Marcelo Henrique Nogueira Diana

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/0798531800076172
  • Última atualização do currículo em 14/03/2018


Professor efetivo EBTT da área de História no Instituto Federal Catarinense (IFC), Campus Araquari. Líder do grupo de pesquisa cadastrado no CNPq e certificado pelo IFC "Observatório social: culturas, linguagens e subjetividades", atualmente com dois projetos financiados pelo CNPq de pesquisa histórica sobre 1) a formação do médico veterinário e 2) as narrativas do acontecimento trágico, ambos sediados no IFC. Doutor em Ciência Política pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP/UERJ), realizou pós-doutorado no Departamento de História da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), com financiamento PNPD/CAPES. Mestre em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ), Licenciado em História com formação complementar em Ciência Política e Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Foi pesquisador visitante entre 2009 e 2010 no Institute for the Study of the Americas (ISA), University of London, com financiamento PDSE/CAPES. Membro da Associação Nacional de História (ANPUH) e da Sociedade Brasileira de História da Ciência (SBHC). Atuou como docente na Universidade Federal Fluminense (UFF) e na Pós-graduação em História da África e do Negro da Universidade Cândido Mendes (UCAM). Pesquisador de Artes Visuais como formação pela Escola de Artes Visuais (EAV) do Parque Lage onde realizou cursos de Formação Artística (Espaço, Plano, História da Arte), Videoarte, História da crítica de arte brasileira: concretismo e neoconcretismo, Monotipia, Serigrafia e Oficina Gráfica. Desenvolve pesquisa histórica e gráfica em artes visuais com foco em arquivos históricos digitais para a produção e manipulação de imagens. Tem experiência de ensino e pesquisa nas áreas de História e Ciências Sociais, com interesse para os seguintes temas: testemunhos; história e narrativas visuais; história da psicanálise; história da medicina; história da arte. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Marcelo Henrique Nogueira Diana
Nome em citações bibliográficas
DIANA, M. H. N.

Endereço


Endereço Profissional
Instituto Federal Catarinense, Campus Araquari.
BR 280, Km 27
Porto Grande
89245000 - Araquari, SC - Brasil - Caixa-postal: 21
Telefone: (47) 38037200
Ramal: 7254
URL da Homepage: http://araquari.ifc.edu.br/


Formação acadêmica/titulação


2007 - 2013
Doutorado em CIÊNCIA POLÍTICA.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
com período sanduíche em University of London (Orientador: Colin Lewis).
Título: O demônio familiar: pensamento social e psiquismo em Os sertões, Ano de obtenção: 2013.
Orientador: Luiz Jorge Werneck Vianna.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: História do Brasil República; História dos saberes psi; pensamento social brasileiro.
Grande área: Ciências Humanas
2005 - 2006
Mestrado em Ciência Política (Ciência Política e Sociologia).
Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, IUPERJ, Brasil.
Título: Imaginação política pós-ditadura: uma leitura de A Fúria do Corpo, de João Gilberto Noll e Em Liberdade, de Silviano Santiago,Ano de Obtenção: 2006.
Orientador: Luiz Jorge Werneck Vianna.
Bolsista do(a): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ, FAPERJ, Brasil.
Palavras-chave: Cultura brasileira pós-1964; Teoria Política Contemporânea; Literatura Brasileira.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil.
Setores de atividade: Educação.
2001 - 2004
Graduação em História.
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais, FAPEMIG, Brasil.


Pós-doutorado


2014 - 2015
Pós-Doutorado.
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ, Brasil.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas


Formação Complementar


2012 - 2012
Fundamentação em Artes. (Carga horária: 182h).
Escola de Artes Visuais do Parque Lage, EAV, Brasil.
2001 - 2004
Antropologia. (Carga horária: 180h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2003 - 2003
Psicologia Social. (Carga horária: 60h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2003 - 2003
Tópico em Filosofia Contemporânea: Lukacs. (Carga horária: 60h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2003 - 2003
Seminário em Filosofia Contemporânea: Wittgenstein. (Carga horária: 60h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2002 - 2003
Latim. (Carga horária: 180h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2002 - 2002
Introdução à Ciência do Direito. (Carga horária: 45h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2002 - 2002
Teoria Geral do Estado. (Carga horária: 60h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2001 - 2001
Filosofia da Ciência e Epistemologia. (Carga horária: 60h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.


Atuação Profissional



Instituto Federal Catarinense, IF-Catarinense, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor EBTT, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

03/2016 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Campus Araquari, .

03/2016 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Reitoria, PROPI.

