Cristiano Luis Christillino

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3556870103514385
  • Última atualização do currículo em 22/10/2018


Possui Graduação em Historia pela Universidade Federal de Santa Maria (2001), Mestrado em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2004), Doutorado em História pela Universidade Federal Fluminense (2010) e Pós-Doutorado em História na Universidade Federal de Pernambuco (2012). Atualmente é Professor Adjunto na Universidade Estadual da Paraíba e Professor Efetivo no Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Pernambuco. Tem experiência de pesquisa na área de História, com ênfase em história agrária, história social, história política e arquivos do Brasil e da América Platina no século XIX. Coordena o Grupo de Trabalho Terra na ANPUH/PB. E-mail: christillino@hotmail.com (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Cristiano Luis Christillino
Nome em citações bibliográficas
CHRISTILLINO, C. L.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Estadual da Paraíba, Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.
Rua Baraúnas 351
Bodocongo
58431410 - Campina Grande, PB - Brasil


Formação acadêmica/titulação


2006 - 2010
Doutorado em História.
Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
Título: Litígios ao sul do Império: a Lei de Terras e a consolidação política da Coroa no Rio Grande do Sul (1850-1880)., Ano de obtenção: 2010.
Orientador: Márcia Maria Menendes Motta.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Lei de Terras de 1850; imigração; Política Imperial.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil / Especialidade: História do Brasil Império.
2002 - 2004
Mestrado em História.
Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS, Brasil.
Título: Estranhos em seu próprio chão: o processo de apropriações de terras na Província de São Pedro do Rio Grande do sul (o Vale do Taquari no período de 1840-1889),Ano de Obtenção: 2004.
Orientador: Marcos Justo Tramontini.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas
1998 - 2001
Graduação em Historia.
Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.


Pós-doutorado


2010 - 2012
Pós-Doutorado.
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas


Atuação Profissional



Universidade Estadual da Paraíba, UEPB, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Adjunto Departamento de História, Carga horária: 40

Vínculo institucional

2012 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Linha de pesquisa ARQUIVO, LINGUAGEM E MEMÓRIA

Atividades

02/2013 - Atual
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da América II
História do Brasil Império
História do Brasil IV
08/2012 - 12/2012
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História do Brasil Império
História da América II
História da América II- Noturno
04/2012 - 06/2012
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da América
História da América III
História da Formação da Sociedade Brasileira

Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professor no PPGH

Vínculo institucional

2010 - 2012
Vínculo: Bolsista recém-doutor, Enquadramento Funcional: Bolsista Pós-Doutorado Júnior, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2009
Vínculo: Outro (especifique), Enquadramento Funcional: Aluno


Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS, Brasil.
Vínculo institucional

2002 - 2004
Vínculo: Outro (especifique), Enquadramento Funcional: Aluno de Mestrado em História., Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.
Vínculo institucional

2005 - 2006
Vínculo: Professor, Enquadramento Funcional: Substituto, Carga horária: 40

Atividades

08/2005 - 02/2006
Ensino, Historia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Arqueologia I
Arqueologia II
História Política e Agrária do Brasil Império
Metodologia da Pesquisa em história I
08/2005 - 12/2005
Ensino, Ciências Sociais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História Econômica, Política e Social do Brasil
04/2005 - 07/2005
Ensino, Historia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Arqueologia II
História da África
Laboratório de Prática de Ensino em História III
Metodologia da Pesquisa Científica em História

Escola Estadual de Ensino Médio João de Deus, EEMJD, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2005
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 15

