Paulo de Medeiros Rocha

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3633596483807678
  • Última atualização do currículo em 11/09/2018


Graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1973), Mestrado em Medicina (Psiquiatria) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1979) e Doutorado pelo Instituto de Medicina Social/Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1997). Pós-Doutorado no Instituto de Medicina Preventiva da Universidade de Lisboa - Portugal, em 2008, com bolsa CNPq. Atualmente é Professor Titular do Departamento de Saúde Coletiva da UFRN. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em politicas,planejamento e gestão, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde coletiva, sistema único de saúde, saúde da família, atenção primaria em saúde e avaliação em saúde. Exerceu chefia do Departamento de Saúde Coletiva e integrou Conselho Universitário da UFRN (2011-2014), foi médico do Ministério da Saúde S-III (aposentado). Coordenou, entre 2003-2006, a pesquisa avaliativa "Estudos de Linhas Base - PROESF", realizado pelo Ministério da Saúde e Banco Mundial, e posteriormente (2011-2014) a coordenação das pesquisas avaliativas do "Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica" (PMAQ-AB), 1º e 2º ciclos, nos Estados do Piauí, Rio Grande do Norte e Ceará. Atualmente exerce atividades de coordenação na pesquisa do Programa Nacional de Avaliação de Serviços de Saúde (PNASS) em Estados Norte-Nordeste (AP, PI, CE, RN, PE, AL) e na pesquisa avaliativa do PMAQ-AB (3º ciclo) para os Estados do Rio Grande do Norte e Ceará. Integra o corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSCol) da UFRN, além dos Mestrados Profissionais em Saúde da Família (Rede Nordeste-UFRN) e de Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde (em parceria com Universidade de Múrcia-Espanha). Docente do Internato em Saúde Coletiva, Curso Graduação em Medicina - UFRN, é Tutor do "Programa Mais Médicos" do Ministério da Saúde, no Rio Grande do Norte. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Paulo de Medeiros Rocha
Nome em citações bibliográficas
ROCHA, P. M.;ROCHA, PAULO DE MEDEIROS

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva.
AC Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Lagoa Nova
59078970 - Natal, RN - Brasil
Telefone: (084) 33422275


Formação acadêmica/titulação


1994 - 1997
Doutorado.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
Título: NO LIMIAR DO SÉCULO XXI: GLOBALIZAÇÃO E SAÚDE - OS DESAFIOS DA PROTEÇÃO SOCIAL NO BRASIL DOS ANOS 90, Ano de obtenção: 1997.
Orientador: GEORGE EDWARD MACHADO KORNIS.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: GLOBALIZAÇÃO; SAÚDE COLETIVA; SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE.
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva / Subárea: Saúde Pública.
Setores de atividade: Políticas, Planejamento e Gestão em Saúde.
1977 - 1979
Mestrado.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Título: PROGRAMAS DE PSIQUIATRIA COMUNITÁRIA NA AMERICA LATINA,Ano de Obtenção: 1979.
Orientador: JOSÉ OTÁVIO DE FREITAS JÚNIOR.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: SAÚDE MENTAL; SAÚDE PÚBLICA; MEDICINA COMUNITÁRIA.
Grande área: Ciências da Saúde
Setores de atividade: Políticas, Planejamento e Gestão em Saúde.
1974 - 1976
Especialização - Residência médica.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil. Residência médica em: PSIQUIATRIA
Número do registro: .
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Grande área: Ciências da Saúde
1968 - 1973
Graduação em Medicina.
Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.


Pós-doutorado


2008 - 2009
Pós-Doutorado.
INSTITUTO DE MEDICINA PREVENTIVA - UNIVERSIDADE DE LISBOA, IMP-UL, Portugal.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva.
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva / Subárea: SAÚDE DA FAMÍLIA.


Formação Complementar


2010 - 2010
Atualização em Educação para as Profissões de Saúd. (Carga horária: 64h).
Escola de Saúde Pública do Ceará, ESP/CE, Brasil.
1976 - 1976
SENSO CONTRA CENSO DA OBRA DE ARTE. (Carga horária: 60h).
Escola de Artes Visuais, EAV, Brasil.
1976 - 1976
II CURSO DE FORMAÇÃO CINECLUBISTA. (Carga horária: 40h).
FEDERAÇÃO DE CINECLUBES DO RIO DE JANEIRO, FCRJ, Brasil.
1975 - 1975
CINEMA DOCUMENTÁRIO. (Carga horária: 30h).
Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, MAM/RJ, Brasil.
1975 - 1975
SEMIOLOGIA DO CINEMA "LE CINEMA-RÊVE, REALITE...". (Carga horária: 30h).
Aliança Francesa do Rio de Janeiro, AF-RJ, Brasil.
1974 - 1974
SEMIOLOGIA PSIQUIÁTRICA. (Carga horária: 60h).
Casa de Saúde Natal S/A, CSN, Brasil.
1974 - 1974
Técnicas avançadas em pesquisa psicológica. (Carga horária: 20h).
CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA APLICADA DO ISOP/FGV, CPGPA, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2012 - 2014
Vínculo: , Enquadramento Funcional: PROFESSOR ASSOCIADO IV, Carga horária: 40

Vínculo institucional

2010 - 2012
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: PROFESSOR ASSOCIADO III, Carga horária: 40

Vínculo institucional

2008 - 2010
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: PROFESSOR ASSOCIADO II, Carga horária: 40

Vínculo institucional

2006 - 2008
Vínculo: , Enquadramento Funcional: PROFESSOR ASSOCIADO I, Carga horária: 40

Vínculo institucional

1991 - 2005
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: PROFESSOR ADJUNTO IV, Carga horária: 40

Vínculo institucional

1977 - 1990
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: PROFESSOR ADJUNTO III, Carga horária: 40

Atividades

02/2015 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, REITORIA, .

Cargo ou função
MEMBRO DA COMISSÃO QUE REALIZARÁ PROPOSTAS DE ATUALIZAÇÃO DAS METAS DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DA UFRN PARA O PERÍODO 2015-2019.
11/2013 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , DEPARTAMENTO DE SAÚDE COLETIVA, .

10/2013 - Atual
Outras atividades técnico-científicas , Pró-Reitoria de Planejamento, Pró-Reitoria de Planejamento.

Atividade realizada
TUTOR DO PROGRAMA "MAIS MÉDICOS" (MINISTÉRIO DA SAÚDE).
10/2013 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, .

Cargo ou função
MEMBRO DO CONSELHO DE CENTRO (CONSEC) - CCS.
03/2011 - Atual
Ensino, PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE
03/2011 - Atual
Ensino, MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
AVALIAÇÃO EM SAÚDE
PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO NA ATENÇÃO BÁSICA
SEMINÁRIOS DE ACOMPANHAMENTO I
SEMINÁRIOS DE ACOMPANHAMENTO II
SEMINÁRIOS DE ACOMPANHAMENTO III
08/2010 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva.

Cargo ou função
MEMBRO DO COLEGIADO DO CURSO DE MEDICINA DA UFRN.
03/2010 - Atual
Outras atividades técnico-científicas , NUCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA, NUCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA.

Atividade realizada
MEMBRO DO COLEGIADO DO NÚCLEO.
03/1993 - Atual
Outras atividades técnico-científicas , Centro de Ciências da Saúde, Centro de Ciências da Saúde.

Atividade realizada
MEMBRO DO QUADRO DOCENTE TÉCNICO DO NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA.
08/2015 - 08/2015
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, .

Cargo ou função
Presidente da Comissão de Processo Seletivo Simplificado para Profissionais Médicos Supervisores no âmbito dos Programas de Provisão de Médicos - PMMB e PROVAB.
06/2013 - 06/2015
Direção e administração, DEPARTAMENTO DE SAÚDE COLETIVA, .

Cargo ou função
CHEFE DE DEPARTAMENTO SAÚDE COLETIVA.
08/2013 - 12/2014
Conselhos, Comissões e Consultoria, CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UFRN, .

Cargo ou função
REPRESENTANTE DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE.
02/2000 - 12/2013
Ensino, Medicina, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ADMINISTRAÇÃO SANITÁRIA
07/2011 - 07/2013
Conselhos, Comissões e Consultoria, CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UFRN, .

Cargo ou função
REPRESENTANTE DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE.
08/2012 - 06/2013
Pesquisa e desenvolvimento , DEPARTAMENTO DE SAÚDE COLETIVA, .

06/2011 - 06/2013
Direção e administração, DEPARTAMENTO DE SAÚDE COLETIVA, .

Cargo ou função
CHEFE DO DEPARTAMENTO.
11/2011 - 12/2012
Pesquisa e desenvolvimento , DEPARTAMENTO DE SAÚDE COLETIVA, .

03/2009 - 06/2012
Ensino, Farmácia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
SAÚDE PÚBLICA
08/2011 - 02/2012
Ensino, Curso de Aperfeiçoamento em Gestão da Política..., Nível: Aperfeiçoamento

Disciplinas ministradas
TUTOR DO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM GESTÃO DA POLÍTICA PARA AS DST, AIDS E HEPATITES VIRAIS, NA MODALIDADE À DISTÂNCIA, REALIZADO PELO NESC, COM 180 HORAS
04/2009 - 12/2011
Extensão universitária , NUCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA, .

Atividade de extensão realizada
GRUPO DE PESQUISA QUALI-AIDS (PROJETO PARA AVALIAÇÃO DAS ESTRATÉGIAS DE APRIMORAMENTO DA GESTÃO DOS PROGRAMAS DE DST/AIDS NO RIO GRANDE DO NORTE).
07/2010 - 12/2010
Ensino, Ciências da Saúde, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS E PROGRAMAS DE SAÚDE
02/1998 - 12/2009
Ensino, Enfermagem, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Políticas e Práticas em Saúde
11/2009 - 11/2009
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva.

Cargo ou função
MEMBRO DA COMISSÃO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DE VICE-CHEFE DO DSC, BIÊNIO 2009/2011 (PORTARIA 10/2009 - DSC).
08/2009 - 08/2009
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva.

Cargo ou função
MEMBRO DA COMISSÃO ORGANIZADORA DO CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O CARGO DE PROFESSOR DO 3º GRAU DO DEPARTAMENTO DE SAÚDE COLETIVA (PORTARIA Nº 137/2009 - CCS).
02/1998 - 06/2009
Ensino, Medicina, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM SAÚDE COLETIVA
LEGISLAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE
ATENÇÃO À SAÚDE
11/2007 - 12/2007
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva.

Cargo ou função
MEMBRO DA COMISSÃO DE INQUÉRITO ADMINISTRATIVO.
02/2007 - 06/2007
Ensino, Departamento de Pediatria, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
MÓDULO 04: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO EM SAÚDE E METODOLOGIA DA PESQUISA
09/2003 - 02/2007
Direção e administração, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva e Nutrição.

Cargo ou função
VICE-CHEFE DE DEPARTAMENTO DE SAÚDE COLETIVA.
07/2002 - 12/2006
Ensino, FISIOTERAPIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
INTRODUÇÃO A SAÚDE PÚBLICA
03/2005 - 03/2006
Outras atividades técnico-científicas , NUCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA, NUCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA.

Atividade realizada
MEMBRO DO CENTRO COLABORADOR (NESC/UFRN) NAS ATIVIDADES DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO (M&A) DA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE, JUNTO À SESAP/RN.
12/2004 - 03/2006
Conselhos, Comissões e Consultoria, REITORIA, .

Cargo ou função
COORDENADOR DE CONSULTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO DE EXPANSÃO E CONSOLIDAÇÃO DO SAÚDE DA FAMÍLIA - PROESF.
03/2004 - 03/2005
Direção e administração, NUCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA, .

Cargo ou função
COORDENADOR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EPIDEMIOLOGIA PARA SERVIÇOS HOSPITALARES.
01/2005 - 01/2005
Ensino, POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO ESTRATÉGICA EM SAÚDE, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
ESTADO, SOCIEDADE E POLÍTICAS DE SAÚDE
08/2001 - 07/2004
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências da Saúde, .

03/2004 - 05/2004
Ensino, Especialização em Epidemiologia Hospitalar, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
POLÍTICAS DE SAÚDE - SUS
03/2003 - 03/2004
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva e Nutrição.

05/2000 - 09/2003
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, .

Cargo ou função
MEMBRO DA COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIIAÇÃO E PLANEJAMENTO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE.
05/2001 - 05/2003
Direção e administração, REITORIA, .

Cargo ou função
COORDENADOR EXECUTIVO DO COMPLEXO HOSPITALAR E DE ATENÇÃO À SAÚDE DA UFRN.
03/2003 - 03/2003
Ensino, ESPECIALIZAÇÃO DE EQUIPES GESTORAS DOS SISTEMAS E, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
Aspectos conceituais e determinantes do processo saúde - doença
Política de Saúde: construção do SUS
01/2003 - 02/2003
Conselhos, Comissões e Consultoria, REITORIA, .

Cargo ou função
MEMBRO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DO CRUTAC E HOSPITAL ANA BEZERRA.
06/2002 - 12/2002
Direção e administração, Centro de Ciências da Saúde, NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA.

Cargo ou função
COORDENADOR DO NÚCLEO INTERDISCIPLINAR DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA - NESC.
03/2001 - 12/2002
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva e Nutrição.

Cargo ou função
MEMBRO DO CONSELHO DO CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE (REPRESENTANTE DOCENTE).
08/2002 - 09/2002
Conselhos, Comissões e Consultoria, PROREITORIA DE RECURSOS HUMANOS, .

Cargo ou função
PRESIDENTE DE COMISSÃO PARA ANÁLISE DOS REQUISITOS CONCURSO PÚBLICO - UNIDADES HOSPITALARES DA UFRN.
04/2000 - 05/2002
Direção e administração, Centro de Ciências da Saúde, NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA.

Cargo ou função
COORDENADOR DE NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA.
09/2001 - 12/2001
Conselhos, Comissões e Consultoria, REITORIA, .

Cargo ou função
MEMBRO DA COMISSÃO DE REORGANIZAÇÃO DAS RESIDENCIAS MÉDICAS NA UFRN.
08/2001 - 12/2001
Conselhos, Comissões e Consultoria, NUCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA, .

Cargo ou função
GRUPO DE TRABALHO INTERINSTITUCIONAL - ESTRATÉGIAS OPERACIONAIS PARA CONSOLIDAÇÃO DO SUS/RN.
06/1999 - 06/2001
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, .

Cargo ou função
REPRESENTANTE DOCENTE TITULAR DO CONSELHO DE CENTRO (CONSEC) DO CCS.
11/2000 - 12/2000
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva.

Cargo ou função
MEMBRO DA COMISSÃO TEMPORÁRIA PARA DISCUTIR E ELABORAR EMENTA E PROGRAMA DA NOVA DISCIPLINA "MONOGRAFIA".
02/2000 - 12/2000
Ensino, Farmácia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
INTRODUÇÃO À SAÚDE PÚBLICA
10/2000 - 11/2000
Ensino, Administração, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
POLÍTICAS DESAÚDE PUBLICA
11/1998 - 11/2000
Outras atividades técnico-científicas , Centro de Ciências da Saúde, Centro de Ciências da Saúde.

Atividade realizada
MEMBRO EFETIVO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MÉDICA.
10/1998 - 10/2000
Direção e administração, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva e Nutrição.

Cargo ou função
Coordenador da Base de Pesquisa " Estudos em Saúde Coletiva".
10/1998 - 10/2000
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva e Nutrição.

Cargo ou função
MEMBRO DA COMISSÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA.
08/1999 - 08/2000
Outras atividades técnico-científicas , Centro de Ciências da Saúde, Centro de Ciências da Saúde.

Atividade realizada
MEMBRO DO COLEGIADO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA.
04/2000 - 07/2000
Direção e administração, Centro de Ciências da Saúde, .

Cargo ou função
COORDENADOR DO CURSO DE ATUALIZAÇÃO "NOÇÕES BÁSICAS DA TEORIA SISTÊMICA E DA ABORDAGEM FAMILIAR SISTÊMICA".
03/2000 - 04/2000
Ensino, Odontologia Social, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
POLÍTICAS DE SAÚDE
10/1999 - 03/2000
Conselhos, Comissões e Consultoria, REITORIA, .

Cargo ou função
MEMBRO DA COMISSÃO PARA REORGANIZAÇÃO DOS HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS - UFRN.
03/1998 - 03/2000
Direção e administração, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva e Nutrição.

Cargo ou função
COORDENADOR PÓS-GRADUAÇÃO - MESTRADO INTERINSTITUCIONAL EM SAÚDE COLETIVA.
01/2000 - 02/2000
Outras atividades técnico-científicas , REITORIA, REITORIA.

Atividade realizada
ELABORAÇÃO DO PROJETO DE CRIAÇÃO DO COMPLEXO HOSPITALAR DA UFRN.
07/1999 - 12/1999
Ensino, Farmácia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
BIOESTATISTICA
06/1999 - 12/1999
Conselhos, Comissões e Consultoria, REITORIA, .

Cargo ou função
MEMBRO DA COMISSÃO PARA AUTONOMIA UNIVERSITÁRIA DA UFRN.
02/1998 - 12/1999
Ensino, Medicina, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
MEDICINA PREVENTIVA
06/1998 - 06/1999
Conselhos, Comissões e Consultoria, REITORIA, .

Cargo ou função
MEMBRO DO CONSELHO ESTADUAL DE SAÚDE, REPRESENTANTE DA UFRN.
11/1998 - 02/1999
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva e Nutrição.

Cargo ou função
CONSULTOR DO PROJETO DE APOIO À ORGANIZAÇÃO E GERENCIAMENTO DE ESTRUTURAS DE SAÚDE.
08/1998 - 12/1998
Ensino, Odontologia Social, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
POLÍTICAS DE SAÚDE
03/1998 - 06/1998
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva e Nutrição.

Cargo ou função
COORDENADOR DA COMISSÃO DE ENSINO.
12/1997 - 03/1998
Direção e administração, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, .

Cargo ou função
DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE CAPACITAÇÃO DOCENTE-PPPg.
01/1992 - 12/1992
Direção e administração, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Medicina Clínica.

Cargo ou função
SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE - NATAL/RN.
03/1987 - 12/1990
Outras atividades técnico-científicas , Centro de Ciências da Saúde, Centro de Ciências da Saúde.

Atividade realizada
COORDENADOR ASSESSORIA TÉCNICA DA SESAP/RN.
03/1988 - 03/1989
Outras atividades técnico-científicas , Centro de Ciências da Saúde, Centro de Ciências da Saúde.

Atividade realizada
COORDENADOR DO PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA SOBRE DISTRITOS SANITÁRIOS ENTRE A SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE-RN E A OPAS.
08/1977 - 12/1986
Ensino, Medicina, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
PSIQUIATRIA
03/1985 - 03/1986
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Medicina Clínica.

