Vitor Pinheiro Grunvald

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/9109409254562099
  • Última atualização do currículo em 22/11/2018


Possui graduação em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2005), com período de intercâmbio em Antropologia na Universidad Autonoma de Madrid em 2003. É mestre em Antropologia Social pelo Museu Nacional/UFRJ, concluído em 2009, sob orientação do Prof. Márcio Goldman. Doutor em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP), concluído em 2015, sob orientação da Prof. Sylvia Caiuby Novaes, com período de pesquisa no Departamento de História de Arte na McGill University, Canadá, sob orientação da Prof. Amelia Jones. E atualmente realiza pós-doutorado na Universidade de São Paulo, onde é pesquisador e professor. É antropólogo-realizador, com formação em Direção Cinematográfica pela Academia Internacional de Cinema, e produziu obras fotográficas, audiovisuais e artísticas. Tem experiência e interesse nos campos da Antropologia Visual, Antropologia da Performance, da Arte, do Corpo, do Gênero e da Sexualidade e suas reflexões giram em torno de (1) discussões que envolvem a apropriação de metodologias e práticas artísticas para o fazer antropológico; (2) questões relacionadas à teoria antropológica e sua relação com outros campos do saber acadêmico que pensam a imagem e as artes; (3) experimentações com a imaginação etnográfica; (4) questões relacionadas ao campo artístico, fotografia, filme e cultura visual; (5) maneira como imagem e corpo são operacionalizados nas relações sociais contemporâneas; (6) problemas relacionados à práticas identitárias e de subjetivação; (7) deslocamentos sofridos pela vivência do gênero e da sexualidade, em especial àqueles relacionados à transgeneridade; (8) processos em torno das novas tecnologias de informação e comunicação e mídias digitais. Atualmente, é professor da Faculdade Cásper Líbero e pesquisador do Grupo de Antropologia Visual (GRAVI), Núcleo de Antropologia, Performance e Drama (NAPEDRA), Núcleo de Estudos sobre Marcadores Sociais da Diferença (NUMAS) e Pesquisas em Antropologia Musical (PAM), todos ligados à Universidade de São Paulo. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Vitor Pinheiro Grunvald
Nome em citações bibliográficas
GRUNVALD, V.

Endereço


Endereço Profissional
Faculdade Cásper Líbero, Coordenadoria de Cultura Geral.
Avenida Paulista, 900 - 5º andar
Bela Vista
01310100 - São Paulo, SP - Brasil
Telefone: (011) 31705833
URL da Homepage: http://casperlibero.edu.br/


Formação acadêmica/titulação


2011 - 2015
Doutorado em Antropologia Social.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
com período sanduíche em McGill University (Orientador: Amelia Jones).
Título: Existências, insistências e travessias: sobre algumas políticas e poéticas de travestimento, Ano de obtenção: 2015.
Orientador: Sylvia Caiuby Novaes.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: Antropologia visual; Antropologia e História da Arte; Performance; Teorias de gênero e sexualidade; Processos de subjetivação.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Antropologia e História da Arte.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Teorias do gênero e sexualidade.
2006 - 2009
Mestrado em Antropologia Social.
Museu Nacional/UFRJ, MN/UFRJ, Brasil.
Título: Teseu e o touro: algumas sugestões feministas para uma crítica da razão,Ano de Obtenção: 2009.
Orientador: Márcio Goldman.
Bolsista do(a): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ, FAPERJ, Brasil.
Palavras-chave: Identidade; Processos de subjetivação; Teoria Antropológica; Feminismo; Antropologia Simétrica.
Grande área: Ciências Humanas
2001 - 2005
Graduação em Ciências Sociais.
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio, Brasil.
com período sanduíche em Universidad Autónoma de Madrid (Orientador: Corpo Docente).
Título: Políticas e Poéticas da Identidade: um estudo comparativo em dois ambientes virtuais.
Orientador: Laura Moutinho.
Bolsista do(a): Pontifícia Universidade Católica do Rio de janeiro, PUC, Brasil.


Pós-doutorado


2018
Pós-Doutorado.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas


Formação Complementar


2014 - 2014
Antropologia Visual com Peter Crawford. (Carga horária: 8h).
Laboratório de Imagem e Som em Antropologia (LISA/USP), LISA, Brasil.
2011 - 2011
Estratégias documentais com Gary Kildea.
Laboratório de Imagem e Som em Antropologia (LISA/USP), LISA, Brasil.
2009 - 2011
Curso técnico em Direção Cinematográfica.
Academia Internacional de Cinema, AIC, Brasil.
2009 - 2009
Novas estratégias documentais: tela e espaço.
Museu da Imagem e do Som, MIS, Brasil.
2009 - 2009
O que é cinema de prosa. (Carga horária: 20h).
Museu da Imagem e do Som, MIS, Brasil.
2009 - 2009
Assistência de Câmera.
Stein Produções, STEIN, Brasil.
2009 - 2009
Direção de fotografia.
Stein Produções, STEIN, Brasil.
2002 - 2002
Iniciação à Direção de Fotografia.
Tempo Glauber, TEMPO GLAUBER, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


BlankTape, BLKTP, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Faculdade Cásper Líbero, FCL, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2018
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor Assistente, Carga horária: 18
Outras informações
Professor de Antropologia para Relações Públicas. Professor de Antropologia do Audiovisual para Rádio, TV e Internet. Professor de Responsabilidade Social e Cidadania para Publicidade e Propaganda.

Atividades

2017 - Atual
Ensino, Rádio, TV e Internet, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia do audiovisual
2017 - Atual
Treinamentos ministrados , Coordenadoria de Rádio, TV e Internet, .

Treinamentos ministrados
Orientador de documentários etnográficos no curso Antropologia do Audiovisual para Rádio, TV e Internet
2017 - 2018
Ensino, Publicidade e Propaganda, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Responsabilidade Social e Cidadania
2017 - 2018
Outras atividades técnico-científicas , Coordenadoria de Cultura Geral, Coordenadoria de Cultura Geral.

Atividade realizada
Coordenador de Projeto Interdisciplinar.
2015 - 2018
Ensino, Relações Públicas, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia
2015 - 2016
Ensino, Rádio, TV e Internet, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia para Rádio, TV e Internet
2015 - 2016
Ensino, Publicidade e Propaganda, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia

Laboratório de Imagem e Som em Antropologia (LISA/USP), LISA, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: Editor de volume, Enquadramento Funcional: Editor da GIS - Gesto, Imagem e Som - Revista
Outras informações
Editor da GIS - Gesto, Imagem e Som - Revista de Antropologia, revista acadêmica que engloba os campos da antropologia visual, da música e do som, da performance, do teatro e da arte. Encarregado do fluxograma de publicações, indicação de pareceristas, organização de seções e formulação de editorial.

Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador colaborador do NAPEDRA
Outras informações
Pesquisador colaborador do Núcleo de Antropologia, Performance e Drama (NAPEDRA), do Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo. Professor responsável: John Dawsey

Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Membro de Comissão Editorial
Outras informações
Membro da Comissão Editorial da GIS - Gesto, Imagem e Som - Revista de Antropologia, revista acadêmica que engloba os campos da antropologia visual, da música e do som, da performance, do teatro e da arte. Um dos encarregados da criação da revista, fazendo parte da elaboração das diretrizes editoriais, foco e escopo da revista e políticas de seção.

