Marcio Jose Silveira Lima

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/1613316788976945
  • Última atualização do currículo em 21/12/2018


Graduado (2002), licenciado (2003), mestre (2005) e doutor (2010) em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é professor da Universidade Federal do Sul da Bahia. Tem experiência na área de Filosofia, cujo tema de pesquisa é a obra de Nietzsche; como docente, tem buscado uma atuação numa perspectiva interdisciplinar, principalmente nos seguintes temas: música, mito, tragédia, cultura artística, literatura, ética, política e universidade. Orienta estudantes de Iniciação Científica em pesquisa sobre Nietzsche e ética. Publicou o livro As máscaras de Dioniso - filosofia e tragédia em Nietzsche (Discurso/Ed. Unijui, 2006) e coorganizou Verdade e linguagem em Nietzsche (EDUFBA, 2014). Tem artigos publicados sobre Nietzsche no Brasil e no exterior. É editor Responsável do periódico Cadernos Nietzsche, classificado como A1 pela Qualis/CAPES. Participou da implantação do Campus avançado da UFBA em Barreiras, ajudando a implantar cursos na área de Humanidades, como o de História e o Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades, do qual foi o primeiro coordenador; vinculado a este curso, foi autor do projeto interdiscplinar do PET- Humanidades, do qual foi o primeiro Tutor. Desde 2014 tem trabalhado na implantação da Universidade Federal do Sul da Bahia, onde foi o primeiro Decano do Instituto de Artes, Humanidades e Ciências, do Campus Paulo Freire, em Teixeira de Freitas, contribuindo para a formulação dos documentos iniciais da Instituição, como a Carta de Fundação e o Estatuto. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Marcio Jose Silveira Lima
Nome em citações bibliográficas
LIMA, Márcio J. S.;LIMA, MÁRCIO JOSÉ SILVEIRA;LIMA, M?RCIO JOS? SILVEIRA

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Sul da Bahia, Centro de Formação em Ciências Humanas e Sociais.
Rodovia Porto Seguro ? Eunápolis-BA BR-367 ? km 10
Zona rural
45810000 - Porto Seguro, BA - Brasil
Telefone: (73) 32888400


Formação acadêmica/titulação


2006 - 2010
Doutorado em Filosofia.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Perspectivismo e verdade em Nietzsche: da apropriação de Kant ao confronto com o relativismo, Ano de obtenção: 2010.
Orientador: Scarlett Zerbetto Marton.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Nietzsche; Verdade; Perspectivismo; dogmatismo; Kant.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Epistemologia.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: História da Filosofia.
2003 - 2005
Mestrado em Filosofia.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Filosofia e tragédia: um exame do dionisíaco na obra de Nietzcshe,Ano de Obtenção: 2005.
Orientador: Scarlett Zerbetto marton.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: Nietzsche; Schopenhauer; Grécia; apolíneo; Dionisíaco; Tragédia.
Grande área: Ciências Humanas
1998 - 2003
Graduação em Licenciatura em filosofia.
Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, FE-USP, Brasil.
1998 - 2002
Graduação em filosofia.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.




Atuação Profissional



Universidade Federal do Sul da Bahia, UFSB, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Editor Responsável dos Cadernos Nietzsche, Carga horária: 10, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto IV, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2013 - 2014
Vínculo: Decano IHAC, Enquadramento Funcional: Decano Pro-Tempore do IHAC, Teix. de Freitas, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

05/2018 - Atual
Ensino, Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Bases Filosóficas e Epistemológicas das Humanidades
05/2018 - Atual
Ensino, Programa de Pós Graduação em Estado e Sociedade, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Tópicos Especiais em Políticas Públicas
Tópicos Especiais em Políticas Sociais
08/2015 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Formação em Ciências Humanas e Sociais, .

05/2015 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Humanidades, Artes e Ciências do Campus Sosígenes Costa, .

02/2018 - 05/2018
Ensino, Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Formação e Consolidação das Humanidades
02/2018 - 05/2018
Ensino, Programa de Pós Graduação em Estado e Sociedade, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Teorias do Estado e Governança
11/2017 - 12/2017
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Formação em Ciências Humanas e Sociais, .

Cargo ou função
Presidente da Comissão de Seleção de Mestrado do PPGES.
09/2017 - 12/2017
Ensino, Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ciência Política
Interdisciplinaridade: Teorias e Práticas
Monografia I
05/2017 - 09/2017
Ensino, Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Bases Filosóficas e Epistemológicas das Humanidades
05/2017 - 09/2017
Ensino, Programa de Pós Graduação em Estado e Sociedade, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Projeto de Dissertação
Teorias da democracia
02/2017 - 05/2017
Ensino, Programa de Pós Graduação em Estado e Sociedade, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Teorias do Estado e da Governança (Mestrado)
Teorias do Estado e da Governança (Doutorado)
10/2016 - 12/2016
Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro de Formação em Ciências Humanas e Sociais, .

Cargo ou função
Presidente da Comissão de Seleção de Mestrado do PPGES.
09/2016 - 12/2016
Ensino, Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ciência Política
Tópicos em Filosofia da Arte
05/2016 - 09/2016
Ensino, Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Bases Filosóficas e Epistemológicas das Humanidades
02/2016 - 05/2016
Ensino, Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Retórica
Tópicos em Filosofia da Artes
09/2015 - 12/2015
Ensino, Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Bases Filosóficas e Epistemológicas das Humanidades
05/2015 - 09/2015
Ensino, Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Língua, Território e Sociedade
Universidade e Sociedade
02/2015 - 05/2015
Ensino, Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Artes, Mitologias e Identidades Culturais
língua Escrita e Sociedade
Pensar e Fazer Ciência
09/2014 - 12/2014
Ensino, Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Língua Território e Sociedade

Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2013
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, nível II, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

12/2010 - 12/2013
Outras atividades técnico-científicas , ICADS, ICADS.

Atividade realizada
Tutor do Pet Humanidades.
02/2013 - 06/2013
Ensino, Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História do pensamento filosófico e científico
Introdução ao discurso artístico
01/2011 - 06/2013
Pesquisa e desenvolvimento , ICADS, .

08/2012 - 12/2012
Ensino, Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ética e filosofia
História do pensamento filosófico e científico
Estudos das subjetividades
02/2012 - 06/2012
Ensino, Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ética e filosofia
História do pensamento filosófico e científico
08/2011 - 12/2011
Ensino, Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Introdução à filosofia
História do pensamento filosófico e científico
12/2009 - 12/2011
Direção e administração, ICADS, .

Cargo ou função
Coordenador de Curso - Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades.
02/2011 - 06/2011
Ensino, Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Elementos acadêmicos e profissionais em Humanidades (turmas 1 e 2)
08/2010 - 12/2010
Ensino, Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Introdução à filosofia
Estudo das artes II
11/2010 - 11/2010
Ensino, Gestão da Inovação tecnológica e Social, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
Metodologia para o ensino superior
03/2010 - 07/2010
Ensino, Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estudo das artes I
06/2009 - 06/2010
Direção e administração, ICADS, .

Cargo ou função
Coordenador do Núcleo de Humanidades.
08/2009 - 01/2010
Ensino, Ciências Biológicas, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ética e filosofia
Filosofia da educação
Ética, Humanidades e Sociologia
02/2009 - 07/2009
Ensino, Administração, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Bioética
Ética e filosofia
05/2007 - 05/2009
Conselhos, Comissões e Consultoria, ICADS, .

