Ugo Maia Andrade

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2611021235002533
  • Última atualização do currículo em 31/07/2018


Doutor e Mestre em Antropologia pela Universidade de São Paulo. Graduado em Ciências Sociais, com concentração em Antropologia, pela Universidade Federal da Bahia e em Filosofia pela Universidade Católica do Salvador. Dedica-se à pesquisa de relações humano-não humanos (animais e artefatos rituais) e em etnologia indígena no submédio rio São Francisco (BA/PE) e no baixo rio Oiapoque (AP), trabalhando temas como pós-humanismo, Antropologia e Fenomenologia, teoria e história da Antropologia, classificações socioambientais, teorias ameríndias da materialidade, xamanismo, ritual e redes de relações sociais. É professor do Departamento de Ciências Sociais e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal de Sergipe. Coordenada também o grupo de pesquisa INUMA - interfaces humano não humano (CNPq-UFS) - https://grupoinuma.wordpress.com. E-mails: ugomaia@ufs.br/ugomaiand@gmail.com (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Ugo Maia Andrade
Nome em citações bibliográficas
ANDRADE, Ugo M.;MAIA, UGO

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Sergipe, Centro de Educação de Ciências Humanas, Departamento de Ciencias Sociais.
Av. Marechal Rondon, s/n. CECH-Depto. de Ciências Sociais
Jardim Rosa Elze
49100000 - São Cristóvão, SE - Brasil
Telefone: (079) 31946750
URL da Homepage: https://www.sigaa.ufs.br/sigaa/public/docente/portal.jsf?siape=1704664


Formação acadêmica/titulação


2002 - 2006
Doutorado em Ciência Social (Antropologia Social).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: O real que não é visto. Xamanismo e relação no baixo Oiapoque (tese recomendada para publicação), Ano de obtenção: 2007.
Orientador: Dominique Tilkin Gallois.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Guianas; xamanismo; Relacionismo; Ontologia fenomenológica; Redes de comunicação.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Etnologia Indígena.
Setores de atividade: Outro.
1999 - 2001
Mestrado em Ciência Social (Antropologia Social).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Um rio de histórias: a formação da alteridade tumbalalá e a rede de trocas no submédio São Francisco (dissertaçã aprovada com distinção e louvor),Ano de Obtenção: 2002.
Orientador: M. Aracy de Pádua Lopes da Silva & Dominique Tilkin Gallois.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: Sub-médio São Francisco; Rede de comunicação interétnica; Índios do Nordeste brasileiro.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Etnologia Indígena.
Setores de atividade: Outro.
1996 - 2004
Graduação em Ciências Sociais.
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Título: A nau da Jurema: processos cosmológicos e cosmologias em processo no Nordeste indígena.
Orientador: Maria Rosário Gonçalves de Carvalho.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
1992 interrompida
Graduação interrompida em 1995 em Geofísica.
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Ano de interrupção: 1995
1992 - 1995
Graduação em Filosofia.
Universidade Católica do Salvador, UCSAL, Brasil.




Atuação Profissional



Programas das Nações Unidas para o Desenvolvimento no Brasil, PNUD BRASIL, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2008
Vínculo: Consultor, Enquadramento Funcional: Consultor


Fundação Instituto de Terras do Estado de Sao Paulo, ITESP, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2008
Vínculo: Consultor, Enquadramento Funcional: Consultor


Secretaria de Cultura do Estado do Amapá, SECULT, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2007
Vínculo: Consultor, Enquadramento Funcional: Consultor


Instituto de pesquisa e Formação em Educação Indígena, IEPÉ, Brasil.
Vínculo institucional

2005 - 2005
Vínculo: Consultor, Enquadramento Funcional: Consultor


Fundação Nacional do Índio, FUNAI, Brasil.
Vínculo institucional

2002 - 2003
Vínculo: Consultor, Enquadramento Funcional: Consultor
Outras informações
Consultoria antropológica prestada à CGEP-FUNAI visando a produção de relatórios de identificação étnica dos grupos Karuazu e Kalancó (AL)


Faculdade de Filosofia, Letras e Ciência Humanas, FFLCH, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2004
Vínculo: Assisntente em disciplina, Enquadramento Funcional: bolsista, Carga horária: 20
Outras informações
Assistente na disciplina ?Pesquisa de campo em Antropologia?, ministrada pelo Prof. Dr.Vagner Silva durante o 2º Semestre de 2004 no curso de graduação em Ciências Sociais da FFLCH/USP.

Vínculo institucional

2003 - 2003
Vínculo: Assisntente em disciplina, Enquadramento Funcional: bolsista, Carga horária: 20
Outras informações
Assistente na disciplina ?Etnologia Ameríndia e a História: Abordagens teóricas e metodológicas?, ministrada pela Profa. Dra. Marta Amoroso durante o 2º semestre de 2003 no curso de graduação em Ciências Sociais da FFLCH/USP.

Vínculo institucional

2001 - 2001
Vínculo: Assistente de disciplina, Enquadramento Funcional: bolsista, Carga horária: 20
Outras informações
Assistente na disciplina ?Mito e História?, ministrada pela Profa. Dra. Dominique Gallois durante o 2o semestre de 2001 no curso de graduação em Ciências Sociais da FFLCH/USP.


Escola Abraham Lincoln, EAL, Brasil.
Vínculo institucional

1997 - 1998
Vínculo: Professor contratado, Enquadramento Funcional: Professor de filosofia e sociologia, Carga horária: 10
Outras informações
Docência em ensino médio


Escola Análise, EA, Brasil.
Vínculo institucional

1996 - 1997
Vínculo: Professor contratado, Enquadramento Funcional: Professor de Filosofia e Sociologia, Carga horária: 12
Outras informações
Docência em ensino médio


Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Associado I, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

03/2018 - Atual
Ensino, ANTROPOLOGIA, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Tópicos especiais em Antropologia III
08/2016 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Educação de Ciências Humanas, .

04/2009 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Educação de Ciências Humanas, .

11/2017 - 03/2018
Ensino, Ciências Sociais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia IV
Tópicos especiais de antropologia - Antropologia extramuros: a produção de laudos e relatórios tecnicos
03/2017 - 11/2017
Extensão universitária , Centro de Educação de Ciências Humanas, .

Atividade de extensão realizada
Sistemas sociais e linguagem: abordagens sistêmicas e pesquisa de campo.
06/2017 - 10/2017
Ensino, Ciências Sociais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia I
Antropologia V
03/2016 - 12/2016
Ensino, ANTROPOLOGIA, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
TEORIA ANTROPOLÓGICA I
TEORIA ANTROPOLÓGICA II
05/2014 - 05/2016
Direção e administração, Reitoria, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação.

Cargo ou função
Coordenador Adjunto do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Sergipe.


Linhas de pesquisa


1.
Poder, Rituais e Representações
2.
Etnologia Indígena
3.
Teoria Antropológica
4.
Natureza e Cultura
5.
Antropologia e Fenomenologia
6.
Alteridade animal


