015.

9.
RENA, N. S. A.;RENA, NATACHA2014RENA, N. S. A.; BERQUÓ, Paula ; CHAGAS, F. . Biopolíticas espaciais gentrificadoras e as resistências estéticas biopotentes. Lugar Comum (UFRJ), v. 1, p. 71-88, 2014.

10.
TORRES, J.2012TORRES, J. ; YEMAIL, Antonio ; RENA, N. S. A. ; CAPORALLI, F. . Atlas da Diversidade. Parahyba, v. 1, p. 52-57, 2012.

11.
RENA, N. S. A.;RENA, NATACHA2011RENA, N. S. A.; OLIVEIRA, B. . Rede Produtiva no Aglomerado da Serra: Design militante, Extensão Universitária e Tecnologia Social. ABMES Cadernos, v. 82p, p. 9-34, 2011.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
RENA, N. S. A.; FREITAS, Daniel Medeiros (Org.) ; SÁ, Ana Isabel Anastasia (Org.) ; BRANDAO, M. S. (Org.) . I Seminário Internacional Urbanismo Biopolítico. 1. ed. Belo Horizonte: Fluxos, 2018. v. 1000. 1150p .

2.
ROLNIK, Raquel (Org.) ; NASCIMENTO, D. M. (Org.) ; SANTORO, Paula (Org.) ; RENA, N. S. A. (Org.) ; CONSENTINO, Renato (Org.) . Cidade estado capital: reestruturação urbana e resistências em Belo Horizonte, Fortaleza e São Paulo. 1. ed. São Paulo: São Paulo, 2018. v. 1. 358p .

3.
RENA, Alemar (Org.) ; BAMBOZZI, Lucas (Org.) ; RENA, N. S. A. (Org.) . Cidade Eletronika: tecnopolíticas do comum: artes, urbanismo e democracia. 1. ed. Belo Horizonte: Fluxos, 2016. v. 1000. 249p .

4.
RENA, N. S. A.; OLIVEIRA, B. (Org.) ; CUNHA, Maria Helena (Org.) ; BRANDAO, M. S. (Org.) ; BERQUÓ, Paula (Org.) ; TOSTES, Simone (Org.) ; JESUS, E. (Org.) ; FARIA, D. (Org.) ; PRADO, Isabela (Org.) . Arte e Espaço: uma situação política do século XXI. 2. ed. Belo Horizonte: Duo Editorial, 2016. v. 1000. 220p .

5.
TORRES, J. (Org.) ; RENA, N. S. A. (Org.) . DESEJACA: arquitetura, artesanias e tecnologia social no Jardim Canadá. 1. ed. Belo Horizonte: Editora Fluxos, 2016. v. 1000. 432p .

6.
RENA, N. S. A.; OLIVEIRA, B. (Org.) ; CUNHA, Maria Helena (Org.) . Arte e espaço: uma situação política do século XXI. 1. ed. Belo Horizonte: Duo Editorial, 2015. 208p .

7.
RENA, N. S. A.; RENA, Alemar (Org.) . Design e Política. 1. ed. Belo Horizonte: Fluxos, 2014. v. 1000. 162p .

8.
RENA, N. S. A.. Territórios aglomerados. 1. ed. Belo Horizonte: Universidade FUMEC, 2010. v. 1000. 144p .

9.
RENA, N. S. A.; PONTES, J. (Org.) . ASAS - Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 1. ed. Belo Horizonte: Editora Faculdade de Engenharia e Arquitetura da Universidade FUMEC, 2009. v. 1000. 136p .

10.
RENA, N. S. A.. Coleção 9 + 1. 741. ed. Belo Horizonte: Editora Faculdade de Engenharia e Arquitetura FEA - Universidade FUMEC, 2008. v. 1000. 83p .

Capítulos de livros publicados
1.
RENA, N. S. A.. Programas e projetos de extensão da Escola de Arquitetura. In: Glaucinei Rodrigues Corrêa. (Org.). Catadores de sonhos: design em projetos de extensão. 1ed.Belo Horizonte: Editora da Escola de Arquitetura da UFMG, 2018, v. 1, p. 19-24.

2.
NEVES, B. ; SILVIANO, MARCELA ; MARQUES, Luis Henrique ; RENA, N. S. A. . Lutas Territoriais. Resistências ao avanço do urbanismo neoliberal. In: Raquel Rolnik, Denise Morado, Daniel Medeiro de Freitas, Natacha Rena, Luis Renato Bezerra Pequeno. (Org.). Cidade estado capital: reestruturação urbana e resistências em Belo Horizonte, Fortaleza e São Paulo. 1ed.São Paulo: São Paulo, 2018, v. 1, p. 222-241.

3.
NEVES, B. ; MARQUES, Luis Henrique ; PIMENTA, M. ; SILVIANO, MARCELA ; RENA, N. S. A. . Breve cartografia das lutas territoriais em Belo Horizonte. In: Raquel Rolnik, Paula Santoro, Denise Morado, Daniel Medeiro de Freitas, Natacha Rena, Renato Pequeno. (Org.). Cidade estado capital: reestruturação urbana e resistências em Belo Horizonte, Fortaleza e São Paulo. 1ed.São Paulo: São Paulo, 2018, v. 1, p. 243-261.

4.
RENA, N. S. A.; FREITAS, Daniel Medeiros ; SÁ, Ana Isabel Anastasia ; BRANDAO, M. S. . Apresentação do I Seminário Internacional Urbanismo Biopolítico. In: RENA, Natacha; FREITAS, Daniel; SÁ, Isabel; BRANDÃO, Marcela. (Org.). Apresentação do I Seminário Internacional Urbanismo Biopolítico. 1ed.Belo Horizonte: Fluxos, 2018, v. 1, p. 3-39.

5.
RENA, Alemar ; BAMBOZZI, Lucas ; RENA, N. S. A. . Editorial. In: Alemar Rena; Lucas Bambozzi; Natacha Rena. (Org.). Cidade Eletronika: tecnopolíticas do comum: artes, urbanismo e democracia. 1ed.Belo Horizonte: Fluxos, 2016, v. 1000, p. 6-7.

6.
SÁ, Ana Isabel Anastasia ; QUINTÃO, Fernanda ; RENA, N. S. A. . Plataforma MapaCulturaBH Dispositivo Cartográfico Tecnopolítico. In: Alemar Rena; Lucas Bambozzi; Natacha Rena. (Org.). Cidade Eletronika: tecnopolíticas do comum: artes, urbanismo e democracia. 1ed.Belo Horizonte: Fluxos, 2016, v. 1, p. 138-147.

7.
RENA, N. S. A.. Apresentação: Intenções, processos e resultados de uma singela e breve cartograifa da arte multitudinária em princípios do Século XXI. In: RENA, Natacha; OLIVEIRA, Bruno; CUNHA Maria Helena. (Org.). Arte e Espaço: uma situação política do século XXI. 2ed.Belo Horizonte: Duo Editorial, 2016, v. 1, p. 11-16.

8.
RENA, N. S. A.. Arte, espaço e biopolítica. In: RENA, Natacha; OLIVEIRA, Bruno; CUNHA, Maria Helena. (Org.). Arte e Espaço. 2ed.Belo Horizonte: Duo Editorial, 2016, v. 1, p. 26-54.

9.
TORRES, J. ; RENA, N. S. A. . Apresentação Livro Desejaca. In: Juliana TORRES; Natacha RENA. (Org.). DESEJACA: arquitetura, artesanias e tecnologia social no Jardim Canadá. 1ed.Belo Horizonte: Editora Fluxos, 2016, v. 1, p. 12-17.

10.
TORRES, J. ; RENA, N. S. A. . Programa DESEJACA: Dissolução dos limites entre arte, design, arquitetura e urbanismo. In: Juliana TORRES; Natacha RENA. (Org.). DESEJACA: arquitetura, artesanias e tecnologia social no Jardim Canadá. 1ed.Belo Horizonte: Editora Fluxos, 2016, v. 1, p. 20-43.

11.
MAGALHAES, L. ; SILVA, P. H. P. ; TORRES, J. ; RENA, N. S. A. . Resíduos e Inventos. In: Juliana TORRES; Natacha RENA. (Org.). DESEJACA: arquitetura, artesanias e tecnologia social no Jardim Canadá. 1ed.Belo Horizonte: Editora Fluxos, 2016, v. 1, p. 326-349.

12.
TORRES, J. ; RENA, N. S. A. . Introdução à parte 3: ações e produtos do DESEJA.CA. In: Juliana TORRES; Natacha RENA. (Org.). DESEJACA: arquitetura, artesanias e tecnologia social no Jardim Canadá. 1ed.Belo Horizonte: Editora Fluxos, 2016, v. 1, p. 352-361.

13.
TORRES, J. ; RENA, N. S. A. . Oficinas DESEJA.CA: MAR.CA, TE.CA, ESTAM.CA E GRAF.CA. In: Juliana TORRES; Natacha RENA. (Org.). DESEJACA: arquitetura, artesanias e tecnologia social no Jardim Canadá. 1ed.Belo Horizonte: Editora Fluxos, 2016, v. 1, p. 362-369.

14.
RENA, N. S. A.; TORRES, J. . Workshops DESEJA.CA. In: Juliana TORRES; Natacha RENA. (Org.). DESEJACA: arquitetura, artesanias e tecnologia social no Jardim Canadá. 1ed.Belo Horizonte: Editora Fluxos, 2016, v. 1, p. 391-427.

15.
RENA, N. S. A.. O que nos dizem as redes?. In: Alemar Rena; Lucas Bambozzi; Natacha Rena. (Org.). Cidade Eletronika: tecnopolíticas do comum: artes, urbanismo e democracia. 1ed.Belo Horizonte: Fluxos, 2016, v. 1, p. 112-116.

16.
RENA, N. S. A.; OLIVEIRA, B. . Apresentação: Arte, Espaço e Política. In: RENA, OLIVEIRA, CUNHA. (Org.). Apresentação. 1ed.Belo Horizonte: Duo Editorial, 2015, v. 1, p. 09-12.

17.
RENA, N. S. A.. Arte, espaço e biopolítica. In: RENA, OLIVEIRA, CUNHA. (Org.). Arte, espaço e biopolítica. 1ed.Belo Horizonte: Do Editora, 2015, v. 1, p. 22-74.

18.
RENA, N. S. A.. ?O que pode a arte en tiempos de capitalismo cognitivo?. In: Escuela de Garaje. (Org.). Volúmen Común. 1ed.Bogota: Escuela de Garaje, 2015, v. 2, p. 99-107.

19.
RENA, N. S. A.; BERQUÓ, Paula . As Ocupações culturais em BH: biopotência estética e performativa da multidão. In: CAVA, Bruno; COCCO, G.. (Org.). Amanhã vai ser maior. 1ed.São Paulo: Annablume, 2014, v. 1, p. 309-328.

20.
RENA, N. S. A.. Extensão como resistência: ativando a biopotência do coletivo. In: Adriano Stanley Rocha Souza; Marinella Machado Araujo. (Org.). Estudos avançados de direito à moradia. 1ed.Belo Horizonte: Arraes, 2014, v. 1, p. 1-189.

21.
RENA, N. S. A.; RENA, Alemar . Design e Política: apresentação e agradecimentos. In: RENA, Alemar e RENA, Natacha. (Org.). Design e Política. 1ed.Belo Horizonte: Fluxos, 2014, v. 1000, p. 9-13.

