Jonis Freire

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8242887985357004
  • Última atualização do currículo em 18/12/2018


Professor do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense (UFF). Possui graduação em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP/2000), mestrado em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Franca (UNESP/2004), Doutorado em História pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP/2009) e Pós-Doutorado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG/2014). Foi professor do Programa de Pós-graduação em História do Brasil (PPGHB) Universidade Salgado de Oliveira. É Pesquisador da Rede de Grupos de Pesquisa Escravidão e Mestiçagens. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil (Colônia e Império) , atuando principalmente nos seguintes temas: Sociedades Escravistas (XVIII e XIX) e Demografia e Economia da escravidão. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Jonis Freire
Nome em citações bibliográficas
FREIRE, Jonis

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal Fluminense, Departamento de História.
Rua Professor Marcos Waldemar de Freitas Reis, Bloco O, 5 Andar
São Domingos
24210201 - Niterói, RJ - Brasil
Telefone: (21) 26292921
URL da Homepage: http://www.historia.uff.br


Formação acadêmica/titulação


2004 - 2009
Doutorado em Doutorado em História.
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Título: Escravidão e Família escrava na Zona da Mata Mineira Oitocentista, Ano de obtenção: 2009.
Orientador: Robert Wayne Andrew Slenes.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: Alforrias; Demografia Escrava; Família escrava; Família Escrava - Minas Gerais - século XIX; Tráfico de escravos; Reprodução natural.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História de Minas Gerais.
2002 - 2004
Mestrado em História.
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Título: Batismo e Compadrio em uma freguesia escravista: Senhor Bom Jesus do Rio Pardo, 1838-1888,Ano de Obtenção: 2004.
Orientador: Maria Aparecida de Souza Lopes.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: História Social; Brasil - História - século XIX; Registros Paroquiais - Zona da Mata [Minas Gerais]; Compadrio - Batismo - Escravidão; Demografia Escrava.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil / Especialidade: História do Brasil Império.
1996 - 2000
Graduação em História.
Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Brasil.
Título: Espaços urbanos de uma sociedade rural: Minas Gerais, 1808-1835 (Iniciação Científica).
Orientador: Angelo Alves Carrara.
Bolsista do(a): Programa Institucional de Pesquisa, PIP/UFOP, Brasil.


Pós-doutorado


2013 - 2014
Pós-Doutorado.
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas


Formação Complementar


2008 - 2008
História de Minas Gerais. (Carga horária: 12h).
Cedeplar/UFMG, CEDEPLAR/UFMG, Brasil.
2005 - 2005
Curso Avan. sobre Relações Raciais e Cultura Negra. (Carga horária: 90h).
Centro de Estudos Afro-Orientais da Universidade Federal da Bahia, CEAO-UFBA, Brasil.
2004 - 2004
Novas perspectivas em demografia histórica.
Associação Brasileira de Estudos Populacionais, ABEP, Brasil.


Atuação Profissional



Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Rede de Grupos de Pesquisa Escravidão e Mestiçagens, RGPEM, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Pesquisador, Enquadramento Funcional: Pesquisador
Outras informações
A Rede de Grupos de Pesquisa Escravidão e Mestiçagens foi fundada em 27 de outubro de 2014, em Mariana, MG, por Eduardo França Paiva, Isnara Pereira Ivo e Marcia Amantino, que a co-coordenam e que lideram, respectivamente, os seguintes grupos de pesquisa cadastrados no CNPq: Grupo de Pesquisa CNPQ-UFMG Escravidão, mestiçagem, trânsito de culturas e globalização - séculos XV a XIX; Grupo de Pesquisa CNPQ-UESB Escravidão e mestiçagens: escravidão, comércio e trânsitos culturais nos sertões da Bahia e de Minas Gerais. Século XVIII e Grupo de Pesquisa CNPQ-UNIVERSO Sociedades escravistas nas Américas. Outros grupos de pesquisa brasileiros e estrangeiros encontram-se associados à Rede, que nessa ocasião passou a substituir o Grupo de Estudos Escravidão e Mestiçagens, criado em 2005 e atuante desde então, contando com encontros bianuais, tendo publicados 3 livros resultantes destes encontros e um quarto no prelo. A Rede tem sede no Departamento de História da Universidade Federal de Minas Gerais e possui o Selo Editorial MESTIÇOS, dedicado a publicações eletrônicas.


Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Sub-chefe do Departamento de História, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Membro do Conselho de Curadores da UFF, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor do Programa de Pós-graduação, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

04/2014 - Atual
Ensino, Abi - História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História e Economia - 2014/1
Seminário de História Econômica e Social V - 2014/1
Métodos e Técnicas em Pesquisa Histórica - 2014/2
História da Escravidão no Brasil - 2014/2

Universidade Salgado de Oliveira, UNIVERSO, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Professor Colaborador do PPGH, Enquadramento Funcional: Colaborador sem vínculo empregatício, Carga horária: 0

Vínculo institucional

2009 - 2014
Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Professor do PPGHB, Carga horária: 40
Outras informações
Professor do Programa de Pós-graduação em História do Brasil

Atividades

08/2009 - 04/2014
Ensino, Mestrado em História, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
2009/2 - Seminário Especial: Sociedades escravistas nas Américas - Disciplina: Escravidão e Liberdade no Brasil Oitocentista
2010/1- Tópico especial: História e historiografia da escravidão: Disciplina: Demografia e estruturas sociais no Brasil
2010/2 - Seminário: Historiografia e Sociedade Escravista no Brasil - Disciplina: Demografia da escravidão séculos XVIII e XIX
2011/1 - Seminário de Pesquisa
2011/1 - Seminário Especial: História e historiografia da escravidão no Brasil - Disciplina: História e Historiografia da escravidão no Brasil
2011/2- Tópico Especial: Demografia e estruturas sociais no Brasil - Disciplina: Tráfico, Família e comunidade escrava no Brasil
2012/1 - Seminário Especial: História e historiografia da escravidão no Brasil - Disciplina - Sociedades escravistas no Brasil, séculos XVIII e XIX
08/2009 - 04/2014
Ensino, Mestrado em História do Brasil, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
2011/1 - Seminário de Pesquisa II
2012/1 - Seminário de Pesquisa II
2012/2 - Seminário de Pesquisa II
2013/1 - Seminário Especial: Sociedades escravistas nas Américas - Disciplina: Família escrava, séculos XVIII e XIX
06/2009 - 04/2014
Pesquisa e desenvolvimento , Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, .


Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2014
Vínculo: Estágio Pós-doutoral, Enquadramento Funcional: Aluno de Pós-doutorado


Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2009
Vínculo: Pesquisador, Enquadramento Funcional: Estudante - Pós-Graduação, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

3/2004 - 2/2009
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de História.

Linhas de pesquisa
História Social da Cultura

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Vínculo institucional

2002 - 2004
Vínculo: Pesquisador, Enquadramento Funcional: Estudante - Pós-Graduação, Carga horária: 40

Atividades

3/2002 - 3/2004
Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de História, Direito e Serviço Social de Franca, Departamento de História Social Política e Econômica.

Linhas de pesquisa
História da Cultura Social

Faculdades Integradas Maria Imaculada, FIMI, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 4

Atividades

04/2009 - 12/2009
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da África II
História da África I

Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Brasil.
Vínculo institucional

2000 - 2001
Vínculo: Pesquisador associado, Enquadramento Funcional: Pesquisador associado, Carga horária: 20

Vínculo institucional

1999 - 2000
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: bolsista, Carga horária: 20

Atividades

1/2000 - 12/2001
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Departamento de Historia.



Linhas de pesquisa


1.
História Econômica e Demográfica
2.
História Social da Cultura

Objetivo: Esta linha de pesquisa desenvolve uma reflexão política, historiográfica e metodológica sobre o universo da cultura centrada nos sujeitos históricos e em sua diversidade, enfocando os confrontos culturais presentes em diferentes espaços e práticas sociais. Três grandes eixos articulam o conjunto de trabalhos em andamento: um dedica-se a verificar os limites e possibilidades das abordagens apoiadas em critérios étnicos e raciais, enfatizando a experiência de negros, africanos e seus descendentes. Outro volta-se especificamente para os intelectuais, em especial os literatos e folcloristas, que pensaram, tematizaram e investigaram aquilo que definiam como "o popular". O terceiro toma como objeto justamente a abstração que foi colocada no lugar destes diversos sujeitos, ou seja, "a Nação" ou "o Povo" em suas tradições festivas e coletivas das ruas, procurando múltiplos significados em situações que a bibliografia elegeu como expressões da identidade brasileira..
Grande área: Ciências Humanas
Palavras-chave: História Social da Cultura.
3.
História da Cultura Social
4.
Sociedade, Cultura e Trabalho

Objetivo: A linha de pesquisa tem como objetivo analisar o escravismo brasileiro e suas interfaces: continuidade e rupturas; A dinâmica social e cultural em sociedades agrárias e urbanas; As formas de organização do trabalho e suas relações com a ordem jurídica, com o cotidiano, a família, a hierarquia e os valores sociais constituídos; A etnicidade, cultura, identidade e gênero na constituição dos grupos sociais; As dimensões sociais e culturais entre a vida e a morte; A cultura e as representações sociais no campo de ensino, das religiosidades, dos saberes e das instituições..


Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Poderes políticos, trocas culturais, escravidão e cidadania no longo século XIX (1750-1930). Relizado no âmbito do CEO ? NEMIC - NUPEHC - HEQUS/ UFF
Descrição: Este projeto de pesquisa reúne pesquisadores do Centro de Estudos do Oitocentos (CEO); Núcleo de Estudos de Migrações, Identidades e Cidadania (NEMIC); Núcleo de Pesquisas em História Cultural (NUPEHC) e História Econômica Quantitativa e Social (HEQUS), quatro núcleos de pesquisa, CNPq, vinculados ao PPGH/UFF e com tradição de pesquisas conjuntas. O Centro de Estudos do Oitocentos (CEO) obteve apoio e "abrigou" os projetos PRONEX (Editais 2003, 2006 e 2009), sendo os dois primeiros propostos por José Murilo de Carvalho e coordenados executivamente por Gladys Sabina Ribeiro. Finalizado o PRONEX 2009 foi firmada parceria entre CEO e NUPEHC, nesse sentido continuar-se-á o estudo das dimensões do Estado em sua centralidade, bem como de suas instituições. Na parceria com o NEMIC, trabalharemos, a partir dos anos de 1870 e até 1920, uma documentação do Judiciário para compreendermos as trocas de bens materiais e imateriais entre imigrantes, relações raciais e identitárias e as relações estatais entre Brasil, Portugal e a Afro-latino-américa. Essas perspectivas reforçam o diálogo acadêmico com o NUPEHC, ao contemplar historiografia, trajetórias e opções políticas e culturais de sujeitos específicos, partícipes dos movimentos sociais e migratórios - escravos, libertos, intelectuais, tendo em vista refletir sobre suas atuações. O HEQUS vem agregar os esforços, sobretudo, no que diz respeito a história quantitativa e social do período em estudo contemplando estudos sobre a economia, a demografia e o georreferenciamento. Outrossim, a parceria tem possibilitado trabalhos de pesquisa conjuntos sobre "o longo século XIX" e que permitem avançar questões diversas sobre esse período da nossa história. As sólidas trajetórias de pesquisa desses grupos e de seus pesquisadores demonstram-se, cada vez mais, como imperativas nas nossas análises sobre "Poderes políticos, trocas culturais, escravidão e cidadania" o período entre os anos de 1750 e 1930..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
Poderes políticos, trocas culturais, cidadania, século XIX
Descrição: Dedicando-me ao estudo da cidadania e das dimensões do Estado (bolsas de produtividade CNPq e CNE- FAPERJ 2006, 2008, 2011 e 2014), usei jornais e documentos do Judiciário para analisar a política, justiça, poderes e trocas materiais e imateriais, no Brasil e em Portugal. As pesquisas foram abrigadas no Centro de Estudos do Oitocentos (CEO/ PRONEX Editais 2003, 2006 e 2009), sendo os dois primeiros propostos por José Murilo de Carvalho e coordenados executivamente por mim. Finalizado o PRONEX 2009 e firmada parceria entre CEO e NUPEHC ? UFF, o estudo das dimensões do Estado continua a compreender a sua centralidade, bem como de suas instituições, entretanto, nesta proposta ampliaremos a análise de modo que serão levados em consideração os grupos e os poderes em diálogo e negociação permanentes com os movimentos sociais, em uma perspectiva da cultura como instituinte do devir social. A anterior pesquisa nos jornais cariocas será ampliada até os anos da conciliação (1840 a 1855), o que é objeto do atual projeto de bolsa de produtividade em pesquisa do CNPq. Neste último projeto dou ênfase aos jornais redigidos por Justiniano José da Rocha, de cuja pena saíram críticas aos conservadores e a política da conciliação, em uma polêmica conhecida com o futuro Marquês do Paraná. Pretende-se, então, compreender o papel central do Judiciário na concepção conservadora e lançar novas luzes sobre Justiniano e o seu diálogo com o campo liberal, tanto por dentro do partido ao qual pertenceu, quanto com Timandro e Tavares Bastos, revisitando as interpretações vigentes na historiografia sobre esse momento político e a profícua periodização que este jornalista estabeleceu. Prosseguindo os estudos migratórios, na parceria com o NEMIC, continuaremos a trabalhar os inventários recolhidos a partir dos anos de 1850, no Palácio das Necessidades, Lisboa. Analisaremos as trocas de bens materiais e imateriais entre imigrantes e as relações estatais entre os dois lados do Atlântico. Esses estudos e perspectivas reforçam o diálogo acadêmico com o NUPEHC, onde há pesquisas sobre historiografia do XIX e sobre movimentos sociais e migratórios..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Jonis Freire - Integrante / Carlos Gabriel Guimarães - Integrante / Gladys Sabina Ribeiro - Coordenador / Paulo Cruz Terra - Integrante / Aline Pinto Pereira - Integrante / Vantuil Pereira - Integrante / Raiane Almeida de Oliveira - Integrante / olavo passos de souza - Integrante / Ismênia de Lima Martins - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2016 - Atual
Pobreza, saúde e doença: a assistência na Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro
Descrição: Esse projeto de pesquisa tem por objetivo estudar a assistência à saúde oferecida pela Irmandade da Misericórdia do Rio de Janeiro e analisar a pobreza que frequentava as enfermarias mantidas pela Irmandade, atentando para suas transformações na virada do século XIX para o século XX, com ênfase na 1ª República. É também objetivo deste projeto identificar e analisar o perfil dos enfermos assistidos pela Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro; analisar as questões relativas à saúde e doença materno-infantil; e, por fim, analisar o tratamento médico empregado no hospital da Santa Casa identificando ou não especificidades de acordo com o perfil dos doentes tanto em relação à condição jurídica, quanto à cor. Estaremos levando em consideração a distribuição geográfica dos hospitais entendidos na dinâmica urbana, os pressupostos da medicina, os atores socais envolvidos na organização da assistência, e a relação entre Santa Casa, poder público e medicina...
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2015 - Atual
Alforrias em pequenas, médias e grandes posses no Vale do Paraíba, século XIX
Descrição: Este projeto de pesquisa tem por objetivo estudar as alforrias nas Vilas de Santo Antonio do Paraibuna e Vassouras, duas importantes localidades do Vale do Paraíba, que estiveram entre as maiores localidades cafeicultoras no decorrer do século XIX e contaram com algo contingente de cativos. O trabalho centra esforços na análise das práticas de liberdade segundo o tamanho das escravarias. Utilizaremos o intercruzamento de fontes (cartas de alforrias, alforrias de pia, etc.) o que pode nos levar a um conhecimento mais "fiel" sobre o total de forros das localidades. Essa metodologia permite que se examine a alforria por meio de questões mais centradas em aspectos econômicos, embora não se perca de vista os aspectos sociais, políticos e demográficos oriundos daquelas práticas de liberdade. Existia uma correlação inversa entre o tamanho das posses e as percentagens de alforria? Qual a importância das famílias escravas para a consecução da liberdade? O estado matrimonial e a presença de herdeiros dos senhores influenciaram as percentagens de alforria? O execrcício de ocupações especializadas permitiu aos escravizados maiores possibilidades de acesso à manumissão? São essas e outras questões que a pesquisa pretende responder..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2017
Família escrava, demografia e mestiçagens: Nossa Senhora das Neves do Sertão de Macaé (RJ), c. 1798-c.1850
Descrição: O objetivo deste trabalho é analisar as relações familiares, a demografia e as mestiçagens (culturais e biológicas), entre os escravos da freguesia de Nossa Senhora das Neves do Sertão do Macaé, pertencente ao município de Macaé, Província do Rio de Janeiro em fins do século XVIII e na primeira metade do XIX. Para tanto, utilizaremos como fontes, sobretudo, registros paroquiais ?batismo e casamento e também inventários - post mortem. Cruzaremos estas fontes, com o objetivo de reconstituir famílias no correr do tempo o que permite um estudo intensivo das famílias escravas, em um momento no qual a freguesia ainda recebia, por meio do tráfico, muitos africanos escravizados. Procedendo desta maneira poderemos vislumbrar as situações possíveis enfrentadas pelas famílias escravas, e quais foram suas estratégias e experiências cotidianas. Tentaremos, assim, capturar as vivências escravas que melhor expliquem o significado do parentesco (espiritual e/ou consanguíneo) para a família escrava, e quais os "ganhos" (alforria, por exemplo) que estas famílias, muitas delas mestiças puderam ou, não obter. O estudo permitirá também a análise de padrões demográficos clássicos (legitimidade, taxas de masculinidade, ?tipos? de família etc.). A mestiçagem, outro dos temas abordados por essa pesquisa, foi fenômeno visível em diversos espaços e práticas inclusive as religiosas no Brasil. No cativeiro sentimentos eram estabelecidos conformando processos variados de mestiçagens biológicas e culturais, que se constituíram em verdadeiros espaços mestiços. Alguns deles visíveis em práticas religiosas como as de batismo e casamento. Os registros paroquiais de batismo e casamento e os inventários são fontes importantes para o estudo das relações entre os diversos indivíduos que compunham as sociedades escravistas. Por conseguinte, permitem perceber as mestiçagens e como essas práticas foram ?percebidas/manejadas? em determinados espaços. As fontes refletem, além da mestiçagem propriamente dita, percepções daquelas sociedades, com relação aos indivíduos envolvidos nestas práticas e da forma como foram representados no correr do tempo, sobretudo com relação à ?cor/qualidade? que são ao mesmo tempo, distintas, mas complementares..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2015
Colégios e fazendas da Companhia de Jesus: um estudo comparado entre o Colégio do Rio de Janeiro e o Colégio de Córdoba - século XVIII
Descrição: Esta proposta de pesquisa prevê a análise, numa perspectiva comparada, do papel desempenhado pelos colégios e pelas fazendas da Companhia de Jesus, debruçando-se, especialmente, sobre o Colégio do Rio de Janeiro (América portuguesa) e sobre o Colégio de Córdoba (América hispânica) no Setecentos. No Rio de Janeiro, os jesuítas, por meio de seu Colégio, eram administradores das fazendas e engenhos de São Cristovão, do Engenho Velho, do Engenho Novo, de Santo Ignácio dos Campos Novos, de Sant?Anna de Macaé, dos Campos dos Goitacazes, da Papucaia de Macacu, do Saco de São Francisco Xavier e de Santa Cruz. Já o Colégio de Córdoba era responsável por uma série de fazendas, destacando-se dentre elas Santa Catalina, Caroya, Jesus Maria e Alta Gracia. Interessa-nos compreender como os jesuítas se inseriam nestas lógicas sociais, econômicas e políticas na condição de administradores de seus latifúndios [as fazendas], transformando-se em senhores de terras e de cativos, ao mesmo tempo em que mantinham centros de formação religiosa [os colégios], através dos quais difundiam crenças e dogmas e comportamentos morais desejáveis às sociedades. Vale ressaltar, que estes mesmos padres mantinham aldeamentos e reduções, nos quais controlavam centenas de braços aptos ao trabalho, definindo quando, como, para quem e por quanto os índios trabalhariam e desempenhando papel de destaque nos intricados sistemas agrários das Américas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2011 - 2013
