Marcelo de Almeida Guimarães

Bolsista de Produtividade Desen. Tec. e Extensão Inovadora do CNPq - Nível 2

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/1031606627086716
  • Última atualização do currículo em 21/07/2014


possui Graduação em Agronomia (2002), Mestrado em Fitotecnia (2004) e Doutorado em Fisiologia Vegetal (2009), sendo todos os títulos obtidos na Universidade Federal de Viçosa. Entre 2004 e 2005 realizou estágio em Ohio nos Estados Unidos na área de produção de flores em ambiente controlado. Em 2005, realizou estágio na Universidade de Purdue nos Estados Unidos, tendo retornado em 2007 para realizar parte de seu Doutorado Sanduíche. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em produção e fisiologia vegetal, e manejo de hortaliças. Atua principalmente nos seguintes temas: Solanum lycopersicon, Solanum sessiliflorum, Citullus lanatus, Thlaspi caerulescens, Arabidopsis thaliana, tratos culturais, embebição de sementes, fitorremediação, metais pesados, cádmio, zinco, lítio, dentre outras. Foi professor adjunto I do curso de Ciências Agrárias e do Ambiente da Universidade Federal do Amazonas, Unidade Acadêmica de Benjamin Constant, onde ministrou aulas de Fisiologia Vegetal, Técnicas Agroecológicas - Nutrição Vegetal, Olericultura Tropical, Introdução a Genética e ao Melhoramento de Plantas e Beneficiamento de Produtos Agropecuários. Atualmente está como professor do Curso de Agronomia da Universidade Federal do Ceará, lotado no Departamento de Fitotecnia, onde é responsável pela disciplina de Olericultura. Desde janeiro de 2011 está credenciado como docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Agronomia Tropical da Universidade Federal do Amazonas. Tem atuado também como revisor de artigos em periódicos. Desde junho de 2013 está credenciado como docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Agronomia (Fitotecnia) da Universidade Federal do Ceará. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Marcelo de Almeida Guimarães
Nome em citações bibliográficas
GUIMARÃES, M.A.;GUIMARAES MA;GUIMARAES, MARCELO DE ALMEIDA;GUIMARÃES, MARCELO ALMEIDA

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Ceará, Centro de Ciências Agrárias.
Av. Mister Hull, 2977, Bloco 805
Pici
60356-001 - Fortaleza, CE - Brasil
Telefone: (85) 33669677


Formação acadêmica/titulação


2005 - 2009
Doutorado em Ciências Agrárias (Fisiologia Vegetal).
Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil.
com período sanduíche em Purdue University (Orientador: David Edward Salt).
Título: Uso de Thlaspi caerulescens e Arabidopsis thaliana em estudos de acúmulo e tolerância a zinco e lítio, Ano de obtenção: 2009.
Orientador: Marcelo Ehlers Loureiro.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Fitorremediação; Mutação; Thlaspi caerulescens; temperatura; Giberelina - GA3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Fisiologia / Subárea: Fisiologia Geral / Especialidade: Biologia Molecular.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Fisiologia.
Setores de atividade: Produtos e Processos Biotecnológicos Vinculados À Saúde Humana Ou dos Animais.
2002 - 2004
Mestrado em Fitotecnia (Produção Vegetal).
Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil.
Título: Influência da poda apical e da posição do cacho de tomateiro no crescimento da planta e na qualidade dos frutos,Ano de Obtenção: 2004.
Orientador: Derly José Henriques da Silva.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Lycopersicon esculentum Mill; tratos culturais; brix; pH; poda apical; poda de racimo.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia / Especialidade: Manejo e Tratos Culturais.
Grande Área: Ciências Agrárias / Área: Engenharia Agrícola / Subárea: Construções Rurais e Ambiência.
Setores de atividade: Produção Vegetal; Desenvolvimento Rural.
1997 - 2002
Graduação em Agronomia.
Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil.


Formação Complementar


2013 - 2013
Docência Integrada às Tec. da Info. e Comun.. (Carga horária: 64h).
Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.
2013 - 2013
Seminário de ambientação aos novos servidores. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.
2012 - 2013
CASa - Comunidade de Coop. e Aprend. Significativa. (Carga horária: 72h).
Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.
2012 - 2012
I Oficina de Formação Continuada. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.
2011 - 2011
Extensão universitária em Visita técnica ao setor responsável pelos RSU. (Carga horária: 54h).
Prefeitura Municipal de Silvianópolis.
2011 - 2011
Extensão universitária em Dia de Campo - Cultivo do Tomateiro. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil.
2010 - 2010
Extensão universitária em Visita técnica nas unidades da EcoUrbis Ambiental. (Carga horária: 32h).
Concessionária EcoUrbis Ambiental S.A..
2010 - 2010
Noções Básicas de Propriedade Intelectual. (Carga horária: 4h).
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.
2010 - 2010
Arranjo Produtivo Local. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal do Amazonas - UFAM.
2008 - 2008
Advanced English Course. (Carga horária: 190h).
Lafayette Adult Resource Academy.
2007 - 2007
Biorremediación. Estrategias ecoamigables. (Carga horária: 100h).
Centro Argentino-Brasileño de Biotecnologia.
2007 - 2007
Uso da Biotecnologia na Biorremediação. (Carga horária: 146h).
Centro Brasileiro-Argentino de Biotecnologia.
2001 - 2001
Orientação Para o Crédito. (Carga horária: 16h).
Sebrae.
2001 - 2001
Melhoramento Genético de Hortaliças. (Carga horária: 4h).
Associação Brasileira de Horticultura.
2000 - 2000
Extensão universitária em 71 Semana do Fazendeiro. (Carga horária: 40h).
Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil.
1997 - 1999
Inglês.
Real English Center.


Atuação Profissional



Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor e Pesquisador, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

07/2014 - Atual
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
AC0494 - Olericultura
07/2014 - Atual
Ensino, Agronomia (Fitotecnia), Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
ACP - 7766
08/2013 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, .

08/2013 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, .

08/2013 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, .

04/2013 - Atual
Extensão universitária , Pró-Reitoria de Extensão-PREX, .

Atividade de extensão realizada
Orientador das atividades realizadas pelos alunos do curso de Agronomia, oriundas do Projeto Rondon na UFC.
01/2013 - Atual
Direção e administração, Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.

Cargo ou função
Coordenador da Horta Didática da Universidade Federal do Ceará.
01/2013 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, .

01/2013 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, .

10/2012 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Ciências Agrárias, .

Cargo ou função
Membro do Colegiado do Curso da Agronomia - Representante da Unidade de Horticultura.
05/2012 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.

01/2012 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.

01/2012 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.

02/2014 - 06/2014
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
AC0494 - Olericultura
08/2013 - 12/2013
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
AC0494 - Olericultura
08/2013 - 12/2013
Ensino, Agronomia (Fitotecnia), Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
ACP7766 - Tópicos em Fitotecnia II
03/2013 - 07/2013
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
AC0494 - Olericultura
10/2012 - 02/2013
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
AC0494 - Olericultura (2012.2)
10/2012 - 01/2013
Direção e administração, Centro de Ciências Agrárias, .

Cargo ou função
Vice Coordenador da Horta Didática vinculada ao Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal do Ceará.
05/2012 - 09/2012
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
AC0494 - Olericultura (2012.1)

Universidade Federal do Amazonas, UFAM, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2012
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Adjunto I, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

01/2012 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Pró-Reitoria de Extensão e Interiorização (PROEXTI/UFAM), .

01/2011 - Atual
Ensino, Agronomia Tropical, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Fisiologia Vegetal
02/2012 - 11/2012
Ensino, Ciências Agrárias e do Ambiente, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
INC 016 - Introdução à Genética e ao Melhoramento de Plantas (60 horas)
INC 061 - Olericultura Tropical (60 horas)
INC 072 - Trabalho de Conclusão de Curso (60 horas)
INC 079 - Estágio Supervisionado III (120 horas)
12/2011 - 05/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .

Cargo ou função
Presidente da Subcomissão de Acompanhamento, Apoio e Avaliação do Programa de Monitoria do Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente no âmbito do Instituto de Natureza e Cultura, Campus Alto Solimões.
11/2011 - 05/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .

Cargo ou função
Membro da Comissão de Orientação de Monografia.
11/2011 - 05/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .

Cargo ou função
Constituinte da Comissão de Elaboração da Proposta de Curso do Colegiado de Ciências Agrárias e do Ambiente.
10/2011 - 05/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .

Cargo ou função
Presidente da Comissão de Atividades Complementares do Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente do Instituto de Natureza e Cultura.
10/2011 - 05/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .

Cargo ou função
Membro do Núcleo Docente Estruturante - NDE do Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente do Instituto de Natureza e Cultura.
09/2010 - 05/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .

Cargo ou função
Comissão para avaliação de estágio supervisionado do Curso de Licenciatura e Bacharelado em Ciências Agrárias e do Ambiente.
09/2010 - 05/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .

Cargo ou função
Grupo de trabalho para propor a nova matriz curricular do Curso de Licenciatura e Bacharelado em Ciências Agrárias e do Ambiente (Portaria No. 021/2010 - INCBC - UFAM).
08/2010 - 05/2012
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .

05/2010 - 05/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, Pró-Reitoria de Extensão e Interiorização (PROEXTI/UFAM), .

Cargo ou função
Comissão de Articulação Política e de Planejamento Estratégico (Portaria No. 008/2010 - PROEXTI).
03/2010 - 05/2012
Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .

Cargo ou função
Integrante Titular da Subcomissão de Acompanhamento, Apoio e Avaliação do Programa de Monitoria vinculado ao Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente no âmbito do Instituto de Natureza e Cultura de Benjamin Constant, Campus do Alto Solimões, para os.
12/2011 - 01/2012
Direção e administração, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .

Cargo ou função
Coordenador de Curso.
08/2011 - 12/2011
Ensino, Ciências Agrárias e do Ambiente, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Fisiologia Vegetal
Técnicas Agroecológicas - Nutrição Vegetal
Trabalho de Conclusão de Curso
10/2009 - 11/2011
Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .

Cargo ou função
Coordenador do Comitê Multidisciplinar de Extensão e Interiorização (COMEXI) da Universidade Federal do Amazonas, Unidade Instituto Natureza e Cultura Benjamin Constant..
02/2011 - 07/2011
Ensino, Ciências Agrárias e do Ambiente, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Beneficiamento de Produtos Agrícolas (60 horas aula)
Introdução a Genética e ao Melhoramento de Plantas (60 horas aula)
Olericultura Tropical (60 horas aula)
Trabalho de Conclusão de Curso
08/2010 - 12/2010
Ensino, Ciências Agrárias e do Ambiente, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Fisiologia Vegetal (60 horas aula)
Olericultura Tropical (60 horas aula)
Técnicas Agroecológicas - Nutrição Vegetal (60 horas aula)
03/2010 - 07/2010
Ensino, Ciências Agrárias e do Ambiente, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Beneficiamento de Produtos Agrícolas (60 horas de aula)
Introdução a Genética e Melhoramento de Plantas (60 horas de aula)
Olericultura Tropical (60 horas de aula)
08/2009 - 02/2010
Ensino, Ciências Agrárias e do Ambiente, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Fisiologia Vegetal (60 horas de aula)
Técnicas Agroecológicas - Nutrição Vegetal (60 horas de aula)
12/2009 - 01/2010
Direção e administração, Instituto Natureza e Cultura - Benjamin Constant, .

Cargo ou função
Coordenador de Curso.

Sítio Vale do Sol, PROPRIEDADERURAL, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2009
Vínculo: Empregado pelo regime da CLT, Enquadramento Funcional: Consultor, Carga horária: 4

Atividades

2/2006 - 01/2009
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Projetos na área de produção de plantas olerícolas em ambiente protegido.
2/2006 - 01/2009
Conselhos, Comissões e Consultoria, .

Cargo ou função
Consultor.

Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil.
Vínculo institucional

2005 - 2009
Vínculo: Bolsista de Pós-Graduação, Enquadramento Funcional: Estudante de Doutorado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Doutorado Sanduiche na Universidade de Purdue em West Lafayette nos Estados Unidos.

Vínculo institucional

2002 - 2004
Vínculo: Bolsista de Pós-Graduação, Enquadramento Funcional: Estudante de Mestrado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

1997 - 2002
Vínculo: Estudante de Graduação, Enquadramento Funcional: Estudante de Agronomia, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

8/2005 - 7/2009
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Biologia Vegetal.

4/1997 - 8/2004
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.

9/2001 - 4/2002
Estágios , Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.

Estágio realizado
Estágio voluntário, cadastrado junto ao CEE, realizado sob a orientação do professor Derly José Henriques da Silva, na área de olericultura, com a cultura do tomateiro..
4/2000 - 9/2001
Estágios , Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia.

Estágio realizado
Estágio voluntário, realizado sob a orientação do professor Derly José Henriques da Silva, na área de olericultura, com a cultura do tomateiro..
2/1998 - 8/1999
Estágios , Centro de Ciências Agrárias, Entomologia.

Estágio realizado
Entre os meses de fevereiro a agosto de 1998 realizei estágio voluntário no Laboratório de Entomologia sob a orientação do Professor José Cola Zanúncio. No mês de setembro de 1998 fui qualificado pelo CNPq a receber bolsa de iniciação científica..

Purdue University, PURDUE, Estados Unidos.
Vínculo institucional

2007 - 2008
Vínculo: Pesquisador Visitante, Enquadramento Funcional: Pesquisador Visitante, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Doutorado Sanduiche.

Atividades

12/2007 - 12/2008
Pesquisa e desenvolvimento , Department of Horticulture and Landscape Architecture., .


Communicating For Agriculture Exchange Program, CAEP*, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2005
Vínculo: Trainee, Enquadramento Funcional: Trainee, Carga horária: 45, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Programa de intercâmbio entre Brasil e Estados Unidos.

Atividades

09/2004 - 07/2005
Direção e administração, CAEP, Little Miami Flowers.

Cargo ou função
Gerente.
09/2004 - 07/2005
Serviços técnicos especializados , CAEP, .

Serviço realizado
Organização do processo de produção de flores (Gerbera) em ambiente controlado..

Pudue University, PUR, Estados Unidos.
Vínculo institucional

2005 - 2005
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Trainee, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

07/2005 - 08/2005
Estágios , Purdue University, Department Of Horticulture And Landscape Architecture.

Estágio realizado
Laboratorio de Fisiologia Molecular.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, EMBRAPA, Brasil.
Vínculo institucional

2001 - 2001
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 36, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Estágio voluntário.

Atividades

3/2001 - 3/2001
Estágios , Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças, Laboratório de Fitotecnia.

Estágio realizado
Estágio realizado no Laboratório de Fitotecnia, de 19 a 29 de março com carga horária de 72 horas..


Linhas de pesquisa


1.
Estudo da relação fonte/dreno em plantas de tomate

Objetivo: Aumentar a produção de frutos de tomate classificados como grande, sem prejudicar o sabor dos frutos..
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia.
Setores de atividade: Agricultura, Pecuária e Serviços Relacionados Com Essas Atividades.
Palavras-chave: brix; cacho floral; indice de area foliar; Lycopersicon esculentum Mill; número de folhas; número de frutos.
2.
Desenvolvimento de modelos de previsão de safra a partir do uso de modelos agrometeorológicos.

Objetivo: Desenvolver modelos de previsão de colheita e safra para diversas culturas..
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Engenharia Agrícola / Subárea: Agrometeorologia.
Grande Área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia.
Setores de atividade: Agricultura, Pecuária e Serviços Relacionados.
Palavras-chave: cacho floral; Lycopersicon esculentum Mill; número de folhas; número de frutos; partição de fotoassimilados; perdas de produtividade.
3.
Desenvolvimento de banco de mutantes da espécie Thlaspi caerulescens

Objetivo: O desenvolvimento do banco objetiva a busca de mutantes que possam ajudar na compreensão dos mecanismos de tolerância e hiperacumulação de metais pesados por esta espécie..
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Genética / Subárea: Mutagenese.
Grande Área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fisiologia Vegetal.
Setores de atividade: Agricultura, Pecuária e Serviços Relacionados Com Essas Atividades.
Palavras-chave: Etil Metano Sulfonato; fisiologia molecular; metal pesado; Mutação; mutagênese; segregação.
4.
Estudo da hiperacumulação a zinco em Thlaspi caerulescens

Objetivo: Entender qual a participação do sistema radicular e da parte aérea na hipertolerância e hiperacumulação a zinco na espécie Thlspi caerulescens..
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fisiologia Vegetal.
Setores de atividade: Agricultura, Pecuária e Serviços Relacionados Com Essas Atividades.
Palavras-chave: fisiologia molecular; metal pesado; Thlaspi caerulescens.
5.
Indução ao florescimento da espécie Thlaspi caerulescens.

Objetivo: Redução no tempo de indução ao florescimento da espécie Thlaspi caerulescens..
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fisiologia Vegetal.
Grande Área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia.
Setores de atividade: Agricultura, Pecuária e Serviços Relacionados Com Essas Atividades.
Palavras-chave: produção; sementes; Thlaspi caerulescens; tratos culturais; Giberelina - GA3.
6.
Estudo da germinação de sementes da espécie Thalspi caerulescens

Objetivo: Buscar a melhor condição ambiente para a germinação de sementes de Thlaspi caerulescens..
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Botânica / Subárea: Fisiologia Vegetal.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Botânica.
Setores de atividade: Agricultura, Pecuária e Serviços Relacionados.
Palavras-chave: Fitorremediação; germinação; Giberelina - GA3; Thlaspi caerulescens.
7.
Caracterização fisiológica, molecular e genética de mutantes de Arabidopsis thaliana.

Objetivo: Avaliar as alterações fisiológicas que fazem com que o mutante "132:31" de Arabidopsis thaliana tenha sua tolerância a lítio reduzida. Encontrar o gene ou grupo de genes responsável por este fenótipo..
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Botânica / Subárea: Fisiologia Vegetal / Especialidade: Fisiologia Molecular de Plantas.
Setores de atividade: Descontaminação e outros serviços de gestão de resíduos.
Palavras-chave: carotenóides; clorofila; expressão gênica; Fitorremediação; ICP-MS; metal pesado.
8.
Núcleo de Economia Solidária
9.
Análise da percepção da população em relação aos resíduos sólidos urbanos
10.
Caracterização de resíduos sólidos urbanos
11.
Estudo de diferentes espaçamentos para a produção de hortaliças em campo e ambiente protegido
12.
Seleção e caracterização de subamostras de alface para produção na Amazônia
13.
Recipientes para a produção de mudas de hortaliças
14.
Crescimento e desenvolvimento de plântulas provenientes de sementes embebidas
15.
Substratos para a produção de mudas de hortaliças
16.
Uso de enxertia em hortaliças
17.
Produção de hortaliças em ambientes salinos
18.
Produção de hortaliças em ambientes contaminados com fitomoléstias
19.
Seleção de recipientes para a produção de mudas de hortaliças
20.
Uso de nutrientes não essenciais como ferramenta de proteção à pragas em espécies de hortaliças
21.
Tratos culturais em Hortaliças
22.
Sistemas de tutoramento em Hortaliças
23.
Avaliação de espécies e cultivares de Hortaliças para produção em condições de temperaturas elevadas


Projetos de pesquisa


2014 - Atual
Identificação de potenciais genitores de tomate cereja para produção sob as condições edafoclimáticas do Estado do Ceará

Descrição: O estado do Ceará assim como os outros estados do nordeste do Brasil, não dispõe de cultivares de tomates específicos para suas condições edafoclimáticas. Esse fato se reflete em baixas produtividades quando se compara com as obtidas naquelas regiões onde se concentra os programas de melhoramento para essa cultura. Assim, para se aumentar a produtividade desta cultura neste estado, torna-se necessário obter cultivares específicos para suas condições edafoclimáticas..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Júlio César do Vale Silva - Integrante / João Germano Gomes - Integrante / Vinícius Borges da Silva - Integrante.
Financiador(es): Universidade Federal do Ceará - Bolsa.
2013 - 2013
Avaliação do uso do silício no desenvolvimento, produtividade e como dator de resistência a Broca das cucurbitáceas na cultura do pepino

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (3) Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Hernandes Rufino dos Santos - Integrante / Kadson Emmanuel Frutuoso Silva - Integrante / Tamiris Pereira da Silva - Integrante / Wnaderson Pires Salomão - Integrante.
2013 - 2013
Efeito de diferentes recipientes na produção de mudas de chinguensai

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (4) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Rebeca de Araujo Torres - Integrante / Cicera Vanuza Viana Xavier - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Lydio Luciano de Gois Ribeiro Dantas - Integrante.
2013 - Atual
Caracterização morfológica e produtiva de cultivares de alface no Estado do Ceará

Descrição: A alface (Lactuca sativa L.) pode ser considerada a mais popular dentre as hortaliças folhosas produzidas no mundo. No geral é produzida por pequenos produtores, que nem sempre possuem alta tecnificação em seus cultivos. Considerada cultura de clima ameno, a produção de alface no Estado do Ceará é prejudicada, principalmente devido às elevadas temperaturas ao longo do ano, que favorecem a precocidade de emissão do pendão floral, tornando seu sabor amargo e consequentemente impróprio para o consumo. Na busca por cultivares adaptados para produção nas condições locais, verificou-se escassez de cultivares e/ou acessos. Baseado no expôsto, propõe-se neste projeto a caracterização morfológica e produtiva de cultivares e acessos de alface, crescidos e desenvolvidos nas condições climáticas de Fortaleza no Ceará..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Júlio César do Vale Silva - Integrante / Sara Santos Cardoso - Integrante / Idayane Souza de Araújo - Integrante.
Financiador(es): Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2013 - Atual
Efeito de diferentes tamanhos de recipientes e substratos na produção de Couve Mizuna Wase

