Edna Maria Matos Antônio

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/9162237433504481
  • Última atualização do currículo em 29/05/2018


Possui graduação em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1996), mestrado em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1999) e doutorado em Historia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2011). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Sergipe. Tem experiência no ensino e pesquisa na área de História, com ênfase em História do Brasil Colonial e Império e nas discussões de poder e relações sociais. Parecerista do PNPD Programa Nacional do Livro Didático área de História (2014-2015 e 2015-2016). Coordenadora de área História do Programa de Iniciação à docência PIBID/CAPES da UFS. Coordenadora Titular do programa de Mestrado em História da UFS. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Edna Maria Matos Antônio
Nome em citações bibliográficas
ANTÔNIO, E. M. M.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Sergipe, Departamento de História.
Av Marechal Rondon, s/n.
Jd. Rosa Elze
49100000 - São Cristóvão, SE - Brasil
Telefone: (79) 31946600


Formação acadêmica/titulação


2005 - 2011
Doutorado em Historia.
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Título: A independência do solo que habitamos?: poder, autonomia e culturas políticas na construção do Império Brasileiro. Sergipe (1750-1831), Ano de obtenção: 2011.
Orientador: profa. Dra. Marisa Saenz Leme.
Palavras-chave: poder, região, Independencia, historiografia, Bras; Imperio, politica, historia regional, cultura.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil / Especialidade: História do Brasil Colônia.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil / Especialidade: História do Brasil Império.
1997 - 1999
Mestrado em História.
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Título: A trama de uma sedição - a Anselmada (Franca - 1838),Ano de Obtenção: 2001.
Orientador: Marisa Saenz Leme.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: Imperio, politica, historia regional, cultura.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil / Especialidade: História Regional do Brasil.
Setores de atividade: Educação Superior.
1993 - 1996
Graduação em História.
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Título: A Anselmada no contexto regencial.
Orientador: Marisa Saenz Leme.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.




Formação Complementar


2006 - 2006
Introdução ao estudo da História da Ciencia. (Carga horária: 8h).
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
2004 - 2004
Metodologia e Avaliação dos Processos de Ensino Ap. (Carga horária: 20h).
Universidade Tiradentes, UNIT, Brasil.
2002 - 2002
Extensão universitária em Docência no Ensino Superior Desafios da Prática Do. (Carga horária: 20h).
Universidade Tiradentes, UNIT, Brasil.
1997 - 1997
Concepções e Práticas de Cidadania na História. (Carga horária: 8h).
Associação Nacional de História, ANPUH, Brasil.
1996 - 1996
Região e Regionalização Novas Abordagens. (Carga horária: 6h).
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

02/2016 - Atual
Direção e administração, Programa de Pós-graduação em História, .

Cargo ou função
Coordenadora Adjunta.
04/2015 - Atual
Outras atividades técnico-científicas , Departamento de História, Departamento de História.

Atividade realizada
Coordenação de Área do PIBID - Programa de Iniciação à docência - História UFS.
03/2014 - Atual
Ensino, Mestrado em História, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Tópicos Especiais em História e Poder
Historiografia Brasileira
02/2012 - Atual
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da Cultura Afro-brasileira
História do Brasil Colonial
História do Brasil Império
História do Nordeste
História Econômica Geral e Brasil
História Moderna
Historiografia Brasileira
08/2012 - 08/2014
Pesquisa e desenvolvimento , Departamento de História, .

Linhas de pesquisa
RELAÇÕES SOCIAIS E PODER
6/1999 - 2/2001
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História Moderna II
História Contemporânea I
6/1999 - 2/2001
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História Medieval
História da Arte
História da África
História da América
História do Brasil II

Universidade Tiradentes, UNIT, Brasil.
Vínculo institucional

2000 - 2006
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 0

Atividades

08/2003 - 2/2006
Ensino, Historia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Historia do Brasil Imperio
Historia do Brasil Colonial
Introdução aos estudos historicos
Orientaçao de Estágio
8/2000 - 2/2006
Ensino, Relações Públicas, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História Geral
História da Cultura e das Artes
História da Cultura e das Artes no Brasil
História do Brasil
8/2000 - 2/2006
Ensino, Turismo, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História Geral
História da Cultura e das Artes
História da Cultura e das Artes no Brasil
História do Brasil

Faculdade José Augusto Vieira, FIJAV, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2009
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 20

Atividades

08/2007 - Atual
Ensino, Historia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História Econômica
Historia das Idéias Politicas
História do Brasil Imperio
Metodos e Tecnicas de pesquisa histórica
08/2007 - Atual
Ensino, Serviço Social, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Formação socio-histórica do Brasil
02/2007 - 07/2007
Ensino, Historia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História do Brasil Colonial
Historia do Brasil Republica
08/2006 - 12/2006
Ensino, Historia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História do Brasil Império
Introdução aos estudos históricos
02/2006 - 07/2006
Ensino, Historia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Historia do Brasil Colonial

Secretaria Estadual de Educação de Sergipe, SEED, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2012
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor de Ensino Fundamental II e Médio, Carga horária: 40



Linhas de pesquisa


1.
RELAÇÕES SOCIAIS E PODER

Objetivo: O Grupo de Pesquisa Poder, Cultura e Relações Sociais na História (CNPq-UFS), liderado pela Professora Célia Costa Cardoso, foi criado em 2012, vinculado ao Departamento de História e Programa de Pós-Graduação em História (DHI/PROHIS). Ele nasceu de uma iniciativa coletiva dos docentes e discentes inscritos na Linha de Pesquisa Poder e Relações Sociais, com o objetivo de promover a investigação científica no campo da relação Estado e Sociedade e de facilitar a integração acadêmica entre estudantes do mestrado e da graduação. O grupo funciona como um fórum de debates, permitindo inserir estudos históricos específicos de seus participantes em áreas mais amplas e transversais do poder, da cultura e das relações sociais. Busca-se, dessa forma, congregar investigações referentes às relações socioculturais e do poder em suas mais abrangentes manifestações históricas ou historiográficas; estudos que enfatizem as múltiplas formas pelas quais os indivíduos se organizam, se relacionam, dominam, resistem e negociam ordens sociais, econômicas e políticas, em distintos tempos históricos e nas diferentes perspectivas teóricas emetodológicas de abordagens. Nesse Grupo estão contempladas, assim, pesquisas sobre: relações de classe e de trabalho, escravidão, problemas étnico-raciais e movimentos sociais urbanos e rurais. As ações desenvolvidas pelo Grupo concentram-se na organização de eventos científicos, orientações de pesquisa, fórum de debates de textos individuais e obras historiográficas, entre outras, que resultaram em publicações de livros e diversos artigos científicos e em apresentações de pesquisas em eventos nacionais e internacionais, com divulgações emanais. Por fim, os docentes envolvidos, oriundos da UFS, UFBA, UFPE, UFAL e UNEB, incentivam e estimulam a formação de novos pesquisadores capacitados para atuar em diversas áreas do saber..


