Alexandre Belmonte

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3993398255759739
  • Última atualização do currículo em 28/09/2018


Alexandre Belmonte é Professor Adjunto de História da América Antiga e Colonial na Universidade do Estado do Rio de Janeiro. É mestre e doutor em História Política pela mesma instituição. Atualmente desenvolve pesquisas sobre Rebeliões andinas no século XVIII. É professor colaborador no Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais (stricto sensu) da UERJ e da Pós-Graduação em História Antiga (lato sensu) do NEA/UERJ, onde leciona Arqueologia e História Antiga da América. Colabora com a Universidad Nacional de Córdoba (Argentina), onde é 'director de tesis' na FAUB/GADU. Seus projetos de pesquisa contemplam estudos sobre aspectos culturais das múltiplas cosmovisões andinas; cronistas da invasão e colonização espanhola nos Andes; Arqueologia do povoamento da América. É co-líder do Grupo de Pesquisa CNPq "História, Memória e narrativas latino-americanas", da Universidade Federal do Tocantins, além de ser pesquisador dos Grupos de Pesquisa CNPq "Núcleo de Estudos das Américas" e "Imigração Urbana e Diásporas Contemporâneas". Seus interesses de pesquisa incluem, ainda: desenvolvimento cultural na América Antiga; processos de urbanização (cidades pré-hispânicas; cidades hispano-americanas coloniais; cidades latino-americanas); Culturas originárias do altiplano boliviano; Viajantes no Brasil e América (séculos XVI- XVIII); e ainda estudos sobre Etno-história; história paleoindígena; Relações internacionais Brasil / América Latina; Mercosul. É conselheiro consultivo da Revista Navegar e compõe o conselho editorial das Revistas Latinidade e Transmigrações. Coordena o selo editorial "Estudos Americanos", da Editora Metanoia. Compõe o comitê executivo da Asociación de Estudios Bolivianos (AEB) e é pesquisador credenciado do Archivo y Biblioteca Nacionales de Bolivia (ABNB/Sucre). É autor do livro "Saudades do Novo Mundo: a aventura de Jean de Léry", dentre outros, além de artigos em livros e revistas. Estão no prelo os livros BELMONTE, A. "Italianos no Rio de Janeiro: percursos de identidade (1840-1870)", ed. Garamond (contemplado com APQ3 FAPERJ); BELMONTE, A. e HUNEFELDT, C. (orgs.). "Messianismo, Reformismo, Rebelião: os Andes no século da Ilustração - Coleção Mundo Andino, Vol. 2". Rio de Janeiro: Estudos Americanos, 2018, além da segunda edição revista e ampliada do livro autoral "Saudades do Novo Mundo: a aventura de Jean de Léry". Rio de Janeiro: Estudos Americanos, 2018. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Alexandre Belmonte
Nome em citações bibliográficas
Belmonte, A.;Belmonte, Alexandre

Endereço


Endereço Profissional
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Núcleo de Estudos das Américas.
Rua São Francisco Xavier, 524 / sala 7003B
Maracanã
20550900 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil
Telefone: (21) 23340157
URL da Homepage: http://www.nucleasuerj.com.br/


Formação acadêmica/titulação


2007 - 2011
Doutorado em História.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
Título: De "carcamanos" a italianos: a construção de uma identidade cultural comum entre os itálicos residentes no Rio de Janeiro (1840-1860), Ano de obtenção: 2011.
Orientador: Maria Teresa Toríbio Brittes Lemos.
Bolsista do(a): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ, FAPERJ, Brasil.
Palavras-chave: imigração; italianos no Rio de Janeiro; formação de identidades culturais; representações da alteridade; unificação italiana; estrangeiros.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil / Especialidade: História do Brasil Império.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: Teoria e Filosofia da História.
Setores de atividade: Educação; Pesquisa e desenvolvimento científico; Outras atividades profissionais, científicas e técnicas.
2005 - 2006
Mestrado em História.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
Título: A construção do outro e do si-mesmo: vínculos de identidade e alteridade no relato de Jean de Léry,Ano de Obtenção: 2006.
Orientador: Lená Medeiros de Menezes.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: representações da alteridade; identidades culturais; relatos de viagens; descobrimentos; franceses no Brasil; livros e leituras - século XVI.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da América.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História Moderna e Contemporânea.
Setores de atividade: Educação; Produtos e Serviços Recreativos, Culturais, Artísticos e Desportivos.
1993 - 1997
Graduação em História.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
Título: Tempo, História e Símbolo em Raízes do Brasil: recusando o modelo oitocentista e dialogando com a poesia de Jorge Luis Borges.
Orientador: Manoel Luiz Lima Salgado Guimarães.




Formação Complementar


1998 - 1998
Curso de Curta Duração.
Università Dante Alighieri di Reggio Calabria, UNIDARC, Itália.
1998 - 1998
Curso de Curta Duração.
Università Dante Alighieri di Reggio Calabria, UNIDARC, Itália.
1997 - 1997
Curso de Curta Duração.
Università di Siena, UNISI, Itália.


Atuação Profissional



Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Disciplinas ministradas: História da América I; História da América II; Laboratório de História I; Laboratório de História III; História Indígena; Culturas do Altiplano Boliviano na Longa Duração; Cultura e Identidade; Viajantes no Brasil - secs XVI-XVII; Inquisição na América Hispânica.

Vínculo institucional

2013 - 2015
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor Visitante, Carga horária: 40
Outras informações
Disciplinas ministradas: Laboratório de História II; Laboratório de História III; Viajantes e cronistas no Brasil - século XVI; Tóp. Esp. História Cultural I - Astecas, maias e incas; Cultura e Identidade; Fontes para a História da Mesoamérica - cronistas da conquista e códices indígenas; História da América I; História da América II.

Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Professor substituto, Enquadramento Funcional: Professor substituto, Carga horária: 20
Outras informações
Professor substituto de Seminário especial: Ensino de História, para graduação em História.

Vínculo institucional

2007 - 2007
Vínculo: Professor substituto, Enquadramento Funcional: Professor substituto, Carga horária: 20
Outras informações
Professor de História da América I - História Antiga da América

Atividades

03/2013 - Atual
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Cultura e Identidade
Culturas do Altipliano Boliviano
História da América I e II (Antiga/Arqueologia americana e Colonial)
Laboratório de História II e III
Viajantes e cronistas (Brasil e América, sécs. XVI-XVIII)
Fontes para a História da Mesoamérica - cronistas da conquista e códices indígenas
10/2005 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Sociais, Departamento de História.


Universidade Federal do Tocantins, UFT, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Pesquisador, Enquadramento Funcional: Pesquisador

Atividades

02/2018 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Universidade Federal de Tocantins, .


Revista de História da Biblioteca Nacional, RHBN, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2012
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador, Carga horária: 40


Universidade Aberta do Brasil, UAB, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2009
Vínculo: Professor / tutor, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 40
Outras informações
Professor no Curso de Pós-graduação em Elaboração de Material Didático Impresso para Educação a Distância.

Atividades

03/2008 - 12/2009
Ensino, Especialização em Elaboração de Material Didático, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Elaboração de Material Didático Impresso para EaD

Centro de Educação a Distância do Estado do Rio de Janeiro, CEDERJ, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2010
Vínculo: Contratado, Enquadramento Funcional: Designer Instrucional, Carga horária: 40



Linhas de pesquisa


1.
História, memória e representações
2.
Cultura e sociedade na América Antiga
3.
Imigração, Processos de Assimilação e Reações Xenófobas
4.
América Antiga: história, arqueologia, paisagem
5.
Ensino de História da América Latina: debates, perspectivas e investigações
6.
Fontes documentais para o estudo da América Latina
7.
História, memória e narrativas: experiências na longa duração