Cargo ou função
Membro da Comissão de Elaboração e Sistematização do Aplicativo para Cursos Novos (APCN) Mestrado em Educação "Formação de Professores e Tecnologias para Sustentabilidade".
10/2015 - Atual
Ensino,

Disciplinas ministradas
História

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pós-doutorado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
A pesquisa tem como foco explorar o Arquivo Arthur Ramos, depositado na Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro, com o objetivo de remontar a rede de intercâmbios intelectuais articulada em torno do médico, psiquiatra, educador e antropólogo alagoano, Arthur Ramos (1903-1949). Na análise do material compilado consideramos tanto os diferentes saberes envolvidos, como a medicina, a crimonologia, a psicanálise e a antropologia, na constituição dessa rede em torno do nome de Arthur Ramos; isto por um lado, por outro, situamos a constituição dessa rede a partir das diferentes estratégias de trocas e reciprocidades intelectuais observadas não apenas pelas citações em textos, mas também nas trocas de obras e de cartas entre Ramos e os diversos interlocutores envolvidos na sua intensa automodelagem intelectual.

Atividades

03/2014 - Atual
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Introdução à História
Teoria e Metodologia da História II
02/2014 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Departamento de História e Relações Internacionais.


Fundação Biblioteca Nacional, FBN, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Residente, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Selecionado para o Programa Nacional de Apoio a Pesquisadores Residentes (PNAP-R) da Fundação Biblioteca Nacional, financiado pelo Ministério da Cultura, com o projeto "Arthur Ramos: Narrativa Profissional e a circulação de ideias psi no Brasil (1926-1949).


Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2013
Vínculo: Professor Substituto, Enquadramento Funcional: Assistente I, Carga horária: 40

Atividades

08/2011 - 08/2013
Ensino, Serviço Social, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História dos Direitos Sociais no Brasil
Introdução à Economia Política e ao Serviço Social
Teoria do Estado

Universidade Candido Mendes, UCAM, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor convidado, Carga horária: 8
Outras informações
Professor convidado para docência da disciplina "O negro no pensamento social no Brasil", no curso de pós-graduação em História da Africa e do Negro no Brasil.


Instituto de Estudos da Religião, ISER, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Professor, Enquadramento Funcional: Colaborador, Carga horária: 60
Outras informações
Docência no curso de Formação para Formadores de Agentes de Segurança Pública: "Jornadas Formativas em Direitos Humanos com ênfase no Estudo e na Pesquisa em Segurança Pública com Cidadania".


University of London, UL, Inglaterra.
Vínculo institucional

2009 - 2010
Vínculo: Visiting Doctoral Fellow, Enquadramento Funcional: Pesquisador em estágio, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Visiting Doctoral Fellow no Institute for the Studies of the Americas na University of London. Bolsista PDEE/Capes. http://ilas.sas.ac.uk/fellowships/visiting-fellows


Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, IUPERJ, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2008
Vínculo: Livre, Enquadramento Funcional: Pesquisador, Carga horária: 20
Outras informações
Pesquisador do Centro de Estudos Direito e Sociedade, CEDES/IUPERJ (www.cedes.iuperj.br).


Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, FIPE, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Entrevistador, Enquadramento Funcional: livre, Carga horária: 40
Outras informações
Projeto vinculado à ANAC, trabalho efetuado nos Aeroportos Santos Dumont e Galeão (Rio de Janeiro).


Datamétrica Consultoria, Pesquisa e Telemarketing, DATAMÉTRICA, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Entrevistador, Enquadramento Funcional: livre, Carga horária: 40
Outras informações
Coleta de informações e aplicação de questionário aos beneficiários do Ministério do Desenvolvimento Social da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.


Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Vínculo institucional

2003 - 2005
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador de Iniciação Científica (PIBIC), Carga horária: 20
Outras informações
Bolsista de PIBIC/FAPEMIG no trabalho desenvolvido pela Profª Drª Carla Maria Junho Anastasia sobre autonomização da burocracia, abuso de poder e violência no universo masculino da mineração brasileira colonial.

Vínculo institucional

2001 - 2002
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Programa de Aprimoramento Discente (PAD), Carga horária: 20
Outras informações
Selecionado para o Programa de Aprimoramento Discente (PAD), do Departamento de História. Trabalho monográfico desenvolvido sob a orientação da professora Profa. Dra. Carla Maria Junho Anastasia, de título "Nos caminhos do poder: política e religiosidade nos hospícios nas Minas setecentistas".



Linhas de pesquisa


1.
Arquivo Arthur Ramos: história das ciências e reciprocidades intelectuais
2.
História das ciências e da educação

Objetivo: Esta linha acolhe pesquisas que se propõem a colocar em perspectiva histórica a ciência enquanto discurso de saber e de suposto conhecimento no Ocidente moderno, ressaltando e contextualizando os aspectos propriamente históricos, portanto, sociais, das produções científicas e educacionais, de forma a fomentar é alteridade histórica e a perspectiva de valores na produção do conhecimento..
3.
Educação, Linguagens e Subjetividades

Objetivo: Contempla estudos que problematizam o campo da educação em diálogo com outros campos, tal como a Psicanálise, a História e a Geografia, mobilizando-o a partir das questões das diferenças, das subjetividades e da linguagem. Linguagem compreendida não apenas como sistema de códigos comunicador, mas como operadora da conversão de indivíduos em sujeitos a partir da entrada no discurso. A busca por procedimentos analíticos que problematizam essa dimensão é o que conecta os estudos da linha..
4.
História social da cultura

Objetivo: A linha acolhe pesquisas que verticalizam o conhecimento histórico a partir de objetos, temas e problemas caracterizados pela historicidade. Aborda-se conceitos e temas relativos tanto às categorias clássicas da modernidade, como trabalho, classe, raça, gênero, nação, quanto também busca-se problematizar essas categorias a partir de contextos históricos específicos..


Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Narrativas do acontecimento trágico: testemunhos de acidentes, calamidades e de desastres naturais em Santa Catarina no século XX
Descrição: Noticiados com grande impacto nos meios de comunicação de massa, os acidentes e os desastres naturais oferecem características singulares para a história e a atual configuração do estado de Santa Catarina. Esse tipo de acontecimento gera uma ampla e variada rede de discursos que dão a ver a produção da tragédia para além da sua espontaneidade ou eventualidade extraordinária, constituindo o seu signo no interior de ordens legitimadas do discurso. Este projeto de pesquisa toma como desafio retomar a produção desses acontecimentos trágicos na natureza, porém, deslocando-os para o estatuto do testemunho enquanto modalidade discursiva que se opõe ao arquivo. Se esse último demarca a distância entre o dito e não-dito, o discurso enquanto testemunho estabelece uma zona indiscernível que afasta o dizível do indizível, constituindo aquilo que escapa tanto às bibliotecas do dito e do noticiável, quanto aos arquivos dos enunciados legítimos. Modulados como testemunhos, a produção desses acontecimentos se constrói a partir do que restou de sujeitos abatidos pelo trágico e pelos discursos técnicos e científicos que pretendem ou apostam oferecer apoio ou explicação para o acontecimento grave. Desse modo, inserido no plano da enunciação, o testemunho sustenta-se sobre um acontecimento de linguagem e não sobre conteúdos empíricos de significados recolhidos de um arquivo qualquer. O material de análise da pesquisa envolve, nesse sentido, o mapeamento e a coleta de fontes jornalísticas, científicas, técnicas e históricas acerca de acontecimentos ambientais trágicos ocorridos em Santa Catarina, reconhecendo os testemunhos que entram em relação com o fora dos arquivos sociais da tragédia, isto é, demandam que sejam valorizados em suas narrativas. Em contrapartida, se por um lado, em determinados discursos de apelo racionalista, a explicação sobre o trágico faz-se orientada por enunciados técnicos, por outro lado, o discurso religioso apresenta-se também de maneira vinculadora de sujeitos constituídos em tragédia a partir do seu universo de valores particulares. Colocada sob essa perspectiva, a presença das narrativas religiosas constituindo os limites que produzem sentido sobre o trágico oferece escopo para se analisar essas mesmas narrativas confrontadas com outros sistemas de discurso. A princípio, poder-se-iam classificar os discursos em três registros: o técnico-científico, o jornalístico e o religioso. Esses registros circunscrevem, em solidariedade e sob o efeito de uma estrutura de sentimentos, a narrativa da tragédia. A pesquisa das fontes históricas será feita no banco de dados da Hemeroteca Digital, no catálogo de teses e de periódicos digitalizados da Fundação Biblioteca Nacional, no Atlas Brasileiro de Desastres Naturais, bem como em noticiários, bibliotecas e arquivos locais de Santa Catarina.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
O sujeito mínimo do salário: os discursos e as representações do trabalho e do trabalhador na criação do salário mínimo no Brasil (1920-1940)
Descrição: Em debate desde a década de 1920, o salário mínimo somente viria a ser fixado como política de proteção ao trabalho, portanto, como um direito social vinculado à pessoa do trabalhador com o Estado Novo em 1940. O primeiro ministro do trabalho de Vargas, Lindolfo Collor, ainda em 1930, indicou em diversas ocasiões a importância da fixação de um piso salarial, reivindicada por movimentos operários e sindicatos desde o final dos anos 1910. A partir da pesquisa historiográfica e do exame histórico de fontes em periódicos da época, buscaremos recompor este cenário e os debates acerca da criação do salário mínimo como demanda dos trabalhadores e como direito social regulado pelo Estado. Embora signo marcante da cultura moderna burguesa no Brasil, há um relativo vazio de pesquisas sobre o contexto histórico de instituição do salário mínimo no mundo do trabalho capitalista. Com atenção a esse silêncio, posicionamos historicamente o salário como uma linguagem em disputa por trabalhadores, pelos agentes do Estado e pelos seus diversos intérpretes na sociedade, examinando a partir dele as relações simbólicas e sociais entre o conceito de trabalho, os sujeitos do trabalho e as representações de um mínimo enquanto direito social trabalhista..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
História da medicina veterinária e do ensino agrícola no Brasil: entre a ciência e a política
Descrição: O desafio de compreender a constituição do discurso de uma medicina científica no Brasil impõe como limite compreender as relações entre as especializações do campo médico na modernidade. Este projeto busca situar os debates em torno da medicina animal e da medicina humana, a partir da singularidade histórica que deu fundamento para a distinção desses saberes nos séculos XIX e primeira metade do XX. 1 A historicidade dos termos técnicos como ?bioética? e ?experimento com seres vivos? permitirá apontar as controvérsias em torno do humano e do animal em diferentes contextos históricos, recuperando a diversidade de valores culturais que informam esses termos e se contrapõem à aparente lógica linear do discurso biocientífico na cultura moderna..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2014 - 2015
Teorias da história, linguagens e historiografia: pesquisa e ensino na formação do profissional de História
Descrição: O objetivo do projeto é realizar um conjunto de atividades destinadas à pesquisa e discussão dos problemas relativos às teorias da história, à história da historiografia, às linguagens e narrativas históricas. O grupo propõe a investigação, o debate e a reflexão em torno das teorias da história e da história da historiografia como área de pesquisa e matéria de ensino nas suas articulações com a formação do profissional em História. Pretende-se debater as especificidades deste campo de estudos a partir de temáticas que o constituíram e o constituem, levando em conta a sua condição de objeto de ensino e disciplina de formação específica para os alunos dos cursos de graduação em História.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2015
Arthur Ramos: narrativa profissional e a circulação de ideias psi no Brasil (1926-1949)
Descrição: Pouco lembrado atualmente, Arthur Ramos (1903-1949) desempenhou ao longo das décadas de 1930 e 1940 papel protagonista na difusão dos saberes psi junto aos estudos sociais brasileiros. A pesquisa enfrenta o desafio de recuperar no Arquivo Arthur Ramos ? atualmente a maior coleção pessoal da Biblioteca Nacional ? a intensa rede intelectual estabelecida em torno do autor. O enfoque da abordagem é tomado a partir da observação de que, na recepção e na divulgação dos saberes psi no Brasil, Ramos validava a aplicação da psicanálise para os estudos sociais brasileiros apoiado em uma rede de trocas pessoais, junto a qual o autor obtinha reconhecimento e/ou cumplicidade com outros intelectuais. Esta pesquisa encontrava-se sob o auxílio do Programa Nacional de Apoio a Pesquisadores Residentes (PNAP-R), da Fundação Biblioteca Nacional, quando foi transferida para o Programa Nacional de Pós-Doutorado/CAPES, no Departamento de História da UFRRJ..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Revisor de periódico