Projetos de pesquisa


2017 - Atual
"Humildes vassalos" de uma "capitania ingovernável": estudo das rebeliões em Sergipe Colonial (documentação e pesquisa)
Descrição: O tema das insurreições coloniais sempre instigou os historiadores. Gravitando em torno das noções de ordem, desordem, crime e (in)justiça, foram utilizadas ao longo da história para justificar certas visões sobre a índole das populações coloniais e sua relação com o poder ou quem o representava na América, chegando a ponto de heroificar certos personagens e movimentos para usos de demandas políticos contemporâneas ou legitimidade de sistemas de governo. Ainda que muito positivamente se constate a revisão (e mesmo abandono) de interpretações de viés nacionalista/românticos que insistiam em avaliar esses movimentos por seu sentido nativista ou emancipacionista, muito há pra descortinar em termos de interpretação sobre os sentidos, contornos e estratégias de reivindicação das populações coloniais, principalmente se esse conhecimento contribuir para o elucidar das formas de atuação política próprias à cultura do Antigo Regime em terras além-mar, que acredita-se, possuíam lógicas específicas que precisam ser consideradas e melhor compreendidas por meio de investigação histórica. Estudos inovadores sobre o período colonial, no campo da história política, realizados por pesquisadores em diversas instituições acadêmicas espalhados pelo país, têm revelado a necessidade de repensar a validade da explicação da existência de um antagonismo no binômio metrópole-colônia, normalmente caracterizado pela incondicional oposição e insatisfação dos habitantes da Colônia, que vivenciavam um estado de opressão e contradição de interesses, causador de intensos conflitos entre colonizadores impiedosos e colonos oprimidos, sempre prontos para a rebelião. Atualmente, reconhece-se que a dominação colonial, definida não apenas pelo aspecto da exploração econômica, não se processava apenas por intermédio da repressão e da coerção, mas também do ajuste e da negociação entre os interesses locais e os da metrópole, processo que não excluía tensões, contestações, conflitos e violência e que podiam, no seu limite ou desequilíbrio, resultar em contestações. Por movimentos sediciosos arrolam-se ações de natureza política variadas como motins, rebeliões, guerras indígenas, conflito entre autoridades, deposição de governadores, invasões à câmara, etc. eventos presentes nas narrativas da História do período colonial em Sergipe. O estudo quer, inicialmente, classificar e montar um quadro de informações acerca das rebeliões ocorridas no espaço colonial da capitania de Sergipe no período que cobre o século XVII até início do XIX. Num segundo momento, a partir do que foi coletado, iniciaremos a análise desses movimentos na busca de uma interpretação melhor fundamentada apoiada no diálogo á luz da documentação disponível, do uso de conceitos pela historiografia política contemporânea sobre o assunto e dos avanços metodológicos e conceituais obtidos pela adoção da nova história política..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Edna Maria Matos Antônio - Coordenador / CARLA PAIVA PEREIRA - Integrante / EDILAINE OLIVEIRA SANTOS - Integrante / OZEIAS DOS SANTOS ANJOS - Integrante.
2016 - 2017
As câmaras municipais e o poder local em Sergipe no reinado de D. João V
Descrição: As câmaras municipais, ou o senado da câmara como muitas vezes se dizia, constituem um campo privilegiado para se estudar a composição social da elite e limites dos poderes locais. Distintamente da administração civil e militar - no caso de Sergipe - a cargo do capitão-mor e da ouvidoria, a cargo do ouvidor, ambos os postos reservados majoritariamente aos reinóis, as câmaras eram formadas pelos principais da terra, os chamados "homens bons". O historiador inglês Charles Boxer foi um dos primeiros a ressaltar a importância dessa instituição no processo de expansão imperial portuguesa. Segundo ele, "A Câmara e a Misericórdia podem ser descritas, com algum exagero, como os pilares gêmeos da sociedade colonial portuguesa do Maranhão até Macau. Elas garantiram uma continuidade que os governadores, os bispos e os magistrados transitórios não podiam assegurar. Seus membros provinham de estratos sociais idênticos ou semelhantes e constituíam, até certo ponto, elites coloniais" (2002, p. 286). Por meio desse órgão é que a elite local costumava fazer suas petições e súplicas às autoridades superiores do Brasil e do reino. obre a delimitação temporal da pesquisa podemos ressaltar que o reinado de D. João V foi marcante para a história do Brasil sob vários aspectos. Do ponto de vista econômico dois fatores foram decisivos na reorientação dos interesses da coroa portuguesa das antigas capitanias do norte (hoje nordeste) para o centro-sul da colônia: as descobertas de ouro no sertão mineiro, em 1694, e a expansão da conquista até o rio da prata em busca desse metal precioso e do controle dos milhares de cabeças de gado soltos nas planícies sulinas. Sob o aspecto político, D. João V promoveu um reordenamento da administração monárquica com vistas ao reforço da autoridade régia ? processo esse que se intensificaria no período josefino ?, com políticas de submissão da nobreza e do clero ao rei e de reversão das capitanias hereditárias à Coroa (COUTO, 244). Importa analisar, assim, como que essas reorientações políticas e econômicas refletiram na capitania de Sergipe. Esta pesquisa se insere num esforço coletivo de professores e pesquisadores de História da UFS (vinculados à graduação e à pós-graduação) e de outras instituições de ensino no recém criado Grupo de Estudos Sergipe Colonial - GESC. Por exigir o trabalho paleográfico com transcrição e análise de fontes manuscritas e, também, revisão historiográfica, a investigação proporcionará aos acadêmicos envolvidos uma rica experiência sobre a complexidade da produção do conhecimento historiográfico..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Edna Maria Matos Antônio - Integrante / Augusto da Silva - Coordenador / WANDERLEI DE OLIVEIRA MENEZES - Integrante / CARLOS DE OLIVEIRA MALAQUIAS - Integrante / BRUNA MORRANA DOS SANTOS - Integrante.
2016 - 2017
Imprensa sergipana e política oitocentista: debates e opiniões (1870-1889)
Descrição: A pesquisa objetivou realizar um levantamento temático específico nas fontes jornalísticas de Sergipe disponíveis destacando os assuntos de debate parlamentar na crise na monarquia brasileira. A imprensa constitui fonte privilegiada para o estudo do debate político de uma época, por tratar-se de um veículo que não apenas transmite a informação mas proporciona a discussão sobre os fatos e o posicionamento de opiniões dos agentes históricos, revelando, em seus discursos, valores, práticas e concepções de mundo. A pequisa, no campo da História Política explora a imprensa como fonte prenhe de potencialidades para a análise de contextos históricos em sua pluralidade espacial uma vez que expressa, com vigor, as disputas e os confrontos de natureza político-partidária e a visão sobre as questões de seu tempo. A partir do manejo com fontes e demais práticas próprias ao pesquisador de História tão importantes a formação profissional do historiador, verificou-se a forma pela qual esses embates foram assimilados e discutidos pela imprensa - e seus agentes - num momento crítico, de intensa movimentação política, com repercussão para a província de Sergipe e para o país. Intenta-se fornecer uma contribuição - com dados empíricos baseados na experiência histórica de uma região externa ao espaço consagrado pela historiografia como "nacional" - para o conhecimento sobre o tema..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Edna Maria Matos Antônio - Coordenador / MATHEUS FERNANDO DO CARMO SANTOS - Integrante.
2016 - 2017
O poder legislativo provincial em Sergipe: documentação e pesquisa
Descrição: O exercício do poder regional via instituições legislativas no século XIX é tema que carece de estudos e problematizações históricas/historiográficas em Sergipe. Buscou-se contribuir para amenizar essa ausência de estudos por meio do desenvolvimento da primeira fase do projeto 'O poder legislativo provincial em Sergipe: documentação e pesquisa", em 2015-2016, que se propôs a levantar, identificar e divulgar fontes sobre o tema e o período. Dessa investigação inicial, decorreu a necessidade de problematização da atuação política deste órgão no período regencial, fase compreendida entre a abdicação de D. Pedro I em 07 de abril de 1831 e a maioridade antecipada de seu filho D. Pedro II em 23 de julho de 1840, em que o Brasil foi governado por regentes. Considerada pelos contemporâneos e pela historiografia nacionalista romântica como fase tumultuada, nela aconteceram vários fatos que agitaram a vida social e política do país, eventos que iam desde reformas político-administrativas e judiciais, motins urbanos, revoltas de escravos, rebeliões provinciais e regionais e até mesmo uma tentativa de um golpe de Estado. Por todas essas ocorrências o período se apresenta como uma das fases mais instigantes da nossa história política, seja pelo intenso debate político-institucional, seja pelas questões que a sociedade brasileira teve que vivenciar na busca de caminhos para resolver seus conflitos na condição de país recém-independente. Foi também o momento para a eclosão de manifestações sociais e políticas de diferentes origens, natureza e motivações. Essas ocorrências podem ser interpretadas como indícios das questões e das situações singulares que a sociedade brasileira enfrentava, com a necessidade urgente de refletir e decidir sobre seus rumos políticos. O interessante é que o período Regencial foi um momento decisivo que possibilitou a exacerbação do debate político, em que diversos grupos puderam expressar as suas ideias e seus projetos, mesmo que baseados em proposições distintas para a organização do poder do Estado Imperial brasileiro. Acreditamos que analisando a repercussão dessas questões na esfera regional, essas tensões possam ser melhor captadas e problematizadas a luz da análise histórica com o fim de proporcionar melhor conhecimento sobre esta fase tão importante para as questões de Estado e sociedade no Império, uma vez que trata-se de um problema histórico que implica na discussão sobre o papel das ?partes? na composição de um projeto de Estado que supunha-se nacional e unitário e a questão regional não apresenta-se como discussão menor, configurando, até a atualidade, como problema crucial acerca do desenvolvimento regional do Brasil e as formas de interação/ação das elites nesse complexo jogo de composição política e ideologia unitária que se pretende ?nacional?..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Edna Maria Matos Antônio - Coordenador / MARCOS VINICIUS SANTOS DO NASCIMENTO - Integrante / DANIEL ANDRADE DA SILVA - Integrante.