22.
SÁ, Ana Isabel Anastasia ; BERQUÓ, Paula ; QUINTÃO, Fernanda ; RENA, N. S. A. . Cartografias emergentes da cultura. In: RENA, Alemar e RENA, Natacha. (Org.). Design e Política. 1ed.Belo Horizonte: Fluxos, 2014, v. 1000, p. 149-161.

23.
TORRES, J. ; RENA, N. S. A. . Cartografias ecléticas do Bairro Jardim Canadá. In: Francisca Caporali. (Org.). Em movimento JA.CA quarto ano. 1ed.Belo Horizonte: Jaca Editora, 2014, v. 1, p. 94-97.

24.
TORRES, J. ; RENA, N. S. A. . O programa DESEJACA e a Produção biopotente do espaço no Jardim Canadá. In: Francisca Caporali. (Org.). Vende-se/ Aluga-se. 1ed.Belo Horizonte: Jaca Editora, 2014, v. 1, p. 129-138.

25.
RENA, N. S. A.. Processos Creativos Colaborativos y Tecnología Social. In: Instituto Distrital de las Artes_IDARTES. (Org.). Creación, pedagogas y contexto. 1ed.Bogotá: La Silueta, 2013, v. 1, p. 229-263.

26.
RENA, N. S. A.. Programa ASAS: Design militante e tecnologia social. In: De Carli, Ana Mery Sehbe. (Org.). Moda, Sustentabilidade e Emergências. 1ed.Caxias do Sul: Editora Afiliada, 2012, v. 1, p. 103-120.

27.
RENA, N. S. A.; OLIVEIRA, B. . Rede ASAS: Extensão Universitária e Tecnologia Social. Design Socioambiental. 1ed.Belo Horizonte: Ed. FUMEC, 2011, v. 1, p. 26-33.

28.
OLIVEIRA, B. ; RENA, N. S. A. . Territórios aglomerados: design e extensão universitária. In: Natacha Rena. (Org.). Territórios aglomerados. 1ed.Belo Horizonte: Universidade FUMEC, 2010, v. 1000, p. 12-23.

29.
RENA, N. S. A.. O Azulejo: dos palimpsestos urbanos aos cemitérios-museus. In: Cássia Macieira e Juliana Pontes. (Org.). na rua: pós-grafite, moda e vestígios. Belo Horizonte: ed. Universidade FUMEC, 2007, v. , p. 01-148.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
RENA, N. S. A.. Entrevista com Eduardo Barroso. LETRAS, Belo Horizonte, p. 01 - 16, 05 mar. 2008.

2.
RENA, N. S. A.. Decoração Contemporânea e Design no século XX. Casa Cláudia, São Paulo, p. 154 - 155, 01 dez. 2003.

3.
RENA, N. S. A.. Imagens Táteis. Fluxo, Belo Horizonte, p. 6 - 7, 04 set. 2001.

4.
RENA, N. S. A.. Archittetura Installation. FLUXO, Belo Horizonte, 05 fev. 2001.

5.
RENA, N. S. A.. Dados Montoados. Fluxo, Belo Horizonte, 10 fev. 2000.

6.
RENA, N. S. A.. Minimalismo: estética da exclusão. FLUXO.

7.
RENA, N. S. A.. Termas em Vals. FLUXO.

8.
RENA, N. S. A.. O mínimo como Acontecimento Singular ? Considerações sobre a Arquitetura Minimalista. Anuário de Pós-Graduação da UFMG.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
BRITO, MICHELE ; DE SÁ, ANA ISABEL ; BORGES, JÉSSICA ; RENA, NATACHA . IndAtlas - Technopolitic platform for urban investigation. In: XXII CONGRESSO INTERNACIONAL DA SOCIEDADE IBEROAMERICANA DE GRÁFICA DIGITAL, 2018, São Carlos. Blucher Design Proceedings. São Paulo: Editora Blucher, 2018. p. 1012.

2.
FRANZONI, J. A. ; FARIA, D. ; RENA, N. S. A. . CARTOGRAFIA INDISCIPLINAR DO CONFLITO DA IZIDORA EM BELO HORIZONTE. In: Contested Cities 2016, 2016, Madrid. Working Paper Series -> CONTESTED_CITIES. Madrid: Contested Cities, 2016. v. 1. p. 1-13.

3.
RENA, N. S. A.; SÁ, Ana Isabel Anastasia ; BRANDAO, M. S. ; FRANZONI, J. A. . GRUPO DE PESQUISA INDISCIPLINAR: MÉTODO, ATIVISMO E TECNOPOLÍTICA NA DEFESA DOS BENS COMUNS URBANOS. In: Contested Cities 2016, 2016, Madrid. Working Paper Series -> CONTESTED_CITIES. Madrid: Contested Cities, 2016. v. 1. p. 1-18.

4.
SILVIANO, MARCELA ; BRAGANÇA, Luciana ; RENA, N. S. A. . NATUREZA URBANA E PRODUÇÃO DO COMUM GRUPO INDISCIPLINAR: MÉTODO, ATIVISMO E TECNOPOLÍTICA NA DEFESA DOS BENS COMUNS URBANOS. In: Contested Cities 2016, 2016, Madrid. Working Paper Series -> CONTESTED_CITIES. Madrid: Contested Cities, 2016. v. 1. p. 1-22.

5.
RENA, N. S. A.. A performance dos corpos multitudinários em choque com a propriedade privada do Estado-capital. In: III ENANPARQ _ arquitetura, cidade e projeto: uma construção coletiva, 2014, São Paulo. III ENANPARQ _ arquitetura, cidade e projeto: uma construção coletiva. SP: Ananparq. v. 1. p. 1-14.

6.
RENA, N. S. A.; BERQUÓ, Paula ; SÁ, Ana Isabel Anastasia . Cartografando a produção cultural biopotente em Belo Horizonte. In: II Encontro Brasileiro de Pesquisa em Cultura, 2014, Niterói. II Encontro Brasileiro de Pesquisa em Cultura. Rio de Janeiro: Casa Rui Barbosa - Ministério da Cultura, 2014. v. 1. p. 1-12.

7.
RENA, N. S. A.; LOMEZ, R. . Cartografias do comum: experiências de uma prática curatorial colaborativa entre universidade, movimentos sociais e coletivos. In: II Encontro Brasileiro de Pesquisa em Cultura, 2014, Niterói. II Encontro Brasileiro de Pesquisa em Cultura. Rio de Janeiro: Casa Rui Barbosa - Ministério da Cultura, 2014. v. 1. p. 1-11.

8.
RENA, N. S. A.; BERQUÓ, Paula . CULTURA, POLÍTICA E TERRITÓRIO: A LÓGICA CULTURAL DO CAPITALISMO NEOLIBERAL OU O CULTIVO DO QUE CRESCE NATURALMENTE ?. In: I Encontro de Pesquisa em Cultura, 2013, Sao Paulo. I Encontro de Pesquisa em Cultura. São Paulo: USP, 2013. v. 1. p. 15-29.

9.
TORRES, J. ; RENA, N. S. A. . Programa DESEJA.CA: dissolução dos limites entre arte, design, arquitetura e urbanismo.. In: ENANPARQ - II Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo: Teorias e Práticas na Arquitetura e na Cidade Comtemporâneas - complexidade, mobilidade, memória e sustentabilidade, 2012, Natal, Rio Grande do Norte.. Anais do II ENANPARQ. Natal: Editora EDUFRN, 2012. v. 1.

10.
RENA, N. S. A.; YEMAIL, Antonio ; TORRES, J. ; CAPORALLI, F. . Atlas da Diversidade: Produção de Mapeamentos do Bairro Jardim Canadá. In: P&D DESIGN 2012 - 10o Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design, 2012, São Luís, Maranhão. Anais do P&D DESIGN 2012, 2012.

11.
OLIVEIRA, B. ; RENA, N. ; RENA, N. S. A. . Capacitação em Artesanato e Design no Aglomerado da Serra: gerando tecnologia social com intuito de empoderar a comunidade beneficiára. In: Sétimo Seminário de Extensão Universitária da Universidade FUMEC, 2010, Belo Horizonte. Cadernos de Artigos 2009. Belo Horizonte: Universidade FIMEC, 2010. v. 1. p. 7-117.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
RENA, N. S. A.; CAPORALLI, F. ; TORRES, J. ; YEMAIL, Antonio . Atlas da diversidade do Bairro Jardim Canadá. In: Corpo Cidade 3, 2012, Salvador. Caderno de Resumos _ Corpo Cidade 3 _ Cidade e Cultura, 2012. p. 138-139.

2.
RENA, N. S. A.; YEMAIL, Antonio ; TORRES, J. ; CAPORALLI, F. . Atlas da Diversidade: Produção de Mapeamentos do Bairro Jardim Canadá. In: 2o CIDAG - 2a Conferência Internacional em Design e Artes Gráficas- Desafios conceptuais para o Design e a Produção Gráfica, 2012, Tomar, Portugal. Livros Resumo. Tomar: IPT - Instituto Politécnico de Tolmar, 2012. p. 49-49.

3.
RENA, N. S. A.; MACIEIRA, C. . Estratégias de Sobrevivência: a reinvenção do cotidiano a partir da necessidade. In: Terceiro Seminário de Pesquisa e Iniciação Científica da Universidade FUMEC, 2005, Belo Horizonte. ANAIS do Terceiro Seminário de Pesquisa e Iniciação Científica da Universidade FUMEC, 2005.

4.
RENA, N. S. A.; TORRES, J. . Projeto e Ensino Experimental. In: CLEFA, 2001, São Paulo. CLEFA, 2001.

Artigos aceitos para publicação
1.
NOBRE, Maíra Ramirez ; RENA, N. S. A. . Das revoluções aos levantes. ARQ.URB, 2018.

Apresentações de Trabalho
1.
RENA, N. S. A.. Indisciplinar e dispositivos de conexão. 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).