Cargo ou função
Participação da Comissão de Reelaboração do Regimento Interno do ICADS.
08/2008 - 01/2009
Ensino, Geografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ética e filosofia
10/2006 - 09/2008
Direção e administração, ICADS, .

Cargo ou função
membro de colegiado do Curso de Ciências Biológicas.
04/2008 - 08/2008
Ensino, Ciências Biológicas, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Filosofia da educação
04/2008 - 08/2008
Ensino, Administração, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ética e filosofia
09/2007 - 01/2008
Ensino, Geografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ética e filosofia
04/2007 - 08/2007
Ensino, Administração, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ética e Filosofia
04/2007 - 08/2007
Ensino, Geografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ética e filosofia

Universidade Federal do Oeste da Bahia, UFOB, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2014
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto II, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2000 - 2010
Vínculo: Estudante, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20

Atividades

03/2000 - 07/2010
Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, .


Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Vínculo institucional

2003 - 2005
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsita de Mestrado, Regime: Dedicação exclusiva.


Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Vínculo institucional

2000 - 2002
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Iniciação Científica


Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Tutor do Programação de Educação Tutorial, Carga horária: 8
Outras informações
Tutor do PET Humanidades, vinculado ao Curso de Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades do ICADS/UFBA.


Comissão de Cooperação Internacional - USP, CCINT, Brasil.
Vínculo institucional

2002 - 2003
Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estágio
Outras informações
Atendimento aos estudantes da USP que pretendiam fazer intercâmbio em Universidades Estrangeiras e alunos destas que também queriam fazer intercâmbio na USP. Colaboração na Organização de Eventos relacionados à cooperação estudantil e na divulgação e organização de processos seletivos para a escolha de canditados para efetuar intercâmbio.



Linhas de pesquisa


1.
Ética, estética e conhecimento
2.
Nietzsche
3.
História da filosofia
4.
Reflexões Musicais em Wagner, Nietzsche e Debussy (CNPQ)
5.
Sociedade, Cultura e Ambiente
6.
Estado, Instituições e Governança