2016 - Atual
PODERES PROVINCIAIS NA EDIFICAÇÃO DO ESTADO IMPERIAL BRASILEIRO: ANÁLISE DO PODER PROVINCIAL EM SERGIPE OITOCENTISTA
Descrição: A pesquisa propõe realizar um estudo acerca da atuação dos orgãos de poder da esfera províncial durante a primeira fase do Império e regências objetivando explorar as nuances do relacionamento entre as esferas de poder provincial e central num momento crucial de montagem das estruturas governativas que darão sustentação ao Estado Imperial. Pautado nos referenciais da nova história política, o projeto pretende realizar um levantamento e estudo da produção dos documentos produzidos e recebidos pelo Poder Legislativo desde 1824 (data da criação dos Conselhos de província, órgão embrionário das Assembleias Provinciais) até 1842, passando pela discussão observada no período regencial, momentos importantes de discussão acerca da autonomia administrativa das províncias. Os procedimentos metodológicos adotados serão a pesquisa bibliográfica e a pesquisa documental, a partir da análise de fontes primárias manuscritas e impressas localizadas em arquivos e órgão de pesquisa nos estados de Sergipe e do Rio de Janeiro. Com a consecução da pesquisa, espera-se agregar conhecimento sobre o exercício do poder regional via instituições legislativas no século XIX e o significado da esfera provincial para a construção do Estado imperial nas localidades..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Edna Maria Matos Antônio - Coordenador.
2014 - 2015
SEXUALIDADE E GENÊRO NO PENSAMENTO ILUMINISTA
Descrição: O Iluminismo sugeriu um significativo conjunto de proposições sobre comportamento, atitudes e ideias humanas, influenciou o modo de pensar sobre questões como a politica, a sociedade, a economia, a educação, a sexualidade e o papel da mulher marcando consideravelmente o que chamamos de pensamento moderno. Nessa problemática, uma contribuição importante e merecedora de análise aprofundada diz respeito a conceituação e elaboração de um discurso científico e moral acerca das diferenças sexuais entre homens e mulheres. Segundo Laqueur (1996), foi nos séculos XVIII e XIX que a diferença de sexos surgiu enquanto resultado de uma elaborada construção científica que muito contribuiu para a concepção sobre a divisão entre masculino e feminino como algo fixo, natural, indiscutível e repleto de verdades inquestionáveis. Apoiado no discurso cientifico, atestando que a Ciência não pode ser concebida como instância neutra mas produto e agente de uma complexa rede de poder, instalou-se uma intensa polêmica em torno da natureza e do papel da mulher na sociedade bem como do comportamentos considerados "desviantes" como a homossexualidade, temas sob o quais entende-se que são categorias culturalmente e historicamente constituídas e objetos de nossa investigação. A investigação possuiu caráter exploratório-descritivo, com uma metodologia de tipo qualitativo, baseada na análise de obras acadêmicas que versam sobre o assunto, a fim de se obter conhecimento teórico sobre o tema e problematizá-lo a luz dos objetivos da pesquisa. As fontes de pesquisa são de natureza bibliográfica constituídas por exemplares da produção intelectual do período iluminista (os verbetes da Enciclopédia de 1751 relacionados à gênero e sexualidade) e alguns textos eróticos de autores como Voltaire (Candide), Diderot (Les bijoux indiscrets), Montesquieu (Le temple de Cnide) e Marques de Sade . Os verbetes da Encyclopédie foram consultados para posterior análise no site ?The encyclopedia of Diderot e d`Alembert. Collaborative translation Project?. Um site concebido para tornar acessível a professores, estudantes e outros interessados as traduções dos artigos da Enciclopédia editado por Denis Diderot e Jean le Rond d'Alembert, no século 18. Disponível no site http://quod.lib.umich.edu/d/did/index.html A discussão sobre o papel da mulher desenvolvida pelos iluministas encontrará suporte na análise preferencialmente da obra filosófica de Juan Bautista Cubíe, "Em defesa das mulheres", ensaio que integra o "Teatro crítico universal" obra de caráter enciclopédico do filósofo beneditino Jerónimo Feijo y Montenegro bem como das obras selecionadas dos autores Voltaire, Diderot, Rousseau e Montesquieu..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Edna Maria Matos Antônio - Coordenador / LEANDRO AUGUSTO OLIVEIRA DE MELO - Integrante / THAMIRES PEREIRA - Integrante.Número de orientações: 2
2013 - 2014
A ASCENSÃO DA CLASSE C NO BRASIL: VISÕES E EXPECTATIVAS ATRAVÉS DAS REVISTAS SEMANAIS
Descrição: Os efeitos, ganhos e problemas advindos dessa nova realidade no Brasil têm sido objeto de interpretações de estudiosos de várias áreas do conhecimento de tendências políticas e de pensamentos sociológicos diversos, aspecto que confirma a importância de iniciativas investigativas para melhor compreender os elementos constitutivos desse processo. Isso relaciona-se ao fato de que o cenário econômico que permitiu a mudança na renda das famílias brasileiras e a ampliação de sua capacidade de compra e o seu efeito mais concreto, a ascensão da classe C, tocou de forma profunda no tratamento de problemas históricos relacionados a distribuição desigual de renda e a dinâmica das questões sociais no Brasil. Que a ascensão da classe C expressa uma nova fase da economia brasileira é um fenômeno já bastante divulgado, pois o debate em torno desse tema não se restringiu aos círculos acadêmicos e chegou ao público por meio de jornais impressos, revistas, telejornais, internet, etc. Considerando tratar-se de uma nova realidade bastante complexa e passível de muitos questionamentos, procuramos nessa pesquisa aprofundar o conhecimento sobre este tema, explorando os meandros desse fenômeno pelo viés interdisciplinar entre História e Comunicação. Nessa perspectiva, acreditamos ser importante indagar como a mídia brasileira têm tratado desse assunto. O relevo que o processo de crescimento da classe média assumiu no Brasil fundamenta o interesse em pesquisar o modo pelo qual específicos veículos de comunicação e tradicionais formadores de opinião, vêm tratando este fenômeno tão controverso em suas avaliações. Além disso, consideramos que os textos divulgado pela imprensa, produzidos por jornalistas, mas também por outros profissionais, devem ser pensados como elementos ativos, portadores de ideologia e percepções de um grupo social ou de interesses específicos. Também podem ser vistos como parte fundamental do entendimento de como uma sociedade pensa sobre si mesma, e não simplesmente como fragmentos da realidade materializados em textos puramente informativos. Dessa forma, a problematização de assuntos de natureza econômica-social veiculados pela imprensa, e que são vivenciados cotidianamente pela população, incluindo o ambiente universitário, pode fornecer elementos de análise, a partir do conhecimento produzido por pesquisadores graduandos, para a discussão das relações políticas e econômicas que envolvem o atual momento da sociedade brasileira envolvida que está no debate sobre as desigualdades sociais e econômicas e sua superação. Trata-se de uma importante questão de nossa época, da qual nossa comunidade acadêmica deve participar produzindo conhecimento e dialogando com a sociedade. foi realizada análise do discurso jornalístico nos arquivos dessas revistas semanais depositados nas bibliotecas e nos sites da Internet. Obras acadêmicas e artigos que tratem do assunto também serão utilizados como suporte para fundamentar nossas interpretações. Por fim, objetivamos contar ainda com informações do acervo do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil ? FGV disponível na internet ( http://cpdoc.fgv.br), bem como de dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Edna Maria Matos Antônio - Coordenador / BARUC CARVALHO MARTINS - Integrante / MARIA CRISTIANE SANTOS - Integrante / JÉSSICA SANTOS FEITOZA - Integrante.
2012 - Atual
Administração e política na capitania de Sergipe no contexto reformista luso-brasileiro (1750-1777)
Descrição: As reformas pombalinas, contextualizadas em suas características históricas e vinculadas ao ideário do Iluminismo setecentista, aludiam a um repertório amplo de decisões tomadas pelo governo metropolitano, consideradas urgentes e necessárias, vistas naquele momento como o único meio para restaurar a saúde econômica de Portugal e retirá-lo do atraso. Dentro de um espectro amplo de possibilidades de investigação que o período e a questão sinalizam, a proposta investigativa qui apresentada quer realizar um detalhamento acerca do significado da aplicação desta politica e as implicações de várias naturezas que as modificações causadas pela execução das reformas pombalinas. Pretende-se analisar, mais detalhamente, o quadro econômico e administrativo numa parte específica da região norte da América Portuguesa: a capitania de Sergipe. A essência da pesquisa parte do entendimento de que as transformações proporcionadas pelas reformas pombalinas possam ter representado considerável influência na caracterização de uma nova etapa da colonização portuguesa, mas fundamentalmente, ajudaram a compor um cenário colonial complexo pois transformou as relações entre a colônia e a metrópole portuguesa durante o governo de Pombal com grande destaque para a reorganização administrativa. Nesse sentido, intenta-se investigar como a capitania de Sergipe, no período transformada em comarca da capitania da Bahia, reagiu a essa reorientação da política colonial e as questões e condicionantes colocados naquele momento para esta sociedade. Constitui um questionamento válido na medida em que almeja conhecer como as reformas pombalinas e a política econômica ilustrada lusa alteraram o cenário econômico e social de uma região considerada periférica - termo plausível de discussão e matizamento - demarcando a necessidade de se aprofundar a compreensão desse processo através da análise por uma perspectiva regional. Acredita-se que para uma compreensão mais adequada do real significado da reorganização.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Edna Maria Matos Antônio - Coordenador.


