Maria Simone Kugeratski Souza

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8985268237852917
  • Última atualização do currículo em 23/10/2018


Possui graduação (Bacharelado) em Física pela Universidade de São Paulo (2001), Mestrado em Física pela Universidade de São Paulo (2003) e Doutorado em Física pela Universidade de São Paulo (2007). Pós-Doutorado em Física com ênfase em Física de Altas Energias (2007-2008) no Centre dEnergie Atomique /Institut de Physique Théorique de Saclay (CEA-IPhT), Gif-sur-Yvette/França. Pós-Doutorado em Física no Grupo de Hadrons e Física Teórica (GRHAFITE) do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (2008-2010). Atualmente é professora Adjunto II do Centro de Engenharia da Mobilidade da Universidade Federal de Santa Catarina - Campus Joinville. Tem experiência na área de Física, com ênfase em fenomenologia de Física de Partículas Elementares. Atua principalmente nos seguintes temas: colisões a altas energias, distribuição de partons e física de saturação de gluons. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Maria Simone Kugeratski Souza
Nome em citações bibliográficas
M. S. Kugeratski;Kugeratski, M. S.;Kugeratski, M.S.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Santa Catarina, Campus Joinville, Centro Tecnológico de Joinville.
Rua Dona Francisca 8300, Bloco U
Zona Industrial Norte
89219600 - Joinville, SC - Brasil
Telefone: (47) 34615900
Ramal: 4663
URL da Homepage: http://www.joinville.ufsc.br


Formação acadêmica/titulação


2003 - 2007
Doutorado em Física.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Dipolos de cor e a Cromodinâmica Quântica, Ano de obtenção: 2007.
Orientador: Fernando Silveira Navarra.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: cromodinâmica quântica; saturação de gluons; dipolos de cor.
2001 - 2003
Mestrado em Física.
Instituto de Física da Universidade de São Paulo, IF/USP, Brasil.
Título: Interação Hádron-Charmonium em Modelos Simples,Ano de Obtenção: 2003.
Orientador: Fernando Silveira Navarra.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Seção de choque; Charmonium; Plasma de quarks e gluons.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra
Grande Área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Física / Subárea: Física Nuclear / Especialidade: Reações Nucleares e Espalhamento (Reações Específicas).
Setores de atividade: Outros; Outros Setores.
1998 - 2001
Graduação em Bacharelado em Física.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: -Iniciação Científica: Estudos da composição de água de chuva da Amazônia.
Orientador: -Paulo Eduardo Artaxo Netto.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.


Pós-doutorado


2008 - 2010
Pós-Doutorado.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra
Grande Área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Física / Subárea: Física das Partículas Elementares e Campos.
2007 - 2008
Pós-Doutorado.
Centre D'Energie Atomique- Saclay, CEA, França.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra


Formação Complementar


2010 - 2012
PROFOR - Programa de Formação Continuada. (Carga horária: 120h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2004 - 2004
Visita científica. (Carga horária: 160h).
Institut de Physique Théorique de Saclay, IPHT, França.
2001 - 2001
Curso de Verão. (Carga horária: 76h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
1999 - 2001
Extensão universitária em Iniciacao Científica.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
2000 - 2000
Extensão universitária em Tópicos de Física Teórica. (Carga horária: 30h).
Fundação Instituto de Física Teórica, IFT, Brasil.
2000 - 2000
Curso de Verão. (Carga horária: 36h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
1999 - 1999
Extensão universitária em Tópicos de Física Teórica. (Carga horária: 30h).
Fundação Instituto de Física Teórica, IFT, Brasil.
1998 - 1998
Extensão universitária em Introducão à Astronomia e Astrofísica. (Carga horária: 36h).
Instituto de Astronomia e Geofísica - USP, IAG-USP, Brasil.
1997 - 1997
Extensão universitária em Iniciacao cientifica: Cálculo no Rn. (Carga horária: 120h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
1997 - 1997
Extensão universitária em Iniciacao cientifica: Algebra Linear. (Carga horária: 120h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
1996 - 1996
Extensão universitária em Física Experimental na Univ. para Secundaritas. (Carga horária: 384h).
Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.
1996 - 1996
Introducão às Ciências Atmosféricas. (Carga horária: 6h).
Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - São Paulo, SBPC, Brasil.
1995 - 1995
Extensão universitária em Estudo Geral de Cônicas e Quádricas. (Carga horária: 50h).
Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Santa Catarina - Centro de Engenharia da Mobilidade, UFSC (CEM), Brasil.
Vínculo institucional

2010 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor do Magistério Superior, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

11/2017 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Universidade Federal de Santa Catarina - Campus Joinville, .

Cargo ou função
Membro do Colegiado do Curso Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia.
08/2010 - Atual
Ensino, Engenharia da Mobilidade, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Cálculo Diferencial e Integral I
Dinâmica
Dinâmica Ferroviária e Metroviária
Física: Introdução a Mecânica
Fìsica II
08/2013 - 07/2015
Conselhos, Comissões e Consultoria, Universidade Federal de Santa Catarina - Campus Joinville, .

Cargo ou função
Suplente da Câmara de Pesquisa e Extensão do Centro de Engenharia da Mobilidade.
12/2012 - 05/2013
Conselhos, Comissões e Consultoria, Universidade Federal de Santa Catarina - Campus Joinville, .

Cargo ou função
Membro de Comissão para desenvolver ações de estruturação do programa de pós graduação no Centro de Engenharias da Mobiilidade.
05/2012 - 05/2013
Conselhos, Comissões e Consultoria, Universidade Federal de Santa Catarina - Campus Joinville, .

Cargo ou função
Suplente do Conselho Superior do Centro de Engenharias de Mobilidade, como representante dos programas de pós graduação.

Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto I, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

03/2010 - 07/2010
Ensino, Bacharelado em Ciências Rurais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Física aplicada as Ciências Rurais

Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2010
Vínculo: Bolsista recém-doutor, Enquadramento Funcional: Bolsista de Pós-Doutorado - FAPESP, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2004 - 2004
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Monitoria, Carga horária: 120

Vínculo institucional

2002 - 2002
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Monitoria, Carga horária: 120

Atividades

03/2004 - 07/2004
Ensino, Licenciatura em Matemática, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Gravitação (Monitoria)
08/2002 - 12/2002
Ensino, Licenciatura em Física, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Complementos de Mecânica Clássica (Monitoria)


Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Da Física Nuclear a Física das Partículas Elementares
Descrição: A física de partículas (ou física de altas energias) é uma área da ciência que tem recebido um destaque considerável na mídia nos últimos anos, principalmente pelo início de operação do acelerador Large Hadron Collider ? LHC, no Centro Europeu para Pesquisa Nuclear ? CERN e recentemente pela confirmação experimental da existência do bóson de Higgs. Vale mencionar que o interesse na física de partículas elementares não se restringe apenas aos físicos, mas também aos engenheiros. Pode-se dizer que o sucesso dos físicos em suas análises depende fortemente dos engenheiros envolvidos no projeto e na operação do experimento. Um exemplo disto é pensar no funcionamento dos detectores de partículas instalado nos aceleradores de partículas. Para o adequado funcionamento do detector, são necessários complexos sistemas eletrônicos de aquisição da informação, que possibilitam a adequada caracterização física das partículas incidentes. Posteriormente, a informação gerada é processada em busca de fenômenos físicos de interesse. Um dos objetos de estudo da física de altas energias é compreender a estrutura da matéria, como seus constituintes mais fundamentais se comportam. A interação entre os constituintes mais fundamentais da matéria (quarks e gluons) é do tipo forte. A Cromodinâmica Quântica (QCD, do inglês Quantum Chromodynamics) é a teoria de gauge que descreve as interações fortes. A descrição é baseada num modelo de partículas elementares ? os quarks ? dotados de ?cargas de cor? e interagindo por troca de campos de gauge ? os gluons. A QCD é escrita de uma forma simples. Seus parâmetros são apenas as massas dos vários tipos (chamados ?sabores?) de quarks considerados e o valor da constante de acoplamento forte. A não ser pela simetria sob o grupo de gauge SU (3) (ao invés do grupo U (1)), a forma da lagrangiana da QCD é a mesma que a da eletrodinâmica quântica (QED, do inglês Quantum Electrodynamics), com os quarks correspondendo aos elétrons e os gluons aos fótons. Os quarks e elétrons são férmions de spin ½ e os gluons são bósons vetoriais sem massa. Analogamente, a constante de acoplamento forte ?_s corresponde à constante de estrutura fina ? ~ 1/137 . O fato do grupo de gauge da QCD ser não abeliano introduz, porém, diferenças qualitativas entre as duas teorias, refletindo as diferenças entre a interações fortes e as interações eletromagnéticas. Em particular, os gluons possuem carga de cor e portanto interagem entre si, ao contrário dos fótons. Uma característica importante da interação forte é que a constante de acoplamento ?_s torna-se desprezível no limite de pequenas distâncias, ou equivalentemente no limite de altas energias ou momentos transferidos. Esta propriedade é chamada de liberdade assintótica. Este estudo rendeu o Prêmio Nobel de Física de 2004, para David Gross, David Politzer e Frank Wilczek, pela descoberta da liberdade assintótica nas teoria das interações fortes. A distâncias maiores (ou seja, a energias menores) há um aumento da intensidade da interação e acredita-se que a grandes distâncias a força de atração entre os quarks seja constante, determinando o confinamento de quarks e gluons dentro de hadrons. O fato de ?_s não ser desprezível a baixas energias faz com que o estudo de fenômenos como o confinamento (um dos grandes problemas em aberto na física), o espectro de massa dos hadrons e a transição de desconfinamento a temperatura finita seja impossível com teoria de perturbação, que se baseia em uma expansão de acoplamentos fracos. Estes fenômenos devem ser estudados de maneira não perturbativa..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Maria Simone Kugeratski Souza - Coordenador / Regina Azevedo - Integrante / Victor Paulo Barros Gonçalves - Integrante / Navarra, F. S. - Integrante.
2013 - 2016
Física Nuclear e sua aplicabilidade no setor naval
Descrição: A aplicação da energia nuclear, estigmatizada pelo uso bélico, é mais corriqueira do que se imagina. Com a retomada do programa nuclear brasileiro, a expectativa é de que aumente a procura por mão de obra especializada. Além do desenvolvimento do submarino nuclear, o programa prevê a construção de Angra III, a terceira usina termonuclear brasileira. Neste contexto, o presente projeto de pesquisa tem seu foco principal na geração de tecnologia gerada na construção de um submarino nuclear. Tendo como um dos objetivos, o estudo das tecnologias envolvidas e necessárias na construção de um submarino nuclear. Como metodologia para atingir os objetivos deste projeto, alguns passos serão estabelecidos: levantamento bibliográfico; estudar o funcionamento de um reator nuclear; estudar o mecanismo de propulsão nuclear; estudar as etapas de construção de um submarino nuclear..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Maria Simone Kugeratski Souza - Coordenador.
2013 - 2016
Dinâmica dos Acidentes de Trânsito
Descrição: No Brasil, o estudo da dinâmica de acidentes de trânsito restringe-se aos departamentos de polícia federal e civil. Há uma carência de grupos de pesquisadores que atuem nessa área com possibilidade de utilizar os diferentes modelos matemáticos para a pesquisa de física de acidentes de trânsito. O projeto de pesquisa proposto tem como mérito técnico-científico, através dos resultados gerados, contribuir com o desenvolvimento de modelos para a determinação dos erros associados às estimativas de velocidade para a análise de acidentes de trânsito..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Maria Simone Kugeratski Souza - Integrante / Evandro Cardozo da Silva - Integrante / Alexandre Mikowski - Coordenador.
2010 - 2013
Física de Altas Energias
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2010 - 2012
Análise de modelos físicos utilizados em acidentes de trânsito
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Maria Simone Kugeratski Souza - Coordenador / Alexandre Mikowski - Integrante / Susie Keller - Integrante.
2008 - 2012
Projeto Temático: Física de Hadrons
