Guilherme Amaral Luz

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8353039068392210
  • Última atualização do currículo em 14/01/2019


Professor do Instituto de História da Universidade Federal de Uberlândia desde agosto de 2004. Possui graduação, mestrado e doutorado em História obtidos na Universidade Estadual de Campinas, sendo a última titulação obtida em 2003. Em 2013, desenvolveu estágio pós-doutoral no Departamento de História da Arte da University of Warwick (Coventry, UK). Tem desenvolvido estudos, pesquisas e orientações sobre práticas e instituições retóricas na América portuguesa e na Europa Católica entre os séculos XVI e XVIII, tendo como foco principal os objetos poéticos e artísticos ligados à cosmovisão (religiosa) da Contrarreforma. Também vem realizando estudos a respeito das relações culturais entre Europa e China no século XVII nos campos da ética e das religiões. Desenvolve projetos ligados à prática de artes marciais do leste asiático e o ensino e a aprendizagem de humanidades na educação básica e na educação informal. Para isso, buscou e tem buscado formação complementar como instrutor de artes marciais chinesas. Tem estudado a teoria da Somaestética de Richard Shusterman em perspectiva transdisciplinar. Dentre as temáticas de pesquisa focalizadas ao longo de sua trajetória acadêmica, destacam-se: o teatro missionário e a tópica do canibalismo na escrita jesuítica da América portuguesa quinhentista, as relações entre retórica e poética nas práticas letradas da América portuguesa entre os séculos XVI e XVIII, a retórica das paixões em escritos políticos sobre as Minas no século XVIII, a iconografia e a imaginação artística da pregação nas artes visuais da Contrarreforma, missões jesuíticas no Brasil e na China na Idade Moderna. Atualmente ocupa a função de coordenador de extensão do Instituto de História da UFU. Mantem o blog: Caminhos Marciais e Humanidades (https://wudao-liberales.blogspot.com/). É um dos coordenadores do programa de extensão SOMA: Ações Transdisciplinares, vinculado à PROEXC/UFU. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Guilherme Amaral Luz
Nome em citações bibliográficas
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.
Av. João Naves de Ávila, 2160. Campus Santa Mônica. Bloco H. Sala 40.
Santa Mônica
38400902 - Uberlândia, MG - Brasil
Telefone: (34) 32394130
Ramal: 29
Fax: (34) 32394396
URL da Homepage: http://www.nephispo.inhis.ufu.br/


Formação acadêmica/titulação


1999 - 2003
Doutorado em História.
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Título: Carne Humana: a retórica do canibalismo na América portuguesa quinhentista, Ano de obtenção: 2003.
Orientador: Paulo Celso Miceli.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: Missão jesuítica; Canibalismo; Retórica.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras / Subárea: Retórica / Especialidade: História da Retórica.
1997 - 1999
Mestrado em História.
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Título: As festas e seus papéis: as representações e dramatizações alegóricas jesuíticas no interior das festas religiosas do Brasil quinhentista,Ano de Obtenção: 1999.
Orientador: Paulo Celso Miceli.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: Teatro Jesuítico; José de Anchieta; Festas Religiosas; Conversão religiosa.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras / Subárea: Literatura Brasileira.
Grande Área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras / Subárea: Literatura Brasileira / Especialidade: Teatro Brasileiro.
1992 - 1996
Graduação em História.
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Título: O Drama da Salvação: Anchieta e a conversão do índio.
Orientador: Paulo Celso Miceli.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.


Pós-doutorado


2013 - 2014
Pós-Doutorado.
University of Warwick, WARWICK, Inglaterra.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas


Formação Complementar


2018 - 2018
Introdução Teórica e Prática ao Tai Chi Chuan da Família Sun. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal de Uberlândia, UFU, Brasil.
2018 - 2018
Habilitação na Forma Longa 103 do Tai Chi Chuan Yang (1º módulo). (Carga horária: 80h).
Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan e Cultura Oriental, SBTCC, Brasil.
2016 - 2016
Chi Kung: Série Fundamental para Saúde e Energia. (Carga horária: 40h).
Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan e Cultura Oriental, SBTCC, Brasil.
2016 - 2016
Instrutor do Sistema Básico de Kung Fu Kuoshu. (Carga horária: 8h).
Federacao Mineira de Kung Fu Kuoshu, FMKK, Brasil.
2015 - 2015
História das Artes Marciais Chinesas: tradição, memórias e modernidade.. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Uberlândia, UFU, Brasil.
2004 - 2004
A Personalidade no Indivíduo Contemporâneo. (Carga horária: 20h).
Universidade Federal de Uberlândia, UFU, Brasil.
2003 - 2003
Gestão da Unidade Acadêmica. (Carga horária: 29h).
Universidade Vale do Rio Doce, UNIVALE, Brasil.
1995 - 1995
The Intensive English Language Course. (Carga horária: 200h).
Lancaster University, LANCS, Inglaterra.
1995 - 1995
The General English Course. (Carga horária: 200h).
Melton College (York), MC, Grã-Bretanha.


Atuação Profissional



Museu de Arte Sacra da Diocese de Uberlândia, MAS, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2016
Vínculo: Voluntário, Enquadramento Funcional: Assessor / Conselheiro, Carga horária: 2
Outras informações
Membro Assessor da Comissão de Arte Sacra, Memória e Bens Culturais da Diocese de Uberlândia de setembro de 2012 a junho de 2014. Nomeado, pelo Bispo Diocesano, para o Conselho Consultivo do MAS, no dia 16/06/2014, por mandato de dois anos.

Atividades

08/2014 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Revista Relicário, .

Cargo ou função
Membro do Conselho Editorial.
06/2014 - 06/2016
Conselhos, Comissões e Consultoria, Conselho Consultvo, .

Cargo ou função
Segundo Secretário.
09/2012 - 06/2014
Conselhos, Comissões e Consultoria, Comissão de Arte Sacra, Memória e Bens Culturais, .

Cargo ou função
Membro Assessor.

Universidade Federal de Uberlândia, UFU, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Associado Nível 4, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2016 - 2018
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Associado Nível 3, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2014 - 2016
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Associado Nível 2, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2012 - 2014
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Associado Nível 1, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2010 - 2012
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto Nível 4, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2008 - 2010
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto Nivel 3, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2006 - 2008
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto Nível 2, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2004 - 2006
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto Nível 1, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

10/2018 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Suplente do INHIS na Representação Junto ao COMPHAC - Conselho Municipal Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Cultural de Uberlândia.
5/2018 - Atual
Direção e administração, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Coordenador de Extensão da Unidade.
5/2018 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Conselho de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis, .

Cargo ou função
Representante do Instituto de História no CONSEX.
3/2018 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Artes, .

07/2005 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Membro do Corpo de Pareceristas da revista Cadernos de Pesquisa do CDHIS.
04/2005 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

08/2004 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Conselheiro do Instituto de História.
08/2018 - 12/2018
Ensino, História - Licenciatura Ou Bacharelado, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estágio Supervisionado II
História Medieval
1/2018 - 12/2018
Extensão universitária , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Laboratório de Ensino e Aprendizagem em História.

Atividade de extensão realizada
Caminhos Marciais, Humanidades e Educação Integral (SIEX: 14885).
07/2017 - 11/2018
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Representante do Curso de História no Fórum de Licenciaturas da UFU.
3/2018 - 07/2018
Ensino, História - Licenciatura Ou Bacharelado, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estágio Supervisionado I
História Antiga do Oriente
8/2017 - 12/2017
Ensino, História - Licenciatura Ou Bacharelado, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estágio Supervisionado II
História Medieval
1/2017 - 12/2017
Extensão universitária , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Laboratório de Ensino e Aprendizagem em História.

Atividade de extensão realizada
Grupo de estudos "Educação Integral e Caminhos Marciais (EduCaM)" (SIEX: 15069).
4/2017 - 8/2017
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estágio Supervisionado I
Projeto Integrado de Práticas Educacionais I (PIPE I)
12/2016 - 07/2017
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Relator do Processo INHIS 035/2016. Proposta de Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em História (Licenciatura e Bacharelado)..
7/2016 - 12/2016
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estágio Supervisionado II
História Medieval
7/2016 - 12/2016
Extensão universitária , Reitoria, Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis.

Atividade de extensão realizada
Kung Fu: caminho para ética e para a cidadania (SIEX 14378).
04/2016 - 12/2016
Extensão universitária , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Laboratório de Ensino e Aprendizagem em História.

Atividade de extensão realizada
Kung Fu: interfaces entre prática de arte marcial e ensino e aprendizagem em humanidades (SIEX 13946).
10/2016 - 11/2016
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Relator do Recurso ao Conselho do INHIS contra a Decisão do Colegiado de Indicação de Descredenciamento da Profa. Dra. Maria Andréa Angelotti Carmo do PPGH-UFU.
10/2016 - 10/2016
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Relator do Processo INHIS/029/2016 - Recurso a descredenciamento de docente do Programa de Pós Graduação em História.
02/2016 - 7/2016
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Constituição do Homem Moderno
PIPE I
02/2015 - 02/2016
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Programa de Pós-graduação em História - PPHIS.

Cargo ou função
Membro do Colegiado do Programa de Pós-graduação em História.
08/2015 - 12/2015
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estágio Supervisionado II
História Medieval
05/2015 - 11/2015
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Membro da Comissão para a Reforma Curricular do curso de História.
03/2015 - 07/2015
Ensino, História, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Seminário de Tese I
02/2015 - 07/2015
Ensino, História - Licenciatura Ou Bacharelado, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Projeto Integrado de Práticas Educativas I (PIPE 1)
03/2014 - 07/2015
Ensino, Relações Internacionais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História Econômica Geral
04/2014 - 05/2015
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Membro do Núcleo Docente Estruturante (NDE) dos cursos de Graduação em História.
07/2014 - 02/2015
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História e Imagem
5/2014 - 7/2014
Conselhos, Comissões e Consultoria, Reitoria, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação.

Cargo ou função
Membro do Comitê Científico Interno do PIBIC/UFU - Área: Ciências Humanas.
03/2014 - 07/2014
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História, Poética e Retórica
11/2012 - 02/2013
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Tópicos Especiais I em História Antiga
08/2012 - 12/2012
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História, Poética e Retórica.
03/2012 - 12/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Programa de Pós-graduação em História - PPHIS.

Cargo ou função
Membro do Colegiado do Programa de Pós-graduação em História.
09/2011 - 12/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Presidente da comissão permanente do INHIS para avaliar os relatórios dos Estágios Probatórios na carreira de Magistério Superior. (PORTARIA INHIS 028/2011 de 15/09/2011)..
11/2012 - 11/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Relator do Pedido de Progressão Horizontal na Carreira do Magistério Superior da Professora Ana Paula Spini de Professor Adjunto II para Professor Adjunto III (Processo INHIS n. 031/2012)..
02/2012 - 11/2012
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História Moderna I
02/2012 - 06/2012
Ensino, História, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Estudos Alternativos em Política e Imaginário. O sublime, o patético e a ilustração: Longino, Rousseau e Burke
05/2012 - 05/2012
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Parecer ao Processo PPGHIS 002/2012: Propostas da Comissão de Bolsas e Reformulações..
02/2011 - 07/2011
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Tópicos Especiais em História Moderna
11/2009 - 06/2011
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Membro da Comissão Permanente de Qualificação da Unidade.
08/2010 - 12/2010
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Métodos e Técnicas de Pesquisa em História - MTPH
07/2009 - 09/2010
Direção e administração, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Programa de Pós-graduação em História - PPHIS.

Cargo ou função
Coordenador de Programa.
07/2009 - 09/2010
Conselhos, Comissões e Consultoria, Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação, .

Cargo ou função
Representante do PPGHIS.
07/2009 - 09/2010
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Programa de Pós-graduação em História - PPHIS.

Cargo ou função
Presidente do Colegiado do PPHIS.
07/2010 - 08/2010
Outras atividades técnico-científicas , Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação, Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação.

Atividade realizada
Relator do Processo 030/2010 - Revalidação de Diploma Expedido no Exterior.
03/2010 - 07/2010
Ensino, História, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Estudos Alternativos em Política e Imaginário: História, Retórica e História da Retórica.
07/2009 - 01/2010
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Métodos e Técnicas de Pesquisa em História - MTPH
06/2009 - 11/2009
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Relator da Resolução INHIS/001/2009. Regulamenta afastamentos de docentes da unidade para estágios de pós-doutorado..
09/2007 - 08/2009
Direção e administração, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Substituto legal na Direção do INHIS (Portaria do Reitor n. 1.002).
01/2009 - 07/2009
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História do Brasil I
10/2008 - 04/2009
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Presidente da Comissão Permanente de Espaço Físico do Instituto de História.
08/2008 - 04/2009
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Programa de Pós-graduação em História - PPHIS.

Cargo ou função
Representante da linha de pesquisa.
07/2008 - 12/2008
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Métodos e Técnicas de Pesquisa em História - MTPH
07/2008 - 12/2008
Ensino, História, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Seminário de Pesquisa em Política e Imaginário
09/2007 - 10/2008
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Membro da Comissão para Elaboração de Novas Normas de Distribuição de Disciplinas.
03/2008 - 07/2008
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História do Brasil I
08/2007 - 02/2008
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Tópicos Especiais em História Moderna
08/2007 - 12/2007
Ensino, História, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Seminário de Pesquisa em Política e Imaginário
08/2007 - 09/2007
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Parecer sobre solicitação de credenciamento da Profa. Dra. Kátia Paranhos no curso de Doutorado..
04/2007 - 08/2007
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História do Brasil I
02/2007 - 08/2007
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Presidente da Comissão Permanente de Orçamento, Diárias e Passagens do INHIS..
04/2005 - 08/2007
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Membro do Conselho Editorial da Revista História & Perspectivas.
08/2005 - 07/2007
Direção e administração, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Coordenador da Linha de Pesquisa Política e Imaginário.
08/2005 - 07/2007
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Membro do Colegiado de Pós-graduação em História.
05/2007 - 06/2007
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Parecer sobre solicitação de credenciamento da Prof. Marta Emísia J. Barbosa no curso de Mestrado..
04/2007 - 05/2007
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Pareceres sobre Plano de Curso de disciplinas..
10/2006 - 03/2007
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História Moderna II
Prática de Ensino de História II
02/2007 - 02/2007
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Coordenação de Seminário de Pesquisa (Graduação).
02/2006 - 02/2007
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Membro da Comissão Permanente de Diárias e Passagens.
11/2006 - 12/2006
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Parecer sobre criação e mudanças de nomes de disciplinas oferecidas pela linha de pesquisa História e Cultura..
11/2006 - 12/2006
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Parecer sobre a criação da disciplina ?Estudos Alternativos em Trabalho e Movimentos Sociais?..
10/2006 - 12/2006
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Parecer sobre o ?Projeto de Criação da Linha de Pesquisa Linguagens ? Estética ? Hermenêutica?..
05/2006 - 10/2006
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História do Brasil I
08/2006 - 08/2006
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Coordenação de Seminário de Pesquisa (Graduação).
06/2006 - 08/2006
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Presidente da Comissão para Diagnóstico e Proposições acerca da Situação do Museu do Índio.
06/2006 - 06/2006
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Coordenação de Seminário de Pesquisa (Graduação).
05/2006 - 06/2006
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Parecer sobre ?Proposta de Reformulação da Linha de Pesquisa História e Cultura e Criação da Linha Hermenêutica, Culturas e Linguagens Artísticas?..
05/2006 - 06/2006
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Parecer sobre solicitação de credenciamento do Prof. Dr. Newton Dângelo no curso de Doutorado..
08/2005 - 04/2006
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História Moderna I
08/2005 - 04/2006
Ensino, História, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Representações Sociais e Políticas
03/2006 - 03/2006
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Coordenação de Seminário de Pesquisa (Graduação).
05/2005 - 01/2006
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Membro da Comissão Relatora do Novo Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em História.
09/2005 - 10/2005
Serviços técnicos especializados , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Programa de Pós-graduação em História - PPHIS.

Serviço realizado
Parecer sobre solicitação de credenciamento do Prof. Dr. Adalberto Paranhos no curso de Mestrado..
08/2005 - 09/2005
Outras atividades técnico-científicas , Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais.

Atividade realizada
Pareceres sobre Planos de Curso de disciplinas..
02/2005 - 07/2005
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História do Brasil I
12/2004 - 01/2005
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais, Instituto de História.

Cargo ou função
Membro da comissão para re-elaborar normas de distribuição de disciplinas.
08/2004 - 01/2005
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da América II
História do Brasil II

Universidade Vale do Rio Doce, UNIVALE, Brasil.
Vínculo institucional

2003 - 2004
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

02/2004 - 08/2004
Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Ciências, Educação e Letras, .

Linhas de pesquisa
Cultura, Sociedade e Região
08/2003 - 08/2004
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Ciências, Educação e Letras, .

Cargo ou função
Membro da Câmara de Pesquisa da Congregação.
03/2003 - 08/2004
Direção e administração, Faculdade de Ciências, Educação e Letras, .

Cargo ou função
Coordenador de Curso.
02/2004 - 06/2004
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Historiografia
Metodologia da História I
Metodologia da História II
03/2004 - 04/2004
Direção e administração, Faculdade de Ciências, Educação e Letras, .

Cargo ou função
Diretor de Unidade.
08/2003 - 12/2003
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História Moderna
Metodologia da História I
Metodologia da História II
Prática de História IV
04/2003 - 07/2003
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Ciências, Educação e Letras, .

Cargo ou função
Membro da Comissão Organizadora da I Semana de Atividades Acadêmicas Científicas e Culturais.
02/2003 - 06/2003
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Prática de História III
Historiografia
História Moderna
Metodologia da História I
Metodologia da História II

Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Vínculo institucional

1999 - 2003
Vínculo: Doutorando, Enquadramento Funcional: Bolsista FAPESP, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

1997 - 1999
Vínculo: Mestrando, Enquadramento Funcional: Bolsista FAPESP, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

04/2001 - 02/2003
Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de História.

Cargo ou função
Membro do Conselho Editorial da revista História Social.
03/1997 - 02/2003
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de História.

Linhas de pesquisa
História, Cultura e Gênero
02/2000 - 06/2000
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Tópicos especiais em História XXXV ("Papéis da alteridade na configuração atlântica do Império Português")
10/1999 - 11/1999
Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de História.

Cargo ou função
Membro da Comissão Organizadora do III Encontro de pesquisa dos Estudantes de História.