Revisor de periódico


2017 - 2017
Periódico: INTELLÈCTUS (UERJ. ONLINE)


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da Cultura e Arte no Brasil.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: Teoria e Filosofia da História/Especialidade: Introdução Aos Estudos Históricos.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: Teoria e Filosofia da História.
5.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: Metodos e Técnicas de pesquisa em História.


Idiomas


Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
ANTÔNIO, E. M. M.2016ANTÔNIO, E. M. M.. Correspondências e cultura política na América portuguesa: cartas e uma rebelião colonial. Revista Brasileira de História da Mídia, v. 5, p. 11-19, 2016.

2.
ANTÔNIO, E. M. M.2014ANTÔNIO, E. M. M.. O constitucionalismo luso-brasileiro na cultura política da Independência: a Capitania de Sergipe. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, v. 44, p. 32-45, 2014.

3.
ANTÔNIO, E. M. M.2012 ANTÔNIO, E. M. M.. A QUALIDADE DA TERRA E DOS HOMENS: COLONIZAÇÃO E POSSE DE TERRAS NA AMÉRICA PORTUGUESA (SERGIPE ? SÉCULO XVI-XVII). Saeculum (UFPB), v. 26, p. 47, 2012.

4.
ANTÔNIO, E. M. M.2012 ANTÔNIO, E. M. M.. Administração e autoridade: poderes e conflitos na América Portuguesa (Sergipe 1658). Revista do Memorial do Poder Judiciário de Sergipe, v. 02, p. 23-43, 2012.

5.
ANTÔNIO, E. M. M.2008ANTÔNIO, E. M. M.. ?Os dilemas da Independência do Brasil em Sergipe: Um documento sobre a Independência no Arquivo do Judiciário?. História, Memória e Justiça, v. Ano 1, p. 01-07, 2008.

6.
ANTÔNIO, E. M. M.1997ANTÔNIO, E. M. M.. A Anselmada no contexto regencial. Boletim de Iniciação Científica, Franca - SP, v. 2, p. 45-54, 1997.

7.
ANTÔNIO, E. M. M.1997ANTÔNIO, E. M. M.. A organização política e administrativa do Brasil no período imperial. Ensaios de História, Franca - SP, v. 2, p. 05, 1997.

8.
ANTÔNIO, E. M. M.1996ANTÔNIO, E. M. M.. A Regência do Império: liberais, conservadores e a nacionalização da Independência. Ensaios de História, Franca - SP, v. 1, p. 61-78, 1996.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
MAYNARD, D. C. ; MAYNARD, A. S. C. ; GUINDO, Solimar ; VALENCA, C. A. C. ; ALVES, F. J. ; ANTÔNIO, E. M. M. . Pequeno Guia do Rio São Francisco: paisagens, lugares e outras riquezas. 01. ed. São Paulo: LP-Books, 2013. v. 01. 93p .

2.
ANTÔNIO, E. M. M.. A Independência do solo que habitamos: poder, autonomia e cultura política na construção do Império Brasileiro ? Sergipe (1750-1831). 01. ed. São Paulo: Editora UNESP, 2012. v. 01. 248p .

Capítulos de livros publicados
1.
ANTÔNIO, E. M. M.. The Absent Presence: The Military and Struggles for Independence of Portuguese America. In: Visoni-Alonzo, Gilmar ; Frank, Jacob. (Org.). Latin America's Martial Age: Conflict and Warfare in the long Nineteenth Century (Globalhistorische Komparativstudien - Comparative Studies from a Global Perspective). 01ed.Würzburg: Königshausen & Neumann, 2017, v. 01, p. 121-137.

2.
ANTÔNIO, E. M. M.. SORTE E INFORTÚNIO DE UM LEGADO NOS TRÓPICOS: A ADOÇÃO DA MONARQUIA NA HISTORIOGRAFIA SOBRE A INDEPENDÊNCIA. In: Antônio Fernando de Araújo Sá; Bruno Gonçalves Alvaro. (Org.). CULTURA, MEMÓRIA E PODER: HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA. 1ed.Recife: UFPE, 2016, v. , p. 72-90.

3.
ANTÔNIO, E. M. M.; SILVA, T. D. A. A. ; OLIVEIRA, M. A. M. ; ALMEIDA, R. M. P. . O DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA NO BRASIL: EXPERIÊNCIAS E RESULTADOS DA APLICAÇÃO DE OFICINAS DO PIBID HISTÓRIA EM UMA ESCOLA PÚBLICA. In: Gicélia Mendes; Leilane Ramos da Silva; Maria José Nascimento Soares. (Org.). Partilhando vivências: entre o brincar e o aprender. 01ed.João Pessoa: CCTA, 2016, v. 01, p. 249-259.

4.
ANTÔNIO, E. M. M.; TEODOZIO, A. C. ; SILVA, T. S. ; PAIXAO, J. P. S. . A rememoração dos 50 anos de golpe militar no Brasil: Uma oficina realizada pelo PIBID/HISTÓRIA-UFS. In: Gicélia Mendes; Leilane Ramos da Silva; Maria José Nascimento Soares.. (Org.). Partilhando vivências: entre o brincar e o aprender. 01ed.João Pessoa: CCTA, 2016, v. 01, p. 237-248.

5.
CAETANO, A. F. P. ; ULISSES, I. ; CASTRO, J. H. F. ; RODRIGUES, G. R. ; ANTÔNIO, E. M. M. ; PENNA, P. L. . Querelas e Conflitos: os Ouvidores e a Administração Colonial em Sergipe Setecentista. In: CAETANO, Antônio Filipe Pereira. (Org.). Conflitos, revoltas e insurreições na América Portuguesa. 01ed.Maceió: EDUFAL, 2014, v. 01, p. 41-57.

6.
ANTÔNIO, E. M. M.. A Anselmada. In: Hercidia Mara Facuri Coelho. (Org.). Histórias de Franca. 01ed.Franca: UNESP-Amazonas, 1997, v. 04, p. 15-46.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
ANTÔNIO, E. M. M.. Fazer política e plantar cana. Infonet, Aracaju, 16 jan. 2013.

2.
ANTÔNIO, E. M. M.. Comemorar o 07 de setembro. Jornal da Cidade, Aracaju - Sergipe, p. 1B - 1B, 08 set. 2007.

3.
ANTÔNIO, E. M. M.. Insurreição de um homem só. Revista Nossa História, Sâo Paulo, p. 26 - 28, 01 nov. 2006.

4.
ANTÔNIO, E. M. M.. Quando a História entrou em campo. Jornal CINFORM, Aracaju - Sergipe, p. 2 - 2, 24 jul. 2006.

5.
ANTÔNIO, E. M. M.. A Anselmada. Comércio da Franca. Suplemento especial do 172º aniversário da cidade de Franca, FRanca - SP, p. 6 - 6, 28 nov. 1996.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
ANTÔNIO, E. M. M.. CORRESPONDÊNCIAS E A CULTURA POLÍTICA NA AMÉRICA PORTUGUESA. In: Conferência Internacional Media e Império Português, 2013, LIsboa. Papers da Conferência Internacional Media e Império Português, 2013.

2.
ANTÔNIO, E. M. M.. NOTAS SOBRE O REFORMISMO POMBALINO: ECONOMIA E POLÍTICA NAS CAPITANIAS DO NORTE DA AMÉRICA PORTUGUESA (1750-1777). In: XXVII Simpósio Nacional de História da ANPUH: Conhecimento histórico e diálogo social, 2013, Natal. Anais do XXVII Simpósio Nacional de História da ANPUH: Conhecimento histórico e diálogo social., 2013. v. 01.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
SILVA, Marilia Marques Cruz e ; ANTÔNIO, E. M. M. . Memória e História: o turismo e a preservação do patrimônio histórico em Sergipe. In: SEMPESQ, 2002, Aracaju.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
ANTÔNIO, E. M. M.. Palavras de ordem: análise do vocabulário político de uma sedição. In: 5º Encontro Internacional de História Colonial EIHC, 2014, Maceió. Caderno de resumos 5º Encontro Internacional de História Colonial EIHC - Cultura, escravidão e poder na expansão ultramarina (séculos XVI ao XIX. Maceió: EDUFAL, 2014. v. 01. p. 07-163.

2.
ANTÔNIO, E. M. M.. Tributação, relações de poder e dependência: as capitanias de Sergipe e Bahia em fins do seculo XVIII. In: I Encontro Nordestino de Historia Colonial, 2006, João Pessoa. Territorialidades, poderes e identidades na America Portuguesa (sec. XVI ao XVIII). João Pessoa: Editora da Universidade Federal da Paraiba, 2006. p. 31-32.

Apresentações de Trabalho
1.
ANTÔNIO, E. M. M.. A ciência das cartas e dos negócios: Ilustração, economia e civilização na obra Secretario portuguez, ou Methodo de escrever cartas por meio de huma instrucçaõ preliminar (1745). 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

2.
ANTÔNIO, E. M. M.. Direitos humanos, demandas políticas e sociais e espaço escolar. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
ANTÔNIO, E. M. M.. FORMAÇÃO DOCENTE PARA O USO DAS NTICs NO ENSINO DE HISTÓRIA. UM ESTUDO DE CASO. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

4.
ANTÔNIO, E. M. M.. As Reformas Pombalinas entre Discurso e Prática das Diretrizes Econômicas (Sergipe, 1750-1773). 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

5.
ANTÔNIO, E. M. M.. A ciência das cartas e dos negócios: uma análise da obra Secretario portuguez, ou Methodo de escrever cartas por meio de huma instrucçaõ preliminar (1745). 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

6.
ANTÔNIO, E. M. M.. Conceituações de região: visões da história e da geografia. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
ANTÔNIO, E. M. M.. A BNCC e os Desafios para o Ensino de História. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

8.
ANTÔNIO, E. M. M.. THE POMBALINE ILLUSTRATED ECONOMY: DISCOURSE AND PRACTICE IN AMERICAN COLONIAL SPACE. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

9.
ANTÔNIO, E. M. M.. Modernidade e revolução: aspectos da historiografia hispânica nos estudos latino-americanos sobre a independência das Américas. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