06/1977 - 12/1981
Outras atividades técnico-científicas , Centro de Ciências da Saúde, Centro de Ciências da Saúde.

Atividade realizada
COORDENADOR DO NÚCLEO DO CEBES-RN (CENTRO BRASILEIRO DE ESTUDO EM SAÚDE).
04/1980 - 05/1980
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Medicina Clínica.

Cargo ou função
MEMBRO DA COMISSÃO DESTINADA AO ESTUDO DE INTEGRAÇÃO DOCENTE ASSISTENCIAL.
06/1979 - 08/1979
Outras atividades técnico-científicas , Centro de Ciências da Saúde, Centro de Ciências da Saúde.

Atividade realizada
MEMBRO DO GRUPO DE TRABALHO PARA ESTUDAR E APRESENTAR UM PLANO DE DESENVOLVIMENTO E MELHORIA DO ENSINO NO DEPARTAMENTO DE MEDICINA CLÍNICA.

Ministério da Saúde, MS, Brasil.
Vínculo institucional

1977 - Atual
Vínculo: QUADRO PERMANENTE DE PESSOAL, Enquadramento Funcional: MÉDICO NÍVEL S-III, Carga horária: 20

Atividades

03/2008 - 03/2009
Pesquisa e desenvolvimento , Ministério da Saúde, .

02/2003 - 12/2003
Serviços técnicos especializados , Ministério da Saúde, .

Serviço realizado
SANITARISTA DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE NATAL/RN.
04/1993 - 12/1996
Pesquisa e desenvolvimento , Ministério da Saúde, .

04/1993 - 12/1993
Estágios , Instituto de Medicina Social/UERJ, .

Estágio realizado
ESTÁGIO DE APERFEIÇOAMENTO, NA QUALIDADE DE PESQUISADOR ASSOCIADO, NO DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE SAÚDE DO IMS.
04/1992 - 12/1992
Direção e administração, Ministério da Saúde, .

Cargo ou função
SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE DE NATAL/RN.
05/1991 - 04/1992
Direção e administração, Ministério da Saúde, .

Cargo ou função
CHEFE DE GABINETE DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE NATAL/RN.
04/1991 - 05/1991
Direção e administração, Ministério da Saúde, .

Cargo ou função
COORDENADOR DA ASSESSORIA TÉCNICA DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE NATAL/RN.
03/1987 - 03/1991
Direção e administração, Ministério da Saúde, .

Cargo ou função
COORDENADOR DA ASSESSORIA TÉCNICA - Secretaria Estadual de Saúde Pública / RN.
07/1990 - 12/1990
Conselhos, Comissões e Consultoria, Conselho Nacional de Saúde, .

Cargo ou função
COMISSÃO ESPECIAL PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA DA NONA CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE.
05/1988 - 11/1988
Outras atividades técnico-científicas , Ministério da Saúde, Ministério da Saúde.

Atividade realizada
MEMBRO DO GRUPO DE TRABALHO DE IMPLANTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DOS DISTRITOS SANITÁRIOS À NÍVEL LOCAL E REGIONAL.
01/1982 - 12/1985
Outras atividades técnico-científicas , Ministério da Saúde, Ministério da Saúde.

Atividade realizada
PRESIDENTE DO SINDICATO DOS MÉDICOS DO RIO GRANDE DO NORTE.
06/1977 - 12/1985
Serviços técnicos especializados , MINISTÉRIO DA SAÚDE, SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE.

Serviço realizado
ASSISTENCIA MÉDICA, SERVIÇO DE PSIQUIATRIA (PAM - RIBEIRA), INAMPS-RN.
06/1977 - 12/1981
Outras atividades técnico-científicas , Ministério da Saúde, Ministério da Saúde.

Atividade realizada
COORDENADOR DO CEBES-RN (CENTRO BRASILEIRO DE ESTUDO EM SAÚDE).


Linhas de pesquisa


1.
PESQUISA AVALIATIVA EM SAÚDE DA FAMÍLIA

Objetivo: REALIZAR ESTUDOS, INVESTIGAÇÕES SOBRE O PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA (ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE).
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva.
Setores de atividade: Políticas, Planejamento e Gestão em Saúde; Cuidado À Saúde das Populações Humanas; Educação Superior.
Palavras-chave: AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS; SAÚDE COLETIVA; SAÚDE DA FAMÍLIA.
2.
AVALIAÇÃO EM SAÚDE

Objetivo: AVALIAR POLÍTICAS E PROGRAMAS EM SAÚDE.
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva.
Setores de atividade: Educação Superior; Políticas, Planejamento e Gestão em Saúde; Cuidado À Saúde das Populações Humanas.
Palavras-chave: AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS; SAÚDE COLETIVA; ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE.
3.
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE
4.
AVALIAÇÃO DE PROGRAMA
5.
SAÚDE DA FAMÍLIA
6.
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE
7.
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE
8.
AVALIAÇÃO EM SAÚDE
9.
SAÚDE BUCAL
10.
AVALIAÇÃO EM SAÚDE
11.
ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE
12.
SAÚDE DA FAMILIA
13.
TUTOR DO PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE - PITS/RN COM BOLSA DO CNPq
14.
HOMICÍDIOS E SUICÍDIOS NO RIO GRANDE DO NORTE
15.
ESTÁGIO PÓS-DOUTORAMENTO NO INSTITUTO DE MEDICINA PREVENTIVA - UNIVERSIDADE DE LISBOA/PORTUGAL
16.
PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE

Objetivo: PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE.
Grande área: Ciências da Saúde
Setores de atividade: Políticas, Planejamento e Gestão em Saúde.
Palavras-chave: SAÚDE COLETIVA; PLANEJAMENTO EM SAÚDE; ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE.