Vínculo institucional

2011 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador colaborador do GRAVI
Outras informações
Pesquisador colaborador do Grupo de Antropologia VIsual (GRAVI), do Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo. Professoras responsáveis: Sylvia Caiuby Novaes e Rose Satiko

Vínculo institucional

2015 - 2016
Vínculo: Secretário Executivo, Enquadramento Funcional: Secretário Executivo (Revista Acadêmica)
Outras informações
Secretário Executivo da GIS - Gesto, Imagem e Som - Revista de Antropologia, revista acadêmica que engloba os campos da antropologia visual, da música e do som, da performance, do teatro e da arte.

Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor de documentário etnógrafico
Outras informações
Professor da Oficina de documentário e filme etnográfico, junto com Nadja Marin, no Laborátorio de Imagem e Som em Antropologia (LISA/USP)

Atividades

2017 - Atual
Serviços técnicos especializados , Departamento de Antropologia, .

Serviço realizado
Editor da GIS - Gesto, Imagem e Som - Revista de Antropologia.
2015 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Departamento de Antropologia, .

Cargo ou função
Membro da Comissão Editorial da GIS - Gesto, Imagem e Som - Revista de Antropologia.
2011 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Laboratório de Imagem e Som em Antropologia (LISA/USP), .

2013 - 2013
Ensino, Oficina de Documentário e Filme Etnográfico, Nível: Aperfeiçoamento

Disciplinas ministradas
Professor da Oficina de Documentário e Filme Etnográfico

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, FESPSP, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor Visitante, Carga horária: 32
Outras informações
Professor do curso de extensão "Do Feminismo aos estudos de gênero e sexualidade"

Atividades

05/2015 - 07/2015
Extensão universitária , ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO, .

Atividade de extensão realizada
Curso Do feminismo aos estudos de gênero e sexualidade.

Associação Brasileira de Antropologia, ABA, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Sócio, Enquadramento Funcional: Sócio efetivo
Outras informações
Sócio-efetivo da Associação Brasileira de Antropologia (ABA)


Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador (Pós-doutorando FAPESP)
Outras informações
Pesquisador colaborador em regime de pós-doutorado, sob supervisão Profª Rose Satiko, conduzindo a pesquisa "Terrorismos e pontes do musicar local: explorações teóricas e etnográficas sobre gêneros e sexualidades dissidentes na música" (processo FAPESP nº 2017/20849-1) Pesquisa associada ao Projeto Temático O Musicar Local - novas trilhas para a etnomusicologia (processo FAPESP nº 2016/05318-7), coordenado por Suzel Reilly, Rose Satiko e Flávia Toni.

Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Professor pós-doutorando, Enquadramento Funcional: Professor pós-doutorando, Carga horária: 4
Outras informações
Professor da disciplina FLS 5282-1 ? Antropologia Visual: políticas e poéticas da prática audiovisual no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social.

Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador do NUMAS
Outras informações
Pesquisador do Núcleo de Estudos sobre Marcadores Sociais da Diferença (NUMAS) do Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo. Professoras/es responsáveis: Júlio Simões, Laura Moutinho, Heloísa Buarque de Almeida, Lilia Schwarcz.

Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador do NAPEDRA
Outras informações
Pesquisador colaborador do Núcleo de Antropologia, Performance e Drama (NAPEDRA) do Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo. Professor responsável: John Dawsey

Vínculo institucional

2011 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador do GRAVI
Outras informações
Pesquisador do Grupo de Antropologia Visual (GRAVI) do Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo. Professoras responsáveis: Sylvia Caiuby Novaes e Rose Satiko Gitirana Hikiji

Vínculo institucional

2011 - 2015
Vínculo: Doutorando, Enquadramento Funcional: Pesquisador (Doutorando FAPESP), Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Pesquisador colaborador em regime de doutorado, sob supervisão Profª Sylvia Caiuby Novaes, conduzindo a pesquisa "Imagem como provoca-ação: um estudo visual sobre a decoração e o corpo crossdresser" (processo FAPESP nº 2010/52568-2) Pesquisa associada ao Projeto Temático "A experiência do filme na Antropologia" (processo FAPESP nº 2009/52880-9), coordenado por Sylvia Caiuby Novaes.

Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Membro de Comissão Editorial
Outras informações
Membro da Comissão Editorial da Revista Cadernos de Campo, responsável pelo fluxograma, recebimento de textos, indicação de pareceristas e definição de políticas de seção. Como membro da Comissão Editorial da revista também implementei métodos de avaliação da produção visual recebida e publicada na seção então chamada de Artes da Vida, hoje nomeada Quimeras.

Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estágio de Docência na Graduação, Carga horária: 6
Outras informações
Estágio de Docência na Graduação em Ciências Sociais - Curso Sexualidade e Ciências Sociais (FLA 0351), ministrado pelo Prof. Júlio Assis Simões.

Atividades

2018 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, Departamento de Antropologia.

2018 - Atual
Ensino, Antropologia Social, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
FLS 5282-1 ? Antropologia Visual: políticas e poéticas da prática audiovisual
2011 - 2015
Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, Departamento de Antropologia.

2013 - 2013
Ensino, Oficina de documentário e filme etnográfico, Nível: Aperfeiçoamento

Disciplinas ministradas
Estratégias e práticas documentais
2012 - 2012
Estágios , Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, Departamento de Antropologia.

Estágio realizado
Estágio de Docência na Graduação em Ciências Sociais - Curso Sexualidade e Ciências Sociais (FLA 0351), ministrado pelo Prof. Júlio Assis Simões..

Centro de Preservação Cultural da Universidade de São Paulo, CPC-USP, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Professor de Curso/Oficina, Enquadramento Funcional: Professor de Curso de Extensão, Carga horária: 4
Outras informações
Professor do Curso de Documentário e Filme Etnográfico no Projeto Bixiga em Artes e Ofícios, com coordenação geral da antropóloga e cineasta Rose Satiko Gitirana Hikiji.

Vínculo institucional

2011 - 2012
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Coordenador de oficinas
Outras informações
Coordenador das Oficinas de Documentário e Filme Etnográfico no Projeto Bixiga em Artes e Ofícios, com coordenação geral da antropóloga e cineasta Rose Satiko Gitirana Hikiji. O material oriundo dessas oficinas, bem como das oficinas de Fotografia, Etnografia e Mapa Subjetivo foram utilizados para criação do site interativo hipermídia do projeto, disponível em http://www.usp.br/yayabixiga/

Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Professor de Curso/Oficina, Enquadramento Funcional: Professor de Curso de Extensão, Carga horária: 4
Outras informações
Professor do Curso de Documentário e Filme Etnográfico no Projeto Bixiga em Artes e Ofícios, com coordenação geral da antropóloga e cineasta Rose Satiko Gitirana Hikiji.