Atividades

05/2004 - 04/2005
Ensino,

Disciplinas ministradas
Geografia
História


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Os presidentes de província do Pará nos quadros da negociação Conservadora (1856-1860)
Descrição: Este projeto versa sobre as relações políticas estabelecidas pelas elites paraenses, na década de 1850, com os Gabinetes ministeriais. A pesquisa em torno da negociação política, no Pará, permite a problematização dos trabalhos clássicos sobre a história política do Período Imperial. Pretendemos mostrar que, mais do que a ?formação homogênea da burocracia?, a hegemonia do Partido Conservador, as redes de relações sociais entre as famílias dos membros do Governo Imperial e as elites provinciais ou mesmo, a ideia do federalismo afirmado no Segundo Reinado, foi a negociação política estabelecida pela Coroa com as elites locais, especialmente em torno da acomodação dos interesses das suas diversas facções, o mecanismo decisivo no processo de afirmação do poder central sobre o local e da estabilidade alcançada na década de 1850. As correspondências dos presidentes de província são riquíssimas fontes de dados sobre as suas negociações com as famílias locais, e a estruturação de suas redes de relações sociais. Em nosso Projeto de Iniciação Científica anterior, analisamos o Pará no período de 1850 a 1855, mas a complexidade geopolítica envolvendo a região amazônica exigiu a investigação do quinquênio seguinte, de modo a analisarmos mais detalhadamente o impacto do Projeto da Marinha dos Estados Unidos na criação de um território escravista na região, como também a questão da fundação da Província do Amazonas. A centralização do poder, atingida no início do Segundo Reinado, propiciou um grande poder de barganha nas mãos da Coroa, em sua negociação política com as elites locais. A execução deste projeto nos possibilitará, além do debate sobre a geopolítica na região amazônica, uma análise da relação entre as elites locais e a Coroa..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Cristiano Luis Christillino - Coordenador.
2017 - Atual
Os presidentes de província do Pará nos quadros da negociação Conservadora (1850-1855)
Descrição: Este projeto versa sobre as relações políticas estabelecidas pelas elites paraenses, na década de 1850, com os Gabinetes ministeriais. Esta investigação parte da análise da produção documental do período e a construção da memória administrativa através dos arquivos da Presidência da Província. A pesquisa em torno da negociação política, no Pará, permite uma discussão com os trabalhos clássicos sobre a história política do Período Imperial. Pretendemos mostrar que, mais importante do que a ?formação homogênea da burocracia?, da questão da hegemonia do Partido Conservador, das redes de relações sociais estabelecidas entre as famílias dos membros do Governo Imperial com as elites provinciais, ou mesmo a ideia do federalismo afirmado no Segundo Reinado, a negociação política estabelecida pela Coroa com as elites locais, especialmente em torno da acomodação dos interesses das suas diversas facções, foi o mecanismo mais importante no processo de afirmação do poder central sobre o local e a estabilidade alcançada na década de 1850. As correspondências dos presidentes de província são fontes privilegiadas em dados sobre as suas negociações com as famílias locais, e a estruturação de suas redes de relações sociais. As disputas entre as famílias paraenses eram anteriores as suas filiações partidárias, e as legendas, na verdade, acomodavam as divergências que decorriam mais das suas lutas pelo poder local, do que a diferenças ideológicas. A centralização do poder atingida no início do Segundo Reinado propiciou um importante poder de barganha nas mãos da Coroa, em sua negociação política com as elites locais. A execução deste projeto nos possibilitará, além do debate sobre uma temática pouco abordada sobre o Pará, uma análise entre as elites locais e a Coroa mais ampla, partindo de uma análise comparativa com a Província da Paraíba..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Cristiano Luis Christillino - Coordenador / Israel Santos - Integrante.
2016 - 2017
Os presidentes de província da Paraíba nos quadros da negociação Conservadora (1850-1855)
Descrição: Este projeto versa sobre as relações políticas estabelecidas pelas elites paraibanas, na década de 1850, com os Gabinetes ministeriais. A pesquisa em torno da negociação política, na Paraíba, permite uma discussão com os trabalhos clássicos sobre a história política do Período Imperial. Pretendemos mostrar que, mais importante do que a ?formação homogênea da burocracia?, da questão da hegemonia do Partido Conservador, das redes de relações sociais estabelecidas entre as famílias dos membros do Governo Imperial com as elites provinciais, ou mesmo a ideia do federalismo afirmado no Segundo Reinado, a negociação política estabelecida pela Coroa com as elites locais, especialmente em torno da acomodação dos interesses das suas diversas facções, foi o mecanismo mais importante no processo de afirmação do poder central sobre o local e a estabilidade alcançada na década de 1850. As correspondências dos presidentes de província são fontes privilegiadas em dados sobre as suas negociações com as famílias locais, e a estruturação de suas redes de relações sociais. As disputas entre as famílias paraibanas eram anteriores as suas filiações partidárias, e as legendas, na verdade, acomodavam as divergências que decorriam mais das suas lutas pelo poder local, do que a diferenças ideológicas. A centralização do poder atingida no início do Segundo Reinado propiciou um importante poder de barganha nas mãos da Coroa, em sua negociação política com as elites locais. Pretendemos mostrar que os chefes paraibanos, que constituíam um importante núcleo da Guarda Nacional, fundamental para o Governo Imperial na manutenção da estabilidade política no ?norte?, exigiram uma maior atenção da Coroa..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Cristiano Luis Christillino - Coordenador.
2015 - 2016
A fina flor paraibana: a elite política e econômica do Brejo no período de 1850 a 1880
Descrição: Este projeto versa sobre as especificidades políticas e econômicas da Paraíba, no período de 1840 a 1880, no quadro das demais províncias do Nordeste. Enquanto nestas unidades políticas do Império, o seu centro econômico girava em torno das lavouras açucareiras na Zona da Mata, na Paraíba este espaço foi ocupado pela região do Brejo, quando a cidade de Areia, a maior da Província, capitaneou as suas principais articulações políticas. A própria Revolta da Praieira teve seus últimos conflitos em Areia, que abrigava um importante núcleo do Partido Liberal. O nosso objetivo é investigar a elite política de Areia e Bananeiras e as suas articulações com o Governo Provincial da Paraíba. A centralização do poder atingida no início do Segundo Reinado propiciou um importante poder de barganha nas mãos da Coroa, em sua negociação política com as elites locais..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Cristiano Luis Christillino - Coordenador.
2014 - 2015
O contraponto paraibano: a hegemonia política e econômica do Brejo no período de 1840 a 1880
Descrição: Este projeto versa sobre as especificidades políticas e econômicas da Paraíba, no período de 1840 a 1880, no quadro das demais províncias do Nordeste. Enquanto nestas unidades políticas do Império, o seu centro econômico girava em torno das lavouras açucareiras na Zona da Mata, na Paraíba este espaço foi ocupado pela região do Brejo, quando a cidade de Areia, a maior da província, capitaneou as suas principais articulações políticas. A própria Revolta da Praieira teve seus últimos conflitos em Areia, que abrigava um importante núcleo do Partido Liberal. O nosso objetivo é investigar a produção agrícola de Areia e as articulações políticas da sua elite a partir da aplicação da Lei de Terras de 1850. A arbitragem sobre os conflitos de terras criou um importante poder de barganha nas mãos da Coroa, em sua negociação política com as elites locais. Os chefes paraibanos, que constituíam um importante núcleo da Guarda Nacional, fundamental para o Governo Imperial na manutenção da estabilidade política no ?norte?, logo exigiam uma maior atenção da Coroa, e a aplicação da Lei de Terras expressa este contexto no Município de Areia. A investigação da documentação relativa a este processo, ainda pouco explorada pelos historiadores, permite aprofundar a discussão sobre a relação estabelecida entre o Governo Imperial e as elites locais, durante o Segundo Reinado..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Cristiano Luis Christillino - Coordenador.
2013 - Atual
A ocupação da Paraíba e do Rio Grande do Sul no século XIX e os recursos naturais: um estudo comparativo
Descrição: Este projeto versa sobre a relação entre a ocupação territorial, por meio da pecuária, e o extrativismo na Paraíba e no Rio Grande do Sul, no período de 1840 a 1880. Propomos analisar o papel dos recursos naturais na ocupação no sertão da Paraíba, na medida em que o desenvolvimento da pecuária, em função das secas, exigia a disposição de recursos diversos, especialmente o acesso a fontes de água. A sua apropriação, e manutenção, produziu organizações familiares com algumas especificidades em relação às demais regiões do Brasil, quando as propriedades permaneciam, em sua maioria, indivisíveis e sob a exploração em comum dos diversos núcleos de uma mesma família. O acesso aos recursos naturais do semiárido da Paraíba também moldou a ocupação em função das atividades em torno das ?drogas do sertão?, fonte importante de complementação de renda para os sertanejos paraibanos, e que ainda foram pouco estudas pelas ciências sociais. No Rio Grande do Sul, Província de ocupação mais recente em relação a Paraíba, pretendemos estabelecer uma discussão que venha demonstrar o peso da relação entre os recursos naturais e a ocupação da terra no seu processo de colonização do Planalto. No Rio Grande do Sul o extrativismo (da erva-mate) não só ocupou uma posição de destaque na economia como também viabilizou o ingresso de um importante número de homens, que a ela se dedicavam, na pecuária..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Cristiano Luis Christillino - Coordenador / Ellen Cristine Alves Silva Canuto - Integrante / Leandro Neves Diniz - Integrante.
2012 - 2013
Das paróquias paraibanas ao centro do Império: a aplicação da Lei de Terras na Província da Paraíba no período de 1850 a 1880
Descrição: Este projeto versa sobre a aplicação da Lei de Terras de 1850 na Província da Paraíba, no período de 1850 a 1880. Pretendemos realizar uma análise que contemple não apenas o impacto da Lei sobre a realidade local, mas principalmente a forma como os proprietários rurais atuaram dentro das novas circunstâncias jurídicas impostas por esta legislação. Seus dispositivos ameaçavam a afirmação de propriedade dos fazendeiros, especialmente nas áreas apropriadas por meio da posse, e também criaram um mecanismo que poderia ser acionado pelos seus confrontantes. Pretendemos discutir como os trâmites de regularização da propriedade fundiária foram utilizados pelos fazendeiros para fazerem frente aos litígios, muito frequentes entre os terratenentes e que, em muitas regiões, estão na base das intensas disputas político/familiares. O julgamento sobre estes processos estava nas mãos dos presidentes provinciais. Nosso objetivo é mostrar que a arbitragem sobre os conflitos de terras criou um importante poder de barganha nas mãos da Coroa, em sua negociação política com as elites locais. Os chefes paraibanos, que constituíam um importante núcleo da Guarda Nacional, fundamental para o Governo Imperial na manutenção da estabilidade política no ?norte?, logo exigiam uma maior atenção da Coroa, e a aplicação da Lei de Terras expressa este contexto. A investigação desta documentação, ainda pouco explorada pelos historiadores, permite aprofundar a discussão sobre a relação estabelecida entre o Governo Imperial e as elites locais, durante o Segundo Reinado..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .
Integrantes: Cristiano Luis Christillino - Coordenador / Ellen Cristine Alves Silva Canuto - Integrante.
Número de produções C, T & A: 1
2010 - 2011
Das províncias periféricas ao centro do Império: a aplicação da Lei de Terras nas províncias de Pernambuco e de São Pedro do Rio Grande do Sul no período de 1850 a 1880.
Descrição: Neste projeto analisamos a aplicação da Lei de Terras nas províncias de São Pedro do Rio Grande do Sul e em Pernambuco, no período de 1850 a 1880. Nele realizamos uma análise comparativa entre as duas unidades do Império, para entender não apenas o impacto da Lei, mas principalmente a forma como os proprietários rurais atuaram dentro das novas circunstâncias jurídicas impostas por esta legislação. Seus dispositivos ameaçavam a afirmação de propriedade dos fazendeiros, especialmente nas áreas apropriadas por meio da posse, e também criaram um mecanismo que poderia ser acionado pelos confrontantes. Neste sentido discutimos como os trâmites de regularização da propriedade fundiária foram utilizados pelos fazendeiros para fazerem frente aos litígios, muito frequentes entre os terratenentes e que, em muitas regiões, estão na base das intensas disputas familiares. O julgamento sobre estes processos estava nas mãos dos presidentes provinciais. Nosso objetivo é mostrar que a arbitragem sobre os conflitos de terras criou um importante poder de barganha nas mãos da Coroa, em sua negociação política com as elites locais. Os chefes sul-rio-grandenses, imprescindíveis a manutenção da hegemonia do Império no Prata, e os pernambucanos, que eram a principal força bélica do Governo Imperial para a manutenção da estabilidade política no ?norte?, exigiam uma maior atenção da Coroa, e a condução dos processos de legitimação de terras expressam este contexto..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2006 - 2009
Nas redes do poder: a Lei de Terras de 1850 e a consolidação do II Reinado.
Descrição: Analisamos a aplicação da Lei de Terras de 1850 na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul. Nossa problemática gira em torno de três eixos do tema: a aplicação da Lei e sua relação com a centralização do Estado Monárquico ocorrida no Segundo Reinado; o impacto da Lei no processo de transição ao capitalismo, e sobre o grupo social dos pequenos posseiros. No primeiro eixo discutimos a influência da Lei de Terras no processo de centralização do Estado Monárquico e a face política proselitista da Coroa na sua implantação. As resoluções dos litígios passavam pelas estruturas burocráticas do Estado, neste sentido procuramos mostrar o uso da política de terras para a cooptação das elites locais, no caso da Província da Província do Rio Grande do Sul, os chefes milicianos da Guarda Nacional e as suas lideranças políticas. No segundo eixo temático discutimos os limites da influência da Lei de Terras na consolidação do capitalismo no Brasil, mostrando que a legislação foi utilizada mais como uma barganha política do que em função de um projeto de modernização da estrutura fundiária brasileira, quando deveria transformar as antigas concessões em títulos de propriedade. No terceiro eixo temático, discutimos o impacto da aplicação da Lei de Terras sobre a população dos pequenos posseiros estabelecidos nas áreas florestais da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul. Analisamos a expropriação dos pequenos posseiros por grileiros e também a sua resistência frente a este processo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2002 - 2004
Estranhos em seu próprio chão: o processo de apropriações e expropriações de terras na província de São Pedro do Rio Grande do Sul (1840-1889).
Descrição: Neste projeto analisamos o processo de apropriações de terras ocorridas no Vale do Taquari, no período de 1840 a 1889. Mostramos a exclusão dos lavradores nacionais, expulsos das suas posses legitimamente constituídas e asseguradas, em sua maioria, pela Lei de Terras de 1850. Analisamos a aplicação da Lei e sua utilização pela elite fundiária nas apropriações e nas afirmações de propriedade. Mostramos que a criação de colônias particulares de imigração constituiu uma importante alternativa econômica encontrada pela elite fundiária das regiões economicamente periféricas da Província neste período. Fato que levou os grileiros, interessados em comercializar lotes coloniais, a expulsar os lavradores nacionais. Assim, demonstramos que a exclusão deste grupo foi o custo social do alargamento da pequena unidade no Rio Grande do Sul..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Membro de corpo editorial


2016 - Atual
Periódico: Revista Documentação e Memória


Revisor de periódico


2011 - Atual
Periódico: CLIO. Série História do Nordeste (UFPE)
2012 - Atual
Periódico: Mundo Agrario (La Plata)
2012 - Atual
Periódico: História Unisinos
2013 - Atual
Periódico: Revista Diálogos
2015 - Atual
Periódico: Topoi (Rio de Janeiro)
2015 - Atual
Periódico: Revista Latino-Americana de História
2015 - Atual
Periódico: Temporalidades
2015 - Atual
Periódico: Revista Brasileira de História (Online)


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil/Especialidade: História do Brasil Império.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil/Especialidade: História do Brasil Colônia.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil/Especialidade: História do Brasil República.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História Moderna e Contemporânea.


Idiomas


Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Francês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Inglês
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2012
Aprovação em primeiro lugar no concurso de História da América e do Brasil da Universidade Estadual da Paraíba, UEPB.
2010
Aprovação em segundo lugar no concurso para professor adjunto da Universidade Federal de Goiás., Universidade Federal de Goiás..
2006
Aprovação em primeiro lugar na seleção de Doutorado em História na Universidade Federal Fluminense, na banca de Contemporânea I, Universidade Federal Fluminense.
2005
Aprovação no Concurso para Professor Substituto no Departamento de História da UFSM, Universidade Federal de Santa Maria.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
CHRISTILLINO, C. L.2017CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras de 1850 e os arquivos: uma janela para o mundo rural do oitocentos. PESQUISA BRASILEIRA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E BIBLIOTECONOMIA, v. 12, p. 250-266, 2017.

2.
CHRISTILLINO, C. L.2016 CHRISTILLINO, C. L.. Os marcos da fazenda Beija-Flor: as estratégias de afirmação de propriedade em meio à aplicação da Lei de Terras de 1850. Revista de História da Unisinos, v. 20, p. 60-72, 2016.