2.
RENA, N. S. A.. Zona Cultural, gentrificação e hipsterização. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
RENA, N. S. A.. Neoliberalismo, feminismos e subjetividades. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
RENA, N. S. A.. Cartografias Indisciplinares. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
RENA, N. S. A.. Ciudadanía creativa vs Smart City. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
RENA, N. S. A.. #re-existencias biopotentes. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
RENA, N. S. A.. Ativismos acadêmicos e acadêmicos ativistas. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

8.
RENA, N. S. A.. ?Café com Natacha Rena? no MediaLab Prado Madrid. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

9.
RENA, N. S. A.. Cartografias Indisciplinares: activismo investigador e investigación activista. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

10.
RENA, N. S. A.. Cartografías indisciplinares: la lucha contra la ciudad neoliberal. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

11.
RENA, N. S. A.. Sessão comentada do filme: 'TIO BERNARD - UMA ANTILIÇÃO DE ECONOMIA'. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

12.
RENA, N. S. A.; FABRINO, R. . Sobre Democracia. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

13.
RENA, N. S. A.; CUNHA, Maria Helena ; BRANDAO, M. S. ; TOSTES, Simone ; JESUS, E. ; BERQUÓ, Paula ; PRADO, I. . Publicação do livro Arte e Espaço no Ocupa EAD. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

14.
RENA, N. S. A.; BRANDAO, M. S. ; SANTORO, Paula . Cultura e 'Nova Agenda Urbana'. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

15.
RENA, N. S. A.. Indisciplinar: um grupo de pesquisa militante.. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

16.
MARX, J. ; MAYER, Joviano ; RENA, N. S. A. . #NoVaHaberNovaBH: actuación del grupo de investigación Indisciplinar. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

17.
MAYER, Joviano ; RENA, N. S. A. . Metrópole biopolítica, urbanismo neoliberal e ocupações enquanto resistências biopotentes. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

18.
RENA, N. S. A.; MAIA, Marcelo ; SÁ, Ana Isabel Anastasia ; BERQUÓ, Paula ; MIRANDA, C.L. ; SOTO, Pablo de ; MARQUES, M. S. ; LEONARD, M. . Metrópole Biopolítica, Cartografias Emergentes e Urbanismo Tático (Sessao Livre). 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

19.
RENA, N. S. A.. Processos criativos, colaborativos e participação nas metrópoles. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

20.
RENA, N. S. A.. As experiências colaborativas e o impacto na conjuntura atual. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

21.
RENA, N. S. A.. Territórios e metrópoles: uma abordagem a partir do design e da biopolítica. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

22.
RENA, N. S. A.. Extensão Universitária: Importância e Desafios. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

23.
RENA, N. S. A.. Insurgências: Empreendimentos Imobiliários e a Luta dos Coletivos. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

24.
RENA, N. S. A.. Cultura e Cidade: a construção de outro imaginário urbano. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

25.
RENA, N. S. A.. Outras narrativas: o uso crítico das tecnologias informacionais. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

26.
RENA, N. S. A.. Outras narrativas e o uso crítico das tecnologias informacionais. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

27.
RENA, N. S. A.. Ocupar é resistir: redes culturais multitudinárias construindo uma política do comum. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

28.
RENA, N. S. A.. Ativação de não-lugares na produção artística contemporânea. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

29.
RENA, N. S. A.; LESSA, TALITA ; SOTO, Pablo de ; BASTOS, R. . Mapeando o Artivismo Cartográfico Ibero-americano. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

30.
RENA, N. S. A.; BERQUÓ, Paula ; SÁ, Ana Isabel Anastasia . Cartografias emergentes: cultura, território e bipolítica. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

31.
RENA, N. S. A.. Diagramas, cartografias e insurgências. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

32.
RENA, N. S. A.. A produção do comum: ações biopotentes nas metrópoles. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

33.
RENA, N. S. A.; LESSA, TALITA ; SOTO, Pablo de ; BASTOS, R. . Mapeando o Artivismo Cartográfico Ibero-americano. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

34.
RENA, N. S. A.; SÁ, Ana Isabel Anastasia ; BERQUÓ, Paula . Cartografias energentes: cultura, território e bipolítica. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

35.
RENA, N. S. A.. O espaço comum. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

36.
RENA, N. S. A.. Arte na América Latina. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

37.
RENA, N. S. A.; BERQUÓ, Paula . Cultura,política e território: a lógica neoliberal do capitalismo ou o cultivo do que cresce naturalmente?. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

38.
RENA, N. S. A.. Biopoder, Biopolítica e Biopotência. Conceitos visitados em Foucault, Negri e Pelbart. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

39.
RENA, N. S. A.. Aula Inaugural: Ativismo Urbano. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

40.
RENA, N. S. A.. Mesa redonda: Arquitetura e Urbanismo. Racismo e Exclusão Urbana da População Negra. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

41.
RENA, N. S. A.. Favela também é patrimônio. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

42.
RENA, N. S. A.. OKUPAR É RESISTIR. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

43.
REIS, Cecília ; RENA, N. S. A. ; FERRARI, Junia . A mediação como possibilidade de transformação do espaço urbano. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

44.
RENA, N. S. A.. INDISCIPLINAR. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

45.
RENA, N. S. A.. Operações Urbanas em BH: interesse público ou privado?. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

46.
RENA, N. S. A.. Programas de Extensão ASAS e DESEJA.CA. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

47.
RENA, N. S. A.. Processos creativos colaborativos y tecnología social. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

48.
RENA, N. S. A.. O design como ferramenta de trasnformação social. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

49.
RENA, N. S. A.. Desenvolvimento Sustentável e Tecnologias Sociais: O Programa Deseja.ca. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

50.
RENA, N. S. A.. Design e Interfaces. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

51.
RENA, N. S. A.. Arquitetura Social. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

52.
RENA, N. S. A.. Ate, Design e arquitetura: saberes híbridos e biopotência das periferias. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

53.
RENA, N. S. A.. Nuevas Tecnologías e Gestión Cultural. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

54.
RENA, N. S. A.; PONTES, J. ; MACIEIRA, C. . Projeto Sempre Savassi: Design e Artesanato Urbano. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

55.
RENA, N. S. A.; SANGLARD, J. . Design e Artesanato em César de Pina. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Outras produções bibliográficas
1.
RENA, N. S. A.; PONTES, J. ; MACIEIRA, C. . Sempre Savassi: Design e Artesanato Urbano 2006 (Catálogo resultado de projeto de extensão).

2.
RENA, N. S. A.; MARQUEZ, R. . Michael Wesely. Ipatinga: Art Publishi, 2004 (Entrevista).

3.
RENA, N. S. A.; TORRES, J. ; CAMPOS, A. . Projeto e Ensino Experimental 2002 (Revista do IAB).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
RENA, N. S. A.. Capacitação em Artesanato e Design em São João del Rey. 2007.

Produtos tecnológicos
1.
RENA, N. S. A.; RIOS, I. . Coleção de Mobiliário - Sistema. 2006.

2.
RENA, N. S. A.; RIOS, I. . Coleção de Mobiliário - Barroco. 2006.

3.
RENA, N. S. A.; TODESCHI, S. . Primeira Coleção de Mobiliário. 2002.

Trabalhos técnicos
1.
RENA, N. S. A.. Projeto gráfico do livro "Gestão Cultural. Profissão em formação". 2007.

2.
RENA, N. S. A.. Arquitetura Contemporânea e suas interfaces com a arte e a tecnologia. 2001.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
RENA, N. S. A.. Iconoclasistas. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

2.
RENA, N. S. A.; SERQUEIRA, Mariana . Rebelde com causa _ entrevista com David Harvey. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

Redes sociais, websites e blogs
1.
RENA, N. S. A.. Geopolítica e cidades. 2018; Tema: Geopolítica e Cidades. (Rede social).

2.
RENA, N. S. A.; FRANZONI, J. A. . Urbanismo Biopolítico. 2015; Tema: Urbanismo Biopolítico: Urbanismo Estratégico e Urbanismo Neoliberal. (Rede social).

3.
RENA, N. S. A.; BERQUÓ, Paula ; SÁ, Ana Isabel Anastasia ; QUINTÃO, Fernanda . Cultura e Território. 2014; Tema: Cultura e Território. (Rede social).

4.
RENA, N. S. A.; SILVIANO, MARCELA . Artesanias do Comum. 2014; Tema: Artesanias e Urbanismo Tático. (Rede social).

5.
RENA, N. S. A.; FRANZONI, J. A. ; MARX, J. ; MAIA, Marcelo Reis . OUC BH. 2014; Tema: Urbanismo Neoliberal, Grandes Projetos Urbanos e Operações Urbanas. (Blog).

6.
RENA, N. S. A.; MAIA, Marcelo Reis ; BRAGANÇA, Luciana . Natureza Urbana. 2014; Tema: Natureza Urbana, Ecologia Política e Projetos Socioambientais. (Rede social).

7.
RENA, N. S. A.; MAIA, Marcelo ; SILVIANO, MARCELA ; FRANZONI, J. A. . Indisciplinar. 2013; Tema: Copesquisas em Arquitetura e Urbanismo. (Rede social).

8.
RENA, N. S. A.; SOTO, Pablo de . Mapeando o comum. 2013; Tema: Mapeamento do comum e urbanismo biopolítico. (Rede social).

9.
RENA, N. S. A.; MAIA, Marcelo Reis ; FRANZONI, J. A. ; SILVIANO, MARCELA . INDISCIPLINAR. 2013; Tema: Arquitetura, urbanismo, movimentos sociais, cartografias colaborativas, copesquisas e tecnopolíticas. (Blog).


Demais tipos de produção técnica
1.
RENA, N. S. A.; SÁ, Ana Isabel Anastasia ; BERQUÓ, Paula . Cartografias Emergentes: a distribuição territorial da produção cultural em Belo Horizonte. 2015. (Relatório de pesquisa).

2.
RENA, N. S. A.. El Común. 2014. .

3.
RENA, N. S. A.; OLIVEIRA, B. . Arte e espaço: uma situação política no século XXI. 2014. .

4.
RENA, N. S. A.. Arte e Política. 2014. .

5.
RENA, N. S. A.; TORRES, J. . DESEJACA _ Proext/ MEC/SESU. 2014. (Relatório de pesquisa).

6.
RENA, N. S. A.. Apartamento Márcio Buzelin. 2009. (Arquitetura).

7.
RENA, N. S. A.; PONTES, J. . Coleção 9 + 1. 2008. (Editoração/Outra).

8.
RENA, N. S. A.. Artesanato Urbano. 2008. (Relatório de pesquisa).

9.
RENA, N. S. A.. Residência Henrique Portugal. 2008. (Projeto de Arquitetura, Paisagismo e Design de Interiores).

10.
RENA, N. S. A.. Projeto Cenográfico da Primeira Bienal de Graffiti. 2008. (Arquitetura).

11.
Joanna Sanglard ; RENA, N. S. A. . Luminárias TETRA. 2008. (Coleção de luminárias em tetrapack HIBRIDA).

12.
RENA, N. S. A.. Gestão Cultural. Profissão em formação.. 2007. (Editoração/Livro).

13.
RENA, N. S. A.; PONTES, J. . Design de Superfície. 2006. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Curso técnico em Design de Superfície).

14.
RENA, N. S. A.; MACIEIRA, C. ; PONTES, J. . Catálogo do projeto de extensão Artesanato Urbano. 2006. (Catálogo).

15.
RENA, N. S. A.; MACIEIRA, C. ; FONTES, M. . Exposição Artesanato Urbano. 2006. (Museografia).

16.
RENA, N. S. A.; MACIEIRA, C. . Táticas de Sobreviência. 2005. (Relatório de pesquisa).

17.
RENA, N. S. A.. Apartamento Ana Neves. 2005. (Arquitetura de Interiores).

18.
RENA, N. S. A.. Apartamento Eliane e Geraldo. 2004. (Arquitetura de interiores).

19.
RENA, N. S. A.. Apartamento Eleonora Nascimento e Silva. 2004. (Arquitetura de Interiores).

20.
RENA, N. S. A.. Apartamento Alvarenga Peixoto. 2003. (Projeto de Interiores).

21.
RENA, N. S. A.. Restaurante Burle Marx. 2002. (Arquitetura).

22.
RENA, N. S. A.. Arquitetura Contemporânea e suas interfaces com a arte e a tecnologia. 2001. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Curso de pós-graduação).

23.
RENA, N. S. A.; TODESCHI, S. . Loja Marie Camille. 2001. (projeto arquitetônico).

24.
RENA, N. S. A.; TODESCHI, S. . Residência Rogério Gonçalves. 2001. (projeto arquitetônico).

25.
RENA, N. S. A.; TODESCHI, S. . Concurso Sede Grupo Corpo - USIMINAS/IAB. 2001. (projeto arquitetônico).

26.
RENA, N. S. A.. Arquitetura Contemporânea e suas interfaces com a arte e a tecnologia. 2001. (Curso de Pós-Graduação).