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
TERRAS DE ALDEIAS E DE MISSÕES INDÍGENAS EM SERGIPE: ESTADO ATUAL
Descrição: Este projeto de pesquisa pretende continuar, mas em direção renovada, atividades do projeto de pesquisa ETNOGRAFIA EM TERRAS DE ALDEIAS E DE MISSÕES INDÍGENAS EM SERGIPE, desenvolvido no âmbito do PIBIC durante os anos de 2015-16 e cujos resultados animadores justificam a sua reedição. Nesse sentido, partindo da investigação etnográfica associada à análise bibliográfica, a pesquisa anterior conseguiu chegar às memórias locais sobre os limites da antiga aldeia de Água Azeda, o processo de expropriação das terras indígenas e os grandes proprietários envolvidos, todos ligados aos engenhos locais de cana de açúcar. Conseguiu também localizar, na cidade de Itaporanga, um núcleo familiar que descende de Anacleto José de Santana que, juntamente com outras pessoas do povoado Aldeia, apresentou, em 1934, processo contra o Coronel Gonçalo de Faro Rollemberg, alegando serem os descendentes dos índios da antiga aldeia de Água Azeda e, assim, os legítimos proprietários de suas terras, ocupadas, então, pelos descendentes de senhores de engenhos (Figueiredo, 1981: 122). Conseguiu ainda mapear festas, brincadeiras, costumes e cantigas associados pelos moradores locais às populações nativas, além de formar um acervo fotográfico das edificações e lugares ligados à memória indígena em Tomar do Geru/Cristinápolis, São Cristóvão/Itaporanga e Pacatuba/Japaratuba. Levantou-se também topônimos associados às memórias da presença indígena nos locais da pesquisa. Na pesquisa ora proposta por meio deste projeto mantemos o foco na etnografia. Nos anos de 1970 Beatriz Góis Dantas, então professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de Sergipe, coordenou um extenso levantamento documental cujo propósito era localizar e transcrever manuscritos do Arquivo Público do Estado de Sergipe (APES) que tratassem, de algum modo, sobre índios, focando o século XIX (Dantas, 1985: 117). Esse trabalho conseguiu mapear parte dos manuscritos do APES e produzir uma volumosa massa de transcrições, organizada segundo certos critérios, hoje armazenada no Depto. de História da UFS. Parte desse material veio a público em artigos sobre índios em Sergipe (alguns deles citados neste Projeto de Pesquisa) e outra parte permanece inédita. Pretende-se recorrer, quando necessário, a tais transcrições, mas sem o intuito de contrapô-las às narrativas e discursos obtidos por meio do trabalho de campo. Ao contrário: pretende-se que tais elementos discursivos contemporâneos sejam complementares à historiografia oficial sobre as missões e aldeias indígenas em Sergipe (em especial dos dois últimos séculos), uma vez que esta emerge de um campo de disputas entre segmentos sociais e reflete, quase sempre, a hegemonia de alguns deles. Desta forma, a etnografia pode preencher vazios na documentação mais recente sobre as antigas missões de Pacatuba, Japaratuba e Tomar do Geru e aldeia de Água Azeda, possibilitando uma melhor compreensão dos destinos destes sítios indígenas, assim como da trajetória de formação das vilas e povoados que os sucederam. Obviamente, uma pesquisa dessa natureza pode, de forma involuntária, ensejar mobilização social visando uma agenda política de identidade, reproduzindo os casos de ?emergência étnica? ocorridos a partir do contato de comunidades e de lideranças comunitárias com agentes externos. Esta, nem de longe, é a intenção da pesquisa, mas é uma possibilidade subjacente da qual deve-se ter consciência..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Ugo Maia Andrade - Coordenador.
2017 - Atual
RESGATANDO BICHOS, DOMESTICANDO HUMANOS: ETNOGRAFIA DO MOVIMENTO SOCIAL DE DIREITOS E PROTEÇÃO ANIMAIS EM ARACAJU
Descrição: O presente projeto de pesquisa tem como tema geral as conexões entre as atividades de grupos de proteção animal de Aracaju, Direitos Animais e poder público, buscando compreender as implicações mútuas entre agentes do Direito, agentes do poder público municipal e movimento social pró bem estar animal. De forma particular, a pesquisa estará focada nas práticas de cinco grupos de resgate/proteção animal de Aracaju e nas relações/tensões entre esses, a administração municipal (em especial por meio de ações voltadas à higienização pública através do controle demográfico de ?animais de rua?) e advogados e juízes locais que debatem, dentro do Direito, a questão animal. No que concerne a este último ponto, o eixo Bahia-Sergipe possui grandes representantes do movimento abolicionista animal brasileiro instaurado entre juízes e advogados (Vide Santana, 2006; Silva, 2009), sendo que a própria OAB-Sergipe possui uma Comissão de Direito dos Animais..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado profissional: (2) .
Integrantes: Ugo Maia Andrade - Coordenador / FRANCISCO EMANUEL SILVA MENESES ALVES - Integrante / GENILSON CONCEIÇÃO FERREIRA - Integrante / JULIANO MACHADO RAMOS - Integrante / EVELYN MARCELE RIBEIRO MOTA - Integrante / WINISTON DE JESUS SANTOS - Integrante.
2016 - 2018
Relações animais-humanos no sertão de Sergipe
Descrição: O objetivo geral do projeto de pesquisa é o cotejamento etnográfico de três situações específicas de relação social animal-humano no interior do estado de Sergipe: a briga de galos na zona rural de Cedro de São Francisco, a biografia de bode Bito em Riachão dos Dantas e a corrida de jegues na cidade de Itabi. Dentre os objetivos específicos e fazendo uso das etnografias nos locais acima elencados destacam-se: 1- Inventariar as modalidades de relações animal-humano (subjetificante, objetificante, antropormofizada, etc.); 2- Identificar os constructos simbólicos de comunicação inter-humana que passam pelas relações animal-humano; 3- Compreender a natureza da presença animal nas relações sociais com humanos (uso, parceria, etc.); 4- Qualificar o estatuto moral atribuído aos animais em cada um dos três contextos específicos de relações com humanos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (6) .
Integrantes: Ugo Maia Andrade - Coordenador / Jucimara Araújo Cavalcante Souza - Integrante / Humberto Luiz Galupo Vianna - Integrante / Lucas Vieira Santos Silva - Integrante / LAYLA KAROLINE BOMFIM DO NASCIMENTO - Integrante / FRANCISCO EMANUEL SILVA MENESES ALVES - Integrante / GUATAMONZI ABRAÃO MENEZES BARBOSA - Integrante / GENILSON CONCEIÇÃO FERREIRA - Integrante / ANDRESSA MARIA MACHADO MEDEIROS - Integrante / DINARTY DE MELO SANTOS - Integrante / KAROLINE COELHO FERREIRA - Integrante / ALICE DO NASCIMENTO SANTOS - Integrante.
2015 - 2017
ETNOGRAFIA EM TERRAS DE ALDEIAS E DE MISSÕES INDÍGENAS EM SERGIPE
Descrição: O projeto de pesquisa tem como tema geral o mapeamento etnográfico da memória da presença indígena no estado de Sergipe, tomando como referência os locais que correspondem hoje às antigas reduções de Água Azeda, Tomar do Geru, São Felix de Pacatuba e Nossa Senhora do Carmo de Japaratuba. Tais reduções, juntamente com a missão de São Pedro de Porto da Folha, constituíam as povoações indígenas oficialmente existentes no estado nos séculos XVIII e XIX. O interesse principal da pesquisa é etnográfico e, portanto, pretende-se identificar as narrativas locais de memórias indígenas, suas expressões (festas, biografias, mitos, ritos, patrimônio arquitetônico etc.) e os coletivos que com elas se relacionam de forma privilegiada..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Ugo Maia Andrade - Coordenador / Hippolyte Brice Sogbossi - Integrante / Jucimara Araújo Cavalcante Souza - Integrante / Beatriz Gois Dantas - Integrante / Leana Santos - Integrante / Naiane Alves - Integrante.
2013 - 2016
COSMOLOGIA E HISTÓRIA NA REGIÃO DO RIO UAÇÁ E BAIXO OIAPOQUE (AP)
Descrição: O tema geral do presente projeto de pesquisa é a interface história-cosmologia na região do baixo Oiapoque e rio Uaçá, extremo norte do estado do Amapá e área etnográfica das Guianas. O foco da pesquisa são os elementos pelos quais os índios Karipuna, Galibi-Marworno e Palikur percebem e representam a temporalidade e como hipótese de saída ? baseada no que é possível apreendermos da literatura sobre a área em tela ? argumentamos que tais elementos são, de algum modo, fornecidos pelo xamanismo. Concebemos que a história não deve ser procurada exclusivamente nas representações indígenas de grandes eventos; deve-se, ao contrário, procurá-la na produção das atividades ordinárias que, muitas vezes, passam despercebidas do olhar etnográfico. Tal postura exige considerar a dimensão experiencial da história e identificar seus idiomas. Nesse ponto suspeitamos que, na região do baixo Oiapoque e rio Uaçá, é o xamanismo, e não o parentesco (como se identificou algumas vezes na Amazônia indígena), a linguagem por meio da qual se exprime a agência histórica como potência transformadora. Pois o xamanismo ocupa um lugar central na produção da socialidade entre os povos indígenas do Oiapoque, interferindo até mesmo, e substancialmente, na produção de parentes, a exemplo das clivagens no seio do grupo doméstico que opõem consanguíneos entre si nas acusações de feitiçaria. Nossa posição analítica considera, assim, os pontos de vista na etnologia amazônica que tomam o cotidiano, ou a produção da socialidade, como estruturante e origem da história; mas compreendemos, ao menos como hipótese de saída, que é o xamanismo, e não o parentesco, o elemento por meio do qual ela melhor se realiza. Com isso, se quisermos compreender as dinâmicas sócio-simbólicas por trás das formas expressivas de registro e transformação da temporalidade no baixo Oiapoque e rio Uaçá, precisamos olhar para o xamanismo, uma vez que ele é um elemento indispensável por meio do qual os índios dessa região percebem a ?história?. Tal argumento, somado ao uso extensivo de formas expressivas de registro e transformação da temporalidade (e não limitados a eventos atinentes ao contato), diferencia a pesquisa proposta de outras abordagens da interface cosmologia-história na etnologia amazônica..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Ugo Maia Andrade - Coordenador / Lux B. Vidal - Integrante / Esther de Castro - Integrante / Ana Paula Nóbrega da Fonte - Integrante.
2013 - 2015
Taxonomias ecológicas xocó: percepções e relações socioambientais
Descrição: O presente projeto de pesquisa é derivação das atividades de extensão universitária em curso entre os índios Xocó da Terra Indígena Caiçara/Ilha de São Pedro (município de Porto da Folha/SE) no âmbito do projeto ?Recursos fitoterápicos xocó: valorização cultural e economia familiar (PROEX-UFS/2011-2012)? (Andrade, 2011). Tal projeto de extensão ? que visa, dentre outras coisas, mapear as categorias cosmoecológicas xocó relativas às plantas medicinais utilizadas pela comunidade ? forneceu os subsídios iniciais para um levantamento do sistema de nominação de plantas, começando pelas apontadas como terapêuticas e que são objetos da pesquisa em curso. A razão de ser do presente projeto está lastreada nos seguintes argumentos: 1- a análise de classificações ecológicas nativas permite compreender seus princípios ordenadores, as estratégias de uso de recursos, os modos de relação com o meio ambiente e suas diferentes percepções ? possibilitando propostas radicalmente inovadoras, como a substituição de environment (meio ambiente) por entanglement (enredamento) a fim de exprimir com maior justeza percepções anímicas daquilo que chamamos de ?natureza? (Ingold, 2000; 2006); 2- há uma carência completa de estudos etnoecológicos entre os Xocó e; 3- a pesquisa proposta deverá gerar um banco de dados sobre classificações e sistemas de nomenclaturas da fauna e flora no território xocó que depois retornará para a própria comunidade a fim de utilizar em ações socioambientais..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Ugo Maia Andrade - Coordenador / Jucimara Araújo Cavalcante Souza - Integrante / Ruth Paes Ribeiro - Integrante.
2009 - 2012
Identidades indígenas e redes de trocas no submédio e baixo Rio São Francisco
Descrição: A proposta deste projeto de pesquisa é investigar e comparar a dinâmica e transformação de relações interindígenas de trocas no submédio e baixo Rio São Francisco, focando os povos Tumbalalá (BA), Tuxá (BA) e Truká (PE) (submédio) e Xocó (SE) e Kariri-Xocó (AL) (baixo). Os pressupostos ? apresentados em ocasiões antecedentes para a região do submédio São Francisco (Andrade, 2002; 2005; 2008) ? são que: a) as redes de relações interindígenas no dito rio foram remodeladas pela agência colonial, mas a ela antecedem, pois, caracterizadas pela longa duração, perduram no tempo mediante transformações de suas relações; b) são as redes de relações interindígenas e entre índios e não-índios no Rio São Francisco que garantem o elo, por meio de sucessivas transformações de relações ao longo da história, entre o passado e o presente, possibilitando os processos regionais de etnogênese e os movimentos particulares por identidade; c) tais movimentos sociais reavaliam categorias culturais e classificações cosmológicas precedentes, possibilitando a reprodução das redes de relações por meios de transformações expressas pelas novas identidades, assegurando, assim, que ?a reprodução da estrutura torne-se sua transformação? (Sahlins, 2004: 8)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2011 - 2012
Recursos fitoterápicos xokó: valorização cultural e economia familiar
Descrição: O presente Projeto de Extensão foi motivado pela oportunidade de alinhar alguns focos da pesquisa que venho desenvolvendo, desde março de 2010, junto aos Xocó e outros povos indígenas do submédio e baixo Rio São Francisco (projeto ?Identidades indígenas e redes de trocas no submédio e baixo Rio São Francisco?, cadastrado no SIRPE-UFS) com interesses da comunidade xocó na valorização de seus saberes tradicionais fitoterápicos. Portanto, este Projeto de Extensão resulta da convergência entre pesquisas antropológicas em curso e demandas da comunidade xocó relativas à preservação e valorização culturais. Além disso, busca-se também auxiliar a comunidade na viabilização da produção de cosméticos à base de plantas medicinais autóctones como fonte alternativa de incremento de renda familiar, uma vez que produtos como sabonetes com propriedades fitoterápicas já demonstraram possuir boa aceitação no comércio regional. Desta forma ? com base em ações programáticas de valorização cultural e de geração de alternativas de incremento de renda familiar ? e atuando em consonância com demandas da própria comunidade, pretende-se contribuir, por meio da extensão universitária, para a geração de mudanças positivas na vida comunitária xocó. a) Benefícios previstos no processo ensino-aprendizagem Além de proporcionar a aproximação da Universidade com realidades sociais concretas ? principal bandeira das atividades de extensão universitária ? o Projeto de Extensão apresentado poderá proporcionar aos alunos de graduação que a ele venham a se juntar uma experiência de intervenção compartilhada em uma realidade social concreta, uma vez que as ações previstas virão se somar às ações de valorização cultural e busca por alternativas de complementação de renda familiar já iniciadas pelos Xocó..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.