Relações familiares entre os escravos da freguesia de Nossa Senhora da Neves do Sertão do Macaé, c.1840-c.1888
Descrição: O objetivo geral desta pesquisa é analisar relações familiares entre os escravos da freguesia de Nossa Senhora da Neves do Sertão do Macaé, pertencente ao município de Macaé, entre c.1840 e c.1888. Como fonte utilizaremos registros paroquiais - batismo, casamento e óbito. Variáveis demográficas "clássicas" (legitimidade, nascimento, casamento, óbito, idades de casar, etc) serão levantadas. Também cruzaremos estas fontes, com o objetivo de reconstituir famílias no correr do tempo. Neste sentido, o método de ligação nominativa permite um estudo intensivo das famílias cativas. Procedendo desta maneira poderemos vislumbrar as situações possíveis enfrentadas pelas famílias escravas, e quais foram suas estratégias e experiências cotidianas. Tentaremos, assim, capturar as vivências escravas que melhor expliquem o significado do parentesco (espiritual ou consanguineo) para a família escrava, e quais os "ganhos" (alforria por exemplo) que esta pôde obter..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Jonis Freire - Coordenador / Brenda Ferreira dos Santos - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2011 - 2013
Sobre o papel dessempenhado pelos colégios e fazendas da Companhia de Jesus:um estudo comparado entre o colégio do RJ e o colégio de Córdoba, séc. XVIII
Descrição: Este projeto de pesquisa prevê a análise, numa perspectiva comparada, do papel desempenhado pelos colégios e pelas fazendas da Companhia de Jesus, debruçando-se, especialmente, sobre o Colégio do Rio de Janeiro (América portuguesa) e sobre o Colégio de Córdoba (América hispânica) no Setecentos. No Rio de Janeiro, os jesuítas, por meio de seu Colégio, eram administradores das fazendas e engenhos de São Cristovão, do Engenho Velho, do Engenho Novo, de Santo Ignácio dos Campos Novos, de Sant Anna de Macaé, dos Campos dos Goitacazes, da Papucaia de Macacu, do Saco de São Francisco Xavier e de Santa Cruz. Já o Colégio de Córdoba era responsável por uma série de fazendas, destacando-se dentre elas Santa Catalina, Caroya, Jesus Maria e Alta Gracia. Ao empreendermos uma análise comparativa buscamos verificar se a Companhia de Jesus atribuiu os mesmos papéis [funções] aos colégios e às fazendas que mantiveram na América portuguesa e na hispânica, detendo-nos, especificamente, no estudo de dois colégios, o do Rio de Janeiro e o de Córdoba e como estas estruturas administravam as fazendas/estâncias que estavam sob seu controle. Prevê-se, ainda, a análise das estratégias usadas pelos jesuítas para integrá-los os colégios e as fazendas à sociedade colonial e, sobretudo, para que atendessem ao previsto pelas Coroas ibéricas, pelas Províncias jesuíticas e pelo Generalato da Companhia de Jesus em Roma..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Jonis Freire - Integrante / Carlos Engemann - Integrante / Marcia Amantino - Coordenador / Marieta Pinheiro de Carvalho - Integrante / Eliane Cristina Deckman Fleck - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2010 - 2013
Projeto editorial sobre a Fazenda de Santa Cruz
Descrição: A Fazenda de Santa Cruz, situada no caminho que ia para as Minas Gerais e ponto de passagem de viajantes que cruzavam os limites entre as capitanias fluminense e mineira, foi durante muitos anos propriedade da Companhia de Jesus. Com o advento da Era Pombalina, a fazenda foi seqüestrada e incorporada ao erário real. A administração da Coroa gerou um considerável volume documental que se compõe de, pelo menos, cinco inventários cobrindo o período imediatamente seguinte à expulsão dos jesuítas e o desenvolvimento da fazenda nos primeiros anos do século XIX. Além destes, é possível encontrar resumos estatísticos, diários de trabalho da escravaria, cartas e memorandos sobre o cotidiano na fazenda. A partir deste rico corpo documental, o que se planeja é produzir, através dos textos de especialistas, uma obra com visão geral sobre aspectos importantes da vida da Companhia de Jesus em particular e da sociedade escravista como um todo. O ponto de partida para os trabalhos seria o conjunto de fontes sobre Santa Cruz, elemento a partir do qual se exporia de modo mais amplo os aspectos caracterizados pela fonte em questão. Dito de outro modo, os textos não versariam apenas sobre a Fazenda de Santa Cruz, mas a partir dela e de suas fontes se estenderia um olhar sobre a sociedade escravista como um todo. Desse modo, espera-se tanto cobrir uma lacuna no que respeita aos estudos sobre esta importante fazenda, quanto aproveitar para explorar os aspectos da sociedade escravista que tangenciam a vida desta propriedade em particular..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Jonis Freire - Integrante / Carlos Engemann - Coordenador / Marcia Amantino - Integrante / SOUSA, Jorge Prata de - Integrante / Marieta Pinheiro de Carvalho - Integrante.Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.
2009 - 2010
Macaé em fontes primárias: fundos eclesiásticos para um acervo virtual
Descrição: O projeto Macaé em Fontes Primárias : fundos eclesiásticos para um acervo virtual se propõe a formar, organizar, manter, incrementar e disponibilizar um acervo virtual de documentos eclesiásticos sobre Macaé no período colonial e imperial. Tal acervo reunirá fontes capturadas em foto ou transcritas dos livros paroquiais de batismos, matrimônios e óbitos e da documentação das associações religiosas (localizados em Macaé); dos breves apostólicos, dos documentos relativos a divórcios, dos libelos contra padres, dos processos de gênere, dos banhos matrimoniais (localizados no Arquivo da Cúria Metropolitana do Rio de Janeiro); de documentos da Mesa de Consciência e Ordem (localizados no Arquivo Nacional) e de documentos do Arquivo Ultramarino (localizados no IHGB). Ao cabo desta etapa de coleta das fontes, será construído e alimentado um banco de dados com as informações provenientes da documentação serial de registros paroquiais e os demais documentos serão organizados em fundos e coleções próprias. Por último, uma vez formado o acervo digital sobre a história de Macaé no período colonial e imperial, contendo o material fotografado e transcrito, tornar-se-á disponível a pesquisadores cadastrados para consultas locais ou pela internet, via mecanismo próprio abrigado no site do LADOCH e divulgar nos programas de Pós-graduação e ao público geral interessado. Paralelamente, serão promovidos encontros e debates, propiciando a integração de pesquisadores de diferentes níveis e instituições, articulando-os em torno de temáticas comuns acerca da história macaense, e a formação de agentes multiplicadores do conhecimento, com fornecimento de instrumentais teórico-metodológicos a professores do Ensino Básico..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2009 - Atual
Sociedade, sistema produtivo e trabalho na região da Mata mineira, séc.XIX e XX.
Descrição: Esse projeto surgiu a partir da experiência iniciada em 2001, com a organização do Centro de Documentação Histórica do Instituto Francisca de Souza Peixoto em Cataguases, Minas Gerais. Em 2008, por ocasião do II Encontro de história social e econômica da zona da Mata mineira entre um grupo de ex-alunos, decidiu-se somar esforços no sentido de estabelecer um projeto/programa de estudo sobre aspectos do povoamento, organização do trabalho e estrutura fundiária da zona da Mata mineira. Entre o final do século XVIII, e todo o XIX, esta região foi submetida a um processo de ocupação populacional permanente, tornando-se alvo da expansão de fronteira agrícola sobre as terras indígenas e um progressivo povoamento a partir do vale do rio Paraíba com a presença expressiva da mão-de-obra escrava. Esses condicionamentos nos orientam na investigação de aspectos da demografia histórica que repercutem na organização dos grupos sociais..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2004 - 2009
Escravidão e Família Escrava na Zona da Mata Mineira Oitocentista
Descrição: O objetivo deste trabalho foi estudar as relações familiares e de parentesco dos escravos em Juiz de Fora, região de "plantation" na Zona da Mata Mineira, no decorrer dos oitocentos. Para tanto, foi feito o intercruzamento de fontes variadas relativas aos mesmos grupos de cativos pertencentes a três famílias abastadas, procurando sempre que possível acompanhar esses escravizados ao longo do tempo. Houve a preocupação de investigar as famílias senhoriais proprietárias desses cativos. Analisamos como se deu a manutenção e/ou a ampliação das posses cativas, se por meio do tráfico e/ou da reprodução natural, fatores que influenciavam a formação das famílias escravas. Da mesma forma, procuramos avançar um pouco mais na compreensão das relações familiares dos cativos e de sua estabilidade, bem como na avaliação da importância da família escrava para os projetos de obtenção da liberdade por meio da alforria..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Jonis Freire - Coordenador.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.
2002 - 2004
Batismo e compadrio em uma freguesia escravista: Senhor Bom Jesus do Rio Pardo., 1838-1888
Descrição: Projeto de pesquisa que buscou compreender, por meio dos registros paroquiais de batismo da Freguesia do Senhor Bom Jesus do Rio Pardo (MG), as relações de compadrio engendradas pela população cativa daquela localidade entre os anos de 1838/1888. Notou -se que as mesmas se deram entre indivíduos escravos, livres e forros/libertos. A legitimidade bem como os possíveis tipos de família existentes também foram alvo de estudo que permitiu ainda vislumbrar quais as estratégias dos escravos antes e após a Lei do Ventre Livre de 1871, que determinava a liberdade aos filhos de mulheres cativas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Jonis Freire - Coordenador.Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.
1999 - 2000
Espaços urbanos de uma sociedade agrária
Descrição: O projeto visou dar um parecer dos espaços urbanos da província de Minas Gerais, utlilizando-se das receitas da décima predial, documentação proveniente do arquivo da Casa dos Contos em Ouro Preto..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Jonis Freire - Integrante / Angelo Alves Carrara - Coordenador.Financiador(es): Universidade Federal de Ouro Preto - Bolsa.