Projetos de pesquisa


2017 - Atual
TRABALHO EM EQUIPE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE
Descrição: O trabalho em equipe vem sendo ressaltado como uma importante estratégia para o alcance da integralidade do cuidado. O objetivo deste estudo é conhecer as concepções sobre o trabalho em equipe e as práticas do trabalho das equipes de saúde da família, sob a ótica dos gestores e profissionais das equipes que participaram da pesquisa de avaliação externa do PMAQ-AB. O estudo será realizado em uma unidade de saúde da família, no Distrito Sanitário Oeste. O universo será representado por profissionais e gestores desse serviço. A metodologia compreende: revisão bibliográfica, entrevista com roteiro semiestruturado e análise do banco de dados da pesquisa de avaliação externa (ciclos I e II) disponibilizado pelo Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde. A análise será realizada pelo método do Discurso do Sujeito Coletivo e pelo programa Statistical Package for Social Sciences..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
CONTEXTO SÓCIO ? ECONÔMICO E DESEMPENHO DOS MUNICIPIOS NA OFERTA DE CUIDADOs PRIMÁRIOS ÀS PESSOAS COM HIPERTENSÃO ARTERIAL NO BRASIL: o que revelam os dados do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ)?
Descrição: A hipertensão Arterial Sistêmica é definida como aumento sustentado dos níveis pressóricas ≥ 140 e/ou 90 mmHg. Faz parte das mais relevantes Doenças Crônicas Não Transmissíveis que incluem as doenças cardiovasculares, canceres , doenças respiratórias e renais e estão associadas aos fatores de risco em comum como tabagismo, inatividade física, alimentação não saudável e consumo excessivo de álcool. Estudos e dados da Organização Mundial de Saúde mostram que a Hipertensão Arterial Sistêmica é a principal causa de morte e o componente mais importante da carga de doenças representada por dias perdidos por incapacidade no mundo. No Brasil também é um grave problema de saúde pública, atinge, em média, 25% da população brasileira, chegando a mais de 50% na terceira idade e, 5% dos 70 milhões de crianças e adolescentes. Desde os anos 1990, em particular nos Estados Unidos pelo e mais recentemente no Brasil pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, Sociedade Brasileira de Hipertensão e Sociedade Brasileira de Nefrologia são elaborados, revistos e ampliado protocolos para decisão clínica baseada em evidencias de estudos epidemiológicos e ensaios clínicos controlados acerca do significativo impacto da redução dos níveis pressóricos sobre a mortalidade e carga das doenças e gradativamente diminuindo as controvérsias sobre o nível mínimo e máximo relacionado ao controle, classe e combinação de drogas além de medidas de prevenção e controle dos riscos e de promoção à saúde. No campo dos desafios às políticas de saúde governo brasileiro adotou medidas tanto de atenção à saúde como de prevenção. Aborda a Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), condição clínica multifatorial,. Trata da importância dos profissionais de Atenção Básica e da organização dos serviços de saúde Rede de Atenção à Saúde coordenados pela Atenção Básica. nas estratégias de prevenção, diagnóstico, monitorização e controle da HAS. As diretrizes estão dispostas em Cadernos de Atenção Básicas específicos para doenças crônicas e para HAS. Partindo do pressuposto que a melhoria do acesso e eficácia do tratamento da HAS perpassa pela qualificação da Atenção Básica destaca-se as iniciativas institucionais de avaliação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) instituído em 2011 pelo Ministério da Saúde. Considera-se também que a estruração da Atenção Básica varia nos diferentes contextos socias. Este trabalho objetiva avaliar, a influência do contexto demográfico e socioeconômicos no desempenho dos municípios considerando a oferta de cuidados às pessoal com Hipertensão Arterial Sistemica primários saúde mental, no Brasil. O estudo será transversal descritivo quantitativo com dados secundários do 1º ciclo do PMAQ. A amostra será de 17.202 questionários de profissional da Equipe de Atenção Básica (Módulo II) dentre os 3.944/5570 municípios que aderiram ao Programa..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
IMPLEMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS CORPORAIS/ATIVIDADE FÍSICA PROPOSTAS PELA POLÍTICA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE NAS UNIDADES DE ATENÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE
Descrição: A urbanização crescente, o aumento da expectativa de vida, o declínio das taxas de fecundidade e natalidade, associados a estilos de vida pouco saudáveis têm contribuído para o aumento da carga global das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT). No Brasil, as DCNT constituem um problema de saúde pública de grande magnitude, totalizando 72% de óbitos distribuídos entre as doenças do aparelho circulatório (30,4%), as neoplasias (16,4%), o diabetes (5,3%) e as doenças respiratórias (6,0%). Na perspectiva de redução e controle das DCNT, o Ministério da Saúde do Brasil, através da Secretaria de Vigilância em Saúde vem implementando políticas públicas de promoção à saúde e planos de enfrentamento que contemplam diversas estratégias para redução dos fatores de risco modificáveis e comuns às quatro doenças anteriormente referidas, tais como: tabagismo, consumo abusivo de álcool, alimentação inadequada e inatividade física. No entanto, ainda são poucas as iniciativas locais, que visam avaliar e qualificar as ações de vigilância e controle das doenças crônicas não transmissíveis e seus fatores de risco e proteção. Esse projeto tem como objetivo realizar levantamento da implementação das práticas corporais/atividade física propostas pela Política Nacional de Promoção da Saúde nas unidades de atenção básica do estado do Rio Grande do Norte a partir dos dados coletados no terceiro ciclo Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) e de uma pesquisa documental realizada em documentos oficiais de planejamento da Secretaria Municipal de Saúde de Natal. Serão analisados os seguintes documentos: Planos Municipais de Saúde (PMS), que orientam a programação das ações de saúde do município; Programação Anual de Saúde (PAS), que operacionaliza as orientações expressas no PMS; e os Relatórios Anuais de Gestão (RAG), que apresentam os resultados alcançados com a execução da Programação Anual de Saúde. Acredita-se que os resultados dessa avaliação permitirá identificar fortalezas e fragilidades dos municípios do Rio Grande do Norte no que se refere à implantação das práticas corporais/atividades físicas da Política Nacional de Promoção da Saúde..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2015 - Atual
AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA NO 3º CICLO DO PROGRAMA DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA AB (PMAQ)
Descrição: Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) foi criado pelo Ministério da Saúde (MS) em 2011. Seu principal objetivo é induzir a ampliação do acesso e a melhoria da qualidade da Atenção Básica e criar padrões comparáveis nacional, regional e local de modo a permitir maior transparência e efetividade das ações governamentais. Além da certificação das equipes de saúde, o PMAQ-AB preconiza na sua terceira fase a realização da Avaliação Externa, ou seja, um processo avaliativo executado pelas Instituições de Ensino Superior (IES) com foco nas equipes de atenção básica, nas equipes de saúde bucal, e núcleos de apoio ao saúde da família (NASF). Como parte de uma processo mais abrangente de um Ciclo de Melhoria Contínua da Qualidade na Atenção Primária em Saúde, preconizado pelo Ministério da Saúde (Departamento de Atenção Básica), em 2010, já foram realizados o primeiro e o segundo ciclos da avaliação externa, em todo o território nacional, em 2012 e 2014, respectivamente. Com o propósito de dar continuidade à essas ações avaliativas na atenção primária em saúde brasileira, o Ministério da Saúde-DAB está induzindo o 3º ciclo do programa que contará também com a avaliação externa a ser realizada, em estudo multicêntrico, pelas IES participantes. Nesta etapa o Grupo de Estudos em Saúde Coletiva da UFRN, com expertise acumulada nos ciclos anteriores, coordenará sua execução nos estados do Rio Grande do Norte e Ceará. O objetivo desta pesquisa avaliativa é realizar a verificação in loco do conjunto de padrões de qualidade dos processos de trabalho das referidas Equipes de Unidades de Atenção Básica (EAB), das Equipes de Saúde Bucal (ESB) e dos Núcleos de Apoio a Saúde da Família (NASF). Com relação à metodologia, trata-se de um inquérito (survey), com aplicação de um único questionário nacional e que tomará como parâmetro aquele aplicado nos ciclo anteriores do PMAQ-AB. O mesmo será previamente validado por Técnica de Consenso (Delfos) com cerca de 100 especialistas indicados pelos DAB/MS e 8 centros de pesquisa, além de Estudo Piloto. O questionário será aplicado em cerca de 3.258 EAB/ESB, além de 343 NASF, totalizando 3.601 equipes nos dois estados. O questionário será organizado em 3 grande eixos: condições de infraestrutura; processo de trabalho das equipes e organização do cuidado; satisfação e percepção dos usuários sobre acesso e utilização dos serviços. Todos os questionários serão aplicados com o uso de tablets enviados via internet para um sistema centralizado no MS. O DAB/MS também ficará responsável pela validação dos questionários respondidos de forma automatizada e em tempo real. Para o trabalho de campo no RN e CE serão recrutados 150 avaliadores de qualidade que serão capacitados de forma semipresencial pela Secretaria de Educação à Distância (SEDIS-UFRN), com base em diretrizes comuns a todos os centros de pesquisa participantes. Cada grupo de cinco avaliadores terá um supervisor de campo. As análises dos dados serão realizadas pela equipe de pesquisadores da UFRN, com uso de estatística descritiva e análise multivariada. São esperados benefícios acadêmicos variados para a UFRN - Departamento de Saúde Coletiva (integração de pesquisadores, publicações, teses/dissertações)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2014 - Atual
IMPLEMENTAÇÃO DE AÇÕES DE CONTROLE, REGULAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE
Descrição: Atualmente, a avaliação da qualidade dos serviços de saúde vem sendo reconhecida em todo o mundo como estratégia para garantia de prestações de cuidados adequados e equânimes. No Brasil, destaca-se o Programa Nacional de Avaliação dos Serviços de Saúde (PNASS). Neste contexto esta pesquisa tem como objetivo avaliar a qualidade da gestão, dos processos de trabalho e satisfação dos usuários dos serviços de saúde de média e alta complexidade públicos e conveniados ao Sistema Único de Saúde nos estados do Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Pernambuco, Alagoas, Amapá A pesquisa tem caráter multicêntrica envolvendo diferentes Instituições de Ensino Superior em todo território nacional. Nos referidos estados será nucleada pela UFRN, através do Departamento de Saúde Coletiva. Será financiada pela Coordenação-Geral de Regulação e Avaliação do Ministério da Saúde. Trata-se de Pesquisa Avaliativa, observacional, descritiva com abordagem quantitativa. O período preparatório será de fevereiro a junho de 2014 e incluirá oficinas nacionais de elaboração, sistematização dos instrumentos, dois estudos pilotos pela Universidade Nacional de Brasília (UNB) e demais instituições como a UFRN e capacitação nacional dos avaliadores. A coleta será entre julho a setembro de 2014. A técnica de coleta de dados será aplicação de questionários eletrônicos disponibilizados em tablets. Os questionários abordarão as seguintes dimensões: gestão organizacional, apoio técnico e logístico, gestão da atenção a saúde e do cuidado, serviços e unidades específicas, satisfação dos usuários, e condições e relações de trabalho. Os questionários serão aplicados por 30 pesquisadores e ou alunos de pós-graduação da UFRN capacitados e supervisonados por 5 pesquisadores com expertise na área em 499 serviços de saúde para verificação de padrões de conformidade e com pelo menos 1 profissional superior e uma amostra de usuários. Os dados serão enviados eletronicamente, processados e validados por sistema do Ministério da Saúde com apoio de Tecnologia da Informação da Secretaria de Educação a Distancia da UFRN. As variáveis serão analisada s descritivamente, utilizando-se os recursos tradicionais para esse tipo de análise (representação em tabelas e gráficos), submetendo-os, quando possível a testes confirmatórios do tipo t-Student ou Qui-quadrado (χ2), admitindo-se uma significância estatística ao nível de 5% (α = 5%). Para tais análises serão utilizados os SPSS (versão 17.0), além das planilhas do Microsoft Excel. Divulgação dos resultados O banco de dados será disponibilizado pelo Ministério da Saúde inicialmente para IES e posteriormente para gestores e sociedade. Está previsto elaboração de 1 papers, 1 artigos, 1 dissertação, 1 tese ,1 relatório e participação em 2 congressos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2013
AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO CUIDADO AO ABORTAMENTO NA MATERNIDADE JANUÁRIO CICCO - UFRN
Descrição: Este estudo comporá a etapa qualitativa da Pesquisa sobre Avaliação da Atenção Humanizada ao Abortamento em maternidade de referência do SUS do Rio Grande do Norte. Articula pesquisadores de diferentes bases como a Saúde Coletiva e Saúde da Mulher, além de discentes do curso de medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Integra um projeto mais amplo sobre a magnitude do aborto na mortalidade materna especialmente entre mulheres adolescentes e jovens. Apesar de sua magnitude são poucas as investigações que avaliam especificamente a qualidade da atenção e do cuidado ao abortamento. Para o Ministério da Saúde as pesquisas em saúde da mulher são fundamentais para monitorar e avaliar a implementação e o desenvolvimento das políticas públicas direcionadas à saúde das mulheres. Nesta direção, o projeto tem como objetivo avaliar as práticas de gestão, de oferta e a integralidade do cuidado na perspectiva de gestores, profissionais e usuárias. Utilizará como metodologia a observação e entrevista semi-estruturada. Espera-se contribuir com subsídios para melhoria da atenção à saúde da mulhere com a formação de profissionais nesta direção..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2013 - Atual
AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA NO PROGRAMA DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA (PMAQ-AB) NO RIO GRANDE DO NORTE E CEARÁ
Descrição: No cenário de qualificação da Atenção Básica em Saúde, destaca-se o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB). O programa foi criado pelo Ministério da Saúde (MS) em 2011. Seu principal objetivo é induzir a ampliação do acesso e a melhoria da qualidade da Atenção Básica e criar padrões comparáveis nacional, regional e local de modo a permitir maior transparência e efetividade das ações governamentais. Além da certificação das equipes de saúde, o PMAQ conta avaliação externa, ou seja, um processo avaliativo que contempla a avaliação da rede local de saúde pelas equipes de atenção básica e processos complementares de avaliação da satisfação do usuário e da utilização dos serviços. O primeiro ciclo da avaliação externa foi realizado em 2012 em todo território nacional. Com o propósito de ampliar e apoiar as ações já implementadas pelo PMAQ, o Departamento de Atenção Básica ? DAB/MS induziu o 2º ciclo do programa que contará também com a avaliação externa. Nesta etapa o Grupo de Estudos em Saúde Coletiva da UFRN, com expertise acumulada no ciclo anterior, coordenará sua execução nos estados do Rio Grande do Norte e Ceará. O objetivo desta pesquisa avaliativa é realizar a verificação in loco do conjunto de padrões de qualidade dos processos de trabalho das referidas Equipes de Unidades de Atenção Básica (EAB) e dos Núcleos de Apoio a Saúde da Família (NASF), com vistas a subsidiar os processos de certificação de qualidade e a tomada de decisão na definição de parâmetros de qualidade para melhoria e expansão das ações de atenção e prevenção, particularmente nos estados do Rio Grande do Norte (RN) e do Ceará (CE). Com relação à metodologia, trata-se de um inquérito (survey), multicêntrico. Será aplicado um mesmo questionário nacional e que tomará como parâmetro aquele aplicado no 1° ciclo do PMAQ. O mesmo será previamente validado por Técnica de Consenso (Delfos) com cerca de 100 especialistas indicados pelos DAB/MS e 8 centros de pesquisa, além de Estudo Piloto. O questionário será aplicado em cerca de 2610 EAB e 215 NASF, totalizando aproximadamente 2825 nos dois estados. Para cada equipe serão arrolados 4 usuários. O questionário será organizado em 3 grande eixos: condições de infraestrutura; processo de trabalho das equipes e organização do cuidado; satisfação e percepção dos usuários sobre acesso e utilização dos serviços. Todos os questionários serão aplicados com o uso de tablets enviados via internet para um sistema centralizado no MS. O DAB/MS também ficará responsável pela validação dos questionários respondidos de forma automatizada e em tempo real. Para o trabalho de campo no RN e CE serão recrutados 150 avaliadores de qualidade que serão capacitados de forma semipresencial pela Secretaria de Educação à Distância (SEDIS-UFRN), com base em diretrizes comuns a todos os centros de pesquisa participantes. Cada grupo de quatro avaliadores terá um supervisor de campo. As análises dos dados serão realizadas pela equipe de pesquisadores da UFRN, com uso de estatística descritiva e análise multivariada..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2012 - 2014
INSTITUCIONALIZAÇÃO DE IDOSOS: A REALIDADE DO RIO GRANDE DO NORTE
Descrição: O aumento da expectativa de vida das pessoas numa escala mundial aponta para novas exigências no cuidado à terceira idade. Os dados a respeito das Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPI) no estado do Rio Grande do Norte (RN) mostram-se ainda incipientes. Assim, o presente estudo tem como objetivo caracterizar as ILPI, nos 3 maiores municípios do RN, identificar, nessas instituições, as práticas de cuidado direcionadas aos idosos e avaliar a as ações desenvolvidas na área da saúde pública, no nível central e na atenção básica. O presente estudo caracteriza-se por ser de natureza exploratória, quali-quantitativa e do tipo seccional. Para tanto, será aplicado um questionário para a caracterização das ILPI. Em relação aos cuidadores serão realizadas entrevistas individuais do tipo semi-estruturada e observação sistemática das ações em saúde. Em relação aos secretários municipais de saúde, coordenadores de saúde do idoso, coordenadores de atenção a saúde ou da estratégia de saúde da família e coordenadores de saúde bucal no nível central da gestão nos municípios e com os profissionais de nível médio e superior das unidades de saúde próximas as ILPI, serão realizadas entrevistas individuais do tipo semi-estruturada. Assim, um estudo realizado no Rio Grande do Norte a respeito das ILPI e as práticas de cuidado desenvolvidas pelos cuidadores dos idosos e pelos profissionais da atenção básica buscará fornecer instrumentos para compreender a situação em que se encontra essa parcela da população, bem como apontar direcionamentos para as ações específicas visando melhoria na qualidade de vida destas pessoas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2012 - 2013
PERFIL DA ADESÃO DOS MUNICÍPIOS AO PROGRAMA DE ACESSO E MELHORIA DA QUALIDADE NA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE NO RIO GRANDE DO NORTE
Descrição: A estratégia de Saúde da Família (SF) visa à reorganização da Atenção Básica (AB) no Brasil , de acordo com os preceitos do Sistema Único de Saúde ( SUS), e é tida pelo Ministério da Saúde e gestores estaduais e municipais, representados respectivamente pelo CONASS e CONASEMS, como estratégia de expansão, qualificação e consolidação da Atenção Básica. Avaliar o desempenho da AB é uma iniciativa relevante para o SUS e para a população brasileira. Com este direcionamento o Ministério da Saúde lançou em 2012, o Programa de Melhoria e Acesso da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) com a finalidade de premiar o melhor desempenho com incentivos financeiros e apoio técnico-científico sistêmicos pode estimular a melhoria nas UBS/SF e criar um ciclo virtuoso de promoção de equidade e cobertura universal em saúde nos territórios dos serviços de saúde. Da mesma forma, melhorias sistêmicas de qualidade podem aumentar o efeito dos serviços e sistemas de saúde na saúde da população de seus territórios (BRASIL, 2011). Este trabalho objetivo traçar o perfil da adesão dos municípios ao PMAQ ? AB e compreender seu contexto político institucional no estado do Rio Grande do Norte. O método será o Estudo de Caso com abordagem quantitativa (estudo de prevelencia) e qualitativa (análise documental e entrevista com gestores.Espera-se contribuir com subsidio para implantação do PMAQ no nosso estado e fortalecer a linha de pesquisa em Avaliação de Políticas de Saúde.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2012 - Atual
AMPLIAÇÃO DA RESOLUTIVIDADE DA SAÚDE BUCAL NA ATENÇÃO BÁSICA E ESPECIALIZADA
Descrição: O Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ/AB) foi criado pelo Ministério da Saúde em 2011. Seu principal objetivo é induzir a ampliação do acesso e a melhoria da qualidade da atenção básica e criar padrões comparáveis nacional, regional e local de modo a permitir maior transparência e efetividade das ações governamentais. O processo de verificação in loco destes padrões de qualidade foi iniciado nos estados do Rio Grande do Norte, em maio de 2012,pelo Grupo de Estudos em Saúde Coletiva da UFRN e de instituições parceiras destes estados. No decorrer desta verificação constatou-se a necessidade de aprofundamento da avaliação da Saúde Bucal na perspectiva de ampliar sua resolutividade na Atenção Básica integrada atenção especializada. Esta avaliação em curto espaço de tempo para certificação dos municípios que aderiram ao PMAQ exige aumento da capacidade logística e de análise. O objetivo desta pesquisa é realizar a verificação in loco do conjunto de padrões de qualidade dos processos de trabalho das equipes de atenção básica de saúde bucal, no âmbito do programa nacional de melhoria do acesso e da qualidade da atenção básica. O estudo será transversal em 524 municípios nos Estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí. Constará de: um censo em todas as Unidades Básicas e Saúde sendo: 2089 no Ceará, 1320 no Rio Grande do Norte; 1135 no Piauí, totalizando 4544 unidades. A população será de 1702 profissionais( 1 dentista da equipe que aderiu ao PMAQ) e 6808 (4 usuários por equipe presentes na unidade e cadastrados há mais de 1 ano): 920/ 3680 no Ceará; 371/1484 no Piauí e 411/1644 no Rio Grande do Norte. Totaliza 1702 profissionais e 6808 usuários. As técnicas de coleta de dados serão aplicação de roteiro de observação (unidades básicas) e questionário com profissionais e usuários. Constarão de duas dimensões e respectivas categorias: Infra-estrutura ( existência e quantidade de insumos, equipamentos e materiais de odontologia e suas condições de uso e Processo de Trabalho (acolhimento à demanda espontânea específico para saúde bucal, garantia de agenda para a continuidade de tratamento e realização de campanhas para detecção de lesões bucais, registro e acompanhamento e encaminhamento de casos suspeitos de câncer de boca, referência para especialidades odontológicas e acesso à prótese dentária). Será aplicada um análise de consistência que inclui a identificação das UBS e equipes, coordenadas do local de aplicação, tempo de preenchimento e percentual de não sabe informar. O cruzamento destes dados será feita de forma automatizada (SEDIS/UFRN) Os cerca de 100 entrevistadores serão recrutados no 3 estados ( 50 no CE, 25 no PI,e 24 no RN treinados de forma semi-presencial através moodle (SEDIS/UFRN). Para cada grupo de 4 entrevistadores serão recrutados supervisores ( 25 ) entre pesquisadores com pós-graduação das universidades federais do Grande do Norte e Piauí e integrantes da rede da FIOCRUZ- CE. A análise dos dados será por estatística descritiva e a certificação das equipes por padrão de qualidade será efetuada pelo Ministério da Saúde.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2011 - 2012
AVALIAÇÃO DO PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA (PMAQ-AB) NOS ESTADOS DO RIO GRANDE DO NORTE, CEARÁ E PIAUÍ.
Descrição: Em 2011 o Ministério da Saúde lança o Programa de Melhoria do Acesso e Qualidade da Atenção Básica ? PMAC-AB cujo principal objetivo é induzir a ampliação do acesso e a melhoria da qualidade da atenção básica, comparável nacional, regional e localmente de maneira a permitir maior transparência e efetividade das ações governamentais direcionadas à Atenção Básica em Saúde.Neste contexto esta pesquisa tem como objetivo avaliar as condições de acesso e de qualidade da totalidade de municípios e atendimento das Equipes da Atenção Básica; certificar as equipes em todos os municípios que aderiram ao Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) nos Estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí. Também avaliará as condições de infra-estrutura de todas as unidades de todos os municípios destes estados independente da adesão. O trabalho de campo ocorrerá de março a julho de 2012. A população do estudo será gestores (municipais e atenção básica), um profissional de cada equipe indicada pelo gestor, 3 responsáveis por crianças menores de 7 anos e 3 idosos por equipe. As dimensões de análise serão gestão ( implantação e implementação da atenção básica no município, organização e integração da rede de atenção à saúde; gestão do trabalho; satisfação do usuário e participação popular; apoio institucional, educação permanente e integração ensino-serviço; gestão do monitoramento e avaliação) Unidades Básicas de Saúde (infraestrutura e equipamentos; insumos, imuno-biológicos e medicamentos) e Equipes de Atenção Básica ( perfil da equipe. organização do processo de trabalho; atenção integral à saúde; participação social e satisfação do usuário).Espera-se favorece a criação de padrões de qualidade comparáveis pautados em evidencias científicas. Além de conferir um grau desejável de objetividade e solidariedade no aporte de subsídios a gestão da atenção e do cuidado na decisão de implementação dos ciclos de melhoria da qualidade..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2012
AVALIAÇÃO DA INTEGRALIDADE DA ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO E DO CUIDADO AO ABORTAMENTO EM MATERNIDADE DE REFERÊNCIA DO SUS DO RIO GRANDE DO NORTE
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2010
PRÁTICAS INOVADORAS DE CUIDADO NO PSF EM NATAL: A VISÃO DOS USUÁRIOS
Descrição: O estudo parte do pressuposto que o PSF é um espaço concreto a novas bases de articulação entre o setor saúde e os demais setores sociais; novos cenários de práticas; apreensão dos aspectos sócio-culturais do processo saúde-doença; ênfase à promoção da saúde. Neste contexto, o programa pode ser propulsor de condições objetivas à incorporação da dimensão da integralidade como um dos pilares da re-estrururação da Atenção Básica. A avaliação do sistema de saúde pelo usuário favorece a humanização, além de constituir uma oportunidade de se verificar, na prática, a resposta da comunidade à oferta do serviço de saúde, como também permitir a adequação do mesmo às suas expectativas. A abordagem sobre a satisfação dos usuários implica em trazer um julgamento sobre características dos serviços e, portanto, sobre sua qualidade. Assim, a perspectiva do usuário fornece informação essencial para complementar equilibrar a qualidade dos serviços. Assim, a percepção dos usuários sobre a prática do PSF é de extrema importância, uma vez que tanto sob o ponto de vista individual quanto coletivo é a razão da existência do mesmo. O usuário deve ser aprendido como sujeito capaz de avaliar e intervir, modificando o próprio sistema, fortalecendo a democratização da atenção à saúde como direito de cidadania. O potencial transformador do cuidado muitas vezes esbarra em modos de práticas já profundamente cristalizados no modelo biomédico tradicional e hegemônico. Por outro, o recurso à ?novas? práticas de saúde, se insinua cada vez mais na sociedade civil e nos serviços de forma sorrateira e sem alardes. Neste contexto, esta pesquisa objetiva avaliar a satisfação do usuário em relação à qualidade do cuidado veiculado nas práticas inovadoras de cuidado.Consideraram-se experiências, projetos ou práticas inovadoras de cuidado um conjunto articulado de práticas sociais, ressignificadas pelos profissionais e usuários como práticas de saúde, voltadas qualidade de vida e que não são protocolizadas pelo PSF. Trata-se de um Estudo de Caso (Yin, 2005) de abordagem qualitativa que triangulará diferentes técnicas de investigação (análise documental, grupo focal e observação. A pesquisa será realizada no município da Natal/RN no período abril de 2009 a abril de 2010 em Unidades de Saúde Família que desenvolvem as experiências inovadoras e forma previamente mapeadas no estudo de Uchôa (2008). Esta avaliou a integralidade do cuidado na perspectiva dos profissionais. Foram identificados os seguintes projetos: Rodas de Conversa (USF Cidade Praia) Promovendo a Saúde Através da Arte (USF Panatis) , Atividades Físicas com Idosos (USF Santarém); Biodança (USF Nova Cidade); Valorizarte (USF Planície das Mangueiras), Pastoril do Peixe Boi Encantado (USF Felipe Camarão II) e Guarartes (USF Guarapes). Serão incluídos os usuários cadastrados que participam das atividades regularmente há pelo menos 6 meses. A observação das experiências será simples e não estruturada. Serão realizados 1 grupo focal para cada 12 a 15 participantes por experiência. O método de análise será o de análise de conteúdo e os resulados serão agrupados nas seguintes categorias: Contexto de emergência (idéia inicial, objetos, motivação e desenvolvimento; concepções de integralidade do cuidado; sustentabilidade (institucionalização/formalização; envolvimento da comunidade e apoio político;financiamento, visibilidade e impacto). Após análise da perceção dos usuários será feita uma comparação com a visão dos profissionais já realizada, a partir das mesmas categorias..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - Atual
CUIDADO INTEGRAL À SAÚDE DA CRIANÇA COMO EIXO NORTEADOR DAS AÇÕES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO
Descrição: São incipientes estudos de avaliação do cuidado integral e sua utilização torna-se indispensável na área da saúde, notadamente na formação de uma cultura avaliativa, com análises de impactos e efeitos. Destaca-se a importancia da compreensão da analise do cuidado na perspectiva dos atores, que possam ressignificar valores e atitudes, uma vez que as distintas formas de conceber e desenvolver o cuidado reflete nas diferentes concepções e práticas de avaliação em saúde pelos diferentes atores envolvidos. Ou seja, significa entender o cuidar no âmbito da centralidade do político, que lhe define, onde a mesma proteção zelosa que lhe delineia pode se constituir tanto em mecanismo de dominação, quanto em instrumento da autonomia dos sujeitos, sejam esses profissionais, técnicos, gestores ou usuários. O estudo situa-se no contexto da Saúde da Família, na avaliação do cuidado em saúde da criança. Busca analisar o grau de influencia das recentes políticas de expansão e consolidação (PROESF) nas práticas desenvolvidas pelas equipes. Faz parte do projeto de tese de doutorado do programa de pós-graduação de Ciências da Saúde. A integralidade do cuidado será priorizada como dimensão central através de estudo de caso realizado nos municípios acima de 100 mil habitantes, focalizando na criança as categorias concepções e práticas do cuidado, acolhimento, humanização, acesso, vínculo e processo de trabalho. Busca-se, com seus resultados, apresentar aplicabilidades a institucionalização da avaliação do cuidado infantil, na perspectiva institucionalização da avaliação..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2008 - 2009
REFORMA DA SAÚDE FAMILIAR EM PORTUGAL: AVALIAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO
Descrição: Pesquisa desenvolvida como parte do Plano de Trabalho apresentado ao CNPq-Brasil para realização do Estagio Pós-Doutorado no Instituto de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa-Portugal..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2006 - 2007
INOVAÇÃO OU MARGINALIDADE: O OLHAR DAS NOVAS FORMAS DE CUIDADO NA PERSPECTIVA DA INTEGRALIDADE
Descrição: No Brasil, a reconfiguração do encontro profissionais/serviço diferenciados do modelo biomédico vem se traduzindo na proposta do PSF. Contudo o potencial transformador muitas vezes esbarra em modos de práticas já profundamente cristalizados no modelo tradicional e hegemônico. Por outro lado, se intensifica tanto por parte da sociedade civil, como do próprio serviço o recurso à práticas de saúde alternativas e ou inovadoras. Neste contexto, a nossa pesquisa, aprovada pelo CNP,q na linha qualidade e humanização no SUS, tem como objetivo buscar o sentido da integralidade atribuído pelos profissionais ao que chamamos de práticas inovadoras: não protocolizadas, dependentes da criatividade dos seus atores e das contingências locais Será feito um levantamento inicial das experiências consideradas inovadoras a partir de pesquisa bibliográfica entre os trabalhos completos na forma de relato de experiências ,apresentados na II Mostra Estadual de Saúde da Família em outubro de 2004.Seguidas de observação sistemáticas das experiências em curso. O enfoque será no contexto local, nas estratégias dos atores e nas concepções de cuidado e integralidade. Posteriormente, dentre as experiências consideradas mais desestruturadas será tomada a história oral dos profissionais com vistas aprofundar as concepções, o sentido e os valores que os atores imprimem as práticas . No levantamento inicial (pesquisa bibliográfica) destacamos dois relatos de experiência Rodas de Conversa ? USF cidade Praia/Natal/RN e Grupo de Oração -USF Nova Cidade/ Natal./RN na perspectiva dos autores. Melo, Felipe, Vilar (2004) enfatizam as rodas como construção de um espaço coletivo que potencializa o vínculo equipe-usuário, a educação popular em saúde e cuidado. Siqueira, (2004) chama atenção efeitos benéficos dos Grupos de Oração na redução dos níveis pressóricos (associado a terapia medicamentosa), do estresse e da depressão; no aumento da socialização e da auto - estima; na da interação familiar, na sensação de conforto e segurança. Tecendo algumas considerações começamos a observar que estas experiências apontam para organização de práticas que não sejam balizadas em relação saber-poder que toma o indivíduo, a comunidade a família como um objeto despido de seus valores, suas relações sociais, singularidade, desejos, saberes colocando-o como sujeito do ato de cuidar. A apreensão das necessidades de saúde requer a inclusão de outros aportes como da antropologia e sociologia que se somem a utilidade das ferramentas da clínica e da epidemiologia..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2005 - 2007
MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA NO CONTEXTO DO RIO GRANDE DO NORTE
Descrição: Este projeto tem como finalidade colaborar com a SESAP na formulação de metodologias de monitoramento e avaliação da atenção básica na perspectiva de sua institucionalização. Apresenta as atividades e produtos previstos por momento (inicial, desenvolvimento e finalistico), como eixo estruturante da política de avaliação nacional e estadual em construção. Prevê a capacitação das equipes e gerentes institucionais, realização de diagnósticos da realidade dos serviços e das instituições e desenvolvimento de estdudos e pesquisas voltados para a avaliação da atenção, segundo dimensões de analise: político-institucional, organizacional, cuidado integral e desempenho. Serão selecionados indicadores e instrumentos para a avaliação processual da atenção básica contribuinbdo com publicização as instituições avaliadas, cujo processo acumulado pelas equipes deverá ser incorporado a novas metodologias de avaliações da atenção básica neste contexto organizacional..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2005 - 2006
COORDENADOR DA PESQUISA AVALIATIVA ESTUDOS DE LINHA DE BASE - Avaliação do PROESF (Projeto de Extensão do Saúde da Família)
Descrição: PESQUISA AVALIATIVA - PROESF (MS) - FINANCIADA como parte do Acordo de Empréstimo Nº 7105-BR, firmado entre o Governo Brasileiro (MS) e o Banco Mundial (Projeto de Expansão e Consolidação do Saúde da Família - PROESF). Relatório final aprovado pela Coordenação de Acompanhamento e Avaliação da Secretaria de Atenção à Saúde, em 27 de Julho de 2006..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (12) .
Integrantes: Paulo de Medeiros Rocha - Coordenador.Financiador(es): Banco Internacional de Reconstrucao e Desenvolvimento (Banco Mundial) - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 3
2004 - 2005
ANÁLISE DA IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA NO RIO GRANDE DO NORTE À PARTIR DA PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE
Descrição: A presente pesquisa pretende analisar o processo de implantação do Programa Saúde da Família (PSF) no Rio Grande do Norte e a sua contribuição para a reorganização das práticas assistenciais no estado, de acordo com a percepção dos profissionais das equipes do PSF. Numa perspectiva mais ampla, situa-se no contexto da política de saúde expressa pela percepção destes atores do sistema de saúde. O estudo empreenderá a coleta de alguns documentos oficiais (planos, portarias, relatórios técnicos) para apreender as propostas originais do programa e suas estratégias oficiais de implantação. Será realizada também uma revisão bibliográfica sobre o tema, priorizando-se a discussão dos principais conceitos e marcos teóricos sobre modelos assistenciais, o programa de saúde da família e a reforma dos sistemas de saúde. Além disso, serão aplicados questionários semi-estruturados com os profissionais das equipes do PSF dos sistemas municipais de saúde de Natal, Santa Cruz e Caicó. Serão analisados os principais elementos da implantação do PSF no RN, na busca de identificar os principais aspectos que obstaculizam ou que favoreçam as mudanças, na sua relação com as políticas adotadas, perfil das equipes, expectativas e posição destes atores. A análise combinará técnicas qualitativas e quantitativas. Será elaborada uma matriz para análise das principais categorias que emergirem do discurso dos atores e estes resultados serão cotejados com os dados produzidos pela consolidação das respostas dos questionários e com os dados documentais..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2001 - 2004
ESTUDO DO PERFIL DAS EQUIPES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE
Descrição: Esse estudo busca avaliar o perfil das equipes do Programa Saúde da Família (PSF) no Rio Grande do Norte e a sua relação com suas possibilidades inovadoras de reorganização das práticas assistenciais, nos anos noventa. Numa perspectiva mais ampla, situa-se no contexto da política de saúde expressa na dinâmica do processo de trabalho dos profissionais de saúde inseridos nas unidades de saúde da família. O estudo compreenderá análise bibliográfica e de documentos oficiais, além da aplicação de questionários semi-estruturados com as equipes do PSF dos sistemas municipais de saúde. Será realizada uma revisão bibliográfica sobre o tema, priorizando-se a discussão dos principais conceitos e marcos teóricos sobre a formação médica e o processo de educação continuada, bem como a evolução histórica dos pólos de capacitação em saúde da família, implantados no Brasil, no final dos anos noventa. Serão analisados os principais elementos da implantação do Pólo de Capacitação em Saúde da Família do RN, as políticas adotadas e sua relação com o desenho das necessidades de capacitação das equipes de SF. Serão apresentados os principais resultados, comparando-os e desenvolvendo, a partir dos mesmos, um estudo da correlação entre processos de eficácia, desempenho, e impacto dos processos de capacitação de saúde da família, seguidos de proposições necessárias ao seu aperfeiçoamento..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2001 - 2002
AVALIAÇÃO DE QUALIDADE DO PROGRAMA DE CONTROLE DA TUBERCULOSE
Descrição: A problemática da Tuberculose tem uma amplitude que extrapola os níveis regional e nacional, constituindo-se em motivação para que a Organização Mundial de Saúde ( OMS ) considere que esta doença deva ser submetida a controle epidemiológico em todo o mundo. O presente projeto pretende avaliar a qualidade do programa de controle da tuberculose no estado do Rio Grande do Norte, considerando o horizonte de tempo dos últimos cinco anos (1996-2000). Também serão avaliados o desempenho do programa frente a metas estabelecidas a satisfação referida pelos usuários do programa, e a eficácia dos procedimentos relativos à prevenção, diagnóstico e tratamento da doença. Será realizado um levantamento e análise documental das atividades desenvolvidas e das informações organizadas pela instituição. Além disso, serão realizadas entrevistas com os Coordenadores, que gerenciaram o setor durante o período a ser investigado. Uma entrevista semi-estruturada deverá constituir o instrumento a ser adotado para registro das informações prestadas por estes técnicos. Os gestores do SUS municipal desta época também deverão ser entrevistados para que prestem esclarecimentos sobre as diretrizes institucionais definidas, visando o enfrentamento do problema. Também pretendemos investigar a opinião de familiares e portadores quanto a qualidade da atenção prestada pelo programa, através dos serviços..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
1998 - 2000
O BRASIL NO LIMIAR DO SÉCULO XXI: DA CRISE AOS NOVOS DESAFIOS E REFORMAS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS)
Descrição: Projeto integrado de pesquisa para análise do atual sistema de atenção à saúde brasileiro, com especial discussão da realidade regional/local. Tenta estabelecer novos parâmetros teóricos no debate sobre Políticas de Saúde e as possíveis propostas de reestruturação do Sistema. Vinculado ao Mestrado Interinstitucional em Saúde Coletiva (UFRN - UERJ) Financiado pela PPPg (UFRN).
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2010 - 2010
AVALIAÇÃO DE ESTRATÉGIAS PARA APRIMORAR A GESTÃO DOS PROGRAMAS DE DST/AIDS NO RN
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2010 - 2010
SEMINÁRIO DE APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS CIENTÍFICOS DOS ESTUDANTES DE MEDICINA 2010.1
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva.
2.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Medicina.
3.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva / Subárea: AVALIAÇÃO EM SAÚDE.
4.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Enfermagem / Subárea: Enfermagem em Saúde Coletiva.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Francês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2009
Homenagem aos profissionais que tem realizado um importante papel em defesa da classe médica do Rio Grande do Norte, SINMED-RN (Sindicato dos Médicos).