Atividades

2011 - 2012
Ensino, Oficina de documentário e filme etnográfico, Nível: Aperfeiçoamento

Disciplinas ministradas
Teorias e práticas do documentário e filme etnográfico

SP Escola de Teatro - Centro de formação das artes do palco, SPET, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor convidado, Carga horária: 12
Outras informações
Professor convidado para orientar a montagem final da peça Saruêgo


Centro Universitário do Estado do Pará, CESUPA, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor Visitante, Carga horária: 20
Outras informações
Professor de Pós-Graduação do Curso "Antropologia, Sociedade e Envelhecimento" / Especialização em Geriatria e Gerontologia

Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor Visitante, Carga horária: 20
Outras informações
Professor de Pós-Graduação do Curso "Antropologia, Sociedade e Envelhecimento" / Especialização em Geriatria e Gerontologia

Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor Visitante, Carga horária: 20
Outras informações
Professor de Pós-Graduação do Curso "Antropologia, Sociedade e Envelhecimento" / Especialização em Geriatria e Gerontologia

Atividades

05/2009 - 05/2011
Ensino, Especialização em Geriatria e Gerontologia, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia do envelhecimento

Museu Nacional/UFRJ, MN/UFRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2009
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador (Mestrando CAPES / FAPERJ), Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Pesquisador colaborador em regime de mestrado, sob supervisão Profº Marcio Goldman, conduzindo a pesquisa "Teseu e o touro: algumas sugestões feministas para uma crítica da razão". No primeiro ano, tive bolsa CAPES, alocada pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional/UFRJ. No segundo ano, recebi o prêmio Bolsa Nota 10 da FAPERJ.

Atividades

2006 - 2009
Pesquisa e desenvolvimento , Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, .


Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2006
Vínculo: Pesquisador assistente, Enquadramento Funcional: Pesquisador assistente

Atividades

2004 - 2006
Pesquisa e desenvolvimento , Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos, .


Bucareste Ateliê de Cinema, BAC, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor
Outras informações
Professor de cursos de Cinema Queer, com ênfase tanto teórica quanto prática.

Atividades

2016 - Atual
Ensino,

Disciplinas ministradas
Cinema Queer

CineSesc, CINESESC, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - 2017
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor
Outras informações
Professor do curso "Cinema Queer", realizado em parceria da Bucareste Ateliê de Cinema com o CineSesc.

Atividades

01/2017 - 01/2017
Ensino,

Disciplinas ministradas
Oficina de Cinema Queer

McGill University, MCGILL, Canadá.
Vínculo institucional

2014 - 2014
Vínculo: Pesquisador Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador Colaborador(Bolsista FAPESP/BEPE)
Outras informações
Pesquisador colaborador, na categoria Graduate Research Trainee, no Departamento de História da Arte e Estudos da Comunicação da McGill University (Montréal/Canadá), sob orientação da Profª Amelia Jones. Nesse período, tive Bolsa Estágio Pesquisa no Exterior (BEPE-FAPESP, processo nº2013/21735-9). Além das pesquisas desenvolvidas na McGill, realizei também pesquisa documental sobre arte e performance nos arquivos da Bibliothèque Kandinsky do Centre national d'art et de culture Georges-Pompidou.


Museu de Arte de São Paulo, MASP, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - 2017
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor convidado
Outras informações
Professor do curso "Gêneros, sexualidades e visualidades: atravessamentos teóricos e políticos"

Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor convidado
Outras informações
Professor do curso "Estudos críticos em arte: derivas queer/kuir entre arte e política"

Atividades

2017 - 2017
Ensino, Gêneros, sexualidades e visualidades: atravessamentos teóricos e políticos, Nível: Aperfeiçoamento

Disciplinas ministradas
Gêneros, sexualidades e visualidades: atravessamentos teóricos e políticos
2016 - 2016
Ensino, Estudos críticos em arte: derivas queer/kuir entre arte e política, Nível: Aperfeiçoamento

Disciplinas ministradas
Estudos críticos em arte: derivas queer/kuir entre arte e política

Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, CPF-SESC, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - 2017
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor convidado
Outras informações
Professor do curso "Gêneros e sexualidades desde perspectivas queer/cuir"

Atividades

2017 - 2017
Ensino, Gêneros e sexualidades desde perspectivas queer/cuir, Nível: Aperfeiçoamento

Disciplinas ministradas
Gêneros e sexualidades desde perspectivas queer/cuir

Revolta da Lâmpada, RDL, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Ativista, Enquadramento Funcional: Ativista de direitos humanos
Outras informações
Coletivo de ativismo de direitos humanos com inspiração queer/cuir e interseccional que luta pelo corpo livre e realiza diversas ações, dentre as quais: - manifestação anual pelo corpo livre saindo da Av. Paulista 777 - Cicla das 5, seminário anual que acontece na Fundação Escola de Sociologia e Política (FESPSP) em São Paulo, com mesas de debate sobre questões contemporâneas que envolvem as vivências de diversos corpos. - cursos de artivismo em locais como MASP e Sesc - Domingos no MAM, rodas de conversa que acontecem na marquise do museu no Parque Ibirapuera - palestras e mesas redondas em diversas instituições



Linhas de pesquisa


1.
Erotismo e subjetividade
2.
Novas tecnologias de informação e comunicação
3.
Antropologia Visual
4.
Antropologia da Música
5.
Marcadores Sociais da Diferença
6.
Antropologia Visual e da Arte
7.
Antropologia do Corpo
8.
Antropologia da Performance
9.
Marcadores Sociais da Diferença
10.
Teoria queer
11.
Antropologia e etnografia audiovisual
12.
Teorias da identidade
13.
Processos de subjetivação
14.
Teorias de gênero e sexualidade
15.
Antropologia Simétrica
16.
Antropologia Visual
17.
Antropologia audiovisual
18.
Etnografia audiovisual
19.
Antropologia da arte
20.
Estratégias artístico-documentais e a imaginação etnográfica