Projetos de pesquisa


2016 - Atual
Reflexões musicais em Wagner, Nietzsche e Debussy
Descrição: Este projeto de pesquisa visa analisar as reflexões musicais dos compositores Richard Wagner e Claude Debussy, e do filósofo Friedrich Nietzsche, estabelecendo alguns marcos conceituais e teóricos da uma perspectiva estética e cultural que sirvam de fio condutor para unificar essas reflexões. Essa relação entre música e cultura se estabelece inicialmente pelo intenso diálogo e contato que mantiveram Nietzsche e Wagner, no início da década de 1870, o que nos permite questionar quais fins perseguiam ao estabelecer esse vínculo e por que os pressupostos de que se valeram afetaram a reflexão e a música de Debussy. Wganer sempre se preocupou com o significado das artes, buscando nos poetas alemães um caminho para situar a relação entre a palavra e a música, mas cujo fundamento de que precisa vai encontrar em Schopenhauer, uma vez que o filósofo logrou um redimensionamento da música na escala das artes e o qual será importante na concepção de Tristão e Isolda. Ora, tanto as considerações estéticas quanto as óperas wagnerianas irão ressoar nas reflexões filosóficas de Nietzsche em seu livro O nascimento da tragédia, que integra os posicionamentos wagnerianos numa reflexão mais ampla, pois além de estabelecer um liame entre música e cultura, projeta-os numa reflexão histórica sobre as matrizes do ocidente, identificando a racionalidade socrática como algo a ser superado pelo renascimento de uma cultura trágica, como foi aquela que o filósofo grego fez perecer. Para Nietzsche, a música de Wagner significava a coroação de um processo cultural cujas bases teriam começado com pensadores, poetas e filósofos alemães, como Lessing, Goethe, Schiler, Beethoven. Kant e Schopenhauer. Essa, todavia, é uma postura que será abandona por Nietzsche em suas obras posteriores, quando Wagner começa a ser duramente criticado. Entender por que o filósofo assume essa nova postura passa pela compreensão por dos pressupostos estéticos da primeira fase do filósofo. Não se trata apenas de uma mudança de perspectiva teórica, pois em muitos textos do mesmo período, veremos em estado germinal as ideias que depois seriam a arma de combate ao projeto wagneriano. Isso porque a postura de Nietzsche, condensada em O caso Wagner, retoma e amplia ideias de seus textos de juventude que não foram publicados, e projeta-se num horizonte cultural mais amplo de sua época, cujas reflexões revelam que o lugar da música no final do século XIX seria o reflexo das transformações ético, políticas, filosóficas etc. Característica dessa contexto é a obra de Claude Debussy, cuja música reflete uma intensa reflexão sobre o papel da cultura para a música, alertando, também, para os problemas logrados pela influência de Wagner. Sem estabelecer uma contato ou influência de Nietzsche para a construção dessa crítica, o projeto procurar mostrar que as exigência da época e as afinidades eletivas levaram Nietzsche e Debussy a assumir posturas semelhantes em relação ao liame entre música e palavras, arte e cultura, tendo na adesão inicial a Wagner e no rompimento posterior com esse compositor um lugar central preocupações de ambos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Marcio Jose Silveira Lima - Coordenador / Scarlett Zerbetto Marton - Integrante / Fernando Ribeiro de Moraes Barros - Integrante / Alexandre Siqueira de Freitas - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.Número de orientações: 4
2015 - Atual
Problemas contemporâneos de ética
Descrição: Um dos traços mais fortes das discussões éticas contemporâneas é a denúncia ao caráter antropocêntrico das reflexões, tentativas de fundamentações e práticas que caracterizaram as tradições morais. Embora não tenham faltado discussões e argumentos acerca do estatuto dos outros seres vivos, as correntes predominantes no Ocidente estiveram de acordo ao negar-lhes ou fazer-lhes mínimas concessões quanto ao seu estatuto ético e moral. No entanto, desde pelo menos a segunda metade do século XX essa situação começa a sofrer uma forte guinada, na medida em que pensadores de diversas áreas do conhecimento criticam as concepções éticas marcadas por preocupações meramente humanas, ou seja, antropocêntricas, negando um papel positivo aos animais e ao meio ambiente. Essas críticas podem ser consideradas a partir de duas tendências gerais: primeiro, posicionam-se contra a ideia de que o homem possui natural ou ontologicamente um status superior, o que leva à exclusão dos outros seres da esfera moral; a seguir, combatem os princípios, normas e atos baseados nessa ideia de superioridade. Como são várias as visões sobre a natureza e status do homem diante dos outros seres vivos, assim como são variadas as contribuições relativas ao enfrentamento a essas visões, este projeto propõe uma abordagem interdisciplinar, em que são considerados problemas levantados por diferentes áreas do conhecimento e, por consequência, diferentes metodologias serão adotadas..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Marcio Jose Silveira Lima - Coordenador.Número de orientações: 2
2015 - Atual
Processos de subjetivação e contemporaneidade
Descrição: A Modernidade representou uma série de transformações epistemológicas, estéticas, culturais e políticas que modificaram as práticas sociais e permitiram a constituição da subjetividade, entendida como interioridade reflexiva; e da individualidade, como campo de singularização valorativa, no âmbito coletivo. Tal contexto de mudanças implicou uma tensão entre as possibilidades de ser, derivadas da valorização do plano individual, e sua contraparte, o domínio e controle de tais individualidades. Por esse motivo, a época moderna implantou uma tensão entre a diversidade que surge das novas formas de ser, comunicar-se e relacionar-se, e a propensão dos saberes (incluídos os das humanidades) a normatizar e homogeneizar as pluralidades resistentes aos ideais e exigências do sistema econômico e político. Da mesma forma, apesar dos questionamentos pós-modernos ao sujeito e à dimensão emancipatória da modernidade, o valor do individualismo aprofundou-se nas últimas décadas, unido à promessa de felicidade oferecida pelo mercado. O antagonismo descrito observa-se atualmente na exclusão ou não reconhecimento de grupos, indivíduos, saberes, práticas sociais e valores que não respondem às tentativas de normalização. Evidencia-se também no surgimento de fanatismos e fundamentalismos religiosos e políticos. No entanto, ao mesmo tempo, a contemporaneidade é um espaço de diálogo entre o universal e o particular, cenário de movimentos sociais e lutas políticas por direitos, construção de políticas públicas, cidadania e novas formas de subjetivação. Considerando este panorama, este projeto de pesquisa objetiva estudar tais processos e modos de subjetivação no contexto das transformações socioculturais acontecidas durante a contemporaneidade. São objetos de estudo, então, os fenômenos relacionados aos devires de sujeitos e grupos nestas tensões que se estabelecem no Brasil em sua transição democrática e em sua colocação nas políticas econômicas globalizadas, desde uma perspectiva interdisciplinar, utilizando múltiplas possibilidades teórico-metodológicas..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2015 - Atual
Estado e processos de legitimação
Descrição: Este projeto de pesquisa tem como objeto as relações entre o Estado enquanto ente político e os processos sociais de legitimação. Inclui a análise das disputas de influência entre os poderes e os fenômenos discursivos e retóricos de defesa e de promoção da legitimidade de seus agentes e instâncias decisórias. Inclui ainda os modos específicos pelos quais a participação individual e coletiva dos cidadãos, por um lado e, a ampliação dos instrumentos de transparência e accountability por outro, convertem-se em elementos promotores de aceitação das decisões públicas. Abrange os procedimentos políticos de tomada de decisão e a adequação destes ao modelo de Estado Democrático de Direito, incluindo desde o tradicional esquema de representação política às experiências de democracia direta. Por fim, objetiva estudar formas alternativas de participação política alheias à estrutura estatal, mantidas por grupos sociais como indígenas, quilombolas, moradores de periferias e áreas rurais, além de outras comunidades tradicionais cujos processos decisórios possam ter influência sobre o modelo ocidental de democracia liberal..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2012 - 2014
Problemas contemporâneos de ética: uma abordagem interdisciplinar
Descrição: Um dos traços mais fortes das discussões éticas contemporâneas é a denúncia ao caráter antropocêntrico das reflexões, tentativas de fundamentações e práticas que caracterizaram as tradições morais. Embora não tenham faltado discussões e argumentos acerca do estatuto dos outros seres vivos, as correntes predominantes no Ocidente estiveram de acordo ao negar-lhes ou fazer-lhes mínimas concessões quanto ao seu estatuto ético e moral. No entanto, desde pelo menos a segunda metade do século XX essa situação começa a sofrer uma forte guinada, na medida em que pensadores de diversas áreas do conhecimento criticam as concepções éticas marcadas por preocupações meramente humanas, ou seja, antropocêntricas, negando um papel positivo aos animais e ao meio ambiente. Essas críticas podem ser consideradas a partir de duas tendências gerais: primeiro, posicionam-se contra a ideia de que o homem possui natural ou ontologicamente um status superior, o que leva à exclusão dos outros seres da esfera moral; a seguir, combatem os princípios, normas e atos baseados nessa ideia de superioridade. Como são várias as visões sobre a natureza e status do homem diante dos outros seres vivos, assim como são variadas as contribuições relativas ao enfrentamento a essas visões, este projeto propõe uma abordagem interdisciplinar, em que são considerados problemas levantados por diferentes áreas do conhecimento e, por consequência, diferentes metodologias serão adotadas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Marcio Jose Silveira Lima - Coordenador.
Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 4
2011 - Atual
Consciência e linguagem em Nietzsche
Descrição: Este projeto de pesquisa visa a investigar a relação entre consciência e linguagem na obra de Nietzsche. Analisando as rupturas e continuidades por que passa o pensamento nietzschiano, busca-se analisar em que medida a crítica à consciência e à linguagem que revela a incapacidade de elas validarem um conhecimento seguro abre um campo de possibilidade para um outro uso da linguagem, mais raro e apenas atingido pela arte. Essa possibilidade se apresenta de duas maneiras. Nas primeiras obras, a música wagneriana é tomada como essa nova linguagem capaz de atingir níveis superiores da linguagem; já nas últimas obras, é o próprio filosofar nietzschiano que ocupa este lugar. Dada a pluralidade de questões que se entrelaçam à concepção de Nietzsche sobre a consciência e a linguagem, procura-se confrontar, nesta proposta de trabalho, o caráter positivo que o filósofo atribui a sua própria filosofia a fim de estabelecer o nível dessa mesma atribuição. Noutras palavras, será investigado se a face positiva do filosofar nietzschiano corresponde às críticas que faz, ou, ao contrário, ela não consegue preencher o vazio deixado pela crítica corrosiva à linguagem..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Marcio Jose Silveira Lima - Coordenador.
Número de produções C, T & A: 10 / Número de orientações: 2
2006 - 2010
Perspectivismo e verdade em Nietzsche
Descrição: A pesquisa investiga o perspectivismo na obra de Nietzsche, bem como o confronto com a verdade que ele representa. Pretende-se mostrar que esse confronto atravessa toda a obra de Nietzsche, pois já os seus escritos iniciais revelam as condições para o surgimento da crença na verdade, além dos interesses a que ela atendia. Expondo que Nietzsche, apropriando-se do legado crítico de Kant em suas primeiras obras, ensaia uma destruição completa da verdade, pretendemos demonstrar que ele falha em seus objetivos porque a radicalidade de seus argumentos destruiria os próprios pressupostos em que estão baseados, ou seja, os do idealismo transcendental kantiano. Nesse momento em que circunscrevemos nossa análise aos escritos inicias, tentamos demonstrar que Nietzsche limita-se a refutar a noção de verdade como adequação com a coisa-em-si, mas falha ao querer ampliar esse refutação além desses limites. Por isso, analisando a maneira pela qual o combate à verdade se posiciona a partir dos escritos da década de 80, defendemos que neles o perspectivismo se torna decisivo para os problemas enfrentados inicialmente por Nietzsche. Interpretando o perspectivismo como um fenomenalismo da consciência e um interpretacionismo, investigamos, no decorrer da pesquisa, a forma pela qual Nietzsche re-elabora a crítica à verdade em seus escritos tardios. Considerando essa crítica ainda a partir da apropriação de Kant, busca-se demonstrar que ela atinge os fins perseguidos por Nietzsche sem, contudo, ficar preso aos impasses das primeiras obras. Isso implica mostrar que Nietzsche vai recusar não apenas a noção de verdade como adequação com a coisa-em-si, mas também a concepção moderna de verdade como certeza e fundamento para o conhecimento. Eis por que Nietzsche alveja a noção cartesiana do eu penso como a primeira verdade, assim como a concepção kantiana de verdade expressa nos juízos lógicos. Por isso o fenomenalismo da consciência representar a possibilidade de refutação da noção de uni.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2003 - 2005
Filosofia e tragédia, um exame do dionisíaco na obra de Nietzsche
Descrição: Esta pesquisa visa a investigar o estatuto que O nascimento da tragédia no contexto geral obra de Nietzsche a partir das análises que o próprio filósofo faz do livro no período tardio de seu pensamento. Examinando a maneira pela qual suas teses sobre o surgimento da tragédia na antiguidade grega se filiam à metafísica da vontade de Schopenhauer, busca-se compreender as interpretações posteriores de Nietzsche, quando ele já havia rompido com seu mestre de outrora e já o tomara como alvo de suas críticas. Nesse contexto, Nietzsche pretende retornar às suas teses sobre a tragédia grega a fim de concatená-las à face afirmativa de seu último e mais ambicioso projeto: a transvaloração de todos os valores. Avaliando esse procedimento nietzschiano de retomar seu primeiro livro a partir de várias leituras, investigamos as razões pelas quais essas interpretações revelam ambigüidades. Num primeiro momento, procura-se demonstrar que, tendo vinculado suas concepções mais próprias à filosofia pessimista de Schopenhauer, as avaliações de O Nascimento das tragédia devem passar pelo crivo da autocrítica. Dado esse passo, pesquisamos como Nietzsche doravante trata do livro, fazendo emergir dele a face positiva, ou seja, transpondo o dionisíaco em pathos filosófico, de modo a justificar a sua afirmação de que O nascimento da tragédia foi a sua primeira transvaloração de todos os valores..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2001 - 2003
Arte trágica e filosofia dionisíaca
Descrição: Trata-se de uma interpretação de O nascimento da tragédia de Nietzsche a partir de uma dupla estratégia: primeiramente, compreender as teses do filósofo quando publicou a obra, em 1871 e, depois, analisá-la de acordo com as releituras e análises que o próprio autor tem de seu escrito, num olhar retrospectivo. Apesar de afastar-se das concepções metafísicas que O nascimento da tragédia defende, a pesquisa pretende demonstra que, a partir da crítica à metafísica e da caracterização de uma filosofia dionisíaca, tal como aparecem nas últimas obras de Nietzsche, não se poderia mais entender a arte trágica em O nascimento da tragédia por meio de uma metafísica de artista. Pois, embora ele siga, em linhas gerais, o modelo da estética schopenhaueriana, sua compreensão do artista trágico, em vez de visar a uma negação da vontade de viver, representa a afirmação mesma da vida..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2000 - 2001
Decadência e niilismo
Descrição: O objetivo da pesquisa é analisar como Nietzsche desenvolve dois temas correntes em sua obra: a decadência e o niilismo. Pretende-se demonstrar que o niilismo é um acontecimento histórico surgido por conta da decadência grega, cuja gênese se encontra platonismo, atingindo seu auge na modernidade mercê da queda de todos os valores estabelecidos pela moral cristã. O trabalho concentra-se nos escritos publicados, tais como Genealogia da moral, Para além de bem e mal, O caso Wagner e O crepúsculo dos ídolos. pois esses textos trazem aquilo que poderíamos denominar de diagnóstico nietzschiano do niilismo e da decadência, ao passo que escritos póstumos conteriam em grande medida para a superação do niilismo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2012 - 2012
XXXII Encontros Nietzsche
Descrição: Os Encontros Nietzsche consistem num fórum permanente de debates acerca da filosofia nietzschiana. Promovidos duas vezes ao ano pelo GEN, acolhem os seus parceiros intelectuais, tanto da cena acadêmica nacional como internacional. Tendo lugar nos mais diversos estados do território nacional, procuram concorrer desde 1996 para a difusão da pesquisa sobre o pensamento de Nietzsche no Brasil..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.