Membro de corpo editorial


2014 - Atual
Periódico: e-Hum
2014 - 2017
Periódico: Tempo. Revista do Departamento de História da UFF
2012 - 2012
Periódico: Saeculum (UFPB)
2011 - 2015
Periódico: Revista de Estudos Afro-Americanos (Rede-A)
2010 - Atual
Periódico: Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN)


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil/Especialidade: História do Brasil Império.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História de Minas Gerais.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História econômica e demográfica da escravidão.


Idiomas


Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2015
Jovem Cientista do Nosso Estado, FAPERJ.
2004
Bolsa de Doutorado, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP, 11/2004 - 11/2008.
2002
Bolsa de Mestrado, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES, 07/2002 - 03/2004.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
FREIRE, Jonis2013FREIRE, Jonis; SOUSA, Jorge Prata de . O tráfico ilícito no litoral norte fluminense, c.1831 - c.1858. Revista Eletrônica Documento/Monumento, v. 9, p. 29-47, 2013.

2.
FREIRE, Jonis2012FREIRE, Jonis. Crescimento da população cativa em uma economia agroexportadora: Juiz de Fora (Minas Gerais) século XIX. Revista de História (USP), v. v.1, p. 245-283, 2012.

3.
FREIRE, Jonis2012FREIRE, Jonis. Família, parentesco espiritual e estabilidade familiar entre cativos pertencentes a grandes posses de Minas Gerais - século XIX. AFRO-ASIA, v. 46, p. 9-59, 2012.

4.
CARRARA, A. A.2012CARRARA, A. A. ; FREIRE, Jonis ; MOYLE, Gabriela Vieira . Os registros paroquiais de batismo da Freguesia do Mártir São Manoel do Sertão do Rio Pomba e Peixe dos índios Cropós e Croatos, segunda metade do século XVIII. Cadernos de Pesquisa do CDHIS (Online), v. 25, p. 277-299, 2012.

5.
FREIRE, Jonis2012FREIRE, Jonis. A importância das relações familiares para os projetos de liberdade na Mata Mineira oitocentista. Recôncavo: Revista de História da UNIABEU, v. 2, p. 41-66, 2012.

6.
FREIRE, Jonis2011FREIRE, Jonis. Para além da partilha: divisão e manutenção de famílias escravas (Minas Gerais, século XIX). História Unisinos, v. 15(1), p. 23-30, 2011.

7.
FREIRE, Jonis2011FREIRE, Jonis. Alforrias e tamanho das posses: possibilidades de liberdade em pequenas, médias e grandes propriedades do sudeste escravista (século XIX). Varia História (UFMG. Impresso), v. 27, p. 211-232, 2011.

8.
FREIRE, Jonis2011FREIRE, Jonis. Comércio local: tráfico interno de escravos em Juiz de Fora (MG), segunda metade do século XIX. Heera (UFJF. Online), v. 6, p. 77-96, 2011.

9.
FREIRE, Jonis2010FREIRE, Jonis. A inserção dos africanos na Zona da Mata - Minas Gerais século, XIX. Sankofa (São Paulo), v. 6, p. 7-25, 2010.

10.
FREIRE, Jonis2010FREIRE, Jonis. Testamento do senhor Antonio Dias Tostes. Revista do Instituto Histórico e Geographico Brazileiro, v. 446, p. 289-300, 2010.

11.
FREIRE, Jonis2009FREIRE, Jonis. Composição da riqueza em grandes propriedades do sudeste escravista, Minas Gerais século XIX. Fronteiras Revista de História, v. 11, p. 299-326, 2009.

12.
FREIRE, Jonis2005FREIRE, Jonis. Casamento, legitimidade e família em uma freguesia escravista da Zona da Mata Mineira: século XIX. Locus (UFJF), v. 11, p. 51-73, 2005.

13.
FREIRE, Jonis2005FREIRE, Jonis. Batismo e compadrio das crianças escravas e "ingênuas" na Freguesia do Senhor Bom Jesus do Rio Pardo (MG), 1838-1888. Estudos Afro-Asiáticos, v. 27, p. 259-292, 2005.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
FREIRE, Jonis; SECRETO, Maria Verónica (Org.) . Formas de Liberdade: Gratidão, condicionalidade e incertezas no mundo escravista nas Américas (México, Cuba, Porto Rico, Santo Domingo, Caribe Francês, Brasil e Argentina). 1. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 2018. 270p .

2.
FREIRE, Jonis; CHALHOUB, Sidney ; ABREU, Martha ; RIBEIRO, Gladys Sabina . Escravidão e cultura afro-brasileira: temas e problemas em torno da obra de Robert Slenes. 1. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2016. 456p .

3.
FREIRE, Jonis. Escravidão e Família Escrava na Zona da Mata Mineira Oitocentista.. 1ª. ed. São Paulo: Alameda, 2014. 362p .

4.
AMANTINO, Marcia ; RODRIGUES, Claudia ; ENGEMANN, Carlos ; FREIRE, Jonis . Povoamento, catolicismo e escravidão na antiga Macaé (séculos XVII ao XIX). Rio de Janeiro: Apicuri, 2011. 200p .

Capítulos de livros publicados
1.
FREIRE, Jonis; AL., E. . "Pertence à liberta Firmina, 09 de maio de 1888"; relações de crédito na transição do trabalho escravo para o livre em uma região cafeeira - Zona da Mata mineira. In: GUIMARÃES, Carlos Gabriel; et. al.. (Org.). Crédito e descrédito: relações sociais de empréstimos na América - séculos XVIII ao XIX. 1ed.Niterói: EdUFF, 2018, v. 01, p. 282-316.

2.
FREIRE, Jonis. Relações familiares, "bons serviços" e legados: as alforrias no Vale do Paraíba Mineiro (século XIX). In: BATALHA, Maria Cristina; ROCHA, Vanessa Massoni da.. (Org.). África, Caribe e Américas: histórias e narrativas entrecruzadas.. 1ed.Rio de Janeiro: Dialogarts, 2018, v. , p. 120-161.

3.
FREIRE, Jonis. Senhor Bom Jesus do Rio Pardo: ocupação, povoamento e escravidão na Zona da Mata Mineira "Sul", século XIX. In: SCHETTINI, Vitoria; LAMAS, Fernando; FIALHO, Rodrigo. (Org.). As várias faces de Minas: traços locais e regionais. 1ed.Belo Horizonte: EdUEMG, 2017, v. , p. 280-324.

4.
FREIRE, Jonis; CARULA, Karoline . Camadas populares e higienismo no Rio de Janeiro em fins dos anos 1870. In: Giselle Martins Venâncio; Maria Veronica Secreto; Gladys Sabina Ribeiro. (Org.). Cartografias da cidade (in)visivel: setores populares, cultura escrita, educação e leitura no Rio de Janeiro Imperial.. 1ed.Rio de Janeiro: Mauad, 2017, v. , p. 147-167.

5.
FREIRE, Jonis. Relações familiares e compadrio de inocentes e adultos no Rio de Janeiro (Brasil), (c.1838 ? c. 1851). In: Sandra Olivero Guidobono; Carmen Benito Hierro. (Org.). ENTRE REDES Y ESPACIOS FAMILIARES EN IBEROAMÉRICA. REPENSANDO ESTRATEGIAS, MECANISMOS E IDEARIOS DE SUPERVIVENCIA Y MOVILIDAD. 1ed.Sevilha: Egregius, 2017, v. 1, p. 429-449.

6.
FREIRE, Jonis; CORREA, Randolpho Radsack . "Em cumprimento a Lei, vem denunciar perante Vossa Senhoria, pelo facto criminoso que passa a expor". In: Mary del Priori & Angélica Muller. (Org.). História dos crimes e da violência no Brasil. 1ed.São Paulo: Unesp, 2017, v. 1, p. 65-95.

7.
FREIRE, Jonis. Batismos mestiços: mestiçagens na freguesia de Nossa Senhora das Neves do Sertão do Macaé (RJ), século XIX. In: PAIVA, Eduardo França; IVO, Isnara Pereira; AMANTINO, Marcia. (Org.). Religiões e religiosidades, escravidão e mestiçagens. 1ed.São Paulo: Entremeios, 2016, v. , p. 203-226.

8.
FREIRE, Jonis. Batismo e tráfico ilegal de escravos no norte fluminense, c.1798 e c.1858. In: Sidney Chalhoub; Jonis Freire; Gladys Sabina Ribeiro; Martha Abreu. (Org.). Escravidão e cultura afro-brasileira: temas e problemas em torno da obra de Robert Slenes. 1ed.Campinas: Editora da Unicamp, 2016, v. , p. 291-318.