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (2) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Jean Paulo de Jesus Tello - Integrante / Sara Santos Cardoso - Integrante / Bruno do Nascimento Silva - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante.
2012 - 2013
Desempenho de cultivares comerciais de alface em ambiente protegido e cultivo orgânico na região Amazônica

Descrição: O desenvolvimento da alface é bastante influenciado por condições ambientais, sendo que temperaturas acima de 22ºC estimulam o pendoamento, o qual é acelerado à medida que a temperatura aumenta, porém, há variação de comportamento entre cultivares. Na região amazônica, trabalhos com alface são raros, devido às condições climáticas que causam grandes perdas produtivas e de qualidade para os agricultores. Essas condições estão relacionadas ao alto índice pluviométrico que pode gerar danos às plantas, a alta umidade relativa do ar que pode causar doenças e a temperatrura elevada que pode causar pendoamento precoce, ficando essas plantas impróprias para o consumo. Recomendações de cultivares têm sido realizadas por empresas produtoras de sementes, no entanto, nem sempre esses materiais servem para serem produzidos em ambientes com diferentes condições climáticas. Baseado no exposto e tendo-se o conhecimento da escassez de informações a respeito da cultura da alface produzida na mesorregião do Alto Solimões, Amazonas, objetivou-se com este trabalho avaliar o desempenho de cultivares desta cultura, na referida região, dando-se ênfase na avaliação de seus potenciais produtivos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Álvaro Camilo da Costa Bohorquez - Integrante / José Bezerra Maricaua - Integrante.
2012 - Atual
Seleção de diferentes combinações de porta-enxertos e de variedades de tomateiro para produção sob cultivo protegido ou em campo em áreas infestadas com o nematoide das galhas

Descrição: O tomate é uma das hortaliças mais consumidas no Brasil e no mundo, ficando atrás somente da batata. No Ceará, apesar de amplamente consumido, o tomateiro tem produção reduzida, contudo destaque pode ser dado ao município de Guaraciaba do Norte, na Serra de Ibiapaba, maior produtor da região. De acordo com levantamento técnico realizado pela Embrapa Agroindústria Tropical a respeito das principais doenças de plantas hortícolas, recorrentes nessa região, observou-se que alguns patógenos de solo, dentre os quais o nematoide-das-galhas (Meloidogyne incognita e M. javanica), são responsáveis pelos principais problemas diagnosticados nos cultivos de tomateiro. Para superar tais problemas, existem à disposição do produtor diversas técnicas que podem ser utilizadas com maior ou menor grau de eficiência. Como exemplos alguns pesquisadores citam o uso de produtos químicos, a solarização, a técnica da enxertia do tomateiro (em espécies resistentes a nematoides) e, o uso de variedades geneticamente melhoradas como algumas das principais técnicas. Apesar de haver certo estudo quanto ao uso da solarização para combater tal problema no Estado do Ceará, para as demais técnicas citadas, não foram identificados trabalhos desenvolvidos in loco, que pudessem gerar informações mais precisas de sua eficiência sob as condições climáticas e produtivas do Estado. Baseado no exposto acima objetiva-se com este trabalho selecionar espécies vegetais bem como algumas variedades de tomateiro comercializadas que possam ser utilizadas como porta-enxerto resistentes a nematoides de tomateiro..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Derly José Henriques da Silva - Integrante / Roberto Jun Takane - Integrante / Carmem Dolores Gonzaga Santos - Integrante / Juliana de Mesquita Camilo - Integrante / Elaine Silva dos Santos - Integrante.
Financiador(es): Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2011 - 2012
Caracterização morfológica de 13 genótipos de alface na mesoregião do Alto Solimões

Descrição: A alface (Lactuca sativa L.) pode ser considerada a mais popular dentre as hortaliças folhosas produzidas no mundo. No geral é produzida por pequenos produtores, que nem sempre possuem alta tecnificação em seus cultivos. Considerada cultura de clima ameno, a produção de alface na região amazônica é extremamente prejudicada, primeiramente devido às elevadas precipitações ao longo do ano, secundariamente devido às elevadas temperaturas que favorecem a precocidade de emissão do pendão floral. Na busca por cultivares adaptados para produção nas condições previamente citadas, verificou-se escassez de genótipos. Culpa da revolução verde ou dos programas de melhoramento realizados por instituições de pesquisa ou multinacionais? Provavelmente de ambos. O primeiro focava no aumento da produtividade através da utilização de um pacote tecnológico (adubos, inseticidas, fungicidas, dentre outras), sendo utilizadas somente as cultivares que apresentavam respostas de produção mais eficientes. Já o segundo continua sendo feito principalmente com foco na seleção de cultivares mais produtivas sob determinadas circunstâncias. Mas o que foi feito ou tem sido feito das cultivares locais, de baixa produtividade mas bem adaptadas a produção local? Alguns pesquisadores, preocupados com esta perda de variabilidade das espécies, realizaram viagens expedicionárias principalmente com o intuito de resgatar, colher, armazenar, catalogar e preservar estas. Hoje, tais espécies encontram-se depositadas nos chamados bancos de germoplasma, considerados ferramentas importantes no processo de seleção de genótipos que melhor se adaptam às diferentes condições climáticas existentes em diversas regiões. O Banco de Germoplasma de Hortaliças da Universidade Federal de Viçosa (BGH-UFV) é um bom exemplo de diversidade de genótipos armazenada. Neste banco encontram-se cerca de 7000 genótipos de hortaliças, dos quais 107 são pertencentes a espécie Lactuca sativa L. Baseado no exposto, foi inciado no ano de 20.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Leandro Ribeiro Monteiro - Integrante / Álvaro Camilo da Costa Bohorquez - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Auxílio financeiro.
2011 - 2012
Avaliação de diferentes espaçamentos na produção de frutos de melancia crescidos e desenvolvidos na Mesorregião do Alto Solimões, Amazonas.

Descrição: A melancieira (Citrullus lanatus) é uma espécie olerícola de grande aceitação nos mercados nacionais e internacionais. Produzida preferencialmente em condições de elevada temperatura (21 a 30oC) a melancieira é muito explorada no período de menor precipitação (julho-novembro) na região Amazônica. Dentro deste contexto, a Mesorregião do Alto Solimões se insere perfeitamente, não apenas por possuir condições climáticas ideais para o crescimento e desenvolvimento da cultura, mas também por apresentar vastas áreas de várzea, que devido a menor intensidade de chuvas no período, aparecem nas margens dos rios com rica disponibilidade de matéria orgânica. No entanto, apesar das condições favoráveis para a produção desta olerícola na região, poucas informações tem sido divulgadas e/ou até mesmo produzidas cientificamente que venham a fornecer ao produtor novas possibilidades de incrementar suas produções, aumentando a eficiência produtiva da cultura. É certo que para algumas regiões há informações disponíveis e que muitas vezes podem ser extrapoladas para outras localidades que apresentem condições climáticas similares. No entanto, as elevadas precipitações e temperaturas ao longo do ano na Mesorregião do Alto Solimões a tornam distinta das demais localidades, necessitando para isso de experimentos in loco, para a determinação de manejos mais adequados. Baseado no exposto, é proposto neste trabalho de pesquisa a avaliação de diferentes espaçamentos entre-plantas para o cultivo da melancieira (cv. Charleston Gray) nas condições climáticas da Mesorregião do Alto Solimões, mais especificamente do município de Benjamin Constant, AM..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Leandro Ribeiro Monteiro - Integrante / Márcio Lopes Muller - Integrante.
Financiador(es): Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas - Bolsa / Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Auxílio financeiro.Número de orientações: 1
2011 - 2012
Rendimento de frutos de tomate tipo cereja em função do número de hastes e cachos

Descrição: Na mesorregião do Alto Solimões, principalmente na região da tríplice fronteira Brasil-Peru-Colombia, onde se localizam as cidades brasileiras de Bejamin Constant, Atalaia do Norte e Tabatinga, quase não se ve cultivos de hortaliças convencionais como o tomate. O que se ve, muitas vezes no mercado, são tomates produzidos a partir de variedades caboclas, que em geral apresentam pequenos, tamanho e qualidade, e em geral estão disponíveis de forma sazonal. Ao se buscar informações de pesquisas feitas na mesorregião, no que se refere a produção dessa importante hortaliça, verificou-se que não há informações disponíveis que possam ser utilizadas pelos produtores brasileiros para implementarem e/ou incrementarem suas produções. Baseado no expôsto acima, faz-se necessário estudos básicos na cultura do tomateiro, que visem o desenvolvimento e aprimoramento de técnicas e práticas de cultivo do tomateiro nesta região. Tais atividades possibilitarão a produção de informações que auxiliarão os produtores no cultivo desta hortaliça. O experimento será conduzido em ambiente protegido do tipo capela com área de 48 m2 (8 m de comprimento x 6 m de largura), nas dependências do Instituto Natureza e Cultura- UFAM, no município de Benjamim Constant, Alto Solimões, AM. O delineamento adotado será o inteiramente casualizado no esquema fatorial 4 x 3, sendo quatro diferentes números de hastes por planta (uma, duas, três e quatro) e três diferentes números de cachos por planta (um, dois e três). Para cada tratamento serão conduzidas 6 repetições, sendo uma planta conduzida por repetição. Quando os frutos alcançarem o estádio de maturação verde-cana, serão colhidos e os seguintes parâmetros serão avaliados: 1) Precocidade de produção (dias); 2) Produtividade total média de frutos por tratamento (t.ha-1); 3) Peso médio dos frutos por tratamento (g.fruto-1); 4) Diâmetro médio dos frutos por tratamento (cm.fruto-1); 5) Comprimento médio dos frutos por tratamento (cm.fruto-1); 6) Número médio d.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Poliana Almeida da Silva - Integrante.
Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1
2010 - 2012
A população de São Paulo de Olivença-AM e sua percepção em relação a problemática do lixo produzido no município

Descrição: O consumo desenfreado que vivenciamos desde a Revolução Industrial, apesar de ter possibilitado maior comodidade e melhores condições de vida por parte da população, é responsável por um dos maiores problemas enfrentados pelas populações atuais, a geração de resíduos sólidos o lixo . O município de São Paulo de Olivença, localizado na mesorregião do Alto Solimões-AM, é um dos municípios que precisa se adequar a nova Política Nacional de Resíduos Sólidos. Sendo assim, e levando-se em consideração aquilo que preconiza a PNRS, propõem-se neste projeto a avaliação da percepção da população deste município no que se refere ao lixo produzido, bem como às temáticas atuais, referentes a este assunto e que vem sendo amplamente discutidas e divulgadas nos meios de comunicação. Sendo assim, será desenvolvido um projeto no Município de São Paulo de Olivença, situado na mesorregião do Alto Solimões, Estado do Amazonas. Para a avaliação da percepção da população no que se refere aos RSUs gerados em São Paulo de Olivença, serão realizadas visitas técnicas, com o objetivo de se aplicar questionário baseado na estrutura dos modelos aplicados pelo IBGE (2004). Para a determinação do número de questionários a serem aplicados, utilizar-se-á metodologia de Andriotti (2004)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Elizângela Tourinho - Integrante.
Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1
2010 - 2011
Avaliação de diferentes tipos de recipiente para a produção de mudas de cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) e jurubeba (Solanum paniculatum)

Descrição: Com o objetivo de verificar o efeito de diferentes recipientes na produção de mudas de cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) e jurubeba (Solanum paniculatum), foi realizado um experimento na mesorregião do Alto Solimões, município de Benjamin Constant/AM em área de produção particular. Utilizou-se semeadura em bandejas de poliestireno expandido com 288, 200 e 128 células e saco plástico de 250 ml, com volumes variando de 9,88; 21,60; 32,61 e 250,00 cm3, respectivamente. Adotou-se o delineamento inteiramente casualizado (DIC) com quatro tratamentos e quatro repetições por espécie, sendo avaliadas 5 plantas por repetição. Para o cubiu as mudas foram avaliadas aos 27, 38, 45 e 52 dias após a semeadura (DAS) e para a jurubeba aos 38, 45, 52, 59 e 66 DAS. As seguintes características foram avaliadas: número de folhas; comprimento da raiz principal, da parte aérea e total; massa fresca da raiz principal, da parte aérea e total; massa seca da raiz principal, da parte aérea e total por planta. Com exceção do número de folhas para a jurubeba que, em geral, não apresentou diferença significativa entre os tratamentos estudados aos 45 e 66 DAS e para o cubiu aos 52 DAS, cujo o tratamento bandeja de 200 células proporcionou a obtenção de maior número de folhas, as demais características, para ambas as espécies, foram superiores no recipiente saco plástico em todas as datas de avaliação..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Manuel Filipe Nascimento Garcia - Integrante / Caris dos Santos Viana - Integrante / Leandro Amorim Damasceno - Integrante.
Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1
2010 - 2011
Diferentes profundidades de semeadura e substratos na produção de plântulas de cubiu (Solanum sessiliflorum)

Descrição: O cubiu (Solanun sessiliflorum Dunal) é uma solanaceae com boa rusticidade, capacidade de produção e múltiplas possibilidades de aproveitamento. Neste trabalho objetivou-se avaliar o efeito de diferentes profundidades e substratos na produção de mudas de cubiu. O experimento foi conduzido em condições de laboratório (25 2 C), no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas, localizado na cidade de Tabatinga AM. Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições, em esquema fatorial 2:5, duas profundidades de semeadura (sobre = 0 e entre = 1 cm) e 5 tipos ou combinações de substratos. Os tratamentos foram: Sobre Terra (ST); Entre Terra (ET); Sobre Areia (SA); Entre Areia (EA); Sobre Terra + Areia (STA); Entre Terra + Areia (ETA); Sobre Terra + Esterco (STE); Entre Terra + Esterco (ETE); Sobre Terra + Areia + Esterco (STAE); e Entre Terra + Areia + Esterco (ETAE). Foram avaliados o índice de velocidade de emergência (IVE); o percentual de emergência (%E); número de folhas (NF); comprimento da raiz principal (CRP), parte aérea (CPA) e total (CT; cm); massa fresca da raiz principal (MFRP), parte aérea (MFPA) e total (CT; g); e massa seca da raiz principal (MSRP), parte aérea (MSPA) e total (CT; g). No geral, a semeadura sobre os substratos, favoreceu as características avaliadas para esta cultura. A combinação do substrato TAE com a semeadura sobre, destacou-se dentre os tratamentos, podendo ser citado como a melhor combinação para a produção de plântulas de cubiu..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / José Furtado de Miranda - Integrante / Caris dos Santos Viana - Integrante / Jean Paulo de Jesus Tello - Integrante / Leandro Amorim Damasceno - Integrante.
Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1
2010 - 2011
Diagnóstico quali-quantitativo dos resíduos sólidos (lixo) urbano produzidos no município de Benjamin Constant, Alto Solimões-AM

Descrição: Desde o momento em que o ser humano nasce até o findar da vida, produz lixo. Com o objetivo de se determinar quali-quantitativamente o lixo produzido por três setores da sociedade do município de Benjamin Constant (comercial, educacional e domiciliar), estudou-se a composição em classes (lixo seco, úmido e orgânico) dos resíduos produzidos nestes. Para o lixo seco, determinou-se a composição percentual de seus componentes (plástico, papel e papelão, vidro e metal). Para a determinação no comércio, duas panificadoras e dois mercados foram estudados. Para a área educacional, três instituições de ensino foram avaliadas. Para os domicílios, seis bairros foram estudados, sendo selecionados cinco domicílios em cada bairro com faixa salarial mais representativa. Os bairros Cidade Nova e Colônia II tiveram como representantes domicílios com faixa salarial de até 1 salário mínimo, os bairros Cohabam e Coimbra domicílios com 2 a 3 salários e os bairros Centro e Colônia I domicílios acima de 3 salários. Os mercados e as instituições de ensino apresentaram maior geração de resíduos recicláveis. Panificadoras e domicílios apresentaram maior geração de resíduos orgânicos. Verificou-se que quanto maior a faixa salarial entre os domicílios, maior foi a produção média de lixo por habitante por dia. Com exceção dos domicílios sustentados com mais de três salários mínimos, que apresentaram cerca de 22% da composição total em resíduos úmidos, todos os demais apresentaram 10% em média, ou seja, cerca de 90% dos resíduos sólidos gerados nos diferentes setores estudados de Benjamin Constant poderiam ser destinados a reciclagem e/ou compostagem..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Elizângela Tourinho - Integrante / Poliana Almeida da Silva - Integrante / Samuel Almeida da Silva - Integrante / Leny Almeida da Silva - Integrante / Manuel Filipe Nascimento Garcia - Integrante.
Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1
2010 - 2011
Pré-embebição de sementes e seus efeitos em características de crescimento e desenvolvimento de plântulas de Citrullus lanatus L.

Descrição: Dentre os fatores ambientais a água pode ser considerada o de maior influência no processo germinativo. Neste trabalho, objetivou-se avaliar diferentes períodos de pré-embebição de sementes de melancia em água e seus efeitos em características de crescimento e desenvolvimento de plântulas. Os tratamentos constituíram de diferentes períodos de pré-embebição: 0, 12, 24, 48 e 72 horas. As sementes foram depositadas em copos plásticos com 50 ml de água mineral e mantidos em ambiente escuro a 25 2 C, no Campus do IFAM, em Tabatinga-AM. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições. Foram semeadas 25 sementes por repetição em bandejas de isopor preenchidas com substrato cama de frango . Em seguida foram alocadas em ambiente protegido cobertas com filme plástico e sombrite 50%. Logo, iniciou-se a contagem diária das plântulas para obtenção do índice de velocidade de emergência. Aos 6 e 12 dias após a semeadura (DAS), 5 plantas por repetição foram coletadas, sendo avaliados: percentual de emergência (%E); comprimento da raiz principal, parte aérea e total da planta; massa fresca da raiz principal, parte aérea e total da planta; massa seca da raiz principal, parte aérea e total da planta. As médias foram comparadas pelo teste Scott-Knott a 5% de probabilidade. A pré-embebição das sementes por 12 hs favoreceu o aumento no %E aos 12 DAS. No geral, as plântulas obtidas a partir de sementes pré-embebidas por 48 e 72 hs, foram as que apresentaram maiores valores para as características de crescimento e desenvolvimento avaliadas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Leandro Ribeiro Monteiro - Integrante / Caris dos Santos Viana - Integrante / Jean Paulo de Jesus Tello - Integrante / Leandro Amorim Damasceno - Integrante.
Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra.Número de orientações: 1
2010 - 2011
Seleção de genótipos de alface (Lactuca sativa L.) com potencial para produção na região do Alto Solimões, Estado do Amazonas, Brasil

Descrição: O cultivo de alface na região amazônica tem sido dificultado por implicações de ordem climática que se propagam em perdas aos agricultores e baixa qualidade do produto aos consumidores. No presente trabalho objetivou-se selecionar genótipos de alface do Banco de Germoplasma de Hortaliças da Universidade Federal de Viçosa (BGH-UFV), para produção na mesorregião do Alto Solimões, AM. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualisado com 2 variedades comerciais e 53 subamostras do BGH-UFV. Foram conduzidas três repetições de cada uma das subamostras, todas cultivadas em substrato proveniente de cama de frango . Foram avaliados os seguintes parâmetros: a) hábito de crescimento das plantas; b) forma das folhas; c) conteúdo de antocianina; e d) massa da matéria fresca das folhas (g. planta-1) aos 40 dias após a semeadura (DAS). Para a variável hábito de crescimento, observou-se os fenótipos: prostado (1 subamostra), ereto (8 subamostras) e semi-ereto (46 subamostras). Quanto a forma das folhas, foi verificada grande diversidade de formas, sendo os seguintes fenótipos observados: losângica transversa alargada (22 subamostras), elíptica (14 subamostras), elíptica estreitada (13 subamostras), ovalada (4 subamostras) e elíptica alargada (1 subamostra). Apenas três subamostras (BGHs 2607, 2630 e 3290) apresentaram coloração característica da presença de antocianina nas folhas. Quanto a massa da matéria fresca das folhas, obtidas aos 40 DAS, duas subamostras puderam ser destacadas dentre as 55 estudadas, as BGHs 4064 e 4326, com 55 e 50 g.planta-1, respectivamente..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Leandro Ribeiro Monteiro - Integrante / Álvaro Camilo da Costa Bohorquez - Integrante.
Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.Número de orientações: 1
2008 - 2010
Respostas fisiológicas, bioquímicas e moleculares de genótipos de tomateiro (Lycopersicon esculentum Mill.) mutantes na síntese de ABA exposto ao cádmio

Descrição: Verificar a influência do ABA sobre a absorção, translocação e acúmulo de cádmio e sua toxicidade em plantas de Lycopersicon esculentum Mill. Identificar efeitos do cádmio nas trocas gasosas e parâmetros de fluorescência da clorofila. Análise de perfil do ionoma das plantas. Quantificação dos ABA em plantas na presença de diferentes níveis de cádmio. Caracterizar o dano oxidativo na presença deste metal e o efeito de restrições da síntese de ABA nas respostas dos mecanismos de defesa antioxidativos (enzimáticos e não-enzimáticos). Estudar o papel do ABA na regulação de mecanismos moleculares envolvidos na absorção e acúmulo de cádmio..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Ivan Luís Zenzen - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante.
Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.
2007 - 2009
Estudo do efeito da giberelina, temperatura e fotoperíodo no florescimento de Thlaspi caerulescens

Descrição: Thlaspi caerulescens é uma planta muito utilizada em estudos de hiperacumulação de metais como Cd, Ni e Zn. Esta espécie necessita de longo período frio (4ºC) para a indução do crescimento do pendão principal e florescimento. Neste trabalho nós desenvolvemos um protocolo para indução de florescimento precoce e abundante de T. caerulescens. Para isso, foram estudados diferentes condições como: fotoperíodo (8 ou 12 h de luz (100 mol.m-2.s-1)), temperatura (4 ou 21ºC), semanas de exposição às condições de luz e temperatura citadas anteriormente (6 ou 8 semanas) e a aplicação de diferentes concentrações de GA3 (0, 15, 30 e 60 g l-1). Verificou-se que baixas temperaturas (4ºC) são essenciais para a indução ao florescimento e produção de sementes de T. caerulescens e que o tempo de exposição das plantas à baixa temperatura (4ºC) é muito importante para a potencialização da produção de sementes de T. caerulescens, sendo desejados períodos mais longos de exposição. GA3 juntamente com a condição de dia longo (12 h de luz) proporciona certo grau de florescimento, no entanto, não é eficaz para a produção de sementes de T. caerulescens. A aplicação de GA3 afeta negativamente a produção de sementes de plantas desta espécie quando submetidas a dias curtos (8 h de luz) e dias longos, quando se utiliza a concentração de 60 g l-1 deste hormônio. GA3 foi capaz de induzir o alongamento do pendão principal, independentemente do fotoperíodo utilizado, sendo este efeito observado somente em plantas de Thlaspi que não foram submetidas a baixas temperaturas (21ºC)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / David Edward Salt - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2007 - 2009
Uso da enxertia na separação do papel da raiz e da parte aérea na hiperacumulção e hipertolerância a zinco em Thlaspi caerulescens.