Outros Projetos


2017 - Atual
Projeto de editoração dos Cadernos Nietzsche.
Descrição: Ligados ao GEN ? Grupo de Estudos Nietzsche, os Cadernos Nietzsche contam difundir textos de especialistas brasileiros e traduções de trabalhos de autores estrangeiros. Os textos podem ser em forma de artigo ou de resenha. Os Cadernos Nietzsche visam assim a constituir um fórum de debates em torno das múltiplas questões colocadas acerca e a partir da reflexão nietzschiana. Nos cem anos que nos separam do momento em que o filósofo interrompeu a produção intelectual, as mais variadas imagens colaram-se à sua figura, as leituras mais diversas juntaram-se ao seu legado. Conhecido sobretudo por filosofar a golpes de martelo, desafiar normas e destruir ídolos, Nietzsche, um dos pensadores mais controvertidos de nosso tempo, deixou uma obra polêmica que continua no centro da discussão filosófica. Daí, a oportunidade dos Cadernos. Espaço aberto para o confronto de interpretações, os Cadernos Nietzsche pretendem veicular artigos que se dedicam a explorar as ideias do filósofo ou desvendar a trama dos seus conceitos, escritos que se consagram à influência por ele exercida ou à repercussão de sua obra, estudos que comparam o tratamento por ele dado a alguns temas com os de outros autores, textos que se detêm na análise de problemas específicos ou no exame de questões precisas, trabalhos que se empenham em avaliar enquanto um todo a atualidade do pensamento nietzschiano. Além disso, publicamos resenhas de obras dedicados ao pensamento do filósofo alemão. Completando, em 2016, vinte anos de existência, os cadernos Nietzsche publicaram trabalhos dos mais renomados pesquisadores da filosofia nietzschiana nas esferas nacional e internacional. Integrando a base de dados da Scielo, os Cadernos passaram a adotar o sistema Scielo de avaliação de artigos, o Scielo Submission. Para tanto, conta com a colaboração de seu corpo editorial, formado por professores e pesquisadores de várias partes do Brasil e do exterior, que atuam como avaliadores dos artigos submetidos. Publicação que se dispõe a acolher abordagens plurais, os Cadernos Nietzsche querem levar a sério este filósofo tão singular..
Situação: Em andamento; Natureza: Outra.
2013 - 2014
Verdade e linguagem em Nietzsche
Descrição: Projeto de publicação do livro Verdade e Linguagem em Nietzsche, submetido e aprovado ao edital da 031/2012 Apoio à Publicação de livro, da FAPESB..
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
2010 - 2013
PET-Humanidades
Descrição: A proposta PET BI em Humanidades possui como objetivo principal constituir um conjunto de atividades de ensino, pesquisa e extensão capaz de elevar a qualidade de formação dos estudantes. Nessa medida, as atividades desenvolvidas pelo grupo devem concentrar-se em três eixos temáticos, a saber: história, arte e conhecimento. Além dos componentes obrigatórios da Grade do Bacharelado Interdisciplinar voltados para as culturas artísticas e científicas, os estudantes serão incentivados e cursar, no leque de optativas, outros componentes que integram esses três eixos. Além disso, os temas serão sempre reforçados em atividades extra-classes ? oficinas, mini-cursos, palestras, seminários temáticos etc. ?, que deverão explorar um horizonte mais amplo, o que é possível devido à multiplicidade de áreas de formação dos professores do ICADS. Busca-se, portanto, ampliar a formação acadêmica a partir de conteúdos ministrados para além dos componentes curriculares. Procurando estabelecer desde logo uma relação estreita entre ensino e extensão, os alunos serão orientados a promover atividades de extensão, sobretudo nas escolas públicas dos Ensinos Fundamental e Médio, mas também junto à comunidade..
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
Alunos envolvidos: Graduação: (12) .
Integrantes: Marcio Jose Silveira Lima - Coordenador / Márcio Augusto Vicente de Carvalho - Integrante / Ênio Sugiyama Júnior - Integrante / Ana Angélica dos Santos - Integrante / Armando Alexandre Costa de Castro - Integrante / Wagner de Oliveira Teles - Integrante / Aline Ribeiro Pessôa - Integrante.Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa / CAPES - Centro Anhanguera de Promoção e Educação Social - Auxílio financeiro.