2014 - Atual
Periódico: Revista Eletrônica da Academia Brasileira de Direito Constitucional
2017 - Atual
Periódico: REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA & CIÊNCIAS SOCIAIS


Revisor de projeto de fomento


2017 - Atual
Agência de fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História das Ciências.
2.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Artes Plásticas/Especialidade: Gravura.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Ciência Política / Subárea: Pensamento Social.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Teoria Política.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Francês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Latim
Lê Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2014
Bolsa do Programa Nacional de Pós-doutorado (PNPD), CAPES, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Brasil.
2013
Bolsa do Programa Nacional de Apoio a Pesquisadores Residentes (PNAP-R), Fundação Biblioteca Nacional, Ministério da Cultura, Brasil.
2009
Bolsa do Programa de Doutorado no País com Estágio no Exterior (PDEE), CAPES, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Brasil.
2007
Bolsa de Pesquisa de Doutorado, CAPES, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Brasil.
2006
Bolsa Aluno Nota 10, FAPERJ.
2005
Bolsa de Pesquisa de Mestrado, CAPES, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Brasil.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
DIANA, M. H. N.2017DIANA, M. H. N.. A Coroa, o ouro e o pasto espiritual: por uma lógica da ação coletiva nos Hospícios das Minas Gerais no século XVIII. Locus (UFJF), v. 23, p. 167-184, 2017.

2.
DIANA, M. H. N.2017DIANA, M. H. N.; MARTINS, M. L. . O chão da história: a terra e a produção de sujeitos histórico na Guerra do Contestado. ATOS DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO (FURB), v. 12, p. 139-165, 2017.

3.
DIANA, M. H. N.2015DIANA, M. H. N.. Saudades do Brasil: nação, província e cosmopolitismo na imaginação social brasileira. CRÍTICA E SOCIEDADE: revista de cultura política, v. 5, p. 33-64, 2015.

4.
DIANA, M. H. N.2011 DIANA, M. H. N.. As formas do concreto: intelectuais e tradição política (autoritária) no Brasil. Revista Estudos Políticos, v. 3, p. 49-64, 2011.

5.
DIANA, M. H. N.2010DIANA, M. H. N.. Sobre Os donos do poder, de Raymundo Faoro. Sibila (Cotia), v. 2010, p. 14/10/2010, 2010.

6.
DIANA, M. H. N.2009 DIANA, M. H. N.; SALLES, P. ; MACHADO, I. S. . Controle concentrado de constitucionalidade e judicialização da política: o caso das ADPFs. Boletim CEDES, v. 13, p. 1-39, 2009.