27.
RENA, N. S. A.; TODESCHI, S. . Banho Blues - CASA COR. 2000. (projeto arquitetônico).

28.
RENA, N. S. A.; TODESCHI, S. . Loja Previous. 2000. (projeto arquitetônico).

29.
RENA, N. S. A.; TODESCHI, S. . Edifício residencial Estevão Pinto. 2000. (projeto arquitetônico).

30.
RENA, N. S. A.. Galeria de arte Casa Cor. 1999. (projeto arquitetônico).

31.
RENA, N. S. A.; TODESCHI, S. . Residência Alexandre Garzon. 1999. (projeto arquitetônico).

32.
RENA, N. S. A.; MARQUEZ, R. ; TODESCHI, S. . Concurso Edifício Patrimonial do CONFEA. 1999. (projeto arquitetônico).

33.
RENA, N. S. A.; TODESCHI, S. . Lounge Portinari - CASA COR. 1999. (projeto arquitetônico).

34.
RENA, N. S. A.; TODESCHI, S. . Scotch Bar Blackmail. 1998. (projeto arquitetônico).

35.
RENA, N. S. A.; FONTES, M. ; TODESCHI, S. . Experimentário - Museu Interativo de Ciência. 1998. (projeto arquitetônico).

36.
RENA, N. S. A.; TODESCHI, S. . Restaurante Artezanato da Pizza. 1998. (projeto arquitetônico).


Produção artística/cultural
Outras produções artísticas/culturais
1.
RENA, N. S. A.. Morar Bem. 2008.

2.
RENA, N. S. A.. Coleção de tapetes Sunder Nagar. 2005 (Coleção de Tapetes).

3.
RENA, N. S. A.. Coleção de tapetes Patchwork. 2005 (Coleção de tapetes).

4.
RENA, N. S. A.. Para Expor a Dor. 2005 (Moda).

5.
RENA, N. S. A.. Exposição: Encore moderne? Architecture brésilienne 1928-2005. 2005.

6.
RENA, N. S. A.. 9peças. 2005 (Moda).

7.
RENA, N. S. A.. Coleção de tapetes Barroco. 2004 (tapeçaria).

8.
RENA, N. S. A.. Coleção de tapetes Moderno. 2003 (tapeçaria).

9.
RENA, N. S. A.. Coleção de tapetes Brasil. 2002 (Coleção de tapetes).

10.
RENA, N. S. A.. Coleção de tapetes Brasil. 2002 (Coleção de tapetes).

11.
RENA, N. S. A.. Coleção de tapetes Noida. 2001 (tapeçaria).

12.
RENA, N. S. A.. Cenário Conexão Cultura. 2000 (12.1. Cenário do programa de tv: Conexão Cultural).

13.
RENA, N. S. A.. Coleção de tapetes Nômade. 2000 (tapeçaria).

14.
RENA, N. S. A.. Cenário Programa de Mulher. 1999 (Cenário).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
BRITTO, P. D.; PAIO, A. C. R.; RENA, N. S. A.; OLIVEIRA, A. M. V.. Participação em banca de Ana Carolina Carvalho Farias. Taxonomia do urbanismo prático: uma proposta para leitura, compreensão e articulação das táticas urbanas emergentes. 2018. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação Projeto e Cidades) - Universidade Federal de Goiás.

2.
RENA, N. S. A.; BRANDAO, M. S.; GUIMARÃES, Laura; MAYORGA, Cláudia. Participação em banca de Natália Alves. Feminismo e produção do espaço nas ocupações: uma abordagem interseccional. 2018. Dissertação (Mestrado em NPGAU) - Escola de Arquitetura nda UFMG.

3.
RENA, N. S. A.; LEITÃO, Karina; CARNEIRO, K. G.. Participação em banca de Paula Guimarães. Cartografias frente ao desastre-crime na bacia do rio Doce. 2018. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
SPERLING, David; RENA, N. S. A.; FELTRAN, Gabriel; LOPES, Ruy Sardinha. Participação em banca de Nayara Araujo Benatti. Redes e Ruas - Ocupações híbridas na cidade de São Paulo. 2018. Dissertação (Mestrado em IAU USP São Carlos) - USP São Carlos.

5.
RENA, N. S. A.; VELLOSO, R.; ROMAGNOLI, R.; BRANDAO, M. S.. Participação em banca de Mariana Moura Cruz;. Vazio-heterotopia: entre a especulação e a produção do comum. 2017. Dissertação (Mestrado em EAD UFMG) - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS.

6.
RENA, N. S. A.; FRIGERI, P. F.; MACAS, L. F. S.; BORGES, F.; RIBEIRO, T.. Participação em banca de Talita Lessa Melo. O paradigma do Buen Vivir para as cidades na América Latina: Reflexões para uma estratégia alternativa frente ao neoliberalismo global.. 2017. Dissertação (Mestrado em Integração Contemporânea da América Latina - Ical) - Universidade Federal da Integração Latino-Americana.

7.
MENDONÇA, J. G.; RENA, N. S. A.; TONUCCI, J.; MENDES, A. F.. Participação em banca de Joviano Gabriel Maia Mayer. O comum no horizonte da metrópole biopolítica. 2015. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais.

8.
REPOLES, M. F. S.; MATOS, A.; RENA, N. S. A.. Participação em banca de Luiz Fernando Vasconcelos de Freitas. Do profavela à Izidora:a luta pelo direito à cidade em Belo Horizonte. 2015. Dissertação (Mestrado em Direito) - Universidade Federal de Minas Gerais.

9.
RENA, N. S. A.; ZERLOTINI da SILVA, V.; LIMA, F.P.A.. Participação em banca de William Azalim do Valle. Ocupações Urbanas: a questão da moradia e os métodos de organização do espaço. 2015. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Minas Gerais.

10.
MIRANDA, C.L.; RENA, N. S. A.. Participação em banca de Bruno Bowen Vilas Novas. (Re)construção dos espaços urbanos a partir de outras subjetividades: Ensaios cartográficos da informalidade à urbanidade no território de favela. 2015. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal do Espírito Santo.

11.
RENA, N. S. A.; BRUNO, F.; MALINI, F.; TORRES, J.. Participação em banca de Ana Isabel Anastasia de Sá. Urbanismo entre pares: cidade e tecnopolíticas. 2015. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) - UFMG.

12.
RENA, N. S. A.; FALCI, C.. Participação em banca de Renata Crisóstomo. Cartografia de afetos e cibercartografia em fluxos. 2015. Dissertação (Mestrado em Belas Artes) - UFMG.

13.
RENA, N. S. A.; FABRINO, R.; JESUS, E.; MENDONÇA, J. G.. Participação em banca de Paula Bruzzi Berquó. "A Ocupação" e a produção de espaços biopotentes em Belo Horizonte: entre rastros e emergências. 2015. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais.

14.
RENA, N. S. A.; ARAUJO, M. M.; CRUZ, A. R. S.; SOUZA, T. R.. Participação em banca de Frederico Garcia Guimarães. O controle social material do plano diretor urbanístico. 2014. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós Graduação em Direito) - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

15.
RENA, N. S. A.; MENDONÇA, J. G.; MENDES, A. F.; TONUCCI, J.. Participação em banca de Joviano Gabriel Maia Mayer. Operação Urbana Consorciada Nova BH: Urbanismo Neoliberal e a produção multitudinária do comum enquanto resistência positiva. 2014. Dissertação (Mestrado em NPGAU) - Escola de Arquitetura nda UFMG.

16.
RENA, N. S. A.; LANA, S.; ENGLER, R.. Participação em banca de Eliza de Paula Batista. Inserção dos conceitos de design social e sustentabilidade: uma prática em produção artesanal com resíduos de fibras sintéticas descartadas das confecções de Ubá e região. 2014. Dissertação (Mestrado em Design) - UEMG.

Teses de doutorado
1.
RENA, N. S. A.; FERRARI, Junia; TONUCCI, J.. Participação em banca de Mariana de Moura Cruz. Decolonizar o comum. 2018. Tese (Doutorado em NPGAU) - Escola de Arquitetura nda UFMG.

2.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Diana Bogado Correa Da Silva. ?Museu das remoções": potência da resistência como respuesta sociocultural a Rio de Janeiro en mega eventos. 2017. Tese (Doutorado em Arquitectura) - Escuela Técnica Superior de Arquitectura de Sevilla.

3.
SANCHEZ, F.; RENA, N. S. A.; BIENENSTEIN, G.; FERRAZ, S.; OLIVEIRA, Fabrício Leal. Participação em banca de Bruna Guterman. A ?Cidade Maravilhosa é a que luta": disputas discursivas e territoriais na Cidade Olímpica. 2017. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal Fluminense.

4.
MENDONÇA, J. G.; NASCIMENTO, D. M.; RENA, N. S. A.; CARNEIRO, K. G.. Participação em banca de Júnia Maria Ferrari de Lima. Dispositivo Urbanismo: entre a governamentalidade e a resistência. 2017. Tese (Doutorado em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais.

5.
RENA, N. S. A.; FILGUEIRAS, C. A.; GUSTIN, M. B. S.; NOBRE, R. F.; SOUZA, C. V.. Participação em banca de Karine Gonçalves Carneiro. Moradores de rua e produção do espaço urbano: análise sobre Bogotá e Belo Horizonte sob uma perspectiva genealógica. 2016. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

6.
RENA, N. S. A.; ANDRADE, L. S.; MARQUES, M. S.; ARANTES, P. F.; NASCIMENTO, D. M.. Participação em banca de Marcela Silviano Brandão Lopes. Artesania construtivas e urbanas: por uma tessitura de saberes. 2015. Tese (Doutorado em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais.

7.
RENA, N. S. A.; COSTA, Carlos Zibel; FERREIRA, J. S. W.; VASSAO, C. A.; MAZZILLI, C. T. S.. Participação em banca de Marcelo Reis Maia. Cidade Instantânea. 2013. Tese (Doutorado em ARQUITETURA E URBANISMO) - Universidade de São Paulo.

Qualificações de Doutorado
1.
TRAMONTANO, M.; FANTIN, M.; RENA, N. S. A.. Participação em banca de Juliana Couto Trujillo. ?Da cidade participativa à cidade colaborativa?. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em IAU USP São Carlos) - USP São Carlos.

2.
SANCHEZ, F.; RENA, N. S. A.; SANTOS, N.; BIENENSTEIN, G.; FERRAZ, S.. Participação em banca de BRUNA DA CUNHA GUTERMAN. A ?Cidade Maravilhosa é a que luta": disputas discursivas e territoriais na Cidade Olímpica. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal Fluminense.

3.
RENA, N. S. A.; BENTES, I.; MOREIRA, C.; BRUNO, F.. Participação em banca de Pablo de Soto. O comum urbano. 2014.

4.
RENA, N. S. A.; MENDONÇA, J. G.; NASCIMENTO, D. M.; MENDES, A. F.. Participação em banca de Junia Maria Ferrari de Lima. Planejamento Urbano: limites e possibilidades a partir de novas perspectivas. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em NPGAU) - Escola de Arquitetura nda UFMG.