9.
FREIRE, Jonis. Família e parentesco espiritual na América Espanhola: os escravizados da Estância de Caroya (Argentina), século XVIII. In: Marcia Amantino; Eliane Cristina Deckmann Fleck; Carlos Engemann. (Org.). A Companhia de Jesus na América por seus colégios e fazendas : aproximações entre Brasil e Argentina (século XVIII). 1ed.Rio de Janeiro: Garamond, 2015, v. 1, p. 113-142.

10.
FREIRE, Jonis; CARRARA, Angelo Alves . Família, compadrio e demografia na Freguesia do Mártir São Manuel do Rio Pombo e Peixe dos Índios Cropó e Croato (1767-1819). In: LIBBY, Douglas; MENESES, José Newton Coelho; FURTADO, Júnia Ferreira; FRANK, Zephyr Frank.. (Org.). História da Família no Brasil (séculos XVII, XIX e XX): Novas análises e perspectivas. 1ed.Belo Horizonte: Fino Traço, 2015, v. , p. 217-249.

11.
FREIRE, Jonis; AMANTINO, Marcia . Ser homem... Ser escravo. In: Mary del Priore; Marcia Amantino. (Org.). História dos homens no Brasil. 1ed.São Paulo: Editora Unesp, 2013, v. , p. 15-48.

12.
FREIRE, Jonis. Legados da administração jesuítica: comunidade e família entre os cativos da Fazenda de Santa Cruz, século XVIII. In: ENGEMANN, Carlos; AMANTINO, Marcia. (Org.). Santa Cruz: de legado dos jesuítas à pérola da Coroa.. 1ed.Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013, v. , p. 183-216.

13.
FREIRE, Jonis. Legitimidade e casamento na Zona da Mata mineira: estudos sobre a família escrava. In: SOUSA, Jorge Prata de; ANDRADE, Rômulo Garcia de. (Org.). Zona da Mata Mineira: escravos, família e liberdade. 1ed.Rio de Janeiro: Apicuri, 2012, v. 1, p. 161-200.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
FREIRE, Jonis; AMANTINO, Marcia . Amor em cativeiro. Revista de História (Rio de Janeiro), , v. 89, p. 26 - 27, 01 fev. 2013.

2.
FREIRE, Jonis. A liberdade e a relação com a família escrava. Leituras da História, 01 mar. 2010.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
FREIRE, Jonis. Tráfico interno de escravos: Juiz de Fora, segunda metade do XIX. In: III Seminário de História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira, 2011, Juiz de Fora. III Seminário de História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira, 2011.

2.
FREIRE, Jonis. O parentesco e a estabilidade das famílias escravas nas Minas Gerais Oitocentista. In: XIV Seminário sobre a Economia Mineira, 2010, Diamantina - MG. Anais do XIV Seminário sobre a Economia Mineira, 2010.

3.
FREIRE, Jonis. "Relação dos Habitantes do Districto de Santo Antonio do Juiz de Fóra ...":as listas Nominativas de 1831 e algumas características de sua população. In: VIII Congresso Brasileiro de História Econômica e 9 Conferência Internacional de História de Empresas, 2009, Campinas - SP. Anais do VIII Congresso Brasileiro de História Econômica e 9 Conferência Internacional de História de Empresas, 2009.

4.
FREIRE, Jonis. Expectativas e tensões: estabilidade das famílias escravas, em uma sociedade escravista mineira, século XIX. In: II Seminário de História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira, 2008, Muriaé - MG. Anais do II Seminário de História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira. Muriaé - MG, 2008.

5.
FREIRE, Jonis. Famílias Senhoriais, Estratégias de Manutenção e/ou Ampliação de Posses em Escravos: Zona da Mata Mineira, século XIX. In: XIII Seminário sobre a Economia Mineira, 2008, Diamantina - MG. XIII Seminário sobre a Economia Mineira. Belo Horizonte - MG, 2008.

6.
FREIRE, Jonis. A Vila de Santo Antonio do Paraibuna: apontamentos sobre algumas variáveis e caracterísitcas da população cativa, século XIX. In: VII Congresso Brasileiro de História Econômica, 2007, Aracaju. VII Congresso Brasileiro de História Econômica, 2007.

7.
FREIRE, Jonis. Compadrio, legitimidade e família em uma freguesia escravista da Zona da Mata Mineira, século XIX. In: 1 Seminário História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira, 2005, Juiz de Fora - MG. Anais do 1 Seminário de História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira, CES, 2005, 2005.

8.
FREIRE, Jonis. Compadrio em uma freguesia escravista, Senhor Bom Jesus do Rio Pardo (MG), 1838-1888. In: XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 2004, Caxambu - MG. Anais do XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais. Campina - SP: ABEP, 2004.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
FREIRE, Jonis. Compadrio entre os escravos da Freguesia de Nossa Senhora das Neves, primeira metade do século XIX. In: XVI Simpósio Regional de História Anpuh-RJ, 2014, Rio de Janeiro. Caderno de Resumos do XVI Encontro Regional de História Anpuh-RJ. Rio de Janeiro: Anpuh-RJ, 2014. p. 738-738.

2.
FREIRE, Jonis. Relações familiares entre escravos da Província do Rio de Janeiro, século XIX. In: III Congreso Internacional Ciencias, Tecnologias y Culturas, 2013, Santiago do Chile. Resumenes de los Simposios, 2013.

3.
FREIRE, Jonis. Relações familiares e batismos de inocentes e adultos entre escravos do Norte fluminense - Rio de Janeiro, século XIX. In: Congresso Internacional Senhores e escravos nas sociedades ibero-atlânticas, 2013, Lisboa. Congresso Internacional Senhores e escravos nas sociedades ibero-atlânticas - Resumos, 2013.

4.
FREIRE, Jonis. O parentesco e a estabilidade das famílias escravas nas Minas Gerais Oitocentista. In: XIV Seminário sobre a Economia Mineira, 2010, Diamantina - MG. Caderno de Resumos do XVI Seminário sobre a Economia Mineira, 2010.

5.
FREIRE, Jonis. "Relação dos Habitantes do Districto de Santo Antonio do Juiz de Fóra ...": as listas Nominativas de 1831 e algumas características de sua população. In: VIII Congresso Brasileiro de História Econômica e 9 Conferência Internacional de História de Empresas, 2009, Campinas - SP. Anais do VIII Congresso Brasileiro de História Econômica e 9 Conferência Internacional de História de Empresas, 2009.

6.
FREIRE, Jonis. Famílias Senhoriais, Estratégias de Manutenção e/ou Ampliação de Posses em Escravos: Zona da Mata Mineira, século XIX. In: XIII Seminário sobre a Economia Mineira, 2008, Diamantina - MG. XIII Seminário sobre a Economia Mineira, 2008.

7.
FREIRE, Jonis. "Os tráficos" de escravos nas Minas Gerais oitocentista: a Vila de Santo Antonio do Paraibuna e a manutenção/ampliação das posses de escravos. In: V Colóquio Internacional Trabalho Forçado Africano - Brasil, 120 da abolição, 2008, Salvador - BA. V Colóquio Internacional Trabalho Forçado Africano - Brasil. 120 anos da abolição. Salvador - BA, 2008.

8.
FREIRE, Jonis. Famílias escravas na Zona da Mata Mineira, século XIX. In: II Seminário de Pesquisas e Estudos Negros, 2007, Campinas - SP. II Seminário de Pesquisa e Estudos Negros, 2007.

9.
FREIRE, Jonis. A Vila de Santo Antonio do Paraibuna: apontamentos sobre algumas variáveis e características da população cativa, século XIX. In: VII Congresso Brasileiro de história Econômica, 2007, Aracaju. VII Congresso Brasileiro de História Econômica, 2007.

10.
FREIRE, Jonis. Compadrio, legitimidade e família escrava em uma freguesia escravista da Zona da Mata Mineira, século XIX. In: 1 Seminário História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira, 2005, Juiz de Fora - MG. 1o. Seminário de História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira. Juiz de Fora - MG, 2005.

11.
FREIRE, Jonis. Compadrio e identidade escrava: Senhor Bom Jesus do Rio Pardo (1838-1888). In: I Simpósio Internacional de História: Cultura e Identidades, 2003, Goiânia - GO. Caderno de Resumos - I Simpósio Internacional de História, 2003.

12.
FREIRE, Jonis. Estruturas demográficas de uma freguesia escravista: Senhor Bom Jesus do Rio Pardo, 1838-1888.. In: XIII Encontro Regional de História -, 2002, Belo Horizonte - MG. Programas e Resumos do XIII Encontro Regional de História - ANPUH - Núcleo Minas Gerais, 2002.