7.
DIANA, M. H. N.2008DIANA, M. H. N.. Rio em debate: balanço do seminário. Boletim CEDES, v. outubro, p. 16-19, 2008.

8.
DIANA, M. H. N.2007DIANA, M. H. N.. O que foi o presente? Surto, trauma e memória um ano depois em São Paulo. Boletim CEDES, v. maio, p. 1, 2007.

9.
DIANA, M. H. N.2007DIANA, M. H. N.. O tiro e a culatra em Tropa de Elite. Boletim CEDES, v. dezembro, p. 1, 2007.

Capítulos de livros publicados
1.
DIANA, M. H. N.. 'Corpo em fusão em um futuro remoto': uma interpretação do conceito de raça em Os sertões de Euclides da Cunha. In: João Gabriel da Silva Ascenso; Fernando Luiz Vale Castro,. (Org.). Raça: trajetórias de um conceito ? histórias do discurso racial na América Latina. 1ed.Rio de Janeiro: Ponteio, 2014, v. , p. 93-120.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
DIANA, M. H. N.. A salvação nacional e algo qualquer. Revista Pittacos, 23 jun. 2013.

2.
DIANA, M. H. N.. A ironia do dinheiro, ou A tela fina do melhor dos mundos. Revista Pittacos, 08 fev. 2012.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
DIANA, M. H. N.. 'Mercenários inconscientes': uma análise da metáfora psíquica em Os sertões, de Euclides da Cunha. In: Seminário Nacional de Sociologia & Política, 2014, Curitiba. Anais do V Seminário Nacional Sociologia & Política, 2014. p. 1-15.

2.
DIANA, M. H. N.. Entre a medicina e a psicanálise: o saber antropológico e automodelagem na narrativa profissional de Arthur Ramos. In: 29ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2014, Natal. 29ª Reunião Brasileira de Antropologia - Diálogos antropológicos: expandindo fronteiras (online), 2014. p. 1-18.

3.
DIANA, M. H. N.. Confiança, Anonimato e Nós: o segredo democrático no ambiente político contemporâneo. In: Simpósio Ibero-americano de Filosofia Política, 2013, Juiz de Fora. Anais do XIII Simpósio Íbero-americano de Filosofia Política, 2013. p. 1-12.

4.
DIANA, M. H. N.. O nosso fin-de-siècle: literatura negra, intelectuais mestiços e boêmia no Brasil. In: XXVIII Congresso da Associação Latino-Americana da Sociologia, 2011, Recife. XXVIII Congresso da Associação Latino-Americana da Sociologia, 2011.

5.
DIANA, M. H. N.. Mundos em Abismo: notas sobre saudade e melancolia em Joaquim Nabuco e Gilberto Freyre. In: Congresso Internacional da ABRALIC, 2008, São Paulo. Anais do XI Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada: Tessituras, Interações, Convergências. São Paulo: ABRALIC, 2008.

6.
DIANA, M. H. N.. Saudades do Brasil: memória, nostalgia e história nacional nas cidades de Salvador, Rio de Janeiro e Brasília. In: II Seminário Arte e Cidade, 2008, Salvador. II Seminário Arte e Cidade. Salvador: EDUFBA, 2008.

7.
DIANA, M. H. N.. Política e religiosidade nos hospícios nas Minas do século XVIII. In: XIV Encontro Regional de História da ANPUH, 2004, Juiz de Fora. XIV Encontro Regional de História da ANPUH, 2004.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
DIANA, M. H. N.. Ausente, ou a recusa do amor reprimido. In: II Seminário Internacional Desfazendo Gênero, 2015, Salvador. Anais do II Seminário Internacional Desfazendo Gênero: Ativismos das dissidências sexuais e de gênero, 2015.

2.
DIANA, M. H. N.; RESENDE, M. F. . Canto de uma voz que se perde: performances vocais que testemunham sujeitos que aparecem na falta. In: II Seminário Internacional Desfazendo Gênero, 2015, Salvador. Anais do II Seminário Internacional Desfazendo Gênero: Ativismos das dissidências sexuais e de gênero, 2015.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
DIANA, M. H. N.. O verso do avesso na medicina social: uma análise dos contextos intelectuais de Arthur Ramos e de Nise da Silveira na década de 1930. In: XII Encontro Clio-Psyché: Saberes ?Psi?: Outros Sujeitos, Outras Histórias, 2016, Rio de Janeiro. Anais do XII Encontro Clio-Psyché: Saberes ?Psi?: Outros Sujeitos, Outras Histórias. Rio de Janeiro: UERJ/Instituto de Psicologia, 2016. p. 62-63.

2.
DIANA, M. H. N.. À noite, todos os gatos são pardos: os discursos de origem da medicina veterinária no renascimento europeu e no século das luzes. In: 15º Seminário Nacional de História da Ciência e da Tecnologia, 2016, Florianópolis. 15º Seminário Nacional de História da Ciência e da Tecnologia, 2016.