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
São Raimundo Nonato versus Clovis, ou Piauí-first: arqueologia, ideologia e geopolítica nas controvérsias sobre o povoamento do continente americano
Descrição: Os discursos sobre o povoamento e desenvolvimento cultural da América obedecem a certa unanimidade, estabelecida com as descobertas de Edgar Howard das pontas acanaladas próximo à atual Clovis, no Novo México, EUA. Após a descoberta dessas pontas, datadas em aproximadamente 11,4 mil anos, houve uma ampla divulgação e propaganda da Cultura de Clóvis como a mais antiga do continente. Para os clovistas, que são um numeroso grupo dentre os arqueólogos estadunidenses, essa cultura teria originado todas as outras tradições líticas do continente,influenciando as formas de lascar pedras observadas na América. Conforme uma vasta literatura aponta, majoritariamente estadunidense, esses achados confirmariam a hipótese da chegada do homem ao continente via Estreito de Bhering , e vários estudos apontam a descida de grupos humanos por um corredor a leste das Montanhas Rochosas, numa peregrinação que teria durado alguns séculos, até se estabelecerem na atual região do Novo México, onde as condições climáticas eram mais amenas, considerando que estamos falando do final do período pleistocênico, em que grandes extensões dos atuais EUA encontravam-se cobertas de gelo . Entretanto, muitas descobertas arqueológicas sugerem outras vias de migração ? tanto transpacífica quanto transatlântica ? o que nos obriga a repensar a ocupação deste continente em suas origens e desdobramentos. Durante muito tempo, a Teoria de Bhering tem sido um paradigma quase unânime para explicar a entrada dos primeiros humanos no continente. De quando em quando, também as mídias estadunidenses impressas e em rede retomam a ideia de Clovis-first ? Clovis primeiro ? e, injustamente, atribuem a chegada dos primeiros humanos à América unicamente através da Beríngia . Lamentavelmente, o acesso a grande parte dos textos acadêmicos publicados em revistas estadunidenses de grande circulação não é aberto e gratuito, à diferença dos artigos dos nossos mais importantes estudiosos da arqueologia pré-histórica do continente, como é o caso dos textos de Niéde Guidon: praticamente todos os seus artigos publicados encontram-se disponíveis gratuitamente em rede, facilitando a pesquisa e a interlocução com estudiosos de diversas partes do mundo. A insistência dos arqueólogos estadunidenses na hipótese da Beríngia como única via de entrada na América e na da cultura de Clovis como polo irradiador dos padrões industriais líticos para o restante do continente implica em questões que extrapolam o campo científico e que dizem respeito a uma atitude muito mais ideológica e política do que propriamente proposições científicas per se. Essa espécie de obstinação clovista, tão anacrônica diante do que a Arqueologia tem discutido ao longo dos últimos 50 anos, parece servir, hoje, apenas para situar, em termos geopolíticos, os EUA no cerne da experiência civilizacional do continente americano. Nosso projeto visa a mostrar um pouco do patrimônio arqueológico da Serra da Capivara, discutir suas possíveis datações, especular sobre os modos de vida dos nossos paleoíndios a partir de registros como pinturas rupestres e baixos-relevos, bem como analisar as evidências de múltiplas migrações, de migrações em períodos diferentes e de múltiplos focos culturais na ocupação do continente. Isso é importante para o conhecimento dos nossos antepassados paleoíndios. Do ponto de vista simbólico e geopolítico, é crucial romper com a interpretação forjada a partir dos anos 1930 de que todo o desenvolvimento cultural da América paleoíndia provém de uma matriz cultural encravada nos atuais Estados Unidos da América, mais precisamente na pequena Clovis, no Novo México..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (15) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Alexandre Belmonte - Coordenador / Marcelo Santos Rodrigues - Integrante.
2016 - Atual
O altiplano andino na longa duração: arqueologia e história
Descrição: No intuito de compreender alguns aspectos das culturas do altiplano, o projeto articula arqueologia, história, crônicas e narrativas orais, observando as origens pré-incaicas e a cosmovisão andina na longa duração. Com a invasão espanhola, o antigo panteão de deuses nativos não foi de todo soterrado. Em alguns momentos, o sincretismo com o cristianismo produziu manifestações que desafiam o tempo e mostram a continuidade do culto aos antigos deuses, travestidos ou com ares de cristianismo. Um dos mais emblemáticos casos continua sendo o culto a El Tío de la mina, figura diabólica, com chifres e um enorme falo à mostra, a quem os mineiros recorrem para pedir minerais, saúde, para contar casos, falar das dificuldades da vida. Uma das etapas do projeto está centrada na sobrevivência do culto ao Tio no Cerro Rico de Potosí, onde são incontáveis as imagens do tio nos socavões das minas..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (7) .
Integrantes: Alexandre Belmonte - Coordenador / Leonardo Bezerra Pereira da Costa - Integrante / Marcelo Santos Rodrigues - Integrante / Eliane Lima Cerqueira - Integrante / Edmilson Barros - Integrante / Carlos Gabriel Paes Dias - Integrante / Bernardo José Alvarez de Castro - Integrante / Matheus Ferreira Coelho Pinho - Integrante / Charbel de Oliveira Sousa - Integrante.
2016 - Atual
Rebeliões americanas no século XVIII: estudos de história comparada
Descrição: As rebeliões indígenas, escravas e populares ocorridas na segunda metade do século XVIII na América espanhola e portuguesa encontram-se na essência dos acontecimentos econômicos, políticos e sociais que deram, no início do século XIX, a tônica dos movimentos de independência. As rebeliões de Túpac Amaru II no Peru (1781), Túpac Katari na Bolívia (1781), a Inconfidência Baiana no Brasil (1796-1799), a luta independentista no Haiti - Revolta de São Domingos (1791-1804) - em que pese o fato de a historiografia lhes ter consagrado nomenclaturas diversas (rebelião, revolta, inconfidência, sublevação), permitem um olhar transversal pelo historiador, que as retiram de seus aparentes isolamentos para constituir um movimento mais amplo e revelador das contradições coloniais e metropolitanas. Essas rebeliões constituem-se em intensos movimentos políticos e de milícias em que grupos de indivíduos (indígenas, sobretudo, mas também negros e criollos) decidiram não acatar a autoridade espanhola, portuguesa e francesa. Até mesmo em Goa, na Índia, a chamada Conjuração dos Pintos buscou tomar o poder da mão da coroa portuguesa, em 1787. Em relação à América hispânica, as reformas fiscais levadas a cabo após a ascensão dos Bourbon à coroa espanhola produziram reflexos e consequências que extrapolaram os limites das Audiências. É nesse contexto de acirramento de dívidas, e de cobrança de impostos e reorganização da máquina administrativa colonial que várias rebeliões espalharam-se por todo o altiplano, desafiando o poder instituído e propondo uma subversão da ordem administrativa, política, econômica e cultural vigente. Antes das grandes rebeliões indígenas da década de 1780, no Paraguai chegou-se a cogitar a independência e a criação de um poder "republicano" em 1721. Em Cochabamba, mestiços e indígenas lutam em 1730 por maior participação política. No vice-reino de Nova Granada, há revoltas em 1749 contra a atuação da Companhia de Caracas. Em Quito, em 1765, são os próprios criollos que se revoltam contra a alcabala, um imposto utilizado desde o século XI na Espanha muçulmana, incrementado pelos Bourbons ao longo do século XVIII. As taxas de alcabala já produziam inúmeros descontentamentos, dentre os quais, no final do século XVI, entre 1592-93, a Rebelião das Alcabalas na Audiência de Quito. As contradições coloniais também afetaram a negros (escravos e libertos) e criollos, gerando insatisfações e revoltas por toda a extensão da colônia. Rebeliões negras se espalham desde o Caribe, lideradas por Toussaint, fazendo sentir a influência de seus ideais até mesmo, segundo Manoel Bomfim, na Inconfidência Baiana, também chamada de Revolta dos Alfaiates. Na colônia portuguesa surgiam líderes negros, como os alfaiates Manuel Faustino e João de Deus Nascimento. No final do século XVIII, dotadas de lideranças, as rebeliões - indígenas, negras, criollas ou mistas - expressam essas contradições e desafiam o poder do . É neste contexto que surgem tanto o pensamento independentista das elites, de profissionais liberais, artífices, jornalistas, religiosos, quanto as insatisfações populares representadas nas rebeliões. Com um toque de messianismo, da cíclica espera pelo Inca, as insatisfações expressam-se em lutas que varrem os ayllus andinos entre 1780 e 1782. O entrelaçamento de fontes históricas dessas áreas coloniais e mesmo depois das independências, observadas na longa duração e submetidas a uma comparação em seus aspectos peculiares, produz uma narrativa desses acontecimentos sob uma nova ótica. Este projeto encontra sentido na identificação de pontos de aproximação dessas experiências que a historiografia tradicional tem visto como fragmentadas e isoladas, e tem como foco as rebeliões ocorridas no altiplano andino, observando as suas aproximações com casos semelhantes ocorridos nas províncias portuguesa e francesa..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) .
Integrantes: Alexandre Belmonte - Coordenador / Leonardo Bezerra Pereira da Costa - Integrante / Edmilson Barros - Integrante / Carlos Gabriel Paes Dias - Integrante / Bernardo José Alvarez de Castro - Integrante / Matheus Ferreira Coelho Pinho - Integrante / Charbel de Oliveira Sousa - Integrante.Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 5 / Número de orientações: 2
2016 - Atual
Cronistas da Conquista colonial: a cosmovisão andina vista na longa duração
Descrição: O presente projeto se inscreve num projeto mais amplo, intitulado "Rebeliões americanas no século XVIII: estudos de história comparada", recentemente contemplado com fomento de APQ1 da FAPERJ, em sua última edição. Alguns cronistas coloniais da conquista espanhola - em especial Garcilaso de la Vega e Guamán Poma de Ayala - nos dão muitas indicações a respeito da mentalidade mítica dos povos andinos, além de informações valiosas acerca das rivalidades e dos ressentimentos nutridos por vários povos, como os aymara, em relação aos incas - que haviam adotado o idioma e a cultura quêchua. Uma vez que os incas não deixaram uma linguagem escrita, como fizeram os maias quichés, os primeiros cronistas são fundamentais na tentativa de recuperar informações e pistas sobre as culturas andinas, seus modos de representar a realidade, sua cosmovisão e sua vivência pautada em valores tão diferentes dos valores europeus. Entretanto, foi justamente essa diferença que fez com que os cronistas acabassem por disseminar inúmeros estereótipos acerca dos nativos, o que torna a leitura de suas obras uma tarefa complexa e que requer método. Em relação ao universo mental andino, o cronista peruano Garcilaso de la Vega é peça fundamental para se compreender o nativo e sua cosmovisão, e é o principal objeto desta pesquisa. É também o primeiro cronista a mencionar o mito do Incarrí textualmente, indicando uma percepção bastante peculiar da cosmovisão nativa. É a partir de sua principal obra, Comentarios Reales, que propomos um estudo do universo mental andino, tendo como pano de fundo a colonização, mas sem perder de vista a longa duração, no intuito de estudar os mitos andinos, sobretudo os que apontam para as ideias de tempo cíclico e as ideias milenaristas e messiânicas. A leitura de Garcilaso deverá ser cotejada à leitura de outros cronistas do período, em especial Guamán Poma de Ayala, Juan de Betanzos e Pedro Cieza de León..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Alexandre Belmonte - Coordenador / Leonardo Bezerra Pereira da Costa - Integrante / Gustavo Reis - Integrante / Bernardo José Alvarez de Castro - Integrante.
Número de produções C, T & A: 2
2015 - Atual
Práticas culturais do altiplano andino: yatiris, curandeiros e xamanismo
Descrição: A pesquisa busca investigar aspectos históricos da cultura do altiplano aymara, identificando nos mitos nativos seu substrato, e levando em conta as diversas apropriações dos mitos e o impacto das práticas xamânicas na sociedade colonial em Charcas e Alto Peru. O projeto discute, também, a utilização política da cosmovisão andina na atualidade (práticas xamânicas e mitos).
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Alexandre Belmonte - Coordenador / Leonardo B. P. da Costa - Integrante / Eliane Lima Cerqueira - Integrante.
2011 - 2015
A presença italiana no Rio de Janeiro: 1840-1870
Descrição: O projeto foi concluído e, através do edital APQ3/FAPERJ, será lançado em 2019 o livro "Italianos no Rio de Janeiro: percursos de identidade (1840-1870), pela editora Garamond..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2016 - Atual
Levando a História da América às escolas públicas: interdisciplinaridade no ensino de história
Descrição: O projeto pretende levar temas de história da América às escolas da rede pública do Rio de Janeiro, objetivando uma abordagem interdisciplinar e centrada não somente em textos escritos, mas sobretudo em imagens, documentos, artefatos, vídeos etc., associados à produção textual, dramatização, elaboração de vídeo-aulas pelos discentes etc. A escolha pela história andina, neste momento do projeto, está em perfeito acordo com a tentativa de oferecermos ao alunado um estudo mais interdisciplinar. O estudo do altiplano andino nos permite abordar temas variados de diversas áreas, como História, Arqueologia, Geografia, Geologia, Antropologia, Sociologia, Paleografia, Numismática etc. Nosso trabalho contará com informações textuais, mas, principalmente, uso de imagens, vídeos, documentos históricos, artefatos etc., associados à produção escrita, dramatização, elaboração de vídeos pelos discentes etc..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Alexandre Belmonte - Coordenador / Leonardo Bezerra Pereira da Costa - Integrante / Gustavo Reis - Integrante / Eduarda Luz Marçal - Integrante.