Membro de corpo editorial


2015 - Atual
Periódico: Fronteiras e debates
2003 - 2005
Periódico: Cadernos de Campo (USP)


Revisor de periódico


2016 - 2016
Periódico: REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS SOCIAIS (IMPRESSO)
2016 - 2016
Periódico: AMBIVALÊNCIAS
2016 - 2016
Periódico: AVÁ (POSADAS)
2013 - 2013
Periódico: ILHA. REVISTA DE ANTROPOLOGIA (FLORIANÓPOLIS)
2014 - 2014
Periódico: REVISTA HABITUS
2014 - 2014
Periódico: R@U : REVISTA DE ANTROPOLOGIA SOCIAL DOS ALUNOS DO PPGAS-UFSCAR
2013 - 2013
Periódico: AVÁ (POSADAS)
2016 - 2016
Periódico: Revista de Antropologia (São Paulo)
2015 - 2015
Periódico: Revista de Antropologia (São Paulo)
2012 - 2012
Periódico: Revista de Antropologia (São Paulo)
2012 - 2012
Periódico: Revista de Antropologia (São Paulo)
2011 - 2011
Periódico: Revista de Antropologia (São Paulo)
2017 - 2017
Periódico: CRÍTICA E SOCIEDADE: revista de cultura política
2018 - 2018
Periódico: revista mundaú


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Etnologia Indígena.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Identidades indígenas emergentes.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Xamanismo.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Redes de Relações.
5.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Ontologia fenomenológica.
6.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Alteridade animal.


Idiomas


Francês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
VIANNA, BETO2018VIANNA, BETO ; MAIA, UGO . DOSSIÊ SOCIALIDADES INTERESPECÍFICAS: OS OUTROS SÓCIOS DO HUMANO. AMBIVALÊNCIAS, v. 5, p. 04-21, 2018.

2.
ANDRADE, Ugo M.;MAIA, UGO2013ANDRADE, Ugo M.. Sobre artefatos-pessoa e produção ritual no baixo Oiapoque (Amapá). Revista de Antropologia (USP. Impresso), v. 55, p. 971-1016, 2013.