5.
LEAL, Bruno; VAZ, Paulo Bernardo; RENA, N. S. A.. Participação em banca de Carla Mendonça. Um olhar sobre as mulheres de papel: tirania e prazer nas revistas Vogue. 2012. Exame de qualificação (Doutorando em Comunicação Social) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Qualificações de Mestrado
1.
RENA, N. S. A.; TONUCCI, J.; SILVIANO, MARCELA; CANETTIERI, Thiago. Participação em banca de Bernardo Neves de Paula. Cartografia das lutas territoriais. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em NPGAU) - Escola de Arquitetura nda UFMG.

2.
BRITTO, P.; OLIBEIRA, A. M. V.; RENA, N. S. A.. Participação em banca de Ana Carolina C. Farias. Táticas Urbanas Emergentes - Urbanismo Tático: da rebeldia à revolução?. 2017.

3.
RENA, N. S. A.; SILVIANO, MARCELA; VELLOSO, R.; MAYORGA, Cláudia. Participação em banca de Natália Alves da Silva. Feminismo e produção do espaço nas ocupações: uma abordagem interseccional. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
RENA, N. S. A.; FALCI, C.. Participação em banca de Renata Carmo Crisóstomo. Cartografias de afetos e o agenciamento de cibercartografias em fluxo. 2015.

5.
RENA, N. S. A.; JESUS, E.; TOSTES, Simone. Participação em banca de Paula Bruzzi Berquó. Espaços-comum. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em NPGAU) - Escola de Arquitetura nda UFMG.

6.
RENA, N. S. A.; MAIA, Marcelo Reis; D'ANDREA, C. F. B.. Participação em banca de Ana Isabel Anastasia de Sá. Urbanismo entre pares: produção coletiva do espaço e redes digitais de comunicação. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais.

7.
RENA, N. S. A.; CASTRIOTA, L.; DANGELO, A.. Participação em banca de Bernardo Alves de Brito Andrade. RECONSTRUINDO A CIDADE SAGRADA Ideologias, alianças, conflitos e imposições no processo de sacralização de Ouro Preto (1931 e 1967). 2013. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-graduação em Ambiente Construído e) - Escola de Arquitetura nda UFMG.

8.
RENA, N. S. A.; BORGES, CELINA; HUCHET, S.. Participação em banca de Diogo Ribeiro Carvalho. Arquitetura Situacional: investigações sobre memória e imaginação como aportes teóricos para a construção de narrativas. 2010. Exame de qualificação (Mestrando em NPGAU) - Escola de Arquitetura nda UFMG.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
RENA, N. S. A.; CARNEIRO, K. G.. Participação em banca de Eigi Okada.As possibilidades da atuação do arquiteto e urbanista nas ocupações por moradia. Estudo de caso: Movimento Chico Rei. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Ouro Preto.

2.
RENA, N. S. A.; CARNEIRO, K. G.; MARQUES, M. S.. Participação em banca de Maurinéia Ferreira.Espaços Públicos abertos em áreas urbanas degradadas na cidade de Conselheiro Lafaiete. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Ouro Preto.

3.
RENA, N. S. A.; CARNEIRO, K. G.; MARQUES, M. S.. Participação em banca de Danielle Lopes Ribeiro.Ocupação Triângulo II: o papel do arquiteto e urbanista como assessor em ocupações informais espontâneas. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Ouro Preto.

4.
RENA, N. S. A.; CARNEIRO, K. G.; MARQUES, M. S.. Participação em banca de Cecilia Baraldi.As territorialidades da gentrificação na Mouraria e seus desdobramentos socioespaciais. Estudos de caso: Moraria, Lisboa, Portugal.. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Ouro Preto.

5.
LOURA, Rejane Magiag; RENA, N. S. A.; PINTO, Marcelo. Participação em banca de Sarah Regina de Moura Fernandes.Banheiro público para morador de rua. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Ouro Preto.

6.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Ana Paula Nitzsche.Escola Técnica no Jardim Canadá. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG.

7.
PUNTONI, Alvaro; PALHARES, Sérgio; RENA, N. S. A.. Participação em banca de Ana Vitória de Garcia e Almeida.Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Amazônia. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

8.
PUNTONI, Alvaro; RENA, N. S. A.. Participação em banca de Adrea Tolentino Gontijo.Hotel e centro de convenções em Belo Horizonte. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

9.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Bruna Santos.Centro Cultural Paulo H. Santos. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

10.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Elis Moutinho.Centro empresarial. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

11.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Fernanda Alves.Núcleo de convivência para idoso. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

12.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Fernanda de Paiva.Instituto de dança clássica. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

13.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Gabriela Mendes.Escola Integrante. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

14.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Giovanna de Castro.Centro de evento e exposições. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

15.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Henrique Pirani.Belo Horizonte Centro Hibrido. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

16.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Juliana Villela.Centro de tratamento de câncer. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

17.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Luiza Menicucci.Moradia estudantil em Lavras. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

18.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Mariana Cobucci Paolucci.Aeroporto regional de bandeirinhas. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

19.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Pedro Lodi.Midiateca em Belo Horizonte. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.

20.
RENA, N. S. A.. Participação em banca de Juliana Paz.BH Business. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Livre docência
1.
SPERLING, David; BEIGUELMAN, Giselle; FONSECA, F. P.; RENA, N. S. A.; ARANTES, Pedro. Banca de Concurso Público para Professor em Mapeamento e Informação em Cidades. 2017. Universidade Federal de São Paulo.

2.
RENA, N. S. A.; ZANDONADE, P.. Arquitetura e Urbanismo, Subárea Comunicação Visual e Desenho do Objeto. 2014. Universidade Federal da Integração Latino-Americana.

3.
RENA, N. S. A.. Seleção Professor PUC Poços de Caldas. 2001.

Outras participações
1.
RENA, N. S. A.. Comitê Científico 22nd Congress of SIGraDi - La Sociedad Iberoamericana de Gráfica Digital. 2018. USP São Carlos.

2.
SANTORO, Paula; RENA, N. S. A.; VOLOSCHKO, D.. Comissão científica - XVII ENANPUR - Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional - ANPUR. 2017. Associação Nacional de Pós-Grad. e Pesq. em Planejamento Urbano e Regional.

3.
RENA, N. S. A.. Banca de Avaliação de Programas e Projetos de Extensão da UFMG. 2012. Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
RENA, N. S. A.. Primeiro Prêmio Núcleo Inox de Design em Inox: Inovinox. 2010. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Universidade Popular do Levante em Belo Horizonte.Cartografias Indisciplinares. 2018. (Outra).

2.
BRAGFOST 2017. 8th Brazilian of Science and Technology Symposium, Capes + Alexander von Humboldt. Sessão Urban Farmimg / Urban Agriculture.Biopotent Social Technology: occupations park and university extensions. 2017. (Seminário).

3.
Encontro Planejamento e Conflitos Urbanos.Grupo de Pesquisa Indisciplinar. 2017. (Encontro).

4.
Habitar 2017. Geopolítica, cidades e globalização desigual. 2017. (Congresso).

5.
Palestra no Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento da Paraíba.Lutas Urbanas e Movimentos Sociais. 2017. (Outra).

6.
Psicologia em foco.Neoliberalismo, feminismo e subjetividades. 2017. (Encontro).

7.
Seminário CENEX EA.A extensão na Arquitetura. 2017. (Seminário).

8.
Sessão comentada 'TIO BERNARD - UMA ANTILIÇÃO DE ECONOMIA'.Sessão de estreia comentada de 'TIO BERNARD - UMA ANTILIÇÃO DE ECONOMIA'. 2017. (Outra).

9.
Sessão Livre 08 - XVII Enanpur.Ocupar a Zona Cultural. 2017. (Outra).

10.
VAC 2017: A RAZÃO NEOLIBERAL ATACA O TERRITÓRIO.A RAZÃO NEOLIBERAL ATACA O TERRITÓRIO: GENTRIFICAÇÃO E RE-COLONIZAÇÃO NA PRODUÇÃO DO ESPAÇO. 2017. (Seminário).

11.
Contested Cities. Natureza urbana e produção do comum. Grupo de pesquisa Indisciplinar: método, ativismo e tecnopolítica na defesa dos bens comuns urbanos.. 2016. (Congresso).

12.
Contested Cities. Grupo de pesquisa Indisciplinar: método, ativismo e tecnopolíticas na defesa dos bens comuns urbanos.. 2016. (Congresso).

13.
Contested Cities. Cartografia Indisciplinar do conflito da Izidora em Belo Horizonte. 2016. (Congresso).

14.
Encontro Observatorio Urbano FAU - UCE Ecuador.Urbanismo Neoliberal y Financiarización del Espacio Urbano. 2016. (Encontro).

15.
Habitar 2016. Habitação e desenvolvimento sustentável - III Un Habitat. 2016. (Congresso).

16.
International Conference Technologies of the Democratic City D-CENT (Decentralised Citizens ENgagement Technologies) i. 2016. (Simpósio).

17.
I Seminário Internacional Representaciones Cartográficas de Ciudades en La Investigación.Cartografias Indisciplinares. 2016. (Seminário).

18.
Cidade Eletronika.O QUE NOS DIZEM AS REDES. 2015. (Seminário).

19.
Emergências: encontro global de cultura, ativismo e política.Cultura e Território. 2015. (Simpósio).

20.
Tecnopolíticas, democracia e urbanismo tático.A indisciplina tecnopolítica. 2015. (Seminário).

21.
Tercer Seminario Internacional Gestión Social La Ciudad y el Territorio.Metrópole biopolítica, urbanismo neoliberal e ocupações enquanto resistências biopotentes. 2015. (Seminário).

22.
Tercer Seminario Internacional Gestión Social La Ciudad y el Territorio.#NoVaHaberNovaBH: la actuación del grupo de investigación Indisciplinar. 2015. (Seminário).

23.
5 Simpósio Ibero-Americano de Historia de la Cartografia.CARTOGRAFIAS EMERGENTES: CULTURA, TERRITÓRIO E BIOPOLÍTICA. 2014. (Simpósio).

24.
Cumbre del Buen Conocer _ Flok Society Equador. .. 2014. (Congresso).

25.
Mapeando o comum em SP.A produção do comum: ações biopotentes nas metrópoles. 2014. (Outra).

26.
MultipliCidades.Diagramas, Cartografias e Insurgências. 2014. (Seminário).

27.
MULTITUDE E REVOLUÇÃO GLOBAL: A EMERGÊNCIA DE NOVAS FORMAS DE PROTESTO.MULTITUDE E REVOLUÇÃO GLOBAL: A EMERGÊNCIA DE NOVAS FORMAS DE PROTESTO. 2014. (Outra).

28.
Aula Aberta no evento A OCUPAÇÃO.Criar é resistir. 2013. (Outra).

29.
AULA INAUGURAL IZABEL HENDRIX.ATIVISMO URBANO. 2013. (Outra).

30.
OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS. PÚBLICAS OU PRIVADAS?.OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS. PÚBLICAS OU PRIVADAS?. 2013. (Seminário).

31.
2º Seminário Arquitetura e Cidade.Arquitetura Social. 2012. (Seminário).

32.
Bienal de Design.Design e Interfaces. 2012. (Outra).

33.
III Encontro de Coordenação de Projetos do Prêmio Santander Universidade Solidária.Rede produtiva de design e artesanato no Aglomerado da Serra. 2012. (Encontro).

34.
I SEMINÁRIO CIDADE, DIREITO URBANO E AMBIENTAL.Desenvolvimento Sustentável e Tecnologis Sociais: o Programa DESEJA.CA. 2012. (Seminário).