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2017 - Atual
Física no Esporte
Descrição: A física encontra-se presente em grande parte das atividades do nosso cotidiano, em nossas casas, em nossos movimentos, nas tecnologias que nos rodeiam, nas atividades esportivas que praticamos, da mais simples a mais complexa. Porém, na maior parte das vezes, a correlação entre as ações do cotidiano e/ou práticas esportivas e os conceitos físicos apreendidos na escola passa despercebida. Neste sentido, torna-se interessante explorar essa correlação nas aulas de ciências e física, uma vez que as disciplinas de ciências exatas são vista como um bicho de sete cabeças no ensino, especialmente no ensino fundamental e médio, o que pode ser evidenciado pelo baixo desempenho do Brasil no PISA 2015, Programa Internacional de Avaliação de Estudantes. O objetivo deste projeto é contribuir para o processo de ensino ¬aprendizagem dos estudantes, despertando o interesse pelas Ciências Exatas e Engenharia, através da vinculação dos conceitos da física ao esporte..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Maria Simone Kugeratski Souza - Coordenador / Evandro Cardozo da Silva - Integrante / Viviane Lilian Soethe - Integrante / Rafaek Gallina Delatorre - Integrante / Ana Margarida Pinto - Integrante.
2017 - Atual
Estudo das características aerodinâmicas de modelos em túnel de vento didático
Descrição: O presente projeto é uma continuidade de um projeto de extensão intitulado "Projeto e Construção de um túnel de vento didático" e do projeto " Estudo das características aerodinâmicas de modelos utilizados na Engenharia da Mobilidade utilizando um túnel de vento didático" de autoria da proponente e que foi finalizado em 06/2012 e 05/2016, respectivamente. Neste projeto será dada continuidade aos estudos aerodinâmicos de modelos empregados na engenharia aeronáutica, automotiva, naval e de infraestrutura utilizando um túnel de vento didático que foi projetado e elaborado pelos estudantes e professores do CTJ nos projetos anteriores. Este estudo visa contribuir para os estudantes no sentido de favorecer aos mesmos um maior entendimento de conceitos de aerodinâmica e mecânica dos fluídos ao redor de corpos rígidos. Desta forma, pretende-se contribuir para uma formação mais ampla dos estudantes e permitir que os mesmos possam manusear um túnel de vento. Além disso, este equipamento, após as devidas adequações, poderá ser utilizado por outros docentes do Centro de forma a favorecer que os estudantes observem na prática os conceitos estudados em sala de aula..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
2017 - Atual
Física e Tecnologia da Mobilidade - fase 2
Descrição: O objetivo deste projeto é desenvolver atividades científicas educativas relacionadas às áreas das engenharias do Centro Tecnológico de Joinville da UFSC, as Engenharias da Mobilidade, e através destas montagens trabalhar conceitos de Física e aplicações tecnológicas. Entre as metas deste projeto pode-se citar a aproximação da comunidade às áreas tecnológicas e dos cursos superiores em Engenharia oferecidos, e o desenvolvimento de atividades científicas que auxiliem o aprendizado de fenômenos físicos através de sua visualização em artefatos tecnológicos. As atividades que serão estudadas e desenvolvidas utilizando estas montagens podem ser demonstrações, palestras, minicursos, oficinas, entre outras. Neste intuito, a metodologia das atividades envolve a montagem experimental relacionada à alguma área tecnológica da mobilidade, e a idealização de atividades educativas nestas montagens, com o objetivo de abordar conceitos básicos e fundamentais de Física e Engenharia Veicular ou de Infraestruturas de Transportes, que possam ser acompanhadas tanto em nível de Ensino Fundamental, Médio, ou Superior. Estas montagens ficarão depositadas nas dependências da UFSC - Joinville, onde serão envolvidas em visitas de escolas da região bem como da comunidade em geral, para a realização das atividades idealizadas. Além disso, estas montagens poderão ser conduzidas à locais externos à UFSC, como escolas e eventos didático-científicos. Para este projeto serão desenvolvidas atividades de Mecânica e Aerodinâmica através de um túnel de vento didático e atividades de Eletromagnetismo e Mecânica através de um sistema de freio magnético..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
2016 - 2017
Construção de experimentos didáticos para explicar a Ciência no Esporte
Descrição: O esporte é visto no mundo como uma atividade de integração e socialização do individuo, além de contribuir para a saúde física e mental deste. Sobretudo é um tema que interessa a todos, independente da faixa etária e classe social. Por que não vincular o esporte a ciência? A disciplina de física? Nossa proposta neste projeto é estudar a física envolvida no esporte, propondo experimentos didáticos para explicar os fenômenos e leis envolvidos, dentre eles, princípio de Bernoulli e o efeito Magnus. O público alvo a ser atingido serão alunos do ensino médio e superior, professores do ensino médio, comunidade em geral e os frequentadores do Espaço Ciência e Tecnologia da UFSC, Campus Joinville. A metodologia empregada consistirá na organização de material bibliográfico, na realização de seminários com intuito de discutir e sistematizar os conteúdos coletados nas bibliografias; na coleta de material para a construção do aparato experimental; montagem dos experimentos; teste e validação dos experimentos..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2016 - 2017
Física da Tecnologia da Mobilidade
Descrição: O objetivo deste projeto é desenvolver atividades científicas educativas envolvendo montagens experimentais relacionadas às áreas das engenharias do Campus Joinville da UFSC, Engenharias da Mobilidade, e através destas montagens envolver conceitos de Física e aplicações tecnológicas. Entre as metas deste projeto pode-se citar a aproximação da comunidade às áreas tecnológicas e dos cursos superiores em Engenharia oferecidos, e o desenvolvimento de atividades científicas que auxiliem o aprendizado de fenômenos físicos através de sua visualização em artefatos tecnológicos. As atividades que serão estudadas e desenvolvidas utilizando estas montagens podem ser demonstrações, palestras, minicursos, oficinas, entre outras. Neste intuito, a metodologia das atividades envolve a montagem experimental relacionada à alguma área tecnológica da mobilidade, e a idealização de atividades educativas nestas montagens, com o objetivo de abordar conceitos básicos e fundamentais de Física e Engenharia Veicular ou de Infraestruturas de Transportes, que possam ser acompanhadas tanto em nível de Ensino Fundamental, Médio, ou Superior. Estas montagens ficarão depositadas nas dependências da UFSC - Joinville, onde serão envolvidas em visitas de escolas da região bem como da comunidade em geral, para a realização das atividades idealizadas. Além disso, estas montagens poderão ser conduzidas à locais externos à UFSC, como escolas e eventos didático-científicos. Outra utilização das montagens envolve a condução..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) .