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
MELO, LYGIA MARIA DE FIGUEIREDO2017MELO, LYGIA MARIA DE FIGUEIREDO ; MARTINIANO, CLAUDIA SANTOS ; COELHO, ARDIGLEUSA ALVES ; SOUZA, MARIZE BARROS DE ; PINHEIRO, THEMIS XAVIER DE ALBUQUERQUE ; ROCHA, PAULO DE MEDEIROS . CARACTERÍSTICAS DO APOIO INSTITUCIONAL OFERTADO ÀS EQUIPES DE ATENÇÃO BÁSICA NO BRASIL. TRABALHO, EDUCAÇÃO E SAÚDE (ONLINE), v. 15, p. 685-708, 2017.

2.
MELO, L. M. F.2016MELO, L. M. F. ; MARTINIANO, CS ; GUIMARAES, J. ; ARAÚJO, Marize Barros de Souza ; ROCHA, P. M. . Análises das diretrizes para o apoio institucional das gestões da Atenção Básica das capitais brasileiras. Saude em Debate, v. 40, p. 6-20, 2016.

3.
ARAÚJO, Marize Barros de Souza2013ROCHA, P. M.; ARAÚJO, Marize Barros de Souza ; Armando Brito Sá ; Uchôa, Alice da Costa . Trabalho em equipe na atenção primária: a experiência de Portugal. Revista Panamericana de Salud Publica (Print), v. 33, p. 190-195, 2013.

4.
UCHÔA, ALICE DA COSTA2012UCHÔA, ALICE DA COSTA ; VIEIRA, RENATA MAGALHÃES VIEIRA ; ROCHA, PAULO DE MEDEIROS ; ROCHA, NADJA DE SÁ DANTAS ; MAROTO, RENATA MELO . Trabalho em equipe no contexto da reabilitação infantil. Physis (UERJ. Impresso), v. 22, p. 385-400, 2012.

5.
ROCHA, PAULO DE MEDEIROS2011 ROCHA, PAULO DE MEDEIROS; SÁ, ARMANDO BRITO DE . Reforma da Saúde Familiar em Portugal: avaliação da implantação. Ciência e Saúde Coletiva (Impresso), v. 16, p. 2853-2863, 2011.

6.
ARAÚJO, Marize Barros de Souza2009ARAÚJO, Marize Barros de Souza ; ROCHA, P. M. . Saúde da família: mudando práticas? Estudo de caso no município de Natal (RN). Ciência e Saúde Coletiva (Impresso), v. 14, p. 1439-1452, 2009.

7.
ROCHA, P. M.2008 ROCHA, P. M.. Avaliação do Programa Saúde da Família em municípios do Nordeste brasileiro: velhos e novos desafios. Cadernos de Saúde Pública (ENSP. Impresso), v. 24, p. s69-s78, 2008.

8.
SOUSA, E. C. F.2008SOUSA, E. C. F. ; VILAR, R. L. A. ; ROCHA, N. D. S. ; UCHOA, A. C. ; ROCHA, P. M. . Acesso e acolhimento na atenção básica: uma análise da percepção dos usuários e profissionais de saúde. Cadernos de Saúde Pública (ENSP. Impresso), v. 24, p. s100-s110, 2008.

9.
ARAUJO, M. B. S.2007ARAUJO, M. B. S. ; ROCHA, P. M. . Trabalho em equipe: um desafio para a consolidação da estratégia de saúde da família. Ciência e Saúde Coletiva (Impresso), v. 12, p. 455-464, 2007.

10.
ROCHA, P. M.2006ROCHA, P. M.. AVALIANDO A QUALIDADE EM ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE. Revista Brasileira de Medicina da Família e Comunidade, v. 01, p. 132-140, 2006.

11.
ROCHA, P. M.1999ROCHA, P. M.. BANCO MUNDIAL E SAÚDE: A MARCHA LIBERAL DOS ANOS 90. Estudos em Saúde Coletiva, RIO DE JANEIRO, v. 196, n.196, p. 01-19, 1999.

12.
ROCHA, P. M.1996ROCHA, P. M.; KORNIS, G. . A SAÚDE NO BRASIL DOS TUCANOS: QUO VADIS ?. Estudos em Saúde Coletiva, RIO DE JANEIRO, v. 144, n.144, p. 01-59, 1996.

13.
ROCHA, P. M.1994ROCHA, P. M.. LIMITAÇÕES IMPOSTAS PELO PROCESSO DE GLOBALIZAÇÃO NAS POLÍTICAS SOCIAIS NACIONAIS. Estudos em Saúde Coletiva, RIO DE JANEIRO, v. 104, n.104, p. 01-25, 1994.

14.
ROCHA, P. M.1982ROCHA, P. M.. INTERCONSULTAS MÉDICO-PSIQUIATRICAS - RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 31, p. 41-51, 1982.

15.
SILVA FILHO, J.F.1977SILVA FILHO, J.F. ; SAGESI, E. G. ; ROCHA, P. M. ; AMARAL, V. L. . O PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PSIQUIATRAS EM UMA INSTITUIÇÃO UNIVERSITÁRIA. Saude em Debate, v. 04, p. 25-32, 1977.

16.
ROCHA, P. M.1976ROCHA, P. M.. A ASSISTENCIA HOSPITALAR NO INSTITUTO DE PSIQUIATRIA DA UFRJ. Neurobiologia (Recife), v. 39, p. 10-16, 1976.

17.
ROCHA, P. M.1976ROCHA, P. M.; SILVA FILHO, J.F. ; FROTA, L. H. . O PRONTUÁRIO HOSPITALAR COMO INSTRUMENTO DE PESQUISA DA PSIQUIATRIA EPIDEMIOLÓGICA. Jornal Brasileiro de Psiquiatria (UFRJ. Impresso), v. 25, p. 123-128, 1976.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
Souza, E.L. ; Lyra, C.O. ; Costa, N.D.L. ; ROCHA, P. M. ; UCHOA, A. C. . Metodologia da Pesquisa: aplicabilidade em trabalhos cientificos na area da saúde. CDD. ed. Natal: Editora da UFRN, 2012.

2.
GUEDES, A.E.L. ; LEVCOVITZ, EDUARDO ; ROCHA, P. M. . LEITE É SAÚDE: O PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA DE APOIO AOS DESNUTRIDOS E ÀS GESTANTES EM RISCO NUTRICIONAL EM NATAL. RECIFE: INSTITUTO MATERNO INFANTIL DE PERNAMBUCO-IMIP, 2001. v. 01. 115p .

Capítulos de livros publicados
1.
FREITAS, M. R. ; ROCHA, P. M. . Experiências dos cursos de especialização em Epidemiologia Hospitalar. In: FREITAS, M.R.; ROCHA, N.S.P.D.; PINHEIRO, T.X.A.. (Org.). Bricolagem: reflexões e experiências de educação permanente no SUS. 1ed.Natal: EDUFRN, 2014, v. 01, p. 45-59.

2.
SILVA, L. G. ; ROCHA, P. M. . Atenção básica e Saúde da Família: referências em consultas especializadas em unidade de PSF do município de Natal/RN. In: FREITAS, M.R.; ROCHA, N.S.P.D.; PINHEIRO, T.X.A.. (Org.). Bricolagem: reflexões e experiências de educação permanente no SUS. 01ed.Natal: EDUFRN, 2014, v. 01, p. 83-105.

3.
ROCHA, P. M.. ORGANIZANDO RELATÓRIO DE PESQUISA. In: SOUZA, E.L.; LYRA, C.O.; COSTA, N.D.L.; ROCHA, P.M.; UCHOA, S.A.C. (Org.). METODOLOGIA DA PESQUISA: APLICABILIDADE EM TRABALHOS CIENTÍFICOS NA ÁREA DA SAÚDE. 1ªed.Natal/RN: EDUFRN, 2012, v. 1, p. 167-172.

4.
UCHOA, A. C. ; GONDIM, G. M. M. ; BARRETO, MÁRCIA ; ROCHA, N. D. S. ; ROCHA, P. M. . UTILIZANDO TÉCNICAS DO CONSENSO: POTENCIALIDADES E LIMITES NA AVALIAÇÃO DE INFORMAÇÕES EM SAÚDE. In: ZULMIRA MARIA DE ARAÚJO HARTZ; ERONILDO FELISBERTO; LIGIA MARIA VIEIRA DA SILVA. (Org.). META-AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE TEORIA E PRÁTICA. RIO DE JANEIRO: FIOCRUZ, 2008, v. 11, p. 253-282.

5.
ROCHA, P. M.. A SAÚDE NO BRASIL CONTEMPORÂNEO: DIMENSÕES DA CRISE. In: JANETE LIMA CASTRO; JACINTA MARIA MORAIS FORMIGA; ROSANA LUCIA ALVES VILAR. (Org.). POLÍTICAS E GESTÃO EM SAÚDE: REFLEXÕES E ESTUDOS. NATAL/RN: EDITORA OBSERVATÓRIO RH - NESC/UFRN, 2006, v. , p. 69-93.

6.
ROCHA, P. M.. A Saúde no Brasil dos anos 90: dimensões da crise, propostas para o Rio Grande do Norte. In: OLIVEIRA, V.Q.S.. (Org.). Rio Grande do Norte: construindo o futuro. Natal/RN: Forum Empresarial/RN, 1998, v. Único, p. 91-102.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
GUEDES, A.E.L. ; ROCHA, P. M. . O Espectro da Fome no Brasil. Diário de Natal - Suplemento Acadêmico Leonardo da Vinci, Natal-RN, p. 08 - 08, 26 abr. 2003.

2.
ROCHA, P. M.; GUEDES, A.E.L. . Desafios do Projeto Fome Zero. Jornal: "Diário de Natal", Natal/RN, p. 01 - 01, 30 nov. 2002.