Descrição: O fenótipo de acumulação de zinco (Zn), encontrado em muitas espécies de Brassicaceas, é determinado por mecanismos que promovem elevada tolerância a Zn e alto nível de acumulação deste elemento na parte aérea. Foi empregada a enxertia recíproca entre uma espécie hiperacumuladora de Zn, Thlaspi caerulescens, e uma não acumuladora, Thlaspi perfoliatum, para determinar a importância relativa da raiz e da parte aérea na hiperacumulação e hipertolerância a Zn. Folhas provenientes de plantas de T. perfoliatum como porta-enxerto com T. caerulescens como enxerto não acumulam Zn, enquanto plantas com T. caerulescens como porta-enxerto e T. perfoliatum como enxerto acumulam Zn. No entanto, ainda que folhas provenientes de plantas com T. caerulescens como porta-enxerto e T. perfoliatum como enxerto acumulem altos teores de Zn, sob altas concentrações deste elemento, as folhas dessas plantas apresentam sintomas de toxidez a Zn significativos, ao contrário de folhas de T. caerulescens auto-enxertadas. A hiperacumulação de Zn em folhas de T. caerulescens é primeiramente ditada por processos que ocorrem na raiz. Além disso, os mecanismos controladores da tolerância de Zn no hiperacumulador T. caerulescens são dirigidos por processos que ocorrem na parte aérea..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / David Edward Salt - Integrante / Jeffery Gustin - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 1
2007 - 2009
Caracterização fisiológica e genética do mutante 13231 de Arabidopsis thaliana.

Descrição: Entender como as plantas se comportam nos mais variados tipos e condições de ambiente é condição essencial para o desenvolvimento de estratégias que ajudem a humanidade a melhorar suas condições de vida. Sendo assim, faz-se necessário o conhecimento dos processos e rotas fisiológicas, bem como dos genes participantes dos processos que integram a vida das plantas. Neste trabalho, nós utilizamos o mutante de Arabidopsis thaliana 132:31 , obtido a partir da irradiação por nêutrons de alta energia. Foi verificado que este mutante apresenta uma deleção de oito genes no cromossomo 2. Após diversos experimentos de caracterização fenotípica com este mutante em comparação com seu tipo selvagem Col-0 , nós conseguimos identificar três fenótipos básicos do mutante: maior sensibilidade ao lítio, maior produção de etileno e maior nível de estresse oxidativo. Nossos resultados mostram que o lítio reduziu o crescimento da parte aérea de ambos os genótipos e das raízes do mutante.A aplicação de cálcio ao meio de cultivo, reverteu parcialmente o efeito do lítio nas raízes de ambos os genótipos. Através da técnica da enxertia recíproca, demonstrou-se que não somente a parte aérea, mas também o sistema radicular do 132:31 apresenta maior sensibilidade ao lítio do que Col-0. A maior produção de etileno observada no mutante, torna-se ainda mais evidente em sua presença. O aumento na produção do etileno poderia explicar: a redução do crescimento da parte aérea e raízes, diminuição dos teores de clorofila a e carotenóides. São necessárias outras análises para construir uma explicação convincente dos mecanismos responsáveis pelos fenótipos encontrados..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / David Edward Salt - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2005 - 2006
Efeito da pré-embebição na velocidade de germinação de sementes de Thlaspi caerulescens

Descrição: Thlaspi caerulescens ecotipo Saint Félix de Palliéres é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação. Seu uso em experimentos envolvendo o acúmulo de metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+ têm crescido de forma exponencial. No entanto, a grande desvantagem de se utilizar esta espécie, para este tipo de estudo, tem sido o longo tempo de produção de novas sementes a partir do semeio (em geral 18 meses). Com o objetivo de se diminuir o tempo de geração de novas sementes desta espécie, sementes de Thlaspi caerulescens foram submetidas a diferentes tempos de pré-embebição (2h, 5h, 8h, 11h, 15h, 19h e 23h) em água deionizada sob a temperatura de 20ºC e comparadas ao controle sem pré-embebição. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G) e o índice de velocidade de germinação de sementes (IVG). Os resultados da germinação foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. O IVG foi submetido à análise de regressão. Não houve diferença entre o controle e os tratamentos de pré-embebição para a % de germinação de sementes. Entretanto, a partir de 5 horas de pré-embebição foi observado aumento de 22% no IVG, sendo este aumento máximo após 15 horas de embebição (70%). Adicionalmente, a análise de regressão representada pela equação: IVG = 5,2853 + 0,321x - 0,0063x2 (R = 0,887) demonstrou que a pré-embebição das sementes foi eficiente em acelerar o processo de germinação (IVG). Podemos concluir com este experimento que a pré-embebição das sementes pode ser utilizada com o objetivo de se acelerar a germinação desta espécie..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Bráulio Souza - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 1
2005 - 2006
Influência de temperatura, luz e giberelina na germinação de sementes de Thlaspi caerulescens

Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação. Esta espécie é uma planta hiper-acumuladora de metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, tem-se observado experimentalmente que há uma grande variação na porcentagem de germinação e na velocidade de germinação das sementes desta espécie quando submetidas a diferentes condições de luz e temperatura. Com o objetivo de se determinar uma condição ótima para se maximizar a germinação acelerando este processo, sementes de Thlaspi foram submetidas a diferentes condições de temperatura (10º e 25ºC) sob diferentes faixas do espectro luminoso (violeta e azul (390 a 590 nm), verde (480 a 630 nm), vermelho (580 a 680 nm), vermelho longo azul (acima de 670 nm), escuro e luz branca). Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Quando submetidas a 10ºC, tanto o tratamento de escuro como todas as faixas de espectro luminoso simuladas produziram maior %G (98%) quando, em comparação aos mesmos tratamentos a temperatura de 25ºC (40%). Para o IVG a mesma tendência de resposta foi observada, com exceção da luz branca, a qual não diferiu significativamente para ambas as temperaturas. Tanto as duas temperaturas avaliadas houve efeito significativo do espectro luminoso. Sob 10ºC a luz branca apresentou a menor %G (90%) e, juntamente com a luz vermelha, apresentaram menor IVG (3,4) em relação aos demais tratamentos (98% e 4,0 respectivamente). Já sob 25ºC a luz branca foi a que apresentou maior %G (74%) e maior valor de IVG (3,2), diferenciando-se estatisticamente dos demais espectros testados (33% e 2,2 respectivamente). Podemos concluir que a melhor condição para germinação de sementes T. caerulescens ocorre a 10ºC na ausência de luz..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (3) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Denise Cunha Fernandes dos Santos Dias - Integrante / Matheus Junqueira - Integrante / Kelly Teles Nascimento - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 2
2000 - 2004
Estudo da distribuição de fotoassimilados, produtividade e sabor dos frutos de tomateiro com e sem a poda apical e de cachos.

Descrição: Analisar o crescimento de uma planta é descrever e interpretar o desempenho de uma espécie crescendo em condições de ambiente natural ou controlado e fundamenta-se no fato de que ao crescerem, as plantas tem aumento irreversível de volume, com acúmulo de matéria orgânica. A análise de crescimento expressa as condições morfofisiológicas da planta e quantifica a produção líquida, que provém do processo fotossintético. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da poda e não poda do primeiro cacho e do ápice na distribuição de fotoassimilados, produtividade e sabor dos frutos na planta de tomate..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (2) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Rodolfo Araújo Loos - Integrante / Luiz Alexandre Peternelli - Integrante / Paulo Cézar Rezende Fontes - Integrante / Fabiano Ricardo Brunele Caliman - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 11


Projetos de extensão


2014 - Atual
Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias

Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (11) / Mestrado acadêmico: (4) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Manuel Filipe Nascimento Garcia - Integrante / Jean Paulo de Jesus Tello - Integrante / Juliana de Mesquita Camilo - Integrante / Ingrid Pinheiro Machado - Integrante / João Germano Gomes - Integrante / Sara Santos Cardoso - Integrante / Hozano de SOuza Lemos Neto - Integrante / Bruno do Nascimento Silva - Integrante / Benedito Pereira Lima Neto - Integrante / Felipe Rodrigues Costa Feitosa - Integrante / Sebastián Andrés Garita - Integrante / Olienaide Ribeiro de Oliveira Pinto - Integrante / Júlia Queirós Vieira - Integrante / Janiquelle as Silva Rabelo - Integrante / Sharon Gomes Ribeiro - Integrante / Romero Batista Araújo - Integrante.
2014 - Atual
Implantação de Horta Orgânica no Município de Cascavel-CE

Descrição: Este projeto visa a transferência de informações e tecnologias que visem a produção orgânica de hortaliças em propriedade rural situada no município de Cascável-CE..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / João Germano Gomes - Integrante.
2013 - 2013
A população de Guaraciaba do Norte e sua percepção em relação à problemática do lixo produzido no município

Descrição: A geração de resíduos sólidos pelo ser humano é constante. As recentes mudanças na forma de consumir e do que consumir, tem agravado ainda mais este problema, já que boa parte do resíduo atualmente produzido tem sua decomposição prejudicada pelos inúmeros processos industriais que acabam por conservar estes materiais. O município de Guaraciaba do Norte, localizado em Região de serra do Estado do Ceará, apresenta acúmulo grave de resíduos ao longo de todo o município. Baseado no expôsto, objetiva-se com este projeto levantar informações que possam subsidiar políticas públicas voltadas a coleta seletiva e reciclagem dos resíduos sólidos gerados neste município.O acúmulo deste material ao longo dos.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (10) / Mestrado acadêmico: (2) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador.
2013 - Atual
Projeto Rondon na UFC

Descrição: Orientação das atividades realizadas pelos alunos do curso de Agronomia, oriundas do Projeto Rondon na UFC (PREX.2012.PJ.0099).
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Antonio Francisco Carvalho Freitas Albuquerque - Integrante / Maria Gressy Soares de Farias - Integrante.
Número de orientações: 1
2012 - 2013
Desenvolvimento FASE III (Desincubação) do NESAS - Núcleo de Economia Solidária do Alto Solimões

Descrição: Atualmente, as discussões acerca do empreendedorismo e seus desdobramentos encontram-se em voga, devido principalmente às indicações que apontam ser o empreendedorismo um dos mais significativos fatores críticos de sucesso para o desenvolvimento econômico, geração de renda e riqueza para as nações. Devido a esses fatores críticos foram criados vários programas e órgãos de apoio à prática empreendedora. Dentre esses, pode-se citar as incubadoras de empresas que visam gerar um ambiente propício para o desenvolvimento de ações empreendedoras, através do incentivo à inovação. Neste sentido as Universidades devem estar envolvidas no cenário das mudanças que ocorrem na sociedade, refletindo sobre seu papel enquanto instituição questionada pela sociedade em que está inserida, assumindo novas funções como ator econômico e social. Dentro dessa concepção o NESAS Núcleo de Economia Solidária do Alto Solimões (projeto aprovado pelo MCT ) , com o objetivo de promover o desenvolvimento de uma cultura empreendedora, de maneira a fomentar a criação de empreendimentos inovadores e solidários, cujo principal insumo é o conhecimento produzido na universidade. A extensão proposta é o desenvolvimento da FASE III (fase da Desincubação), é o que chamamos propriamente de incubação. Nesta fase do processo inicia-se o desenvolvimento de capacidades no plano da gestão (capacitação administrativa) e do desenvolvimento tecnológico (capacitação técnica) tendo como eixo central para estas formulações a educação para cooperação que se iniciou na fase de pré-incubação (fase I ) (faseII ). Dentre as ações que serão desenvolvidas nesta etapa destaca-se as seguintes: Capacitação técnica; Capacitação administrativa; Elaboração do Estatuto e Regimento Interno do Empreendimento; Legalização do Empreendimento; Acompanhamento sistemático ou assessoria pontual para inserção e manutenção do Empreendimento no mercado e conquista da autonomia; Avaliação do grau de autonomia do grupo; construção de redes solidá.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (8) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Jonas Fernando Petry - Coordenador.
Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Cooperação.
2012 - 2012
Implementação de uma horta educativa como alternativa para alimentação e aprendizado dos detentos da Delegacia Prisional de Benjamin Constant, Amazonas

Descrição: As hortas domésticas, recreativas ou educativas não têm como principal objetivo a exploração agroeconômica da produção de hortaliças. Sua principal função é aprimorar a alimentação da família ou da comunidade através da obtenção de hortaliças de alta qualidade, produzidas com requinte artesanal e em pequena escala. Neste projeto é proposto o desenvolvimento de uma horta comunitária na delegacia prisional do município de Benjamin Constant. Esse trabalho não visa apenas o fornecimento de melhores condições de alimentação aos detentos, mas também possibilitar a eles, o aprendizado de uma nova atividade de trabalho, já que a proposta aqui desenvolvida é de que os próprios, juntamente aos alunos, serão os responsáveis pelo desenvolvimento das atividades de implantação física da horta. Como subsídio informacional, o coordenador da ação ajudará no planejamento físico da horta. Serão confeccionados cinco canteiros com tábuas de madeira, que serão preenchidos com terra e esterco. Nestes, serão conduzidas as seguintes culturas: alface, salsinha, tomate, pimentão e pimenta. Em condições de campo (sem canteiro), serão conduzidas: Mandioca, macaxeira, melancia e abóbora. Neste projeto os acadêmicos serão avaliados pela assiduidade, a capacidade de trabalho em grupo dos estudantes e a iniciativa frente as adversidades que surgirem..
Situação: Desativado; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (10) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador.
Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Auxílio financeiro.
2010 - 2013
Introdução e organização do processo de coleta seletiva de lixo na Mesorregião do Alto Solimões.

Descrição: A produção desenfreada de lixo e a forma inadequada de deposição deste em nossas cidades, é algo que precisa ser mudado imediatamente. Tímidos são os esforços dispendidos pelos gestores e educadores para mudar esta triste realidade. No entanto, esta triste realidade parece estar com seus dias contados. Durante os próximos quatro anos, as cidades brasileiras deverão sofrer profundas mudanças na forma com que gerem seus resíduos sólidos (lixo). Este é o prazo estipulado, de acordo com a nova Lei de Resíduos Sólidos (ainda sem número), para que o Distrito Federal, Cidades e Municípios deixem de lançar no meio ambiente o lixo produzido pelos seus habitantes. Dentre as inúmeras diretrizes da nova lei, a Educação Ambiental, a Coleta Diferenciada (nela caracterizada como coleta seletiva de lixo), a Destinação Final Ambientalmente Adequada e o Diagnóstico dos Resíduos Sólidos Produzidos, merecem destaque. Isso porque não é possível iniciar um novo processo, ainda desconhecido da maioria da população, sem que haja um período de educação e adaptação, em que novas formas e meios de lidar com o problema em questão devem ser demonstrados. A necessidade de se conhecer as informações básicas daquilo que é considerado o problema (lixo produzido) também é ponto primordial na etapa inicial de implantação da nova lei. Com o projeto em questão, esperamos iniciar um processo de educação ambiental, bem como levantar dados a respeito dos resíduos sólidos produzidos na cidade de Benjamin Constant, para auxiliar a Prefeitura local na adoção de novas formas de coleta e disposição dos resíduos sólidos produzidos na cidade..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (7) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / José Ribamar da Silva Nunes - Integrante / Leandro Ribeiro Monteiro - Integrante / Ana Carolina Souza Sampaio - Integrante / Tharcísio Santiago Cruz - Integrante / Jonas Fernando Petry - Integrante / Taciana de Carvalho Coutinho - Integrante / Thaysa Nogueira de Moura - Integrante / José Furtado de Miranda - Integrante / Shirlane Pantoja da Silva - Integrante / Jorge Luís de Freitas Lima - Integrante / Lisandra Vieira Rosas - Integrante / Tatiana Mariucha de Araújo Pantoja - Integrante / Elizângela Tourinho - Integrante / Manuel Filipe do Nascimento - Integrante / Poliana Almeida da Silva - Integrante / Samuel Almeida da Silva - Integrante / Jarluce Reina Jacauna - Integrante / Eyda Brundina Mesquita Gomes Lopes Maia - Integrante / Sebastião Melo Campos - Integrante.
Financiador(es): Ministério da Ciência e Tecnologia - Auxílio financeiro.Número de orientações: 1
2010 - 2013
Criação do Núcleo de Economia Solidária do Alto Solimões NESAS

Descrição: A Economia Solidária, tema atual em debate e discussão, vem se desenvolvendo intensivamente no Brasil, constituindo uma resposta de parte da sociedade civil à crise das relações de trabalho e ao aumento da exclusão social. A Economia Solidária constitui um conjunto de propostas que, atualmente, faz parte da agenda do Estado por meio da implantação de políticas governamentais (municipais, estaduais, e nacional) voltadas ao seu desenvolvimento. Nesse sentido, o Governo Federal, atendendo a solicitação de entidades e trabalhadores, criou em 2003, no âmbito do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), a Secretaria Nacional de Economia Solidária (Senaes). À medida que a Economia Solidária se apresenta como uma alternativa econômica das populações mais pobres e excluídas do mercado de trabalho é definida, muitas vezes, como uma economia popular solidária, e que deve ser vista como uma estratégia de enfrentamento da exclusão e da precarização do trabalho, sustentada em formas coletivas de geração de trabalho e renda, e articulada aos processos de desenvolvimento local participativos e sustentáveis. Portanto, as ações de qualificação para a Economia Solidária devem fortalecer, a princípio, o seu potencial de inclusão social e de sustentabilidade econômica, bem como sua dimensão emancipatória. Neste sentido, as Universidades devem estar envolvidas no cenário das mudanças que ocorrem na sociedade, refletindo sobre seu papel enquanto instituição questionada pela sociedade em que está inserida, assumindo novas funções como ator econômico e social. Assim, a perspectiva do NESAS se traduz na possibilidade da troca de conhecimento (acadêmico versus popular), de resgatar o saber acumulado dos/das trabalhadores/as e ressignificar determinados processos de produção e elaboração do trabalho e de gestão de negócios. Com base neste contexto e a partir de iniciativas locais, das comunidades, dos bairros, dos trabalhadores das cidades e do campo, o NESAS busca realizar, entre outras, a.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (8) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Agno Nonato Serrão Ascioli - Integrante / Tharcísio Santiago Cruz - Integrante / Jonas Fernando Petry - Coordenador / Jorge Luís de Freitas Lima - Integrante / Elizângela Tourinho - Integrante.
Financiador(es): Ministério da Ciência e Tecnologia - Auxílio financeiro / Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Cooperação.
2010 - 2011
Introduzindo o processo de coleta seletiva de lixo na mesorregião do Alto Solimões, AM

Descrição: A necessidade de se conhecer as informações básicas daquilo que é considerado o problema (lixo produzido) é ponto primordial na etapa inicial de implantação da nova lei de Resíduos Sólidos sancionada pelo então Presidente Luís Inácio Lula da Silva. Com o projeto em questão, foi iniciado um processo de educação e concientização ambiental, focando-se principalmente na introdução dos conceitos e mazelas referentes a produção de resíduos sólidos (Lixo). Tais resultados foram entregues a Prefeitura local com o objetivo de orientá-los na gestão diferenciada dos resíduos sólidos produzidos no município. Palestras e exibição de documentário também foram realizadas, tendo sido atingido um público de centenas de pessoas..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Mestrado acadêmico: (5) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / José Ribamar da Silva Nunes - Integrante / Leandro Ribeiro Monteiro - Integrante / Jonas Fernando Petry - Integrante / José Furtado de Miranda - Integrante / Shirlane Pantoja da Silva - Integrante / Jorge Luís de Freitas Lima - Integrante / Tatiana Mariucha de Araújo Pantoja - Integrante / Elizângela Tourinho - Integrante / Poliana Almeida da Silva - Integrante / Samuel Almeida da Silva - Integrante / Leny Almeida da Silva - Integrante.
Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Auxílio financeiro.
2009 - 2011
Profissionalização da cadeia produtiva da meliponicultura na Região do Alto Solimões, Amazonas, Brasil

Descrição: A meliponicuhura na região do Alto Solimões vem assumindo um papel de destaque na agricultura familiar. E seus produtos, por reunirem características econômicas, ecológicas e sociais que atendam as novas exigências do mercado mundial, apresentam um grande potencial para exportação. Mas, para que todo este potencial possa se efetivar é necessário que a cadeia produtiva passe por transformações de forma que o produto seja adequado aos padrões sanitários, físicos e químicos exigidos para comercialização. Estas transformações devem ser iniciadas com a qualificação dos produtores, através de cursos de capacitação que os preparem para: organizar a cadeia produtiva da meliponicultura, adequar as técnicas de coleta e processamento de mel, atender as eXigências dos orgãos de credenciamento, atender as eXigências do mercado consumidor, criar uma marca que possibilite a venda deste produto em outros mercados, reivindicar junto aos orgãos de fomento maior apoio e incentivos a esta atividade. De uma forma mais ambiciosa, este projeto visa em médio prazo trazer melhorias sócio-econômicas e ambientais em âmbito regional..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Agno Nonato Serrão Ascioli - Coordenador / José Ribamar da Silva Nunes - Integrante / Leandro Ribeiro Monteiro - Integrante / Ana Carolina Souza Sampaio - Integrante / Tharcísio Santiago Cruz - Integrante.
Financiador(es): Universidade Federal do Amazonas - UFAM - Outra / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.