Apresentações de Trabalho
1.
FREIRE, Jonis. Parentesco, sociabilidades e solidariedades entre escravos no Rio de Janeiro: paroquia de Nossa Senhora das Neves do Sertão de Macaé (c.1838-c.1852). 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

2.
FREIRE, Jonis. Alforrias e forros em pequenas, médias e grandes posses no Vale do Paraíba, século XIX. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
FREIRE, Jonis. Alforrias, família e tamanho das escravarias (Brasil, século XIX). 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

4.
FREIRE, Jonis. Escravidão e Família Escrava na Zona da Mata Mineira Oitocentista.. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

5.
FREIRE, Jonis. Tráfico ilegal e batismo de escravos na Freguesia de Nossa Senhora das Neves do Sertão de Macaé, c.1798 - c.1858. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

6.
FREIRE, Jonis. Compadrio entre os escravos da Freguesia de Nossa Senhora das Neves, primeira metade do século XIX. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
FREIRE, Jonis. Mobilidade social negra e educação. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

8.
FREIRE, Jonis. Batismo de adultos e tráfico de escravos no norte fluminense (primeira metade do século XIX). 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

9.
FREIRE, Jonis. Trabalhadores mestiços nas fontes paroquiais: registros de batismo e mestiçagens na província fluminense, século XIX. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

10.
FREIRE, Jonis. Escravidão e Cultura Afro-Brasileira: temas e problemas em torno da obra de Robert Slenes. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

11.
FREIRE, Jonis. 'Mulatinho mais para cabra do que para pardo': mestiçagens no Norte Fluminense, século XIX. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

12.
FREIRE, Jonis. Relações familiares e compadrio de inocentes e de adultos no Rio de Janeiro, c. 1798 - c.1841.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

13.
FREIRE, Jonis. Batismo, compadrio e demografia escrava nos Sertões de Macaé (RJ) 1798 - c. 1851. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

14.
FREIRE, Jonis. Relações familiares entre escravos da Província do Rio de Janeiro, século XIX. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

15.
FREIRE, Jonis. Conversas sobre escravidão e família escrava no Brasil. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

16.
FREIRE, Jonis. Relações familiares e batismos de inocentes e adultos entre escravos do Norte fluminense - Rio de Janeiro século XIX. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

17.
FREIRE, Jonis. A ocupação da Zona da Mata Mineira nos séculos XVIII e XIX. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

18.
FREIRE, Jonis. Batismos mestiços: mestiçagens na freguesia de Nossa Senhora da Neves do Sertão de Macaé (RJ), século XIX. 2012. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

19.
FREIRE, Jonis. Tráfico interno de escravos: Juiz de Fora, segunda metade do século XIX. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

20.
FREIRE, Jonis. Comprando, ganhando, negociando, brigando. Família escrava e manumissão em Minas Gerais - a Vila de Santo Antonio do Paraibuna, século XIX. 2010. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

21.
FREIRE, Jonis. Escravidão e Família escrava em Minas Gerais do século XIX. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
FREIRE, Jonis. O parentesco e a estabilidade das famílias escravas nas Minas Gerais Oitocentista. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

23.
FREIRE, Jonis. Relações familiares e de parentesco entre cativos: Minas Gerais - Brasil, século XIX. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

24.
FREIRE, Jonis. Escravidão e Família escrava na Zona da Mata Mineira Oitocentista. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

25.
FREIRE, Jonis. África/Brasil: escravidão, trabalho e liberdade. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

26.
FREIRE, Jonis. Famílias negras, alforrias e as lutas pela liberdade no Brasil do século XIX. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

27.
FREIRE, Jonis. "Relação dos Habitantes do Districto de Santo Antonio do Juiz de Fóra ...": as listas Nominativas de 1831 e algumas características de sua população. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

28.
FREIRE, Jonis. Escravidão no Brasil: família e comunidade escrava. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

29.
FREIRE, Jonis. Famílias Senhoriais, Estratégias de Manutenção e/ou Ampliação de Posses em Escravos: Zona da Mata Mineira, século XIX. 2008. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

30.
FREIRE, Jonis. Expectativas e tensões: estabilidade das famílias escravas, em uma sociedade escravista mineira, século XIX. 2008. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

31.
FREIRE, Jonis. "Os tráficos" de escravos nas Minas Gerais oitocentista: a Vila de Santo Antonio do Paraibuna e a manutenção das posses de escravos. 2008. (Apresentação de Trabalho/Outra).

32.
FREIRE, Jonis. A Vila de Santo Antonio do Paraibuna: apontamentos sobre algumas variáveis e características da população cativa, século XIX. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

33.
FREIRE, Jonis. Famílias escravas na Zona da Mata Mineira, século XIX. 2007. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

34.
FREIRE, Jonis. Compadrio, legitimidade e família em uma freguesia escravista da Zona da Mata Mineira, século XIX. 2005. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

35.
FREIRE, Jonis. Compadrio em uma freguesia escravista, Senhor Bom Jesus do Rio Pardo (MG), 1838-1888. 2004. (Apresentação de Trabalho/Outra).

36.
FREIRE, Jonis. Compadrio e identidade escrava: Senhor Bom Jesus do Rio Pardo (1838-1888). 2003. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

37.
FREIRE, Jonis. Estruturas demográficas de uma freguesia escravista: Senhor Bom Jesus do Rio Pardo 1838-1888. 2002. (Apresentação de Trabalho/Outra).

38.
CARRARA, A. A. ; FREIRE, Jonis . Espaços urbanos de uma sociedade rural. 2000. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

Outras produções bibliográficas
1.
FREIRE, Jonis. Cotidiano e escravidão urbana na paróquia de Santo Antonio do Juiz de Fora(MG)-1850-1888. Juiz de Fora, 2015. (Prefácio, Pósfacio/Prefácio)>.

2.
FREIRE, Jonis. Convicto, negativo e pertinaz: o caso de João Dique de Souza na São Gonçalo do século XVIII. Curitiba, 2015. (Prefácio, Pósfacio/Prefácio)>.


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores em História Econômica. 2018.

2.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Cantareira. 2018.

3.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Comissão de Avaliação de Trabalhos submetidos ao XXI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da Associação Brasileira de Estudos Populacionais. 2018.

4.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista de História (USP). 2018.

5.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Mosaico. 2018.

6.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista da ABPHE. 2018.

7.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Editora da Universidade Federal Fluminense. 2018.

8.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Cantareira. 2018.

9.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Estudos Históricos. 2018.

10.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura. 2017.

11.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista História & Perspectivas. 2017.

12.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Cantareira. 2017.

13.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista PerCursos. 2016.

14.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Crítica Histórica. 2016.

15.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista ABPN. 2016.

16.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Maracanan. 2016.

17.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc Reconhecimento de Diploma de Doutorado (PPGH/UFF). 2016.

18.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Afro-Ásia. 2016.

19.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad-hoc da Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros. 2015.

20.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista História (São Paulo) - UNESP/Franca. 2015.

21.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Brasileira de História. 2015.

22.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Tempos Históricos. 2015.

23.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Temporalidades. 2015.

24.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista da ABPHE. 2015.

25.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Mundo Livre!. 2014.

26.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Outras Fronteiras (UFMT/PPGHIS). 2014.

27.
FREIRE, Jonis. Revista America Latina en la Historia Economica (ALHE). 2014.

28.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista Brasileira de Pesquisadores em História Econômica. 2014.

29.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc da Revista América Latina en la História Económica (ALHE). 2013.

30.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad hoc Revista Varia História. 2013.

31.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad-hoc da Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores em História Econômica. 2012.

32.
FREIRE, Jonis. Parecerista Ad - hoc de Relatório Parcial de Pesquisa de Iniciação Científica da Universidade do Estado da Bahia. 2010.

33.
FREIRE, Jonis. Parecerista Ad - hoc do Relatório Parcial de Pesquisa de Iniciação Científica da Universidade do Estado da Bahia. 2010.

34.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad-hoc da Revista da ABPN (Associação Brasileira de Pesquisadores Negros). 2010.

35.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad-hoc da Revista Temporalidades. 2010.

36.
FREIRE, Jonis. Parecer ad hoc FAPERJ. 2010.

37.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad-hoc da Revista Eletrônica Cadernos de História. 2009.

38.
FREIRE, Jonis. Parecerista ad-hoc da revista História Social. 2005.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
FREIRE, Jonis; SALLES, Ricardo ; MARCONDES, Renato Leite . Revisitando a escravidão no Brasil ? tráfico, reprodução e economia.. 2018. (Programa de rádio ou TV/Mesa redonda).

2.
FREIRE, Jonis. Tradições e experiências: mutualismo, família, religiosidade e trabalho. 2015. (Programa de rádio ou TV/Mesa redonda).

3.
Rezende, Letícia ; Sasseron, Lucia Helena ; FREIRE, Jonis . A leitura e a escrita nos cursos de Pós-Graduação. 2015. (Programa de rádio ou TV/Mesa redonda).


Demais tipos de produção técnica
1.
FREIRE, Jonis. Atualização bibliográfica do livro ' A questão do negro na sala de aula' de Joel Rufino dos Santos. 2016. (Atualização bibliográfica do livro " A questão do negro na sala de aula" de Joel Rufino dos Santos).

2.
FREIRE, Jonis. Escravidão indígena e africana: conflitos e negociações. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

3.
FREIRE, Jonis. Escravidão indígena e africana: conflitos e negociações. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

4.
FREIRE, Jonis. História da África III. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

5.
FREIRE, Jonis. História da África I. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
VALENCIA, Carlos; CUNHA, Maísa Faleiros da; FREIRE, Jonis. Participação em banca de Dermeval Marins de Freitas. Famílias escravas na freguesia de Santo Antônio de Sá (1756-1809). 2018. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense.

2.
CARULA, Karoline; TERRA, Paulo Cruz; FREIRE, Jonis. Participação em banca de Caio Sergio de Moraes e Silva. A cidade do feitiço: feiticeiros no cotidiano carioca durante as décadas iniciais da Primeira República (1890/1910). 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense.

3.
FREIRE, Jonis; SOUSA, Jorge Prata de; SECRETO, Maria Veronica.. Participação em banca de Jurama Bergmann Vieira. Maria Margarida e Hercílio, mãe liberta e filho ilegítimo no final do século XIX em Desterro/SC. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense.

4.
LIMA, Ivana Stolze; FREIRE, Jonis; ABREU, Martha. Participação em banca de Carolina Cabral Ribeiro de Almeida. Da Polícia ao Museu: a formação da coleção africana do Museu Nacional na última década da escravidão. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense.