Linhas de pesquisa


1.
Cultura, Sociedade e Região

Objetivo: Estudar os processos culturais e sociais da região em suas múltiplas abordagens, enfatizado questões relativas às práticas de representação, de identidade e de construção do espaço das relações sociais em diferentes temporalidades. Estudar a relação entre os processos sociais e as configurações espaciais, nas suas múltiplas temporalidades..
Grande área: Ciências Humanas
Setores de atividade: Educação Superior; Produtos e Serviços Voltados Para A Defesa e Proteção do Meio Ambiente, Incluindo O Desenvolvimento Sustentado.
Palavras-chave: História Ambiental; História Cultural; História Regional.
2.
Núcleo de Estudos e Pesquisas em História Política - NEPHISPO

Objetivo: O NEPHISPO tem como objetivo compreender as relações tecidas entre racionalidades, sentimentos e sensibilidades na história. Elegendo esta problemática como eixo abre-se para temáticas e temporalidades variadas, relevantes para o entendimento da modernidade e dos modos de subjetivação. Parte da constatação inicial da impossibilidade de se compreender a história e as relações de poder sem se levar em conta a presença e a gestão dos sentimentos e das paixões sociais, assim como a intervenção de motivações a um só tempo conscientes e inconscientes nas ações humanas. A consideração da história como campo de exercício privilegiado da razão e da construção de racionalidades revela-se insuficiente, merecendo novas pesquisas atentas às estratégias que se estruturam imbricadas em afetos e sensibilidades. Compreender as relações de poder considerando-se a articulação entre as representações voluntárias e conscientes e aquelas mais ou menos difusas (e que devem precisamente a este caráter difuso sua duração e eficácia), os sentimentos e os processos mentais socialmente compartilhados, a sedução de pensamentos e ideologias solidamente estruturados, o papel da linguagem e da narrativa, bem como as diferentes maneiras de constituição da subjetividade. Interessa-nos igualmente a discussão das relações entre política e estética, compreendida esta última no sentido de que experimentamos a vida e as relações com os outros, a alteridade e as subjetividades sempre sob uma forma específica. Formas que carregam historicidade e pretensão à duração, muitas vezes dando a impressão de atemporalidade. As formas históricas não são da ordem do estritamente racional e muito menos restritas ao campo artístico: um sentimento coletivo, um pensamento político ou um movimento social exprimem-se através de formas. Elas constituem processos que formam, informam, deformam, reformam e transformam incessantemente aquilo que representam. Site: http://www.nephispo.inhis.ufu.br/.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História Política.
Palavras-chave: História Política; Imaginário; Sensibilidade.
3.
Soma: Ações Transdisciplinares (Grupo Cadastrado no Diretório do CNPq)
4.
História, Cultura e Gênero

Objetivo: Linha extinta do programa de Pós-graduação em História do IFCH-UNICAMP, com ênfase em História Cultural e das Mentalidades, abrangendo campos tais como: História do Cotidiano; Representações; Imaginário; Religião e Religiosidades; Cultura Material; Raça, Etnicidade e Racismo e Relações de Gênero. Hoje, esta linha de pesquisa foi desdobrada e a "História Cultural" foi transformada em uma das Áreas de Concentração do referido Programa..
Grande área: Ciências Humanas
Palavras-chave: História Cultural; Gênero; Imaginário; Representação.


Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Caminhos distantes: experiências com artes marciais chinesas no Triângulo Mineiro (1987 ? 2018)
Descrição: O objetivo central da pesquisa é investigar as dinâmicas de transformação, apropriação e ressignificação da cultura marcial chinesa na experiência de vida e memória de praticantes brasileiros radicados no Triângulo Mineiro. Este objetivo integra-se à problemática mais ampla de compreensão da história das artes marciais asiáticas em perspectiva global, investigando a complexidade das fronteiras culturais, étnicas e geográficas nas suas variadas reconfigurações contemporâneas. Buscaremos aprofundar ao máximo nas dimensões subjetivas desta prática, percebendo como, por meio dela, sujeitos específicos se constituíram e vêm se constituindo como tais. A pesquisa traz, como objetivos mais específicos: (1) registrar memórias de praticantes brasileiros de artes marciais da região e os seus testemunhos sobre a história do desenvolvimento de suas artes no Triângulo Mineiro; (2) constituir um acervo digital sobre a história das artes marciais chinesas na região do Triângulo Mineiro; (3) analisar os significados da prática contínua e prolongada de artes marciais para sujeitos cujas trajetórias individuais e familiares não estão associadas a origens étnicas ou nacionais chinesas; (4) compreender as dinâmicas de transformação cultural e identitária envolvidas no processo de ressignificação, transformação e apropriação das artes marciais asiáticas por praticantes brasileiros; (5) problematizar as relações entre o local e o global no processo de ressignificação, transformação e apropriação das artes marciais chinesas por praticantes brasileiros. A base metodológica da pesquisa é a história oral, porém não negligenciando a pesquisa documental e a análise de imagens. Trata-se de uma pesquisa com foco multidisciplinar, articulando história, antropologia e perspectivas sócio-culturais da educação física..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Fabrício Pinto Monteiro - Integrante.
Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 2
2015 - 2017
Zhongyong (中庸) e Constantia. Prudência e cuidado de si na sinologia jesuítica (1661-1692).
Descrição: Esta pesquisa ambiciona refletir a respeito da compatibilização seiscentista de sistemas de preceitos éticos confucionistas, estoicos e cristãos na compreensão jesuítica dos textos clássicos da China Imperial entre, aproximadamente, os anos 1661 e 1692, no reinado de Kangxi, da dinastia Qing. Pretende-se, com isso, investigar como a incorporação do gentio chinês à história cristã impactou a cosmovisão jesuítica e da modernidade europeia quanto aos temas éticos, religiosos e políticos do cuidado e da transformação de si. Ao buscarmos o entendimento de categorias éticas provenientes da tradição confucionista em cruzamento com categorias latinas do estoicismo romano, conforme o rearranjo operado pelos sinólogos jesuítas do século XVII, buscamos isto no campo aberto das suas imprecisões e mal-entendidos (não necessariamente piores do que os próprios mal-entendidos e imprecisões da etnografia e dos saberes antropológicos modernos), ainda que mascaradas pelo suposto rigor da erudição dos padres. Não se trata de uma busca pelos erros e acertos dos missionários, mas das ambiguidades que tornavam o estranho familiar e o familiar estranho, que ora aproximavam ora distanciavam os códigos chineses e cristãos entre si. Trata-se de uma busca pelas armadilhas semânticas presentes nas traduções e nas analogias entre conceitos, pelas hesitações interpretativas e temores de tradução, pelos cuidados e adaptações na transposição de um conceito para um novo arranjo sistêmico. E, no final disso tudo, buscaremos uma coerência, uma ordem. Não tanto uma coerência que seja livre de anomalias e imperfeições, mas, pelo contrário, uma ordem que denote, por hipótese, o cosmopolitismo da compreensão jesuítica de mundo, ou seja, uma compreensão que submete a heterogeneidade das formas humanas à compreensão imperfeita e misteriosa da unidade que elas assumiriam no telos da salvação. Nossa intenção é trabalhar com o que entendemos ser o ápice da sinologia jesuítica durante a dinastia Qing no reinado do imperador Kangxi (1661-1722). Focalizaremos, sobretudo, a obra Confucius sinarum philosophus, sive, Scientia sinensis latine exposita, editada em Paris no ano de 1687. Com isso, privilegiaremos a ação de missionários de origem flamenco-belga na China na segunda metade do século XVII, sobretudo a partir da trajetória do Pe. Philippe Couplet e sua comitiva, até a elevação, em 1692, do Cristianismo ao mesmo patamar do Taoísmo e do Budismo na China, o que duraria até quase o final da vida e do reinado do imperador Kangxi. O impacto desta obra é considerável na China e na Europa. No mundo católico, ela fundamentou importantes vitórias dos jesuítas no contexto da controvérsia dos ritos chineses. Além disso, publicada em Paris, o seu interesse remonta às pretensões diplomáticas e comerciais da corte de Louis XIV, que, no mesmo ano, financiaria a comitiva de jesuítas franceses para a China, sob o comando do Pe. Fontaney. Assim, delimitaremos o período da pesquisa entre, aproximadamente 1661, início do reinado de Kangxi, e 1692, ano em que o Cristianismo alcança o seu ápice de legitimação junto às autoridades imperiais chinesas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2012 - 2016
Pregação para os olhos: as representações da eloquência divina na Europa Católica, durante a primeira modernidade
Descrição: O projeto objetiva explorar as interconexões entre a arte retórica de pregar, os seus componentes visuais e sua representação nas artes europeias da Contrarreforma. A ênfase recai sobre a definição e a interpretação da eloquência divina (a retórica do sagrado) nos seus componentes não verbais (gestos, atitudes, expressões e performance do pregador). O objetivo principal desta pesquisa é compreender a imaginação artística da eloquência divina tal como se apresenta na representação pictórica de pregadores exemplares in actio, na Europa Católica do século XVII. Na fase atual da pesquisa, concentra-se os estudos na análise de três telas selecionadas como foco: A Pregação de São João Batista no Deserto (c. 1634-5) de Massimo Stanzione, São João Batista Pregando no Deserto (c. 1636-7) de Guido Reni e São Paulo Pregando aos Efésios (1649) de Eustache Le Sueur. Buscar-se-á analisar as transformações e variações na iconografia de São João Batista e São Paulo entre as últimas décadas do século XVI e meados do século XVII, de modo a perceber suas eficácias e relevâncias como veículo de representação (visual) do pregador exemplar. Avaliaremos o papel dos gestos, expressões faciais, posturas corporais e outros elementos cinéticos dos pregadores e seus auditórios na busca dos artistas seiscentistas por dar visibilidade ao invisível conceito de eloquência divina. Tudo isso, tendo em vista dimensionar a importância dos componentes visuais e gestuais na elaboração de uma artística voltada à comunicação religiosa católica na época da Contrarreforma e da expansão do Catolicismo para além das fronteiras europeias. Durante o ano de 2013, foi realizada parte da primeira etapa desta pesquisa por meio de um Estágio Pós-doutoral (Estágio Sênior) no Departamento de História da Arte da Universidade de Warwick, em parceria com o Professor Lorenzo Pericolo e colaborações das professoras Louise Bourdua e Rebecca Earle. O estágio foi realizado com bolsa da CAPES (BEX 10161/12-0). Na ocasião, a pesquisa contou também com apoio financeiro do Grupo Santander (UK) no valor de 5 mil libras na linha Santander Latin America Collaboration Awards, em parceria com a Universidade de Warwick..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Renato Cymbalista - Integrante / Lorenzo Pericolo - Integrante / Luís Filipe Silvério Lima - Integrante / Rebecca Earle - Integrante / Louise Bourdua - Integrante.Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa / Santander Group (UK) - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 36
2010 - 2013
Religião, Natureza e Costumes: gestos, saberes e discursos na América portuguesa (século XVIII)
Descrição: Esta pesquisa busca investigar a articulação entre os domínios da moral, da ciência e da religião nas práticas, saberes e discursos políticos da e sobre a América portuguesa do século XVIII, focalizando, mais detidamente, a região mineradora e suas adjacências. Seu objetivo é perceber a constituição/transformação do ethos português ultramarino, levando em conta as transformações intelectuais, culturais e políticas da Europa moderna e os múltiplos aspectos relativos ao viver em colônia. Será desenvolvida por equipe formada por três pesquisadores, cada qual responsável por um subprojeto com temática própria, mas articulado à problemática mais ampla da constituição do ethos português ultramarino, a partir da consideração das racionalidades, moralidades e espiritualidades em articulação na sociedade mineira setecentista. Projeto financiado pelo CNPq (400475/2010-3) e apoiado com duas bolsas de Iniciação Científica do PIBIC/UFU/FAPEMIG (IC‐FAPEMIG2010‐0076 e IC‐FAPEMIG2010‐0126) e outras três do PIBIC/UFU/CNPq (Edital 03/2011). Parte dos resultados finais foi publicada na coletânea Ordem Crítica (Fino Traço, 2013), organizada pela equipe do projeto e com financiamento da FAPEMIG (PLT 00108-12)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Jean Luiz Neves Abreu - Integrante / Mara Regina do Nascimento - Integrante / Rafael de Lima Fonseca - Integrante / Durval Saturnino Cardoso de Paula - Integrante / Ana Maria Bertolino - Integrante / Erik Luiz Wutke Ribeiro - Integrante / Jéssica Honório de Oliveira Silva - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Auxílio financeiro / Universidade Federal de Uberlândia - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 14 / Número de orientações: 2
2007 - 2011
Configurações retóricas, poéticas e políticas do Cristianismo
Descrição: O objetivo desta pesquisa é abrigar estudos que busquem compreender as formas de combate empreendidas pelo Cristianismo diante das ameaças (internas ou externas) contra a unidade cristã e ao seu poder entre os séculos XII e XVI. Privilegia-se, especialmente, os estudos sobre as práticas retóricas e poéticas deste "cristianismo combativo", que apostará nos meios persuasórios da linguagem como instrumentos, dentre outros, de propaganda política e religiosa. Nesse sentido, focalizam-se não somente os meios institucionais disponíveis à Igreja, mas também os demais mecanismos "literários" difusos nos ambientes de corte e nas ordens de cavalaria, por exemplo. Em termos cronológicos, a pesquisa tende a privilegiar fenômenos inscritos entre o séculos XII e o XVI (embora não exclusivamente, podendo-se retroceder, por exemplo, ao estudo da Patrística e da Igreja "tardo-antiga"), momento de longa duração em que a Igreja vivencia, por um lado, a definição mais uniformizada de sua ortodoxia doutrinal e dogmática e, por outro, começa a fragmentar-se paulatinamente até o cisma das Reformas. Sendo assim, as próprias Reformas (protestantes e católica) passam a interessar a estes estudos, especialmente no que concerne às suas práticas retóricas e poéticas de combates mútuos. Analogamente, interessa à pesquisa o estudo das relações entre centralização monárquica, formação de impérios ultramarinos e ética combativa/missionária cristã na Europa Ocidental entre os séculos XV e XVI..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Matielo de Oliveira Vieira - Integrante / Fernanda Costa Vaz - Integrante.
Número de produções C, T & A: 5 / Número de orientações: 2
2007 - 2009
Cultura e Representações Políticas na História do Brasil
Descrição: Este projeto reúne estudos que buscam compreender historicamente aspectos da cultura política brasileira (principalmente republicana) sob o prisma das formas discursivas envolvidas em seus rituais de perpetuação. Nesse sentido, importa sondar práticas políticas de grupos sociais dos mais diversos, buscando perceber, nelas, os lugares ?linguageiros? simbolicamente eficazes que são mobilizados nos debates travados na esfera pública. Assim, as relações entre política, religião, linguagem, ciência. literatura e cultura são privilegiadas na abordagem proposta. Dentre as áreas temáticas abarcadas por este projeto, destacam-se: as representações dos espaços e poderes públicos e da ?cidadania?, a propaganda política e as práticas simbólicas de (re)produção dos mecanismos de poder..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Radamés Vieira Nunes - Integrante / Roberto Mendes Ramos - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Bolsa / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 16 / Número de orientações: 3
2005 - 2014
Retórica, Poética e Representação Política na América Portuguesa (1550 - 1720)
Descrição: A geração do sentimento de pertença ao Império português em seus súditos ultramarinos é um elemento fundamental para a administração das colônias em acordo com as políticas metropolitanas entre os séculos XVI e XVIII. Nesse sentido, a (re)afirmação dos diversos pactos que constituem a ordenação hierárquica do corpo social do Império é algo que se persegue no conjunto das práticas letradas da América portuguesa. Pensando política como ação simbólica e representação como evidenciação prescritiva da ordem social de acordo com orientações retórico-político-teológicas, o que se propõe aqui é o estudo das práticas letradas da América portuguesa, em seus diversos gêneros textuais, como formas de representação política..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (4) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Clara Rodrigues Couto - Integrante / Stela Beatriz Duarte - Integrante / Erika Silva Quites Machado - Integrante / Cléber Vinícius do Amaral Felipe - Integrante / Maria Angelina Soares Neta - Integrante / Ludmila Gomide Freitas - Integrante.Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Bolsa / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Cooperação / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 111 / Número de orientações: 15
2005 - 2007
Heroísmo Épico e Elogio Fúnebre na América Portuguesa (século XVI e XVII)
Descrição: Estudo dos modelos de "bom governo" na América portuguesa, através da leitura histórico-retórica de "Os Feitos de Mem de Sá", de José de Anchieta, e "Vida ou Panegírico Fúnebre de Dom Afonso Furtado de Mendonça", de Juan Lopez Sierra..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2004 - 2005
Percursos do olhar naturalista: a Estrada Real e os viajantes estrangeiros no Brasil (1816 - 1822)
Descrição: Centrando nos textos de viagens produzidos por Karl Friedrich Von Martius, Johanes Baptist Von Spix e por Augustin de Saint-Hilaire, este projeto visa perceber como a experiência dos autores/viajantes na Estrada Real dialoga com o saber naturalista para a apreensão da natureza e da civilização de Minas Gerais no contexto das viagens científicas para o Brasil no início do século XIX..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Alexandre Torres Fonseca - Integrante / Haruf Salmen Espíndola - Integrante / Jean Luiz Neves Abreu - Integrante / Marcos Rogério Cordeiro Fernandes - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Bolsa / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 16 / Número de orientações: 2
1999 - 2003
Carne humana: a retórica do canibalismo na América portuguesa quinhentista.
Descrição: Projeto de Doutorado, cujo objetivo é compreender a circulação de discursos sobre o canibalismo indígena no conjunto dos textos que compõem boa parte da produção letrada sobre o Brasil no século XVI, dando especial destaque aos exemplares jesuíticos. Procura-se interpretar os sentidos desses discursos em relação aos projetos teológico-políticos de fixação européia em territórios nos quais viviam os supostos canibais..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
1997 - 1999
Representações e dramatizações alegóricas nas festas religiosas jesuíticas do Brasil quinhentista
Descrição: Projeto de Mestrado, cujo objetivo é analisar os significados históricos do chamado "teatro jesuítico" no contexto missionário da América portuguesa quinhentista, trabalhando mais especificamente com os textos daquele que é conhecido como "caderno de Anchieta"..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2018 - 2018
Grupo de estudos: Educação Integral e Caminhos Marciais (EduCaM) - SIEX 16609
Descrição: Este projeto é uma continuidade do "Grupo de estudos 'Educação Integral e Caminhos Marciais (EduCaM)'", iniciado em 2017, sob o registro SIEX 15069. Ele agrega professores do ensino superior e da educação básica, estudantes de cursos de formação de professor e praticantes de artes marciais, interessados em refletir e estudar as conexões possíveis entre educação integral e prática de caminhos marciais. Mais especificamente, ele focaliza os aspectos sociais e culturais dessas práticas, abordando-os sob um prisma multidisciplinar. Lotado no Instituto de História, na sua primeira edição, não ficou restrito a este campo, contando, entre os seus interlocutores, participantes com formação em Geografia e Educação Física, por exemplo. Em 2018, o grupo de estudos está organizado em torno do eixo "aspectos sociais e culturais da prática contemporânea de artes marciais chinesas". Na prática, ele ocorrerá na forma de oficinas de elaboração, crítica e reelaboração de materiais didáticos sobre sociedade e cultura, voltados à formação humanística de praticantes de artes marciais chinesas. Faremos seis encontros presenciais para este fim, abertos a quaisquer interessados, sejam eles da comunidade acadêmica da UFU ou da comunidade externa. O material produzido no grupo será testado no projeto "Kung Fu: interfaces entre prática de arte marcial e ensino e aprendizagem em Humanidades (Ano III)", por meio do qual estarão sendo formados monitores para a continuidade de ações educacionais com o kung fu na cidade de Tupaciguara-MG..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Fabrício Pinto Monteiro - Integrante / Sara Nunes Giffoni - Integrante / Marcelo Silva - Integrante.
Número de produções C, T & A: 4
2018 - 2018
Estratégias de autodefesa para mulheres contra agressões físicas masculinas (SIEX 17854)
Descrição: Esta ação se integra a um conjunto de propostas envolvendo a tematização das artes marciais em suas dimensões culturais e sociais, presentes no programa "Caminhos Marciais, Humanidades e Educação Integral". Neste caso, as artes marciais, como prática de auto-cuidado e de auto-defesa, são apresentadas como uma possível ferramenta tanto para pensar a violência contra mulheres na sociedade atual quanto para favorecer o desenvolvimento de atitudes defensivas e preventivas para elas. Desenvolvida na forma de oficinas para mulheres, esta ação pretende oportunizar o desenvolvimento de algumas habilidades e estratégias básicas para que pessoas supostamente mais frágeis fisicamente consigam se proteger contra agressores aparentemente mais fortes. Seu público alvo são mulheres, pessoas que, pela simples condição de serem de um sexo específico, tornam-se potencialmente vítimas de agressores masculinos que se supõem mais fortes, mais corajosos e, por isso, mais poderosos. As artes marciais podem ajudar as mulheres duplamente, pois desmontam os estereótipos que a rebaixam simbolicamente como sexo frágil e dão instrumentos a elas para que, em caso de necessidade, defendam-se contra abusadores masculinos..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2018 - 2018
Introdução Teórica e Prática ao Tai Chi Chuan da Família Sun
Descrição: Curso introdutório ao Tai Chi Chuan da Família Sun, compreendendo: (I) Seminário teórico, ministrado pelo Prof. Rodrigo Wolff Appoloni, sobre os princípios do estilo Sun e as biografias de Sun Lu Tang e de sua filha, Sun Jian Yun. (II) Oficina para transmissão da forma de punho livre de 13 movimentos, criada pelo mestre Tery Yip. Atividade ministrada pelo professor Rodrigo Wolff Apolloni, do Centro Ásia, de Curitiba-PR. Curso voltado para qualquer interessado na prática, na teoria e na cultura relacionada às artes marciais chinesas..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2018 - Atual
Kung Fu: interfaces entre prática de arte marcial e ensino e aprendizagem em Humanidades (Ano III) - SIEX 16671
Descrição: Pelo terceiro ano consecutivo, este projeto será implementado no município de Tupaciguara-MG (vizinho de Uberlândia), com vistas à promoção da educação integral por meio do diálogo entre prática de arte marcial (chinesa) e estudos em humanidades. Trata-se de uma parceria de sucesso entre quatro instituições: a Universidade Federal de Uberlândia (via Laboratório de Ensino e Aprendizagem em História, do Instituto de História), a Federação Mineira de Kung Fu Kuoshu, a Escola Estadual Sebastião Dias Ferraz e a organização social Casa Plural. Ao longo dos anos de 2016 e 2017, foi constituído um grupo de participantes mais regulares do projeto. Estes praticantes vêm amadurecendo tecnicamente e ampliando consideravelmente os seus referencias culturais sobre a China, sobre as artes marciais e sobre a difusão da sua cultura no ocidente, especialmente no Brasil. Neste terceiro ano, o foco dos trabalhos será concentrado na continuidade de "formação" destes sujeitos. Por isso, o projeto não será, em 2018, aberto para iniciantes. Neste ano, o objetivo principal será formar monitores que, a partir de 2019, possam assumir o protagonismo das próximas edições, de modo relativamente mais livre e independente, com maior autonomia e desenvoltura. Tratase, portanto, de um momento voltado à formação de agentes multiplicadores. Ao mesmo tempo, busca-se não interromper os processos individuais de busca e descoberta destes participantes quanto aos seus próprios caminhos de formação e auto-educação nas artes marciais e nos estudos culturais. Pelo contrário, somente com o crescimento pessoal de cada um dos envolvidos é possível uma verdadeira abertura para ofertar algo de significativo para os outros..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
2018 - Atual
Cultura marcial chinesa no Triângulo: memórias e identidades híbridas (SIEX: 17794)
Descrição: Este projeto articula-se a atividades de ensino, pesquisa e extensão que vêm sendo conduzidas na Universidade Federal de Uberlândia sobre a prática de artes marciais chinesas nas suas dimensões históricas e culturais. Uma questão central dos estudos realizados diz respeito à internacionalização das artes marciais chinesas e a fruição de aspectos de sua cultura em contextos muito distintos daqueles de sua origem. Trata-se de um fenômeno de constituição de identidades híbridas possibilitadas pela dispersão demográfica de chineses pelo mundo desde a época da Revolução Cultural, pelo advento da China como uma das grandes potências econômicas do mundo, pela difusão esportiva do Wushu, pela sua presença na cultura de massa (especialmente no cinema) e pelo imaginário orientalista que fez/faz parte do universo contemporâneo da contracultura, dos novos movimentos religiosos e do multiculturalismo, por exemplo. Na região do Triângulo Mineiro, as artes marciais chinesas estão sistematicamente estabelecidas desde, pelo menos, a década de 1980, sobretudo, nas cidades de maior porte, como Uberlândia e Uberaba. É difícil calcular a quantidade de praticantes, mas é certo que eles englobam perfis variados e modos diversos de fruição, tais como o esportivo, o terapêutico ou o cultural. Esta proposta buscará aproveitar os eventos relacionados às artes marciais chinesas na cidade, em particular, o Campeonato Mineiro de Kung Fu Kuoshu, para, em um primeiro momento, investigar itinerários histórico-culturais das manifestações da cultura marcial chinesa na região e, num segundo momento, apresentar estes itinerários a uma parcela significativa de seus praticantes. Assim, pretende-se realçar os sentidos históricos desta cultura na região..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Fabrício Pinto Monteiro - Integrante / Gustavo Rodrigues Rosato - Integrante.Financiador(es): Universidade Federal de Uberlândia - Auxílio financeiro.
2018 - Atual
Programa de Extensão - SOMA: ações transdisciplinares (SIEX 17766)
Descrição: Soma é um conceito que sintetiza um paradigma da unidade corpo-mente-cultura. Ele se fundamenta na teoria da somaestética a partir, sobretudo, dos trabalhos de Richard Shusterman. A somaestética busca a reintegração destes domínios de modo a recuperar uma compreensão mais complexa da natureza e da cultura. A separação entre corpo e mente/espírito/alma ou entre natureza e cultura não é universal. Antes, é construção histórica e culturalmente localizável. Outros povos, ?civilizações? e culturas com trajetórias históricas distantes das matrizes hegemônicas da ?modernidade ocidental? desenvolveram modos distintos de compreender as relações entre corpo, mente e cultura. O Programa de Extensão proposto pelo grupo ?SOMA: Ações Transdisciplinares? propõe-se a realizar ações que busquem promover a educação, a saúde e o bem-estar sob o paradigma da unidade corpo-mente-cultura. Tratam-se de ações de profunda relevância social, pois, para além de uma perspectiva meramente filantrópica ou assistencialista, operam no âmbito das consciências e sensibilidades dos indivíduos, tornando-os mais atentos e cuidadosos em relação a si mesmos, aos outros e ao planeta em que vivemos. São ações que dialogam com culturas corporais variadas, dando destaque, principalmente, ao Yoga, às disciplinas de meditação e às artes marciais..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Diana Salles Sampaio - Integrante / Luciana Mourão Arslan - Integrante / Monica Camargo Sopelete - Integrante / Cristiane Amaro da Silveira - Integrante / Ana Marta de Souza - Integrante / Sandra Mara Alfonso - Integrante / Sigrid Bitter - Integrante.
Número de produções C, T & A: 77
2017 - 2017
Kung Fu: interfaces entre prática de arte marcial e ensino e aprendizagem em Humanidades (Ano II) SIEX: 15055
Descrição: Esta é uma proposta que visa dar continuidade ao projeto homônimo (SIEX 13946), desenvolvido durante o ano de 2016. Trata-se de uma parceria entre o Laboratório de Ensino e Aprendizagem em História (LEAH) do INHIS-UFU, a Federação Mineira de Kung Fu Kuoshu, a Escola Estadual Sebastião Dias Ferraz (em Tupaciguara-MG) e a organização social Casa Plural (em Tupaciguara-MG). Inicialmente realizado como "projeto piloto", esta segunda versão integra-se, neste momento, ao Programa de Extensão "Caminhos Marciais, Humanidades e Educação Integral", ao qual serviu como inspiração e primeiro exercício. A proposta é continuar ensinando kung fu para alunos, professores e comunidade externa da E. E. Sebastião Dias Ferraz em paralelo com estudos a respeito de aspectos da história, da geografia, das culturas, das sociedades e das visões de mundo, sistemas filosóficos e tradições religiosas da China. Isso tem como objetivo integrar, na formação humana, aspectos físicos, psico-sociais, cognitivos, culturais, emocionais e éticos. Por meio do estudo de "humanidades" e da prática marcial, pretende-se estimular: o aprendizado pela convivência, o exercício lúdico das potencialidades humanas, a expansão do repertório de referências culturais, o respeito ético e a fruição estética da cultura do outro. Busca-se, enfim, promover experiências de educação integral, articulando espaços de educação informal (como o dos caminhos marciais) e de educação formal (o da escola). Pretende-se superar essa e outras dicotomias tais como aquelas entre mente/corpo, lazer/trabalho ou estudo, arte/ciência, saber acadêmico/saber técnico etc. Nesse sentido, o projeto funciona também como laboratório para reflexões a respeito dos processos educacionais e de suas novas metodologias..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2017 - 2017
Percepção de si e experiência com o outro: caminhos marciais, cultura e expressão (SIEX: 15120)
Descrição: Como parte do Programa "Caminhos Marciais, Humanidades e Educação Integral", este projeto busca explorar o potencial da educação integral por meio de caminhos marciais para crianças com faixa etária entre 6 e 10 anos de idade. Em diálogo com os objetivos relacionados à área de humanidades na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental, pretende focalizar três eixos articulados: o desenvolvimento da sensibilidade com os outros e com os espaços e tempos de convívio (eixo da sociabilidade e do sentimento de pertença); a valorização das experiências vividas no presente como algo inscrito na temporalidade, o que envolve relações com o passado e projeções de futuros (eixo da historicidade das práticas); e, por fim, a apropriação e ressignificação de gestos e práticas de uma outra cultura em perspectiva cosmopolita (eixo da dinâmica de constituição da identidade em face da alteridade). O trabalho será desenvolvido por meio do aprendizado introdutório de artes marciais chinesas em paralelo com atividades culturais relacionadas a histórias, mitos e lendas de tradições da China. Assim, será ensinado um currículo adaptado para crianças a partir do Sistema Básico da Federação Mineira de Kung Fu Kuoshu. Paralelamente, desenvolveremos dramatizações, narrações e oficinas de leitura e redação, adaptando histórias tradicionais para o universo infantil. Objetiva-se, com isso, ao mesmo tempo, promover, nas crianças, uma sensibilidade em relação a si mesmo e aos seus corpos, explorando e desenvolvendo os seus movimentos e emoções, e a ampliação de suas referências de mundo, tomando contato com a alteridade. O projeto é fruto de uma parceria com o centro comunitário Culturarte, de Cruzeiro dos Peixotos, e será nele desenvolvido..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Durval Saturnino Cardoso de Paula - Integrante / Fabrício Pinto Monteiro - Integrante / Gustavo Rodrigues Rosato - Integrante / Jhonnattan Gomes Santos - Integrante / Kathleen Loureiro Santana dos Reis - Integrante.
Número de produções C, T & A: 1
2017 - 2017
Grupo de estudos: Educação Integral e Caminhos Marciais - EduCaM (Ano I)
Descrição: O grupo de estudos "Educação Integral e Caminhos Marciais - EduCaM" oferecerá suporte acadêmico aos projetos educacionais do Programa "Caminhos Marciais, Humanidades e Educação Integral" (SIEX 14885) e, ao mesmo tempo, procurará refletir sobre as suas práticas, a fim de elaborar e aperfeiçoar metodologias e estratégias de ensino. Ele reunirá equipe multidisciplinar, formada por profissionais da educação (professores, psicólogos e educadores) e professores/instrutores de "caminhos marciais" asiáticos, tais como o Budô japonês e as artes marciais chinesas. O grupo manterá um canal permanente de comunicação em espaço virtual e, mensalmente, fará reuniões presenciais para discussão de leituras previamente acertadas. As leituras abrangerão textos clássicos das artes marciais asiáticas com o intuito de refletir a respeito das suas propostas educacionais e o potencial das mesmas para a educação integral. Para isso, as obras serão lidas criticamente conforme um olhar histórico-antropológico, contextualizando o seu universo cultural de origem e as práticas sociais a que se articulam/articulavam. Assim, pretende-se estudar o legado pedagógico e filosófico destes "caminhos marciais", tendo como horizonte as suas possíveis articulações com a "formação humanista" prevista no conceito de educação integral. A participação no grupo de estudos será aberta a todos os interessados, em especial, a estudantes dos cursos de licenciatura da UFU, principalmente, das áreas de Artes, Linguagens, Humanidades e Educação Física..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Fabrício Pinto Monteiro - Integrante / Sara Nunes Giffoni - Integrante.
Número de produções C, T & A: 3
2017 - Atual
Programa de Extensão: Caminhos Marciais, Humanidades e Educação Integral (SIEX: 14885)
Descrição: O programa "Caminhos Marciais, Humanidades e Educação Integral" desdobra-se a partir das experiências dos projetos SIEX 13946 e 14378. Seu objetivo maior é refletir sobre as potencialidades de fertilização mútua entre "caminhos marciais" e "artes liberais" ("humanidades") na formação de estudantes do ensino básico, desenvolvendo experiências pedagógicas em escolas, iniciando docentes e graduandos em licenciatura para ações deste tipo e realizando pesquisas e estudos teóricos sobre a temática. Sua abordagem é interdisciplinar, envolvendo a grande área de Ciências Humanas, além da Psicologia, Educação, Artes e Linguagens (entendendo aqui também a Educação Física). Em primeiro momento, focalizará as chamadas artes marciais internas e externas da China, abrindo-se no desenrolar das atividades, conforme as possibilidades, ao Budo japonês e a artes coreanas, como o Taekwondo e o Hapkido. Por meio dos caminhos marciais, buscam-se estratégias para fomentar um processo formativo dos sujeitos que não separe de maneira dicotômica o desenvolvimento de mente e corpo, que os prepare para o diálogo intercultural no mundo globalizado, que privilegie a ética, a paz e a promoção plena da vida e da felicidade como finalidades últimas da educação. Por meio das "humanidades", pretende-se problematizar e tematizar as culturas das quais são oriundos os "caminhos marciais", abrindo-as à compreensão respeitosa da alteridade, ao diálogo crítico, à apropriação criativa e à fruição estética. Para isso, são fundamentais os estudos dos fundamentos culturais dos "caminhos marciais" e a experimentação de seus potenciais na educação moderna, tomando como seu paradigma o conceito de educação integral..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Fabrício Pinto Monteiro - Integrante / Gustavo Rodrigues Rosato - Integrante / Renner de Almeida Bernanrdes Mariano - Integrante / João Divino Borges Junior - Integrante / Sara Nunes Giffoni - Integrante.
Número de produções C, T & A: 10
2016 - 2017
Kung Fu: interfaces entre prática de arte marcial e ensino e aprendizagem em humanidades.
Descrição: A proposta é, paralelamente, ensinar kung fu (mais especificamente o programa do Zhong Wudao) e estimular o estudo e a pesquisa sobre aspectos históricos, geográficos, filosóficos e culturais da China entre os estudantes. As aulas envolverão uma parte técnica de uma hora e quinze de duração e quarenta e cinco minutos de ?roda de conversa? a fim de trabalhar questões sobre a China a serem previamente pesquisadas pelos estudantes ao longo da semana, conforme orientações do professor. Os assuntos abordarão conteúdos e habilidades próprios de disciplinas como a história, a filosofia, a sociologia e a geografia. Pretende-se desenvolver, nos alunos, gosto pelo estudo e pelo saber ligados a tais disciplinas e habilidades ligadas à procura de informações e sistematização das mesmas em discursos coerentes e cheios de significado. Para orientar os estudos e estabelecer canais de comunicação mais permanente entre os alunos e o professor, será criado um fórum virtual via rede social (facebook), com acesso a materiais sobre a China e sobre a cultura do Kung Fu em perspectiva histórica. Além do lado acadêmico-escolar, procura-se desenvolver o gosto pela atividade física, o cuidado com a saúde e uma ética cidadã, dentro de um espírito, ao mesmo tempo, de disciplina e divertimento. O projeto será desenvolvido em Tupaciguara-MG, em parceria do Laboratório de Ensino e Aprendizagem em História da UFU com a ONG Casa Plural, a Escola Estadual Sebastião Dias Ferraz e com a Federação Mineira de Kung Fu Kuo Shu. O projeto atenderá, prioritariamente os alunos da Escola Sebastião Dias Ferraz, em segundo lugar, professores da instituição e, por último, a comunidade externa interessada..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2016 - 2017
Kung Fu: caminho para a ética e a cidadania
Descrição: Número de registro no SIEX/UFU: 14378. O presente projeto visa ensinar fundamentos técnicos básicos das artes marciais chinesas, ?kung fu?, assim como seus aspectos éticos, culturais e filosóficos para crianças e adolescentes da comunidade do bairro Morumbi. Serão oferecidas, para essa comunidade, através do espaço da ONG Ação Moradia e de uma parceria com a Federação Mineira de Kung Fu Kuoshu, oficinas sobre o ?kung fu? (Zhong Wudao), com meta de desenvolver habilidades corporais e principalmente uma formação pessoal com disciplina, respeito, cooperativismo e determinação. Projeto aprovado no âmbito do Programa de Extensão e Cultura Popular - PECP 2016, da Pró-reitoria de Extensão e Cultura, Divisão de Relações Comunitárias, da Universidade Federal de Uberlândia. Parceiros do Projeto: ONG Ação Moradia e Federação Mineira de Kung Fu Kuoshu..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Coordenador / Gustavo Rodrigues Rosato - Integrante / Everton Balduino de Sousa - Integrante / Andressa Izabel Assis Freitas - Integrante / Renner de Almeida Bernanrdes Mariano - Integrante / Elga Valéria Diniz Carrijo - Integrante / Pollyana Mendonça Sampaio Chaves - Integrante.Financiador(es): Universidade Federal de Uberlândia - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 2