3.
DIANA, M. H. N.. Diálogos entre africanistas: o mundo negro nas cartas de Roger Bastide com Arthur Ramos. In: IX Congresso Ibérico de Estudos Africanos, 2014, Coimbra. África Hoje ? tempos e espaços de transformação, 2014.

4.
DIANA, M. H. N.. 'Loucos e primitivos': a construção do outro na narrativa médica-antropológica de Arthur Ramos. In: 14º Seminário Nacional de História da Ciência e da Tecnologia, 2014, Belo Horizonte. 14º Seminário Nacional de História da Ciência e da Tecnologia, 2014.

5.
DIANA, M. H. N.. Nem laboratório, nem divã: Arthur Ramos e as relações entre antropologia e psicanálise nos anos 1920 e 1930. In: XI Encontro Clio-Psyché: discursos e práticas na história da psicologia, 2014, Rio de Janeiro. Anais do XI Encontro Clio-Psyché: discursos e práticas na história da psicologia. Rio de Janeiro: UERJ/Instituto de Psicologia, 2014. p. 60-61.

6.
DIANA, M. H. N.. A experiência do tempo em 'Populações Meridionais do Brasil' de Oliveira Vianna. In: V Seminário Nacional de História: política, cultura e sociedade, 2013, Rio de Janeiro. Anais V Seminário Nacional de História: política, cultura e sociedade, 2013.

7.
DIANA, M. H. N.. Teoria política das vanguardas: uma análise das vanguardas futurista italiana e modernista brasileira em suas teorias políticas. In: II Seminário Discursos em Interfaces Contemporâneas 'Modernismo brasileiro 90 anos: outras vanguardas, neovanguardas e pós-vanguardas', 2012, Seropédica. II Seminário Discursos em Interfaces Contemporâneas 'Modernismo brasileiro 90 anos: outras vanguardas, neovanguardas e pós-vanguardas', 2012. p. 21-22.

8.
DIANA, M. H. N.. Discotecas de Copacabana: modernizacão, disco dance e estilo de vida no Brasil pós-ditadura. In: XXV Simpósio Nacional de História da ANPUH, 2009, Fortaleza. XXV Simpósio Nacional de História: História e ética. Fortaleza: Editora da ANPUH, 2009. p. 97-97.

9.
DIANA, M. H. N.. A lição do partir - considerações sobre herança e história. In: 3º Seminário Nacional de História da Historiografia: aprender com a história?, 2009, Mariana. Anais do 3º Seminário Nacional de História da Historiografia: aprender com a história?. Ouro Preto: Edufop, 2009.

Apresentações de Trabalho
1.
DIANA, M. H. N.. O verso do avesso na medicina social: uma análise dos contextos intelectuais de Arthur Ramos e de Nise da Silveira na década de 1930. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
DIANA, M. H. N.. À noite, todos os gatos são pardos: os discursos de origem da medicina veterinária no renascimento europeu e no século das luzes. 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

3.
DIANA, M. H. N.. Dos pares singulares: as críticas de Gilberto Freyre e Nise da Silveira aos trabalhos de Arthur Ramos. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

4.
DIANA, M. H. N.. A descoberta do inconsciente: o conceito psicanalítico e os seus usos no Brasil (1920-1930). 2015. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

5.
DIANA, M. H. N.. O universal concreto: cultura intelectual, linguagem e mediação social na vanguarda concreta paulista (1949-1963). 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
DIANA, M. H. N.. Ausente, ou a recusa do amor reprimido. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

7.
DIANA, M. H. N.; RESENDE, M. F. . Canto de uma voz que se perde: performances vocais que testemunham sujeitos que aparecem na falta. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

8.
DIANA, M. H. N.. 'Mercenários inconscientes': uma análise da metáfora psíquica em Os sertões, de Euclides da Cunha. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

9.
DIANA, M. H. N.. Entre a medicina e a psicanálise: o saber antropológico e automodelagem na narrativa profissional de Arthur Ramos. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

10.
DIANA, M. H. N.. Diálogos entre africanistas: o mundo negro nas cartas de Roger Bastide com Arthur Ramos. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

11.
DIANA, M. H. N.. Nem laboratório, nem divã: Arthur Ramos e as relações entre antropologia e psicanálise nos anos 1920 e 1930. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

12.
DIANA, M. H. N.. Saberes entre fronteiras: reciprocidades intelectuais entre Argentina e Brasil na narrativa profissional de Arthur Ramos (1903-1949). 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

13.
DIANA, M. H. N.. 'Loucos e primitivos': a construção do outro na narrativa médica-antropológica de Arthur Ramos. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

14.
DIANA, M. H. N.. Confiança, Anonimato e Nós: o segredo democrático no ambiente político contemporâneo. 2013. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

15.
DIANA, M. H. N.. A experiência do tempo em 'Populações Meridionais do Brasil' de Oliveira Vianna. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

16.
DIANA, M. H. N.. O nosso fin-de-siécle: literatura negra, intelectuais mestiços e boêmia no Brasil. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

17.
DIANA, M. H. N.. ?Britain and Latin America in the Nineteenth Century, especially Brazil, Argentina, and Uruguay. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

18.
DIANA, M. H. N.. A lição do partir - considerações sobre herança e história. 2009. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

19.
DIANA, M. H. N.. Discotecas de Copacabana: modernizacão, disco dance e estilo de vida no Brasil pós-ditadura. 2009. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

20.
DIANA, M. H. N.. Mundos em Abismo: notas sobre saudade e melancolia em Joaquim Nabuco e Gilberto Freyre. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

21.
DIANA, M. H. N.. O interno e o externo da nação: imagens do estrangeiro no Brasil. 2007. (Apresentação de Trabalho/Outra).