3.
ANDRADE, Ugo M.;MAIA, UGO2011ANDRADE, Ugo M.. A physis e o pensamento ameríndio. Avá (Posadas), v. 19, p. 81-109, 2011.

4.
ANDRADE, Ugo M.;MAIA, UGO2004ANDRADE, Ugo M.. Dos estigmas aos emblemas de identidade: os percursos da formação de um povo. Revista de Estudos e Pesquisas (Fundação Nacional do Índio), v. 1, p. 99-139, 2004.

5.
ANDRADE, Ugo M.;MAIA, UGO2002ANDRADE, Ugo M.. Um grande atrator: toré e articulação (inter)étnica entre os Tumbalalá do sertão baiano. Cadernos de Campo (USP), São Paulo, v. 10, 2002.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
ANDRADE, Ugo M.; BORDONARO, L. (Org.) . Aprendendo antropologia em Sergipe: experiências de pesquisa e de ensino. 1a. ed. São Cristóvão: Editora UFS, 2017. 318p .

2.
ANDRADE, Ugo M.. Memória e diferença: os Tumbalalá e as redes de trocas no submédio São Francisco. 1a. ed. São Paulo: Associação Editoral Humanitas, 2009. v. 1. 391p .

3.
ANDRADE, Ugo M.; SILVA, S. V. (Org.) ; SFAIR, D. M. (Org.) ; SANTOS, S. (Org.) ; SANTOS, M. L. (Org.) ; SANTOS, L. Y. O. (Org.) ; SANTOS, D. F. (Org.) ; OLIVEIRA, M. M. S. (Org.) ; OLIVEIRA, E. S. (Org.) ; MONTEIRO, J. M. (Org.) ; MONTEIRO, C. N. (Org.) ; LABONTE, H. I. (Org.) ; JEANJACQUE, M. T. C. (Org.) ; IOIO, D. I. (Org.) ; FORTE, T. C. A. (Org.) ; FORTE FILHO, M. (Org.) ; ALMEIDA, B. S. (Org.) ; SANTOS, A (Org.) . Turé dos povos indígenas do Oiapoque. Rio de Janeiro/São Paulo: Museu do Índio/Iepé, 2009. v. 1. 96p .

Capítulos de livros publicados
1.
ANDRADE, Ugo M.; SANTOS, L. ; ALVES, N. . Notas para uma ecologia pelos índios Xokó (SE). In: Carlos Alberto Batista Santos; Edson Hely Silva; Edivânia Granja da Silva Oliveira. (Org.). História ambiental, história indígena e relações socioambientais no semiárido brasileiro. 1ed.Paulo Afonso: SABEH, 2018, v. 1, p. 164-187.

2.
ANDRADE, Ugo M.; BORDONARO, L. . A Antropologia em Sergipe, sob o ponto de vista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFS (PPGA-UFS). In: Ugo Maia Andrade; Lorenzo Bordonaro. (Org.). Aprendendo antropologia em Sergipe : experiências de pesquisa e de ensino. 1aed.São Cristóvão: Editora UFS, 2017, v. , p. 6-13.

3.
ANDRADE, Ugo M.. Prefácio de "Interdições do incesto ? Lévi-Strauss e suas considerações sobre Freud e a História". In: Ugo Maia Andrade; Lorenzo Bordonaro. (Org.). Aprendendo antropologia em Sergipe : experiências de pesquisa e de ensino. 1aed.São Cristóvão: Editora da UFS, 2017, v. , p. 196-211.

4.
ANDRADE, Ugo M.; CARVALHO, M. R. G. . Terras Indígenas no Nordeste: novo balanço. In: Bato Ricardo; Fany Ricardo. (Org.). Povos Indígenas no Brasil - 2011/2016. 1aed.São Paulo: Instituto Socioambiental, 2017, v. , p. 515-518.

5.
ANDRADE, Ugo M.. A forma e o espírito: Bancos e Mastros rituais como pessoas invisíveis. In: Lux B. Vidal; José Carlos Levinho; Luís Donisete Benzi Grupioni. (Org.). A presença do invisível: vida cotidiana e ritual entre os Povos Indígenas do Oiapoque. 1ed.Rio de Janeiro: Iepé - Museu do Índio, 2016, v. , p. 175-186.

6.
ANDRADE, Ugo M.; CARVALHO, M. R. G. . Índio, Índios. In: Livio Sansone; Cláudio Alves Furtado. (Org.). Dicionário crítico das ciências sociais dos países de fala oficial portuguesa. 1ed.Salvador: EDUFBA, 2014, v. 1, p. 215-251.

7.
ANDRADE, Ugo M.. Nas matas do ?Burraxudo?: rotinas quilombolas e antiquilombos no sul da Bahia (século XIX). In: CARVALHO, Maria Rosário; REESINK, Edwin; CAVIGNAC, Julie. (Org.). Negros no mundo dos Índios: imagens, reflexos, alteridades. 1aed.Natal: EDUFRN, 2011, v. 1, p. 67-97.

8.
ANDRADE, Ugo M.. A jurema tem dois ?gaios?: história tumbalalá. In: CARVALHO, Maria Rosário; CARVALHO, Ana Magda. (Org.). Indios e Caboclos: a história recontada. 1aed.Salvador: EDUFBA, 2011, v. 1, p. 183-222.

9.
ANDRADE, Ugo M.; CARVALHO, M. R. G. . Terras Indígenas no Nordeste. In: Ricardo, Beto; Ricardo, Fany. (Org.). Povos Indígenas no Brasil 2006/2010. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2011, v. , p. 501-504.

10.
ANDRADE, Ugo M.. Tumbalalá: atransposição do São Francisco é motivo de preocupação. In: Beto Ricardo; Fany Ricardo. (Org.). Povos Indígenas no Brasil - 2001/2005. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2006, v. 1, p. 547-549.

11.
ANDRADE, Ugo M.. Moralitas Cabocla. In: GRÜNEWALD, Rodrigo de Azeredo. (Org.). Toré: regime encantado do índio do Nordeste. Recife: Massangana, 2005, v. , p. 99-127.

12.
ANDRADE, Ugo M.. Etnogênese tumbalalá: identidade e rede de comunicação interétnica no submédio São Francisco. In: Luiz Sávio de Almeida; Christiano B. M. da Silva. (Org.). Índios do Nordeste: Temas e problemas 4. 1ed.Maceió: EDUFAL, 2004, v. , p. 63-114.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
ANDRADE, Ugo M.. Verbete karuazu. Enciclopédia Eletrônoca dos Povos Indígenas no Brasil, 25 nov. 2009.

2.
ANDRADE, Ugo M.. Verbete Tumbalalá. Enciclopédia dos Povos Indígenas - ISA, 16 fev. 2003.

3.
ANDRADE, Ugo M.. Dos estigmas aos emblemas de identidade: os percursos da formação de um povo. Revista de Estudos e Pesquisa, FUNAI-CGEP, Brasília.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
ANDRADE, Ugo M.. PAC, índios e duas tragédias anunciadas. In: V REA / XIV ABANNE, 2015, Maceió. Anais da V REA / XIV ABANNE. Maceió, 2015. v. 1. p. 278-295.

2.
ANDRADE, Ugo M.. Comparando redes interindígenas de trocas rituais (submédio São Francisco e baixo Oiapoque). In: III Reunião Equatorial de Antropologia / XII Encontro de Antropólogos do Norte e Nordeste, 2011, Boa Vista. III Reunião Equatorial de Antropologia / XII Encontro de Antropólogos do Norte e Nordeste. Boa Vista, 2011. v. 1. p. 189-213.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
ANDRADE, Ugo M.. At the borders: xamanic moviments between Brazil and French Guyana. In: 54 Internatoinal Congress of Americanists, 2012, Viena. 54 ICA, 2012.

2.
ANDRADE, Ugo M.. A physis e o pensamento ameríndio. In: IX Reunião de Antropologia do Mercosul, 2011, Curitiba. IX Reunião de Antropologia do Mercosul, 2011.