Outros Projetos


2010 - 2012
Africanos, indígenas e a reinvenção das sociedades na América portuguesa: mundos em movimento, transitoriedade e redes de interação
Descrição: Projeto de bolsas de graduação, financiado pela Pró-reitoria de Graduação da UFU (Processo nº. 16PPC). Visa constituir material destinado à pesquisa e ao ensino de História de africanos e indígenas no "Brasil colonial", a ser disponível na Internet, colaborando para o aperfeiçoamento de instrumentos de estudo destas temáticas no ambito da formação do professor em História..
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Guilherme Amaral Luz - Integrante / Jean Luiz Neves Abreu - Coordenador / Mara Regina do Nascimento - Integrante / Jéssica Honório de Oliveira Silva - Integrante / Driele Honorato - Integrante.Financiador(es): Universidade Federal de Uberlândia - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 2 / Número de orientações: 1


Membro de corpo editorial


2014 - Atual
Periódico: Revista Relicário
2008 - Atual
Periódico: História (São Paulo)
2006 - Atual
Periódico: Revista Aulas (http://www.unicamp.br/~aulas/)
2005 - 2007
Periódico: História e Perspectivas
2000 - 2003
Periódico: História social (1413-7046)


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História Moderna e Contemporânea/Especialidade: História Moderna.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação / Subárea: Ensino e Aprendizagem em Humanidades.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil/Especialidade: História do Brasil Colônia.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da Arte/Especialidade: História da Arte Religiosa (Séculos XVI-XVIII).
5.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras / Subárea: Retórica/Especialidade: História da Retórica.
6.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Artes Marciais.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Francês
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Latim
Lê Pouco.
Italiano
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Chinês
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2012
Orientador de Monografia Selecionada para a Série Monografias 2012 da UFU (COUTO, Clara. Poética dos Gestos: o Ballet e a corte em Des ballets anciens et modernes selon les règles du théâtre.), PROGRAD - UFU.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

Outras
Total de trabalhos:26
Total de citações:24
Guilherme Amaral Luz  Data: 20/10/2015

Artigos completos publicados em periódicos

1.
LUZ, GUILHERME AMARAL2018LUZ, GUILHERME AMARAL. WUDAO E A AMPLIAÇÃO DO HORIZONTE ANTROPOLÓGICO DA EDUCAÇÃO. REVISTA OLHARES E TRILHAS, v. 20, p. 170-178, 2018.

2.
LUZ, G. A.2018 LUZ, G. A.. Caminhos marciais e educação integral. Zhong Wudao e aprendizagem contextualizada de humanidades. INTERFACES - REVISTA DE EXTENSÃO DA UFMG, v. 6, p. 210-236, 2018.

3.
LUZ, G. A.2018LUZ, G. A.. Caminos marciales y educación integral: Zhong Wudao y aprendizaje contextualizada de humanidades. INTERFACES - REVISTA DE EXTENSÃO DA UFMG, v. 6, p. 237-263, 2018.

4.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2014 LUZ, G. A.. Universalidade, gestualidade, paixões: sobre a pintura religiosa nos seiscentos - doi: 10.4025/dialogos.v18i2.910. Diálogos (On-line), v. 18, p. 607-636, 2014.

5.
COUTO, C.R.2011COUTO, C.R. ; LUZ, G. A. . Abordagens teórico-metodológicas para o estudo histórico da dança: o balé e a corte na Europa seiscentista. Revista Ars Histórica, v. 3, p. 3, 2011.

6.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2009LUZ, G. A.. A morte-vida do corpo místico: espetáculo fúnebre e a ordem cósmica da política em ?Vida ou Panegírico Fúnebre a Afonso Furtado de Mendonça? (1676). ArtCultura (UFU), v. 11, p. 159-175, 2009.

7.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2009LUZ, G. A.. Rosário da Concórdia: Vieira e os fundamentos místicos da paz social. CLIO. SÉRIE HISTÓRIA DO NORDESTE (UFPE), v. 27, p. 63-86, 2009.

8.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2009LUZ, G. A.. Moral e enriquecimento na América portuguesa: entre a vaidade e os desenganos. Praesentia (Mérida), v. 10, p. 2, 2009.

9.
DUARTE, S. B.2009DUARTE, S. B. ; LUZ, G. A. . A representação do martírio no ?teatro jesuítico da missão? exemplificação das virtudes na busca pela extinção dos vícios.. Horizonte Científico (Uberlândia), v. 1, p. 2, 2009.

10.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2008LUZ, G. A.. O éthos do aedo e a constituição jesuítica do herói: Anchieta e Mem de Sá. Tempo Brasileiro, v. 174, p. 27-46, 2008.

11.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2008LUZ, G. A.. O canto de Proteu ou a corte na colônia em Prosopopéia (1601), de Bento Teixeira. TEMPO. REVISTA DO DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA DA UFF, v. 13, p. 193-215, 2008.

12.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2008LUZ, G. A.. A oikonomia do engenho ou o engenho da polis cristã: Prudêncio Amaral, Antonil e o açúcar. Revista do Centro de Estudos Portugueses (UFMG), v. 28, p. 81, 2008.

13.
MACHADO, E. S. Q.2008MACHADO, E. S. Q. ; LUZ, G. A. . Representações do mal e da justiça divina em sermões do pe. Antônio Vieira. Horizonte Científico (Uberlândia), v. 1, p. 1-28, 2008.

14.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2007LUZ, G. A.. Produção da concórdia: a poética do poder na América portuguesa (sécs. XVI-XVIII). VARIA HISTÓRIA (UFMG. IMPRESSO), v. 23, p. 543-560, 2007.

15.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2005LUZ, G. A.. Pero de Magalhães Gandavo e a ética ultramarina portuguesa na Terra de Santa Cruz. História & Perspectivas, Uberlândia-MG, v. 31/32, p. 69-92, 2005.

16.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2004LUZ, G. A.. A insubordinação da História à Retórica: manifesto transdisciplinar. ArtCultura (UFU), Uberlândia-MG, v. 09, p. 102-110, 2004.

17.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2003LUZ, G. A.. Os passos da propagação da fé: o lugar da experiência em escritos jesuíticos sobre a América quinhentista. TOPOI (ONLINE): REVISTA DE HISTORIA, Rio de Janeiro-RJ, v. 4, p. 106-127, 2003.

18.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2002LUZ, G. A.. Mem de Sá: o governador dos jesuítas e as tópicas da guerra justa. Métis (UCS), Caxias do Sul - RS, v. 1, n.2, p. 261-274, 2002.

19.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2001LUZ, G. A.. Semeadores do exílio: poemas para a história das raízes do Brasil. Mneme (Caicó. Online), Natal-RN, v. 2, n.3, p. 04, 2001.

20.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2001LUZ, G. A.. Os justos fins da França Antártica. Locus (Juiz de Fora), Juiz de Fora-MG, v. 7, n.1, p. 63-78, 2001.

21.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2000LUZ, G. A.. O cativeiro do desconhecido: o testemunho verdadeiro de Hans Staden sobre sua viagem à terra dos homens nus devoradores de carne humana. HISTORIA & PERSPECTIVAS (UFU), Uberlândia-MG, v. 23, p. 51-65, 2000.

22.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL2000LUZ, G. A.. A antropofagia e o problema da alteridade no século XVI na América portuguesa. Estudos Ibero-Americanos, Porto Alegre-RS, v. 01, n.1, p. 125-137, 2000.

23.
LUZ, G. A.;LUZ, GUILHERME AMARAL1999LUZ, G. A.. Territórios da Boa Nova: os espaços da festa e os limites da palavra. Estudos Ibero-Americanos, v. 25, n.1, p. 113-121, 1999.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
LUZ, G. A.; NASCIMENTO, M. R. (Org.) ; ABREU, J. L. N. (Org.) . Ordem Crítica: A América portuguesa nas 'fronteiras' do século XVIII. 1. ed. Belo Horizonte: Fino Traço, 2013. v. 1. 236p .

2.
LUZ, G. A.. Flores do desengano. Poética do poder na América portuguesa (séculos XVI - XVIII). 1. ed. São Paulo: Fap-Unifesp, 2013. v. 1. 240p .

3.
LUZ, G. A.. Carne Humana: canibalismo e retórica jesuítica na América portuguesa (1549-1587). 1. ed. Uberlândia-MG: EDUFU, 2006. v. 1. 283p .

Capítulos de livros publicados
1.
LUZ, G. A.. O confucionismo dos jesuítas e a antiga santidade dos governantes chineses: um. In: Carlos André Silva de Moura; Eliane Moura da Silva; Júlia Rany Campos Uzin; Sara Cristina de Souza. (Org.). História, narrativas e religiões. Diálogos sob o olhar da cultura.. 1ed.Recife: EDUPE, 2018, v. 1, p. 73-93.

2.
LUZ, G. A.. Ego vox clamantis in deserto (Jo 1, 13). A iconografia da pregação de São João Batista como. In: José Eduardo Franco; José Ignacio Ruiz Rodríguez, José Paulo Leite de Abreu; Beata Cieszynska. (Org.). Concilio de Trento. Innovar en la tradición. Historia, Teología, Proyección. 1ed.Alcalá de Henares: Universidad de Alcalá, 2016, v. 1, p. 591-604.

3.
LUZ, G. A.. Furores de Eloquência. Estilo e economia das paixões políticas nas Minas setecentistas. In: Guilherme Amaral Luz; Mara Regina do Nascimento; Jean Luiz Neves Abreu. (Org.). Ordem Crítica: A América portuguesa nas 'fronteiras' do século XVIII. 1ed.Belo Horizonte: Fino Traço, 2013, v. 1, p. 217-234.

4.
LUZ, G. A.. Festa Barroca?. In: Léa Freitas Perez; Leila Amaral; Wania Mesquita. (Org.). Festa como perspectiva e em perspectiva. 1ed.Rio de Janeiro: Garamond, 2012, v. 1, p. 337-350.

5.
LUZ, G. A.. Catedrais do Mundo Moderno. Viajantes Naturalistas e o Turismo Ecológico na Estrada Real.. In: Carlos Alberto Steil; Sandra de Sá Carneiro. (Org.). Caminhos de Santiago no Brasil. 1ed.Rio de Janeiro: Contra Capa, 2011, v. 1, p. 148-169.

6.
LUZ, G. A.. Quando o verbo se faz carne: a festa da missão. In: Edélcio Mostaço. (Org.). Para uma história cultural do teatro. 1ed.Florianópolis: Design Editora, 2010, v. , p. 109-140.

7.
LUZ, G. A.. Inversões e reversões do labirinto canibal: as práticas antropofágicas indígenas nas letras jesuíticas do século XVI. In: MAGALHÃES, J. S.; RIBEIRO, I. M.; FERNANDES, J. C.. (Org.). Literatura e Intersecções Culturais - CD-ROM. 01ed.Uberlândia: EDUFU, 2008, v. , p. 697-701.

8.
LUZ, G. A.. Palavras em movimento: as diversas imagens quinhentistas e a universalidade da revelação. In: István Jancsó; Iris Kantor. (Org.). Festa: cultura e sociabilidade na América portuguesa. 1ed.São Paulo: EdUSP/Hucitec/Imprensa Oficial/FAPESP, 2001, v. 2, p. 705-714.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
LUZ, G. A.. O olhar dos Naturalistas. Edição Especial História Viva, São Paulo, p. 52 - 57, 01 jun. 2006.

2.
LUZ, G. A.. A serviço da Companhia de Jesus. Nossa História (São Paulo), São Paulo, p. 64 - 67, 01 jun. 2005.

3.
LUZ, G. A.. "História: a profissão e seu tempo...". Jornal da Universidade Vale do Rio Doce, Governador Valadares-MG, p. 02 - 02, 01 dez. 2003.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
LUZ, G. A.. Vieira e o corpo vivo da pregação. In: V Encontro Internacional de História Colonial, 2014, Maceió. 5º Encontro Internacional de História Colonial. Cultura, escravidão e poder na Expansão Ultramarina, séculos XVI ao XIX. Anais Eletrônicos. Maceió: EDUFAL, 2014. v. 1. p. 510-516.

2.
LUZ, G. A.. Os irmãos Albuquerque em Prosopopeia: pequena nobreza e grande épica. In: Pequena Nobreza nos Impérios Ibéricos de Antigo Regime, 2012, Lisboa. Actas do Congresso Pequena Nobreza nos Impérios Ibéricos de Antigo Regime. Lisboa: IICT, 2011. v. 1.

3.
LUZ, G. A.. Quando o verbo se faz carne: antropofagia e Eucaristia no teatro jesuítico (América portuguesa, séc. XVI). In: XII Jornadas Internacionales sobre las Misiones Jesuíticas: Interacciones y sentidos de la conversión, 2008, Buenos Aires. XII Jornadas Internacionales sobre las Misiones Jesuíticas: Interacciones y sentidos de la conversión. Buenos Aires: XII Jornadas Internacionales sobre las Misiones Jesuíticas, 2008. p. 1-17.

4.
LUZ, G. A.. A morte do governador ou a encenação do corpo místico. Imagens da hierarquia nas celebrações fúnebres do panegírico a Afonso Furtado de Mendonça.. In: III Simpósio Nacional de História Cultural, 2006, Florianópolis-SC. Anais do III Simpósio Nacional de História Cultural. Mundos da Imagem: do texto ao visual.. Florianópolis-SC: Clicdata Multimídia, 2006. p. 1879-1887.

5.
LUZ, G. A.. Os jesuítas e a política da eloqüência na América portuguesa. In: XXIII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 2005, Londrina-PR. XXIII Simpósio Nacional de História. História: Guerra e Paz. Anais Suplementar. Londrina-PR: Associação Nacional de História - ANPUH, 2005.

6.
LUZ, G. A.. Entre orquídeas e bichos-de-pé: Saint-Hilaire, civilização e a natureza da Estrada Real. In: XIV Encontro Regional de História (ANPUH-MG), 2004, Juiz de Fora-MG. Caminhos da História: desafios da Historiografia em Minas Gerais. Anais em CD-ROM.. Juiz de Fora: ANPUH-MG, 2004. v. 1.

7.
LUZ, G. A.. O Gedeão da Guanabara: a leitura bíblica do heroísmo em De Gestis Mendi de Saa. In: VIII Semana de Letras: letras, leitura e letramento, 2003, Mariana-MG. VIII Semana de Letras: letras, leitura e letramento. Anais.. Mariana-MG: Instituto de Ciências Humanas e Sociais / Universidade Federal de Ouro Preto, 2003.

8.
LUZ, G. A.. O drama da salvação: Anchieta e a conversão do índio brasileiro. In: Anchieta 400 anos, 1998, São Paulo. Anchieta 400 anos - Atas. São Paulo: FJB Editora, 1997. v. 1. p. 163-169.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
LUZ, G. A.. Vieira e o corpo vivo da pregação. In: V Encontro Internacional de História Colonial, 2014, Maceió. 5º Encontro Internacional de História Colonial. Cultura, escravidão e poder na Expansão Ultramarina, séculos XVI ao XIX. Caderno de Resumos. Maceió: EDUFAL, 2014. v. 1. p. 111-111.

2.
LUZ, G. A.. Do Éremos ao livro da natureza. Calvinismo e contrarreforma no 'espelho' do Batista. In: XXXIV Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte, 2014. XXXIV Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte. Territórios da História da Arte. Caderno de Resumos. Uberlândia-MG: Universidade Federal de Uberlândia, 2014. v. 1. p. 188-189.

3.
LUZ, G. A.. Ego vox clamantis in deserto: a iconografia da pregação de São João Batista como 'escola' de eloquência (séculos XV-XVIII). In: Concílio de Trento: Restaurar ou Inovar. 450 anos de História, 2013, Braga. Livro do Congresso. Braga: s/e., 2013. v. 1. p. 55-56.

4.
LUZ, G. A.. Questões de estilo e economia das paixões em escritos políticos das Minas setecentistas.. In: II Congresso Brasileiro de Retórica, 2012, Belo Horizonte. Cadernos de Resumos e Programação do II Congresso Brasileiro de Retórica. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2012. v. 1. p. 38-38.

5.
LUZ, G. A.. O corpo eloquente da palavra divina: pressupostos e métodos para o estudo dos aspectos não-verbais da pregação (séculos XVI-XVIII). In: IV Encontro Internacional de História Colonial, 2012, Belém. Cadernos sobre o IV Encontro Internacional de História Colonial. Belém: Paka-Tatu, 2012. v. 1. p. 30-31.

6.
LUZ, G. A.. De Rebus Gestis Mém de Sá: on the topics of the just war in a XVIth century Portuguese American epic poem. In: XVIII Biennial Conference of the International Society for the History of Rhetoric, 2011, Bolonha. International Society for the History of Rhetoric - XVIII Biennial Conference. Bologna, July 18-22, 2011. General Program, Schedule and Abstracts, 2011. p. 24-25.