3.
CHRISTILLINO, C. L.2015 CHRISTILLINO, C. L.. Uma riqueza nas matas do Rio Grande: o extrativismo, os fazendeiros e os trabalhadores do mate no século XIX. Saeculum (UFPB), v. 01, p. 225-241, 2015.

4.
CHRISTILLINO, C. L.2013 CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras e a afirmação da grilagem no Rio Grande do Sul. Saeculum (UFPB), v. 01, p. 103-118, 2013.

5.
CHRISTILLINO, C. L.2013CHRISTILLINO, C. L.. A Zona da Mata Pernambucana e a Serra Gaúcha: apontamentos sobre a estrutura fundiária em meados do XIX. CLIO. SÉRIE HISTÓRIA DO NORDESTE (UFPE), v. 01, p. 70-103, 2013.

6.
1CHRISTILLINO, C. L.2012 CHRISTILLINO, C. L.. Sob a pena presidencial: a Lei de Terras de 1850 no Rio Grande do Sul e a negociação política. TEMPO. REVISTA DO DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA DA UFF, v. 16, p. 223-245, 2012.

7.
2CHRISTILLINO, C. L.2010CHRISTILLINO, C. L.. Os estancieiros da Província de São Pedro: a pecuária em meados do século XIX no sul do Império. Territórios e Fronteiras (UFMT. Impresso), v. 03, p. 239-259, 2010.

8.
6CHRISTILLINO, C. L.2008CHRISTILLINO, C. L.. Gritos no silêncio: a resistência dos ervateiros sul-rio-grandenses em defesa de suas posses. Cadernos do CEOM (Unochapecó), v. 01, p. 43-69, 2008.

9.
3CHRISTILLINO, C. L.2008CHRISTILLINO, C. L.. A colonização no Rio Grande do Sul no século XIX. Mneme (Caicó. Online), v. 08, p. 103-131, 2008.

10.
4CHRISTILLINO, C. L.2008CHRISTILLINO, C. L.. A política de teras do Estado Imperial na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul. Escritas (Goiânia), v. 01, p. 83-104, 2008.

11.
7CHRISTILLINO, C. L.2008CHRISTILLINO, C. L.. O mato rebelde. Coletêneas do Nosso Tempo, v. 07, p. 87-111, 2008.

12.
5CHRISTILLINO, C. L.2008CHRISTILLINO, C. L.. A tensão nos ervais: a resistência dos homens livres e pobres frente ao avanço da imigração no Rio Grande do Sul. Saeculum (UFPB), v. 18, p. 143-160, 2008.

13.
9CHRISTILLINO, C. L.2006CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras de 1850: uma face oculta da centralização monárquica. Revista do CCSH, Santa Maria, v. 19, p. 26-42, 2006.

14.
8CHRISTILLINO, C. L.2006CHRISTILLINO, C. L.. A burocracia e a aplicação da Lei de Terras: o caso da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul. Outros Tempos (Online), v. 03, p. 133-155, 2006.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
CHRISTILLINO, C. L.; BRANDAO, T. M. P. (Org.) . Nas bordas da plantation : agricultura e pecuária no Brasil Colônia e Império. 01. ed. Recife: Editora da UFPE, 2014. 302p .

Capítulos de livros publicados
1.
CHRISTILLINO, C. L.. Proposta complementar à Lei de Terras de Varnhagen: considerações sobre os projetos de colonização na fronteira sul-mato-grossense na década de 1850. In: Maria do Carmo Brazil; Maria Teresa Garritano Dourado; Elaine Cancian. (Org.). CAMPOS DE ERÊ Estudos sobre a formação do ambiente rural no sul de Mato Grosso (1829-1892).. 01ed.Campo Grande: Ed. da UFMS, 2017, v. 01, p. 93-114.

2.
CHRISTILLINO, C. L.. O Golpe de 1964 e a trajetória da resistência rural. In: Tiago Bernardon de Oliveira; Luciano Queiroz Aires; Vânia Cristina da Silva. (Org.). Poder, memória e resistência: os 50 anos do Golpe de 1964 e outros ensaios. 01ed.João Pessoa: Editora do CCTA, 2016, v. , p. 139-1544.

3.
CHRISTILLINO, C. L.. Além da plantation: estrutura fundiária e a produção de alimentos em Pernambuco e na Paraíba. In: Antônio Fernando de Araújo Sá, Bruno Gonçalves Alvaro. (Org.). Cultura, memória e poder: história e historiografia. 01ed.Recife: Editora da UFPE, 2016, v. , p. 114-130.

4.
CHRISTILLINO, C. L.. Fronteiras e migrações no II Reinado: algumas considerações sobre as províncias de São Pedro, Pernambuco e Mato Grosso. In: João Paulo Rodrigues; Vitale Joanoni Neto. (Org.). Os 40 anos de Faire de l?histoire e a historiografia brasileira ? IV Seminário Internacional de História e Historiografia. 01ed.Cuiabá: EDUFMT, 2016, v. , p. 103-124.

5.
CHRISTILLINO, C. L.. O homem livre e pobre no Brasil oitocentista. In: Tiago Bernardon de Oliveira. (Org.). Trabalho e trabalhadores no Nordeste:análises e perspectivas históricas em Alagoas, Pernambuco e Paraíba. 01ed.Campina Grande: Eduepb, 2015, v. , p. 220-243.

6.
CHRISTILLINO, C. L.. Pernambuco no Império: apontamentos sobre a estrutura fundiária e de poder na Zona da Mata em meados do XIX. In: José Adilson Filho. (Org.). Poder local, educação e cultura em Pernambuco. 1ed.São Paulo: Paco Editorial, 2014, v. , p. 125-150.

7.
CHRISTILLINO, C. L.; LACERDA, A. H. D. . A agricultura de subsistência em Pernambuco, Minas e no Rio Grande. In: Cristiano Luís christillino; Tanya Maria Pires Brandão. (Org.). Nas bordas da plantation : agricultura e pecuária no Brasil Colônia e Império. 01ed.Recife: Editora da UFPE, 2014, v. , p. 61-84.

8.
CHRISTILLINO, C. L.. A pecuária no Brasil Meridional em meados do XIX. In: Tanya Maria Pires Brandão; Cristiano Luís Christillino. (Org.). Nas bordas da plantation : agricultura e pecuária no Brasil Colônia e Império. 01ed.Recife: Editora da UFPE, 2014, v. , p. 247-272.

9.
CHRISTILLINO, C. L.. Os trabalhadores livres na produção da erva-mate no Rio Grande do Sul oitocentista. In: Christine Rufino Dabat; Maria do Socorro Abreu e Lima. (Org.). O mundo dos trabalhadores e seus arquivos- Nordeste. 01ed.Recife: Editora Universitária, 2013, v. , p. 161-190.

10.
CHRISTILLINO, C. L.. Agricultura e extrativismo na província dos estancieiros. In: José Otávio Aguiar; André Figueiredo Rodrigues; Edson Silva. (Org.). Natureza e cultura nos domínios de Clio: história, meio ambiente e questões étnicas. 01ed.Campina Grande: EDUFCG, 2012, v. , p. 177-208.

11.
CHRISTILLINO, C. L.. A Câmara de Vereadores de Taquari em 1852: um recorte micro da conjuntura da colonização. In: Evandro Fernandes; Rosane Neumann; Roswithia Weber. (Org.). Imigração: diálogos e novas abordagens. 01ed.São Leopoldo: Oikos, 2012, v. , p. 174-181.

12.
CHRISTILLINO, C. L.. O cotidiano rural no Rio Grande do Sul na segunda metade do XIX: das estâncias aos ervais.. In: Paulo Possamai e Edgar Gandra. (Org.). Estudos de História do Cotidiano.. Pelotas: Editora da UFPEL, 2011, v. , p. 147-170.

13.
CHRISTILLINO, C. L.. Sendo senhor: eu grilo. A desconstrução das cadeias sucessórias.. In: Márcia Motta; María Verónica Secreto. (Org.). Direito às avessas: por uma história social da propriedade.. 1ed.Niterói; Guarapuava: Eduff; Unicentro, 2011, v. 01, p. 193-214.

14.
CHRISTILLINO, C. L.. Ação de esbulho. In: Elione Silva Guimarães; Márcia Motta. (Org.). Propriedades e Disputas: fontes para a história dos oitocentos. 01ed.Niterói; Guarapuava: Eduff; Unicentro, 2011, v. 01, p. 87-90.

15.
CHRISTILLINO, C. L.. Ação ordinária e sumária. In: Elione Silva Guimarães; Márcia Motta. (Org.). Propriedades e disputas: fontes para a história dos oitocentos. 01ed.Niterói; Guarapuava: Eduff; Unicentro, 2011, v. 01, p. 91-95.

16.
CHRISTILLINO, C. L.. Processo de embargo. In: Elione Silva Guimarães; Márcia Motta. (Org.). Propriedades e disputas: fontes para a história dos oitocentos. 01ed.Niterói; Guarapuava: Eduff; Unicentro, 2011, v. 01, p. 115-119.

17.
CHRISTILLINO, C. L.. Manutenção de posse. In: Elione Silva Guimarães; Márcia Motta. (Org.). Propriedades e disputas: fontes para a história dos oitocentos. 01ed.Niterói; Guarapuava: Eduff; Unicentro, 2011, v. 01, p. 137-140.

18.
CHRISTILLINO, C. L.. libelo cível. In: Elione Silva Guimarães; Márcia Motta. (Org.). Propriedades e disputas: fontes para a história dos oitocentos. 01ed.Niterói; Guarapuava: Eduff; Unicentro, 2011, v. 01, p. 141-144.

19.
CHRISTILLINO, C. L.. Atas da Câmara. In: Elione Silva Guimarães. (Org.). Propriedades e disputas: fontes para a história dos oitocentos. 01ed.Niterói; Guarapuva: Eduff; Unicentro, 2011, v. 01, p. 163-166.

20.
CHRISTILLINO, C. L.. Atas das câmaras municipais. In: Elione Silva Guimarães; Márcia Motta. (Org.). Propriedades e disputas: fontes para a história dos oitocentos. 01ed.Niterói; Guarapuava: Eduff; Unicentro, 2011, v. 01, p. 167-170.