3.
ROCHA, P. M.. NATAL 2015: UMA CIDADE SAUDÁVEL ?. DIÁRIO DE NATAL - SUPLEMENTO "DA VINCI", NATAL, p. 05 - 05, 30 set. 2000.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
ROCHA, P. M.; UCHOA, S. A. C. ; SOUSA, E. C. F. ; ROCHA, M. L. ; SCODA, M. S. Q. ; ROCHA, N. D. S. ; PINHEIRO, T. X. . RELATÓRIO FINAL PESQUISA ELB - LOTE 1 - NORDESTE. In: SEMINÁRIO DE DISCUSSÃO DOS ESTUDOS DE LINHA DE BASE EM SAÚDE DA FAMILIA, 2006, BRASÍLIA/DF. RELATÓRIO FINAL PESQUISA AVALIATIVA ELB - LOTE 1 - NORDESTE. NATAL: EDITORA UFRN, 2006. v. 02. p. 01-459.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
VIANA, J. L. ; CAMARA, M. M. P. ; LOPES, M. S. ; SANTOS, J. D. S. ; SILVA, D. M. V. ; SOUSA, K. M. ; PINHEIRO, T. X. A. ; ROCHA, P. M. . Programa Nacional de Avaliação dos Serviços de Saúde: a função do apoiador nos estados correspondentes à Instituição de Ensino Superior UFRN. In: 12º Congresso Internacional da Rede Unida, 2016, Campo Grande/MS. Edição Suplementar da Revista Saúde em Redes, 2016. v. 2.

2.
PINHEIRO, T. X. A. ; UCHOA, S. A. C. ; SAMPAIO, A. T. L. ; COELHO, A. A. ; SOUSA, C. S. M. ; ROCHA, P. M. . The 3rd cycle of the Brazilian National Programme for Improving Access and Quality of Primary Care. In: 9th European Public Health Conference: All for Health, Health for All, 2016, Vienna, Áustria. European Journal of Public Health, 2016. v. 26. p. 452-452.

3.
MEYER, A. P. G. F. V. ; PINHEIRO, T. X. A. ; UCHOA, S. A. C. ; MACHADO, M. F. A. S. ; SAMPAIO, A. T. L. ; COELHO, A. A. ; SOUSA, C. S. M. ; ROCHA, P. M. . External evaluation of the Brazilian Primary Health Care Program. Are improvements being observed?. In: 9th European Public Health Conference: All for Health, Health for All, 2016, Vienna, Áustria. European Journal of Public Health, 2016. v. 26. p. 264-264.

4.
MEYER, A. P. G. F. V. ; PINHEIRO, T. X. A. ; ROCHA, P. M. . National Program of Health Services Evaluation: Methodological Innovations and Challenges in Brazil. In: I Annual International Conference on Public Health, 2015, Atenas/GR. Health & Medical Sciences Abstracts. Atenas, Grécia: Athens Institute for Education and Research, 2015. p. 82-83.

5.
ROCHA, N. S. P. D. ; CORTEZ, L. R. ; ROCHA, P. M. ; SILVA, J. A. ; MELO, C. F. ; MARCIANO, L. A. . PROGRAMA MAIS MÉDICOS PARA O BRASIL: ACESSO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE. In: 13º Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade, 2015, Natal/RN. Anais do 13º Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade ?Não há SUS sem APS, Não há APS sem MFC.?, 2015. p. 825-825.

6.
UCHOA, S. A. C. ; ROCHA, P. M. ; MARTINIANO, CS ; COELHO, A. A. ; SILVA, A. F. M. ; LACERDA, A. R. ; ARAUJO, M. B. S. ; EMILIANDO, A. C. D. ; PELLENSE, M. C. S. ; FREITAS, M. G. . ANALYSIS OF THE USE OF PROTOCOLS FOR PRIMARY CARE TEAMS IN BRAZIL. In: Non-communicable disease epidemic: epidemiology in action (EuroEpi 2013 and NordicEpi 2013), 2013, Aarhus, Dinamarca. European Journal of Epidemiology - Supplement Issues. Dordrecht, The Netherlands: Springer, 2013. v. 28. p. 1-270.

7.
BRANDÃO, ICA ; MARTINIANO, CS ; MEDEIROS JUNIOR, G ; MAGALHAES, FC ; SOUZA,FF ; UCHOA, S. A. C. ; ROCHA, P. M. . O ESTADO DA PARAÍBA À LUZ DO PROCESSO DE DESCENTRALIZAÇÃO E REGIONALIZAÇÃO. In: I CONGRESSO BRASILEIRO DE POLÍTICA, PLANEJAMENTO E GESTÃO EM SAÚDE, 2010, SALVADOR. ANAIS DO I CONGRESSO BRASILEIRO DE POLITICA, PLANEJAMENTO E GESTÃO EM SAÚDE. RIO DE JANEIRO: ABRASCO, 2010.

8.
BRANDÃO, ICA ; MARTINIANO, CS ; UCHOA, S. A. C. ; ROCHA, P. M. . PERFIL DA FILANTROPIA HOSPITALAR NA ASSISTÊNCIA À SAÚDE EM CAMPINA GRANDE-PB. In: I CONGRESSO BRASILEIRO DE POLÍTICA, PLANEJAMENTO E GESTÃO DE SAÚDE, 2010, Salvador/BA. ANAIS DO I CONGRESSO BRASILEIRO DE POLÍTICA, PLANEJAMENTO E GESTÃO EM SAÚDE. RIO DE JANEIRO/RJ: ABRASCO, 2010.

9.
ROCHA, P. M.; UCHOA, A. C. ; SOUZA, E. C. F. ; ROCHA, M. L. ; ESCODA, M.S.Q. (MARIA DO SOCORRO QUIRINO ESCODA) ; ROCHA, N. S. P. D. ; PINHEIRO, T. X. A. . UMA AVALIAÇÃO DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM MUNICÍPIOS DO NORDESTE BRASILEIRO: VELHOS E NOVOS DESAFIOS PARA PRODUÇÃO DE SAÚDE. In: IV CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS EM SAÚDE, X CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO LATINO-AMERICANA DE MEDICINA SOCIAL E XIV CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE POLÍTICA DE SAÚDE, 2007, SALVADOR/BA. IV CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS EM SAÚDE, 2007.

10.
ROCHA, P. M.. AVALIANDO ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE E QUALIDADE. In: 2º Encontro Luso-brasileiro de Medicina Geral, Familiar e Comunitária e 8º Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade, 2006, São Paulo/SP. Anais do 8º Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade e 2º Encontro Luso-Brasileiro de Medicina Geral, Familiar e Comunitária. São Paulo: Sociedade Brasileira de Medicina de Familia e Comunidade - SBMFC. v. único. p. 300-301.

11.
UCHOA, S. A. C. ; SOUSA, E. C. F. ; ROCHA, N. D. S. ; VILAR, R. L. A. ; ROCHA, P. M. . ACESSO, ACOLHIMENTO E VÍNCULO NA ATENÇÃO BÁSICA: UMA ANÁLISE NA PERSPECTIVA DA CONSTRUÇÃO DO CUIDADO INTEGRAL EM SAÚDE. In: 11º CONGRESSO MUNDIAL DE SAÚDE PÚBLICA; 8º CONGRESSO BRASILEIRO DE SAÚDE COLETIVA, 2006, RIO DE JANEIRO. ANAIS DO 11º CONGRESSO MUNDIAL DE SAÚDE PÚBLICA; 8º CONGRESSO BRASILEIRO DE SAÚDE COLETIVA. RIO DE JANEIRO: ABRASCO, 2006. v. ÚNICO. p. 17-18.

12.
ROCHA, P. M.. AVALIAÇÃO DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM CAPITAL METROPOLITANA: ESTUDO DE CASO. In: 2º ENCONTRO LUSO-BRASILEIRO DE MEDICINA GERAL, FAMILIAR E COMUNITÁRIA E 8º CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE, 2006, SÃO PAULO/SP. ANAIS DO 8º CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE E 2º ENCONTRO LUSO-BRASILEIRO DE MEDICINA GERAL, FAMILIAR E COMUNITÁRIA. São Paulo: Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 2006. v. Único.

13.
FREITAS, M. R. ; ROCHA, M. L. ; ROCHA, P. M. . AMPLIANDO A QUALIFICAÇÃO DOS PROFISSIONAIS: PÓS-GRADUAÇÃO (ESPECIALIZAÇÃO) EM EPIDEMIOLOGIA PARA SERVIÇOS HOSPITALARES. In: IX CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTROLE DE INFECÇÃO E EPIDEMIOLOGIA HOSPITALAR, 2004, SALVADOR/BA. ANAIS DO IX CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTROLE DE INFECÇÃO E EPIDEMIOLOGIA HOSPITALAR, 2004.

14.
BARRETO, MÁRCIA ; ARAÚJO, M.D. ; VASCONCELOS, C. M. ; ROCHA, P. M. . ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM SAÚDE COLETIVA. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SAUDE COLETIVA, 2000, SALVADOR. ANAIS DO CONGRESSO BRASILEIRO DE SAÚDE PÚBLICA. SALVADOR, 2000. p. 125-125.

15.
BARRETO, MÁRCIA ; ARAÚJO, M.D. ; VASCONCELOS, C. M. ; ROCHA, P. M. . ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM SAÚDE COLETIVA. In: XXXVII CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO MÉDICA, 1999, BRASÍLIA. ANAIS DO XXXVII CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO MEDICA. BRASÍLIA, 1999. p. 87-87.

16.
ROCHA, P. M.. A SITUAÇÃO ATUAL DO SUS: DA CRISE AOS DESAFIOS. In: 50ª REUNIÃO DA SBPC, 1998, NATAL. ANAIS E PROGRAMA DA 50ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC. SÃO PAULO: SBPC. v. ÚNICO. p. 135-136.

Apresentações de Trabalho
1.
MEYER, A. P. G. F. V. ; PINHEIRO, T. X. A. ; ROCHA, P. M. . NATIONAL PROGRAM OF HEALTH SERVICES EVALUATION: METHODOLOGICAL INNOVATIONS AND CHALLENGES IN BRAZIL. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
ROCHA, N. S. P. D. ; CORTEZ, L. R. ; ROCHA, P. M. ; SILVA, J. A. ; MELO, C. F. ; MARCIANO, L. A. . PROGRAMA MAIS MÉDICOS PARA O BRASIL: ACESSO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
VIEIRA, F. G. ; AZEVEDO, M. N. ; ROCHA, P. M. . PROJETO INTERVIR EM FAMÍLIAS VULNERÁVEIS: UMA ESTRATÉGIA PARA ENFRENTAMENTO DE INIQUIDADES. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
ROCHA, P. M.; UCHOA, S. A. C. ; PINHEIRO, T. X. A. . PLANNING AND USABILITY IN THE CONSTRUCTION OF THE DISTANCE EDUCATION: THE USE OF TECHNOLOGICAL INNOVATION IN THE TEACHING OF HEALTH. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
ROCHA, P. M.; UCHOA, S. A. C. ; PINHEIRO, T. X. A. . TECHNOLOGICAL INNOVATIONS APPLIED TO EVOLUATIVE RESEARCH. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
ARAUJO, M. B. S. ; ROCHA, P. M. ; MARTINIANO, CS ; COELHO, A. A. ; UCHOA, S. A. C. . REFORMA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NO BRASIL: O PROGRAMA DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE NA ATENÇÃO BÁSICA. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
MARTINIANO, CS ; ANDRADE, P. S. ; PERET, T. C. ; COELHO, A. A. ; ARAUJO, M. B. S. ; ROCHA, P. M. ; UCHOA, S. A. C. . OS (DES) CAMINHOS DA PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS PELO ENFERMEIRO NO BRASIL: TENDÊNCIAS E DESAFIOS. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
LUCAS, M. C. V. ; MEDEIROS, I. M. ; FREITAS, M. R. ; SOUZA, E. C. F. ; ROCHA, P. M. ; UCHOA, S. A. C. . AVALIAÇÃO DAS AÇÕES EM DSTS/AIDS NA ATENÇÃO BÁSICA - A PREVENÇÃO EM DESTAQUE. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

9.
ROCHA, P. M.. SUS - AVANÇOS E DESAFIOS. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

10.
ROCHA, P. M.; SA, A. B. . REFORMA DA SAÚDE FAMILIAR EM PORTUGAL: UM OLHAR COMPARATIVO COM O PSF NO BRASIL. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
ROCHA, P. M.; SA, A. B. . REFORMA DA SAÚDE FAMILIAR EM PORTUGAL: AVANÇOS E DESAFIOS. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

12.
ROCHA, P. M.. CONCEITO DE SAÚDE. 1980. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

Outras produções bibliográficas
1.
ROCHA, P. M.. Apresentação do Guia Prático de Cuidado à Saúde da Pessoa Idosa. Natal, 2016. (Prefácio, Pósfacio/Apresentação)>.

2.
ROCHA, P. M.. PROGRAMAS DE PSIQUIATRIA COMUNITÁRIA NA AMERICA LATINA. NATAL/RN: EDITORA UNIVERSITARIA - UFRN, 1982 (MONOGRAFIA).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
PINTO, H. A. ; SOUSA, A. N. A. ; VIEIRA, J. E. B. ; ROCHA, P. M. ; FACHINNI, L. A. ; FERLA, A. A. ; MACHADO, A. T. G. M. ; FAUSTO, M. ; MEDINA, M. ; PEDROSA, J. I. ; CAVALCANTI, J. ; GOIS, P. . INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO EXTERNA PARA AS EQUIPES DE ATENÇÃO BÁSICA. 2013.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
ROCHA, P. M.. PROGRAMA DE ENTREVISTAS 'POR DENTRO DO CAMPUS'. 2000. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).


Demais tipos de produção técnica
1.
ROCHA, P. M.. RELATÓRIO FINAL - PROJETO DE PESQUISA - AVALIAÇÃO DO PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA (PMAQ-AB) NOS ESTADOS DO RIO GRANDE DO NORTE, CEARÁ E PIAUÍ. 2012. (Relatório de pesquisa).

2.
ROCHA, P. M.. RELATORIO FINAL: PESQUISA AVALIATIVA - IMPLANTAÇÃO UNIDADES DE SAÚDE FAMILIAR EM PORTUGAL. 2009. (Relatório de pesquisa).

3.
ROCHA, P. M.; UCHOA, S. A. C. ; SOUSA, E. C. F. ; ROCHA, N. D. S. ; ESCODA, M.S.Q. (MARIA DO SOCORRO QUIRINO ESCODA) ; ROCHA, M. L. ; PINHEIRO, T. X. . Relatório Final - Pesquisa Avaliativa Estudos Linhas de Base - Lote 1 - Nordeste. 2006. (Relatório de pesquisa).

4.
ROCHA, P. M.. PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE (PITS). 2004. (Relatório de pesquisa).

5.
ROCHA, P. M.. 1ª CONFERENCIA ESTADUAL DE CIENCIA TECNOLOGIA E INOVAÇÃO EM SAÚDE. 2004. (RELATOR).

6.
ROCHA, P. M.. PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE (PITS). 2003. (Relatório de pesquisa).

7.
ROCHA, P. M.. V CONFERENCIA ESTADUAL DE SAÚDE - RN. 2003. (RELATOR).

8.
ROCHA, P. M.. IV CONFERENCIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE NATAL - RN. 2003. (RELATOR).

9.
ROCHA, P. M.; ARAUJO, C. R. B. ; GOMES, H. F. P. ; LOBO, A. ; BERTIM, M. C. . COMPLEXO HOSPITALAR E DE SAÚDE DA UFRN. 2001. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL).

10.
MOREIRA, L. F. ; YAMAMOTO, O. ; ROCHA, P. M. ; PINHEIRO, R. F. ; MACEDO, G. R. ; ARAUJO, M. M. . AUTONOMIA UNIVERSITÁRIA: O QUE É?. 2000. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL).

11.
ROCHA, P. M.; COELHO, M. G. P. ; SOLINO, R. . MUNICIPALIZAÇÃO/DISTRITALIZAÇÃO: CONSTRUINDO O MODELO DE VIGILÂNCIA A SAÚDE. 1992. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL).

12.
ROCHA, P. M.; VASCONCELOS, M. A. ; NEO, M. E. F. ; GALVAO, S. A. ; CUNHA, M. G. F. ; SOUZA, D. F. . ORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS: MUDANÇA DO MODELO ASSISTENCIAL. 1992. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL).

13.
ROCHA, P. M.; ROCHA, A. A. ; MELO, A. ; PINHEIRO, M. ; BARBOSA, M. E. ; BARBOSA, N. ; ROCHA, N. S. ; MOURA, J. R. S. . ASSISTÊNCIA A SAÚDE MENTAL NO MUNICÍPIO DE NATAL. 1992. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL).

14.
ROCHA, P. M.; XAVIER, C. A. ; COELHO, M. G. P. ; SOLINO, R. ; BARBOSA, N. . FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE. 1992. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL).

15.
ROCHA, P. M.; XAVIER, C. A. ; COELHO, M. G. P. ; GONDIM, G. M. M. ; BARBOSA, N. ; ISNARD, O. ; SOLINO, R. . CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE. 1992. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL).

16.
ROCHA, P. M.; CUNHA, M. G. F. ; BARROS, R. M. B. ; XAVIER, C. A. ; COELHO, M. G. P. ; GONDIM, G. M. M. ; BARBOSA, N. ; SOLINO, R. . VIGILÂNCIA À SAÚDE: A EXPERIÊNCIA DE NATAL. 1992. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL).

17.
ROCHA, P. M.; NORONHA, C. H. M. M. ; GOMES, K. M. M. ; MORAIS, M. G. ; GUERRA, R. M. . SÍNTESE DE INFORMAÇÕES DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DO NATAL - 1992. 1992. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL).

18.
ROCHA, P. M.; OLIVEIRA, J. B. S. ; CORREIA, M. L. R. ; COELHO, M. C. G. P. ; MAIA, M. N. M. ; DUARTE, M. F. ; FERREIRA, V. L. S. . VALORIZAÇÃO DO SERVIDOR: PRIORIDADE DE UMA GESTÃO. 1992. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL).

Demais trabalhos
1.
ROCHA, P. M.. RELATOR GERAL DA IV CONFERENCIA MUNICIPAL DE SAÚDE - NATAL/RN. 2003 (RELATORIA) .

2.
ROCHA, P. M.. RELATOR DA V CONFERENCIA ESTADUAL DE SAÚDE-RN. 2003 (RELATORIA) .

3.
ROCHA, P. M.. COMISSÃO DE AVALIAÇÃO - XIV CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA-UFRN. 2003 (AVALIAÇÃO DE PESQUISA) .