7.
LUZ, G. A.. Os irmãos Albuquerque em Prosopopeia: pequena nobreza e grande épica.. In: Primer Congreso Internacional de Retórica, 2011, Rosario. Primer Congreso Internacional de Retórica. Libro de Resúmenes. Rosario, 2011. p. 02-03.

8.
LUZ, G. A.. Elogio do açúcar: os jesuítas, a economia e a moral (Bahia, c. 1711). In: 3º Encontro Internacional de História Colonial, 2010, Recife. 3º Encontro Internacional de História Colonial: Cultura, Poderes e Sociabilidades no Mundo Atlântico (séc. XV-XVIII). Recife: Editora da UFPE, 2010. v. 1. p. 123-123.

9.
LUZ, G. A.. Quando o verbo se faz carne: antropofagia e Eucaristia no teatro jesuítico (América portuguesa, século XVI). In: XII Jornadas Internacionales sobre las Misiones Jesuíticas: Interacciones y sentidos de la conversión, 2008, Buenos Aires. XII Jornadas Internacionales sobre las Misiones Jesuíticas: Interacciones y sentidos de la conversión. Buenos Aires: XII Jornadas Internacionales sobre las Misiones Jesuíticas, 2008. p. 62-62.

10.
LUZ, G. A.. The Jesuit's rhetoric and the topics of cannibalism in the XVIth Century: the case of the Portuguese American letters. In: XVIth Biennial Conference of the International Society for the History of Rhetoric, 2007, Estrasburgo - França. XVIth Biennial Conference of the International Society for the History of Rhetoric - Résumés / Abstracts. Strasbourg: Université Marc Bloch, 2007. p. 95-96.

11.
LUZ, G. A.. A morte do Governador ou a encenação do corpo místico: imagens da hierarquia nas celebrações fúnebres do panegírico a Afonso Furtado de Mendonça.. In: III Simpósio Nacional de História Cultural, 2006, Florianópolis-SC. III Simpósio Nacional de História Cultural. Mundos da Imagem: do texto ao visual (Caderno de Resumos e Programação).. Florianópolis-SC: GT História Cultural - Núcleo Santa Catarina., 2006. p. 163-164.

12.
LUZ, G. A.. Os jesuítas e a política da eloqüência na América portuguesa quinhentista. In: XXIII Simpósio Nacional de História - História: Guerra e Paz, 2005, Londrina. XXIII Simpósio Nacional de História - História: Guerra e Paz (Programas e Resumos). Londrina: Editorial Mídia, 2005. p. 232-232.

13.
LUZ, G. A.. Entre orquídeas e bichos-de-pé: Saint-Hilaire, civilização e a natureza da Estrada Real. In: XIV Encontro Regional de História (ANPUH-MG), 2004, Juiz de Fora-MG. Caminhos da História: desafios da historiografia em Minas Gerais. Caderno de Resumos e Programação.. Juiz de Fora: ANPUH-MG, 2004. v. 1. p. 76-76.

14.
LUZ, G. A.. Palavras em movimento: as diversas imagens quinhentistas e a universalidade da Revelação.. In: Festa: cultura e sociabilidade na América portuguesa, 1999, São Paulo-SP. Festa: cultura e sociabilidade na América portuguesa ? São Paulo: 6 a 11 de setembro de 1999 (programação e caderno de resumos). São Paulo-SP: Universidade de São Paulo, 1999. p. 18-19.

15.
LUZ, G. A.. Os milagres lingüísticos do Canarinho do Céu: a imagem histórica de Anchieta como poeta, santo, taumaturgo e dramaturgo. In: XIV Encontro Regional de História (ANPUH-SP): sujeitos na História: práticas e representações, 1998, São Paulo-SP. Anais do XIV Encontro Regional de História: sujeitos na História: práticas e representações. Bauru-SP: EDUSC, 1998. p. 129-130.

Artigos aceitos para publicação
1.
LUZ, G. A.. O corpo vivo da Pregação: plasticidade e encarnação no Sermão do Espírito Santo, do Pe. Antônio Vieira. CADERNOS DE PESQUISA DO CDHIS (ONLINE), 2019.

Apresentações de Trabalho
1.
LUZ, G. A.. Projetos de Vida ou a BNCC e as suas tecnologias. 2018. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

2.
LUZ, G. A.. Aprender-se nos outros: caminhos marciais, humanidades e educação integral. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
LUZ, G. A.. Wudao e a ampliação do horizonte antropológico da educação. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

4.
LUZ, G. A.. Mesa Redonda: Expansões Religiosas e Negociações Culturais. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

5.
LUZ, G. A.. Sujeitos históricos, historiografia e mobilização política.. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

6.
LUZ, G. A.. Conversa de professor: incidentes críticos. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
LUZ, G. A.. Jesuítas, modernidade e as conexões globais nos séculos XVI e XVII. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

8.
LUZ, G. A.. Palavra e Imagem nos Seiscentos: a imaginação artística na Contrarreforma. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

9.
LUZ, G. A.. Vieira e o corpo vivo da pregação. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

10.
LUZ, G. A.. Do Éremos ao livro da natureza. Calvinismo e contrarreforma no 'espelho' do Batista. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
LUZ, G. A.. Do Éremos ao livro da Natureza: Calvinismo e Contrarreforma no ?espelho? do Batista. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

12.
LUZ, G. A.. Ego vox clamantis in deserto: a iconografia da pregação de São João Batista como 'escola' de eloquência (séculos XV-XVIII). 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

13.
LUZ, G. A.. Universality, Gestures and Passions: Painting, Preaching and Religious Languages in the Post-Tridentine Era. 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

14.
LUZ, G. A.. Pregação para os olhos: as representações da ?eloquência divina? na Europa Católica durante a primeira modernidade. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

15.
LUZ, G. A.. Coordenação da Sessão de Comunicação 5. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

16.
LUZ, G. A.; CYMBALISTA, R. ; LIMA, Luís Filipe Silvério . Mesa-redonda: 'Pregação, martírio e profecia entre o Novo e o Velho Mundo: religião e religiosidades católicas no Império Português (séculos XVI-XVIIII). 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

17.
LUZ, G. A.. O corpo eloquente da palavra divina: pressupostos e métodos para o estudo dos aspectos não-verbais da pregação (séculos XVI-XVIII). 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

18.
LUZ, G. A.. Atitudes e dilemas diante da vida eterna no 'outono da Idade Média'. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

19.
LUZ, G. A.. Questões de estilo e economia das paixões em escritos políticos das Minas setecentistas.. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

20.
LUZ, G. A.. De Rebus Gestis Mém de Sá: on the topics of the just war in a XVIth century Portuguese American epic poem. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

21.
LUZ, G. A.. Flores do Desengano. Poética do poder na América portuguesa. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
LUZ, G. A.. Os irmãos Albuquerque em Prosopopeia: pequena nobreza e grande épica.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

23.
LUZ, G. A.. Elogio do açúcar: os jesuítas, a economia e a moral (Bahia c. 1711). 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

24.
LUZ, G. A.. Os mistérios do Rosário e o enigma da escravidão. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

25.
LUZ, G. A.. Poética, retórica e representações políticas: louvores e censuras nas práticas letradas da América portuguesa (séculos XVI-XVIII). 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

26.
LUZ, G. A.. Rosário da concórdia: Vieira e os fundamentos místicos da paz social. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

27.
LUZ, G. A.. Os mistérios do rosário e o enigma da escravidão nos sermões de Vieira. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

28.
LUZ, G. A.. Quando o verbo se faz carne: antropofagia e Eucaristia no teatro jesuítico (América portuguesa, séc. XVI). 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

29.
MARGOLINER, J. M. ; LUZ, G. A. . A Educação Jesuítica no Brasil (1549-1759). 2008. (Apresentação de Trabalho/Outra).

30.
LUZ, G. A.. The Jesuit's rhetoric and the topics of cannibalism in the XVIth century: the case of the Portuguese American letters. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

31.
LUZ, G. A.. O éthos do aedo e a constituição jesuítica do herói: Anchieta e Mem de Sá. 2007. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

32.
LUZ, G. A.. A morte-vida do corpo místico: retórica fúnebre e política no século XVII. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

33.
LUZ, G. A.. Aparato fúnebre e ecfrase política no panegírico a Afonso Furtado de Mendonça. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

34.
LUZ, G. A.. Inversões e reversões do labirinto canibal: as práticas antropofágicas indígenas nas letras jesuíticas do século XVI. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

35.
LUZ, G. A.. Os jesuítas e a política da eloqüência na América portuguesa quinhentista. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

36.
LUZ, G. A.. Heroísmo épico e elogio fúnebre: formas retóricas e os modelos de bom governo na América portuguesa (séculos XVI e XVII). 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

37.
LUZ, G. A.. Heroísmo épico e elogio fúnebre: gêneros retóricos e modelos de 'bom governo' na América portuguesa (séculos XVI e XVII).. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

38.
LUZ, G. A.. História e Meio Ambiente. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

39.
LUZ, G. A.. Entre orquídeas e bichos-de-pé: Saint-Hilaire, civilização e a natureza da Estrada Real. 2004. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

40.
LUZ, G. A.. O Gedeão da Guanabara: a leitura bíblica do heroísmo em De Gestis Mendi de Saa. 2003. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

41.
LUZ, G. A.. Passos da propagação da fé: o lugar da experiência em escritos de Nóbrega e Acosta. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

42.
LUZ, G. A.. Leônidas, de Malaca à América. As dedicatórias de Gandavo e Camões a Lionis Pereira e a ética da empresa ultramarina portuguesa na 'História da Província de Santa Cruz'. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

43.
LUZ, G. A.. Mem de Sá e as tópicas da guerra justa. 2001. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

44.
LUZ, G. A.. O cativeiro do desconhecido: o testemunho verdadeiro de Hans Staden sobre sua viagem à terra dos homens nus devoradores de carne humana. 2000. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

45.
LUZ, G. A.. Religião dos Brasis. 2000. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

46.
LUZ, G. A.. Religiosidade Jesuítica e a Ação Missionária Inaciana na América Portuguesa no século XVI. 2000. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

47.
LUZ, G. A.. Utopia e conversão nos escritos dos jesuítas: América portuguesa, séculos XVI e XVII. 2000. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

48.
LUZ, G. A.. Palavras em Movimento: as diversas imagens quinhentistas e a universalidade da Revelação. 1999. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

49.
LUZ, G. A.. Diabos canibais no ?caderno de Anchieta?. 1999. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

50.
LUZ, G. A.. Festas periódicas, rogações públicas e recebimentos: o sentido da festa para a religiosidade no Brasil quinhentista. 1998. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

51.
LUZ, G. A.. Os milagres lingüísticos do Canarinho do Céu: a imagem histórica de Anchieta como poeta e taumaturgo. 1998. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

52.
LUZ, G. A.. O Drama da Salvação: Anchieta e a conversão do índio. 1997. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

53.
LUZ, G. A.. As flechas e a grelha: cultura material, teatro e a formação de uma identidade ameríndia-cristã no Brasil quinhentista. 1997. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

54.
LUZ, G. A.. O drama da salvação: Anchieta e a conversão do indígena brasileiro. 1997. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções bibliográficas
1.
LUZ, G. A.; FELIPE, C. V. A. . Organização do Dossiê Retratos - Cadernos de Pesquisa do CDHIS, 27 (2). ISSN: 1981-3090. Uberlândia-MG: Universidade Federal de Uberlândia, 2014 (Dossiê em Periódico Científico).

2.
LUZ, G. A.; FELIPE, C. V. A. . Apresentação do Dossiê Retratos - Cadernos de Pesquisa do CDHIS, 27 (2) ISSN: Dossiê Retratos - Cadernos de Pesquisa do CDHIS, 27 (2) Dossiê Retratos - Cadernos de Pesquisa do CDHIS, 27 (2) 1981-3090. Uberlândia-MG, 2014. (Prefácio, Pósfacio/Apresentação)>.

3.
LUZ, G. A.. Afetos artísticos, efeitos devotos: emoções e pintura sacra na Contrarreforma. Uberlândia-MG: ArtCultura, 15(26), 2013 (Resenha).

4.
LUZ, G. A.. Apresentação. Ordem Crítica, lugares de fronteira. Prolegômenos a respeito da complexidade setecentista na América portuguesa. Belo Horizonte, 2013. (Prefácio, Pósfacio/Apresentação)>.

5.
LUZ, G. A.. Educação, Sociedade e Cultura na América Portuguesa. Estudos sobre a presença jesuítica. Livro organizado por Fábio Eduardo Cressoni. Curitiba-PR: CRV, 2012 (Orelha de Livro e Contracapa).

6.
LUZ, G. A.. Facetas do Império na História: conceitos e métodos. São Paulo: História, 28(1), 2009 (Resenha).

7.
LUZ, G. A.. ?Aproximação por afastamento?: releituras de Colonização e Catequese, de José Maria de Paiva. Uberlândia-MG: ArtCultura, 10(16), 2008 (Resenha).

8.
LUZ, G. A.. Tempos de Machado e Vieira. ArtCultura: Revista de História, Cultura e Arte, v. 10, n. 17. Uberlândia-MG: EDUFU, 2008 (Dossiê em Periódico Científico).

9.
LUZ, G. A.. Apresentação do Dossiê: Tempos de Vieira e Machado. Uberlândia-MG, 2008. (Prefácio, Pósfacio/Apresentação)>.

10.
LUZ, G. A.. História e Poética. Revista História & Perspectivas, v. 01, n. 34. Uberlândia-MG: EDUFU, 2006 (Dossiê em Periódico Científico).

11.
LUZ, G. A.. Apresentação do Dossiê: História e Poética. Uberlândia-MG, 2006. (Prefácio, Pósfacio/Apresentação)>.

12.
LUZ, G. A.. De perto e de longe. Resenha de: 'Máquina de gêneros', de Alcir Pécora. Marechal Cândido Rondon-PR: Espaço Plural (Unioeste), IV(9), 2002 (Resenha).

13.
LUZ, G. A.. History, rhetoric and proof de Carlo Ginzburg (Resenha). Caxias do Sul-RS: Métis (UCS), 1(1), 2002 (Resenha).

14.
LUZ, G. A.. Colombo e os Canibais. Campinas-SP: História Social, 2002. (Tradução/Artigo).

15.
LUZ, G. A.. Saber Atlântico. Juiz de Fora-MG, 2000. (Prefácio, Pósfacio/Posfácio)>.


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
LUZ, G. A.. Assessoria Científica Ad Hoc - FAPESP. 2018.

2.
LUZ, G. A.. Avaliador Ad Hoc dos Programas PIBIC e PIVIC/CNPq/UFU. 2017.

3.
LUZ, G. A.. Assessoria Científica Ad Hoc - FAPESP. 2017.

4.
LUZ, G. A.. Assessoria Científica Ad Hoc - FAPESP. 2017.

5.
LUZ, G. A.. Acessoria Científica Ad Hoc - FAPESP. 2016.

6.
LUZ, G. A.. Assessoria Científica Ad Hoc FAPESP. 2015.

7.
LUZ, G. A.. Assessoria Científica Ad Hoc - FAPESP. 2014.

8.
LUZ, G. A.. Assessoria Científica Ad Hoc - FAPESP. 2014.

9.
LUZ, G. A.. Assessoria Científica Ad Hoc - FAPESP. 2014.

10.
LUZ, G. A.. Assessoria Científica Ad Hoc - Universidad Nacional de Colombia. 2008.

11.
LUZ, G. A.. Consultor Ad Hoc para a II Semana Acadêmica da UFU. 2005.

Trabalhos técnicos
1.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc a artigo encaminhado à revista História (São Paulo). 2018.

2.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc a artigo encaminhado à revista ArtCultura. 2018.

3.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc a artigo encaminhado à revista Outrora. 2018.

4.
LUZ, G. A.. Pareceres para o Conselho do INHIS sobre os novos Projetos Pedagógicos do Curso de Graduação em História da UFU. 2018.

5.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc a artigo submetido à revista Cadernos de Pesquisa do CDHIS. 2018.

6.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc a artigo encaminhado à Revista M. Estudos Sobre a Morte, os Mortos e o Morrer. 2017.

7.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc a artigo encaminhado à Revista História (São Paulo). 2017.

8.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc a artigo submetido à revista História & Perspectivas. 2017.

9.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc a artigo encaminhado à revista ArtCultura. 2017.

10.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc a artigo encaminhado à revista Ars Historica. 2017.

11.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc a artigo encaminhado para a revista Ars Historica. 2016.

12.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc a artigo encaminhado para a revista ArtCultura. 2016.

13.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc a artigo encaminhado à Revista Iberoamericana de Retorica. 2016.

14.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc a artigo encaminhado à revista Territórios & Fronteiras. 2015.

15.
LUZ, G. A.. Parecer a artigo encaminhado à revista História & Perspectivas. 2015.

16.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc a artigo encaminhado à revista ArtCultura. 2014.

17.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc a artigo encaminhado à revista Opsis. 2014.

18.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc a artigo encaminhado à revista Cadernos de Pesquisa do CDHIS. 2014.

19.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc a artigo encaminhado à Revista História e Cultura. 2014.

20.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc a artigo encaminhado para a revista História: Questões & Debates (UFPR). 2012.

21.
LUZ, G. A.. Parecer a artigo encaminhado à revista Cadernos de Pesquisa do CDHIS. 2012.

22.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc a artigo encaminhado à revista ArtCultura. 2012.

23.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc a artigo encaminhado à revista Opsis. 2012.

24.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc a artigo encaminhado à revista Comunicações. 2012.

25.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc para a revista História & Perspectivas. 2012.

26.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc sobre artigo encaminhado para publicação na revista História & Perspectivas. 2010.

27.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc sobre artigo encaminhado para publicação na revista História & Perspectivas. 2009.

28.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc para artigo encaminhado para publicação na revista História & Perspectivas. 2008.

29.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc para artigo encaminhado para publicação na revista História & Perspectivas. 2008.

30.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc para artigo encaminhado para publicação na revista Caderno de Pesquisa do CDHIS. 2008.

31.
LUZ, G. A.. Pareceres "ad hoc" para publicação de (05) textos nos anais do XI Simpósio Nacional de Letras e Lingüística - XI SILEL. 2007.

32.
LUZ, G. A.. Parecer ad hoc a um artigo encaminhado para publicação na Revista Brasileira de História. 2007.

33.
LUZ, G. A.. Relatório Técnico Final do Projeto: O Heroísmo Militar do Governo Geral na América portuguesa (1563-1676): uma leitura histórico-retórica de De Gestis Mendi de Saa e Vida o Panegvirico fvnebre al señor Alfonso Furtado Castro do Rio Mendonça. 2007.