21.
CHRISTILLINO, C. L.. Relatórios ministeriais. In: Elione Silva Guimarães. (Org.). Propriedades e disputas: fontes para a história dos oitocentos. 01ed.Niterói; Guarapuava: Eduff; Unicentro, 2011, v. 01, p. 213-216.

22.
CHRISTILLINO, C. L.. A Guarda Nacional sul-rio-grsandense e a aplicação da Lei de Terras: a expressão de uma política de negociação. In: Paulo Cesar Possamai. (Org.). Gente de Guerra e Fronteira: estudos de história militar do Rio Grande do Sul. 01ed.Pelotas: Editorada UFPEL, 2010, v. , p. 157-174.

23.
CHRISTILLINO, C. L.. Litígios fundiários em terras de guerreiros: a aplicação da Lei de Terras no Rio Grande do Sul. In: OLINTO, Beatriz; MOTTA, MÁRCIA; OLIVEIRA, Oséias.. (Org.). História agrária: propriedade e conflito. 01ed.Guarapuava: UNICENTRO, 2009, v. , p. 359-378.

24.
CHRISTILLINO, C. L.. A colonização e a grilagem no Rio Grande do Sul no XIX. In: GUIMARÃES, Elione Silva; MOTTA, Márcia Maria Menendes. (Org.). Campos em Disputa: história agrária e companhia. 01ed.São Paulo: Annablume, 2007, v. , p. 245-270.

25.
CHRISTILLINO, C. L.. Companhias colonizadoras. In: Márcia Motta. (Org.). Dicionário da terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005, v. , p. 112-112.

26.
CHRISTILLINO, C. L.. Mata virgem. In: Márcia Motta. (Org.). Dicionário da Terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005, v. , p. 111-111.

27.
CHRISTILLINO, C. L.. A imigração alemã no vale do Taquari: empresários empreendedores e uma elite estagnada. In: Marcos Antônio Witt; Isabel Cristina Arendt. (Org.). História, cultura e memória: 180 anos de imigração alemã. 01ed.São Leopoldo: Oikos, 2005, v. 01, p. 308-317.

28.
CHRISTILLINO, C. L.. O processo imigratório e a política fundiária em meados do XIX. In: Marcos Justo tramontini; Artur Blásio rambo; Martin Norberto Dreher. (Org.). Imigração e imprensa. 1ed.Porto Alegre; São Leopoldo: EST; Instituto Histórico de São Leopoldo, 2004, v. , p. 01-372.

29.
CHRISTILLINO, C. L.. A importância da carreta na economia regional. In: Joel Abílio Pinto dos Santos. (Org.). Sâo Valentim: carretas e carreteiros.. Santa Maria: Editora da UFSM, 2002, v. , p. 18-19.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
CHRISTILLINO, C. L.. O Nordeste na historiografia sobre a política no Segundo Reinado. In: XXVII Simpósio Nacional da ANPUH, 2013, Natal. Anais do XXVI simpósio nacional da ANPUH. São Paulo: ANPUH, 2013.

2.
CHRISTILLINO, C. L.. Entreo mato e a presidência: a resistência dos ervateiros no Rio Grande do Sul (1850-1880).. In: XXVIII Congresso Internacional da Sociedade Latino-Americana de Sociologia, 2011, Recife. Anais do XXVIII Congresso Internacional da Sociedade Latino-Americana de Sociologia, 2011.

3.
CHRISTILLINO, C. L.. Litígios ao sul do Império: a Lei de Terras e a consolidação política da Coroa no Rio Grande do Sul (1850-1880). In: XXVI simpósio nacional da ANPUH, 2011, São Paulo. Anais do XXVI simpósio nacional da ANPUH - Associação Nacional de História. São Paulo: ANPUH-SP, 2011.

4.
CHRISTILLINO, C. L.. A colonização alemã em solos rio-grandenses: projetos e grilagem no XIX.. In: X Seminário Nacional dos Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras., 2009, Ivoti. Imigração: do particular ao geral.. Porto Alegre: Corag, 2008. v. 01. p. 415-422.

5.
CHRISTILLINO, C. L.. Na teia dos inventários e dos tabelionatos: a evolução do preço da terra na Província do Rio Grande do Sul entre 1850 e 1880.. In: II Encontro do GT História Agrária- ANPUH/RS, 2009, Porto Alegre. Anais do II Encontro do GT de História Agrária da ANPUH/RS., 2009. v. 01.

6.
CHRISTILLINO, C. L.. A pecuária no Brasil Meridional: a estrutura dos rebanhos e a classificação dos criadores.. In: XXV Simpósio nacional de História- História e ética., 2009, Fortaleza. Anais do XXV Smpósio nacional de História.. Fortaleza: ANPUH, 2009. v. 01.

7.
CHRISTILLINO, C. L.. Gristos no silêncio: a resistência dos ervateirosno Rio Grande do Sul na segunda metade do século XIX.. In: ANPUH-Rio, 2008, Seropédica. Anais eletrônico do XIII Encontro de História da ANPUH-Rio., 2008.

8.
CHRISTILLINO, C. L.. Estratégia de família na ocupação do Planalto sul-rio-grandense no XIX.. In: IX Encontro Estadual de História, 2008, Porto Alegre. Vestígios do Passado: a História e suas fontes: Anais Eletrônico.. Porto Alegre: ANPUH/RS, 2008. p. 01-13.

9.
CHRISTILLINO, C. L.. Legitimações de terras, imigração e a política da Coroa na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul. In: Historia e Multidisciplinariedade: territórios e deslocamentos, 2007, São Leopoldo. Anais do XXIV Encontro Nacional de História, 2007.

10.
CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras e a transição ao capitalismo. In: XII Encontro Regional de História da ANPUH/RJ, 2006, Niterói. http://www.uff.br/ichf/anpuhrio/Anais/2006.

11.
CHRISTILLINO, C. L.. O litígio de Primórdio e Maria José: uma análise micro da propriedade privada e da transição ao capitalismo no Brasil oitocentista.. In: VIII Encontro Estadual de História, 2006, Caxias do Sul. Anais do VIII Encontro Estadual de História- ANPUH/RS, 2006.

12.
CHRISTILLINO, C. L.. A burocracia e a aplicação da Lei de Terras. In: I Encontro do GT de História Agrária, 2005, Porto Alegre. Anais do I Encontro do GT de História Agrária, 2005.

13.
CHRISTILLINO, C. L.. A política fundiária e a centralização monárquica: a Lei de Terras de 1850. In: Colóquio em História Agrária, 2005, Niterói. Anais do Colóquio em História Agrária, 2005.

14.
CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras de 1850 e o proselitismo da Coroa. In: VII Encontro Estadual de História, 2004, Pelotas-RS. Anais do VII Encontro Estadual de História, 2004.

15.
CHRISTILLINO, C. L.. O mato: uma questão social. In: VII Encontro Estadual de História, 2004, Pelotas-RS. Anais do VII Encontro Estadula de História, 2004.

16.
CHRISTILLINO, C. L.. A política no Segundo Reinado. In: Seminário Internacional: a Filosofia Intercultural, 2003, Canoas-RS. Anasi do Seminário Internacional: a Filosofia Intercultural, 2003.

17.
CHRISTILLINO, C. L.. O uso dos registros paroquiais de terras nas pesquisas de história agrária. In: VI Encontro Estadual de História, 2002, Passo Fundo-RS. Anais do VI Encontro Estadual de História.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
CHRISTILLINO, C. L.. ambiente e trabalho no horizonte da imigração: a colonização do Rio Grande do Sul na segunda metade do XIX. In: III Seminário Internacional História e Historiografia, 2012, Fortaleza. Anais do III Simpósio Internacional História e Historiografia. Fortaleza: Editora da UFC, 2012. p. 178-179.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
CHRISTILLINO, C. L.. Antônio Gonçalves Chaves: um liberal moderado e visionário para a época da Independência do Brasil. In: XVIII Encontro Estadual de História, 2018, João Pessoa. Anais do XVIII Encontro Estadual de História. João Pessoa: Editora CCTA, 2018. v. 01. p. 119-119.

2.
CHRISTILLINO, C. L.. Os presidentes de província da Paraíba nos quadros da negociação conservadora. In: XVII Encontro Estadual de História ANPUH/PB, 2016, Guarabira. Caderno de resumos do XVII Encontro Estadual de História. João Pessoa: ANPUH, 2016. p. 71-71.

3.
CHRISTILLINO, C. L.. As terras públicas e a colonização: o projeto de Francisco Adolfo Varhagen. In: V Seminário InternacionalHistória e Historiografia, 2016, Recife. Caderno de Resumos: V Seminário InternacionalHistória e Historiografia. Recife: Editora da UFPE, 2016. p. 44-45.

4.
CHRISTILLINO, C. L.. A ocupação da Paraíba e do Rio Grande do Sul no século XIX e os recursos naturais: um estudo comparativo. In: XVI Encontro Estadual de História- ANPUH-PB, 2014, Camipna Grande. Anais do XVI Encontro Estadual de História- ANPUH-PB. A União: João Pessoa, 2014. p. 36-36.

5.
CHRISTILLINO, C. L.. O Nordeste na historiografia sobre a política no Segundo Reinado. In: XXVII Encontro Nacional de História, 2013, Natal. Caderno de resumos do XVII Encontro Nacional de História, 2013. p. 914-914.

6.
CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras de 1850: a negociação política entre a Freguesia e o Ministério. In: III Seminário de História Política, 2013, Salvador. Anais III Seminário de História Política. Salvador, 2013. p. 22-22.

7.
CHRISTILLINO, C. L.. A fronteira gaúcha e a colonização: a questão ambiental no Rio Grande do Sul na segunda metade do XIX. In: História Ambiental: debates interdisciplinares, 2013, Recife. História Ambiental: debates interdisciplinares- Programação e resumos, 2013. p. 13-13.

8.
CHRISTILLINO, C. L.. Entre o mato e a presidência: a resistência dos ervateiros no Rio Grande do Sul. In: XVIII Congresso Internacional da Associação Latino-Americana de Sociologia, 2011, Recife. Resumos do XVIII Congresso Internacional da Associação Latino-Americana de Sociologia, 2011.