35.
I Seminário de Estudos Culturais: Arte, Comunicação e Design.Ate, Design e arquitetura: saberes híbridos e biopotência das periferias. 2012. (Seminário).

36.
NDESIGN.O DESIGN COMO FERRAMENTA DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. 2012. (Encontro).

37.
SEGUNDO ENCUENTRO DE INVESTIGACIONES EMERGENTES.Processos Criativos e Colaborativos y Tecnología Social. 2012. (Encontro).

38.
SEMINÁRIO INTERNACIONAL CIDADE, ARQUITETURA INFORMAL.Programas de Extensão ASAS e DESEJA.CA. 2012. (Seminário).

39.
XV Encontro de Extensão _ UFMG.Projetos de Extensão das áreas de Psicologia e Museologia. 2012. (Encontro).

40.
Encuentro Internacional de Experiencias de Centros Culturales_Centro Cultural Moravia..Nuevas Tecnologías e Gestión Cultural.. 2011. (Encontro).

41.
MULTIPLICADORES _ Universidade Mackenzie.ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2011. (Encontro).

42.
SEMINÁRIO COMUNICAÇÃO E SUSTENTABILIDADE.Projeto ASAS. 2011. (Seminário).

43.
SIMPÓSIO NACIONAL DE MODA E TECNOLOGIA_ Universidade Caxias do Sul.Painel: Moda, sustentabilidade e inclusão social. Projeto ASAS ? Aglomerado da Serra. 2011. (Simpósio).

44.
TEDX Cidade Jardim.ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2011. (Outra).

45.
SEMINÁRIO MINEIRO: a inovação e seu impacto sobre a pesquisa e a extensão.Tema 3 ? Ciência, Tecnologia e Inovação: Design e Artesanato Solidário Ivo Pons e Lars Diederichsen. 2010. (Seminário).

46.
ESPAÇOS CULTURAIS 2º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE GESTÃO CULTURAL.A arquitetura do espaço e suas linguagens. 2010. (Seminário).

47.
OI CABEÇA _ PALAVRA E IMAGEM.Design e Artesanato: produção coletiva e tecnologia social. 2010. (Outra).

48.
SEMINÁRIO MINEIRO: a inovação e seu impacto sobre a pesquisa e a extensão.ASAS ? Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. (Seminário).

49.
5 MOSTRA DE DESIGN DO CAFÉ COM LETRAS.DESIGN E INCLUSÃO SOCIAL. 2009. (Outra).

50.
4 MOSTRA DE DESIGN DO CAFÉ COM LETRAS.Artesanato e Design. 2008. (Outra).

51.
P & D. Sempre Savassi, Artesanato Urbano.. 2008. (Congresso).

52.
3 MOSTRA DE DESIGN DO CAFÉ COM LETRAS.Apresentação do Portifólio NATACHA RENA. 2007. (Outra).

53.
PRODUÇÃO E CRÍTICA CULTURAL, HOJE.ARQUITETURA. 2007. (Seminário).

54.
2 MOSTRA DE DESIGN: Arquitetura.Arquitetura e Design. 2006. (Outra).

55.
2 MOSTRA DE DESIGN DO CAFÉ COM LETRAS.Apresentação do Portifólio NATACHA RENA. 2006. (Outra).

56.
Oficina de Tecelagem. 2006. (Outra).

57.
Terceiro Seminário de Extensão.Sempre Savassi: o artesanato urbano nas fronteiras da arte e do design. 2006. (Seminário).

58.
Vale: Vozes e Visões. 2006. (Seminário).

59.
Mostra FUMEC.Táticas de Sobrevivência. 2005. (Outra).

60.
O arquiteto e a cidade: experiências profissionais no cotidiano.Design por necessidade. 2005. (Seminário).

61.
Semana de Arquitetura 2005.Formação do arquiteto e realidade social: para onde vamos?. 2005. (Seminário).

62.
Sempre Savassi. Design e Artesanato.Sempre Savassi. Design e Artesanato. 2005. (Outra).

63.
Terceiro Seminário de Pesquisa e Iniciação Científica da FUMEC.Estratégias de Sobrevivência. 2005. (Seminário).

64.
Arte Contemporânea: Políticas Insitucionais, Práticas Curatoriais.Arte Contemporânea: Políticas Insitucionais, Práticas Curatoriais. 2004. (Seminário).

65.
Comunicação e Experiência Estética.Comunicação e Experiência Estética. 2004. (Simpósio).

66.
Manifestos: agenda para uma cultura arquitetônica.Manifestos: agenda para uma cultura arquitetônica. 2004. (Seminário).

67.
Semana Pedagógica. 2004. (Outra).

68.
Seminário Aço + Arquitetura + Meio Ambiente.Seminário Aço + Arquitetura + Meio Ambiente. 2004. (Seminário).

69.
Seminário da Construção em Aço no 59 Congresso Anual da ABM.Seminário da Construção em Aço no 59 Congresso Anual da ABM. 2004. (Seminário).

70.
Seminário de Comunicação e Experiência Estética. 2004. (Seminário).

71.
58 Congresso Anual da ABM, Rio de Janeiro, RJ. (2003).Seminário da Construção em Aço no 58 Congresso Anual da ABM. 2003. (Seminário).

72.
Curso de Decoração.Decoração Contemporânea e Design no século XX. 2003. (Seminário).

73.
Primeiro Salão de Tecnologia PROPEC IAB MG.Jovens Arquitetos. 2003. (Outra).

74.
Tópicos de Semiótica Discursiva I. 2003. (Outra).

75.
Workshop Projeto Rio Doce.Workshop Projeto Rio Doce. 2003. (Outra).

76.
Curso de Arquitetura e Urbanismo do UnilesteMG.Seminário de Arquitetura. 2002. (Seminário).

77.
Seminário COSU/ ABEA. 2002. (Seminário).

78.
Seminário COSU/ ABEA. 2002. (Seminário).

79.
Participação no COSU/ ABEA. 2001. (Seminário).

80.
Primeiro Seminário de Capacitação de Docente. 2001. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
RENA, N. S. A.; BAMBOZZI, Lucas . Cidade Eletronika: Microinvenções urbanas: tecnopolíticas do cotidiano para reinventar as cidades. 2018. (Festival).

2.
RENA, N. S. A.; BRANDAO, M. S. ; MOURA, M. . VAC 2018: Comum | Público - Monólogos 7x7. 2018. (Outro).

3.
RENA, P. ; RENA, N. S. A. . Mostra 68 e depois. 2018. (Outro).

4.
RENA, N. S. A.; NEVES, B. ; PIMENTA, M. . VAC 2017: A razão neoliberal ataca o território. 2017. (Outro).

5.
RENA, N. S. A.; SILVIANO, MARCELA ; SÁ, Ana Isabel Anastasia ; FREITAS, Daniel Medeiros . Primeiro Seminário Internacional Urbanismo Biopolítico. 2017. (Outro).

6.
RENA, N. S. A.. Seminário Cenex EA. 2017. (Outro).

7.
RENA, N. S. A.; SOARES, F. . ind_cine #03 : Cinema comentado com os curtas GATUNOS S/A, CASAS MARCADAS e FICÇÃO IMOBILIÁRIA. 2017. (Outro).

8.
FATORELLI, Maria Lúcia ; ALVARENGA, Eulália ; CANETTIERI, Thiago ; RENA, N. S. A. . Aulão público: Aulão sobre a PBH Ativos com Maria Lúcia Fattorelli, Eulália Alvarenga e Thiago Canettieri.. 2017. (Outro).

9.
RENA, N. S. A.; MAYER, Joviano ; BARBOSA, Danilo Caporalli . Seminário e Workshop: Plataforma Urbanismo Biopoítico. 2017. (Outro).

10.
RENA, N. S. A.; ARANTES, Pedro ; ROLNIK, Raquel ; LUANDA, Vannuchi ; NEVES, B. ; PINHEIRO, V. ; CONSENTINO, Renato . Sessão Livre - Ativismo Urbano: novas formas de conflitos territoriais - XVII Enanpur. 2017. (Outro).

11.
RENA, N. S. A.; SÁ, Ana Isabel Anastasia ; BRANDAO, M. S. ; BRAGANÇA, Luciana . VAC 2016: Natureza Urbana e Produção do Comum. 2016. (Outro).

12.
RENA, N. S. A.; BRANDAO, M. S. ; SÁ, Ana Isabel Anastasia ; FARIA, D. ; LESSA, TALITA ; NARVAEZ, D. . Urbanismo Biopolítico: Laboratorio Ciudadano de Cartografias Indisciplinares del Urbanismo Biopolítico. 2016. (Outro).

13.
RENA, N. S. A.; MAIA, Marcelo ; BERQUÓ, Paula ; SÁ, Ana Isabel Anastasia . VAC 2015: Tecnopolíticas, democracia e urbanismo tático. 2015. (Outro).

14.
RENA, N. S. A.; BAMBOZZI, Lucas . Cidade Eletronika: Tecnopolíticas do Comum. 2015. (Festival).

15.
RENA, N. S. A.. Workshop Tecnopolíticas, democracia e urbanismo tático. 2015. (Outro).

16.
RENA, N. S. A.; SÁ, Ana Isabel Anastasia ; BERQUÓ, Paula ; TOSTES, Simone ; MIRANDA, C.L. ; SOTO, Pablo de . Sessão Livre XVI Enanpur: Metrópole biopolítica, cartografias emergentes e urbanismo tático. 2015. (Outro).

17.
RENA, N. S. A.; SANTORO, Paula ; DURAN, Sabrina ; LOPEZ, Ana ; VAINER, Carlos . Mesa Cultura e Território. 2015. (Outro).

18.
RENA, N. S. A.; BERQUÓ, Paula ; SÁ, Ana Isabel Anastasia ; MAIA, Marcelo Reis ; LESSA, TALITA ; MAGALHAES, L. ; BASTOS, R. ; NARVAEZ, D. . VAC 2014: Cartografia Biopotentes. 2014. (Outro).

19.
BAMBOZZI, Lucas ; RENA, N. S. A. ; PELBART, Peter Pál . Multitude. 2014. (Exposição).

20.
RENA, N. S. A.; SILVIANO, MARCELA ; MARX, J. ; MAIA, Marcelo ; RENA, Alemar . MultipliCidades. 2014. (Congresso).

21.
RENA, N. S. A.; LOMEZ, R. ; BERQUÓ, Paula ; SÁ, Ana Isabel Anastasia ; BRANDAO, M. S. . Cartografias do Comum. 2014. (Exposição).

22.
RENA, N. S. A.. VAC 2013: O Direito à cidade. O que temos em comum.. 2013. (Outro).

23.
RENA, N. S. A.; MENEZES, Alexandre . PLAN b _ Aula Inaugural do Curso de Arquitetura e Urbanismo com Federico Mesa (Colômbia). 2012. (Outro).

24.
RENA, N. S. A.; TORRES, J. ; CAPORALLI, F. ; SILVIANO, MARCELA ; LESSA, TALITA . WORKSHOP CASA DA IVETE. 2012. (Outro).