3.
ANDRADE, Ugo M.. Sobre artefatos pessoa e produção ritual no Baixo rio Oiapoque. In: #4 Encontro anual da ANPOCS, 2010, Caxambu - MG. 34 Encontro da ANPOCS, 2010. v. 1.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
ANDRADE, Ugo M.. Do encantado. In: IV Reunião Equatorial de Antropologia / XIII Reunião de Antropólogos do Norte e Nordeste, 2013, Fortaleza. IV Reunião Equatorial de Antropologia / XIII Reunião de Antropólogos do Norte e Nordeste, 2013.

2.
ANDRADE, Ugo M.. Fazendo (e desfazendo) o étnico no baixo Oiapoque. In: 27a Reunião Brasileira de Antropologia, 2010, Belém. 27a RBA, 2010.

3.
ANDRADE, Ugo M.. Apontamentos Etnohistóricos Sobre Quilombos no Sudoeste da Bahia. In: Seminário de Pesquisa Estudantil PIBIC/UFBA, 1998, Salvador. Coletânea do Seminário de Pesquisa Estudantil PIBIC/UFBA, 1998.

Artigos aceitos para publicação
1.
ANDRADE, Ugo M.. Na fronteira: mobilidades xamânicas entre Brasi e Guiana Francesa. Horizontes Antropológicos (online), 2018.

2.
ANDRADE, Ugo M.. Na fronteira: mobilidades xamânicas entre Brasi e Guiana Francesa. Horizontes Antropológicos (online), 2018.

3.
ANDRADE, Ugo M.. Na fronteira: mobilidades xamânicas entre Brasi e Guiana Francesa. HORIZONTES ANTROPOLÓGICOS (UFRGS. IMPRESSO), 2018.

4.
ANDRADE, Ugo M.. Na fronteira: mobilidades xamânicas entre Brasil e Guiana Francesa. HORIZONTES ANTROPOLÓGICOS (UFRGS. IMPRESSO), 2018.

Apresentações de Trabalho
1.
ANDRADE, Ugo M.. O continuum humano-animal-artefato e a teoria da pessoa no baixo Oiapoque (Amapá, Brasil). 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
ANDRADE, Ugo M.. O continuum humano-animal-artefato e a teoria da pessoa no baixo Oiapoque (Amapá, Brasil). 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
ANDRADE, Ugo M.. Distribuindo a pessoa: agência e materialidade em uma cosmologia amazônica. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

4.
ANDRADE, Ugo M.. Distribuindo a pessoa: agência e materialidade em uma cosmologia amazônica. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
ANDRADE, Ugo M.. Temporalidades ameríndias. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

6.
ANDRADE, Ugo M.. Do Encantado. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
ANDRADE, Ugo M.. Nas fronteiras: mobilidades xamânicas entre o Brasil e a Guiana Francesa. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

8.
ANDRADE, Ugo M.. Comparando redes interindígenas de trocas rituaisi (submédio São Francisco e baixo Oiapoque). 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

9.
ANDRADE, Ugo M.. A physis e o pensamento ameríndio. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

10.
ANDRADE, Ugo M.. Fazendo (e desfazendo) o étnico no baixo Oiapoque. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
ANDRADE, Ugo M.. Sobre artefatos-pessoa e produção ritual no baixo Rio Oiapoque. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

12.
ANDRADE, Ugo M.. Notas sobre artefatos-pessoa no baixo Oiapoque (Amazônia brasileira). 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

13.
ANDRADE, Ugo M.. Xamanismo e redes de relações no baixo Oiapoque (AP). 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

14.
ANDRADE, Ugo M.. A physis e o pensamento ameríndio:xamanismo na região do Rio Uaçá (baixo Oiapoque ? AP). 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

15.
ANDRADE, Ugo M.. Indigenismo global X políticas locais de identidade. 2003. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

16.
ANDRADE, Ugo M.. Etnogênese, liderança e esfera política multi-institucional no Nordeste indígena. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções bibliográficas
1.
ANDRADE, Ugo M.. Entrevista à Comunidade Virtual de Antropologia 2009 (Entrevista).

2.
ANDRADE, Ugo M.; ANDRADE, A. M. C. ; COLLEVATTI, J. H. . Da etnografia à história. São Paulo: Revista Cadernos de Campo, n. 14/15, p. 197-226., 2008. (Tradução/Livro).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
ANDRADE, Ugo M.. LAUDO PERICIAL ANTROPOLÓGICO - Processo n. 2007.33.06.001800-7. 2015.

2.
ANDRADE, Ugo M.. Relatório Antropológico de identificação e delimitação territorial da comunidade remanescente de quilombo da Fazenda Porteiras (Entre Rios - BA). 2013.

3.
ANDRADE, Ugo M.. Laudo Antropológico de acompanhamento do processo de obtenção de anuência prévia para acesso a conhecimento tradicional associado à ucuuba (Virola surinamensis). 2012.

4.
ANDRADE, Ugo M.. Relatório Técnico-Científico sobre a comunidade remanescente de quilombo do bairro do Reginaldo (Município de Barra do Turvo - SP). 2008.

5.
ANDRADE, Ugo M.. Catálogo sobre Grafismos Indígenas no Brasil (Produto II) - NATURA. 2008.

6.
ANDRADE, Ugo M.. Parecer em resposta às contestações administrativas da TI Ponte de Pedra (MT) - FUNAI. 2008.

7.
ANDRADE, Ugo M.. Catálogo sobre Grafismos Indígenas no Brasil (Produto I) - NATURA. 2008.

8.
ANDRADE, Ugo M.. Análise de obra proposta para publicação (Editora UNESP). 2007.

9.
ANDRADE, Ugo M.. Relatório Antropológico de Identificação Étnica do grupo Kalancó (AL) - FUNAI. 2002.

10.
ANDRADE, Ugo M.. Relatório Antropológico de Identificação Étnica do grupo Karuazu (AL) - FUNAI. 2002.

Programas de computador sem registro
1.
ANDRADE, Ugo M.. A jurema tem dois gaios. 2002.

Trabalhos técnicos
1.
ANDRADE, Ugo M.. Parecer de artigo proposto para publicação (Revista Cadernos de Campo/PPGAS-USP). 2008.

2.
ANDRADE, Ugo M.. Entrelinhas: fronteiras sócio-simbólicas e etnogênese dos Tumbalalá de Pambú (Ba). 1998.


Demais tipos de produção técnica
1.
ANDRADE, Ugo M.. Cine Maracá: Povos indígenas e sociedade nacional nas Américas. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

2.
VIANNA, H. L. G. ; ANDRADE, Ugo M. . Sistemas Sociais e linguagem: abordagem sistêmica e pesquisa de campo. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

3.
ANDRADE, Ugo M.; VIANNA, H. L. G. . Cine Bicho: sessões comentadas de zoocinema. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

4.
ANDRADE, Ugo M.; VIANNA, H. L. G. . Nós, não humanos: alteridade, animalidade e cultura. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

5.
SAMPAIO, José Augusto L. ; FERNANDES, Mariana B. ; ANDRADE, Ugo M. . Perícia Antropológica. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

6.
ANDRADE, Ugo M.. Índios e Quilombolas: Identidades comparadas em processos de identificação. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

7.
ANDRADE, Ugo M.. Módulo de antropologia (I) - Programa da capacitação dos técnicos indígenas do Museu Kuahi (Oiapoque - AP). 2008. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

8.
ANDRADE, Ugo M.. Módulo de antropologia (II) - Programa da capacitação dos técnicos indígenas do Museu Kuahi (Oiapoque - AP). 2008. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

9.
ANDRADE, Ugo M.. Terceira Oficina de Formação de Pesquisadores Indígenas e Gestores do Patrimônio Cultural. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

10.
ANDRADE, Ugo M.. Quarta Oficina de Formação de Pesquisadores Indígenas e Gestores do Patrimônio Cultural. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

11.
ANDRADE, Ugo M.. Oficina de conceitos Ambientais - Povos indígenas do Oiapoque. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

12.
ANDRADE, Ugo M.; VIDAL, L. B. ; ZACCHI, M. S. . Primeira Oficina de Formação de Pesquisadores Indígenas e Gestores do Patrimônio Cultural. 2005. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

13.
ANDRADE, Ugo M.; ZACCHI, M. S. ; VIDAL, L. B. . Segunda Oficina de Formação de Pesquisadores Indígenas e Gestores do Patrimônio Cultural. 2005. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

14.
ANDRADE, Ugo M.. Segundo Relatório de Bolsa CNPq - modalidade Doutorado. 2005. (Relatório de pesquisa).

15.
ANDRADE, Ugo M.. Terceiro Relatório de Bolsa CNPq - modalidade Doutorado. 2004. (Relatório de pesquisa).

16.
ANDRADE, Ugo M.. Primeiro Relatório de Bolsa CNPq - modalidade Doutorado. 2003. (Relatório de pesquisa).

17.
ANDRADE, Ugo M.. 2o Relatório Científico Apresentado à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Fapesp. 2001. (Relatório de pesquisa).