Membro de corpo editorial


2004 - Atual
Periódico: Cadernos Nietzsche (1413-7755)


Revisor de periódico


2007 - 2010
Periódico: Cadernos de Ética e Filosofia Política (USP)
2010 - Atual
Periódico: Philósophos (UFG) (Cessou em 2000. Cont. ISSN 1982-2928 Revista Philósophos


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Estética.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Ética.
5.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Filosofia política.
6.
Grande área: Outros / Área: Bioética / Subárea: Ética ambiental e direito dos animais.


Idiomas


Francês
Compreende PoucoLê Bem, Escreve Pouco.
Espanhol
Compreende BemLê Bem.
Inglês
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2012
Professor Homenageado pela Turma de Formandos do Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades, ICADS/UFBA.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

SciELO
Total de trabalhos:1
Total de citações:1
Paulo Henrique da Silva Gregório.  Data: 13/10/2010

Artigos completos publicados em periódicos

1.
LIMA, Márcio J. S.2018LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e Villa-Lobos: da música dionisíaca à canção folclórica.. DISCURSO, v. 48, p. 155-175, 2018.

2.
LIMA, Márcio J. S.2018LIMA, Márcio J. S.. Percursos de Dioniso e Zaratustra: Nietzsche crítico de si mesmo. ESTUDOS NIETZSCHE, v. 9, p. 67-77, 2018.

3.
LIMA, Márcio J. S.2017LIMA, Márcio J. S.. Filosofia e interdisciplinaridade. PRÓ-POSIÇÕES (UNICAMP. ONLINE), v. 28, p. 125-140, 2017.

4.
LIMA, MÁRCIO JOSÉ SILVEIRA2017LIMA, MÁRCIO JOSÉ SILVEIRA. Canção popular e música dionisíaca em Nietzsche. CADERNOS NIETZSCHE, v. 38, p. 58-83, 2017.

5.
LIMA, MÁRCIO JOSÉ SILVEIRA2013 LIMA, MÁRCIO JOSÉ SILVEIRA. Funções regulativas em Kant e Nietzsche. Kriterion (UFMG. Impresso), v. 54, p. 367-382, 2013.

6.
LIMA, Márcio J. S.;LIMA, MÁRCIO JOSÉ SILVEIRA;LIMA, M?RCIO JOS? SILVEIRA2012 LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e a história: o problema da objetividade e do sentido histórico. Cadernos Nietzsche, v. 30, p. 159-181, 2012.

7.
LIMA, Márcio J. S.;LIMA, MÁRCIO JOSÉ SILVEIRA;LIMA, M?RCIO JOS? SILVEIRA2010LIMA, Márcio J. S.. O caráter vulgar da linguagem segundo Nietzsche. Trágica: Estudos sobre Nietzsche, v. 3, p. 28-38, 2010.

8.
LIMA, Márcio J. S.;LIMA, MÁRCIO JOSÉ SILVEIRA;LIMA, M?RCIO JOS? SILVEIRA2008 LIMA, Márcio J. S.. Em torno do gosto musical. Cadernos Nietzsche, v. 24, p. 59-85, 2008.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
LIMA, Márcio J. S.. As faces de Proteu: perspectivismo e verdade em Nietzsche. 1. ed. São Paulo/Curitiba: Humanitas/CRV, 2018. v. 1. 172p .

2.
LIMA, Márcio J. S.; ITAPARICA, A. L. M. (Org.) . Verdade e linguagem em Nietzsche. 1. ed. Salvador: Edufba, 2014. v. 1. 159p .

3.
LIMA, Márcio J. S.. As máscaras de Dioniso: filosofia e tragédia em Nietzsche. 1. ed. Unijuí/São Paulo: Editora Unijuí/Discurso, 2006. v. 1. 215p .

Capítulos de livros publicados
1.
LIMA, Márcio J. S.. Música e temporalidade em Nietzsche. In: Adriano Correia; Wilson Frezzatti Jr.. (Org.). Nietzsche. 1ed.: Anpof, 2017, v. , p. 64-73.

2.
LIMA, Márcio J. S.. O nascimento da tragédia. In: Grupo de Estudos Nietzsche - GEN. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 38-42.

3.
LIMA, Márcio J. S.. Alma. In: Grupo de Estudos Nietzsche - GEN. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 107-109.

4.
LIMA, Márcio J. S.. Aparência. In: Grupo de Estudos Nietzsche - GEN. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 115-118.

5.
LIMA, Márcio J. S.. Apolíneo. In: Grupo de Estudos Nietzsche - GEN. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 118-120.

6.
LIMA, Márcio J. S.. Arte. In: Grupo de Estudos Nietzsche. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 122-124.

7.
LIMA, Márcio J. S.. Conceito. In: Grupo de Estudos Nietzsche - GEN. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 149-151.

8.
LIMA, Márcio J. S.. Eu. In: Grupo de Estudos Nietzsche - GEN. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 219-220.

9.
LIMA, Márcio J. S.. Ilusão. In: Grupo de Estudos Nietzsche - GEN. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 264-266.

10.
LIMA, Márcio J. S.. Mentira. In: Grupo de Estudos Nietzsche - GEN. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 300-302.

11.
LIMA, Márcio J. S.. Metáfora. In: Grupo de Estudos Nietzsche - GEN. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 304-306.

12.
LIMA, Márcio J. S.. Razão. In: Grupo de Estudos Nietzsche - GEN. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 352-354.

13.
LIMA, Márcio J. S.. Verdade. In: Grupo de Estudos Nietzsche - GEN. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 408-422.

14.
LIMA, Márcio J. S.. Filósofos do futuro. In: Grupo de Estudos Nietzsche - GEN. (Org.). Dicionário Nietzsche. 1ed.São Paulo: Edições Loyola, 2016, v. 1, p. 233-234.

15.
LIMA, Márcio J. S.. O que Nietzsche deve aos antigos. In: Marcelo Carvalho & Wilson Antonio Frezzatti Jr.. (Org.). Nietzsche. 1ed.São Paulo: ANPOF, 2015, v. 1, p. 443-456.

16.
LIMA, Márcio J. S.. Lógica e retórica no jovem Nietzsche. In: Márcio José Silveira Lima; André Luís Mota Itaparica. (Org.). Verdade e linguagem em Nietzsche. 1ed.Salvador: Edufba, 2014, v. 1, p. 121-134.

17.
LIMA, Márcio J. S.. Ciò che Nietzsche deve agli antichi. In: Stefano Busellato. (Org.). Nietzsche dal Brasile Contributi alla ricerca contemporanea. 1ed.Pisa: EDIZIONI ETS, 2014, v. 1, p. 131-145.

18.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e a linguagem: algumas considerações sobre retórica, lógica e interpretação. In: Marcelo Carvalho; Vinicius Figueiredo. (Org.). Filosofia alemã: de Marx a Nietzsche. 1ed.São Paulo: ANPOF, 2013, v. 1, p. 137-147.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
LIMA, Márcio J. S.. Música e mito na época trágica dos gregos. In: Encontro de Pesquisa na Graduação em Filosofia, 2002, São Paulo. Primeiros Escritos, 2002.