25.
RENA, N. S. A.. Cidade Eeletronika _ ATIVISMO URBANO. 2012. (Festival).

26.
AKERMAN, Jacques ; RENA, N. S. A. . LIBERDADE QUE GERA BELEZA. 2012. (Outro).

27.
RENA, N. S. A.. SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE DESIGN E POLÍTICA. 2011. (Outro).

28.
RENA, N. S. A.; TORRES, J. ; CAPORALLI, F. ; MESQUITA, Mateus . WORKSHOP PONTO EXPANDIDO. 2011. (Outro).

29.
CANCADO, W. ; GOLGHER, B. ; RENA, N. S. A. . 6 Mostra de Design do Café com Letras. 2010. (Outro).

30.
RENA, N. S. A.. SEMINÁRIO MINEIRO: a inovação e seu impacto sobre a pesquisa e a extensão. 2010. (Outro).

31.
OLIVEIRA, B. ; RENA, N. S. A. . Workshop de Pinhole no Cidade Eletronika. 2010. (Outro).

32.
OLIVEIRA, B. ; RENA, N. S. A. . Exposição do Workshop de Pinhole. 2010. (Exposição).

33.
RENA, N. S. A.. 5 Mostra de Design Café com Letras_Design e Inclusão Social. 2009. (Congresso).

34.
RENA, N. S. A.. MIAAU - MOSTRA INTERNACIONAL DE ARQUITETURA E URBANISMO. 2008. (Outro).

35.
RENA, N. S. A.; Joanna Sanglard . Luminárias Tetra. 2008. (Exposição).

36.
RENA, N. S. A.. 4 Mostra de Design do Café com Letras_ Design e Artesanato. 2008. (Congresso).

37.
RENA, N. S. A.; MARQUEZ, R. ; MATEDI, J. . Atelier Imagem Urbana (Evento Cultural). 2001. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Paulo Stuart Angel Jacob da Silveira. Inserção de temáticas territoriais no âmbito escolar. Início: 2017. Dissertação (Mestrado profissional em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

2.
Maíra Ramirez Nobre. Revolução e movimentos sociais. Início: 2017. Dissertação (Mestrado profissional em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

3.
Danilo Caporalli Barbosa. (P)reservar: paradoxo ou perversão?. Início: 2017. Dissertação (Mestrado profissional em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

4.
Bernardo Neves de Paula. Cartografia das Lutas. Início: 2016. Dissertação (Mestrado profissional em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Cláudia Silva Barbosa. Gestão da paisagem cultural: desafios e perspectivas diante do processo de metropolização na APA Carste de Lagoa Santa. Início: 2017. Tese (Doutorado em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

2.
Mariana de Moura Cruz. Descololinzar o comum. Início: 2016. Tese (Doutorado em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

3.
Joviano Gabriel Maia Mayer. Cartografia do Urbanismo Neoliberal. Início: 2016. Tese (Doutorado em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Marília Pimenta. Territórios populares: Reestruturação territorial, desigualdades e resistências nas metrópoles brasileiras. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em FAU USP) - Fundação de Apoio à Faculdade de Educação da USP, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. (Orientador).

2.
Bárbara de Oliveira Barbosa. Territórios populares: Reestruturação territorial, desigualdades e resistências nas metrópoles brasileiras. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em FAU USP) - Fundação de Apoio à Faculdade de Educação da USP, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. (Orientador).

3.
Henrique Dias Porto. Geopolítica e Territórios. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG. (Orientador).

Orientações de outra natureza
1.
Luis Henrique Marques de Oliveira Silva. IND.LAB - Cartografia das lutas. Início: 2018. Orientação de outra natureza. Universidade Federal de Minas Gerais. UFMG. (Orientador).

2.
Ana Luiza Gama Fontes. Inserção de discentes no desenvolvimento da política de extensão da UFMG. Início: 2018. Orientação de outra natureza. Universidade Federal de Minas Gerais. UFMG. (Orientador).

3.
Michele Brito. Territórios populares: Reestruturação territorial, desigualdades e resistências nas metrópoles brasileiras. Início: 2018. Orientação de outra natureza. Fundação de Apoio à Faculdade de Educação da USP. (Orientador).

4.
Lucca Gonzales Mezzacappa. IND.LAB - Financeirização. Início: 2018. Orientação de outra natureza. Universidade Federal de Minas Gerais. UFMG. (Orientador).

5.
Raul Pacheco Lemos dos Santos. IND.LAB - Cartografia das Lutas Rio Doce. Início: 2018. Orientação de outra natureza. Universidade Federal de Minas Gerais. UFMG. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Talita Lessa. O paradigma do Buen Vivir para as cidades na América Latina: Reflexões para uma estratégia alternativa frente ao neoliberalismo global.. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa ICAL) - Universidade Federal da Integração Latino-Americana, . Coorientador: Natacha Silva Araújo Rena.

2.
Mariana de Moura Cruz. VAZIO-HETEROTOPIA: entre a especulação e a produção do comum. 2017. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

3.
Paula de Moreira Guimarães. Cartografias das Resistências pós-desastre tecnológico no Rio Doce. 2016. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais, . Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

4.
Natália Alves. Feminismo e produção do espaço nas ocupações: uma abordagem interseccional. 2016. Dissertação (Mestrado em NPGAU) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

5.
Mariana de Moura Cruz. Vazio-heterotopia. 2015. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) - UFMG, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

6.
Joviano Mayer. O comum no horizonte da metrópole biopolítica. 2014. Dissertação (Mestrado em NPGAU) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Natacha Silva Araújo Rena.

7.
Paula Bruzzi BERQUÓ. "A Ocupação" e a produção de espaços biopotentes no espaço urbano de Belo Horizonte. 2013. Dissertação (Mestrado em NPGAU) - Escola de Arquitetura nda UFMG, . Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

8.
Ana Isabel Anastasia de Sá. Urbanismo entre pares. Cidade e tecnopolítica.. 2013. Dissertação (Mestrado em NPGAU) - Escola de Arquitetura nda UFMG, . Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Artur Dias. Agricultura Urbana. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura) - UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

2.
Márcio Gabrich. Equipamento cultural móvel compartilhado no jardim canadá. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

3.
Paula Bruzzi. Arte, Arquitetura e Território. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

4.
Cecília Reis. Arquitetura e Mediação. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

5.
Lucas Lelis. Intervenção na Vila Dias. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

6.
Lísia Salles Araújo. Intervenção Urbana _ Viçosa. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

7.
Luciana Freire Melo. Centro Administrativo. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

8.
Fernando Furtado Pinheiro. Escola Técnica. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

9.
Fernanda Chagas. Operações Urbanas Consorciadas em Belo Horizonte. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

10.
André Vidal. Ampliação e requalificação do Mercado Central de Belo Horizonte. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

11.
Janine Borel. Ponto de Cultura no Aglomerado da Serra. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

12.
Bruna Pereira. Parque em Corumbá. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

13.
Maurício Lage. Intervenção no Mercado Novo. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

14.
Roberta da Silva. Escola de Arquitetura e Urbanismo da UEMG. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

15.
Artur Assis. Biblioteca Comunitária. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

16.
Paloma Peixoto. Museu da Imagem e do Som em Belo Horizonte. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

17.
Mariana Lage. Intervenção na Serra dos Alves. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

18.
Maria Paz. Parque ecológico em Brumadinho. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

19.
Paloma Peixoto. Museu da Imagem e do Som em Belo Horizonte. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

20.
Roberta da Silva. Escola de Arquitetura da UEMG. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

21.
Deise Eleutério. Intervenção na Favela da Serra. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

22.
Vitor Teófilo. Habitação Flexível. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

23.
Luiza Marx. Habitação Pouplar no Aglomerado da Serra. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

24.
Fernando Raposo. Núcleo de Inclusão Digital. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

25.
Elena Andrés. Centro Indígena. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

26.
André Pinto. Módulo de Apoio à Estrada Real. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

27.
Marina Vilaça. Intervenção Parque nLagoa Santa. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

28.
Joana Carvalho. Centro de Refeência de Ginástica Olímpica. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

29.
Juliana Mol. Moradia Estudantil. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

30.
Lívia Xavier. Forum Judiciário de Pará de Minas. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

31.
Marina Cambraia. Integração Urbana Savassi - Pátio Savassi. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

32.
Patrícia Yegros. Intervenção no Edifício JK. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

33.
Kellerson Faria. Praça e Centro Paroquial. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

34.
Leonardo Godinho. Habitação Estudantil no Campus da UFMG. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

35.
Letícia Alvim. Requalificação do Centro Comercial de Montes Claros. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

36.
Carolina Paulinelli. Centro de cultura negra: Tambor. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

37.
Adriana Togashi. Centro Cultural do Japão. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

38.
Manuela Romano. Centro de Cultura. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

39.
Antônio Salim. Centro de Música. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - FEA FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

40.
Maria Clara Diniz. Centro produtor de gado guzerá. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

41.
Ana Carolina Soeiro. Intervenção na Avenida Antônio Carlos. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

42.
Maria Eugènia Giovanardi. Parque Ecológico. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

43.
Rodrigo Diniz. Centro Musical. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

44.
Mariana. CEMAC. 2005. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

45.
Flávia Gazinelli. Centro Mineiro de Pedras Preciosas. 2005. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

46.
Flávia Martins. Centro de Convenções. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

47.
Ana Amélia Ávila Borges. : Intervenção Urbana Zoológico. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

48.
Fabiana Giovanini Marques. Intervenção Aeroporto Confins. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

49.
Fernanda Curi. Academia de Ginástica Graduação. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

50.
Tarsila. Centro Audio Visual Graduação. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

51.
Roberta Drummond. Centro de Artes Graduação. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

52.
Marina. Centro de Recuperação de Jovens Graduação. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

53.
Camila. Escola de Cinema Graduação. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

54.
Patrícia Tereza Barbosa Pinto. Escola de Vídeo. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

55.
Ana Cristina Bahia Sales. Escola de Dança Experimental. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

56.
Juliana Frois do Nascimento. Intervenção em favela. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

57.
Marta Cristina Felicíssimo. ONG Ecológica no Parque dos Mangabeiras. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

58.
Adriana Gontijo Boaventura. Escola de Circo. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

59.
Denise Maria Garcia Macedo. Galeria de Arte. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

60.
Julieta Bastos Alvarenga. Centro de Cultura. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

61.
Wedson Piacesi Guerra. Escola e Centro de Moda. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

62.
Juliana Schiara Rocha. Habitação Popular. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

63.
Fernanda Queiroz Cardoso. Escola e Centro de Moda. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

64.
Flávia Rezende de Albuquerque. Centro da Criança. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

65.
Iolanda Rodrigues Gouvêa. Escola de Design. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

66.
Roberta Sander Canabrava. : Intervenção na Rodoviária de Belo Horizonte. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

Iniciação científica
1.
Henrique Dias Porto. Urbanismo Bipolítico: cartografia das lutas territoriais territoriais. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

2.
Gabriela Tavares de Lanna Lage. Projeto Cartografias Emergentes. Programa IND.LAB - LABORATÓRIO NÔMADE DO COMUM.. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

3.
Josiane Alves Soares da Silva. Plataforma Urbanismo Biopolítico: uma cartografia das lutas territoriais. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Minas Gerais, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

4.
André Victor. Cartografias Emergentes. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

5.
Daniela de Oliveira Faria. Cartografias das Lutas Territoriais. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

6.
Octavio Henrique Mendes Pena. Cartografias das Lutas Territoriais. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

7.
Andre Victor Alves Ramos. Cartografia das Lutas Territoriais. 2015. Iniciação Científica - UFMG, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

