Mario Sergio Salerno

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3276012121928233
  • Última atualização do currículo em 08/11/2018


Professor Titular do Departamento de Engenharia de Produção da Poli-USP. Engenheiro de Produção pela Poli-USP (1979), mestre em Enga de Produção pela UFRJ (1985), especializado em Inovação Tecnológica e Desenvolvimento (IDS, University of Sussex, 1986), doutor em Enga de Produção pela Poli-USP (1991) com sanduíche junto à Politécnica de Milão, livre-docente em Engenharia de Produção pela Poli-USP (1998). Pós-doutorado em Gestão da Inovação Radical no Rensselaer Polytechnic Institute (Troy, NY, EUA, 2015) e em Organização na Ecole Nationale des Ponts et Chaussées (Paris, França, 1996). Editor Sulamericano do International Journal of Automotive Technology and Management. Editor associado das revistas Production (2012-4) e Gestão&Produção (2009-12) e de coleções nas editoras Fabrefactum, Inova Sigma e Senac. Membro da coordenação científica da rede internacional de Pesquisa Gerpisa. Membro da Babbage Industrial Policy Network, fórum internacional sobre manufatura e política industrial, organizada pela Universidade de Cambridge. Autor de 64 artigos publicados em periódicos (outros 4 aceitos para publicação); 65 livros e capítulos de livros publicados na Alemanha, Argentina, Brasil, Bulgária, EUA, França, Inglaterra e Itália; 151 textos de divulgação em jornais e revistas não acadêmicas; 127 trabalhos publicados em anais de eventos e outras 132 apresentações de trabalhos em eventos. Índice h = 9 (Scopus); ResearchGate: 23. Citações em 27/07/2018: Web of Science - 78 (https://apps.webofknowledge.com/summary.do?product=WOS&parentProduct=WOS&search_mode=C); Scopus - 237; Google Academics - 2877. Revisor, entre outros, dos periódicos California Management Review, International Journal of Human Resources Management, International Journal of Automotive Technology and Management, Journal of Manufacturing Technology Management, Regional Studies, Revista LatinoAmericana de Estudios del Trabajo, Sociologia del Trabajo, Gestão&Produção, Novos Estudos, Production, Revista Brasileira de Inovação. Coordenador do Laboratório de Gestão da Inovação (LGI) do Departamento de Engenharia de Produção da Poli-USP. Coordenador do Observatório da Inovação e Competitividade do Instituto de Estudos Avançados da USP Núcleo de Apoio à Pesquisa em concorrência por edital da Pro-Reitoria de Pesquisa, com referees externos. Coordenador de projetos de pesquisa Fapesp, Finep, ABDI, CGEE-MCTI, CNPq (Pro-Engenharias, coord. Regional), BNDES, e de projetos de extensão com Apex e com empresas. Coordenador de proposta de projeto temático Fapesp em rodada final de avaliação. Os projetos hoje em curso somam orçamento de R$18.607.449,29. Bolsista do Ipea até dez17, após ter vencido edital PNPD 027/2017. Membro do Comitê Assessor Engenharias III da Capes nas avaliações trienal e APCN (2010-2012), e quadrienal 2013-2016. Membro da Congregação, da Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção e do Conselho do Departamento de Engenharia de Produção da Poli-USP. Membro do Conselho Técnico-Acadêmico (2007-11) e da Comissão de Pesquisa da Poli (1998). Chefe do PRO entre 2007 e 2011; vice chefe entre 1999 e 2003. Membro do Conselho de Orientação do Instituto de Pesquisa Tecnológica do Estado de São Paulo (IPT), nomeado pelo Governador do Estado (desde 2010), e do Conselho Técnico-Científico do Instituto Nacional de Tecnologia (INT, 2008-15), nomeado pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação. Diretor da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), nomeado pelo Presidente da República (2005-6). Diretor do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), nomeado pelo Ministro do Planejamento (2003-4). Membro da Coordenação do Grupo Executivo que elaborou as Diretrizes de Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (PITCE) -2003/4. Consultor de Capes, CNPq, Fapesp, Finep e BID-Banco Interamericano de Desenvolvimento. ORCID 0000-0002-2025-2534; ResearcherID H-5984-2012; researchgate.net/profile/Mario_Salern (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Mario Sergio Salerno
Nome em citações bibliográficas
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO

Endereço


Endereço Profissional
Universidade de São Paulo, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.
Avenida Professor Almeida Prado, travessa 2, n. 128, 2.andar
Cidade Universitária
05508-900 - Sao Paulo, SP - Brasil
Telefone: (11) 30915363
Ramal: 484
Fax: (11) 30915399
URL da Homepage: www.pro.poli.usp.br


Formação acadêmica/titulação


1986 - 1991
Doutorado em Engenharia de Produção Escola Politécnica.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Flexibilidade, organização e trabalho operatório: elementos para análise da produção na indústria, Ano de obtenção: 1991.
Orientador: Afonso Carlos Corrêa Fleury.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Organização do trabalho; Organização da produção; Flexibilidade; Trabalho; Automação; sócio-técnica.
Grande área: Engenharias
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Organização do Trabalho.
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Estratégia e Organizações.
Setores de atividade: Indústria Metal-Mecânica; Fabricação de Produtos Químicos; Mercado de Trabalho e Mão-De-Obra.
1981 - 1985
Mestrado em Engenharia de Produção.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Título: Produção, trabalho e participação: CCQ e kanban numa nova imigração japonesa,Ano de Obtenção: 1985.
Orientador: Michel Thiollent.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Organização do trabalho; Organização da produção; Just In Time; Flexibilidade; Trabalho; Ccq.
Grande área: Engenharias
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Organização do Trabalho.
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Estratégia e Organizações.
Setores de atividade: Indústria Metal-Mecânica; Mercado de Trabalho e Mão-De-Obra.
1975 - 1979
Graduação em Engenharia de Produção Escola Politécnica.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.


Pós-doutorado e Livre-docência


1998
Livre-docência.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Projeto organizacional de produção integrada, flexível e de gestão democrática: processos, grupos e espaços de comunicação-negociação, Ano de obtenção: 1998.
Palavras-chave: Projeto organizacional; Organização do trabalho; Trabalho em Grupos; Integracao dos Sistemas Produtivos; Organização e gestão por processos; Organização da produção.
Grande área: Engenharias
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Projeto Organizacional.
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Organização do Trabalho.
Setores de atividade: Mercado de Trabalho e Mão-De-Obra; Indústria Metal-Mecânica; Outros Setores.
2014
Pós-Doutorado.
Rensselaer Polytechnic Institute, RPI, Estados Unidos.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Grande área: Engenharias
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gestão da Inovação radical.
1996 - 1997
Pós-Doutorado.
Ecole Nationale Des Ponts Et Chaussées Laboratoire Techniques Territoires E, LATTS-ENPC, França.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Grande área: Engenharias
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Projeto Organizacional.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia do Trabalho / Especialidade: Trabalho na Indústria Contemporânea.


Formação Complementar


2018 - 2018
Análise de dados qualitativos e saídas de informação. (Carga horária: 4h).
Software Shop, representante do NVivo para América Latina, NVIVO, Colômbia.
2008 - 2008
Capacitação nas bases de dados Science Direct, Sco. (Carga horária: 6h).
Elsevier B.V., ELSEVIER, Holanda.
1996 - 1996
Perfectionnement I Et II Francês Para Estrangeiros. (Carga horária: 80h).
Ecole des Ponts ParisTech, ENPC, França.
1996 - 1996
Panorama Culturelle de La France D'Aujourd'hui. (Carga horária: 48h).
Ecole des Ponts ParisTech, ENPC, França.
1994 - 1994
Técnicas de Apresentação. (Carga horária: 8h).
Fundação Carlos Alberto Vanzolini, FCAV, Brasil.
1992 - 1992
Introdução ao sistema operacional Unix. (Carga horária: 24h).
Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, EPUSP, Brasil.
1992 - 1992
Introdução ao X Window system. (Carga horária: 12h).
Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, EPUSP, Brasil.
1988 - 1988
Planificação de seminários orientados a resultados. (Carga horária: 24h).
Metaplan, METAPLAN, Alemanha.
1986 - 1986
Extensão universitária em Microelectronics, automation and industrialisation. (Carga horária: 200h).
University of Sussex, Institute of Development Studies, IDS, Grã-Bretanha.


Atuação Profissional



Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

1983 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Professor do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, tendo sido indicado para o cargo de professor titular como resultado de concurso público realizado nos dias 4 e 5 de julho de 2006.

Atividades

08/2018 - Atual
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO3331 Administração e Organização
06/2018 - Atual
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO5831 Problemas Especiais em TRabalho, Tecnologia e Organização
06/2013 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Poli-USP.
11/2010 - Atual
Direção e administração, Instituto de Estudos Avançados USP, Observatório da Inovaçao e Competitividade (NAP-OIC).

Cargo ou função
Coordenador Geral do Observatório da Inovação e Competitividade, núcleo de apoio à pesquisa que envolve Politécnica, Sociologia, Economia e Administração, Direito e Medicina Social Ribeirão Preto ww.oic.nap.usp.br.
06/2007 - Atual
Direção e administração, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Coordenador do Laboratório de Gestão da Inovação www.pro.poli.usp.br/lgi.
10/2006 - Atual
Direção e administração, Escola Politécnica, .

Cargo ou função
Membro da Congregação.
3/2002 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Membro do conselho científico da Revista Produção, editada pela Associação Brasileira de Engenharia de Produção.
2/2001 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Membro de conselho editorial da coleção "Trabalho e Sociedade" da Editora SENAC São Paulo.
7/2000 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Membro de conselho editorial - editor regional para a América do Sul do International Journal of Automotive Technology and Management (ISSN1470-9511).
6/1998 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

6/1996 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Membro do Comitê Científico da Rede GERPISA (Rede Interenacional de Pesquisas sobre a Indústria Automobilística e seus Trabalhadores), com sede na França.
6/1996 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Membro do comitê editorial das Actes du Gerpisa (periódico ISSN 0981-5597).
01/1995 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Membro do Conselho do Departamento.
12/1994 - Atual
Direção e administração, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Membro do conselho (colegiado) do Departamento.
3/1994 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Parecerista em trabalhos submetidos para publicação junto à Revista Gestão&Produção, editada pelo Departamento de Engenharia de produção da UFSCar.
3/1993 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Consultor Ad-hoc em processos de bolsa e pedidos de financiamento da FAPESP.
7/1987 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Consultor Ad-hoc em processos do CNPq (bolsas e processos de financiamento).
3/1984 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Membro de comissão científica do Encontro Nacional de Engenharia de Produção (ENEGEP) - várias edições, de 1984 a 2008 (XXVIII, XXII, XXI, XX, XIX, XV, XII, IX, IV.
02/2018 - 06/2018
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO3584 - Projeto, Processo e Gestão da Inovação
02/2018 - 06/2018
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO3412 - Princípios de Administrtação de Empresas
02/2018 - 05/2018
Ensino, Engenharia de Produção Epusp, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO5804 - Gestão estratégica da Inovação
01/2018 - 04/2018
Ensino, Engenharia de Produção, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO3576 - Princípios de Gestão Industrial e Logística
01/2018 - 04/2018
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO3576 - Princípios de Administração Industrial e Logística
09/2017 - 12/2017
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO5857 Desenvlvimento de Projeto em Organização e Gestãod a Inovação
08/2017 - 12/2017
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO3331 - Administração e Organização
06/2017 - 09/2017
Ensino, Engenharia de Produção Epusp, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO5804 Gestão Estratégica da Inovação
PRO5831 Problemas Especiais em Trabalho, Tecnologia e Organização
03/2017 - 07/2017
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO2804 - Projeto, processo e gestão da inovação
03/2017 - 07/2017
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO3412 - Princípios de administração de empresas
09/2016 - 12/2016
Ensino, Engenharia de Produção Epusp, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO5857 Desenvolvimento de projeto em organização e gestão da inovação
08/2016 - 12/2016
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO3331 ADMINISTRAÇÃO E ORGANIZAÇÃO
08/2016 - 12/2016
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO2303 PRINCÍPIOS DE ADMINISTRAÇÃO
06/2016 - 08/2016
Ensino, Engenharia (Engenharia de Produção), Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 5831 - PROBLEMAS ESPECIAIS EM TRABALHO, TECNOLOGIA E ORGANIZAÇÃO
PRO5804 - GESTÃO ESTRATÉGICA DA INOVAÇÃO
02/2016 - 07/2016
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO2804 - Projeto, processo e gestão da inovação
09/2015 - 12/2015
Ensino, Engenharia de Produção Epusp, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO5831 - Problemas Especiais em Trabalho, Tecnologia e Organização
08/2015 - 12/2015
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO2311 Administração e organização
08/2015 - 12/2015
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO2303 - Princípios de administração de empresas
02/2015 - 07/2015
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO2804 Projeto, Processo e Gestão da Inovação
02/2015 - 06/2015
Ensino, Engenharia de Produção Epusp, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO5804 Gestão Estratégica da Inovação
08/2014 - 12/2014
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO2311 Administração e Organização
06/2014 - 09/2014
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO5804 GESTÃO ESTRATÉGICA DA INOVAÇÃO
06/2014 - 09/2014
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO5831 - Problemas Especiais em Trabalho, Tecnologia e Organização
02/2014 - 07/2014
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 2303 - Princípios de administração geral
02/2014 - 06/2014
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 2804 - Projeto, processo e gestão da inovação
08/2013 - 12/2013
Ensino, Engenharia de Produção, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 2311 - Administração e Organização
06/2013 - 09/2013
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 5804 Gestão Estratégica da Inovação
02/2013 - 07/2013
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO2804 - PROJETO, PROCESSO E GESTÃO DA INOVAÇÃO
06/2012 - 09/2012
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 5804 Gestão Estratégicada Inovação
02/2012 - 07/2012
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 2804 Projeto, processo e gestão da inovação
06/2011 - 08/2011
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 5804 - Gestão Estratégica da Inovação
PRO5831 - Problemas Especiais em Trabalho, Tecnologia e Organização
02/2011 - 06/2011
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO-2804 Projeto, Processo e Gestão da Inovação (9o.semestre)
06/2007 - 06/2011
Direção e administração, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Chefe de Departamento.
06/2007 - 06/2011
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, .

Cargo ou função
Membro do Conselho Técnico-Acadêmico (CTA).
09/2010 - 12/2010
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 5804 - Gestão Estratégica da Inovação
08/2010 - 12/2010
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 2311 - Administração e Organização
02/2010 - 07/2010
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO2303 - Princípios de Administração de Empresas
08/2009 - 12/2009
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 2311 - Administração e Organização
06/2009 - 09/2009
Ensino, Engenharia (Engenharia de Produção), Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 5804 - Gestão Estratégica da Inovação
PRO 5831 - Problemas Esoeciais em Trabalho, Tecnologia e Organização
06/2009 - 09/2009
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 5831 - Problemas Especiais em Trabalho, Tecnologia e Organização
02/2009 - 06/2009
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO2303 - Princípios de Administração de Empresas
Trabalho de Formatura I
09/2008 - 12/2008
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 5804 - Gestão Estratégica da Inovação
08/2008 - 12/2008
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 2303 - Princípios de Administração de Empresas
PRO 2311 - Administração e Organização
03/2008 - 12/2008
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO2311 - Adminitração e Organização
PRO2303 - Princípios de Administração de Empresas
Trabalho de Formatura I
Trabalho de Formatura II
11/2008 - 11/2008
Ensino, Gestão Estratégica da Inovação, Nível: Aperfeiçoamento

Disciplinas ministradas
Detalhando o processo de inovação ? Parte 1 (3h): Cadeia de valor da inovação - da geração de idéias à sua difusão para o mercado
Introdução à inovação como estratégia (3h): definição, benefícios, fontes, sistemas de incentivo
Gestão Estratégica da Inovação - curso de 32 horas
9/2007 - 12/2007
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
PRO5804-2 - Gestão Estratégica da Inovação
06/2007 - 11/2007
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Estado e Inovação - projeto desenvolvido para a ONU-Cepal (Comissão Econômica para a América Latina da Organização das Nações Unidas). Avaliação de políticas e programas governamentais de apoio à inovação. Va;lor do projeto: R$30.000,00..
02/2007 - 07/2007
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PRO 2310 Engenharia e Sociedade
PRO 2312 Organização do trabalho na produção
3/2005 - 9/2005
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Membro do comitê científico do XV Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas, organizado pela Anprotec.
6/1999 - 5/2003
Direção e administração, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Vice-chefe do Departamento.
9/2002 - 12/2002
Ensino, Engenharia de Produção Epusp, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Projeto organizacional, automação e trabalho na produção integrada e flexível (PRO5804)
8/2002 - 12/2002
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de Administração Industrial (PRO304)
12/1998 - 12/2002
Direção e administração, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Membro de comissão permanente (comissão de pesquisa da EPUSP).
9/1998 - 12/2002
Direção e administração, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Coordenador (líder) de grupo de pesquisa (TTO: Trabalho, Tecnologia e Organização), registrado no diretório de grupos de pesquisa do CNPq.
4/2001 - 11/2002
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Membro do comitê técnico dos Congressos 2001 e 2002 da SAE Brasil (Society of Automotive Engineers).
5/2002 - 7/2002
Ensino, Ergonomia de Sistemas de Produção, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
Organização e recursos humanos
2/2002 - 6/2002
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Organização do Trabalho na Produção (PRO2312)
4/2002 - 4/2002
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Membro do comitê técnico do congresso da SAE Brasil (Society of Automotive Engineers).
9/2001 - 12/2001
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Projeto organizacional, automação e trabalho na produção integrada e flexível (PRO5804)
2/2001 - 7/2001
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Organização do trabalho na produção (PRO179)
9/2000 - 12/2000
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Reestruturação produtiva na cadeia produtiva automotiva: trabalho e organização
8/2000 - 12/2000
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de Administração Geral (PRO303)
Trabalho de Formatura II (Estágio Supervisionado)
9/2000 - 9/2000
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Curso/workshop sobre projeto e implantação de trabalho em grupo na produção - módulo sobre critérios de projeto organizacional baseado em grupos (4 horas).
8/2000 - 8/2000
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Coordenador do curso de reestruturação produtiva, dentro do Programa de Capacitação de Dirigentes e Assessores Sindicais, patrocinado pelos Ministérios do Trabalho e da Ciência e Tecnologia.
7/2000 - 7/2000
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Disciplina "organização do trabalho e recursos humanos" no Cursp de Especialização em Ergonomia de Sistemas de Produção (pós- graduação latu senso).
7/2000 - 7/2000
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Disciplina "organização de sistemas produtivos" junto ao II Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Engenharia de Produção, Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal do Espírito Santo (12 horas).
2/2000 - 7/2000
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Organização do trabalho na produção
3/1987 - 7/2000
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Referee ad hoc junto ao Conselho Editorial da Revista de Administração, editada pela Faculdade de Economia e Administração da USP.
5/2000 - 5/2000
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Curso/workshop sobre projeto e implantação de trabalho em grupo na produção - módulo sobre critérios de projeto organizacional baseado em grupos (4 horas).
5/2000 - 5/2000
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Curso/workshop sobre projeto e implantação de trabalho em grupo na produção - módulo sobre critérios de projeto organizacional baseado em grupos (4 horas).
1/2000 - 1/2000
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Workshop sobre trabalho em grupos na produção - indústria automobilística, junto à Ford Brasil (16 horas).
9/1999 - 12/1999
Ensino, Engenharia de Produção Epusp, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Projeto organizacional, automação e trabalho na produção integrada e flexível
Problemas especiais em gestão da tecnologia na empresa
8/1999 - 12/1999
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Administração e organização
10/1999 - 10/1999
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Curso/workshop sobre projeto e implantação de trabalho em grupo na produção - módulo sobre critérios de projeto organizacional baseado em grupos (4 horas).
10/1999 - 10/1999
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Aula de "organização do trabalho" junto ao Curso de Atualização em Ergonomia, disciplina de medicina do trabalho do Departamento de Medicina Social da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (4 horas).
8/1999 - 9/1999
Serviços técnicos especializados , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Serviço realizado
Consultor ad hoc junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), como "consultant specialist in productive systems", para fins de avaliação da proposta de projeto "trade union leadership training program" (TC-99-04-02-7-BR)..
8/1999 - 9/1999
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Consultor ad hoc junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), como "consultant specialist in productive systems", para fins de avaliação da proposta de projeto "trade union leadership training program" (TC-99-04-02-7-BR)..
1/1999 - 9/1999
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Coordenador de convênio de pesquisa entre a Escola Politécnica e a Kibon S.A. Indústrias Alimentícias (grupo Unilever) - tema: critérios de projeto de células de produção e trabalho em grupo.
8/1999 - 8/1999
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Coordenador do curso de reestruturação produtiva, dentro do Programa de Capacitação de Dirigentes e Assessores Sindicais, patrocinado pelos Ministérios do Trabalho e da Ciência e Tecnologia.
2/1999 - 7/1999
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Organização do trabalho na produção
5/1999 - 5/1999
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Curso/workshop sobre projeto e implantação de trabalho em grupo na produção - módulo sobre critérios de projeto organizacional baseado em grupos (4 horas).
5/1999 - 5/1999
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Aula sobre "gestão de operações de empresas em globalização", no programa "MBA" Comércio Internacional da Faculdade de Economia e Administração da USP (4h).
3/1999 - 3/1999
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Referee ad hoc junto à editoria da Revista Latinoamericana de Estudios del Trabajo / Revista Latino-americana de Estudos do Trabalho.
9/1998 - 12/1998
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Projeto organizacional, automação e trabalho na produção integrada e flexível
8/1998 - 12/1998
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Administração e organização
Trabalho de formatura I - Estágio Supervisionado / Professor Coordenador
Trabalho de formatura II - Estágio Supervisionado / Professor Coordenador
8/1998 - 10/1998
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Disciplina "organização do trabalho e recursos humanos" no Cursp de Especialização em Ergonomia de Sistemas de Produção (pós- graduação latu senso).
8/1998 - 8/1998
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Coordenador do curso de reestruturação produtiva, dentro do Programa de Capacitação de Dirigentes e Assessores Sindicais, patrocinado pelos Ministérios do Trabalho e da Ciência e Tecnologia.
8/1998 - 8/1998
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Professor no curso "construindo estratégias de mudança", módulo "organi-zação e gestão por processos", ministrado via Fundação Carlos Alberto Vanzolini para o Credicard (4 horas).
2/1998 - 7/1998
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Organização do trabalho na produção
Trabalho de formatura I - Estágio Supervisionado / Professor Coordenador
Trabalho de formatura II - Estágio Supervisionado / Professor Coordenador
3/1998 - 6/1998
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Participação no programa "engenheiro 2001" de educação continuada à distância, no módulo "aprendizagem e inovação organizacional: uma questão de sobrevivência e sucesso", realizado pela Fundação Vanzolini, EPUSP.
5/1998 - 5/1998
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Professor no curso "construindo estratégias de mudança", módulo "organi-zação e gestão por processos", ministrado via Fundação Carlos Alberto Vanzolini para o Credicard (4 horas).
4/1998 - 4/1998
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Coordenador do curso de reestruturação produtiva, dentro do Programa de Capacitação de Dirigentes e Assessores Sindicais, patrocinado pelos Ministérios do Trabalho e da Ciência e Tecnologia.
4/1998 - 4/1998
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Professor no curso "construindo estratégias de mudança", módulo "organi-zação e gestão por processos", ministrado via Fundação Carlos Alberto Vanzolini para o Credicard (4 horas).
9/1997 - 12/1997
Ensino, Engenharia de Produção Epusp, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Projeto organizacional, automação e trabalho na produção integrada e flexível
8/1997 - 12/1997
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Administração e organização
Trabalho de formatura I - Estágio Supervisionado / Professor Coordenador
Trabalho de formatura II - Estágio Supervisionado / Professor Coordenador
9/1997 - 9/1997
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Coordenador do curso de reestruturação produtiva, dentro do Programa de Capacitação de Dirigentes e Assessores Sindicais, patrocinado pelos Ministérios do Trabalho e da Ciência e Tecnologia.
9/1997 - 9/1997
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Curso/workshop sobre projeto e implantação de trabalho em grupo na produção - módulo sobre critérios de projeto organizacional baseado em grupos (4 horas).
2/1997 - 7/1997
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Organização do trabalho na produção
Noções de administração geral
Trabalho de formatura I - Estágio Supervisionado / Professor Coordenador
Trabalho de formatura II - Estágio Supervisionado / Professor Coordenador
4/1997 - 4/1997
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Curso/workshop sobre projeto e implantação de trabalho em grupo na produção - módulo sobre critérios de projeto organizacional baseado em grupos (4 horas).
3/1996 - 4/1996
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Referee ad hoc junto ao Conselho Editorial da Revista Sociologia del Trabajo, editada em Madrid, Espanha.
8/1995 - 12/1995
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção II
Trabalho de formatura I - Estágio Supervisionado / Professor Coordenador
Trabalho de formatura II - Estágio Supervisionado / Professor Coordenador
3/1991 - 12/1995
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Consultoria para as Indústrias Gessy Lever S.A. - análise e projeto de trabalho em grupos na produção das fábricas de detergente em pó (Vespasiano e Indaiatuba), detergente líquido (São Paulo), higiene pessoal (Valinhos), Elida Gibbs (Valinhos), margarina.
11/1995 - 11/1995
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Curso/workshop sobre projeto e implantação de trabalho em grupo na produção - módulo sobre critérios de projeto organizacional baseado em grupos (4 horas).
9/1995 - 9/1995
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
¯ Curso de extensão "novas formas de organização do trabalho e seus impactos na sociedade", ministrado pela Universidade Federal do Paraná..
5/1995 - 8/1995
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção
Problemas especiais em organização do trabalho na produção
2/1995 - 7/1995
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Organização do trabalho na produção
Nocões de administração geral
Trabalho de formatura I - Estágio Supervisionado / Professor Coordenador
Trabalho de formatura II - Estágio Supervisionado / Professor Coordenador
5/1995 - 5/1995
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Curso/workshop sobre projeto e implantação de trabalho em grupo na produção - módulo sobre critérios de projeto organizacional baseado em grupos (4 horas).
9/1994 - 12/1994
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção
8/1994 - 12/1994
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção II
11/1994 - 11/1994
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Curso/workshop sobre projeto e implantação de trabalho em grupo na produção - módulo sobre critérios de projeto organizacional baseado em grupos (4 horas).
3/1991 - 11/1994
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Referee junto à Revista de Administração de Empresas, da Fundação Getúlio Vargas.
9/1994 - 9/1994
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Coordenador do curso de reestruturação produtiva, dentro do Programa de Capacitação de Dirigentes e Assessores Sindicais, patrocinado pelos Ministérios do Trabalho e da Ciência e Tecnologia.
8/1994 - 9/1994
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Referee para efeitos de avaliação de livro submetido à publicação junto à Editora da Universidade de São Paulo (EDUSP).
3/1994 - 7/1994
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Organização do trabalho na produção
Noções de administração geral
5/1994 - 5/1994
Extensão universitária , Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Atividade de extensão realizada
Curso produtividade e qualidade na produção civil, promovido pelo ITQC e ministrado pela EPUSP/FDTE sob coordenação do prof. Racine Tadeu Araújo Prado (Departamento de Construção Civil)..
9/1993 - 12/1993
Ensino, Engenharia de Produção Epusp, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção
8/1993 - 12/1993
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção II
8/1993 - 9/1993
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia de Produção.

Cargo ou função
Referee para efeitos de avaliação de livro submetido à publicação junto à editora FGV.
3/1993 - 7/1993
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Organização do trabalho na produção
Noções de administração geral
9/1992 - 12/1992
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção
8/1992 - 12/1992
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção II
Noções de administração geral
3/1992 - 7/1992
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de administração geral
8/1991 - 12/1991
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção II
Tecnologia aplicada
9/1991 - 9/1991
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção
8/1990 - 12/1990
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção II
3/1990 - 7/1990
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de administração geral
Tecnologia de processo
8/1989 - 12/1989
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção II
3/1989 - 7/1989
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de administração geral
8/1988 - 12/1988
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção II
3/1988 - 7/1988
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de administração industrial
8/1987 - 12/1987
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Automação nos sistemas de produção II
3/1987 - 7/1987
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de administração geral
8/1986 - 12/1986
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de administração geral
3/1986 - 7/1986
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de administração geral
8/1985 - 12/1985
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de administração industrial
3/1985 - 7/1985
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de administração industrial
8/1984 - 12/1984
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de administração industrial
3/1984 - 7/1984
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Noções de administração industrial
8/1983 - 12/1983
Ensino, Engenharia de Produção Escola Politécnica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Economia geral (2 turmas)

Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, IPT, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - Atual
Vínculo: Conselheiro, Enquadramento Funcional: Conselheiro, sem vínculo ou remuneração
Outras informações
Membro do Conselho de Orientação, nomeado por ato do Sr. Governador do Estado de São Paulo. Posse em 15/7/2010.


Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, ABDI, Brasil.
Vínculo institucional

2005 - 2007
Vínculo: Diretor nomeado, Enquadramento Funcional: Diretor de Desenvolvimento Industrial, Carga horária: 40
Outras informações
A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI),criada pela lei federal n.11080 de 30/12/2004, tem como missão ?promover o desenvolvimento industrial e tecnológico brasileiro, por meio do aumento da competitividade e da inovação, e como objetivo geral de articular, coordenar e promover a execução da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (PITCE), em interação com os diversos órgãos públicos e com a iniciativa privada?. Seus diretores são nomeados diretamente pelo Presidente da República, devendo preencher um conjunto mínimo de requisitos técnicos e de experiência em gestão. A ABDI faz a secretaria executiva do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI), órgão consultivo da Presidência da República, composto por 13 ministros, 10 empresários e 3 sindicalistas; coordena mensalmente reunião dos Secretários da PITCE - secretários dos ministérios envolvidos com a PITCE, mais diretores da Anvisa, BNDES, Embrapa, Finep e Inmetro, para gestão do andamento da PITCE. Fui responsável pela articulação de Planos de Desenvolvimento Setoriais, envolvendo organismos do Estado e entidades empresariais de cosméticos (Abihpec), equipamentos médico-odontológicos (Abimo), frutas processadas (Ibraf), confecções (Abit), empresas de base biotecnológica (Abrabi/Fundação Biominas), software (Softex), plástico (INP); automação industrial (Fórum dos Empresários Exportadores de Tecnologia da Abinee), aquecimento solar (Abrava), calçados (Abicalçados / Assintecal); pelo projeto de atração de centros de P,D&E de multinacionais, dos boletins de conjuntura industrial, do "anuário da indústria", sendo que esses dois últimos convergiram para o "Observatório da Inovação e Competitividade", iniciativa em conjunto com o Ipea, o CGEE e a USP. Minhas atividades na ABDI se desenvolveram até o final de 2006 (férias em jan/2007), quando retornei à USP, conforme cronograma estabelecido quando do afastamento e reiterado durante as argüições do concurso de titular.

Atividades

6/2005 - 01/2007
Direção e administração, Diretoria de Desenvolvimento Industrial, .

Cargo ou função
Diretor de Desenvolvimento Industrial.
6/2005 - 01/2007
Pesquisa e desenvolvimento , Diretoria de Desenvolvimento Industrial, .

6/2005 - 12/2006
Treinamentos ministrados , Diretoria de Desenvolvimento Industrial, .

Treinamentos ministrados
Seminários e cursos sobre a PITCE e seus instrumentos
6/2005 - 12/2006
Treinamentos ministrados , Diretoria de Desenvolvimento Industrial, .

Treinamentos ministrados
Diversos eventos sobre política industrial, tecnológica e de comércio exterior
2/2005 - 12/2006
Outras atividades técnico-científicas , Diretoria de Desenvolvimento Industrial, Diretoria de Desenvolvimento Industrial.

Atividade realizada
Relatórios técnicos, publicações diversas.
2/2005 - 11/2006
Conselhos, Comissões e Consultoria, Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial, .

Cargo ou função
Outro.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - DF, IPEA, Brasil.
Vínculo institucional

2003 - 2005
Vínculo: Cedido - Diretor nomeado, Enquadramento Funcional: Diretor de Estudos Setoriais, Carga horária: 0, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Cedido pela Universidade de São Paulo. O Ipea, na época, era ligado ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. A Diretoria de Estudos Setoriais se ocupava de estudos sobre a indústria, serviços e agropecuária. Foram introduzidas as temáticas de inovação e política industrial e tecnológica. As principais atividades desenvolvidas foram a coordenação de estudos para elaboração da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (PITCE), a participação na coordenação do Grupo Executivo da PITCE, que elaborou o documento "Diretrizes de PITCE", aprovado pelo Presidente da República e divulgado em 23 de novembro de 2003 e a participação na criação da revista "Desafios do Desenvolvimento".

Atividades

4/2003 - 6/2005
Direção e administração, Diretoria de Estudos Setoriais, .

Cargo ou função
Diretor.
4/2003 - 6/2005
Pesquisa e desenvolvimento , Diretoria de Estudos Setoriais, .

4/2003 - 6/2005
Serviços técnicos especializados , Diretoria de Estudos Setoriais, .

Serviço realizado
Assessoria a instituições do governo federal sobre políticas de produção.
4/2003 - 6/2005
Treinamentos ministrados , Diretoria de Estudos Setoriais, .

Treinamentos ministrados
Seminários diversos
Política industrial
4/2003 - 6/2005
Treinamentos ministrados , Diretoria de Estudos Setoriais, .

Treinamentos ministrados
Seminários sobre inovação e desempenho da indústria; política industrial, tecnológica e de comércio exterior
4/2003 - 6/2005
Outras atividades técnico-científicas , Diretoria de Estudos Setoriais, Diretoria de Estudos Setoriais.

Atividade realizada
Produção de artigos, livros, documentos, boletins técnicos.
4/2003 - 6/2005
Conselhos, Comissões e Consultoria, Diretoria de Estudos Setoriais, .

Cargo ou função
Diretor de Estudos Setoriais.

Rensselaer Polytechnic Institute, RPI, Estados Unidos.
Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Visiting Professor, Enquadramento Funcional: Funcionário da USP, com bolsa BPE-Fapesp, Carga horária: 40
Outras informações
Visiting Professor na Lally School of Man agement, Rensselaer Polytechnic Institute (Troy, NY, EUA), a 1a escola de engenharia dos EUA. Financiamento com bolsa de pesquisa no exterior (BPE) da Fapesp, processo 2014-20953-5.


Instituto Nacional de Tecnologia, INT, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2015
Vínculo: Conselheiro Técnico-Científico, Enquadramento Funcional: Colaborador
Outras informações
Função não remunerada. Nomeação pelo Ministro da Ciência e Tecnologia (Portaria MCT nº 148, de 20.03.2008). Mandato prorrogado uma vez. não sendo mais prorrogável.

Atividades

05/2008 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Conselho Técnico-Científico, .

Cargo ou função
Conselheiro.

Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, DIEESE, Brasil.
Vínculo institucional

1983 - 1993
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Técnico, Carga horária: 30
Outras informações
Coordenador do "Grupo de Automação e Processo de Trabalho" na instituição.

Atividades

6/1983 - 6/1993
Pesquisa e desenvolvimento , Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, .

6/1983 - 6/1993
Serviços técnicos especializados , Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, .

Serviço realizado
Análise de projetos de reestruturação, assessoria a entidades..
6/1983 - 6/1993
Treinamentos ministrados , Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, .

Treinamentos ministrados
Seminários sobre Automação
Seminários sobre CCQ - Círculos de Controle de Qualidade
Seminários sobre Processo de Trabalho
Seminários sobre Trabalho e Reestruturação Produtiva
6/1983 - 6/1983
Conselhos, Comissões e Consultoria, Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, .

Cargo ou função
Coordenador do Grupo de Automação e Processo de Trabalho.

Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Vínculo institucional

1983 - 1983
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor assistente, Carga horária: 20
Outras informações
Professor da disciplina "Análise Organizacional" junto ao Departamento de Engenharia de Produção.

Atividades

3/1983 - 6/1983
Ensino, Engenharia de Produção, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Análise organizacional.

Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação - São Paulo, CMCT&I, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2013
Vínculo: Representante suplente da USP, Enquadramento Funcional: Conselheiro suplente
Outras informações
Representante suplente da USP no Conselho, nomeado pelo Reitor.



Linhas de pesquisa


1.
Projeto e análise organizacional voltado para inovação, flexibilidade e alto desempenho

Objetivo: Considera-se que a diferenciação de uma empresa se dá tanto pela sua capacidade de organizar, mobilizar e desenvolver seus recursos internos para inovar e diferenciar produtos, quanto pela sua capacidade de criar valor de serviço, este entendido como a transformação da condição de atividade de um destinatário ou de seus dispositivos de ação. Os padrões de desempenho e eficiência de sistemas de produção com essas características, principalmente se apoiados em processos significativamente automatizados, são função da arquitetura organizacional projetada, e da dinâmica organizacional que tal arquitetura viabilize. Em sistemas com as características acima, a abordagem tradicional de organização - comumente chamada de ?clássica? ou ?taylorista - fordista? - apresenta claros limites, na medida em que se baseia no projeto prescritivo de tarefas associadas a um método padrão (relativo aos movimentos, gestos), a um tempo padrão e a um posto de trabalho pré-definido. Ocorre que, nos sistemas considerados, a base da eficiência não está na economia do movimento operário, mas sim no tratamento de eventos (áleas na produção) e mais na interface entre atividades (relação entre setores na produção, relações produção - manutenção, qualidade, suprimentos, projeto de produto, planejamento etc.) do que na atividade em si. A abordagem teórica alternativa à clássica é a chamada ?escola sócio-técnica?. Na chamada ?sócio-técnica? tradicional há uma série de princípios genéricos, mas não há a discussão de uma metodologia de projeto que sirva de ferramenta às equipes envolvidas na (re)definição dos parâmetros da organização. Assim, lança-se mão, como ancoragem conceitual, da chamada ?sociotecnologia moderna? desenvolvida por uma série de autores holandeses, e dos desenvolvimentos teóricos sobre ?organização qualificante?, ?eventos? e ?comunicação? no trabalho propostos por Philippe Zarifian (LATTS-ENPC)..
Grande área: Engenharias
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Estratégia e Organizações.
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Organização do Trabalho.
Setores de atividade: Qualidade e Produtividade; Mercado de Trabalho e Mão-De-Obra.
Palavras-chave: Projeto organizacional; Gestão da inovação; Estratégia de empresas; Organização da produção; Organização do trabalho; Flexibilidade.
2.
Observatório do Setor Automotivo: inovação organizacional, relações de fornecimento e gestão do desenvolvimento de produtos

Objetivo: A pesquisa é desenvolvida no Núcleo de Estudos em Trabalho, Tecnologia e Organização (TTO) do Departamento de Engenharia de Produção da EPUSP, envolvendo também pesquisadores de outras unidades da USP e de outras universidades. Atua coordenadamente com rede internacional de pesquisa sobre a indústria automobilística e seus trabalhadores (GERPISA: Permanent Group for the Study of the Automobile Industry and its Employees), da qual fazemos parte da coordenação científica. Os financiamentos para as pesquisas desta linha têm sido do CNPq, CAPES e FAPESP (bolsas e auxílios), do próprio Departamento (auxílios diversos), de organismos internacionais (União Européia; IDE-Japão; Rede Gerpisa (para fins de participação em eventos) do BNDES para o projeto ?mapeamento da nova configuração da cadeia automotiva brasileira?. O setor automobilístico está passando por inúmeras transformações no mundo como um todo e no Brasil em particular. Especificamente, o Brasil recebeu inúmeros novos investimentos em fábricas montadoras, que inauguram novos conceitos de organização da produção e de relação com fornecedores, como nos casos de consórcio modular e condomínio industrial. Ainda, constitui-se num importante centro de projeto de produto para muitas empresas, o que nos levou a criar o conceito de ?sede de projeto?. Ao lado das discussões de novos modelos de produção (em ?substituição? do fordismo tradicional) e da crítica às formulações acerca de um esquema único (lean production), o intento desta linha de pesquisa é acompanhar a trajetória das empresas ao longo do tempo, para apreensão dos fatores críticos que levam a mudanças, e para compreensão dos condicionantes destas mudanças e das formas efetivas que elas assumem para além dos ?rótulos?. Direcionamos a pesquisa a alguns temas: a) caracterização das novas configurações produtivas - condomínio industrial e consórcio modular; b) cadeia de suprimento e relação montadoras - fornecedores; c) relações entre organização do projeto de.
Grande área: Engenharias
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Estratégia e Organizações.
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Gestão da inovação.
Setores de atividade: Fabricação e Montagem de Automóveis, Caminhões, Ônibus e Tratores e Demais Máquinas e Implementos Agrícolas, Reboques e Carrocerias; Política Econômica e Administração Pública em Geral.
Palavras-chave: Indústria automobilística; Estratégia de empresas; Gestão da inovação; reestruturação produtiva; Política industrial; Inovação.
3.
Gestão da Inovação: modelos de organização e gestão, com ênfase para inovação radical e gestão de incertezas

Objetivo: Estuda a gestão estratégica da inovação, com vistas à geração de modelos de abordagem para a cadeia expandida de inovação da empresa. Tem como suposto que um dos principais diferenciais entre as empresas, qualquer que seja sua atividade, é sua capacidade de inovação e diferenciação de produto, e a criação de valor de serviço, qual seja, a transformação das condições de atividade de um destinatário ou de seus dispositivos de ação. A abordagem da linha é tanto quantitativa, através de processamento de microdados das principais bases de dados nacionais (Pintec, PIA, PAS e outras do IBGE; RAIS/MTE; Secex/MDIC etc.), voltada à compreensão do estado da situação no universo de empresas, quanto qualitativa, através de estudos de caso, para detecção de tendências e fatores emergentes. Os modelos existentes de gestão da inovação - funil, stage gates, plataformas/silos de tecnologia - são procedurais, com melhor aderência para inovações incrementais em grandes empresas com P&D estruturado. Mas não são adaptados para star ups, spin offs acadêmicos, nem para gestão de inovação radical ou para a inovação de empresas de segmentos tradicionais, sem P&D estruturado. Para tanto, a linha discute parâmetros ou contingências que influenciam na gestão ampla de projetos de inovação, com vistas à caracterização de modelos específicos para cada caso/contingência ou conjunto delas. Tema básico trabalhado é a relação entre inovação e organização e gestão da empresa, buscando captar, analisar e propor formas de abordagem, de projeto e análise organizacional, voltados para estratégias de inovação, diferenciação de produtos e criação de valor de serviço. São abordadas as condições organizacionais e as competências que suportam a mobilização de recursos e a tomada de decisões, em suas diferentes instâncias, relativas a projetos e iniciativas de inovação..
Grande área: Engenharias
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Estratégia e Organizações.
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção.
Setores de atividade: Informacao e Gestao C&T; Qualidade e Produtividade.
Palavras-chave: Gestão da inovação; Inovação; Projeto organizacional; Organização; Gestão da incerteza; Gestão da inovação radical.
4.
Observatório da Inovação e Competitividade

Objetivo: O Observatório da Inovação e Competitividade foi criado em 2007 junto ao Instituto de Estudos Avançados da USP (www.iea.usp.br ou www.observatoriodainovacao.org.br) com a finalidade de elaborar estudos, análises, eventos e indicadores para subsídio a pesquisas públicas, como política industrial, tecnológica e de inovação. É uma proposição dos professores Glauco Arbix (Depto Sociologia USP) e Mario Sergio Salerno (Politécnica USP, Departamento de Engenharia de Produção). Seus primeiros projetos são: a) Mobit ? Mobilização Empresarial para a Inovação Tecnológica, comparando políticas de inovação em 7 países, em parceria com a ABDI, já encerrado; b) Estudos da Produção, Tecnologia e Inovação, voltado à exploração de microdados das bases oficiais, em parceria com o Ipea, com financiamento Finep..
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Administração / Subárea: Administração Pública / Especialidade: Planejamento em Ciência e Tecnologia.
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gestão da inovação.
Setores de atividade: Informacao e Gestao C&T; Política Econômica e Administração Pública em Geral; Qualidade e Produtividade.
Palavras-chave: Política industrial; Política tecnológica; Inovação; Sistema nacional de inovação; inovação tecnológica; Gestão da inovação.
5.
Trabalho e reestruturação produtiva

Objetivo: Discussão da reestruturação produtiva e de seus "impactos" no trabalho e nas relações de trabalho..
Grande área: Engenharias
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Estratégia e Organizações.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia do Trabalho / Especialidade: Trabalho na Indústria Contemporânea.
Palavras-chave: reestruturação produtiva; inovação tecnológica; Organização; Estratégia de empresas; Sindicalismo.
6.
Política industrial, tecnológica e de comércio exterior (PITCE)

Objetivo: Elaboração de estudos de apoio à elaboração da PITCE..
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Estratégia e Organizações.
Grande Área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Administração / Subárea: Administração Pública / Especialidade: Política e Planejamento Governamentais.
Setores de atividade: Informacao e Gestao C&T; Mercado de Trabalho e Mão-De-Obra; Política Econômica e Administração Pública em Geral.
Palavras-chave: Política industrial; Política tecnológica; Desenvolvimento; Inovação; Estratégia de empresas.
7.
Inovações, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras

Objetivo: Análise da situação da inovação na indústria a partir de processamentos em micro-dados da Pesquisa Industrial Inovação Tecnológica (Pintec/IBGE), articuladamente com outras bases de dados (PIA/IBGE, Rasi/MTE, Com.Exterior/Secex-MDIC etc.). Elaboração de categorias de empresas conforme estratégia competitiva praticada, e processamento a partir dessas categorias: a) empresas que inovam e diferenciam produtos; b) empresas especializadas em produtos padronizados, com produtividade compatível com a categoria anterior; c) empresas que não diferenciam produtos e têm produtividade menor em relação às anteriores. Linha semelhante passou a ser desenvolvida na USP em 2007, em colaboração com o Ipea..
Grande área: Engenharias
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Estratégia e Organizações.
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Engenharia Econômica / Especialidade: Economia de Tecnologia.
Setores de atividade: Informacao e Gestao C&T; Mercado de Trabalho e Mão-De-Obra; Política Econômica e Administração Pública em Geral.
Palavras-chave: inovação tecnológica; Política industrial; Desenvolvimento; Política tecnológica; Inovação.
8.
Política industrial e tecnológica (PITCE)

Objetivo: Acompanhamento da PITCE - concepção, implantação e desenvolvimento.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Administração / Subárea: Administração Pública / Especialidade: Planejamento em Ciência e Tecnologia.
Setores de atividade: Política Econômica e Administração Pública em Geral; Informacao e Gestao C&T.
Palavras-chave: Política industrial; Política tecnológica; Inovação; Sistema nacional de inovação; Desenvolvimento.
9.
Inovação e organização na indústria brasileira

Objetivo: Acompanhamento das estratégias setoriais de inovação e desenvolvimento tecnológico na indústria e em setores selecionados de serviços (software) e sua relação com entidades setoriais empresariais e órgãos governamentais..
Grande área: Engenharias
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia do Desenvolvimento / Especialidade: Política Industrial.
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção / Especialidade: Organização do Trabalho.
Setores de atividade: Política Econômica e Administração Pública em Geral; Informacao e Gestao C&T; Qualidade e Produtividade.
Palavras-chave: Política industrial; Política tecnológica; Inovação; Estratégia de empresas; Sistema nacional de inovação.