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Terrorismos e pontes do musicar local: explorações teóricas e etnográficas sobre gêneros e sexualidades dissidentes na música
Descrição: Projeto de pós-doutorado com um duplo foco, teórico e etnográfico. Primeiramente, procura investigar de que maneira se constrói e se consolida, no campo da musicologia mais amplamente e da etnomusicologia de maneira mais particular, um conjunto de preocupações relativas às questões de gênero e sexualidade, valendo-se para tanto das contribuições (etno)musicológicas feminista e queer/LGBTQ+. O foco etnográfico centra-se na produção de uma etnografia sobre experiências de musicar local que trabalham explicitamente e tomam essas questões como eixos estruturantes de suas práticas artísticas, seja na composição musical, seja na produção audiovisual e em espaços de sociabilidade e interação LGBTQIA+. Tanto discussões teóricas sobre (etno)musicologia quanto análises etnográficas sobre como práticas musicais constroem localidades e são construídas por ela constituem importantes pontos de investigação do Projeto Temático O Musicar Local: novas trilhas para a etnomusicologia (FAPESP no 2016/05318-7), ao qual esta pesquisa está associada..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
O Musicar Local ? novas trilhas para a etnomusicologia
Descrição: Este projeto visa reconhecer a diversidade das formas de engajamento musical ? ou do musicar ? em localidades diversas. Adotamos o termo ?musicar? como tradução da palavra ?musicking?, cunhada por Christopher Small, para descrever qualquer forma de engajamento com música. Assim, a performance musical é uma forma de musicar, mas musica-se também ao ouvir ou falar sobre música, ao fazer o download de uma música ou mesmo ao participar da organização de um show. Com efeito, Small chama atenção para o caráter social do musicar, ocorra ele numa performance em tempo real ou mediado por música gravada. Musicar, enfim, é engajar-se num processo interativo ligado à produção e vivência da música. Ao atrelarmos o musicar ao local, buscamos investigar como o musicar constrói a localidade e como é construído por ela. Ao dar foco à localidade da atividade musical, pretende-se chamar atenção para o papel da música na articulação deste contexto, independentemente da origem do estilo em questão. Localidades são contextos dinâmicos; são pontos de encontros contínuos entre pessoas, ideias, práticas, tecnologias, objetos que vão convergindo no local ao longo do tempo. A especificidade da localidade deriva de suas relações com outras localidades, mais do que com o seu isolamento. Busca-se, aqui, documentar como o engajamento musical se articula com as interações sociais que ocorrem durante o musicar, sejam os participantes amadores ou profissionais. O projeto, portanto, volta-se para a investigação da relação entre música e localidade a partir das práticas das pessoas envolvidas no musicar..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
Família Stronger
Descrição: Este projeto de pesquisa desdobra-se a partir de um documentário etnográfico de narrativa transmídia sobre a Família Stronger, coletivo LGBTQAI+ da periferia de São Paulo. Essas famílias são historicamente recuperadas quando, na década de 1970, durante a ditadura militar, pessoas sexo-gênero dissidentes do centro e de regiões periféricas de São Paulo começaram a formar grupos para se proteger. Por vezes abandonadas/os por seus parentes biológicos, essas/es jovens encontram acolhimento no que passam a assumir como famílias, adotando um sobrenome em comum e se relacionando como parentes. Antes chamadas de famílias da noite, por algumas/uns, posteriormente, depois de famílias GLS e, atualmente, conhecidas como famílias LGBT, essas redes de pais, mães, irmãos e irmãs cresceram, se multiplicaram e se transformaram em importantes espaços de vivência e descoberta coletiva. Apesar de, em sua maioria, morarem em bairros distantes da parte central da cidade, a região do Arouche ainda continua cenário frequente de suas histórias e rolês, assim como Ibirapuera e MASP, mais recentemente. O projeto acompanha dois anos desse coletivo e dessa rede afetiva e política, tendo mais de 60 diárias de captação de material bruto. Já o webdocumentário (acessível em http://www.familiastronger.com/) funciona como uma plataforma de conteúdo work in progress, na qual são publicados fragmentos, cenas e estudos audiovisuais feitos a partir da filmagem. O webdoc também apresenta personagens de forma interativa através de uma rede social da família associada ao blog produzido por elas/es. Os dados coletados dessa rede geram o desenho de uma árvore genealógica não convencional, onde é possível acessar os perfis das/os Strongers, assim como videoretratos e fotografia instantânea. Além disso, uma série de outros materiais etnográficos são produzidos, como videoinstalações, por exemplo. A ideia é explorar possibilidades com a imaginação etnográfica de forma a criar um espaço profícuo de experimentação para o conhecimento antropológico. Ampliando o escopo de saídas do material fruto dessa investigação, são também realizadas obras de video expandido, instalações sonoras e outras experimentações documentais que complexificam a própria narrativa construída com a família..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2014 - 2014
Corpo, imagem e crossdressing: uma análise dos disfarces de Duchamp e Journiac
Descrição: Nesta pesquisa, discuto a obra de alguns artistas que operacionalizam o cross-dressing e um (alter)ego feminino em suas obras, tais como Marcel Duchamp/Rrose Sélavy e Michel Journiac. O que está em jogo é como a prática de cross-dressing é marcada pela manipulação de alguns sinais diacríticos - roupas, ornamentos, mas também corpo, gestos, imagens (fotografias, vídeos) e performances - de maneira a realizar um uso diferente e criativo das normas e como esse uso diferencial subverte os princípios subjacentes às normas que lhes dão origem e que os torna possíveis e significantes..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2011 - 2015
Existências, insistências e travessias: sobre algumas políticas e poéticas de travestimento
Descrição: Pesquisa sobre políticas e poéticas do travestimento e, especialmente, sobre os regimes de produção de imagens e corpos agenciados a partir de algumas práticas de pessoas que se vestem com roupas do gênero associado ao sexo oposto. Inicialmente delimitada pelo trabalho de campo que realizei com pessoas que se auto intitulam crossdressers, a pesquisa acabou se ampliando para abarcar sujeitos que se pensam a partir de outros territórios existenciais. Essa ampliação foi guiada pela própria dinâmica do campo, já que algumas pessoas com as quais fiz pesquisa passaram a entender suas experiências de maneira diversa daquela sugerida pela palavra crossdressing, propiciando uma compreensão desta prática ora como instanciação de um processo mais amplo de transformação ora como identidade reivindicada. Trata-se de refletir sobre os diferentes regimes de funcionamento do crossdressing e as travessias entre formas de vida distintas. Busco também pensar como alguns artistas se valeram do travestimento em seus agenciamentos artísticos na tentativa de acessar outras referências a partir das quais estas vivências pudessem ser compreendidas, além ou aquém de normatizações médico-legais tão presentes nos estudos sobre pessoas que se travestem. Desejo igualmente fomentar um campo de reflexão antropológica bastante escasso, a saber, aquele cuja consideração envolve tanto a arte contemporânea quanto seu cruzamento com discussões relativas ao gênero e à sexualidade. Por fim, proponho um projeto de experimentação em antropologia audiovisual, através da realização de uma série de videoretratos pensados como videoinstalação..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2011 - 2015
Imagens da (trans)formação: arte e crossdressing em perspectiva comparada
Descrição: Este projeto possui um eixo duplo, relacionado com as duas linhas de pesquisa presentes no Projeto Temático. A espinha dorsal que sustenta esses dois braços é a prática de crossdressing, isto é, o vestir-se com roupas do gênero associado ao sexo oposto. Busco articular questões provenientes desse campo com a produção de conhecimento sensível ou evocativo e a metodologia pela qual se pretende alcançar esse objetivo é significativa na medida em que é a marca de um tipo de conhecimento que não pode ser reduzido ao seu caráter representativo. A prática de uma produção de conhecimento que não passa pela representação é algo caro tanto à antropologia quanto à alguns experimentos realizados dentro do cinema e da fotografia. A partir da perspectiva exposta, é entre esses campos que o projeto se situa e a metodologia que utiliza se vale tanto de estratégias textuais quanto de visuais. O objetivo aqui é mover-se em um terreno que não respeite a distinção entre arte e etnografia e que promova a imagem como experiência de uma relação. Em relação à linha de pesquisa "Fotografia, filme etnográfico e reflexão antropológica ? filme e teoria" propus a produção de um filme etnográfico que explora as diferentes concepções e práticas relacionadas ao crossdressing. Já no que concerne à linha de pesquisa "A expressão do conhecimento etnográfico ? fronteiras e antropologia e as artes", buscou-se trabalhar a obra de algum artistas que se valeram do travestimento como estratégia em agenciamento artístico..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2014
A Experiência do Filme na Antropologia
Descrição: Este projeto temático centra-se em duas vertentes. Uma delas trata da reflexão acerca das relações entre a Antropologia, a Fotografia e o Cinema, relação que se inicia nos primórdios da invenção da máquina fotográfica, do cinematógrafo e da própria disciplina antropológica. Se os encontros iniciais entre antropologia e estas novas técnicas de reprodução da imagem marcam as primeiras descobertas das possibilidades de contato e contágio, cem anos mais tarde as tensões são tantas quanto as efetivas aproximações entre as áreas. Um dos objetivos deste projeto é, pois, refletir sobre as experiências de apropriação mútua entre elas a partir da teoria antropológica, e também experimentar as possibilidades deste encontro, por meio da realização de filmes etnográficos e ensaios fotográficos. A segunda vertente está mais ligada ao que se convencionou chamar de Antropologia da Arte. Trata-se nesta segunda linha de pesquisa de perceber a realização audiovisual no âmbito da produção de conhecimento antropológico como expressão de um diálogo entre a teoria antropológica clássica e outros campos da própria antropologia como o da antropologia da arte e a etnoestética, bem como com campos vizinhos como os das artes visuais e cênicas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2006 - 2009
Teseu e o touro: algumas sugestões feministas para uma crítica da razão
Descrição: Nesta dissertação, retomei algumas propostas teóricas do feminismo antropológico para, através delas, indicar possíveis caminhos de uma política ou ética da contra-efetuação. Meu ponto de partida foram as discussões sobre natureza-cultura e doméstico-público da década de 1970 quando, autores como Edwin Ardener, Michelle Rosaldo e Sherry Ortner, usam estas chaves analíticas para pensar os ?problemas da mulher?. Valho-me de discussões etnográficas produzidas pela antropologia melanesianista para mostrar como só compreendemos adequadamente essas propostas se levarmos em conta os pressupostos indígenas euro-americanos a partir dos quais elas se constroem. Por fim, busco evidenciar algumas questões colocadas pela ênfase no conceito de gênero e, recorrendo aos problemas postos pela teoria de Judith Butler, tento, primeiramente, pensar as conseqüências do legado da experiência acadêmica e política do feminismo no direcionamento de suas problemáticas para, em seguida, deformar suas intenções, termos e propostas a fim de elaborar tanto uma crítica da razão humanista, política e/ou social quanto as diretrizes da política minoritária à qual me referi..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2011 - 2012
Bixiga em Artes e Ofícios: percursos audiovisuais
Descrição: Ministrei as oficinas de documentário/filme etnográfico do projeto que visavam tanto a formação de novxs documentaristas quanto a produção de filmes que fizeram parte do mapeamento de olhares sobre fazeres de artistas e artesãos do Bixiga (SP). Alguns resultados do projeto podem ser vistos em http://www.usp.br/yayabixiga/.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) .
Integrantes: Vitor Pinheiro Grunvald - Integrante / Rose Satiko Gitirana Hikiji - Coordenador / Adriana de Oliveira Silva - Integrante / Sandra Rossi de Araujo Costilhes - Integrante / Fernanda Barreto - Integrante.