Projetos de desenvolvimento


2013 - Atual
Fortalecimento da infra-estrutura dos programas de pós-graduação do CCA para estudos agroambientais

Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento.

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Márcio Cleber de Medeiros Corrêa - Coordenador.
Financiador(es): Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - Auxílio financeiro.
2005 - 2009
Construção de banco de mutantes de Thlaspi caerulescens e identificação de mutantes com menor tolerância ao metal pesado cádmio

Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada uma espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais pesados como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. Esta espécie tem sido usada em estudos de biologia molecular com o objetivo de se identificar os genes responsáveis por esta característica. A mutagênese química tem sido recomendada como a principal estratégia para a descoberta de novos genes responsáveis por esta capacidade de acumular e tolerar metais pesados nesta planta. Com o objetivo de se determinar qual a dosagem e o tempo de pré-embebição (PE) mais eficiente para a mutagênese de T. caerulescens, sementes desta espécie foram submetidas a diferentes doses de EMS (0,1%, 0,2% e 0,4%) sendo correlacionadas com diferentes tempos de PE (15h, 19h e 23h) em um experimento fatorial 3x3. Os tratamentos foram mantidos a temperatura de 20ºC e sob ausência de luz durante a PE. Os mesmos foram comparados ao controle (15h de PE em água deionizada). Foram avaliados: % plantas albinas, % plantas normais, porcentagem de germinação (%G) e índice de velocidade de germinação (IVG). Os resultados foram submetidos à análise da variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Doses de 0,10% de EMS promoveram redução de 26% na %G e 56% na IVG e apenas 31% de plantas anormais (23h), sendo 5% das plantas albinas. Doses de 0,20% de EMS promoveram redução de 35% na %G e 74% na IVG e 56 % de plantas anormais (23h), sendo 14% das plantas albinas Doses de 0,4% de EMS, a partir de 19 horas, provocaram redução de 49% na %G, 86% na IVG, 91% de plantas anormais. Embora maior taxa de mutagênese tenha sido obtida para o tratamento 0,4% EMS por 19 horas, houve grande número de plantas mutantes que não apresentaram desenvolvimento de raízes, ou posterior desenvolvimento da parte aérea. Sendo assim, o tratamento que permite a obtenção de maior número de plantas mutantes viáveis é aquele utilizando 0,2% EMS por 23h..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Coordenador / Andréa Miyasaka de Almeida - Integrante / Fábio Murilo da Matta - Integrante / Juraci Alves de Oliveira - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 2
2005 - 2006
Desenvolvimento de protocolo para a esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens

Descrição: Thlaspi caerulescens, considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+, têm sido utilizada em estudos de biologia molecular. No entanto, na geração de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de contaminação, germinação e baixo vigor vegetativo. Com o objetivo de desenvolver um protocolo eficiente para esterilização de sementes de T. caerulescens, submetemos sementes desta espécie a diferentes tratamentos com etanol (ETOH) e hipoclorito de sódio a 2% (HS), sendo eles: ETOH70% 1min + HS 15min, ETOH95% 1min + HS 15min, ETOH70% 3min + HS 15min, ETOH70% 5min + HS 15min, ETOH70% 1min + HS 30min, ETOH95% 1min + HS 30min, ETOH70% 3min + HS 30min, ETOH70% 5min + HS 30min, sendo estes comparados ao controle (sem esterilização). As sementes foram pré-embebidas em água deionizada estéril por 15h a 20ºC. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100 mol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de placas contaminadas (%PC), de germinação (%G) e de plântulas normais (%PN). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Todos os tratamentos foram eficientes em proporcionar a esterilização das sementes. A esterilização, em geral, resultou em um aumento da %G em torno de 7%. Foram observadas diferenças significativas para a %PN, sendo que a concentração de 95% de ETOH, independentemente do tempo de exposição ao HS, apresentou 87%PN contra 99% dos demais tratamentos incluindo o controle. Conclui-se que os tratamentos foram eficientes em promover a esterilização e a germinação das sementes, sendo preferível a utilização do tratamento com ETOH70% 1min + HS 15min, devido alta %G, %PN, eficiência na esterilização, menor gasto de material de consumo e menor tempo para a esterilização das sementes..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Valdir Diola - Integrante / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Webert Cardoso Ferreira - Integrante / Amanda Rodrigues Guimarães - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 2
2005 - 2006
Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens

Descrição: Thlaspi caerulescens é considerada espécie modelo para estudos em fitorremediação por acumular metais como Cd2+, Ni2+ e Zn2+. No entanto, no crescimento e desenvolvimento de plântulas in vitro, têm sido verificados problemas de baixo vigor vegetativo, e baixas taxas de crescimento e desenvolvimento. Com o objetivo de se determinar um meio de cultivo para a obtenção de plântulas vigorosas de T. caerulescens in vitro, semeou-se esta espécie em diferentes meios de cultivo preparados em um fatorial 2x4, dois tipos de gelificantes (ágar Sigma (A) e Gelrite (GR)) combinados com quatro concentrações do meio Murashige & Skoog (25, 50, 75 e 100%MS). A concentração de sacarose no meio variou na mesma proporção. As sementes foram pré-embebidas em água deionizada por 15h a 20ºC e esterilizadas. Posteriormente ficaram sob ausência de luz à 10ºC até que a germinação atingisse 50%. A fase de desenvolvimento se deu sob condição de fotoperíodo de 16h luz (100 mol.m-2s-1) à 25 ºC. Foram avaliados: porcentagem de germinação (%G), número de folhas (NF), comprimento total (CT), da parte aérea (CA), da raiz (CR), matéria seca total (MT), da parte aérea (MA) e da raiz (MR). Os resultados foram submetidos à análise de variância simples e comparados pelo teste Tukey ao nível de 5% de significância. Não houve diferença entre os tratamentos para a %G (100%). O tratamento GR25%MS resultou em maiores valores para NF (9), MT (9,4 mg), MA (8,1 mg) e MR (1,3 mg). Ao avaliarmos as diferentes concentrações utilizadas, fazendo-se o uso do gelificante GR, verificamos que, em geral, ocorrem reduções nos parâmetros NF, MST, MA e MR quando aumentados o teor de MS e sacarose. Estes resultados mostram que há diferença no crescimento e desenvolvimento das plântulas quando submetidas a diferentes tipos de gelificantes, sendo que o GR mostrou ser mais eficiente, e que as presenças de menores concentrações de meio MS proporcionaram melhor crescimento das plântulas in vitro..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Téssio Araújo de Santana - Integrante / Marcelo Ehlers Loureiro - Integrante / Tiago de Sá Cardoso - Integrante / Antônio Teixeira Cordeiro - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 2
2002 - 2004
Desenvolvimento de um modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro.

Descrição: Desenvolveu-se um modelo agrometeorológico para simular o crescimento e produtividade da cultura do tomateiro. O modelo foi desenvolvido em três partes: na primeira parte foram computados os ganhos energéticos diários, representados pela fotossíntese; Na segunda parte as perdas do sistema relativas à respiração de manutenção e crescimento; Na terceira parte, procurou-se estabelecer as relações com incremento da área foliar, isto foi possível após o estabelecimento do incremento diário de matéria seca para as diversas partes da planta. Foram levadas em consideração interações meteorológicas e o estádio de desenvolvimento da planta em relação ao acúmulo de graus-dia. Após isto, foi simulado o acúmulo de matéria seca total da planta, da haste principal, das folhas e dos frutos. Os diferentes módulos considerados no modelo proposto foram capazes de representar adequadamente o crescimento e acúmulo de matéria seca nos diversos órgãos do tomateiro. Até 99 dias após semeadura (DAS), os valores observados e simulados foram similares. Após os 99 DAS foi verificado no modelo acréscimo contínuo de matéria seca em todos os órgãos das plantas, enquanto no experimento de campo foi verificado acréscimo de matéria seca somente para os frutos e haste..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) .

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Coordenador / Luiz Cláudio Costa - Integrante / Deborah de Souza Vidigal - Integrante / Gabriel José Massoni de Andrade - Integrante / José Delfino Sampaio Júnior - Integrante / Derly José Henriques da Silva - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 3


Outros Projetos


2013 - Atual
Contribuições ao conhecimento científico da Região Amazônica: O fortalecimento de um grupo de pesquisa

Situação: Em andamento; Natureza: Outra.

Integrantes: Marcelo de Almeida Guimarães - Integrante / José Furtado de Miranda - Integrante / Ronaldo de Almeida - Coordenador.
Financiador(es): Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas - Auxílio financeiro.


Revisor de periódico


2008 - Atual
Periódico: Revista Tropica - Ciencias Agrarias e Biologicas
2011 - Atual
Periódico: Revista Ceres
2011 - Atual
Periódico: International Research Journal of Agricultural Science
2012 - Atual
Periódico: Horticultura Brasileira (Impresso)
2012 - Atual
Periódico: Revista de la Facultad de Agronomía (La Plata)
2012 - Atual
Periódico: Revista de Ciências Agrárias (Belém)
2013 - Atual
Periódico: Journal of Hazardous Materials (Print)


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia/Especialidade: Manejo e Tratos Culturais.
2.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Florestais e Engenharia Florestal / Subárea: Produção de Mudas.
3.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia/Especialidade: Melhoramento Vegetal.
4.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fisiologia Vegetal/Especialidade: Nutrição Vegetal.
5.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fisiologia Vegetal.
6.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Enxertia.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Prêmios e títulos


2014
Melhores práticas na Assitência Social, Secretaria de Desenvolvimento Social de Caucaia.
2012
Mensão Honrosa, Universidade Federal do Amazonas.
2011
Moção de Agradecimento e Reconhecimento, Câmara Municipal de Benjamin Constant.
2010
Trabalho Destaque 50o CBO, Associação Brasileira de Horticultura e INCAPER.
2010
Honra ao Mérito, Universidade Federal do Amazonas.
2009
Doutor em Fisiologia Vegetal, Universidade Federal de Viçosa.
2004
Mestre em Fitotecnia, Universidade Federal de Vicosa.
2002
Engenheiro Agronomo, Universidade Federal de Vicosa.
1999
Menção Honrosa, Universidade Federal de Viçosa.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
MATTEDI, A. P.2014MATTEDI, A. P. ; GUIMARÃES, M. A. ; NICK, C. ; SILVA, D. J. H. ; PUIATTI, M. ; CARNEIRO, P. C. S. . Genetic divergence of tomato subsamples. Revista Ceres, v. 61, p. 70-76, 2014.

2.
GUIMARÃES, M. A.2014GUIMARÃES, M. A. ; FEITOSA, F. R. C. . Rabanete: condições ideiais para o cultivo. Revista Campo & Negócios HF, v. 2014, p. 6-9, 2014.

3.
GUIMARÃES, M. A.2014GUIMARÃES, M. A. ; FEITOSA, F. R. C. ; TELLO, J. P. J. ; GARCIA, M. F. N. . Cubiu é novidade no mercado. Revista Campo & Negócios HF, v. 2014, p. 60-62, 2014.

4.
MIRANDA, J. F.2013MIRANDA, J. F. ; BATISTA, I. M. P. ; TUCCI, C. A. F. ; ALMEIDA, N. O. ; GUIMARÃES, M. A. . Substrato para produção de mudas de macacaúba (Platymiscium ulei Harms) no município de Autazes, AM. http://dx.doi.org/10.5902/198050987550, v. 23, p. 555-562, 2013.

5.
GUIMARÃES, M. A.2013GUIMARÃES, M. A. ; TELLO, J. P. J. ; DAMASCENO, L. A. ; VIANA, C. dos S. ; MONTEIRO, L. R. . Pré-embebição de sementes e seus efeitos no crescimento e desenvolvimento de plântulas de melancia. Revista Ceres, v. 60, p. 442-446, 2013.

6.
GUIMARÃES, M. A.2013GUIMARÃES, M. A. ; LOUREIRO, M. E. ; SALT, D. E. . Inducing flowering in Noccaea caerulescens (J. & C. Presl) F. K. Mey (Brassicaceae), a species having high heavy-metal accumulation. Revista Ciência Agronômica (UFC. Online), v. 44, p. 834-841, 2013.

7.
GUIMARÃES, M. A.2012GUIMARÃES, M. A. ; GARCIA, M. F. N. ; DAMASCENO, L. A. ; VIANA, C. dos S. . Production of cocona and jurubeba seedlings in different types of containers. Horticultura Brasileira (Impresso), v. 30, p. 720-725, 2012.

8.
GUIMARÃES, M. A.2011GUIMARÃES, M. A. ; MANDELLI, M. S. ; SILVA, D. J. H. . Seleção de genótipos de Lactuca sativa L. Para a produção com adubação orgânica. Revista Ceres, v. 58, p. 202-207, 2011.

9.
MATTEDI, A. P.2011MATTEDI, A. P. ; GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. ; CALIMAN, F. R. B. ; MARIM, B. G. . Qualidade dos frutos de genà tipos de tomateiro do banco de germoplasma de hortalià as da Universidade Federal de Vià osa. Revista Ceres, v. 58, p. 525-530, 2011.

10.
GUIMARÃES, M.A.2010GUIMARÃES, M.A. ; VIDIGAL, D. S. ; LOUREIRO, M. E. ; DIAS, D. C. F. S. ; GUIMARÃES, A. R. . Influência de temperatura, luz e giberelina na germinação de sementes de Thlaspi caerulescens J. Presl & C. Presl (Brassicaceae). Revista Ceres, v. 57, p. 372-376, 2010.

11.
SAMPAIO JÚNIOR, J. D.2009SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; FONTES, P. C. R. ; GUIMARÃES, M. A. ; MOREIRA, M. A. . Produção de mini-tubérculos de batata propagada por brotos, em função de doses de nitrogênio aplicadas ao substrato. Bioscience Journal (UFU), v. 25, p. 75-82, 2009.

12.
GUIMARÃES, M. A.2009GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. ; PETERNELLI, L. A. ; FONTES, P. C. R. . Distribuição de fotoassimilados em tomateiro com e sem a retirada do primeiro cacho. Bioscience Journal (UFU), v. 25, p. 83-92, 2009.

13.
VIEIRA, A.2009VIEIRA, A. ; GUIMARÃES, M. A. ; DAVID, G. ; KARSBURG, I. ; CAMPOS, A. N. R. . Efeito genotóxico da infusão de capítulos florais de camomila. Revista Trópica - Ciências Agrárias e Biológicas, v. 3, p. 8-13, 2009.

14.
GUIMARÃES, M. A.2009GUIMARÃES, M. A. ; GUSTIN, J. ; SALT, D. E. . Reciprocal grafting separates the roles of the root and shoot in zinc hyperaccumulation in Thlaspi caerulescens. New Phytologist (Print), v. 184, p. 323-329, 2009.

15.
GUIMARÃES, M. A.2008GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. ; FONTES, P. C. R. ; MATTEDI, A. P. . Produtividade e sabor dos frutos de tomate do grupo salada em função de podas. Bioscience Journal (UFU), v. 24, p. 32-38, 2008.

16.
SAMPAIO JÚNIOR, J. D.2008SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; FONTES, P. C. R. ; MOREIRA, M. A. ; GUIMARÃES, M. A. . Produção de mini-tubérculo semente de batata, em função de doses de nitrogênio aplicadas ao substrato. Bioscience Journal (UFU), v. 24, p. 1-9, 2008.

17.
GUIMARÃES, M. A.2008GUIMARÃES, M. A. ; DIAS, D. C. F. S. ; LOUREIRO, M. E. . Hidratação de sementes. Revista Trópica - Ciências Agrárias e Biológicas, v. 1, p. 31-39, 2008.

18.
FONTES, P. C. R.2008FONTES, P. C. R. ; SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; MOREIRA, M. A. ; GUIMARÃES, M. A. ; PUIATTI, M. ; LANI, E. . Produção de mini-tubérculos de batata-semente em função de doses de nitrogênio aplicadas ao substrato. Horticultura Brasileira (Impresso), v. 26, p. 116-120, 2008.

19.
GUIMARÃES, M. A.2008GUIMARÃES, M. A. ; SANTANA, T. A. ; SILVA, E. ; ZENZEN, I. L. ; LOUREIRO, M. E. . Toxicidade e tolerância ao cádmio em plantas. Revista Trópica - Ciências Agrárias e Biológicas, v. 2, p. 58-68, 2008.

20.
GUIMARÃES, M. A.2007GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. ; FONTES, P. C. R. ; CALIMAN, F. R. B. ; LOOS, R. A. ; STRINGHETA, P. C. . Produção e sabor dos frutos de tomateiro submetidos a poda apical e de cachos florais. Horticultura Brasileira (Impresso), v. 25, p. 265-269, 2007.

21.
ABREU, F. B.2006ABREU, F. B. ; SILVA, D. J. H. ; MARIM, B. G. ; CARNEIRO, P. C. S. ; JUHÁSZ, A. C. P. ; LUCA, C. A. C. ; VALENTE, R. F. ; GUIMARÃES, M. A. . Minimum number and best combinations of harvests to evaluate accessions of tomato plants from germplasm banks. Genetics and Molecular Biology (Impresso), v. 29, n.n.1, p. 112-116, 2006.

22.
GUIMARÃES, M. A.2006GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. ; COSTA, L. C. ; VIDIGAL, D. S. ; SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; ANDRADE, G. J. M. . Modelo computacional para simular o crescimento e produtividade potencial da cultura do tomateiro. Revista Brasileira de Agrometeorologia, v. 14, p. 353-363, 2006.

23.
MARIM, B. G.2005MARIM, B. G. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, M. A. ; BELFORT, G. . Sistemas de tutoramento e condução do tomateiro visando produção de frutos para consumo in natura. Horticultura Brasileira (Impresso), Horticultura Brasileira, v. 23, n.4, p. 951-955, 2005.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
GUIMARÃES, M. A. . Produção de Melancia. 1. ed. Viçosa: UFV, 2013. v. 1. 144p .

Capítulos de livros publicados
1.
GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, L. A. . Diagnóstico quali-quantitativo dos resíduos sólidos (lixo) urbano produzidos no município de Benjamin Constant, Alto Solimões- AM. In: Maria do Perpétuo Socorro Rodrigues Chaves; Jozane Lima Santiago. (Org.). Inovação, Desenvolvimento e Sustentabilidade na Amazônia. 1ed.Manaus: EDUA, 2013, v. 1, p. 125-154.

2.
TAKANE, R. J. ; YANAGISAWA, S. S. ; GÓIS, E. A. ; GUIMARÃES, M. A. . Matéria prima tradicional. In: Roberto Jun Takane; Sergio Shoji Yanagisawa; Elias de Assis Góis. (Org.). Técnicas em substratos para a floricultura. 1ed.Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2013, v. 1, p. 41-51.

3.
TAKANE, R. J. ; GUIMARÃES, M. A. ; YANAGISAWA, S. S. ; GÓIS, E. A. ; ARAUJO, A. . Produção, manejo e transplante das plântulas. In: Roberto Jun Takane; Sergio Shoji Yanagisawa; Elias de Assis Góis. (Org.). Técnicas em substratos para a floricultura. 1ed.Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2013, v. 1, p. 115-125.

4.
PETRY, J.F. ; GUIMARÃES, M. A. . O cultivo de melancia no Brasil em números. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 27-43.

5.
VIANA, C. dos S. ; MOURA, T.N. ; GUIMARÃES, M. A. . Descrição e classificação botânica. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 44-51.

6.
GUIMARÃES, M. A. ; GARCIA, M. F. N. ; PETRY, J.F. ; SOUZA, E. G. . Principais cultivares. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 52-57.