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Sistematização da abordagem de lean P&D para inovação no setor de energia elétrica no Brasil
Descrição: O projeto, no âmbito do chamado P&D ANEEL, visa pesquisar as bases de estratégia e estrutura de atividades de P&D, visando simultaneamente agilidade e eficiência. Envolve a discussão do projeto e implantação de uma função inovação na empresa, empresa que trabalha basicamente com projetos de terceiros (inovação aberta). Valor do projeto: R$723.000,00.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (3) Doutorado: (2) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Integrante / Guilherme Ary Plonski - Integrante / Eduardo Zancul - Coordenador / Guilherme Amaral - Integrante.Financiador(es): Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista - Auxílio financeiro.
2017 - 2018
Indústria 2027 - Riscos e Oportunidades para o Brasil diante de Inovações Disruptivas: sistema produtivo complexo automotivo
Descrição: Financiamento da Confederação Nacional da Indústria, via Copettec (UFRJ). Valor: R$46.000,00 (30/5/2017 a 30/3/2018) Macro-projeto patrocinado pela MEI - Mobilização Empresarial para a Inovação, da Confederação Nacional da Indústria, desenvolvido através da Fundação Coppetec como interveniente do Instituto de Economia da UFRJ. Visa pesquisar e apontar as principais tendências nacionais e internacionais ligadas a tecnologias disruptivas (produtos, processos e serviços) para a indústria automobilística, os processo de difusão e os impactos potenciais sobre a competitividade. Envolve 1 pesquisador em pós doutorado e uma pesquisadora admitida no mestrado para 2018..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Guilherme Amaral - Integrante / Cristiane Matsumoto - Integrante.Financiador(es): Fundação Coordenação de Projetos, Pesquisas e Estudos Tecnológicos - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 3
2017 - 2017
Tendências tecnológicas e competências no setor de biotecnologia aplicada a fármacos no Brasil
Descrição: Valor financiado: R$22.800,00 (edital IPEA/PNPD Nº 027/2017) - 01/8/2017 a 31/12/2017 Projeto integrante do Subprograma de Pesquisa para o Desenvolvimento Nacional ? PNPD do Programa de Mobilização da Competência Nacional para Estudos sobre o Desenvolvimento - PROMOB. Estudo prospectivo para orientar estratégias de desenvolvimento de médio e longo prazo para o Brasil no setor de biotecnologia aplicada a fármacos no Brasil, que apresenta forte ligação com o sistema público de saúde e com o desenvolvimento de tecnologias de processos de base biotecnológica, cuja lógica emergente tem potencial de aplicação em diversos segmentos industriais (saneamento, química etc.). Os medicamentos elaborados a partir de rotas biotecnológicas vêm se desenvolvendo rapidamente, com potencial de atuação em diversas doenças, e vem ganhando grande participação de mercado, tornando-se questão simultaneamente tecnológica, social e econômica. Dessa forma, se enquadra nos objetivos estratégicos finalísticos do IPEA, como será desenvolvido abaixo. O desenvolvimento de metodologia para a identificação de tendências tecnológicas, competências estabelecidas e interfaces com o sistema nacional de inovação para a indução de inovações em setores considerados estratégicos para o desenvolvimento nacional deverá possibilitar ao Estado brasileiro em geral, e ao IPEA em particular, elaborar políticas para apoiar o processo de desenvolvimento, aprimorar as capacidades de decisão dos formuladores de políticas públicas, bem como gerar novos conhecimentos úteis para a formulação de métodos de avaliação de políticas de inovação no país. Objetivios específicos: -- Discutir as principais vertentes e as tendências de biotecnologia aplicada a fármacos -- Indicar atores importantes nos setores empresarial e de pesquisa -- Identificar possibilidades e desafios em políticas, serviços, regulação e financiamento para o desenvolvimento dos setores no Brasil -- Destacar potenciais de políticas para o desenvolvimento de segmentos dos setores e sua inserção na cadeia produtiva e no mercado..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Guilherme Amaral - Integrante / Cristiane Matsumoto - Integrante / Isabela Ferraz - Integrante.Financiador(es): Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - DF - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 1
2014 - 2015
Gestão da Incerteza em Inovação Radical
Descrição: Financiamengto FApesp. Bolsa + passagem. R$16.587,50. A bolsa de pesquisa no exterior (BPE) se insere em amplo programa de pesquisa sobre gestão da incerteza em projetos de inovação radical. Segue trajetória de pesquisa caracterizada projetos e publicações anteriores - projetos Fapesp, CNPq e Finep, publicações em revistas como Technovation, Int. J. of Production Economics, Production, Gestão&Produção e submissões a R&D Management, J. of Product Innovation Management, International Business Review, e em Congressos como EurOMA, POMS, IAMOT, Gerpisa, Enegep. Estudos anteriores sugerem uma especificidade brasileira em inovação radical, o desenvolvimento de processos radicalmente inovadores para produção de commodities, seja devido à origem vegetal (caso Braskem), seja devido a processos biotecnológicos para produção de etanol de 2a. e 3a. gerações (Braerg), seja para especialidades químicas (Oxiteno) ou petróleo (Petrobras e fornecedores). A isso se somam os desenvolvimentos de empresas nascentes de base tecnológica - ENBTs, seja em incubadoras (Cietec-USP, Inova Unicamp) ou fora delas (Recepta). Pleiteia-se auxílio para período curto (17/12/14 a 31/01/15), com as seguintes finalidades: a) aprofundamento conceitual e metodológico junto à equipe do RPI; b) discussão de possíveis projetos conjuntos, a partir da experiência do período; c) formatação de projeto de pesquisa, envolvendo equipe multi-institucional. Há três questões básicas a investigar no tema gestão da incerteza na empresa e no ecossistema, cada qual exigindo método específico: a) Conceituação e tipologia de incerteza em inovação; a análise e articulação de métodos e ferramentas para sua gestão. A unidade básica de análise é o projeto de inovação da firma em seu ecossistema. Buscar-se-á, nas empresas pesquisadas, levantar um ou mais projetos de inovação já desenvolvidos ou em fase de desenvolvimento, para apreensão das incertezas em que ele está envolto, conforme a tipologia de incertezas definida na revisão conceitual. Isso pode envolver não apenas a firma, mas também parceiros e instituições externas. Ou seja, o levantamento de campo terá como missão apreender como a empresa lida com incertezas internas e incertezas no ecossistema, inclusive aquelas geradas por terceiros. b) Emergência de uma função inovação em empresas de ponta. Método de análise organizacional: qual o mandato, a estrutura, recursos, tipo de pessoal, as metas, as entregas já feitas de uma área de "inovação" na empresa (para captar se é embrião de nova função ou não). c) Valoração de projetos de inovação envoltos em grande incerteza - aspectos metodológicos (opções reais e outros) e aspectos organizacionais (quais problemas uma valoração alternativa busca resolver: Melhorar a gestão do portfólio? Disputa por recursos? Justificar projetos e orçamento? Outros?). Estudos de caso em profundidade: Braerg, Braskem, Oxiteno e "A" (pede sigilo do nome). Projetos já escolhidos serão seguidos: definição de rotas, da rede de opções, atribuição de probabilidades a cada opção, valoração em si, além de verificar o porquê do interesse da empresa e quais as funções organizacionais envolvidas na decisão de aprovação de projetos. A escolha do RPI e de Gina O'Connor e sua equipe não é aleatória. A Profa. O'Connor lidera o Radical Innovation Research Program, que desde 1985 vem estudando projetos de inovação radical de forma longitudinal nas empresas, com inúmeras publicações de altíssima relevância. A equipe é hoje das de melhor desempenho científico no tema. O período junto ao RPI visa consolidar a relação, já iniciada com o período da Profa. O'Connor junto à Poli-PRO-LGI em agosto de 2014..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2014 - Atual
Gestão e Organização da Inovação mais Radical
Descrição: O presente projeto visa discutir os diversos aspectos da gestão da incerteza em atividades de inovação radical ou substantiva, envolvendo formas de organização da inovação radical, organização e gestão de portfólio de projetos de inovação radical e, mais especificamente para start ups (aqui tratadas como KIE - knowledge intensive entrepreneurship), aborda gestão da incerteza no ecossistema e heurísticas de decisão sob incerteza. O projeto interage com rede de pesquisadores no Brasil e no exterior. Garcia e Calantone (2002) consideram que inovações radicais, definidas como aquelas que oferecem atributos únicos no mundo ou melhorias significativas de desempenho (5 ou mais vezes) em custo ou outras variáveis, são extremamente raras, ao passo que há um conjunto de inovações realmente novas, que implicam em descontinuidades técnicas ou de mercado, mas que não se encaixariam na definição mais estrita de inovação radical. O'Connor (2008) nomeia estas últimas como major innovations, explicitando que ambos os tipos (radicais e substantivas) possuem características não encontradas nas inovações incrementais, quais sejam, altos níveis de incerteza em múltiplas dimensões, fazendo com que a empresa se movimente em territórios desconhecidos, onde atuais estoques de conhecimento e lealdade de consumidores não são vantagens competitivas tão exacerbadas quanto nas inovações incrementais. Assim, quando nos referirmos à inovação radical valemo-nos de uma concepção um pouco mais ampla, que aborda também majors innovations, que traduzimos por inovações mais radicais ou por inovações substantivas. Isso ocorre universalmente, sendo particularmente importante no caso brasileiro e no caso de muitos países em desenvolvimento que possuem indústria ligada a commodities ou a produtos com rupturas tecnológicas, mas sem grandes rupturas de mercado, ou sem ?criar? mercados antes completamente inexistentes As seguintes questões de pesquisa guiam o projeto: 1) Como grandes empresas estabelecidas procuram equacionar a busca por inovação radical? Quais os papéis organizacionais emergentes nessa busca? Caracterização da emergente função inovação, o que passa pela definição mais rigorosa de função organizacional - surpreendentemente, não há tal definição na literatura organizacional. Verificação da hipótese de função-rede, um arranjo organizacional não descrito na literatura, hipótese a ser trabalhada conjuntamente com o Grupo de Inovação Radical do RPI - Rensselaer Polytechnic Institute, EUA . 2) Análise da coerência e pertinência de sistemas associados à função inovação, particularmente, sistemas de RH e bonificação de gerentes, e valoração / gestão de portfólio de projetos de inovação substantiva. Quais os aspectos críticos (valoração, políticas de gestão de pessoas, outros)? 3) Com base na teoria organizacional, como superar problemas dados pelas formas correntes de organização de portfólios de projetos de inovação, que prejudicam projetos incrementais? 4) Como age o empreendedor em situações de incerteza? Como procura tirar proveito de incertezas coletivas num ecossistema? Quais são os tipos de heurísticas utilizadas pelos empreendedores para gerenciar incertezas no ecossistema? A metodologia básica é o estudo longitudinal de múltiplos casos. Acompanhamos empresas ao longo do tempo (mais de dez anos), adaptando metodologia do RPI. Em start ups, pesquisamos as decisões iniciais, relativas à criação de valor, para delas extrair heurísticas e criar teoria sobre gestão de incertezas na ação empreendedora..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (5) / Doutorado: (6) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Simone de Lara Teixeira Uchoa Freitas - Integrante / Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos - Integrante / Debora Oliveira da Silva - Integrante / Raoni Barros Bagno - Integrante / Rafael Augusto Seixas Reis de Paula - Integrante / Luis Bertazi - Integrante / Vinicius C Brasil - Integrante / FACIN, ANA LUCIA FIGUEIREDO - Integrante / Gina O'Connor - Integrante / Felipe Plana Maranzato - Integrante / Felipe Massami Maruyama - Integrante / Lois S Peters - Integrante / Pryscilla VAz - Integrante / Cristiane Matsumoto - Integrante / Camila Conegundes de Jesus - Integrante / Jaime Beer Frenkel - Integrante / Júlio César Fonseca de Melo - Integrante.
Número de produções C, T & A: 131 / Número de orientações: 14
2014 - Atual
Políticas de inovação e tecnologia: avaliação e formulação
Descrição: O projeto busca avaliar, por métodos qualitativos e quantitativos, o estado da inovação e do desenvolvimento tecnológico no País, com comparações internacionais. Implica na avaliação de políticas públicas de inovação e da avaliação de seu impacto no incentivo à maior inovação e agregação de valor na indústria e em segmentos econômicos pertinentes. A avaliação se dá tanto via análises quantitativas, principalmente através do processamento de microdados das grandes bases públicas (Pintec, PIA, PAS, PAC-IBGE; RAIS-MTE; mercado exterior ? MDIC), quanto por análises qualitativas. O objetivo final é auxiliar no diagnóstico dos entraves ao desenvolvimento produtivo via inovação e contribuir para a elaboração de políticas públicas..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Glauco Arbix - Integrante / Eduardo Zancul - Integrante / Guilherme Amaral - Integrante / Bruno Araújo - Integrante / Alice Frantz Schneider - Integrante / Felipe Massami Maruyama - Integrante / Gustavo Reis - Integrante / Rodrigo Antonio Pereira de Souza - Integrante.Financiador(es): Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 62 / Número de orientações: 4
2013 - 2013
Programa para inovação em cadeia produtiva selecionada - setor aeronáutico
Descrição: Financiamento: R$150.000,00. Elaborado sob demanda do CGEE (Centro de Gestão e Estudos Estratégicos), a pedido do MCTI, visa a elaboração de minuta de programa governamental (sistema MCTI) em pesquisa, desenvolvimento e inovação para aumentar a capacidade de inovação da cadeia produtiva aeronáutica..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Demétrio Toledo - Integrante / Eduardo Zancul - Integrante.Financiador(es): Centro de Gestão e Estudos Estratégicos - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 4
2012 - 2013
Plataformas DemonstradorasTecnológicas
Descrição: Elaboração de proposta de política pública para plataformas tecnológicas demonstradoras, tomando como caso o setor aeronáutico. Plataformas demonstradoras significam o desenvolvimento pré-competitivo que extrapola o P&D tradicional, indo até a prova / teste da tecnologia em situação real sempre que viável, ou em situação laboratorial / simulada. A partir dai, as empresas desenvolvem seus produtos. Exemplos de plataformas tecnológicas demonstradoras: tecnologias de motores menos poluentes, menos ruidos e com menor consumo; sistemas embarcados etc. O projeto envolve as seguintes fases: 1) Levantamento das experiências internacionais de plataformas, particularmente as europeias (Clean Sky), canadenses (Criaq e outras), norte-americanas (Darpa e outras), inglesa. 2) Análise comparativa e levantamento de alternativas de governança para um eventual programa de plataformas tecnológicas no Brasil. 3) Análise e proposições para uma eventual extensão do programa para outro setores..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Demétrio Toledo - Integrante / Eduardo Zancul - Integrante / Diogo Coutinho - Integrante / André Pion de Carvalho - Integrante / Pedro de Paula - Integrante.Financiador(es): Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 15 / Número de orientações: 1
2012 - 2012
Dinâmicas de Inovação nas Empresas Industriais Brasileiras

Projeto certificado pela empresa Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras em 06/11/2012.
Descrição: O projeto, financiado pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e realizado em associação com a Anpei - Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Roberto Marx - Integrante / Zil Miranda (Idenilza M. Miranda) - Integrante / Raoni Barros Bagno - Integrante.Financiador(es): Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1
2011 - 2015
Competitiveness Decoder: Sistema de Indicadores de Competitividade de Nações
Descrição: O projeto visa analisar os sistemas de indicadores existentes (WEF - Fórum Econômico Mundial; IMD; Conselho Presidencial de Competitividade Sul Coreano) e elaborar proposta de sistema de indicadores mais robusto, no estilo scorecard. Analisa os fatores que impactam na competitividade futura, e busca inserir aspectos como inovação, economia verde, economia criativa e outros tópicos que tendem a fazer a competitividade futura de uma nação. Deve trabalhar com dados oficiais, evitando surveys de opinião que distorcem os resultados, como ocorre com os indicadores supra-citados. Elaborado com apoio da ABDI, articuladamente como CoC - Conselho de Competitividade dos EUA (Coucil on Competitiveness) e com a FGCC - Federação Global dos Conselhos de Conmpetitividade..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Rogério Dias de Araújo - Integrante / Roberto dos Reis Alvarez - Integrante / Davi Nonoru Nakano - Integrante / Sergio Kannebley Jr - Integrante / Guilherme Amaral - Integrante / Mariana Ogawa - Integrante / Bruno Araújo - Integrante / Thiago Fernandes Dantas Vasconcellos - Integrante / Pedro Alexandre Martins - Integrante / Rubens Hiroaki Nakano - Integrante / Kevin Akio Nakakura Teodoro - Integrante.Financiador(es): Council on Competitiveness - Cooperação / Federação Global dos Conselhos de Competitividade - Cooperação / Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 25 / Número de orientações: 5
2011 - Atual
EngenhariaData: sistema (hub) de indicadores e análises sobre Engenharia - Projeto do Núcleo de Apoio à Pesquisa
Descrição: Um dos projetos ganhadores de edital da Pro-Reitoria de Pesquisa da USP, após avaliação externa/internacional. Construção de sistema de indicadores de engenharia que possibilitem análises comparativas internacionais, regionais, setoriais. Análise de compatibilidade com indicadores do National Science Board dos Estados Unidos. Incorporação de bases de dados do Inep (Censo do Ensino Superior), do MTE (RAIS ? Relação Anual de Informações Sociais), do IBGE (Pesquisa Anual de Serviços ? empresas de serviços de engenharia; séries e dados dos censos e da PNAD); Web of Science (publicações). Em convênio com Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), acesso a base de dados mais ampla, com possibilidade de processamento de microdados. Dentre os estudos, temos o da escassez de engenheiros no Brasil, a trajetória profissional dos engenheiros, salários, evasão nas escolas de engenharia (em si e comparativamente) e assemelhados. Site aberto disponibilizado ao público (www.oic.nap.us.bre  EngenhariaData ou www.engenhariadata.com.br), com séries e estudos. Financiamento: R$741.535, dos quais R$375.000,o da PRP-USP (o restante ABDI).
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (5) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Glauco Arbix - Integrante / Demétrio Toledo - Integrante / Laura Ibiapina Parente - Integrante / Leonardo Augusto de Vasconcelos Gomes - Integrante / Davi Nonoru Nakano - Integrante / Simone de Lara Teixeira Uchoa Freitas - Integrante / Zil Miranda (Idenilza M. Miranda) - Integrante / Debora Oliveira da Silva - Integrante / Sergio Kannebley Jr - Integrante / Diogo Coutinho - Integrante / José Carvalheiro - Integrante / Luiz Caseiro - Integrante / Guilherme Amaral - Integrante / Leonardo Melo Lins - Integrante / Bruno Araújo - Integrante / Diego Rafael Silva - Integrante / Mario Broering Galvão Pereira - Integrante.Financiador(es): Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - DF - Cooperação / USP-Núcleos de Apoio à Pesquisa, Pro-reitoria de Pequisa - Auxílio financeiro / Ministério do Trabalho e Emprego - Cooperação.
Número de produções C, T & A: 60 / Número de orientações: 3
2010 - 2016
Sondagem Trimestral de Inovação Tecnológica no Brasil, elaborada pelo Cedeplar-UFMG para a ABDI, em co-financiamento com o CNPq
Descrição: Num primeiro momento, participação na elaboração da metodologia (até 2011). Num segundo momento, participação no comitê assessor da ABDI para avaliação dos resultados..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2010 - 2011
Projeto IC Fapesp 2010/01989-8 Organização e gestão da cadeia de inovação no contexto das lógicas de inovação aberta e redes em empresa de base tecnológica
Descrição: Projeto de Iniciação Científica que se enquadra no projeto geral sobre modelos de organização e gestão da cadeia/rede de inovação da empresa. No caso específico, investigou como empresas nascentes de base tecnológica procuram construir e gerenciar redes..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Vahid Vahdat - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1
2010 - 2010
A influência da Petrobras no desenvolvimento das Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs), coordenada pelo Ipea e financiada pela Finep
Descrição: Projeto financiado pela FInep/Petrobras/CT-Petro, com interveniêcia do Ipea. Analisa contratpos da Petrobras com ICTs do Sudeste (estados do Rio de Janeiro e São Paulo - UFRJ, INT, USP, UFSCar, IPT), para detectar seu impacto. Valor total financiado: R$24.000,00.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Simone de Lara Teixeira Uchoa Freitas - Integrante.Financiador(es): Financiadora de Estudos Projetos Finep - Auxílio financeiro / Petrobras - Cooperação / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - DF - Cooperação.
Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1
2009 - 2013
Modelos para organização e gestão da cadeia de valor expandida da inovação na empresa
Descrição: O projeto discute e categoriza diversos processos de gestão da inovaçao, identificando contingências, processos decisórios e formas de organização. No âmbito do projeto Fapesp 2009/04045-3 (2009-2012) estudou 131 projetos de inovação em 74 empresas dos mais diversos portes e setores; tal número aumentou posteriormente com novos casos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (4) / Doutorado: (5) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Adriaana Marotti de Mello - Integrante / Leonardo Augusto de Vasconcelos Gomes - Integrante / Juliana Rossi Pereira Rocha - Integrante / Wander Demonel de Lima - Integrante / Simone Vasconcelos Ribeiro Galina - Integrante / Leo Teobaldo Kroth - Integrante / Simone de Lara Teixeira Uchoa Freitas - Integrante / Julia Taunay Perez - Integrante / Vanessa de Lima Ferreira - Integrante / Vahid Vahdat - Integrante / Debora Oliveira da Silva - Integrante / Felipe Sá Ribeiro - Integrante / Raoni Barros Bagno - Integrante.Financiador(es): (FAPESP) Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 56 / Número de orientações: 8
2009 - 2012
MODELOS PARA ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA CADEIA DE VALOR DA INOVAÇÃO DA EMPRESA
Descrição: O projeto aborda o tema dos modelos de organização e gestão da inovação na empresa, visando contribuir com o seu aperfeiçoamento. Pesquisando 131 processos de inovação em 74 empresas no Brasil e no exterior, concluimos pela existência de 8 tipos de processo de inovação, questionando o conhecimento existente de processo ´punico da ideia ao lançamento. A proposição incial assim versava: O projeto visa discutir e aperfeiçoar o conhecimento e os métodos existentes sobre a organização e a gestão da cadeia de valor da inovação, tratada de forma ampla, não restrita ao desenvolvimento de produtos (que é um dos elos da cadeia), nem restrita ao interior da empresa (dadas práticas tais como open innovation, co-design etc.). Procurar-se-á, ao final, propor um modelo, parametrizável, para a organização e gestão dessa cadeia. Parte-se da discussão das limitações conceituais e práticas dos modelos atuais (como funil de desenvolvimento e stage gates ) e do conceito de cadeia de valor da inovação proposto por Hansen e Birkinshaw (2007) para elaborar proposições que levem a um avanço no entendimento da questão. A partir de revisão bibliográfica e de estudos preliminares de campo, será proposto inicialmente um conjunto de variáveis (ou contingências) que, segundo estudos preliminares realizados, diferenciariam projetos entre si, como tempo de desenvolvimento, grau de formalização do conhecimento, se a inovação abre ou segue trajetória tecnológica e/ou trajetória de mercado, entre outras contingências. Tais variáveis servirão de base para a fase de campo, qual seja, estudos de caso em empresas para validação das variáveis e categorização de casos de projetos de inovação. Em cada projeto analisado, serão investigados as formas de organização, de tomada de decisão e os instrumentos de gestão (conforme os elos da cadeia de inovação), para que sejam verificadas suas relações com as variáveis de projeto determinadas anteriormente. Isso significa que a revisão bibliográfica deve abarcar também esses aspectos. O resultado final esperado é um modelo de gestão da cadeia expandida da inovação que seja parametrizável conforme as variáveis validadas em campo. Valor financiado (Fapesp): R$70.795,97..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) Doutorado: (7) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Ana Valéria Carneiro Dias - Integrante / Adriaana Marotti de Mello - Integrante / Wander Demonel de Lima - Integrante / Simone Vasconcelos Ribeiro Galina - Integrante / Leo Teobaldo Kroth - Integrante / Simone de Lara Teixeira Uchoa Freitas - Integrante / Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos - Integrante / Raoni Barros Bagno - Integrante / SILVA, DÉBORA OLIVEIRA DA - Integrante.Financiador(es): (FAPESP) Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 24 / Número de orientações: 4
2009 - 2010
A influência da Petrobras no desenvolvimento tecnológico: o caso das empresas de serviços de engenharia e das Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs)
Descrição: O projeto faz parte de programa nacional Ipea-Petrobras, com financiamento e apoio desta, para discutir o impacto da Petrobras na economia e no desenvolvimento brasileiro. Nesse espectro, o presente projeto analisa, num primeiro momento, o desempenho de empresas prestadoras de serviços de engenharia para a Petrobras e, num segundo momengto, ICTs do Sudeste (SP e RJ) com contratos com a Petrobras. Utiliza dois métodos: 1) análise quantitativa de dados secundários (RAIS/TEM, base de dados de fornecedores da Petrobras, fornecida por esta, e base de dados de doutores e grupos de pesquisa do CNPq), visando discutir as características das empresas de engenharia com e sem contrato com a Petrobras (de 1997 a 2007); 2) análise qualitativa, via entrevistas em profundidade no setor de engenharia da Petrobras, para levantar fatores qualificadores para seleção de fornecedores, e em empresas de engenharia prestadoras de serviços à Petrobras. Para uma dimensão geral da questão, a RAIS aponta 6.673 empresas prestadoras de serviços de engenharia no Brasil e 152.000 empregados em 2007, das quais 474 mantiveram contrato com a Petrobras entre 1997 e 2007. Valor financiado: R$ 41.000,00 (Ipea, repasse do CT-Petro).
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Simone de Lara Teixeira Uchoa Freitas - Integrante / Vanessa Missawa - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Financiadora de Estudos Projetos Finep - Auxílio financeiro / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - DF - Cooperação / Petróleo Brasileiro - Rio de Janeiro - Matriz - Cooperação.
Número de produções C, T & A: 2 / Número de orientações: 2
2008 - 2012
Gestão de Operações em Organizações Inovadoras (Pro-Engenharias Capes 01/2007)
Descrição: Projeto no âmbito do edital 01/2007, Pro-Engenharias, da Capes. Coordenador do nó USP. O objetivo deste projeto é estabelecer e consolidar uma rede de Programas de Pós-Graduação cujos membros desenvolvem historicamente pesquisas e projetos nas áreas da gestão de operações e da gestão da inovação. De tal forma que os trabalhos em curso e os resultados a serem gerados possam ser coordenados e difundidas entre estes, com o sentido de desenvolver e posteriormente divulgar um corpo de conhecimento centrado não na questão de ?porque inovar?, mas sim na de ?como inovar?. Trata-se, portanto, de um projeto para o desenvolvimento de um ?Modelo de Gestão de Operações em Organizações Inovadoras?, onde o objeto é a forma pela qual uma organização deve ser gerida, de forma que a geração de inovações esteja incorporada às suas práticas cotidianas, tanto em termos de produtos como de processos e soluções de gestão. A rede envolverá tanto Programas de Pós-Graduação consagrados, como os da Coppe/UFRJ, da Poli/USP e da UFPE; como aqueles que estão em plena ascenção, como os da UNISINOS e do INPI; e um que está nascendo, ainda em estágio de apresentação à Capes, na Escola Politécnica da UFRJ. Valor total financiado: R$479.958,00 em 4 anos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Roberto Marx - Integrante / Adriano Proença - Integrante.Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 2
2008 - 2010
Estudos da produção, tecnologia e inovação - métricas de inovação : Finep/Ipea/Finatec/Fusp
Descrição: Projeto desenvolvido em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada, para reaização de 19 estudos, cada qual com um bolsista do projeto, sobre padrões produtivos e inovações no Brasil, fazendo uso, principalmente, de microdados provenientes do banco de dados viabilizado pelo Ipea, em cooperação com o IBGE e outros órgãos produtores de dados, e se articula ao redor das seguintes bases primárias: Pesquisa Industrial sobre Inovação Tecnológica (Pintec) e Pesquisa Industrial Anual (PIA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ? IBGE; Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e Emprego ? MTE; Dados sobre Comércio Exterior da Secretaria de Comércio Exterior ? Secex do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ? MDIC; Censo do Capital Estrangeiro do Banco Central (CEB/Bacen); Registro de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE/Bacen) e Base de Dados de Compras Governamentais do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (ComprasNet/MPOG). Estes dados cobrem quase a totalidade do universo das empresas industriais do país, envolvendo mais de 95% do valor agregado na indústria. Há ainda a possibilidade de inclusão dos microdados da Pesquisa Anual de Serviços (PAS) do IBGE. O projeto está em seu início; os pós-graduandos interessados já enviaram suas propostas. Espera-se que até meados do segundo semestre de 2008 as propostas estejam selecionadas e os recursos disponíveis. Valor financiado pela Finep: R$ 598.000,00.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (9) Doutorado: (10) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / João Alberto De Negri - Integrante / Lenita Maria Turchi - Integrante / José Mauro de Morais - Integrante.Financiador(es): Financiadora de Estudos e Projetos - Auxílio financeiro / Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - Cooperação / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - DF - Cooperação.
Número de produções C, T & A: 3
2007 - 2008
Uma agenda de competitividade para a indústria paulista - setor de autopeças. Projeto financiado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo. Valor de R$ 38.000,00
Descrição: Levantamento dos gargalos de P&D e de recursos humanos do segmento de autopeças. Pesquisa baseada em questionário enviado em convênio com o Sindipeças, entrevistas diretas em empresas, discussões com direção do Sindipeças, do Sindicato das Estamparias, Fiesp, IPT e Subsecretário de C&T do Estado de São Paulo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Idenilza Moreira Miranda - Integrante / Fernando Kamizaki - Integrante / Geovani Maluta - Integrante.Financiador(es): Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 3 / Número de orientações: 2
2007 - 2007
MOBIT ? Metodologia para Conceber e Executar Plano de Mobilização Brasileira pela Inovação Tecnológica.
Descrição: Levantamento, baseado em pesquisa bibliográfica e pesquisa de campo, sobre políticas e instrumentos para apoio ao desenvolvimento da inovação nas empresas. Estudo de caso de 7 países ? Canadá, Estados Unidos. Finlândia, França, Irlanda, Japão, Reino Unido. Responsável pelos estudos de França (com foco nos ?Pôles de Competitivité) e Japão (com foco no programa Innovation 2025 e na criação do Ministério da Inovação)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Integrante / Glauco Arbix - Coordenador / Idenilza Moreira Miranda - Integrante / Demétrio Toledo - Integrante / Laura Ibiapina Parente - Integrante.Financiador(es): Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 20
2006 - 2007
Observatório da inovação na indústria
Descrição: Desenvolvimento de Observatório da Inovação na Indústria, baseado em dois pilares: a) articulação de conjunto já existente de observatórios setoriais, tecnológicos ou regionais (como o observatório de nanotecnologia do Instituto de Física da Unicamp) ou o projeto "diretório da pesquisa privada" articulado entre a Finep e a Escola Politécnica da USP; b) articulação de avaliação geral da situação da inovação tecnológica na indústria, em convênio com Ipea, via processamento das principais bases de dados nacionais, com base na Pintec (Pesquisa Industrial Inovação Tecnológica do Ibge). Ainda, articulação com o Conselho de Competitividade dos Estados Unidos para o desenvolvimento de metodologia comum de um índice de competitividade alternativo aos existentes. Os parceiros iniciais são o Ipea, o CGEE (Centro de Gestão e Estudos Estratégicos) e a USP (Escola Politécnica e Instituto de Estudos Avançados)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Glauco Arbix - Integrante / João Alberto De Negri - Integrante / Rogério Dias de Araújo - Integrante / Evando Mirra - Integrante.Financiador(es): Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro / Centro de Gestão e Estudos Estratégicos - Auxílio financeiro / Financiadora de Estudos e Projetos - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Instituto de Estudos Avançados - Cooperação / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - DF - Cooperação.
2004 - 2005
Inovação, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras
Descrição: A pesquisa cnstruiu um diagnóstico mais abrangente do ambiente empresarial, permitindo maior focalização das ações de governo, particularmente no que diz respeito à Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. O projeto apresenta dois pontos inovadores: a) as empresas são classificadas segundo a estratégia competitiva que realizam, e não segundo tamanho ou setor (tipologias tradicionais); b) o levantamento se dá a partir de metodologia que permite interligar a Pesquisa Industrial sobre inovação Tecnológica (PINTEC-IBGE), a Pesquisa Industrial Anual (PIA-IBGE), Base de Dados de Comércio Exterior (SECEX-MDIC), RAIS-MTE, Cendo do Capital Estrangeiro e Registro de Capitais Brasileiros no Exterior (BC), Base de Dados de Compras Governamentais (MPOG). A base abrange 72.000 firmas e equivale a 95% do valor adicionado na indústria. A tipologia empregada é: A) firmas que inovam e diferenciam produtos; B)firmas especializadas em produtos padronizados; C) firmas que não diferenciam produtos e têm produtividade menor. Os temas abordados são: caracterização das empresas conforme suas estratégias, comércio internacional, pesquisa e desenvolvimento, salários e condições de trabalho, análise setorial, cooperação, crescimento da firma, estratégia da empresas que não diferenciam produtos, compras governamentais, comparações internacionais. O resultadio do projeto foi publicado no livro "inovações, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras", Brasília, Ipea, 2005..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Glauco Arbix - Integrante / Júnia Cristina P R da Conceição - Integrante / José Eduardo Cassiolato - Integrante / João Alberto De Negri - Integrante / Sueli Moro - Integrante / Luis Dias Bahia - Integrante / Fernanda De Negri - Integrante / Rogério Dias de Araújo - Integrante / Ricardo Pereira Soares - Integrante / Mansueto Almeida - Integrante / Priscila Koeller - Integrante / Adriano Ricardo Baessa - Integrante / Eduardo B Viotti - Integrante / Fernando Freitas - Integrante / Gustavo Codas - Integrante / Alan Silva - Integrante / Patrick Alves - Integrante / Jorge Saba Arbache - Integrante / Victor Prochnik - Integrante / David Kupfer - Integrante / Frederico Rocha - Integrante / Mautro Borges Lemos - Integrante / Edson Paulo Domingues - Integrante / Ricardo Machado Ruiz - Integrante / Jorge Nogueira de Paiva Britto - Integrante / Marco Antônio Varga - Integrante.Financiador(es): Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento - Auxílio financeiro / Ministério do Trabalho e Emprego - Cooperação / Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento Indústria - Cooperação / Banco Central - Cooperação / Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão - Cooperação / Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - Cooperação.
Número de produções C, T & A: 10
1996 - 2012
Organização e inovação na indústra automobilística
Descrição: Discute as transformações na indústria automobilística, envolvendo fornecedores, produção, projeto de produto, locação de centros de P&D e andamento geral da indústria. Projeto permanente, ligado à rede internacional de pesquisa Gerpisa sobre a indústria automobilística e seus trabalhadores, dao qual Mario Sergio Salerno faz parte do comitê científico.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (4) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Roberto Marx - Integrante / Mauro Zilbovicius - Integrante / Ana Valéria Carneiro Dias - Integrante.Financiador(es): Groupe d`Etudes et de Rech Perm.sur l'Industrie et les Salaries de l`Automo - Cooperação.
Número de produções C, T & A: 101 / Número de orientações: 15
1996 - 2002
Projeto e análise organizacional: flexibilidade, inovação e autonomia no trabalho
Descrição: Estudo analítico e metodológico (desenvolvimento de regras de projeto e processos de intervenção) sobre mudanças organizacionais para fazer frente a altas necessidades de integração e flexibilidade dos sistemas produtivos. Parte do projeto envolve desenvolvimento de métodos e regras de projeto de estruturas organizacionais, incluindo trabalho em grupo, como aquele financiado com bolsa de produtividade em pesquisa (PQ) do CNPq entre 08/1997 e 07/1999, "modelos de organização e gestão na empresa industrial contemporânea: critérios de projetp de sistemas organizacionais'. Parte menor envolveu-se com projeto organizacional em organizações públicas, como aquele financiado com bolsa de produtividade em pesquisa (PQ) do CNPq entre 08/2002 e 05/2003, "reorganização do serviço público, gestão e desenvolvimento em metrópoles: o caso de São Paulo", cuja bolsa foi interrompida a pedido, pois havia sssumido a diretoria do Ipea..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Roberto Marx - Integrante / Ana Valéria Carneiro Dias - Integrante / Fernanda Carbonari - Integrante / Maria Letícia Sousa Correia Lima - Integrante / Mônica de Fátima Bianco - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Ecole des Ponts ParisTech - Cooperação / Kibon S.A Indústrias Alimentícias - Auxílio financeiro / Mercedes-Benz do Brasil S/A - Cooperação / Petróleo Brasileiro - Rio de Janeiro - Matriz - Cooperação / Politecnico di Milano - Cooperação / Rhodia S/A - Cooperação / Unilever - Auxílio financeiro / Centre National de la Recherche Scientifique - Cooperação.Número de orientações: 25


Projetos de extensão


2011 - Atual
PEIEX - Projeto de Extensão Industrial Exportadora
Descrição: Coordenador inicialmente do Núcleo Grande ABC do PEIEX, posteriormente expandido para as macrorregiões de São Paulo (2012), Campinas e Ribeirão Preto (2013), Vale do Paraíba (2015) e São José do Rio Preto (2015). Projeto articulado pela Poli-USP em convênio com a Apex - Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, com intermediação da Fundação Vanzolini. A partir de roteiro padrão,o projeto analisa in loco as empresas participantes e lhes entrega diagnóstico de sua situação de organização e gestão. Metas atingidas: atendimento de 192 empresas (2011-2013); em 2014, atendimento de mais 630 (2014), perfazendo 1.342 empresas atendidas até fevereiro de 2016. Novo convênio assinado em março de 2016 prevê atendimento de mais 1.400 empresas até 21 de setembro de 2018 (total de empresas atendidas: 2742), prorrogado por 6 meses . Valor financiado até 2018: R$14.259.999,06..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Simone Vasconcelos Ribeiro Galina - Integrante / Simone de Lara Teixeira Uchoa Freitas - Integrante / Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos - Integrante / Fernando Tobal Berssaneti - Integrante / Felipe Bussinger Lopes - Integrante / Luiz BERTAZI - Integrante / Vinicius C Brasil - Integrante / Gustavo Reis - Integrante / Sergio Magalhães - Integrante.Financiador(es): Agência de Promoção de Exportações do Brasil - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 14 / Número de orientações: 1
2006 - 2007
Programa de atração de centros de P, D&E de empresas multinacionais
Descrição: Projeto, em desenvolvimento com a Anpei, para atração de centros de pesquisa, desenvolvimento e engenharia (P,D&E) e de sedes de negócios de empresas estrangeiras. Prevê atividades junto às subsidiárias de empresas estrangeiras no Brasil, mapeamento de brasileiros em cargos-chave no exterior, criação de material para uso das subsidiárias locais nas disputas internas nos grupos, propagando no exterior..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Rogério Dias de Araújo - Integrante / Jorge Boeira - Integrante / Roberto dos Reis Alvarez - Integrante / Ronald Dausha - Integrante.Financiador(es): Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos - Auxílio financeiro / Associação Nacional de Pesquisa, Desenvolvimento das Empresas Inovadoras - Auxílio financeiro / Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 1
2006 - 2006
Plano de desenvolvimento setorial - software
Descrição: Plano em desenvolvimento com junto com a Softex, visando preparar segmentos da indústria de software para disputar nichos no mercado internacional. Particular atenção é dada às empresas de jogos, normalmente muito pequenas e desestruturadas - a ação aqui será de ajudar na elaboração de suas propostas de valor..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Rogério Dias de Araújo - Integrante.Financiador(es): Sociedade para Promoção da Excelência do Software Brasileiro - Auxílio financeiro / Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro.
2006 - 2006
Plano de desenvolvimento setorial - têxtil e confecções
Descrição: Elaboração, coordenação e execução de plano de desenvolvimento setorial - cosméticos, articulando agentes públicos e privados, em conjunto com a ABIT - Associação Brasileira da Indústria Têxtil). O projeto prevê: 1.Auto-Regulamentação, normalização e certificação de roupas profissionais 2.Encontro de Negócios (Projeto comprador) (*) 3.Desenvolvimento tecnológico e disseminação da cultura inovativa no Pólo Têxtil e de Confecções de Americana, Santa Bárbara D'Oeste, Nova Odessa, Sumaré e Hortolândia (*) 4.Reposicionamento mercadológico de produto e integração da cadeia de suprimentos - Malharia Retilínea (*) ________ (*) Em articulação..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Erasmo José Gomes - Integrante / Roberto dos Reis Alvarez - Integrante.Financiador(es): Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - Cooperação / Financiadora de Estudos e Projetos - Cooperação / Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior - Cooperação / Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Cooperação / Associação Nacional da Indústria Têxtil - Auxílio financeiro / Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro / Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa - Auxílio financeiro / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - DF - Cooperação.
2006 - 2006
Programa brasileiro de bioetanol
Descrição: Desenvolvimento de Plano Brasileiro de Bioetanol. A visão da ação para horizonte 10 anos e 20 anos é: - Ser líder de tecnologia de álcool. - Ser líder na extração de hidrogênio do álcool. - Ser o principal, mas não exclusivo, provedor de álcool carburante, a gasolina do futuro. -Ser o principal, e em certos casos o único, provedor de soluções tecnológicas relacionadas à produção de álcool como substitutivo da gasolina. -Ter forte presença, senão liderança, na distribuição internacional de álcool..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Integrante / Evando Mirra - Coordenador.Financiador(es): Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro.
2006 - 2006
Plano de desenvolvimento setorial - plástico
Descrição: Plano para o desenvolvimento da cadeia do plástico, com ênfase na transformação terciária, em articulação com o Instituto Nacional do Plástico, Abiplast e GT Petroquímico - Plástico da Agência de Desenvolvimento do ABC..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Luis Paulo Bresciani - Integrante / Junia Casadei Motta - Integrante / Roberto dos Reis Alvarez - Integrante.Financiador(es): Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro / Agência de Desenvolvimento do Abc - Auxílio financeiro / Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos - Cooperação / Prefeitura do Município de Santo André - Auxílio financeiro / Instituto Nacional do Plástico - Auxílio financeiro.
2006 - 2006
Plano de desenvolvimento setorial - automaçao industrial
Descrição: Plano de desenvolvimento do setor de automação industrial, envolvendo empresas nacionais articuladas no Fórum dos Empreesários Exportadores de Tecnologia da Abinee - Associação Brasileira da Indústria Eletro-eletrônica. Prevê a articulação de uma trading para maior participação no mercado internacional..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Eduardo Jorge - Integrante / Roberto dos Reis Alvarez - Integrante.Financiador(es): Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro / Forum dos Empresários Exportadores de Tecnologia da Abinee - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 2
2005 - 2006
Plano de desenvolvimento setorial - cosméticos
Descrição: Elaboração, coordenação e execução de plano de desenvolvimento setorial - cosméticos, articulando agentes públicos e privados, em conjunto com a associação empresarial (ABIHPEC - Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessal, Perfumaria e Cosméticos) e o Sebrae. O projeto articula as seguintes ações: 1.Regularização sanitária - BPF 2.Capacitação e inovação 3.Inovação e recursos humanos 4.Diagnóstico e planejamento estratégico local 5.Eventos: Congresso internacional, Rodada de negócios, Rodada tecnológica 6.Capacitação técnica: Boas práticas de fabricação (BPF), Boas práticas de laboratório (BPL), Controle de qualidade e estabilidade 7.Gestão do conhecimento: Manuais, Caderno de tendências, Estudo de inteligência competitiva 8.Produção mais limpa 9.Gerenciamento pós-consumo.
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Junia Casadei Motta - Integrante / Roberto dos Reis Alvarez - Integrante.Financiador(es): Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal Perfumaria e Cosmétic - Auxílio financeiro / Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - Cooperação / Financiadora de Estudos e Projetos - Cooperação / Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior - Cooperação / Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia - Cooperação / Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa - Auxílio financeiro / Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro / Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Cooperação / Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Cooperação.
2005 - 2006
Plano de desenvolvimento setorial- - empresas de base biotecnológica
Descrição: Plano para o desenvolvimento da indústria brasileira de base biotecnológica..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Roberto dos Reis Alvarez - Integrante / Cleila Pimenta - Integrante.Financiador(es): Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro / Associação Brasileira da Empresas de Biotecnologia - Auxílio financeiro.


