Emílio Alberto Amaral Soares

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/1764941942803855
  • Última atualização do currículo em 09/10/2018


Possui mestrado em Geologia e Geoquímica pela Universidade Federal do Pará (1998) e doutorado em Geociências (Geologia Sedimentar) pela Universidade de São Paulo (2007). Atualmente é professor Associado da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Sedimentologia e Estratigrafia das unidades sedimentares paleozóicas, mesozóicas e cenozóicas da Bacia do Amazonas. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Emílio Alberto Amaral Soares
Nome em citações bibliográficas
SOARES, E. A. A.;SOARES, E.A.A.;SOARES, EMÍLIO A. A.;SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL;SOARES, EMILIO ALBERTO AMARAL;Emílio Alberto do Amaral Soares;Soares, Emílio Alberto do Amaral

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Amazonas, Instituto de Ciências Exatas, Departamento de Geociências.
Desembargador Rodrigo Otávio Jordão Ramos, 3000
Aleixo
69077000 - Manaus, AM - Brasil
Telefone: (92) 33052862
Ramal: 200
URL da Homepage: http://ufam.edu.br


Formação acadêmica/titulação


2002 - 2007
Doutorado em Geociências (Geologia Sedimentar).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Depósitos pleistocenos da região de confluência dos rios Negro e Solimões, porção oeste da Bacia do Amazonas, Ano de obtenção: 2007.
Orientador: Claudio Riccomini.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: BACIA DO AMAZONAS; Pleistoceno; Mioceno.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra
Grande Área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Geologia / Especialidade: Estratigrafia.
Setores de atividade: Outros Setores.
1996 - 1998
Mestrado em Geologia e Geoquímica.
Universidade Federal do Pará, UFPA, Brasil.
Título: FÁCIES LITORÂNEAS E FEIÇÕES GLACIAIS DA FORMAÇÃO NHAMUNDÁ (SILURIANO INFERIOR), NA REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO - AM, BACIA DO AMAZONAS,Ano de Obtenção: 1998.
Orientador: WERNER TRUCKENBRODT.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: GLACIAÇÃO; SILURIANO; PRESIDENTE FIGUEIREDO; BACIA DO AMAZONAS.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra
Grande Área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Geologia / Especialidade: Estratigrafia.
Setores de atividade: Outros Setores.




Atuação Profissional



Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas, FAPEAM, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2014
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto da Universidade Federal do, Carga horária: 2


Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2011
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto I da Universidade Federal d, Carga horária: 2, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2011
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade Federal do Amazonas, UFAM, Brasil.
Vínculo institucional

1995 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Disciplinas na Graduação: Sedimentologia, Estratigrafia e Petrografia Sedimentar (desde 1995) Disciplinas na Pós-Graduação (Geologia do Quaternário Continental e Seminários)

Vínculo institucional

2012 - 2014
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Vice Coordenador do PPGGEO-UFAM, Carga horária: 2

Atividades

12/2016 - Atual
Direção e administração, Programa de Pós-Graduação em Geociências, .

Cargo ou função
Coordenador.
2011 - Atual
Outras atividades técnico-científicas , Departamento de Geociências, Departamento de Geociências.

Atividade realizada
LIDER DO GRUPO DE PESQUISA GEOLOGIA SEDIMENTAR DA AMAZÔNIA - GSA.
08/2017 - 10/2017
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
TRABALHO FINAL DE GRADUACAO IEG339 Turma GB 07
08/2017 - 10/2017
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
TRABALHO FINAL DE GRADUACAO IEG339 - Turma GB19
08/2017 - 10/2017
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PETROGRAFIA SEDIMENTAR IEG143
08/2017 - 10/2017
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
GEOLOGIA DE CAMPO IEG300
03/2017 - 07/2017
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ESTRATIGRAFIA IEG161
03/2017 - 07/2017
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
MAPEAMENTO GEOLOGICO IEG200
03/2017 - 07/2017
Ensino, Programa de Pós-Graduação em Geociências, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
GEOLOGIA DO QUATERNÁRIO CONTINENTAL PGGCI521
10/2016 - 02/2017
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
GEOLOGIA DE CAMPO IEG300
10/2016 - 02/2017
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PETROGRAFIA SEDIMENTARI EG143
10/2016 - 02/2017
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PETROGRAFIA SEDIMENTAR IEG143
10/2016 - 02/2017
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
TRABALHO FINAL DE GRADUACAO IEG339 - Turma 14
10/2016 - 02/2017
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
TRABALHO FINAL DE GRADUACAO IEG339 - Turma GB3
08/2014 - 10/2016
Extensão universitária , Instituto de Geociências, .

Atividade de extensão realizada
PARTICIPANTE DO COMIÊ DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS - UFAM.
05/2016 - 09/2016
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
TRABALHO FINAL DE GRADUACAO IEG339
05/2016 - 09/2016
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
SEDIMENTOLOGIA IEG133
05/2016 - 09/2016
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
MAPEAMENTO GEOLOGICO IEG200
08/2015 - 12/2015
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PETROGRAFIA SEDIMENTAR IEG143 - Turma 1
08/2015 - 12/2015
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PETROGRAFIA SEDIMENTAR IEG143 - Turma 2
02/2015 - 06/2015
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ESTRATIGRAFIA IEG161
02/2015 - 06/2015
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PROJETO DE MONOGRAFIA (TFG) IEG239
10/2014 - 02/2015
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Programa de Monitoria (Disciplina IEG-143)
08/2014 - 12/2014
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PETROGRAFIA SEDIMENTAR IEG143
08/2014 - 12/2014
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PROJETO DE MONOGRAFIA (TFG) IEG239
02/2014 - 12/2014
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ESTRATIGRAFIA IEG161
02/2014 - 06/2014
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
GEOLOGIA I IEG001
11/2013 - 03/2014
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Programa de Monitoria (Disciplina IEG-143)
08/2013 - 12/2013
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PETROGRAFIA SEDIMENTAR IEG143 - Turma 1
08/2013 - 12/2013
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PETROGRAFIA SEDIMENTAR IEG143 - Turma 2
08/2013 - 12/2013
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
TRABALHO FINAL DE GRADUACAO IEG339
10/2010 - 10/2013
Estágios , Departamento de Geociências, .

Estágio realizado
ORIENTADOR DE ESTÁGIO PROBATÓRIO.
02/2013 - 06/2013
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
SEDIMENTOLOGIA IEG133
02/2008 - 02/2013
Pesquisa e desenvolvimento , Conselho de Ensino e Pesquisa, .

08/2012 - 12/2012
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PETROGRAFIA SEDIMENTAR IEG143 -Turma 1
08/2012 - 12/2012
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PETROGRAFIA SEDIMENTAR IEG143 -Turma 2
08/2012 - 12/2012
Ensino, Programa de Pós-Graduação em Geociências, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
GEOLOGIA DO QUATERNÁRIO CONTINENTAL PGGCI521
02/2012 - 06/2012
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ESTRATIGRAFIA IEG161
02/2012 - 06/2012
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PROJETO DE MONOGRAFIA IEG239
08/2011 - 12/2011
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PETROGRAFIA SEDIMENTAR IEG143 - Turma 1
08/2011 - 12/2011
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PETROGRAFIA SEDIMENTAR IEG143 - Turma 2
08/2011 - 12/2011
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
TRABALHO FINAL DE GRADUACAO IEG339
02/2011 - 07/2011
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
SEDIMENTOLOGIA IEG133
03/2011 - 06/2011
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ESTRATIGRAFIA IEG161
08/2010 - 12/2010
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Trabalho Final de Graduação IEG 339
08/2010 - 12/2010
Ensino, Curso de Pós-Graduação em Geociências, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Geologia do Quaternário Continental PGGCI521
08/2010 - 12/2010
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Petrografia Sedimentar - IEG 143
02/2010 - 06/2010
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Disciplina Estratigrafia - IEG 161
02/2010 - 06/2010
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Sedimentologia IEG 133
02/2010 - 06/2010
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Projeto de Monografia - IEG 239
08/2009 - 12/2009
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Disciplina Petrografia Sedimentar - IEG 143
08/2009 - 12/2009
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Disciplina Trabalho Final de Graduação - IEG 339
01/2009 - 06/2009
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Disciplina Estratigrafia IEG-161
01/2009 - 06/2009
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Disciplina IEG-133 Sedimentologia
01/2009 - 06/2009
Ensino, Geologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Disciplina Projeto de Monografia - IEG-239
01/2008 - 01/2009
Ensino, PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Geologia do Quaternário Continental - PGGCI 521 (Desde 2008 até o Presente), Seminários - PGGCI 501 (Desde 2015) e Estágio Docência - PGESTDOC1(Desde 2008 até p Presente))
4/2000 - 04/2001
Extensão universitária , Instituto de Ciências Exatas, Departamento de Geociências.

Atividade de extensão realizada
Projeto de extensão com a Prefeitura do Município de manacapuru e Departamento Nacional de Produção Mineral.


Linhas de pesquisa


1.
Participação no Projeto "Proveniência dos sedimentos neógenos da área de confluência dos rios Negro e Solimões, Amazonas, aprovado pela Fapesp (SP), processo 2007/58319-1