7.
GUIMARÃES, M. A. ; SOUZA, E. G. . Desenvolvimento da cultura: condições climáticas e época de plantio. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 58-62.

8.
DAMASCENO, L. A. ; MIRANDA, J. F. ; GUIMARÃES, M. A. ; SOUZA, E. G. . O solo e seu preparo. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 63-68.

9.
DAMASCENO, L. A. ; MIRANDA, J. F. ; GUIMARÃES, M. A. . Calagem e adubação: fornecendo alimentos para as plantas. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 69-74.

10.
GUIMARÃES, M. A. ; TELLO, J. P. J. ; MONTEIRO, L. R. . Plantio e espaçamento. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 75-82.

11.
GUIMARÃES, M. A. ; SOUZA, E. G. . Irrigação: o manejo da água. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 83-91.

12.
GUIMARÃES, M. A. ; SOUZA, E. G. ; VIANA, C. dos S. . Tratos culturais. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 92-96.

13.
ASCIOLI, A. N. S. ; GUIMARÃES, M. A. ; SOUZA, E. G. . Principais pragas da cultura. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 97-105.

14.
GUIMARÃES, M. A. . Distúrbios fisiológicos. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 119-122.

15.
GUIMARÃES, M. A. ; JUNQUEIRA, M. ; SOUZA, E. G. . Colheita, transporte e conservação pós-colheita. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 123-129.

16.
CALIMAN, F. R. B. ; GUIMARÃES, M.A. ; MATTEDI, A. P. ; SILVA, D. J. H. ; ALVES, D. P. ; CARDOSO, T. S. . Produção de tomate em ambiente protegido. In: Derly José Henriques da Silva; Francisco Xavier Ribeiro do Vale. (Org.). Tomate: Tecnologia de Produção. Visconde do Rio Branco: Suprema Gráfica e Editora, 2007, v. , p. 283-317.

17.
GUIMARÃES, M.A. ; CALIMAN, F. R. B. ; SILVA, D. J. H. ; FLORES, M. P. ; ELSAYED, A. Y. A. M. . Exigências climáticas da cultura do tomateiro. In: Derly José Henriques da Silva; Francisco Xavier Ribeiro do Vale. (Org.). Tomate: Tecnologia de Produção. 1ed.Visconde do Rio Branco: Suprema gráfica e editora, 2007, v. , p. 85-99.

18.
GUIMARÃES, M.A. ; CALIMAN, F. R. B. ; SILVA, D. J. H. ; MARIM, B. G. ; SOUZA, J. B. . Tratos culturais em tomateiro. In: Derly José Henriques da Silva; Francisco Xavier Ribeiro do Vale. (Org.). Tomate: Tecnologia de Produção. Visconde do Rio Branco: Suprema gráfica e editora, 2007, v. , p. 101-115.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
LIMA, E. N. ; MACHADO, I. P. ; LIMA, J. S. ; GUIMARÃES, M. A. ; TAKANE, R. J. . Efeito de diferentes dosagens de GA3 na pós-colheita de coentro. In: Encontros Científicos 2013 - XIX Encontro de Iniciação à Pesquisa, 2013, Fortaleza. Encontros Científicos. Fortaleza: UNIFOR, 2013. v. 1. p. 1-13.

2.
LIMA, I. B. ; LIMA, E. N. ; SANTOS, A. B. ; LIMA, J. S. ; TAKANE, R. J. ; GUIMARÃES, M. A. . Efeito de diferentes dosagens de GA3 na pós-colheita de coentro e cebolinha. In: XVIII Semana Universitária - 18 anos: Socialização do ensino, da pesquisa e da extensão, 2013, Fortaleza. Anais da Semana Universitária. Fortaleza: UECE, 2013. v. 1. p. 1-13.

3.
LIMA, I. B. ; LIMA, E. N. ; LIMA, J. S. ; TAKANE, R. J. ; GUIMARÃES, M. A. . Efeito de GA3 e da temperatura na pós-colheita de cebolinha. In: Encontros Científicos 2013 - XIII Encontro de Pós-graduação e Pesquisa, 2013, Fortaleza. XIII Encontro de Pós-graduação e Pesquisa. Fortaleza: UNIFOR, 2013. v. 1. p. 1-5.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
TELLO, J. P. de J. ; GARCIA, M. F. N. ; GARITA, S. A. ; FEITOSA, F. R. C. ; GUIMARÃES, M. A. . Métodos de enxertia na produção de mudas de tomateiro no Estado do Ceará. In: 53 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2014, Palmas. Anais do 53o Congresso Brasileiro de Olericultura. Brasília: Horticultura Brasileira, 2014. v. 1. p. 1-8.

2.
RODRIGUES, A. A. J. ; GUIMARÃES, M. A. ; CARVALHO, A. C. P. P. ; TAKANE, R. J. . Auxinas e fotoperíodo na multiplicação in vitro de orquídea (Catleya labiata Lindl.). In: I Simpósio Brasileiro de Cultivo de Orquídeas, 2013, Fortaleza. I Simpósio Brasileiro de Cultivo de Orquídeas. Fortaleza: UFC, 2013. v. 1. p. 59-61.

3.
RODRIGUES, A. A. J. ; GUIMARÃES, M. A. ; CARVALHO, A. C. P. P. ; TAKANE, R. J. . Multiplicação in vitro de orquídea (Cattleya labiata Lindl.) com diferentes citocininas e fotoperíodo. In: I Simpósio Brasileiro de Cultivo de Orquídeas, 2013, Fortaleza. I Simpósio Brasileiro de Cultivo de Orquídeas. Fortaleza: UFC, 2013. v. 1. p. 62-64.

4.
VIEIRA, A. F. ; RODRIGUES, A. A. J. ; TORRES, R. A. ; GUIMARÃES, M. A. ; TAKANE, R. J. . Efeito de diferentes substratos e ambientes no enraizamento de folíolos de Zamioculca [Zamioculca zamiifolia (Lodd.)]. In: VIIII Congresso Brasileiro de Agroecologia - Cuidando da Saúde do Planeta, 2013, Porto Alegre. Resumos do VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia. Porto Alegre: Cadernos de Agroecologia, 2013. v. 8. p. 1-5.

5.
TELLO, J. P. J. ; GUIMARÃES, M. A. ; SOUZA, E. I. A. ; BOHORQUEZ, A. C. C. . Principais hortaliças comercializadas na tríplice fronteira Brasil-Peru-Colômbia e suas origens. In: 52 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2012, Salvador. Anais 52 Congresso Brasileiro de Olericultura (CD ROM), 2012. p. 1-8.

6.
SOUZA, E. I. A. ; GUIMARÃES, M. A. ; TELLO, J. P. J. ; BOHORQUEZ, A. C. C. . Caracterização sócio-econômica dos vendedores de hortaliças em Tabatinga-AM. In: 52 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2012, Salvador. Anais 52 Congresso Brasileiro de Olericultura (CD ROM), 2012. p. 1-8.

7.
GUIMARÃES, M. A. ; SOARES, M. V. ; GARBELLINI, E. ; GARCIA, M. F. N. ; BARROS, E. C. A. ; SOUZA, A. A. . Inovação participativa na agricultura familiar do Município de Benjamin Constant, no Amazonas. In: 64 Reunião Anual da SBPC, 2012, São Luís. Anais 64 Reunião Anual da SBPC, 2012.

8.
DAMASCENO, L. A. ; GUIMARÃES, M. A. ; GARCIA, M. F. N. ; VIANA, C. dos S. . Efeito de diferentes tipos de substratos em plântulas de Solanum sessiliflorum Dunal. In: 51 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2011, Viçosa. Congresso Brasileiro de Olericultura, 51, 2011. p. 1-8.

9.
DAMASCENO, L. A. ; GUIMARÃES, M. A. ; GARCIA, M. F. N. ; VIANA, C. dos S. . Efeito do tamanho do recipiente sobre o desenvolvimento de mudas de cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal). In: 51 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2011, Viçosa. Congresso Brasileiro de Olericultura, 51, 2011.

10.
VIANA, C. dos S. ; GUIMARÃES, M. A. ; TELLO, J. P. de J. ; DAMASCENO, L. A. . Diferentes profundidades de semeadura e substratos na produção de plântulas de cubiu (Solanum sessiliflorum). In: 51 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2011, Viçosa. Congresso Brasileiro de Olericultura, 51, 2011.

11.
GUIMARÃES, M. A. ; MANDELLI, M. S. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, A. R. . Concentração de ferro em folhas de diferentes genótipos de alface. In: 51 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2011, Viçosa. Congresso Brasileiro de Olericultura, 51, 2011.

12.
TELLO, J. P. de J. ; GUIMARÃES, M. A. ; DAMASCENO, L. A. ; GUIMARÃES, A. R. ; VIANA, C. dos S. . Pré-embebição de sementes e seus efeitos em características de crescimento e desenvolvimento de plântulas de Citrullus lanatus L.. In: 51 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2011, Viçosa. Congresso Brasileiro de Olericultura, 51, 2011.

13.
GUIMARÃES, M. A. ; BOHORQUEZ, A. C. C. ; DAMASCENO, L. A. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, A. R. . Caracterização morfológica de genótipos de alface crescidos e desenvolvidos sob as condições Amazônicas. In: 51 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2011, Viçosa. Congresso Brasileiro de Olericultura, 51, 2011.

14.
DAMASCENO, L. A. ; GUIMARÃES, M. A. ; GUIMARÃES, A. R. . Produtividade de beterraba em função de doses de nitrogênio. In: 51 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2011, Viçosa. Congresso Brasileiro de Olericultura, 51, 2011.

15.
DAMASCENO, L. A. ; GUIMARÃES, M. A. ; BOHORQUEZ, A. C. C. ; GUIMARÃES, A. R. . Desempenho de cultivares de alface na mesorregião do Alto Solimões, Amazonas. In: 51 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2011, Viçosa. Congresso Brasileiro de Olericultura, 51, 2011.

16.
DAMASCENO, L. A. ; GUIMARÃES, M. A. ; SANTOS, G. F. D. . Desempenho de cultivares de alface na mesorregião do Alto Solimões, Amazonas. In: Anais da Iniciação Científica, 2011, Manaus. Igapó (CEFET-AM). Manaus: Igapó - Revista de Educação, Ciência e Tecnologia do IFAM, 2011. v. 1. p. 127-130.

17.
GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. . Seleção de genótipos de Lactuca sativa L. para a produção em sistema orgânico. In: 50 Congresso Brasileiro de Olericultura: 50 anos contribuindo para a saúde da população brasileira, 2010, Guarapari - Espírito Santo. Horticultura Brasileira, 2010. v. 1. p. 1-8.

18.
GUIMARÃES, M.A. ; SILVA, D. J. H. ; ALVES, D. P. ; PETERNELLI, L. A. . Efeito da poda do primeiro cacho na area foliar de plantas de tomate. In: 47 Congresso Brasileiro de Olericultura e IV Simpósio Brasileiro Sobre Cucurbitáceas: Resgatando e valorizando as hortaliças subutilizadas, 2007, Porto Seguro - Bahia. Horticultura Brasileira. Brasília: Sociedade de Olericultura do Brasil, 2007. v. 25.

19.
GUIMARÃES, M.A. ; ALVES, D. P. ; SILVA, D. J. H. ; PETERNELLI, L. A. . Efeito da poda do primeiro cacho no número de folhas e frutos de plantas de tomate. In: 47 Congresso Brasileiro de Olericultura e IV Simposio Brasileiro sobre Cucurbitaceas, 2007, Porto Seguro - Bahia. Horticultura Brasileira. Brasilia: Sociedade de Olericultura do Brasil, 2007. v. 25.

20.
GUIMARÃES, M.A. ; SILVA, D. J. H. ; COSTA, L. C. ; MATTEDI, A. P. . Análise de crescimento e desenvolvimento da cultura do tomateiro. In: XLVI Congresso Brasileiro de Olericultura, 2006, Goiânia. Horticultura Brasileira, 2006. v. 24. p. 599-602.

21.
GUIMARÃES, M.A. ; SILVA, D. J. H. ; COSTA, L. C. ; MATTEDI, A. P. . Modelo de análise de produtividade da cultura do tomateiro. In: XLVI Congresso Brasileiro de Olericultura, 2006, Goiânia. Horticultura Brasileira, 2006. v. 24. p. 973-976.

22.
MATTEDI, A. P. ; MARIM, B. G. ; GUIMARÃES, M.A. ; MAGALHÃES, R. M. C. ; ALMEIDA, V. S. ; SILVA, D. J. H. . Divergência genética entre acessos de tomateiro baseada em dados de produção e fatores de perdas em frutos. In: XLVI Congresso Brasileiro de Olericultura, 2006, Goiânia. Horticultura Brasileira, 2006. v. 24. p. 1516-1519.

23.
MATTEDI, A. P. ; CALIMAN, F. R. B. ; MOREIRA, G. R. ; SOARES, B. O. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, M.A. ; MARIM, B. G. . Diversidade genética entre acessos de tomateiro do banco de germoplasma de hortaliças da Universidade Federal de Viçosa e cultivares comerciais quanto à qualidade dos frutos. In: 44 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2004, Campo Grande. Horticultura Brasileira, 2004. v. 22.

24.
GUIMARÃES, M.A. ; CALIMAN, F. R. B. ; SILVA, D. J. H. ; MARIM, B. G. ; MATTEDI, A. P. . Produção e sabor do tomate em função da desponta e desbaste de cachos em tomateiro do grupo salada. In: 44 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2004, Campo Grande. Horticultura Brasileira, 2004. v. 22.

25.
MARIM, B. G. ; JUHÁSZ, A. C. P. ; SILVA, D. J. H. ; MATTEDI, A. P. ; SOARES, B. O. ; GUIMARÃES, M.A. ; ABREU, F. B. . Divergência genética de acessos de tomateiro do banco de germoplasma de hortaliças da UFV em relação a fatores de perdas em frutos. In: 44 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2004, Campo Grande. Revista da Sociedade de Olericultura do Brasil, 2004. v. 22. p. 409-410.

26.
MATTEDI, A. P. ; SOARES, B. O. ; MARIM, B. G. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, M.A. ; ABREU, F. B. . Caracterização e diversidade genética entre acessos de tomateiro do banco de germoplasma de hortaliças da UFV em relação a caracteres de fruto. In: 44 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2004, Campo Grande. Horticultura Brasileira, 2004. v. 22.

27.
GUIMARÃES, M.A. ; CALIMAN, F. R. B. ; SILVA, D. J. H. ; MATTEDI, A. P. ; MARIM, B. G. . Produção e sabor de tomate em função da desponta e desbaste de cachos em tomateiro do grupo Santa Cruz. In: 44 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2004, Campo Grande. Horticultura Brasileira, 2004. v. 22.

28.
SILVA, M. C. C. S. ; GUIMARÃES, M.A. ; SILVA, J. ; BACCI, L. ; POSSANI, J. M. . Influência de doses do íon cloreto no crescimento e desenvolvimento do tomateiro em solo e solução nutritiva. In: 44 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2004, Campo Grande. Horticultura Brasileira, 2004. v. 22.

29.
GUIMARÃES, M.A. ; LUCA, C. A. C. ; SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; MARIM, B. G. ; SILVA, D. J. H. . Análise de métodos de condução de tomateiro visando maximizar a produção de frutos do Grupo Santa Cruz. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira. BRASÍLIA, 2002. v. 20.

30.
CALIMAN, F. R. B. ; LUCA, C. A. C. ; GUIMARÃES, M.A. ; STRINGHETA, P. C. ; SILVA, D. J. H. ; MOREIRA, M. A. . Avaliação da qualidade de frutos de tomate produzidos em diferentes sistemas de condução de plantas. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de HorticulturaLatino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, 2002. v. 20.

31.
RIBEIRO, F. ; GUIMARÃES, M.A. ; DIAS, A. P. S. ; SILVA, D. J. H. ; DIAS, D. C. F. S. . Correlação entre produção de sementes e tamanho de frutos de tomate, variedade Fanny do grupo salada. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, 2002. v. 20.

32.
ABREU, F. B. ; MARIM, B. G. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, M.A. ; LUCA, C. A. C. ; FAGUNDES, R. . Determinação da divergência genética entre acessos de tomateiro mediante a utilização de variáveis multicategóricas. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, 2002. v. 20.

33.
MARIM, B. G. ; ABREU, F. B. ; SILVA, D. J. H. ; SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; GUIMARÃES, M.A. ; LUCA, C. A. C. . Dissimilaridade entre 34 acessos de tomateiro do Banco de Germoplasma de hortaliças da UFV, utilizando características da fase vegetativa e de produção. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, 2002. v. 20.

34.
MARIM, B. G. ; ABREU, F. B. ; GUIMARÃES, M.A. ; BELFORT, G. ; SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; SILVA, D. J. H. . Divergência genética entre 30 acessos de tomateiro do Banco de Germoplasma de Hortaliças da UFV, na fase de plântula. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, 2002. v. 20.

35.
ABREU, F. B. ; MARIM, B. G. ; MANDELLI, M. S. ; GUIMARÃES, M.A. ; BELFORT, G. ; SILVA, D. J. H. . Divergência genética entre acessos de tomateiro do Banco de Germoplasma de Hortaliças da UFV, baseada em descritores de fruto. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, 2002. v. 20.

36.
MARIM, B. G. ; ABREU, F. B. ; FERREIRA JÚNIOR, W. ; GUIMARÃES, M.A. ; SEDYAMA, M. A. N. ; SILVA, D. J. H. . Estimativas de correlações entre caractéres morfoagronômicos em tomateiro. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, 2002. v. 20.

37.
MARIM, B. G. ; ABREU, F. B. ; GUIMARÃES, M.A. ; BARRETO, A. ; MARTINS, C. ; SILVA, D. J. H. . Estimativas de efeitos diretos e indiretos de caracteres relacionados com a produção de tomate. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, 2002. v. 20.

38.
ABREU, F. B. ; MARIM, B. G. ; GUIMARÃES, M.A. ; ALVES, M. ; VALENTE, R. F. ; SILVA, D. J. H. . Estimativas de parâmetros genéticos em acessos de tomateiro do Banco de Germoplasma de Hortaliças da UFV. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, 2002. v. 20.

39.
ABREU, F. B. ; MARIM, B. G. ; GUIMARÃES, M.A. ; SILVA, D. J. H. ; LUCA, C. A. C. ; VALENTE, R. F. . Importância relativa das características vegetativas e de produção para discriminação de acessos de tomateiro do banco de germoplasma de hortaliças da Universidade Federal de Viçosa. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, 2002. v. 20.

40.
ABREU, F. B. ; MARIM, B. G. ; SEDYAMA, M. A. N. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, M.A. ; ALVES, M. . Importância relativa dos descritores de fruto para discriminação de acessos de tomate do Banco de Germoplasma de Hortaliças da UFV. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, 2002. v. 20.

41.
MARIM, B. G. ; SILVA, D. J. H. ; ABREU, F. B. ; GUIMARÃES, M.A. ; VALENTE, R. F. ; ALVES, M. . Número mínimo de colheitas em tomateiro estimado por meio do coeficiente de repetibilidade. In: 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura, 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, 2002. v. 20.

42.
MARIM, B. G. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, M.A. ; BELFORT, G. ; TEIXEIRA, M. B. . Sistemas de condução de tomateiro visando produção na primavera-verão. In: 41 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2001, Brasília. Horticultura Brasileira, 2001. v. 19.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
TORRES, R. A. ; VIEIRA, A. F. ; RODRIGUES, A. A. J. ; GUIMARÃES, M. A. ; TAKANE, R. J. . Resíduos agroindustriais como substrato para aclimatização do híbrido Blc. ´California Girl`, em cultivo protegido. In: I Simpósio Brasileiro de Cultivo de Orquídeas, 2013, Fortaleza. I Simpósio Brasileiro de Cultivo de Orquídeas, 2013. v. 1. p. 21-21.

2.
SILVA, B. N. ; CAMILO, J. de M. ; FARIAS, M. G. S. ; LIMA NETO, B. P. ; GUIMARÃES, M. A. . Implantação de horta demonstrativa/pedagógica em escolas públicas no município de Reriutaba/CE. In: XXII Encontro de Extensão, 2013, Fortaleza. Encontros Universitários. Fortaleza: UFC, 2013. v. 1. p. 1-1.

3.
SILVA, V. B. ; BRASIL, S. O. S. ; MIRANDA, F. R. ; SILVA, C. F. B. ; GUIMARÃES, M. A. . Incidência de pestalotiopsis em duas culturas de morangueiro. In: XXXII Encontro de Iniciação Científica, 2013, Fortaleza. Encontros Universitários. Fortaleza: UFC, 2013. v. 1. p. 1-1.

4.
CARDOSO, S. S. ; GOMES, J. G. ; ARAÚJO, I. S. ; SILVA, V. B. ; GUIMARÃES, M. A. . Monitoria: Ferramenta de apoio ao processo de ensino/aprendizagem na disciplina de Olericultura (Agronomia-UFC). In: XXII Encontro de Iniciação à Docência, 2013, Fortaleza. Encontros Universitários. Fortaleza: UFC, 2013. v. 1. p. 1-1.

5.
GOMES, J. G. ; CARDOSO, S. S. ; MACHADO, I. P. ; PEREIRA, R. O. ; GUIMARÃES, M. A. . Utilização de tecnologias digitais como ferramenta educacional para a disciplina de Olericultura (Agronomia-UFC). In: XXII Encontro de Iniciação à Docência, 2013, Fortaleza. Encontros Universitários. Fortaleza: UFC, 2013. v. 1. p. 1-1.