Projetos de desenvolvimento


2013 - 2016
NAGI - Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação - Rede Poli/USP e parceiros
Descrição: Financiamento Finep R$1.693.230,00 + contrapartida das empresas atendidas. Projeto definido em edital Finep 11/2010 (Pro-Inova).Foram realizados cursos de gestão da inovação para empresas (por tipo de empresa - start ups, estabelecidas, e cursos sob medida para empresas em busca de inovação radical sistemática). Ainda, diagnóstico e proposições de melhoria no processo de gestão da inovação das empresas atendidas. No âmbito do projeto houve o desenvolvimento de: a) 64 videoaulas (curso aberto, gratuito) via web (www.pro.poli.usp.br/nagi); b) cursos curtos específicos pra atender às necessidades de empresas selecionadas, segmentadas por maturidade de seu sistema de gestão da inovação c) Atendimento - diagnóstico, plano de inovação e acompanhamento de 83 empresa (a meta do contrato era realizar o diagnóstico em 80 empresas). Convênio Finep-USP com intermediação da Fundação Carlos Alberto Vanzolini publicado no DOU dia 27/02/2013, seção 3, página 12 (www.in.gov.br)..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (6) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Roberto Marx - Integrante / Adriano Proença - Integrante / José Antônio Valle Antunes Jr - Integrante / Demétrio Toledo - Integrante / Leonardo Augusto de Vasconcelos Gomes - Integrante / Davi Nonoru Nakano - Integrante / Simone de Lara Teixeira Uchoa Freitas - Integrante / Andre Leme Fleury - Integrante / Eduardo Zancul - Integrante / Debora Oliveira da Silva - Integrante / Fernando Tobal Berssaneti - Integrante / Felipe Bussinger Lopes - Integrante / Raoni Barros Bagno - Integrante / Luis Bertazi - Integrante / Vinicius C Brasil - Integrante / Antônio Carlos Tonini - Integrante / André Ribeiro de Oliveira - Integrante / Bruno Masiero - Integrante.Financiador(es): (FINEP) Financiadora de Estudos e Projetos - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 32 / Número de orientações: 5
2012 - Atual
InovaLab@POLI: Inovar práticas pedagógicas em Educação em Engenharia
Descrição: O projeto propõe a criação, instalação e operacionalização do InovaLab@POLI, infraestrutura laboratorial destinada a: oferecer aos alunos de graduação acesso generalizado aos mais modernos meios tecnológicos de concepção, projeto, visualização, simulação, prototipação (digital e física), fabricação e testes voltados à invenção; oferecer para docentes de diferentes departamentos e disciplinas espaços de convergência para pesquisa e inovação em Educação em Engenharia, possibilitando experimentação, investigação, reflexão, discussão e aprimoramento em práticas pedagógicas em Engenharia. O InovaLab@POLI visa criar espaços e atividades que propiciem integração efetiva da teoria com a prática e que contribuam para desenvolver nos alunos curiosidade, criatividade, espírito investigativo, destreza intelectual, capacidade de colaborar em equipes e visão multidisciplinar. Além disso, visa oferecer espaços livres em que o estudante tenha que identificar e caracterizar problemas do mundo real e desenvolver completamente, em profundidade, soluções de engenharia..
Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Técnico de nível médio: (1) Graduação: (5) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Integrante / Fausto Leopoldo Mascia - Integrante / Uiara Brandineli Monteiro - Integrante / Davi Nonoru Nakano - Integrante / Marly Monteiro de Carvalho - Integrante / Andre Leme Fleury - Integrante / Eduardo Zancul - Coordenador / Roseli de Deus Lopes - Integrante.Financiador(es): Universidade de São Paulo - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 3
2006 - 2006
Plano de desenvolvimento setorial - frutas processadas
Descrição: Plano para o desenvolvimento do setor de frutas processadas, desenvolvido em conjunto com o Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf). Visa promover o desenvolvimento e a consolidação da agroindustrialização de frutas no segmento de produção de sucos e polpas, nos principais pólos frutícolas do Brasil, mediante o ordenamento das atividades inerentes ao processo, de forma integrada e participativa. Apesar de ser o terceiro maior produtor de frutas do mundo, com 39 milhões de toneladas em 2005, superado apenas por China e Índia, o Brasil apresentou déficit em sua balança comercial de sucos e polpas concentradas em mais de US$ 160 mil em 2005. O mercado mundial de sucos apresentou crescimento médio de 14% a.a. nos últimos cinco anos; o mercado brasileiro de bebidas não alcoólicas supera 1 bi litros. Os objetivos gerais esperados são:a)Contribuir para o desenvolvimento regional dos diversos pólos frutícolas do país; b)Reforçar o elo com a indústria de alimentação (sucos, laticínios, sorvetes, etc.), mediante o fornecimento de polpas industriais em quantidade e qualidade adequadas para esse segmento; c)Reduzir o déficit comercial do segmento; d)Desenvolver a indústria de polpas e sucos de frutas tipicamente brasileiras; e)Ampliar a inserção internacional de produtos brasileiros. Para tanto, estão sendo desenvolvidas as seguintes ações (horizonte: 3 anos): 1.Elaboração de plano estratégico para a cadeia agroindustrial de frutas 2.Elaboração de portal de informações do setor 3.Termo de referência para educação e formação profissional 4.Articulação de sistema de organização agroindustrial baseado em empresa-âncora 5.Idem, baseado em condomínio agroindustrial 6.Ibidem, baseado em inclusão social de pequenos produtores 7.Reconversão industrial de empresas no nordeste e metade sul do RS 8.Recuperação de empresas 9.Clínica técnica, visando capacitar empresas para atuarem no mercado 10. Serviços de transformação primária 11. Segurança e qualidade de polpa de frutas.
Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Jorge Boeira - Integrante.Financiador(es): Instututo Brasileiro de Frutas - Cooperação / Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - Auxílio financeiro.
2003 - 2005
Política industrial, tecnológica e de comércio exterior
Descrição: Desenvolvimento de estudos, diretrizes e programas para subsídio à política industrial, tecnológica e de comércio exterior do país..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Glauco Arbix - Integrante / João Alberto De Negri - Integrante / Antônio Barros de Castro - Integrante / Luis Dias Bahia - Integrante / Fabio Stefano Erber - Integrante.Financiador(es): Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - DF - Auxílio financeiro / Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - Cooperação / Financiadora de Estudos e Projetos - Cooperação / Banco Interamericano de Desenvolvimento - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 42
2002 - 2003
Reorganização do serviço público, gestão e desenvolvimento em metrópoles: o caso de São Paulo
Descrição: Contemplado com bolsa de produtividade em pesquisa (PQ) do CNPq entre 2002 e 2004, o projeto foi desenvolvido em convênio com a Prefeitura do Município de São Paulo, através da Secretaria Municipal de Administração e da Secretaria Municipal de Subprefeituras. Envolve doutoranda bolsista (CNPq) e bolsista de iniciação científica (PIBIC-CNPq/USP). Trata-se de projeto ao mesmo tempo de aprofundamento conceitual e metodológico, com aplicações práticas para a melhoria dos serviços públicos. Mais especificamente, discute conceitual e metodologicamente a criação e o projeto de subprefeituras. Envolve, portanto,questões de serviço, relação de serviço, atendimento ao público e formas de avaliação do resultado dos serviços. O quadro conceitual está baseado nos trabalhos de Philippe Zarifian (in: SALERNO, Mario S., org. Relação de serviço: produção e avaliação. São Paulo, editora SENAC-SP, 2001), Isaac Joseph e Gilles Jeannot, Métiers du public: les compétences de l'agent et l'espace de l'usager. Paris, CNRS Editions, 1995), Anni Borzeix, Relation de service et sociologie du travail ? l'usager: une figure qui nous derange?, In: Cahiers du Genre, IRESCO-CNRS / L'Harmattan, n. 28, 20000 (número especial: la relation de service: regards croisés, coordenado por Dominique Fougeyrollas-Schwebel). A idéia básica é, a partir das especificidades e dos fins dos serviços públicos (universalidade, acessibilidade, promoção dos direitos de cidadania, promoção da igualdade de oportunidades e até da distribuição de renda), dentro dos parâmetros de eficiência da prestação, transparência e controle público ? pelo cidadão - da gestão, pesquisar as estruturas organizacionais da administração direta e os processos de atendimento ao cidadão..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Mario Sergio Salerno - Coordenador / Fernanda Carbonari - Integrante / Maria Letícia Sousa Correia Lima - Integrante / José Evaldo Gonçalo - Integrante.Financiador(es): Prefeitura do Município de São Paulo - Cooperação / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 5


Membro de corpo editorial


2012 - 2014
Periódico: Produção (São Paulo. Impresso)
2009 - 2012
Periódico: Gestão e Produção (UFSCar)
2009 - Atual
Periódico: Editora Fabrefactum
2009 - Atual
Periódico: Coleção Inova Signa - Editora Papagaio
2001 - Atual
Periódico: International Journal of Automotive Technology and Management
1999 - Atual
Periódico: Editora Senac São Paulo
1995 - Atual
Periódico: Actes du GERPISA


Membro de comitê de assessoramento


2017 - Atual
Agência de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
2017 - 2017
Agência de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
2013 - 2013
Agência de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior


Revisor de periódico


1994 - Atual
Periódico: Gestão e Produção (UFSCar)
2002 - Atual
Periódico: Produção (São Paulo)
1997 - Atual
Periódico: RAUSP. Revista de Administração (0080-2107)
2001 - Atual
Periódico: International Journal of Automotive Technology and Management
2005 - 2006
Periódico: Regional Studies
1999 - 1999
Periódico: Revista Latinoamericana de Estudios del Trabajo
1996 - 1996
Periódico: Sociologia del Trabajo
1991 - 1994
Periódico: RAE. Revista de Administração de Empresas
2008 - Atual
Periódico: Revista Brasileira de Inovação
2008 - Atual
Periódico: Scielo - base de periódicos on line
2009 - Atual
Periódico: Brazilian Journal of Operations and Production Management
2011 - 2011
Periódico: Journal of Manufacturing Technology Management
2011 - 2011
Periódico: Journal of Product Innovation Management
2011 - Atual
Periódico: Análise Econômica (UFRGS)
2012 - Atual
Periódico: Novos Estudos CEBRAP (Impresso)
2013 - 2013
Periódico: International Journal of Human Resources Management
2011 - 2012
Periódico: Journal of Manufacturing Technology Management
2015 - 2015
Periódico: Revista de Economia Política (Impresso)
2015 - Atual
Periódico: Planejamento e Politicas Publicas
2015 - Atual
Periódico: California Management Review


Revisor de projeto de fomento


2015 - Atual
Agência de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
2012 - Atual
Agência de fomento: (CNPq) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
2011 - Atual
Agência de fomento: (FINEP) Financiadora de Estudos e Projetos
1998 - Atual
Agência de fomento: (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo
1992 - Atual
Agência de fomento: (FAPESP) Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo


Áreas de atuação


1.
Grande área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção.
2.
Grande área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção/Especialidade: Gestão da inovação.
3.
Grande área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção/Especialidade: Estratégia e Organizações.
4.
Grande área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Gerência de Produção/Especialidade: Projeto Organizacional e Organização do Trabalho.
5.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia do Desenvolvimento/Especialidade: Política Industrial.
6.
Grande área: Engenharias / Área: Engenharia de Produção / Subárea: Engenharia do Produto/Especialidade: Gerência do Projeto e do Produto.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Italiano
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Francês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2018
Congratulations - the paper Models for Innovation Management with Graphical Representation is amongst the 20 most downloaded paper between July 2016 and June 2018, R & D Management (Journal).
2018
Menção - Top downloded articles in recent publication history, R & D Management (Journal).
2015
Melhor artigo em gestão do conhecimento organizacional do XXII Simpep, em co-autoria com Luis Bertazzi -, XXII Simpep - Simpósio de Engenharia de Produção, Unesp.
2014
Homenagem pela relevante participação na construção da ABDI e em favor da política industrial brasileira, ABDI - Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial.
2013
Certificado de reconhecimento por relevantes serviços prestados à Escola Politécnica e à Comunidade Científica e Tecnológica, Escola Politécnica da USP.
2012
Honra ao mérito concedido ao orientado Lucas Ferreira Campos pelo trabalho de formatura, Escola Politécnica da USO, Departamento de Engenharia de Produção.
2010
Placa de agradecimento, PPGADM-UFES Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade Federal do Espírito Santos.
2010
Menção honrosa por artigo no Simpoi 2010 - Parcerias Estratégicas na Indústria Aeronáutica Brasileira, Fundação Getúlio Vargas - Escola de Administração de Empresas, Dpto de Adm.da Produção e Operações.
2008
Homenagem - comemoração do cinquentenário do Depto. Engenharia de Produção, Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP.
2006
Professor Titular, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Departamento de Engenharia de Produção.
2003
Moção de congratulações, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Departamento de Engenharia de Produção.
1998
Livre-docente, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Departamento de Engenharia de Produção.
1998
Citation of Excellence (relativo à artigo publicado na revista Integrated Manufacturing Systems, vol 8, No 5: The modular consortium in a new VW truck plant in Brazil), ANBAR Electronic Intelligence., ANBAR Electronic Intelligence.
1998
Prêmo de melhor trabalho de fornatura conferido ao orientado Rodrigo Moretti Branchini pelo trabalho de formatura intitulado ?estudo da estratégia adotada pelas empresas de, Departamento de Engenharia de Produção da Poli-USP.
1998
Professor homenageado pelos formandos em Engenharia de Produção de 1998, .
1995
Honra ao mérito conferido à orientada Ana Valéria Carneiro Dias por seu trabalho de formatura, Departamento de Engenharia de Produção da Poli-USP.
1993
Medalha do Centenário da Criação da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Escola Politécnica da USP.
1992
Prêmio de melhor trabalho de formatura conferido ao orientado Christian Peter Stockl, Departamento de Engenharia de Produção da Poli-USP.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

Web of Science
Total de trabalhos:124
Total de citações:37
Fator H:3
Salerno, Mario Sergio S  Data: 24/01/2018

SciELO
Total de trabalhos:20
Total de citações:21
Salerno, Mario Sergio  Data: 24/01/2018

SCOPUS
Total de trabalhos:38
Total de citações:237
Salerno, Mario Sergio; Salerno, Mario  Data: 27/07/2018

Outras
Total de trabalhos:105
Total de citações:2877
SALERNO, Mario Sergio  Data: 27/07/2018

Artigos completos publicados em periódicos

1.
MARANZATO, Felipe P.2018MARANZATO, Felipe P. ; SALERNO, Mario S. . INTEGRATION BETWEEN RESEARCH AND DEVELOPMENT: A DYNAMIC CAPABILITIES PERSPECTIVE. RAE-Revista de Administracao de Empresas, v. 58, p. 460-474, 2018.

2.
VASCONCELOS GOMES, LEONARDO AUGUSTO DE2018 VASCONCELOS GOMES, LEONARDO AUGUSTO DE ; Salerno, Mario Sergio ; PHAAL, ROBERT ; PROBERT, DAVID R. . How entrepreneurs manage collective uncertainties in innovation ecosystems. TECHNOLOGICAL FORECASTING AND SOCIAL CHANGE, v. 128, p. 164-185, 2018.

3.
JESUS, Camila K. C.2018JESUS, Camila K. C. ; SALERNO, Mario S. . PATENT PORTFOLIO MANAGEMENT: LITERATURE REVIEW AND A PROPOSED MODEL. EXPERT OPINION ON THERAPEUTIC PATENTS, v. 28, p. 505-516, 2018.

4.
SALERNO, Mario S.2018SALERNO, Mario S.; MATSUMOTO, Criatiane ; FERRAZ, Isabela . BIOFÁRMACOS NO BRASIL: CARACTERÍSTICAS, IMPORTÂNCIA E DELINEAMENTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA SEU DESENVOLVIMENTO. Texto para Discussão (IPEA), v. 2398, p. 1-78, 2018.

5.
FREITAS, Simone Lara T. U.2018FREITAS, Simone Lara T. U. ; SALERNO, Mario S. . Creation of dynamic capacities and their evolution through engineering projects. RBGN-Revista Brasileira de Gestao de Negocios, v. 20, p. 495-515, 2018.

6.
BRASIL, Vinicius C.2018BRASIL, Vinicius C. ; SALERNO, Mario S. ; GOMES, Leonardo A. V. . Valuation of innovation projects with high uncertainty: Reasons behind the search for real options. JOURNAL OF ENGINEERING AND TECHNOLOGY MANAGEMENT, v. 49, p. 109-122, 2018.

7.
ZANCUL, Eduardo2017ZANCUL, Eduardo ; RODRIGUES, Vinicius P. ; MANÇANARES, Cauê G. ; GIORDANO, Caio M. ; SALERNO, Mario S. . Manufatura aditiva: estado da arte e framework de aplicações. GEPROS.Gestão da Produção, Operações e Sistemas, v. 12, p. 1-34, 2017.

8.
BAGNO, Raoni B.2017BAGNO, Raoni B. ; SALERNO, Mario S. ; SILVA, Debora O. . Models with graphical representation for innovation management: a literature review. R & D MANAGEMENT, v. 47, p. 637-653, 2017.

9.
BAGNO, RAONI BARROS2017BAGNO, RAONI BARROS ; SALERNO, Mario S. ; Dias, Ana Valeria Carneiro . Innovation as a new organizational function: evidence and characterization from large industrial companies in Brazil. Produção (São Paulo), v. 27, p. 1-13, 2017.

10.
AMARAL, Guilherme2017AMARAL, Guilherme ; MARX, Roberto ; SALERNO, MARIO . Investigação sobre a organização do trabalho para a inovação e transição tecnológica no setor elétrico brasileiro. GESTÃO & PRODUÇÃO (UFSCAR. IMPRESSO), v. 24, p. 236-247, 2017.

11.
ARBIX, Glauco2017ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; AMARAL, Guilherme ; LINS, L. M. . Avanços, equívocos e instabilidade das Políticas de Inovação no Brasil. Novos Estudos. CEBRAP, v. 36, p. 9-28, 2017.

12.
ARBIX, Glauco2017ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; ZANCUL, Eduardo ; AMARAL, Guilherme ; LINS, L. M. . O Brasil e a nova onda de manufatura avançada: o que aprender com a Alemanha, China e Estados Unidos. Novos Estudos. CEBRAP, v. 36, p. 29-49, 2017.

13.
Salerno, Mario Sergio2017Salerno, Mario Sergio. Política Industrial para transformar a estrutura da indústria pela via da inovação. Novos Estudos. CEBRAP, v. 36, p. 5-8, 2017.

14.
FACIN, ANA LUCIA FIGUEIREDO2016FACIN, ANA LUCIA FIGUEIREDO ; Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos ; SPINOLA, MAURO DE MESQUITA ; SALERNO, Mario S. . The Evolution of the Platform Concept: A Systematic Review. IEEE TRANSACTIONS ON ENGINEERING MANAGEMENT, v. 63, p. 475-14, 2016.

15.
Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos2016Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos ; Salerno, Mario Sergio ; FLEURY, ANDRÉ LEME ; SARAIVA JUNIOR, ABRAÃO FREIRES . Inovação como transição: uma abordagem para o planejamento e desenvolvimento de spin-offs acadêmicos. Produção (São Paulo. On-Line), v. 26, p. 218-234, 2016.

16.
Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos2016Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos ; FACIN, ANA LUCIA FIGUEIREDO ; Salerno, Mario Sergio ; IKENAMI, RODRIGO KAZUO . Unpacking the innovation ecosystem construct: Evolution, gaps and trends. TECHNOLOGICAL FORECASTING AND SOCIAL CHANGE, v. 136, p. 30-48, 2016.

17.
LOPES, Ana P.2016LOPES, Ana P. ; KISSIMOTO, Kumiko O. ; SALERNO, Mario S. ; CARVALHO, Marly M. ; LAURINDO, F. J. B. . INNOVATION MANAGEMENT: A SYSTEMATIC LITERATURE ANALYSIS OF THE INNOVATION MANAGEMENT EVOLUTION. Brazilian Journal of Operations and Production Management, v. 1, p. 16, 2016.

18.
Salerno, Mario Sergio2015 Salerno, Mario Sergio; Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos ; SILVA, DÉBORA OLIVEIRA DA ; BAGNO, RAONI BARROS ; FREITAS, SIMONE LARA TEIXEIRA UCHÔA . Innovation processes: Which process for which project?. Technovation, v. 35, p. 59-70, 2015.

19.
ARAUJO, Bruno2015ARAUJO, Bruno ; SALERNO, Mario S. . Technological strategies and learning-by-exporting: The case of Brazilian manufacturing firms, 2006-2008. International Business Review, v. 24, p. 725-738, 2015.

20.
OKAMOTO, PATRICIA SEIKO2015OKAMOTO, PATRICIA SEIKO ; Salerno, Mario Sergio ; MELHADO, SILVIO BURRATTINO . A COORDENAÇÃO DE PROJETOS SUBCONTRATADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL. Gestão & Tecnologia de Projetos, v. 9, p. 123-142, 2015.

21.
SCHNEIDER, Alice F.2015SCHNEIDER, Alice F. ; SALERNO, Mario S. . Uncertainties in the recycling of waste electrical and electronic equipment: a literature review. International Journal of Mechanical and Production Engineering, v. 3, p. 30-35, 2015.

22.
CARNEVALLI, JOSÉ ANTONIO2015CARNEVALLI, JOSÉ ANTONIO ; SOUZA, JOSÉ EDUARDO RODRIGUES DE ; BENEDICTO, SAMUEL CARVALHO DE ; SALERNO, MÁRIO SÉRGIO ; CAUCHICK MIGUEL, PAULO A . Modularidade em montadoras de automóveis: uma análise sob a ótica da estratégia. Revista Produção Online, v. 15, p. 433-457, 2015.

23.
LINS, L. M.2014LINS, L. M. ; SALERNO, Mario S. ; ARAUJO, Bruno ; GOMES, Leonardo A. V. ; TOLEDO, D. ; NASCIMENTO, Paulo A. M. M. . Escassez de engenheiros no Brasil? uma proposta de sistematização do debate. Novos Estudos CEBRAP (Impresso), p. 43-67, 2014.

24.
VARANDAS JUNIOR, ANGELO2014VARANDAS JUNIOR, ANGELO ; Salerno, Mario Sergio ; MIGUEL, PAULO AUGUSTO CAUCHICK . Análise da gestão da cadeia de valor da inovação em uma empresa do setor siderúrgico. Gestão & Produção (UFSCAR. Impresso), v. 21, p. 1-18, 2014.

25.
ROCHA, Juliana R. P.2014ROCHA, Juliana R. P. ; SALERNO, Mario S. . O papel do APQP ? Advanced Planning for Product Quality no desenvolvimento de produtos: Análise de casos na relação montadora-autopeças. Gestão & Produção (UFSCAR. Impresso), v. 21, p. 231-243, 2014.

26.
ARAUJO, Bruno2014ARAUJO, Bruno ; SALERNO, Mario S. . Padrões Tecnológicos e Aprendizado de Exportação no Brasil, 2005-2008: um sumário dos principais resultados. Radar: Tecnologia, Produção e Comércio Exterior, v. 34, p. 27-37, 2014.

27.
SILVA, DÉBORA OLIVEIRA DA2014SILVA, DÉBORA OLIVEIRA DA ; BAGNO, RAONI BARROS ; Salerno, Mario Sergio . Modelos para a gestão da inovação: revisão e análise da literatura. Produção (São Paulo. Impresso), v. 24, p. 477-490, 2014.

28.
CARNEVALLI, José A.2013CARNEVALLI, José A. ; MIGUEL, Paulo. A. C. ; SALERNO, Mario S. . Aplicação da modularidade na indústria automobilística: análise a partir de um levantamento tipo survey. Produção (São Paulo. Impresso), v. 23, p. 329-344, 2013.

29.
RESS, Ana P.2013RESS, Ana P. ; MORAES, Renato O. ; Salerno, M.S. . Test-Driven development as an innovation value chain. Journal of Technology Management & Innovation, v. 8, p. 115-123, 2013.

30.
SALERNO, Mario S.2013SALERNO, Mario S.; GARCIA, Renato C. . Indústria / Industry. Brasil em Números (Edição em Inglês. Impresso), v. 21, p. 215-231, 2013.

31.
SALERNO, Mario S2012SALERNO, Mario S. Inovação Tecnológia e Trajetória Recente da Política Industrial. Revista USP, v. 93, p. 45-58, 2012.

32.
MELLO, Adriana M.2012MELLO, Adriana M. ; MARX, Roberto ; SALERNO, Mario S. . Organizational structures to support innovation: how do companies decide?. RAI : Revista de Administração e Inovação, v. 9, p. 5-20, 2012.

33.
FERREIRA, Vanessa L.2011FERREIRA, Vanessa L. ; SALERNO, Mario S ; LOURENCAO, Paulo. T. M. . As estratégias na relação com fornecedores: o caso Embraer. Gestão & Produção (UFSCAR. Impresso), v. 18, p. 221-236, 2011.

34.
Salerno, Mario Sergio2010Salerno, Mario Sergio; MIRANDA, Zil ; Kamisaki, Fernando Yutaka ; MALUTA, Geovani . Alavancando pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor de autopeças: análise e propostas a partir de survey e estudo qualitativo focado. Produção (São Paulo. Impresso), p. 565-575, 2010.

35.
Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos2010Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos ; Salerno, Mario Sergio . Modelo que integra processo de desenvolvimento de produto e planejamento inicial de spin-offs acadêmicos. Gestão & Produção (UFSCAR. Impresso), v. 17, p. 245-255, 2010.

36.
Salerno, Mario Sergio2009 Salerno, Mario Sergio; MARX, Roberto ; ZILBOVICIUS, Mauro ; Dias, Ana Valeria Carneiro . The importance of locally commanded design for the consolidation of local supply chain: the concept of design headquarters. International journal of manufacturing technology and management, Genebra, v. 16, p. 361-376, 2009.

37.
SALERNO, Mario S.2009 SALERNO, Mario S.. Reconfigurable organisation to cope with unpredictable goals. International Journal of Production Economics, v. 122, p. 419-428, 2009.

38.
DIAS, Ana Valéria Carneiro2009DIAS, Ana Valéria Carneiro ; Salerno, Mario Sergio . Descentralização das atividades de pesquisa, desenvolvimento e engenharia de empresas transnacionais: uma investigação a partir da perspectiva de subsidiárias automotivas. Gestão & Produção (UFSCAR. Impresso), v. 16, p. 187-199, 2009.

39.
SALERNO, Mario S.2008SALERNO, Mario S.; AULICINO, Marcelo Crescente . Engenharia, manutenção e operação em processos contínuos: elementos para o projeto de fronteiras organizacionais móveis e interpenetrantes. Gestão & Produção (UFSCAR. Impresso), v. 15, p. 337-349, 2008.

40.
SALERNO, Mario S.2008SALERNO, Mario S.; CAMARGO, Otávio Silva ; LEMOS, Mauro Borges . Modularity ten years after: an evaluation of the Brazilian experience. International Journal of Automotive Technology and Management, v. 8, p. 373-381, 2008.

41.
SALERNO, Mario S.2007SALERNO, Mario S.; ARBIX, Glauco . The Lisbon Strategy in a knowledge society without borders: the Brazilian view. Estratégia, v. 22/23, p. 55-77, 2007.

42.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO2005SALERNO, Mario S.; NEGRI, João Alberto de . Inovação, estratégias competitivas e inserção internacional das firmas da indústria brasileira. Parcerias Estratégicas (Impresso), Brasília, v. 20, n.jun. 2005, p. 1309-1333, 2005.

43.
ARBIX, Glauco2005ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; NEGRI, João Alberto de . O impacto da internacionalização com foco na inovação tecnológica sobre as exportações brasileiras. Dados (Rio de Janeiro. Impresso), Rio de Janeiro, v. 48, n.2, p. 395-442, 2005.

44.
GASQUES, José G.2004GASQUES, José G. ; REZENDE, Gervásio C. ; VERDE, Carlos M. V. ; SALERNO, Mario S. ; CONCEIÇÃO, Júnia C. P. R. ; CARVALHO, João C. S. . Desempenho e crescimento do agronegócio no Brasil. Texto para Discussão (IPEA), Brasília, v. 1009, n.fevereiro, p. 1-39, 2004.

45.
ARBIX, Glauco2004ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; NEGRI, João Alberto de . Inovação, via internacionalização, faz bem para as exportações brasileiras. Texto para Discussão (IPEA), Brasília, v. 1023, n.Junho, p. 1-34, 2004.

46.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO2004SALERNO, Mario S.. Da rotinização à flexibilização: ensaio sobre o pensamento crítico brasileiro sobre organização do trabalho. Gestão & Produção (UFSCAR. Impresso), São Carlos, v. 11, n.1, p. 21-32, 2004.

47.
DIAS, Ana Valéria Carneiro2004DIAS, Ana Valéria Carneiro ; SALERNO, Mario S. . Construindo competitividade por meio da organização do desenvolvimento de produtos globais: proposições a partir de estudos de caso no setor automotivo brasileiro. Relações Humanas, São Bernardo do Campo, v. 21, p. 48-54, 2004.

48.
DIAS, Ana Valéria Carneiro2004DIAS, Ana Valéria Carneiro ; SALERNO, Mario S. . International division of labour in product development activities: towards a selective decentralisation?. International Journal of Automotive Technology and Management, Milton Keynes, v. 4, n.2/3, p. 223-239, 2004.

49.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO2004SALERNO, Mario S.. A política industrial, tecnológica e de comércio exterior do governo federal. Parcerias Estratégicas (Brasília), Brasília, v. 19, n.19, p. 13-35, 2004.

50.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO2003SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto ; ZILBOVICIUS, Mauro . A nova configuração da cadeia de fornecimento na indústria automobilística no Brasil. Revista de Administração (FEA-USP), São Paulo, v. 38, n.3, p. 192-204, 2003.

51.
ZILBOVICIUS, Mauro2002ZILBOVICIUS, Mauro ; MARX, Roberto ; SALERNO, Mario S. . A comprehensive study of the transformation of the Brazilian automotive industry. International Journal of Automotive Technology and Management, Milton Keynes (Inglaterra), v. 2, n.1, p. 10-23, 2002.

52.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO2002SALERNO, Mario S.; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Product design modularity, modular production, modular organization: the evolution of modular concepts. Actes du GERPISA, Paris, v. 33, n.março, p. 61-72, 2002.

53.
Salerno, Mario Sergio2001Salerno, Mario Sergio. The characteristics and the role of modularity in the automotive business. International Journal of Automotive Technology and Management, Milton Keynes (Inglaterra), v. 1, n.1, p. 92-107, 2001.

54.
M. F. Beanco2001M. F. Beanco ; SALERNO, Mario S. . Como o TQM opera e o que muda nas empresas? Um estudo a partir de empresass líderes no Brasil. Gestão & Produção (UFSCAR. Impresso), São Carlos, v. 8, n.1, p. 56-67, 2001.

55.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO2000SALERNO, Mario S.; LIMA, Francisco P. A. . Apresentação do debate. Produção (São Paulo), v. Ago., n.Especial, p. 43-43, 2000.

56.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO2000SALERNO, Mario S.. Análise ergonômica do trabalho e projeto organizacional. Produção (São Paulo), v. Ago., n.Especial, p. 45-60, 2000.

57.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO2000SALERNO, Mario S.. Projeto de organizações com trabalho menos prescritivo: tréplica aos texrtos de Jackson e Lima. Produção (São Paulo), v. Ago., n.Especial, p. 99-115, 2000.

58.
HUMPHREY, John1999HUMPHREY, John ; SALERNO, Mario S. . Globalization and assembler-supplier relations: Brazil and India. Actes du GERPISA, Paris, v. 25, p. 40-63, 1999.

59.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO1998SALERNO, Mario S.. Restructuration de la production et travail dans les entreprises install?es au Br?sil. REVUE TIERS MONDE, v. 39, n.154, p. 305-328, 1998.

60.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO1998SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro ; ARBIX, Glauco ; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Changes and persistances on the relationship between assemblers and suppliers in Brazil.. Actes du GERPISA, v. 24, p. 51-66, 1998.

61.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO1998SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro ; ARBIX, Glauco ; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Mudanças e persistências no padrão de relações entre montadoras e autopeças no Brasil. RAUSP. Revista de Administração, São Paulo, v. 33, n.3, p. 16-28, 1998.

62.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO1997SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro ; MARX, Roberto . The modular consortium in a new VW truck plant in Brazil: new forms of assembler and supplier relationship. Integrated Manufacturing Systems, v. 8, n.5, p. 292-298, 1997.

63.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO1995SALERNO, Mario S.. Essência e aparência na organização da produção e do trabalho nas fábricas reestruturadas. Produção (São Paulo. Impresso), v. 5, n.2, p. 191-202, 1995.

64.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO1995SALERNO, Mario S.; HIRATA, Helena . A Implantação de instrumentos estatísticos relacionados ao trabalho nos países ditos semi-desenvolvidos no caso do Brasil. Planejamento e Politicas Publicas, v. 12, n.jul.dez., p. 211-232, 1995.

65.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO1994SALERNO, Mario S.. The historical trajectory and future perspectives of Autolatina's development in Brazil.. Actes du GERPISA, v. 10, n.10, p. 191-236, 1994.

66.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO1994SALERNO, Mario S.. Mudança organizacional e trabalho direto em função de flexibilidade e performance da produção industrial. Produção (São Paulo. Impresso), v. 4, n.1, p. 5-22, 1994.

67.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO1994SALERNO, Mario S.. Resenha: A máquina que mudou o mundo. Educação & Sociedade (Impresso), v. 14, n.2, p. 328-330, 1994.

68.
SALERNO, Mario S.;Salerno, M.S.;Salerno, M.;Salermo, M.;Salerno, Mario Sergio;SALERNO, MÁRIO SÉRGIO;SALERNO, MARIO1988SALERNO, Mario S.. Automação e lutas dos trabalhadores. São Paulo em Perspectiva (Impresso), São Paulo, v. 2, n.3, p. 62-67, 1988.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
SALERNO, Mario S.; Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos . Gestão da inovação mais radical. 1. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018. 232p .

2.
ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; FREIRE, Carlos E. T. . Inovação, manufatura avançada e o futuro da indústria: uma contribuição ao debate das polítcas de esenvolvimento produtivo. 1. ed. Brasília: Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, 2017. v. 1. 688p .

3.
PROENÇA, Adriano (Org.) ; LACERDA, Daniel P. (Org.) ; ANTUNES JR, José Antônio Valle (Org.) ; TAVORA Jr, José Lamartine (Org.) ; SALERNO, Mario S. (Org.) . Gestão da inovação e competitividade no Brasil: da teoria à prática. 1. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015. v. 1. 243p .

4.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. ; COUTINHO, D. ; PAULA, Pedro ; CARVALHO, André P. . Plataformas Demonstradoras Tecnológicas Aeronáuticas: Experiências com programas internacionais, modelagem funcional aplicável ao Brasil e importância da sua aplicação para o País. 1. ed. Brasília: ABDI, 2014. v. 1. 122p .

5.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo . Programa demonstrativo para inovação em cadeia produtiva selecionada: indústria aeronáutica brasileira. 1. ed. Brasília: CGEE, 2014. v. 1. 129p .

6.
ARBIX, Glauco (Org.) ; SALERNO, Mario S. (Org.) ; TOLEDO, D. (Org.) ; MIRANDA, Zil (Org.) ; ALVAREZ, Roberto dos Reis (Org.) . Inovação: estratégias de sete paises. Brasília: ABDI, 2010. 342p .

7.
SALERNO, Mario S.; NEGRI, João Alberto de (Org.) ; TURCHI, Lenita M. (Org.) ; MORAIS, José M. (Org.) . Inovação: Estudos de Jovens Pesquisadores Brasileiros - volume 1. São Paulo: Ed. Papagaio, 2010. 500p .

8.
SALERNO, Mario S.; NEGRI, João Alberto de (Org.) ; TURCHI, Lenita M. (Org.) ; MORAIS, José M. (Org.) . Inovação: Estudos de Jovens Pesquisadores Brasileiros - volume 2. São Paulo: Ed. Papagaio, 2010. v. 2.

9.
NEGRI, João Alberto de (Org.) ; SALERNO, Mario S. (Org.) . Inovações, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras. Brasília: IPEA, 2005.

10.
GUZZO, Divonzie Arthur ; SALERNO, Mario S. ; MOREIRA, Renato Lóes ; MOREIRA, Sérvulo Vicente ; GEHRE, Vitória Emília Santos Costa . Promoção de comércio exterior: experiências e aprendizagens. Brasília: IPEA, 2004. 144p .

11.
SALERNO, Mario S.. Organização da produção e do trabalho: da organização capitalista tradicional às possibilidades inovadoras de gestão democrática das cooperativas de produção. São Paulo: Agência de Desenvolvimento Solidário, 2002. 89p .

12.
SALERNO, Mario S.. Relação de serviço: produção e avaliação. São Paulo: Senac São Paulo, 2001.

13.
HUMPHREY, John (Org.) ; LECLER, Y. (Org.) ; SALERNO, Mario S. (Org.) . Global strategies and local realities: the auto industry in emerging markets. 1. ed. Londres: MacMillan, 2000. 272p .

14.
SALERNO, Mario S.. Projeto de organizações integradas e flexíveis: processos, grupos e gestão democrática via espaços de comunicação-negociação.. São Paulo: Atlas, 1999. 215p .

Capítulos de livros publicados
1.
SALERNO, Mario S.. Políticas de inovação no Brasil: desafios de formulação, financiamento e implantação. In: Diogo R. Coutinho; Maria Carolina Foss, Pedro Salomon B. Mouallem. (Org.). Inovação no Brasil: avanços e desafios jurídicos e institucionais. 1ed.São Paulo: Blücher Open Access, 2017, v. , p. 79-96.

2.
SALERNO, Mario S.. L'industrie bresilenne en situation paradoxale. In: Pierre Veltz; Thierry Weil. (Org.). L'industrie, notre avenIr. 1ed.Paris: Eyrolles / Colloque de Cerisy / La Fabrique de L'Industrie, 2015, v. , p. 268-275.

3.
MIRRA, Evando ; SALERNO, Mario S. . ABDI: a que veio, a que ficou. In: DE TONI, Jackson. (Org.). Dez anos de política industrial: balanço e perspectivas. 1ed.Brasília: ABDI, 2015, v. , p. 113-128.

4.
SILVA, DÉBORA OLIVEIRA DA ; BAGNO, Raoni B. ; SALERNO, Mario S. . A inovação como processo de gestão: análise crítica da literatura. In: Adriano Proença; Daniel Pacheco Lacerda; José Antonio Valle Antunes Jr. José Lamartine Távora Junior; Mario Sergio Salerno. (Org.). Gestão da inovaçao e competitividade no Brasil: da teoria à pratica.. 1ed.Porto Alegre: Bookman, 2015, v. 1, p. 71-108.

5.
SALERNO, Mario S.; ARBIX, Glauco ; TOLEDO, D. . Social Development and Income Distribution: The Conditions of The Brazilian Auto Industry Growth. In: Bruno Jetin. (Org.). Global Automobie Demand. 1ed.Londres: Palgrave-MacMillan, 2015, v. 2, p. 69-89.

6.
ARAUJO, Bruno ; SALERNO, Mario S. . Padrões tecnológicos e aprendizado de exportação: o caso das firmas industriais brasileiras, 2006-2008. In: Fernanda De Negri; Luiz Ricardo Cavalcanti. (Org.). Produtividade no Brasil: desempenho e determinantes - Vol 2 - determinantes. 1ed.Brasília: ABDI/PEA, 2015, v. 2, p. 119-149.

7.
SALERNO, Mario S.; FREITAS, Simone Lara T. U. . A influência da Petrobras no desenvolvimento tecnológico: o caso dos institutos de ciência e tecnologia na região sudeste. In: TURCHI, Lenita M.; DE NEGRI, Fernanda; DE NEGRI, João A.. (Org.). Impactos tecnológicos das parcerias da Petrobras com universidades, centros de pesquisa e firmas brasileiras. 1ed.Brasília: Ipea, 2013, v. , p. 321-358.