Outros Projetos


2016 - Atual
Grupo de Estudos Andinos
Descrição: Trata-se de um grupo de estudos e pesquisa coordenado por mim e do qual participam aproximadamente 15 estudantes de graduação, majoritariamente do curso de História, mas também de Arqueologia. Em nossas reuniões semanais, estudamos atualmente temas relativos à História boliviana, especialmente do altiplano e, por extensão, do mundo andino em geral, compreendendo a antiguidade e a época colonial. Alguns desses temas são a geografia física e a paisagem do altiplano; arqueologia dos Andes; Rebeliões coloniais; Práticas culturais do altiplano andino - longa duração e cosmovisão andina etc. Além de leituras, discussão de filmes e artefatos arqueológicos, apresentação de trabalhos, também estudamos língua espanhola. A iniciativa é de suma importância para que os graduandos tenham contato com pesquisa histórica, análise de documentos manuscritos, análise de artefatos, escrita acadêmica e outros aspectos da vida profissional do historiador. No momento, temos 3 bolsistas PIBIC (UERJ e FAPERJ) e 10 voluntários, todos engajados em pesquisas relativas ao altiplano boliviano..
Situação: Em andamento; Natureza: Outra.
Alunos envolvidos: Graduação: (15) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Alexandre Belmonte - Coordenador / Leonardo Bezerra Pereira da Costa - Integrante / Eliane Lima Cerqueira - Integrante / Edmilson Barros - Integrante / Carlos Gabriel Paes Dias - Integrante / Gustavo Reis - Integrante / Matheus Ferreira Coelho Pinho - Integrante / Charbel de Oliveira Sousa - Integrante / Eduarda Luz Marçal - Integrante / Alessandra de Oliveira Elias - Integrante / Erida Grace Coelho Cardoso - Integrante / Gisele Pinheiro da Cunha - Integrante / Gabriel Léccas - Integrante / Thais de Souza Silva Pereira - Integrante / Rafael Farias Dos Reis - Integrante / Mercedes Gabrielle de Meneses Coutinho - Integrante / Adrián Omar Drake - Integrante.


Membro de corpo editorial


2015 - Atual
Periódico: Navegar
2014 - Atual
Periódico: Latinidade (Rio de Janeiro)
2014 - Atual
Periódico: Revista Das Américas


Revisor de periódico


2013 - 2013
Periódico: Revista UNIABEU
2015 - Atual
Periódico: Revista Navegar
2015 - Atual
Periódico: Latinidade (Rio de Janeiro)


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da América.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da América/Especialidade: História Latino-Americana.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Arqueologia / Subárea: Arqueologia Pré-Histórica.


Idiomas


Alemão
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Francês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Italiano
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Polonês
Compreende Pouco, Fala Razoavelmente, Lê Pouco, Escreve Pouco.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Catalão
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Russo
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.
Hebraico
Lê Pouco.
Latim
Lê Pouco.