Projetos de pesquisa


2016 - Atual
A resposta da dinâmica sedimentar dos rios Xingu e Tapajós às mudanças climáticas e barragens de usinas hidrelétricas: riscos para conservação da biodiversidade e produção de energia na Amazônia
Descrição: The Xingu and Tapajós rivers comprise the main hydropower projects planned or under construction in Amazônia. These rivers also stand out due to their specific biodiversity, with emphasis on lithophilic (rocky substrates) and rheophilic (rapids) fishes and endemic birds of flooded areas. Additionally, the Xingu and Tapajós watersheds are hot spots for the expansion of agriculture and pasture activities over Amazônia during the last decades. Climate models forecast an increase of the intensity and/or frequency of extreme events, with special regard to severe droughts, in areas drained by the Xingu and Tapajós rivers. In this context, the sustainable management of hydropower production, agriculture/pasture and biodiversity conservation in the Xingu and Tapajós rivers is a great challenge for a climate change future. Precipitation changes, deforestation and rivers impoundment shift the fluvial sedimentary dynamics (supply, erosion and deposition of sediments). Shifts in sedimentation can affect the characteristics of aquatic or flooded ecosystems as well as the availability and storage of water for hydropower production, agriculture and pasture. This project comprises a multidisciplinary approach to characterize the past hydrology variability (last 3,000 years), the present sedimentary dynamics and biodiversity and forecasting of future sedimentation scenarios and their possible impacts over biodiversity conservation and hydropower production in the Xingu and Tapajós rivers. We will combine methods for reconstruction of paleohydrology, paleovegetation and paleolimnology, present distribution and abundancy of biodiversity (lithophilic and rheophilic fishes, birds from flooded areas and diatoms) and forecasting of precipitation scenarios and their effects over sedimentation. Data produced by this project will help to support strategies for a sustainable management of biodiversity conservation and hydropower production.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2015
Aplicação de minerais pesados para a diferenciação dos arenitos das formações paloezóicas Uerê e Juruá (Bacia do Solimões)
Descrição: A individualização precisa de unidades sedimentares em testemunhos de furos de sondagem, bem como a definição dos seus limites geológicos, nem sempre é possível, principalmente se a rocha for predominantemente arenosa e afossilífera ou com baixa resolução bioestratigráfica. O grau de dificuldade aumenta se nas unidades estudadas não ocorrem níveis propícios para correlação lito ou bioestratigráfica ou se for analisado apenas amostras de calha, onde a datação não é confiável devido a mistura de material durante a sondagem. Nestes casos, a diferenciação entre unidades sedimentares distintas pode ser auxiliada por dados mineralógicos e texturais de minerais pesados em arenitos. A análise da assembleia de minerais pesados, mesmo modificada por processos intempéricos e diagenéticos, é uma das técnicas mais sensíveis empregada na determinação da proveniência e excelente ferramenta auxiliar em correlações estratigráficas de areias e arenitos afossilíferos. Estes minerais formam paragêneses que fornecem dados importantes sobre os tipos de rochas-fontes, que não podem ser adquiridos por outros meios (Morton & Hallsworth 1999). Segundo Cunha et al. (2007), ocorre uma discordância geológica entre os arenitos do topo da Formação Uerê (Grupo Marimari) e da base do Formação Juruá (Grupo Tefé). Entretanto, nos testemunhos de sondagens, a identificação desta superfície tem sido dificultada pela falta de marcadores bioestratigráficos consistentes, já que estas unidades são predominantemente arenosas e afossilíferas. Análise de minerais pesados é amplamente utilizada como uma ferramenta para a correlação estratigráfica em sucessões dominadas por arenitos que carecem de controle bioestratigráfico (Weissbrod & Nachmias 1986, Morton 1991, Morton & Hurst 1995, Mange-Rajetzky 1995, Smaler & Laird 1995, Morton et al. 1996, Morton & Grant 1998, Hermann & Polozek 1999, Svendsen & Hartley 2002, Mange et al., 2003). Estudos de aplicação de minerais pesados com foco em bacias sedimentares do.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Emílio Alberto Amaral Soares - Coordenador / Daniela de Moraes Bessa - Integrante / Ana Maria Góes - Integrante / Felipe Bonora dos Santos - Integrante / Leandro Silva Santos - Integrante.
2011 - 2015
Aspectos Geológicos do Arenito Manaus e sua Importância no Fluxo do Aquífero Alter do Chão na Região de Manaus
Descrição: Na região de Manaus foram detectadas contaminações pontuais no Aqüífero Alter do Chão, relacionadas principalmente a fossas sépticas e lixões. A longo prazo esta situação pode prejudicar o desenvolvimento regional, já que dos 610.000 m3 de água distribuídos diariamente na região, 20% são extraídos deste aqüífero. Há ainda uma grande quantidade de poços de usuários individuais, como empresas, condomínios e casas, que também exploram este recurso, na maioria das vezes mal construídos e sem outorga de uso. Em 2002 havia aproximadamente 7000 poços na cidade, dos quais somente 1100 eram registrados. Segundo levantamento publicado na Revista do Pólo Industrial de Manaus, a maior parte das 500 indústrias que o integram possui sistema próprio de captação de água, mostrando a grande importância econômica deste recurso mineral. Com o evidente aumento da população de Manaus, que passou de 1,4 para mais de 1,7 milhão de pessoas entre 2000 e 2009, e o crescimento do Pólo Industrial de Manaus, a exploração do Aquífero Alter do Chão tenderá a aumentar consideravelmente. Apesar de sua nítida importância, faltam dados geológicos mais detalhados para determinar a vulnerabilidade do aquífero. Este tipo de conhecimento é a base para um planejamento de seu uso pelos órgãos governamentais, tornando-o sustentável a longo prazo. O objetivo deste projeto é contribuir com uma parte deste conhecimento, através da descrição geológica detalhada e da determinação da atuação do Arenito Manaus como barreira hidráulica, além de seu mapeamento na área urbana do município de Manaus...
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2011 - 2014
Estudo geológico de unidades sedimentares siluro-devonianas da região de Presidente Figueiredo, borda norte da Bacia do Amazonas
Descrição: Em grande parte da região de Presidente Figueiredo, localizada a 100 km ao norte de Manaus, afloram espessos pacotes de arenitos e folhelhos paleozóicos atribuídos às formações Nhamundá, Pitinga e Manacapuru, do Grupo Trombetas da Bacia do Amazonas (Figura 1). Até hoje, estas formações foram pouco estudadas, e os trabalhos restringem-se aos afloramentos da Formação Nhamundá, localizados próximos das rodovias (BR-174 e AM-240). Nesta região turística, conhecida como a ?Terra das Cachoeiras?, ocorrem centenas de cachoeiras e cavernas, com até 15 metros de altura, muitas ainda sem catalogação, onde afloram rochas destas formações geológicas que ainda não foram estudadas. Além disso, nas formações geológicas do Grupo Trombetas está inserido o ?Aquífero Trombetas?, o segundo maior do Estado do Amazonas e sem dados hidrogeológicos confiáveis disponíveis. Existem também relatos verbais de guias turísticos sobre rochas fossilíferas (ricas em conchas), na porção norte de Presidente Figueiredo. Os estudos de geologia estrutural desta região também são escassos, e com base na geometria descritiva, mostram principalmente a origem neotectônica das quedas de águas e cachoeiras. Como alguns estudos palinológicos das unidades paleozóicas da Bacia do Amazonas mostraram-se promissores, é possível que nos folhelhos das formações Nhamundá, Pitinga e Manacapuru, que afloram em Presidente Figueiredo, também ocorram microfósseis (principalmente foraminíferos) que permitam a elaboração da estratigrafia local. Portanto, este projeto de pesquisa buscará a ampliação e detalhamento do conhecimento geológico e hidrogeológico das unidades unidades sedimentares da borda norte da Bacia do Amazonas, que somado aos dados de outras regiões, ajudará a montar um modelo de evolução geológica, além de possibilitar a elaboração de um mapa geológico de detalhe que ajudará no aproveitamento dos bens minerais disponíveis, principalmente na área da construção civil..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Emílio Alberto Amaral Soares - Coordenador / Carlos Alejandro Salazar - Integrante / Valquíria Porfírio Barbosa - Integrante / Ingo Wahnfried - Integrante / Sonia Hatsue Tatumi - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2011 - 2014
Bioestratigrafia da Formação Itaibuba (Grupo Tapajós), na região de Itaituba (PA), borda norte da Bacia do Amazonas
Descrição: Embora a evolução do conhecimento geológico da Amazônia tenha experimentado notáveis avanços nos últimos anos, ainda há muitas lacunas geológicas a serem preenchidas até que o arcabouço estratigráfico das bacias sedimentares da região seja plenamente compreendido e atenda satisfatoriamente a demanda crescente de conhecimentos impulsionada pelas diversas frentes de atividade econômica emergentes na região, sobretudo, no que se refere à indústria petrolífera. Nos últimos anos, o interesse pelas sequências paleozóicas, que por algum tempo manteve-se em baixa, voltou a crescer e, com isso, antigas questões que ainda necessitam de respostas voltaram à tona, como por exemplo, a definição de idades ou o refinamento bioestratigráfico de muitas unidades inseridas neste intervalo de tempo. Exemplo que se aplica muito bem à Bacia do Amazonas, objeto deste estudo, onde muitas seções ainda precisam ser datadas ou refinadas, e onde ainda há muito a ser investigado. Nesse sentido, a Bioestratigrafia vem de encontro a essas necessidades, pois além de sua aplicação natural no posicionamento cronoestratigráfico de depósitos sedimentares, também constitui uma ferramenta potencial ao reconhecimento de discordâncias e outros eventos geológicos empregados na construção de arcabouços estratigráficos e na correlação de estratos, que por sua vez, constituem fatores essenciais à caracterização e à elucidação da história deposicional de qualquer unidade ou bacia sedimentar. Assim, considerando estes fatores e o grande potencial fossilífero dos carbonatos da Bacia do Amazonas, segundo os registros fornecidos pela literatura, pretende-se através deste projeto desenvolver estudos bioestratigráficos com base em associações de foraminíferos bentônicos, voltados ao refinamento bioestratigráfico de depósitos sedimentares carboníferos pertencentes à Formação Itaituba (Grupo Tapajós). De modo a complementar e com o objetivo de dar suporte às inferências paleontológicas, estudos sedimentológicos.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Emílio Alberto Amaral Soares - Integrante / Valquíria Porfírio Barbosa - Coordenador / Kátia Regina Nogueira Mendonça - Integrante / Mayara Aline Santos Ribeiro - Integrante / Thiago Madeira Fonseca - Integrante / Dominicky Peres Soares - Integrante.
2011 - 2014
Provenance, transport and storage of sediments in Amazon Rivers
Descrição: Understanding the factors controlling the origin, flux and fate of sediments through space and time is now an objective of the surface processes research. In this context, the Amazon region encompasses the major watershed (7,050,000 km2) of the Earth, forming a continental scale "source to sink" system. The tributaries of the Amazon River drain areas with different bedrock geology, tectonic regime, geomorphology, climate, vegetation and land use, producing high variability in the production and flux of sediments. The Quaternary evolution and the present dynamics of the Amazon rivers are related to many aspects of the Amazonia biodiversity, human activities such as hydroelectricity production, deforestation and land use. Many studies about the provenance, supply and storage of sediments in the major tributaries of the Amazon River focus on short timescales (days to few years). Few studies investigate the provenance and flux of sediments transported by Amazon Rivers during the Quaternary and considering the present knowledge about the Amazon geology, climate and biology and the current analytical techniques. This research proposal deals with the sediment provenance and supply within the Amazon watershed in the lower reach of three great tributaries: the Negro, Madeira and Xingu rivers. The Negro, Madeira and Xingu rivers supposedly have different sedimentary dynamics, delivering sediments with different characteristics to the Amazon River channel. The sediments in the lower portion of these three tributaries will be characterized through the analysis of inorganic and organic components using a multi-proxy approach (grain size, heavy minerals, clay minerals, luminescence, organic compounds and carbon isotopes, major chemical elements and radionuclides). These data will be evaluated under a geochronological-geological-geomorphological framework. We hope to improve the knowledge about how the Amazon Rivers work in a decadal to millennial timescale through the study of th.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2011 - 2013
ESTUDO SEDIMENTOLÓGICO E ESTRATIGRÁFICO DAS UNIDADES SEDIMENTARES CRETÁCEAS-CENOZÓICAS AFLORANTES NAS REGIÕES DO CAREIRO CASTANHO E RIO MANACAPURU, AMAZÔNIA CENTRAL
Descrição: A região do Baixo Rio Negro é mundialmente conhecida pela ocorrência do fenômeno ?o encontro das águas? dos rios Negro e Solimões. Nesta região, ocorrem unidades sedimentares cretáceas (Formação Alter do Chão) e neógenas (Formação Novo Remanso) que compõem o embasamento geológico, sobrepostas por depósitos sedimentares quaternários. Entretanto, essas unidades sedimentares ainda são pouco estudadas em função da carência de estudos sedimentológicos, estratigráficos, além de dados químicos e de datação absoluta. Em grande parte, os estudos são inibidos pela dificuldade de acesso, densa cobertura de vegetação e solo. Além disso, a litologia predominantemente arenosa e oxidada das unidades cretáceas-neógenas reduz a possibilidade de recuperação do conteúdo paleontológico. Após a unidade cretácea (Formação Alter do Chão) ser atribuída a todas as unidades mais superiores da Bacia do Amazonas, apenas no início deste século, depósitos neógenos foram identificados em afloramentos no trecho entre Itacoatiara e Manacapuru (Rozo 2004, Dino et al. 2006, Soares 2007, Abinader 2008). Esta unidade tem sido denominada informalmente de Formação Novo Remanso (Rozo 2004) e ocorre de forma descontínua sobre a unidade cretácea, sendo individualizada no topo e na base por superfícies de descontinuidades. Nas regiões de Manaus e Manacapuru, as unidades quaternárias são constituídas por 3 níveis de terraços fluviais de distribuição assimétrica, compostos de depósitos de barras em pontal (Soares 2007). A carência de dados geológicos nesta porção da Amazônia tem induzido a correlações inter- e intra-bacinais inadequadas entre unidades sedimentares distintas das bacias sedimentares do Amazonas e Solimões. Na Amazônia Ocidental, vários trabalhos (Lourenço et al. 1978, Franzinelli & Piucci 1988, Franzinelli & Latrubesse 1993, Franzinelli & Rossi 1996, Franzinelli & Igreja 2002, Latrubesse & Franzinelli 2002) correlacionam grande parte dos depósitos aluviais quaternários à Formação Solimões, do.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2010 - 2014