Patentes e registros



Programa de computador
1.
VALENTIM, R. A. M. ; MORAIS, P. S. G. ; OLIVEIRA, I. D. ; BARROS, D. M. S. ; SANTOS, J. P. Q. ; FREIRE, P. A. ; HEKIS, H. R. ; UCHOA, S. A. C. ; SAMPAIO, A. T. L. ; PINHEIRO, T. X. A. ; ROCHA, P. M. . VALIDADOR ON-LINE DO PMAQ-AB. 2013.
Patente: Programa de Computador. Número do registro: BR512013001200-7, data de registro: 09/10/2013, título: "VALIDADOR ON-LINE DO PMAQ-AB" , Instituição de registro: INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial.



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
ROCHA, P. M.; MARTINS, Q. C. S.; SOUSA, C. S. M.. Participação em banca de MARIA DE FÁTIMA LUCENA DOS SANTOS. GESTÃO DO TRABALHO NA AVALIAÇÃO DO PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA. 2017. Dissertação (Mestrado em SAÚDE COLETIVA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

2.
ROCHA, N. S. P. D.; ROCHA, P. M.; SOUZA, M. B.; SOUSA, C. S. M.. Participação em banca de ANNA CRISTINA DA CRUZ BEZERRA. SAÚDE DA CRIANÇA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: ACESSO E QUALIDADE DO CUIDADO. 2016. Dissertação (Mestrado em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

3.
UCHOA, S. A. C.; ROCHA, P. M.; MACEDO, M. R. C.; SOUSA, C. S. M.. Participação em banca de JULIANA FERREIRA LEMOS. PROGRAMA MAIS MÉDICOS PARA O BRASIL: CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO. 2016. Dissertação (Mestrado em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

4.
ROCHA, P. M.; ROCHA, N. S. P. D.; COSTA, G. M. C.. Participação em banca de ANDRELINA ALVES MANGUEIRA. A ORGANIZAÇÃO DO PROCESSO DE TRABALHO E O PLANEJAMENTO DAS AÇÕES DAS EQUIPES DE ATENÇÃO BÁSICA NO NORDESTE. 2016. Dissertação (Mestrado em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

5.
ROCHA, P. M.; ROCHA, N. S. P. D.; MORAIS, C. H. S.. Participação em banca de MARCELA FERNANDES DE ARAÚJO BATISTA DE MORAIS. AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO À SÁUDE DA MULHER NO CICLO GRAVÍDICO-PUERPERAL - UMA ANÁLISE DOS DADOS DO PROGRAMA DE MELHORIA E ACESSO DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA (PMAQ-AB). 2016. Dissertação (Mestrado em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

6.
MEDEIROS JUNIOR, A.; ROCHA, P. M.; BOSCO FILHO, J.. Participação em banca de Roberta Karline Lins da Silva. AVALIAÇÃO DA ADESÃO AO TRATAMENTO E CONTROLE DO DIABETES MELLITUS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE. 2016. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

7.
MEDEIROS JUNIOR, A.; ROCHA, P. M.; GAMA, Z. A. S.; FREITAS, C. H. S. M.. Participação em banca de Sabrinna Fernanda de Andrade Arruda. MELHORIA DA QUALIDADE DA ATENÇÃO AO PORTADOR DE DIABETES MELLITUS TIPO 2 EM UMA INSTITUIÇÃO DE CUIDADOS PRIMÁRIOS DE SAÚDE. 2016. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

8.
ROCHA, P. M.; UCHOA, S. A. C.. Participação em banca de FRANCISCO GLÉRISTON VIEIRA. AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DAS USUÁRIAS SOBRE A ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER NO RIO GRANDE DO NORTE. 2014. Dissertação (Mestrado em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

9.
UCHOA, S. A. C.; ROCHA, P. M.; SANTANA, P.R.. Participação em banca de RENATA MELO MAROTO. AVALIAÇÃO DO PRÉ-NATAL NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NO RIO GRANDE DO NORTE: VISÃO DAS USUÁRIAS. 2014. Dissertação (Mestrado em PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

10.
OLIVEIRA, A. G. R. C.; ROCHA, P. M.; SANTANA, P.R.. Participação em banca de ROBERVAM DE MOURA PEDROZA. ANÁLISE COMPARATIVA DA TENDÊNCIA NA MORTALIDADE INFANTIL EM ÁREAS COBERTAS E NÃO COBERTAS PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NO MUNICÍPIO DE GARANHUNS ENTRE 2003 E 2012. 2014. Dissertação (Mestrado em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

11.
ROCHA, P. M.; AZEVEDO, S.; PAULINO, M.. Participação em banca de BENJAMIN BENTO DE ARAÚJO NETO. UMA ANÁLISE DA INTEGRAÇÃO DAS REDES DE ATENÇÃO A SAÚDE NOS ESTADOS DO CE, PI, E RN. 2014. Dissertação (Mestrado em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

12.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de CLAUDIA FREDERICO DE MELO. DETERMINANTES SOCIO-SANITÁRIOS DO ACESSO A SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS - ANALISE EM NÍVEL MUNICIPAL NO BRASIL EM 2003. 2005. Dissertação (Mestrado em ODONTOLOGIA) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

13.
ROCHA, P. M.; Sena,R.R.; Medeiros,S.M. Participação em banca de Marize Barros de Souza Araújo. A Equipe de Saúde no PSF: Mudando Práticas? Um Estudo de Caso no Municipio de Natal - RN. 2004. Dissertação (Mestrado em MESTRADO EM ENFERMAGEM) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

14.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de MARIZA SANDRA DE SOUZA ARAÚJO. ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA ? - AS MUDANÇAS ORGANIZACIONAIS NA SECRETARIA DA SAÚDE PÚBLICA DO RIO GRANDE DO NORTE E A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMILIA. 2000 - Fundação Oswaldo Cruz.

15.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de HILTON LUIZ DA CUNHA. AVALIAÇÃO DE TESTES PSICOLÓGICOS INFANTIS NO HOSPITAL DE PEDIATRIA-UFRN. 2000. Dissertação (Mestrado em PÓS-GRADUAÇÃO EM PEDIATRIA) - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO.

16.
ROCHA, P. M.; ARAUJO, M. G. M.; FARIAS, M. A.. Participação em banca de Hilton Luiz da Cunha. DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS ATENDIDAS NO HOSPITAL DE PEDIATRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE NO PRIMEIRO ANO DE VIDA: APLICAÇÃO DO TESTE DE DENVER II EM AMBULATÓRIO. 2000. Dissertação (Mestrado em Pediatria e Ciências Aplicadas à Pediatria) - Universidade Federal de São Paulo.

17.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de MARIA DALVA HORÁCIO DA COSTA. O ELO INVISÍVEL DOS PROCESSOS DE TRABALHO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE EM NATAL/RN: UM ESTUDO SOBRE AS PARTICULARIDADES DO TRABALHO DOS ASSISTENTES SOCIAIS. 1998. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) - Universidade Federal de Pernambuco.

Teses de doutorado
1.
OLIVEIRA, A. G. R. C.; NORO, L. R. A.; ROCHA, P. M.; SOUSA, C. S. M.; JESUS, W. L. A.. Participação em banca de LYANE RAMALHO CORTEZ. FIXAÇÃO DO MÉDICO NA ATENÇÃO PRIMARIA A SAÚDE - UMA PERSPECTIVA A PARTIR DO PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA. 2018. Tese (Doutorado em PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

2.
UCHOA, S. A. C.; ROCHA, P. M.; Costa, N.D.L.; MEDINA, M. G.; ALVES, M. T. S. S. B. E.. Participação em banca de BIANCA NUNES GUEDES DO AMARAL ROCHA. AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO HUMANIZADA AO ABORTAMENTO EM MATERNIDADE - ESCOLA EM NATAL, RIO GRANDE DO NORTE. 2015. Tese (Doutorado em PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

3.
UCHOA, S. A. C.; ENDERS, B. C.; ROCHA, P. M.; DAVID, H. M. S. L.; CAMARGO JUNIOR, K. R.. Participação em banca de CLAUDIA SANTOS MARTINIANO SOUSA. A PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS POR ENFERMEIROS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NO BRASIL: CARACTERIZAÇÃO, NORMATIZAÇÃO, FORMAÇÃO E LIÇÕES APRENDIDAS. 2015. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

4.
UCHOA, S. A. C.; PINTO, E. S. G.; ROCHA, P. M.; MORAIS, C. H. S.; PALHA, P. F.. Participação em banca de ARDIGLEUSA ALVES COELHO. O CONTROLE DA TUBERCULOSE NO CONTEXTO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA Á SAÚDE NO BRASIL. 2015. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

5.
ROCHA, P. M.; AMORIM, A. K. M. A.; VASCONCELOS, C. M.; ALMEIDA, A. M. B.; RIGHI, L. B.. Participação em banca de LYGIA MARIA DE FIGUEIREDO MELO. APOIO INSTITUCIONAL EM SAÚDE: DESAFIOS PARA DEMOCRATIZAÇÃO. 2015. Tese (Doutorado em PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

6.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de ANA EMÍLIA LEITE GUEDES. O INCENTIVO AS AÇÕES DE COMBATE AS CARENCIAS NUTRICIONAIS(ICCN): OS DESAFIOS A INTEGRAÇÃO DE PROGRAMAS E A INTEGRALIDADE DAS AÇÕES DE NUTRIÇÃO NAS PRÁTICAS DE SAÚDE. 2002. Tese (Doutorado em DOUTORADO EM SAUDE COLETIVA) - UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIODE JANEIRO.

7.
MOURA, A.; NASCIMENTO, E. S.; ALMEIDA, M. D.; GERMANO, R. M.; ROCHA, P. M.; DUMET, J.. Participação em banca de Rosalba Pessoa de Souza Timóteo. PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DA ENFERMAGEM: UM PROCESSO DE CONSTRUÇÃO COLETIVO. 2000. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Qualificações de Doutorado
1.
UCHOA, S. A. C.; ROCHA, P. M.; Costa, N.D.L.. Participação em banca de BIANCA NUNES GUEDES DO AMARAL ROCHA. AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO HUMANIZADA AO ABORTAMENTO EM SERVIÇO DE REFERÊNCIA DO SUS-RN. 2014.

2.
ROCHA, P. M.; RODRIGUES, M. P.; AMORIM, A. K. M. A.. Participação em banca de LYGIA MARIA DE FIGUEIREDO MELO. APOIO INSTITUCIONAL EM SAÚDE: DESAFIOS PARA A DEMOCRATIZAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

3.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de ROSALBA PESSOA DE SOUZA TIMÓTEO. O PROCESSO DE TRABALHO EM ENFERMAGEM. 1999. Exame de qualificação (Doutorando em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Qualificações de Mestrado
1.
ROCHA, P. M.; UCHOA, S. A. C.; CASTRO, J. L.. Participação em banca de MARIA DE FÁTIMA LUCENA. VÍNCULOS DE TRABALHO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: UMA ANÁLISE A PARTIR DO PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em SAÚDE COLETIVA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

2.
MEDEIROS JUNIOR, A.; ROCHA, P. M.; MARCHON, S. G.. Participação em banca de JOSÉ MARIANO PESSOA. QUALIFICANDO A CONSULTA DA PUERICULTURA NA GARANTIA DA INTEGRALIDADE DA SAÚDE DA CRIANÇA NO MUNICÍPIO DE SÃO MIGUEL - RN. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

3.
ROCHA, P. M.; GAMA, Z. A. S.; FILGUEIRA, F. A.. Participação em banca de Aurélia Cristina de Medeiros. AVALIAÇÃO DA PRÁTICA DE HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS NOS CINCO MOMENTOS DA ASSISTÊNCIA EM UMA UTI NEONATAL. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

4.
MEDEIROS JUNIOR, A.; ROCHA, P. M.; COSTA, I. C. C.; TRINDADE, T. G.. Participação em banca de Sabrinna Fernanda de Andrade Arruda. AVALIAÇÃO E MELHORIA DA ATENÇÃO AO DIABETES MELLITUS TIPO 2 EM UMA INSTITUIÇÃO DE CUIDADOS PRIMÁRIOS DE SAÚDE. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

5.
MEDEIROS JUNIOR, A.; ROCHA, P. M.; COSTA, I. C. C.; TRINDADE, T. G.. Participação em banca de Sabrinna Fernanda de Andrade Arruda. AVALIAÇÃO E MELHORIA DA ATENÇÃO AO DIABETES MELLITUS TIPO 2 EM UMA INSTITUIÇÃO DE CUIDADOS PRIMÁRIOS DE SAÚDE. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

6.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de ANNA CRISTINA DA CRUZ BEZERRA. SAÚDE DA CRIANÇA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: ACESSO E QUALIDADE DO CUIDADO. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

7.
ROCHA, P. M.; SOUZA, E. C. F.; SILVA, R. A. R.. Participação em banca de Marcela Fernandes de Araújo Batista de Morais. AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER NO CICLO GRAVÍDICO-PUERPERAL - UMA ANÁLISE DOS DADOS DO PMAQ-AB. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

8.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de Andrelina Alves Mangueira. PLANEJAMENTO DAS EQUIPES DE ATENÇÃO BÁSICA: UM CAMINHO PARA MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

9.
ROCHA, P. M.; SANTANA, P.R.; AMORIM, K..P.C.. Participação em banca de ROBERVAM DE MOURA PEDROZA. "IMPACTO DAS AÇÕES DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NA MORTALIDADE INFANTIL DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS-PE NO PERÍODO DE 1998-2010". 2013. Exame de qualificação (Mestrando em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMILIA) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

10.
ROCHA, P. M.; UCHOA, S. A. C.; AZEVEDO, S.. Participação em banca de FRANCISCO GLÉRISTON VIEIRA. UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DAS USUÁRIAS ACERCA DA ASSISTÊNCIA PRESTADA À SAÚDE DA MULHER NOS MUNICÍPIOS DA 6ª REGIÃO DE SAÚDE DO RIO GRANDE DO NORTE. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

11.
ROCHA, P. M.; AZEVEDO, S.; PAULINO, M.. Participação em banca de BENJAMIN BENTO DE ARAÚJO NETO. UMA ANÁLISE DE INTEGRAÇÃO DAS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE NA 2ª REGIÃO DE SAÚDE DO RN. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

12.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de Marise Barros de Souza Araújo. Um olhar sobre a equipe de saúde da família: Práticas inovadoras? Estudo de caso no Distrito Sanitário Oeste. 2002. Exame de qualificação (Mestrando em MESTRADO EM ENFERMAGEM) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

13.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de Juçara Machado Sucar. ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NAS UNIDADES AMBULATORIAIS ESPECIALIZADAS DE ASSISTÊNCIA AO DEPENDENTE QUÍMICO EM NATAL, RN. 2002. Exame de qualificação (Mestrando em MESTRADO EM ENFERMAGEM) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

14.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de Karla Patrícia Cardoso Amorim. NOS LABIRINTOS DA VIDA: A BIOÉTICA NA VISÃO DE DOCENTES UNIVERSITÁRIOS. 2001. Exame de qualificação (Mestrando em Odontologia Social) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

15.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de Ângela Cristina Freire Diógenes Rêgo. O DESAFIO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DE GESTÕES PARTICIPATIVAS: CONSELHOS MUNICIPAIS DE SAÚDE. 2000. Exame de qualificação (Mestrando em Ciências Sociais) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

16.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de Marconi de Lima Rocha. Previdência e seguridade social: controvérsias acerca do financiamento. 1999. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva) - INSTITUTO DE MEDICINA SOCIAL- UERJ.

Monografias de cursos de aperfeiçoamento/especialização
1.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de MARCIA L. O. TORRES; GLAUCIA N. E SILVA; MARLENE F.PAIVA. DIAGNÓSTICO DAS CONDIÇÕES DE VIDA E DE SAÚDE DO BAIRRO DA RIBEIRA-NATAL. 2005. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em ESPECIALIZAÇÃO EM VIGILANCIA SANITÁRIA) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

2.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de LUCINETE MIGUES DA SILVA; MARIA HELENA MONTENEGRO MATOS. PERCEPÇÃO DO USUÁRIO ALCOOLISTA SOBRE A ACESSIBILIDADE AOS SERVIÇOS DA USF SOLEDADE I E CAPS AD NORTE E LESTE EM NATAL/RN. 2004. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

3.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de NÉGDA GUEDES DE CARVALHO SOUZA; MARIA RINALDA FERNANDES TORQ. PERCEPÇÃO DOS USUÁRIOS SOBRE CRISE HIPERTENSIVA NA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMILIA DO SANTA CATARINA - NATAL/RN. 2004. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

4.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de HAMILTON SERAFIM DE MELO. PERFIL DOS HIPERTENSOS NO MUNICÍPIO DE PARAÚ-RN. 2003 - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

5.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de BRENDA MERCEDES JUSTIZ GONZALES. ESTUDO DE IMPLEMENTAÇÃO DOS MODELOS DE SAÚDE FAMILIAR NOS MUNICÍPIOS DE CARNAUBA DOS DANTAS (BRASIL) E REGLA (CUBA, NA VISÃO DOS ATORES. 2003. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

6.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de INÁCIA ELIAS DE CASTRO. PROMOÇÃO DA SAÚDE: PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE NO BAIRRO DE CIDADE NOVA - NATAL/RN. 2003. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

7.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de Alessandro Cledson Pereira de Lima. PITS: O OLHAR DOS PROFISSIONAIS INSERIDOS NO PROGRAMA DO RIO GRANDE DO NORTE. 2002 - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

8.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de ALF RODRIGUES NOGUEIRA. CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE NO CONTEXTO DA ATENÇÃO BÁSICA NO MUNICÍPIO DE JANDAÍRA/RN. 2002. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

9.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de TANIREIDE MARIA CRUZ. O PROCESSO DE REORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE DA REGIÃO DO TRAIRÍ: INSERÇÃO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANA BEZERRA/SANTA CRUZ NO CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE. 2001. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Curso de Especialização em Saúde Pública) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

10.
ROCHA, P. M.. Participação em banca de CARLOS EDUARDO DE MORAES HONORATO et al. ENCONTRO DE PAIS E ADOLESCENTES. 1982. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Curso de Aperfeiçoamento em Terapia da Adolescênci) - INSTITUTO DE PSIQUIATRIA - UFRJ.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
ROCHA, P. M.; PAIVA, R. T. M.. Participação em banca de RAQUEL MONTEIRO DE MORAIS.PERFIL CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA DE ADRENALECTOMIA EM HOSPITAL GERAL UNIVERSITÁRIO ENTRE 2002 E 2011. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