5.
DEL PRIORE, Mary; FREIRE, Jonis; FALCON, Francisco de C.. Participação em banca de Luiz Carlos de Carvalho Nora. Sociedade, política e economia no município de Vassouras durante o Segundo Reinado (1850-1889). 2017 - Universidade Salgado de Oliveira.

6.
FREIRE, Jonis; CARRARA, A. A.; MARTINS, Maria Fernanda Vieira. Participação em banca de Luiza Coutinho Ottero. Vila de Sapucaia: administração camarária, elites e poderes locais (1875-1888). 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

7.
FREIRE, Jonis; SCHETTINI, Vitória Fernanda; SOUSA, Jorge Prata de. Participação em banca de Maria de Lourdes Gomide. A politização dos setores populares: representações dos libertos sobre o movimento republicano, Rio de Janeiro (1888-1889). 2017. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

8.
CARRARA, A. A.; FREIRE, Jonis; OLIVEIRA, Mônica Ribeiro de. Participação em banca de Ana Paula Dutra Bôscaro. Escravidão e pequena propriedade em Minas Gerais - século XIX. 2016. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

9.
FREIRE, Jonis; CARULA, Karoline; CARVALHO, Marieta Pinheiro de; SILVA, Erica Sarmiento. Participação em banca de George Luiz de Abreu Vidipó. A Gazeta de Notícias do Rio de Janeiro e os Momentos Decisivos (1888-1889). 2016. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

10.
SOUSA, Jorge Prata de; AMANTINO, Marcia; FREIRE, Jonis. Participação em banca de João Batista Corrêa. Imperial fazenda de Santa Cruz: escravidão e liberdade na segunda metade do século XIX (1856-1891). 2016. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

11.
OLIVEIRA, M. R.; CARRARA, A. A.; FREIRE, Jonis. Participação em banca de Thiago Firmino de Souza. Uma sociedade em formação: terra, população e escravidão na Mata mineira - Mar de Espanha, primeira metade do século XIX. 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

12.
FREIRE, Jonis; CARVALHO, Marcua J. M.; SILVA, Gian Carlo M.; CARVALHO, Flávia M.. Participação em banca de Wellington José Gomes da Silva. A liberdade requer limites: o fundo de emancipação e a liberdade na Província das Alagoas (1871-1886). 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Alagoas.

13.
FREIRE, Jonis; MOREIRA, Marcello; IVO, Isnara Pereira. Participação em banca de Ocerlan Ferreira Santos. Memórias da Escravidão e das Mestiçagens no Sertão da Bahia. Imperial Vila da Vitória, século XIX. 2015. Dissertação (Mestrado em Memória:Linguagem e Sociedade) - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

14.
ENGEMANN, Carlos; FREIRE, Jonis; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Cláudia Cristina Alexandre de Oliveira Santiago. As Missões Jesuíticas em Angola e suas ligações com a América Portuguesa de 1575-1592. 2015. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

15.
FREIRE, Jonis; CARRARA, Angelo Alves; OLIVEIRA, Mônica Ribeiro de. Participação em banca de Vanessa Lourenço Vaz Costa. O Caminho Novo: ocupação do solo e produção rural, 1700-1830. 2013. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

16.
SARAIVA, Luiz Fernando; SOUSA, Jorge Prata de; FREIRE, Jonis. Participação em banca de Érika Mendonça Peixoto. Santa Clara do Macuco e a metamorfose do trabalho (1850-1888). 2013. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

17.
FREIRE, Jonis; CARVALHO, Marieta Pinheiro de; MUNTEAL FILHO, Oswaldo. Participação em banca de João Daniel Antunes Cardoso do Lago Carvalho. Uma lei para britânico lamentar: a lei de 7 de novembro de 1831 e o fim da preeminência inglesa no Brasil (1822-1850). 2013. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

18.
FREIRE, Jonis; ARAÚJO, Carlos Eduardo Moreira de; Soares, Luiz Carlos. Participação em banca de Caio da Silva Batista. Cotidiano e escravidão urbana na paróquia de Santo Antonio de Juiz de Fora (MG), 1850-1888. 2013. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

19.
SOUSA, Jorge Prata de; ENGEMANN, Carlos; FREIRE, Jonis. Participação em banca de Alexandre Florenciano Alonso. Mantendo a ordem. Correspondências e ofícios sobre a Guerra do Paraguai (1865-1870). 2013. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira.

20.
CARRARA, A. A.; FREIRE, Jonis; ALMEIDA, C. M. C.. Participação em banca de Camila Pelinsari Silva. Estruturas fundiárias e agrárias numa área de fronteira: Ponte Nova, 1855-1888. 2013. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

21.
FREIRE, Jonis; SILVA, Erica Sarmiento; CARULA, Karoline. Participação em banca de Rosâny do espírito Santo de Andrade. O Primeiro Congresso Brasileiro de Eugenia (Rio de Janeiro - 1829). O exame pré-nupcial e a seleção imigratória para a construção da nacionalidade brasileira.. 2013. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

22.
AMANTINO, Marcia; FREIRE, Jonis; ENGEMANN, Carlos. Participação em banca de Valdir de Almeida Porto. A fazenda jesuítica de Sant´Anna de Macaé nos séculos XVII e XVIII. 2012. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

23.
FREIRE, Jonis; CARVALHO, Marieta Pinheiro de; MAC CORD, Marcelo. Participação em banca de Luciano Campos Tardock. "Convicto, negativo e pertinaz": o caso de João Dique de Souza e a sociedade cristã-nova na freguesia de São Gonçalo do Amarante - século XVII-XVIII. 2012. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

24.
ENGEMANN, Carlos; FREIRE, Jonis; MACHADO, C.. Participação em banca de Midian dos Santos Silva. Uma ilustre desconhecida: os aspectos econômicos e sociais da Freguesia de São Vicente de Paulo na segunda metade do século XIX (1855-1870). 2012. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

25.
FREIRE, Jonis; AMANTINO, Marcia; CARVALHO, Marieta Pinheiro de. Participação em banca de Kelly Ferreira da Costa Santos. Os desordeiros nas Bandas d´Além na segunda metade do século XVIII. 2012. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

26.
ENGEMANN, Carlos; FREIRE, Jonis; SARAIVA, Luiz Fernando. Participação em banca de Randolpho Radsack Corrêa. Escravidão, criminalidade e cotidiano: Santa Luzia do Carangola - MG (1880-1888). 2012. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

27.
ENGEMANN, Carlos; FREIRE, Jonis; MACHADO, Maria Helena P. T.. Participação em banca de Priscila Ferreira Bento Sousa. Para Além dos Açoutes: criminalidade e práticas cotidianas na vila de Vassouras (1835-1864). 2012. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

28.
FREIRE, Jonis; DEL PRIORE, Mary; CUNHA, Washington Dener dos Santos. Participação em banca de Elaine Cristina Marcelina Gomes. Herança Africana: Mãe Regina de Bamboxê. 2012. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

Teses de doutorado
1.
GALLARDO, Dario Horávio G.; QUEIROZ, Suely Robles Reis; AZEVEDO, Célia Maria Marinho de; BARBOSA, Wilson do Nascimento; FREIRE, Jonis. Participação em banca de Renata Ribeiro Francisco. A maçonaria e o processo de abolição em São Paulo. 2018. Tese (Doutorado em História Social) - Universidade de São Paulo.

2.
CARRARA, A. A.; FREIRE, Jonis; MARTINS, Maria Fernanda Vieira; ANTUNES, Álvaro de Araújo; MENDES, Fábio Faria. Participação em banca de Vanessa Silva de Faria. Representação política e sistema eleitoral no Brasil Império: Juiz de Fora, 1853-1889. 2017. Tese (Doutorado em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal de Ouro Preto.

3.
FREIRE, Jonis; GUIMARAES, Carlos Gabriel; SALLES, Ricardo; PIRES, Anderson J.; LAMAS, Fernando G.. Participação em banca de Bruno Novelino Vittoretto. Fronteiras do café na Zona da Mata Mineira (1870-1940). 2016. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

4.
CARRARA, A. A.; OLIVEIRA, Mônica Ribeiro de; FREIRE, Jonis; BOTELHO, Tarcísio R.; ZAIDAN, Ricardo T.. Participação em banca de Rafael Martins de Oliveira Laguardia. Dos Dízimos à demarcação de terras; geoprocessamento aplicado a módulos rurais (Juiz de Fora, séculos XVIII - XIX). 2015. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

Qualificações de Doutorado
1.
GUIMARAES, Carlos Gabriel; FREIRE, Jonis; SALLES, Ricardo. Participação em banca de Rodrigo Marins Marretto. "O verdadeiro imperador do Brasil": o Barão de Nova Friburgo e as estratégias de formação e manutenção do patrimônio familiar nos oitocentos (1829-1888). 2018. Exame de qualificação (Doutorando em DOUTORADO EM HISTÓRIA) - Universidade Federal Fluminense.

2.
MACHADO, Cacilda S.; GUEDES, Roberto; FREIRE, Jonis. Participação em banca de Moisés Peixoto Soares. Mulher e família patriarcal: escravidão e mobilidade social (Piedade de Iguaçu, 1750-1850). 2017. Exame de qualificação (Doutorando em História Social) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Qualificações de Mestrado
1.
VIANNA, Marly A. G.; ASSIS, Charleston J. S.; FREIRE, Jonis. Participação em banca de José Manuel Faria. As representações da África na imprensa negra brasileira. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

2.
SOARES, Mariza de Carvalho; FREIRE, Jonis; CASTRO, Hebe Maria C. M. G.. Participação em banca de Vitor Hugo Monteiro Franco. Escravos da Religião: família e comunidade nas propriedades beneditinas no Recôncavo da Guanabara, 1817-1884. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense.