18.
ANDRADE, Ugo M.. 3o Relatório Científico Apresentado à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Fapesp. 2001. (Relatório de pesquisa).

19.
ANDRADE, Ugo M.. 1o Relatório Científico Apresentado à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Fapesp. 2000. (Relatório de pesquisa).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
ANDRADE, Ugo M.; RAFAEL, U. N.; Mura, C.. Participação em banca de Aldjane de Oliveira. POVO WASSÚ COCAL: TERRA, RELIGIÕES E CONFLITOS. 2017. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

2.
ANDRADE, Ugo M.; BRANDÃO, Carlos. R.; FILHO, Eraldo S. R.. Participação em banca de KAROLINE COELHO FERREIRA. Plantar, colher e comer com amor: Estratégias de produção e consumo de alimentos da rede agroecológica “Camponês a camponês” em Sergipe.. 2017. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

3.
ANDRADE, Ugo M.; CARVALHO, M. R. G.; OLIVEIRA, W.J.F. Participação em banca de Jucimara Araújo Cavalcante Souza. BEBENDO A JUREMA COMO O SANGUE DE CRISTO? - OS XOKÓ DA ILHA DE SÃO PEDRO/SE. 2016. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

4.
ANDRADE, Ugo M.; SOGBOSSI, H. B.; COELHO, D. M.. Participação em banca de JOSUÉ FELIPE SILVA MAIA. CLAUDE LÉVI-STRAUSS E SUAS RELAÇÕES COM A OBRA DE SIGMUND FREUD. 2016. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

5.
ANDRADE, Ugo M.; REESINK, E. B.; Fialho, V. R. Participação em banca de Manuela Schillaci. Religiosidade Truká e o rio São Francisco (PE): um estudo da violência simbólica das grandes obras. 2016. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Universidade Federal de Pernambuco.

6.
ANDRADE, Ugo M.; COELHO, D. M.; HENRIQUE, Rogério da Silva P.. Participação em banca de Denise Nunes de Campos Buhler. Controle social: desafios e possibilidades da participação social garantir o cumprimento da democracia política no SUS. 2016. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) - Universidade Federal de Sergipe.

7.
ANDRADE, Ugo M.; CONCEIÇÃO. A. L.; CARVALHO, A. C. Participação em banca de Sandreana de Melo Silva. Saia do sol galego: o fenômeno do albinismo no quilombo Filu em Alagoas. 2015. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

8.
ANDRADE, Ugo M.; OLIVEIRA, W.J.F; NEVES, P. S. C. Participação em banca de RUTH PAES RIBEIRO. "Porque nóis num tem fala": um estudo sobre a organização política da CEMQS. 2015. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

9.
McCALLUM, CECÍLIA A.; ALMEIDA, Alfredo Wagner; ANDRADE, Ugo M.. Participação em banca de Helen Catalina Ubinger. Os Tupinambá da Serra do Padeiro: religiosidade e territorialidade na luta pela terra indígena. 2012. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Universidade Federal da Bahia.

10.
ANDRADE, Ugo M.; VATIN, XAVIER G.; McCALLUM, CECÍLIA A.. Participação em banca de Natelson Oliveira de Souza. A herança do mundo: história, etnicidade e conectividade entre jovens Xokó. 2011. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Universidade Federal da Bahia.

Teses de doutorado
1.
ANDRADE, Ugo M.; GALLOIS, Dominique T.; Amoroso, M.R.. Participação em banca de Juliana Monteiro Gondim. Seguindo trilhas encantadas: humanos, encantados e as formas de habitar a Almofala dos Tremembé. 2016. Tese (Doutorado em Ciência Social (Antropologia Social)) - Universidade de São Paulo.

2.
CARVALHO, M. R. G.; MESSEDER, M. L. L.; BANDUCCI JUNIOR, A.; REESINK, E. B.; ANDRADE, Ugo M.. Participação em banca de Sandro Campos Neves. A apropriação indígena do turismo: os Pataxó de Coroa Vermelha e a expressão da tradição. 2012. Tese (Doutorado em Antropologia) - Universidade Federal da Bahia.

3.
Amoroso, M.R.; Viegas, S.D.M; SILVA, M. F.; Sztutman, R.; ANDRADE, Ugo M.. Participação em banca de José Glebson Vieira. Amigos e competidores: política faccional e feitiçaria nos Potiguara da Paraíba. 2010. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social) - Universidade de São Paulo.

Qualificações de Doutorado
1.
ANDRADE, Ugo M.; JACQUET, C.; MAGNO, T. E.. Participação em banca de Júlio César Rocha da Silva. A filiação e sua gênese no contexto do parentesco prático. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Sociologia) - Universidade Federal de Sergipe.

Qualificações de Mestrado
1.
ANDRADE, Ugo M.; OLIVEIRA, W.J.F; FILHO, Eraldo S. R.. Participação em banca de Karoline Coelho Ferreira. Entre o plantar e o comer: Estratégias de produção e consumo de alimentos da rede agroecológica ?Camponês a camponês? em Sergipe.. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

2.
ANDRADE, Ugo M.; MENESES, J. S.; RAFAEL, U. N.. Participação em banca de Aldjane de Oliveira. POVO WASSÚ COCAL: CONVÍVIO E CONFLITOS ENTRE EVANGÉLICOS E CATÓLICOS-OURICURI. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

3.
ANDRADE, Ugo M.; PETARCA, F. R.; NEVES, P. S. C. Participação em banca de Pâmella Synthia Santana Santos. O ofício do cabo eleitoral: entre campanhas, comícios e o dia a dia da política. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Sociologia) - Universidade Federal de Sergipe.

4.
ANDRADE, Ugo M.; SOGBOSSI, H. B.; MENESES, J. S.. Participação em banca de Fátima Conceição Cardoso Oliveira. Casa sagrada, Santo Daime e Jurema em Sergipe; um estudo sobre trajetórias e experiências de transformação. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

5.
ANDRADE, Ugo M.; SOGBOSSI, H. B.; COELHO, D. M.. Participação em banca de Josué Felipe Silva Maia. Lévi-Strauss e sua relação com a obra de Sigmund Freud. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

6.
ANDRADE, Ugo M.; CARVALHO, M. R. G.; OLIVEIRA, W.J.F. Participação em banca de Jucimara Araújo Cavalcante Souza. Bebendo a Jurema como o sangue de Cristo: aspectos da religiosidade Xocó. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

7.
ANDRADE, Ugo M.; COELHO, D. M.; HENRIQUE, Rogério da Silva P.. Participação em banca de Denise Nunes de Campos Buhler. Controle social: desafios e possibilidades da participação social garantir o cumprimento da democracia política no SUS. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Psicologia Social) - Universidade Federal de Sergipe.