Integrantes: Maria Simone Kugeratski Souza - Integrante / Evandro Cardozo da Silva - Integrante / Rafael Gallina Delatorre - Coordenador / Viviane Lilian Soethe - Integrante / Anderson Wedderhoff Spengler - Integrante.
2015 - 2016
Atividades Práticas em Ciência e Tecnologia da Mobilidade
Descrição: O objetivo deste projeto é desenvolver atividades científicas educativas envolvendo montagens experimentais relacionadas às áreas das engenharias do Campus Joinville da UFSC, Engenharias da Mobilidade. Entre as metas deste projeto pode-se citar a aproximação da comunidade às áreas tecnológicas e dos cursos superiores em Engenharia oferecidos, e o desenvolvimento de atividades científicas que auxiliem o aprendizado de fenômenos físicos através de sua visualização em artefatos tecnológicos. As atividades que serão estudadas e desenvolvidas utilizando estas montagens podem ser demonstrações, palestras, minicursos, oficinas, entre outras. Neste intuito, a metodologia das atividades envolve a montagem experimental relacionada à alguma área tecnológica da mobilidade, e a idealização de atividades educativas nestas montagens, com o objetivo de abordar conceitos básicos e fundamentais de Física e Engenharia Veicular ou de Infraestruturas de Transportes, que possam ser acompanhadas tanto em nível de Ensino Fundamental, Médio, ou Superior. Estas montagens ficarão depositadas nas dependências da UFSC - Joinville, onde serão envolvidas em visitas de escolas da região bem como da comunidade em geral, para a realização das atividades idealizadas. Além disso, estas montagens poderão ser conduzidas à locais externos à UFSC, como escolas e eventos didático-científicos..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2014 - 2015
Experimentos Científicos Educativos em Tecnologia da Mobilidade
Descrição: O objetivo deste projeto é desenvolver atividades experimentais envolvendo temas das engenharias do Campus Joinville da UFSC, na intenção de aproximar a comunidade externa à Universidade das áreas tecnológicas e dos cursos superiores em Engenharia oferecidos. As atividades que serão estudadas e desenvolvidas podem ser demonstrações, palestras, minicursos, oficinas, entre outras nesta linha. Neste intuito, a metodologia das atividades experimentais envolve uma montagem experimental relacionada à alguma área tecnológica da mobilidade, e a idealização de atividades educativas nestas montagens, com o objetivo de abordar conceitos básicos e fundamentais de Física e Engenharia Veicular ou de Infraestruturas de Transportes, que possam ser acompanhadas tanto em nível de Ensino Fundamental, Médio, ou Superior. Estas montagens ficarão depositadas nas dependências da UFSC - Joinville, onde serão envolvidas em visitas de escolas da região bem como da comunidade em geral, para a realização das atividades idealizadas. Além disso, estas montagens poderão ser conduzidas à locais externos à UFSC, como escolas e eventos..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2014 - 2015
Construção de um freio magnético didático de baixo custo
Descrição: O objetivo deste projeto é abordar conceitos da física básica e das engenharias na construção de um freio magnético didático de baixo custo, utilizando sucata. A montagem experimental ficará exposta nas dependências da UFSC, a qual poderá ser utilizada em aulas, e como meio de divulgação científica e tecnológica durante visitas de escolas à UFSC, Campus Joinville. A montagem experimental consiste em colocar em rotação um disco de alumínio (por exemplo, uma forma de pizza) pela força peso de um objeto suspenso por um fio enrolado no eixo de rotação do disco, do qual poderá aproximar ou afastar um intenso imã permanente (obtido a partir da sucata de um disco rígido de um computador). Quando os imãs se aproximam do disco em um movimento circular uniformemente acelerado (MCUA) e com alta velocidade, ele passa rapidamente para um movimento circular uniforme (MCU) de baixa velocidade. Afastando-se os imãs, o disco volta ao MCUA..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Maria Simone Kugeratski Souza - Coordenador / Rafael Gallina Delatorre - Integrante / Anderson Wedderhoff Spengler - Integrante.
2012 - 2013
Modelos que explicam a física do voo
Descrição: Hoje em dia, não se pode pensar em desenvolvimento econômico e social sem transporte. As pessoas precisam se deslocar para estudar, trabalhar, fazer compras, viajar e possuem cada vez mais a necessidade de estar em movimento. Por isso, questões relacionadas à mobilidade urbana e à mobilidade aérea fazem parte da pauta de discussões das políticas públicas, sobretudo, na esfera federal. Proliferar grupos de discussões, principalmente, no que se refere à mobilidade aérea, é uma das propostas do projeto Física do Voo, do Centro de Engenharia da Mobilidade, da UFSC. Neste contexto, o presente projeto, Modelos que explicam a física do voo, propõe fundamentar com maior rigor, os conceitos aprendidos de forma lúdica no projeto anterior ?Projeto educativo de ciência, tecnologia e inovação em aviação?. Esta fundamentação virá da busca na literatura dos modelos que explicam a física do voo, desde os tempos mais remotos até os dias atuais..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Maria Simone Kugeratski Souza - Coordenador / Djonathan Guilherme Schoeping - Integrante.
2011 - 2015
Física do Voo
Descrição: Os problemas relacionados à mobilidade, em especial o setor da aviação, devem ser tratados de forma integrada, ou seja, além de considerar aspectos relacionados à tecnologia também devem levar em conta questões sociais e educacionais. Pela dimensão geográfica de nosso país e pelas negociações comerciais de importação e exportação, verifica-se que setor da aviação brasileira é muito importante para a nossa sociedade, pois possibilita a mobilidade de pessoas, produtos e informações. Neste contexto é proposto o presente projeto de extensão que tem como objetivo geral de difundir o conhecimento da Física do Voo com a comunidade..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Maria Simone Kugeratski Souza - Integrante / Rafael Gallina Delatorre - Integrante / Viviane Lilian Soethe - Integrante / Alexandre Mikowski - Coordenador / Susie Keller - Integrante.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Física.
2.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Física / Subárea: Física Nuclear.
3.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Física / Subárea: Física das Partículas Elementares e Campos/Especialidade: Física de Altas Energias - Física de Saturação.
4.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Física / Subárea: Física das Partículas Elementares e Campos.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Francês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2004
Achieving a high quality of presentation of the poster, IX Hadron Physics & VII Relativistic Aspects of Nuclear Physics.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