8.
SALERNO, Mario S; FREITAS, Simone Lara T. U. ; MISSAWA, Vanessa . A influência da Petrobras no desenvolvimento tecnológico: o caso das empresas de serviços de engenharia. In: JOÃO ALBERTO DE NEGRI ET AL. (Org.). Poder de compra da Petrobras: impactos econômicos nos seus fornecedores. Brasília: Ipea : Petrobras, 2011, v. 2, p. 442-495.

9.
SALERNO, Mario S.; PARENTE, Laura I. . Novas políticas e novos arranjos institucionais na França. In: ARBIX, Glauco; SALERNO, Mario S.; TOLEDO, Demétrio; MIRANDA, Zil; ALVAREZ, Roberto R.. (Org.). Inovação: estratégias de sete países. Brasília: ABDI, 2010, v. , p. 122-155.

10.
SALERNO, Mario S.; MIRANDA, Zil . Japão e as mudanças institucionais e políticas de C, T&I. In: ARBIX, Glauco; SALERNO, Mario S.; TOLEDO, Demétrio; MIRANDA, Zil; ALVAREZ, Roberto R.. (Org.). Inovação: estratégias de sete paises. Brasília: ABDI, 2010, v. , p. 282-311.

11.
SALERNO, Mario S.; PROENÇA, Adriano . Gestão Estratégica da Inovação: em busca do como fazer. In: Vanderli fava de Oliveira. (Org.). Tópicos Emergentes e Desafios Metodológicos em Engenharia de Produção: Casos, Experiências e Proposições (Volume III). Riio de Janeiro: ABEPRO, 2010, v. 3, p. 87-135.

12.
ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; MIRANDA, Zil ; TOLEDO, D. . Síntese e propostas. In: ARBIX, Glauco; SALERNO, Mario S.; TOLEDO, Demétrio; MIRANDA, Zil; ALVAREZ, Roberto. (Org.). Inovação: estratégia de sete paises. Brasília: ABDI, 2010, v. , p. -.

13.
MUNIZ JR, Jorge ; NAKANO, Davi N. ; MELLO, Adriana M. ; SOUZA, Antônio A. ; LARA, Cynthia O. ; BAPTISTA JR, Edgard D. ; ALVELAR, Ewerton A. ; PLONSKI, Guilherme A. ; SALVE, Guilhrme B. ; RIBEIRO JR, Hugo J. ; OLIVEIRA, Josenildo Brito ; SOUTO, Maria S.M.L. ; LEITE, Maria S.A. ; SALERNO, Mario S. ; TRZESNIAK, Piotr ; MARX, Roberto ; LIMA, Wander D. . Gestão do conhecimento em sistemas produtivos. In: Vanderli Fava de Oliveira; Vagner Cavenaghi; Francisco Soares Másculo. (Org.). Tópicos emergentes e desafios metodológicos em Engenharia de Produção: casos, experiências e proposições. Rio de Janeiro: Abepro, 2009, v. 2, p. 131-203.

14.
SALERNO, Mario S.; KUBOTA, Luís C. . Estado e inovação. In: João Alberto De Negri; Luis Cláudio Kubota. (Org.). Políticas de incentivio à inovação tecnológica no Brasil. Rio de Janeiro: Ipea / Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República 592p., 2008, v. Cap1, p. 13-64.

15.
GOMES, Leonardo A. V. ; PLONSKI, Guilherme A. ; SALERNO, Mario S. . Planejamento e desenvolvimento de spin offs acadêmicos. In: Sonia Regina Hierro Parolin; Maricilia Volpato. (Org.). Faces do empreendedorismo inovador. 1ed.Curitiba: Senai/Sesi/IEL, 2008, v. III, p. 119-143.

16.
SALERNO, Mario S.; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Lo sviluppo della modularizzazione e il design di prodotti di nicchia in Brasile. In: Andrea Bardi; Francesco Garibaldo; Volker Telljohann. (Org.). A passo d´auto: impresa e lavoro nel settore automobilistico. Santarcangelo di Romagna: Maggioli, 2007, v. , p. 151-171.

17.
PACHECO, Roberto ; SALERNO, Mario S. . Portal Inovação: instrumento de cooperação universidade - empresa. In: Roberto Pacheco; Romeu Martins. (Org.). Conhecimento & Riqueza. 1ed.Florianópolis: Instituto Stela / ECG - Engenharia e Gestão do Conhecimento, UFSC, 2007, v. , p. 25-30.

18.
SALERNO, Mario S.. Iniciativas e instrumentos nacionais de inovação. In: Roberto Pacheco; Romeu Martins. (Org.). Conhecimento & Riqueza. 1ed.Florianópolis: Instituto Stela e EGC - Engenharia e Gestão do Conhecimento, 2007, v. , p. 53-56.

19.
MARX, Roberto ; ZILBOVICIUS, Mauro ; SALERNO, Mario S. . The Modular Consortium in a new VW truck plant in Brazil. In: David Bennett. (Org.). Operations Management. London (UK)/Thousand Oaks(EUA): Sage Publications, 2006, v. 2, p. -.

20.
SALERNO, Mario S.; DIAS, Ana Valéria Carneiro . The development of modularity and niche product design in Brazil. In: Francesco Garibaldo; Andrea Bardi. (Org.). Company strategies and organisational evolution in the automotive sector: a worldwide perspective. Frankfurt am Main: Peter Lang, 2005, v. 32, p. 443-459.

21.
NEGRI, João Alberto de ; SALERNO, Mario S. . Introdução. In: João Alberto De Negri; Mario Sergio Salerno. (Org.). Inovações, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras. Brasília: Ipea, 2005, v. , p. 1-4.

22.
SALERNO, Mario S.; NEGRI, João Alberto de ; CASTRO, Antônio Barros de . Inovações, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras. In: João Alberto De Negri; Mario Sergio Salerno. (Org.). Inovações, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras. Brasília: Ipea, 2005, v. cap. 1, p. 5-46.

23.
ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; NEGRI, João Alberto de . Internacionalização gera emprego de qualidade e melhora a competitividade das firmas brasileiras. In: João Alberto De Negri; Mario Sergio Salerno. (Org.). Inovações, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras. Brasília: Ipea, 2005, v. cap.5, p. 171-192.

24.
SALERNO, Mario S.; NEGRI, João Alberto de ; VIOTTI, Eduardo Baungarten . Inovação e competitividade. In: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. (Org.). Brasil: o estado de uma nação. Brasiília: IPEA, 2005, v. Cap.2, p. 45-81.

25.
ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; NEGRI, João Alberto de . A nova competitividade da indústria e o novo empresariado. In: João Paulo dos Reis Velloso. (Org.). O dessafio da China e da Índia e a resposta do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 2005, v. , p. 195-219.

26.
SALERNO, Mario S.; NEGRI, João Alberto de ; VIOTTI, Eduardo Baungarten . Innovation and competitiveness. In: INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. (Org.). Brazil - the state of a nation: na overview of Brazilian development. Rio de Janeiro: Ipea, 2005, v. , p. 23-29.

27.
SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto ; ZILBOVICIUS, Mauro ; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Política industrial em setores dominados por transnacionais: o Brasil como sede de concepção e projeto de produto. In: Afonso Fleury; Maria Tereza Leme Fleury. (Org.). Política industrial 2. São Paulo: Publifolha / Coleção Biblioteca Valor, 2004, v. , p. 67-91.

28.
NEGRI, João Alberto de ; SALERNO, Mario S. ; ARBIX, Glauco . Inovação, via internacionalização, faz bem para as exportações brasileiras. In: João Paulo dos Reis Velloso. (Org.). Economia do conhecimento, crescimento e inclusão social. Rio de Janeiro: José Olympio, 2004, v. , p. 185-224.

29.
SALERNO, Mario S.; HIRATA, Helena . Instrumentos estatísticos sobre a atividade de trabalho em países em desenvolvimento: o caso brasileiro.. In: Universidade de economia nacional e internacional. (Org.). Trabalho e sua proteção no século XXI. Sofia, Bulgária: Universidade de economia nacional e internacional, Departamento de trabalho e proteção social, 2003, v. , p. 99-110.

30.
SALERNO, Mario S.. A seu serviço: interrogações sobre o conceito, os modelos de produção e o trabalho em atividades de serviços. In: Mario Sergio Salerno. (Org.). Relação de serviço: produção e avaliação. São Paulo: Senac São Paulo, 2001, v. , p. -.

31.
HUMPHREY, John ; LECLER, Y. ; SALERNO, Mario S. . Introduction. In: John Humphrey; Yveline Lecler; Mario Sergio Salerno. (Org.). Global strategies and local realities: the auto industry in emerging markets. 1ed.London: MacMillan, 2000, v. , p. 1-15.

32.
HUMPHREY, John ; SALERNO, Mario S. . Globalisation and assembler-supplier relations: Brazil and India. In: HUMPHREY, John; SALERNO, Mario S.. (Org.). Global strategies and local realities: the auto industry in emerging markets. Londres: MacMillan, 2000, v. , p. 149-175.

33.
SALERNO, Mario S.. Autonomie, travail en groupe et hiérarchie: une discussion à partir de cas analysés dans l?industrie brésilienne. In: CHATZIS, Konstantinos; MOUNIER, Céline; VELTZ, Pierre; ZARIFIAN, Philippe. (Org.). L'autonomie dans les organisations: quoi de neuf?. Paris: L'Harmattan, 1999, v. Cap.5, p. 113-140.

34.
SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro ; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Flexibility through modularity: experimentations with fractal production in Brazil and in Europe. In: LUNG, Yannick; CHANARON, Jean-Jacques; FUJIMOTO, Takahiro; RAFF, Daniel. (Org.). Coping with variety: flexible productive systems for product variety in the auto industry. Aldershot: Ashgate, 1999, v. Cap.9, p. 224-257.

35.
SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro ; ARBIX, Glauco ; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Struktur und wandel der Beziehungen zwichen Herstellern und Zulieferern in Brasilien: die Bedeutung von räumlicher Nähe, global und follow sorcing, strategischer Kooperation und Co-Design. In: Heiderose Kilper; Ludger Pries. (Org.). Die Globalisierung-spirale in der deutschen Automobilindustrie. Munique: Rainer Hampp, 1999, v. , p. 121-149.

36.
MARX, Roberto ; SALERNO, Mario S. . Team Working In General Motors Brasi (GMB)l: What Is Changing In The Organization of Work?. In: DURAND, Jean-Pierre; CASTILLO, Juan-José; STEWART, Paul. (Org.). Teamwork in the automobile industry. Londres: Macmillan, 1998, v. , p. 151-170.

37.
FLEURY, A. C. C. ; SALERNO, Mario S. . The Transfer And Hybridization Of New Models Of Production In The Brazilian Auto Industry. In: BOYER, Robert; CHARRON, Elsie; JÜRGENS, Ulrich; TOLLIDAY, Steve. (Org.). Between imitation and innovation: the transfer and hybridization of productive systems in the international automobile industry. Oxford: Oxford University Press, 1998, v. , p. 278-294.

38.
MARX, Roberto ; SALERNO, Mario S. . Realité du teamwork dans l'usine brésilienne de General Motors.. In: DURAND, Jean-Pierre; STEWART, Paul; CASTILLO, Juan-José.. (Org.). L'avenir du travail à la chaine: une comparaison internationale dans l'industrie automobile.. Paris: La Découverte, 1998, v. , p. 141-159.

39.
SALERNO, Mario S.. A indústria automobilística na virada do século.. In: ARBIX, Glauco; ZILBOVICIUS, Mauro.. (Org.). De JK a FHC: a reinvenção dos carros. São Paulo: Scritta, 1997, v. , p. 503-522.

40.
SALERNO, Mario S.. Organização do Trabalho, Trabalho Real e Eficiência Em Sistemas Flexíveis. In: FORTES, José A. Sá; SOARES, Rosa M.S.M.. (Org.). Padrões tecnológicos, trabalho e dinâmica espacial. Brasília: Universidade de Brasília, 1996, v. , p. 75-84.

41.
SALERNO, Mario S.. Flexibilidade e organização produtiva.. In: CASTRO, Nadya A.. (Org.). A máquina e o equilibrista: inovações na indústria automobilística brasileira. São Paulo: Paz e Terra, 1995, v. , p. 55-83.

42.
HIRATA, Helena ; SALERNO, Mario S. . L'Implantation d'Outils Statistiques sur L'Organisation du Travail et les Conditions de Travail dans le Pays Dits ?semi-développés?: le cas du Brésil. In: FRANCE. MINISTÈRE DU TRAVAIL. (Org.). L'usage des méthodes statistiques dans l'étude du travail. 1ed.Paris: La documentation Française, 1995, v. , p. 117-129.

43.
SALERNO, Mario S.. A Trajetória Histórica e As Perspectivas de Desenvolvimento da Autolatina No Brasil. In: CASTRO, Nadya A.. (Org.). A máquina e o equilibrista: inovações na indústria automobilística brasileira. São Paulo: Paz e Terra, 1995, v. , p. 199-275.

44.
SALERNO, Mario S.. Producción, Trabajo Y Participación: Círculos de Calidad Y Kanban, Una Nueva Inmigración Japonesa. In: MARTÍNEZ, Oscar A.. (Org.). Pensando la reconversión: una visión crítica de la flexibilidad y calidad total. Beunos Aires: Cipes, 1994, v. , p. 54-66.

45.
SALERNO, Mario S.. Trabalho e Organização na Empresa Industrial Integrada e Flexível. In: FERRETTI, Celso J.; ZIBAS, Dagmar M.L.; MADEIRA, Felícia R.; FRANCO, Maria L.P.B.. (Org.). Novas tecnologias, trabalho e educação: um debate multidisciplinar. 16ed.Petrópolis: Vozes, 1994, v. , p. 54-76.

46.
SALERNO, Mario S.. Modelo japonês, trabalho brasileiro.. In: HIRATA, Helena.. (Org.). Sobre o "modelo" japonês: automação, novas formas de organização e de relações de trabalho.. São Paulo: EDUSP, 1993, v. , p. 137-152.

47.
SALERNO, Mario S.; HIRATA, Helena ; FERREIRA, C. G. ; MARX, Roberto . Alternativas sueca, italiana e japonesa ao paradigma fordista: elementos para uma discussão sobre o caso brasileiro.. In: SOARES, Rosa M.S.M.. (Org.). Gestão da qualidade: tecnologia e participação.. Brasília: CODEPLAN, 1992, v. , p. 157-178.

48.
SALERNO, Mario S.. Modèle japonais, travail brésilien.. In: HIRATA, Helena. (Org.). Autour du modèle japonais: automatisation, nouvelles formes d'organisation et de relations de travail. 1ed.Paris: L'Harmattan, 1992, v. , p. 305-328.

49.
SALERNO, Mario S.. Produção integrada e flexível e processo operatório: notas sobre sindicatos e a formação profissional.. In: MACHADO, L. R. S.. (Org.). Trabalho e educação. Campinas: Papirus, 1992, v. , p. 87-94.

50.
SALERNO, Mario S.. Produção, trabalho e participação: CCQ e kanban numa nova imigracao japonesa. In: FLEURY, Maria T.L.; FISCHER, Rosa M.. (Org.). Processo e relações de trabalho no Brasil. São Paulo: Atlas, 1985, v. , p. 179-202.

51.
ZAMBERLAN, Fabio Luiz ; SALERNO, Mario S. . Racionalização e automatização: a organização do trabalho nos bancos. In: FLEURY, Afonso C.C.; VARGAS, Nilton.. (Org.). Organização do trabalho: uma abordagem multidisciplinar. São Paulo: Atlas, 1983, v. , p. 172-194.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
SALERNO, Mario S.. A ciência da inovação. Jornal da USP, São Paulo e internet, p. 8 - 8, 27 abr. 2015.

2.
SALERNO, Mario S.. Inovaçao e desenvolvimento: entraves e causas históricas. Com Ciência - Revista Eletrônica de Jornalismo Científico, 10 jul. 2013.

3.
SALERNO, Mario S. Precisa-se de engenheiros. Jornal da USP, São Paulo, p. 3 - 3, 16 jan. 2012.

4.
SALERNO, Mario S.. Vitória em prêmio Santander reforça rumo da inovação. Portal PUC Rio Digital, Rio de Jeneiro - internet, 06 dez. 2011.

5.
SALERNO, Mario S. Universidade e empresa, cada macaco no seu galho. ABCD Inova, São Bernardo do Campo, p. 24 - 24, 01 out. 2011.

6.
SALERNO, Mario S. Inovação melhora salários, exportações, produtividade e crescimento. Anpei Notícias, Internet, 06 set. 2011.

7.
SALERNO, Mario S. Inovação em empresas puxa salários e crescimento. Luis Nassif On Line, Internet, 01 set. 2011.

8.
BARA, João P. ; SALERNO, Mario S. . Vários entraves dificultam o genuíno made in Brazil - Entrevista / declarações. Jornalistas da Web, São Paulo, p. 54 - 55, 20 jun. 2011.

9.
SALERNO, Mario S.. Evasão escolar explica déficit de engenheiros. Eletricidade Moderna, São Paulo, Editora Aranda, , v. 442, p. 29 - 29, 01 jan. 2011.

10.
SALERNO, Mario S.. Braços mecânicos: excelência e agilidade garantem o espaço dos robôs nas montadoras do ABCD. INOVABCD, São Bernardo do Campo - SP, p. 12 - 23, 01 set. 2010.

11.
SALERNO, Mario S.. Projetando tendências inovadoras. INOVABCD, São Bernardo do Campo, p. 28 - 30, 01 set. 2010.

12.
Salerno, M.S.; PAROLA, Stefano . L'auto del domani? Ecco come sarà - promessa di esperti. La Reppublica, Turim, Itália, , v. Torino, p. 10 - 10, 20 abr. 2010.

13.
HERNANDES, Rafael ; SALERNO, Mario S. . Ciência e tecnologia: no meio do caminho. Retrato do Brasil, São Paulo, p. 48 - 50, 01 jul. 2009.

14.
SALERNO, Mario S.. Gestão da inovação. Channel World, São Paulo / Internet, 30 out. 2008.

15.
SALERNO, Mario S.. Como as empresas podem se tornar mais competitivas com a inovação. Portal IG / Economia, Internet, 11 ago. 2008.

16.
SALERNO, Mario S.. A inovação faz a diferença. PIB. Presença Internacional do Brasil, São Paulo, p. 28 - 33, 01 jun. 2008.

17.
ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. . O avanço dos emergentes e o Brasil. Folha de São Paulo, São Paulo, p. A3 - A3, 19 maio 2008.

18.
SALERNO, Mario S.. Especialistas afirmam que medidas são insuficientes. Folha de São Paulo, São Paulo, p. B5 - B5, 13 maio 2008.

19.
ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. . Política industrial é coisa de rico (título original: sete países e uma política - inovação). O Estado de São Paulo, caderno Aliás - A Semana Revista, São Paulo e internet, p. J7 - J7, 11 maio 2008.

20.
SALERNO, Mario S.. Pesquisa aponta desafios da inovação no Brasil e compara com estratégias de sete países. Revista TIC - Tecnologia da Inovação e Convergência, Internet, 07 maio 2008.

21.
SALERNO, Mario S.. Pesquisa mostra quadro da inovação em sete países; resultados apontam políticas em comum, com incentivo à empresa no centro. Inovação Unicamp, Internet, 05 maio 2008.

22.
SALERNO, Mario S.. Na série de Inovação sobre inovação e crescimento do Brasil, leia a entrevista de um criador da política industrial de 2003. Inivacao Unicamp, Internet, 05 maio 2008.

23.
SALERNO, Mario S.. O carro do futuro. Super Profission@ais Bosch, São Paulo, p. 4 - 4, 01 mar. 2008.

24.
SALERNO, Mario S.. Observatório do IEA estuda e propõe políticas de inovação. USP On Line, Internet, 12 nov. 2007.

25.
SALERNO, Mario S.. Inovação para a saúde. Agência Fapesp, São paulo, Internet, p. 1 - 2, 23 out. 2007.

26.
SALERNO, Mario S.. Quanto demora o futuro?. Getulio (FGV), São Paulo, p. 14 - 18, 01 jul. 2007.

27.
SALERNO, Mario S.. Convênio visa reduzir informalidade no setor. InvestNews On Line, Internet, 19 jun. 2007.

28.
SALERNO, Mario S.. Miguel Jorge quer tucano na chefia da política industrial. Folha de São Paulo, Caderno Dinheiro, São Paulo, p. p.B2 - p.B2, 23 maio 2007.

29.
SALERNO, Mario S.. Alessandro Teixeira assume a presidência da Apex-Brasil e segue na ABDI até a escolha de novo presidente.. Gestão C&T On Line, Brasília / internet, 21 maio 2007.

30.
SALERNO, Mario S.. Brasil promove na próxima semana indústrias cosmética e hospitalar.. Portugal Digital, Internet - Portugal, 16 maio 2007.

31.
SALERNO, Mario S.. Financiamento e legislação encerram 5a Conferência da Union Ibero-americana de Ciencia Tecnologia y Empresa. Gestão C&T on line, Internet - Brasília, 03 abr. 2007.

32.
SALERNO, Mario S.. PAC: Política industrial tem prazo mais longo, diz especialista. Agência Leia, Internet, 16 mar. 2007.

33.
SALERNO, Mario S.. A Europa discute lugares comuns e, vista de fora, está a ficar pequena.. Público, Lisboa, p. 8 - 9, 04 mar. 2007.

34.
SALERNO, Mario S.. Sebrae e ABDI firmam convênio técnico. A Tribuna Digital, Santos, Internet, 10 nov. 2006.

35.
SALERNO, Mario S.. Inova Brasil atrai empresários locais. Diário do Grande ABC, Economia, p. 8, 01/10/2006. Diário do Grande ABC: caderno Economia, Santo André, p. 8 - 8, 01 out. 2006.

36.
SALERNO, Mario S.. UFABC busca parcerias com o setor empresarial. Caderno Economia, p.6. Diário do Grande ABC: Caderno Economia, Santo André, p. 6 - 6, 28 set. 2006.

37.
SALERNO, Mario S.. Abipti e ABDI levam política industrial para Estados e Municípios. Informe Abipti, Brasília, p. 3 - 3, 01 set. 2006.

38.
SALERNO, Mario S.. Evolução pode ser observada nas exportações brasileiras.. Gazeta Mercantil, Brasília, p. p.B-14 - p. B-14, 09 ago. 2006.

39.
SALERNO, Mario S.. Cresce conteúdo tecnológico da pauta de exportações.. Gazeta Mercantil: Desenvolvimento / Brasil, São Paulo, p. B-14 - B-14, 09 ago. 2006.

40.
SALERNO, Mario S.. Estados dizem não à guerra fiscal.. Diário dos Campos: Economia, Internet - Ponta Grossa, 05 ago. 2006.

41.
SALERNO, Mario S.. Sinal de alerta. Revista Potência, p. 28 - 31, 01 ago. 2006.

42.
SALERNO, Mario S.. Alto Tietê terá agencia para economia.. Jornal Olho Vivo, Guarulhos, p. 7 - 7, 04 jul. 2006.

43.
SALERNO, Mario S.. Destaque: vida acadêmica. Vanzolinii in Foco, São Paulo, p. 5 - 5, 01 jul. 2006.

44.
SALERNO, Mario S.. Governo e Associação de Empresas Inovadoras decidem agir para atrair centros de P&D de multinacionais para o Brasil. Inovação Unicamp, Internet, 26 jun. 2006.

45.
SALERNO, Mario S.. Abihpec faz parceria para reduzir a informalidade.. Gazeta Mercantil: Caderno Indústria, São Paulo, p. p. C4 - p. C4, 20 jun. 2006.

46.
SALERNO, Mario S.. Pequenas do setor de cosméticos ganham apoio. Cana Executivo, Internet, 19 jun. 2006.

47.
SALERNO, Mario S.. Parceria vai fortalecer setor de cosméticos. Empreendedor, Internet, 19 jun. 2006.

48.
SALERNO, Mario S.. Álcool e ampliação de mercados internacionais: programas de incentivo ao uso de biocombustíveis criam possibilidades para expansão do setor no Brasil. Projeto Brasil, www.projetobr.com.br, , v. 13:26h, 13 jun. 2006.

49.
SALERNO, Mario S.. Álcool e ampliação de mercados internacionais. Projeto Brasil: Pensando o Longo Prazo, internet, 13 jun. 2006.

50.
SALERNO, Mario S.. Glauco Arbix e Mario Salerno criticam pontualmente projeto de inovação paulista. Mobilizar para Inovar, internet, 09 jun. 2006.

51.
SALERNO, Mario S.; ARBIX, Glauco . Pesquisa científica corre risco em SP. Folha de São Paulo, São Paulo, p. 3 - 3, 31 maio 2006.

52.
SALERNO, Mario S.. Lei de inovação continua só no papel.. Valor Econômico: Especial Rumos da Economia, São Paulo, p. p. F15 - p. F15, 02 maio 2006.

53.
SALERNO, Mario S.. Diretrizes.. O Globo: Caderno Economia / Conexão Global, Rio de Janeiro, p. 27 - 27, 25 abr. 2006.

54.
SALERNO, Mario S.. Diretor da ABDI diz que empresas lucram com investimentos em inovação.. Agência Brasil, Internet - Brasília, 01 abr. 2006.

55.
SALERNO, Mario S.. Empresas investem em pesquisa e trazem fornecedor para o Brasil.. O Globo: Caderno Economia, Rio de Janeiro, p. p. 39 - p. 39, 12 mar. 2006.

56.
SALERNO, Mario S.. É só abrir a torneira.. Desafios do Desenvolvimento, Brasília, p. 62 - 68, 01 fev. 2006.

57.
SALERNO, Mario S.. Gerar riquezas: a inserção externa de empresas de base tecnológica. Jornal da Ciência - SBPC, Rio de Janeiro, p. 4 - 4, 01 fev. 2006.

58.
SALERNO, Mario S.. Setor de saúde terá plano de desenvolvimento setorial. O Setor em Notícias (Abimo), Internet, 31 jan. 2006.

59.
SALERNO, Mario S.. A força socioeconômica da beleza.. Revista Sebrae, Brasília, p. 62 - 69, 01 jan. 2006.

60.
SALERNO, Mario S.. Exportação: uma questão inovadora.. Inovação Uniemp, São Paulo, p. 46 - 47, 01 jan. 2006.

61.
SALERNO, Mario S.. Inovar para internacionalizar. Agência Fapesp, São Paulo, internet, 22 nov. 2005.

62.
SALERNO, Mario S.. Inmetro lança em julho editais para dois novos laboratórios com investimento de R$ 127,5 milhões. Jornal da Ciência, SBPC - Internet, 17 nov. 2005.

63.
SALERNO, Mario S.. De volta a 1999. Correio Braziliense: Caderno Economia, Brasília, p. 12 - 12, 16 nov. 2005.

64.
SALERNO, Mario S.. Produção cai na maior parte do país. Correio Braziliense: Economia, Brasília, p. 16 - 16, 12 nov. 2005.

65.
SALERNO, Mario S.. Ipea lança novo boletim de análise do setor industrial. Agencia Brasil / Radiobras, Brasília - internet, 12 nov. 2005.

66.
SALERNO, Mario S.. Iniciativa nacional pela inovação:inovar é a melhor estratégia para o desenvolvimento. 150 maiores empresas - Espírito Santo, Vitória, , v. 9, p. 54 - 56, 03 nov. 2005.

67.
SALERNO, Mario S.. O salto dos cosméticos: produtos de beleza ganham o primeiro Plano de Desenvolvimento Setorial , p.42-5. Revista Indústria Brasileira, CNI, Brasília, p. 42 - 45, 01 nov. 2005.

68.
SALERNO, Mario S.. Política industrial deve ser estratégica. Tribuna Metalúrgica, São Bernardo do Campo, p. 4 - 4, 26 out. 2005.

69.
SALERNO, Mario S.. A retomada do investimento. Desafios do Desenvolvimento, Brasília, p. 12 - 12, 01 out. 2005.

70.
SALERNO, Mario S.. O difícil caminho para o mundo. Desafios do Desenvolvimento, Brasília, Ipea/Pnud, p. 45 - 49, 01 out. 2005.

71.
SALERNO, Mario S.. ABDI e setor de cosméticos definem metas em outubro. Gazeta Mercantil: Nacional, São Paulo, p. A 6 - A6, 19 set. 2005.

72.
SALERNO, Mario S.. Assinado primeiro convênio da ABDI. InvestNews On Line, 19 set. 2005.

73.
SALERNO, Mario S.. Instituições firmam acordo para fortalecer indústria brasileira de cosméticos. Portal da Cidadania - Brasil Agora: Radiobras / Agência Brasil, Brasília - internet, 12 set. 2005.

74.
TEIXEIRA, Alessandro ; SALERNO, Mario S. . Por uma iniciativa nacional para inovação. Folha de S. Paulo: caderno Dinheiro, São Paulo, , v. 27.916, p. B2 - B2, 07 set. 2005.

75.
SALERNO, Mario S.. Diretor da ABDI apresenta Iniciativa Nacional de Biotecnologia para articular ações e projetos na área. Inovação Unicamp, Campinas - Internet, 07 set. 2005.

76.
SALERNO, Mario S.. Sangue estatal. Problemas Brasileiros (São Paulo), São Paulo, , v. 370, p. 8 - 11, 01 jul. 2005.

77.
SALERNO, Mario S.. Economista diz que incentivo para bens de capital beneficia só exportadores de insumos básicos; diretor da ABDI rebate. Inovação Unicamp, Campinas - Internet, 30 jun. 2005.

78.
SALERNO, Mario S.. MP 252 e política industrial. Clipping Anpei, São Paulo - internet, 30 jun. 2005.

79.
SALERNO, Mario S.. Indústria automotiva reivindica aumento do mercado interno. Tribuna da Alagoas, Maceió, 29 jun. 2005.

80.
SALERNO, Mario S.. Câmara setorial do mercado automotivo pode ressurgir. Diário do Grande ABC, Santo André, 29 jun. 2005.

81.
SALERNO, Mario S.. Ipea lança livro que propõe novo modelo para análise das firmas. Inovação Unicamp, Campinas - internet, 16 maio 2005.

82.
SALERNO, Mario S.. Projeto de lei de incentivo está pronto para ir ao Congresso. Gazeta Mercantil: Nacional / Política Industrial, São Paulo, p. A4 - A4, 09 maio 2005.

83.
SALERNO, Mario S.. Setor têxtil pressiona contra China. Gazeta Mercantil: Relações Internacionais,\, São Paulo e internet, 06 maio 2005.

84.
SALERNO, Mario S.. Governo acelera política industrial. O Estado de São Paulo: caderno B, São Paulo, p. B1 - B1, 02 maio 2005.

85.
SALERNO, Mario S.. Política industrial: um ano depois.. Revista Indústria Farmacêutica, Febrafarma, São Paulo, 01 maio 2005.

86.
SALERNO, Mario S.. O censo da inovação, Revista Exame, , p. 32-35, 13 de abril. Revista Exame,, São Paulo, p. 32 - 35, 13 abr. 2005.

87.
SALERNO, Mario S.. O censo da inovação. Jornal da Ciência, Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, Internet, 13 abr. 2005.

88.
SALERNO, Mario S.. A ABDI entra em cena.. Rumos, Rio de Janeiro, , v. 29, p. 42 - 43, 02 abr. 2005.

89.
SALERNO, Mario S.. Inovação, competitividade e inserção internacional norteiam o planejamento estratégico da ABDI. Gestão C&T, Brasília, ABIPTI, p. 3 - 3, 01 abr. 2005.

90.
SALERNO, Mario S.. A política industrial é para mudar o patamar da indústria, diz o diretor da ABDI, que vê o governo alinhado com inovação.. Inovação Unicamp, Campinas - Internet, 31 mar. 2005.

91.
SALERNO, Mario S.. O triunfo da inovação. Revista Indústria Brasileira, CNI, Brasília, p. 17 - 21, 30 mar. 2005.

92.
SALERNO, Mario S.. Política industrial terá verba de R$14 milhões. Correio Braziliense, Brasília, p. 15 - 15, 03 fev. 2005.

93.
SALERNO, Mario S.. Agência de política industrial começa a funcionar em março. O Estado de Sào Paulo: Caderno Economia, Sào Paulo, p. B3 - B3, 03 fev. 2005.

94.
SALERNO, Mario S.. Esforço recompensado: empresas que inovam e diferenciam produtos exportam mais e com preço maior que concorrentes. Revista Pesquisa Fapesp, São Paulo, 01 fev. 2005.

95.
SALERNO, Mario S.. Governo vai avaliar efeito China para o país: : Ipea cria grupo com membros de vários órgãos para analisar impactos de acordos e parcerias entre os dois países. O Estado de São Paulo: Caderno Economia, p. B6 - B6, 25 jan. 2005.

96.
SALERNO, Mario S.. Institucionalidade da política industrial: Presidente sanciona lei que cria Agência de Desenvolvimento Industrial; mas veta detalhamento de suas competências. Inovação Unicamp, Campinas - Internet, 20 jan. 2005.

97.
SALERNO, Mario S.; ARBIX, Glauco . A estratégia é inovar.. Carta Capital, São Paulo, , v. 323, p. 38 - 39, 29 dez. 2004.

98.
SALERNO, Mario S.. Pesquisa aumenta em 30% faturamento de empresa: estudo do Ipea mostra que o investimento em inovação tem amplo retorno. O Estado de São Paulo, São Paulo, p. 1 - B3, 12 dez. 2004.

99.
SALERNO, Mario S.; ARBIX, Glauco ; NEGRI, João Alberto de . Inovar para sustentar o crescimento.. Folha de São Paulo, São Paulo, , v. 84, p. A3, 07 dez. 2004.

100.
SALERNO, Mario S.. Os criativos ganham mais: pesquisa pioneira retrata a importância da inovação para as exportações. Desafios do Desenvolvimento, Brasília, p. 47 - 47, 01 dez. 2004.

101.
SALERNO, Mario S.. Um balanço dos anos 1990. Desafios do Desenvolvimento, Brasília, , v. 1, n.4, p. 79 - 79, 01 nov. 2004.

102.
SALERNO, Mario S.. Catálogo de pesquisa. Desafios do Desenvolvimento, Brasília, p. 48 - 48, 01 nov. 2004.

103.
SALERNO, Mario S.. Empresas anunciam investimentos de US$47 bi. O Estado de São Paulo: Economia & Negócios, São Paulo, p. B1 - B1, 01 out. 2004.

104.
SALERNO, Mario S.. Multi-fuel engines in Brazil and the renew of alcohol as fuel. La Letre du Gerpisa, Paris, p. 14 - 14, 01 set. 2004.

105.
SALERNO, Mario S.. Tudo bem, até agora.. Indústria Brasileira, Brasília, , v. 4, p. 16 - 20, 01 set. 2004.

106.
SALERNO, Mario S.. Mário Salerno, do IPEA, explica a concepção da política industrial e diz como está sendo implementada pelo governo. Inováção Unicamp, Campinas - internet, 19 ago. 2004.

107.
SALERNO, Mario S.. Inovar requer capacitação e trabalho. Desafios do Desenvolvimento, Brasília, , v. 1, p. 50 - 50, 01 ago. 2004.

108.
SALERNO, Mario S.. XXVII Encontro Nacional de Física da Matéria Condensada - Mesa Redonda: 'A Física e a Política Industrial'. Inovação Unicamp, Internet, 20 maio 2004.

109.
SALERNO, Mario S.. Pesquisa da Anpei mostra que empresas brasileiras inovam mais em processo do que em produto; vigor depende do porte.. Inovação Unicamp, Campinas - internet, 10 maio 2004.

110.
SALERNO, Mario S.. Parcerias em tecnologia terão incentivo. O Estado de São Paulo: Economia & Negócios, São Paulo, p. B4 - B4, 01 maio 2004.

111.
SALERNO, Mario S.. Parcerias em tecnologia terão incentivo: intenção do governo é facilitar a união de pequenas empresas para internacionalização. O Estado de São Paulo: caderno Economia, São Paulo, p. B4 - B4, 01 maio 2004.

112.
SALERNO, Mario S.. Mal-estar cerca lançamento da política industrial B4, 4 de abril. O Estado de São Paulo: Economia, São Paulo, p. B4 - B4, 04 abr. 2004.

113.
SALERNO, Mario S.. Governo prevê estatal para fabricar vacina. Folha de São Paulo: Dinheiro, Sào Paulo, p. B12 - B12, 01 abr. 2004.

114.
SALERNO, Mario S.. Empresas estão confiantes e anunciam investimentos. Correio do Povo, Porto Alegre, p. 1 - 1, 01 abr. 2004.

115.
SALERNO, Mario S.. Governo tenta mostrar que política industrial já está na rua. Carta Maior: Economia, Internet, 27 nov. 2003.

116.
SALERNO, Mario S.. Produção da indústria já regride 12 anos.. Folha de São Paulo: local, São Paulo, 11 ago. 2003.

117.
SALERNO, Mario S.. Um novo modelo para a cadeia automotiva nacional. Banas Qualidade, São Paulo, p. 50 - 54, 01 jan. 2003.

118.
SALERNO, Mario S.. GM launches in Brazil a small monovolume based on the new Corsa platform. La Letre du Gerpisa, Paris, p. 14 - 14, 01 nov. 2002.

119.
SALERNO, Mario S.. Fórum: existe interdisciplinaridade na USP?. Jornal do Campus, São Paulo, p. 2 - 2, 12 set. 2002.

120.
SALERNO, Mario S.. Poli-USP apoiará pesquisa de tecnologias para projetos sociais. Universia Brasil, Internet, 23 ago. 2002.

121.
SALERNO, Mario S.. Crise põe montadoras em xeque , p. A14, 21 de julho. Jornal do Brasil: Economia & Negócios, Rio de Janeiro, p. A14 - A14, 21 jun. 2002.

122.
SALERNO, Mario S.. Mão-de-obra brasileira é mais barata, diz especialista. O Tempo: Carro & Cia, Belo Horizonte, p. 4 - 4, 27 abr. 2002.

123.
SALERNO, Mario S.. Ford will try to wow the world with new plant in Brazil. CNM-CUT Internacional English Edition, São Paulo, , v. 10, p. 4 - 5, 02 out. 2001.

124.
SALERNO, Mario S.. Ford's new Brazilian plant will attempt to wow the world. Auto.com Detroit Free Press, Detroit - internet, 28 set. 2001.

125.
SALERNO, Mario S.; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Novos padrões de relacionamento entre montadoras e autopeças no Brasil: algumas proposições. iautomotivo: a plataforma web da indústria automotiva, p. 1 - 6, 30 jul. 2001.

126.
SALERNO, Mario S.. A Renault engata a terceira. Amanhã: economia & negócios, Porto Alegre, p. 138 - 138, 01 jul. 2001.

127.
SALERNO, Mario S.. Mudança radical.. Notícias FIESP/CIESP, São Paulo, , v. 3, n62, p. 20 - 23, 11 jun. 2001.

128.
SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro ; MARX, Roberto . USP realiza censo automotivo. Revista Mercado Autopeças, São Paulo, Photon Editora, , v. XI, p. 8 - 13, 01 mar. 2001.

129.
SALERNO, Mario S.; GRAZIADIO, Thaise. . New GM modular plant inaugurated (Blue Macaw project). La Lettre du Gerpisa, Paris, p. 16 - 17, 01 nov. 2000.

130.
SALERNO, Mario S.. Empresa tem de explicar demora do recall, afirma professor da USP. Folha de São Paulo: Finheiro, São Paulo, p. B8 - B8, 19 out. 2000.

131.
SALERNO, Mario S.. Número de casos no Brasil é pequeno. Jornal da Tarde: Economia, São Paulo, p. 5-A - 5-A, 19 out. 2000.

132.
SALERNO, Mario S.. Firestone estuda pagar por pneu devolvido no Brasil. Uol News, Internet, 27 set. 2000.

133.
SALERNO, Mario S.. Com quantos robôs se faz uma GM. Amanhã (Porto Alegre), Porto Alegre, , v. 157, p. 92 - 94, 01 ago. 2000.

134.
SALERNO, Mario S.. Argentina - Brazil: new automotive regime. La Lettre du Gerpisa, Paris, p. 17 - 17, 01 maio 2000.

135.
SALERNO, Mario S.. O caminho das pedras. Unitrabalho informa, p. 3 - 3, 01 jan. 2000.

136.
SALERNO, Mario S.. Como encontrar a fórmula ideal?. Livre Mercado - economia com compromisso social, p. 12 - 13, 01 dez. 1999.

137.
SALERNO, Mario S.. Condomínios: geração de emprego nas montadoras de automóveis é ainda pequena. Diadema Jornal: Economia, Diadema, p. 1 - 1, 12 set. 1999.

138.
SALERNO, Mario S.. Montadoras temem concorrência da nova Ford. O Estado de São Paulo: Economia, p. B4, 18 de junho, São Paulo, p. B4 - B4, 18 jun. 1999.

139.
SALERNO, Mario S.. Novas montadoras geram pouco emprego: professor da Poli afirma que fábricas não criam vagas esperadas. Diário do Grande ABC: Economia, Santo André, p. 4 - 4, 16 maio 1999.

140.
SALERNO, Mario S.. Um debate sobre geração de renda, São Paulo, 10 a 16 de maio. Jornal da US": Especial: Trabalho, São Paulo, p. 6 - 6, 10 maio 1999.

141.
SALERNO, Mario S.. Contraponto: cartel ou oligopólio?. Jornal da Tarde, p. 2 - 2, 05 maio 1999.

142.
SALERNO, Mario S.. Nova estrutura de montadoras gera poucos empregos. Agência USP de notícias: destaques, São Paulo, p. 1 - 2, 28 abr. 1999.

143.
SALERNO, Mario S.. Organização da produção integrada. Boletim Fundação Vanzolini, Sào Paulo, p. 13 - 13, 01 set. 1998.

144.
SALERNO, Mario S.. Automação flexível, gestão do tempo e processos de trabalho na indústria. Revista Engenharia de Produção, São Paulo, p. 16 - 38, 01 jan. 1989.

145.
SALERNO, Mario S.. Matéria Pública. TV Cultura, São Paulo.

146.
SALERNO, Mario S.. Divorce VW-Ford au Brésil et en Argentina: Autolatina est finie. La Lettre du Gerpisa, Paris, p. 9 - 9.

147.
SALERNO, Mario S.. La nouvelle usine VW au Brésil: le Consortium Modulaire. La Lettre du Gerpisa, Paris, p. 9 - 9.

148.
SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro . L'usine VW à Resende a été inauguré / VW plant at Resende inaugurated. La Lettre du Gerpisa, Paris, p. 13 - 14.

149.
SALERNO, Mario S.. Inovar e diferenciar. Observatório Econômico, Santo André, v.4, n.11, jan/fev./mar. 2006, p.10-11. Editado pela Secretaria de Desenvolvimento e Ação Regional da Prefeitura, Santo André, , v. 4,n.11, p. 10 - 11.

150.
SALERNO, Mario S.. Indústria de cosméticos: beleza que gera riqueza.. Sebrae, Brasília, p. 62 - 62.

151.
SALERNO, Mario S.. Crônica do 17 de outubro. Interação - política, economia, estratégias empresariais e sindicais no mundo, São Paulo, p. 17 - 18.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
SALERNO, Mario S.; MATSUMOTO, Criatiane ; AMARAL, Guilherme . Drivers of electro mobility adoption: a contextual analysis. In: 26th Gerpisa International Colloquium, 2018, São Paulo. Who drives the change? New and traditional players in the global automotive sector. Paris: Gerpisa, 2018. p. 1-23.