8.
ANDRADE, Ugo M.; SOGBOSSI, H. B.; COELHO, D. M.. Participação em banca de Josué Felipe Silva Maia. Lévi-Strauss e sua relação com a obra de Sigmund Freud. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

9.
ANDRADE, Ugo M.; OLIVEIRA, W.J.F; SOGBOSSI, H. B.. Participação em banca de Ruth Paes Ribeiro. Lideranças quilombolas no estado de Sergipe. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

10.
ANDRADE, Ugo M.; CONCEIÇÃO. A. L.; MARCON, F.. Participação em banca de Sandreana de Melo Silva. Um quilombo albino: lutas e sobrevivência de uma comunidade quilombola com alto índice de albinismo no estado de Alagoas. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

11.
ANDRADE, Ugo M.; MARCON, F.; GOMES, Mariana S.. Participação em banca de Liana Matos Araújo. Juventudes e quadrilha junina. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

12.
ANDRADE, Ugo M.; OLIVEIRA, W.J.F; CORREIA, Luiz G. P. S. Participação em banca de José Eraldo Neves Ribeiro. O processo de construção do discurso da identidade do nordeste e do nordestino na música de Luiz Gonzaga. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
ANDRADE, Ugo M.; CORREIA, Luiz G. P. S; SANTOS, J. B.. Participação em banca de Thiago Roberto Vieira Santos.E... existe??: um olhar sobre a homossexualidade entre os indígenas durante o período de colonização até os tempos hodiernos. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe.

2.
SANTOS, E.C. Menezes; DANTAS, B. G.; ANDRADE, Ugo M.. Participação em banca de Eliseu Ramos dos Santos.Festa, tradição e cultura popular: análise do processo de reconfiguração das quadrilhas juninas de Sergipe. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe.

3.
ANDRADE, Ugo M.; PETARCA, F. R.; MARCON, F.. Participação em banca de Larissa Bomfim Sales.Os garis da coleta de lixo de Aracaju: numa ´corrida´ interpretativa da carreira profissional. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe.

4.
ANDRADE, Ugo M.; MANDAJI, M.; PUGA JR., V.. Participação em banca de Adriana Menezes Lanzi.Mata Branca - A cultura de Icozeira, outro retrato do Brasil no século XXI.. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação Social) - Universidade Paulista.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
ANDRADE, Ugo M.; SILVA, E.; GROSSI, G.. Concurso Público Para Professor Assistente de etnologia Indígena. 2009. Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

Outras participações
1.
ANDRADE, Ugo M.; McCALLUM, CECÍLIA A.; ALMEIDA, Alfredo Wagner. Banca de exame de qualificação de mestrado - Helen Catalina Ubger. 2011. Universidade Federal da Bahia.

2.
ANDRADE, Ugo M.; SOGBOSSI, H. B.; RAFAEL, U. N.. Banca de exame de qualificação de mestrado - Edmundo Fonseca Machado Jr. 2011. Universidade Federal de Sergipe.

3.
ANDRADE, Ugo M.; VATIN, XAVIER G.; McCALLUM, CECÍLIA A.. Banca de exame de qualificação de mestrado - Natelson Oliveira de Sousa. 2010. Universidade Federal da Bahia.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
III Encontro de Museus Indígenas em Pernambuco.Os museus indígenas no Noroeste Americano como fator de empoderamento cultural. 2016. (Encontro).

2.
PENSANDO GESTÃO AMBIENTAL E TERRITORIAL COM POVOS INDÍGENAS NO NORDESTE.Apresentação da experiência de mapeamento da Anaí com os Xokó - comentários. 2015. (Seminário).

3.
V REA / XIV ABANNE. PAC, índios e duas tragédias anunciadas. 2015. (Congresso).

4.
XI Reunião de Antropologia do Mercosul ? RAM. Distribuindo a pessoa: Agência e materialidade em uma cosmologia amazônica. 2015. (Congresso).

5.
29a Reunião Brasileira de Antropologia. Temporalidades ameríndias. 2014. (Congresso).

6.
29a Reunião Brasileira de Antropologia. Etnologias da Amazônia e Região Nordeste/Leste: diálogos, convergências e interseções.. 2014. (Congresso).

7.
II Encontro de Museus Indígenas em Pernambuco.Agência e materialidade de objetos rituais no baixo Oiapoque/Amapá. 2014. (Seminário).

8.
II Seminário de Antropologia Indígena em Pernambuco.Expandidndo redes: identidades como transformações cosmológicas no nordeste indígena. 2014. (Seminário).

9.
XXXVI Congresso Internacional de Americanística. Predação e reciprocidade em uma cosmologia amazônica. 2014. (Congresso).

10.
IV Reunião Equatorial de Antropologia / XIII Reunião de Antropólogos do Norte e Nordeste. Do encantado. 2013. (Congresso).

11.
54 International Congress of Americanists. Nas fronteiras: mobilidades xamânicas entre o Brasil e a Guiana Francesa. 2012. (Congresso).

12.
III Congreso Latinoamericano de Antropología. Rio São Francisco e Belo Monte urgente!: ativismo indígena versus desenvolvimentismo estatal. 2012. (Congresso).

13.
XXVIII Reunião Brasileira de Antropologia. Coordenação do GT 04 - Amazônia e nordeste indígenas: por uma etnologia transversa. 2012. (Congresso).

14.
III REA / XII ABANNE. Comparando redes interindígenas de trocas rituaisi (submédio São Francisco e baixo Oiapoque). 2011. (Congresso).

15.
IX RAM. A physis e o pensamento ameríndio. 2011. (Congresso).

16.
34 Encontro Anual da ANPOCS. Sobre artefatos-pessoa e produção ritual no baixo Rio Oiapoque. 2010. (Congresso).

17.
XXVII Reunião Brasileira de Antropologia. Fazendo (e desfazendo) o étnico no baixo Oiapoque. 2010. (Congresso).

18.
XXVII Reunião Brasileira de Antropologia. GT-54: O Campo das Relações étnicas e Raciais sob Distintas Perspectivas. 2010. (Congresso).

19.
VIII Reunión de Antropología de Mercosur. Notas sobre artefatos-pessoa no baixo Rio Oiapoque (amazônia brasileira). 2009. (Congresso).

20.
Seminário Permanente - Centro de Pesquisa em Etnologia Indígena (UNICAMP).Quando a=~a: xamanismo e paraconsistência no baixo Oiapoque. 2008. (Outra).

21.
X Reunião de Antropólogos do Norte e Nordeste (ABANNE). Xamanismo e redes de relações no baixo Oiapoque (AP). 2007. (Congresso).

22.
Colóquio Guiana Ameríndia: história e etnologia.A physis e o pensamento ameríndio: xamanismo na região do Rio Uaçá. 2006. (Simpósio).

23.
VIII Reunião de Antropólogos do Norte e Nordeste (ABANNE). Indigenismo Global X Políticas Locais de Identidade. 2003. (Congresso).

24.
XXIII Reunião da Associação Brasileira de Antropologia. Etnogênese, liderança e o campo político multi-institucional no Nordeste Indígena. 2002. (Congresso).

25.
IV Encontro de Pós-Graduandos em Antropologia.De homens e encantos: a reabilitação identitária de famílias tumbalalá através dos circuitos de trocas político-rituais no sub-médio São Francisco. 2001. (Encontro).

26.
X Encontro de Cientistas Sociais do Norte e Nordeste.De homens e encantos: a inclusão de famílias na identidade tumbalalá através do circuito de trocas político-rituais no sub-médio São Francisco. 2001. (Encontro).

27.
III Encontro de Pós-Graduandos em Antropologia.Entrelinhas: etnogênese e fronteiras sócio-simbólicas ente os Tumbalalá de Pambú.. 2000. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
BRANDÃO, Carlos. R. ; FILHO, Eraldo S. R. ; ANDRADE, Ugo M. . Ciclo de Debates em Antropologia - A condição camponesa em tempos de crise. 2017. (Outro).

2.
ANDRADE, Ugo M.; Mura, C. . Ciclo de Debates em Antropologia - Cosmologias do catolicismo no Nordeste Indígena. 2017. (Outro).

3.
ANDRADE, Ugo M.; VIANNA, H. L. G. . Sexta-Feira Animal na UFS. 2016. (Outro).

4.
ANDRADE, Ugo M.; CARVALHO, M. R. G. ; DANTAS, B. G. . Ciclo de Debates em Antropologia - História indígena na Bahia e em Sergipe. 2016. (Outro).