Web of Science
Total de trabalhos:14
Total de citações:71
Fator H:5
Kugeratski M S  Data: 04/08/2010

Artigos completos publicados em periódicos

1.
AMARAL, J.T.2014AMARAL, J.T. ; Gonçalves, V.P. ; Kugeratski, M.S. . Probing gluon number fluctuation effects in future electron-hadron colliders. Nuclear Physics. A (Print), v. 930, p. 104-116, 2014.

2.
Cazaroto, E.R.2011Cazaroto, E.R. ; Carvalho, F. ; Gonçalves, V.P. ; Kugeratski, M.S. ; Navarra, F.S. . Exclusive processes in electron ion collisions. Physics Letters. B (Print), v. 696, p. 473-477, 2011.

3.
Gonçalves, V. P.2011Gonçalves, V. P. ; Kugeratski, M. S. ; Cazaroto, E. R. ; Carvalho, F. ; Navarra, F. S. . Non-linear QCD dynamics in two-photon interactions at high energies. European Physical Journal C, v. 71, p. 1779, 2011.

4.
V. P. Goncalves2010V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . Heavy quark production in deep inelastic electron-nucleus scattering. Physical Review. C. Nuclear Physics (Print), v. 81, p. 065209, 2010.

5.
Gonçalves, V.P.2010Gonçalves, V.P. ; Kugeratski, M.S. ; MACHADO, M.V.T. ; Navarra, F.S. . Predictions for exclusive vector meson production in the electron-ion collider. Nuclear Physics. B, Proceedings Supplement (Print), v. 199, p. 131-136, 2010.

6.
Gonçalves, V. P.2009Gonçalves, V. P. ; M. S. Kugeratski ; Machado, M. V. T. ; Navarra, F. S. . Exclusive vector meson production in electron-ion collisions. Physical Review. C. Nuclear Physics (Print), v. 80, p. 025202, 2009.

7.
IANCU, E.2008 IANCU, E. ; M. S. Kugeratski ; Triantafyllopoulos, D. N. . Geometric scaling in Mueller Navelet jets. Nuclear Physics A, v. 808, p. 95-116, 2008.

8.
M. S. Kugeratski;Kugeratski, M. S.;Kugeratski, M.S.2006 M. S. Kugeratski; V. P. Goncalves ; F. S. Navarra . Saturation in diffractive deep inelastic eA scattering. European Physical Journal C, v. 46, n.2, p. 413-420, 2006.

9.
M. S. Kugeratski;Kugeratski, M. S.;Kugeratski, M.S.2006 M. S. Kugeratski; V. P. Goncalves ; F. S. Navarra . Probing the color glass condensate in an electron-ion collider. European Physical Journal C, v. 46, n.2, p. 465-473, 2006.

10.
V. P. Goncalves2006 V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; M.V.T. Machado ; F. S. Navarra . Saturation physics at HERA and RHIC: An unified description. Physics Letters. Section B, v. 643, p. 273-278, 2006.

11.
M. S. Kugeratski;Kugeratski, M. S.;Kugeratski, M.S.2005 M. S. Kugeratski; V. P. Goncalves ; F. S. Navarra . Testing universality of the color glass condensate descriptions. European Physical Journal C, v. 44, p. 577-586, 2005.

12.
M. S. Kugeratski;Kugeratski, M. S.;Kugeratski, M.S.2005M. S. Kugeratski; F. S. Navarra . Chromoelectric fields and quarkonium-hadron interactions at high energies. Physical Review. C, Nuclear Physics, v. 71, p. 065206, 2005.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
ARAUJO, E. ; BASSALOBRE, G. F. ; REX, Y. M. ; SPENGLER, A. W. ; M. S. Kugeratski ; DELATORRE, R. G. ; SOETHE, V. L. . Projeto e Construção de um Túnel de Vento Didático para Divulgação Científica. In: XLIII Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia, 2015, São Bernardo do Campo. Cobenge 2015: XLIII Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia, 2015.

2.
Kugeratski, M. S.; Gonçalves, V. P. ; DE SANTANA AMARAL, J. T. . Searching for gluon number fluctuations effects in eA collisions. In: XXXVI BRAZILIAN WORKSHOP ON NUCLEAR PHYSICS, 2014, São Sebastião. p. 240.

3.
DELATORRE, R. G. ; BECKER, M. ; VICTORETTE, A. ; STEFFEN, B. ; MIKOWSKI, A. ; Kugeratski, M. S. ; SOETHE, V. L. . A física do voo de aviões de papel: uma abordagem prática e experimental para o ensino de física e de conceitos de aerodinâmicos. In: XLI Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia, 2013, Gramado. XLI Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia, 2013.

4.
SCHOEPING, D. G. ; CHAME, M. E. ; ZILLI, L. ; DELATORRE, R. G. ; SACHELLI, C. M. ; M. S. Kugeratski ; MIKOWSKI, A. . Uma Ação de Extensão como Agente Motivador na Formação do Engenherio: A Física do Voo. In: XL Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia - Cobenge 2012, 2012, Belém. XL Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia - Cobenge 2012, 2012.

5.
Cazaroto, E. R. ; Carvalho, F. ; Kugeratski, M. S. ; GONC'ALVES, V. P. ; Navarra, F. S. ; NIELSEN, MARINA ; NAVARRA, FERNANDO S. ; BRACCO, MIRIAN E. . Exclusive Vector Meson Production and Deep Virtual Compton Scattering in Electron-Ion Collisions. In: XI HADRON PHYSICS, 2010, Maresias. v. 1296. p. 258-261.