2.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche: um crítico da modernidade. In: Encontro da Graduação em filosofia, 2001, São Paulo. Primeiros Escritos, 2001.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
LIMA, Márcio J. S.. Antidogmatismo e verdade: uma tentativa de interpretar Nietzsche a partir de seu perspectivismo. In: XXXIV Encontros Nietzsche, 2013, Campinas. Caderno de Resumo dos XXXIV Encontros Nietzsche, 2013. p. 24-24.

2.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e a linguagem: algumas considerações sobre retórica, lógica e interpretação. In: XV Encontro Nacional da ANPOF, 2012, Curitiba. caderno de resumos, 2012. v. XV. p. 508-508.

3.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche: genealogia como história. In: II Encontro de São Lázaro, 2011, Salvador. II Encontro de São Lázaro. Salvador: Quarteto Editora, 2011. v. I. p. 240-240.

4.
LIMA, Márcio J. S.. O caráter vulgar da linguagem segundo Nietzsche. In: XIV Encontro Nacional da ANPOF, 2010, Águas de Lindóia. Livro de Atas do XIV Encontro Nacional da ANPOF. Campinas: ANPOF, 2010. v. XIV. p. 369-369.

5.
LIMA, Márcio J. S.. Vontade de potência: interpretação e método. In: XIII Encontro Nacional da ANPOF, 2008, Canela-RS. Livro de Atas do XIII Encontro Nacional da ANPOF, 2008. v. 13.

6.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e o perspectivismo. In: XII Encontro Nacional da ANPOF, 2006, Salvador. Livro de Atas da ANOF, 2006.

7.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e o pessimismo da força. In: XI Encontro Nacional de Filosofia da ANPOF, 2004, Salvador. Livro de Atas do XI Encontro Nacional de Filosofia da ANPOF. Salvador: EDUFBA, 2004. p. 301-301.

8.
LIMA, Márcio J. S.. O papel de O Nascimento da tragédia na obra de Nietzsche. In: Simpósio Internacional de Iniciação científica da Universidade de São Paulo, 2002, São Palo. Cd-Rom de Resumos do Siicusp, 2002.

9.
LIMA, Márcio J. S.. Mito e cultura na antigüidade grega: a propósito de alguns escritos iniciais de Nietzsche. In: Simpósio Internacional de Iniciação científica da Universidade de São Paulo, 2001, São Paulo. Livro de resumos do 9º SIICUSP, 2001.

10.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e a crítica ao ideal ascético como guardião do niiilismo. In: Simpósio Internacional de Iniciação científica da Universidade de São Paulo, 2000, São Paulo. Home-Page do Siicusp, 2000.

Apresentações de Trabalho
1.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche, Debussy e a música do sul. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
LIMA, Márcio J. S.. Os percursos de Dioniso e Zaratustra: Nietzsche crítico de si mesmo. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
LIMA, Márcio J. S.. Música e temporalidade em Nietzsche. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
LIMA, Márcio J. S.. Da atualidade da crítica de Nietzsche à construção do conhecimento. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
LIMA, Márcio J. S.. Canção popular e música dionisíaca em Nietzsche. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
LIMA, Márcio J. S.. História e método: o caso da Genealogia da moral. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e o futuro da música. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

8.
LIMA, Márcio J. S.. Estudo sobre a vida e a obra do escritor Sosígenes Costa. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

9.
LIMA, Márcio J. S.. Ciência estética em O nascimento da tragédia de Nietzsche. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

10.
LIMA, Márcio J. S.. Notas sobre a filosofia e ciência em Nietzsche. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
LIMA, Márcio J. S.. Antidogmatismo e verdade: uma tentativa de interpretar Nietzsche a partir de seu perspectivismo. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

12.
LIMA, Márcio J. S.. Lógica e retórica no jovem Nietzsche. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

13.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e as ficções metodológicas: da unidade lógica ao pluralismo metodológico. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

14.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche frente às ciências naturais. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

15.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e a linguagem: algumas considerações sobre retórica, lógica e interpretação. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

16.
LIMA, Márcio J. S.. Peter Singer e a discussão ética sobre os direitos dos animais. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

17.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche: genealogia como história. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

18.
LIMA, Márcio J. S.. Modernidade e história: o problema da memória na subjetividade do homem moderno. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

19.
LIMA, Márcio J. S.. O contrato natural de Michel Serres. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

20.
LIMA, Márcio J. S.. Perspectivismo e verdade na obra de Nietzsche. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

21.
LIMA, Márcio J. S.. O caráter vulgar da linguagem segundo Nietzsche. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
LIMA, Márcio J. S.. O nascimento da tragédia, de Nietzsche. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

23.
LIMA, Márcio J. S.. Vontade de potência: interpretação e método. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

24.
LIMA, Márcio J. S.. Ética e responsabilidade. 2007. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

25.
LIMA, Márcio J. S.. As máscaras de Dioniso: filosofia e tragédia em Nietzsche. 2006. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

26.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e o perspectivismo. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

27.
LIMA, Márcio J. S.. Em torno do gosto musical. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

28.
LIMA, Márcio J. S.. Perspectivismo e criação em Nietzsche. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

29.
LIMA, Márcio J. S.. A vida: insustentável leveza ou o mais pesado dos pesos. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

30.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e o pessimismo da força. 2004. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

31.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e Schopenhauer: semelhanças e dessemelhanças. 2003. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

32.
LIMA, Márcio J. S.. Dois olhares de Nietzsche para Richard Wagner. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

33.
LIMA, Márcio J. S.. O papel de O nascimento da tragédia na obra de Nietzsche. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

34.
LIMA, Márcio J. S.. Música e mito na época trágica dos gregos. 2001. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

35.
LIMA, Márcio J. S.. Mito e Cultura na Antigüidade Grega: a propósito de alguns escritos iniciais de Nietzsche. 2001. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

36.
LIMA, Márcio J. S.. Mito e Cultura na Antigüidade Grega: a propósito de alguns escritos iniciais de Nietzsche. 2001. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

37.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche: um crítico da modernidade. 2000. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

38.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e o niilismo como expressão da decadência. 2000. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

39.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche e o ideal ascético como guardião do niilismo. 2000. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções bibliográficas
1.
DREWS, P. ; LIMA, Márcio J. S. . O conceito de cultura no período extemporâneo de Nietzsche. Porto Seguro/Guarulhos: GEN, 2018. (Tradução/Artigo).

2.
CRAGNOLINI∗ ; LIMA, Márcio J. S. . Proposições nietzschianas para pensar a questão animal. Guarulhos-Porto Seguro: GEN-Letra 1, 2018. (Tradução/Artigo).

3.
GONZALEZ, M. R. ; LIMA, Márcio J. S. . ?Mantenha-se mediterrâneo!?: Razões do entusiasmo de Nietzsche por Carmen, 2017. (Tradução/Artigo).

4.
SANCHEZ, S. ; LIMA, Márcio J. S. . Auf dem Rücken eines Tigers in Träumen hängend: Animalidade, sonho e razão. Porto Alegre: Editora ZOUK, 2017. (Tradução/Artigo).

5.
CRAGNOLINI, M. B. ; LIMA, Márcio J. S. . GEN. Dicionário Nietzsche. São Paulo: Edições Loyola, 2016.. Guarulhos/Porto Seguro: GEN, 2017. (Tradução/Artigo).