Investigação da Potencialidade dos Carbonatos da Bacia do Amazonas como Reservatório: Estudo Diagenéticos e Geoquímicos
Descrição: O interesse na indústria petrolífera por rochas carbonáticas têm crescido devido ao seu grande pontencial como reservatório. Em grandes campos petrolíferos, como o de Ghawar (Arábia Saudita), Cantarell (México), Aswmari (Irã), entre outros, os reservatórios são constituídos por rochas carbonáticas, compreendendo uma variedade de fácies deposicionais em um meio poroso complexo. No Brasil, a descoberta de grandes reservatório de hidrocarbonetos em rochas calcáreas, a 7 mil metros de profundidades, abaixo de camadas de sal tem direcionado a pesquisa para a buscas de óleo em rochas carbonáticas. Na Bacia do Amazonas, rochas carbonáticas são encontradas no Grupo Tapajós (Caputo 1984) que é constituído, da base para o topo, pelas Formações Monte Alegre, Itaituba, Nova Olinda e Andirá com espessura total de 2.800m e período de tempo do Carbonífero Médio (Pensilvaniano) ao Permiano (Matsuda et al. 2004). Devido às semelhanças litológicas entre estes pacotes (pelitos, sucessões arenosas, calcários e sais) há problemas nas correlações estratigráficas da bacia do Amazonas, denotando a necessidade de estudos de detalhe que melhor definam uma correlação inequívoca entre os estratos, a reconstituição paleoambiental e história diagenética dos depósitos. Os pacotes mais espessos de rochas carbonáticas da bacia do Amazonas ocorrem na Formação Itaituba, como intercalações em pelíticos. Nesta formação também ocorrem, intercalações de arenitos, calcáreos, dolomita e anidrita nos pelitos (Cunha et. al. 1994 e 2007). A sua ocorrência, na borda sul foi estuda em detalhe por Figueiras & Truckenbrodt (1987), Lemos (1990), Neis (1996), Scomazzon (1999), Matsuda (2002), Matsuda et al. (2004), Scomazzon et al. (2004), Moutinho (2006) e Lima (2010). Na borda norte da bacia, os trabalhos existentes restringem-se a Formação Nhamundá (Soares et al. 2005) ou são de cunho geral (Cunha et. al. 1994 e 2007) e o que demonstra a necessidade de estudo em detalhe nesta região. A presença de hidrocar.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2012
IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA METODOLOGIA DE DATAÇÃO DE GRÃO-ÚNICO, POR LUMINESCÊNCIA OPTICAMENTE ESTIMULADA
Descrição: O presente projeto propõe a nucleação de uma linha nova de pesquisa de datações de sedimentos no País. Com a aplicação da técnica de datação de grãos de quartzo e feldspato com diâmetro em torno de 300µm. Na literatura está técnica é denominada "single-grain dating", isto é, datação de grão-único por Luminescência Opticamente Estimulada (LOE). O interesse nessa técnica ocorre principalmente quando datamos sedimentos fluviais, nestes casos os grãos de quartzo ou feldspato podem conservar um sinal de LOE residual muito intenso, devido à exposição muito rápida à luz solar, ou por ter sido arrastado embaixo d'água turva impossibilitando sua exposição direta à luz solar. Nesta técnica podemos identificar o grão que não teve seu sinal de LOE zerado através do valor de sua idade, que deverá ser discrepante em relação à média. Desta forma, espera-se que o resultado obtido por este método seja bem mais próximo da idade real. Pretendemos utilizar este método, principalmente, em amostras de sedimentos coletados na região Amazônica, com a colaboração dos pesquisadores Profa. Dra. Dilce de Fátima Rossetti (INPE-São José dos Campos) e do Prof. Dr. Emílio Soares (Universidade Federal do Amazonas). A escolha dessa região de estudo foi baseada na importância que os resultados paleoambientais desta região poderão trazer ao estudo das mudanças climáticas globais e também devidas à escassez de dados que ocorre nesta região. O desenvolvimento deste projeto irá iniciar, no país, uma linha de pesquisa original, trará um acréscimo tecnológico na infra-estrutura laboratorial que irá se igualar.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Emílio Alberto Amaral Soares - Integrante / DILCE ROSSETTI - Integrante / Sonia Hatsue Tatumi - Coordenador.
2008 - 2011
PROVENIENCIA DE SEDIMENTOS NEOGENOS DA AREA DE CONFLUENCIA DOS RIOS NEGRO E SOLIMOES, AMAZONIA.
Descrição: Este projeto objetiva a caracterização mineralógica e geoquímica elementar (elementos menores, traços e terras raras) e isotópica Sm-Nd de sedimentos neógenos da área de confluência dos rios Negro e Solimões, com vistas a identificar padrões geoquímicos com possíveis implicações para o reconhecimento das potenciais áreas fontes dos sedimentos. Para tanto, estão previstas análises laboratoriais por microscopia óptica, microscopia eletrônica de varredura, microscopia eletrônica de transmissão, difração de raios X e geoquímicas de amostras de superfície e subsuperfície dos sedimentos, com enfoque nos seus argilominerais e minerais pesados. Os resultados esperados poderão ser aplicados no detalhamento do quadro tectono-sedimentar evolutivo da região durante o Neógeno, além de trazer subsídios para discussões sobre fatores internos e externos que influenciaram a dinâmica dos rios Negro e Solimões e correlações estratigráficas na região..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2018 - Atual
"Exposição de Rocha e minerais do laboratório de sedimentologia do DEGEO-UFAM em escola de ensino médio e fundamental de Manaus- AM
Descrição: A grade curricular atual das escolas de ensino médio do Estado do Amazonas incluiu em seu programa institucional o conteúdo de Geologia Geral, associada à disciplina de Geografia Física, que abrange a classificação geral das rochas ígneas, sedimentares e metamórficas, bem como os recursos minerais associados e sua gênese, além de temas gerais de geomorfologia, ciclo hidrológico, tectônica de placas, entre outros. No entanto, as escolas carecem de estruturas apropriadas, tais como, laboratórios, equipamentos e mostras didáticas de rochas e minerais para auxiliar nas aulas. Além disso, existe também a carência de um corpo docente especializado na área das Geociências, que possa difundir a importância dos recursos minerais no desenvolvimento do Estado do Amazonas. O Estado está inserido quase inteiramente nas Bacias Sedimentares do Amazonas, Solimões e Acre e possui diversos recursos minerais associados às rochas sedimentares, como: petróleo e gás na Bacia de Solimões, cassiterita na Mina do Pitinga, carbonato na Mina da Nassau (Rio Jatapú), argila no Pólo Oleiro de Iranduba e Manacapuru e ouro no Rio Madeira. Atualmente, a empresa Potássio do Brasil está em fase de implantação da mina subterrânea para explorar a Silvita (Município de Autazes), que visa suprir a demanda nacional de Potássio e visa impulsionar o desenvolvimento sócio econômico do Estado do Amazonas. Grande parte das rochas e minerais citados acima se encontra em exposição no Laboratório de Sedimentologia e no Museu do Departamento de Geociências (DEGEO) da UFAM, sendo utilizados em aulas práticas de diversas disciplinas do curso de Geologia (Sedimentologia, Petrografia Sedimentar, Geologia Geral, entre outros). Portanto, este projeto tem como objetivo dar continuidade aos projetos anteriores de PIBEX (068/2014, 075/2015 e 028/2016) na difusão da área da Geologia Sedimentar nas escolas públicas de ensino médio de Manaus, contribuindo nas aulas práticas e teóricas por meio de palestras e visitas técnicas aos laboratórios e Museu do DEGEO, permitindo maior integração das escolas com a universidade, onde serão disponibilizadas estruturas apropriadas para transmitir conhecimento acerca da geologia geral do Estado do Amazonas e do Brasil..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Emílio Alberto Amaral Soares - Coordenador.
2017 - 2018
Exposição de Rochas Sedimentares e Minerais do departamento de Geociências da UFAM em Escolas de Ensino médio de Manaus
Descrição: A grade curricular atual das escolas de ensino médio do Estado do Amazonas incluiu em seu programa institucional o conteúdo de Geologia Geral, associada à disciplina de Geografia Física, que abrange a classificação geral das rochas ígneas, sedimentares e metamórficas, bem como os recursos minerais associados e sua gênese, além de temas gerais de geomorfologia, ciclo hidrológico, tectônica de placas, entre outros. No entanto, as escolas carecem de estruturas apropriadas, tais como, laboratórios, equipamentos e mostras didáticas de rochas e minerais para auxiliar nas aulas. Além disso, existe também a carência de um corpo docente especializado na área das Geociências, que possa difundir a importância dos recursos minerais no desenvolvimento do Estado do Amazonas. O Estado está inserido quase inteiramente nas Bacias Sedimentares do Amazonas, Solimões e Acre e possui diversos recursos minerais associados às rochas sedimentares, como: petróleo e gás na Bacia de Solimões, cassiterita na Mina do Pitinga, carbonato na Mina da Nassau (Rio Jatapú), argila no Pólo Oleiro de Iranduba e Manacapuru e ouro no Rio Madeira. Atualmente, a empresa Potássio do Brasil está em fase de implantação da mina subterrânea para explorar a Silvita (Município de Autazes), que visa suprir a demanda nacional de Potássio e visa impulsionar o desenvolvimento sócio econômico do Estado do Amazonas. Grande parte das rochas e minerais citados acima se encontra em exposição no Laboratório de Sedimentologia e no Museu do Departamento de Geociências (DEGEO) da UFAM, sendo utilizados em aulas práticas de diversas disciplinas do curso de Geologia (Sedimentologia, Petrografia Sedimentar, Geologia Geral, entre outros). Portanto, este projeto tem como objetivo dar continuidade aos projetos anteriores de PIBEX (068/2014, 075/2015 e 028/2016) na difusão da área da Geologia Sedimentar nas escolas públicas de ensino médio de Manaus, contribuindo nas aulas práticas e teóricas por meio de palestras e visitas técnicas aos laboratórios e Museu do DEGEO, permitindo maior integração das escolas com a universidade, onde serão disponibilizadas estruturas apropriadas para transmitir conhecimento acerca da geologia geral do Estado do Amazonas e do Brasil..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Emílio Alberto Amaral Soares - Coordenador / Roberto César Barbosa - Integrante.
2016 - 2017
Exposição de rochas sedimentares e minerais do Departamento de Geociências da UFAM em escolas de Ensino Médio de Manaus.
Descrição: A grade curricular atual das escolas de ensino médio do Estado do Amazonas incluiu em seu programa institucional o conteúdo de Geologia Geral, associada à disciplina de Geografia Física, que abrange a classificação geral das rochas ígneas, sedimentares e metamórficas, bem como os recursos minerais associados e sua gênese, além de temas gerais de geomorfologia, ciclo hidrológico, tectônica de placas, entre outros. No entanto, as escolas carecem de estruturas apropriadas, tais como, laboratórios, equipamentos e mostras didáticas de rochas e minerais para auxiliar nas aulas. Além disso, existe também a carência de um corpo docente especializado na área das Geociências, que possa difundir a importância dos recursos minerais no desenvolvimento do Estado do Amazonas. O Estado está inserido quase inteiramente nas Bacias Sedimentares do Amazonas, Solimões e Acre e possui diversos recursos minerais associados às rochas sedimentares, como: petróleo e gás na Bacia de Solimões, cassiterita na Mina do Pitinga, carbonato na Mina da Nassau (Rio Jatapú), argila no Pólo Oleiro de Iranduba e Manacapuru e ouro no Rio Madeira. Atualmente, a empresa Potássio do Brasil está em fase de implantação da mina subterrânea para explorar a Silvita (Município de Autazes), que visa suprir a demanda nacional de Potássio e visa impulsionar o desenvolvimento sócio econômico do Estado do Amazonas. Grande parte das rochas e minerais citados acima se encontra em exposição no Laboratório de Sedimentologia e no Museu do Departamento de Geociências (DEGEO) da UFAM, sendo utilizados em aulas práticas de diversas disciplinas do curso de Geologia (Sedimentologia, Petrografia Sedimentar, Geologia Geral, entre outros). Portanto, este projeto tem como objetivo dar continuidade aos projetos anteriores de PIBEX (068/2014, 075/2015 e 028/2016) na difusão da área da Geologia Sedimentar nas escolas públicas de ensino médio de Manaus, contribuindo nas aulas práticas e teóricas por meio de palestras e visitas técnicas aos laboratórios e Museu do DEGEO, permitindo maior integração das escolas com a universidade, onde serão disponibilizadas estruturas apropriadas para transmitir conhecimento acerca da geologia geral do Estado do Amazonas e do Brasil..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Emílio Alberto Amaral Soares - Coordenador / Maria Rosária do Carmo - Integrante.
2015 - 2016
Catalogação de amostras de rochas sedimentares e lâminas (delgadas e de grãos) do Laboratório de Sedimentologia do DEGEO (UFAM)
Descrição: Descrever e catalogar amostras do laboratório de Sedimentologia. Fazer palestras em escolas sobre os tipos de rochas sedimentares e seus processos de formação..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Emílio Alberto Amaral Soares - Coordenador / Paulo Sergio de Rezende Nascimento - Integrante.
2014 - 2015
Catalogação de amostras de rochas sedimentares e lâminas (delgadas e de grãos) do Laboratório de Sedimentologia do DEGEO (UFAM)
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2013 - 2014
Organização e Catalogação das coleções didáticas do Laboratório de Sedimentologia
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2012 - 2013
Métodos granulométricos aplicados a área de Sedimentologia
Descrição: O Laboratório de Sedimentologia tem sido utilizado para diversas atividades curriculares do curso de graduação em Geologia (disciplinas: Sedimentologia, Petrografia Sedimentar, Estratigrafia e Trabalho Final de Graduação) e áreas afins (como Química e Agrárias, entre outros), bem como por atividades do Curso de Pós-Graduação em Geociências (PPGGEO). O aumento da demanda de amostras para serem tratadas no laboratório, principalmente por meio da viabilização de Projetos de Pesquisa, permitiram a compra de novos equipamentos, como chapas aquecedoras, balanças, estufas, ultrassons e capela, além de produtos químicos diversos. Entretanto, o referido laboratório não tem um técnico especializado que possa realizar e ensinar as diversas técnicas da área de Sedimentologia, fazendo com que não se tenha o máximo de aproveitamento do laboratório. Portanto, amostras selecionadas do acervo do Laboratório de Sedimentologia e de Projetos de Pesquisa, precisam ser analisadas quanto aos aspectos granulométricos com o auxílio de Lupa Binocular, gerando material para as aulas práticas e para o desenvolvimento de projetos. Além disso, este projeto contribuirá para manter preservado o acervo geológico da Universidade Federal do Amazonas, bem como, incentivará o uso das técnicas sedimentológicas nas diversas áreas de atuação..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2011 - 2012
Organização e Catalogação das coleções didáticas do Laboratório de Sedimentologia
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.