22.
DIANA, M. H. N.. A escritura de uma tradição: democracia e contexto pós-ditatorial no Brasil. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

23.
DIANA, M. H. N.. Nas fronteiras do poder: o direito, a política e a religião na análise do Tribunal da Bula da Santa Cruzada na época moderna. 2003. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Outras produções bibliográficas
1.
DIANA, M. H. N.. A questão meridional, intelectuais e classe dirigente 2011 (Ensaio bibliográfico).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
DIANA, M. H. N.. Revista Brasileira de História e Ciências Sociais. 2017.

2.
DIANA, M. H. N.. Parecer de projeto de pesquisa CNPq/IFC PIBIC. 2017.

3.
DIANA, M. H. N.. Parecer projeto de pesquisa PIBIC/EM CNPq/IFC. 2017.

4.
DIANA, M. H. N.. Parecer de projeto de pesquisa PIBIC CNPq/IFC. 2017.

5.
DIANA, M. H. N.. Parecer de projeto de pesquisa PIBIC do Instituto Federal Catarinense. 2016.

6.
DIANA, M. H. N.. Parecer de artigo para a Revista Ludere. 2016.

7.
DIANA, M. H. N.. Parecer de projeto de extensão da UENP. 2016.

8.
DIANA, M. H. N.. Parecer de artigo para Constituição, Economia e Desenvolvimento: Revista Eletrônica da ABDConst. 2014.


Demais tipos de produção técnica
1.
DIANA, M. H. N.. Arquivo Arthur Ramos: reciprocidade intelectuais e história das ciências. 2015. (Relatório de pesquisa).

2.
DIANA, M. H. N.. Relatório de pesquisa de doutorado com estágio no exterior. 2010. (Relatório de pesquisa).

3.
DIANA, M. H. N.. Nos caminhos do poder: política e religiosidade nos hospícios nas Minas setecentistas. 2002. (Relatório de pesquisa).


Produção artística/cultural
Artes Visuais
1.
DIANA, M. H. N.. Cloaca (homenagem a Décio Pignatari). 2012. Gravura.



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
MONTEIRO, S. R. R. P.; REIS, M. F.; DIANA, M. H. N.. Participação em banca de Bárbara Suélen de Souza.O trabalho do serviço social no processo de judicialização do BPC: via Defensoria Pública da União do Rio de Janeiro. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social) - Universidade Federal Fluminense.




Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
15º Seminário Nacional de História da Ciência e da Tecnologia.À noite, todos os gatos são pardos: os discursos de origem da medicina veterinária no renascimento europeu e no século das luzes. 2016. (Seminário).

2.
XII Encontro Clio-Psyché: Saberes ?Psi?: Outros Sujeitos, Outras Histórias. O verso do avesso na medicina social: uma análise dos contextos intelectuais de Arthur Ramos e de Nise da Silveira na década de 1930. 2016. (Congresso).

3.
17º Congresso Brasileiro de Sociologia - Sociologia em Diálogos Transnacionais. O universal concreto: cultura intelectual, linguagem e mediação social na vanguarda concreta paulista (1949-1963). 2015. (Congresso).

4.
II Seminário Internacional Desfazendo Gênero: Ativismos das dissidências sexuais e de gênero.Ausente, ou a recusa do amor reprimido. 2015. (Seminário).

5.
VI Seminário Nacional de Sociologia & Política. Releituras Contemporâneas: O Brasil na perspectiva das Ciências Sociais.Dos pares singulares: as críticas de Gilberto Freyre e Nise da Silveira aos trabalhos de Arthur Ramos. 2015. (Seminário).

6.
XXVIII Simpósio Nacional de História.A descoberta do inconsciente: o conceito psicanalítico e os seus usos no Brasil (1920-1930). 2015. (Simpósio).

7.
14º Seminário Nacional de História da Ciência e da Tecnologia.'Loucos e primitivos': a construção do outro na narrativa médica-antropológica de Arthur Ramos. 2014. (Seminário).

8.
29ª Reunião Brasileira de Antropologia - Diálogos antropológicos: expandindo fronteiras.Entre a medicina e a psicanálise: o saber antropológico e automodelagem na narrativa profissional de Arthur Ramos. 2014. (Outra).