Membro de corpo editorial


2015 - Atual
Periódico: GIS - Gesto, Imagem e Som - Revista de Antropologia
2012 - 2013
Periódico: Revista Cadernos de Campo


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Visual e da Performance.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Urbana/Especialidade: Antropologia de Gênero e Sexualidade.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia do corpo.
4.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Antropologia da Arte.
5.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Antropologia Urbana.
6.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Teoria Antropológica.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Francês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2017
Prêmio Stronger da Diversidade Sexual, Família Stronger.
2016
Tese indicada pela Comissão de Avaliação do PPGAS para concorrer no Concurso Brasileiro ANPOCS de Obras Científicas e Teses Universitárias em Ciências Sociais 2016, Departamento de Antropologia/USP.
2007
Bolsa Nota 10, FAPERJ.
2002
Bolsa UAM-Santander, Universidad Autonoma de Madrid / Banco Santander.
2001
Bolsa de Desempenho Acadêmico, Puc-Rio.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
GRUNVALD, V.2013GRUNVALD, V.. Duas ou três reflexões sobre vestidos, sapatos, batons, arte e humor político. História Agora, v. 15, p. 99-133, 2013.

Capítulos de livros publicados
1.
GRUNVALD, V.. Corpo, cidade e formas de vida a partir das Street Queens / Corps, villes et formes de vie a partir des Street Queens (edição bilíngue). In: Rafael Suriani. (Org.). Street Queens. 1ed.: , 2018, v. , p. 14-.

2.
GRUNVALD, V.. Algumas reflexões pessoais sobre a descolonização da queer. In: Júlia Ayerbe. (Org.). Cidade Queer, uma leitora. 1ed.São Paulo: Edições Aurora, 2017, v. , p. 22-33.

3.
GRUNVALD, V.; VILLELA, A. . Alguns apontamentos sobre fotografia, magia e fetiche. In: Andréa Barbosa; Edgar Teodoro da Cunha; Rose Satiko Gitirana Hikiji; Sylvia Caiuby Novaes. (Org.). A experiência da imagem na etnografia. 1ed.São Paulo: Terceiro Nome, 2016, v. 1, p. 205-228.

4.
GRUNVALD, V.; ABREU, Carolina de C. . Montagem, teatro antropológico e imagem dialética. In: Andréa Barbosa; Edgar Teodoro da Cunha; Rose Satiko Gitirana Hikiji; Sylvia Caiuby Novaes. (Org.). A experiência da imagem na etnografia. 1ed.São Paulo: Terceiro Nome, 2016, v. 1, p. 261-284.

5.
GRUNVALD, V.. Alter-retrato, fotografia e travestimento: ou sobre o paradigma fotográfico de Rrose Sélavy. In: Sylvia Caiuby Novaes. (Org.). Entre Arte e Ciência: a Fotografia na Antropologia. 1ed.São Paulo: EDUSP, 2015, v. , p. 161-196.

6.
GRUNVALD, V.. Imagens em movimento no Bixiga. In: HIKIJI, Rose S. G.; SILVA, Adriana de O.. (Org.). Bixiga em Artes e Ofícios. 1ed.São Paulo: EDUSP, 2014, v. , p. 63-69.

7.
GRUNVALD, V.; Outros . Butler, a abjeção e seu esgotamento. In: María Elvira Díaz-Benítez e Carlos Eduardo Figari. (Org.). Prazeres dissidentes. 1ed.Rio de Janeiro: Garamond, 2009, v. , p. 31-68.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
GRUNVALD, V.. Teoria, carne e marcos iniciais da pós-pornografia. FLSH, Meio digital.

2.
GRUNVALD, V.; DIAS, L. . A não binariedade em questão. FLSH.

3.
GRUNVALD, V.. Queer?2. FLSH.

4.
GRUNVALD, V.. Corpos, revoltas e lâmpadas. FLSH.

5.
GRUNVALD, V.; OLIVEIRA, C. E. . Moonlight, um olhar sobre (in)visibilidades de raça e desejo. FLSH.

6.
GRUNVALD, V.. Queermuseu e a crítica da crítica. FLSH.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
GRUNVALD, V.. Sobre a cosmologia e a gênese de um(a) crossdresser nas charges de Laerte. In: 28ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2012, São Paulo. Anais do 28ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2012.

2.
GRUNVALD, V.. Falar de perto: por uma antropologoia filmica inapropriada. In: III Congreso Latinoamericano de Antropología (ALA)., 2012, Santigo, Chile. Actas del III Congreso Latinoamericano de Antropología (ALA)., 2012.

3.
GRUNVALD, V.. O que faz uma imagem? Estética e visualidade na prática de crossdressing. In: IX Reunião de Antropologia do Mercosul, 2011, Curitiba. Anais eletrônico da IX Reunião de Antropologia do Mercosul, 2011.

4.
GRUNVALD, V.. A (in)humanidade do Outro ou Como ir da abjeção à variação contínua. In: VII Reunião de Antropologia do Mercosul, 2007, Porto Alegre. Anais eletrônico da VII Reunião de Antropologia do Mercosul, 2007.