9.
CHRISTILLINO, C. L.. A relação política entre a Coroa e as elites locais: o caso da aplicação da Lei de Terras de 1850 no Rio Grande do Sul. In: II Seminário Poderes e Sociabilidades na História- cadernos de resumo, 2010, Recife. II Seminário Poderes e Sociabilidades na História. Recife: Editora Universitária, 2010. v. 01. p. 29-30.

10.
CHRISTILLINO, C. L.. A província Meridional e a Lei de Terras de 1850: um enfoque político. In: II Encontro de História do Império Brasileiro, 2010, João Pessoa. Caderno de Resumos do II Encontro de História do Império Brasileiro. João Pessoa: Editora da UFPB, 2010. v. 01. p. 39-39.

11.
CHRISTILLINO, C. L.. A pecuária no Brasil Meridional: a estrutura dos rebanhos e a classificação dos criadores.. In: XXV Encontro Nacional de História, 2009, Fortaleza. Caderno de resumos do XXv Encontro Nacional de História.. Fortaleza: Editora, 2009. p. 292-292.

12.
CHRISTILLINO, C. L.. Estratégias de família na ocupação do planalto sul-rio-grandense no XIX.. In: IX Encontro Estadual de História ANPUH-RS, 2008, Porto Alegre. Cadernos de resumos do IX Encontro Estadual de História ANPUH-RS. São Leopoldo: OIKOS, 2008. v. 01. p. 77-77.

13.
CHRISTILLINO, C. L.. Gritos no silêncio: a resistência dos ervateiros no Rio grande do Sul na segunda metade do século XIX.. In: XIII Encontro de História ANPUH-Rio: Identidades., 2008, Seropédica. Cadernos de Resumos do XIII Encontro de História ANPUH-Rio., 2008. v. 01. p. 332-332.

14.
CHRISTILLINO, C. L.. Legitimações de terras, imigração e a política da Coroa na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul. In: XXIV Encontro Nacional de História, 2007, São Leopoldo. Anais do XXIV Encontro Nacional de História. São Leopoldo: OIKOS, 2007. p. 217-217.

15.
CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras e a transição ao capitalismo no Brasil: uma análise micro dos efeitos da Lei na afirmação de propriedade. In: XII Encontro Regional de História ANPUH-Rio, 2006, Niteroi. XII Encontro Regional de História ANPUH-Rio, 2006. p. 62-62.

16.
CHRISTILLINO, C. L.. O mato: uma questão social. In: VII Encontro Estadual de História, 2004, Pelotas. Cadernos de resumos do VII Encontro Estadual de História. São Leopoldo: Oikos, 2004. v. 1. p. 89-89.

17.
CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras de 1850 e o proselitismo da Coroa.. In: VII Encontro Estadual de História, 2004, Pelotas-RS. Anais do VII Encontro Estadual de História. São Leopoldo: Oikos, 2004.

18.
CHRISTILLINO, C. L.. O Trabalho dos Lavradores nacionais no século XIX. In: I Colóquio Internacional de Trabalho e sociedade Solidária e IV Encontro sobre o Mundo do Trabalho, 2003, São Leopoldo-RS. Resumo dos Trabalhos Apresentadosno I Colóquio Internacional Trabalho e Sociedade Solidária, 2003. p. 33-33.

19.
CHRISTILLINO, C. L.. A política no Segundo reinado. In: Seminário Internacional: a Filosofia Intercultural Face aos Desafios da Globalização, 2003, Canoas-RS. http://www.asafti.org/sem2003/trabalhos/, 2003.

20.
CHRISTILLINO, C. L.. A importância dos autos de medições de terras na análise dos lavradores nacionais.. In: II Seminário de Pesquisas do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul, 2002, Porto Alegre-RS. Caderno de Resumos do II Seminário de Pesquisas do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul, 2002.

21.
CHRISTILLINO, C. L.. O uso dos registros paroquiais de terras nas pesquisas de historia agrária.. In: VI Encontro Estadual de História, 2002, Passo Fundo-RS. Caderno de Resumos do VI Encontro Estadual de História, 2002.

22.
CHRISTILLINO, C. L.. O Processo de apropriação das terras do Vale do Taquari na período de 1820 a 1860. In: II Congresso Internacional de Educação Popular, 2001, Santa Maria-RS. Anais do II Congresso Internacional de Educação Popular, 2001. p. 51-51.

Apresentações de Trabalho
1.
CHRISTILLINO, C. L.. Antônio Gonçalves Chaves: um liberal moderado e visionário para a época da Independência do Brasil. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

2.
CHRISTILLINO, C. L.. Vinho velho em pipa nova: propostas ?alternativas? a Lei das Terras e as fronteiras do Império do Brasil na década de 1850. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
CHRISTILLINO, C. L.. Movimentos sociais na longa duração. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
CHRISTILLINO, C. L.. Poder central e autonomia provincial na segunda metade do XIX. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
CHRISTILLINO, C. L.. E. P. Thompson e a historiografia. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
CHRISTILLINO, C. L.. Os presidentes de província da Paraíba nos quadros da negociação conservadora. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
CHRISTILLINO, C. L.. A questão agrária no século XIX: entre a política e o Estado. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

8.
CHRISTILLINO, C. L.. A Farroupilha e a consolidação do Império no Prata. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

9.
CHRISTILLINO, C. L.. As terras públicas e a colonização: o projeto de Francisco Adolfo Varhagen. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

10.
CHRISTILLINO, C. L.. Os limites da Fazenda Beija-Flor: disputas, política e mercado de terras na Província de São Pedro no Segundo Reinado. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
CHRISTILLINO, C. L.. A aplicação da Lei de Terras e as fronteiras internas do Império. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

12.
CHRISTILLINO, C. L.; NUNES, F. A. ; JOANONI NETO, V. ; FRANCISCO, A. J. . História e Migrações. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

13.
CHRISTILLINO, C. L.. A ocupação da Paraíba e do Rio Grande do Sul no século XIX e os recursos naturais: um estudo comparativo. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

14.
CHRISTILLINO, C. L.. A agricultura brasileira após o Golpe de 1964. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

15.
CHRISTILLINO, C. L.. Cultura e poder: trajetórias, diálogos e interações na historiografia contemporânea. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

16.
CHRISTILLINO, C. L.. A fronteira e a territorialidade nos ervais do Planalto sul-rio-grandense (1850-1870). 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

17.
CHRISTILLINO, C. L.. Reflexões sobre a Lei de Terras e a Lei Euzébio de Queiróz na consolidação do Segundo Reinado no Brasil. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

18.
CHRISTILLINO, C. L.. O Nordeste na historiografia sobre a política no Segundo Reinado. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

19.
CHRISTILLINO, C. L.. O trabalho na sociedade escravocrata. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

20.
CHRISTILLINO, C. L.. Pesquisa histórica nos oitocentos e perspectivas historiográficas. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

21.
CHRISTILLINO, C. L.. A construção da ordem no Segundo Reinado. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
CHRISTILLINO, C. L.. Litígios ao Sul do Império: a Lei de Terras e a consolidação da Coroa no Rio Grande do Sul. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

23.
CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras de 1850: a negociação política entre a Freguesia e o Ministério. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

24.
CHRISTILLINO, C. L.. A fonteira gaúcha e a colonização: a questão ambiental no Rio Grande do Sul na segunda metade do século XIX. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

25.
CHRISTILLINO, C. L.. O Cinema na Sala de Aula. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

26.
CHRISTILLINO, C. L.. Das câmaras municipais ao Paço Imperial: as relações políticas entre as elites locais e a Coroa no período de 1850 a 1880.. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

27.
CHRISTILLINO, C. L.. O homem livre e pobre nos fios e rastros dos arquivos dos oitocentos. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

28.
CHRISTILLINO, C. L.. Ambiente e trabalho no horizonte da imigração: a colonização no Rio Grande do Sul na segunda metade do XIX.. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

29.
CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras de 1850 e a historiografia dos oitocentos. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

30.
CHRISTILLINO, C. L.. As elites rurais em Pernambuco e no Rio Grande do Sul no século XIX. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

31.
CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras de 1850.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

32.
CHRISTILLINO, C. L.. Entre as províncias de Pernambuco e de São Pedro: a história agrária e política oitocentista numa perspectiva comparada.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

33.
CHRISTILLINO, C. L.. Litígios ao sul do Império: a Lei de Terras e a consolidação política da Coroa no Rio Grande do Sul (1850-1880). 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

34.
CHRISTILLINO, C. L.. Entre o mato e a presidência: a resistência dos ervateiros no Rio Grande do Sul (1850-1880).. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

35.
CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras de 1850: entre a absolutização da propriedade e o veto dos barões. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

36.
CHRISTILLINO, C. L.. Os trabalhadores livres na agricultura do Brasil oitocentista. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

37.
CHRISTILLINO, C. L.. A Câmara de Vereadores de Taquari em 1852: um recorte micro da conjuntura da colonização.. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

38.
CHRISTILLINO, C. L.. A relação política entre a Coroa e as elites locais: o caso da aplicação da Lei de Terras de 1850 no Rio Grande do Sul.. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

39.
CHRISTILLINO, C. L.. A Província Meridional e a Lei de Terras de 1850: um enfoque político.. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

40.
CHRISTILLINO, C. L.. A pecuária no Brasil Meridional: a estrutura dos rebanhos e a classificação dos criadores.. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

41.
CHRISTILLINO, C. L.. A aplicação da Lei de Terras no vale do Taquari.. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

42.
CHRISTILLINO, C. L.. Na teia dos inventários e dos tabelionatos: a evolução do preço da terra na Província do Rio Grande do Sul. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

43.
CHRISTILLINO, C. L.. A colonização alemã em solos rio-grandenses: projetos e grilagens no XIX.. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

44.
CHRISTILLINO, C. L.. Estratégias de família na ocupação do planalto sul-rio-grandense no XIX.. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

45.
CHRISTILLINO, C. L.. Gritos no silêncio: a resistência dos ervateiros do Rio Grande do Sul na segunda metade do século XIX.. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

46.
CHRISTILLINO, C. L.. A colonização não chegou na Campanha: a imigração no Rio Grande do Sul e as questões ambientais.. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

47.
CHRISTILLINO, C. L.. Litígios agrários em terras de guerreiros: a aplicação da Lei de Terras no Rio Grande do Sul. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