6.
GONC'ALVES, V. P. ; Kugeratski, M. S. ; Navarra, F. S. ; NIELSEN, MARINA ; NAVARRA, FERNANDO S. ; BRACCO, MIRIAN E. . Charm and bottom production in electron-ion collisions. In: XI HADRON PHYSICS, 2010, Maresias. v. 1296. p. 254-257.

7.
M. S. Kugeratski. Looking for geometric scaling at Mueller-Navelet jets. In: XX Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas, 2009, Rio de Janeiro. Relatório da XX Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas. São Paulo: Gráfica da Universidade de São Paulo, 2009. p. 54-57.

8.
M. S. Kugeratski; V. P. Goncalves ; M.V.T. Machado ; F. S. Navarra . An unified description of HERA and RHIC data. In: School on QCD, Low-x Physics, Saturation and Diffraction, 2008, Copanello (Calábria), Italy. Acta Physica Polonica B, 2008. v. 39. p. 2583-2586.

9.
V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . Nuclear dependence of the saturation scale and its consequences for the electron-ion collider. In: 18th Workshop on Hadronic Interactions (RETINHA-18), 2007, Sao Paulo, Brazil,. Braz.J.Phys., 2007. v. 37. p. 118-121.

10.
V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . Saturation and diffraction in electron ion collisions. In: IX International Conference on Nucleus Nucleus collisions, 2007, Rio de Janeiro. Proceedings of the Ninth International Conference on Nucleus-Nucleus Collisions/Special Issue of Nuclear Physics A, 2007. v. 787. p. 415c-422c.

11.
V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . Saturation and the ratio sigma(diff)/sigma(tot) in an electron-ion collider. In: XXXVI International Symposium on Multiparticle Dynamics, 2007, Paraty. Proceedings of the XXXVI International Symposium on Multiparticle Dynamics/Special Issue Braz. Jour. of Phys.. São Paulo: Sociedade Brasileira de Fisica, 2007. v. 37. p. 801-803.

12.
GONCALVES, V ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . Signatures of the Color Glass Condensate in electron ion collisions. In: 13th International Conference in QCD (QCD 06), 2007, Montpellier, France. Nucl.Phys.Proc.Suppl., 2006. v. 174. p. 229-232.

13.
V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . Diffractive DIS in e A processes. In: Diffraction 2006: 4th International Workshop on Diffraction in High-Energy Physics, 2006, Adamantas, Greece. PoS DIFF2006:052, 2006.

14.
M. S. Kugeratski; F. S. Navarra ; V. P. Goncalves . Parton saturation and the consistency between RHIC and HERA data. In: XVII Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas, 2005, São Paulo. Relatório da XVII Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas. São Paulo: Gráfica da Universidade de São Paulo, 2005. p. 43-46.

15.
FOGACA, D. ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . A semi classical picture of the charmonium-hadron interaction. In: XV Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas, 2004, São Paulo. Brazilian Journal of Physics. São Paulo: Sociedade Brasileira de Fisica, 2004. v. 34. p. 276-278.

16.
M. S. Kugeratski; F. S. Navarra . Interaction between a gluon and a classical chromofield. In: 9th Hadron Physics and 7th Relativistic Aspects of Nuclear Physics (HADRON-RANP 2004): A Joint Meeting on QCD and QGP, 2004, Angra dos Reis. 9th Hadron Physics and 7th Relativistic Aspects of Nuclear Physics /AIP Conf.Proc., 2004. v. 739. p. 566-568.

17.
M. S. Kugeratski; F. S. Navarra ; V. P. Goncalves . Parton Saturation and hadron-hadron cross section. In: XVI Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas, 2004, Rio de Janeiro. Relatório da XVI Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas. São Paulo: Gráfica da Universidade de São Paulo, 2004. p. 74-76.

18.
M. S. Kugeratski; F. S. Navarra . Charmonium-Hadron Cross Section in Dipole-Condenser Model. In: International Workshop on Hadron Physics, 2002, Bento Gonçalves/RS. Proceedings of the International Workshop on Hadron Physics. -: World Scientific, 2002.

19.
M. S. Kugeratski; F. S. Navarra . Interação Hadron-híbrido em um modelo simples. In: XIV Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas, 2002, Rio de Janeiro. Relatório da XIV Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas. São Paulo: Gráfica do Instituto de Física/USP, 2002. p. 62.

Apresentações de Trabalho
1.
M. S. Kugeratski; V. P. Goncalves ; J. T. Santana do Amaral . Searching for gluon number fluctuations effects in eA collisions. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; E. R. Cazaroto ; F. CARVALHO ; F. S. Navarra . Non-Linear QCD Dynamics in two-photon Interactions at High Energies. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; M.V.T. Machado ; F. S. Navarra . Predictions for exclusive vector meson production in the electron-ion colliderstar, open. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
M. S. Kugeratski; IANCU, E. ; Triantafyllopoulos, D. N. . Geometric scaling in Mueller-Navelet jets at LHC. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
M. S. Kugeratski. Looking for geometric scaling at Mueller-Navelet jets. 2008. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

6.
M. S. Kugeratski; V. P. Goncalves ; M.V.T. Machado ; F. S. Navarra . An unified description of HERA and RHIC data. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . Nuclear dependence of the saturation scale and its consequences for the electron-ion collider. 2006. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

8.
V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . Saturation and diffraction in electron ion collider. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . Saturation and the ratio sigma(diff)/sigma(tot) in an electron-ion collider. 2006. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

10.
V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . Signatures of the Color Glass Condensate in electron ion collisions. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

11.
V. P. Goncalves ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . Diffractive DIS in eA processes. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

12.
M. S. Kugeratski; F. S. Navarra ; V. P. Goncalves . Parton saturation and the consistency between RHIC and HERA data. 2005. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

13.
M. S. Kugeratski; F. S. Navarra . Interaction between a gluon and a classical chromofield. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