5.
GRUNVALD, V.. Dress-code: uma análise da prática cross-dressing em contextos brasileiros. In: 25ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2006, Goiânia/GO. Anais eletrônico da 25ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2006. v. 2.

Apresentações de Trabalho
1.
GRUNVALD, V.. A Revolta da Lâmpada: elucubrações acadêmico-ativistas sobre corpos, dissidências e ocupação do espaço púiblico2. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
GRUNVALD, V.. Stronger: explorações teórico-etnográficas sobre família, cidade e documentário etnográfico de narrativa transmídia. 2018. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

3.
GRUNVALD, V.. Puentes y terrorismos: reflexiones acerca de arte, política y disidencias de género y sexualidad en el escenario muscial brasileño. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
GRUNVALD, V.. Arte y política en el escenario musical brasileño: apuntes éticos y estéticos.. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
GRUNVALD, V.. Gênero, mídia e corporalidade. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
GRUNVALD, V.; TONHON, M. . Transições. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
GRUNVALD, V.. Antropologia, Arte, Imagens-corpo e moralidades: reflexões a partir de uma pesquisa sobre políticas e poéticas de travestimento. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

8.
GRUNVALD, V.. Explorando a imaginação etnográfica: alguns apontamentos sobre arte e o fazer antropológico. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

9.
GRUNVALD, V.. Existências, insistências e travessias: sobre algumas políticas e poéticas de travestimento. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

10.
GRUNVALD, V.. Sobre corpos e revoltas: considerações fechativas sobre arte e uma política (cuir) das ruas. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
GRUNVALD, V.. Rrose Michel: arte, performance e subjetividade em algumas experiências de travestimento (Participante da Mesa Redonda Usos da Imagem na Antropologia). 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

12.
GRUNVALD, V.. Leather souvenir: explorações imagéticas do BDSM. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

13.
GRUNVALD, V.. Os cristais de Rrose e os corpos de Michel: reflexões alucinatórias sobre arte e travestimento. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

14.
GRUNVALD, V.. Políticas e poéticas do travestimento. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

15.
GRUNVALD, V.. Performance de gênero e gênero da performance: algumas reflexões a partir da arte corporal de Michel Journiac. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

16.
GRUNVALD, V.. O feminismo antropológico na atualidade. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

17.
GRUNVALD, V.. A simpatia de Foucault e seus efeitos sobre a nossa imagem do socius. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções bibliográficas
1.
GRUNVALD, V.. Cinema queer? Sugestões de-formativas 2016 (Texto para o catálogo do Festival forumdoc.bh 2016).

2.
STRATHERN, M. ; GUIMARÃ ; GIRARDI, L. ; OLIVEIRA, M. ; HARAYAMA, R. ; GRUNVALD, V. . Pontos em expansão: uma conversa com Marilyn Strathern 2012 (Revisão técnica de tradução).

3.
GRUNVALD, V.. Identidade? Fractalidade!. Site da Revista Tomada do Grupo Multimídia RANDOM, 2007 (Colaboração para a Revista Tomada do Grupo Multimídia RANDOM).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
GRUNVALD, V.. Parecerista ad hoc de artigo científico acadêmico - Revista Antropolítica. 2018.

2.
GRUNVALD, V.. Parecerista ad hoc de artigo científico acadêmico - Vista - Revista de Cultura Visual. 2018.

3.
GRUNVALD, V.. Parecerista ad hoc de Prêmio - VII Prêmio Claude Lévi-Strauss (Associação Brasileira de Antropologia). 2018.

4.
GRUNVALD, V.. Parecerista ad hoc de artigo científico acadêmico - Revista Ponto Urbe. 2017.

5.
GRUNVALD, V.. Parecerista ad hoc de artigo científico acadêmico - Revista PROA. 2017.

6.
GRUNVALD, V.. Parecerista ad hoc de artigo científico acadêmico - Revista PROA. 2017.

7.
GRUNVALD, V.. Curador ad hoc - Revista Cadernos de Campo. 2016.

8.
GRUNVALD, V.. Parecerista ad hoc de artigo científico acadêmico - Revista Plural. 2015.

9.
GRUNVALD, V.. Parecerista ad hoc de artigo científico acadêmico - Revista Áskesis. 2015.

10.
GRUNVALD, V.. Parecerista ad hoc de artigo científico acadêmico - Revista Cadernos de Campo. 2014.

11.
GRUNVALD, V.. Parecerista ad hoc de artigo científico acadêmico - Revista Cadernos de Arte e Antropologia. 2014.

12.
GRUNVALD, V.. Bate-papo sobre o Ciclo 'Amor e desejo na Terceira Idade'. 2013.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
GRUNVALD, V.; MENDEL, P. ; STRONGER, E. J. . Des/re/organizações Afetivas - Programação Pública da 33ª Bienal de São Paulo. 2018. (Programa de rádio ou TV/Mesa redonda).

2.
GRUNVALD, V.; VIEIRA, H. . Queer no Brasil (2ª Conferência Internacional SSEXBBOX - MixBrasil). 2016. (Programa de rádio ou TV/Mesa redonda).


Demais tipos de produção técnica
1.
GRUNVALD, V.. Arte contemporânea e perspectivas queer: derivas e deformações. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
GRUNVALD, V.. Alucinações entre arte e política. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
GRUNVALD, V.. Gêneros, sexualidades e visualidades: atravessamentos teóricos e políticos. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

4.
GRUNVALD, V.. Estudos críticos em arte: derivas queer/kuir entre arte e política. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

5.
GRUNVALD, V.; NOBRE, R. ; GONCALVES, C. . Cinema Queer. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

6.
GRUNVALD, V.. Arte e política. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

7.
GRUNVALD, V.. Do Feminismo aos Estudos de Gênero e Sexualidade. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

8.
GRUNVALD, V.. Mesa Redonda 'Antropologia e Arte' no Encontro Internacional de Antropologia Visual. 2014. (Coordenador de Mesa Redonda).

9.
GRUNVALD, V.. Grupo de Trabalho 'Antropologia, Arte e Comunicação' no Encontro Internacional de Antropologia Visual. 2014. (Coordenador de Grupo de Trabalho).

10.
GRUNVALD, V.. Antropologia e o estudo das identidades sexuais. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

11.
GRUNVALD, V.; MARIN, N. W. . Oficina de documentário e filme etnográfico. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

12.
GRUNVALD, V.. Oficina de video documentário: as imagens em movimento no Bixiga. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).


Produção artística/cultural
Artes Visuais
1.
GRUNVALD, V.; MENDEL, P. . Família Stronger. 2018. Filme.

2.
GRUNVALD, V.; MENDEL, P. . Cotidianos - Família Stronger. 2018. Fotografia.

3.
GRUNVALD, V.. trans_versus (produção artístico-documental). 2015. Vídeo.

4.
GRUNVALD, V.. Leather souvenir: explorações imagéticas do BDSM (produção artístico-documental). 2015. Performance.

5.
GRUNVALD, V.. Sombras de um Rio (montador). 2015. Filme.

6.
GRUNVALD, V.. Variações sobre um mesmo tema (Foquista). 2011. Filme.

7.
GRUNVALD, V.. Epidermia. 2011. Fotografia.

8.
GRUNVALD, V.. Entrevista com Laerte Coutinho (Direção/Edição) - LISA/USP. 2011. Vídeo.

9.
GRUNVALD, V.. Palavras cruzadas. 2010. Filme.

10.
GRUNVALD, V.. Ontem (Foquista). 2010. Filme.

11.
GRUNVALD, V.. Esquizoretrato em RGB. 2010. Vídeo.

12.
GRUNVALD, V.. Clemência (Direção de fotografia - documentário). 2010. Vídeo.

13.
GRUNVALD, V.. Alter-portrait. 2009. Vídeo.

14.
GRUNVALD, V.. Imagens da fé. 2000. Fotografia.

Outras produções artísticas/culturais
1.
GRUNVALD, V.. Curadoria de material fotográfico - Revista Cadernos de Campo. 2018 (Curadoria de material fotográfico).