48.
CHRISTILLINO, C. L.. Legitimações de terras, imigração e a política da Coroa na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

49.
CHRISTILLINO, C. L.. A ocupação do Vale do Taquari no Século XIX e perspectivas de pesquisa.. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

50.
CHRISTILLINO, C. L.. A elite gaúcha e a colonização no Rio grande do Sul. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

51.
CHRISTILLINO, C. L.. A colonização e a grilagem no Rio Grande do Sul no XIX. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

52.
CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras e a consolidação da propriedade fundiária. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

53.
CHRISTILLINO, C. L.. As frentes de expansões e a ocupação do Rio Grande do Sul. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

54.
CHRISTILLINO, C. L.. A burocracia e a aplicação da Lei de Terras de 1850. 2005. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

55.
CHRISTILLINO, C. L.. A política fundiária e a centralização monárquica: a Lei de Terras de 1850. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

56.
CHRISTILLINO, C. L.. O mato: uma questão social. 2004. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

57.
CHRISTILLINO, C. L.. A Lei de Terras de 1850 e o proselitismo da Coroa. 2004. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

58.
CHRISTILLINO, C. L.. A imigração alemã no Vale do Taquari: empresários empreendedores e uma elite estagnada. 2004. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

59.
CHRISTILLINO, C. L.. A política imperial no Segundo Reinado. 2003. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

60.
CHRISTILLINO, C. L.. O trabalho dos lavradores nacionais no século XIX.. 2003. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

61.
CHRISTILLINO, C. L.. A imigração alemã e o processo de valorização fundiária no Rio Grande do Sul na segunda metade do século XIX.. 2003. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

62.
CHRISTILLINO, C. L.. A importância dos autos de medições de terras na análise dos lavradores nacionais. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

63.
CHRISTILLINO, C. L.. O processo imigratório e a política fundiária em meados do século XIX. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

64.
CHRISTILLINO, C. L.. O uso dos registros paroquiais de terras nas pesquisas de história agrária. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

65.
CHRISTILLINO, C. L.. O processo de apropriação de terras no Vale do Taquari no Período de 1824 à 1860. 2001. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

66.
CHRISTILLINO, C. L.. O processo de apropriação das terras do vale do Taquari no período de 1820 a 1860.. 2001. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

67.
CHRISTILLINO, C. L.. A importância economica da carreta. 2000. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

68.
CHRISTILLINO, C. L.. O imperialismo entre os Astecas. 1999. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
CHRISTILLINO, C. L.. Participação na Comissão Científica do XVI Encontro Estadual de História. 2014.

2.
CHRISTILLINO, C. L.. Participação na Comissão Científica no XXVII Encontro Nacional de História. 2013.

3.
CHRISTILLINO, C. L.. Avaliação Ad-hoc de Projetos de Iniciação Científica da UFFS na área de Ciências Humanas. 2013.

Trabalhos técnicos
1.
CHRISTILLINO, C. L.. Grilagem de terras no ale do taquari no período de 1824 a 1860. 2000.


Demais tipos de produção técnica
1.
CHRISTILLINO, C. L.; ADILSON FILHO, J. . Elites e poder no império e na república: permanências e continuidades. 2012. .

2.
CHRISTILLINO, C. L.. Pesquisa Documental em História. 2012. .

3.
CHRISTILLINO, C. L.. A Micro-História e o conceito cotidiano. 2005. .

Demais trabalhos
1.
CHRISTILLINO, C. L.. CCSH vai à Escola. 2000 (monitoria) .

2.
CHRISTILLINO, C. L.. Monitoria da Disciplina Teoria e Metodologia da História-UFSM. 2000 (monitoria) .

3.
CHRISTILLINO, C. L.. Monitoria da Disciplina de História da América II- Curso de História da UFSM. 2000 (Monitoria) .

4.
CHRISTILLINO, C. L.. Monitoria da Disciplina de História da América I. 1999 (Monitoria) .



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
CHRISTILLINO, C. L.; MIRANDA, C. A. C.; MARIANO, S. R. C.. Participação em banca de Jônatas Lins Duarte. Modernização do Porto e do Bairro do Recife: impactos causados pelas obras na população da freguesia (1909-1914). 2018. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

2.
CHRISTILLINO, C. L.; MARIANO, S. R. C.; CURY, C. E.. Participação em banca de Myrai Araujo Segal. Espaços de autonomia e negociação: a atuação dos deputados provinciais da Paraíba no cenário político imperial (1855-1875). 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal da Paraíba.

3.
CHRISTILLINO, C. L.; CAVANI, S.; SILVA, W. B.. Participação em banca de Flávia Bruna Ribeiro da Silva Braga. Ditadura, abolição e república: a propaganda da geração positivista em Pernambuco (1875-1889). 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

4.
CHRISTILLINO, C. L.; ARANHA, G. B.; LIMA, L. M.. Participação em banca de Hugo Paz de Farias Braga. Campina Grande no Império: poder local e disputas políticas. 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Campina Grande.

5.
CHRISTILLINO, C. L.; CURY, C. E.; MARIANO, S. R. C.. Participação em banca de Juliana Dantas Rabelo. Relações de poder e recrutamento militar na Paraíba durante a Guerra do Paraguai. 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal da Paraíba.

6.
CHRISTILLINO, C. L.; CARVALHO, M. J. M.; DORNELES, B. A. C.; GUIMARAES, C. G.. Participação em banca de Amanda Barlavento Gomes. De traficante de escravos a Barão de Beberibe: a trajetória de Francisco Antonio de Oliveria, 1820-1855. 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

7.
CHRISTILLINO, C. L.; MACHADO, N. T. G.; DALMAZ, M.. Participação em banca de Karen Daniela Pires. A abolição da escravatura em textos do Jornal Taquaryense - História Ambiental. 2016. Dissertação (Mestrado em Ambiente e Desenvolvimento) - Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES.

8.
CHRISTILLINO, C. L.; CAVANI, S.; ALMEIDA, L. S.. Participação em banca de Helder Silva de Melo. Donos de gado e gente: fortuna, sociedade e escravidão na segunda metade do XIX- Limoeiro- Alagoas. 2015. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

9.
CHRISTILLINO, C. L.; DABAT, C. P. Y. R.; BITOUN, J.. Participação em banca de Laura Patrícia Lopes da Hora. "A praça é do povo como o céu é do condor": arborização do Recife no século XIX (1840-1880). 2015. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

10.
CHRISTILLINO, C. L.; DABAT, C. P. Y. R.; SUASSUNA, C. C. A.. Participação em banca de Raíssa Orestes Carneiro. Os donos das florestas: código florestal, debates políticos e direito de propriedade na discussão sobre a conservação das matas em Pernambuco (1889-1911). 2015. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

11.
CHRISTILLINO, C. L.; DABAT, C. P. Y. R.; MELO, F. P. L.. Participação em banca de Mateus Samico Simon. "As imensas, glória e coroa de todos os bosques do mundo" e a "Zona-da-Mata": sociedade, paisagens e recursos florestais na colonização do Nordeste (C. A. 1780-1808). 2014. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

12.
CHRISTILLINO, C. L.; MIRANDA, C. A. C.; DABAT, C. P. Y. R.. Participação em banca de Leandro Aquino Wanderlei. Religiosidade e conflito no Sertão Conselheirista: a relação entre o clero da Arquidiocese da Bahia com Antonio Conselheiro e seus acólitos (1874-1897). 2013. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

13.
CHRISTILLINO, C. L.; DABAT, C. P. Y. R.; MELO, P. P.. Participação em banca de Victor Hugo Luna Peres. Os chins nas Sociedades Tropicais de Plantação: estudo das propostas de importação de trabalhadores chineses sob o contrato e suas experiências de trabalho e vida no Brasil (1814-1878). 2013. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

14.
CHRISTILLINO, C. L.; CARVALHO, M. J. M.; CAVANI, S.. Participação em banca de Paulo Henrique Fontes Cadena. Ou há de ser Cavalcanti, ou há de ser cavalgado:trajetórias políticas dos Cavalcanti de Albuquerque (Pernambuco, 1801 ? 1844).. 2011. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

Teses de doutorado
1.
CHRISTILLINO, C. L.; LIMA, M. S. A. E.; SILVA, J. B.; MACIEL, O. A.; SILVA JUNIOR, A. B.. Participação em banca de Gladyson Stélio Brito Pereira. Livres quase escravos: Resistência à violência e a situações análogas a de escravidão na zona da mata norte alagoana durante a redemocratização do Brasil (1985 - 1997). 2018. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

2.
DORNELES, B. A. C.; CARVALHO, M. J. M.; GALVES, M. C.; CHRISTILLINO, C. L.; VASCONCELOS, M. E.. Participação em banca de Paulo Henrique Fontes Cadena. O vice-rei: Pedro de Araújo Lima e a governança do Brasil no século XIX. 2018. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

3.
CHRISTILLINO, C. L.; HARRES, M. M.; MOURAD, L. A. F. A. P.; MOREIRA, P. R. S.; RAMIREZ, H. R.. Participação em banca de Michelle Nunes Morais. Sertão do Rio Doce: posse e propriedade (1940-1960). 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

4.
CHRISTILLINO, C. L.; CARVALHO, M. J. M.; SILVA, J. B.; SILVA, G. C. M.; FUNES, E.. Participação em banca de Luana Teixeira. Comércio interprovincial de escravos em Alagoas no Segundo Reinado. 2016. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

5.
CHRISTILLINO, C. L.; BRANDAO, T. M. P.; DABAT, C. P. Y. R.; ANDRADE, J. A.; MACIEL, C. A. A.. Participação em banca de Amaro Hélio Leite da Silva. Colônia Militar Leopoldina: "das matas incultas" às "matas civilizadas" (1851-1867). 2016. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

6.
CHRISTILLINO, C. L.; CUNHA, L. H. H.; CORREA, J. G. S.; BATISTA, M. R. R.; MIRANDA, R. S.. Participação em banca de Aldo Manoel Branquinho Nunes. Dinâmicas de fronteira e conformação das estruturas social e fundiária nos "Sertões da Borborema" entre finais do século XVIII e início do XX. 2016. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Campina Grande.