2.
GIANNINI, Ruri ; SALERNO, Mario S. . Análise Ergonômica do Trabalho como Ferramenta do Design Thinking: uma abordagem teórica. In: XXI SEMEAD - Seminários de Administração 2018, 2018, São Paulo. XII SEMEAD - Seminários de Administração 2018. São Paulo: FEA-USP, 2018. p. 1-14.

3.
CHAPARRO, Ximena A. F. ; SALERNO, Mario S. . O Pivotamento nas Startups: uma revisão da literatura. In: XXI Semead - Seminários de Administração 2018, 2018, São Paulo. XXI Semead - Seminários de Administração 2018. São Paulo: FEA-USP, 2018. v. XXI. p. 1-17.

4.
BRASIL, Vinicius C. ; GOMES, Leonardo A. V. ; SALERNO, Mario S. ; PAULA, Rafael A. S. R. . Multilevel approach for Real Options in the innovation management process: integrating project, portfolio and strategy. In: IRNOP 2017 International Research Network on Organizing by Project s, 2017, Boston. T h e M o d e r n P r o j e c t : M i n d s e t s , T o o l s e t s , a n d T h e o r e t i c a l F r a me w o r k s. Boston: IRNOP / Boston University, 2017. p. 2008-2016.

5.
MARANZATO, Felipe P. ; SALERNO, Mario S. . Interface e integração entre a Pesquisa (P) e o Desenvolvimento (D): revisão teórica e análise via capacitações dinâmicas. In: XX Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais, 2017, São Paulo. XX Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais Tema: Agenda de Transição para a Indústria 4.0. São Paulo: EAESP-FGV, 2017. v. 2017. p. 1-16.

6.
PAULA, Rafael A. S. R. ; BAGNO, Raoni B. ; SALERNO, Mario S. ; MARX, Roberto . Corporate innovation program in a powertrain firm: a case study of implementation and evolution phases. In: 24th International Colloquium of Gerpisa, 2016, Puebla, Mexico. THE NEW FRONTIERS OF THE WORLD AUTOMOTIVE INDUSTRY TECHNOLOGIES APPLICATIONS INNOVATIONS MARKETS. Paris: Gerpisa, 2016.

7.
MARANZATO, Felipe P. ; SALERNO, Mario S. ; GOMES, Leonardo A. V. ; YU, Abraham S. O. ; Nascimento, Paulo Tromboni S. ; HORTA, Luciana H. H. . Evaluation of Integration Models in Intra-Firm Technology Transfer between Research and Development. In: The 25th International Conference for Management of Technology, 2016, Orlando, Florida, EUA. Technology: future thinking. Orlando e Pretoria: IAMOT, 2016. v. 25. p. 1-20.

8.
PAULA, Rafael A. S. R. ; BRASIL, Vinicius C. ; MARANZATO, Felipe P. ; SALERNO, Mario S. ; MARX, Roberto . Exploration: open questions in organizational analysis, what we know and what we do not know. In: The 25th International Conference for Management of Technology, 2016, Orlando, Florida, EUA. Technology: future thinking. Orlando e Pretória: IAMOT, 2016. v. 25. p. 1-17.

9.
MARUYAMA, Felipe M. ; SALERNO, Mario S. . DE INCUBADORAS A ACELERADORAS: MODELO DE NEGÓCIOS ORIENTANDO NOVAS PROPOSTAS DE VALORES. In: SIMPOI 2016 - XIX SIMPÓSIO DE ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO, LOGÍSTICA E OPERAÇÕES INTERNACIONAIS, 2016, São Paulo. Operações e prosperidade: o desafio da criação de valor. São Paulo - SP: FGV, 2016. p. 1-16.

10.
BRASIL, Vinicius C. ; SALERNO, Mario S. . Políticas públicas de apoio à gestão da inovação: o caso NAGI POLI-USP. In: XXIX Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, 2016, São Paulo. XXIX Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, 2016. p. 1-8.

11.
SCHNEIDER, Alice F. ; SALERNO, Mario S. . UNCERTAINTIES IN THE RECYCLING OF WASTE ELECTRICAL A ND ELECTRONIC EQUIPMENT: A LITERATURE REVIEW. In: 14th THEIIER INTERNATIONAL CONFERENCE, 2015, Paris, França. PROCEEDINGS OF THE FOURTEENTH THEIIER INTERNATIONAL CONFERENCE, 2015. v. 14. p. 84-89.

12.
BAGNO, Raoni B. ; SALERNO, Mario S. ; DIAS, Ana Valéria Carneiro . The emergence of innovation function in Brazilian companies. In: 24th International Association for Managemet of Technology Conference - IAMOT 2015, 2015, Cidade do Cabo, África do Sul'. Technology, Innovation and Management for Sustainable Growth. Pretoria: University of Pretoria / IAMOT, 2015. p. 967-986.

13.
SALERNO, Mario S.; BRASIL, Vinicius C. ; GOMES, Leonardo A. V. . VALUATION OF INNOVATION PROJECTS WITH HIGH UNCERTAINTY: REASONS BEHIND THE IMPLEMENTATION OF REAL OPTIONS. In: 24th International Association for management of Technology Conference IAMOT 2015, 2015, Cidade do Cabo, África do Sul. Technology, Innovation and Management for Sustainable Growth. Pretoria: University of Pretoria / IAMOT, 2015. p. 389-403.

14.
BAGNO, Raoni B. ; SALERNO, Mario S. . INOVAÇÃO COMO FUNÇÃO ORGANIZACIONAL EMERGENTE: ESTUDO DE CASOS EM INDÚSTRIAS NO BRASIL. In: IX Workshop do Instituto de Inovação e Gestão de Desenvolvimento de Produto, 2015, São José dos Campos. Gestão da inovação de produtos: pesquisas atuais. São José dos Campos: Instituto de Gestão e Desenvolvimento do Produto (IGDP), 2014. p. 93-98.

15.
AMARAL, Guilherme ; SALERNO, Mario S. . The National Competitiveness Indexes: what do they are measuring, what do they should do. In: 13th Globelics International Conference, 2015, Havava, Cuba. Innovation to reduce poverty and inequalities for inclusive and sustainable development. internet: Globelics, 2015. v. 13. p. 1-19.

16.
PAULA, Rafael A. S. R. ; BAGNO, Raoni B. ; SALERNO, Mario S. . Análise da implantação e evolução de um programa corporativo de inovação em uma empresa de grande porte do setor automotivo. In: XVI Congresso Latino-Iberoamericano de Gestão da Tecnologia, 2015, Porto Alegre. Inovação para além da tecnologia. Internet: Altec/NITEC-UFRGS, 2015. p. 1-16.

17.
BERTAZI, L.uis ; SALERNO, Mario S. . Diagnóstico da capacidade inovadora de pequenas e médias indústrias brasileiras. In: XXII SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção, 2015, Bauru. Política Nacional de Inovação e Engenharia de Produção. Bauru: Unesp, 2015. p. 1-15.

18.
BERTAZI, L.uis ; SALERNO, Mario S. . Evolução e panorama da pesquisa em indicadores de inovação. In: XXII SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção, 2015, Bauru. Política Nacional de Inovação e Engenharia de Produção. Bauru: Unesp, 2015. p. 1-15.

19.
MARUYAMA, Felipe M. ; SALERNO, Mario S. . Abordagem exploratória das contribuições das incubadoras de negócios das universidades no ecossistema de empreendedorismo. In: XXII SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção, 2015, Bauru. Política Nacional de Inovação e Engenharia de Produção. Bauru: Unesp, 2015. p. 1-15.

20.
MONTILHA, Paula C. ; SALERNO, Mario S. . A METODOLOGIA LEARNING PLAN APLICADA NO DESENVOLVIMENTO DO ETANOL DE SEGUNDA GERAÇÃO. ESTUDO DE CASO: EMPRESA DO SETOR SUCROALCOOLEIRO. In: XXII SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção, 2015, Bauru. Política Nacional de Inovação e Engenharia de Produção. Bauru: Unesp, 2015. p. 1-15.

21.
MARANZATO, Felipe P. ; SALERNO, Mario S. . Integração e transferência de tecnologia entre Pesquisa e Desenvolvimento. In: XXII SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção, 2015, Bauru. Política Nacional de Inovação e Engenharia de Produção. Bauru: Unesp, 2015. p. 1-15.

22.
REIS, Gustavo H. S. S. ; SALERNO, Mario S. . Avaliação do desempenho de micro e pequenas empresas: survey a partir do Peiex-Apex. In: XXXV Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2015, Fortaleza. Perspectivas globais para a engenharia de produção. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Engenharia de Produção, 2015.

23.
IKENAMI, Rodrigo K. ; SALERNO, Mario S. . Ecossistema de negócio: estudo exploratório acerca da delimitação de suas fronteiras. In: XXXV Encontro Nacional de Engenharia de Produção - ENEGEP, 2015, Fortaleza. Perspectivas globais para a engenharia de produção. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Engenharia de Produção - ABEPRO, 2015. p. 1-17.

24.
BRASIL, Vinicius C. ; RIBEIRO, Celma O. ; SALERNO, Mario S. . Utilização da abordagem de opções reais para modelagem e valoração de projetos de P&D: um estudo de caso do setor de combustíveis renováveis. In: XXXV Encontro Nacional de Engenharia de produção - ENEGEP, 2015, Fortaleza. Perspectivas globais para a engenharia de produção. Rio de Janeiro: ABEPRO - Associação Brasileira de Engenharia de Produção, 2015. p. 1-12.

25.
FACIN, ANA LUCIA FIGUEIREDO ; Salerno, Mario Sergio ; SPINOLA, MAURO DE MESQUITA . Use of platforms in product development: A case study in the Brazilian software industry. In: 11th CONTECSI International Conference on Information Systems and Technology Management, 2014, Sao Paulo. Proceedings of the 11th CONTECSI International Conference on Information Systems and Technology Management, 2014.

26.
BRASIL, Vinicius C. ; BASTOS, Felipe P. T. ; SILVA, Sandro M. ; BAGNO, Raoni B. ; SALERNO, Mario S. . AVALIAÇÃO DO LEGADO DO MOVIMENTO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES PARA A GESTÃO DA INOVAÇÃO: O CASO DE UMA MULTINACIONAL PRODUTORA DE ALIMENTOS. In: XXXIV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÂO, 2014, Curitiba, PR. Engenharia de Produção, Infraestrutura e Desenvolvimento Sustentável: a Agenda Brasil+10, 2014. p. 1-15.

27.
CARNEVALLI, José A. ; MIGUEL, Paulo. A. C. ; SALERNO, Mario S. . Benefits and difficulties when adopting modularity: results from a survey in the Brazilian automotive industry. In: 21 Gerpisa International Colloquium, 2013, Cachan (Paris), França. The search for competitiveness: corporate strategies and public policies in the World automobile industry. Cachan: Gerpisa, 2013.

28.
BRONES, Fabien A. ; CARVALHO, Marly M. ; SALERNO, Mario S. . Environmental perspective intio new products portfolio: a challenge for the effectiveness of ecodesign. In: EUROMA - Europena Operations Management Association Association Conference, 2013, Dublin. 20th EurOMA Conference. Dublin: UCD and TCD Schools of Business, 2013. p. 1-10.

29.
SALERNO, Mario S.; GOMES, Leonardo A. V. ; FREITAS, Simone Lara T. U. ; SILVA, Debora O. ; BAGNO, Raoni B. . Innovation processes: which one for which project?. In: 4th World Conference Production & Operations Management, 2012, Amsterdam. Serving the world. Amsterdam: Euroma / Joms / POMS, 2012. p. 1-10.

30.
BAGNO, Raoni B. ; SALERNO, Mario S. ; AMATO NETO, João ; SILVA, Debora O. . Innovation and Technological Competence Building in Brazilian Automotive Subsidiaries from the Perspective of Inter-Organizational Networks. In: XX Gerpisa International Colloquium, 2012, Cracóvia, Polônia. Structuring New Automotive Industries, Restructuring Old Automotive Industries and the New Geopolitics of the Global Automotive Sector. Paris: Gerpisa, 2012. v. web. p. 1-15.

31.
SALERNO, Mario S.; BAGNO, Raoni B. ; GOMES, Leonardo A. V. ; SILVA, Debora O. ; FREITAS, Simone Lara T. U. . Innovation Models in Automotive Industry: Different Contingencies, Different Processes. In: Structuring New Automotive Industries, Restructuring Old Automotive Industries and the New Geopolitics of the Global Automotive Sector, 2012, Cracóvia, Polônia. Structuring New Automotive Industries, Restructuring Old Automotive Industries and the New Geopolitics of the Global Automotive Sector. Paris: Gerpisa, 2012. v. web. p. 1-17.

32.
FREITAS, Simone Lara T. U. ; Salerno, M.S. . A influência da Petrobras no desenvolvimento tecnológico: o caso dos institutos de ciência e tecnologia. In: XXXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2012, Bento Gonçalves, RS. XXXII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Social: As Contribuições da Engenharia de Produção, 2012. v. 32. p. 1-10.

33.
BAGNO, Raoni B. ; PAULA, Rafael A. S. R. ; SILVA, Debora O. ; SALERNO, Mario S. . Elementos de programas corporativos de inovação: uma análise a partir da prática de empresas inovadoras no Brasil. In: XXXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2012, Bento Gonçalves, RS. XXXII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Social: As Contribuições da Engenharia de Produção, 2012. v. XXXII. p. 1-10.

34.
VARANDAS JR, Angelo ; MIGUEL, Paulo. A. C. ; SALERNO, Mario S. . Assessing innovation management in a company from the steel industry. In: Proceedings of Portland International Center for Management of Engineering and Technology: Technology Management for Emerging Technologies, 2012, Vancouver, Canadá. Technology Management for Emerging Technologies. Portland: PICMET, 2012. p. 1942-1952.

35.
LOPES, Ana P. ; KISSIMOTO, Kumiko O. ; SALERNO, Mario S. ; LAURINDO, F. J. B. ; CARVALHO, Marly M. . Innovation management: a literature review about the evolution and the different innovation models. In: ICEOM - International Conference on Industrial Engineering and Operations Management, 2012, Rio de Janeiro. Proceedings of the XVIII International Conference on Industrial Engineering and Operations Management. Rio de Janeiro: Abepro - Associação Brasileira de Engenharia de Produção, 2012. p. 1-8.

36.
SILVA, Eduardo M. ; LAURINDO, F. J. B. ; SALERNO, Mario S. . IT contribution forms to corporate innovation: A case study in a large Brazilian bank. In: ICPR-AR 2012 (International Conference of Production Research America´s 2012, 2012, Santiago. Proceedings of ICPR-AR 2012. Santiago: USACH - Universidad de Saniago de Chile, 2012. p. 1-6.

37.
GOMES, Leonardo A. V. ; AMARAL, Guilherme ; SBRAGIA, Roberto ; SALERNO, Mario S. ; FREITAS, Simone Lara T. U. . INTEGRATION OF MANAGERIAL AND SOCIOLOGICAL PERSPECTIVE OF INNOVATION: A FRAMEWORK TO THE DEVELOPMENT PROCESS OF RADICAL INNOVATION PRODUCT. In: IAMOT 2011 - 20th INTERNATIONAL CONFERENCE FOR THE INTERNATIONAL ASSOCIATION OF MANAGEMENT OF TECHNOLOGY, 2011, Miami, USA. Technology and the Global Challenges: Security, Energy, Water, and the Environment. Miami Beach: INTERNATIONAL ASSOCIATION OF MANAGEMENT OF TECHNOLOGY, 2011. p. 1-19.

38.
SILVA, Debora O. ; VACCARO, Guilherme L. R. ; SALERNO, Mario S . ANÁLISE DAS CONTINGÊNCIAS DE PROJETOS DE INOVAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE SERVIÇOS HOSPITALARES. In: XXXI ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO, 2011, Belo Horizonte. Inovação Tecnológica e Propriedade Intelectual: Desafios da Engenharia de Produção na Consolidação do Brasil no Cenário Econômico Mundial. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Engenharia de Produção, 2011. p. 1-14.

39.
LOPES, Felipe B. ; SALERNO, Mario S. ; BERSSANETI, Fernando T. . A voz do cliente na construção sustentável: um estudo sobre empreendimentos residenciais. In: XVIII SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção, 2011, Bauru - SP. Anais - SIMPEP. Bauru: Unesp, 2011. p. 1-13.

40.
LOPES, Felipe B. ; SALERNO, Mario S. ; BERSSANETI, Fernando T. . Gestão de portfólio e inovação em centro de P&D com múltiplos patrocinadores - um estudo de caso. In: XVIII SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção, 2011, Bauru - SP. Anais - SIMPEP. Bauru: Unesp, 2011. p. 1-12.

41.
BAGNO, Raoni B. ; SALERNO, Mario S. ; LAURINDO, F. J. B. . Gestão do conhecimento e práticas organizacionais: estudo de caso em empresas que departamentalizaram a GC. In: XVIII SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção, 2011, Bauru - SP. Anais - SIMPEP. Bauru: Unesp, 2011. p. 1-15.

42.
ARAUJO, Veneziano C. ; GARCIA, Renato C. ; SALERNO, Mario S. . Inovação em setores de baixa e média tecnologia: o caso da Vinícola Miolo. In: XXXI Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2011, Belo Horizonte. Inovação Tecnológica e Propriedade Intelectual: Desafios da Engenharia de Produção na Consolidação do Brasil no. Rio de Janeiro: Abepro, 2011. p. 1-14.

43.
BERSSANETI, Fernando T. ; LOPES, Felipe B. ; SALERNO, Mario S. . Como utilizar as lições aprendidas em projetos para gerar, enraizar o conhecimento e melhorar processos e práticas de gerenciamento de projetos. In: XVIII SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção, 2011, Bauru - SP. Anais - SIMPEP. Bauru: Unesp, 2011. p. 1-13.

44.
GOMES, Leonardo A. V. ; SALERNO, Mario S. ; VAHDAT, Vahid . A new approach for the development of academic spin offs. In: 21st Annual Conference of the Production and Operations Management Society, 2010, Vancouver, Canadá. Program and Proceedings, edited by Mark D. Hanna, 2010. v. CD-ROM.

45.
GOMES, Leonardo A. V. ; SALERNO, Mario S. . Proposition of a Dynamic Approach for a Technology Roadmap. In: 21st Annual Conference of the Production and Operations Management Society, 2010, Vancouver, Canadá. Program and Proceedings, edited by Mark D. Hanna, 2010. v. CD-ROM.

46.
SALERNO, Mario S.; GOMES, Leonardo A. V. ; FREITAS, Simone Lara T. U. ; Kroth, Leo T. ; VAHDAT, Vahid ; MELLO, Adriana M. ; LIMA, Wander D. . Organization and Management of the Expanded Innovation Value Chain. In: 21st Annual Conference of the Production and Operations Management Society, 2010, Vancouver, Canadá. Program and Proceedings, edited by Mark D. Hanna, 2010. v. CD-ROM.

47.
SALERNO, Mario S; ARBIX, Glauco . Economic growth, social development and crisis management: recent evolution of the auto industry in Brazil. In: 18th International Gerpisa colloquium, 2010, Berlim (Alemanha). The greening of the global auto industry in a period of crisis. Paris: Gerpisa/WZB, 2010.

48.
FERREIRA, Vanessa L. ; SALERNO, Mario S ; LOURENCAO, Paulo. T. M. . Parcerias Estratégicas na Indústria Aeronáutica Brasileira. In: XIII SIMPOI - Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais, 2010, São Paulo. Redes de operações globais: oportunidades e desafios. São Paulo: EAESP-FGV, 2010. v. CD-ROM. p. 1-16.

49.
VARANDAS JR, Angelo ; SALERNO, Mario S. ; MIGUEL, Paulo. A. C. . Análise da Organização e Gestão da Cadeia de Valor da Inovação em uma Empresa do Setor Siderúrgico. In: XXX Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2010, São Carlos - SP. Maturidade e Desafios da Engenharia de Produção: Competitividade das Empresas, Condições de Trabalho, Meio Ambiente. Rio de Janeiro/São Carlos: ABEPRO, 2010. p. 1-13.

50.
FREITAS, Simone Lara T. U. ; SALERNO, Mario S. ; MISSAWA, Vanessa . Impactos da Petrobras no Desenvolvimento do Setor de Serviços de Engenharia no Brasil. In: XXX Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2010, São Carlos - SP. Maturidade e Desafios da Engenharia de Produção: Competitividade das Empresas, Condições de Trabalho, Meio Ambiente. Rio de Janeiro / São Carlos: ABEPRO, 2010. p. 1-14.

51.
Kroth, Leo T. ; SALERNO, Mario S. ; GOMES, Leonardo A. V. . Technology Roadmap para Alinhamento e Integração de Projetos de Pesquisa e de Desenvolvimento em Institutos Públicos. In: XXX Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2010, São Carlos - SP. Maturidade e Desafios da Engenharia de Produção: Competitividade das Empresas, Condições de Trabalho, Meio Ambiente. Rio de Janeiro e São Carlos: ABEPRO, 2010. p. 1-15.

52.
CARNEVALLI, José A. ; MIGUEL, Paulo. A. C. ; SALERNO, Mario S. . Estudo de Caso sobre a Aplicação da Modularidade em Empresas Fabricantes de Motores Automotivos. In: XXX Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2010, São Carlos. Estudo de Caso sobre a Aplicação da Modularidade em Empresas Fabricantes de Motores Automotivos. Rio de Janeiro / São Carlos: ABEPRO, 2010. p. 1-13.

53.
ADES, Cely ; ROCHA, Adilson C. S. ; PLONSKI, Guilherme A. ; SALERNO, Mario S. . O modelo de Cadeia de Valor da Inovação aplicado a uma empresa start-up: estudo de caso de empresa brasileira de telemedicina. In: XXVI Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica da ANPAD, 2010, Vitória, 28 a 30 de novembro. XXVI Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica da ANPAD, 2010. p. 1-15.

54.
SALERNO, Mario S.. The impacts of the crisis on the Brazilian automotive industry. In: 17th Gerpisa International Colloquium, 2009, Paris. Sustainable Development in the Automobile Industry: Changing Landscapes. Paris: Gerpisa, 2009. p. 1-13.

55.
GOMES, Leonardo A. V. ; SALERNO, Mario S. . Um método de projeto organizacional para empresas de base tecnológica. In: XXIX Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2009, Salvador. Anais do ... Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Proceedings ... International Conference on Production Engineering and Operations Management, 2009.

56.
SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto ; GOMES, Leonardo A. V. ; MELLO, Adriana M. ; LIMA, Wander D. . Organização e gestão da cadeia de inovação expandida da empresa. In: XXIX Encontro nacional de Engenharia de Produção, 2009, Salvador. Anais do ... Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Proceedings ... International Conference on Production Engineering and Operations Management. Salvador: Abepro - CDROM e site, 2009.

57.
FERREIRA, Vanessa L. ; SALERNO, Mario S. . A estratégia na relação com fornecedores: o caso da Embraer. In: XXIX Encontro nacional de Engenharia de Produção, 2009, Salvador. Anais do ... Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Proceedings ... International Conference on Production Engineering and Operations Management. Salvador: Aberpro - CDROM e site, 2009.

58.
ARMELLINI, Fabiano ; KAMINSKI, Paulo C. ; SALERNO, Mario S. . Desverticalizando a cadeia de valor da inovação. In: XXIX Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2009, Salvador. Anais do ... Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Proceedings ... International Conference on Production Engineering and Operations Management. Salvador: Abepro - CDROM e site, 2009.

59.
Kroth, Leo T. ; MARX, Roberto ; SALERNO, Mario S. . Análise da Cadeia de Inovação em um Instituto Público de Pesqusa Agropecuária: o Caso Epagri/SC. In: XVI Simpep - Simpósio de Engenharia de Produção, 2009, Bauru. ENSINO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO: DESAFIOS, TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS. Bauru: Faculdade de Engenharia de Bauru - Unesp, 2009.

60.
MELLO, Adriana M. ; SALERNO, Mario S. ; MARX, Roberto . Organizational Structures For Innovation - How Do Companies Decide About Them?. In: ICPR Americas 2008 - 4th International Conference on Production Research, 2008, São Paulo. The role of emerging economies in the future of Global Production: Creating New Multinationals. São Paulo: Blücher (resumos impressos), CD-ROM (texto completo - T3_0060_0283), 2008. p. 1-10.

61.
CAMARGO, Otávio Silva ; SALERNO, Mario S. ; LEMOS, Mauro Borges . Growth of the Brazilian Automotive Industry and Its Regional Expansion ? 1996 to 2001. In: 16th Gerpisa International Colloquium, 2008, Turim, Itália. The automobile industry and sustainable development: concepts and dcotrines, public policies and company strategies. Paris: Gerpisa, 2008. v. CD-ROM. p. 1-29.

62.
SALERNO, Mario S.; NEGRI, João Alberto de ; BAHIA, Luis Dias ; ARBACHE, Jorge Saba . Strategies of product innovation and diferentiation do lead to higher wages: an empirical investigation in the Brazilian industry. In: Globelics 6th Internationa Conference 2008, 2008, Cidade do México. New insights for understanding innovation and competence building for sustainable developmenty and social justice. Cidade do México: UAM, 2008.

63.
SALERNO, Mario S.; MIRANDA, Idenilza M. ; KAMIZAKI, Fernando ; MALUTA, Geovani . Alavancando pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor de autopeças: análise e propostas a partir de survey e estudo qualitativo focado. In: XXVIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2008, Rio de Janeiro. A Integração das Cadeias Produtivas com a Abordagem da Manufatura Sustentável, 2008. v. CD-ROM.

64.
GOMES, Leonardo A. V. ; SALERNO, Mario S. . Modelo Integrado de Processo de Desenvolvimento de Produto e de Planejamento Inicial de Spin-Offs Acadêmicos. In: XXVIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2008, Rio de Janeiro. A Integração de Cadeias produtivas com a Abordagem da Manufatura Sustentável, 2008. v. CD-ROM.

65.
ROCHA, Juliana R. P. ; SALERNO, Mario S. ; CARVALHO, Marly M. . Fatores críticos de projetos gerenciados pelo APQP. In: XV Simpep - Simpósio de Engenharia de Produção, 2008, Bauru - SP. Anais - SIMPEP. Bauru: UNESP, 2008. p. 1-13.

66.
GOMES, Leonardo A. V. ; LANNA, Raquel S. ; SALERNO, Mario S. . Modelo de planejamentyo inicial para spin-offs acadêmicos. In: XV Simpep - Simpósio de Engenharia de Produção, 2008, Bauru. Anais - SIMPEP. Bauru: FEB-UNESP, 2008. p. 1-12.

67.
MELLO, Adriana M. ; SALERNO, Mario S. ; MARX, Roberto . Organizational Structures to Support Innovation. In: The 3rd World Conference on Production and Operations Management Euroma/POMS/JOMSA, 2008, Tóquio, Japão. Manufacturing Fundamentals: Necessity and Opportunity. Tóquio: JOMSA, 2008.

68.
NEGRI, João Alberto de ; SALERNO, Mario S. ; CASTRO, Antônio Barros de . Innovations, Technological Patterns and Performance of Brazilian Industrial Companies. In: 2nd MEIDE - Conference on Micro Evidence on Innovation in Developing Economies, 2008, Maastricht. Micro Evidence on Innovation in Developing Economies. Maastricht: UNU - United Nations University, 2008. p. 1-34.

69.
SALERNO, Mario S.. Reconfigurable organization to cope with unpredictable goals. In: 19th IICPR - International Conference on Production Research, 2007, Valparaiso, Chile. The Development of Collaborative production and Service Systems in Emergent Economies. Valparaiso: IFPR, PUC Valparaiso. Dept of Industrial Engineering - University of Santiago de Chile, 2007.

70.
SALERNO, Mario S.; CAMARGO, Otávio Silva ; LEMOS, Mauro Borges . Modularity and profits: a study of assemblers and suppliers profits after ten years of tiering in Brazil. In: 15th Gerpisa International Colloquium, 2007, Paris. What have we learned about the dynamics of automobile firms and systems over the past 15 years?. Evry, Françca: Gerpisa (internet), 2007.

71.
SALERNO, Mario S.; DAHER, Talita . PITCE com destaque para PME. In: 1 Seminário Internacional de Inovação na Pequena e Média Empresa, 2006, São Paulo. Anais. São Paulo: Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Peodução, 2006. p. 1-60.

72.
SALERNO, Mario S.; NEGRI, João Alberto de . Inovação, estratégias competitivas e inserção internacional das firmas da indústria brasileira. In: 3a. Conferância nacional de Ciencia,Ttecnologia e Inovação - Seminário Temático Preparatório, 2005, Brasília. Inserção de Empresas Brasileiras Agregadoras de Tecnologia no Cenário Internacional. Brasília: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, 2005.

73.
MARX, Roberto ; SALERNO, Mario S. ; ZILBOVICIUS, Mauro ; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Bottlenecks and opportunities for a higher pattern of local development in design and production competencies: the Brazilian experience in the automotive sector. In: Globelics 2005 Africa - Global Networkfor the Economics of Learning, Innovation and Competence Building Systems, 2005, Pretória, África do Sul. Globelics 2005 Africa. Rosslyn, África do Sul: Institute for Economic Research on Innovation, Faculty of Economic Sciences, Tswane University, 2005. p. 1-10.

74.
LIMA, Maria Letícia S. C. ; SALERNO, Mario S. . Local Development in Metropolitan Regions: an Analysis from Local Arrangements and Productive Systems. In: 11 Annual International EUROMA Conference, 2004, Fontainebleau. EUROMA 2004 - Operations Management as a change agent: proceedings. Fontainebleau: Euroma / INSEAD, 2004. v. 11. p. 371-379.

75.
SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto ; ZILBOVICIUS, Mauro . Strategies of product design, production and suppliers selection in the auto industry: final findings of a broad research in the majors Brazilian assemblers'subsidiaries and headquarters and suppliers. In: ELEVENTH GERPISA INTERNATIONAL COLLOQUIUM:COMPANY ACTORS ON THE LOOK OUT FOR NEW COMPROMISES - DEVELOPING THE GERPISA'S NEW ANALYTHICAL SCHEMA, 2003, Paris. ELEVENTH GERPISA INTERNATIONAL COLLOQUIUM:COMPANY ACTORS ON THE LOOK OUT FOR NEW COMPROMISES - DEVELOPING THE GERPISA'S NEW ANALYTHICAL SCHEMA. Paris: GERPISA, 2003. v. CD-ROM. p. 1-24.

76.
DIAS, Ana Valéria Carneiro ; SALERNO, Mario S. . International division of labour in product development activities: towards a selective decentralisation?. In: ELEVENTH GERPISA INTERNATIONAL COLLOQUIUM:COMPANY ACTORS ON THE LOOK OUT FOR NEW COMPROMISES - DEVELOPING THE GERPISA'S NEW ANALYTHICAL SCHEMA, 2003, Paris. ELEVENTH GERPISA INTERNATIONAL COLLOQUIUM:COMPANY ACTORS ON THE LOOK OUT FOR NEW COMPROMISES - DEVELOPING THE GERPISA'S NEW ANALYTHICAL SCHEMA. Paris: GERPISA, 2003. v. CD-ROM. p. 1-15.

77.
MARX, Roberto ; SALERNO, Mario S. ; ZILBOVICIUS, Mauro . The automobile industry in Brazil: production strategies and best practices in supply chain management. In: EUROMA - POMS Joint International Conference, 2003, Como. One World? One View of OM? The Challenges of Integrated Research and Practices, 2003.

78.
DIAS, Ana Valéria Carneiro ; SALERNO, Mario S. . Achieving competitiveness through the integration of subsidiaries in global product development: some case studies from the Brazilian automotive industry. In: EUROMA - POMS Joint International Conference, 2003, Como. One World? One View of OM? The Challenges of Integrated Research and Practices, 2003.

79.
SALERNO, Mario S.; LIMA, Maria Letícia S. C. ; CARBONARI, Fernanda . Evaluating public services: São Paulo city decentyralization policy. In: EUROMA - POMS Joint International Conference, 2003, Como. One World? One View of OM? The Challenges of Integrating Research and Practices, 2003.

80.
DIAS, Ana Valéria Carneiro ; SALERNO, Mario S. . Construindo competitividade por meio da organização do desenvolvimento de produtos globais: proposições a partir de estudos de caso no setor automotivo brasileiro.. In: XXIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção e IX International Conference on Industrial Engineering and Operations Management, 2003, Ouro Preto. XXIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção e IX International Conference on Industrial Engineering and Operations Management, 2003.

81.
SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro ; MARX, Roberto . A comprehensive study of the transformation of the Brazilian automotive industry: preliminary findings.. In: IX GERPISA INTERNATIONAL COLLOQUIUM, 2001, Paris. RECONFIGURING THE AUTO INDUSTRY: MERGER AND ACQUISITION, ALLIANCES AND EXIT. Evry, França: Gerpisa, 2001. p. 1-10.

82.
ZILBOVICIUS, Mauro ; MARX, Roberto ; SALERNO, Mario S. . Mapping the Brazilian automotive industry: what really matters in operations and design activities?. In: VIII International EUROMA Annual Conference, 2001, Bath-Inglaterra. What really matters in Operations Management?. Bath: EUROMA/University of Bath, 2001. v. 1. p. 510-515.

83.
GOMES, Leonardo A. V. ; AMARAL, Guilherme ; SBRAGIA, Roberto ; SALERNO, Mario S ; FREITAS, Simone Lara T. U. . INTEGRATION OF MANAGERIAL AND SOCIOLOGICAL PERSPECTIVE OF INNOVATION: A FRAMEWORK TO THE DEVELOPMENT PROCESS OF RADICAL INNOVATION PRODUCT. In: IAMOT 2011 - 20th INTERNATIONAL CONFERENCE FOR THE INTERNATIONAL ASSOCIATION OF MANAGEMENT OF TECHNOLOGY, 2001, Miami, USA. Technology and the Global Challenges: Security, Energy, Water, and the Environment. Miami Beach: INTERNATIONAL ASSOCIATION OF MANAGEMENT OF TECHNOLOGY, 2011. p. 1-19.

84.
SALERNO, Mario S.; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Product design modularity, modular production, modular organisation: the evolution of modular concepts.. In: VI INTERNATIONAL COLLOQUIUM DU GERPISA: LE MONDE QUI A CHANGÉ LA MACHINE - QUELLE INDUSTRIE AUTOMOBILE À L'AUBE DU 21eme SIÈCLE?, 2000, Paris. LE MONDE QUI A CHANGÉ LA MACHINE - QUELLE INDUSTRIE AUTOMOBILE À L'AUBE DU 21eme SIÈCLE?. Paris (França): GERPISA, 2000. v. CD-ROM. p. 1-20.

85.
SALERNO, Mario S.. Modularity, industrial condominiums and modular consortium: a new form of organization of the production chain in the Brazilian automotive industry. In: SEOUL 2000 FISITA (The International Federation of Automotive Engineering Societies) WORLD AUTOMOTIVE CONGRESS: AUTOMOTIVE INNOVATION FOR THE NEW MILLENNIUM, 2000, Seul (Coréia do Sul). SEOUL 2000 FISITA (The International Federation of Automotive Engineering Societies) WORLD AUTOMOTIVE CONGRESS: AUTOMOTIVE INNOVATION FOR THE NEW MILLENNIUM, 2000. v. CD-ROM. p. 1-6.

86.
DIAS, Ana Valéria Carneiro ; SALERNO, Mario S. . Condomínios industriais: novas fábricas, novos arranjos produtivos e novas discussões na indústria automobilística brasileira. In: XIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 1999, Rio de Janeiro. Anais. Rio de Janeiro: ABEPRO/UFRJ/PUC-RJ, 1999.

87.
Martins, Roberto A. ; SALERNO, Mario S. . Uso dos sistemas de medição de desempenho: estudos de caso. In: II SIMPOI - Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Industriais, 1999, São Paulo. II SIMPOI - Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Industriais, 1999. v. 1. p. 317-330.

88.
Martins, Roberto A. ; SALERNO, Mario S. . Usage of performance measurement systems: some empirical findings. In: VI INTERNATIONAL EUROMA (EUROPEAN OPERATIONS MANAGEMENT ASSOCIATION) CONFERENCE, 1999, Veneza. VI INTERNATIONAL EUROMA (EUROPEAN OPERATIONS MANAGEMENT ASSOCIATION) CONFERENCE, 1999. p. 719-726.

89.
SALERNO, Mario S.; DIAS, Ana Valéria Carneiro ; ZILBOVICIUS, Mauro . Industrial condominiums and modular consortiums: criteria for global sourcing or suppliers proximity in the new auto plants in Brazil.. In: VI INTERNATIONAL EUROMA (EUROPEAN OPERATIONS MANAGEMENT ASSOCIATION) CONFERENCE, 1999, Veneza. VI INTERNATIONAL EUROMA (EUROPEAN OPERATIONS MANAGEMENT ASSOCIATION) CONFERENCE, 1999. p. 295-302.

90.
SALERNO, Mario S.. Reestruturação produtiva e trabalho nas empresas radicadas no Brasil.. In: SEMINÁRIO IMPACTO DAS INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS E ORGANIZACIONAIS NA SAÚDE DO TRABALHADOR, 1999, Belo Horizonte, 4-5/1.. Anais. Belo Horizonte,: PUC MInas, 1999. p. 114-129.

91.
SALERNO, Mario S.. Projeto de organizações integradas e flexíveis integrando processos, grupos e espaços de comunicação / negociação.. In: GRUPOS SEMI-AUTÔNOMOS E COMPETITIVIDADE: experiências internacionais e brasileiras., 1998, São Paulo. GRUPOS SEMI-AUTÔNOMOS E COMPETITIVIDADE: experiências internacionais e brasileiras.. São Paulo: Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, 1998. p. 65-87.

92.
DIAS, Ana Valéria Carneiro ; SALERNO, Mario S. . Novos padrões de relacionamento entre montadoras e autopeças no Brasil: algumas proposições.. In: XVIII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 1998, Niterói. XVIII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 1998.

93.
SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro ; ARBIX, Glauco ; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Changes and persistences on the relationship between assemblers and suppliers in Brazil. In: GERPISA SIXTH INTERNATIONAL COLLOQUIUM, 1998, Paris. GERPISA SIXTH INTERNATIONAL COLLOQUIUM "LES NOUVEAUX SPACES DE L'INDUSTRIE AUTOMOBILE, 1998. p. 589-605.

94.
M. F. Beanco ; SALERNO, Mario S. . Existe um TQM do Brasil?. In: XVIII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 1998, Niterói. XVIII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 1998. v. CD-ROM.

95.
SALERNO, Mario S.; HUMPHREY, John . Globalisation and assembler-supplier relations: Brazil and India.. In: SIXTH INTERNATIONAL COLLOQUIUM "THE SPACES IN THE WORLD AUTOMOBILE INDUSTRY" - GERPISA, 1998, Paris. SIXTH INTERNATIONAL COLLOQUIUM "THE SPACES IN THE WORLD AUTOMOBILE INDUSTRY", 1998.

96.
SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro ; MARX, Roberto . The modular consortium at the new VW?s truck plant in Brazil: a case study of a virtual factory. In: 3th INTERNATIONAL CONFERENCE OF THE EUROPEAN OPERATIONS MANAGEMENT, 1996, Londres. Proceedings: Manufacturing Strategy - Operations Strategy in a Global Context, 1996. p. 581-586.

97.
MARX, Roberto ; SALERNO, Mario S. ; ZILBOVICIUS, Mauro . The Modular Consortium in a New VW Truck Plant in Brazil: New Forms of Assembler and Suppliers Relationship. In: IV RENCONTRE INTERNATIONALE 'L'INDUSTRIE AUTOMOBILE MONDIALE: ENTRE HOMOGENEISATION ET HIERARCHISATION', 1996, Paris. Anais, 1996. p. 259-268.

98.
FLEURY, A. C. C. ; SALERNO, Mario S. . Hybridisation of Industrial Models in the Brazilian Automobile Industry. In: 3th INTERNATIONAL COLLOQUIUM "THE NEW INDUSTRIAL MODELS", 1995, Paris. Anais. Paris: GERPISA International Network, 1995. p. irreg.

99.
SALERNO, Mario S.. Projeto Organizacional e Trabalho em Grupos Na Produção. In: WORKSHOP IMPLEMENTAÇÃO DE NOVAS FORMAS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO, 1995, São Paulo. Anais. São Paulo: IGL, 1995. p. p.irr.

100.
MARX, Roberto ; SALERNO, Mario S. . Team Work in a Brazilian Automotive Plant: What Is Changing in the Way Work Is Organized?. In: 3th INTERNATIONAL. COLLOQUIUM "THE NEW INDUSTRIAL MODELS", 1995, Paris. Anais, 1995. p. irreg.

101.
SALERNO, Mario S.. Does Unity Breed Strength? The Historical Trajectory And Future Perspectives Of Autolatina'S Development In Brazil. In: 2nd INT. COLLOQUIUM "THE NEW INDUSTRIAL MODELS OF AUTOMOBILE FIRMS", 1994.

102.
SALERNO, Mario S.. Organização do trabalho e da produção: flexibilidade e terceirização. In: III ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS DO TRABALHO, 1994, Rio de Janeiro. Anais. Rio de Janeiro: ABET - Associação Brasileira de Estudos do Trabalho, 1993. v. 1. p. 169-190.

103.
SALERNO, Mario S.. Trabalho Em Grupo Semi-Autônomo: Uma Análise Sobre Problemas de Concepção e Implantação. In: WORKSHOP INTERNACIONAL PARA ONDE CAMINHAM AS ORGANIZAÇÕES, 1994. p. 39-49.

104.
SALERNO, Mario S.; SZNELWAR, L. I. . Inovação tecnológica, reestruturação produtiva e reconcepção do trabalho humano. In: SIMPÓSIO GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, 1994, São Paulo. Anais, 1994. p. 1140-1152.

105.
SALERNO, Mario S.. The Historical Trajectory and Future perspectives of Autolatina's Development in Brazil. In: GERPISA FIRSTINTERNATIONAL COLLOQUIUM, 1993, Paris. Anais: Trajectories of Automobile Firms. Paris: GERPISA International Network, 1993. p. irreg.

106.
SALERNO, Mario S.. Trabalhadores e novas tecnologias. In: I CONGRESSO LATINOAMERICANO E V SEMINÁRIO BRAILEIRO DE ERGONOMIA, 1992, São Paulo. Anais. São Paulo: ABERGO - Associação Brasileira de Ergonomia, 1992. p. 75-78.

107.
SALERNO, Mario S.. Flexibilidade: conceitos e necessidades dos sistemas de produção. In: XII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 1992, São Paulo. Anais, 1992. v. 2. p. 986-963.

108.
SALERNO, Mario S.. Organização do trabalho, trabalho real e eficiência em sistemas flexíveis de manufatura (FMS): dois estudos de caso na Itália. In: XI ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 1991, Rio de Janeiro. Anais. Rio de Janeiro: ABEPRO/UFRJ, 1991. p. I.267-I.276.

109.
SALERNO, Mario S.; FERREIRA, C. G. ; HIRATA, Helena ; MARX, Roberto . Alternativas sueca, italiana e japonesa ao paradigma fordista: elementos para uma discussão do caso brasileiro. In: SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DO TRABALHO: MODELOS DE ORGANIZAÇÃO INDUSTRIAL, POLÍTICA IONDUSTRIAL E TRABALHO, 1991, São Paulo. Anais. São Paulo: EPUSP-PRO/FFLCH-DS-USP/IA-FEA-USP/DPCT-IG-UNICAMP, 1991. p. 457-478.

110.
SALERNO, Mario S.; FLEURY, A. . Condicionantes e indutores da modernização industrial no Brasil. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL 'PADRÕES TECNOLÓGICOS E PROCESSO DE TRABALHO: COMPARAÇÕES INTERNACIONAIS', 1989, São Paulo. Anais. São Paulo: EPUSP-PRO/FFLCH-DS-USP/IA-FEA-USP/DPCT-IG-UNICAMP, 1989. p. 61-92.