2.
GRUNVALD, V.. Curadoria de material (audio)visual - Revista GIS - Gesto, Imagem e Som (USP). 2017 (Curadoria de material (audio)visual).

3.
GRUNVALD, V.. Curadoria de material (audio)visual - Revista GIS - Gesto, Imagem e Som (USP). 2016 (Curadoria de material (audio)visual).

4.
GRUNVALD, V.; MENDEL, P. . Projeto Família Stronger. 2016 (Projeto Transmídia Família Stronger).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
GRUNVALD, V.; IAHN, R. C.. Participação em banca de Rodrigo da Silva Cândido Ribeiro. Comunicação organizacional e transexualidade: um estudo sobre o papel estratégico da comunicação na inclusão de gênero nas "melhores empresas para se trabalhar". 2018. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Comunicação) - Faculdade Cásper Líbero.

2.
GRUNVALD, V.; CHAGAS, G. F.; SANTOS, M. A.. Participação em banca de Luana Baumann Lima. Jihad(s) islâmica(s) (des)viada(s) : Uma (n)etnografia com muçulmanas-os inclusivas-os da França. 2018. Dissertação (Mestrado em Psicologia: Processos Culturais e Subjetivação) - Universidade de São Paulo - Ribeirão Preto.

3.
GRUNVALD, V.; SOUZA E SILVA, W.; BASBAUM, Sergio. Participação em banca de Raquel Cristina Melo Corrêa. Sentires Sexuais em Ambiências Digitais. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) - Universidade de São Paulo.

4.
GRUNVALD, V.; RIBEIRO, C. E.; PISANI, M.. Participação em banca de Diego Blanco de Souza. Na fronteira dos corpos: sujeitos de sexualidade e resistências. 2017. Dissertação (Mestrado em FILOSOFIA) - Universidade Federal do ABC.

5.
GRUNVALD, V.; DAWSEY, J. C.. Participação em banca de Thiago Haruo Santos. Idols em imagens e sons, fãs em re-ação: uma etnografia da prática musical do K-Pop em São Paulo. 2016. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade de São Paulo.

Qualificações de Doutorado
1.
GRUNVALD, V.; SILVEIRA JUNIOR, W. G.; HIKIJI, R. S. G.. Participação em banca de Paulo Menotti del Picchia. O funk em São Paulo - um estudo sobre agências sociais da música. 2018.

Qualificações de Mestrado
1.
GRUNVALD, V.; BRUNO, F.. Participação em banca de Rodrigo Frare Baroni. Habitar um mundo de imagens: reflexões sobre os sentidos e sobre a imaginação por meio das fotografias de Evgen Bavcar. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em CIÊNCIAS SOCIAIS) - Universidade Federal de São Paulo.

2.
GRUNVALD, V.; SILVEIRA JUNIOR, W. G.. Participação em banca de Paulo Menotti Del Picchia. O Funk em São Paulo - Um estudo sobre agências sociais da música. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Antropologia Social) - Universidade de São Paulo.

3.
GRUNVALD, V.; IAHN, R. C.. Participação em banca de Rodrigo da Silva Cândido Ribeiro. Processos de comunicação organizacional e transexualidade: um estudo sobre o papel estratégico da comunicação na inclusão de gênero nas "Melhores Empresas para se Trabalhar". 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em Comunicação) - Faculdade Cásper Líbero.

4.
GRUNVALD, V.. Participação em banca de Paulino Ramos Ballesteros. Cuerpo, memoria y política minoritaria en el 20 aniversario de la despenalización de la homosexualidad en Ecuador. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Maestría de Investigación - Antropología Visual) - Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales - Ecuador.

5.
GRUNVALD, V.; PORCHAT, P.. Participação em banca de Diego Blanco de Souza. O corpo como arquivo: um trabalho de genealogia com Michel Foucault. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em FILOSOFIA) - Universidade Federal do ABC.

6.
GRUNVALD, V.; SOUZA E SILVA, W.. Participação em banca de Raquel Cristina Melo Corrêa. Sentires sexuais em ambiências digitais. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em Ciências da Comunicação) - Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo.

7.
GRUNVALD, V.; SEVERI, F. C.. Participação em banca de Luana Baumann Lima. Entre clicks e campos: uma (n)etnografia com muçulmanas-os inclusivas-os da França. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Psicologia) - Universidade de São Paulo.

Monografias de cursos de aperfeiçoamento/especialização
1.
GRUNVALD, V.. Participação em banca de Beatriz de Paula Barros. A vanguarda das gentes: a ressignificação performática de gênero do espetáculo Dzi Croquetes. 2016. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Especialização lato sensu em Estudos Brasileiros) - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo.

2.
GRUNVALD, V.. Participação em banca de Carolina Farias Moraes. As torcedoras querem torcer: análise das representações sobre mulheres e como se dá sua presença no mundo do Futebol. 2015. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Especialização Lato Sensu em Sociopsicologia) - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
GRUNVALD, V.; KUNSCH, G. K.; SPRICIGO, V. P.. Participação em banca de Clara Nobre de Camargo.Arte Queer no Brasil - 31ª e 32ª Bienais de São Paulo. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História da Arte) - Universidade Federal de São Paulo.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Outras participações
1.
GRUNVALD, V.. Projeto Cidadania. 2017. Faculdade Cásper Líbero.

2.
GRUNVALD, V.; RIVA, C. J. B. M.; TICIANELLI, O. J.. Projeto Cidadania. 2015. Faculdade Cásper Líbero.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
18º Congresso Mundial da International Union of Anthropological and Ethnological Sciences - IUAES. Coordenador do Open Panel Body and public space: between art and politics. 2018. (Congresso).

2.
42º Encontro Anual da ANPOCS. Coordenador do SPG 45 Visualidades e políticas: diferenças e agenciamentos. 2018. (Congresso).

3.
IV Congreso Internacional de Antropología AIBR. Puentes y terrorismos: reflexiones acerca de arte, política y disidencias de género y sexualidad en el escenario muscial brasileño. 2018. (Congresso).

4.
IV Congreso Internacional sobre Estudios de Diversidad Sexual en Iberoamerica. Arte y política en el escenario musical brasileño: apuntes éticos y estéticos.. 2018. (Congresso).

5.
Napedra em performance: criações 8.Stronger: explorações teórico-etnográficas sobre família, cidade e documentário etnográfico de narrativa transmídia. 2018. (Seminário).

6.
Congresso da Latin American Studies Association - LASA 2017 - Diálogos de Saberes. As cores e os corpos da cidade: reflexões sobre ativismo queer, imagens e espaço público. 2017. (Congresso).

7.
IV Ciclo Antropologia e Etnografia em Contextos Urbanos.Lâmpadas, corpos e cidades: algumas reflexões sobre opressão, dissidências e a ocupação do espaço público. 2017. (Seminário).