7.
CHRISTILLINO, C. L.; CAVANI, S.; CORD, M. M.; SILVA, W. B.; BARBOSA, M. S. F.. Participação em banca de Manuel Nunes Cavalcanti Junior. "O egoísmo, a degradante vingança e o espírito de partido": a História do predomínio liberal ao movimento regressista (Pernambuco 1834-1837). 2015. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

8.
LIMA, E. C. A.; LIMA, M.; CHRISTILLINO, C. L.; NASCIMENTO, C. G.; NASCIMENTO, R. V.; LINDOSO, J. A. S.. Participação em banca de Michelly Pereira de Sousa Cordão. O jogo político da democracia: lutas simbólicas na "redemocratização" brasileira (1984-1985). 2015. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Campina Grande.

9.
CHRISTILLINO, C. L.; BRANDAO, T. M. P.; DABAT, C. P. Y. R.; MACIEL, O. A.; FARIA, M. S.. Participação em banca de Juliana Alves de Andrade. Gente do Vale: experiências camponesas no interior da Província de Alagoas (1870-1890). 2014. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

10.
CHRISTILLINO, C. L.; SANTOS, J. R. Q.; MARIN, J. R.; LANGER, P. P.; BRAZIL, M. C.. Participação em banca de Elaine Aparecida Cancian de Almeida. Nos confins do sertão de Miranda: ocupação, povoamento, economia e trabalho (1830-1892). 2014. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal da Grande Dourados.

Qualificações de Doutorado
1.
CHRISTILLINO, C. L.; CARVALHO, M. J. M.; CAMARA, B. A. D.; GALVES, M. C.. Participação em banca de Paulo Henrique Fontes cadena. O vice-rei: Pedro Araujo Lima e a governança do Brasil no século XIX. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

2.
CHRISTILLINO, C. L.; DABAT, C. P. Y. R.; BRANDAO, T. M. P.. Participação em banca de Josali do Amaral. A presença do Império na Amazônia Ocidental: ocupação da Província do Amazonas, fronteiras e comércio (1850-1880). 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

3.
CHRISTILLINO, C. L.; MOREIRA, P. R. S.; RAMOS, E. H. C.; WITT, M. A.. Participação em banca de Williams Andrade de Souza. O Império das (nas) municipalidades: as elites e o Governo da cidade no Brasil oitocentista (Recife, 1828-1849). 2017. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

4.
CHRISTILLINO, C. L.; CUNHA, L. H. H.; CORREA, J. G. S.. Participação em banca de Aldo Manoel Branquinho Nunes. Dinâmicas de fronteira e conformação das estruturas social e fundiária nos "sertões da Borborema" ente finais do século XVIII e início do sáculo XX. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Campina Grande.

5.
CHRISTILLINO, C. L.; NUNES, F. A.; RICCI, M. M. O.; FONTES, E. J. O.. Participação em banca de Maria José dos Santos. A Lei de Terras de 1850 na Província do Amazonas: a aplicação da lei de apropriação das fazendas nacionas na fronteira do Rio Branco (1830-1894). 2016. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal do Pará.

6.
CHRISTILLINO, C. L.; SILVA, J. B.; LIMA, M. S. A. E.. Participação em banca de Gladyson Stélio Brito Pereira. Capitalismo e escravidão contemporânea- entre permanências e mudanças: violência e maus tratos aos trabalhadores alagoanos em fins do século XX. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

7.
CHRISTILLINO, C. L.; BRANDAO, T. M. P.; ANDRADE, J. A.. Participação em banca de Amaro Hélio Leite da Silva. Colônia Militar Leopoldina (Alagoas): das matas incultas as matas civilizadas (1851-1867). 2015. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

8.
CHRISTILLINO, C. L.; BRANDAO, T. M. P.; MACIEL, O. A.. Participação em banca de Juliana Alves de Andrade. Gente do Vale: experiências camponesas no interior da Província das Alagoas (1870-1890). 2013. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

Qualificações de Mestrado
1.
CHRISTILLINO, C. L.; MARIANO, S. R. C.; ROCHA, S. P.. Participação em banca de Ellen Cristina Alves Canuto. A aplicação da Lei de Terras no Sertão Paraibano: Freguesia de Patos (1850-1889). 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal da Paraíba.

2.
CHRISTILLINO, C. L.; NUNES, P. G. A.; OLIVEIRA, T. B.; SANTOS NETO, M. G.. Participação em banca de Aline Marques da Silva. Poder local e democratização na Paraíba: política e relações de poder no município de Mamanguape (1947-1964). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal da Paraíba.

3.
CHRISTILLINO, C. L.; MARIANO, S. R. C.; CURY, C. E.. Participação em banca de Juliana Dantas Rabelo. A Paraíba no contexto da Guerra do Praguai (1864-1870). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal da Paraíba.

4.
CHRISTILLINO, C. L.; MARIANO, S. R. C.; CURY, C. E.. Participação em banca de Myrai Araujo Segal. A atuação dos deputados provinciais da Paraíba no cenário político imperial (1855-1875). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal da Paraíba.

5.
CHRISTILLINO, C. L.; ARANHA, G. B.; LIMA, L. M.. Participação em banca de Hugo Paz de Farias Braga. Campina Grande: do Império a República (1878-1891). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Campina Grande.

6.
CHRISTILLINO, C. L.; CAVANI, S.; SILVA, W. B.. Participação em banca de Flávia Bruna Ribeiro da Silva Braga. Ditadura, abolição e república: a propaganda da geração positivista em Pernambuco (1875-1889). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

7.
CHRISTILLINO, C. L.; CAVANI, S.; GALVAO NETA, I. S.. Participação em banca de Hélder Silva de Melo. Donos de gado e de fortuna: fortuna, sociedade e escravidão na segunda metade do século XIX. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

8.
CHRISTILLINO, C. L.; CARVALHO, M. J. M.; CAMARA, B. A. D.. Participação em banca de Amanda Barlavento Gomes. O barão traficante e as redes sociais do tráfico de escravos em Pernambuco: a trajetória negreira de Francisco Antonio de Oliveira, 1820-1855. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

9.
CHRISTILLINO, C. L.; DABAT, C. P. Y. R.; SUASSUNA, C. C. A.. Participação em banca de Raíssa Orestes Carneiro. Os donos das florestas: código florestal, debates políticos e direito de propriedade na discussão sobre a conservação das matas em Pernambuco (1889-1911). 2014. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

10.
CHRISTILLINO, C. L.; ROCHA, S. P.; RODRIGUES, F.. Participação em banca de Hezrom Vieira Costa Lima. O processo de construção da identidade Quilombola na Comunidade Caiana dos Crioulos: memória, cultura e História (1949-2005). 2014. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal da Paraíba.

11.
CHRISTILLINO, C. L.; SILVA, J. B.; CARVALHO, M. J. M.. Participação em banca de Dayvison da Silva Freitas. O tráfico e a Justiça: Uma análise da repressão ao tráfico atlânticos de africanos a partir do desembarque de Serinhaém. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

12.
CHRISTILLINO, C. L.; DABAT, C. P. Y. R.; MELO, P. P.. Participação em banca de Victor Hugo Luna Peres. Os 'chins' nas Sociedades Tropicais de Plantação: estudo das propostas de importação de trabalhadores chineses sob contrato e suas experiências de trabalho e vida no Brasil. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

13.
CHRISTILLINO, C. L.; PADUA, J. A.; DABAT, C. P. Y. R.; MELO, P. P.. Participação em banca de Mateus Samico Simon. Colonização e vegetais: humanos, plantas e florestas na Zona da mata da Capitania Geral de Pernambuco (1756-1808). 2013. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Pernambuco.

14.
CHRISTILLINO, C. L.; CARVALHO, M. J. M.; CAVANI, S.. Participação em banca de Paulo Henrique Fontes Cadena. Que ou há de ser Cavalcanti ou há de ser cavalgado- Fortuna e poder em Pernambuco (1801-1844). 2011. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Pernambuco.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
LIMA, D.; LOPES, G. A.; CHRISTILLINO, C. L.. Participação na Banca de Concurso Público para Professor Adjunto de História Econômica da Universidade Federal da Paraíba. 2014. Universidade Federal da Paraíba.

2.
CHRISTILLINO, C. L.; BARROS, O. M.; ARAUJO, M. L. R.. Seleção de professor substituto para s Disciplina de História Contemporânea.. 2012. Universidade Estadual da Paraíba.

Outras participações
1.
CHRISTILLINO, C. L.; ADILSON FILHO, J.; BARBOSA, D. E. S.. Participação na Comissão de Seleção de Monitoria do Componente Curricular de Teoria da História I. 2013. Universidade Estadual da Paraíba.

2.
CHRISTILLINO, C. L.; RAMOS, M. L. L.; FREIRE, L.. Seleção de professor substituto na área de História da América e do Brasil. 2013. Universidade Estadual da Paraíba.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
III Encontro Internacional de História Regional. 2015. (Encontro).

2.
IV Seminário Internacional de História e Historiografia. 2015. (Seminário).

3.
IV Encontro de História do Império Brasileiro. 2014. (Encontro).

4.
XVI Encontro Estadual de História- ANPUH-PB. 2014. (Encontro).

5.
III Seminário de História Política. 2013. (Seminário).

6.
I Seminário Nacional de História e Contemporaneidades. 2013. (Seminário).

7.
XXVII Simpósio Nacional de História. 2013. (Simpósio).

8.
I Encontro O Mundo dos Trabalhadores e seus Arquivos-Nordeste.O homen livre e pobre nos fios e rastros dos arquivos dos oitocento.. 2012. (Encontro).