Prêmios e títulos


2017
Professor homenageado pelos formandos em História - turma 2011, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.
2014
Aprovação em 1° lugar em Concurso Público de Provas e Títulos para o Magistério da Educação Superior - Universidade do Estado do Rio de Janeiro - História da América Antiga e Colonial, UERJ., Universidade do Estado do Rio de Janeiro.
2012
Aprovação em 4° lugar em Concurso Público de Provas e Títulos para o Magistério da Educação Básica - Prefeitura do Rio de Janeiro, Prefeitura do Rio de Janeiro.
2012
Aprovação em 1° lugar em Concurso Público de Provas e Títulos para o Magistério da Educação Superior - Prof Visitante - Universidade do Estado do Rio de Janeiro - História da América., UERJ.
2006
Mestre com distinção e recomendação de publicação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.
1999
Bolsa de Estudos para Formação de Professores de Língua Italiana, Università Dante Alighieri.
1998
Convite para ministrar aulas de História do Brasil, professor visitante, pela Prof.a Dr.a Otilia Doroteea Borcia, diretora do Depto. de Línguas Neolatinas da Universidade de Bucareste, Universitatêa din Bucuresti.
1997
Prêmio de Iniciação à Ciência "Professores Eméritos da UERJ", Universidade do Estado do Rio de Janeiro.
1997
Menção Honrosa conferida pela Reitoria da UERJ, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
2Belmonte, A.2018Belmonte, A.. Reflexões sobre a antiguidade da América: o altiplano andino como caso paradigmático. NEARCO (RIO DE JANEIRO), v. X, p. 22-56, 2018.

2.
1Belmonte, A.2018Belmonte, A.. Rebeliones andinas en el siglo XVIII: perspectivas comparadas de una revolución en la larga duración. La Migraña - Revista de Análisis Político, v. 26, p. 62-71, 2018.

3.
5Belmonte, A.2016Belmonte, A.; SENA, André . Acadianos: entre chegada, ocupação e diáspora no Canadá Atlântico dos séculos XVII e XVIII. AQUILA (RIO DE JANEIRO), v. 7, p. 23-34, 2016.

4.
4Belmonte, A.2016Belmonte, A.; COSTA, L. B. P. . Material simbólico e identidade boliviana no Rio de Janeiro. Transmigração, v. 1, p. 31-36, 2016.

5.
3Belmonte, A.;Belmonte, Alexandre2014Belmonte, A.. Imprensa, leitores e leituras no século XVI: possibilidades de recepção. Revista UNIABEU, v. 7, p. 86-96, 2014.

6.
6Belmonte, A.;Belmonte, Alexandre2013Belmonte, A.. A dura vida dos imigrantes. Latinidade (Rio de Janeiro), v. 5, p. 25-30, 2013.

7.
8Belmonte, A.;Belmonte, Alexandre2011Belmonte, A.. O 'nascimento' de italianos no Rio de Janeiro imperial, antes da unificação italiana. Revista UNIABEU, v. 4, p. 1-20, 2011.

8.
7Belmonte, A.;Belmonte, Alexandre2011Belmonte, A.. As identidades e alteridades dos itálicos no Rio de Janeiro: a construção de uma identidade comum italiana. Revista UNIABEU, v. 4, p. 83-101, 2011.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
Belmonte, A.; HUNEFELDT, C. . As minas e o cotidiano do mineral: experiências humanas coloniais (Coleção Mundo Andino, vol 1). 1. ed. Rio de Janeiro: Estudos Americanos (Metanoia), 2018. v. 1. 310p .

2.
Belmonte, A.; LEMOS, Maria Teresa Toribio Brittes . Bolivia-Brasil: tránsitos migratorios y culturales (edición bilingüe)/ Bolívia-Brasil: trânsitos migratórios e culturais (edição bilíngue). 1. ed. Rio de Janeiro: Estudos Americanos (Metanoia), 2018. v. 1. 280p .

3.
Belmonte, A.. Saudades do Novo mundo - a aventura de Jean de Léry. 1. ed. Rio de Janeiro: Metanoia - Mundo Contemporâneo Edições, 2013. v. 1. 170p .

Capítulos de livros publicados
1.
Belmonte, A.; COSTA, L. B. P. . Bolivianos lejos de la pacha : inmigrantes en Río de Janeiro. In: BELMONTE, Alexandre; LEMOS, Maria Teresa Toribio Brittes. (Org.). Bolivia-Brasil: tránsitos migratorios y culturales (edición bilingüe). 1ed.Rio de Janeiro: Estudos Americanos (Metanoia), 2018, v. 1, p. 20-40.

2.
Belmonte, A.; COSTA, L. B. P. . Bolivianos longe da pacha: imigrantes no Rio de Janeiro. In: BELMONTE, Alexandre e LEMOS, Maria Teresa Toribio Brittes. (Org.). Bolivia-Brasil: trânsitos migratórios e culturais (edição bilíngue). 1ed.Rio de Janeiro: Estudos Americanos (Metanoia), 2018, v. 1, p. 22-42.

3.
Belmonte, A.. Arqueologia, história e memória: mineiros, El Tío e a Virgem Maria nos caminhos dos socavões. In: BELMONTE, Alexandre e HUNEFELDT, Christine. (Org.). As minas e o cotidiano do mineral: experiências humanas coloniais (Coleção Mundo Andino, vol 1). 1ed.Rio de Janeiro: Estudos Americanos (Metanoia), 2018, v. 1, p. 65-90.

4.
Belmonte, A.. A transformação dos relatos quinhentistas em documento histórico e o pensamento sobre a História no século XIX: o caso de Varnhagen. In: LEMOS, M.T.T.B; DANTAS, A.T.. (Org.). A Grande aldeia: América Latina - tradição e modernidade. 1ed.Rio de Janeiro: Quartet, 2017, v. 1, p. 243-262.

5.
JABBOUR, E. M. K. ; DANTAS, A. T. ; Belmonte, A. . Ciclos econômicos, desenvolvimento e mercado: anotações sobre o socialismo e a etapa primária. In: Bertolino, Oswaldo; Monteiro, Adalberto. (Org.). Cem anos da Revolução Russa: legados e lições. 1ed.São Paulo: Anita Garibaldi: Fundação Mauricio Grabois, 2017, v. , p. 272-.

6.
Belmonte, A.. Imprensa, Leitores e Leituras no Século XVI: Possibilidades de Recepção. In: LEMOS, M.T.T.B; DANTAS, A.T.. (Org.). A Grande aldeia: América Latina - tradição e modernidade. 1ed.Rio de Janeiro: Quartet, 2017, v. 1, p. 263-282.

7.
Belmonte, A.. Mundo Novo e Paraíso Terrestre: o 'transe' dos viajantes da Conquista da América. In: LEMOS, M.T.T.B.. (Org.). América Latina: identidades em construção. 1ed.Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008, v. 1, p. 7-33.

8.
Belmonte, A.. Globalização, Educação e Exclusão. In: LEMOS, M.T.T.B. (Org.). Religião,Violencia e Exclusão. 1ªed.Rio de Janeiro: 7Letras, 2006, v. 1, p. 9-24.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
Belmonte, A.. Diálogo com o autor - Projeto Imigrante. Revista de História da Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, p. 96 - 96, 01 ago. 2014.

2.
Belmonte, A.. A invasão dos 'rudes'. Revista de História da Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, 01 jan. 2014.

3.
Belmonte, A.. A invasão dos 'rudes' (online). Revista de História da Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, 01 jan. 2014.

4.
Belmonte, A.. Canibalismo à Francesa. Revista de História (Rio de Janeiro), Rio de Janeiro, , v. 92, p. 1 - 1, 01 maio 2013.

5.
Belmonte, A.. Saudades do Novo Mundo. Revista de História (Rio de Janeiro), Rio de Janeiro, , v. 92, p. 42 - 45, 01 maio 2013.

6.
Belmonte, A.. Isso ainda pega. Revista de História (Rio de Janeiro), Rio de Janeiro, p. 57 - 57, 01 jul. 2012.

7.
Belmonte, A.; Garcia, Bruno ; Elias, Rodrigo . Nossos Estranhos Vizinhos. Revista de História (Rio de Janeiro), p. 26 - 29, 01 fev. 2012.

8.
Belmonte, A.. Negócio das Índias. Revista de História (Rio de Janeiro), p. 55 - 55, 01 fev. 2012.

9.
Belmonte, A.. As Peripécias de Juca Paranhos. Revista de História (Rio de Janeiro), p. 64 - 64, 01 fev. 2012.

10.
Belmonte, A.. Juca Paranhos: o barão bon-vivant. Revista de História da Biblioteca Nacional on-line, 01 fev. 2012.

11.
Belmonte, A.. Folia Colonial. Revista de História da Biblioteca Nacional on-line, 01 fev. 2012.

12.
Belmonte, A.. 2011: o Despertar Árabe. Revista de História da Biblioteca Nacional On-line, Rio de Janeiro, 27 dez. 2011.