9.
II Congreso de Historia Intelectual de América Latina. Saberes entre fronteiras: reciprocidades intelectuais entre Argentina e Brasil na narrativa profissional de Arthur Ramos (1903-1949). 2014. (Congresso).

10.
IX Congresso Ibérico de Estudos Africanos - África hoje: tempos e espaços de transformação. Diálogos entre africanistas: o mundo negro nas cartas de Roger Bastide com Arthur Ramos. 2014. (Congresso).

11.
V Seminário Nacional de Sociologia & Política: desenvolvimento e mudanças sociais em contexto de crise.'Mercenários inconscientes': uma análise da metáfora psíquica em Os sertões, de Euclides da Cunha. 2014. (Seminário).

12.
XI Encontro Clio-Psyché Discursos e Práticas na História da Psicologia.Nem laboratório, nem divã: Arthur Ramos e as relações entre antropologia e psicanálise nos anos 1920 e 1930. 2014. (Encontro).

13.
Simpósio Ibero-americano de Filosofia Política.Confiança, Anonimato e Nós: o segredo democrático no ambiente político contemporâneo. 2013. (Simpósio).

14.
VIII Semana de História Política / V Seminário Nacional de História: Política e Cultura & Política e Sociedade.A experiência do tempo em 'Populações Meridionais do Brasil' de Oliveira Vianna. 2013. (Seminário).

15.
3º Seminário Nacional de História da Historiografia.Lição do partir - considerações sobre herança e história. 2009. (Seminário).

16.
XXV Simpósio Nacional de História da ANPUH.Discotecas de Copacabana: modernização, disco dance e estilo de vida no Brasil pós-ditadura. 2009. (Simpósio).

17.
II Seminário Arte e Cidade.Saudades do Brasil: memória, nostalgia e história nacional nas cidades de Salvador, Rio de Janeiro e Brasília. 2008. (Seminário).

18.
XI Congresso Internacional da ABRALIC. Mundos em Abismo: notas sobre saudade e melancolia em Joaquim Nabuco e Gilberto Freyre. 2008. (Congresso).

19.
I Jornada Conjunta de Alunos do PPGSA/IFCS, PPGAS/Museu Nacional e IUPERJ/UCAM.O interno e o externo da nação: imagens do estrangeiro no Brasil. 2007. (Outra).

20.
XIII Congresso Brasileiro de Sociologia. A escritura de uma tradição: democracia e contexto pós-ditatorial no Brasil. 2007. (Congresso).

21.
Seminário Fórum dos Alunos.Cidades e Ruínas em Teoria Política. 2005. (Seminário).

22.
XIV Encontro Regional de História da ANPUH.Política e religiosidade nos hospícios nas Minas do século XVIII. 2004. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
DIANA, M. H. N.. V Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores de História Latino-Americana e Caribenha. 2002. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Iniciação científica
1.
Amon José Marinho dos Reis. Narrativas do acontecimento trágico: testemunhos de acidentes, calamidades e de desastres naturais em Santa Catarina no século XX. Início: 2017 - Instituto Federal Catarinense, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

2.
Henrique Pinheiro Amaral Almeida Santos. História da Medicina Veterinária e do Ensino Agrícola no Brasil: entre a ciência e a política. Início: 2017 - Instituto Federal Catarinense, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

Orientações de outra natureza
1.
Emily Deucher. Monitoria de História. Início: 2018. Orientação de outra natureza. Instituto Federal Catarinense. Instituto Federal Catarinense. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Iniciação científica
1.
Thamires Rodrigues Vessani. O sujeito mínimo do salário: os discursos e as representações do trabalho e do trabalhador na criação do salário mínimo no Brasil (1920-1940). 2017. Iniciação Científica - Instituto Federal Catarinense, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcelo Henrique Nogueira Diana.

2.
Erick Gomes Hostin. O sujeito mínimo do salário: os discursos e as representações do trabalho e do trabalhador na criação do salário mínimo no Brasil (1920-1940). 2016. Iniciação Científica - Instituto Federal Catarinense, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcelo Henrique Nogueira Diana.

3.
Thassiano Moreira Gonçalves. História da medicina veterinária e do ensino agrícola no Brasil: entre a ciência e a política. 2016. Iniciação Científica - Instituto Federal Catarinense, Instituto Federal Catarinense. Orientador: Marcelo Henrique Nogueira Diana.

Orientações de outra natureza
1.
Thayna Karoliny da Maia. Monitoria de História. 2017. Orientação de outra natureza - Instituto Federal Catarinense, Instituto Federal Catarinense. Orientador: Marcelo Henrique Nogueira Diana.



Outras informações relevantes


Aprovado em primeiro lugar no processo seletivo edital 048/2015 para Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT), área História, do Instituto Federal Catarinense (IFC). Resultado publicado no DOU em 29/07/2015.
Aprovado em seleção simplificada para professor substituto para a área de Ciências Sociais, processo n. 1520-2011-0, edital PROAD 16/2011, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 12/12/2018 às 13:10:04