9.
III Seminário Internacional História e Historiografia. 2012. (Seminário).

10.
IX Encontro Estadual de História. 2012. (Encontro).

11.
XV Encontro Estadual de História da ANPUH-PB. 2012. (Encontro).

12.
Colóquio História do Crime e da Segurança Pública. 2011. (Outra).

13.
XXVIII Congresso Internacional da Associação Latino-Americana de Sociologia. 2011. (Congresso).

14.
XXVI Simpósio Nacional de História. 2011. (Simpósio).

15.
II Seminário Poderes e Sociabilidades na História. 2010. (Seminário).

16.
XXV Simpósio nacional de História- História e ética. 2009. (Encontro).

17.
IX Encontro Estadual de História ANPUH-RS. 2008. (Encontro).

18.
XIII Encontro de História ANPUH-Rio: Identidades. 2008. (Encontro).

19.
X Seminário Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras.. 2008. (Seminário).

20.
II Colóquio de História Agrária.A colonização e a grilagem no Rio Grande do Sul no XIX. 2007. (Outra).

21.
XXIV Encontro Nacional de História. 2007. (Encontro).

22.
XII Encontro Estadual de História.A Lei de Terras e a consolidação da propriedade fundiária. 2006. (Encontro).

23.
Colóquio em História Agrária.Colóquio em História Agrária. 2005. (Seminário).

24.
I Encontro do GT de História Agrária. 2005. (Encontro).

25.
Modernidade e Pós-Modernidade: Identidade, Fronteiras e Cultura. 2005. (Seminário).

26.
Simpósio de Integração entre a História, Arte e Educação. 2005. (Seminário).

27.
VII Encontro Estadual de História. 2004. (Encontro).

28.
VII Seminário Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras. 2004. (Seminário).

29.
A escrita da História: Modos (I). 2003. (Seminário).

30.
I Colóquio Internacional Trabalho e Sociedade Solidária e IV Encontro de Estudos sobre o Mundo do Trabalho. 2003. (Outra).

31.
Imigração Alemã no Rio Grande do Sul: Recortes. 2003. (Seminário).

32.
Seminário Internacional: A Filosofia Intercultural Face aos Desafios da Globalização. 2003. (Seminário).

33.
Curso de francês instrumental I. 2002. (Outra).

34.
II Seminário de Pesquisas do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul. 2002. (Seminário).

35.
I Simpósio Nacional de História Cultural. 2002. (Simpósio).

36.
Seminário Nacional: Imigração e imprensa. 2002. (Seminário).

37.
VI Encontro Estadual de História - Ser Historiador Hoje. 2002. (Encontro).

38.
53ª Reunião Anual da SBPC. 2001. (Encontro).

39.
Curso Hablando I. 2001. (Outra).

40.
II Congresso Internacional de Educação popular. 2001. (Congresso).

41.
Seminário Internacional História e Livro. 2001. (Seminário).

42.
100 anos de Gilberto Freire. 2000. (Seminário).

43.
A Carreta na Historiografia Riograndense. 2000. (Seminário).

44.
Congresso Internacional: Terra Brasil 500. 2000. (Congresso).

45.
Congresso Internacional terra Brasil 500. 2000. (Congresso).

46.
Curso Sobre a Origem da Civilização e sua Influência Biológica nas Populações. 2000. (Outra).

47.
Diretrizes Curriculares do Curso de História. 2000. (Outra).

48.
II Encontro Gaúcho de estudantes de História. 2000. (Encontro).

49.
II Encontro Regional de Estudantes de História. 2000. (Encontro).

50.
IV Seminário Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras. 2000. (Seminário).

51.
Livro Didático- Uma História em Construção. 2000. (Seminário).

52.
Setenta anos da Revolução de 30. 2000. (Seminário).

53.
Ciclo interdisciplinar de estudos e debates. 1999. (Seminário).

54.
Contemporaneidades. 1999. (Seminário).

55.
Encontro Internacional de Educação Libertária. 1999. (Encontro).

56.
Feira das Profissões- 2ª Edição.O perfil do Curso de História. 1999. (Oficina).

57.
Guerra da Iogoslávia. 1999. (Seminário).

58.
Historiadores para um novo século: santo da casa também faz milagre. 1999. (Seminário).

59.
I Encontro Gaúcho de Estudantes de História- Teorias da História. 1999. (Encontro).

60.
Luiz Carlos Prestes e o Brasil do Século XX. 1999. (Seminário).

61.
Rio Grande do Sul: Quatro séculos de História. 1999. (Outra).

62.
Teorias Políticas e Políticas do Estado. 1999. (Seminário).

63.
VIII Semana Acadêmica de História e I Seminário Internacional do Diretório Quilombo dos palmares. 1999. (Seminário).

64.
1ª Semana Acadêmica do Curso de Ciências Sociais. 1998. (Encontro).

65.
África pré-colonial. 1998. (Seminário).

66.
Cooperativismo: utopias e realizações. 1998. (Seminário).

67.
História: análise do passado e projeto social. 1998. (Seminário).

68.
História Antiga: estudos e interpretações da antiguidade. 1998. (Seminário).

69.
Seminário Internacional sobre Trabalho e Socieda e no Mercosul. 1998. (Seminário).

70.
VII Semana Acadêmica da História:globalização e história. 1998. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
CHRISTILLINO, C. L.; SILVA, W. B. . Coordenação do Simpósio Temático "Política, burocracia, escravidão e cidadania no oitocentos". 2017. (Outro).

2.
CHRISTILLINO, C. L.; CAVANI, S. . Coordenação do Simpósio Temático História social e polica no período Imperial- Segundo Encontro do Nemat. 2017. (Outro).

3.
CHRISTILLINO, C. L.; ALVEAL, C. M. O. . Coordenação do Simpósio Temático "Terra e família nas encruzilhadas do poder". 2016. (Outro).

4.
CHRISTILLINO, C. L.; NUNES, F. A. ; FONTES, E. J. O. . Coordenação do Simpósio Temático "Terra, trabalho, fronteiras, migrações, natureza e movimentos sociais". 2016. (Outro).

5.
CHRISTILLINO, C. L.; NUNES, F. A. . Coordenação do Simpósio Temático Fronteiras e Migrações. 2015. (Outro).

6.
CHRISTILLINO, C. L.; NEUMANN, R. M. . Organização do Simpósio Temático "História do mundo rural: imigração e colonização". 2015. (Outro).

7.
CHRISTILLINO, C. L.. A Historiografia do Brasil Oitocentista: debates recentes. 2014. (Outro).

8.
CHRISTILLINO, C. L.; PESSOA, A. E. . Coordenação do Simpósio Temático História Agrária: diálogos com a história social e ambiental. 2014. (Outro).

9.
CHRISTILLINO, C. L.; ARAS, L. M. B. . Coordenação do Simpósio Temático "Poderes e cultura política no Brasil" no XXVII Simpósio Nacional de História. 2013. (Outro).

10.
CHRISTILLINO, C. L.. Coordenação do Simpósio Temático História Política do Nordeste. 2013. (Outro).

11.
CHRISTILLINO, C. L.; ARAS, L. M. B. . Coordenação do GT História Ambiental: diálogos com a História Política e Agrária. 2013. (Outro).

12.
CHRISTILLINO, C. L.; ADILSON FILHO, J. . Coordenação do Grupo de trabalho "História e Cultura Política", no XI Encontro de Ensino Pesquisa e Extensão da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Caruaru.. 2012. (Outro).

13.
CHRISTILLINO, C. L.. Encontro Mundo Atlântico: perspectivas e abordagens em História Social. 2011. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Alysson Duarte Cabral. Recrutamento militar em tempos de litígio: clientelismo político e relações de poder na província da Paraíba durante a Guerra do Paraguai (1864-1870).. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

2.
Julio César Pereira dos Santos. Homens de "cor" letrados no pós-abolição: analisando o paraibano Eliseu Elias César (1890-1923). Início: 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Hugo Paz de Faria Braga. Família, riqueza e poder político: Campina grande 1880-1905. Início: 2018. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Pernambuco. (Orientador).

2.
Lucian Souza da Silva. Esmagando a cabeça da hydra: O Movimento Abolicionista na Parahyba do Norte (1864-1888). Início: 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Pernambuco. (Orientador).

3.
Priscilla Emmanuelle Formiga Pereira. Ecos de uma Revolta: Ideias, Poder e Praieira na Parahyba (1848-1853). Início: 2016. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Pernambuco. (Orientador).

4.
Rozeane de Albuquerque Lima. Nas encruzilhadas da proteção ambiental: a história do IBAMA pela experiência de seus agentes. Brasil-1989-2014. Início: 2016. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Coorientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Rafael Santana Bezerra. Raça, loucura e cidadania: Nina Rodrigues e o Código Civil (1899-1916). 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Cristiano Luis Christillino.

2.
Denise de Menezes Dantas. Um. 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Cristiano Luis Christillino.

3.
Leandro Neves Diniz. A transição do trabalho escravo para o livre na Paraíba oitocentista. 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Cristiano Luis Christillino.

4.
Rafaella Valença de Andrade Galvão. No Recife Oitocentista brada um jornal de homens de cor: realidade constitucional ou dissolução social! (1876). 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Cristiano Luis Christillino.

5.
Roberto José Souza e Silva. De armas nas mãos em tempos belicosos: pretos e brancos alistados na Guarda Nacional da província de Pernambuco na década de 1850. 2015. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Cristiano Luis Christillino.

6.
Davi Costa Aroucha. Mudanças na infraestrutura de transportes do Recife oitocentista: permanência e resistência de trabalhadores (1862-1888). 2015. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Cristiano Luis Christillino.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
José Hélio de Oliveira Melo. Relações de poder na Paraíba oitocentista: as obras públicas e o clientelismo político na década de 1850. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Estadual da Paraíba. Orientador: Cristiano Luis Christillino.

2.
Andréa de Fatima Emidio de Araujo. A relação entre o senhor de engenho e os trabalhadores rurais na zona canavieira do Cajueiro (1950-1997) - Matinhas/PB. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Estadual da Paraíba. Orientador: Cristiano Luis Christillino.

3.
Maria Isabel Macedo Rodrigues. A Guarda Nacional na Paraíba no período de 1850 a 1880. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Estadual da Paraíba. Orientador: Cristiano Luis Christillino.

4.
Maria Isabel Macedo Rodrigues. A Guarda Nacional na Paraíba no período de 1850 a 1880. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Estadual da Paraíba. Orientador: Cristiano Luis Christillino.

5.
Ellen Cristine Alves Silva Canuto. Lei de Terras de 1850: Um estudo sobre a propriedade de terra no município de Patos. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Estadual da Paraíba. Orientador: Cristiano Luis Christillino.

6.
Leandro neves Diniz. Os homens livres pobres na transição do trabalho escravo para o livre na Paraíba oitocentista. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Estadual da Paraíba. Orientador: Cristiano Luis Christillino.




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 23/10/2018 às 21:33:21