13.
Belmonte, A.. Immigrazione Italiana a Rio de Janeiro - http://www.ucemi.it/Notizie/ItaloBrasiliano_060207.pdf. News Italia Press, Itália, , v. 1, p. 1 - 3, 06 fev. 2007.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
Belmonte, A.. Rebeliones americanas en el siglo XVIII: estudios de historia comparada. In: Segundo Congreso Internacional Los Pueblos Indígenas de América Latina, siglos XIX-XXI Avances, perspectivas y retos, 2018, Santa Rosa Toay - La Pampa. Los Pueblos Indígenas de América Latina: Actas del II Cipial. Anabela Abbona e Ignacio Roca (Eds.). Santa Rosa - La Pampa: EDUNLPam, 2018. v. 2. p. 1671-1687.

2.
Belmonte, A.. A Unificação Italiana vista do Império do Brasil: a atuação dos italianos no Rio de Janeiro. In: I Colóquio Internacional Movimentos, trânsitos e memórias, 2016, Niterói. Movimentos, trânsitos e memórias: temas e abordagens.. Niterói: Universo, 2016. v. 1. p. 836-848.

3.
Belmonte, A.. Rebeliões americanas no século XVIII: um olhar na Longa Duração. In: V Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas, 2016, Rio de Janeiro. Anais do V Congresso Internacional do Núcleas. Rio de Janeiro: Nucleas, 2016. v. 5. p. 1-10.

4.
Belmonte, A.. Vadios, usurpadores e indesejáveis: a opinião pública sobre os estrangeiros no Rio de Janeiro (1840-1860). In: IV Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas, 2014, Rio de Janeiro. América Latina - espaços e pensamentos: corpos locais e mentes globais.. Rio de Janeiro: Nucleas, 2014. v. 4. p. 1-20.

5.
Belmonte, A.; TOLEDO, J. N. . A revolta dos Mercenários vista pela imprensa. In: Intelectuais na América Latina: pensamento, contexto e instituições. Dos processos de independência à globalização, 2014, Rio de Janeiro. Intelectuais na América Latina: pensamento, contexto e instituições. Dos processos de independência à globalização. Rio de Janeiro: UERJ/LABIMI. p. 549-556.

6.
Belmonte, A.. Canibalismo en Brasil y en Francia mediante las relaciones de Jean de Léry. In: II Congreso latinoamericano de ciencias sociales y humanidades, 2006, Mérida, Yucatán. Anais do Segundo Congreso Latinoamericano de Ciencias Sociales y Humanidades, 2006. v. 1. p. 1-20.

7.
Belmonte, A.. A Gestação do Fascismo - Imprensa e Opinião Pública. In: VII Encontro Regional da Associação Nacional de História, 1996, Rio de Janeiro. Anais do VII Encontro Regional da Associação Nacional de História: História e Violência. Rio de Janeiro: UERJ/CSS/ANPUH, 1996.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
Belmonte, A.. Globalização, Educação e Exclusão. In: Interculturalidades na América Latina: Religiã e Multicultiralismo - II Semana de Religião: Povos e Culturas das Américas, 2006, Rio de Janeiro. Interculturalidades na América Latina: Religiã e Multicultiralismo - II Semana de Religião: Povos e Culturas das Américas. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2006. v. 1. p. 88-90.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
Belmonte, A.. América Indígena Comparada: fontes, temas e debates de História Indígena na Longa Duração. In: V Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas, 2016, Rio de Janeiro. Américas: processos civilizatórios e crises do capitalismo contemporâneo. Rio de Janeiro: Nucleas, 2016. v. 1. p. 104-108.

2.
Belmonte, A.. Os projetos de colonização do Império e a opinião pública sobre os estrangeiros. In: IV Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas, 2014, Rio de Janeiro. Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas. Rio de Janeiro: Nucleas, 2014. v. 4. p. 288-288.

3.
Belmonte, A.. Saudades do Novo Mundo: a aventura de Jean de Léry. In: VII Fórum de Debates - Povos e Culturas das Américas - Cidades em debate: economia, meio ambiente e sustentabilidade, 2013, Rio de Janeiro. Fórum de Debates - Povos e Culturas das Américas, 2013. v. 7. p. 61-62.

4.
Belmonte, A.. Encontros e Confrontos: Descoberta do Outro e de si mesmo Através do Relato do Viajante Jean de Léry. In: 52º Congreso Internacional de Americanistas, 2006, Sevilha., 2006, Sevilha. Congreso Internacional de Americanistas. Simpósio (52.:2006: Sevilha. Espanha.). Rio de Janeiro: Uerj, Nucleas, 2006. v. 1. p. 17-17.

5.
Belmonte, A.. A experiência do calvinista Jean de Léry com a religiosidade dos tupinambá. In: America Latina e o Processo de Modernização: Economia, Sociedade e Cosmovisões, 2005, Rio de Janeiro. America Latina e o Processo de Modernização: Economia, Sociedade e Cosmovisões. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2005. v. 1. p. 76-76.

6.
Belmonte, A.. A Experiência Fascista Italiana: historiografia e Opinião Pública. In: Semana de Iniciação Científica do CNPq, 1997, Rio de Janeiro. Resumos: 6a. Semana de Iniciação Científica. Rio de Janeiro: UERJ-DCARH, 1997. v. 1. p. 248-248.

7.
Belmonte, A.. A Experiência Fascista na Itália: imprensa e opinião pública. In: V Semana de Iniciação Científica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 1996, Rio de Janeiro. Caderno de Resumos da V Semana de Iniciação Científica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 1996.

Artigos aceitos para publicação
1.
Belmonte, A.. Resenha do livro 'Galegos nos trópicos: invisibilidade e presença da imigração galega no Rio de Janeiro (1890-1930)'. NAVEGAR - REVISTA DE ESTUDOS DE E/IMIGRAÇÃO, 2018.

2.
Belmonte, A.. Resenha do livro 'La mujer en la historia de Bolivia - imágenes y realidades de la colonia (antología)'. LATINIDADE (RIO DE JANEIRO), 2018.

Apresentações de Trabalho
1.
Belmonte, A.. Reflexões sobre a antiguidade da América: o altiplano andino como caso paradigmático. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
Belmonte, A.. Insurgências, Rebeliões e Revoluções - as origens do mundo contemporâneo. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
Belmonte, A.. Cidades, economia, sustentabilidade: gentrificação, mercantilização dos espaços públicos e mais-valia imobiliária. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
Belmonte, A.. Rebeldes, rebeliões e revolução nos Andes na longa duração: considerações acerca da memória e esquecimento na história andina. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
Belmonte, A.. As cholas bolivianas na Longa Duração. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
Belmonte, A.. História Antiga da América - reflexões e perspectivas. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
Belmonte, A.; HUNEFELDT, C. . Rebeliones en el Alto Perú en el siglo XVIII: Cosmovisión Indígena, Larga Duración e Historia Comparada. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

8.
Belmonte, A.. Rebeliones en el Alto Perú en el siglo XVIII: una revolución en la larga duración. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

9.
Belmonte, A.. Invasão espanhola da América. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

10.
Belmonte, A.. Mitayos e mineiros no Cerro Rico de Potosí: nova fé e antigos deuses nos caminhos dos socavões. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
Belmonte, A.. O Inca Garcilaso de la Vega: um mestiço letrado no século XVI. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

12.
Belmonte, A.. Rebeliones americanas en el siglo XVIII: estudios de Historia Comparada.. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

13.
Belmonte, A.; COSTA, Leonardo . Material simbólico e identidad boliviana en Rio de Janeiro. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

14.
Belmonte, A.. As culturas originárias do altiplano boliviano. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

15.
Belmonte, A.. Os bairros do Rio: Morro do Pinto e a zona portuária. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

16.
Belmonte, A.. Os projetos de colonização do Império e a opinião pública sobre os estrangeiros. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