5.
ANDRADE, Ugo M.; VIANNA, H. L. G. . Sexta-Feira Indígena na UFS. 2015. (Outro).

6.
ANDRADE, Ugo M.; SANTOS, W. S. ; SANTOS, M. C. ; SANTOS, J. B. ; RAMALHO, J. R. ; PETARCA, F. R. ; OLIVEIRA, W.J.F . VIII Semana de Ciências Sociais. 2010. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Lucas Barbosa Carvalho. CRODY, XANDUKA, PAUY E NINHÓ: TERRA INDÍGENA KARIRI-XOKÓ. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

2.
FRANCISCO EMANUEL SILVA MENESES ALVES. Paixão e inquietude: a propósito do pensamento de Darcy Ribeiro. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe, Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe. (Orientador).

3.
Guatamonzi Abraão Menezes Barbosa. PÁSSAROS E HUMANOS: IDENTIDADES DESEMELHANTES NAS FRONTEIRAS ENTRE ANIMALIDADE/HUMANIDADE, NATUREZA/CULTURA.. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

4.
ANDRESSA MARIA MACHADO MEDEIROS. Etnoconhecimentos: arte indígena Sateré-Mawé no baixo Amazonas. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

5.
ANDRESSA MARIA MACHADO MEDEIROS. Etnoconhecimentos: arte indígena Sateré-Mawé no baixo Amazonas. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

6.
Genilson Conceição Ferreira. O Canto no Mangue: A eficácia do canto no ritual da captura do Aratu em Porto do Mato. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

7.
GUATAMONZI ABRAÃO MENEZES BARBOSA. PÁSSAROS E HUMANOS: IDENTIDADES DESEMELHANTES NAS FRONTEIRAS ENTRE ANIMALIDADE/HUMANIDADE, NATUREZA/CULTURA.. Início: 2016. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Clarice Bittencourt Wilke. Os Tuxi do Caxoí (PE) e a contrução de um territorio. Início: 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

Iniciação científica
1.
WINISTON DE JESUS SANTOS. ELAN - Educação e Legislação Animal. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

2.
EVELYN MARCELE RIBEIRO MOTA. Anjos de um Resgate, ASPA e ADASFA. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

3.
JULIANO MACHADO RAMOS. AMA - Amigo dos Animais. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

4.
LAYLA KAROLINE BOMFIM DO NASCIMENTO. Relações animais-humanos no Festival do Jegue em Itabi. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

5.
FRANCISCO EMANUEL SILVA MENESES ALVES. Fazendo biografia de um bode: relações animal-humanos em Riachão dos Dantas. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

6.
LUCAS VIEIRA SANTOS SILVA. Relações animais-humanos na criação de galos de briga em Cedro do São João e adjacências. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

7.
LAYLA KAROLINE BOMFIM DO NASCIMENTO. Relações animais-humanos no Festival do Jegue em Itabi. Início: 2016. Iniciação científica (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

8.
LUCAS VIEIRA SANTOS SILVA. Relações animais-humanos em uma rinha de galos em Cedro do São Francisco. Início: 2016. Iniciação científica (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).

9.
Alice do Nascimento Santos. Fazendo biografia de um bode: relações animal-humanos em Riachão dos Dantas. Início: 2016. Iniciação científica (Graduando em Artes Visuais) - Universidade Federal de Sergipe. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Karoline Coelho Ferreira. Entre o plantar e o comer: Estratégias de produção e consumo de alimentos da rede agroecológica ?Camponês a camponês? em Sergipe. 2017. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe, . Orientador: Ugo Maia Andrade.

2.
Aldjane de Oliveira. Povo Wassu Cocal: terra, religiões e conflitos. 2017. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe, . Orientador: Ugo Maia Andrade.

3.
JOSUÉ FELIPE SILVA MAIA. CLAUDE LÉVI-STRAUSS E SUAS RELAÇÕES COM A OBRA DE SIGMUND FREUD. 2016. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Ugo Maia Andrade.

4.
Jucimara Araújo Cavalcante Souza. BEBENDO A JUREMA COMO O SANGUE DE CRISTO: ASPECTOS DA RELIGIOSIDADE XOCÓ. 2016. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe, Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

5.
SANDREANA DE MELO SILVA. Saia do sol galego: o fenômeno do albinismo no quilombo Filu em Alagoas. 2015. Dissertação (Mestrado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal de Sergipe, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Ugo Maia Andrade.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Thiago Roberto Vieira Santos. ?E... existe??: um olhar sobre a homossexualidade entre os indígenas durante o período de colonização até os tempos de hoje.. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe, Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

2.
Adla Viana Lima. Índios e a cidade: os Xocó-Kaurá de Sergipe. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

Iniciação científica
1.
VITORIA NOGUEIRA SILVA DANTAS. Etnografia de memorias da presenca indigena na divisa dos municipios de Sao Cristovao e Itaporanga.. 2018. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

2.
MAYARA CHAGAS VIEIRA. ELAN - Educacao e Legislacao Animal. 2018. Iniciação Científica. (Graduando em Direito) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

3.
Thiago Roberto Vieira Santos. Narrativas e memórias da presença indígena nas regiões de Japaratuba e Pacatuba. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe, Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

4.
MARIA LUISA TORRES DE MOURA. Narrativas e memórias da presença indígena na divisa dos municípios de São Cristóvão e Itaporanga.. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

5.
BEATRIZ CATHERINE MARQUES COSTA. Narrativas e memórias da presença indígena em Tomar do Geru e Cristinápolis. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

6.
EVELYN MARCELE RIBEIRO MOTA. Anjos de um Resgate e ASPA - Associacao Sergipana de Protecao Animal. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe, Coordenação de Pesquisa - UFS. Orientador: Ugo Maia Andrade.

7.
JULIANO MACHADO RAMOS. AMA - Amigo dos Animais. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

8.
Winiston de Jesus Santos. ELAN - Educação e Legislação Animal. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Psicologia) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

9.
Carlos Henrique Filgueiras Prata de Almeida. Fazendo biografia de um bode: relações animal-humanos em Riachão dos Dantas. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

10.
LAYLA KAROLINE BOMFIM DO NASCIMENTO. Relações animais-humanos no Festival do Jegue em Itabi. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

11.
LUCAS VIEIRA SANTOS SILVA. Relações animais-humanos na criação de galos de briga em Cedro do São João e adjacências. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe, Coordenação de Pesquisa - UFS. Orientador: Ugo Maia Andrade.

12.
ALICE DO NASCIMENTO SANTOS. Fazendo biografia de um bode: relações animal-humanos em Riachão dos Dantas. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Artes Visuais) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

13.
ÍTALO GORDIANO DE CERQUEIRA. Relações animais-humanos no Festival do Jegue em Itabi. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

14.
ITALA SANTOS. Narrativas e memórias da presença indígena na divisa dos municípios de São Cristóvão e Itaporanga.. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe, Coordenação de Pesquisa - UFS. Orientador: Ugo Maia Andrade.

15.
Jamile Pessoa Costa. Coligindo mitos e narrativas híbridas na região do baixo rio Oiapoque e rio Uaçá (AP). 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Ugo Maia Andrade.

16.
Clarice Bittencourt Wilke. Ritos e cantos xamânicos na região do baixo rio Oiapoque e rio Uaçá (AP). 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

17.
Leana Santos. Caracterização e análise da classificação da flora nas TIs Caiçara e Ilha de São Pedro (SE). 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.

18.
Naiane Alves. Caracterização e análise da classificação da fauna na TI Caiçara (SE). 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Sergipe. Orientador: Ugo Maia Andrade.



Educação e Popularização de C & T



Artigos
Artigos aceitos para publicação
1.
ANDRADE, Ugo M.. Na fronteira: mobilidades xamânicas entre Brasi e Guiana Francesa. Horizontes Antropológicos (online), 2018.

2.
ANDRADE, Ugo M.. Na fronteira: mobilidades xamânicas entre Brasi e Guiana Francesa. HORIZONTES ANTROPOLÓGICOS (UFRGS. IMPRESSO), 2018.



Outras informações relevantes


Filiado à Associação Brasileira de Antropologia (ABA) desde 2002



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 18/12/2018 às 18:29:53