10.
ANTÔNIO, E. M. M.. Testemunho, lembrança e esquecimento: a luta política na independência do Brasil nas autobiografias. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
ANTÔNIO, E. M. M.. A ADOÇÃO DA MONARQUIA NA PERSPECTIVA DA HISTORIOGRAFIA DA INDEPENDÊNCIA. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

12.
ANTÔNIO, E. M. M.. Correspondências e cultura política na América Portuguesa. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

13.
ANTÔNIO, E. M. M.. Notas sobre o reformismo pombalino: economia e política nas capitanias do norte da América Portuguesa (1750-1777)?. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

14.
ANTÔNIO, E. M. M.. A historiografia brasileira sobre a Independência. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

15.
ANTÔNIO, E. M. M.. A historiografia brasileira: trajetórias, abordagens e discussões. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

16.
ANTÔNIO, E. M. M.. Questão racial e ensino de História do Brasil. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

17.
ANTÔNIO, E. M. M.. Política, administração e conflitos: tecendo o mando colonial (Sergipe nos séculos XVII e XVIII). 2012. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

18.
ANTÔNIO, E. M. M.. A Guerra do Paraguay no filme 'Netto perde sua alma'. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

19.
ANTÔNIO, E. M. M.. Fontes Judiciais para a História Política da Independência de Sergipe. 2007. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

20.
ANTÔNIO, E. M. M.. A questao regional na produção historiografica sobre a independencia do Brasil: Oliveira LIma e a unidade nacional. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

21.
ANTÔNIO, E. M. M.. A História Politica Renovada: trajetoria e desafios. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
ANTÔNIO, E. M. M.. Uma rebelião armada em Franca no período regencial: a Anselmada e suas construções. 1998. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

23.
ANTÔNIO, E. M. M.. A Anselmada: uma rebelião no sertão paulista. 1998. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

24.
ANTÔNIO, E. M. M.. Na boca do sertão: cidadania e lutas regenciais no nordeste paulista durante o século XIX. 1997. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

25.
ANTÔNIO, E. M. M.. A Regência na análise de Caio Prado Jr. 1997. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

26.
ANTÔNIO, E. M. M.. A Anselmada no contexto regencial. 1996. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções bibliográficas
1.
ANTÔNIO, E. M. M.; MONTEIRO, Claudefranklin . Cadernos de Pesquisa Histórica. Lagarto, 2008. (Prefácio, Pósfacio/Introdução)>.


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
ANTÔNIO, E. M. M.. Editora da Universidade do Estado da Bahia (EDUNEB). 2017.

2.
ANTÔNIO, E. M. M.. Editora da Universidade do Estado da Bahia (EDUNEB). 2016.

3.
ANTÔNIO, E. M. M.. História Regional: Teoria, Metodologia, Prática. 2016.

4.
ANTÔNIO, E. M. M.. Produção de Parecer Guia de Livro Didático PNLD _MEC 2016. 2015.

5.
ANTÔNIO, E. M. M.. Revista Brasileira de História da Mídia. 2015.

6.
ANTÔNIO, E. M. M.. Produção de parecer técnico para o PNLD História 2015. 2014.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
ANTÔNIO, E. M. M.. Especial 8 de julho: Emancipação de Sergipe se entrelaça à história da Independência do Brasil. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

2.
ANTÔNIO, E. M. M.. O nordeste na independência do Brasil. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

3.
ANTÔNIO, E. M. M.. O feriado de Tiradentes. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).


Demais tipos de produção técnica
1.
ANTÔNIO, E. M. M.. História, historiografia e Narrativa. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

2.
ANTÔNIO, E. M. M.. A Independência da Capitania de Sergipe (1820-22): História, historiografia e memória. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

3.
ANTÔNIO, E. M. M.. História do Brasil Colonial: Novas Abordagens. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

4.
ANTÔNIO, E. M. M.. História do Brasil Império: Novas leituras. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

5.
ANTÔNIO, E. M. M.. O Museu como recurso didatico. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

6.
ANTÔNIO, E. M. M.. Historia, Memoria e Narrativa. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

7.
ANTÔNIO, E. M. M.. Cinema e ensino de História. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

8.
ANTÔNIO, E. M. M.. Elites regionais e poder politico: a capitania de Sergioe d´el Rey no contexto joanino. Relatorio para exame de qualificação de Doutorado. 2007. (Relatório de pesquisa).

9.
ANTÔNIO, E. M. M.. Saude, Cultura e sociedade. 2005. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

10.
ANTÔNIO, E. M. M.. "Etnicidade, Identidade e Negritude". 2005. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

11.
ANTÔNIO, E. M. M.; ANTONIO, Marco Antonio Matos . Heranças do medievo na colonização portuguesa no Novo Mundo. 2004. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

12.
ANTÔNIO, E. M. M.. Conceitos de cidadania na História do Brasil. 2003. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
MELLO, P. J. C.; CAMARGO, P. F. B.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de BRUNO VITOR DE FARIAS VIEIRA. DEFESA ERA NO TEMPO DO CORONEL... ?EU NÃO CONCORDO MUITO COM ISSO NÃO!?: ARQUEOLOGIA PÚBLICA E INTERPRETAÇÕES COLABORATIVAS SOBRE A ?FAZENDA SÃO VICTOR?, PIAUÍ. 2017. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) - Universidade Federal de Sergipe.

2.
ANDRADE, A. M.; SILVA, A.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de AS PRÁTICAS AMOROSAS EM SERGIPE, NO SÉCULO XIX, ATRAVÉS DAS. AS PRÁTICAS AMOROSAS EM SERGIPE, NO SÉCULO XIX, ATRAVÉS DAS NARRATIVAS EPISTOLARES DE EMILIA E JOAQUIM FONTES. 2017. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

3.
SANTOS, M. F. J.; SOUSA, A. L.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de MANOEL RIBEIRO ANDRADE. LEITURAS DE UM VIAJANTE PÚBLICO (1812-1843): o Homem da Natureza Brasileira, seus mundos e os Outros.. 2017. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

4.
SANTOS, W. R. A.; ALBUQUERQUE, S. B.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de MARISTELA DO NASCIMENTO ANDRADE. PODER E POLÍTICA NO BRASIL IMPERIAL: TRAÇOS DA GÊNESE E DA TRAJETÓRIA DOS FONTES E DOS DANTAS NO SERTÃO DA BAHIA E DE SERGIPE DEL REY. 2017. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

5.
COELHO, G. S.; MORAES, C. C. P.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de Augusthus Luiz de Souza Barbosa. Revisitando o velho modelo de decadência de Goiás. 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Goiás.

6.
RAMAIANA, C. F.; MAZA, F.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de JOHANNA BRÍGIDA ROCHA RIBEIRO MEYER. Lavadeiras vão a luta: Organização e atuação da ALARMES na Bahia (1983 -2002). 2016. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

7.
ANDRADE, E. O.; CARDOSO, C. C.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de LUZIMARY DOS SANTOS ROCHA. Ditadura, Memória e Justiça: ?Revolução? e Golpe de 1964 transitam no Ciberespaço. 2016. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

8.
ANTÔNIO, E. M. M.; CUNHA, J.; ALBUQUERQUE, S. B.. Participação em banca de SURA SOUZA CARMO. Doce província? O cotidiano escravo nos engenhos de açúcar em Sergipe oitocentista. 2016. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

9.
SILVA, E. A. V.; MAZA, F.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de ALINE AUGUSTA ROCHA RABELO. GRACEJANDO DAS FILHAS DE EVA: A MULHER BURGUESA EM ANEDOTAS OITOCENTISTAS. 2015. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

10.
CAETANO, A. F. P.; SILVA, A.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de WANDERLEI DE OLIVEIRA MENEZES. Ordem e transgressão em Sergipe d'El Rei: a trajetória do sargento-mor Bento José de Oliveira (1763-1808). 2015. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

11.
ASSIS, A. A. F.; SOUSA, A. L.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de ANDREZA SILVA MATTOS. A TEIA DE SIMÃO ROIZ: INQUISIÇÃO E SOCIABILIDADES NA CAPITANIA DA BAHIA (1590-1595). 2014. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

Qualificações de Doutorado
1.
RAMBELLI, G.; ZARANKIN, A.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de CAROLINE MURTA LEMOS. ARQUITETANDO O TERROR: UM ESTUDO SENSORIAL DOS CENTROS DE DETENÇÃO OFICIAIS E CLANDESTINOS DA DITADURA CIVIL-MILITAR NO BRASIL (1964-1985). 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Arqueologia) - Universidade Federal de Sergipe.

Qualificações de Mestrado
1.
SILVA, A.; GUERRA FILHO, S. A. D.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de ANTONIO CLEBER DA CONCEIÇÃO LEMOS. DA ?CAUSA CONSTITUCIONAL? À ?CAUSA DA INDEPENDÊNCIA?: os discursos e debates parlamentares da representação da Bahia nas Cortes Gerais de Lisboa e na Assembleia Geral Constituinte do Rio de Janeiro (1821-1823). 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

2.
SILVA, A.; MALAQUIAS, C. O.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de BRUNA MORRANA DOS SANTOS. Riqueza e Sociedade na Comarca de Aracaju: um estudo sobre a dinâmica social da elite sergipana (1855-1889). 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

3.
ALBUQUERQUE, S. B.; BRITTO, C. C.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de MARIA FERNANDA DOS SANTOS. Um ponto fora da curva: recepção à História da Cidade do Rio de Janeiro, de Felisbelo Freire (1902). 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Sergipe.