34.
LUZ, G. A.. Correção de Processo Seletivo - PAIES/UFU. 2006.

35.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc para publicação de livro na Editora da Unicamp. 2006.

36.
LUZ, G. A.. Pareceres Ad Hoc para publicação de livro na EDUFU. 2005.

37.
LUZ, G. A.. Cadernos de Pesquisa do CDHIS - UFU, n. 33. Pareceres.. 2005.

38.
LUZ, G. A.; COUTO, C.R. ; MARGOLINER, J. M. . Projeto de Pesquisa - Retórica, Poética e Representação Política na América Portuguesa (séculos XVI - XVIII). 2005.

39.
LUZ, G. A.; ABREU, J. L. N. . Relatório Final do Projeto - ?Percursos do Olhar Naturalista: A Estrada Real e os Viajantes Estrangeiros no Brasil (1816-1822)?. 2005.

40.
LUZ, G. A.; ESPINDOLA, H. S. ; CARNEIRO, J. A. V. . Projeto de Implementação do Centro de Documentação e Arquivos de Custódia - CEDAC da Faculdade de Ciências Educação e Letras - FACE da Universidade Vale do Rio Doce - UNIVALE. 2004.

41.
LUZ, G. A.. Projeto de Pesquisa: Montanhas de diamantes (o discurso naturalista e a valorização da natureza selvagem do Distrito Diamantino no início do século XIX). 2004.

42.
LUZ, G. A.. Projeto de Pesquisa: O Heroísmo Militar do Governo Geral na América Portuguesa, 1563 - 1676. Uma leitura histórico-retórica de De Gestis Mendi de Saa e Vida o Panegvirico fvnebre al Senor Alfonso Furtado Castro do Rio Mendomcà. 2004.

43.
LUZ, G. A.. Correção do Processo Seletivo - UFU. 2004.

44.
LUZ, G. A.. Parecer Ad Hoc para publicação de livro na EDUFU. 2004.

45.
LUZ, G. A.. História Social - UNICAMP, n. 08/09. Pareceres. 2002.

46.
LUZ, G. A.. Revista História Social - UNICAMP, n. 07. Pareceres. 2000.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
LUZ, G. A.. Programa Tessa Damasceno. 2004. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

2.
LUZ, G. A.. Programa Pesquisa. 2004. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

Redes sociais, websites e blogs
1.
LUZ, G. A.. Caminhos Marciais e Humanidades. 2018; Tema: Cultura Marcial Asiática e Educação Humanística. (Blog).

2.
LUZ, G. A.. Caminhos Marciais e Humanidades - Twitter. 2018; Tema: Cultura Marcial Asiática e Educação Humanística. (Rede social).

3.
LUZ, G. A.; APOLLONI, R. W. ; MARANA, J. ; MONTEIRO, F. P. ; MACEDO, R. ; CARDIA, R. . Caminhos Marciais e Humanidades. 2017; Tema: Cultura Marcial Asiática e Educação Humanística. (Blog).

4.
LUZ, G. A.. Arte Marcial e Humanidades - Tupaciguara. 2016; Tema: História, Geografia e Culturas da China e das Artes Marciais Chinesas. (Rede social).

5.
LUZ, G. A.. Caminhos Marciais e Humanidades. 2016; Tema: Cultura Marcial Asiática e Educação em Humanidades. (Blog).


Demais tipos de produção técnica
1.
LUZ, G. A.. O Museu de Arte Sacra de Uberlândia ? introdução, visita e potencialidades do seu acervo. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
LUZ, G. A.. Oficina de Kung Fu e Aspectos da Cultura Chinesa. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
LUZ, G. A.. Kung Fu (功夫): Interfaces entre prática de arte marcial e ensino e aprendizagem em humanidades. Material Didático para Curso Livre. 2016. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Apostila).

4.
LUZ, G. A.. Museu de Arte Sacra: ensino de história e ?musealização? do sagrado. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

5.
LUZ, G. A.. Pregação para os olhos: as representações da eloquência divina na Europa Católica, durante a primeira modernidade.. 2014. (Relatório de pesquisa).

6.
LUZ, G. A.; MARGOLINER, J. M. ; COUTO, C.R. ; DUARTE, S. B. ; FELIPE, C. V. A. ; MACHADO, E. S. Q. . Retórica, Poética e Representação Política na América Portuguesa (1550 - 1720). 2009. (Relatório de pesquisa).

7.
MARGOLINER, J. M. ; LUZ, G. A. . A educação jesuítica no Brasil (1549-1759). 2008. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

8.
LUZ, G. A.; FONSECA, A. T. . Projeto do curso de Pós-graduação Lato Sensu (Especialização): História, Meio Ambiente e Região.. 2004. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Matriz Curricular).

9.
LUZ, G. A.; VILARINO, M. T. B. ; GENOVES, P. F. . Projeto do curso de Pós-graduação Lato Sensu (Especialização): Ensino de História e Cultura Brasileira.. 2004. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Matriz Curricular).

10.
LUZ, G. A.; NUNES, L. J. . Debate sobre o filme "Chove sobre Santiago". 2004. (Mesa Redonda).

11.
LUZ, G. A.. Cultura Indígena. 2004. (Mesa Redonda).

12.
LUZ, G. A.. As festas na América portuguesa - sécs. XVI - XVIII. 2003. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

13.
LUZ, G. A.. O Espaço Público na História do Brasil no Horizonte das Práticas Sociais. 2003. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

14.
LUZ, G. A.. Políticas Educacionais e Valorização do Profissional. 2003. (Mesa Redonda).

15.
LUZ, G. A.; VARIOS, . História Social, n. 8/9. 2002. (Editoração/Periódico).

16.
LUZ, G. A.; VARIOS, . História Social, n. 7. 2000. (Editoração/Periódico).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
LUZ, G. A.; DANTAS, S. M.; CARMO, M. A. A.. Participação em banca de Cíntia da Silva Vaz. Pelas trilhas de Lagoa Serena. A construção do mito da mulher bandeirante na obra A Muralha e na revista O Cruzeiro.. 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

2.
ZERON, C. A. M.; LUZ, G. A.; AGNOLIN, A.. Participação em banca de Ana Paula Gonçalves Souza. Leituras da alteridade ameríndia em André Thevet e Jean de Léry.. 2016. Dissertação (Mestrado em História Social) - Universidade de São Paulo.

3.
NASCIMENTO, M. R.; TAVARES, C. C. S.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Durval Saturnino Cardoso de Paula. Catolicismo, poder e controles no Oriente português (1557-1581): a atuação eclesiástica de D. Gaspar de Leão, primeiro Arcebispo de Goa (1557-1576). 2014. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

4.
HANSEN, J. A.; ABREU, J. L. N.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Cleber Vinícius do Amaral Felipe. Poética da prudência: a expansão portuguesa quinhentista na tradição épica. 2012. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

5.
CYMBALISTA, R.; ABREU, J. L. N.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Stela Beatriz Duarte. De Beata Virgine Dei Matre Maria: martírio e castidade na épica religiosa quinhentista. 2012. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

6.
MICELI, P.; LUZ, G. A.; CERASOLI, J. F.. Participação em banca de Maria Angelina Soares Neta. Peregrinações em terras estranhas. A representação da guerra indígena em viagens helenísticas de franceses: André Thevét e Jean de Léry.. 2011. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

7.
MICELI, P.; LUZ, G. A.; CAMILO, J. V. P.. Participação em banca de Camila Fernanda de Souza. O Esmeraldo de Situ Orbis de Duarte Pacheco Pereira: mudanças e permanências epistemológicas em Portugal no século XVI. 2011. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Estadual de Campinas.

8.
LUZ, G. A.; CERASOLI, J. F.; SANTOS, R. M.. Participação em banca de Radamés Vieira Nunes. Sobre crônicas, cronistas e cidade: Rio de Janeiro nas crônicas de Lima Barreto e Olavo Bilac (1900-1920). 2009. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

9.
ALMEIDA, A.; LUZ, G. A.; BEZERRA, M. O.. Participação em banca de Roberto Mendes Ramos Pereira. Demandas e representações populares na vivência político-religiosa em Montes Claros (1996-2004). 2009. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

10.
ALMEIDA, A.; LUZ, G. A.; FILHO, U. F. P.. Participação em banca de Júlio César Meira. ONGs e reforma do Estado no Brasil: ressignificação da cidadania ou esvaziamento político dos movimentos sociais?. 2009. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

11.
MICELI, P.; LUZ, G. A.; KARNAL, L.. Participação em banca de Viviane Roberta Wolf Cattozzi. André Thevet: um cosmógrafo viajante no Brasil. 2008. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Estadual de Campinas.

12.
LOPREATO, C.; ALGRANTI, L. M.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Edeílson Matias de Azevedo. Minas Insurgente: conflitos e confrontos no século XVIII.. 2006. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

Teses de doutorado
1.
SODRE, P. R.; FRANCO, J. E.; LUZ, G. A.; LACHAT, M.; LEITE, L. R.; MACHADO, L.. Participação em banca de Fernanda Cristina da Encarnação dos Santos. A retórica da alteridade na Relação da Missão da Serra da Ibiapaba do Padre Antônio Vieira. 2018. Tese (Doutorado em Letras) - Universidade Federal do Espírito Santo.

2.
ANDRADE, F. E.; LUZ, G. A.; CAMPOS, A. A.; CHAVES, C. M. G.; MONTANHEIRO, F. C.. Participação em banca de Guilherme Amorim de Carvalho. A vida e a morte das elites: discursos e pensamento político nas monarquias ibéricas, século XVII.. 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Ouro Preto.

3.
LUZ, G. A.; NASCIMENTO, M. R.; MANO, M.; FLECK, E. C. D.; SOUZA, R. F.. Participação em banca de Ricardo Batista de Oliveira. Índios Incorrigíveis ou Vassalos D'el Rei? Sociabilidade Interétnica no Sertão da Farinha Podre e Áreas Subjacentes (1750-1850). 2016. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

4.
ZERON, C. A. M.; SILVA, M. L. O. A.; KARNAL, L.; CAMENIETZKI, C. Z.; RIBEIRO, M. A.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Camila Correa e Silva de Freitas. Divulgar a biografia de um santo: os usos e as apropriações da figura de José de Anchieta no Brasil e na Europa (século XVII). 2016. Tese (Doutorado em História Social) - Universidade de São Paulo.

5.
MICELI, P.; MUHANA, A. F.; LUZ, G. A.; KARNAL, L.; MARQUES, Luiz. Participação em banca de Cléber Vinícius do Amaral Felipe. Itinerários da conquista: uma travessia por mares de papel e tinta (Portugal, séculos XVI, XVII e XVIII). 2015. Tese (Doutorado em Doutorado em História) - Universidade Estadual de Campinas.

6.
LUZ, G. A.; ZERON, C. A. M.; PECORA, A. A. B.; SILVA NETO, S. A. E.; NASCIMENTO, M. R.. Participação em banca de Ludmila Gomide Freitas. O sal da guerra. Padre Antônio Vieira e as tópicas teológico-jurídicas na apreciação da guerra justa contra os índios.. 2014. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

7.
ALMEIDA, A.; COSTA, C. B.; SILVA, Wilton Carlos Lima da; LOPREATO, C.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Jeanne Silva. Nos Labirintos da Lei: a retórica da reforma agrária no Estado Democrático de Direito Brasileiro (1995-2006). 2010. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

8.
MICELI, P.; SILVA, G. J.; MACHADO FILHO, O.; MARSON, I. A.; CAMILO, J. V. P.; ALGRANTI, L. M.; KARNAL, L.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Renílson Rosa Ribeiro. Destemido bandeirante à busca da mina de ouro da verdade: Francisco Adolfo de Varnhagen, o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e a invenção da Idéia de Brasil Colônia no Brasil. 2009. Tese (Doutorado em Doutorado em História) - Universidade Estadual de Campinas.

9.
THEODORO, J.; ALGRANTI, L. M.; LUZ, G. A.; MACHADO FILHO, O.; MICELI, P.. Participação em banca de Janaína Camilo. A medida da floresta: as viagens de exploração e demarcação pelo "País das Amazonas" (séculos XVII e XVIII). 2008. Tese (Doutorado em História) - Universidade Estadual de Campinas.

10.
DUARTE, R. H.; DE DECCA, E.; LUZ, G. A.; ESPINDOLA, H. S.; CONDÉ, M. L. L.. Participação em banca de Alexandre Torres Fonseca. História da História: a Big History e a transdisciplinaridade - o fim da fronteira entre a História e as Ciências Naturais.. 2007. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Qualificações de Doutorado
1.
LUZ, G. A.; MANO, M.; NASCIMENTO, M. R.. Participação em banca de Ricardo Batista de Oliveira. Índios Incorrigíveis ou Vassalos D'El Rei? Sociabilidade Interétnica no Sertão da Farinha Podre e Áreas Subjacentes (1750-1850). 2015. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

2.
LUZ, G. A.; NASCIMENTO, M. R.; SILVA NETO, S. A.. Participação em banca de Ludmila Gomides Freitas. As ideias jurídicas no projeto colonial português: mobilizações de tópicas teológico-jurídicas na apreciação das guerras justas contra os índios (séculos XVI-XVII). 2013. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

3.
ALMEIDA, A.; LOPREATO, C.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Jeanne Silva. Nos labirintos da lei: a retórica da Reforma Agrária no Estado Democrático de Direito Brasileiro (1995-2006). 2009. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

Qualificações de Mestrado
1.
MANO, M.; LUZ, G. A.; NASCIMENTO, M. R.. Participação em banca de Gabriel Zissi Peres Asnis. Da Guerra à Paz? Dicotomias que escondem múltiplos caminhos: prática da estrutura e estrutura da prática na análise histórica sobre os "Cayapó" aldeados em Maria I e São José de Mossâmedes - Séculos XVIII e XIX. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Uberlândia.

2.
SEIXAS, J. A.; BARROS, C. M. F.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Nathalia Helena Tomazini Zanco. Cartografias sentimentais na pele: desejos, tatuagens e subjetividades contemporâneas. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

3.
NASCIMENTO, M. R.; LUZ, G. A.; CORTES, M. M. P.. Participação em banca de Pablo Henrique Costa Santos. História e escatologia: o discurso sobre o fim dos tempos na Igreja Apostólica (da Santa Vó Rosa) - 1954-1970. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

4.
ZERON, C. A. M.; LUZ, G. A.; AGNOLIN, A.. Participação em banca de Ana Paula Gonçalves Souza. As representações do Tupinambá em André Thevet: considerações acerca da alteridade ameríndia a partir da experiência francesa no Brasil no século XVI. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em História Social) - Universidade de São Paulo.

5.
NASCIMENTO, M. R.; LUZ, G. A.; TAVARES, C. C. S.. Participação em banca de Durval Saturnino Cardoso de Paula. Catolicismo, poder e controles no Arcebispado de Goa (1557-1581): o caso de Dom Gaspar de Leão e seu Desengano de Perdidos (1573). 2014. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

6.
LUZ, G. A.; SEIXAS, J. A.; CERASOLI, J. F.. Participação em banca de Thiago Destro Rosa Ferreira. Mitologia na Contemporaneidade: o Legendarium de J. R. R. Tolkien. 2012. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

7.
NASCIMENTO, M. R.; ABREU, J. L. N.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Érika Silva Quites Machado. A revelação da profecia do Quinto Império nos sermões de Antônio Vieira.. 2012. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

8.
SANTOS, R. M.; SEIXAS, J. A.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Cléber Vinícius do Amaral Felipe. Da prudência: éthos do súdito exemplar n'Os Lusíadas, de Camões, e em Prosopopeia, de Bento Teixeira. (Qualificação de Mestrado). 2011. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

9.
ABREU, J. L. N.; NASCIMENTO, M. R.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Stela Beatriz Duarte. De beata virgine dei matre Maria. Martírio e castidade na épica religiosa quinhentista (Qualificação de Mestrado). 2011. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

10.
ABREU, J. L. N.; CERASOLI, J. F.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Maria Angelina Soares Neta. Literatura de viagem: Léry, Thevet, Montaigne e a alteridade nas imagens da sociedade tupinambá. (Qualificação de Mestrado). 2010. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

11.
ALMEIDA, A.; LUZ, G. A.; FERREIRA, J. S.. Participação em banca de Leandro de Aquino Mendes. O PT e a Igreja católica: religião e política em Montes Claros-MG na década de 1980 - Qualificação de Mestrado. 2009. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

12.
ALMEIDA, A.; LUZ, G. A.; SILVA, L. B.. Participação em banca de Júlio César Meira. Políticas públicas e assistencialismo: a reconstrução da cidadania no imaginário contemporâneo - Qualificação de Mestrado. 2009. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

13.
LOPREATO, C.; LUZ, G. A.; SEIXAS, J. A.. Participação em banca de Edeílson Matias de Azevedo. Minas insurgente: conflitos e confrontos no século XVIII - Qualificação de Mestrado. 2005 - Universidade Federal de Uberlândia.

14.
ALMEIDA, A.; LUZ, G. A.; LOPREATO, C.. Participação em banca de Alessandro de Almeida. Um voto pelo amor de Deus. Religião e Política em Montes Claros. 2005. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
LUZ, G. A.; RIBEIRO JUNIOR, F. P.; MAHL, M. L.. Participação em banca de Clarice dos Santos.Nicholas Winton, Irena Sendler e os judeus sobreviventes do holocausto. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História - Licenciatura Ou Bacharelado) - Universidade Federal de Uberlândia.

2.
LUZ, G. A.; NORONHA, G. C.; SANTOS, J. J.. Participação em banca de José Amílton Gomes dos Santos.Habemus Papam. Liturgia do Sacrosanctum Concilium na cátedra Petrina dos pontificados de Bento XVI e Francisco.. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História - Licenciatura Ou Bacharelado) - Universidade Federal de Uberlândia.

3.
NORONHA, G. C.; LUZ, G. A.; CAMPO, M. B.. Participação em banca de Angélica Cristina Gomes Silva.Engenho de leigos: projeto de habilitados: vestígios, formas e técnicas construtivas na arquitetura da modernidade uberlandense. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História - Licenciatura Ou Bacharelado) - Universidade Federal de Uberlândia.