Outros Projetos


2014 - 2015
Análise sedimentológica e petrográfica de rochas siliciclásticas da sequencia cretácea-neógena da região do Baixo Rio Negro - PIBIC
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
2014 - 2015
Análise estratigráfica de 3 depressões tectônicas da margem direita do Rio Negro por meio de dados geoilógicos e geofísicos - PIBIC
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
2014 - 2015
Análise de minerais pesados da sequencia sedimentar cretácea-miocena aflorante nas regiões de Manaus e Presidente Figueiredo, Amazonas - PIBIC
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
2013 - 2014
Mapeamento do geológico do trecho do Rio Jatapu, entre o Rio Amazonas e o Igarapé Sorva, Borda norte da Bacia do Amazonas - PIBIC
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
2013 - 2014
Análise estratigráfica da porção oeste da Bacia do Solimões com base em furos de sondagens - PIBIC
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
2012 - 2013
Análise bitemporal do Rio Solimões no tercho entre os municípios de Manacapuru e Codajás (Amazônia Ocidental) por meio de imagens Landsat-5TM - PIBIC
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
2012 - 2013
Minerais pesados de um corpo arenoso da Formação Areias Brancas localizado ao sul do Estado de Roraima
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
2011 - 2012
Análise estratigráfica da sequencia sedimentar proterozóica-cretácea da região de Presidente Figueiredo com base nos estudo dos minerais pesados
Situação: Concluído; Natureza: Outra.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Geologia/Especialidade: Sedimentologia.
2.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Geologia/Especialidade: Estratigrafia.
3.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Geologia/Especialidade: Petrografia Sedimentar.
4.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Geologia/Especialidade: Geologia Regional.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
ZULAR, ANDRÉ2019ZULAR, ANDRÉ ; SAWAKUCHI, ANDRÉ OLIVEIRA ; CHIESSI, CRISTIANO MAZUR ; D?HORTA, FERNANDO MENDONÇA ; CRUZ, FRANCISCO WILLIAM ; DEMATTÊ, JOSÉ ALEXANDRE MELO ; RIBAS, CAMILA CHEREM ; HARTMANN, GELVAM ANDRÉ ; GIANNINI, PAULO CÉSAR FONSECA ; SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL . The role of abrupt climate change in the formation of an open vegetation enclave in northern Amazonia during the late Quaternary. GLOBAL AND PLANETARY CHANGE, v. 172, p. 140-149, 2019.

2.
RINCÓN CUERVO, HOLMAN DARIO2018RINCÓN CUERVO, HOLMAN DARIO ; SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL ; CAPUTO, MARIO VICENTE ; DINO, RODOLFO . Sedimentology and stratigraphy of new outcrops of Silurian glaciomarine strata in the Presidente Figueiredo region, northwestern margin of the Amazonas Basin. JOURNAL OF SOUTH AMERICAN EARTH SCIENCES, v. 85, p. 43-56, 2018.

3.
SOARES, EMILIO ALBERTO AMARAL2017SOARES, EMILIO ALBERTO AMARAL; KLOSTER, ADRIANA CABRAL ; GNAEDINGER, SILVIA CRISTINA ; RIKER, SILVIO ROBERTO ; LIMA, FELIPE JOSÉ DA CRUZ ; MOTTA, MARCELO BATISTA . First record of Annonaceae wood for the Neogene of South America, Amazon Basin, Brazil. Brazilian Journal of Geology, v. 47, p. 95-108, 2017.

4.
PASSOS, MARCEL SILVA2017PASSOS, MARCEL SILVA ; SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL . Análise multitemporal do sistema fluvial Solimões-Amazonas entre os tributários Purus e Negro, Amazônia Ocidental, Brasil. GEOLOGIA USP. SÉRIE CIENTÍFICA, v. 17, p. 61-74, 2017.

5.
SANT'ANNA, LUCY GOMES2017SANT'ANNA, LUCY GOMES ; Soares, Emílio Alberto do Amaral ; RICCOMINI, CLAUDIO ; TATUMI, SONIA HATSUE ; YEE, MARCIO . Age of depositional and weathering events in Central Amazonia. QUATERNARY SCIENCE REVIEWS, v. 170, p. 82-97, 2017.

6.
SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL2017SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL; D'APOLITO, CARLOS ; JARAMILLO, CARLOS ; HARRINGTON, GUY ; CAPUTO, MARIO VICENTE ; BARBOSA, ROGÉRIO OLIVEIRA ; BONORA DOS SANTOS, ENEAS ; DINO, RODOLFO ; GONÇALVES, ALEXANDRA DIAS . Sedimentology and Palynostratigraphy of a Pliocene-Pleistocene (Piacenzian to Gelasian) deposit in the lower Negro River: Implications for the establishment of large rivers in Central Amazonia. JOURNAL OF SOUTH AMERICAN EARTH SCIENCES, v. 79, p. 215-229, 2017.

7.
CHOUERI, ÉRIK L.2017CHOUERI, ÉRIK L. ; GUBILI, CHRYSOULA ; BORGES, SÉRGIO H. ; THOM, GREGORY ; SAWAKUCHI, ANDRÉ O. ; SOARES, EMÍLIO A. A. ; RIBAS, CAMILA C. . Phylogeography and population dynamics of Antbirds (Thamnophilidae) from Amazonian fluvial islands. JOURNAL OF BIOGEOGRAPHY, v. 1, p. 1-11, 2017.

8.
SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL2016SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL; WAHNFRIED, INGO ; DINO, RODOLFO . Subsurface stratigraphy of the cretaceous-neogene sedimentary sequence of Manaus and Itacoatiara regions, Central Amazon. Geologia USP. Série Científica, v. 16, p. 23, 2016.

9.
CAPUTO, MARIO VICENTE2016CAPUTO, MARIO VICENTE ; SOARES, EMILIO ALBERTO AMARAL . Eustatic and tectonic change effects in the reversion of the transcontinental Amazon River drainage system. Brazilian Journal of Geology, v. 46, p. 301-328, 2016.

10.
GONÇALVES JÚNIOR, ELIEZER SENNA2016GONÇALVES JÚNIOR, ELIEZER SENNA ; SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL ; TATUMI, SONIA HATSUE ; YEE, MARCIO ; MITTANI, JUAN CARLOS RAMIREZ . Pleistocene-Holocene sedimentation of Solimões-Amazon fluvial system between the tributaries Negro and Madeira, Central Amazon. Brazilian Journal of Geology, v. 46, p. 167-180, 2016.

11.
SÁ, NATÁLIA DE PAULA2016SÁ, NATÁLIA DE PAULA ; ABSY, MARIA LÚCIA ; SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL . Late Holocene paleoenvironments of the floodplain of the Solimões River, Central Amazonia, based on the palynological record of Lake Cabaliana. Acta Botanica Brasilica, v. 30, p. 473-485, 2016.

12.
SANTOS, JOSÉ O.2015SANTOS, JOSÉ O. ; MUNITA, CASIMIRO S. ; SOARES, EMÍLIO A. A. . Provenance studies in Amazon basin by means of chemical composition obtained by INAA. Journal of Radioanalytical and Nuclear Chemistry (Print), v. 305, p. 1, 2015.

13.
SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL2015SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL; DINO, RODOLFO ; SOARES, DOMINICKY PERES ; ANTONIOLI, LUZIA ; SILVA, MARCO ANTÔNIO LIMA DA . New sedimentological and palynological data from surface Miocene strata in the central Amazonas Basin area. Brazilian Journal of Geology, v. 45, p. 337-357, 2015.

14.
FIORE, M.2014FIORE, M. ; SOARES, E.A.A. ; MITTANI, J.C.R. ; YEE, M. ; TATUMI, S.H. . OSL dating of sediments from Negro and Solimões rivers - Amazon, Brazil. Radiation Physics and Chemistry (1993), v. 95, p. 113-115, 2014.

15.
NUNES, K. P.2013NUNES, K. P. ; TOYOTA, R. G. ; OLIVEIRA, P. M. S. ; NEVES, E. G. ; SOARES, E. A. A. ; MUNITA, C. S. . Preliminary Compositional Evidence of Provenance of Ceramics from Hatahara Archaeological Site, Central Amazonia. Journal of Chemistry, v. 2013, p. 1-6, 2013.

16.
DINO, R.2012DINO, R. ; SOARES, E. A. A. ; Luzia Antonioli ; RICCOMINI, C. ; NOGUEIRA, A. C. R. . Palynostratigraphy and Sedimentary Facies of Middle Miocene Fluvial Deposits of The Amazon Basin, Brazil. Journal of South American Earth Sciences, v. 34, p. 61-80, 2012.

17.
WAHNFRIED, I.2012WAHNFRIED, I. ; SOARES, E.A.A. . Água subterrânea na Amazônia: importância, estado atual do conhecimento e estratégias de pesquisa. Ciência & Ambiente, v. 44, p. 29-40, 2012.

18.
SOARES, E. A. A.;SOARES, E.A.A.;SOARES, EMÍLIO A. A.;SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL;SOARES, EMILIO ALBERTO AMARAL;Emílio Alberto do Amaral Soares;Soares, Emílio Alberto do Amaral2010SOARES, E. A. A.; SONIA, H. T. ; RICCOMINI, C. . OSL age determinations of Pleistocene fluvial deposits in Central Amazonia. Anais da Academia Brasileira de Ciências (Impresso), v. 82, p. 1-19, 2010.

19.
SUGUIO, K.2005SUGUIO, K. ; SALLUN, A. ; SOARES, E. A. A. . Quaternary: "Quo Vadis"?. Episodes, v. 28, n.3, p. 197-200, 2005.

20.
SUGUIO, K.2005SUGUIO, K. ; SALLUN, A. ; SOARES, E. A. A. . Período Quaternário: "Quo Vadis"?. Revista Brasileira de Geociências, v. 35, n.3, p. 427-432, 2005.

21.
SOARES, E. A. A.;SOARES, E.A.A.;SOARES, EMÍLIO A. A.;SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL;SOARES, EMILIO ALBERTO AMARAL;Emílio Alberto do Amaral Soares;Soares, Emílio Alberto do Amaral2005SOARES, E. A. A.; TRUCKENBRODT, W. ; NOGUEIRA, A. C. R. . FÁCIES LITORÂNEAS E SUBGLACIAIS DA FORMAÇÃO NHAMUNDÁ (SILURIANO INFERIOR), REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO, BACIA DO AMAZONAS. REVISTA DO MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI, SÉRIE CIÊNCIAS NATURAIS, BELÉM, PARÁ, v. 1, n.2, p. 89-116, 2005.

22.
NOGUEIRA, A. C. R.1999 NOGUEIRA, A. C. R. ; TRUCKENBRODT, W. ; SOARES, E. A. A. . O icnogênero artrophycus de depósitos sublitorâneos da formação nhamundá (siluriano inferior) da bacia do Amazonas, região de Presidente Figueiredo.. Revista Brasileira de Geociências, SÃO PAULO, v. 29, n.2, p. 135-140, 1999.

Capítulos de livros publicados
1.
KLOSTER, A. ; BESSA, D. M. ; SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL . Contribuição à Paleobotânica: registro de madeira Fabaceae na cobertura sedimentar neógena da Bacia do Amazonas. In: Aline Maria Meiguins de Lima; Paulo Sergio de Sousa Gorayeb. (Org.). Contribuições á Geologia da Amazonia. 1ed.Belém: Soceidade Brasileira de Geologia, 2017, v. 10, p. 1-11.

2.
HOORN, C. ; RODDAZ, M. ; DINO, R. ; SOARES, E. A. A. ; UBA, C. ; OCHOA-LOZANO, D. ; MAPES, R. . The Amazonian Craton and its influence on past fluvial systems. In: Cenozoic depositional systems in Amazonia.. In: CARINA HOORN; FRANK WESSELINGH. (Org.). AMAZONIA: LANDSCAPE AND SPECIES EVOLUTION. : WILEY - BLACKWELL, 2010, v. , p. -103.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
Nunes K. P. ; MUNITA, C. ; OLIVEIRA, P. ; NEVES, E. G. ; Kazuo E.T. ; SOARES, E. A. A. . Determination of the raw material source used the production of ceramics the hatahara arqueological site, AM. In: International Nuclear Atlantic Conference, 2009, Rio De Janeiro. International Nuclear Atlantic Conference, 2009.

2.
Nunes K. P. ; MUNITA, C. ; OLIVEIRA, P. ; NEVES, E. G. ; Kazuo E.T. ; SOARES, E. A. A. . Determination of the raw material source used the production of ceramics the hatahara arqueological site, AM. In: International Nuclear Atlantic Conference, 2009, Rio De Janeiro. International Nuclear Atlantic Conference, 2009.

3.
Kelly P. Nunes ; Rosimeiri G. Toyota ; MUNITA, C. ; OLIVEIRA, P. ; NEVES, E. G. ; SOARES, E. A. A. . The utilization of trace chemical composition to correlate ceramics with clay deposits. In: INTERNATIONAL NUCLEAR ATLANTIC CONFERENCE, 2007, Santos. INTERNATIONAL NUCLEAR ATLANTIC CONFERENCE, 2007.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
PASSOS, M. ; HAYAKAWA, E. H. ; SOARES, E. A. A. . Delimitação de unidades morfológicas na zona de confluência dos rios Solimões e Purus (Amazônia Ocidental), a partir de dados de sensoriamento remoto. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 2017. ANAIS DO XVIII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO.