8.
Nuno Gabriel Resende Correia Neves. Cartografia das Lutas Territoriais. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura) - UFMG, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

9.
Julia Campos do Amaral. Morar na Minas Indígena _ Cultura, comunicação e gestão. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Belas Artes) - UFMG, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

10.
Rafael Amarato Bruno de Lima. TE.CA _ OFICINAS DE TECELAGEM NO JARDIM CANADÁ. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Design) - UFMG, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

11.
Sarah de Matos Pereira. Cartografias Emergntes. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

12.
Isabela Oliveira Izidoro. TE.CA _ OFICINAS DE TECELAGEM NO JARDIM CANADÁ. 2014. Iniciação Científica - UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

13.
Felipe Thadeu do Carmo Parreira. GRÁF.CA_ Núcleo de produção gráfica do DESEJA.CA. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Design) - UFMG, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

14.
Isabela Akemi Usuda Prado. GRÁF.CA_ Núcleo de produção gráfica do DESEJA.CA. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura) - UFMG, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

15.
Wladimir Drumond. NOVOS PROCESSOS DE PROJETO EM ARQUITETURA, URBANISMO E DESIGN ADEQUADOS ÀS TRANSFORMAÇÕES SÓCIO-ESPACIAIS DA METRÓPOLE CONTEMPORÂNEA: FUNDAMENTOS PARA INTERVENÇÕES NO BAIRRO JARDIM CANADÁNOVOS PROCESSOS DE PROJETO EM ARQUITETURA, URBANISMO E DESIGN ADEQUADOS ÀS TRANSFORMAÇÕES SÓCIO-ESPACIAIS DA METRÓPOLE CONTEMPORÂNEA: FUNDAMENTOS PARA INTERVENÇÕES NO BAIRRO JARDIM CANADÁNOVOS PROCESSOS DE PROJETO. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

16.
Marina Moreira Alves Reis. TE.CA _ TECELAGEM NO JARDIM CANADÁ. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

17.
Rodrigo Bastos. Cartografias Emergentes: CULTURA, TERRITÓRIO E BIOPOLÍTICA. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura) - UFMG, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

18.
Aléxia Ramos de OliveiraAléxia Ramos de Oliveira. TEC Tecelagem no Jardim Canadá. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Design) - UFMG, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

19.
Marina Moreira Alves Reis. TECA_Tecelagem no Jardim Canadá. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura) - UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

20.
Leandro Passos Costa. ASAS_aglomerado. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Design Gráfico) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

21.
Raíssa Gomes Batista. ASAS_modalaje. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Design de Moda) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

22.
Camila Sudano de Melo Novaes. ASAS_aglomerado. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Design de Moda) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

23.
Victor Tavares de Oliveira Endo. Design e Artesanato: história e contemporaneidade. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Design Gráfico) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

24.
Luiz Claudio Lagares Izidio. Design e Artesanato: história e contemporaneidade. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Design Gráfico) - Universidade FUMEC, FUNADESP. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

25.
Priscilla Sousa Milagres (modalje). ASAS_modalaje. 2012. Iniciação Científica - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

26.
Luiza Fonseca de Almeida Magalhães. NOVOS PROCESSOS DE PROJETO EM ARQUITETURA, URBANISMO E DESIGN ADEQUADOS ÀS TRANSFORMAÇÕES SÓCIO-ESPACIAIS DA METRÓPOLE CONTEMPORÂNEA: FUNDAMENTOS PARA INTERVENÇÕES NO BAIRRO JARDIM CANADÁ. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG, FAPEMIG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

27.
Patrícia Cioffi de Mattos. DESEJA.CA. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG, Fundep. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

28.
Sofia Santos Lages. DESEJA.CA. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG, Fundep. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

29.
Pedro Henrique Pereira Silva. MAR.CA. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura nda UFMG, Fundep. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

30.
Lucas Vieira de Oliveira Andrade Riegert. asas_MODALAJE. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Design de Moda) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

31.
Talita Lessa. Desenvolvimento de Tecnologia Social para realização de projetos de capacitação em artesanato e design tendo o Projeto ASAS como estudo de caso. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC, Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

32.
Luiz Lagares. Desenvolvimento de Tecnologia Social para realização de projetos de capacitação em artesanato e design tendo o Projeto ASAS como estudo de caso. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Design) - Universidade FUMEC, Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

33.
Rejane Costa. Desenvolvimento de Tecnologia Social para realização de projetos de capacitação em artesanato e design tendo o Projeto ASAS como estudo de caso. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Design) - Universidade FUMEC, Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

34.
Paulo Neves. Desenvolvimento de Tecnologia Social para realização de projetos de capacitação em artesanato e design tendo o Projeto ASAS como estudo de caso. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Design) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

35.
Caroline Gischewski. Desenvolvimento de Tecnologia Social para realização de projetos de capacitação em artesanato e design tendo o Projeto ASAS como estudo de caso. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Design) - Universidade FUMEC, Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

36.
Alessandra Santos. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Iniciação Científica - Universidade FUMEC, Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

37.
André de Oliveira. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Iniciação Científica - Universidade FUMEC, Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

38.
Carolina Moreira. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Design Gráfico) - Universidade FUMEC, Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

39.
Julia de Assis Soares. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Iniciação Científica - Universidade FUMEC, Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

40.
Juliana Rocha. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Iniciação Científica - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

41.
Larissa Duarte. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Iniciação Científica - Universidade FUMEC, Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

42.
Leticia Matta Machado. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Iniciação Científica - Universidade FUMEC, Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

43.
Marcela Torres. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Iniciação Científica - Universidade FUMEC, Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

44.
Maria Lina Ceschim. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Iniciação Científica - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

45.
Nayara Santos. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Iniciação Científica - Universidade FUMEC, Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

46.
Silvia Pio Martins. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Iniciação Científica - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

47.
Rafael Barbosa. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Iniciação Científica - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

48.
Daniel Patrick. Artesanato Urbano. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Fundação Mineira de Educação e Cultura. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

49.
Roberta Drummond. Estratégias de Sobrevivência Iniciação Científica. 2004. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade FUMEC, Fundep. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

50.
Juliano Sá. Estratégias de Sobrevivência Iniciação Científica. 2004. Iniciação Científica - Universidade FUMEC, Fundep. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

51.
Carine Belucci. Estratégias de Sobrevivência Iniciação Científica. 2004. Iniciação Científica. (Graduando em Design) - Universidade FUMEC, Fundep. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

52.
Thiago Teixeira. Estratégias de Sobrevivência. 2004. Iniciação Científica. (Graduando em Design) - Universidade FUMEC, Fundep. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

53.
Marcos Ribeiro Macedo. Rizomas urbanos: uma cartografia virtual para as cidades atuais. 2002. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade do Leste de Minas Gerais, Fundação Geraldo Perlingeiro de Abreu. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

54.
Laura Lage. Um novo olhar sobre o espaço cotidiano: as cidade de Timóteo e Coronel Fabriciano. 2001. Iniciação Científica. (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade do Leste de Minas Gerais, Fundação Geraldo Perlingeiro de Abreu. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

Orientações de outra natureza
1.
Artur Freixedas Colito. Cartografia do Rio Doce - PROGRAMA PARTICIPA UFMG - MARIANA E RIO DOCE. 2018. Orientação de outra natureza. (Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

2.
Juliana Oliveira Hermsdorf. IND.LAB - LABORATÓRIO NÔMADE DO COMUM - Feminismos. 2018. Orientação de outra natureza. (Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

3.
Marcus Vinicius Barbosa Deusdedit. IND.LAB - LABORATÓRIO NÔMADE DO COMUM - Natureza Urbana. 2018. Orientação de outra natureza. (Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

4.
Cintya Guedes Ornelas. IND.LAB - Natureza Urbana. 2018. Orientação de outra natureza. (Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

5.
Luan Fernandes Viana. IND.LAB - LABORATÓRIO NÔMADE DO COMUM. 2017. Orientação de outra natureza. (Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

6.
Marília Pimenta. Projeto Artesanias do Comum vinculado ao INDLAB - Laboratório nômade do comum. 2015. Orientação de outra natureza. (Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

7.
Anne Elly Pereira Fonseca. Projeto Cartografias Emergentes vinculado ao INDLAB _ Laboratório nômade do comum. 2015. Orientação de outra natureza. (Arquitetura) - UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

8.
David Narvaez. Projeto de Extensão _ Cartografias Emergentes. 2014. Orientação de outra natureza. (Arquitetura) - UFMG, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

9.
Luiza Magalhães. Projeto de Extensão _ Cartografias Emergentes. 2014. Orientação de outra natureza. (Arquitetura) - UFMG, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

10.
Bianca Carvalho. TECA_Tecelagem no Jardim Canadá. 2013. Orientação de outra natureza. (Arquitetura) - UFMG, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

11.
Débora Tavares. DESEJACA_ DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E EMPREENDEDORISMO SOCIAL NO JARDIM CANADÁ. 2013. Orientação de outra natureza. (Arquitetura) - UFMG, FAPEMIG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

12.
Márcio José Gabrich Fonseca Freire Ramos. Graf.ca. 2012. Orientação de outra natureza. (Arquitetura) - UFMG, UFMG. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.

13.
Ana Carolina Bahia. ASAS _Artesanato Solidário no Aglomerado da Serra. 2010. Orientação de outra natureza. (Design) - Universidade FUMEC. Orientador: Natacha Silva Araújo Rena.



Outras informações relevantes


Líder do grupo de pesquisa Indisciplinar, vinculado ao CNPQ, sediado na Escola de Arquitetura da UFMG. Considerada a importância dos processos de globalização e a produção biopolítica nas/das metrópoles como constitutiva do espaço social, o nosso grupo de pesquisa imbrica indissociadamente teoria e prática, atuando junto a diversos atores que constituem os campos de disputa por direitos urbanos: Movimentos Sociais, Ambientais e Culturais; outros Grupos de Pesquisa e Extensão; Ministério Público; Defensoria Pública; Poderes Legislativo e Executivo, dentre outros. As frentes de ação do grupo envolvem a atuação: tanto em processos destituintes contra o urbanismo neoliberal, quanto em processos constituintes de novos espaços engendrados pela coletividade cidadã em uma abordagem transversal e indisciplinar. Diversas pesquisas estão associadas ao grupo, sejam elas de monografia, mestrado e doutorado, sejam elas vinculadas ao PRPq ? UFMG ou pelas Agências de fomento à pesquisa (Capes, Fapemig e CNPq) e outros agentes de financiamento de pesquisas no Brasil. O grupo é formado por mais de 40 professores, pesquisadores, alunos de graduação e pós-graduação, militantes e ativistas de diversos movimentos sociais, culturais e ambientais, oriundos de diferentes campos do conhecimento. O Indisciplinar também faz parte da rede internacional ?Tecnopolíticas: territórios urbanos e redes digitais? junto a diversos atores, coletivos e grupos de investigação nacionais e internacionais e da ?Rede Cidades? da UFMG.

Associado ao Grupo de Pesquisa Indisciplinar existem 3 Programas de Extensão: IndLab, Natureza Política, IndUrb. Distribuidos entre esses 3 programas temos 9 projetos de extensão: Artesanias do Comum, Cartografias Emergentes, Natureza Urbana, Plataformas Tecnopolíticas, Geopolíticas e Cidades, Plataforma Urbanismo Biopolítico, Seminário Urbanismo Biopolítico e BH S/A.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 19/02/2019 às 2:49:45