17.
Belmonte, A.. Viagens e viajantes no século XVI: o impacto do Novo Mundo na Europa. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

18.
Belmonte, A.. Saudades do Novo Mundo: a aventura de Jean de Léry. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

19.
Belmonte, A.. A Revolta dos Mercenários vista pela imprensa. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

20.
Belmonte, A.. Sobre a obra de Daisaku Ikeda ?Dialogue Orient-Occident. Vers une Révolution Humaine?.. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

21.
Belmonte, A.. A presença de italianos no Rio de Janeiro - 1850-1870. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
Belmonte, A.. Saudades do Brasil: a experiência do viajante Jean de Léry entre os tupinambás.. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

23.
Belmonte, A.. Memória e esquecimento: lugares e histórias invisíveis. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

24.
Belmonte, A.. Ser estrangeiro no Brasil: entre memória e esquecimento. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

25.
Belmonte, A.. Formação Universitária e Capacitação Profissional - Universidade, Mercado de Trabalho, Globalização. 2007. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

26.
Belmonte, A.. Jean de Léry: solidão, memória, fome e saudades do Brasil. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

27.
Belmonte, A.. A experiência do calvinista Jean de Léry com a religiosidade dos tupinambá. 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

28.
Belmonte, A.. Encontros e confrontos: a experiência de Jean de Léry com a religiosidade dos tupinambá. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

29.
Belmonte, A.. A Experiência Fascista Italiana: historiografia e opinião pública. 1997. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

30.
Belmonte, A.. A Gestação do Fascismo - Imprensa e Opinião Pública. 1996. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções bibliográficas
1.
Belmonte, A.; REVILLA ORIAS, P. . Padre, já não toleramos seus abusos: gestões afro-indígenas para libertar um escravo (Charcas, século XVIII). Rio de Janeiro: Estudos Americanos, 2018. (Tradução/Artigo).

2.
Belmonte, A.. Resenha de La segunda vez como farsa: etnografía de una cárcel de mujeres en Bolivia. Rio de Janeiro: Revista Latinidade, 2017 (resenha).

3.
Belmonte, A.. 'Baço', 'Brown' e 'un milieu': a tradução das cores e as categorias das castas de metais, 2017. (Tradução/Artigo).

4.
Belmonte, A.. Brasileiro Saxofone, 2015. (Tradução/Outra).

5.
Belmonte, A.. Ascensão e Queda do Comunismo. Rio de Janeiro: Record, 2012 (resenha).

6.
Belmonte, A.. Correntes Históricas na França - séculos XIX e XX. Rio de Janeiro: FGV, 2012 (resenha).

7.
Belmonte, A.. O Grande Sedutor. Cassará, 2012 (resenha).

8.
Belmonte, A.. O 'Enigma do Mestre': considerações sobre a relação aprender-ensinar 2004 (ensaio).

9.
Belmonte, A.. Studi di dialettologia: il dialetto di Belvedere Marittimo (Cs) 1998 (ensaio / palestra).

10.
Belmonte, A.. O Sétimo Selo: arte e morte no cinema de Bergman 1996 (resenha).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
Belmonte, A.. Parecer ad hoc para Revista Tempos Históricos. 2018.

2.
Belmonte, A.. Parecer ad hoc para a Revista Neiba. 2017.

3.
Belmonte, A.. Parecer ad hoc para a Revista Transversos. 2017.

4.
Belmonte, A.. Parecer ad hoc para Revista Navegar. 2016.

5.
Belmonte, A.. Paracer ad hoc para Revista Uniabeu. 2013.

6.
Belmonte, A.; Moura, A.M.S. . História Moderna - vol I. 2011.

7.
Belmonte, A.; Freitas, H.M.S. . Filosofia e Educação. 2010.

8.
Belmonte, A.. História da América I - vol I. 2010.

9.
Belmonte, A.; Cavalcante, P. ; Mauad, A.M. . História e Documento - vol I. 2010.

10.
Belmonte, A.; Freitas, H.M.S. . História e Sociologia. 2010.

11.
Belmonte, A.; Mauad, A.M. ; Grinberg, L. . Teoria da História - vol I. 2010.

12.
Belmonte, A.; BELTRÃO, Claudia . História e Filosofia - vol I. 2010.

13.
Belmonte, A.; BELTRÃO, Claudia . História Antiga - vol I. 2009.

14.
Belmonte, A.; Sancovsky, R.R. . História Medieval - vol I. 2009.

Trabalhos técnicos
1.
Belmonte, A.; RODRIGUES, M. S. . Expedição científica ao Parque Nacional Serra da Capivara. 2018.

2.
Belmonte, A.. Relatório de Atividades de Missão Científica ao Parque Nacional Serra da Capivara (Piauí) e à Universidade Federal Do Tocantins - Campus Porto Nacional. 2018.

3.
Belmonte, A.. Missão Científica ao Núcleo Tocantinense de Arqueologia - NUTA / UNITINS / Porto Nacional. 2018.

4.
Belmonte, A.. Design instrucional de material didático para Educação a Distância. 2010.

5.
Belmonte, A.. Design instrucional de material didático para Educação a Distância. 2009.

6.
Belmonte, A.. Design instrucional de material didático para Educação a Distância. 2008.

7.
Belmonte, A.. Design instrucional de material didático para Educação a Distância. 2007.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
Belmonte, A.; GODOY, S. O. . Entrevista com Scarlett O'Phelan Godoy. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).


Demais tipos de produção técnica
1.
Belmonte, A.. O altiplano andino na longa duração: paisagem, arqueologia e história. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

2.
Belmonte, A.. As cholas do altiplano boliviano: história, cultura e sociedade. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

3.
Belmonte, A.; HUNEFELDT, C. . Coleção Mundo Andino. 2018. (Editoração/Coletânea).

4.
Belmonte, A.. Culturas do altiplano boliviano. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

5.
Belmonte, A.. Religião e Cultura na América Antiga. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

6.
Belmonte, A.. Invasão da América. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

7.
Belmonte, A.. Revista de História da Biblioteca Nacional. 2012. (Editoração/Periódico).

8.
Belmonte, A.; Elias, Rodrigo . Descobrimentos - A Aventura da Criação do Mundo. 2012. (Organização de Dossiê).

9.
Belmonte, A.; Moura, A.M.S. . História Moderna - vol I. 2011. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Desenvolvimento Instrucional e Revisão - CECIERJ / CEDERJ).

10.
Belmonte, A.. Revista de História da Biblioteca Nacional. 2011. (Editoração/Periódico).

11.
Belmonte, A.. Memória e História: as barragens do Rio Tocantins e seus impactos, através das memórias de velhos. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

12.
Belmonte, A.. História da América I - vol I. 2010. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Desenvolvimento Instrucional e Revisão - CECIERJ / CEDERJ).

13.
Belmonte, A.; Mauad, A.M. ; Cavalcante, P. . História e Documento - vol I. 2010. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Desenvolvimento Instrucional e Revisão - CECIERJ / CEDERJ).

14.
Belmonte, A.; Mauad, A.M. ; Grinberg, L. . Teoria da História - vol I. 2010. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Desenvolvimento Instrucional e Revisão - CECIERJ / CEDERJ).

15.
Belmonte, A.; Freitas, H.M.S. . Filosofia e Educação. 2010. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Desenvolvimento Instrucional e Revisão - CECIERJ / CEDERJ).

16.
Belmonte, A.; Grin, M. . História e Sociologia. 2010. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Desenvolvimento Instrucional e Revisão - CECIERJ / CEDERJ).

17.
Belmonte, A.. História e Filosofia - vol I. 2010. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Desenvolvimento Instrucional e Revisão - CECIERJ / CEDERJ).

18.
Belmonte, A.. História Antiga - vol I. 2009. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Desenvolvimento Instrucional e Revisão - CECIERJ / CEDERJ).

19.
Belmonte, A.; Sancovsky, R.R. . História Medieval - vol I. 2009. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Desenvolvimento Instrucional e Revisão - CECIERJ / CEDERJ).


Produção artística/cultural
Outras produções artísticas/culturais
1.
Belmonte, A.; CLEMENT, Céline ; ARIAGNO . Virada Cultural - São Paulo. 2009 (Festival).