2.
PASSOS, M. S. ; SOARES, E.A.A. . Análise multitemdinâmica fluvial do Rio Solimões no trecho entre Manaus e Codajás (Amazonia Ocidental) por meio de imagens Landsat - 5/TM. In: XVII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 2015, João Pessoa. XVII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 2015.

3.
SNATOS, J. O. D. ; MUNITA, C. ; SOARES, E.A.A. . Provenance studies in Amazon Basin by means of elemental chemistry composition obtained by INAA. In: 4th International Nuclear Chemistry Congress, 2014, Maresias, São Paulo. 4th International Nuclear Chemistry Congress, 2014.

4.
PASSOS, M. ; SOARES, E. A. A. . Análise bitemporal do Rio Solimões no trecho entre Manacapuru e Codajás (Amazônia Ocidental) por meio de imagens Landsat-5/TM. In: 13 Simpósio de Geologia da Amazônia, 2013, Belém. 13 Simpósio de Geologia da Amazônia, 2013.

5.
CUERVO, H. ; SOARES, E. A. A. . Diamictito da Formação Nhamundá (Grupo Trombetas) na região de Vila de Balbina, borda norte da Bacia do Amazonas. In: 13 Simpósio de Geologia da Amazônia, 2013, Belém. 13 Simpósio de Geologia da Amazônia, 2013.

6.
LIMA, C. ; SALAZAR, C. ; SOARES, E. A. A. ; PORFIRIO, V. . Analise petrográfica e paleontológica da Formação Novo Remanso, região do Baixo Rio Negro, Amazônia Central. In: 13 Simpósio de Geologia da Amazônia, 2013, Belém. 13 Simpósio de Geologia da Amazônia, 2013.

7.
PASSOS, M. S. ; SOARES, E. A. A. ; SALAZAR, C. A. . Análise bitemporal do Rio Solimões no trecho entre Manacapuru e Manaus (Amazônia Central) por meio de imagens Landsat -5/TM. In: XVI SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 2013. XVI SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO.

8.
SANTOS, J. O. ; MUNITA, C. ; SOARES, E. A. A. . OUTLIER DETECTION BY ROBUST MAHALANOBIS DISTANCE IN GEOLOGICAL DATA OBTAINED BY INAA TO PROVENANCE STUDIES. In: 2013 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2013, 2013, Recife. 2013 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2013, 2013.

9.
SOUZA, B. M. ; SOARES, E.A.A. . Minerais pesados de um corpo arenoso da Formação Areias Brancas localizado ao sul do Estado de Roraima. In: 13 SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZONIA, 2013, Belém do Pará. 13 SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZONIA, 2013.

10.
SOARES, E. A. A.; HAZENFRATZ, R. ; VERCEZE, R. C. ; MUNITA, C. S. ; GONCALVES JUNIOR, E. S. . Chemical analyses of the Quaternary fluvial terraces at Careiro-Castanho and Autazes, central Amazonia. In: International Conference on the Analyis of Geological and Environmental Materials, 2012, Buzios. International Conference on the Analyis of Geological and Environmental Materials, 2012.

11.
Sheila Teixeira ; SOARES, E. A. A. . Uso de imagens multi-sensores na identificação de paleocanais do Rio Solimões nas regiões de Anori, Codajás e Beruri, Amazônia Ocidental. In: XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto ? SBSR, 2011, Curitiba. XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 2011.

12.
José Osman dos Santos ; MUNITA, C. ; SOARES, E. A. A. . Chemical study of sediments from Solimões and negro rivers by INAA. In: International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2011, 2011, Belo Horizonte. International Nuclear Atlantic Conference, 2011.

13.
Eliezer Senna Gonçalves Junior ; SOARES, E. A. A. . Depósitos Cretáceos-Cenozóicos das regiões do Careiro Castanho e Autazes, Amazônia Central. In: XII SIMPOSIO DE GEOLOGIA DA AMAZONIA, 2011. XII SIMPOSIO DE GEOLOGIA DA AMAZONIA, 2011.

14.
Campos, P.A.C.G. ; SOARES, E. A. A. . Análise sedimentológica e estratigráfica de terraços fluviais quaternários do Rio Solimões na região do Careiro da Várzea, sul de Manaus. In: XI SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 2009, Manaus. XI SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 2009.

15.
Feitosa, I. L. ; SOARES, E. A. A. . Análise sedimentológica dos deltas lacustres dos lagos Cabaliana e do Padre, Amazônia Central. In: XI SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 2009, Manaus. XI SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 2009.

16.
Andrade, L. S. ; SOARES, E. A. A. . Estratigrafia de subsuperfície da seqüência sedimentar cretácea e neógena na cidade de Manaus. In: XI SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 2009, Manaus. XI SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 2009.

17.
SOARES, E. A. A.; RICCOMINI, C. . O REGISTRO SEDIMENTAR PLEISTOCENO NAS DEPRESSÕES TECTÔNICAS DA REGIÃO DE CONFLUÊNCIA DOS RIOS NEGRO E SOLIMÕES, AMAZONAS. In: 44 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2008, Curitiba. O planeta terra em nossas mãos, 2008.

18.
RICCOMINI, C. ; SOARES, E. A. A. . PALEOSSISMICIDADE NA AMAZÔNIA CENTRO-OCIDENTAL. In: 44 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2008, Curitiba. O planeta terra em nossas mãos, 2008.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
SOARES, E.A.A.; CORDEIRO, S. S. . MINERAISPESADOSDASEQUÊNCIASEDIMENTARCRETÁCEA-MIOCENAAFLORANTENASREGIÕESDE MANAUS,IRANDUBAEMANACAPURU,AMAZÔNIACENTRAL.. In: 48 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2016, Porto Alegre. 48 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2016.

2.
PASSOS, M. S. ; SOARES, E. A. A. . DEPÓSITOS SEDIMENTARES PLEISTOCENOS-HOLOCENOS DA ZONA DE CONFLUÊNCIA DOS RIOS SOLIMÕES E PURUS, AMAZÔNIA OCIDENTAL. In: 48 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2016, Porto Alegre. 48 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2016.

3.
LORIEN ELANOR REIS ALVES, ; SOARES, E. A. A. . ANÁLISE DE MINERAIS PESADOS DA SEQUÊNCIA SEDIMENTAR CRETÁCEA­MIOCENA  AFLORANTE NA REGIÃO DE MANAUS E PRESIDENTE FIGUEIREDO, AMAZONAS   . In: GEOSUDESTE 2015, 2015, CAMPOS DO JORDÃO - SP. GEOSUDESTE 2015, 2015.

4.
CESAR, R. G. ; SOARES, E. A. A. . SEDIMENTAÇÃO QUATÉRNÁRIA EM DEPRESSÕES TECTÔNICAS NA ZONA DE CONFLUÊNCIA DOS RIOS NEGRO E SOLIMÕES, AMAZÔNIA CENTRAL. In: XV CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA E ESTUDOS DO QUATERNÁRIO - ABEQUA, 2015, Tramandaí - Imbé (RS). XV CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA E ESTUDOS DO QUATERNÁRIO - ABEQUA, 2015.

5.
ANTONIOLI, L. ; SOARES, E.A.A. ; DINO, R. ; SOARES, D. P. ; SILVA, M. A. L. . Palinologia e sedimentologia de estratos miocenos aflorantes na porçãp central da Bacia do Amazonas. In: 47 Congresso Brasileiro de Geologia, 2014, Salvador. 47 Congresso Brasileiro de Geologia, 2014.

6.
GONSALVES JUNIOR, E. S. ; SOARES, E.A.A. . Terraços fluviais quaternários do sistema Solimões-Amazonas ao sul de Manaus. In: 47 Congresso Brasileiro de Geologia, 2014, Bahia. 47 Congresso Brasileiro de Geologia, 2014.

7.
KLOSTER, A. ; SOARES, E. A. A. ; RIKER, S. R. ; LIMA, F. J. C. ; MOTTA, M. B. ; GNAEDINGER, S. . PRIMEIRO REGISTRO DE LENHO FÓSSIL DE ANNONACEAE NA FORMAÇÃO NOVO REMANSO, MIOCENO DA BACIA DO AMAZONAS, BRASIL. In: XXIII CONGRESSO BRASILEIRO DE PALEONTOLOGIA, 2013, Gramado. XXIII CONGRESSO BRASILEIRO DE PALEONTOLOGIA, 2013.

8.
YEE, M. ; ARAUJO, M. C. ; MITANI, J. C. R. ; SOARES, E.A.A. ; TATUMI, S. . Ols dating and dosimetry of fluvial sediments in Amazon. In: 17 th International Conference on Solid State Domimetry and 5th school and Solid State Domimetry, 2013, Recife. 17 th International Conference on Solid State Domimetry and 5th school and Solid State Domimetry, 2013.

9.
LEOCADIO, I. ; SOARES, E. A. A. . ANÁLISE SEDIMENTOLÓGICA DOS ARENITOS DA FORMAÇÃO NHAMUNDÁ NA REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO, BORDA NORTE DA BACIA DO AMAZONAS. In: 46 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2012, SANTOS. 46 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2012.

10.
PASSOS, M. S. ; SALAZAR, A. ; SOARES, E. A. A. . ANÁLISE BITEMPORAL DO RIO SOLIMÕES NO TRECHO ENTRE MANACAPURU E MANAUS (AMAZONIA CENTRAL) POR MEIO DE IMAGENS LANDSAT-5/TM. In: 46 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2012, SANTOS. 46 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2012.

11.
ARAKI, L. A. ; SAWAKUCHI, A. O. ; SOARES, E. A. A. ; GIANNINI, P. C. F. . Possível aumento de umidade e do aporte sedimentar na bacia do Rio Branco (Roraima) a partir do Holoceno Médio. In: 46 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2012, SANTOS. 46 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2012.

12.
FIORE, M. ; ARAUJO, M. C. ; SOARES, E. A. A. ; YEE, M. ; TATUMI, S. H. . OSL DATING OF SEDIMENTS FROM NEGRO AND SOLIMÕES RIVERS ? AMAZON, BRAZIL. In: International Symposium on radiation Physics - ISRP 2012, 2012, Rio de Janeiro. International Symposium on radiation Physics - ISRP 2012, 2012.

13.
SOARES, E. A. A.; Sheila Teixeira . Fusão de imagens SAR-R((B e landsat-7 para identificação de paleocanais na planície aluvial do Rio Solimões, Amazônia Ocidental. In: XIII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário e III Encontro do Quiaternário Sul-Americano, 2011, Armação de Buzios. XIII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário, 2011.

14.
Andrade, L. S. ; SOARES, E. A. A. . Avaliação geológica de subsuperfície das unidades sedimentares cretácea e neógena das regiões de Manaus e Itacoatiara, Amazônia Central. In: 45 Congresso Brasileiro de Geologia, 2010, Belém. 45 Congresso Brasileiro de Geologia, 2010.

15.
SOARES, E. A. A.; Jarrier Honorato ; Sheila Teixeira ; Silvio Riker . Sedimentação quaternária nas regiões de Caapiranga, Anamã, Anori e Beruri, Amazônia Ocidental. In: 45 Congresso Brasileiro de Geologia, 2010, Belém. 45 Congresso Brasileiro de Geologia, 2010.

16.
Silvio Riker ; Sheila Teixeira ; Raimundo D'Antona ; Norma Cruz ; Célia Silva ; SOARES, E. A. A. . Caracterização das argilas dos municípios do Careiro da Várzea, Careiro e Manacapuru, Estado do Amazonas. In: 45 Congresso Brasileiro de Geologia, 2010, Belém. 45 Congresso Brasileiro de Geologia, 2010.

17.
Natália de Paula Sá ; Maria Lucia Absy ; SOARES, E. A. A. . Paleoambientes da planície aluvial do Rio Solimões, Amazônia Central: registro palinológico do Lago cabaliana. In: Simpósio Brasileiro de Paleobotânica e Palinologia, 2010, Salvador. XIII SBPP, 2010.

18.
SOARES, E. A. A.; Carlos Augusto da Silva ; Rogério Oliveira Barbosa . Aspectos Arqueológicos e Geológicos da Região de Confluência dos Rios Negro e Tarumã Mirim, Região Oeste de Manaus. In: II Encontro Internacional de Arqueologia na Amazônia, 2010, Manaus. II Encontro Internacional de Arqueologia na Amazônia, 2010.

19.
DINO, R. ; SOARES, E. A. A. ; RICCOMINI, C. ; NOGUEIRA, A. C. R. . CARACTERIZAÇÃO PALINOESTRATIGRÁFICA DE DEPÓSITOS MIOCÊNICOS NA BACIA DO AMAZONAS, REGIÃO DE MANACAPURU, AM. In: 7 SIMPÓSIO DO CRETÁCEO DO BRASIL E 1 SIMPÓSIO DO TERCIÁRIO DO BRASIL, 2006, SERRA NEGRA (SP). BOLETIM DO 7 SIMPÓSIO DO CRETÁCEO DO BRASIL E 1 SIMPÓSIO DO TERCIÁRIO DO BRASIL, 2006.