111.
SALERNO, Mario S.. Automação e evolução do processo de trabalho na indústria do cimento.. In: SEMINÁRIOS INTERDISCIPLINARES SOBRE PADRÕES TECNOLOGICOS E POLÍTICAS DE GESTÃO, 1989, São Paulo. Anais. São Paulo: DPCT-IG-UNICAMP/DS-FFLCH-USP/DA-FEA-USP, 1989. p. 218-256.

112.
SALERNO, Mario S.. Automação e evolução do processo de trabalho na indústria do cimento. In: SEMINÁRIO PADRÕPES TECNOLÓGICOS E POLÍTICAS DE GESTÃO: PROCESSOS DER TRABALHO NA INDÚSTRIA BRASILEIRA, 1988, São Paulo. Anais, 1988. p. 218-256.

113.
SALERNO, Mario S.. Flexibilidade, organização e novos padrões tecnológicos. In: SIMPÓSIO EPUSP SOBRE AUTOMAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DA PRODUÇÃO, 1988, São Paulo. Anais. São Paulo: EPUSP, 1988. p. 110-117.

114.
SALERNO, Mario S.. Automacao e Processos de Trabalho Na Industria de Transformacao. In: XI ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 1987. p. 0-0.

115.
SALERNO, Mario S.. Impactos Sociais da Automatizacao Industrial. In: VI SEMINARIO DE COMANDO NUMERICO NO BRASIL/SOBRACON, 1986. p. 0-0.

116.
SALERNO, Mario S.. Automacao e Sociedade. In: XXVIII CONGRESSO NACIONAL DE INFORMATICA - SUCESU, 1985. p. 0-0.

117.
SALERNO, Mario S.. Sistema kanban; um estudo de caso. In: JAPÃO: O DEBATE SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO, 1985, São Carlos. Anais, 1985. p. 115-129.

118.
SALERNO, Mario S.. Aspectos Economicos e Sociais da Automacao Industrial. In: I SIMPOSIO IMPACTOS SOCIO-ECONOMICOS DA INFORMATICA, 1984. p. 0-0.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
FACIN, ANA LUCIA FIGUEIREDO ; Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos ; HOMRICH, A. S. ; SPINOLA, MAURO DE MESQUITA ; SALERNO, Mario S. . Technological platforms and its connections with ecosystems literature. In: 5th World Conference on Production and Operations Management, 2016, Havana, Cuba. JOINING P&OM FORCES WORLDWIDE: PRESENT AND FUTURE OF OPERATIONS MANAGEMENT.. Havana: Dept Industrial Engineering, Universidad Tecnologica de La Havana, 2016. v. 1. p. 1-3.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
SMOLAREK, Bianca ; DAHER, Talita ; Salerno, Mario Sergio . Síntese do Seminário Internacional 'Indústria Para Quê?' Temas, Perspectivas, Instituições e Políticas. In: Seminário Internacional Indústria Para Quê, 2014, Brasília. Seminário Internacional 'Indústria Para Quê?' Temas, Perspectivas, Instituições e Políticas. Brasíla: ABDI, 2014.

2.
GOMES, Leonardo A. V. ; MELLO, Adriana M. ; SALERNO, Mario S ; MARX, Roberto . An approach to the management of radical innovation. In: POMS 21th Annual Conference - Production & Operations Management Society, 2010, Vancouver, Canadá. 21st Annnual Conference of the Production and Operations management Society - Program and Proceedings, 2010. p. 143-143.

3.
RAMIRES, Gabriel N. ; SALERNO, Mario S. . A influência da Petrobras no desenvolvimento tecnológico: o caso das empresas de serviços de engenharia. In: 18 SIICUSP - Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP, 2010, São Paulo. 18 SIICUSP - Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2010.

4.
SALERNO, Mario S.. Mapeamento da cadeia automotiva brasileira. In: XXV Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS), 2001, Caxambu (MG). Programa e Resumos. São Paulo (SP): ANPOCS, 2001. p. 109-110.

5.
SALERNO, Mario S.. Projeto e análise organizacional de produção integrada e flexível.. In: SIMPÓSIO A PESQUISA NA ESCOLA POLITÉCNICA DA USP, 1997, São Paulo. A PESQUISA NA ESCOLA POLITÉCNICA DA USP. São Paulo: EPUSP, 1997. p. 503-505.

6.
SALERNO, Mario S.. Reestruturação produtiva no complexo automotivo brasileiro. In: SIMPÓSIO A PESQUISA NA ESCOLA POLITÉCNICA DA USP, 1997, São Paulo. SIMPÓSIO A PESQUISA NA ESCOLA POLITÉCNICA DA USP. São Paulo: EPUSP, 1997. p. 503-505.

7.
SALERNO, Mario S.; MOURA, A. G. . Manufatura e recursos humanos em busca da competitividade. In: I Simpósio de Iniciação Científica, 1993, São Paulo. Programa e Resumos, 1993. p. OA04.

8.
SALERNO, Mario S.. "Just In Time /Kanban" : Novos Padroes de Trabalho e Producao?. In: XXXVI REUNIAO ANUAL DA SBPC, 1984. p. 0-0.

9.
SALERNO, Mario S.. Just in time, kanban!. In: II ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 1983, São Paulo,. Anais, 1983. p. 311-311.

10.
SALERNO, Mario S.; ZAMBERLAN, Fabio Luiz . Racionalização e automatização: a organização do trabalho nos bancos. In: 34a. REUNIÃO ANUAL DA SBPC - SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PROGRESSO DA CIÊNCIA, 1982, São Paulo,. Programa e Resumos, 1982. p. 65-65.

Artigos aceitos para publicação
1.
BRASIL, Vinicius C. ; SALERNO, Mario S. ; GOMES, Leonardo A. V. ; PAULA, Rafael A. S. R. . Multilevel approach for Real Options in the innovation management process: integrating project, portfolio and strategy. Project Management Research and Practice, 2018.

Apresentações de Trabalho
1.
SALERNO, Mario S.. Manufatura avançada. 2018. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

2.
SALERNO, Mario S.. Which drivers for the Brazilian automotive industry? DOI: 10.13140/RG.2.2.16968.83203. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
SALERNO, Mario S.; MATSUMOTO, Criatiane ; AMARAL, Guilherme . 26th Gerpisa International Colloquium: Drivers of electro mobility adoption: a contextual analysis. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
SALERNO, Mario S.. Escassez e formação de engenheiros no Brasil - doi:10.13140/RG.2.2.11801.31849. 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).

5.
SALERNO, Mario S.. Tha Brazilian Innovation System. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
SALERNO, Mario S.. Artificial Intelligence & Innovation in Brazil. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
SALERNO, Mario S.; Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos . Gestão da inovação (mais) radical. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
SALERNO, Mario S.. Fundamentos da Gestão da Inovação. 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).

9.
SALERNO, Mario S.. Desafios da formação universitária dos trabalhadores do futuro. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

10.
SALERNO, Mario S.. Inovação e indústria 4.o: o programa de manufatura avançada nos EUA. 2017. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

11.
SALERNO, Mario S.. PEIEX - SP: resultados e ações no Vale do Paraíba. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

12.
SALERNO, Mario S.; BOTTAN, Tatiane . Ações e Perspectivas do Observatório da Inovação e Competividade. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

13.
SALERNO, Mario S.. Contexto da criação e possibilidades das comissões de fábrica e organização no local de trabalho: caso Ford São Bernardo. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

14.
SALERNO, Mario S.. Engenharia de Produção e Sociedade. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

15.
CARDOSO, José R. ; GILBERT, Paul ; BEVILACQUA, Luiz ; SALERNO, Mario S. . A nova ordem na educação em engenharia. 2017. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

16.
SALERNO, Mario S.. Manufatura avançada - as transformações na indústria. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

17.
LEONEL, Renan ; SALERNO, Mario S. . Moderador: A pesquisa em anticorpos monoclonais no Brasil: o que está direcionando a produção do conhecimento?. 2017. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

18.
SALERNO, Mario S. Investigación en gestión de la innvación en la empresa. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

19.
SALERNO, Mario S.. Gestión de la innovación x sistema de personas. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

20.
SALERNO, Mario S.. Inovações nas empresas brasileiras. 2017. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

21.
SALERNO, Mario S.. Palestra Magna: Inovação, Empreendedorismo e Gestão de Startups. 2017. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

22.
SALERNO, Mario S.. Gestão da Inovação. 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

23.
SALERNO, Mario S.. IDENTIFYING ENGINEERING INFLUENCES ON INDUSTRIAL PERFORMANCE. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

24.
SALERNO, Mario S.. Gestão de empresas nascentes de base tecnológica. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

25.
SALERNO, Mario S.. The firm's side of the Brazilina innovation system. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

26.
SALERNO, Mario S.. Evolucción y perspectivas de la industria automotriz en Brasil y en el Mercosur. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

27.
SALERNO, Mario S.. Empresas nascentes de base tecnológica, ação empreendedora e papel do Estado. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

28.
SALERNO, Mario S.. O debate sobre organização do trabalho no Brasil. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

29.
SALERNO, Mario S.. Reflections of policy practictioners and other stakeholders. 2015. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

30.
SALERNO, Mario S.. Linhas de atuação do Laboratório de Gestão da Inovação da Poli-USP. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

31.
Salerno, M.S.. Sistema nacional de inovação verde - debatedor das apresentações de Geciane Silva e Sergio Kannebley Jr. 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

32.
SALERNO, Mario S.. Transformações no trabalho: demanda e escassez de engenheiros. 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

33.
ALVAREZ, Roberto dos Reis ; SALERNO, Mario S. ; CAMARGO, Otávio Silva . The GFCC Competitiveness Scoreboard: a Brazilian contribution. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

34.
SALERNO, Mario S.; LINS, L. M. . EngenhariaData: tendências e perspectivas da Engenharia no Brasil. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

35.
SALERNO, Mario S. Modelos para organização e gestão da cadeia de valor expandida da inovaçao da empresa. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

36.
SALERNO, Mario S.; GOMES, Leonardo A. V. . An integrated model for strategic planning under uncertainty: product development process for academics spin-offs. 2008. (Apresentação de Trabalho/Outra).

37.
SALERNO, Mario S.; ARBIX, Glauco . The Lisbon Strategy in a knowledge society without borders: the Brazilian view. 2007. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

38.
SALERNO, Mario S.. A construção e os desafios da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior no Brasil (PITCE). 2007. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

39.
SALERNO, Mario S.. Os novos instrumentos para apoio à inovação ns empresas. 2007. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

40.
SALERNO, Mario S.; PIMENTA, Cleila Guimarães . A Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior e as empresas de base biotecnológica. 2006. (Apresentação de Trabalho/Outra).

41.
SALERNO, Mario S.. Política nacional de inovação. 2006. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

42.
SALERNO, Mario S.. Atualizar a legislação - painel 6: financiamento e legislação. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

43.
SALERNO, Mario S.. Palestra 'Inovação e diferenciação de produtos no centro da PITCE', no workshop temático Política Industrial, Inovação e Design. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

44.
SALERNO, Mario S.. Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

45.
SALERNO, Mario S.. Mesa redonda relações universidade e setor produtivo, durante o. 2006. (Apresentação de Trabalho/Outra).

46.
SALERNO, Mario S.. Política industrial. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

47.
SALERNO, Mario S.. Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

48.
SALERNO, Mario S.. Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

49.
SALERNO, Mario S.. Diretrizes para programa brasileiro de bioetanol. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

50.
SALERNO, Mario S.. Atratividade do Brasil para centros de P&D mundiais. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

51.
SALERNO, Mario S.. Painel Política Industrial e o Cenário Inyternacional. 2006. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

52.
SALERNO, Mario S.. Relações Universidade e Setor Produtivo. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

53.
SALERNO, Mario S.. Plano de Desenvolvimengto Setorial - Equipamento Médico-Hospitalar. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

54.
SALERNO, Mario S.. Plano de Desenvolvimento Setorial - Cosméticos. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

55.
SALERNO, Mario S.. Plano de Desenvolvimento Setorial - Frutas Processadas. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

56.
SALERNO, Mario S.. Plano de Desenvolvimento Setortial - Confecções. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

57.
SALERNO, Mario S.; DAHER, Talita . Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior para pequenas e médias empresas. 2006. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

58.
SALERNO, Mario S.. Instrumentos de política industrial e o desenvolvimento do setor de transformados plásticos. 2006. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

59.
SALERNO, Mario S.; MIRRA, Evando . Instrumentos de incentivo À inovação: lei de inovação e lei do bem. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

60.
SALERNO, Mario S.. Estratégia de atuação da ABDI. 2006. (Apresentação de Trabalho/Outra).

61.
SALERNO, Mario S.. A Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior e seus instrumentos. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

62.
SALERNO, Mario S.. Trajetórias de estudos do trabalho. 2005. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

63.
SALERNO, Mario S.. Política Industrial. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

64.
SALERNO, Mario S.. Debatedor de 'Empreendedorismo no Brasil -2004 Global Entrepreneurship Monitor'. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

65.
SALERNO, Mario S.. Retomada do desenvolvimento e política industrial. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

66.
SALERNO, Mario S.. Inovação tecnológica. 2005. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

67.
SALERNO, Mario S.. A Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior e a ação da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial no setor de equipamentos médico-odontológicos. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

68.
SALERNO, Mario S.. Round Table Latin America and Lombardy: Experiences, Innovation and Development Policies, Co-operation. 2005. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

69.
SALERNO, Mario S.. Política industrial para o setor de telecomunicações. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

70.
SALERNO, Mario S.. A Política industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior e a OMC. 2005. (Apresentação de Trabalho/Outra).

71.
SALERNO, Mario S.. Inovações, padrões tecnológicos e desenvolvimengto das firmas industriais brasileiras. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

72.
SALERNO, Mario S.. Políticas tecnológica e industrial e o papel dos institutos públicos. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

73.
SALERNO, Mario S.. Políticas industriales en el sector del automóvil. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

74.
SALERNO, Mario S.. Retomada do desenvolvimento e política industrial. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

75.
SALERNO, Mario S.. Papel dos municípios no sistema nacional de ciência, tecnologia e inovação. 2005. (Apresentação de Trabalho/Outra).

76.
SALERNO, Mario S.. Política industrial e desenvolvimento econômico no Brasil: panorama e implicações institucionais. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

77.
SALERNO, Mario S.. A Política Industrial, Tenológica e de Comércio Exterior e a Ação da ABDI no setor de Cosméticos. 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

78.
SALERNO, Mario S.. Política industrial para a biotecnologia. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

79.
SALERNO, Mario S.. Execução da política industrial, tecnológica e de comércio exterior. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

80.
SALERNO, Mario S.. Política industrial para a cadeia têxtil e confecção. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

81.
SALERNO, Mario S.. Iniciativa Nacional em Biotecnologia. 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

82.
SALERNO, Mario S.. Desenvolvimento e política industrial. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

83.
SALERNO, Mario S.. Mesa redonda Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

84.
SALERNO, Mario S.. O desafio inovador brasileiro e o papel da ABDI. 2005. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

85.
SALERNO, Mario S.. Debatedor na conferência de Richard Nelson. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

86.
SALERNO, Mario S.. Inserção exterma da empresas de base tecnológica. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

87.
SALERNO, Mario S.. A proposta de política industrial do governo Lula. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

88.
SALERNO, Mario S.. A física e a política industrial brasileira. 2004. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

89.
SALERNO, Mario S.. Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

90.
ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; NEGRI, João Alberto de . Inovação, via internacionalização, faz bem para as exportações brasileiras. 2004. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

91.
SALERNO, Mario S.. Política Industrial, Transferência de Tecnologia e Propriedade Industrial. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

92.
SALERNO, Mario S.. Política industrial. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

93.
SALERNO, Mario S.. Política industrial brasileira. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

94.
SALERNO, Mario S.. Enfrentando os desafios do desenvolvimento no Brasil: a política industrial, tecnológica e de comércio exterior do governo federal. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

95.
SALERNO, Mario S.. A política industrial e a questão do desenvolvimento. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

96.
SALERNO, Mario S.. O cenário das políticas industriais e tecnológicas no Brasil: impasses e possibilidades. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

97.
SALERNO, Mario S.. A propriedade intelectual e sua relação com o desenvolvimento das empresas brasileiras, o comércio exterior e a transferência de tecnologia na política industrial, tecnológica e de comércio exterior. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

98.
SALERNO, Mario S.. Assessing the impact of industrial development policies on the Brazilian automotive supplier sector in the context of regional integration. 2004. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

99.
SALERNO, Mario S.. Industrial development policy in Brazil: competitiveness, performance and strategies for the manufacturing sector. 2004. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

100.
SALERNO, Mario S.. Apresentação sobre política industrial e tecnológica na mesa redonda 'el problema de financiar la I+D em el Mercosur'. 2004. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

101.
ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; NEGRI, João Alberto de . Inovação, via internacionalização, faz bem para as exportações brasileiras. 2004. (Apresentação de Trabalho/Outra).

102.
SALERNO, Mario S.. Linhas de ação para uma política industrtial e tecnológica. 2003. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

103.
SALERNO, Mario S.. Diretrizes de Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. 2003. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

104.
SALERNO, Mario S.. Desafios da promoção de APLs no Brasil e na Europa. 2003. (Apresentação de Trabalho/Outra).

105.
SALERNO, Mario S.. O desenvolvimento em questão: diretrizes de política industrial, tecnológica e de comércio exterior. 2003. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

106.
SALERNO, Mario S.. Debatedor na mesa redonda 'Crise Financeira dos Anos 90: o Impacto no Mercado de Trabalho'. 2003. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

107.
SALERNO, Mario S.. Apresentação e coordenação da Conferência Internacional: Possibilidades para a Definição de uma Estratégica de Desenvolvimento: Lições da História, de Ha-Joon Chang. 2003. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

108.
SALERNO, Mario S.. Mesa Redonda 'Política Tecnológica e Industrial'. 2003. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

109.
SALERNO, Mario S.. Debatedor sobre Política industrial e tecnológica. 2003. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

110.
SALERNO, Mario S.. Tendências do desenvolvimento na América Latina: desindustrialização, desenvolvimento do setor agrícola, agronegócio, mudanças estruturais, perspectivas. 2003. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

111.
SALERNO, Mario S.. Debatedor do tema 'indústria automobilística'. 2002. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

112.
SALERNO, Mario S.. Existe-t-il un modèle européen de coopération dans l´industrie automobile / A European model of co-operation in the auto industry?. 2002. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

113.
SALERNO, Mario S.. Serviço: produção, avaliação e gestão. 2002. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

114.
SALERNO, Mario S.. Debatedor sobre 'Organização das subprefeituras do Município de São Paulo'. 2002. (Apresentação de Trabalho/Outra).

115.
SALERNO, Mario S.. Debatedor na mesa-redonda 'a organização do trabalho em cooperativas industriais'. 2002. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

116.
HOTTA, M. A. ; SALERNO, Mario S. . O Projeto do Produto na Cadeia Automobilística. 2002. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

117.
ZILBOVICIUS, Mauro ; MARX, Roberto ; SALERNO, Mario S. . A comprehensive study of the transformation of the Brazilian automotive industry: preliminary findings. 2001. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

118.
ZILBOVICIUS, Mauro ; MARX, Roberto ; SALERNO, Mario S. . Mapping the Brazilian automotive industry: what realy matters in operations and design activities?. 2001. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

119.
SALERNO, Mario S.. A indústria automobilística no Brasil. 2001. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

120.
SALERNO, Mario S.. Debatedor na mesa redonda Diálogos Norte-Sul. 2001. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

121.
SALERNO, Mario S.. Innovazione organizzativa e globalizzazione nell'industria automobilistica: la produzione modulare in Brasile. 2000. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

122.
SALERNO, Mario S.. Características e contradições nas transformações nas transformações no mundo do trabalho. 2000. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

123.
SALERNO, Mario S.. Seminari del Dipartimento di Sociologia e di Scienza Politica. 2000. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

124.
SALERNO, Mario S.. Comunicação em sistemas integrados e automatizados. 2000. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

125.
SALERNO, Mario S.. Fábricas modulares: consórcio modular e condomínio industrial. 2000. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

126.
SALERNO, Mario S.. Transformações na produção e distribuição. 2000. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

127.
SALERNO, Mario S.. Transformações na produção: avaliação crítica das experiências de condomínio industrial e consórcio modular. 2000. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

128.
SALERNO, Mario S.. O papel social da Engenharia de Produção. 1999. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

129.
SALERNO, Mario S.; HUMPHREY, John . Perspectives for emerging countries. 1999. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

130.
SALERNO, Mario S.. Ergonomia e organização do trabalho. 1999. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

131.
SALERNO, Mario S.. La fabbrica modulare: lo stabilimento Volkswagen di Resende. 1999. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

132.
SALERNO, Mario S.. Debatedor na mesa redonda 'Regional Division of Labour in the New Automobile Spaces'. 1998. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

133.
SALERNO, Mario S.. Coordenador da mesa redonda 'políticas e experiências de qualificação e formação profissional em empresas brasileiras'. 1998. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

134.
SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro ; ARBIX, Glauco ; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Volkswagen and Mercedes in Brazil: supplier structures and strategies. 1998. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

135.
SALERNO, Mario S.. Perspectivas da indústria automobilística. 1990. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

Outras produções bibliográficas
1.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo . Programa demonstrativo para inovação em cadeia produtiva selecionada: indústria aeronáutica brasileira. Brasíla, DF: CGEE - Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, 2014 (Documento Técnico - resultados de pesquisa).

2.
SALERNO, Mario S.. Prefácio. São Paulo, 2010. (Prefácio, Pósfacio/Prefácio)>.

3.
SALERNO, Mario S.; NEGRI, João Alberto de ; NEGRI, Fernanda de ; MORAIS, José M. . Inovar é preciso, assim como é precios incentivar o conhecimento sobre a dinâmica da inovação. São Paulo, 2010. (Prefácio, Pósfacio/Prefácio)>.

4.
SALERNO, Mario S.. Prefácio. São Paulo, 2009. (Prefácio, Pósfacio/Prefácio)>.

5.
AULICINO, Marcelo Crescente ; SALERNO, Mario S. . Organização na produção por processos contínuos: prática, conceitos e método de projeto para fronteiras móveis interprenetrantes. São Paulo: Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção (BT/PRO v.814), 2008 (Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção).

6.
FLEURY, A. ; NAVEIRO, Ricardo ; COSTA, Sérgio E. G. ; RIBEIRO, Celma O. ; MIYAKE, Dario Y. ; NAKANO, Davi N. ; RONCONI, Débora P. ; LAURINDO, F. J. B. ; YOSHIZAKI, Hugo T. Y. ; AMATO NETO, João ; SALERNO, Mario S. ; CARVALHO, Marly M. ; MIGUEL, Paulo. A. C. . ICPR Americas' 2008 - Annals, International Conference on production Research. São Paulo: Edgar Blücher, 2008 (Organização de anais).

7.
SALERNO, Mario S.. Prefácio. São Paulo, 2007. (Prefácio, Pósfacio/Prefácio)>.

8.
GRANDE, Marcia Mazzeo ; SALERNO, Mario S. . A distribuição de automóveis novos em mudança? Estudo a partir de survey e pesquisa qualitativa em concessionárias. São Paulo: EPUSP-PRO BT/PRO 510, 2005 (Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção).

9.
SALERNO, Mario S. Reflexões sobre as causas motrizes da automação industrial: custos, controle, correlatos. São Paulo: Escola Politécnica da USP / Grêmio Politécnico, 2004 (Revista Politécnica).

10.
DIAS, Ana Valéria Carneiro ; SALERNO, Mario S. . Produto mundial, engenharia brasileira: integração de subsidiárias no desenvolvimento de produtos globais na indústria automobilística. São Paulo: Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção (BT/PRO/169), 2003 (Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção).

11.
ODA, N. T. ; SALERNO, Mario S . Gestão e trabalho em cooperativas de produção: dilemas e alternativas à participação. São Paulo: Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção (BT/PRO/102), 2002 (Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção).

12.
BIANCO, Mônica de Fátima ; SALERNO, Mario S. . O TQM em empresas líderes: uma discussão sobre organização e gestão. São paulo: Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção (BT/PRO/067), 1999 (Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção).

13.
SALERNO, Mario S.. Análise ergonômica do trabalho e projeto organizacional: uma discussão comparada (BT/PRO/047). São Paulo: Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção, 1998 (Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção).

14.
AULICINO, Marcelo Crescente ; Salerno, Mario Sergio . Projeto de organização do trabalho em grupos semi-autônomos na indústria de processos contínuos. São Paulo: EPUSP-PRO ( BT/PRO v.56), 1998 (Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção).

15.
BRANCHINI, R. M. ; SALERNO, Mario S. . Estudo da estratégia adotada pelas empresas de autopeças. São Paulo: EPUSP-PRO (BT/PRO n.60), 1998 (Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção).

16.
MARTINS, R. A. ; SALERNO, Mario S. . Sistemas de medição de desempenho: uma revisão da literatura. São Paulo: EPUSP-PRO (BT/PRO n.63), 1998 (Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção).

17.
DIAS, Ana Valéria Carneiro ; SALERNO, Mario S. . Consórcio modular e condomínio industrial: elementos para a análise de novas configurações produtivas na indústria automobilística. São Paulo: EPUSP-PRO (BT/PRO n.64), 1998 (Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção).

18.
SALERNO, Mario S.. Avant propos: pays émergents et firmes transnationales. Paris, 1997. (Prefácio, Pósfacio/Apresentação)>.

19.
SALERNO, Mario S.. Organização e produção industrial de serviços. São Paulo: Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, 1997. (Tradução/Artigo).

20.
DIAS, Ana Valéria Carneiro ; SALERNO, Mario S. . Análise organizacional e análise do trabalho em uma indústria de alimentos. EPUSP-PRO ( BT/PRO n.10), 1996 (Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Produção).

21.
SALERNO, Mario S.. Automação e evolução do processo de trabalho na indústria do cimento. São Carlos: UFSCar / DEP, 1989 (Cadernos Engenharia de Produção).

22.
SALERNO, Mario S.. Os limites da automação. São Pulo: Joruês (Leia Livros - periódico de resenhas e divulgação de livros v.10, n.117), 1988 (Resenha).

23.
SALERNO, Mario S.. Algumas Reflexoes Sobre As Causas Motrizes da Automacao Industrial: Custos, Controle e Correlatos. São paulo: Escola Politécnica da USP / Grêmio Politécnico, 1986 (Revista Politécnica).

24.
SALERNO, Mario S.. Automação e pordução just in time. São Paulo: Escola Politécnica da USP / Grêmio Politécnico, 1984 (Revista Politécnica).

25.
SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto . Círculos de controle da qualidade ou do trabalhador?. São Paulo: Escola Politécnica da USP / Grêmio Politécnico, 1982 (Revista Politécnica).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
SALERNO, Mario S.. 237a Reunião do Conselho de Orientação do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo). 2018.

2.
SALERNO, Mario S.. 238ª reunião do Conselho de Orientação do IPT - Instituto de Pesquiasa Tecnológic as do Estado de São Paulo. 2018.

3.
SALERNO, Mario S.. 235ª reunião do Conselho de Orientação do IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São PAulo. 2018.

4.
SALERNO, Mario S.. Referre de trabalhos apresentado ao 23 Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP. 2015.

5.
SALERNO, Mario S.. Avaliador de projetos do ?Programa de Bolsas de Intercâmbio Internacional para Alunos de Graduação da USP, Modalidade Empreendedorismo?, Edital 01/2015.. 2015.

6.
SALERNO, Mario S.; FONSECA, Celso ; LINS, L. M. ; BOTTAN, Tatiane . Agenda Setorial para a Política Industrial: propostas da indústria. 2014.

7.
Salerno, M.S.. Referee de projetos submetidos ao CNPq. 2013.

8.
Salerno, M.S.. Referee de projetos submetidos à Capes. 2013.

9.
SALERNO, Mario S.. Comitê Assessor de Engenharias III - Capes. 2013.

10.
SALERNO, Mario S.; MIRRA, Evando ; KUPFER, David ; BASTOS, Carlos P.M. ; PAULA, Germano M. ; SILVEIRA, José M. F. J. . Sondagem de inovação da ABDI - 2o trimestre de 2013. 2013.

11.
SALERNO, Mario S.. Referee de projetos submetidos à Finep (Fundos Setoriais). 2011.

12.
SALERNO, Mario S.. Análise da sondagem de inovaçao - 2. trimestre de 2010. 2010.

13.
SALERNO, Mario S.. Apoio para reestruturação do Programa de Mestrado da PUC-PR. 2009.

14.
SALERNO, Mario S.. Apoio para o projeto de Mestrado em Engenharia de Produção da PUC Minas. 2009.

15.
SALERNO, Mario S.. Os novos instrumentos de apoio à inovação das empresas e como a universidade pode deles se beneficiar. 2006.

16.
SALERNO, Mario S.. Política industrial, tecnológica e de comércio exterior. 2005.

17.
SALERNO, Mario S.. Agenda de transformação para reestruturação do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo. 2005.

18.
SALERNO, Mario S.. Joint project (SECTOR and IFP/SEED) on the automotive industry in Brazil. 2003.

19.
SALERNO, Mario S.. Consultor ad hoc junto ao BID - Banco Interamericano de Desenvolvimento. 1999.

Processos ou técnicas
1.
SALERNO, Mario S.. Metodologia de projeto organizacional para produção integrada e flexível. 1998.

Trabalhos técnicos
1.
SALERNO, Mario S.; MATSUMOTO, Criatiane ; AMARAL, Guilherme . Estudo de sistema produtivo automotivo. 2018.

2.
SALERNO, Mario S.; SILVA, Debora O. . Valoração de projeto - definição de horizonte de planejamento de projetos com incerteza. 2014.

3.
SALERNO, Mario S; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. ; CARVALHO, André P. . Plataformas Demonstradoras Tecnológicas: definição e campo de aplicações. 2013.

4.
SALERNO, Mario S.. Relatório técnico: discussão sobre políticas de inovação no curso de políticas de inovaçao para gestores públicos no Rio Grande do Sul. 2013.

5.
SALERNO, Mario S.; LINS, L. M. ; Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos ; TOLEDO, D. . Tendências e perspectivas da engenharia no Brasil: formação e mercado de trabalho - relatório EngenhariaData. 2013.

6.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. . Nota técnica sobre plano de inovaçao no setor aeronáutico para embasamento de oficina com especialistas. 2013.

7.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. . Mapeamento de proposições para P,D&I para a cadeia produtica aeronáutica. 2013.

8.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. . Síntese do levantamento de campo sobre lacunas e oportunidades _ Programa Demostrativo para Inovação em Cadeia Produtiva Selecionada: Aeronáutica. 2013.

9.
Salerno, M.S.; ZANCUL, Eduardo . Minuta do Programa Demonstrativo de Inovação para Cadeia Produtiva do Setor Aeronáutico. 2013.

10.
SALERNO, Mario S.; LINS, L. M. ; GOMES, Leonardo A. V. ; TOLEDO, D. . Relatório set/20013 de revisão operacional do site e alimentação de novas séries/estudos e relatórios periódicos de comprovação de melhorias e aperfeiçoamentos do site - setembro 2013. 2013.

11.
SALERNO, Mario S.; LINS, L. M. ; GOMES, Leonardo A. V. ; TOLEDO, D. . Relatório jun/2013 de revisão operacional do site e alimentação de novas séries/estudos e relatórios periódicos de comprovação de melhorias e aperfeiçoamentos do site - junho 2013. 2013.

12.
SALERNO, Mario S.; LINS, L. M. ; TOLEDO, D. ; GOMES, Leonardo A. V. . Relatório mar/2013 de revisão operacional do site e alimentação de novas séries/estudos e relatórios periódicos de comprovação de melhorias e aperfeiçoamentos do site. 2013.

13.
SALERNO, Mario S.; AMARAL, Guilherme ; GOMES, Leonardo A. V. ; LINS, L. M. ; BOTTAN, Tatiane . Saiu a Pintec 2008-2011. 2013.

14.
LINS, L. M. ; MORAES, Diego ; TOLEDO, D. ; SALERNO, Mario S. . A Engenharia no Amazonas: avaliação do estado atual e perspectivas. 2012.

15.
AMARAL, Guilherme ; SALERNO, Mario S. ; GARCIA, Renato C. ; ALVAREZ, Roberto dos Reis ; EVANS, Chad C. . The GFCC initiative on competitiveness metrics:creating a GFCC competitiveness scorecard. 2012.

16.
SALERNO, Mario S.; TOLEDO, D. ; Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos ; LINS, L. M. . Formação e mercado de trabalho em engenharia no Brasil. 2012.

17.
SALERNO, Mario S.. Referee junto ao *. ENEDS - Encontro Nacional de Engenharia e Sesenvolvimento Social. 2011.

18.
SALERNO, Mario S.. Nota Técnica: Inovação - Trajetória Brasil 2003-2009. 2010.

19.
SALERNO, Mario S.. The Current Crisis and the Brazilian Automotive Industry. 2009.

20.
SALERNO, Mario S. Pesquisa e desenvolvimento no setor automotivo no Brasil. 2009.

21.
SALERNO, Mario S.. The Brazilian Automotive Industry: Historical Background, Development, Current Crisis and Trends. 2009.

22.
ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; PARENTE, Laura I. ; TOLEDO, D. ; MIRANDA, Idenilza M. ; OLIVEIRA, Maria C. ; ABDAL, A. ; FERRAZ, Joana . Análise e avaliação de seis pesquisas patrocinadas pelo Sebrae sobre MPE - relatórios analíticos por pesquisa. 2008.

23.
SALERNO, Mario S.; ARBIX, Glauco . The Lisbon Strategy in a knowledge society without borders: the Brazilian view. 2007.

24.
SALERNO, Mario S.; KUBOTA, Luís C. . Estado e inovação. 2007.

25.
SALERNO, Mario S.; TEIXEIRA, Alessandro ; DAHER, Talita . Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior - 2 anos. 2006.

26.
SALERNO, Mario S.. Texto básico sobre a Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior do Brasil e seus instrumentos. 2006.

27.
SALERNO, Mario S.; DAHER, Talita . Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior do Governo Federal (PITCE): balanço e perspectivas. 2006.

28.
SALERNO, Mario S.; ALVAREZ, Roberto dos Reis ; JORGE, Eduardo . Plano de desenvolvimento setorial - equipamento médico-odontológico. 2006.

29.
SALERNO, Mario S.; GOMES, Erasmo José ; ALVAREZ, Roberto dos Reis . Plano de desenvolvimento setorial - confecções. 2006.

30.
SALERNO, Mario S.; BOEIRA, Jorge ; ALVAREZ, Roberto dos Reis . Plano de Desenvolvimento Setorial - Frutas Processadas. 2006.

31.
SALERNO, Mario S.. Referee ad hoc junto à Revista de Administração da USP. 2006.

32.
SALERNO, Mario S.; DAHER, Talita . Política industrial, tecnológica e de comércio exterior. 2006.

33.
SALERNO, Mario S.. Global Innovation Outlook 2.0 on Future Enterprise Business Models. 2005.

34.
SALERNO, Mario S.. Estudos microeconômicos sobre diferentes mecanismos e condicionantes do crescimento das firmas. 2005.

35.
SALERNO, Mario S.. Plano de desenvolvimento setorial - cosméticos. 2005.

36.
SALERNO, Mario S.. Inserção externa da empresas de base tecnológica. 2005.

37.
SALERNO, Mario S.. Programa de desenvolvimento econômico para a região leste de São Paulo. 2004.

38.
SALERNO, Mario S.. Parecer junto a processo de solicitação de bolsa de produtividade em pesquisa. 2003.

39.
GASQUES, José G. ; RESENDE, Gervásio C. ; VERDE, Carlos M. V. ; CONCEIÇÃO, Júnia C. P. R. ; CARVALHO, João C. S. ; SALERNO, Mario S. . Desempenho e crescimento do agronegócio no Brasil. 2003.

40.
SALERNO, Mario S.; ARBIX, Glauco . Termo de referência: política industrial, comércio exterior e desenvolvimento tecnológico. 2003.

41.
CASA CIVIL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA ; MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COM EXT ; MINISTÉRIO DA FAZENDA ; MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA ; IPEA ; SALERNO, Mario S. ; BNDES ; FINEP ; APEX Brasil . Diretrizes de Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. 2003.

42.
SALERNO, Mario S.. Congresso SAE Brasil (Society of Automotive Engineers). 2002.

43.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Revista Produção. 2002.

44.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Revista Gestão & Produção. 2001.

45.
SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro ; MARX, Roberto ; GRAZIADIO, Thaise. ; DIAS, Ana Valéria Carneiro ; MUNIZ, S. T. G. ; IVESON, S. ; HOTA, M. A. ; SOARES, R. . Mapeamento da nova configuração da cadeia automotiva no Brasil.. 2001.

46.
SALERNO, Mario S.. Congresso SAE- Brasi (Society of Automotive Engineers). 2001.

47.
SALERNO, Mario S.. Referee junto ao International Journal of Automotive Technology and management. 2001.

48.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Comissão Organizadora do VI International Conference on Industrial Engineering and Operations Management. 2000.

49.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Comissão Organizadora do XX Encontro Nacional de Engenharia de Produção. 2000.

50.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Revista de Administração da USP. 2000.

51.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Revista Gestão & Produção. 2000.

52.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Revista Latinoamericana de Estudios del Trabajo. 2000.

53.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Revista Gestão & Produção. 1999.

54.
SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro ; ARBIX, Glauco ; DIAS, Ana Valéria Carneiro . Mudanças e persistências no padrão de relações entre montadoras e autopeças no Brasil. 1998.

55.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Revista Gestão & Produção. 1998.

56.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Revista de Administração da USP. 1997.

57.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Revista Gestão & Produção. 1997.

58.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Revista Sociologia del Trabajo. 1996.

59.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Revista Gestão & Produção. 1995.

60.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Comissão Organizadora do XV Encontro Nacional de Engenharia de Produção e First International Congress of Industrial Engineering. 1995.

61.
SALERNO, Mario S.. Referee junto à Revista Gestão & Produção. 1994.

62.
SZNELWAR, L. I. ; ZIDAN, L. N. ; BRANDMILLER, P. ; SALERNO, Mario S. ; ZILBOVICIUS, Mauro ; ARBIX, Glauco ; MARX, Roberto . Análise ergonômica da atividade de digitação. 1994.

63.
HIRATA, Helena ; SALERNO, Mario S. . Metodologias para levantamento quantitativo sobre difusão das novas tecnologias no processo de trabalho. 1991.

64.
SALERNO, Mario S.. Some Key Issues On Automation In The Automobile Industry. 1985.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
SALERNO, Mario S.; RE, Roxane . Apoio do governo para a Indústria 4.0 é insuficiente. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

2.
SALERNO, Mario S.; RE, Roxane . Falta de investimentos deixa Brasil na retaguarda em automação. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

3.
SALERNO, Mario S.. Programa de Extensão Industrial Exportadora no Vale do Paraíba. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

4.
SALERNO, Mario S.. O problema estrutural da indústria brasileira. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

5.
SALERNO, Mario S.; RE, Roxane . Jornal da USP - inovação e política industrial. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

6.
SALERNO, Mario S.. Prioridade do Estado - indústria 4.0. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

7.
SALERNO, Mario S.. Uma engenharia mais ampla. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

8.
SALERNO, Mario S.. Prepare-se: o mundo do trabalho vai mudar. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

9.
SALERNO, Mario S.; RE, Roxane . Entrevista à Rádio USP - competitividade da indústria brasileira. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

10.
SALERNO, Mario S.. Indústria 4.0, manufatura avançada e carro elétrico. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

11.
SALERNO, Mario S.. Sindicato debate desafios e futuro com a indústria 4.0. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

12.
SALERNO, Mario S.. Entrevista À TV Universidad Nacional de Colombia - UNAL: FIA Innova: ciencia, emprendimiento e innovación. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

13.
SALERNO, Mario S.. A importância de aproximar a universidade, mercado e inovação. 2017.

14.
SALERNO, Mario S.. Revolução 4.0: 'Há muito mais promessa do que realidade. Mas mudanças importantes estão à vista'. Entrevista especial com Mario Sergio Salerno. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

15.
SALERNO, Mario S.. Valor Especial Inovação: faltam recursos e planejamento. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

16.
SALERNO, Mario S.. Devagar e mais rápido. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

17.
ARAUJO, Bruno ; SALERNO, Mario S. . Engenheiro define carreira até três anos após o primeiro emprego. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

18.
SALERNO, Mario S.. Gestão da inovação. 2016. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

19.
SALERNO, Mario S.; ARAUJO, Bruno . A trajetória dos engenheiros. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

20.
SALERNO, Mario S.. Pesquisa apresenta oito tipos de processo de inovação. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

21.
SALERNO, Mario S.. Núcleo de pesquisa desenvolve indicador de competitividade. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

22.
SALERNO, Mario S.. Núcleo da Escola Politécnica da USP lança vídeo cursos sobre gestão da inovação. 2015. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

23.
SALERNO, Mario S.. Vídeos gratuitos sobre gestão da inovação. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

24.
SALERNO, Mario S.. USP lança curso com 64 vídeo aulas grátis sobre inovação nos negócios. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

25.
SALERNO, Mario S.. Gestão da inovação. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

26.
SALERNO, Mario S.. As 10 empresas mais inovadoras do Brasil. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

27.
SALERNO, Mario S.. Como formar para a inovação. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

28.
SALERNO, Mario S.. Exportar é estratégia, não quebra-galho. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

29.
SALERNO, Mario S.. Peiex São Paulo. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

30.
SALERNO, Mario S.. Encontros FAPERJ: a inovação em debate. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

31.
SALERNO, Mario S.. Gap geracional. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

32.
SALERNO, Mario S.; Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos . Empreendedorismo: transição para o mercado. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

33.
SALERNO, Mario S.. Pensando e inplementando a Política: a contribuição de Fabio Erber. 2014. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

34.
SALERNO, Mario S.. Ribeirão Preto lançará Projeto de Extensão Industrial Exportadora. 2014. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

35.
SALERNO, Mario S.. Projeto que capacita pequenas e médias empresas é lançado em Ribeirão. 2014. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

36.
SALERNO, Mario S.. Peiex oferece consultoria gratuita para incremento de competitividade. 2014. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

37.
SALERNO, Mario S.. Engenharia: profissional versátil. 2014. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

38.
ALVAREZ, Roberto dos Reis ; SALERNO, Mario S. ; AMARAL, Guilherme . The US can learn plenty from Brazil. 2014. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

39.
SALERNO, Mario S.. Mercado de engenharia: onde anda a experiência?. 2014. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

40.
Salerno, M.S.. Inovação industrial no Brasil, Radio UFMG Educativa. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

41.
Salerno, M.S.. O trabalho mediado pelas inovações tecnológicas: impactos e desafios. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

42.
SALERNO, Mario S.. Política de inovação brasileira deveria ser mais intensa. Entrevista especial com Mario Salerno. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

43.
SALERNO, Mario S.; LINS, L. M. . Grupo da USP nega apagão de engenheiros e afirma que carências são localizadas geograficamente e em certas especialidades. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

44.
SALERNO, Mario S.. Observatório da USP: desenvolvimento pelo prisma da inovação. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

45.
SALERNO, Mario S.. Indicadores mostram que não há ?apagão? de engenheiros no Brasil =>Observatório da Inovação e Competitividade da USP afirma que há falta de profissionais em certas especialidades e regiões.. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

46.
SALERNO, Mario S.. Tecnólogo pode atuar na solução de problemas de trânsito e de infraestrutura. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

47.
FERNANDES, Luiza ; SALERNO, Mario S. . IEA, USP E Ipea investigam aparente apagão de engenheiros. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

48.
SALERNO, Mario S.. O mito do apagão dos engenheiros: estudo nega escassez de profissionais da área estagnada nos anos 80e 90. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

49.
SALERNO, Mario S.. Política de inovação brasileira deveria ser mais intensa. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

50.
SALERNO, Mario S.. Uma indústria que ocupa mão-de-obra não qualificada inova pouco. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

51.
SALERNO, Mario S.. Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação da Poli-USP inicia atividades. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

52.
Salerno, M.S.; GUTIERRES, Marcelo . Procuram-se bons técnicos: engenharia é o setor que mais ofre com a escassez de profissionais. 2012. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

53.
SALERNO, Mario S.. Empresas do Brasil adotam poucos incentivos à inovação, diz Whirpool. 2012. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

54.
SALERNO, Mario S.. Solução diferenciada atrai cliente. 2012. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

55.
SALERNO, Mario S.; PADILHA, Ênio. . Novo site Engenharia Data. 2012. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

56.
SALERNO, Mario S.. Inovação no setor automotivo. 2012. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

57.
SALERNO, Mario S. O Pulo do Gato - programa diário matutino (5:30 e 6:00h). 2011. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

58.
SALERNO, Mario S. Jornal em Três Tempos. 2011. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

59.
SALERNO, Mario S. Jornal da CNT. 2011. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

60.
SALERNO, Mario S.. Memória & Contexto: reestruturação produtiva. 2010. (Programa de rádio ou TV/Mesa redonda).

61.
SALERNO, Mario S.. Programa Espaço Informal (ao vivo). 2008. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

62.
SALERNO, Mario S.. Click Noite. 2007. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

63.
SALERNO, Mario S.. Leis de incentivo à inovação. 2006. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

64.
SALERNO, Mario S.. Programa CBN Total. Entrevista ao vivo. 2002. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

65.
SALERNO, Mario S.. Programa Fórum Broomberg. 2002. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

66.
SALERNO, Mario S.. Entrevista à Radio France Internacional. 2001. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

Redes sociais, websites e blogs
1.
SALERNO, Mario S.; FREIRE, Daniela . O estudante que hoje é doutor. 2018; Tema: Texto e fotos sobre trajetória, e o papel do ensino na trajetória de vida. Mensagem aos estudantes. (Site).