2.
ZABAT, O. ; Belmonte, A. . Projet Nucleo. 2001 (Vídeo).

3.
ZABAT, O. ; Belmonte, A. . Projet Mémoire d'Adèle. 1998 (Vídeo).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
Belmonte, A.; FELIPPE, E. F.. Participação em banca de Elaine Corrêa de Oliveira.Somente as grandes lutas marcam história - Revolução Sandinista, a história de um povo. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

2.
Belmonte, A.; SILVA, E. S.; AZEVEDO, A. N.. Participação em banca de Ronaldo César Lima Clifton-Riley.História do Role-playing Game no Brasil: da geração Xerox ao século XXI. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

3.
AZEVEDO, A. N.; Belmonte, A.; SILVA, E. S.. Participação em banca de Elisson Samuel Torres Correia da Silva.João do Rio: a cidade e o poeta. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

4.
SENA, André Luís Prudêncio; Belmonte, A.; SAMPAIO, T.. Participação em banca de Diana Marcela Urquiza Bergaño.Ideologias e Relações Internacionais: o Sendero Luminoso. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Relações Internacionais) - IBMR Laureate International University.

5.
Belmonte, A.; FERREIRA NETO, E. L.; MARTINS, A. E.. Participação em banca de Nathânia Barbosa de Mattos.Eis que faço novas todas as coisas: a Renovação Carismática Católica e a Comunidade Canção Nova. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

6.
Belmonte, A.; NERY, L. M.; NOGUEIRA, M. R.. Participação em banca de Larissa Neiva Costa.Banalidade da morte pós-segunda guerra mundial: algumas considerações a partir do romance "O Estrangeiro", de Albert Camus. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

7.
Belmonte, A.; AZEVEDO, A. N.; SILVA, E. S.. Participação em banca de Mônica de Matos T. D'Assumpção.O primeiro ano do governo de Francisco Pereira Passos: aspectos relevantes. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

8.
Belmonte, A.; AZEVEDO, A. N.; SILVA, E. S.. Participação em banca de Cesar Motta Cabral.As comemorações do centenário de Pereira Passos no contexto do governo Vargas. (1930-1936). 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

9.
Belmonte, A.; MENDES, R. A. S.; SEDA, P. R. G.. Participação em banca de Ricardo Cassio Marinho da Silva.Estados Unidos em dois quadros: da colonização à independência. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
Belmonte, A.; FELIPPE, E. F.; SA, E. G.. Comissão organizadora do Concurso para Professor Adjunto em História da América Colonial e Independente. 2015. Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Outras participações
1.
Belmonte, A.. 28ª UERJ Sem Muros. 2018. Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

2.
Belmonte, A.. Banca de Correção da Prova de História do Exame Discursivo do Vestibular Estadual. 2017. Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

3.
Belmonte, A.. Banca de Correção da Prova de História do Exame Discursivo do Vestibular Estadual.. 2016. Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

4.
Belmonte, A.. Banca de Correção da Prova de História do Exame Discursivo do Vestibular Estadual. 2015. Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

5.
Belmonte, A.. Banca de Correção da Prova de História do Exame Discursivo do Vestibular Estadual. 2014. Universidade do Estado do Rio de Janeiro.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
A Antiguidade do continente americano.Reflexões sobre a antiguidade da América: o altiplano andino como caso paradigmático. 2018. (Encontro).

2.
Arqueología, ideología y geopolítica en las controversias sobre la Antigüedad del continente americano.Arqueología, ideología y geopolítica en las controversias sobre la Antigüedad del continente americano. 2018. (Seminário).

3.
Contracultura, psicodelismo e o debate sobre as drogas psicoativas no século XXI.Contracultura, psicodelismo e o debate sobre as drogas psicoativas no século XXI. 2018. (Encontro).

4.
O altiplano andino na longa duração: arqueologia, paisagem, história e cosmovisão - Semana Acadêmica de Relações Internacionais UVA.O altiplano andino na longa duração: arqueologia, paisagem, história e cosmovisão. 2018. (Encontro).

5.
Reflexões sobre a antiguidade da América: Cultura de Clovis, Serra da Capivara e Altiplano Andino em perspectiva - Semana Acadêmica de Relações Internacionais UVA.Reflexões sobre a antiguidade da América: Cultura de Clovis, Serra da Capivara e Altiplano Andino em perspectiva. 2018. (Encontro).

6.
São Raimundo Nonato versus Clovis, ou Piauífirst: arqueologia, ideologia e geopolítica nas controvérsias sobre o povoamento do continente Americano..São Raimundo Nonato versus Clovis, ou Piauífirst: arqueologia, ideologia e geopolítica nas controvérsias sobre o povoamento do continente Americano.. 2018. (Outra).

7.
VI Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas. Rebeldes, rebeliões e revolução nos Andes na longa duração: considerações acerca da memória e esquecimento na história andina. 2018. (Congresso).

8.
VI Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas. As cholas bolivianas na Longa Duração. 2018. (Congresso).

9.
VI Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas. Cidades, economia, sustentabilidade: gentrificação, mercantilização dos territórios públicos e mais-valia imobiliária.. 2018. (Congresso).

10.
VI Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas. Rebeldes, rebeliões e revolução nos Andes: considerações acerca da memória e esquecimento na história andina. 2018. (Congresso).

11.
IX Congreso Internacional de la Asociación de Estudios Bolivianos. Rebeliones en el Alto Perú en el siglo XVIII: una revolución en la larga duración. 2017. (Congresso).

12.
Seminário Nacional Rio de Janeiro - uma cidade em perspectiva.Cidade e Imigração. 2017. (Seminário).

13.
I Colóquio Internacional Movimentos, Trânsitos e Memórias. Movimentos sociais e seus desdobramentos. 2016. (Congresso).

14.
II Congreso Internacional Los Pueblos Indígenas de América Latina. Rebeliones americanas en el siglo XVIII: estudios de Historia Comparada. 2016. (Congresso).

15.
II Simpósio Internacional Interdisciplinaridade em debate: diálogos com América Latina.Mitayos e mineiros no Cerro Rico de Potosí: nova fé e antigos deuses nos caminhos dos socavões. 2016. (Simpósio).

16.
V Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas. O Inca Garcilaso de la Vega: o primeiro intelectual mestiço da América. 2016. (Congresso).

17.
V Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas. Rebeliões americanas no século XVIII: estudos de História Comparada. 2016. (Congresso).

18.
V Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas. Bolivianos no Rio de Janeiro. 2016. (Congresso).

19.
Visão do Novo Mundo por Inca Garcilaso de la Vega.O Inca Garcilaso de la Vega: um mestiço letrado no século XVI. 2016. (Seminário).

20.
Jornada de Estudos E/Imigração.Material simbólico e identidade boliviana no Rio de Janeiro. 2015. (Encontro).

21.
VIII Congreso de la Asociación de Estudios Bolivianos. Material simbólico e identidade boliviana no Rio de Janeiro. 2015. (Congresso).

22.
VIII Fórum de Debates Povos e Culturas da América.As culturas originárias do altiplano boliviano. 2015. (Outra).

23.
VIII Fórum de Debates Povos e Culturas das Américas.Notas e Reflexões sobre os Bairros Cariocas. 2015. (Encontro).

24.
IV Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas. Os projetos de colonização do Império e a opinião pública sobre os estrangeiros. 2014. (Congresso).

25.
Congresso Internacional de História - III Encontro do Grupo de Trabalho da Associação Europeia de Historiadores Latinoamericanistas. A Revolta dos Mercenários vista pela imprensa. 2013. (Congresso).

26.
VII Fórum de Debates Povos e Culturas das Américas.Plenária: Cidades - Economia, Imigração e Sustentabilidade. 2013. (Outra).

27.
VI Fórum de Debates - Povos e Culturas das Américas. A presença de Italianos no Rio de Janeiro: 1850-1870. 2011. (Congresso).

28.
Conferência: Universidade Federal do Tocantins.Memória e esquecimento: lugares e histórias invisíveis. 2010. (Outra).

29.
Conferência - Universidade Federal do Tocantins.Saudades do Brasil: a experiência do viajante Jean de Léry entre os tupinambás. 2010. (Encontro).

30.
I Congresso Internacional do Núcleo de Estudos das Américas. Ser estrangeiro no Brasil: entre memória e esquecimento. 2008. (Congresso).