4.
MALAQUIAS, C. O.; SA, A. F. A.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de Traidor Nacional e Herói Local: as narrativas sobre Calabar. Traidor Nacional e Herói Local: as narrativas sobre Calabar na História, na Memória de Porto Calvo e na Literatura. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

5.
SANTOS, C. M.; AGUIAR, F. J.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de REGINALDO VILELA DE LIMA. SAMBA DE COCO DE ARCOVERDE-PE: PRÁTICAS E REPRESENTAÇÕES NA CONSTRUÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL (1980-2010). 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

6.
SANTOS, C. M.; MELLO, J. C.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de ANA SILVIA CONCEIÇÃO DE OLIVEIRA. PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO PATRIMONIAL NO MUSEU DA GENTE SERGIPANA NA PERSPECTIVA DO ENSINO DE HISTÓRIA. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

7.
SILVA, A.; MAZA, F.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de JOELMA DIAS MATIAS. AS PRÁTICAS AMOROSAS EM SERGIPE OITOCENTISTA ATRAVÉS DA CORRESPONDÊNCIA ENTRE EMILIA E JOAQUIM FONTES. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Sergipe.

8.
SOUSA, A. L.; SILVA, G. B.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de MANOEL RIBEIRO ANDRADE. LEITURAS DE UM VIAJANTE PÚBLICO (1812-1843): o Homem da Natureza Brasileira, seus mundos e os Outros. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

9.
SILVA, A.; ALBUQUERQUE, S. B.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de MARISTELA DO NASCIMENTO ANDRADE. Uma família do Império do Brasil: os Dantas Fontes. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Sergipe.

10.
MAZA, F.; SILVA, A.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de JOHANNA BRÍGIDA ROCHA RIBEIRO MEYER. Lavadeiras vão á luta! A formação da ALARMES (Associação das Lavadeiras da Região Metropolitana de Salvador) em busca da conquista de direitos.. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

11.
ANTÔNIO, E. M. M.; CARDOSO, C. C.; CRUZ, J. V.. Participação em banca de LUZIMARY DOS SANTOS ROCHA. CIBERESPAÇO: REVOLUÇÃO OU GOLPE CIVIL-MILITAR DE 1964. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

12.
ALBUQUERQUE, S. B.; CUNHA, J.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de SURA SOUZA CARMO. Doce província? O cotidiano escravo nos engenhos de açúcar em Sergipe. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

13.
MAZA, F.; JULIEN, A.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de ALINE AUGUSTA ROCHA RABELO. HUMOR COMO VISÃO DE MUNDO: UMA ANÁLISE DAS ANEDOTAS PUBLICADAS EM JORNAIS NAS PRIMEIRAS DÉCADAS DA REPÚBLICA EM ARACAJU. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

14.
SOUSA, A. L.; MELLO, J. C.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de ANDREZA SILVA MATTOS. Um soldado cristão e gentil e suas andanças em parte do sertão da Bahia: sociabilidades e hibridismo cultural a partir de alguns autos inquisitoriais (1587-1595). 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

15.
SOUSA, A. L.; SANTOS, C. M.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de DEGENAL DE JESUS DA SILVA. Dionísio Republicano: as Festas nos Grupos Escolares Sergipanos (1911-1926). 2014. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Sergipe.

16.
SILVA, A.; SANTOS, L. S.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de WANDERLEI DE OLIVEIRA MENEZES. O sargento-mor Bento José de Oliveira: estudo sobre poder, instituições e conflitos em Sergipe d'El Rei (1748-1808). 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

17.
MAYNARD, D. C.; MELLO, J. C.; ANTÔNIO, E. M. M.. Participação em banca de DEBORA SOUZA CRUZ MARTINS. Gabriela, Tempo Presente e Novela: prostituição, história e política no audiovisual brasileiro de 1975. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
ANTÔNIO, E. M. M.; RIBEIRO, Jose Wagner. Participação em banca de Arleny Santana MArques Porto.Programa Rádio Memória. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicaçao Social - Jornalismo) - Universidade Tiradentes.

2.
ANTÔNIO, E. M. M.; BARRETO, Alan; ANTONIO, Marco Antonio Matos. Participação em banca de Isa Eleonora Barreto.HISTÓRIA, MEMÓRIA E CIDADANIA: CÂMARA MUNICIPAL DE ARACAJU DE 1964 Á 2004.. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicaçao Social - Jornalismo) - Universidade Tiradentes.

3.
ANTÔNIO, E. M. M.; SILVA, Alan Barreto; SANTANA, Antonio. Participação em banca de Maria Karina Lima de Andrade.Canudos e seus significados para a população de Euclides da Cunha - Bahia (livro reportagem). 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Publicidade e Propaganda) - Universidade Tiradentes.

4.
ANTÔNIO, E. M. M.; VIEIRA, Licio Valerio Lima; CUNHA, Carlos. Participação em banca de Rodrigo Caetano de Paula.Polo de turismo Costa dos Coqueirais e Prodetur em Sergipe: parcerias para o desenvolvimento do turismo regional. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes.

5.
ANTÔNIO, E. M. M.; ANTONIO, Marco Antonio Matos; BARBOSA, Paulo de Souza. Participação em banca de Paulo William Pereira Dourado.Os desafios do Marketing politico e eleitoral no cenário municipal: João Dourado BA (1996-2000). 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Publicidade e Propaganda) - Universidade Tiradentes.

6.
ANTÔNIO, E. M. M.; TREVISAN, Gloria Della Monica; QUEIROZ, Valdice Barbosa de. Participação em banca de Cynthia de Menezes Alves.A importancia da segurança nos transportes aereos para o turismo - o caso VARIG. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes.

7.
ANTÔNIO, E. M. M.; KENNEDY, Gilton; VIEIRA, Licio Valerio Lima. Participação em banca de Liana Dias Campos.Cemitério dos Naufragos como atrativo turistico. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes.

8.
ANTÔNIO, E. M. M.; CUNHA, Carlos; VIEIRA, Licio Valerio Lima. Participação em banca de Neyla Maria Lima da Rocha.Banco do Brasil e Sergipe: uma parceria para a valorização da cultura e do turismo. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes.

9.
ANTÔNIO, E. M. M.; VIEIRA, Licio Valerio Lima. Participação em banca de Maria São Pedro Bispo de Araújo.As perspectivas do artesanato na atividade turistica. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes.

10.
ANTÔNIO, E. M. M.; VIEIRA, Licio Valerio Lima. Participação em banca de José Augusto Mendonça Alves.Turismo e Folclore no Municipio de Laranjeiras - SE. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes.

11.
ANTÔNIO, E. M. M.; VIEIRA, Licio Valerio Lima. Participação em banca de Rosangela Ramos Borba.Turismo e cultura em Nossa senhora das Dores: potencialidades e desafios para o desenvolvimento local. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes.

12.
ANTÔNIO, E. M. M.; VIEIRA, Licio Valerio Lima. Participação em banca de Ana Carolina Vieira de menezes.A contribuição da Galeria Alvaro Santos para o Turismo e a valorizaçào da cultura sergipana. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
ANTÔNIO, E. M. M.; MAZA, F.; PINTO, J. A. C.. Concurso para Professor Adjunto na Matéria de Ensino História Econômica. 2014. Universidade Federal de Sergipe.

Outras participações
1.
ANTÔNIO, E. M. M.; ALVARO, B. G.; SANTOS, C. M.; MALAQUIAS, C. O.; SILVA, A.. Comissão de avaliação do processo seletivo de discentes para ingresso no mestrado. 2017. Universidade Federal de Sergipe.

2.
ANTÔNIO, E. M. M.; CARDOSO, C. C.; SILVA, A.; SILVA, M.; SANTOS, L. S.. Comissão de Seleção e Avaliação do Processo Seletivo de ingresso no curso de pós-graduação strictu senso em HIstória. 2013. Universidade Federal de Sergipe.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
I Encontro Sergipano de História Colonial.?Diálogos interdisciplinares no estudo do período colonial em Sergipe. 2017. (Encontro).

2.
II Colóquio Observatório da História. 2017. (Encontro).

3.
III ENCONTRO DE HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA.Historiografia da América Portuguesa: novos problemas, novas abordagens. 2017. (Encontro).

4.
I Simpósio Regional de História.Poder local, autonomia e cultura política: a dinâmica da independência em Sergipe (1820-1824. 2017. (Seminário).

5.
LIII Fórum de Coordenadores de Programas de Pós-Graduação em História da ANPUH-Brasil,. 2017. (Encontro).

6.
Rodas de leitura do Grupo de Pesquisa Sergipe Oitocentista: Ibarê Dantas.A Política em Sergipe Provincial (1820-1889) pelo olhar de Ibarê Dantas. 2017. (Encontro).

7.
I Seminário de Pesquisa Estudos de Gênero e História: transversalidades interdisciplinares..A superioridade na igualdade?: razão, sexualidade e gênero nos verbetes da Enciclopédia Iluminista (1751-1772). 2016. (Seminário).