14.
M. S. Kugeratski; F. S. Navarra ; V. P. Goncalves . Parton Saturation and hadron-hadron cross section. 2004. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

15.
FOGACA, D. ; M. S. Kugeratski ; F. S. Navarra . A semi-classical picture of the charmonium-hadron interaction. 2003. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

16.
M. S. Kugeratski; F. S. Navarra . Charmonium-Hadron Cross Section in Dipole-Condenser Model. 2002. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

17.
M. S. Kugeratski; F. S. Navarra . Interação Hadron-híbrido em um modelo simples. 2002. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Teses de doutorado
1.
MAEKAWA, C. M.; REGO, R. A.; M. S. Kugeratski; MORAES, M. M. W.; AVANCINI, D. S.; CRUZ, F. F. S.; MARINELLI, J. R.. Participação em banca de Clebson Abati Graeff. Mistura de Isospin em Modelos de Campo-Médio Relativísticos e o Espalhamento de Elétrons Polarizados. 2012. Tese (Doutorado em Programa de Pós-graduação em Física da UFSC) - Universidade Federal de Santa Catarina.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
MIKOWSKI, A.; M. S. Kugeratski; SCALICE, R. K.; CASALI, R. M.. Participação em banca de Bruno Vernilli.Modelagem Matemática de propagação de incertezas para velocidades em via permanente. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Ferroviária e Metroviária) - Universidade Federal de Santa Catarina.

2.
M. S. Kugeratski; DELATORRE, R. G.; SOETHE, V. L.; DUTRA, G. B.. Participação em banca de João Guilherme Sousa e Simas.Análise da Invisibilidade à radar de filmes finos metálicos depositados sobre fibra de vidro para aplicação na indústria naval. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Naval) - Universidade Federal de Santa Catarina.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
M. S. Kugeratski; ZABOT, A. M.; SASSE, F. D.. Presidente da banca examinadora para o concurso público para Centro Tecnológico de Joinville, no campo de conhecimento: Física/Física Geral. 2016. Universidade Federal de Santa Catarina.

2.
M. S. Kugeratski; ZABOT, A.; MIKOWSKI, A.; SOETHE, V. L.. Processo Seletivo Simplificado, Área: Matemática. 2013. Universidade Federal de Santa Catarina.

3.
M. S. Kugeratski; SILVA, E. C.; DELATORRE, R. G.; SOETHE, V. L.. Processo Seletivo Simplificado. 2012. Universidade Federal de Santa Catarina.

Outras participações
1.
M. S. Kugeratski. Avaliadora externa do X Foro Científico Estudantil da UniSociesc. 2016. Universidade Sociedade Educacional de Santa Catarina.

2.
M. S. Kugeratski. Avaliadora externa do IX Foro Científico Estudantil da UniSociesc. 2015. Universidade Sociedade Educacional de Santa Catarina.

3.
Kugeratski, M. S.. Avaliador externo do 7o. Foro Científico Estudantil. 2013. Universidade Sociedade Educacional de Santa Catarina.

4.
Kugeratski, M. S.. Avaliador de trabalhos na Feira de Ciência, Inovação e Tecnologia. 2013.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
XIV Hadrons Physics 2018. 2018. (Congresso).

2.
XXXVI Reunião de Trabalho sobre Física Nuclear no Brasil.Searching for gluon number fluctuation in eA collisions. 2013. (Encontro).

3.
IX Latin American Symposium on High Energy Physics. 2012. (Simpósio).

4.
XXXIII Encontro Nacional de Física de Partículas e Campos.Non-Linear QCD Dynamics in two-photon Interactions at High Energies. 2012. (Encontro).

5.
XI Hadrons Physics. Charm and bottom production in electron-ion collisions. 2010. (Congresso).

6.
Light-Cone 2009: Relativistic Hadronic and Particle Physics. Predictions for exclusive vector meson production in the electron-ion collider. 2009. (Congresso).

7.
Strangeness in Quark Matter. Studying exclusive vector meson production in the future eA colliders. 2009. (Congresso).

8.
Workshop on Diffractive Physics at the LHC.Exclusive vector meson production in the electron-ion collider. 2009. (Encontro).

9.
XXI Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas.Producão de charme em colisões elétron-íon. 2009. (Encontro).

10.
3rd International Conference on Hard and Electro-Magnetic Probes of High-Energy Nuclear Collisions. Geometric scaling in Mueller-Navelet jets at LHC. 2008. (Congresso).

11.
School on Hadronic collisions at the LHC and QCD at high density. 2008. (Outra).

12.
XX Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas.Looking for geometric scaling at Mueller-Navelet jets. 2008. (Encontro).

13.
IX Workshop on Nonperturbative QCD. 2007. (Simpósio).

14.
QCD under Extreme Conditions - 2nd Rio-Saclay meeting. 2007. (Encontro).

15.
School on QCD, Low-x Physics, Saturation and Diffraction.An unified description of HERA and RHIC data. 2007. (Outra).

16.
IX International Conference on Nucleus Nucleus collisions. Gluon Saturation in Deeply Inelastic eA Scattering. 2006. (Congresso).

17.
XVIII Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas.Nuclear dependence of the saturation scale and its consequences for the electron-ion collider. 2006. (Encontro).

18.
XXXVI International Symposium on Multiparticle Dynamics.The small-x regime in an electron-ion collider. 2006. (Simpósio).

19.
Mackenzie.O Condensado de vidros coloridos e suas previsões para colisões elétron-núcleo. 2005. (Seminário).

20.
XI International Conference on Hadron Spectroscopy. Quarkonium-hadron interactions at high energies. 2005. (Congresso).

21.
XVII Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas.Parton saturation and the consistency between RHIC and HERA data. 2005. (Encontro).

22.
XXVI Encontro Nacional de Física de Partículas e Campos.Checking the Color Glass Condensate descriptions in ep collisions at HERA. 2005. (Encontro).

23.
9th Hadron Physics and 7th Relativistic Aspects of Nuclear Physics: A Joint Meeting on QCD and QGP.Interaction between gluon and classical chromofield. 2004. (Encontro).