6.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA JUNIOR, I. . Cadernos Nietzsche completam 20 anos. Guarulhos/Porto Seguro: GEN, 2016 (Editorial).

7.
LIMA, Márcio J. S.. Cadernos Nietzsche: trazem quarta parte do dossiê Nietzsche no Brasil. Guarulhos/Porto Seguro: GEN, 2016 (Editorial).

8.
LOPES, R. A. ; LIMA, Márcio J. S. . Cadernos Nietzsche trazem discussão sobre as tradições morais. Guarulhos/Porto Seguro: GEN, 2016 (Editorial).

9.
MOYA, G. L. ; LIMA, Márcio J. S. . MARTON, Scarlett (Org.). Nietzsche em chave hispânica.. Guarulhos/Porto Seguro: GEN, 2016. (Tradução/Artigo).

10.
LIMA, Márcio J. S.. Os Cadernos Nietzsche iniciam um novo ciclo 2015 (Editorial).

11.
LIMA, Márcio J. S.. Os Cadernos Nietzsche receberam a classificação A1 na última avaliação da Qualis/ CAPES. São Paulo: Scielo, 2015 (Editorial).

12.
LLINARES, J. B. ; LIMA, Márcio J. S. . A filosofia da linguagem em Nietzsche. São Paulo: Edições loyola, 2015. (Tradução/Artigo).

13.
LLINARES, J. B. ; LIMA, Márcio J. S. . Filosofia e linguagem no jovem Nietzsche, 2015. (Tradução/Artigo).

14.
CONILL-SANCHO, J. ; LIMA, Márcio J. S. . A 'grande política'. Guarrulhos/Porto Seguro: GEN, 2015. (Tradução/Artigo).

15.
LIMA, Márcio J. S.; ITAPARICA, A. L. M. . Verdade e Linguagem em Nietzsche. Salvador: EDUFBA, 2014 (Apresentação de obra).

16.
SIEMENS, H. ; TONGEREN, P. V. ; LIMA, Márcio J. S. . Introdução: o dicionário Nietzsche, 2012. (Tradução/Artigo).

17.
ACUÑA, G.A.M. ; LIMA, Márcio J. S. . Filosofia e interpretação no pensamento do jovem Nietzsche. São Paulo: Editora da Unifesp, 2011. (Tradução/Artigo).


Demais tipos de produção técnica
1.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA JUNIOR, I. . Cadernos Nietzsche Vol. 39.1. 2018. (Editoração/Periódico).

2.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA JUNIOR, I. . Cadernos Nietzsche Vol. 39.2. 2018. (Editoração/Periódico).

3.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA JUNIOR, I. . Cadernos Nietzsche 39.3. 2018. (Editoração/Periódico).

4.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA JUNIOR, I. . Cadernos Nietzsche Vol 38, N. 1. 2017. (Editoração/Periódico).

5.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA JUNIOR, I. . Cadernos Nietzsche Vol 38, N. 3. 2017. (Editoração/Periódico).

6.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA JUNIOR, I. . Cadernos Nietzsche Vol 38, N. 2. 2017. (Editoração/Periódico).

7.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA JUNIOR, I. . Cadernos Nietzsche V. 37, N. 1. 2016. (Editoração/Periódico).

8.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA JUNIOR, I. . Cadernos Nietzsche V. 37, N. 2. 2016. (Editoração/Periódico).

9.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA JUNIOR, I. . Cadernos Nietzsche Vol 37, N. 3. 2016. (Editoração/Periódico).

10.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA JUNIOR, I. . Cadernos Nietzsche V. 36, N.1. 2015. (Editoração/Periódico).

11.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA JUNIOR, I. . Cadernos Nietzsche V. 36, N. 2. 2015. (Editoração/Periódico).

12.
LIMA, Márcio J. S.. Reflexões musicais em Wagner, Nietzsche e Debussy. 2014. (Mini-Curso).

13.
LIMA, Márcio J. S.. O que Nietzsche deve aos antigos.. 2014. (Mini-Curso).

14.
LIMA, Márcio J. S.. Filosofia para o ensino fundamental e médio. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

15.
LIMA, Márcio J. S.. Curso de capacitação para os professores do Ensino Fundamental. 2007. .

16.
LIMA, Márcio J. S.. Filosofia para o ensino fundamental e médio. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

17.
LIMA, Márcio J. S.. Estética. 2005. (Mesa-redonda).

18.
LIMA, Márcio J. S.. Pensar contra Nietzsche. 2005. (Mesa-redonda).

19.
LIMA, Márcio J. S.. Um Século de Sartre. 2005. (Mesa-redonda).

20.
LIMA, Márcio J. S.. As Paixões. 2003. (Mini-Curso).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
LIMA, Márcio J. S.; ARALDI, C. L.; RUBIRA, L. E.. Participação em banca de Marco Vinicio Pereira do Espírito Santo. Absurdo e Revolta: uma introdução a ?O homem revoltado? de Camus como resposta ao problema do niilismo em Nietzsche. 2017. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal de Pelotas.

2.
LIMA, Márcio J. S.; ITAPARICA, A. L. M.; SAES, S. F. A.. Participação em banca de Carine Rodrigues Correia Silva. Mundo metafórico: a relação entre retórica e linguagem no pensamento do jovem Nietzsche. 2013. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia.

Teses de doutorado
1.
DOTTAVIANO, I. M. L.; GONZALEZ, M. E. Q.; MORENO, A. R.; TASSINARI , R. P.; MORAES, O. C. K. Q.; LIMA, Márcio J. S.. Participação em banca de Márcio Augusto Vicente de Carvalho. Auto-organização e nação em Michel Debrun. 2015. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Estadual de Campinas.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA, H. A.; PIAUI, W. S.. Filosofia e história da ciência. 2014. Universidade Federal do Oeste da Bahia.

2.
LIMA, Márcio J. S.; SUGIYAMA JUNIOR, E.; SANTOS, A. A.. Arte. 2013. Universidade Federal da Bahia.

3.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA, G. F.; SILVA, H. A.. Filosofia Geral. 2013. Universidade Federal do Oeste da Bahia.

4.
LIMA, Márcio J. S.; SUGIYAMA JUNIOR, E.; SILVA, A. A.. Filosofia. 2013. Universidade Federal do Oeste da Bahia.

5.
CARVALHO, M. A. V.; SILVA, S. A. F.; SILVA, H. A.; LIMA, Márcio J. S.. Ética e política, Ética e filosofia, Bioética e Filosofia da educação. 2012. Universidade Federal da Bahia.

6.
LIMA, Márcio J. S.; CALDEIRA, F. R.; TOLLE, O.. Filosofia. 2012. Universidade Federal da Bahia.

7.
LIMA, Márcio J. S.; CARVALHO, M. A. V.; SILVA, H. A.. Ética e Política, Ética e Filosofia, Bioética, Filosofia da Educação. 2012. Universidade Federal da Bahia.

8.
LIMA, Márcio J. S.; MELO, S. M.; OLIVEIRA, G. C.. Estudo das Artes e Leitura e Produção de Textos em Língua Francesa. 2010.

9.
LIMA, Márcio J. S.; Laura Maria Caetano da Silva; PEREIRA JUNIOR, L.. Filosofia e metodologia da pesquisa científica. 2009. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

Outras participações
1.
LIMA, Márcio J. S.; SANTOS, F. S.; BELASCO, I.. Comissão Avaliadora de Trabalhos Acadêmicos do III ENABLI - Encontro Nacional dos Bacjarelados e Licenciaturas Interdisciplinares. 2014. Universidade Federal do Sul da Bahia.