8.
Jornadas de Antropologia John Monteiro 2017.Marcadores sociais nos estudos de imagem. 2017. (Seminário).

9.
XII Reunión de Antropología del Mercosur. Coordenador do GT Entre arte e política: articulações contemporâneas em pesquisas antropológicas. 2017. (Congresso).

10.
2ª Semana de Debates de Cultura Geral - Invisibilidades, Alteridades e Convivências con.Mesa Protagonismo, empoderamento e lugares de fala: potencialidades, necessidades e limites. 2016. (Encontro).

11.
30ª Reunião Brasileira de Antropologia. Arte, política e ativismo: considerações sobre alguns grupos de ativismo queer. 2016. (Congresso).

12.
5ª Mostra Eco Falante de Cinema Ambiental.Debatedor na exibição do filme "Favelas: as cidades do amanhã". 2016. (Outra).

13.
Arte e Política reloaded? O Direito à Cidade. Como implicar o corpo? Práticas corporais de insurgência. 2016. (Congresso).

14.
Histórias da Sexualidade. 2016. (Seminário).

15.
Perspectivas kuir nas práticas artísticas contemporâneas. 2016. (Outra).

16.
VI Congresso da Associação Portuguesa de Antropologia. O fazer (do) ver: apontamentos sobre alguns usos políticos da imagem. 2016. (Congresso).

17.
VII Congresso Internacional de Estudos sobre a Diversidade Sexual e de Gênero. Coordenador do Simpósio Temático "Espaços, sociabilidades e sexualidades". 2016. (Congresso).

18.
VII Congresso Internacional de Estudos sobre a Diversidade Sexual e de Gênero. Coordenador do Simpósio Temático "Diversidades sexuais e de gênero: dinâmicas e interações na vida social". 2016. (Congresso).

19.
FACA - Festa de Antropologia, Cinema e Arte. Rrose e Michel: arte, performance e subjetividade em algumas experiências de travestimento. 2015. (Congresso).

20.
I Seminário Queer. 2015. (Seminário).

21.
IV ENUMAS - Encontro de Estudos de Marcadores Sociais da Diferença.Políticas e poéticas do travestimento. 2015. (Encontro).

22.
Seminário "São Paulo: a cidade e seus desafios" (FESPSP).Debatedor da mesa "Artivismos LGBT e Transviados" (Ciclo das 5). 2015. (Seminário).

23.
III ENUMAS - Encontro de Estudos de Marcadores Sociais da Diferença."Sexy Sensual sempre... Vulgar jamais": erotismo, moralidade e (homo)sexualidade na prática de crossdressing. 2014. (Encontro).

24.
IX Seminário Arte, Cultura e Fotografia.Quando o gênero é a armadilha da arte: Michel Journiac, o corpo travesti(do) e o alter-retrato fotográfico. 2014. (Seminário).

25.
Seminários de Pesquisa VISURB.Debatedor da pesquisa Imagens Trans: a fotografia como foco da pesquisa antropológica com travestis e transexuais. 2014. (Seminário).

26.
II Seminário de Pesquisa da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP).Debatedor da Mesa Corpo e Sexualidade. 2013. (Seminário).

27.
X RAM ? Reunión de Antropología del Mercosur. Corpo, imagem e mediação: alguns apontamentos sobre crossdressing e (homo)sexualidade. 2013. (Congresso).

28.
111th Annual Meeting of the American Anthropological Association. From equality to difference and from difference to equality: some initial reflections on (a) transgender activism. 2012. (Congresso).

29.
28ª Reunião Brasileira de Antropologia. Sobre a cosmologia e a gênese de um(a) crossdresser nas charges de Laerte. 2012. (Congresso).

30.
Tercer Congreso Latinoamericano de Antropología (ALA). Falar de perto: por uma antropologia fílmica inapropriada. 2012. (Congresso).

31.
Alteridade: um problema antropológico?. 2011. (Outra).

32.
IX Reunião de Antropologia do Mercosul. O que faz uma imagem? Estética e visualidade na prática de crossdressing. 2011. (Congresso).

33.
III Simpósio Internacional de Arte Contemporânea do Paço das Artes. 2009. (Simpósio).

34.
4º Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero.Um olhar feminista sobre a história do pensamento. 2008. (Outra).

35.
VII Reunião de Antropologia do Mercosul. A (in)humanidade do Outro ou Como ir da abjeção à variação contínua. 2007. (Congresso).

36.
25ª Reunião Brasileira de Antropologia. Dress-code: uma análise da prática cross-dressing. 2006. (Congresso).

37.
I Encontro de Jovens Pesquisadores do Departamento de Sociologia e Política da PUC-Rio.Algumas palavras sobre homossexualidade na internet. 2004. (Encontro).

38.
XXIV Reunião Brasileira de Antropologia. 2004. (Congresso).

39.
XXVII Encontro Anual da ANPOCS. 2003. (Congresso).

40.
X Congreso Internacional de Estudiantes de Antropología. 2002. (Congresso).

41.
Poética do fragmento. 2000. (Seminário).

42.
I Amostra de Psicologia no Cinema. 1999. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
GRUNVALD, V.. 2ª Semana de Debates de Cultura Geral. 2016. (Outro).

2.
GRUNVALD, V.; FREITAS, C. C. M. ; LAMPADA, C. R.Coletivo Revolta da Lâmpada . Ciclo das 5 - Seminário na Escola de Sociologia e Política. 2015. (Outro).

3.
GRUNVALD, V.; CAIUBY NOVAES, S. ; HIKIJI, R. S. G. ; MORGADO, P. ; RIBEIRO, M. ; PESSUTO, K. ; ABREU, C. C. ; GIESBRECHT, E. . Encontro Internacional de Antropologia VIsual. 2014. (Congresso).

4.
GRUNVALD, V.; Outros . Jornada Conjunta de alunos do MN/UFRJ, PPGSA/UFRJ e IUPERJ. 2007. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões concluídas
Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Gabriela Pozzoli Gouvêa. A pornografia feminista, pós-pornô e o empoderamento de minorias: uma análise acerca desse novo tipo de produção pornográfica audiovisual e sua contribuição para um panorama de igualdade de gênero. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Sociologia) - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Orientador: Vitor Pinheiro Grunvald.



Educação e Popularização de C & T



Livros e capítulos
1.
GRUNVALD, V.. Imagens em movimento no Bixiga. In: HIKIJI, Rose S. G.; SILVA, Adriana de O.. (Org.). Bixiga em Artes e Ofícios. 1ed.São Paulo: EDUSP, 2014, v. , p. 63-69.



Outras informações relevantes


Aprovado em 4º lugar no concurso para Professor da Carreira de Magistério Superior da Universidade Federal de São Carlos, área de Antropologia (edital 155/15 - dezembro de 2015)
Aprovado em 2º lugar no concurso para Professor da Carreira de Magistério Superior da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, área de Antropologia, subárea Antropologia Visual (edital 03/208 - maio de 2018)
Atua profissionalmente nas áreas fotográfica e audiovisual, tendo trabalhado tanto em projetos artísticos quanto como repórter fotográfico, diretor, roteirista, editor e consultor audiovisual. 
Registro profissional de Repórter Fotográfico nº 02387RF (Sindicato dos Jornalistas/RJ)
Registro profissional de Diretor Cinematográfico nº 0037991SP (SEPTER/SEPRO/SRTE/SP)



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 11/12/2018 às 7:54:52