20.
RICCOMINI, C. ; SOARES, E. A. A. . SISMITOS HOLOCÊNICOS EM BAIXOS TERRAÇOS DO RIO SOLIMÕES, AMAZONAS. In: 42 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2004, ARAXÁ, MG. CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 42, 2004.

21.
SOARES, E. A. A.; RICCOMINI, C. . INFLUÊNCIA DA NEOTECTÔNICA NO PADRÃO DE SEDIMENTAÇÃO NEOGÊNICA-QUATERNÁRIA NA REGIÃO DO BAIXO RIO NEGRO, AMAZONAS. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 42, 2004, ARAXÁ, MG. CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA , 42, 2004.

22.
OLIVEIRA, P. ; MUNITA, C. ; NEVES, E. G. ; SOARES, E. A. A. . APLICAÇÃO DO MÉTODO DA BAYESIANA NA CARACTERIZAÇÃO DE DEPÓSITOS SEDIMENTARES DA AMAZÔNIA CENTRAL. In: VII ENCONTRO BRASILEIRO DE ESTATÍSTICA BAYESIANA, 2004, SÃO CARLOS - SP. VII ENCONTRO BRASILEIRO DE ESTATÍSTICA BAYESIANA, 2004.

23.
SOARES, E. A. A.; RICCOMINI, C. . NEOTECTÔNICA E SEDIMENTAÇÃO QUATERNÁRIA NA REGIÃO DO BAIXO RIO NEGRO, AMAZONAS. In: Simpósio de Geologia da Amazônia, 2003, Manaus. simpósio de geologia da Amazônia, 2003. v. 8.

24.
SOARES, E. A. A.; TRUCKENBRODT, W. ; NOGUEIRA, A. C. R. . COASTAL FACIES AND GLACIO-DEFORMED SEDIMENTS OF THE NHAMUNDÁ FORMATION (LOWER SILURIAN) NORTH OF MANAUS, AMAZON BASIN, NORTHERN BRASIL. In: 3rd LATINOAMERICAN CONGRESS OF SEDIMENTOLOGY, 2003. 3ed LATINAMERICAN CONGRESS OF SEDIMENTOLOGY, 2003.

25.
MUNITA, C. ; SOARES, E. A. A. ; OLIVEIRA, P. ; NEVES, E. G. ; PETERSEN J. B. . IDENTIFICAÇÃO PRELIMINAR DE FONTES DE MATÉRIA-PRIMA PARA PRODUÇÃO DE CERÃMICA NOS SÍSTIOS HATARAHA E ACUTUBA, AM. In: XII CONGRESSO DE ARQUELOGIA BRASILEIRA - ARQUEOLOGIS DA AMÉRICA LATINA, 2003, SÃO PAULO, SP. XII CONGRESSO DA SOCIEDADE DE ARQUELOGIA BRASILEIRA (SAB), 2003.

26.
MUNITA, C. ; OLIVEIRA, P. ; NEVES, E. G. ; SOARES, E. A. A. ; PETERSEN J. B. . COMPOSITIONAL ANALYSIS AND SOURCE OF RAW MATERIALS AF ARCHAEOLOGYCAL CERAMICS. In: FIRT INTERNATIONAL MEETING ON APLLIED PHYSICS, 2003, BODAJOZ, ESPANHA. FIRST INTERNATIONAL MEETING ON APLLIED PHYSICS, 2003. p. 556.

27.
SOARES, E. A. A.; RICCOMINI, C. . NEOTECTÔNICA E SEDIMENTAÇÃO QUATERNÁRIA NA CONFLUÊNCIA DOS RIOS NEGRO E SOLIMÕES, AMAZONAS. In: XLI CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2002, JOÃO PESSOA - PB. XLI CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2002.

28.
SOARES, E. A. A.; RAMOS, M. I. F. ; SILVA, M. B. ; BOSSETI, E. . REGISTRO INÉDITO DE MACROFÓSSEIS PALEOZÓICOS NA FORMAÇÃO MANACAPURU, REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO, BACIA DO AMAZONAS, AM. In: XVII CONGRESSO BRASILEIRO DE PALEONTOLOGIA, 2001, RIO BRANCO - ACRE. XVII CONGRESSO BRASILEIRO DE PALEONTOLOGIA, 2001.

29.
SOARES, E. A. A.; RAMOS, M. I. F. ; SOUZA FILHO, J. P. . ACHADO INÉDITO DE FÓSSEIS TERCIÁRIOS DA FORMAÇÃO SOLIMÕES, BACIA DO SOLIMÕES, NO MUNICÍPIO DE EIRUNEPÉ, AMAZONAS, BRASIL. In: XVII CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 2001, Rio Branco - Acre. CONGRESSO BRASILEIRO DE PALEONTOLOGIA, 2001.

30.
SOARES, E. A. A.; NOGUEIRA, A. C. R. ; SUGUIO, K. ; BARROS, D. S. ; SANTOS, W. H. D. . OS DEPÓSITOS QUATERNÁRIOS NA CONFLUÊNCIA DOS RIOS NEGRO E SOLIMÕES, MUNICÍPIOS DE IRANDUBA E MANACAPURU, AMAZONAS. In: VII SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 2001, Belém. SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 2001.

31.
SOARES, E. A. A.; SARGES, R. R. ; NOGUEIRA, A. C. R. . COMPARTIMENTAÇÃO GEOMORFOLÓGICA DA REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO, AM. In: VII SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 2001, BELÉM. VERTICALIZAÇÃO MINERAL DA AMAZÔNIA, 2001.

32.
SOARES, E. A. A.. MAPEAMENTO GEOLÓGICO PRELIMINAR DOS SEDIMENTOS QUATERNÁRIOS AFLORANTES NO MUNICÍPIO DE IRANDUBA. In: II MOSTRA DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 2000, MANAUS. II MOSTRA DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 2000.

33.
SOARES, E. A. A.; TRUCKENBRODT, W. . FÁCIES GLÁCIOCOSTEIRAS (SHOREFACE/FORESHORE) NA FORMAÇÃO NHAMUNDÁ, SILURIANO INFERIOR DA BACIA DO AMAZONAS, REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO - AM. In: II MOSTRA DA PRODUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 2000, MANAUS. II MOSTRA DA PRODUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS. MANAUS: EDITORA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 2000. p. 49.

34.
SILVA, M. B. ; RAMOS, M. I. F. ; SOARES, E. A. A. . SISTEMÁTICA, PALEOECOLOGIA E BIOESTRATIGRAFIA DOS MACROFÓSSEIS (INVERTEBRADOS) DO SILURIANO SUP. - DEVONIANO INF. DA FORMAÇÃO MANACAPURU, BACIA DO AMAZONAS, BRASIL. In: IX JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 2000, MANAUS. IX JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS. MANAUS: EDITORA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 2000. p. 74.

35.
BARROS, D. S. ; SOARES, E. A. A. . RECONHECIMENTO PRELIMINAR DOS SEDIMENTOS QUATERNÁRIOS NA REGIÃO DE MANAUS - AM. In: IX JORNADA DE INICIAÇÃO CIÊNTÍFICA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 2000, MANAUS. IX JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS. MANAUS: EDITORA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 2000. p. 73.

36.
HORBE, A. M. ; NOGUEIRA, A. C. R. ; SOARES, E. A. A. ; SOUZA, V. S. . A LATERITIZAÇAO NA EVOLUÇÃO MORFOLÓGICA DA REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO, ESTADO DO AMAZONAS. In: VI SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 1999, MANAUS. BOLETIM DE RESUMOS EXPANDIDOS, 1999. p. 399-402.

37.
SOARES, E. A. A.; TRUCKENBRODT, W. ; NOGUEIRA, A. C. R. . CONTRIBUIÇÃO AO PALEOAMBIENTE E À PALEOGEOGRAFIA DA FORMAÇÃO NHAMUNDÁ (SILURIANO INFERIOR) NA BACIA DO AMAZONAS, REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO - AM. In: VI SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 1999, MANAUS - AM. BOLETIM DE RESUMOS EXPANDIDOS, 1999.

38.
HORBA, A. M. C. ; NOGUEIRA, A. C. R. ; SOUZA, V. S. ; SOARES, E. A. A. . A LATERITIZAÇÃO E A EVOLUÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MANAUS E PRESIDENTE FIGUEIREDO - ESTADO DO AMAZONAS. In: I MOSTRA DA PRODUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 1999, MANAUS. I MOSTRA DA PRODUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS. MANAUS: EDITORA DA UNIVERSIDADE, 1999. p. 39-39.

39.
VIEIRA, L. C. ; SOARES, E. A. A. ; TRUCKENBRODT, W. . PETROGRAFIA E DIAGÊNESE DOS ARENITOS DA FORMAÇÃO NHAMUNDÁ, SILURIANO INFERIOR DA BACIA DO AMAZONAS, REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO. In: VIII JORNADA DE INICIAÇÃO CIÊNTÍFICA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 1999, MANAUS. VIII JORNADA DE INICIAÇÃO CIÊNTÍFICA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 1999. p. 98-98.

40.
SOARES, E. A. A.; TRUCKENBRODT, W. ; NOGUEIRA, A. C. R. . DEPÓSITOS GLACIO-COSTEIROS DA FORMAÇÃO NHAMUNDÁ, SILURIANO INFERIOR DA BACIA DO AMAZONAS, REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO - AM. In: XL CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 1998, BELO HORIZONTE - MG. GEOLOGIA E DESENVOLVIMENTO, 1998.

41.
NOGUEIRA, A. C. R. ; VIEIRA, L. C. ; TRUCKENBRODT, W. ; ROSSETTI, D. ; SOARES, E. A. A. . SEDIMENTOLOGIA DA FORMAÇÃO ALTER DO CHÃO NO MUNICÍPIO DE MANAUS. In: VII JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 1998, MANAUS. VII JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS, 1998. p. 92.

42.
NOGUEIRA, A. C. R. ; PAZ, J. D. S. ; TRUCKENBRODT, W. ; SOARES, E. A. A. . ICNOFÓSSEIS DAS FORMAÇÕES NHAMUNDÁ E MANACAPURU, SILURO-DEVONIANO DA BACIA DO AMAZONAS, REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO. In: XL CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 1998, BELO HORIZONTE - MG. GEOLOGIA E DESENVOLVIMENTO, 1998.

43.
NOGUEIRA, A. C. R. ; SOUZA, V. S. ; SOARES, E. A. A. . CONTRIBUIÇÃO À TECTÔNICA CENOZÓICA SA REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO, NORTE DE MANAUS-AM. In: VI SIMPÓSIO NACIONAL DE ESTUDOS TECTÔNICOS - SNET, 1997, PIIRENÓPOLIS - GO. VI SNET, 1997. p. 123-127.

44.
NOGUEIRA, A. C. R. ; SOARES, E. A. A. ; SOUZA, V. S. ; TRUCKENBRODT, W. ; CAPUTO, M. V. . ESTRUTURAS GLACIOTECTÔNICAS DA FORMAÇÃO NHAMUNDÁ, SILURIANO INFERIOR DA BACIA DO AMAZONAS. In: VI SIMPÓSIO NACIONAL DE ESTUDOS TECTÔNICOS, 1997, PIRENÓPOLIS - GO. VI SNET, 1997. p. 153-155.

45.
NOGUEIRA, A. C. R. ; SOARES, E. A. A. . FÁCIES SEDIMENTARES DA FORMAÇÃO PROSPERANÇA, PROTEROZÓICO SUPERIOR DA BACIA DO AMAZONAS, AO NORTE DA CIDADE DE MANAUS. In: V SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 1996, BELE'M. BOLETIM DE RESUMOS EXPANDIDOS E GUIS DE EXCURSÕES, 1996.

46.
SOARES, E. A. A.; NOGUEIRA, A. C. R. . FÁCIES SEDIMENTARES DA FORMAÇÃO PROSPERANÇA, PROTEROZÓICO SUPERIOR DA BACIA DO AMAZONAS, AO NORTE DA CIDADE DE MANAUS. In: V SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA, 1996, BELÉM. BOLETIM DE RESUMOS EXPANDIDOS E GUIAS DE EXCURSÕES, 1996.

Artigos aceitos para publicação
1.
D'APOLITO, CARLOS ; DA SILVA-CAMINHA, SILANE A. F. ; JARAMILLO, CARLOS ; DINO, RODOLFO ; SOARES, EMÍLIO A. A. . The Pliocene-Pleistocene palynology of the Negro River, Brazil. PALYNOLOGY, 2018.