8.
I SEMINÁRIO DE PESQUISA SOBRE ESTUDOS DE GÊNERO E HISTÓRIA: TRANSVERSALIDADES. 2016. (Seminário).

9.
LI Fórum de Coordenadores de Programas de Pós- Graduação em História da ANPUH-Brasil. 2016. (Encontro).

10.
Rodas de Leitura do Grupo de Pesquisa Sergipe Oitocentista/2016: Maria Thetis Nunes.A obra Sergipe Provincial I e II de Maria Thétis Nunes. 2016. (Encontro).

11.
V Encontro Internacional de História ColonialCultura, escravidão e poder na expansão ultramarina (séculos XVI ao XIX.Palavras de ordem: análise do vocabulário político de uma sedição. 2014. (Encontro).

12.
Conferência Internacional Media e Império Português (séculos XVIII a XX).Correspondências e cultura política na América Portuguesa. 2013. (Simpósio).

13.
XXVII Simpósio Nacional de História da ANPUH: Conhecimento histórico e diálogo social.. Notas sobre o reformismo pombalino: economia e política nas capitanias do norte da América Portuguesa (1750-1777)?. 2013. (Congresso).

14.
IV Encontro Internacional de História Colonial.Conflitos e rebeliões: tecendo o mando colonial. 2012. (Encontro).

15.
XIV ENCONTRO SERGIPANO DE HISTÓRIA.Ibarê Dantas e a Historiografia Sergipana. 2012. (Encontro).

16.
1808: a Corte no Brasil. 2008. (Congresso).

17.
II Mostra de Historia ? Oficina de Cinema.Mesa redonda sobre a Religiosidade popular no Cinema Brasileiro. 2007. (Oficina).

18.
I SEMINARIO DO ARQUIVO DO JUDICIARIO."Fontes Judiciais para a História Política da Independência de Sergipe". 2007. (Seminário).

19.
I Simposio de HIstória, religião e religiosidade. 2007. (Simpósio).

20.
IX Ciclo de Estudos Antigos e Medievais. 2007. (Simpósio).

21.
II Seminario de História: A cultura Afro-brasileira no ensino de História. 2006. (Seminário).

22.
Seminario "Etnicidade, Identidade e Negritude",.Identidade, Memória e questao racial. 2005. (Oficina).

23.
I semana de Historia: Historia, Cultura e Memoria.Representações do indio no cinema nacional. 2004. (Oficina).

24.
Memória, identidade e cultura.I Semana de Historia. 2004. (Seminário).

25.
SEMPESQ - Semana da pesquisa da UNIT.Heranças do medievo na colonização portuguesa no Novo Mundo. Curso de curta duração ministrado. 2004. (Outra).

26.
III Seminário do Cangaço.Palestra O Brasil nos anos 20 e 30 - o mundo que o cangaço virou ao avesso - 26 de julho de 2003. 2003. (Encontro).

27.
SEMPESQ - Semana da Pesquisa da UNIT. SEMPESQ - Semana da Pesquisa da Unit. 2003. (Congresso).

28.
SEMPESQ - Semana da Pesquisa da Universidade Tiradentes.Conceitos de cidadania na História do Brasil. Curso de curta duração ministrado. 2003. (Outra).

29.
VI SEMPESQ - Semana da Pesquisa da Universidade Tiradentes. VI SEMPESQ - Semana da Pesquisa da Universidade Tiradentes. 2002. (Congresso).

30.
IX Encontro Sergipano de História. IX Encontro Sergipano de História (ANPUH). 2000. (Congresso).

31.
V Semana de História. V Semana de História. 2000. (Congresso).

32.
Sujeito na História: práticas e representações. XIV Encontro do Núcleo Regional de São Paulo da ANPUH. XIV Encontro do Núcleo Regional de São Paulo da Associação Nacional de História (ANPUH). 1998. (Congresso).

33.
XII Semana de História. XII Semana de História. 1998. (Congresso).

34.
Colóquio Gramsci: a vitalidade de um pensamento.Colóquio Gramsci: a vitalidade de um pensamento. 1997. (Encontro).

35.
História e Cidadania. XIX Simpósio Nacional de História da ANPUH. XIX Simpósio Nacional de História da ANPUH. 1997. (Congresso).

36.
II Jornada de Iniciação Científica da FHDSS - Unesp/Campus de Franca.II Jornada de Iniciação Científica da FHDSS - Unesp/Campus de Franca. 1997. (Oficina).

37.
História: objetos e investigações. XI Semana de História da FHDSS - Unesp/Campus de Franca. XI Semana de História da FHDSS - Unesp/Campus de Franca. 1996. (Congresso).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
ANTÔNIO, E. M. M.; MALAQUIAS, C. O. ; SILVA, A. ; MENEZES, W. O. . I Seminário Mundo Atlântico e Colonização Portuguesa: desafios na pesquisa e ensino. 2017. (Congresso).

2.
ANTÔNIO, E. M. M.. Rodas de leitura do Grupo de Pesquisa Sergipe Oitocentista: Ibarê Dantas. 2017. (Outro).

3.
ANTÔNIO, E. M. M.. I Encontro Sergipano de História Colonial. 2017. (Outro).

4.
ANTÔNIO, E. M. M.. Rodas de Leitura do Grupo de Pesquisa Sergipe Oitocentista: Maria Thetis Nunes. 2016. (Outro).

5.
ANTÔNIO, E. M. M.. LI Fórum de Coordenadores de de Programas de Pós- Graduação em História da ANPUH-Brasil. 2016. (Outro).

6.
ANTÔNIO, E. M. M.; LUCINI, M. . X Encontro Nacional de pesquisadores do ensino de História: Políticas e práticas no ensino de História. 2013. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Rafael de Oliveira Cruz. O Terceiro Reinado em Questão: Isabel I, uma (Im)possível Imperatriz nas laudas imprensa provincial (1886-1889),. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

2.
MONIQUE HELLEN SANTOS REIS CERQUEIRA. O USO POLÍTICO DA IDENTIDADE NA GUERRA DO PARAGUAI. Início: 2017. Dissertação (Mestrado profissional em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

3.
CAROLLINE ACIOLI OLIVEIRA ANDRADE. O SOM DO JUCHE: O K-POP NORTE-COREANO COMO INSTRUMENTO DE REFORÇO DO ESTADO DITATORIAL. Início: 2016. Dissertação (Mestrado profissional em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

Iniciação científica
1.
CARLA PAIVA PEREIRA. Uma "capitania ingovernável": levantamento da documentação sobre rebeliões coloniais em Sergipe. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade Federal de Sergipe, Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - UFS. (Orientador).

2.
EDILAINE OLIVEIRA SANTOS. Desordem e providência: levantamento documental das rebeliões em Sergipe Colonial. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

3.
Ozeias dos Anjos Santos. Levantamento da documentação sobre rebeliões coloniais em Sergipe. Início: 2016. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
ANTONIO CLEBER DA CONCEIÇÃO LEMOS. DA ?CAUSA CONSTITUCIONAL? À ?CAUSA DA INDEPENDÊNCIA?: os discursos e debates parlamentares da representação da Bahia nas Cortes Gerais de Lisboa e na Assembleia Geral Constituinte do Rio de Janeiro (1821-1823). 2018. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe, . Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

2.
REGINALDO VILELA DE LIMA. SAMBA DE COCO DE ARCOVERDE-PE: PRÁTICAS E REPRESENTAÇÕES NA CONSTRUÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL (1980-2010). 2018. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

3.
Maristela do Nascimento Andrade. Famílias e poder na construção de relações políticas no pós-independência de Sergipe. 2017. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Federal de Sergipe, . Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
MALLU TICIANE CONCEIÇÃO DOS SANTOS. ANÁLISE DO PENSAMENTO REPUBLICANO DO PROFESSOR SERGIPANO BALTHAZAR DE ARAÚJO GÓES (1853-1913). 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

2.
Jaqueline Almeida Jesus. A PENA DE MORTE EM SERGIPE OITOCENTISTA. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

3.
Letycia Nayran Santos Sobral. IDUMENTÁRIA E REPRESENTAÇÃO FEMININA NA SOCIEDADE COLONIAL DO SÉCULO XVII: REPRESSÃO, TRANSGRESSÃO E SENSUALIDADE. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

4.
Magno Costa Souza. Os Inconfidentes: Uma análise do cinema como ferramenta pedagógica. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

5.
Valdeilza Alves dos Santos. A IMAGEM DA MULHER ARACAJUANANA NA PERCEPÇÃO DO JORNAL CORREIO DE ARACAU: PERIODO DA BELLE ÉPOQUE DE 1906 A 1930. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

6.
Ciro Guilherme Santos Dorea Albuquerque. A LEI DA BOA RAZÃO: UMA BREVE ANÁLISE ACERCA DO PENSAMENTO JURÍDICO DO MARQUES DE POMBAL.. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

7.
Ricardo Pina Santana. Dom Távora, o MEB e a radiodifusão católica: Igreja e projeto educacional em Aracaju (1958-1964). 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

8.
JOSICARLA SANTOS MACHADO. RELATOS DE UM ?MERCENÁRIO? NA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL: A memória biográfica de Thomas John Cochrane (1823-1825). 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