2.
ROCHA, P. M.; PAIVA, R. T. M.. Participação em banca de ANA BEATRIZ FLORÊNCIO CABRAL.PERFIL CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA DE ADRENALECTOMIA EM HOSPITAL GERAL UNIVERSITÁRIO ENTRE 2002 E 2011. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

3.
ROCHA, P. M.; PAIVA, R. T. M.. Participação em banca de AMANDA GOSSON DE MELO DIBE.PERFIL CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA DE ADRENALECTOMIA EM HOSPITAL GERAL UNIVERSITÁRIO ENTRE 2002 E 2011. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

4.
ROCHA, P. M.; PAIVA, R. T. M.. Participação em banca de MARCELA RANGEL MARIZ.PERFIL CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA DE ADRENALECTOMIA EM HOSPITAL GERAL UNIVERSITÁRIO ENTRE 2002 E 2011. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

5.
ROCHA, P. M.; PINHEIRO, S. B.; ARAUJO, V. M. D.. Participação em banca de Anna Raquel Baracho Eduardo.Do higienismo ao saneamento: as modificações do espaço físico de Natal nas quatro primeiras décadas do século XX. 2000. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
ROCHA, P. M.; ROSENDO, T. M. S. S.; PINHEIRO, T. X. A.; SOUZA, E. C. F.. BANCA EXAMINADORA DO CONCURSO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO EM SAÚDE COLETIVA. 2011. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

2.
MACEDO, M. R. C.; CASTRO, J. L.; ROCHA, P. M.; PINHEIRO, T. X. A.. BANCA ORGANIZADORA DO CONCURSO PARA PROFESSOR ADJUNTO DA DISCIPLINA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. 2011. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

3.
MACEDO, M. R. C.; CASTRO, J. L.; ROCHA, P. M.; MEDEIROS JUNIOR, A.. COMISSÃO ORGANIZADORA DO CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O CARGO DE PROFESSOR ADJUNTO DO DSC. 2010. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

4.
MACEDO, M. R. C.; ROCHA, P. M.; MOREIRA, L. F.. CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO EM SAÚDE COLETIVA. 2007. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

Outras participações
1.
ROCHA, P. M.. BANCA DA CHAMADA DE SELEÇÃO PÚBLICA Nº1/2011 DO MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA/RENASF. 2012. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

2.
ROCHA, P. M.; CARVALHO, S. L.; FREIRE, F. D.. MEMBRO AVALIADOR DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO PROBATÓRIO DE FRANCISCO GENIVAN SILVA. 2011. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

3.
ROCHA, P. M.; Costa, N.D.L.; COSTA, I. B.; UCHOA, S. A. C.; MEDEIROS JUNIOR, A.; AMORIM, S. T. S. P.. COMISSÃO EXAMINADORA NA ÁREA DE NUTRIÇÃO SOCIAL DO DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO. 2010. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

4.
MACEDO, M. R. C.; ROCHA, P. M.; MOREIRA, L. F.. COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PROF.ANTONIO MEDEIROS JÚNIOR. 2007. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

5.
ROCHA, P. M.; SOUSA, E. C. F.; MACEDO, M. R. C.. COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO - MIRANICE NUNES SANTOS CRIVES. 2007. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

6.
ROCHA, P. M.. MEMBRO DO COMITÊ DE ESPECIALISTAS PARA AVALIAÇÃO DE PROJETOS PESQUISA SUS (PP-SUS)/RN. 2007. Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte.

7.
MACEDO, M. R. C.; ROCHA, P. M.; UCHOA, S. A. C.. COMISSÃO DE PROGRESSÃO HORIZONTAL DO PROF. ANTONIO MEDEIROS JUNIOR. 2007. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

8.
ROCHA, P. M.. COMISSÃO DE PARECERISTAS DO II SIMPOSIO BRASILEIRO DE VIGILANCIA SANITÁRIA E I SIMPOSIO PANAMERICANO DE VIGILANCIA SANITÁRIA. 2004. Associação Brasileira de Saúde Coletiva.

9.
ROCHA, P. M.. MEMBRO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO - TRABALHOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - XIV CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTIFICA DA UFRN. 2003. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

10.
ROCHA, P. M.. AVALIADOR DA COMISSÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA - MOSTRA ESTADUAL DE SAÚDE DA FAMÍLIA (RN). 2003.

11.
ROCHA, P. M.. MEMBRO DO COMITÊ EXTERNO DO PIBIC NO VII ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTIFICA DA UEPB. 2000. Universidade Estadual da Paraíba.

12.
ROCHA, P. M.. BANCA EXAMINADORA NO EXAME DE SELEÇÃO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA. 2000. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

13.
ROCHA, P. M.. MEMBRO DO COMITÊ EXTERNO DO PIBIC NO VI ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTIFICA DA UEPB. 1999. Universidade Estadual da Paraíba.

14.
ROCHA, P. M.. MEMBRO DO COMITÊ EXTERNO DO PIBIC NO PROCESSO DE SELEÇÃO DO PROGRAMA INTERINSTITUCIONAL DE BOLSAS DE IC - QUOTA 1999/2000. 1999. Universidade Estadual da Paraíba.

15.
ROCHA, P. M.. MEMBRO DO COMITÊ EXTERNO DO PIBIC NO V ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTIFICA DA UEPB. 1998. Universidade Estadual da Paraíba.

16.
ROCHA, P. M.. MEMBRO DO COMITÊ EXTERNO DO PIBIC NO IV ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTIFICA DA UEPB. 1997. Universidade Estadual da Paraíba.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
9th European Public Health Conference All for Health, Health for All. The 3rd cycle of the Brazilian National Programme for Improving Access and Quality of Primary Care. 2016. (Congresso).

2.
I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE META-AVALIAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO EM POLÍTICAS DE SAÚDE.Mesa Redonda "Avaliação de Políticas de Saúde (PMAQ-AB/PNASS) e o protagonismo das universidades. 2016. (Simpósio).

3.
IV CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE QUALIDADE E SEGURANÇA EM SERVIÇOS DE SAÚDE.MODERADOR DAS PALESTRAS SOBRE DESENVOLVIMENTO DE CULTURA DE QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE. 2015. (Outra).

4.
MISSÃO DE TRABALHO INTERNACIONAL NA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA, PORTUGAL.MISSÃO DE TRABALHO INTERNACIONAL NA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA, PORTUGAL. 2015. (Outra).

5.
OFICINA DE AVALIAÇÃO DO PILOTO PNASS. 2015. (Oficina).

6.
V FÓRUM NACIONAL DE GESTÃO DA ATENÇÃO BÁSICA. 2015. (Outra).

7.
DEFESA PÚBLICA DE MEMORIAL PARA PROMOÇÃO À CLASSE E (PROFESSOR TITULAR).MEMORIAL PARA PROMOÇÃO À CLASSE E (PROFESSOR TITULAR). 2014. (Outra).

8.
II FÓRUM DE INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES PEDAGÓGICAS E DA I OFICINA DE FORMAÇÃO DE TUTORES DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS PARA O BRASIL. 2014. (Oficina).

9.
REUNIÃO DO GRUPO FOCAL REALIZADO PELA FIOCRUZ.REUNIÃO REALIZADA NO NESC. DIA 28/04 DAS 14H ÀS 17H.. 2014. (Outra).

10.
MINI-OFICINA SOBRE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO CLÍNICO. 2013. (Oficina).

11.
SEMINÁRIO REDE NACIONAL DE PESQUISA SOBRE POLÍTICA DE SAÚDE: PERTINÊNCIA, RELEVÂNCIA, VIABILIDADE. 2013. (Seminário).

12.
WORK-SHOP: REVISÃO DOS INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS DO PROGRAMA E MELHORA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA - PMAQ.OFICINA REALIZADA NOS DIAS 5 E 6 DE JUNHO, QUE FAZ PARTE DO PROCESSO DE PEER REVIEW DO PMAQ. 2013. (Oficina).

13.
4ª REUNIÃO DO GRUPO DE TRABALHO DA AVALIAÇÃO EXTERNA DO PMAQ. 2012. (Encontro).

14.
5ª REUNIÃO DO GRUPO DE TRABALHO DA AVALIAÇÃO EXTERNA DO PMAQ. 2012. (Encontro).

15.
REUNIÃO ORDINÁRIA DO COSEMS/RN.ESTRATÉGIAS DE ATUAÇÃO DA AVALIAÇÃO DO PMAQ NOS MUNICÍPIOS DO RN. 2012. (Encontro).

16.
VI SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ATENÇÃO BÁSICA. 2012. (Seminário).

17.
11º CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE E 4º ENCONTRO LUSO-BRASILEIRO DE MEDICINA GERAL, FAMILIAR E COMUNITÁRIA. 2011. (Congresso).

18.
5º SEMINARIO INTERNACIONAL DE ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE. 2010. (Seminário).

19.
I CONGRESSO BRASILEIRO DE POLÍTICA, PLANEJAMENTO E GESTÃO EM SAÚDE. REFORMA DA SAÚDE FAMILIAR EM PORTUGAL: UM OLHAR COMPARATIVO COM O PSF NO BRASIL. 2010. (Congresso).

20.
III REUNIÃO ANUAL DA REDE DE PESQUISA EM APS. 2010. (Encontro).

21.
INSTRUTOR DA SESSÃO TEMÁTICA "O SUS E AS POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL", DO CURSO PARA GESTOR, PARA OS MUNICÍPIOS DA IV REGIÃO DE SAÚDE DO RN.O SUS E AS POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL. 2010. (Outra).

22.
INSTRUTOR DA SESSÃO TEMÁTICA "O SUS E AS POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL", DO CURSO PARA GESTOR, PARA OS MUNICÍPIOS DA V REGIÃO DE SAÚDE DO RN.O SUS E AS POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL. 2010. (Outra).

23.
INSTRUTOR DA SESSÃO TEMÁTICA "O SUS E AS POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL" PARA A I, III E VII REGIÕES DE SAÚDE DO RN.O SUS E AS POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL. 2010. (Outra).

24.
INSTRUTOR DA SESSÃO TEMÁTICA "O SUS E AS POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL" PARA A VI REGIÃO DE SAÚDE DO RN.O SUS E AS POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL. 2010. (Outra).

25.
PRIMEIRA OFICINA DE CAPACITAÇÃO DOCENTE DO MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA (RENASF). 2010. (Oficina).

26.
REUNIÃO DE PESQUISADORES EM ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE. 2009. (Encontro).

27.
3º ENCONTRO LUSO-BRASILEIRO DE MEDICINA GERAL FAMILIAR E COMUNITÁRIA. 2º CONGRESSO DA REGIÃO IBERICA DA WONCA IBEROAMERICANA. 2008. (Congresso).

28.
CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS: ENSINO, QUALIDADE E ORGANIZAÇÃO. CICLO DE CONFERENCIAS DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DOS MEDICOS DE CLÍNICA GERAL. 2008. (Seminário).

29.
SIMPOSIOS SOBRE SAÚDE: PORTUGAL-BRASIL 200 ANOS. 2008. (Simpósio).

30.
11º CONGRESSO MUNDIAL DE SAÚDE PÚBLICA; 8º CONGRESSO BRASILEIRO DE SAÚDE COLETIVA. AVALIAÇÃO DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM CAPITAL METROPOLITANA: ESTUDO DE CASO. 2006. (Congresso).

31.
8º CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE E 2º ENCONTRO LUSO-BRASILEIRO DE MEDICINA GERAL, FAMILIAR E COMUNITÁRIA. 2006. (Congresso).

32.
8º CONGRESSO BRASILEIRO DE SAÚDE COLETIVA E 11º CONGRESSO MUNDIAL DE SAÚDE PÚBLICA. ACESSO, ACOLHIMENTO E VINCULO NA ATENÇÃO BASICA: UMA ANALISE NA PERSPECTIVA DA CONSTRUÇÃO DO CUIDADO INTEGRAL EM SAÚDE. 2006. (Congresso).

33.
SEMINÁRIO DE APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS INICIAIS DE IMPLANTAÇÃO DO PROJETO AMQ. 2006. (Seminário).

34.
SEMINÁRIO DE DISCUSSÃO DOS ESTUDOS DE LINHA DE BASE EM SAÚDE DA FAMILIA.RELATÓRIO FINAL PESQUISA ELB - LOTE 1 - NORDESTE. 2006. (Oficina).

35.
SEMINÁRIO DE MODERNIZAÇÃO DE GESTÃO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES. 2006. (Seminário).

36.
METODOLOGIA DO NESC/UFRN PARA ESTUDO LINHA DE BASE - LOTE 1 - NORDESTE.SEMINÁRIO MACRORREGIONAL - METODOLOGIA DOS ESTUDOS DE LINHA DE BASE (PROESF). 2005. (Seminário).

37.
SEMINÁRIO DE DISCUSSÃO DOS ESTUDOS DE LINHA DE BASE EM SAÚDE DA FAMÍLIA E SEMINÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS INICIAIS DA IMPLANTAÇÃO DO PROJETO AMMQ. 2005. (Seminário).

38.
. VI CONGRESSO BRASILEIRO DE EPIDEMIOLOGIA/6ªREUNIÃO CIENTÍFICA DA AMERICA LATINA E CARIBE. 2004. (Congresso).

39.
CURSO: RISCO, VULNERABILIDADE E AÇÕES DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE. 2004. (Outra).

40.
ESTRATÉGIA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE APLICADAS NAS OFICINAS MUNICIPAIS DE PLANEJAMENTO DO PITS/RN.MOSTRA NACIONAL DE SAÚDE DA FAMÍLIA. 2004. (Outra).

41.
EXPERIÊNCIA DOS ESTADOS (NÚCLEO DE SAÚDE COLETIVA - UFRN).OFICINA DE TRABALHO - CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA: REFLEXOES PEDAGÓGICAS E RESSIGNIFICAÇÃO DE PROCESSOS. 2004. (Oficina).

42.
IX CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTROLE DE INFECÇÃO E EPIDEMIOLOGIA HOSPITALAR. 2004. (Congresso).

43.
MOSTRA ESTADUAL DE SAÚDE DA FAMÍLIA DO RN.POLÍTICA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA. 2004. (Outra).

44.
OFICINA "REDE DE COOPERAÇÃO E APOIO À GESTÃO DO SUS: PROPOSTA E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO.OFICINA "REDE DE COOPERAÇÃO E APOIO À GESTÃO DO SUS: PROPOSTA E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO. 2004. (Oficina).

45.
PACTO DE GESTÃO - PROPOSTAS DE COOPERAÇÃO (REPRESENTANTE DOS NÚCLEOS DE ESTUDOS).REUNIÃO DE TRABALHO - COOPERAÇAO ABRASCO/MS: EIXOS TEMÁTICOS DO PACTO DE GESTÃO. 2004. (Oficina).

46.
A FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS INSERIDOS NO PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE - RN: ESTRATÉGIA DE MUDANÇA?. VII CONGRESSO BRASILEIRO DE SAUDE COLETIVA. 2003. (Congresso).

47.
XIV Congresso de Iniciação Cientifica. CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTIFICA DA UFRN. 2003. (Congresso).

48.
1ª OFICINA DE TERRITORIALIZAÇÃO.-. 2002. (Oficina).

49.
CAPACITAÇÃO DE TUTORES DO PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE AGENTES LOCAIS DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - PROFORMAR.AS CONDIÇÕES DE VIDA E A SITUAÇÃO DE SAÚDE NO NÍVEL LOCAL. 2002. (Oficina).

50.
CONSTRUINDO UM NOVO MODELO: AVANÇOS LIMITES E PERSPECTIVAS.I MOSTRA ESTADUAL DO PITS - RN. 2002. (Oficina).

51.
III CONFERENCIA REGIONAL LATINO-AMERICANA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO PARA SAÚDE. III CONFERENCIA REGIONAL LATINO-AMERICANA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO PARA SAÚDE. 2002. (Congresso).

52.
II SEMINÁRIO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA DO SUS/RN E III ENCONTRO NORTE-RIOGRANDENSE DA REDE BRASILEIRA DE COOPERAÇÃO EM EMERGÊNCIAS.DESAFIOS E POSSIBILIDADES DA REESTRUTURAÇÃO DA RETAGUARDA HOSPITALAR AS URGENCIAS. 2002. (Seminário).

53.
OFICINA DE TRABALHO E I MOSTRA ESTADUAL DO PITS.CONSTRUINDO UM NOVO MODELO: AVANÇOS, LIMITES E PERSPECTIVAS. 2002. (Oficina).

54.
PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE - RN.SEGUNDA OFICINA NACIONAL DE TUTORES DO PITS - PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE. 2002. (Oficina).

55.
REORGANIZAÇÃO DE SISTEMAS DE SAÚDE: COMPETIÇÃO OU SOLIDARIEDADE. 2002. (Seminário).

56.
I CONFERÊNCIA ESTADUAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA.VIGILANCIA SANITÁRIA: PROTEÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE. 2001. (Outra).

57.
I SEMINÁRIO INTERINSTITUCIONAL PARA PREFEITOS E SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE.VIABILIZANDO A PROMOÇÃO DA SAÚDE: DA SAÚDE DA FAMÍLIA À CIDADE SAUDÁVEL. 2001. (Seminário).

58.
I SEMINÁRIO INTERINSTITUCIONAL PARA PREFEITOS E SECRETARIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE/RN.PAPEL DAS INSTITUIÇÕES NA CONSTRUÇÃO DOS SISTEMAS DE SAÚDE. 2001. (Seminário).

59.
OFICINA DE TRABALHO: A REDEUNIDA E MODELO DE ATENÇÃO - SISTEMATIZAÇÃO DO ENTENDIMENTO. 2001. (Oficina).

60.
SAÚDE MENTAL, QUALIDADE DE VIDA E O PAPEL DOS MUNICÍPIOS NA CONSTRUÇÃO DA INTEGRALIDADE DAS AÇÕES DE SAÚDE.REPRESENTANTE DA REITORIA/UFRN NA ABERTURA DO SEMINÁRIO. 2001. (Seminário).

61.
V CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DO NORDESTE E VII CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO RIO GRANDE DO NORTE. PARTICIPANTE DA OFICINA DE TRABALHO "COOPERAÇÃO TÉCNICA PARA A GESTÃO MUNICIPAL". 2001. (Congresso).

62.
ATENÇÃO INTEGRAL NA SAÚDE.OFICINA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E POLÍTICA DE ATENÇÃO INTEGRAL. 2000. (Oficina).

63.
I SEMANA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE DA PETROBRÁS.QUALIDADE DE VIDA URBANA: CIDADES SAUDÁVEIS. 2000. (Oficina).