6.
GUIMARÃES, M.A. ; SANTANA, T. A. ; FERREIRA, W. C. ; CORDEIRO, A. T. ; LOUREIRO, M. E. . Determinação de meio de cultivo para o crescimento e desenvolvimento in vitro de Thlaspi caerulescens. In: XI Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal, 2007, Gramado. Brazilian Journal of Plant Physiology, 2007. v. 19.

7.
GUIMARÃES, M.A. ; DIOLA, V. ; GUIMARÃES, A. R. ; SANTANA, T. A. ; FERREIRA, W. C. ; CORDEIRO, A. T. ; MULLER, C. ; LOUREIRO, M. E. . Desenvolvimento de protocolo para a esterelização de sementes de Thlaspi caerulescens. In: XI Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal, 2007, Gramado. Brazilian Journal of Plant Physiology, 2007. v. 19.

8.
GUIMARÃES, M.A. ; DIOLA, V. ; SANTANA, T. A. ; FERREIRA, W. C. ; GUIMARÃES, A. R. ; SALT, D. E. ; LOUREIRO, M. E. . Mutação de sementes de Thlaspi caerulescens com metano sulfonato de Etila (EMS). In: XI Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal, 2007, Gramado. Brazilian Journal of Plant Physiology, 2007. v. 19.

9.
GUIMARÃES, M.A. ; VIDIGAL, D. S. ; DIAS, D. C. F. S. ; GUIMARÃES, A. R. ; FERREIRA, W. C. ; SANTANA, T. A. ; LOUREIRO, M. E. . Influência da temperatura, luz e ácido giberélico em sementes de Thlaspi caerulescens. In: XI Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal, 2007, Gramado. Brazilian Journal of Plant Physiology, 2007. v. 19.

10.
GUIMARÃES, M.A. ; DIOLA, V. ; FERREIRA, W. C. ; SANTANA, T. A. ; GUIMARÃES, A. R. ; JUNQUEIRA, M. ; NASCIMENTO, K. T. ; LOUREIRO, M. E. . Efeito da qualidade de luz na germinação de sementes de Thlaspi caerulescens. In: XI Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal, 2007, Gramado. Brazilian Journal of Plant Physiology, 2007. v. 19.

11.
GUIMARÃES, M.A. ; DIOLA, V. ; GUIMARÃES, A. R. ; SANTANA, T. A. ; FERREIRA, W. C. ; SOUZA, B. ; LOUREIRO, M. E. . Efeito da pré-embebição na velocidade de germinação de sementes de Thlaspi caerulescens. In: XI Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal, 2007, Gramado. Brazilian Journal of Plant Physiology, 2007. v. 19.

12.
DIOLA, V. ; GUIMARÃES, M.A. ; LOUREIRO, M. E. ; COSTA, A. S. ; SILVA, D. J. H. . Análise de herdabilidade e heterose em híbridos interespecíficos de Lycopersicon esculentum (L.) Mill. X L. pimpinellifolium (L.) Mill.. In: XI Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal, 2007, Gramado. Brazilian Journal of Plant Physiology, 2007. v. 19.

13.
DIOLA, V. ; BRITO, G. G. ; GUIMARÃES, M.A. ; GALLINA, A. P. ; GOMES, M. M. ; LOUREIRO, M. E. . Identificação de marcas candidatas à marcadores moleculares para genes de resistência a ferrugem de café Hemileia vastatrix Berk. et Br.. In: XI Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal, 2007, Gramado. Brazilian Journal of Plant Physiology, 2007. v. 19.

14.
SANTANA, T. A. ; GUIMARÃES, M.A. ; BARROSO, F. L. ; BRANCO, W. A. R. ; FERREIRA, W. C. ; ROCHA, L. K. V. ; LOUREIRO, M. E. . Determinacao de protocolo de esterilizacao de esporos de Pityrogramma calomelanos para cultivo in vitro. In: XVII Simposio de Iniciacao Cientifica; VII Simpos; V Simposio de Extensao Universitaria; I Simposio de Ensino, 2007, Vicosa. XVII Simposio de Iniciacao Cientifica; VII Simpos; V Simposio de Extensao Universitaria; I Simposio de Ensino. Vicosa: UFV, 2007.

15.
SANTANA, T. A. ; GUIMARÃES, M.A. ; BARROSO, F. L. ; BRANCO, W. A. R. ; FERREIRA, W. C. ; ROCHA, L. K. V. ; LOUREIRO, M. E. . Seleção de meio de cultivo para a germinação e o desenvolvimento in vitro de sementes de Thlaspi caerulescens Ecotipo Saint Felix de Pallieres. In: XVII Simposio de Iniciacao Cientifica; VII Simpos; V Simposio de Extensao Universitaria; I Simposio de Ensino, 2007, Vicosa. XVII Simposio de Iniciacao Cientifica; VII Simpos; V Simposio de Extensao Universitaria; I Simposio de Ensino. Vicosa: UFV, 2007.

16.
ABREU, F. B. ; MATTEDI, A. P. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, M.A. ; MARIM, B. G. . Variabilidade de 29 acessos de tomateiro e 3 testemunhas comerciais quanto a produtividade e qualidade dos frutos. In: 3 Congresso Brasileiro de Melhoramento de Plantas, 2005, Gramado. Anais do 3 Congresso Brasileiro de Melhoramento de Plantas, 2005.

17.
ALVARENGA, E. M. ; GUIMARÃES, M.A. ; TINOCO, S. A. ; TEIXEIRA, A. ; DIAS, D. C. F. S. . Teste de condutividade elétrica para avaliação do vigor de sementes de milho. In: XIII Congresso Brasileiro de Sementes, 2003, Gramado. Informativo ABRATES, 2003. v. 13. p. 175-175.

18.
MARIM, B. G. ; SILVA, D. J. H. ; SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; LUCA, C. A. C. ; ALVES, M. ; GUIMARÃES, M.A. ; BELFORT, G. . Variabilidade genética entre acessos de tomateiro do banco de germoplasma de hortaliças - UFV na fase de plântula. In: XI Simpósio de Iniciação Científica - A Ciência: Um Projeto para o Brasil, 2002, Viçosa. XI Simpósio de Iniciação Científica - A Ciência: Um Projeto para o Brasil, 2002. p. 128-129.

19.
BELFORT, G. ; SILVA, D. J. H. ; SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; ALVES, M. ; LUCA, C. A. C. ; GUIMARÃES, M.A. ; MARIM, B. G. . Avaliação de cultivares de cebola quanto a produção de bulbinhos em Viçosa - MG. In: XI Simpósio de Iniciação Científica - A Ciência: Um projeto para o Brasil, 2002, Viçosa. Livro de resumos do XI Simpósio de Iniciação Científica - A Ciência: Um Projeto para o Brasil, 2002. p. 86-86.

20.
MARIM, B. G. ; SILVA, D. J. H. ; BELFORT, G. ; CALIMAN, F. R. B. ; ABREU, F. B. ; GUIMARÃES, M.A. ; SAMPAIO JÚNIOR, J. D. . Avaliação da diversidade genética entre acessos de tomateiro do banco de germoplasma de hortaliças - UFV a partir de características qualitativas da fase reprodutiva. In: XII Simpósio de Iniciação Científica - Desafio Brasil: Prioridade na Pesquisa e Desenvolvimento Social, 2002, Viçosa. Livro de resumos do XII Simpósio de Iniciação Científica - Desafio Brasil: Prioridade na Pesquisa e Desenvolvimento Social, 2002. p. 60-60.

21.
GUIMARÃES, M.A. ; SILVA, D. J. H. ; MARIM, B. G. . Informatização do banco de germoplasma de hortaliças da UFV. In: X Simpósio de Iniciação Científica - A Ciência e o Desenvolvimento Tecnológico Nacional, 2000, Viçosa. Livro de resumos do X Simpósio de Iniciação Científica - A Ciência e o Desenvolvimento Tecnológico Nacional., 2000. p. 141-141.

22.
GUIMARÃES, M.A. ; ZANúNCIO, J. C. ; RIBEIRO, G. T. ; ZANÚNCIO, T. V. . Flutuação populacional de Sarcina violascens (Lepdoptera: Lymantriidae) durante cinco anos em quatro regiões do Brasil. In: IX Simpósio Iniciação Científica na UFV - A Ciência e a Realidade Nacional, 1999, Viçosa. Livro de Resumos do IX Simpósio de Iniciação Científica na UFV - A Ciência e a Realidade Nacional, 1999. p. 60-60.

23.
GUIMARÃES, M.A. ; SOSSAI, M. ; ZANÚNCIO, T. V. ; ZANúNCIO, J. C. . Flutuação populacional de lepdópteras desfolhadores de Eucalipto, em Santa Bárbara, Minas Gerais, de julho de 1993 a junho de1998. In: VIII Simpósio de Iniciação Científica da UFV - Produção e Apropriação da Pesquisa, 1998, Viçosa. Livro de resumos do VIII Simpósio de Iniciação Científica da UFV - Produção e Apropriação da Pesquisa., 1998. p. 280-280.

Artigos aceitos para publicação
1.
GUIMARÃES, M. A. ; MANDELLI, M. S. ; SILVA, D. J. H. . Concentração de macronutrientes e sua eficiência de utilização por subamostras de alface. Horticultura Brasileira (Impresso), 2014.

2.
GUIMARÃES, M. A. ; VIANA, C. dos S. ; TELLO, J. P. J. ; DAMASCENO, L. A. ; MIRANDA, J. F. . Emergência e desempenho de plântulas de cubiu em diferentes substratos e profundidades de semeadura. Bioscience Journal (UFU. Impresso), 2014.

3.
ASCIOLI, A. N. S. ; COSTA, G. K. G. ; MOURA, T.N. ; GUIMARÃES, M. A. ; ALMEIDA, R. ; MIRANDA, J. F. . Entomofauna associada ao cultivo do cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) no município de Benjamin Constant, Amazonas, Brasil. EntomoBrasilis (Vassouras), 2014.

4.
COUTINHO, T.C. ; GUIMARÃES, M. A. ; VIDAL, M. S. . Determinação da diversidade genética entre acessos de algodão por meio de marcadores microssatélites. Bioscience Journal (UFU. Impresso), 2014.

5.
GUIMARÃES, M. A. ; BOHORQUEZ, A. C. C. ; DAMASCENO, L. A. ; TELLO, J. P. J. ; SILVA, D. J. H. . Caracterização morfológica de subamostras de alface na mesorregião do Alto SOlimões, Amazonas. Cultura Agronomica (UNESP. Ilha Solteira), 2014.

Apresentações de Trabalho
1.
GUIMARÃES, M. A. ; BOHORQUEZ, A. C. C. ; DAMASCENO, L. A. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, A. R. . Caracterização morfológica de genótipos de alface crescidos e desenvolvidos sob as condições Amazônicas. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
VIANA, C. dos S. ; GUIMARÃES, M. A. ; TELLO, J. P. de J. ; DAMASCENO, L. A. . Diferentes profundidades de semeadura e substratos na produção de plântulas de cubiu (Solanum sessiliflorum). 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, A. R. . Concentração de ferro em folhas de diferentes genótipos de alface. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, D. J. H. . Seleção de genótipos de Lactuca sativa L. para a produção em sistema orgânico. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
GUIMARÃES, M.A. ; SILVA, D. J. H. ; COSTA, L. C. ; MATTEDI, A. P. . Análise de crescimento e desenvolvimento da cultura do tomateiro. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
GUIMARÃES, M.A. ; SILVA, D. J. H. ; COSTA, L. C. ; MATTEDI, A. P. . Modelo de análise de produtividade da cultura do tomateiro. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
GUIMARÃES, M.A. ; LUCA, C. A. C. ; SAMPAIO JÚNIOR, J. D. ; MARIM, B. G. ; SILVA, D. J. H. . Análise de métodos de condução do tomateiro visando maximizar a produção de frutos do Grupo Santa Cruz. 2002. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
RIBEIRO, F. ; GUIMARÃES, M.A. ; DIAS, A. P. S. ; SILVA, D. J. H. ; DIAS, D. C. F. S. . Correlação entre produção de sementes e tamanho de fruto de tomate, variedade Fanny, Grupo Salada. 2002. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
ABREU, F. B. ; MARIM, B. G. ; GUIMARÃES, M.A. ; SILVA, D. J. H. ; LUCA, C. A. C. ; VALENTE, R. F. . Importância relativa das características vegetativas e de produção para discriminação de acessos de tomateiro do Banco de Germoplasma de Hortaliças da Universidade Federal de Viçosa. 2002. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

10.
MARIM, B. G. ; SILVA, D. J. H. ; GUIMARÃES, M.A. ; BELFORT, G. ; TEIXEIRA, M. B. . Sistema de condução de tomateiro visando produção no período de primavera-verão. 2001. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

11.
GUIMARÃES, M.A. ; SILVA, D. J. H. ; MARIM, B. G. . Informatização do banco de germoplasma de hortaliças da UFV. 2000. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

12.
GUIMARÃES, M.A. ; ZANúNCIO, J. C. ; RIBEIRO, G. T. ; ZANÚNCIO, T. V. . Flutuação populacional de Sarcina violascens (Lepdoptera: Lymantriidae) durante cinco anos em quatro regiões do Brasil. 1999. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

13.
GUIMARÃES, M.A. ; SOSSAI, M. ; ZANÚNCIO, T. V. ; ZANúNCIO, J. C. . Flutuação populacional de Lepidópteros desfolhadores de eucalipto, em Santa Bárbara, Minas Gerais, de julho de 1993 a junho de 1998. 1999. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

Outras produções bibliográficas
1.
GUIMARÃES, M.A. . Uso de Thlaspi caerulescens e Arabidopsis thaliana em estudos de acúmulo e tolerância a zinco e lítio 2009 (Tese de Doutorado).

2.
GUIMARÃES, M.A. ; LOUREIRO, M. E. . Protocolo de mutação de sementes de Thlaspi caerulescens (Saint Félix de Palliéres) com Metano Sulfonato de Etila (EMS) 2007 (Uso da Biotecnologia na Biorremediação da Contaminação Ambiental).

3.
GUIMARÃES, M.A. ; LOUREIRO, M. E. . Protocolo de esterilização de sementes de Thlaspi caerulescens (Saint Félix de Palliéres) 2007 (Uso da Biotecnologia na Biorremediação da Contaminação Ambiental).

4.
GUIMARÃES, M.A. . Influência da poda apical e da posição do cacho de tomateiro no crescimento da planta e na qualidade dos frutos 2004 (Tese de Mestrado).

5.
MARIM, B. G. ; BELFORT, G. ; TEIXEIRA, M. B. ; GUIMARÃES, M.A. ; SILVA, D. J. H. . Influência dos sistemas de tutoramento e condução do tomateiro na produção de tomate. Viçosa: UFV, 2001 (72 Semana do Fazendeiro (Apostila de Curso)).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
GUIMARÃES, M. A. . Horticultura Brasileira - ID364. 2014.

2.
GUIMARÃES, M. A. . Revista Ceres - Respostas .... 2013.

3.
GUIMARÃES, M. A. . 51 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2011.

4.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 021/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

5.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 016/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

6.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 019/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

7.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 023/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

8.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/008/2010/PAREC-INC-CEI. 2010.

9.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 005/2010-INC/CEI-PIBEX. 2010.

10.
GUIMARÃES, M.A. . Revista Tropica - Ciencias Agrarias e Biologicas. 2008.

11.
GUIMARÃES, M.A. . 46 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2006.

Trabalhos técnicos
1.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: ID418 - Revista Horticultura Brasileira. 2014.

2.
GUIMARÃES, M. A. . Revista Ceres. 2013.

3.
GUIMARÃES, M. A. . Revista de Ciências Agrárias / Amazonian Journal of Agricultural and Environmental Sciences. 2013.

4.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: Germinação/2013 - Revista Ceres. 2013.

5.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: Desempenho/2013 - Revista Ceres. 2013.

6.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 236/2011 - Revista Ceres. 2012.

7.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 310/2011 - Revista Ceres. 2012.

8.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 130/2012 - Revista Ceres. 2012.

9.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 036/2012 - Revista Ceres. 2012.

10.
GUIMARÃES, M. A. . Revista de la Facultad de Agronomía. 2012.

11.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 112/2012 - Revista Ceres. 2012.

12.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 2489-12 - Horticultura Brasileira. 2012.

13.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: PBFE - Revista Horticultura Brasileira. 2012.

14.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 071/2011 - Revista Ceres. 2011.

15.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/00202011-INC-CEI. 2011.

16.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/013/2011/PAREC-INC-CEI. 2011.

17.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 018/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

18.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 014/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

19.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 013/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

20.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 012/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

21.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 010/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

22.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 009/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

23.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 005/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

24.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 003/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

25.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 002/2011-1-INC/BC-PACE. 2011.

26.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 004/2010-2-INC/BC-PACE. 2011.

27.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/006/2010/PAREC-INC-CEI-RF. 2011.

28.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/002/2010-INC-CEI. 2011.

29.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 008/2010-INC/CEI-PIBEX. 2011.

30.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 010/2010-INC/CEI/PIBEX. 2011.

31.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 009/2010-INC-CEI. 2011.

32.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/008/2010-INC-CEI. 2011.

33.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/007/2010-INC-CEI. 2011.

34.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/006/2010-INC-CEI. 2011.

35.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 016/2010-2-INC/BC-PACE-RF. 2011.

36.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 023/2010-2-INC/BC-PACE. 2011.

37.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 013/2010-2-INC/BC-PACE-RF. 2011.

38.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 009/2010-2-INC/BC-PACE. 2011.

39.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 007/2010-INC/BC-PACE. 2011.

40.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 006/2010-INC-BC-PACE. 2011.

41.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 026/2011 - Revista Ceres. 2011.

42.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 174/2011 - Revista Ceres. 2011.

43.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No. 056/2011 - Revista Ceres. 2011.

44.
GUIMARÃES, M. A. . Processo No: 156/2011 - Revista Ceres. 2011.

45.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/009/2009-INC-CEI. 2010.

46.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 001/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

47.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 002/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

48.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 003/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

49.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FC/CR/001/2010-INC-CEI. 2010.

50.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 004/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

51.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 005/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

52.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 006/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

53.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 007/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

54.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 008/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

55.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 009/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

56.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 010/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

57.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FC/CR/002/2010-INC-CEI. 2010.

58.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/001/2010-INC-CEI. 2010.

59.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/002/2010-INC-CEI. 2010.

60.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/003/2010-INC-CEI. 2010.

61.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/004/2010-INC-CEI. 2010.

62.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/007/2010-INC-CEI. 2010.

63.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/008/2010-INC-CEI. 2010.

64.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/011/2010-INC-CEI. 2010.

65.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 004/2009-1-INC/BC-PACE. 2010.

66.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: 001/2010-INC/CEI-PIBEX. 2010.

67.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/012/2010-INC-CEI. 2010.

68.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/013/2010-INC-CEI. 2010.

69.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/014/2010-INC-CEI. 2010.

70.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/015/2010-INC-CEI. 2010.

71.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/016/2010-INC-CEI. 2010.

72.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/017/2010-INC-CEI. 2010.

73.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/018/2010-INC-CEI. 2010.

74.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/019/2010-INC-CEI. 2010.

75.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/020/2010-INC-CEI. 2010.

76.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/021/2010-INC-CEI. 2010.

77.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/022/2010-INC-CEI. 2010.

78.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/023/2010-INC-CEI. 2010.

79.
GUIMARÃES, M.A. . Processo número: FL/024/2010-INC-CEI. 2010.

80.
GUIMARÃES, M.A. . Projeto de exploração agrícola da cultura da melancia (Citrullus lanatus) por pequenos produtores da mesorregião do Alto Solimões, AM. 2010.

81.
GUIMARÃES, M.A. ; JUSTAMAND, M. ; NUESCH, E.V. ; PETRY, J.F. ; LIMA, J.L.F. ; COUTINHO, T.C. ; MOURA, T.N. . Avaliação dos processos operacionais da PROEXTI. 2010.

82.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/007/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

83.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/006/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

84.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/005/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

85.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/004/2010-INC-CEI. 2010.

86.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/004/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

87.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/003/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

88.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/002/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

89.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/001/2010/PAREC/INC-CEI. 2010.

90.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/003/2010-INC-CEI. 2010.

91.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/005/2010-INC-CEI. 2010.

92.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 002/2010-INC-BC-PACE. 2010.

93.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FC/CR/002/2010-INC-CEI. 2010.

94.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 020/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

95.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 010/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

96.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 014/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

97.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 004/2010-INC/CEI-PIBEX. 2010.

98.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 002/2010-INC/CEI-PIBEX. 2010.

99.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 006/2010-INC/CEI-PIBEX. 2010.

100.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 003/2010-INC/BC-PACE. 2010.

101.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 005/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

102.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 003/2010-INC/CEI-PIBEX. 2010.

103.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 004/2010-1-INC/BC-PACE. 2010.

104.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 015/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

105.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 004/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

106.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 002/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

107.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 013/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

108.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 008/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

109.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 017/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

110.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 001/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

111.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 003/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

112.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/009/2010/PAREC-INC-CEI. 2010.

113.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: FL/010/2010/PAREC-INC-CEI. 2010.

114.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 006/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

115.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 007/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

116.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 009/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

117.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 011/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

118.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 012/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

119.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 018/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

120.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: 022/2010-2-INC/BC-PACE. 2010.