9.
Maria Cristiane dos Santos. O desenvolvimento econômico e social recente do nordeste na mídia (Folha de São Paulo). 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Jornalismo) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

10.
Max Wesley Santos Cardoso. SEXUALIDADE, HISTÓRIA E NOTÍCIA: REPRESENTAÇÕES HOMOSSEXUAIS NA IMPRENSA SERGIPANA (1988-1999). 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

11.
Thamires Pereira. GÊNERO E SEXUALIDADE NO PENSAMENTO ILUMINISTA: A ENCICLOPÉDIA. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

12.
Leandro Augusto Oliveira de Melo. SEXUALIDADE E HOMOSSEXUALIDADE NO PENSAMENTO ILUMINISTA: A ENCICLOPÉDIA. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

13.
CRÉCIA MARIA ANDRADE DOS ANJOS MOREIRA. O MOVIMENTO ANTILUSITANO EM SERGIPE (1822 ? 1831): CONTEXTO E ANÁLISE HISTORIOGRÁFICA. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

14.
DAMILIS SILVEIRA VIANA. ?O EXCELLENTISSIMO CONSELHO?: ECONOMIA E SOCIEDADE EM SERGIPE DEL REY NAS ATAS DO CONSELHO DE GOVERNO DA PROVÍNCIA (1824-1831). 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

15.
Marina Amaral Oliveira. Orgulho e preconceito: um estudo sobre o papel da mulher na sociedade da Inglaterra provinciana do século XVIII. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

16.
Talina Beatriz Lima dos Santos. DESMUNDO: a orfã. a freira e a índia. Papéis femininos no cotidiano colonia da América Portuguesa. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

17.
Mayra Ferreira. Os ouvidores na capitania de Sergipe - século XVIII. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

18.
Ravânia Calasans Martins Silva. . Reclamações trabalhistas das operárias de Sergipe na década de 30. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Historia) - Faculdade José Augusto Vieira. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

19.
Jakeline Tavares Santos. Os crimes de defloramento em Lagarto em fins do século XIX: sociablidade e papéis femininos. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Historia) - Faculdade José Augusto Vieira. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

20.
Paula Cristina da S. O. Carvalho. Jenner Augusto: vida e obra. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Historia) - Faculdade José Augusto Vieira. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

21.
Maristela de N. Andrade. As comemorações pela Independência de Sergipe: a memória do 08 de julho.. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Historia) - Faculdade José Augusto Vieira. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

22.
Nájala Rocha Souza Santana. A província de Sergipe no registro dos viajantes do século XIX. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Historia) - Faculdade José Augusto Vieira. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

23.
Bianca Dourado Queiroz. A influencia do turismo na valorização da cultura: Aracaju - SE. 2004. 70 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

24.
Sylvia Regina dos Santos. A identidade cultural de Sergipe no Turismo: formação, importância e sustentabilidade. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

25.
Flavia Azevedo Garcia Melo. A revitalização do Farol da Atalaia Velha como perspectiva de desenvolvimento do turismo cultural. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

26.
Ildomar Oliveira Santana. Os eventos promovidos pela FUNCAJU e seus reflexos no Turismo Cultural. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

27.
Tereza Raquel Lima Barreto. Barro e Fogo - a arte que gera negocios em Santana do São Francisco. 2004. 73 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

28.
Catarina Dantas de Almeida. Os festivais gastronomicos em Hoteis. 2004. 95 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

29.
Soraya Prado Menezes. Apontamentos para o estudo dos festejos de São João como produto turistico - o papel da Emsetur. 2003. 50 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

30.
Bianca Gonçalves de Albuqerque Menor. A administração hoteleira em Sergipe - riscos e perspectivas - o caso do Atalaia Hotel. 2003. 55 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

31.
Monica Pereira da Silva. Globalização: desafios da hotelaria regional. 2003. 60 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

32.
Thaís de Melo Silva. Patrimonio Historico, memoria e turismo: perspectiva do Turismo cultural em Maruim. 2003. 50 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

33.
Alane Gardenia Lima Santos. Reflexões sobre a psicologia da hospitalidade: caso Hotel Pousada do Sol. 2003. 72 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

34.
Diana Porto de Andrade. Competitividade e Mercado das Agencias de Viagens Franqueadas em Aracaju. 2003. 55 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

35.
Luciana Rodrigues de Morais e Silva. A relação do Projeto TAMAR/IBAMA e Comunidade Local e a Educação Ambiental - Pirambu -SE. 2003. 82 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

36.
Bianca Espiridião de Faria. capacitação de jovens para o mercado turístico: programa Sebrae Agente de desenvolvimento turistico em Pirambu - SE. 2003. 55 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Turismo) - Universidade Tiradentes. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

Iniciação científica
1.
DANIEL ANDRADE DA SILVA. O poder legislativo provincial em Sergipe: documentação e pesquisa. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

2.
MARCOS VINICIUS SANTOS DO NASCIMENTO. O poder legislativo provincial em Sergipe: documentação e pesquisa. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Sergipe, Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - UFS. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

3.
Leandro Augusto Oliveira de Melo. Sexualidade e homossexualidade pensamento iluminista. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

4.
Thamires Pereira. Genero e sexualidade no pensamento iluminista. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Sergipe, Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - UFS. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

5.
Carolline Acioli Oliveira Andrade. Narrativa, ficção e História: o romance. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Sergipe, PET. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

6.
Baruc Carvalho Martins. A REVISTA VEJA E A ASCENSÃO DA CLASSE C NO BRASIL. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Jornalismo) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

7.
Jéssica Santos Feitoza. A REVISTA VEJA E A ASCENSÃO DA CLASSE C NO BRASIL. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Jornalismo) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

8.
Maria Cristiane Santos. A ASCENSÃO DA CLASSE C NO BRASIL NA VISÃO DA REVISTA CARTA CAPITAL. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Jornalismo) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

9.
Marilia Marques Cruz e Silva. Memória e História: o turismo e a preservação do patrimonio histórico e cultural de Sergipe. 2003. 80 f. Iniciação Científica. (Graduando em Turismo) - Universidade Tiradentes, Unit. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

Orientações de outra natureza
1.
Marcos Aurelo Alves Santos. Caminhos para um novo ensino em História: as representações de ofícios dos escravos (livros didáticos e jornais). 2011. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

2.
Danielle Xavier de Andrade. Viração: uma parte da história do Movimento Estudantil em Sergipe. 2011. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

3.
Gilsimara Andrade Torres.. José Calasans e sua obra: um novo olhar sobre cultura popular e a história. 2011. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

4.
Hilton Tarquínio dos Santos. A importância da escola na construção de valores para a formação moral do aluno. 2011. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

5.
Alane Santos Almeida. Aspectos da ordem franciscana em São Cristóvão/SE: entre a humildade e o luxo. 2009. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

6.
Simone Tadeu Santos. A música popular brasileira durante o regime militar. 2009. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

7.
Paulo Sérgio Lima Nascimento. Colégio Estadual Abdias Bezerra em Ribeirópolis/SE: um patrimônio educacional. 2009. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

8.
André Luis dos Santos Melo. . Os soldados de Cristo nos anos de chumbo. Uma análise do filme ?Anchieta, José do Brasil? como representação histórica. 2009. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

9.
Ducival Santos Ferreira. Entre a medicina cientifica e a complementar: uma abordagem histórica e cultural. 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

10.
Elisângela de Oliveira Silva. O lugar do índio na história do Brasil dos livros didáticos.. 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

11.
Genária dos Santos. Cultura, cotidiano e trabalho dos artesãos do povoado Ilha. 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

12.
Luciana Santana da Silva. Os índios kiriri no aldeamento do Geru: processo histórico e conflitos pela posse da terra. 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

13.
Nivalda Bispo dos Santos. Religião e religiosidade: uma análise das manifestações católicas do município de Arauá/SE. 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

14.
Herica Rosendo dos Santos. Triste Saudade: O Engenho Cedro na Memória de Ailton Silveira Lima. 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

15.
Rozineide Nascimento. História, Escravidão e Racismo: uma reflexão histórica acerca do preconceito racial. 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

16.
Tony Max Novais da Silva. Educação e cidadania: a importância da EJA na rede municipal de ensino de Estância. 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

17.
Mateus Antonio de Almeida Neto. Na trama da ordem: violência, criminalidade e práticas punitivas na Aracaju oitocentista (1855 ? 1873). 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

18.
Robério Ismerim do Sacramento. Aos olhos do Rei: Sergipe oitocentista no Relatório Província1 de 1850.. 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

19.
Robério Ismerim do Sacramento. Aos olhos do Rei: Sergipe oitocentista no Relatório Província1 de 1850.. 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

20.
Gilmar da Silva Chagas Júnior. Ação de Liberdade: Reflexões Sobre Ações Movidas Por Escravos Sergipanos Contra o seu Senhor. 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.

21.
Keltom Rômulo Andrade de Abreu. A questão dos limites da Bahia e Sergipe no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. 2008. Orientação de outra natureza. (Especialização em Ensino em História) - Faculdade São Luis de França. Orientador: Edna Maria Matos Antônio.




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 17/12/2018 às 15:46:54