Apresentações de Trabalho
1.
SOARES, E. A. A.; Sheila Teixeira . Fusão de imagens SAR-R99B e landsat - 7 para identificação de paleocanais na planície aluvial do Rio Solimões, Amazônia Ocidental. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
SOARES, E. A. A.; TRUCKENBRODT, W. ; NOGUEIRA, A. C. R. . Contribuição ao paleoambiente e a paleogeografia da Formação Nhamundá (Siluriano Inferior) na Bacia do Amazonas, região de Presidente Figueiredo - AM. 1999. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

3.
NOGUEIRA, A. C. R. ; SOARES, E. A. A. . Fácies sedimentares da Formação Prosperança, Proterozóico superior da Bacia do Amazonas, ao norte da cidade de Manaus-AM. 1996. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL; WACHHLOZ, F.; ALVES, N. S.. Participação em banca de Mônica Costêz Pinto. Correlações entre as dinâmicas geomorfológicas e pecuárias na margem esquerda do rio Madeira, Município de Autazes (AM). 2016. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Geociências) - Universidade Federal do Amazonas.

2.
SOARES, E.A.A.. Participação em banca de Yuri Oliveira Feitosa. Registros palinológicos em amostras de sedimentos do Quaternário Tardio do médio Rio Madeira. 2014. Dissertação (Mestrado em PG-ECO-INPA) - Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia.

3.
GOES, A. M.; SAWAKUCHI, A.; SOARES, E. A. A.. Participação em banca de Manuela Pinheiro Ferreira. Geocronologia e proveniência dos sedimentos holocênicos da confluência dos rios Negro e Solimões, AM. 2013. Dissertação (Mestrado em Geociências (Geoquímica e Geotectônica)) - Universidade de São Paulo.

4.
SOARES, E. A. A.; SAWAKUCHI, A. O.. Participação em banca de Mirian Rosseto. Proveniência sedimentar das areia holocênicas do rio Madeira, Amazonas, Brasil. 2013. Dissertação (Mestrado em Geociências (Geologia Sedimentar)) - Universidade de São Paulo.

5.
ANGELICA, R.; HORBE, A. M. C.; SOARES, E. A. A.. Participação em banca de Dulcimar Andrade Conceição. Intemprismo na Serra do Tucano - RR. 2011. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Geociências) - Universidade Federal do Amazonas.

6.
Natália de Paula Sá; Maria Lucia Absy; SOARES, E. A. A.. Participação em banca de Natália de Paula Sá. Registros palinológicos em sedimentos deltaicos do Lago Cabaliana na planície aluvial do Solimões, Amazônia Central. 2010. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas (Botânica)) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.

7.
Maria Luisa Lorscheitter; Michael J. G. Hopkins; SOARES, E. A. A.. Participação em banca de Carlos D'Apolito Júnior. LAGOA DA PATA REVISITADA: MAIOR SAZONALIDADE COMO CAUSA DO REAGRUPAMENTO DA COMUNIDADE VEGETAL DURANTE O ÚLTIMO PERÍODO GLACIAL NA AMAZÔNIA. 2010 - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.

8.
SOARES, E. A. A.; SIMÕES ANGÉLICA R.; NOGUEIRA, A. C. R.. Participação em banca de HUMBERTO DIAS ABINADER. DEPÓSITOS CENOZÓICOS DA PORÇÃO OESTE DA BACIA DO AMAZONAS. 2008. Dissertação (Mestrado em Geociências) - Universidade Federal do Amazonas.

Qualificações de Mestrado
1.
SOARES, EMÍLIO A. A.; FRANZINELLI, E.; SILVEIRA, R. R.. Participação em banca de Bianca Tocoronte Gomes. Diversidade e composição ecológica do conteúdo palinológico de sedimentos neogênicos (Formação Solimões) e holocênicos da Amazônia Ocidental. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Pós Graduação em Botânica) - Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia.

2.
FRANZINELLI, E.; BARBOSA, R. C.; SOARES, E. A. A.. Participação em banca de Igor Francisco Torres Araújo Gonçalves. Estudo sedimentológico e estratigráfico do Campo de Dunas localizado a sudoeste de Boa Vista, Roraima. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Geociências) - Universidade Federal do Amazonas.

3.
SOARES, E.A.A.; BARBOSA, R. C. O.; FRANZINELLI, E.. Participação em banca de Ziomar Costa e Silva Junior. Paleoambiente da Formação Andirá, Permiano da Bacia do Amazonas, com base em testemunhos de Sondagem, região de Autazes, Amazonas. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Geociências) - Universidade Federal do Amazonas.

4.
SOARES, EMÍLIO A. A.. Participação em banca de Mônica Cortêz Pinto. Correlações entre as dinâmicas geomorfológicas e sócioeconômicas na margem esquerda do Rio Madeira, município de Autazes, AM. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Geociências) - Universidade Federal do Amazonas.

5.
SOARES, E. A. A.; VIEIRA, A. F. G.; VALERIO, C. S.. Participação em banca de Daniel Dias Rodrigues. Análise geomorfológica do maciço Serra da Lua no município de Cantá - RR, através de técnicas de sensoriamento remoto. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em GEOGRAFIA) - Universidade Federal de Roraima.

6.
MATTOS, O. S.; MIRANDA, I. P. A.; SOARES, E. A. A.. Participação em banca de Yuri Oliveira Feitosa. Registros palinológicos em amostras de sedimentos do Quaternário Tardio do Médio rio Madeira, AM. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em Ecologia) - Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia.

7.
SOARES, E. A. A.; SALAZAR, C. A.; FRANZINELLI, E.. Participação em banca de Eliezer Senna Gonçalves Junior. Depósitos cretáceos-cenozóicos das regiões do Careiro Castanho e Autazes, Amazônia Central. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Geociências) - Universidade Federal do Amazonas.

8.
SOARES, E.A.A.. Participação em banca de Yuri Oliveira Barbosa. Registros palinológicos em amostras de sedimentos do Quaternário Tardio no Médio Rio Madeira, Brasil. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em PG-ECO-INPA) - Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia.

9.
SOARES, E. A. A.. Participação em banca de Moeme da Silva Maximo. Carbonatos Pensilvanianos da borda norte da Bacia do Amazonas na região do Rio Jatapu (AM). 2011. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Geociências) - Universidade Federal do Amazonas.

10.
TRINDADE, I. R.; HORBE, A. M. C.; SOARES, E. A. A.. Participação em banca de Dulcimar Andrade Conceição. Processos intempéricos na Serra do Tucano/RR. 2010. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Geociências) - Universidade Federal do Amazonas.

11.
TRINDADE, I. R.; HORBE, A. M. C.; SOARES, E. A. A.. Participação em banca de Francinele Vieira dos Santos. Intemperismo das rochas das suítes intruisivas Serra da Prata e Metamórfica Rio Urubu, municípios de Caracaraí-Mucajaí/RR. 2010. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Geociências) - Universidade Federal do Amazonas.

12.
SOARES, E. A. A.. Participação em banca de Cleudinei Lopes da Silva. Determinação de Módulo Dinâmico de Misturas Asfálticas com Agregados Sintéticos de Argila Calcinada. 2008. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal do Amazonas.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
SOARES, E.A.A.; BARBOSA, R. C. O.. Participação em banca de Raul Oliveira Alves.Análise de imagens de satélite para caracterização fotogeológica da região de Codajás, Rio Solimões - AM. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas.

2.
SOARES, E. A. A.; BARBOSA, V. P.; SILVEIRA, R. R.. Participação em banca de Elane Sampaio de Souza.microfácies e interpretação paleoambiental dos carbonatos da Formação Itaituba (Grupo Tapajós) na região de Itaituba - PA. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas.

3.
SILVA, R. R.; SILVA, C. L.; SOARES, E. A. A.. Participação em banca de Raphaela de Oliveira Passos.Icnofósseis da Formação Alter do Chão, Cretáceo da Bacia do Amazonas, região metropolitana de Manaus (AM). 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas.

4.
SILVA, R. R.; SILVA, C. L.; SOARES, E. A. A.. Participação em banca de Issac Daniel Rudnitzki.Análise Estratigráfica e Interpretação Paleoambiental da Formação Içá na Bacia do Solimões, região de Coari (AM). 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Professor titular
1.
SOARES, E. A. A.; Milliotti, C. A.; Marcio Luiz da Silva. Concurso para Magistério Superior (Presidente da Comissão) - Hidrogeologia. 2012. Universidade Federal do Amazonas.

2.
SOARES, E. A. A.; Hailton Luiz Siqueira de Igreja; Milliotti, C. A.. Concurso para Magistério Superior (Presidente da Comissão) - Área Sedimentologia e Estratigrafia. 2010. Universidade Federal do Amazonas.

Concurso público
1.
SOARES, E.A.A.; SALAZAR, C. A.; TAVARES JUNIOR, S. S.. Participação na Banca do concurso de Geologia Regional (Edital 006/2017). 2017. Universidade Federal do Amazonas.

2.
SOARES, E.A.A.; BARBOSA, V. P.; FERNANDES FILHO, L. A.. Concurso para Magistério Superior (Área: Sedimentologia e Estratigrafia) Portaria 0732/2015. 2015. Universidade Federal do Amazonas.

3.
SOUZA, V.; CARVALHO, A. S.; SOARES, E. A. A.. Concurso para Magistério Superior (Presidente da Comissão) - Paleontologia (Portaria 2019/2013). 2013.

4.
SOARES, E. A. A.; Hailton Luiz Siqueira de Igreja; Milliotti, C. A.. CONCURSO PUBLICO PARA A CARREIRA DE MAGISTÉRIO SUPERIOR - SEDIMENTOLOGIA E ESTRATIGRAFIA (PORTARIA N. 1260/2008). 2008. Universidade Federal do Amazonas.

Outras participações
1.
SOARES, EMÍLIO A. A.; -, I. P. A. M.; BARBOSA, E. M.. Mudanças na vegetação na Amazônia Ocidental durante o quaternário tardio: evidencias palinológicas e geológicas. 2017. Universidade do Estado do Amazonas.

2.
SOARES, E. A. A.; SOUZA, V. S.; Milliotti, C. A.. PROFESSOR SUBSTITUTO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS - PORTARIA 024/2008. 2008. Universidade Federal do Amazonas.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
47 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA. Terracos fluviais quaternários do sistema Solimões-Amazonas ao sul de Manaus. 2014. (Congresso).

2.
Workshop sobre as águas subterrâneas nas Bacias sedimentares do Marajó, Amazonasnas, Solimões e Acre e as perspectivas de novas abordagens estrattigráficas.Arcabouço estratigráfico da região de Manaus. 2012. (Encontro).

3.
XIII CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DO QUATERNÁRIO E III ENCONTRO DO QUATERNÁRIO SUL-AMERICANO. Fusão de imagens SAR-R99B e Landsat-7 para a identificação de paleocanais na planície aluvial do Rio Solimões, Amazônia Ocidental. 2011. (Congresso).

4.
45 Congresso Brasileiro de Geologia. 45 Congresso Brasileiro de Geologia. 2010. (Congresso).

5.
Atividades Onshore de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural.Atividades Onshore de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural. 2010. (Seminário).

6.
I ENCONTRO INTERNACIONAL DE ARQUEOLOGIA.Aspectos arqueológicos e geológicos da região de confluência dos rios Negro e Tarumã Mirim, região oeste de Manaus. 2010. (Encontro).

7.
II CONFERÊNCIA DE GEODIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS.II CONFERÊNCIA DE GEODIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS. 2010. (Encontro).

8.
44 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA. O REGISTRO SEDIMENTAR PLEISTOCENO NAS DEPRESSÕES TECTÔNICAS DA REGIÃO DE CONFLUÊNCIA DOS RIOS NEGRO E SOLIMÕES, AMAZONAS. 2008. (Congresso).

9.
44 CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA. PALEOSSISMICIDADE NA AMAZÔNIA CENTRO OCIDENTAL. 2008. (Congresso).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL. IV SEMANA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA UFAM. 2016. (Outro).

2.
SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL. X SEMANA DE GEOLOGIA. 2016. (Outro).

3.
SOARES, EMÍLIO ALBERTO AMARAL. COMISSÃO ORGANIZADORA DA IX SEMANA DE GEOLOGIA. 2015. (Outro).

4.
CARVALHO, F. P. ; HORBA, A. M. C. ; SOARES, E. A. A. ; ALMEIDA, M. E. ; VASQUES, M. L. ; HORBE, M. A. ; MONTEIRO, M. A. S. ; BRITO, M. F. L. ; RAMOS, M. I. F. ; SOUZA, M. M. ; C FILHO, N. B. ; REIS, N. J. ; HEIDRICH, N. ; HADDAD, R. C. ; MOURA, U. F. . VI SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DA AMAZÔNIA. 1999. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Henrique Rede Barreto Amaral. Estudo faciológico de unidades sedimentares paleozoicas aflorantes em trecho do Rio Urubu, região de Rio Preto da Eva, AM.. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS) - Universidade Federal do Amazonas. (Orientador).