64.
I SEMINÁRIO DE SISTEMATIZAÇÃO DO UNI-NATAL. 2000. (Seminário).

65.
MESA REDONDA "PÓS-GRADUAÇÃO NA ÁREA DE SAÚDE COLETIVA" - PROMOVIDA PELO MESTRADO INTERINSTITUCIONAL EM SAÚDE COLETIVA.PÓS-GRADUAÇÃO NA ÁREA DE SAÚDE COLETIVA. 2000. (Outra).

66.
OFICINA "ATUALIZAÇÃO NO ENSINO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE". 2000. (Oficina).

67.
SEMINÁRIO NACIONAL "REFORMAS DO ESTADO, SAÚDE E EQUIDADE NO BRASIL.OS PROCESSOS DE REFORMA E EQUIDADE NOS ESTADOS DA FEDERAÇÃO. 2000. (Seminário).

68.
SIMPÓSIO NACIONAL DAS ESCOLAS/NÚCLEOS DE SAÚDE PÚBLICA.COOPERAÇÃO TÉCNICA DAS ESCOLAS/NÚCLEOS DE SAÚDE PÚBLICA COM OS GESTORES DO SUS; O ENSINO DA SAÚDE PÚBLICA NO CONTEXTO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE; FORMAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA E EM SAÚDE DA FAMÍLIA. 2000. (Simpósio).

69.
SIMPÓSIO NACIONAL DAS ESCOLAS/NÚCLEOS DE SAÚDE PÚBLICA.OFICINA "O ENSINO DA SAÚDE PÚBLICA NO CONTEXTO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE". 2000. (Simpósio).

70.
TENDÊNCIAS DA ESPECIALIZAÇÃO NAS ÁREAS DE ENFERMAGEM E MEDICINA NA ATUAL CONJUNTURA DE SAÚDE.A ESPECIALIZAÇÃO NO CONTEXTO DA SAÚDE COMO PRODUÇÃO SOCIAL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS. 2000. (Seminário).

71.
VII ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E V MOSTRA DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA UEPB.Influência da Iniciação Científica na Pós-Graduação; Financiamento da Pesquisa no Brasil. 2000. (Encontro).

72.
CURSO: PROMOÇÃO DE SAÚDE E A CONSTRUÇÃO DE MUNICÍPIOS SAUDÁVEIS. 1999. (Outra).

73.
DEBATE "METANÁLISE EM EPIDEMIOLOGIA".Debate Metanálise em epidemiologia, promovido pelo Mestrado Interinstitucional em Saúde Coletiva, IMS-UERJ/UFRN, NESC-UFRN, Departamento e Base de Pesquisa "Estudos em Saúde Coletiva". 1999. (Outra).

74.
PROMOÇÃO DA SAÚDE E A CONSTRUÇÃO DE MUNICÍPIOS SAUDÁVEIS. 1999. (Outra).

75.
SEMINÁRIO DE FORMAÇÃO DOUTORAL II DA PÓS-GRADUANDA ROSALBA PESSOA DE SOUZA TIMÓTEO.Professor Convidado do Seminário. 1999. (Seminário).

76.
SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE INFORMÁTICA NO ENSINO DA SAÚDE. 1999. (Simpósio).

77.
TENDENCIAS DA SAÚDE: A ENFERMAGEM NO MUNDO GLOBALIZADO.XV ENCONTRO DE ENFERMAGEM DO NORDESTE-BRASIL. 1999. (Encontro).

78.
TRABALHOS DESENVOLVIDOS NO CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE.V CIENTEC - UFRN. 1999. (Encontro).

79.
VI CONGRESSO PAULISTA DE SAÚDE PÚBLICA. 1999. (Congresso).

80.
REUNIÃO SEMANAL DO PACTO PELO DESENVOLVIMENTO DO RIO GRANDE DO NORTE.SAÚDE, QUALIDADE DE VIDA E DESENVOLVIMENTO PARA O RIO GRANDE DO NORTE. 1998. (Encontro).

81.
SEMINÁRIO INTERNACIONAL: "GLOBALIZAÇÃO - O FATO E O MITO". 1998. (Seminário).

82.
SIMPÓSIO "PSICOLOGIA, SAÚDE E COLETIVIDADE" DA 50ª REUNIÃO DA SBPC. A SAÚDE NO BRASIL DOS ANOS 90: DIMENSÕES DA CRISE. 1998. (Congresso).

83.
SEMINÁRIO INTERNACIONAL: "QUE ESTADO PARA QUE DEMOCRACIA? - PÓS NEOLIBERALISMO II. 1996. (Seminário).

84.
SEMINÁRIO PÓS-LIBERALISMO: AS POLÍTICAS SOCIAIS E O ESTADO DEMOCRÁTICO. 1994. (Seminário).

85.
TREINAMENTO "PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM SEGURIDADE SOCIAL. 1994. (Outra).

86.
I ENCONTRO NACIONAL DOS COSEMS."Financiamento do Sistema de Saúde" e "Proposta de Reforma Fiscal". 1992. (Encontro).

87.
II CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SAÚDE MENTAL E I CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE MENTAL.MODELO DE ATENÇÃO EM SAÚDE MENTAL. 1992. (Outra).

88.
II CONGRESSO BRASILEIRO DE EPIDEMIOLOGIA. 1992. (Congresso).

89.
II CONGRESSO NACIONAL DE SAÚDE MENTAL. 1992. (Outra).

90.
IX CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE. 1992. (Outra).

91.
VIII ENCONTRO NACIONAL DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE. 1992. (Encontro).

92.
CURSO PRÉ-CONGRESSO BRASILEIRO DE EPIDEMIOLOGIA: EPIDEMIOLOGIA E PLANEJAMENTO. 1990. (Outra).

93.
OFICINA DE TRABALHO SOBRE "REORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE.OFICINA DE TRABALHO SOBRE "REORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE" PROMOVIDA PELA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE, JUNTAMENTE COM A OPAS. 1990. (Oficina).

94.
1º SEMINÁRIO PARA SERVIDORES DA UFRN.REPRESENTANTE DA SESAP/RN NA MESA REDONDA "MUNICIPALIZAÇÃO/DISTRITALIZAÇÃO DA SAÚDE NO RIO GRANDE DO NORTE. 1989. (Seminário).

95.
2º CONGRESSO BRASILEIRO DE SAÚDE COLETIVA. 1989. (Congresso).

96.
I ENCONTRO ÍTALO-BRASILEIRO DE SAÚDE.WORK-SHOP "ORGANIZAÇÃO REGIONAL DO SISTEMA SANITÁRIO". 1989. (Encontro).

97.
VI SIMPÓSIO SOBRE POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE. 1989. (Simpósio).

98.
II SEMINARIO INTERNACIONAL DE ATENCION PRIMARIA DE LA SALUD. 1988. (Seminário).

99.
SEMINÁRIO SOBRE REFORMA SANITÁRIA/SUDS.REPRESENTANTE DA SESAP/RN NA EXPOSIÇÃO E DEBATE SOBRE O SUDS NO RIO GRANDE DO NORTE -. 1988. (Seminário).

100.
ENCONTRO SOBRE "SAÚDE - AÇÕES INTEGRADAS NO MUNICÍPIO".EXPOSIÇÃO SOBRE DISTRITALIZAÇÃO - ÊNFASE NA PROPOSTA PRELIMINAR DE DISTRITOS PARA O ESTADO. 1987. (Encontro).

101.
I CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SAÚDE MENTAL.REORGANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA PSIQUIÁTRICA E PSICOLÓGICA. 1987. (Outra).

102.
I ENCONTRO DE SECRETARIAS E SERVIÇOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO RN.MUNICIPALIZAÇÃO E DISTRITALIZAÇÃO. 1987. (Encontro).

103.
SEMINÁRIO "OS MODELOS ASSISTENCIAIS E A ORGANIZAÇÃO DE SERVIÇOS NA PERSPECTIVA DO SUDS. 1987. (Seminário).

104.
SEMINÁRIO INTERINSTITUCIONAL SOBRE REFORMA SANITÁRIA E ORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE NO RGN. 1987. (Seminário).

105.
11º CONGRESSO MUNDIAL DE PSIQUIATRIA SOCIAL. 1986. (Congresso).

106.
1ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SAÚDE DO RIO GRANDE DO NORTE. 1986. (Outra).

107.
8ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE. 1986. (Outra).

108.
CURSO "EPIDEMIOLOGIA PSIQUIÁTRICA" NO 11º CONGRESSO MUNDIAL DE PSIQUIATRIA SOCIAL. 1986. (Congresso).

109.
Í CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SAÚDE.COORDENADOR DO PAINEL SOBRE AÇÕES INTEGRADAS DE SAÚDE. 1986. (Outra).

110.
III ENCUENTRO DA LA RED LATINOAMERICANA DE ALTERNATIVAS A LA PSIQUIATRIA. 1986. (Encontro).

111.
III JORNADA NORDESTINA DE PSICOLOGIA.O TRABALHO NA ÁREA DE SAÚDE MENTAL. 1984. (Outra).

112.
IV JORNADA NORTE-RIOGRANDENSE DE PSIQUIATRIA.ESTÁGIO ATUAL DA PSIQUIATRIA NO RIO GRANDE DO NORTE. 1984. (Outra).

113.
44ª SEMANA BRASILEIRA DE ENFERMAGEM.SINDICALISMO NA ÁREA DA SAÚDE. 1983. (Outra).

114.
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSIQUIATRIA SOCIAL DA COLÔNIA JULIANO MOREIRA.A "Psiquiatria Comunitária" nos países periféricos (com ênfase na América Latina e Brasil). 1982. (Outra).

115.
I CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSIQUIATRIA SOCIAL DA COLÓNIA JULIANO MOREIRA.A PSIQUIATRIA EXTRA-ASILAR E A IDEOLOGIA DA PREVENÇÃO: A PSIQUIATRIA COMUNITÁRIA NOS PAÍSES PERIFÉRICOS. 1982. (Outra).

116.
SEMINÁRIO SOBRE INTRODUÇÃO ÀS RELAÇÕES ENTRE FILOSOFIA E POLÍTICA. 1981. (Seminário).

117.
SEMINÁRIO SOBRE SAÚDE COMUNITÁRIA. 1981. (Seminário).

118.
32ª REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PROGRESSO DA CIÊNCIA. 1980. (Encontro).

119.
CICLO DE DEBATES "CIÊNCIA E EDUCAÇÃO PARA UMA SOCIEDADE DEMOCRÁTICA.AUTONOMIA UNIVERSITÁRIA. 1980. (Outra).

120.
CURSO DE INTRODUÇÃO À SEMIOLOGIA NO VI CONGRESSO BRASILEIRO DE PSIQUIATRIA. 1980. (Congresso).

121.
CURSO DE POSSIBILIDADE DA PRÁTICA NO CAMPO DA SAÚDE MENTAL NO VI CONGRESSO BRASILEIRO DE PSIQUIATRIA. 1980. (Congresso).

122.
CURSO EPIDEMIOLOGIA PSIQUIÁTRICA NA II JORNADA DE PSIQUIATRIA DO NORTE-NORDESTE BRASILEIRO. 1980. (Outra).

123.
II JORNADA DE PSIQUIATRIA DO NORTE-NORDESTE BRASILEIRO E I JORNADA NORTE-RIO-GRANDENSE DE PSIQUIATRIA. 1980. (Outra).

124.
VI CONGRESSO BRASILEIRO DE PSIQUIATRIA E III REUNIÃO LUSO-BRASILEIRA DE PSIQUIATRIA. 1980. (Congresso).

125.
XIV CONGRESSO NACIONAL DE NEUROLOGIA, PSIQUIATRIA E HIGIENE MENTAL. 1979. (Congresso).

126.
II CURSO DE PSIQUIATRIA PARA FORMAÇÃO DE EQUIPES MULTIDISCIPLINARES.AS FÁRMACODEPENDÊNCIAS. 1978. (Outra).

127.
SEMINÁRIO DE ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA. 1978. (Seminário).

128.
CICLO DE DEBATES "RUMOS PARA UMA POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE".MEMBRO DO GRUPO DE TRABALHO "O SISTEMA DE ATENÇÃO À SAÚDE. 1977. (Outra).

129.
XIII CONGRESSO NACIONAL DE NEUROLOGIA, PSIQUIATRIA E HIGIENE MENTAL. O SISTEMA DE ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL, NO BRASIL. 1977. (Congresso).

130.
I SEMINÁRIO DE PSIQUIATRIA DA RRJN. 1976. (Seminário).

131.
IV CONGRESSO BRASILEIRO DE PSIQUIATRIA. A FORMAÇÃO DE PSIQUIATRAS NO INSTITUTO DE PSIQUIATRIA - UFRJ. 1976. (Congresso).

132.
VI CONFERÊNCIA PAN-AMERICANA DE EDUCAÇÃO MÉDICA E XIV CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO MÉDICA. 1976. (Congresso).

133.
SIMPÓSIO "PSIQUIATRIA COMUNITÁRIA". 1975. (Simpósio).

134.
XII CONGRESSO NACIONAL DE NEUROLOGIA, PSIQUIATRIA E HIGIENE MENTAL. O PRONTUÁRIO HOSPITALAR COMO INSTRUMENTO DE PESQUISA DA PSIQUIATRIA EPIDEMIOLÓGICA. 1975. (Congresso).

135.
XII CONGRESSO NACIONAL DE NEUROLOGIA, PSIQUIATRIA E HIGIENE MENTAL. A ASSISTÊNCIA HOSPITALAR NO INSTITUTO DE PSIQUIATRIA DA UFRJ, NO ANO DE 1974. 1975. (Congresso).

136.
CURSO "PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM E TÉCNICA DE MODIFICAÇÃO DE CONDUTA NO IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DEFICIÊNCIA MENTAL. 1974. (Outra).

137.
III CONGRESSO BRASILEIRO DE PSIQUIATRIA. 1974. (Congresso).

138.
IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DEFICIÊNCIA MENTAL. 1974. (Congresso).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
PINHEIRO, T. X. A. ; ROCHA, P. M. . I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE META-AVALIAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO EM POLÍTICAS DE SAÚDE. 2016. (Outro).

2.
ROCHA, P. M.; MOREIRA, L. F. ; MACEDO, M. R. C. . OFICINA SOBRE O PACTO DE GESTÃO/TERMO DE COMPROMISSO DO RIO GRANDE DO NORTE. 2007. (Outro).

3.
LAGRECA, R. ; ROCHA, P. M. . COMISSÃO ORGANIZADORA DO SEMINÁRIO DE MODERNIZAÇÃO DE GESTÃO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES. 2006. (Outro).

4.
ROCHA, P. M.. OFICINA DE TRABALHO E I MOSTRA ESTADUAL DO PITS - RN. 2002. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Tese de doutorado
1.
LYGIA MARIA DE FIGUEIREDO MELO. ENFERMAGEM E SAÚDE DA FAMÍLIA: COTIDIANO E PODER. Início: 2013. Tese (Doutorado em PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
FRANCISCO GLERISTON VIEIRA. AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DAS USUÁRIAS SOBRE A ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER NO RIO GRANDE DO NORTE. 2014. Dissertação (Mestrado em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, . Orientador: Paulo de Medeiros Rocha.

2.
BENJAMIN BENTO DE ARAÚJO NETO. UMA ANÁLISE DA INTEGRAÇÃO DAS REDES DE ATENÇÃO A SAÚDE NOS ESTADOS DO CE, PI, E RN. 2014. Dissertação (Mestrado em MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, . Orientador: Paulo de Medeiros Rocha.

3.
MARIZE BARROS DE SOUZA ARAÚJO. A EQUIPE NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA: MUDANÇA DE PRÁTICAS ? ESTUDO DE CASO EM NATAL/RN. 2004. Dissertação (Mestrado em MESTRADO EM ENFERMAGEM) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE, . Orientador: Paulo de Medeiros Rocha.

4.
MARCONI DE LIMA ROCHA. PREVIDENCIA E SEGURIDADE SOCIAL: CRISE DE FINANCIAMENTO. 2000. Dissertação (Mestrado em MESTRADO EM SAÚDE COLETIVA) - UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIODE JANEIRO, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Paulo de Medeiros Rocha.

Monografia de conclusão de curso de aperfeiçoamento/especialização
1.
LUIZ GONZAGA DA SILVA. ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE: REFERENCIA DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS NUMA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA, EM NATAL/RN. 2007. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMILIA) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Orientador: Paulo de Medeiros Rocha.

2.
MARIA STELLA FREIRE DA COSTA. O PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO (CD) NO PROGRAMA DE ASSISTENCIA INTEGRAL A SAÚDE DAS CRIANÇAS EM UPANEMA/RN. 2003. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. Orientador: Paulo de Medeiros Rocha.

3.
TANIREIDE MARIA CRUZ. O PROCESSO DE REORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE DA REGIÃO DO TRAIRI: INSERÇÃO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANA BEZERRA NO CONSORCIO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE. 2001. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA) - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. Orientador: Paulo de Medeiros Rocha.



Inovação



Programa de computador registrado
1.
VALENTIM, R. A. M. ; MORAIS, P. S. G. ; OLIVEIRA, I. D. ; BARROS, D. M. S. ; SANTOS, J. P. Q. ; FREIRE, P. A. ; HEKIS, H. R. ; UCHOA, S. A. C. ; SAMPAIO, A. T. L. ; PINHEIRO, T. X. A. ; ROCHA, P. M. . VALIDADOR ON-LINE DO PMAQ-AB. 2013.
Patente: Programa de Computador. Número do registro: BR512013001200-7, data de registro: 09/10/2013, título: "VALIDADOR ON-LINE DO PMAQ-AB" , Instituição de registro: INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial.



Outras informações relevantes


ESTÁGIO PÓS-DOUTORAMENTO EM SAUDE COLETIVA - COM BOLSA DO CNPQ (PROCESSO N.201972-2007/7) DESENVOLVIDO NO INSTITUTO DE MEDICINA PREVENTIVA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA-PORTUGAL, ENTRE MARÇO/2008 A FEVEREIRO/2009.
ATUALMENTE INTEGRA A REDE DE PESQUISAS EM ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE COORDENADA PELO DAB/MS E ABRASCO, COORDENA PESQUISA AVALIATIVA PMAQ-AB, NOS ESTADOS RIO GRANDE DO NORTE, CEARÁ E PIAUÍ, EXERCE A CHEFIA DO DEPARTAMENTO DE SAÚDE COLETIVA DA UFRN, MEMBRO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSUNI) DA UFRN.

APROVADO NO PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O DOUTORADO EM SAÚDE COLETIVA - TURMA 1994 - DO INSTITUTO DE MEDICINA SOCIAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E PARA O DOUTORADO EM SAÚDE PÚBLICA DA ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA EM 1993.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 15/10/2018 às 19:26:04