4.
SEIXAS, J. A.; LUZ, G. A.; FERREIRA, T. D. R. Participação em banca de Matielo de Oliveira Vieira.Tirant Lo Blanc e a reformulação política dos valores cavaleirescos: a busca por instruir a cavalaria através do sentimento de honra (século XV). 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

5.
LUZ, G. A.; SILVA, F. S.; BENEDETTI, P.. Participação em banca de Jéssica Honório de Oliveira Silva.O sábio em Sêneca: ética e política. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

6.
LUZ, G. A.; MAHL, M. L.; NASCIMENTO, M. R.; VALE, M. M. B. T.. Participação em banca de Kleber Sienna.Diocese de Barretos: uma leitura sobre o surgimento de seu episcopado. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

7.
ABREU, J. L. N.; LUZ, G. A.; AVELAR, A. S.. Participação em banca de Rafael de Lima Fonseca.Leituras do Iluminismo: uma análise da obra de Antônio Nunes Ribeiro Sanches (século XVIII). 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

8.
NASCIMENTO, M. R.; LUZ, G. A.; NORONHA, G. C.. Participação em banca de Durval Saturnino Cardoso de Paula.Entre o prescrito e o vivido: dimensões políticas e religiosas do governo português no sertão oeste mineiro. Séculos XVIII e XIX. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

9.
CERASOLI, J. F.; LUZ, G. A.; NASCIMENTO, M. R.. Participação em banca de Fernanda Costa Vaz.A afirmação do monoteísmo cristão em A Cidade de Deus de Santo Agostinho. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

10.
NASCIMENTO, M. R.; CARNEIRO, M. E. R.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Adriana Simões Monteiro Maciel.Marias, Madalenas e Evas. Prepresentações para a pureza, o pecado e a desobediência da mulher no poema Bíblico Cântico dos Cânticos: uma leitura possível.. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

11.
ABREU, J. L. N.; CORTES, M. M. P.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Clara Rodrigues Couto.Poética dos gestos: o ballet e a corte em Des ballets anciens et modernes selon les règles du théâtre (1682), de Menestrier. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

12.
ABREU, J. L. N.; NASCIMENTO, M. R.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Marco Ariel da Silva Galvão.Alteridade e a inserção dos plebeus em Roma para Montesquieu e Momigliano. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

13.
LUZ, G. A.; LEHMKUHL, L.; CARNEIRO, M. E. R.. Participação em banca de Karina Paim Teodoro de Souza.Brasilidade em cores: metáforas cromáticas do Estado Novo nas páginas da revista Ilustração Brasileira. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

14.
LUZ, G. A.; CARNEIRO, M. E. R.; NASCIMENTO, M. R.. Participação em banca de Érika Silva Quites Machado.A eleição divina de Portugal: a história portuguesa e a condução da humanidade à salvação em sermões de Antônio Vieira. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

15.
LUZ, G. A.; VOIGT, A. F.; CERASOLI, J. F.. Participação em banca de Cleber Vinicius do Amaral Felipe.Para aquém do heroísmo e para além da adulação servil: espelhos de virtude na propaganda política ultramarina portuguesa. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

16.
CERASOLI, J. F.; LUZ, G. A.; SEIXAS, J. A.. Participação em banca de Thiago Destro Rosa Ferreira.Um anel para a todos governar: o medievo e a sensibilidade contemporânea na obra O Senhor dos Anéis de J. R. R. Tolkien. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

17.
LEHMKUHL, L.; LUZ, G. A.; NASCIMENTO, M. R.. Participação em banca de Juliany Paiva Costa.Cânone e apropriação na representação: uma análise iconográfica do "Povorello de Assis" em Uberlândia. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

18.
VOIGT, A. F.; LUZ, G. A.; MAHL, M. L.. Participação em banca de Daniela Barbosa da Silva.Moral, Retórica e Narrativa em Guerra Catilinária de Salústio. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

19.
LUZ, G. A.; ABREU, J. L. N.; NASCIMENTO, M. R.. Participação em banca de Stela Beatriz Duarte.A devoção à Santa Úrsula e às Onze Mil Virgens na América Portuguesa do século XVI. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

20.
ALMEIDA, A.; LUZ, G. A.; VASCONCELOS, R. I. V.. Participação em banca de Eliete Antônia da Silva.Dos limites da lei aos preconceitos: os portadores de deficiência e o difícil caminho da inclusão social no Brasil. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

21.
BESSA, K. A. M.; LUZ, G. A.; PACHECO, F. P.. Participação em banca de Élcio Eduardo da Silva.Namor, Tocha Humana e Capitão América em Marvels: ao lado dos Aliados na Segunda Guerra. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

22.
CERASOLI, J. F.; VOIGT, A. F.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Tamara de Oliveira Sanches.A institucionalização da Igreja Luterana. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

23.
LUZ, G. A.; LEHMKUHL, L.; ALEM, J. M.. Participação em banca de Maria Angelina Soares Neta.Literatura de Viagem: os relatos quinhentistas e as imagens do índio no Brasil do século XVI.. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

24.
ALMEIDA, A.; LUZ, G. A.; DÂNGELO, N.. Participação em banca de Ana Flávia Ribeiro Santana.O saber histórico e as práticas educativas: potencialidades e limites. Uberlândia 2000-2004.. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

25.
ALMEIDA, A.; ALMEIDA, P. R.; LUZ, G. A.. Participação em banca de Júlio César Meira.ONG's e assistencialismo religioso em Uberlândia (1980-2004). 2005. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

26.
LUZ, G. A.; MUYLAERT, J.; SOUSA, V. L. P.. Participação em banca de Cláudia Macedo Gontijo.Senhora, de José de Alencar: uma análise histórica da sociedade brasileira do final do século XIX através de sua personagem feminina.. 2005. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia.

27.
LUZ, G. A.; CARNEIRO, J. A. V.; VILARINO, M. T. B.. Participação em banca de Angélica Antunes Tenório.O museu como espaço de produção e difusão do conhecimento. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Vale do Rio Doce.

28.
LUZ, G. A.; CARNEIRO, J. A. V.; VILARINO, M. T. B.. Participação em banca de Zilda Maria Monteiro Vargas.História do Distrito de Penha do Cassiano. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Vale do Rio Doce.

29.
LUZ, G. A.; CARNEIRO, J. A. V.; VILARINO, M. T. B.. Participação em banca de Karla Garcia Alves.Folias do Divino em Pescador. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Vale do Rio Doce.

30.
LUZ, G. A.; ESPINDOLA, H. S.; VILARINO, M. T. B.. Participação em banca de Ivy Denadai-Baldon do Amaral.A mesma praça... Outra História!. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Vale do Rio Doce.

31.
LUZ, G. A.; ESPINDOLA, H. S.; VILARINO, M. T. B.. Participação em banca de Simone Elisiário Batalha.A mesma praça... Outra História!. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Vale do Rio Doce.

32.
LUZ, G. A.; ESPINDOLA, H. S.; VILARINO, M. T. B.. Participação em banca de Tatiana Maria Nápoli.A mesma praça... Outra História!. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Vale do Rio Doce.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
LUZ, G. A.; CALDAS, P. S. P.; SIMONINI, G.C.S.. Presidente da Comissão Julgadora do Processo Seletivo Simplificado para Contratação Temporária de professor Substituto para o Instituto de História. Área: Teoria e Metodologia da História.. 2007. Universidade Federal de Uberlândia.

Outras participações
1.
LUZ, G. A.; SEIXAS, J. A.; MUYLAERT, J.; ABREU, J. L. N.; NASCIMENTO, M. R.; CARMO, M. A. A.; SANTOS, R. M.. Banca de Avaliação dos Projetos de Mestrado para Linha Política e Imaginário - Processo Seletivo PPGHI/UFU 2015-2016. 2015. Universidade Federal de Uberlândia.

2.
LUZ, G. A.; NASCIMENTO, M. R.; SEIXAS, J. A.. Presidente da Banca de Avaliação dos Projetos de Doutorado para Linha Política e Imaginário - Processo Seletivo PPGHI/UFU 2015-2016. 2015. Universidade Federal de Uberlândia.

3.
LUZ, G. A.; SEIXAS, J. A.; MUYLAERT, J.; ABREU, J. L. N.; NASCIMENTO, M. R.; CARMO, M. A. A.; SANTOS, R. M.. Banca de Avaliação das Entrevistas de Candidatos ao Mestrado na Linha Política e Imaginário - Processo Seletivo PPGHI/UFU 2015-2016. 2015. Universidade Federal de Uberlândia.

4.
LUZ, G. A.; NASCIMENTO, M. R.; SEIXAS, J. A.. Banca de Avaliação das Entrevistas de Candidatos ao Doutorado na Linha Política e Imaginário - Processo Seletivo PPGHI/UFU 2015-2016. 2015. Universidade Federal de Uberlândia.

5.
LUZ, G. A.; ALMEIDA, A.; SEIXAS, J. A.. Banca de Entrevistas da Linha Política e Imaginário para seleção de candidatos ao curso de Doutorado do PPGHI/UFU, processo seletivo 2014-2015. 2014. Universidade Federal de Uberlândia.

6.
NASCIMENTO, M. R.; LUZ, G. A.; ALMEIDA, A.; SEIXAS, J. A.; MUYLAERT, J.; ABREU, J. L. N.; CARNEIRO, M. E. R.; CARMO, M. A. A.; SANTOS, R. M.. Banca de Projetos da Linha Política e Imaginário para seleção de candidatos ao curso de Mestrado do PPGHI/UFU, processo seletivo 2014-2015. 2014. Universidade Federal de Uberlândia.

7.
ALMEIDA, A.; LUZ, G. A.; SEIXAS, J. A.. Banca de Projetos da Linha Política e Imaginário para seleção de candidatos ao curso de Doutorado do PPGHI/UFU, processo seletivo 2014-2015. 2014. Universidade Federal de Uberlândia.

8.
NUNES, L. J.; LUZ, G. A.; SPINI, A. P.; CARNEIRO, D. F.. Banca de avaliação de currículos para seleção de candidatos ao curso de Mestrado do PPGHI/UFU, processo seletivo 2014-2015. 2014. Universidade Federal de Uberlândia.

9.
ABREU, J. L. N.; LUZ, G. A.; ALMEIDA, A.; SEIXAS, J. A.; MUYLAERT, J.; NASCIMENTO, M. R.; CARNEIRO, M. E. R.; CARMO, M. A. A.; SANTOS, R. M.. Banca de Entrevistas da Linha Política e Imaginário para seleção de candidatos ao curso de Mestrado do PPGHI/UFU, processo seletivo 2014-2015. 2014. Universidade Federal de Uberlândia.

10.
SANTOS, R. M.; MUYLAERT, J.; ALEM, J. M.; CARNEIRO, M. E. R.; NASCIMENTO, M. R.; ABREU, J. L. N.; SEIXAS, J. A.; ALMEIDA, A.; LUZ, G. A.. Integrante da banca de avaliação de projetos de pesquisa (linha: Política e Imaginário) no processo seletivo para alunos do curso de Mestrado do PPGHIS-UFU. 2012. Universidade Federal de Uberlândia.

11.
SEIXAS, J. A.; LUZ, G. A.; ALMEIDA, A.. Integrante da banca de avaliação de projetos de pesquisa (linha: Política e Imaginário) no processo seletivo para alunos do curso de Doutorado do PPGHIS-UFU. 2012. Universidade Federal de Uberlândia.

12.
SANTOS, R. M.; ALEM, J. M.; SEIXAS, J. A.; MUYLAERT, J.; ALMEIDA, A.; ABREU, J. L. N.; CARNEIRO, M. E. R.; LUZ, G. A.. Integrante da banca de entrevistas (linha: Política e Imaginário) no processo seletivo para alunos do curso de Mestrado do PPGHIS-UFU. 2012. Universidade Federal de Uberlândia.

13.
SEIXAS, J. A.; LUZ, G. A.; ALMEIDA, A.. Presidente da banca de entrevistas (linha: Política e Imaginário) no processo seletivo para alunos do curso de Doutorado do PPGHIS-UFU. 2012. Universidade Federal de Uberlândia.

14.
NUNES, L. J.; ABDALA, M. C.; MORAIS, S. P.; LUZ, G. A.. Integrante da banca de avaliação de currículos no processo seletivo para alunos do curso de Mestrado do PPGHIS-UFU. 2012. Universidade Federal de Uberlândia.

15.
DÂNGELO, N.; RAMOS, A. F.; GONCALVES NETO, W.; LUZ, G. A.. Integrante da banca de avaliação de currículos no processo seletivo para alunos do curso de Doutorado do PPGHIS-UFU. 2012. Universidade Federal de Uberlândia.

16.
ALMEIDA, A.; LOPREATO, C.; SEIXAS, J. A.; MUYLAERT, J.; CERASOLI, J. F.; BESSA, K. A. M.; LUZ, G. A.. Integrante da Banca para Avaliação de Projetos de Pesquisa no Processo Seletivo 2010 de Alunos Ingressantes no Curso de Mestrado em História da UFU. Linha: Política e Imaginário. 2009. Universidade Federal de Uberlândia.

17.
ALMEIDA, A.; LOPREATO, C.; LUZ, G. A.; SEIXAS, J. A.; MUYLAERT, J.; CERASOLI, J. F.; BESSA, K. A. M.. Integrante da Banca de Entrevistas no Processo Seletivo 2010 de Alunos Ingressantes no Curso de Mestrado em História da UFU. Linha: Política e Imaginário. 2009. Universidade Federal de Uberlândia.

18.
LUZ, G. A.; SEIXAS, J. A.; ALEM, J. M.; ALMEIDA, A.; LOPREATO, C.. Presidente da Banca de Avaliação de Projetos de Pesquisa. 2008. Universidade Federal de Uberlândia.

19.
LUZ, G. A.; ALMEIDA, P. R.; MACHADO, M. C.; CALDAS, P. S. P.. Integrante de banca de avaliação das provas de conhecimento específico do Processo Seletivo para alunos da XI Turma do curso de Mestrado em História da UFU. 2008.

20.
LUZ, G. A.; ALEM, J. M.; ALMEIDA, A.; LOPREATO, C.; SEIXAS, J. A.. Presidente de Banca de Entrevistas no Processo de Seleção de Alunos para o Curso de Mestrado em História (PPHIS/UFU, linha de pesquisa: Política e Imaginário). 2008. Universidade Federal de Uberlândia.

21.
LEHMKUHL, L.; LUZ, G. A.; VASCONCELOS, R. I. V.; RAMOS, R. P.. Integrante da banca examinadora para avaliação de currículos dos candidatos inscritos no processo seletivo para o curso de Mestrado em História da UFU - X Turma. 2007. Universidade Federal de Uberlândia.

22.
BESSA, K. A. M.; LUZ, G. A.; ALMEIDA, A.; ALEM, J. M.. Integrante da banca examinadora para avaliação dos Projetos de Pesquisa dos candidatos inscritos no processo seletivo para o Curso de Mestrado em História (Linha: Política e Imaginário) da UFU - X Turma. 2007. Universidade Federal de Uberlândia.

23.
LUZ, G. A.; ALEM, J. M.; ALMEIDA, A.; BESSA, K. A. M.. Presidente da banca examinadora para realização das entrevistas com os candidatos selecionados para esta etapa do processo seletivo para o curso de Mestrado em História (Linha: Política e Imaginário) da UFU - X Turma. 2007. Universidade Federal de Uberlândia.

24.
LUZ, G. A.; BESSA, K. A. M.; ALMEIDA, A.; LOPREATO, C.; SEIXAS, J. A.; ALEM, J. M.. Participação na banca avaliadora de entrevistas da seleção alunos para o curso de Mestrado em História da Universidade Federal de Uberlândia. 2006. Universidade Federal de Uberlândia.

25.
LUZ, G. A.; BESSA, K. A. M.; ALMEIDA, P. R.; PARANHOS, K.; MACHADO, M. C.; PAULA, D. A.. Presidente da banca de avaliação da prova de conhecimento espeífico da seleção de alunos para o curso de Mestrado em História da Universidade Federal de Uberlândia. 2006. Universidade Federal de Uberlândia.

26.
LUZ, G. A.; ALEM, J. M.; ALMEIDA, A.; BESSA, K. A. M.; LOPREATO, C.; SEIXAS, J. A.. Participação na banca de avaliação de projetos na seleção de alunos para o curso de Mestrado em História da Universidade Federal de Uberlândia. 2006. Universidade Federal de Uberlândia.

27.
LUZ, G. A.; ALEM, J. M.; ALMEIDA, A.; BESSA, K. A. M.; LOPREATO, C.; SEIXAS, J. A.. Participação na banca de avaliação de projetos da Seleção de alunos para o Curso de Mestrado em História da UFU. 2005. Universidade Federal de Uberlândia.

28.
LUZ, G. A.; ALEM, J. M.; ALMEIDA, P. R.; BESSA, K. A. M.; LOPREATO, C.; SEIXAS, J. A.. Participação na banca de entrevistas da Seleção de alunos para o Curso de Mestrado em História da UFU. 2005. Universidade Federal de Uberlândia.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Seminários do Nephispo 2018: a BNCC e os enquadramentos da Educação Brasileira Contemporânea.Projetos de Vida ou a BNCC e as suas tecnologias. 2018. (Seminário).

2.
I Encontro Nacional do Centro de Estudos em História Cultural das Religiões.Expansões Religiosas e Negociações Culturais. 2017. (Encontro).

3.
II Encontro de Conferencistas e Pesquisadores da Casa Plural de Tupaciguara.Aprender-se nos outros: caminhos marciais, humanidades e educação integral. 2017. (Encontro).

4.
Como me constituí professor (a): Incidentes Críticos II.Conversa de professor: incidentes críticos. 2016. (Outra).

5.
Curso de Formação Contínua e em Serviço.A Reforma do Ensino Médio: Inquisições (ou Inquirições?). 2016. (Outra).

6.
Debate: Direita, esquerda e história: movimentos corporais, estudantis e poder em discussãoo.Sujeitos históricos, historiografia e mobilização política.. 2016. (Outra).

7.
Mostra de Pesquisa.Jesuítas, a modernidade e as conexões globais nos séculos XVI e XVII.. 2016. (Outra).

8.
Colóquios do Scientia ? Circulação do Conhecimento: séculos XVII-XX.Do Éremos ao livro da Natureza: Calvinismo e Contrarreforma no ?espelho? do Batista. 2014. (Simpósio).

9.
II Colóquio Retóricas, Poéticas e Preceptivas Artísticas.Vieira e o Corpo Vivo da Pregação. 2014. (Seminário).

10.
Seminários 20 anos com NEPHISPO.Palavra e Imagem nos Seiscentos: a imaginação artística na Contrarreforma. 2014. (Seminário).