2.
SALERNO, Mario S.. De olho nas relações de trabalho do futuro, metalúrgicos debatem ''indústria 4.0''. 2017; Tema: Manufatura avançada. (Blog).

3.
SALERNO, Mario S.. Começando a inovar, publicado no Portal da Inovação (MCTI-ABDI), informativo n.1, julho 2013. 2013; Tema: Primeiros passos da inovação. (Site).


Demais tipos de produção técnica
1.
SALERNO, Mario S.. Gestão da Inovação para Aché. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
SALERNO, Mario S.. Innovation diplomacy. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
SALERNO, Mario S. Encontro de Coordenadores Peiex - Programa de Qualificação para Exportação. 2018. (Reunião técnica).

4.
SALERNO, Mario S.. Gestão da Inovação. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

5.
SOUZA, Rodrigo A. P. ; SALERNO, Mario S. . Technology Platform Demonstrators: a new frontier of public policy. 2017. (Relatório de pesquisa).

6.
SALERNO, Mario S.; MATSUMOTO, Criatiane ; AMARAL, Guilherme . Indústria I2027 - Complexo Automotivo - Relatório Final. 2017. (Relatório de pesquisa).

7.
SALERNO, Mario S.; ARBIX, Glauco ; Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos ; BOTTAN, Tatiane ; CABRAL, Célio ; GIESBRECHT, Hulda ; SILVA, Hyrla M. . Reunião técnica com Unidade de Acesso à Acesso à Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade. 2017. (Reunião técnica).

8.
SALERNO, Mario S.; GOMES, Leonardo A. V. ; BRASIL, Vinicius C. . Reunião com unidade de gestão da inovação da Braskem, para discutir gestão de competências. 2017. (Reunião técnica).

9.
SALERNO, Mario S.. Reunião conjunta Comitê ICT-Empresa e Comitê de Fomento da ANPEI. 2017. (Reunião técnica).

10.
Borges, Mario Neto ; SALERNO, Mario S. ; NEGRI, João Alberto de ; TURCHI, Lenita M. ; RAUEN, André ; MORAIS, José M. . Reunião com presidente do CNPq e diretoria do Ipea. 2017. (Reunião técnica).

11.
SALERNO, Mario S.. 3er Concurso de Innovación y Empreendimiento. 2017. (Membro de juri de concurso de trabalhos científicos).

12.
SALERNO, Mario S.; MATSUMOTO, Criatiane ; NEGRI, João Alberto de ; ARAUJO, Bruno ; RAUEN, André . Políticas públicas para biofármacos e energia solar. 2017. (Reunião técnica).

13.
SALERNO, Mario S.. Guia para navegar no videocurso de Gestão da Inovação. 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

14.
SALERNO, Mario S.. O que é inovação: conceitos básicos. 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

15.
SALERNO, Mario S.. O que é inovação: tipos e graus. 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

16.
SALERNO, Mario S.. O que é inovação: estratégias empresariais e inovação aberta. 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

17.
SALERNO, Mario S.. O que é inovação: como começar a inovar. 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

18.
SALERNO, Mario S.; ARBIX, Glauco . Entrevista: Glauco Arbix fala sobre a Finep e suas iniciativas. 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

19.
SALERNO, Mario S.. Processos de inovação. 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

20.
SALERNO, Mario S.. Abordagens para gestão de projetos sob incerteza. 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

21.
SALERNO, Mario S.. Abordagem DNA I (Descoberta, iNcubação - Aceleração). 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

22.
SALERNO, Mario S.. Abordagem DNA II (Descoberta - iNcubação, Aceleração). 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

23.
SALERNO, Mario S.. Abordagens para gestão da incerteza. 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

24.
SALERNO, Mario S.. Gestão do selecionismo. 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

25.
SALERNO, Mario S.; NAKANO, Davi N. ; SAKUDA, Luiz O. ; NERY, Renato ; SANTOS, Paulo L. . Indústria Brasileira de Jogos Digitais: Desafios e Perspectivas. 2015. (Debatedor em congresso ou seminário).

26.
SALERNO, Mario S.; MOURA, Mariluce . Ciência na rua. 2015. (Debatedor em congresso ou seminário).

27.
SALERNO, Mario S.; NEGRI, Fernanda de . Produtividade no Brasil. 2015. (Debatedor em congresso ou seminário).

28.
SALERNO, Mario S.; ARAUJO, Bruno ; GUIMARÃES, N. . Trajetórias de engenheiros no Brasil. 2015. (Debatedor em congresso ou seminário).

29.
SALERNO, Mario S.; GOMES, Leonardo A. V. ; FREITAS, Simone Lara T. U. ; LOPES, Felipe B. ; BAGNO, Raoni B. . Curso de gestão da inovação para empresas de cosméticos, perfumaria e higiene pessoal. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

30.
SALERNO, Mario S.. Gestão da inovação: conceitos, tipos e graus de inovação, atividades e processos da inovação. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

31.
SALERNO, Mario S.. MBA Engenharia e Emprendedorismo - Disciplina 'Gestão da Inovação'. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

32.
SALERNO, Mario S.; GOMES, Leonardo A. V. ; BRASIL, Vinicius C. . Capacitação em valoração de projetos de inovação: abordagem de opções reais (Braskem). 2014. .

33.
SALERNO, Mario S.. O que é inovação? Conceitos básicos. 2014. .

34.
SALERNO, Mario S.. O que é inovação: tipos e graus. 2014. .

35.
SALERNO, Mario S.. O que é inovação: estratégias empresariais e inovação aberta. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

36.
SALERNO, Mario S.. O que é inovação: como começar a inovar. 2014. .

37.
SALERNO, Mario S.; Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos . Capacitação web em gestão da inovação. 2014. .

38.
SALERNO, Mario S.; LINS, L. M. ; Gomes, Leonardo Augusto de Vasconcelos ; BOTTAN, Tatiane . Tendências e perspectivas da Engenharia no Brasil. 2014. (Relatório de pesquisa).

39.
SALERNO, Mario S.; LOPES, Felipe B. . Reunião do Conselho do CIESP (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Apresentação do projeto PEIEX-APEX, e assinatura de convênio Poli-PRO-FCAV com o CIESP (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) e o Ceciex (Centro Brasileiro das Empresas Comerciais Importadoras e Exportadoras). 2014. (Reunião técnica).

40.
SALERNO, Mario S.. Mudança estrutural e políticas de ciência, tecnologia e inovação. 2013. .

41.
SALERNO, Mario S.. Sistemas nacionais de inovação. 2013. .

42.
SALERNO, Mario S.. Inovação: motor do desenvolvimento?. 2013. .

43.
SALERNO, Mario S.. Gestão da inovação para start ups tecnológicas. 2013. .

44.
SALERNO, Mario S.. Princípios de start up (start up enxuta e dilemas do inovador;introdução à gestão da incerteza) - curso de gestão da inovação para start ups tecnológicas. 2013. .

45.
GOMES, Leonardo A. V. ; SALERNO, Mario S. . Gestão de incertezas - curso de gestão da inovação para start ups tecnológicas. 2013. .

46.
SALERNO, Mario S.; BERSSANETI, Fernando T. . Curso de gestão da inovação para start ups tecnológicas: Síntese e encaminhameno para diagnóstico -. 2013. .

47.
SALERNO, Mario S.. Gestão da inovação para empresas estabelecidas. 2013. .

48.
SALERNO, Mario S.. Introdução à gestão da inovação. Curso de Gestão da Inovação para empresas estabelecidas. 2013. .

49.
SALERNO, Mario S.. Inovação, reestruturação produtiva e mundanças no mundo do trabalho. 2013. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo educacional).

50.
Salerno, M.S.; TOLEDO, D. ; GOMES, Leonardo A. V. ; LINS, L. M. . Relatórios de revisão operacional do site e alimentação de novas séries/estudos e relatórios periódicos de comprovação de melhorias e aperfeiçoamentos do site. 2013. (Relatório de pesquisa).

51.
SALERNO, Mario S; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. . Plano de trabalho detalhado contendo projeto executivo. 2013. (Relatório de pesquisa).

52.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. . Mapeamento de proposições em P,D&I para a cadeia produtiva aeronáutica. 2013. (Relatório de pesquisa).

53.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. . Relatório Conclusivo - Programa Demonstrativo para Inovação em Cadeia Produtiva Selecionada - Setor Aeronáutico. 2013. (Relatório de pesquisa).

54.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. . Paper Resumo - Programa Demonstrativo para Inovação em Cadeia Produtiva Selecionada - Setor Aeronáutico. 2013. (Relatório de pesquisa).

55.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. . Sumário Executivo - Programa Demonstrativo para Inovação em Cadeia Produtiva Selecionada - Setor Aeronáutico. 2013. (Relatório de pesquisa).

56.
SALERNO, Mario S. Sistemas nacionais de inovação e políticas de ciência, tecnologia e inovação. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

57.
SALERNO, Mario S.. Gestão da inovação. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

58.
Salerno, M.S.. Capacitaçao em inovação para empresas da indústria têxtil e de confecção. 2012. .

59.
SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto ; BAGNO, Raoni B. . Dinâmicas da inovação: melhores práticas de gestão da inovação - caracterização, obstáculos, dilemas e questões abertas. 2012. (Relatório de pesquisa).

60.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. ; CARVALHO, André P. . Levantamento das experiências internacionais com programas de plataformas demonstradoras tecnológicas. 2012. (Relatório de pesquisa).

61.
SALERNO, Mario S.; TOLEDO, D. ; LINS, L. M. ; GOMES, Leonardo A. V. . Sistematização e elaboração de síntese do material produzido ao longo do projeto de modo a incorporá-lo ao sítio web em forma de conteúdo. 2012. (Relatório de pesquisa).

62.
SALERNO, Mario S.; TOLEDO, D. ; LINS, L. M. ; GOMES, Leonardo A. V. . Disponibilização pública da versão inicial do sítio web com as séries de engenharia e os documentos sobre o índice de competitividade. 2012. (Relatório de pesquisa).

63.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. ; LINS, L. M. . Plano de ações detalhado. 2012. (Relatório de pesquisa).

64.
SALERNO, Mario S.; TOLEDO, D. ; GOMES, Leonardo A. V. ; LINS, L. M. . Relatório preliminar sobre indicadores de competitividade e engenharia; Relatório preliminar sobre sítios nacionais e internacionais que disponibilizam dados e sua forma de operar. 2012. (Relatório de pesquisa).

65.
SALERNO, Mario S.; AMARAL, Guilherme ; OGAWA, Mariana ; VASCONCELLOS, Thiago F.D. . Relatório sobre a aplicação do modelo do Institute for Industrial Policy Studies (IPS). 2012. (Relatório de pesquisa).

66.
SALERNO, Mario S.; AMARAL, Guilherme ; LINS, L. M. ; TOLEDO, D. . Propostas de aperfeiçoamentos do modelo do IPS com incorporação de indicadores de engenharia. 2012. (Relatório de pesquisa).

67.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo ; TOLEDO, D. ; COUTINHO, D. ; PAULA, Pedro ; CARVALHO, André P. . Modelagem funcional para modelo de plataforma demonstradora tecnológica aplicável ao Brasil. 2012. (Relatório de pesquisa).

68.
SALERNO, Mario S.. Gestão estratégica da inovação. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

69.
SALERNO, Mario S. Inovação e Desenvolvimento. 2011. .

70.
SALERNO, Mario S.; TOLEDO, D. ; MIRANDA, Zil ; GOMES, Leonardo A. V. ; LINS, L. M. ; CASEIRO, L. ; FELIZARDO, Rafael G. ; MORAES, Diego ; AMARAL, Flávio ; SILVA, Debora O. . Tendências e perspectivas da Engenharia no Brasil. 2011. (Relatório de pesquisa).

71.
SALERNO, Mario S.. Organização - funções, processos e projetos, para UNICEF / Plataforma dos Centros Urbanos. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

72.
SALERNO, Mario S.. Modelos para organização e gestão da cadeia de valor da inovaçao na empresa - relatório científico anual de progresso 1. 2010. (Relatório de pesquisa).

73.
SALERNO, Mario S.; FREITAS, Simone Lara T. U. . A influência da Petrobras no desenvolvimento tecnológico: o caso dos Institutos de Ciência e Tecnologia. 2010. (Relatório de pesquisa).

74.
SALERNO, Mario S.. The Brazilian automotive industry: historical background, development, current crisis and trends. 2009. (Relatório de pesquisa).

75.
SALERNO, Mario S.; FREITAS, Simone Lara T. U. ; MISSAWA, Vanessa . A influência da Petrobras no desenvolvimento tecnológico: o caso das empresas de serviços de engenharia:. 2009. (Relatório de pesquisa).

76.
NAPOLE, Antônio ; SALERNO, Mario S. ; KUPFER, David ; PRADO, Luis C. ; DINIZ, Eli ; OLIVEIRA, Adilson . Cenários de planejamento para a Petrobras 2030. 2009. (Reunião técnica).

77.
SALERNO, Mario S.. 16th Gerpisa International Colloquium. 2008. (Debatedor em congresso ou seminário).

78.
SALERNO, Mario S.. Os novos instrumentos de apoio à inovação nas empresas. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

79.
ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; TOLEDO, D. ; MIRANDA, Idenilza M. . Mobit - Estratégias internacionais de inovação - relatório 1. 2007. (Relatório de pesquisa).

80.
ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. ; TOLEDO, D. ; MIRANDA, Idenilza M. . Mobit - Estratégias internacionais de inovação - relatório 2: resenha bibliográfica e instrumentos de campo. 2007. (Relatório de pesquisa).

81.
SALERNO, Mario S.; PARENTE, Laura I. . Mobit - Estratégias de inovação - relatório de campo: França. 2007. (Relatório de pesquisa).

82.
SALERNO, Mario S.; MIRANDA, Idenilza M. . Mobit - relatório de campo do caso Japão. 2007. (Relatório de pesquisa).

83.
ARBIX, Glauco ; TOLEDO, D. ; MIRANDA, Idenilza M. ; ABDAL, A. ; OLIVEIRA, Maria C. ; FERRAZ, Joana ; SALERNO, Mario S. ; RUIZ, Osvaldo L. ; PARENTE, Laura I. . Mobit - Estratégias internacionais de inovação - relatórios de viagem (Reino Unido, França,. 2007. (Relatório de pesquisa).

84.
SALERNO, Mario S.; MIRANDA, Idenilza M. ; KAMIZAKI, Fernando ; MALUTA, Geovani . Panorama e perspectivas do desenvolvimento da indústria de autopeças no Brasil: desenvolver sedes de projeto de produto para salto qualitativo no panorama mundial. 2007. (Relatório de pesquisa).

85.
SALERNO, Mario S.. Eficiência do Estado na área de ciência, tecnologia e inovação. 2007. (Reunião técnica).

86.
SALERNO, Mario S.. Curso de Formação de Agentes em Política Industrial. 2006. .

87.
SALERNO, Mario S.. Sistema Brasileiro de Inovação - PITCE. 2006. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

88.
SALERNO, Mario S.. Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. 2006. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

89.
SALERNO, Mario S.. Os novos instrumentos da Política Industrial e Tecnológica - Café com Debate. 2006. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

90.
SALERNO, Mario S.. Comitê gestor do estudo prospectivo da indústria do plástico. 2006. (Reunião técnica).

91.
SALERNO, Mario S.. A Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior do Brasil. 2005. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Texto para publicação institucional).

92.
SALERNO, Mario S.. Productive organization - Gerpisa Colloquium 2005. 2005. (Debatedor em congresso ou seminário).

93.
SALERNO, Mario S.. Comitê científico da rede Gerpisa. 2005. (Reunião técnica).

94.
SALERNO, Mario S.. 24a. Feira Internacional de Vendas e Exportação de Móveis. 2005. (Reunião técnica).

95.
SALERNO, Mario S.. Política industrial. 2004. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

96.
SALERNO, Mario S.. Reunião conjunta das comissões temáticas do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia. 2004. (Reunião técnica).

97.
SALERNO, Mario S.. Organização da produção e do trabalho em empreendimentos autogestionários. 2002. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

98.
SALERNO, Mario S.. Curso de Economia Solidária e Desenvolvimento Local - Disciplina Organização do Trabalho e da Produção. 2002. .

99.
SALERNO, Mario S.. Curso de Reestrururação Produtiva - Programa de Capacitação de Dirigentes e Assessores Sindicais. 2001. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

100.
SALERNO, Mario S.. As mudanças no mundo do trabalho e as estratégias empresariais. 2001. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

101.
SALERNO, Mario S.. International Journal of Automotive Technology and Management. 2001. (Editoração/Periódico).

102.
SALERNO, Mario S.. Mesa-redonda Diálogos Norte-Sul junto ao Seminário Internacional A Indústria Automobilística nas Américas, realizado no Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ), Universidade Cândido Mendes.. 2001. (Debatedor em congresso ou seminário).

103.
SALERNO, Mario S.. Organização de sistemas produtivos. 2000. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

104.
SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto ; ZILBOVICIUS, Mauro . Workshop sobre trabalho em grupos na produção - Ford Brasil. 2000. .

105.
SALERNO, Mario S.. Curso de Reestruturação Produtiva junto ao Programa de Capacitação de Dirigentes a Assessores Sindicais. 2000. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

106.
SALERNO, Mario S.. Curso de Reestruturação Produtiva - Programa de Capacitação de Dirigentes e Assessores Sindicais. 2000. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

107.
SALERNO, Mario S.. Workshop projeto e implantação de trabalho em grupos na produção. 2000. .

108.
SALERNO, Mario S.. Membro da comissão julgadora de concurso de Professor Livre-Docente na área de Tecnologia, do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, ao qual se candidatou o prof. dr. Guilherme Ary Plonski, que apresentou o texto cooperação empresa - universidade, sistematizando sua obra. 2000. (Banca de concurso de livre-docência).

109.
SALERNO, Mario S.. Membro da comissão julgadora de concurso de Professor Livre-Docente na área de Educação e Sociedade, do Departamento de Ciências Sociais Aplicadas à Educação da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, ao qual se candidatou a profa. dra. Márcia de Paula Leite, que apresentou a tese Ciência, tecnologia e sociedade. 2000. (Banca de concurso de livre-docência).

110.
SALERNO, Mario S.. Gestão de operações em empresa em globalização: o caso Mercedes Benz. 1999. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

111.
SALERNO, Mario S.. Workshop projeto e implantação de trabalho em grupo na produção. 1999. .

112.
SALERNO, Mario S.. Workshop projeto e implantação de trabalho em grupo na produção. 1999. .

113.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão Julgadora de Concurso Público para Provimento de Cargo de Professor Doutor junto ao Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP (processo nº 99.1.1317.3.2), área de Qualidade e Engenharia do Produto, em regime de turno completo (RTC), tendo como candidato Roberto Gilioli Rotondaro. 1999. (Participação em banca de concurso público de provimento de cargos).

114.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão Julgadora de Concurso Público para Provimento de Cargo de Professor Doutor junto ao Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP (processo nº 99.1.1316.3.6), área de Qualidade e Engenharia do Produto, em regime de tempo parcial (RTP), tendo como candidatos Giancarlo da Silva Rego Pereira e Marly Monteiro de Carvalho.. 1999. (Participação em banca de concurso público de provimento de cargos).

115.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão Julgadora de Concurso Público para Provimento de Cargo de Professor Doutor junto ao Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP (processo nº 99.1.1319.3.5), área de Economia e Finanças da Produção, em regime de turno completo (RTP), tendo como candidato Reinaldo Pacheco da Costa. 1999. (Participação em banca de concurso público de provimento de cargos).

116.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão Julgadora de Concurso Público para Provimento de Cargo de Professor Doutor junto ao Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP (processo nº 99.1.1318.3.9) , área de Economia e Finanças da Produção, em regime de dedicação integral à docência e à pesquisa (RDIDP), tendo como candidato João Amato Neto. 1999. (Participação em banca de concurso público de provimento de cargos).

117.
SALERNO, Mario S.. Membro da comissão examinadora do concurso público para a obtenção do título de livre-docente na área de Tecnologia, junto ao Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP, ao qual se candidatou o prof. dr. João Amato Neto. 1999. (Banca de concurso de livre-docência).

118.
SALERNO, Mario S.. Workshop projeto e implantação de trabalho em grupo na produção. 1997. .

119.
SALERNO, Mario S.. Workshop projeto e implantação de trabalho em grupo na produção. 1997. .

120.
SALERNO, Mario S.. Workshop projeto e implantação de trabalho em grupo na produção. 1995. .

121.
SALERNO, Mario S.. Workshop projeto e implantação de trabalho em grupo na produção. 1995. .

122.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão Julgadora do Concurso Público para Professor Auxiliar da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Departamento de Engenharia de Produção. 1995. (Participação em banca de concurso público de provimento de cargos).

123.
SALERNO, Mario S.. Workshop projeto e implantação de trabalho em grupo na produção. 1994. .

124.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão Julgadora do Concurso Público para Professor Adjunto da Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Departamento de Engenharia Industrial, Setor de Administração Industrial. 1994. (Participação em banca de concurso público de provimento de cargos).

125.
SALERNO, Mario S.. Programa de treinamento em recursos humanos para as Indústrias Gessy Lever. 1993. .

126.
SALERNO, Mario S.. Workshop projeto e implantação de trabalho em grupo na produção. 1993. .

127.
SALERNO, Mario S.. Microeletrônica na indústria eletrônica: três estudos de caso sobre inovações técnico-organizacionais na indústria de computadores. 1989. (Relatório de pesquisa).

128.
SALERNO, Mario S.. Automação e processo de trabalho na indústria do cimento. 1989. (Relatório de pesquisa).

129.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão de Seleção de Concurso Público para Professor Assistente realizado pelo Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal de São Carlos, na área de concentração de Projeto da Fábrica, Tempos e Métodos, Ergonomia e Movimentação e Armazenagem de Materiais. 1987. (Participação em banca de concurso público de provimento de cargos).

Demais trabalhos
1.
SALERNO, Mario S.. Jornal da Record 10/02/2009. 2009 (Entrevista a rádio e TV) .

2.
SALERNO, Mario S.. CBN Noite Total - Entrevista sobre Crise e inovação. 2009 (Entrevista a rádio e TV) .

3.
SALERNO, Mario S.. Programa Repórter Brasil - TV Brasil 02/10/2008. 2008 (Entrevista a rádio e TV) .

4.
SALERNO, Mario S.. Consulta Delphi: prospecção estratégica sobre qualidade da educação básica nas escolas públicas do Brasil. 2006 (Consultas Delphi) .

5.
SALERNO, Mario S.. Prospecção Estratégica Futuro do Brasil. 2006 (Consultas Delphi) .

6.
SALERNO, Mario S.. Prospecção Estratégica: Futuro do Brasil. 2006 (Consultas Delphi) .

7.
SALERNO, Mario S.. Missão oficial de trabalho à França. 2006 (Missão oficial ao exterior) .

8.
SALERNO, Mario S.. Missão oficial à Itália. 2006 (Missão oficial ao exterior) .

9.
SALERNO, Mario S.. Programa Pesquisa Brasil. 2005 (Entrevista a rádio e TV) .

10.
SALERNO, Mario S.. Consulta Delphi - nanociência e nanotecnologia. 2005 (Consultas Delphi) .

11.
ARBIX, Glauco ; SALERNO, Mario S. . Visita a diversos órgãos do Estado Chinês - missão oficial do IPEA. 2005 (Demais trabalhos relevantes) .

12.
SALERNO, Mario S.. Consulta Delphi: marco regulatório em biotecnologia. 2005 (Consultas Delphi) .

13.
SALERNO, Mario S.. Política industrial, tecnológica e de comércio exterior. Debate no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES). 2004 (Demais trabalhos relevantes) .



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
SALERNO, Mario S.; ANDREASSI, Tales; VIDAL, Luciane M. O.. Participação em banca de Felipe Massami Maruyama. Incubar ou acelerar? Análise sobre o valor entregua para as startups pelas incubadoras e aceleradoras de negócios. 2017. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

2.
SALERNO, Mario S.; BAGNO, Raoni B.; GOMES, Leonardo A. V.. Participação em banca de Luis Eduardo do Amaral Bertazi. Sistema de indicadores para gestão da inovação em PMEs industriais tradicionais. 2017. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

3.
CAVALCANT, Carlos A. M. T.; QUINTELLA, Cristina M. A. L. T. M. H.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Eron Passos Andrade. Sistema de mensuração de desempenho em inovação para universidades públicas no Brasil. 2016. Dissertação (Mestrado em Engenharia Industrial) - Universidade Federal da Bahia.

4.
VEIGA, Ricardo T.; BAGNO, Raoni B.; SALERNO, Mario S.; LARA, José E.; GONÇALVES, Carlos A.. Participação em banca de Júlio Cézar Fonseca de Melo. Estabelecendo a função inovação em uma empresa industrial brasileira. 2016. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Administração) - Centro de Pós-Graduaçao e Pesquisas em Administração da UFMG.

5.
SALERNO, Mario S.; COSTA, Reinaldo P.; GOMES, Leonardo A. V.. Participação em banca de Alice Frantz Schneider. The recycling of electronic waste: regulations and corporate strategies in Brazil and in Europe. 2016. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

6.
SALERNO, Mario S.; GOMES, Leonardo A. V.; OLIVEIRA, André R.. Participação em banca de Rodrigo Kazuo Ikenami. A abordagem de "ecossistema" eem teoria organizacional: fundamentos e contribuições. 2016. Dissertação (Mestrado em Pós-Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

7.
Nascimento, Paulo Tromboni S.; CAMARGO JUNIOR, Alceu S.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Leandro Rodrigues Gonçalves. Early termination of R&D projects / Terminação precoce de projetos de P&D. 2015. Dissertação (Mestrado em Pós-graduação em administração de empresas) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - USP.

8.
ARBIX, Glauco; SALERNO, Mario S.; SILVA, Márcia R. L.. Participação em banca de Leonardo Melo Lins. Educação e economia: um estudo da relação entre estrutura produtiva e demandas educacionais nas regiões metropolitanas de São Paulo e Belo Horizonte. 2013. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Sociologia) - Departamento de Sociologia - FFLCH/USP.

9.
ARBIX, Glauco; MIRANDA, Idenilza M.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Luiz Carlos Zalaf Caseiro. Novas estratégias de internacionalização de empresas brasileiras: expansão geográfica, determinantes e alternativas de política ndustrial. 2013. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade de São Paulo.

10.
ARBIX, Glauco; CONSONI, Flavia.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Rafael Grilli Felizardo. Em busca de novos padres de desenvolvimento: os parques tecnológicos no Brasil. 2013. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade de São Paulo.

11.
SILVA, Márcia T.; GONÇALVES, M.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Silas Costa Ferreira Junior. Servitização no mercado brasileiro de livros didáticos: implicações organizacionais para as editoras. 2012. Dissertação (Mestrado em Pós-Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

12.
VACCARO, Guilherme L. R.; ANTUNES JR, José Antônio Valle; SALERNO, Mario S.; BORCHARDT, Miriam. Participação em banca de Débora Oliveira da Silva. Proposta para análise da gestão da inovação em serviços hospitalares: um estudo no Hospital Mãe de Deus - Posto Alegre, RS. 2011. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção e Sistemas) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

13.
MACULAN, Anne-marie; SALERNO, Mario S; PROENÇA, Adriano; CARDOSO, V. C.. Participação em banca de Bernardo da Costa Azevedo. Desvendando o processo de transição de um modelo fechado a um modelo aberto de inovação: evidências em empresas brasileiras. 2011. Dissertação (Mestrado em Programa de Engenharia de Produção) - Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia da UFRJ.

14.
SALERNO, Mario S.; MELLO, Adriana M.; MIRANDA, Zil. Participação em banca de Felipe Bussinger Lopes. Identificação de fatores que impactam a inovação em empresas têxteis brasileiras. 2011. Dissertação (Mestrado em Pós-Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

15.
SALERNO, Mario S.; DIAS, Ana Valéria Carneiro; MARX, Roberto. Participação em banca de Juliana Rossi Pereira Rocha. A gestão do desenvolvimento de produto via APQP na indústria automobilística. 2010. Dissertação (Mestrado em Pós-Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

16.
ANTUNES JR, José Antônio Valle; PROENÇA, Adriano; SALERNO, Mario S.; COSTA, Achyles B.; BIGNETTI, Luiz P.. Participação em banca de Alexandre de Souza Garcia. Sistema Corporativo da Inovação: um estudo de caso. 2010. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

17.
SALERNO, Mario S.; LOURENCAO, Paulo. T. M.; CARNEVALLI, José A.. Participação em banca de Vanessa de Lima Ferreira. A estratégia na relação com os fornecedores na indústria aeronáutica brasileira: o caso da Embraer. 2010. Dissertação (Mestrado em Pós-Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

18.
GALINA, Simone V. R.; SALERNO, Mario S.; TAKAHASHI, Sérgio. Participação em banca de Julia Taunay Perez. Avaliação da relação entre inovação de produto e internacionalização no segmento produtor de máquinas e equipamentos para a indústria da cadeia sucroalcooleira. 2010. Dissertação (Mestrado em Administração de Organizações) - Universidade de São Paulo.

19.
MIGUEL, Paulo. A. C.; SILVA, Sérgio L.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de André Segismundo. Processo de descentralização do desenvolvimento de novos produtos: uma análise em uma empresa do setor de veículos comerciais. 2009. Dissertação (Mestrado em Pós-Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

20.
BALBACHEVSKY, Elizabeth; SALERNO, Mario S.; SILVA, Márcia T.. Participação em banca de José Manuel Cárdenas Medina. Estrutura e realidade de inovação nas microempresas: os casos do Brasil e do Peru. 2007. Dissertação (Mestrado em Programa em Integração da América Latina) - Universidade de São Paulo.

21.
MARX, Roberto; SALERNO, Mario S.; DIAS, Ana Valéria Carneiro. Participação em banca de Adriana Marotti de mello. Manutenção da capacidade inovadora na externalização do desenvolvimento de produtos: o caso da indústria automobilística. 2006. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

22.
ARBIX, Glauco; SALERNO, Mario S.; COMIN, Alvaro Augusto. Participação em banca de Idenilza Moreira de Miranda. Embraer: exercício de capacitação tecnológica e produtiva e o aumento da competitividade da economia brasileira. 2005. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade de São Paulo.

23.
ARBIX, Glauco; SALERNO, Mario S.; MARQUES, Eduardo César. Participação em banca de Demétrio Gaspari Cirne de Toledo. Redes empresariais e ação coletiva: Fiesp e Ciesp, 1552-2004. 2005. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade de São Paulo.

24.
FARTES, Vera Lúcia Bueno; SALERNO, Mario S.; AMARO, José. Participação em banca de Roberto César Fernandes Sacramento. Saberes e competências em situação de inovação e imprevisibilidade em oficinas de reparo automotivo: resgatando o elo perdido da cadeia. 2004. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal da Bahia.

25.
MARX, Roberto; ANDREONI, R.; ALVES FILHO, A. G.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Rubens Andreoni. A sociotécnica moderna no escritório. 2002. Dissertação (Mestrado em Engenharia (Engenharia de Produção)) - Universidade de São Paulo.

26.
ARBIX, Glauco; SOUSA, M.; SALERNO, Mario S.; TELLES, V. S.. Participação em banca de Maurício de Sousa. À margem do Sindicato: os metalúrgicos das pequenas empresas e o novo sindicalismo no ABC. 2002. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade de São Paulo.

27.
FLEURY, A.; GALLINA, R.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Renato Gallina. A tecnologia da informação nas cadeias produtivas: o uso do EDI na indústria automobilística. 2001. Dissertação (Mestrado em Engenharia (Engenharia de Produção)) - Universidade de São Paulo.

28.
SANTOS, A.; ARBIX, Glauco; SALERNO, Mario S.; MARTINS, H.. Participação em banca de Agnaldo dos Santos. Debutantes e outsiders: junventude metalúrgica e sindicato no ABC. 2001. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade de São Paulo.

29.
ODA, N. T.; SALERNO, Mario S.; SINGER, P.; ZILBOVICIUS, Mauro. Participação em banca de Nilson Tadashi Oda. Gestão e trabalho em cooperativas de produção: dilemas e alternativas à participação. 2001. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção Epusp) - Universidade de São Paulo.

30.
PINTO, S. S.; EID, F.; SALERNO, Mario S.; TOLEDO, J. C.. Participação em banca de Sandro da Silva Pinto. Qualificação do trabalho dos operadores de equipamentos automatizados em uma empresa sucroalcooleira paulista. 2000. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de São Carlos.

31.
BRITES, A. S. A.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Antônio da Silva do Amaral Brites. Uma contribuição para o estudo da organização do trabalhonas empresa industriais do município de Itajubá. 2000. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Itajubá.

Teses de doutorado
1.
Nascimento, Paulo Tromboni S.; BATAGLIA, W.; SALERNO, Mario S.; MORILHAS, Leandro J.; GOMES, Leonardo A. V.. Participação em banca de Ana Paula Franco Paes Leme Barbosa. Managing collaborative R&D projects with differebr types of knowledge sources. 2018. Tese (Doutorado em Doutorado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - USP.

2.
ARBIX, Glauco; CONSONI, Flavia.; SALERNO, Mario S.; GUIMARÃES, N.; COMIN, Alvaro Augusto. Participação em banca de Leonardo Melo Lins. A construção institucional da engenharia nacional: proteção, incentivos e escassez. 2018. Tese (Doutorado em Doutorado em Sociologia) - Departamento de Sociologia - FFLCH/USP.

3.
YU, Abraham S. O.; GOMES, Leonardo A. V.; CAMARGO JUNIOR, Alceu S.; SALERNO, Mario S.; OLIVEIRA, Maicon G.. Participação em banca de Claudio Marcos Vigna. Avaliação da influência da consultoria em iniciativas da fase fuzzy front end. 2017. Tese (Doutorado em Doutorado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - USP.

4.
FELDMANN, Paulo R.; LUCCHESI, Andrea; SBRAGIA, Roberto; SALERNO, Mario S.; BORINI, Felipe M.. Participação em banca de Camila Benatti Moura. Relação entre as atividades inovativas internas e externas no desempenho em inovação das empresas do setor industria brasileiro: co atatações baseadas em uma década de PINTEC/IBGE. 2017. Tese (Doutorado em Doutorado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - USP.

5.
SPINOLA, MAURO DE MESQUITA; LAURINDO, F. J. B.; SALERNO, Mario S.; PRADO, Edmir P. V.; MIYASHIRO, Magda A. S.. Participação em banca de Ana Lúcia Figueiredo Facin. A evolução das plataformas no setor de software: uma análise na perspectiva das capacitações das organizações. 2017. Tese (Doutorado em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

6.
SALERNO, Mario S.; GUIMARÃES, N.; PIANTO, Donald M.; NEGRI, Fernanda de; SOUZA, André P. F.. Participação em banca de Bruno Cesar Pino de Araujo. Trajetórias ocupacionais de engenheiros jovens no Brasil. 2016. Tese (Doutorado em Doutordo em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

7.
SALERNO, Mario S.; NAKANO, Davi N.; ZANCUL, Eduardo; ANTUNES JR, José Antônio Valle; PROENÇA, Adriano. Participação em banca de Débora Oliveira da Silva. Gestão de portfólio de projetos de inovação: análise das práticas adotadas por empresas industriais de grande porte. 2016. Tese (Doutorado em Doutordo em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

8.
SALERNO, Mario S.; NAKANO, Davi N.; GARCIA, Renato C.; PROENÇA, Adriano; ARAUJO, Bruno. Participação em banca de Guilherme Soares Gurgel do Amaral. Sistema de métricas de competitividade das nações baseado na estatística multivariada. 2016. Tese (Doutorado em Doutordo em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

9.
SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo; MATSUDA, Patrícia M.; SILVA, Sérgio L.; FLEURY, Andre L.. Participação em banca de Simone de Lara Teixeira Uchoa Freitas. Tipologia de heurísticas para a criação de oportunidades empreendedoras por startups. 2016. Tese (Doutorado em Doutordo em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

10.
MARX, Roberto; FISCHER, A. L.; TRUZZI, O. M. S.; SILVA, Márcia T.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de João Paulo Reis Faleiros Soares. Uma contribuiçao para o projeto de sistemas de recompensas para inovação. 2015. Tese (Doutorado em Doutordo em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

11.
SALLES FILHO, Sérgio L. M.; QUEIROZ, Sérgio R. R.; BELLI, Márcio M.; AZEVEDO, Paulo F.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Carolina Thais Rio. Processo de integração de áreas de pesquisa, desenvolvimeno e inovação após fusões e aquisições. 2015. Tese (Doutorado em Geociências) - Universidade Estadual de Campinas.

12.
MARX, Roberto; SALERNO, Mario S; ZANCUL, Eduardo; MELLO, Adriana M.; BREMER, Carlos F.. Participação em banca de Chang Chuan Teh. A influência das tensões ambidestras na arquitetura organizacional para inovação: estudo de casos em empresas brasileiras da indústria de transformação. 2014. Tese (Doutorado em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

13.
ARBIX, Glauco; GOLGHER, Denise B.; SALERNO, Mario S.; PEREZ, José F.; GUIMARÃES, N.. Participação em banca de Carlos Eduardo Torres Freire. Biotecnologia no Brasil: uma atividade econômica baseada em empresa, academia e Estado. 2014. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade de São Paulo.

14.
SALERNO, Mario S.; NAKANO, Davi N.; ZANCUL, Eduardo. Participação em banca de Simone Lara Teixeira Uchôa Freitas. Como start ups constroem heurísticas de decisão estratégica e definem suas "regras simples". 2014. Tese (Doutorado em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

15.
YU, Abraham S. O.; AMATUCCI, Marcos; SALERNO, Mario S.; FELDMANN, Paulo R.; Nascimento, Paulo Tromboni S.. Participação em banca de Francisco Carlos Tadeu Starke Rodrigues. As estratégias globais das montadoras e as verticais tecnológicas em motorização. 2013. Tese (Doutorado em Doutorado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - USP.

16.
SALERNO, Mario S.; GALINA, Simone V. R.; PROENÇA, Adriano; ZANCUL, Eduardo; MARX, Roberto. Participação em banca de Leonardo Augusto de Vasconcelos Gomes. Corrida maluca em territórios desconhecidos: como empreendedores gerenciam incertezas individuais e coletivas em ecossistemas empreendedores. 2013. Tese (Doutorado em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

17.
SALERNO, Mario S.; SPIES, A.; MOTTA, Flávia G.; BERSSANETI, Fernando T.; MARX, Roberto. Participação em banca de Leo Teobaldo Kroth. Instrumento auxiliar à seleção de portfólio de projetos em institutos públicos. 2013. Tese (Doutorado em Doutordo em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

18.
GREGORY, Mike; PHAAL, R.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Carlos Enrique López-Gómez. National Value Capture in Modern Industrial Systems: Insights for Policy Development. 2012. Tese (Doutorado em Downing College, Engineering Dept, Mnf&Mngt Div.) - University of Cambridge.

19.
COMIN, Alvaro Augusto; CONSONI, Flavia.; MIRRA, Evando; SALERNO, Mario S.; ARBIX, Glauco. Participação em banca de Zil Miranda - Idenilza Moreira de Miranda. Brasil: em busca de um novo padrão de desenvolvimento. 2011. Tese (Doutorado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA) - Universidade de São Paulo.

20.
CAULLIRAUX, Heitor Mansur; PROENÇA, Adriano; CAVALCANTI, Marcos; SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto. Participação em banca de André Ribeiro de Oliveira. Uma avaliação de sistemas de medição de desempenho para P&D implantados em empresas brasileiras frente aos princípios de construção identificados na literatura. 2010. Tese (Doutorado em Programa de Engenharia de Produção) - Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia da UFRJ.

21.
MARX, Roberto; ZILBOVICIUS, Mauro; SALERNO, Mario S.; ANTUNES JR, José Antônio Valle; PEREIRA, Luciana. Participação em banca de Adriana Marotti de Mello. Contribuição aos critérios de projeto organizacional para inovação em empresas consolidadas de setores maduros: o caso da indústria petroquímica brasileira. 2010. Tese (Doutorado em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

22.
CRUZ, Helio N; LUQUE, Carlos. A.; CAMPANARIO, Milton A.; KANNEBLEY Jr, Sergio; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Daniel de Souza Coelho. Ensaios sobre desenvolvimento econômico: uma abordagem neo-schumpteriana aplicada à economia brasileira. 2010. Tese (Doutorado em Economia) - Universidade de São Paulo.

23.
SZNELWAR, L. I.; UCHIDA, Seiji; MUSSE, Ricardo; MASCIA, Fausto L.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Gilbert Cardoso Bouyer. Contribuição da abordagem enactivo-incorporada da ação operatória na atividade de trabalho. 2008. Tese (Doutorado em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

24.
PLONSKI, Guilherme A.; ANDREASSI, Tales; CAMPANARIO, Milton A.; SALERNO, Mario S.; BOUER, Gregório. Participação em banca de Marcelo Hiroshi Nakagawa. Empresa Inovadora de Base Tecnológica: modelo descritivo. 2008. Tese (Doutorado em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

25.
ARBIX, Glauco; COMIN, Alvaro Augusto; SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro; ABRAMOVAY, Ricardo. Participação em banca de Branislav Kontic. A indústria da moda: inovação e redes sociais. 2007. Tese (Doutorado em Sociologia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

26.
PLONSKI, Guilherme A.; LAURINDO, F. J. B.; MASSAMBANI, Oswaldo; BALBACHEVSKY, Elizabeth; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Elisabeth Adriana Dudziak. Lei de inovação e pesquisa acadêmica: o caso PEA. 2007. Tese (Doutorado em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

27.
ZAMBERLAN, Fabio Luiz; SALERNO, Mario S.; GRUN, Roberto; BARTHOLO JR., Roberto S.; THIOLLENT, Michel. Participação em banca de Paulo Cesar Greenhalg de Cerqueira Lima. O trabalho flexível dos jornalistas: uma análise nas redações de jornais diários impressos na cidade do Rio de Janeiro. 2007. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

28.
CAULLIRAUX, Heitor Mansur; SALERNO, Mario S.; PROENÇA, Adriano; HASENCLEVER, Lia; ANTUNES JR, José Antônio Valle. Participação em banca de Ivan De Pellegrin. Redes de inovação: dinamizando processos de inovação em empresas fornecedoras da indústria de petróleo e gás natural no Brasil. 2006. Tese (Doutorado em Programa de Engenharia de Produção) - Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia.