2.
ZIOMAR COSTA E SILVA JUNIOR. FÁCIES SEDIMENTARES DA FORMAÇÃO ANDIRÁ (PERMIANA) COM BASE EM TESTEMUNHOS DE SONDAGENS DA REGIÃO DE AUTAZES, AMAZÔNIA CENTRAL. Início: 2016. Dissertação (Mestrado em Geociências) - Universidade Federal do Amazonas. (Orientador).

3.
IGOR FRANCISCO TORRES ARAÚJO GONÇALVES. ESTUDOS SEDIMENTOLÓGICO E ESTRATIGRÁFICO DA PALEODUNA SERRA GRANDE - RR. Início: 2016. Dissertação (Mestrado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

Iniciação científica
1.
RENAN OLIVEIRA BARBOSA. ANÁLISE MICROTEXTURAL DE DEPÓSITOS GLACIOGÊNICOS PALEOZÓICOS AFLORANTES NA REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO, BACIA DO AMAZONAS.. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

2.
Samuel da Silva Cordeiro. DETERMINAÇÃO DA ASSSEMBLÉIA DE MINERAIS PESADOS DA SEQUÊNCIA SEDIMENTAR CRETÁCEA- NEOGENA AFLORANTE NA ZONA DE CONFLUÊNCIA DOS RIOS NEGROS E SOLIMÕES, AMAZÕNIA CENTRAL. Início: 2016. Iniciação científica (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Marcel Silva Passos. Depósitos sedimentares pleistocenos-holocenos da zona de confluência dos rios Solimões e Purus, Amazônia Ocidental. 2016. Dissertação (Mestrado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS) - Universidade Federal do Amazonas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

2.
Rogério Oliveira Barbosa. Estudos sedimentológicos e estratigráficos dos depósitos sedimentares quaternários do Arquipélago de Anavilhanas, Município de Novo Airão (Amazônia Central). 2015. Dissertação (Mestrado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS) - Universidade Federal do Amazonas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

3.
Holman Dario Rincón Cuervo. Fácies sedimentares das unidades Siluro-Devonianas aflorantes na porção sudeste do município de PresidenteFigueiredo, borda norta da Bacia do Amazonas/AM. 2014. Dissertação (Mestrado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

4.
ELIEZER SENNA GONÇALVES JÚNIOR. TERRAÇOS FLUVIAIS QUATERNÁRIOS DAS REGIÕES DE CAREIRO-DA-VÁRZEA, MANAQUIRI, CAREIRO-CASTANHO E AUTAZES, AMAZONIA CENTRAL. 2013. Dissertação (Mestrado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS) - Universidade Federal do Amazonas, . Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
DOMINICKY PERES SOARES. MAPEAMENTO GEOLÓGICO E ANÁLISE DE FÁCIES SEDIMENTARES DA REGIÃO DO RIO UATUMÃ, NO TRECHO ENTRE OS LAGOS DE BALBINA E JUTUARANA, BORDA NORTE DA BACIA DO AMAZONAS. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

2.
Enéas Bonora dos Santos. Análise sedimentológica e estratigráfica de depósitos sedimentares cretáceos-neógenos da margem direita do Rio Negro, região de Iranduba (AM). 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

3.
Rogério de Oliveira Barbosa. Análise sedimentológica e estratigráfica dos depósitos cretáceos-neógenos da região do Baixo Rio Negro, Amazônia Central. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

4.
Icilia de Lima Feitosa. Dinâmica dos canais secundários de planície de inudnação do Rio Solimões e o desenvolvimento de deltas lacustres. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

5.
Luiz Saturnino de Andrade. AVALIAÇÃO GEOLÓGICA DE SUPERFÍCIE E SUBSUPERFÍCIE DAS UNIDADES SEDIMENTARES CRETÁCEA E NEÓGENA QUE COMPÕEM O RELEVO DAS REGIÕES DE MANAUS E ITACOATIARA, AMAZÔNIA CENTRAL. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

6.
LUIZ SATURNINO DE ANDRADE. AVALIAÇÃO GEOLÓGICA DE SUPERFÍCIE E SUBSUPERFÍCIE DAS UNIDADES SEDIMENTARES CRETÁCEA-MIOCENA QUE COMPÕEM O RELEVO DAS REGIÕES DE MANAUS E MANACAPURU. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

7.
ICÍLIA DE LIMA FEITOSA. DINÂMICA DOS CANAIS SECUNDÁRIOS DA PLANÍCIE DE INUNDAÇÃO DO RIO SOLIMÕES E O DESENVOLVIMENTO DE DELTAS LACUSTRES. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

8.
EISNER FRANCISCO DA SILVA CUNHA. ANÁLISE FACIOLÓGICA E ESTRATIGRÁFICA DAS ROCHAS SEDIMENTARES DA FORMAÇÃO URUPI (PALEOPROTEROZÓICO); AFLORANTES NA HIDRELÉTRICA DA MINA DIO PITINGA - MUNICÍPIO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO - AMAZONAS. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

9.
WENDELL HENRIQUE DIAS DOS SANTOS. MORFOESTRATIGRAFIA E SEDIMENTOLOGIA DOS DEPÓSITOS QUATERNÁRIOS DAS REGIÕES DE MANACAPURU E IRANDUBA, SUDOESTE DE MANAUS - AM. 2000. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

Iniciação científica
1.
Beatriz Cunha dos Santos. Utilização dos depósitos argilosos quaternários da região do Baixo Rio Negro, Estado do Amazonas, na confecção de cerâmica artesanal.. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

2.
Samuel da Silva Cordeiro. ANÁLISE DE MINERAIS PESADOS DA SEQUÊNCIA SEDIMENTAR CRETÁCEA- QUATERNÁRIA AFLORANTE NA REGIÃO DE MANACAPURU, AMAZÕNIA CENTRAL. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

3.
Felipe Bonora dos Santos. ANÁLISE ESTRATIGRÁFICA DA SEQUÊNCIA SEDIMENTAR PROTEROZÓICA-NEÓGENA DA REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO (NORTE DE MANAUS) COM BASE NO ESTUDO DE MINERAIS PESADOS.. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

4.
Alexandra Dias Gonçalves. ANÁLISE SEDIMENTOLÓGICA E PETROGRÁFICA DE ROCHAS SILICLASTICAS DA SEQUENCIA CRETACEA-NEÓGENA DA REGIÃO DO BAIXO RIO NEGRO. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

5.
Lorien Elanor Reis Alves. ANÁLISE DE MINERAIS PESADOS DA SEQUÊNCIA SEDIMENTAR CRETÁCEA-MIOCENA AFLORANTE NAS REGIÕES DE MANAUS E PRESIDENTE FIGUEIREDO, AMAZONAS. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

6.
Rafael Guedes Cesar. ANÁLISE ESTRATIGRÁFICA DE 3 DEPRESSÕES TECTONICAS DA MARGEM DIRETA DO RIO NEGRO, POR MEIO DE DADOS GEOLÓGICOS E GEOFÍSICOS. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

7.
Raul Oliveira Alves. MAPEAMENTO GEOLÓGICO DO TRECHO DO RIO JATAPU, ENTRE O RIO AMAZONAS E O IGARAPÉ SORVA, BORDA NORTE DA BACIA DO AMAZONAS. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, fUNDAÇÃO DE APOIO E AMPARO A PESQUISA DO ESTADO DO AMAZONAS. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

8.
Stéfano de Mello Antonaccio Santos. ANÁLISE ESTRATIGRÁFICA DA PORÇÃO OESTE DA BACIA DO SOLIMÕES COM BASE EM FUROS DE SONDAGENS. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

9.
Recursos Humanos Nome CPF Curso Departamento-UFAM Função CH/. Minerais pesados de um corpo arenoso da formação areias brancas localizado ao sul do Estado de Roraima. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

10.
Felipe Bonora dos Santos. ANÁLISE ESTRATIGRÁFICA DA SEQUÊNCIA SEDIMENTAR PROTEROZÓICA-CRETÁCEA DA REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO COM BASE NO ESTUDO DE MINERAIS PESADOS.. 2011. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

11.
Isabela Barbosa Leocádio. Análise sedimentológica dos arenitos da Formação Nhamundá na região de Presidente Figeuiredo, borda norte da Bacia do Amazonas. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

12.
Sérgio Roberto Almada da Silva. Análise sedimentológica das unidades sedimentares cretácea e neógena aflorantes na região entre Manaus e Caapiranga, Amazônia Ocidental. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

13.
Enéas Bonora dos Santos. Avaliação geológica de subsuperfície dos depósitos sedimentares cretáceos e neógenos dos municípios de Iranduba, Manacapuru e Novo Airão, Amazônia Central. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

14.
Eneas Bonora dos Santos. Avaliação geológica de subsuperfície dos depósitos sedimentares cretáceos e neógenos dos municípios de Iranduba, Manacapuru e Novo Airão. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

15.
Isabela Barbosa Leocádio. Análise sedimentológica dos arenitos da Formação Nhamundá, na região de Presidente Figueiredo, borda norte da Bacia do Amazonas. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

16.
Sérgio Roberto Almada da Silva. Analise sedimentológica das unidades sedimentares cretácea e neógena aflorantes nas regiões entre Manaus e Caapiranga, Amazônia Ocidental. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

17.
ROGÉRIO OLIVEIRA BARBOSA. ANÁLISE SEDIMENTOLÓGICA E ESTRATIGRÁFICA DE TESTEMUNHOS DE SONDAGENS DE DEPÓSITOS SEDIMENTARES CRETÁCEOS-NEÓGENOS DA REGIÃO DO BAIXO RIO NEGRO, AMAZONAS. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

18.
CRISTIANNE BRAGA SERRA. Análise sedimentológica e estratigráfica de terraços fluviais quaternários do rio Solimões, a oeste da cidade de Manacapuru. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

19.
ICÍLIA DE LIMA FEITOSA. ANÁLISE SEDIMENTOLÓGICA E ESTRATIGRÁFICA DOS DELTAS LACUSTRES NO LAGO CABALIANA, PLANÍCIE DE INUNDAÇÃO DO RIO SOLIMÕES, A OESTE DA CIDADE DE MANACAPURU. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, fUNDAÇÃO DE APOIO E AMPARO A PESQUISA DO ESTADO DO AMAZONAS. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

20.
PEDRO AFONSO GAIA CAMPO. ANÁLISE SEDIMENTOLÓGICA E ESTRATIGRÁFICA DE TERRAÇOS FLUVIAIS QUATERNÁRIOS DO RIO SOLIMÕES, REGIÃO DO CAREIRO DA VÁRZEA, SUL DE MANAUS. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

21.
LUIZ SATURNINO DE ANDRADE. ANÁLISE SEDIMENTOLÓGICA E ESTRATIGRÁFICA DOS DEPÓSITOS SEDIMENTARES QUATERNÁRIOS DO GRÁBEN DO ARIAÚ (GPA), LOCALIZADO A OESTE DE MANAUS. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

22.
Dorvanir da Silva Barros. RECONHECIMENTO PRELIMINAR DOS SEDIMENTOS QUATERNÁRIOS NA REGIÃO DE MANAUS - AM. 2000. 0 f. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

23.
Lucieth Cruz Vieira. PETROGRAFIA E DIAGÊNESE DOS ARENITOS DA FORMAÇÃO NHAMUNDÁ, SILURIANO INFERIOR DA BACIA DO AMAZONAS, REGIÃO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO - AM. 1999. 0 f. Iniciação Científica. (Graduando em Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

Orientações de outra natureza
1.
Carlos Alejandro Salazar. Bolsa de Estágio Probatório. 2011. Orientação de outra natureza. (Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.

2.
Carlos Alejandro Salazar. Estágio Probatório. 2011. Orientação de outra natureza. (Geologia) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Emílio Alberto Amaral Soares.



Outras informações relevantes


COLABORADOR NO PROJETO INTEGRADO "O NEOCENOZÓICO DA AMAZÔNIA OCIDENTAL" APROVADO PELO CNPQ E COORDENADO PELO PROF. KENITIRO SUGUIO DO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO(TÉRMINO 12/2000).

COLABORADOR NO PROJETO "LEVANTAMENTO ARQUEOLÓGICO DA ÁREA DE CONFLUÊNCIA DOS RIOS NEGRO E SOLIMÕES, ESTADO DO AMAZONAS: CONTINUIDADE DAS ESCAVAÇÕES, ANÁLISE DA COMPOSIÇÃO QUÍMICA E MONTAGEM DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS. APROVADO PELA FAPESP EM 2002 E COORDENADO PELO EDUARDO GÓES NEVES DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO.

COLABORADOR NO PROJETO "PALEONTOLOGIA E SEDIMENTOLOGIA DOS SEDIMENTOS CENOZÓICOS DA REGIÃO DE EIRUNEPÉ, BACIA DO SOLIMÕES, AMAZONAS, BRASIL"COORDENADO PELA DRA. MARIA INÊS FEIJÓ RAMOS DA UNIVERSIDADE DO AMAZONAS. PROJETO AO ABRIGO DO CONTRATO ENTRE O BASA E A UNIVERSIDADE DO AMAZONAS.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/10/2018 às 1:32:52