24.
International Conference on Hard and Electromagnetic Probes of High Energy Nuclear Collisions. Chromoelectric fields and quarkonium-hadron interactions. 2004. (Congresso).

25.
XVI Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas.Parton saturation and hadron-hadron cross section. 2004. (Simpósio).

26.
XV Reunião de Trabalho sobre Interacões Hadrônicas (RETINHA).A semi-classical picture of the charmonium-hadron interaction. 2003. (Encontro).

27.
8th International Workshop on Hadron Physics 2002. Charmonium hadron cross section in the dipole condenser model. 2002. (Congresso).

28.
XIV Reunião de Trabalho sobre Interações Hadrônicas.Interação Hadron-híbrido em um modelo simples. 2002. (Encontro).

29.
Simpósio Internacional de Iniciacão Científica da USP.Medidas da composicão de água de chuva da Amazônia. 2000. (Simpósio).

30.
AAPM International Scientific Exchange Course on the Physics of Radiation Therapy. 1999. (Congresso).

31.
Workshop em Física Médica. 1998. (Simpósio).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
CRUZ, M. L. V. ; XAXIER, C. ; M. S. Kugeratski . XI Fórum de Educação Popular e VIII Internacional. 2013. (Outro).

2.
MIKOWSKI, A. ; Kugeratski, M. S. ; CHAME, M. E. ; SCHOEPING, D. G. . Segundo Campeonato de Física do Voo do Centro de Engenharia da Mobilidade. 2011. (Outro).

3.
MIKOWSKI, A. ; CHAME, M. E. ; Kugeratski, M. S. ; ZILLI, L. . Primeiro Campeonato de Física do Voo do Centro de Engenharia da Mobilidade. 2011. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Orientações de outra natureza
1.
Daniel Henrique do Vale Longoni. Física no Esporte. Início: 2018. Orientação de outra natureza. Universidade Federal de Santa Catarina. (Orientador).

2.
Luana Jaqueline Mai. Física no esporte. Início: 2017. Orientação de outra natureza. Universidade Federal de Santa Catarina. UFSC. (Orientador).

3.
Murylo Silvério Souza. Física no esporte. Início: 2017. Orientação de outra natureza. Universidade Federal de Santa Catarina. UFSC. (Orientador).

4.
Gabriela do Nascimento Dominguez. Física no esporte. Início: 2017. Orientação de outra natureza. Universidade Federal de Santa Catarina. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Iniciação científica
1.
Laura Scarpatto Ramos. Física Nuclear e sua aplicabilidade no setor naval. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Abi - Engenharia da Mobilidade) - Universidade Federal de Santa Catarina. Orientador: Maria Simone Kugeratski Souza.

2.
Maria Augusta Mafioletti Chiamolera. Estudando um Submarino Nuclear. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Engenharia Naval) - Universidade Federal de Santa Catarina. Orientador: Maria Simone Kugeratski Souza.

3.
Nathalie Yamamoto Tavares. A Física de Partículas e a Engenharia. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Abi - Engenharia da Mobilidade) - Universidade Federal de Santa Catarina. Orientador: Maria Simone Kugeratski Souza.

Orientações de outra natureza
1.
Lucas Murilo Cunico. Construção de experimentos didáticos para explicar a Ciências no Esporte. 2016. Orientação de outra natureza. (Curso de Engenharia da Mobilidade) - Universidade Federal de Santa Catarina. Orientador: Maria Simone Kugeratski Souza.

2.
Vítor Estevão Antunes Gomes. Construção de experimentos didáticos para explicar a Ciências no Esporte. 2016. Orientação de outra natureza. (Curso de Engenharia da Mobilidade) - Universidade Federal de Santa Catarina. Orientador: Maria Simone Kugeratski Souza.

3.
Victória Rocha Nunes. Construção de experimentos didáticos para explicar a Ciências no Esporte. 2016. Orientação de outra natureza. (Curso de Engenharia da Mobilidade) - Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC. Orientador: Maria Simone Kugeratski Souza.

4.
Alan Pastre. Construção de um freio magnético didático de baixo custo. 2014. Orientação de outra natureza. (Curso de Engenharia da Mobilidade) - Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC. Orientador: Maria Simone Kugeratski Souza.

5.
Breno Valentim. Física Nuclear e sua aplicabilidade no setor naval. 2013. Orientação de outra natureza. (Abi - Engenharia da Mobilidade) - Universidade Federal de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Maria Simone Kugeratski Souza.

6.
Djonatan Guilherme Erbs Schoeping. Modelos que explicam a Física do Voo. 2012. Orientação de outra natureza. (Interdisciplinar em Mobilidade) - Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC. Orientador: Maria Simone Kugeratski Souza.

7.
Juliana Barreira Nogueira. Dinâmica dos acidentes de trânsito. 2011. Orientação de outra natureza. (Interdisciplinar em Mobilidade) - Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC. Orientador: Maria Simone Kugeratski Souza.



Educação e Popularização de C & T



Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
CRUZ, M. L. V. ; XAXIER, C. ; M. S. Kugeratski . XI Fórum de Educação Popular e VIII Internacional. 2013. (Outro).

2.
MIKOWSKI, A. ; Kugeratski, M. S. ; CHAME, M. E. ; SCHOEPING, D. G. . Segundo Campeonato de Física do Voo do Centro de Engenharia da Mobilidade. 2011. (Outro).

3.
MIKOWSKI, A. ; CHAME, M. E. ; Kugeratski, M. S. ; ZILLI, L. . Primeiro Campeonato de Física do Voo do Centro de Engenharia da Mobilidade. 2011. (Outro).



Outras informações relevantes


Aprovada em primeiro lugar no concurso público para provimento do cargo de docente do magistério Superior classe de Adjunto nível I , na área Física Aplicada ao Meio-ambiente, UFSC (2009). Aprovada em quarto lugar no concurso público para provimento do cargo de docente do magistério Superior classe de Adjunto nível I , na área Física Nuclear e de Hadrons, UFSC (2009). Aprovada em quinto lugar no concurso público para provimento do cargo de docente do magistério Superior classe de Adjunto nível I, na área Física e Estática, UFSC (2009).



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 12/11/2018 às 21:32:14