11.
V Encontro Internacional de História Colonial. Vieira e o corpo vivo da pregação. 2014. (Congresso).

12.
XXXIV Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte. Do Éremos ao livro da natureza. Calvinismo e contrarreforma no "espelho" do Batista. 2014. (Congresso).

13.
Concílio de Trento: Restaurar ou Inovar. 450 anos de História. Ego vox clamantis in deserto: a iconografia da pregação de São João Batista como. 2013. (Congresso).

14.
History of Art Department - Research Seminars 2013?2014.Universality, Gestures and Passions: Painting, Preaching and Religious Languages in the Post-Tridentine Era. 2013. (Seminário).

15.
II Congresso Brasileiro de Retórica. Questões de estilo e economia das paixões em escritos políticos das Minas setecentistas.. 2012. (Congresso).

16.
IV Encontro Internacional de História Colonial.O corpo eloquente da palavra divina: pressupostos e métodos para o estudo dos aspectos não-verbais da pregação (séculos XVI-XVIII). 2012. (Encontro).

17.
NEPHISPO - Seminários de Pesquisa e de Texto.Pregação para os olhos: as representações da ?eloquência divina? na Europa Católica durante a primeira modernidade. 2012. (Seminário).

18.
Seminários de História & Imagem.Pregação e Martírio entre o Novo e o Velho Mundo: imagens, religião e religiosidade católicas (séc. XVI-XVIII). 2012. (Simpósio).

19.
I Simpósio do DEHSCUBRA.Flores do Desengano. Poética do poder na América portuguesa.. 2011. (Simpósio).

20.
Primer Congreso Internacional de Retórica. Os irmãos Albuquerque em Prosopopeia: pequena nobreza e grande épica.. 2011. (Congresso).

21.
XVIII Biennial Conference of the International Society for the History of Rhetoric. De Rebus Gestis Mém de Sá: on the topics of the just war in a XVIth century Portuguese American epic poem. 2011. (Congresso).

22.
3º Encontro Internacional de História Colonial. Elogio do açúcar: os jesuítas, a economia e a moral (Bahia, c. 1711).. 2010. (Congresso).

23.
Colóquio Internacional: Tramas e dramas do político - linguagens, formas, jogos..De utopias e catástrofes: (ir)reversibilidades do tempo.. 2010. (Seminário).

24.
Congresso Internacional Antônio Vieira. Os mistérios do Rosário e o enigma da escravidão. 2009. (Congresso).

25.
I Ciclo de Palestras do Curso de História do Campus do Pontal.Poética, retórica e representações políticas: louvores e censuras nas práticas letradas da América portuguesa (séculos XVI-XVIII). 2009. (Outra).

26.
Colóquio Vieira & Machado.Rosário da concórdia: Vieira e os fundamentos místicos da paz social. 2008. (Seminário).

27.
Semana de História (Nação em debate: história, linguagens e historiografia).A Educação Jesuítica no Brasil (1549-1759). 2008. (Encontro).

28.
Tempos de Vieira e Machado: autoridades e autorias.Os mistérios do rosário e o enigma da escravidão nos sermões de Vieira.. 2008. (Seminário).

29.
XII Jornadas Internacionales sobre las Misiones Jesuíticas: Interacciones y sentidos de la conversión. Quando o verbo se faz carne: antropofagia e Eucaristia no teatro jesuítico (América portuguesa, séc. XVI). 2008. (Congresso).

30.
Lo voy a decir ahora: entevistando el movimiento. Palestra proferida pelo Prof. Alessandro Portelli. 2007. (Outra).

31.
Sonho e razão no mundo ibérico.O éthos do aedo e a constituição jesuítica do herói: Anchieta e Mem de Sá. 2007. (Seminário).

32.
XVIth Biennial Conference of the International Society for the History of Rhetoric. The Jesuit's rhetoric and the topics of cannibalism in the XVIth Century: the case of the Portuguese American letters. 2007. (Congresso).

33.
A Nova História Cultural. Palestra proferida pelo Prof. Roger Chartier. 2006. (Outra).

34.
Escritura, Oralidade e Imagens na Europa Moderna (séculos XVI-XVIII). Seminário ministrado pelo Prof. Roger Chartier. 2006. (Seminário).

35.
III Semana Acadêmica da Universidade Federal de Uberlândia.A morte-vida do corpo místico: retórica fúnebre e política no século XVII. 2006. (Encontro).

36.
III Simpósio Nacional de História Cultural.Aparato fúnebre e ecfrase política no panegírico a Afonso Furtado de Mendonça.. 2006. (Simpósio).

37.
Semana de História 2006.A Historicidade do Ensino de História. 2006. (Encontro).

38.
XI Simpósio Nacional e I Simpósio Internacional de Letras e Lingüística (XI SILEL).Inversões e reversões do labirinto canibal: as práticas antropofágicas indígenas nas letras jesuíticas do século XVI. 2006. (Simpósio).

39.
V Encontro do DESCHUBRA.Heroísmo épico e elogio fúnebre: formas retóricas e os modelos de bom governo na América portuguesa (séculos XVI e XVII).. 2005. (Encontro).

40.
XXIII Simpósio Nacional de História - História: Guerra e Paz.Os jesuítas e a política da eloqüência na América portuguesa quinhentista. 2005. (Simpósio).

41.
Forum de Estudos Ambientais da UNIVALE.Forum de Estudos Ambientais da UNIVALE. 2004. (Seminário).

42.
XIV Encontro Regional de História (ANPUH-MG).Entre orquídeas e bichos-de-pé: Saint-Hilaire, civilização e a natureza da Estrada Real. 2004. (Encontro).

43.
1ª Semana de Atividades Acadêmico-científico-culturais da FACE.A formação do educador: culturas, saberes e práticas. 2003. (Encontro).

44.
VIII Semana de Letras, Leitura e Letramento da UFOP.O Gedeão da Guanabara: a leitura bíblica do heroísmo em De Gestis Mendi de Saa. 2003. (Encontro).

45.
I Simpósio Nacional de História Cultural.Leônidas, de Malaca à América. As dedicatórias de Gandavo e Camões a Lionis Pereira e a ética da empresa ultramarina portuguesa na 'História da Província de Santa Cruz'. 2002. (Simpósio).

46.
IX Jornadas Internacionais sobre as Missões Jesuíticas: Informação e Globalização na Missão Jesuítica. Passos da propagação da fé: o lugar da experiência em escritos de Nóbrega e Acosta. 2002. (Congresso).

47.
IV Encontro dos Estudantes de História da Unicamp.Mem de Sá e as tópicas da guerra justa. 2001. (Encontro).

48.
Brasil lembrança: imagens e invenções.O cativeiro do desconhecido: o testemunho verdadeiro de Hans Staden sobre sua viagem à terra dos homens nus devoradores de carne humana. 2000. (Seminário).

49.
Brasil Século XXI: Realidade e Utopia - II Semana do Centro de Ciências Humanas da Universidade Estadual Vale do Acaraú - CCH / UVA.Utopia e conversão nos escritos dos jesuítas: América portuguesa, séculos XVI e XVII. 2000. (Encontro).

50.
Festa: cultura e sociabilidade na América portuguesa.Palavras em Movimento: as diversas imagens quinhentistas e a universalidade da Revelação. 1999. (Seminário).

51.
III Encontro de Pesquisa dos Estudantes de História da Unicamp.Diabos canibais no ?caderno de Anchieta?. 1999. (Encontro).

52.
II Encontro dos Estudantes de História da Unicamp.Festas periódicas, rogações públicas e recebimentos: o sentido da festa para a religiosidade no Brasil quinhentista. 1998. (Encontro).

53.
XIV Encontro Regional de História (ANPUH-SP): sujeitos na História: práticas e representações.Os milagres lingüísticos do Canarinho do Céu: a imagem histórica de Anchieta como poeta e taumaturgo. 1998. (Encontro).

54.
Ciclo Anchietano.O drama da salvação: Anchieta e a conversão do indígena brasileiro. 1997. (Seminário).

55.
I Encontro dos Estudantes de História da Unicamp.As flechas e a grelha: cultura material, teatro e a formação de uma identidade ameríndia-cristã no Brasil quinhentista. 1997. (Encontro).

56.
III Congresso de Ciências Humanas Letras e Artes das Universidades Federais de Minas Gerais. O Drama da Salvação: Anchieta e a conversão do índio. 1997. (Congresso).

57.
?História e metodologias: Minas em Questão?. 1994. (Congresso).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
LUZ, G. A.; NORONHA, G. C. . Como me constituí professor (a): Incidentes Críticos II. 2016. (Outro).

2.
LUZ, G. A.; PAIVA, J. M. ; MARGUELA, A. . I Simpósio do DEHSCUBRA. 2011. (Congresso).

3.
LUZ, G. A.; MUYLAERT, J. ; CERASOLI, J. F. ; ALMEIDA, A. ; LOPREATO, C. ; CARRIJO, G. G. ; SEIXAS, J. A. ; BESSA, K. A. M. ; ALEM, J. M. ; TEIXEIRA, F. B. ; AZEVEDO, L. . Colóquio: "Tempos de Vieira e Machado: autoridades e autorias". 2008. (Outro).

4.
LUZ, G. A.; LIMA, Luís Filipe Silvério ; SILVA, Wilton Carlos Lima da . Imagens da Retórica, Retóricas da Imagem. 2006. (Outro).

5.
VARIOS, ; LUZ, G. A. . Semana de História 2006. 2006. (Outro).

6.
LUZ, G. A.. Fórum de Estudos Ambientais da UNIVALE. 2004. (Outro).

7.
LUZ, G. A.; VARIOS, . I Semana de Atividades Acadêmicas Científicas e Culturais da FACE. 2003. (Congresso).

8.
LUZ, G. A.; VARIOS, . III Encontro de pesquisa dos Estudantes de História - IFCH/Unicamp. 1999. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Gabriel Dutra Lange. Um olhar sobre a figura do samurai a partir do cinema japonês do pós-guerra. Início: 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História - Licenciatura Ou Bacharelado) - Universidade Federal de Uberlândia. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Lucas Augusto Neto. Caminhos distantes: experiências com artes marciais chinesas no Triângulo Mineiro (1987-2018). Sub-projeto 1: Ma Tong Hua (Uberaba-MG). Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História - Licenciatura Ou Bacharelado) - Universidade Federal de Uberlândia. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Cíntia da Silva Vaz. Pelas trilhas de Lagoa Serena. A construção do mito da mulher bandeirante na obra A Muralha e na revista O Cruzeiro.. 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

2.
Stela Beatriz Duarte. De Beata Virgine Matre Dei Maria: martírio e castidade na épica religiosa quinhentista.. 2012. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

3.
Cléber Vinícius do Amaral Felipe. Poética da prudência: a expansão portuguesa quinhentista na tradição épica. 2012. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

4.
Maria Angelina Soares Neta. Peregrinações por terras estranhas. A representação da guerra indígena em viagens helenísticas de franceses: André Thevet e Jean de Léry. 2011. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

5.
Radamés Vieira Nunes. Sobre crônicas, cronistas e cidade: Rio de Janeiro nas crônicas de Lima Barreto e Olavo Bilac (1900-1920). 2009. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

6.
Roberto Mendes Ramos Pereira. Demandas e representações populares na vivência político-religiosa em Montes Claros (1996-2004). 2009. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

Tese de doutorado
1.
Ricardo Batista de Oliveira. Índios Incorrigíveis ou Vassalos D'el Rei? Sociabilidade Interétnica no Sertão da Farinha Podre e Áreas Subjacentes (1750-1850). 2016. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

2.
Ludmila Gomide Freitas. O sal da guerra. Padre Antônio Vieira e as tópicas teológico-jurídicas na apreciação da guerra justa contra os índios.. 2014. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Clarice dos Santos. Nicholas Winton, Irena Sendler e os judeus sobreviventes do holocausto.. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História - Licenciatura Ou Bacharelado) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

2.
José Amílton Gomes dos Santos. Habemus Papam. Liturgia do Sacrosanctum Concilium na cátedra Petrina dos Pontificados de Bento XVI e Francisco. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História - Licenciatura Ou Bacharelado) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

3.
Jéssica Honório de Oliveira Silva. O sábio em Sêneca: ética e política. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

4.
Kleber Sienna. Diocese de Barretos: uma leitura sobre o surgimento de seu episcopado. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

5.
Fernanda Costa Vaz. A afirmação do monoteísmo cristão em Cidade de Deus, de Santo Agostinho. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

6.
Marco Ariel da Silva Galvão. Alteridade e a Inserção dos Plebeus em Roma para Montesquieu e Momigliano. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

7.
Clara Rodrigues Couto. Poética dos gestos: o Ballet e a corte em Des ballets anciens et modernes selon les règles du théâtre (1682), de Menestrier. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

8.
Érika Silva Quites Machado. A eleição divina de Portugal: a história portuguesa e a condução da humanidade à salvação em sermões de Antônio Vieira. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

9.
Cléber Vinícius do Amaral Felipe. Para aquém do heroísmo e para além da adulação servil: espelhos de virtude na propaganda política ultramarina portuguesa. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

10.
Stela Beatriz Duarte. A devoção à Santa Úrsula e às Onze Mil Virgens na América Portuguesa do século XVI. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

11.
Tamara de Oliveira Sanches. A Institucionalização da Igreja Luterana. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

12.
Maria Angelina Soares Neta. Literatura de Viagem: os relatos quinhentistas e as imagens do índio no Brasil do século XVI.. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

13.
Cláudia Macedo Gontijo. Senhora, de José de Alencar: uma análise histórica da sociedade brasileira do final do século XIX através de sua personagem feminina.. 2005. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Uberlândia. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

14.
Ana Paula de Almeida. Internet: o novo método de acessar a História. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Vale do Rio Doce. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

15.
Douglas Barbosa Franco. Internet: o novo método de acessar a História. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Vale do Rio Doce. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

16.
Frederico Lopes Assunção. Internet: o novo método de acessar a História. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Vale do Rio Doce. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

17.
Rosana Cavate Sobrinho. O jogo como instrumento didático no Ensino de História. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Vale do Rio Doce. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

18.
Rivaneide Ribeiro Mendes. O jogo como instrumento didático no ensino de História. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Vale do Rio Doce. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

19.
Sônia Maria da Silva Nunes. O jogo como instrumento didático no ensino de História. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Vale do Rio Doce. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

Iniciação científica
1.
Ana Maria Bertolino. ?Cartas Chilenas?: transformações e tensões em versos satíricos às vésperas da Inconfidência Mineira. 2011. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

2.
Clara Rodrigues Couto. Camões e João de Barros como modelos de escrita épica e panegírica na América portuguesa. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

3.
Stela Beatriz Duarte. A representação do martírio no ?teatro jesuítico da missão?. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

4.
Cleber Vinicius do Amaral Felipe. Em defesa da ordem: poética epidítica e saberes heterodoxos. América portuguesa (1580-1750). 2009. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

5.
Jonnathan Monteiro Margoliner. A apropriação da tradição retórico-poética no sistema pedagógico jesuítico. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

6.
Érika Silva Quites Machado. As representações do mal, do vil e da justiça divina em sermões do Pe. Antônio Vieira (1651-1661). 2008. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

7.
Cristiane Regina Vieira de Sousa. Spix, Martius e a crítica ambiental no Brasil oitocentista. 2004. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Vale do Rio Doce, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Guilherme Amaral Luz.

8.
Ana Luiza Gomes Gilbert. Auguste de Saint-Hilaire e a crítica ambiental no Brasil oitocentista. 2004. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Vale do Rio Doce, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Guilherme Amaral Luz.



Inovação



Projetos de pesquisa

Projeto de extensão


Educação e Popularização de C & T



Textos em jornais de notícias/revistas
1.
LUZ, G. A.. A serviço da Companhia de Jesus. Nossa História (São Paulo), São Paulo, p. 64 - 67, 01 jun. 2005.

2.
LUZ, G. A.. O olhar dos Naturalistas. Edição Especial História Viva, São Paulo, p. 52 - 57, 01 jun. 2006.


Apresentações de Trabalho
1.
LUZ, G. A.. Atitudes e dilemas diante da vida eterna no 'outono da Idade Média'. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
LUZ, G. A.. Sujeitos históricos, historiografia e mobilização política.. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

3.
LUZ, G. A.. Conversa de professor: incidentes críticos. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

4.
LUZ, G. A.. Jesuítas, modernidade e as conexões globais nos séculos XVI e XVII. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

5.
LUZ, G. A.. Aprender-se nos outros: caminhos marciais, humanidades e educação integral. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).


Cursos de curta duração ministrados
1.
LUZ, G. A.. Museu de Arte Sacra: ensino de história e ?musealização? do sagrado. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

2.
LUZ, G. A.. O Museu de Arte Sacra de Uberlândia ? introdução, visita e potencialidades do seu acervo. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
LUZ, G. A.. Oficina de Kung Fu e Aspectos da Cultura Chinesa. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).


Desenvolvimento de material didático ou instrucional
1.
LUZ, G. A.. Kung Fu (功夫): Interfaces entre prática de arte marcial e ensino e aprendizagem em humanidades. Material Didático para Curso Livre. 2016. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Apostila).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
LUZ, G. A.; NORONHA, G. C. . Como me constituí professor (a): Incidentes Críticos II. 2016. (Outro).


Redes sociais, websites e blogs
1.
LUZ, G. A.. Arte Marcial e Humanidades - Tupaciguara. 2016; Tema: História, Geografia e Culturas da China e das Artes Marciais Chinesas. (Rede social).

2.
LUZ, G. A.. Caminhos Marciais e Humanidades. 2016; Tema: Cultura Marcial Asiática e Educação em Humanidades. (Blog).

3.
LUZ, G. A.. Caminhos Marciais e Humanidades. 2018; Tema: Cultura Marcial Asiática e Educação Humanística. (Blog).

4.
LUZ, G. A.. Caminhos Marciais e Humanidades - Twitter. 2018; Tema: Cultura Marcial Asiática e Educação Humanística. (Rede social).

5.
LUZ, G. A.; APOLLONI, R. W. ; MARANA, J. ; MONTEIRO, F. P. ; MACEDO, R. ; CARDIA, R. . Caminhos Marciais e Humanidades. 2017; Tema: Cultura Marcial Asiática e Educação Humanística. (Blog).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 17/01/2019 às 14:17:31