121.
GUIMARÃES, M. A. . Processo número: P-TCC 020/2010. 2010.

122.
ZANúNCIO, J. C. ; ZANÚNCIO, T. V. ; RIBEIRO, G. T. ; FREITAS, L. C. ; SOSSAI, M. ; CARVALHO, S. A. P. ; HORA, G. N. ; GONÇALVES, J. F. ; FERNANDES, A. M. ; GOMES, B. M. R. ; BARBOSA, J. M. ; GUIMARÃES, M.A. ; ZANÚNCIO JÚNIOR, J. S. . Relatório Anual Hymenoptera. 1998.

123.
ZANúNCIO, J. C. ; ZANÚNCIO, T. V. ; RIBEIRO, G. T. ; FREITAS, L. C. ; SOSSAI, M. ; CARVALHO, S. A. P. ; FERNANDES, A. M. ; GOMES, B. M. R. ; GUIMARÃES, M.A. ; ZANÚNCIO JÚNIOR, J. S. . Relatório Anual Lepdoptera. 1998.

124.
GUIMARÃES, M.A. ; ZANúNCIO, J. C. ; ZANÚNCIO, T. V. ; RIBEIRO, G. T. ; SOSSAI, M. ; CARVALHO, S. A. P. ; FERNANDES, A. M. ; GOMES, B. M. R. ; ZANÚNCIO JÚNIOR, J. S. . Relatório Quadrimestral Lepidoptera. 1998.


Demais tipos de produção técnica
1.
GUIMARÃES, M. A. . Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

2.
GUIMARÃES, M. A. . Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

3.
GUIMARÃES, M.A. ; MIRANDA, J. F. ; BOHORQUEZ, A. C. C. . Produção de mudas de hortaliças. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

4.
GUIMARÃES, M. A. ; MIRANDA, J. F. ; BOHORQUEZ, A. C. C. . Produção de mudas de hortaliças. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

5.
GUIMARÃES, M. A. ; BOHORQUEZ, A. C. C. ; MIRANDA, J. F. . Produção de mudas de hortaliças. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

6.
GUIMARÃES, M.A. ; CALIMAN, F. R. B. . A cultura do tomateiro. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

7.
GUIMARÃES, M.A. ; LOUREIRO, M. E. . Uso da Biotecnologia na Biorremediação da Contaminação Ambiental.. 2007. .



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
TAKANE, R. J.; GUIMARÃES, M. A.; CASTRO, A. C. R.; CARVALHO, A. C. P. P.. Participação em banca de Antonio Anderson de Jesus Rodrigues. Luz artificial e reguladores de crescimento no estiolamento in vitro de Cattleya labiata e Phalaenopsis sp.. 2014. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

2.
INNECCO, R.; GUIMARÃES, M. A.; VASCONCELOS, A. A.; ARAGÃO, F. A. S.. Participação em banca de Hernandes Rufino dos Santos. Viabilidade de produção da alface americana no Município de Pentecoste-Ce. 2013. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

3.
INNECCO, R.; GUIMARÃES, M. A.; VASCONCELOS, A. A.; MOURA, C. F. H.. Participação em banca de Maria Lucilania Bezerra Almeida. Caracterização pós-colheita de propriedades físicas e químicas de morangos produzidos sob diferentes sistemas de cultivo. 2013. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

4.
TAKANE, R. J.; GUIMARÃES, M. A.; CASTRO, A. C. R.. Participação em banca de Wanderlúcia Silva Rodrigues. Estudo de técnicas de produção das ornamentais Caladium FREIDA HEMPLE, Sansevieria cilyndrica BOJER e Cereus jamacaru DC.. 2013. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Qualificações de Doutorado
1.
ARAUJO, F. S.; GUIMARÃES, M. A.; WEBER, O. B.. Participação em banca de Fábio Perlatti. Prospecção da diversidade de espécies de fungos micorrízicos arbusculares na rizosfera de plantas espontâneas em solos contaminados por cobre. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Ecologia e Recursos Naturais) - Universidade Federal do Ceará.

2.
GUIMARÃES, M. A.; OLIVEIRA, A. B.; PINTO, C. M.. Participação em banca de Frederico Silva Thé Pontes Filho. Banca de qualificação de doutorado. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
GUIMARÃES, M. A.; SAMPAIO, A. C. S.; CRUZ, T. S.. Participação em banca de Elizângela Tourinho.A população de São Paulo de Olivença e sua percepção em relação à problemática do lixo produzido no município. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

2.
GUIMARÃES, M. A.; MIRANDA, J. F.; ASCIOLI, A. N. S.. Participação em banca de Pollianna Almeida da Silva.Caracterização produtiva de tomate tipo cereja em função do número de hastes e cachos. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

3.
GUIMARÃES, M. A.; MIRANDA, J. F.; ASCIOLI, A. N. S.. Participação em banca de Simone Pinto de Castro.Caracterização do desenvolvimento e produtividade de quatro variedades de cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) crescidas na mesorregião do Alto Solimões, AM. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

4.
MIRANDA, J. F.; GUIMARÃES, M. A.; ROSAS, L. V.. Participação em banca de Célio Honorato da Silva.Caracterização e química de solos em propriedades rurais na BR 307, no município de Benjamin Constant, AM. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

5.
MIRANDA, J. F.; GUIMARÃES, M. A.; SILVA, O. B.. Participação em banca de Raimunda Pereira Marques.A educação ambiental no 6o ano do ensino fundamental: desafios e possibilidades. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

6.
ASCIOLI, A. N. S.; GUIMARÃES, M. A.; MIRANDA, J. F.. Participação em banca de Grace Kelly Guimarães da Costa.Identificação da entomofauna em quatro etnovariedades da cultura do cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) no município de Benjamin Constant, Amazonas, Brasil. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

7.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.; DAMASCENO, L. A.. Participação em banca de Manoel Filipe Nascimento Garcia.Avaliação de diferentes tipos de recipientes para a produção de mudas de cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) e jurubeba (Solanum paniculatum). 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

8.
GUIMARÃES, M. A.; MIRANDA, J. F.; DAMASCENO, L. A.. Participação em banca de Caris dos Santos Viana.Diferentes profundidades de semeadura e substratos na produção de plântulas de cubiu (Solanum sessiliflorum). 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

9.
MONTEIRO, L. R.; DAMASCENO, L. A.; GUIMARÃES, M. A.. Participação em banca de Jean Paulo de Jesus Tello.Pré-embebição de sementes e seus efeitos em características de crescimento e desenvolvimento de plântulas de melancia. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

10.
GUIMARÃES, M. A.; CRUZ, T. S.; MONTEIRO, L. R.. Participação em banca de Leny Almeida da Silva.Diagnóstico quali-quantitativo dos resíduos sólidos (lixo) urbano produzidos no município de Benjamin Constant, Alto Solimões-AM. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

11.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; FERREIRA NETO, R. G.. Participação em banca de Raimunda Antônia Alves de Araújo.Avaliação da potencialidade e de diferentes formas de beneficiamento da traíra (Hoplias malabaricus) e aruanã (Osteoglossum bicirrhosum). 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

12.
SILVA, O. B.; ROSAS, L. V.; GUIMARÃES, M. A.. Participação em banca de Cardovan da Silva Soeiro.Extração de óleo da polpa de Açaí: um experimento para o ensino de química no ensino médio. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências: Biologia e Química) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

13.
GUIMARÃES, M. A.; COUTINHO, T.C.; MIRANDA, J. F.. Participação em banca de Álvaro Camilo da Costa Bohorquez.Seleção de genótipos de alface (Lactuca sativa L.) para produção na mesorregião do Alto Solimões, Amazonas. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
TUCCI, C. A. F.; GUIMARÃES, M. A.; MIRANDA, J. F.. Banca do Edital 059/2011. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

2.
GALVÃO, R. M. S.; NAGAO, E. O.; ASCIOLI, A. N. S.; ROSAS, L. V.; GUIMARÃES, M. A.. Banca do Edital 034/2011. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

Outras participações
1.
GUIMARÃES, M. A.; OLIVEIRA, A. B.; SILVA, J. C. V.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Olericultura. 2014. Universidade Federal do Ceará.

2.
CORREA, M. C. M.; INNECCO, R.; GUIMARÃES, M. A.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Fruticultura. 2014. Universidade Federal do Ceará.

3.
CARNEIRO, M. S. S.; CHIODEROLI, C. A.; GUIMARÃES, M. A.. Concessão da distinção acadêmica Magna Cum Laude. 2014. Universidade Federal do Ceará.

4.
GUIMARÃES, M.A.; OLIVEIRA, A. B.; SILVA, J. C. V.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Olericultura. 2013. Universidade Federal do Ceará.

5.
CORREA, M. C. M.; GUIMARÃES, M. A.; INNECCO, R.. Seleção de Monitor para o Curso de Agronomia - Fruticultura. 2013. Universidade Federal do Ceará.

6.
CORREA, M. C. M.; BEZERRA, A. M. E.; MAGALHAES, C. H. C.; INNECCO, R.; PASTORI, P. L.; GUIMARÃES, M. A.; SILVA, J. C. V.; NASCIMENTO, K. P. C.. Comissão de seleção dos candidatos ao Programa de Pós-Graduação em Agronomia-Fitotecnia da UFC. 2013. Universidade Federal do Ceará.

7.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

8.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

9.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

10.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

11.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

12.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

13.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

14.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

15.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

16.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

17.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, A.M.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

18.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

19.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

20.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

21.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

22.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

23.
NUNES, J. R. S.; GUIMARÃES, M. A.; ALMEIDA, R.. Seleção de bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. 2012. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

24.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Olericultura Tropical. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

25.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Introdução à Genética e ao Melhoramento de Plantas. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

26.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Silvicultura. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

27.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Tópicos de Produção Animal I. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

28.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Associativismo e Cooperativismo. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

29.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.; MONTEIRO, L. R.; SAMPAIO, A. C. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Prática Curricular II. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

30.
GUIMARÃES, M. A.; MONTEIRO, L. R.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Agrometeorologia. 2011.

31.
GUIMARÃES, M. A.; MONTEIRO, L. R.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Metodologia do Estudo e da Pesquisa. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

32.
GUIMARÃES, M. A.; MONTEIRO, L. R.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Avaliação de Impactos Ambientais. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

33.
GUIMARÃES, M. A.; MONTEIRO, L. R.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Fisiologia Vegetal. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

34.
GUIMARÃES, M. A.; MONTEIRO, L. R.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Fisiologia Vegetal. 2011.

35.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Introdução à Genética e ao Melhoramento de Plantas. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

36.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Tecnologias Agroecológicas - Solos. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

37.
GUIMARÃES, M. A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

38.
GUIMARÃES, M. A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

39.
GUIMARÃES, M. A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

40.
GUIMARÃES, M. A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

41.
GUIMARÃES, M. A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

42.
GUIMARÃES, M. A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

43.
GUIMARÃES, M. A.. Estágio Supervisionado. 2011. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

44.
GUIMARÃES, M.A.; ASCIOLI, A. N. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Introdução a Genética e Melhoramento de Plantas. 2010. Universidade Federal do Amazonas.

45.
GUIMARÃES, M.A.; ASCIOLI, A. N. S.; MONTEIRO, L. R.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Ecologia. 2010. Universidade Federal do Amazonas.

46.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.; ASCIOLI, A. N. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Fundamentos de Matemática e Estatística. 2010. Universidade Federal do Amazonas.

47.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.; ASCIOLI, A. N. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Microbiologia. 2010. Universidade Federal do Amazonas.

48.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.; ASCIOLI, A. N. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Tópicos de Produção Animal I. 2010.

49.
GUIMARÃES, M. A.; NUNES, J. R. S.; ASCIOLI, A. N. S.. Seleção de monitor para o Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente (INC/BC/UFAM) - Estatística e Planejamento Experimental. 2010. Universidade Federal do Amazonas.

50.
GUIMARÃES, M. A.; MIRANDA, J. F.. Estágio Supervisionado - Olericultura. 2010. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.

51.
GUIMARÃES, M. A.; MIRANDA, J. F.. Estágio Supervisionado - Plantas Medicinais. 2010. Universidade Federal do Amazonas - UFAM.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia - Cuidando da Saúde do Planeta. Efeito de diferentes substratos e ambientes no enraizamento de folíolos de Zamioculca [Zamioculca zamiifolia (Lodd.)]. 2013. (Congresso).

2.
I Simpósio Brasileiro de Cultivo de Orquídeas.Multiplicação in vitro de orquídea (Cattleya labiata Lindl.) com diferentes citocininas e fotoperíodo. 2013. (Simpósio).

3.
I Simpósio Brasileiro de Cultivo de Orquídeas.Auxinas e Fotoperíodo na multiplicação in vitro de orquídea (Cattleya labiata Lindl.). 2013. (Simpósio).

4.
Encontros Científicos 2013 - XIII Encontro de Pós-Graduação e Pesquisa da UNIFOR.Efeito de GA3 e da temperatura na pós-colheita de cebolinha. 2013. (Encontro).

5.
Encontros Científicos 2013 - XIX Encontro de Iniciação à Pesquisa.Efeito de diferentes dosagens de GA3 na pós-colheita de coentro. 2013. (Encontro).

6.
XXII Encontro de Iniciação à Docência.Utilização de tecnologias digitais como ferramenta educacional para a disciplina de olericultura (Agronomia-UFC). 2013. (Encontro).

7.
XXII Encontro de Iniciação à Docência.Monitoria: Ferramenta de apoio ao processo de ensino/aprendizagem na disciplina de olericultura (Agronomia-UFC). 2013. (Encontro).

8.
XXII Encontro de Extensão.Implantação de horta demonstrativa/pedagógica em escolas públicas no município de Reriutaba/CE. 2013. (Encontro).

9.
XXXII Encontro de Iniciação Científica.Incidência de Pestalotiopsis em duas cultivares de morangueiro. 2013. (Encontro).

10.
XVIII Semana Universitária - 18 anos: Socialização do ensino, da pesquisa e da extensão.Efeito de diferentes dosagens de GA3 na pós-colheita de coentro e cebolinha. 2013. (Outra).

11.
51 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2011. (Congresso).

12.
IV Workshop de Integração do parque Científico e Tecnológico para Inclusão Social: Rede de Pesquisa, Extensão e Inovação Tecnológica - PCTIS e I Seminário sobre Inovação Tecnológica para Inclusão Social em Arranjos Produtivos Locais.Introdução e organização do processo de coleta seletiva de lixo na mesorregião do Alto Solimões - AM. 2011. (Seminário).

13.
I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM: "Promovendo o ensino, desenvolvendo a pesquisa e integrando saberes".Hormônios Vegetais. 2011. (Encontro).

14.
I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM:.Nutrição Vegetal: Uso de Elementos Minerais. 2011. (Encontro).

15.
I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM: "Promovendo o ensino, desenvolvendo a pesquisa e integrando saberes".Parque Científico e Tecnológico para a Inclusão Social: Rede de Pesquisa, Ensino e Extensão. 2011. (Encontro).

16.
I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM: "Promovendo o ensino, desenvolvendo a pesquisa e integrando saberes".Produção de mudas de hortaliças. 2011. (Encontro).

17.
I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM: "Promovendo o ensino, desenvolvendo a pesquisa e integrando saberes".Introdução e organização do processo de coleta seletiva de lixo no município de Benjamin Constant. 2011. (Encontro).

18.
I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM: "Promovendo o ensino, desenvolvendo a pesquisa e integrando saberes".Hormônios Vegetais. 2011. (Encontro).

19.
I Encontro dos Cursos do Instituto de Natureza e Cultura/UFAM: "Promovendo o ensino, desenvolvendo a pesquisa e integrando saberes".Nutrição Vegetal: Uso de elementos minerais. 2011. (Encontro).

20.
II Semana Ambiental de Benjamin: Sustentabilidade e Educação.Como acabar com o problema do lixo na mesorregião do Alto Solimões, AM. 2011. (Outra).

21.
I Semana de Extensão do IFAM.Como acabar com o problema do lixo no Alto Solimões. 2011. (Outra).

22.
VIII Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Prevenção de Riscos.Nutrientes Minerais Essenciais Às Plantas. 2011. (Outra).

23.
VIII Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Prevenção de Riscos.Hormonios Vegetais. 2011. (Outra).

24.
VIII Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Prevenção de Riscos.Hormonios Vegetais. 2011. (Outra).

25.
VIII Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Prevenção de Riscos.Parque Tecnológico para a Inclusão Social: Rede de Pesquisa, Ensino e Extensão. 2011. (Outra).

26.
VIII Semana de Ciência e Tecnologia - Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Prevenção de Riscos.Parque Tecnológico para a Inclusão Social: Rede de Pesquisa, Ensino e Extensão. 2011. (Outra).

27.
VI Feira Internacional da Amazônia: Novas Idéias, Soluções e Oportunidades de Negócios. 2011. (Outra).

28.
IV Workshop de Integração do PCTIS e I Seminário sobre Inovação Tecnológica para Inclusão Social em Arranjos Produtivos Locais.Preservação Ambiental: oportunidades para inovação e geração de renda. 2011. (Outra).

29.
IV Workshop de Integração do PCTIS e I Seminário sobre Inovação Tecnológica para Inclusão Social em Arranjos Produtivos Locais. 2011. (Outra).

30.
VI Feira Internacional da Amazônia: Novas Idéias, Soluções e Oportunidades de Negócios. 2011. (Outra).

31.
VI Feira Internacional da Amazônia: Novas Idéias, Soluções e Oportunidades de Negócios. 2011. (Outra).

32.
VI Feira Internacional da Amazônia: Novas Idéias, Soluções e Oportunidades de Negócios.Conferência WITS (Água, Inovação, Tecnologia & Sustentabilidade) 2011. 2011. (Outra).

33.
VIII Semana de Ciência e Tecnologia - Mudanças Climáticas, Desastres Naturais e Prevenção de Riscos.Nutrientes Minerais Essenciais Às Plantas. 2011. (Outra).

34.
50 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2010. (Congresso).

35.
I Seminário para a discussão da Política de Inovação e Propriedade Intelectual.Política Institucional de Inovação. 2010. (Seminário).

36.
I Oficina de Avaliação de Processos Operacionais / PROEXTI.Avaliação dos Processos Operacionais da PROEXTI. 2010. (Oficina).

37.
I Oficina de Avaliação de Processos Operacionais da PROEXT. 2010. (Oficina).

38.
Oficina de Avaliação da Minuta de Resolução da Política de Inovação da UFAM.Avaliação da Minuta de Resolução da Política de Inovação da UFAM. 2010. (Oficina).

39.
I Oficina de Avaliação de Processos Operacionais da PROEXTI.Processos Operacionais da PROEXTI. 2010. (Oficina).

40.
Oficina de Avaliação da Minuta de Resolução da Política de Inovação da UFAM.Minuta da Resolução da Política de Inovação da UFAM. 2010. (Oficina).

41.
Semana do Meio Ambiente: A caminho da sustentabilidade ambiental do município.Lixo e seus efeitos no Meio Ambiente. 2010. (Outra).

42.
II Semana do Curso de Ciências: Biologia e Química: Pesquisas em Biodiversidade.Coleta Seletiva de Lixo. 2010. (Outra).

43.
I Workshop do Parque Tecnológico para Inclusão Social: Rede de Pesquisa, Extensão e Inovação Tecnológica. 2010. (Outra).

44.
I Semana de Ciências Agrárias e do Ambiente: O homem e a sustentabilidade no ambiente amazônico.O Lixo e a Sustentabilidade. 2010. (Outra).

45.
II Fórum de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia da Região Norte - FORTEC 2010. 2010. (Outra).

46.
VII Semana de Ciência e Tecnologia do Amazonas: Ciência para o Desenvolvimento Sustentável.Como resolver o problema do lixo no Alto Solimões. 2010. (Outra).

47.
VII Semana de Ciência e Tecnologia do Amazonas: Ciência para o Desenvolvimento Sustentável.Documentário: Destinos do Lixo. 2010. (Outra).

48.
Amazônia e Meio Ambiente: "Conhecimento, Saberes e Direitos a Diversidade".Palestra: "O lixo e a Sustentabilidade". 2010. (Outra).

49.
Amazônia e Meio Ambiente: "Conhecimento, Saberes Tradicionais e Direitos a Diversidade".Documentário: "Destinos do Lixo". 2010. (Outra).

50.
I Mostra Interinstitucional de Ensino, Pesquisa e Extensão - I MIEPEX. 2010. (Outra).

51.
EXPOTEC.Introdução e organização do processo de coleta seletiva de lixo na Mesorregião do Alto Solimões. 2010. (Outra).

52.
EXPOTEC.Criação do Núcleo de Economia Solidária do Alto Solimões NESAS. 2010. (Outra).

53.
EXPOTEC.Introdução e organização do processo de coleta seletiva de lixo na Mesorregião do Alto Solimões. 2010. (Outra).

54.
EXPOTEC.Implementação da Pesquisa e Capacitação para o Desenvolvimento Social do Vale do Javari. 2010. (Outra).

55.
EXPOTEC.Criação do Núcleo de Complementação e Formação Acadêmica de Administração - NUCFAADM - INC/BC-UFAM. 2010. (Outra).

56.
EXPOTEC.Criação do Núcleo de Complementação e Formação Acadêmica de Administração - NUCFAADM - INC/BC-UFAM. 2010. (Outra).