31.
Simpósio Internacional "A Universidade e a Formação Tecnológica para o Mercado de Trabalho"."Formação Universitária e Capacitação Profissional - Universidade, Mercado de Trabalho, Globalização. 2007. (Simpósio).

32.
Interculturalidades na América Latina: religião e multiculturalismo, II Semana de Religião, Povos e Culturas das Américas. Jean de Léry: solidão, memória, fome e saudades do Brasil. 2006. (Congresso).

33.
América Latina e o Processo de Modernização.. Jean de Léry e a religiosidade dos tupinambá. 2005. (Congresso).

34.
I Semana de Religião - Religião e Multiculturalismo.A Arte como devoção - um olhar sobre a Cultura Brasileira: encontros e confrontos. 2005. (Seminário).

35.
Pré-congresso FIEALC/SOLAR/UERJ/UFES: América Latina e o Processo de Modernização. A experiência do calvinista Jean de Léry com a religiosidade dos Tupinambás. 2005. (Congresso).

36.
VI Semana de Iniciação Científica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.Experiência Fascista Italiana: historiografia e Opinião Pública. 1997. (Outra).

37.
VII Encontro Regional da Associação Nacional de História.A Gestação do Fascismo - Imprensa e Opinião Pública. 1996. (Encontro).

38.
V Semana de Iniciação Científica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.A Experiência Fascista na Itália: imprensa e opinião pública. 1996. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Belmonte, A.; DRAKE, A. O. ; DANTAS, A. T. . Mesa Redonda Cidades, economia, sustentabilidade: mercantilização do território versus cidade inclusiva. 2018. (Congresso).

2.
Belmonte, A.; RODRIGUES, G. R. . Simpósio Revoltas, Revoluções e insurreições: contestação, participação política e circulação de ideias no mundo íbero-americano (secs XVIII-XIX). 2018. (Congresso).

3.
Belmonte, A.; RODRIGUES, G. R. ; FIGUEIREDO, L. R. ; GODOY, S. O. . Mesa Redonda Insurgências, Rebeliões e Revoluções: as origens do mundo contemporâneo. 2018. (Congresso).

4.
HUNEFELDT, C. ; Belmonte, A. ; RODRIGUES, M. S. . Simpósio Rebeliones en el Alto Perú en el siglo XVIII: cosmovisión indígena, larga duración e historia comparada.. 2017. (Congresso).

5.
Belmonte, A.; RODRIGUES, M. S. . Simpósio História, memória, territórios e fronteiras na longa duração: para uma história indígena no Brasil e América Latina. 2016. (Congresso).

6.
Belmonte, A.; PENALOZO, C. ; SILVA, E. S. . Simpósio Movimentos sociais e seus desdobramentos - I Colóquio Internacional Movimentos, Trânsitos e Memórias. 2016. (Congresso).

7.
Belmonte, A.; RODRIGUES, M. S. . Simpósio América Indígena Comparada: fontes, temas e debates de História Indígena na Longa Duração. 2016. (Congresso).

8.
Belmonte, A.; COSTA, L. B. P. . Simposio Inmigración Sudamericana - Presencia Boliviana en Brasil. 2015. (Congresso).

9.
Belmonte, A.; ARIAGNO ; CLEMENT, Céline . Virada Cultural - São Paulo. 2009. (Festival).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Adrián Omar Drake. Transformación Urbana, de Ciudad Dormitorio hacia una ciudad Sostenible: transformación de espacios Físico-Espaciales por necesidades Socio-Culturales (Estudio de Áreas Metropolitanas de Córdoba - Caso Río Ceballos). Início: 2018. Dissertação (Mestrado em Facultad de Arquitectura, Urbanismo y Diseño) - Universidad Nacional de Córdoba - Argentina. (Orientador).

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Charbel Sousa. A participação feminina nas rebeliões kataristas e tupamaristas (1780-1782). Início: 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

2.
Matheus da Costa Paula. Inquisição na América Hispânica: estudos de caso. Início: 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

3.
Gustavo de Almeida dos Reis. Evangelização, sincretismo e ocidentalização nos Andes Centrais (1540-1640). Início: 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ. (Orientador).

4.
Eliane Cerqueira de Lima. Yatiris e curandeiros: práticas xamânicas no altiplano boliviano. Início: 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

5.
Gabriel Léccas. Cosmovisão aimara, indigenismo e cultura política: o caso de Evo Morales. Início: 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

6.
Leonardo Bezerra Pereira da Costa. Túpac Katari e as rebeliões no altiplano aimara: revoltas em Charcas, década de 1780. Início: 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Matheus da Costa Paula. Revoltas, sublevações e rebeliões na América no século XVIII. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, PIBIC / UERJ. (Orientador).

2.
Gabrielle Reginatto do Carmo. Cronistas da invasão e conquista colonial nos Andes: a cosmovisão andina vista na longa duração. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

3.
Bryan Willians Faria Teles. Cronistas da invasão e conquista colonial nos Andes: a cosmovisão andina vista na longa duração. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

4.
Leonardo Bezerra Pereira da Costa. Rebeliões americanas no século XVIII: estudos de história comparada. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ. (Orientador).

5.
Alessandra de Oliveira Elias. Revoltas, sublevações e rebeliões na América no século XVIII. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

6.
Gabriel Camejo Sampaio. Cronistas da invasão e conquista colonial nos Andes: a cosmovisão andina vista na longa duração. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

7.
Gustavo de Almeida dos Reis. A cosmovisão andina vista pelos cronistas da conquista colonial. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Everton Barros Junior. A caridade e as religiões de matriz africana. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Orientador: Alexandre Belmonte.

2.
Hugo Dante Cyro Macedo Müller. O ISEB E O POPULISMO: OS PIONEIROS DO CONCEITO NO BRASIL. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Orientador: Alexandre Belmonte.

3.
Filipe Penteado Santoro. A queda do poder: uma análise da conquista do Império Asteca. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Orientador: Alexandre Belmonte.

Iniciação científica
1.
Eduarda Marçal. Rebeliões americanas no século XVIII: estudos de história comparada. 2018. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ. Orientador: Alexandre Belmonte.

2.
Erick Magalhães Carvalho. Cronistas da conquista colonial: o Inca Garcilaso de la Vega. 2018. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ. Orientador: Alexandre Belmonte.

3.
Rafael Farias dos Reis. Cronistas da conquista colonial: o Inca Garcilaso de la Vega. 2018. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ. Orientador: Alexandre Belmonte.

4.
Leonardo Bezerra Pereira da Costa. Rebeliões americanas no século XVIII: estudos de história comparada. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, PIBIC / UERJ. Orientador: Alexandre Belmonte.



Educação e Popularização de C & T



Textos em jornais de notícias/revistas
1.
Belmonte, A.. A invasão dos 'rudes'. Revista de História da Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, 01 jan. 2014.

2.
Belmonte, A.. A invasão dos 'rudes' (online). Revista de História da Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, 01 jan. 2014.


Apresentações de Trabalho
1.
Belmonte, A.. Saudades do Novo Mundo: a aventura de Jean de Léry. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

2.
Belmonte, A.. A Revolta dos Mercenários vista pela imprensa. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).



Outras informações relevantes


Membro da Associação Nacional de Pesquisadores e Professores de História das Américas (Anphlac), Asociación de Estudios Bolivianos (AEB), Archivo y Biblioteca Nacionales de Bolivia (ABNB), Núcleo de Estudos das Américas (Nucleas), Laboratório de Estudos de Imigração (Labimi).

Pesquisador das culturas do altiplano andino, geografia histórica, arqueologia, história e religião andina (práticas xamânicas na longa duração), e seu contato com a religião cristã (sincretismos, inquisição etc.)

Pesquisador dos processos de formação de identidades e representações da alteridade nos séculos XVI , trabalhando com os seguintes temas: relatos de viagens, iconografia sobre o Novo Mundo, impacto da descoberta do Novo Mundo na Europa, livros, leituras e circulação de idéias no século XVI (França, Itália, Suíça, Espanha, Portugal).

Apoio financeiro recebido do governo italiano (região Calabria) durante o ano de 1998, mediante processo seletivo, para a freqüência de cursos superiores de língua, literatura, história e cinema italianos na Università Dante Alighieri.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 22/10/2018 às 19:46:11