29.
SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro; MARX, Roberto; RACHID, Alessandra; ZAWISLAK, Paulo Antônio. Participação em banca de Thaise Graziadio. Estudo comparativo entre os fornecedores de componentes automotivos de plantas convencionais e modulares. 2004. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção Escola Politécnica) - Universidade de São Paulo.

30.
SALERNO, Mario S.; CAULLIRAUX, Heitor Mansur; PROENÇA, Adriano; ZAMBERLAN, Fabio Luiz; ANTUNES JÚNIOR, José Antônio. Participação em banca de Roberto dos Reis Alvarez. A indústria automotiva no Rio de Janeiro: uma análise da inserção dos fabricantes locais de autopeças e componentes na cadeia automotiva brasilira a partir da implementação das unidades de montagem no estado. 2004. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

31.
VALLE, Rogério A. B.; SALERNO, Mario S.; CASSIOLATO, José E.; COSENZA, C. A. N.; MELLO, José M. C.. Participação em banca de Cristiane Magdalena d'Avila Garcez. Empresas multinacionais em sistemas locais de inovação no Brasil: o caso da indústria automobilística. 2003. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

32.
ZUCCOLOTTO, S.; SZNELWAR, L. I.; SALERNO, Mario S.; AMATO NETO, João; FERREIRA, L. L.; DUARTE, F. J. C. M.. Participação em banca de Silvana Zuccolotto. A prestação de serviços em transporte coletivo: aplicação da análise ergonômica no trabalho dos agentes e operadores de estação do Metrô de São Paulo. 2002. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção Escola Politécnica) - Universidade de São Paulo.

33.
GONÇALVES, M.; RYNGELBLUM, A. L.; SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto; CORRÊA, H. L.; MOTTA, F. C. P.. Participação em banca de Arnaldo Luiz Ryngelblum. Adeus à estrutura, mas não à escala: reexame crítica dos discursos das teorias gerencialistas recentes. 2001. Tese (Doutorado em Administração de Empresas) - Fundação Getulio Vargas - SP.

34.
ROBLES, L. T.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Léo Tadeu Robles. A prestação de serviços de logística integrada na indústria automobilística brasileira: busca de alianças estratégicas. 2001. Tese (Doutorado em Administração) - Universidade de São Paulo.

Qualificações de Doutorado
1.
SALERNO, Mario S.; BAGNO, Raoni B.; CARVALHO, Marly M.. Participação em banca de Vinicius Chagas Brasil. Gestão de portfólio de projetos de inovação com alto grau de incerteza: além da segmentação e do balanceamento. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Doutordo em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

2.
MUNIZ JR, Jorge; SALERNO, Mario S.; FREITAS, Marcela A. G. M.; LUCHE, José R. D.. Participação em banca de Sidney de Lima Pinto. Modelos de gestão da inovação: aplicação em processos de empresas do Porto Digital - PE. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica) - Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá - UNESP.

3.
SALERNO, Mario S.; BAGNO, Raoni B.; MARX, Roberto. Participação em banca de Rafael Augusto Seixas Reis de Paula. Integração organizacional para inovação radical: atuação do hub de inovação. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Doutordo em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

4.
ARBIX, Glauco; SALERNO, Mario S.; CASTRO, Nadya A.. Participação em banca de Leonardo Melo Lins. Autoridade e competência: a transformação social da engenharia no Brasil. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Sociologia) - Departamento de Sociologia - FFLCH/USP.

5.
FELDMANN, Paulo R.; SALERNO, Mario S.; BORINI, Felipe M.. Participação em banca de Carolina Benatti Mourad. Inovação, capacidade absortiva e produtividade - uma análise a partir da Pintec. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - USP.

6.
COUTINHO, D.; SALERNO, Mario S.; AGUILLAR, Fernando H. F.. Participação em banca de Charles Borges Rossi. A dinâmica da inovação dos sistemas de propulsão de veículos automotores: uma análise jurídica de escolhas institucionais com base na experiência do Brasil e dos EUA no período recente. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Direito Economico e Financeiro) - Universidade de São Paulo.

7.
SALERNO, Mario S.; GARCIA, Renato C.; NAKANO, Davi N.. Participação em banca de Guilherme Amaral. Vantagens e competências competitivas: o desenvolvimento de métricas de competitividade das nações. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

8.
SALERNO, Mario S.; DIAS, Ana Valéria Carneiro; ZANCUL, Eduardo. Participação em banca de Raoni Barros Bagno. Inovação: uma função organizacional emergente? Caracterização a partir da experiência de empresas industriais de grande porte. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

9.
SALERNO, Mario S.; ANTUNES JR, José Antônio Valle; NAKANO, Davi N.. Participação em banca de Débora Oliveira da Silva. Gestão de portfólio de projets de inovação: um estudo sobre a difusão de ferramentas em empresas industriais inovadoras. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Doutordo em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

10.
AMATO NETO, João; SALERNO, Mario S.; COSTA, Reinaldo P.. Participação em banca de Adriana Bertoldi Carreto de Castro. Muito além do sólido que se desmancha no ar: uso da teoria marxista para a compreensão da inovação na indústria da moda. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Doutordo em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

11.
SALERNO, Mario S.; NAKANO, Davi N.; SILVA, Márcia T.. Participação em banca de Eduardo Fischmann. Evolução e tendências da presença da engenharia nacional no desenvolvimento de produtos no setor automotivo. 2012. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

12.
YU, Abraham S. O.; SALERNO, Mario S.; Nascimento, Paulo Tromboni S.. Participação em banca de Francisco Starke Rodrigues. O desafio da tecnologia flex-fuel frente às diversas tecnologias alternativas de motorização dos automóveis: um estudo exploratório do posicinamento estratégico global das montadoras mundiais. 2012. Exame de qualificação (Doutorando em Administração) - Universidade de São Paulo.

13.
ARBIX, Glauco; PEREZ, Fernando; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Carlos Eduardo Torres Freire. Biotecnologia no Brasil: uma atividade econômica baseada na hélice tripla. 2012. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Sociologia) - Departamento de Sociologia - FFLCH/USP.

14.
MARX, Roberto; SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo. Participação em banca de João Paulo Reis Faleiros Soares. Estruturação de times multifuncionais de inovaçao em indústrias de alta e alta-média intensidade tecnológica no Brasil. 2012. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia de Produção Escola Politécnica) - Universidade de São Paulo.

15.
SALERNO, Mario S.; AMATO NETO, João; MARX, Roberto. Participação em banca de Léo Teobaldo Kroth. Especificidades de institutos públicos na seleção de projetos de P&D: fator de efetividade. 2011. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

16.
ARBIX, Glauco; SALERNO, Mario S.; MANCUSO, Wagner P.. Participação em banca de Demétrio Gaspari Cirne de Toledo. Cência, Tecnologia e Inovação: instituições, políticas, atores estatais e comunidade científica 1985-2010. 2010. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Sociologia) - Departamento de Sociologia - FFLCH/USP.

17.
COMIN, Alvaro Augusto; SALERNO, Mario S.; GUIMARÃES, N.. Participação em banca de Idenilza Moreira Miranda. A nova atitude empreendedora na indústria brasileira. 2009. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Sociologia) - Departamento de Sociologia - FFLCH/USP.

18.
MARX, Roberto; ANDREASSI, Tales; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Luiz Henrique Rigato Vasconcelos. A contribuição do call center para inovação em serviços. 2009. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

19.
MARX, Roberto; SALERNO, Mario S; ANTUNES JR, José Antônio Valle; ZILBOVICIUS, Mauro. Participação em banca de Adriana Marotti de Mello. Organização para inovação na indústria petroquímica brasileira. 2009. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

20.
MARX, Roberto; NAKANO, Davi N.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Wander Demonel de Lima. Gestão da cadeia de valor da inovação em empresas "low tech". 2009. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

21.
PLONSKI, Guilherme A.; ANDREASSI, Tales; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Marcelo Hiroshi Nakagawa. Empresa inovadora de base tecnológica de classe mundial: modelo de desenvolvimento para o caso brasileiro. 2007. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

22.
FLEURY, A.; SALERNO, Mario S.; AMATO NETO, João. Participação em banca de Nilton Vargas. Organizações eficazes em ambientes de incerteza: estudo de uma empresa brasileira globalizada. 2007. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia de Produção Escola Politécnica) - Universidade de São Paulo.

23.
ZILBOVICIUS, Mauro; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Cristina Rodrigues de Borba Vieira. O processo de internacionalização de empresas brasileiras: estudo de casos de empresas com unidades produtivas no exterior. 2006. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia de produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

24.
LEMOS, Mauro Borges; SALERNO, Mario S.; MORO, Sueli; SARTI, Fernando. Participação em banca de Otávio Silva Camargo. As mudanças na organização e localização da indústria automobilística brasileira (1996-2001). 2005. Exame de qualificação (Doutorando em Economia) - Faculdade de Ciências Econômicas Centro de Desenvolvimento e Planejamento R.

25.
SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto; AMATO NETO, João. Participação em banca de Sandro da Silva Pinto. Arranjos produtivos locais, dificuldades e barreiras: o caso de Birigüi. 2003. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

Qualificações de Mestrado
1.
LACERDA, Rogério T. O.; SALERNO, Mario S.; TEIXEIRA, Clarissa S.; ERDMANN, Rolf H.. Participação em banca de Mayara Lucia Bernardes. Análise epistemológica e empírica dos componentes de modelos de negócio: estudo multicaso em startups. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Administração) - Universidade Federal de Santa Catarina.

2.
SALERNO, Mario S.; ANDREASSI, Tales; VIDAL, Luciane M. O.. Participação em banca de Felipe Massami Maruyama. Aceleração: compreendendo o novo fenômeno de apoio para startups. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

3.
FLEURY, A.; MIYAKE, Dario Y.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Flavio Fisch. Fatores que influem na capacidade de inovaçao de multinacionais de países emergentes. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

4.
SALERNO, Mario S.; LAURINDO, F. J. B.; BAGNO, Raoni B.. Participação em banca de Luis Eduardo do Amaral Bertazi. Desenvolvimento de um sistema de indicadores para gestão da inovação em pequenas e médias indústrias. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

5.
ZANCUL, Eduardo; NAKANO, Davi N.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Luiz Fernando Cardoso dos Santos Durao. Distributed manufacturing of mass customized products based on additive manufacturing. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

6.
SALERNO, Mario S.; NAKANO, Davi N.; MARX, Roberto. Participação em banca de Rodrigo Kazuo Ikenami. Ecossistema empreendedor. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

7.
SALERNO, Mario S.; CARVALHO, Tereza C. M. B.; COSTA, Reinaldo P.. Participação em banca de Alice Frantz Schneider. The recicling of elecronic waste in Brazil: public policies and corporate strategies. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

8.
ARBIX, Glauco; CONSONI, Flavia.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Rafael Grilli Felizardo. Novos padrões de relação entre universidades, empresas e o Estado: o caso dos parques tecnológicos paulistas. 2012. Exame de qualificação (Mestrando em Sociologia) - Universidade de São Paulo.

9.
ARBIX, Glauco; MIRANDA, Idenilza M.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Luiz Carlos Zalaf Caseiro. Uma nova aposta para o desenvolvimento: a internacionalização das empresas brasileiras da abertura aoapoio estatal. 2012. Exame de qualificação (Mestrando em Sociologia) - Universidade de São Paulo.

10.
ARBIX, Glauco; CONSONI, Flavia.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Leonardo Melo Lins. Educação e desenvolvimento: um estudo da relação entre estrutura produtiva e demandas educacionais nas regiões metropolitanas de São Paulo e Belo Horizonte. 2012. Exame de qualificação (Mestrando em Sociologia) - Universidade de São Paulo.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
FLEURY, Andre L.; SALERNO, Mario S.; PLONSKI, Guilherme A.. Participação em banca de Gabriel Tenório de Albuquerque.Escola na mão: estudo e desenvolvimento de uma startup na busca e validação de um modelo de negócios. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

2.
FLEURY, Andre L.; SALERNO, Mario S.; HERNANDEZ, Álvaro.. Participação em banca de Daniel Vendramin.Abordagem de gestão por processos: estudo de caso para o mercado digital de insumos agricolas. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

3.
SALERNO, Mario S.; FLEURY, Andre L.; ABREU, Luis F. P.. Participação em banca de Daniel Wax Von Dreifus.Apliação de métodos de valoração para projeto de biotecnologia realizado no Brasil. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

4.
SALERNO, Mario S.; CARVALHO, Marly M.; HERNANDEZ, Álvaro.. Participação em banca de Gustavo Henriwu Silva Soares Reis.Desenho e implantação do modelo de gestão em empresa do setor do agronegócio. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

5.
RONCONI, Débora P.; SALERNO, Mario S.; RIBEIRO, Celma O.. Participação em banca de Fellipe Fernandes Cardoso Marcellino.Roteirização de entregas para uma startup do setor de alimentação saudável. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

6.
FRANCISCHINI, Paulino; SALERNO, Mario S.; ABREU, Luis F. P.. Participação em banca de Gabriel Alonso Gomes.Plano de arranjo físico para uma fábric a manufatureira de armações de óculos. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

7.
HERNANDEZ, Álvaro.; SALERNO, Mario S.; ABREU, Luis F. P.. Participação em banca de Ruben Sedrani Pieston.Desenvolvimento de um sistema de controle de estoque para uma pizzaria. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

8.
PLONSKI, Guilherme A.; FLEURY, Andre L.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Fernanda Cutrim Levin.Desenvolvimento de um modelo de negócios para uma distribuidora de insumos para empresas de home care e análise de sua viabilidade. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

9.
ALVARENGA, Clóvis. A.; SALERNO, Mario S.; RAMOS, Alberto W.. Participação em banca de André Maria A. M. Filho.Experiência e foco no cliente viabilizam customização em massa de uma empresa de e-commerce. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

10.
ALVARENGA, Clóvis. A.; SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo. Participação em banca de Victor Andre Andia Arana.Sistema produto-serviço através de uma entidade financeira. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

11.
NAKANO, Davi N.; CARVALHO, Marly M.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Gabriel Felipe Arakaki.Estudo de caso de um laboratório de cogestão entre empresa e universidade. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

12.
ZANCUL, Eduardo; MASCIA, Fausto L.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Marina Pazianotto Pini.Biodesign: experiências no exterior e uma proposta para a Escola Politécnica. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

13.
NAKANO, Davi N.; RIBEIRO, Celma O.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Guilherme Henrique Delai.Estudo sobre a propoaganda digital móvel e seu uso pelas empresas não digitais. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

14.
MUSCAT, Antônio R. N.; Laurindo, Fernando José Barbin; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Joaquim de Albuquerque C. F. Novo.Estudo de metodologias para avaliar o cupom cambial brasileiro. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

15.
SALERNO, Mario S.; MONTENDO, Uiara B.; Laurindo, Fernando José Barbin. Participação em banca de Thiago Fernandes D. Vasconcelos.Avaliação multicriterial na decisão de transportes de uma atartup de alimentação congelada. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

16.
HERNANDEZ, Álvaro.; MUSCAT, Antônio R. N.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Felipe de Oliveira Pimenta.Previsão de demanda de um varejista de bebidas por meio de métodos quantitativos. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

17.
SALERNO, Mario S.; PLONSKI, Guilherme A.; SPINOLA, MAURO DE MESQUITA. Participação em banca de Cristiane Sigahi.Plano de negócios de uma aceleradora de startups para empresas maduras. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

18.
PLONSKI, Guilherme A.; SALERNO, Mario S.; SPINOLA, MAURO DE MESQUITA. Participação em banca de André Ruas Martins de Almeida.Desenvlvimento de um ecossistema de empreendedorismo: o papel da universidade. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

19.
SALERNO, Mario S.; PLONSKI, Guilherme A.; SPINOLA, MAURO DE MESQUITA. Participação em banca de Rafael Araujo Mota.Posicionamento estratégico para atuação de uma consultoria em projetos de apoio à exportação. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

20.
RONCONI, Débora P.; MESQUITA, Marco A.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de André Bina Posato.Dimensiolnamento e sequenciamento de lotes com células produtivas em paralelo. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

21.
MESQUITA, Marco A.; MIYAKE, Dario Y.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Raphael Domênico Garcia.Supply chain integration: a survey in the Brazilina / Italian apparel industry. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

22.
MIYAKE, Dario Y.; MESQUITA, Marco A.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Estevão Zeppone Carlos.Racionalização de operações em um centro compartilhado de empresas de varejo on line. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

23.
SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto; RONCONI, Débora P.. Participação em banca de André Shigueo Kiyota.Prosposta de um modelo de seleção de projetos de TI baseado em uma abordagem multi critério. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

24.
SALERNO, Mario S.; FLEURY, A.; RONCONI, Débora P.. Participação em banca de Natalia Pinheiro Manzoni.Revisão do posicionamento estratégico de uma empresa do segmento de móveis e decoração. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

25.
ZANCUL, Eduardo; SALERNO, Mario S.; ZILBOVICIUS, Mauro. Participação em banca de Guilherme Kok.Desenvolvimento de um produto aplicado ao setor aéreo com foco em acessibilidade para deficientes físicos. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

26.
LAURINDO, F. J. B.; SALERNO, Mario S.; MORAES, Renato. Participação em banca de Fernando Pereira Pieraccini.Análise de método para avaliação e premiação da gestão da inovação. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

27.
SZNELWAR, L. I.; SALERNO, Mario S.; MIYAKE, Dario Y.. Participação em banca de Tales Prado Furlanetti Santos Silva.Análise da estruturação de um laboratório de estudos e projeto em engenharia do trabalho na Escola Politécnica da USP. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

28.
SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto; HERNANDEZ, Álvaro.. Participação em banca de Ramon Sanches Frutuoso Silva.Desenvolvimento de sistema de gestão para empresa de bens de consumo. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

29.
SALERNO, Mario S.; MASCIA, Fausto L.; BERSSANETI, Fernando T.. Participação em banca de Marcel Nishimura Tanisaki.Modelo de contingência para escolha de métodos de valoração de projetos de P&D. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

30.
MESQUITA, Marco A.; SANTORO, Miguel C.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Adonis Maitino Neto.Mapeamento e melhoria de processos para uso cruzado de plataformas logísticas. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

31.
MESQUITA, Marco A.; SILVA, Debora O.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Elisa Tiemi Sant'Ana Takahashi.Análise da confiabilidade e melhoria do planejamento de materiais em um fabricante de artigos de couro com múltiplas plantas. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

32.
ZANCUL, Eduardo; SALERNO, Mario S.; MARX, Roberto. Participação em banca de André Vinicius Pion de Carvalho.Análise de programas internacionais de plataformas demonstradoras tecnológicas no setor aeronáutico. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

33.
ZANCUL, Eduardo; SALERNO, Mario S.; FLEURY, Andre L.. Participação em banca de Gabriel Perales O. Motta.Análise de alternativas e impactos para a substituição do diesel por etanol no processo de produção sucroalcooleiro. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

34.
SALERNO, Mario S; FLEURY, A.; COSTA, Reinaldo P.. Participação em banca de Vahid Shaikhzadeh Vahdat.Proposição de um framework para o planejamento e implementação da estratégia para uma atividade de empreendedorismo social. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

35.
NAKANO, Davi N.; HERNANDEZ, Álvaro.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Rafael Yuzo Kumagai.Elaboração de um plano de ação para a implantação de um sistema de gestão do conhecimento. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

36.
LAURINDO, F. J. B.; SALERNO, Mario S.; NAKANO, Davi N.. Participação em banca de Maury Massayuki Miyasato Ueta.Alinhamento estratégico da gestão do conhecimento em uma consultoria. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

37.
AMATO NETO, João; SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo. Participação em banca de Marcel Li Fiorillo Neto.Plano de negócios para um delivery de comida chinesa. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

38.
SALERNO, Mario S.; SILVA, Márcia T.; CASTRO, Roberta. Participação em banca de Paula Formentini.Desenvolvimento de uma plataforma web de indicadores de engenharia. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

39.
ZANCUL, Eduardo; SALERNO, Mario S; LAURINDO, F. J. B.. Participação em banca de Renato Fernandes de Araujo.Determinação de requisitos e propposição de implantação de um laboratório de produtos no Departamento de Engenharia de Produção. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

40.
SALERNO, Mario S; CARVALHO, Marly M.; MARX, Roberto. Participação em banca de Felipe Sá Ribeiro.Metodologia de caracterização de projetos de inovação tecnológica radical em uma empresa do setor petroquímico. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

41.
SILVA, Márcia T.; SALERNO, Mario S; FLEURY, Andre L.. Participação em banca de Santino Silveira Lacanna.Estruturação de sistemas de gestão para uma holding familiar. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

42.
CARVALHO, Marly M.; ROTONDARO, Roberto; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Daniela Satie Kondo.Gestão de portfólio: um estudoo em uma empresa do setor de varejo alimentar. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

43.
FLEURY, Andre L.; PESSOA, Marcelo S. P.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Mariana de Carvalho A. Gandolfo.Estratégias para formação de comunidades virtuais para uma empresa de consultoria e gestão de recursos humanos. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

44.
MARX, Roberto; SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo. Participação em banca de Pedro Paulo V. Venturelli.Alternativas de reestruturação organicional avaliadas por cenários: estudo de caso da tesouraria de uma multinacional. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

45.
SALERNO, Mario S.; CANTIZANI FILHO, Antônio; ZANCUL, Eduardo. Participação em banca de Tatiana Martins Barcelar de Rezende.Análise da cadeia produtiva do biodiesel: modelos de negócios e estratégias competitivas. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

46.
CARVALHO, Marly M.; SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo. Participação em banca de Gabriel Del Bianco Madureira.Parcerias em projetos. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

47.
ABREU, Luis F. P.; SALERNO, Mario S.; ZANCUL, Eduardo. Participação em banca de Victor Leite R. Azevedo.Avaliação econômico-financeira de um modelo de negócios para um acadeia de óculos solares. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

48.
SALERNO, Mario S.; PESSOA, Marcelo S. P.; MIGUEL, Paulo. A. C.. Participação em banca de Marcos C.G.S.Alexandre.Método para avaliação do processo de inovação de empreendedores Endeavor. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

49.
ZILBOVICIUS, Mauro; SILVA, Márcia T.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Fernanda dos Santos Bonfim.Análise de viabilidade de um fundo de private equity voltado ao setor de habitação popular no Brasil. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

50.
MARX, Roberto; SILVA, Márcia T.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Rafael Tavares Luz.Reestruturação do sistema de remuneração de uma empresa têxtil de grande porte. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

51.
FURTADO, João. E. M. P.; SALERNO, Mario S.; MIGUEL, Paulo. A. C.. Participação em banca de Pauilo Young Chi.Mercado de créditos de carbono: oportunidades de desenvolvimento para o Brasil no âmbito do CDM. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

52.
ALVARENGA, Clóvis. A.; MESQUITA, Marco A.; SALERNO, Mario S.. Participação em banca de Luis Fernando Osaki Yoshida.Proposta de modelo de simulação para avaliação de expansão de uma empresa comercial varejista. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

53.
FURTADO, João. E. M. P.; SALERNO, Mario S.; FLEURY, A.. Participação em banca de daniel Green.Análise do mercado de crédito de carbono como forma de investimento de mitigação do aquecimento global. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

54.
MESQUITA, Marco A.; SALERNO, Mario S.; FURTADO, João. E. M. P.. Participação em banca de Beatriz Valentim Azevedo.Planejamento mestre da produção em uma empresa do ramo alimentíciio. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

55.
SZNELWAR, L. I.; SALERNO, Mario S.; LAURINDO, F. J. B.. Participação em banca de Luciano Valle Garotti.Aprendendo a ouvir: um projeto de estruturação de comitês de ergonomia numa empresa pública. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção Escola Politécnica) - Universidade de São Paulo.

Outros tipos
1.
MARX, Roberto; SALERNO, Mario S.; DIAS, Ana Valéria Carneiro. Participação em banca de Adriana Marotti de Mello. Manutenção da capacidade inovadora na externalização do desenvolvimento de produtos: o caso da indústria automobilística. 2005. Outra participação, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Professor titular
1.
ARANHA, Antônia V. S.; FISCHER, Frida M.; SATO, Leny; SALERNO, Mario S.. Concurso para promoção a professor titular, classe E. 2015. Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
MENEZES, Benjamin R.; TOLEDO, J. C.; SOUSA, Luiz G. M.; SALERNO, Mario S.. Comissão avaliadora para promoção para Classe E - Professor Titular. 2015. Depto de Engenharia de Produção da Universdade Federal de Minas Gerais.

3.
CALIJURI, Maria C.; ROMERO, Murilo A.; SALERNO, Mario S.; MASIERO, Paulo C.; ALMEIDA, Adiel T.. Concurso Público para Professor Titular - EESC/USP-Depto Enga Produção. 2013. Universidade de São Paulo.

Concurso público
1.
SALERNO, Mario S.; SANCHEZ, Luis E.; LIMA, José R. B.; FRANCISCHINI, Paulino; NAKANO, Davi N.. Concurso público para provimeno do cargo de professor doutor. 2013. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

2.
SALERNO, Mario S.; COSTA, Reinaldo P.; GUERRINI, Fabio M.; CARVALHO, Carlos E. F.; BERNARDES, Roberto C.. Concurso Público para Proviomento de Cargo de professor Doutor. 2009. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

3.
PEREIRA, Basílio B.; THIOLLENT, Michel; PORTO, Marcelo Firpo S.; SALERNO, Mario S.; SOMA, Ney Y.. Concurso Público para Provimento de Cargos junto à COPPE/UFRJ - Programa de Engenharia de Produção. 2009. Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia da UFRJ.

4.
GUIMARAES, Márcia R. N.; SALERNO, Mario S.; DIAS, Ana Valéria Carneiro. Concurso Público para Provimento de Cargo de Professor Adjunto - UFSCar campus Soricaba. 2008. Universidade Federal de São Carlos.

5.
SALERNO, Mario S.; DIAS, D. S.; VIDAL, M. C. R.; HOPPEN, N.; OLIVEIRA, M.. Membro da Comissão Julgadora de Concurso para Professor Adjunto do Departamento de Ciências Administrativas, área de Administração de Sistemas de Produção e Informações. 2002. Universidade Federal de Minas Gerais.

6.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão Julgadora de Concurso Público para Provimento de Cargo de Professor Doutor junto ao Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP (processo nº 99.1.1317.3.2), área de Qualidade e Engenharia do Produto, em regime de turno completo (RTC), tendo como candidato Roberto Gilioli Rotondaro.. 1999. Universidade de São Paulo.

7.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão Julgadora de Concurso Público para Provimento de Cargo de Professor Doutor junto ao Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP (processo nº 99.1.1316.3.6), área de Qualidade e Engenharia do Produto, em regime de tempo parcial (RTP), tendo como candidatos Giancarlo da Silva Rego Pereira e Marly Monteiro de Carvalho.. 1999. Universidade de São Paulo.

8.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão Julgadora de Concurso Público para Provimento de Cargo de Professor Doutor junto ao Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP (processo nº 99.1.1319.3.5), área de Economia e Finanças da Produção, em regime de turno completo (RTP), tendo como candidato Reinaldo Pacheco da Costa.. 1999. Universidade de São Paulo.

9.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão Julgadora de Concurso Público para Provimento de Cargo de Professor Doutor junto ao Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP (processo nº 99.1.1318.3.9) , área de Economia e Finanças da Produção, em regime de dedicação integral à docência e à pesquisa (RDIDP), tendo como candidato João Amato Neto.. 1999. Universidade de São Paulo.

10.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão Julgadora do Concurso Público para Professor Auxiliar da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Departamento de Engenharia de Produção. 1995. Universidade de São Paulo.

11.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão Julgadora do Concurso Público para Professor Adjunto da Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Departamento de Engenharia Industrial, Setor de Administração Industrial, tendo como candidato Adriano Proença. 1994. Universidade Federal do Rio de Janeiro.

12.
SALERNO, Mario S.. Membro da Comissão de Seleção de Concurso Público para Professor Assistente realizado pelo Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal de São Carlos, na área de concentração de Projeto da Fábrica, Tempos e Métodos, Ergonomia e Movimentação e Armazenagem de Materiais.. 1987. Universidade Federal de São Carlos.

Livre docência
1.
OLIVEIRA, Jorge H. C.; CARVALHO, Ruy Q.; BONACELLI, Maria B. M.; SALERNO, Mario S.; CAMARGO JUNIOR, Alceu S.. Internacionalização para inovação: um estudo com empresas brasileiras de TIC. 2017. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto USP.

2.
SALERNO, Mario S.; MONTEVECHI, J. A. B.; ALBINO, João P.; CONTADOR, José L.; MARINS, Fernando A. S.. Criação de contexto favorável a compartilhamento do conhecimento operário: pesquisa no ambiente vidreiro. 2014. Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá - UNESP.

3.
CARDOSO, Francisco F.; SALERNO, Mario S.; ALVES FILHO, A. G.; CSILLAG, João M.; FRANÇA, Ana C. L.. Membro de banca de concurso de livre docência em engenharia de produção na área de trabalho, tecnologia e organização. 2010. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

4.
SEGNINI, Liliana; BELLUZZO, Luiz G. M.; DOWBOR, Ladislau.; SALERNO, Mario S.; CASTRO, Nadya A.. Membro da comissão julgadora de concurso de livre-docência na área de Educação e Sociedade, do Departamento de Ciências Sociais Aplicadas à Educação da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, ao qual se candidatou a profa. dra. Márcia de Paula Leite, que apresentou a tese 'ciência, tecnologia e sociedade'. 2000. Universidade Estadual de Campinas.

5.
BRUNSTEIN, Israel; SALERNO, Mario S.; LANDI, Francisco R.; LONGO, A. P. E.; VASCONCELOS, Eduardo. Membro (Secretário) da comissão julgadora do concurso de livre-docência na área de Tecnologia, do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, ao qual se candidatou o prof. dr. Guilherme Ary Plonski, que apresentou o texto 'coperação empresa - universidade', sistematizando sua obra. 2000. Universidade de São Paulo.

6.
BRUNSTEIN, Israel; SALERNO, Mario S.; RUFFINO, Rosalvo T.; PALADINI, Edson P.; BELHOT, Renato V.. Membro (Secretário) da comissão examinadora do concurso público para a obtenção do título de livre-docente na área de Tecnologia, junto ao Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP, ao qual se candidatou o prof. dr. João Amato Neto, tendo apresentado a tese 'Redes de cooperação produtiva: antecedentes, panorama atual e contribuição para uma política industrial'. 1999. Universidade de São Paulo.

7.
SALERNO, Mario S.. Membro-suplente da comissão examinadora do concurso público para a obtenção do título de livre-docente de José Luiz Contador junto à Faculdade de Engenharia de Guaratingüetá - UNESP.. 1999. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Outras participações
1.
SALERNO, Mario S.; BAGNO, RAONI BARROS; SILVA, Sérgio L.. Banca de passagem para doutorado direto. 2015. (EPUSP) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

2.
COSTA, O. L. V.; FACCIOTTI, Maria C. R.; SALERNO, Mario S.. Comissão de Análise de Memorial para Concurso de Livre Docência junto à Escola Politécnica da USP. 2007. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
20. Diálogos da MEI - Mobilização Empresarial pela Inovação: Polítcas de inovações disruptivas para a indústria - a experiênca internacional. 2018. (Encontro).

2.
237a. Reunião do Conselho de Orientação do IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas.Conselheiro indicado pelo Conselho de Administração. 2018. (Outra).

3.
4. Coquetel de Resultados do Amigos da Poli (fundo patrimonial - endowment ent). 2018. (Outra).

4.
4. Seminário Internacional de Inovação na Pequena e Média Empresa. 2018. (Seminário).

5.
7th German - Brazilian Dialogue on Science, Research and Innovation. 2018. (Simpósio).

6.
Advanced manufacturing - impacts on operations strategy and supply chain - industy 4.0 view, Martin Krzywdzinski, Wissenschaftszentrum Berlin für Sozialforsvchung, Alemanha. 2018. (Simpósio).

7.
A revolução digital - desafios para uma sociedade justa e para o trabalho decente, organizado pela Fundação Friedrich Ebert, Instituto Futuro e FPA..Trabalho na revolução digital. 2018. (Oficina).

8.
Global Supply Chains - Giulio calabrese (CNR-Ceris, Italia). 2018. (Simpósio).

9.
IInovação: propostas para o Brasil - Ciclo de debates eleições 2018.Inovação: 5 propostas para o Brasil (apresentação, animação e mediação do debate). Debatedores: Carlos Américo Pacheco (Pres. Fapesp) e Fernanda De Negri (Ipea). 2018. (Seminário).

10.
Innovation and work in Emerging Countries - the Mexican expeirence, Jorge Carrillo (El Colegio de la Frontera Norte, Mexico). 2018. (Simpósio).

11.
Inovação: a indústria do futuro, promoção da MEI - Mobilização Empresarial pela Inovação, CNI e Revista Exame. 2018. (Seminário).

12.
Inovação em veículos elétricos no Brasi: o caso da Eletra Bus. 2018. (Outra).

13.
New market trends and technologies - Bruce Belowski (Univ. Chicago - EUA). 2018. (Simpósio).

14.
New Process Technologies and Trends in Product Development, Takahiro Fujimoto, Univ Tokyo/ Harvard University). 2018. (Simpósio).

15.
Workshop Internacional ?trabalho, cuidado e políticas públicas: um olhar sobre a América Latina?. Conferência de abertura: ?Sistemas Integrados de proteção social?, por Lais Abramo (Cepal/ ONU ? Chile). 2018. (Seminário).

16.
16 Diálogos da MEI: projeto Indústria 2027, o Futuro da Manufatura e Propostas Prioritárias para a Agenda de Pequenas e Médias Empresas Inovadoras. 2017. (Encontro).

17.
1a Reunião do Comitê de Gestão da Inovação ANPEI.Anpei Exchange - melhorias. 2017. (Outra).

18.
Congresso Extraordinário "Tião Cardoso e Jaime isidoro" - CUT SP.Manufatura Avançada. 2017. (Outra).

19.
Design Factory Global Network. 2017. (Outra).

20.
Encontro de Coordenadores Peiex.Melhores práticas na relação Peiex - Projetos Setoriais. 2017. (Encontro).

21.
Engenharia, doutores e desenvolvimento industrial - seminário do Observatório dda inovação e Competitividade do IEA-USP.Coordenador e debatedor - apresentação de Luiz Bevilacqua. 2017. (Seminário).

22.
Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Automação IIndustrial - Expomafe. 2017. (Feira).

23.
Inovação e indústria 4.0.Inovação e indústria 4.0: o programa de manufatura avançada nos EUA. 2017. (Seminário).

24.
Interdisciplinaridade e Inovação em Universidades de Excelência.Ensino, Pesquisa e Extensão: fundamentos para o desenvolvimento de universidades de excelência no pais (painel I). 2017. (Encontro).

25.
International Symposium Entrepreneurship and the Geography of Innovation. 2017. (Simpósio).

26.
Perspectivas da indústria automobilística mundial e opções para o Brasil: eletrificação, locação de engenharia, etanol e políticas públicasfg.Perspectivas da indústria automobilística mundial e opções para o Brasil: eletrificação, locação de engenharia, etanol e políticas públicasfg. 2017. (Outra).

27.
PoliStart - lançamento. 2017. (Outra).

28.
Programa de Carreira e 124 anos da Escola Politécnica da USP. 2017. (Outra).

29.
Reunião do Comitê de Líderes da MEI - 12/05/2017. 2017. (Outra).

30.
Seminário InovAção.Inovação, empreendedorismo e gestão de start ups. 2017. (Seminário).

31.
Cerimônia de inauguração do Laboratório Ocean USP - Samsung. 2016. (Outra).

32.
Fera de profissões do cursinho FEAUSP. Engenharia de produção. 2016. (Feira).

33.
Gestão de inovação em empresas brasileiras: resultados da pesquisa Primar 2015.Discussão dos resultados da Primar 2015. 2016. (Seminário).

34.
I Reunião do Comitê de Líderes da MEI (Mobilização Empresarial pela Inovação de 2016). 2016. (Encontro).

35.
Seminário de lançamento do programa Brasil Mais Produtivo - MDIC, Senai, Fiesp. 2016. (Seminário).

36.
Technology Workshop Collaboration ThyssenKrupp and USP.Industry 4.0 and IoT technologies applied to the industry (apresentado comh Eduardo Zancul). 2016. (Outra).

37.
XVI Colóquio Anual de Engenharia Química.Gestão de empresas nascentes de base tecnológica. 2016. (Simpósio).

38.
23 Simpósio Internacional de Iniciação Científica e Tecnológica da USP.Referee - avaliador de trabalhos junto ao 23 Simoposio Internacional de Iniciação Científica e Tecnológica. 2015. (Simpósio).

39.
6a Semana de Propriedade Intelectual & Inovação. 2015. (Encontro).

40.
6 Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria. 2015. (Congresso).

41.
II Workshop Design Thinking. 2015. (Oficina).

42.
Innovation Challenge: thinking out of the box with the MIT. 2015. (Outra).

43.
Innovation Management Research Program.Innovation management research program: processes and uncertainty management. 2015. (Seminário).

44.
Inovação: desafios e gargalos jurídicos e institucionais.Sistema Nacional de Inovação Brasileiro: gargalos institucionais e dsafios de funcionamento. 2015. (Seminário).

45.
Processo e relações de trabalho no século XXI: comparação Europa (França) - Brasil.O debate sobre organização do trabalho no Brasil. 2015. (Seminário).

46.
Produtividade no Brasil.Moderação / debatedor. 2015. (Seminário).

47.
Seminário de lançamento do vídeocurso de gestão da inovação Nagi Poli USP: discussão com Rodrigo R. da Fonseca, Diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Finep.Gestão da Inovação. 2015. (Seminário).

48.
Seminário do Observatório da Inovação er Competitividade do IEA-USP - Produtividade no Brasil: desempenho e determinantes.Produtividade no Brasil: desempenho e determinantes. 2015. (Seminário).

49.
Seminários do Observatório da Inovação e Competitividade.Como a USP divulga sua produção em ciância, tecnologia e inovação?. 2015. (Seminário).

50.
Trajetória de Engenheiros no Brasil - Seminários do Observatório da Inovação e Competitividade.Trajetória dos engenheiros no Brasil (com Bruno Cesar Araújo; Nadya Araújo Guimarães como debatedora). 2015. (Seminário).

51.
V Comitê de inovação da DERSA (Desenvolvimento Rodoviário, estatal de São Paulo).Inovação. 2015. (Outra).

52.
XVI Congresso Latino Iberoamericano de Gestão de Tecnologia. Avaliador de trabalhos sobre gestão da inovação e empreendedorismo. 2015. (Congresso).

53.
XXXV Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Avaliador de trabalhos submetidos ao Enegep. 2015. (Congresso).

54.
14a.Conferência Anpei de Inovação Tecnológica: Inova-Ação - modelos de negócios competitivos. 2014. (Congresso).

55.
1ª Reunião da Comissão Permanente de Indicadores (CPMIND) do MCTI em 2014.Avaliação das propostas de proxies para estatísticas de inovação e P&D. 2014. (Outra).

56.
Apresentação do Decoder - decodificador de competitividade.O projeto Decoder. 2014. (Seminário).

57.
Colloque de Cerisy. The Industry in Brazil / L'industrie en Brésil. 2014. (Congresso).

58.
Diálogos de competitividade: desempenho e complexidade da economia brasileira.Competitiveness decoder. 2014. (Seminário).

59.
Diálogos de competitividade: qualidade de vida e crescimento futuro.Competitiveness Decoder: qualidade de vida e crescimento futuro. 2014. (Seminário).

60.
Diálogos de competitividade: síntese.Competitiveness decoder. 2014. (Seminário).

61.
Diálogos de competitividade: talentos e inovação.Competitiveness Decoder: talentos e inovação. 2014. (Seminário).

62.
Diálogos de competitividade - infraestrutura e capital.Competitiveness decoder. 2014. (Seminário).

63.
Gestão da Inovação Radical em Empresas.Gestão da inovação radical. 2014. (Seminário).

64.
II Fórum de Gestão e Inovação, promoção do Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas - Comung.Inovação e desenvolvimento. 2014. (Outra).

65.
II Workshop dos Núcleos de Apoio à Inovação - NAGI, organizado por CGEE, CNI, BNDES, Finep e MCTI.NAGI POLI-USP-LGI e Rede. 2014. (Oficina).

66.
International workshop - Intitute of Chemistry.University - company relationship. 2014. (Oficina).

67.
IX Encontro Regional da ANPAE Sudeste (Ass. Nacional de Política e Administração da Educação). 2014. (Encontro).

68.
Lançamento do PEIEX na região de Ribeirão Preto.PEIEX e a competitividade das PMEs. 2014. (Outra).

69.
Lavagem sem água e outras histórias de inovação: acelerando a pesquisa em inovação social.Lavagem sem água e outras histórias de inovação: acelerando a pesquisa em inovação social., com prof. Richard Willliams (Universidade de Birmingham, UK) e Leonardo Augusto de Vasconcelos Gomes. 2014. (Seminário).

70.
Rede Setorial da Indústria - Agenda do setor.TICs e complexo eletrônico. 2014. (Oficina).

71.
Rede Setorial da Indústria - Agenda do setor "Bens de capital" para a política industrial 2015-2018.Agenda do setor "Bens de capital" para a política industrial 2015-2018. 2014. (Oficina).

72.
Rede Setorial da Indústria - Agenda do setor "Energia renovável" para a política industrial 2015-2018.Agenda do setor "Energia renovável" para a política industrial 2015-2018. 2014. (Oficina).

73.
Semana de Ciência, Tecnologia e Inovação do Grande ABC.Políticas Públicas de Ciência, Tecnologia e Inovação. 2014. (Seminário).

74.
Seminário 14 anos de PINTEC/IBGE: quais as lições para as políticas públicas.Síntese - qualidade do investimento no Brasil e os desafios da política de inovação tecnológica para o próximo governo (2015-2018). 2014. (Seminário).

75.
Seminário Internacional Indústria para Quê? Temas, perspectivas, i instituições e políticas.A indústria e o Brasil: o que aprendemos a partir de estudos sobre a realidade brasileira?. 2014. (Seminário).

76.
Seminário Manufatura Aditiva.Manufatura aditiva: aplicações e potenciais impactos nas cadeias de valor (com Eduardo Zancul e Reginaldo Teixeira Coelho). 2014. (Seminário).

77.
Seminário OIC - Programa Nacional de Plataformas do Conhecimento, com Glauco Abix (pres. Finep), José Eduardo Krieger (Pró-Reitor de Pesquisa USP) e Antônio Mauro Saraiva (pres. Comissão de Pesquisa da Poli-USP e Pro-Reitor Adjunto de Pesquisa da USP).Moderador. 2014. (Seminário).

78.
21 Gerpisa International Colloquium. Manufacturers trajectories and corporate governance: production and R&D. 2013. (Congresso).

79.
Competitividade industrial.Conmpetitividade Industrial. 2013. (Oficina).

80.
Contribuições do sistema de ciência e tecnologia do exército para a inserção internacional do Brasil no campo dos equipamentos e tecnologias militares.GACINT - Grupo de Análise de Conjuntura Internacional. 2013. (Seminário).

81.
Faltam engenheiros? Seminários do Observatório da Inovação e Competitividade.Faltam engenheiros? De que tipo, onde, por quê? Quais as perspectivas?. 2013. (Seminário).

82.
Forum Nacional da Indústria - CNI (Confederação Nacional da Indústria). 2013. (Outra).