57.
VII Semana Nacional de Ciência e Tecnologia: Ciência para o Desenvolvimento Sustentável. 2010. (Outra).

58.
I Mostra Interinstitucional de Ensino, Pesquisa e Extensão - I MIEPEX.Implementação da Pesquisa e Capacitação para o Desenvolvimento Social do Vale do Javari. 2010. (Outra).

59.
I Workshop do Parque Científico e Tecnológico para Inclusão Social: Rede de Pesquisa, Extensão e Inovação Tecnológica - PCTIS.Projetos do Instituto de Natureza e Cultura - INC - Benjamin Constant. 2010. (Outra).

60.
Energy and the Environment: Powering the Future Responsibly. 2008. (Simpósio).

61.
Frontiers in Biological Membranes. 2008. (Simpósio).

62.
XVI Simpósio de Iniciação Científica. VI SIMPÓS - Mostra Científica da Pós-Graduação. IV Simpósio de Extensão Universitária. Os rumos da Universidade Pública: Ciência Sociedade e Cultura.. 2007. (Simpósio).

63.
II Simpósio Brasileiro de Pós-Colheita de Frutas, Hortaliças e Flores. 2007. (Simpósio).

64.
46 Congresso Brasileiro de Olericultura. 46 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2006. (Congresso).

65.
II Simpósio Brasileiro de Cultivo em Ambiente Protegido. 2006. (Simpósio).

66.
Certificação e Boas Práticas Agrícolas. 2006. (Encontro).

67.
Interbio "Biotechnology and Animal Health International Meeting". 2006. (Encontro).

68.
Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Produção de flores em ambiente controlado no Estado de Ohio - USA. 2006. (Encontro).

69.
Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Fisiologia Vegetal x Produção de Hortaliças. 2006. (Encontro).

70.
Molecular Markers. 2006. (Outra).

71.
Tomate: O dia a dia do brasileiro. 2006. (Outra).

72.
44 Congresso Brasileiro de Olericultura - Novos Rumos, Diversificação e Renda.. 44 Congresso Brasileiro de Olericultura. 2004. (Congresso).

73.
Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Distribuição de fotoassimilados na planta de tomateiro. 2004. (Encontro).

74.
Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Partição de fotoassimilados em tomateiro após a poda apical. 2004. (Encontro).

75.
Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Análise de métodos de condução de tomateiro visando maximizar a produção de frutos do Grupo Santa Cruz. 2004. (Encontro).

76.
Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Comportamento da fonte e do dreno em tomateiro após a poda apical acima do quarto cacho. 2004. (Encontro).

77.
Núcleo de Estudos em Olericultura - NEO/UFV.Avaliação do efeito da poda apical e posição do cacho de tomateiro na produção e sabor dos frutos. 2004. (Encontro).

78.
Prêmio Jovem Cientista.Prêmio Jovem Cientista. 2004. (Outra).

79.
42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura. 42 Congresso Brasileiro de Olericultura e 11 Congresso Latino-Americano de Horticultura. 2002. (Congresso).

80.
41 Congresso Brasileiro de Olericultura e 1 Encontro sobre Plantas Aromáticas, Condimentares e Medicinais. 41 Congresso Brasileiro de Olericultura e 1 Encontro sobre Plantas Aromáticas, Condimentares e Medicinais. 2001. (Congresso).

81.
3 Encontro sobre produção de café com qualidade. 2001. (Encontro).

82.
I Semana de Olericultura da UFV. 2001. (Outra).

83.
I Expocen - Exposição Agropecuária de Centralina e I Agrotec - Tecnologia na Agropecuária. 2001. (Outra).

84.
X Simpósio de Iniciação Científica - A Ciência e o Desenvolvimento Tecnológico Nacional.X Simpósio de Iniciação Científica. 2000. (Simpósio).

85.
IX Simpósio de Iniciação Científica - A Ciência e a Realidade Social.IX Simpósio de Iniciação Científica - A Ciência e a Realidade Social. 1999. (Simpósio).

86.
VIII Simpósio de Iniciação Científica - Produção e Apropriação da Pesquisa.VIII Simpósio de Iniciação Científica - Produção e Apropriação da Pesquisa. 1998. (Simpósio).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
TAKANE, R. J. ; PIVETTA, K. ; FARIA, R. T. ; MATTIUZ, C. F. M. ; GUIMARÃES, M. A. . I Simpósio Brasileiro de Cultivo de Orquídeas. 2013. (Outro).

2.
GUIMARÃES, M. A. . I Mostra Interinstitucional de Ensino, Pesquisa e Extensão. 2011. (Outro).

3.
GUIMARÃES, M.A. . I Oficina de Avaliação de Processos Operacionais / PROEXTI. 2010. (Outro).

4.
FERNANDES, C. V. ; SAMPAIO, A. C. S. ; GUIMARÃES, M. A. ; ASCIOLI, A. N. S. ; MONTEIRO, L. R. ; NUNES, J. R. S. ; MIRANDA, J. F. . I Semana da Ciências Agrárias e do Ambiente: O homem e a sustentabilidade do ambiente amazônico. 2010. (Outro).

5.
GUIMARÃES, M. A. . Oficina de Avaliação da Minuta de Resolução da Política de Inovação da UFAM. 2010. (Outro).

6.
GUIMARÃES, M. A. . EXPOTEC. 2010. (Exposição).

7.
GUIMARÃES, M. A. . I Seminário para a discussão da Política de Inovação e Propriedade Intelectual. 2010. (Outro).

8.
GUIMARÃES, M.A. ; CALIMAN, F. R. B. ; MATTEDI, A. P. ; SILVA, D. J. H. . Dia de campo na cultura do tomateiro na 78 Semana do Fazendeiro. 2007. (Exposição).

9.
GUIMARÃES, M.A. . Uso da Biotecnologia na Biorremediação da Contaminação Ambiental. 2007. (Outro).

10.
GUIMARÃES, M. A. ; MARIM, B. G. ; CALIMAN, F. R. B. ; SILVA, D. J. H. . Dia de Campo: "Influência de tutoramento e condução do tomateiro na produção de tomate. 2001. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Manuel Filipe Nascimento Garcia. Caracterização morfológica de etnovariedades de Solanum sessiliflorum crescidas e desenvolvidas em Fortaleza-CE. Início: 2013. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará. (Orientador).

2.
Jean Paulo de Jesus Tello. Avaliação e seleção de cultivares de berinjela para produção no semi-árido nordestino. Início: 2013. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará. (Orientador).

3.
Sebastián Andrés Garita. Avaliação e seleção de cultivares de cebola para produção no semi-árido nordestino. Início: 2013. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

4.
Hozano de Souza Lemos Neto. Avaliação de sistemas de produção de tomate sob condições de alta temperatura. Início: 2013. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Romero Batista Araújo. Espaçamentos e formas de condução na produção do feijão-de-metro. Início: 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará. (Orientador).

2.
Sara Santos Cardoso. Avaliação de cultivares de alface produzidas nas condições de verão/inverno de Fortaleza-CE. Início: 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará. (Orientador).

3.
Juliana de Mesquita Camilo. Espaçamentos e formas de tutoramento para produção de maxixe. Início: 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Vinícius Borges da Silva. Identificação de potenciais genitores de tomate cereja para produção sob as condições edafoclimáticas do Estado do Ceará. Início: 2014. Iniciação científica (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

2.
Benedito Pereira Lima Neto. Seleção de espécies da família Solanaceae para produção de enxertos de tomateiro resistentes a infestação por nematoide das galhas, nas condições edafloclimáticas do Estado do Ceará. Início: 2014. Iniciação científica (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

Orientações de outra natureza
1.
João Germano Gomes. Olericultura: Teoria e Prática. Início: 2014. Orientação de outra natureza. Universidade Federal do Ceará. Pró-Reitoria de Graduação - UFC. (Orientador).

2.
Janiquelle da Silva Rabelo. Olericultura: Teoria e Prática. Início: 2014. Orientação de outra natureza. Universidade Federal do Ceará. Programa de Educação Tutorial do Curso de Agronomia da UFC. (Orientador).

3.
Juliana de Mesquita Camilo. Projeto Rondon na UFC. Início: 2014. Orientação de outra natureza. Universidade Federal do Ceará. Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará. (Orientador).

4.
Bruno do Nascimento SIlva. Avaliação de recipientes e substratos para produção de mudas de couve mizuna wase. Início: 2014. Orientação de outra natureza. Universidade Federal do Ceará. Programa de Educação Tutorial do Curso de Agronomia da UFC. (Orientador).

5.
Romero Batista Araújo. Curso teórico/práticos sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias. Início: 2014. Orientação de outra natureza. Universidade Federal do Ceará. Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará. (Orientador).

6.
Sara Santos Cardoso. Curso teórico/práticos sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias. Início: 2014. Orientação de outra natureza. Universidade Federal do Ceará. Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará. (Orientador).

7.
João Carlos Costa Moreira. Horta Didática da UFC. Início: 2014. Orientação de outra natureza. Universidade Federal do Ceará. Pró-Reitoria de Assistência Estudantil. (Orientador).

8.
Rafael Onofre Pereira. Horta Didática da UFC. Início: 2014. Orientação de outra natureza. Universidade Federal do Ceará. Pró-Reitoria de Assistência Estudantil. (Orientador).

9.
Celly de Lima Maia. Horta Didática da UFC. Início: 2014. Orientação de outra natureza. Universidade Federal do Ceará. Pró-Reitoria de Assistência Estudantil. (Orientador).

10.
Janiquelle da Silva Rabelo. Infestação de nematoides em diferentes cultivares de tomate cereja. Início: 2013. Orientação de outra natureza. Universidade Federal do Ceará. Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Wanderlucia Silva Rodrigues. Estudo de técnicas de produção das ornamentais Caladium FREIDA HEMPLE, Sansevieria cilyndrica BOJER e Cereus jamacaru DC.. 2012. Dissertação (Mestrado em Agronomia (Fitotecnia)) - Universidade Federal do Ceará, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Co-Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Elizângela Tourinho. A população de São Paulo de Olivença - AM e sua percepção em relação a problemática do lixo produzido no município. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

2.
Simone Pinto de Castro. Caracterização morfológica e produtiva de 4 genótipos de Solanum sessiliflorum. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

3.
Pollianna Almeida da Silva. Efeito de diferentes números de hastes na produção de frutos de tomate cereja. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

4.
Leny Almeida da Silva. Diagnóstico quali-quantitativo dos resíduos sólidos (lixo) urbano produzidos no Município de Benjamin Constant, Alto Solimões - AM. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

5.
Manuel Filipe do Nascimento. Avaliação de diferentes recipientes para a produção de mudas de Solanun sessiliforum. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

6.
Caris dos Santos Viana. Diferentes profundidades de semeadura e substratos na produção de plântulas de cubiu (Solanum sessiliflorum). 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

7.
Jean Paulo de Jesus Tello. Pré-embebição de sementes e seus efeitos em características de crescimento e desenvolvimento de plântulas de Citrullus lanatus L.. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

8.
Álvaro Camilo da Costa Bohorquez. Seleção de genótipos de alface (Lactuca sativa L.) para produção na mesoregião do Alto Solimões, Amazonas. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

Iniciação científica
1.
Sara Santos Cardoso. Caracterização morfológica e produtiva de cultivares e acessos de alface no Estado do Ceará. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

2.
Márcio Lopes Muller. Avaliação de diferentes espaçamentos na produção de frutos de melancia crescidos e desenvolvidos na Mesorregião do Alto Solimões, Amazonas. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

3.
Álvaro Camilo da Costa Bohorquez. Caracterização morfológica de 13 genótipos de alface (Lactuca sativa L.) na mesorregião do Alto Solimões. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

4.
Álvaro Camilo da Costa Bohorquez. Seleção de genótipos de alface (Lactuca sativa L.) com potencial para produção na Região do Alto Solimões, Estado do Amazonas, Brasil.. 2011. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

Orientações de outra natureza
1.
Benedito Pereira Lima Neto. Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias. 2014. Orientação de outra natureza. (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

2.
Vinícius Borges da Silva. Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias. 2014. Orientação de outra natureza. (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

3.
João Germano Gomes. Olericultura: Teoria e Prática. 2013. Orientação de outra natureza. (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

4.
Sara Santos Cardoso. Olericultura: Teoria e Prática. 2013. Orientação de outra natureza. (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

5.
Olienaide Ribeiro de Oliveira. Atividade complementar - Estágio de docência em Fitotecnia (ACP-7644). 2013. Orientação de outra natureza. (Administração) - Universidade Federal do Ceará. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

6.
Antonio Francisco Carvalho Freitas Albuquerque. Projeto Rondon na UFC. 2013. Orientação de outra natureza. (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

7.
Ingrid Pinheiro Machado. Atividades práticas em Horta Didática da Universidade Federal do Ceará. 2013. Orientação de outra natureza. (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

8.
Rafael Onofre Pereira. Atividades práticas em Horta Didática da Universidade Federal do Ceará. 2013. Orientação de outra natureza. (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Graduação - UFC. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

9.
Olienaide Ribeiro de Oliveira. Atividade complementar - Estágio de docência em Fitotecnia (ACP-8977). 2013. Orientação de outra natureza. (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

10.
Sebastián Andrés Garita. Atividade complementar - Estágio de docência em Fitotecnia (ACP-8977). 2013. Orientação de outra natureza. (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

11.
Loyda Patricia Panta Babilonia. Monitoria da disciplina: Introdução a Genética e ao Melhoramento de Plantas. 2012. Orientação de outra natureza. (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Pró-reitoria de Ensino e Graduação da Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

12.
Juliana de Mesquita Camilo. Projeto Rondon na UFC. 2012. Orientação de outra natureza. (Agronomia) - Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Ceará. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

13.
Elizângela Tourinho. Estágio Supervisionado III. 2012. Orientação de outra natureza. (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

14.
José Bezerra Maricaua. Estágio Supervisionado III. 2012. Orientação de outra natureza. (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

15.
Márcio Lopes Muller. Estágio Supervisionado III. 2012. Orientação de outra natureza. (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

16.
Caris dos Santos Viana. Monitoria da disciplina: Olericultura Tropical. 2011. Orientação de outra natureza. (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Pró-reitoria de Ensino e Graduação da Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

17.
Pollianna Almeida da Silva. Monitoria da disciplina: Introdução a Genética e ao Melhoramento de Plantas. 2011. Orientação de outra natureza. (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

18.
Érica Inês Almeida de Souza. Monitoria da disciplina: Fisiologia Vegetal. 2011. Orientação de outra natureza. (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

19.
Joana Milena Grandes Londonha. Monitoria da disciplina: Introdução a Genética e ao Melhoramento de Plantas. 2010. Orientação de outra natureza. (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

20.
Manuel Filipe Nascimento Garcia. Mandioca e Macaxeira: Difusão de técnicas e tecnologias para o aumento da produção . 2010. Orientação de outra natureza. (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas, Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

21.
Leny Almeida da Silva. Abóboras e Morangas: Técnicas e Tecnologias de Produção . 2010. Orientação de outra natureza - Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

22.
Célio Honorato da Silva. Desenvolvimento e implementação de uma horta educativa como alternativa para alimentação e aprendizado dos detentos da Delegacia Prisional de Benjamin Constant, Amazonas. 2010. Orientação de outra natureza. (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas, Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.

23.
Elson Gomes de Souza. Difundindo técnicas e tecnologias para o aumento na produção de melancia na mesorregião do Alto Solimões, Amazonas. 2010. Orientação de outra natureza. (Ciências Agrárias e do Ambiente) - Universidade Federal do Amazonas, Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Orientador: Marcelo de Almeida Guimarães.



Inovação



Projetos de pesquisa

Projeto de desenvolvimento tecnológico

Projeto de extensão


Educação e Popularização de C & T



Artigos
Artigos completos publicados em periódicos
1.
GUIMARÃES, M. A.2014GUIMARÃES, M. A. ; FEITOSA, F. R. C. . Rabanete: condições ideiais para o cultivo. Revista Campo & Negócios HF, v. 2014, p. 6-9, 2014.

2.
GUIMARÃES, M. A.2014GUIMARÃES, M. A. ; FEITOSA, F. R. C. ; TELLO, J. P. J. ; GARCIA, M. F. N. . Cubiu é novidade no mercado. Revista Campo & Negócios HF, v. 2014, p. 60-62, 2014.


Livros e capítulos
1.
GUIMARÃES, M. A. . Produção de Melancia. 1. ed. Viçosa: UFV, 2013. v. 1. 144p .

1.
GUIMARÃES, M.A. ; CALIMAN, F. R. B. ; SILVA, D. J. H. ; FLORES, M. P. ; ELSAYED, A. Y. A. M. . Exigências climáticas da cultura do tomateiro. In: Derly José Henriques da Silva; Francisco Xavier Ribeiro do Vale. (Org.). Tomate: Tecnologia de Produção. 1ed.Visconde do Rio Branco: Suprema gráfica e editora, 2007, v. , p. 85-99.

2.
GUIMARÃES, M. A. ; SILVA, L. A. . Diagnóstico quali-quantitativo dos resíduos sólidos (lixo) urbano produzidos no município de Benjamin Constant, Alto Solimões- AM. In: Maria do Perpétuo Socorro Rodrigues Chaves; Jozane Lima Santiago. (Org.). Inovação, Desenvolvimento e Sustentabilidade na Amazônia. 1ed.Manaus: EDUA, 2013, v. 1, p. 125-154.

3.
TAKANE, R. J. ; YANAGISAWA, S. S. ; GÓIS, E. A. ; GUIMARÃES, M. A. . Matéria prima tradicional. In: Roberto Jun Takane; Sergio Shoji Yanagisawa; Elias de Assis Góis. (Org.). Técnicas em substratos para a floricultura. 1ed.Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2013, v. 1, p. 41-51.

4.
TAKANE, R. J. ; GUIMARÃES, M. A. ; YANAGISAWA, S. S. ; GÓIS, E. A. ; ARAUJO, A. . Produção, manejo e transplante das plântulas. In: Roberto Jun Takane; Sergio Shoji Yanagisawa; Elias de Assis Góis. (Org.). Técnicas em substratos para a floricultura. 1ed.Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2013, v. 1, p. 115-125.

5.
PETRY, J.F. ; GUIMARÃES, M. A. . O cultivo de melancia no Brasil em números. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 27-43.

6.
VIANA, C. dos S. ; MOURA, T.N. ; GUIMARÃES, M. A. . Descrição e classificação botânica. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 44-51.

7.
GUIMARÃES, M. A. ; GARCIA, M. F. N. ; PETRY, J.F. ; SOUZA, E. G. . Principais cultivares. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 52-57.

8.
GUIMARÃES, M. A. ; SOUZA, E. G. . Desenvolvimento da cultura: condições climáticas e época de plantio. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 58-62.

9.
DAMASCENO, L. A. ; MIRANDA, J. F. ; GUIMARÃES, M. A. ; SOUZA, E. G. . O solo e seu preparo. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 63-68.

10.
DAMASCENO, L. A. ; MIRANDA, J. F. ; GUIMARÃES, M. A. . Calagem e adubação: fornecendo alimentos para as plantas. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 69-74.

11.
GUIMARÃES, M. A. ; TELLO, J. P. J. ; MONTEIRO, L. R. . Plantio e espaçamento. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 75-82.

12.
GUIMARÃES, M. A. ; SOUZA, E. G. . Irrigação: o manejo da água. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 83-91.

13.
GUIMARÃES, M. A. ; SOUZA, E. G. ; VIANA, C. dos S. . Tratos culturais. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 92-96.

14.
ASCIOLI, A. N. S. ; GUIMARÃES, M. A. ; SOUZA, E. G. . Principais pragas da cultura. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 97-105.

15.
GUIMARÃES, M. A. . Distúrbios fisiológicos. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 119-122.

16.
GUIMARÃES, M. A. ; JUNQUEIRA, M. ; SOUZA, E. G. . Colheita, transporte e conservação pós-colheita. In: Marcelo de Almeida Guimarães. (Org.). Produção de Melancia. 1ed.Viçosa: UFV, 2013, v. 1, p. 123-129.


Cursos de curta duração ministrados
1.
GUIMARÃES, M.A. ; MIRANDA, J. F. ; BOHORQUEZ, A. C. C. . Produção de mudas de hortaliças. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

2.
GUIMARÃES, M.A. ; CALIMAN, F. R. B. . A cultura do tomateiro. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

3.
GUIMARÃES, M. A. ; MIRANDA, J. F. ; BOHORQUEZ, A. C. C. . Produção de mudas de hortaliças. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

4.
GUIMARÃES, M. A. ; BOHORQUEZ, A. C. C. ; MIRANDA, J. F. . Produção de mudas de hortaliças. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

5.
GUIMARÃES, M. A. . Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

6.
GUIMARÃES, M. A. . Curso teórico/prático sobre implantação e manutenção de hortas comunitárias. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).



Outras informações relevantes


Fui selecionado em primeiro lugar para o concurso de Magistério Superior realizado pela Universidade Federal do Amazonas para o cargo de Professor do Curso de Ciências Agrárias e do Ambiente lotado no Campus Instituto Natureza e Cultura Benjamin Constant no Amazonas. DOU - Seção 1 - No 132 - 14/07/2009 - páginas 10 e 11.

Fui selecionado em primeiro lugar para o concurso de Magistério Superior realizado pela Universidade Federal do Ceará para o cargo de Professor Adjunto I lotado no Campus Fortaleza. DOU - Seção 3 - No 82 - 27.04.2012 - página 60.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 30/07/2014 às 2:01:59