2.
LIMA, Márcio J. S.; SILVA, G. F.; PAULA, M.; RIBAS, H. I. R.. Seleção de Tutor do PET. 2013. Universidade Federal do Oeste da Bahia.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
XVII Encontro Nacional da ANPOF.Canção popular e música dionisíaca em Nietzsche. 2016. (Encontro).

2.
III ENABLI - Encontro Nacional dos Bacharelados e Licenciaturas Interdisciplinares. 2014. (Encontro).

3.
XVI Encontro Nacional da ANPOF.O que Nietzsche deve aos antigos. 2014. (Encontro).

4.
XV Encontro Nacional da ANPOF. 2012. (Encontro).

5.
XIV Encontro Nacional da ANPOF. 2010. (Encontro).

6.
XIII Encontro Nacional da ANPOF. 2008. (Encontro).

7.
VI Semana do meio Ambiente do Oeste da Bahia.Transposição das águas do rio São Francisco (mediador do debate). 2007. (Encontro).

8.
XII Encontro Nacional da ANPOF. 2006. (Encontro).

9.
XI Encontro Nacional de Filosofia da ANPOF. 2004. (Encontro).

10.
XI Encontro Nacional de Filosofia da ANPOF. 2004. (Encontro).

11.
Democracia e Liberdade: Interlocuções com Marilena Chauí. 1998. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
LIMA, Márcio J. S.. XXXVIII Encontros Nietzsche. 2016. (Outro).

2.
LIMA, Márcio J. S.. III ENABLI - Encontro Nacional dos Bacharelados e Licenciaturas Interdisciplinares. 2014. (Outro).

3.
LIMA, Márcio J. S.. II Colóquio A Paciência do Texto. 2013. (Outro).

4.
LIMA, Márcio J. S.. XXXII Encontros Nietzsche: Verdade e Linguagem. 2012. (Outro).

5.
LIMA, Márcio J. S.. Fórum de Debates: Relação Entre Desenvolvimento Econômico e Desenvolvimento Humano no Município de Barreiras/BA. 2011. (Outro).

6.
LIMA, Márcio J. S.. Pensar contra Nietzsche (Colóquio). 2005. (Outro).

7.
LIMA, Márcio J. S.. Nietzsche: filosofia e música. 2005. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Tainan Cristina de Araujo Bogo. Cultura e memoria: a produção musical do MST como instrumento de luta social e preservação da historia. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Estado e Sociedade) - Universidade Federal do Sul da Bahia. (Orientador).

2.
Maira Prieto Bento Dourado. Criação e finitude: uma reflexão a luz da fenomenologia existencial. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Estado e Sociedade) - Universidade Federal do Sul da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Zenilton Gondim Silva. Governamentalidade e Subjetivação: um estudo com os Técnicos-Administrativos em Educação na Universidade Federal do Sul da Bahia. Início: 2017. Tese (Doutorado em Programa de Pós Graduação em Estado e Sociedade) - Universidade Federal do Sul da Bahia. (Coorientador).

Iniciação científica
1.
Moreno Fernandes do Nascimento. Villa-Lobos: música popular e cultura identitária. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal do Sul da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

2.
Daniel dos Santos Durans. Nietzsche e as identidades culturais musicais. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Interdisciplinar em Artes) - Universidade Federal do Sul da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. (Orientador).

3.
Denise Reis Santos. Música e literatura no pensamento de Nietzsche. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal do Sul da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
André L. S. Souza, Erica N.R. Santos, Hayane I. R. Ribas. Problemas éticos no romance A vida dos animais: uma abordagem interdisciplinar. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal do Oeste da Bahia, Programa de Educação Tutorial. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

2.
Bruna de Oliveira Costa. Trabalho de Conclusão de Curso. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal do Oeste da Bahia. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

Iniciação científica
1.
Natália da Costa Teixeira. Música e temporalidade na obra de Nietzsche. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal do Sul da Bahia, Universidade Federal do Sul da Bahia. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

2.
Ilária Santos Rossi. Especismo e Ética Animal em Peter Singer. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Interdisciplinar em Saúde) - Universidade Federal do Sul da Bahia, Universidade Federal do Sul da Bahia. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

3.
Denise Reis Santos. Som e palavra: a união do dionisíaco e do apolíneo em Nietzsche. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal do Sul da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

4.
Renilda Macedo Pereira. Representação animal na literatura. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Abi - Licenciaturas Interdisciplinares) - Universidade Federal do Sul da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

5.
Jaisa Soares Lima. Especismo e ética animal em Peter Singer.. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Interdisciplinar em Saúde) - Universidade Federal do Sul da Bahia, Universidade Federal do Sul da Bahia. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

6.
Bruna de Oliveira Costa. Nietzsche e as formas da história: genealogia e transvaloração. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

7.
Hayane Inês da Rocha Ribas. Discussões ética no romance A vida dos animais, de John Coetzee. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal da Bahia, Programa de Educação Tutorial. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

8.
André Luiz Sales de Souza. Discussões éticas no romance A vida dos animais, de John Coetzee. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal da Bahia, Programa de Educação Tutorial. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

9.
Érica Naiara dos Santos Ribeiro. Discussões éticas no romance A vida dos animais, de John Coetzee. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal da Bahia, Programa de Educação Tutorial. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

10.
Bruna de Oliveira Costa. Nietzsche e o sentido histórico. Uma relação entre memória e esquecimento. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

11.
Bruna de Oliveira Costa. Nietzsche e o problema da formação da memória. 2011. Iniciação Científica. (Graduando em Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

Orientações de outra natureza
1.
Dileã Abner Dourado Santos. Aspectos históricos e culturais de Barreiras. 2007. Orientação de outra natureza. (Administração) - Universidade Federal da Bahia, Universidade Federal da Bahia. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

2.
Tainan Barreto Gomes. Aspectos históricos e culturais de Barreiras. 2007. Orientação de outra natureza. (Geografia) - Universidade Federal da Bahia, Universidade Federal da Bahia. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.

3.
Alanna Cristina Vieira Rodrigues da Silva. Aspectos históricos e culturais de Barreiras. 2007. Orientação de outra natureza. (Geologia) - Universidade Federal da Bahia, Universidade Federal da Bahia. Orientador: Marcio Jose Silveira Lima.



Inovação



Outros projetos


Educação e Popularização de C & T



Apresentações de Trabalho
1.
LIMA, Márcio J. S.. Peter Singer e a discussão ética sobre os direitos dos animais. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).



Outras informações relevantes


Aprovado em primeiro lugar no concurso público para Professor Assistente da Universidade Federal da Bahia (Campus Barreiras) realizado nos dias 25 e 26 de maio de 2006. Aprovado em segundo lugar no concurso público para Professor Assistente da Universidade Federal do Recôncavo Baiano, realizado de 13 a 15 de maio de 2006. Teve o projeto de criação de um Programa de Educação Tutorial - PET - aprovado no edital 09/2010 do MEC/SESu. Desde dezembro de 2010 é tutor do PET-Humanidades do ICADS/UFBA. Organizou, juntamente com André Luís Mota Itaparica (UFRB), a proposta de livro "Verdade e Linguagem em Nietzsche", aprovada no edital FAPESB 031/2012 (Apoio à Publicação Científica), que será lançado em breve pela EDUFBA.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 18/01/2019 às 23:08:15