3.
FREIRE, Jonis; CARULA, Karoline; PARRON, Tamis. Participação em banca de Juliana Santos de Lima. Africanos livres em anúncios de jornais: retratos-falados da sociedade brasileira oitocentista. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense.

4.
FREIRE, Jonis; ALMEIDA, Katia Lorena Novais; REIS, Isabel Cristina Ferreira dos.. Participação em banca de Aline Soraia Saraiva Nascimento. Escravidão e família escrava em Alagoinhas (1835-1888). 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Pós-graduação em História) - Universidade do Estado da Bahia.

5.
FREIRE, Jonis; CARULA, Karoline; SOUSA, Jorge Prata de. Participação em banca de Gabriel Santos Paixão. O jornal Imprensa Evangélica e a abolição no Brasil. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

6.
VILLA, Carlos E. Valencia.; GUIMARAES, Carlos Gabriel; FREIRE, Jonis. Participação em banca de Dermeval Marins de Freitas. Famílias escravas na freguesia de Santo Antonio de Sá (1769-1809). 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense.

7.
FREIRE, Jonis; AMANTINO, Marcia; SOUSA, Jorge Prata de. Participação em banca de João Batista Corrêa. Imperial Fazenda de Santa Cruz: escravidão e liberdade no século XIX 91856-1891). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

8.
CARVALHO, Marcua J. M.; CARVALHO, Flávia M.; SILVA, Gian Carlo M.; FREIRE, Jonis. Participação em banca de Wellington José Gomes da Silva. A liberdade requer limites: o fundo de emancipação e a liberdade nas Alagoas, (1871-1888). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Alagoas.

9.
FREIRE, Jonis; SOUSA, Jorge Prata de; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Rogerio Paiva Navarro. Republicanos abolicionistas na Cidade da Campanha - Minas Gerais: O Colombo (1873-1885). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

10.
FREIRE, Jonis; SECRETO, Maria Veronica.; MARQUES, Leonardo. Participação em banca de Jurama Bergmann Vieira. maria Margarida e Hercílio, o que o sangue uniu a decisão do juiz separou: a trajetória de uma mãe liberta e seu filho livre durante os anos finais da escravidão e período pós-abolição no Brasil. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal Fluminense.

11.
DANTAS, Carolina Vianna; FREIRE, Jonis; ABREU, Martha. Participação em banca de Carolina Cabral Ribeiro de Almeida. A apreensão e ressignificação de costumes africanos no Império do Brasil no período de 1880-1887:a contribuição da Polícia da Corte para a formação da coleção africana do Museu Nacional. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal Fluminense.

12.
FREIRE, Jonis; SCHETTINI, Vitória; SOUSA, Jorge Prata de. Participação em banca de Maria de Lourdes Gomide. Representações sobre a resistência negra conta o movimento republicano no Rio de Janeiro: a Guarda Negra em questão (1888-1889). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

13.
FREIRE, Jonis; ABREU, Martha; VIANA, Larissa Moreira. Participação em banca de Caio Sergio de Moraes Santos e Silva. O silenciar dos tambores? As religiões africanas e afro-brasileiras no cotidiano carioca 1890-1910. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal Fluminense.

14.
CARRARA, Angelo Alves; MARTINS, Maria Fernanda Vieira; FREIRE, Jonis. Participação em banca de Luiza Coutinho Ottero. A Câmara de Sapucaia: administração, elites e poder local no século XIX. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

15.
FREIRE, Jonis; CARULA, Karoline; SILVA, Erica Sarmiento. Participação em banca de George Luiz Vidipó. A Gazeta de Notícias nos momentos decisivos (1888-1889). 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

16.
VILLA, Carlos E. Valencia.; FREIRE, Jonis; SARAIVA, Luiz Fernando. Participação em banca de Jurandir da Cruz Rita. Nas malhas das famílias: estratégias e relações familiares nos Termos de Cachoeira, 1835-1872. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense.

17.
CARRARA, Angelo Alves; FREIRE, Jonis; OLIVEIRA, Mônica Ribeiro de. Participação em banca de Thiago Firmino de Souza. A formação e a dinâmica da cafeicultura em Minas Gerais: uma análise das unidades produtivas da Zona da Mata Mineira - Mar de Hespanha, 1827-1860. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

18.
OLIVEIRA, Mônica Ribeiro de; FREIRE, Jonis; CARRARA, Angelo Alves. Participação em banca de Ana Paula Dutra Bôscaro. Escravidão e pequena propriedade em Minas Gerais no século XIX - 1830 a 1850. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

19.
FREIRE, Jonis; ENGEMANN, Carlos; SOUSA, Jorge Prata de. Participação em banca de Adriana Ribeiro Ferreira da Silva. Pela Lapa e pela Corte: o negócio de escravos ao ganho de Vicente Pereira da Silva Porto na Praça do Rio de Janeiro (c.1860-c.1870). 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

20.
ENGEMANN, Carlos; FREIRE, Jonis; SOUSA, Jorge Prata de; CARULA, Karoline. Participação em banca de Eduardo Possidônio. Calundis, batuque e mandingas. A (re)criação da religiosidade banto no Rio de Janeiro (1870-1900). 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

21.
ENGEMANN, Carlos; FREIRE, Jonis; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Cláudia Cristina Alexandre de Oliveira. As relações entre o Colégio Jesuítico do Rio de Janeiro e a missão de Angola de 1575 e 1592. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira.

22.
FREIRE, Jonis; CARRARA, Angelo Alves; ALMEIDA, Carla Maria Carvalho de. Participação em banca de Camila Pelinsari Silva. Estruturas fundiárias e agrárias numa área de fronteira: Ponte Nova, 1855-1888. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

23.
ARAÚJO, Carlos Eduardo Moreira de; FREIRE, Jonis; CARVALHO, Marieta Pinheiro de. Participação em banca de Caio da Silva Batista. Novas perspectivas sobre o escravismo na Zona da Mata Mineira: a escravidão urbana na Freguesia de Santo Antonio do Paraibuna, 1850 a 1888. 2012. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

24.
FREIRE, Jonis; SOUSA, Jorge Prata de; SARAIVA, Luiz Fernando. Participação em banca de Érika Mendonça Peixoto. Santa Clara do Macacu e a metamorfose do trabalho (1850-1888). 2012. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

25.
FREIRE, Jonis; CARVALHO, Marieta Pinheiro de; Munteal Filho, Oswaldo. Participação em banca de João Daniel Antunes Cardoso do Lago Carvalho. Relações diplomáticas entre Brasil e Inglaterra e a Lei de 1831. 2012. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

26.
ENGEMANN, Carlos; FREIRE, Jonis; CARVALHO, Marieta Pinheiro de. Participação em banca de Priscila Ferreira Bento Sousa. Para além dos 'açoutes': criminalidade e práticas cotidianas na vila de Vassouras (1835-1864). 2011. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

27.
CUNHA, Washington Dener dos Santos; DEL PRIORE, Mary; FREIRE, Jonis. Participação em banca de Elaine Cristina Marcelina Gomes. Herança Africana: Mãe Regina de Bamboxê. 2011. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

28.
FREIRE, Jonis; AMANTINO, Marcia; CARVALHO, Marieta Pinheiro de. Participação em banca de Luciano Campos Tardock. "Convicto, negativo e pertinaz": a análise do processo inquisitorial de João Dique de Souza no Rio de Janeiro setecentista. 2011. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

29.
FREIRE, Jonis; CARVALHO, Marieta Pinheiro de; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Kelly Ferreira da Costa Santos. Os vadios e quilombolas das Bandas d' Além (1750- 1800). 2011. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

30.
ENGEMANN, Carlos; FREIRE, Jonis; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Midian dos Santos Silva. Entre a vida e a morte: o cotidiano dos escravos e senhores da Freguesia de São Vicente de Paulo pelos livros paroquiais (1855-1870). 2011. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

31.
ENGEMANN, Carlos; FREIRE, Jonis; SOUSA, Jorge Prata de. Participação em banca de Randolpho Radsack Corrêa. Criminalidade, conflitos e escravidão: o cotidiano escravista em Carangola-MG (1880-1888). 2011. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

32.
ENGEMANN, Carlos; FREIRE, Jonis; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Valdir de Almeida Porto. A fazenda Sant' Ana de Macaé e os jesuítas nos séculos XVII e XVIII. 2010. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
FREIRE, Jonis. Participação em banca de Gabriel Vianna Moraes dos Santos.RIQUEZA, POBREZA E UTILIDADE: O PENSAMENTO ECONÔMICO E DESENVOLVIMENTO EM VILHENA. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense.

2.
FREIRE, Jonis. Participação em banca de Tamires Mendes Caldas.Segunda escravidão: uma crítica a cultura da escravidão. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense.

3.
FREIRE, Jonis. Participação em banca de Vitor Reis Soares.Um brinde ao progresso: a inserção do consumo de cerveja no Rio de Janeiro. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal da Fronteira Sul.

4.
FREIRE, Jonis. Participação em banca de Genice de Sousa Silva.De ouvinte de histórias a herói de uma nação: Alex Haley e suas negras raízes. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense.

5.
FREIRE, Jonis. Participação em banca de Natália Xavier Dantas.A Política da Conciliação no Império: constrastes da direção imperoal do Segundo Reinado e a personalidade do Marquês do Paraná. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense.

6.
FREIRE, Jonis. Participação em banca de Devanei Santiago.Cor e imobilidade na marinha do brasil: limites à progressão funcional de oficiais negros (1960-1980). 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense.

7.
FREIRE, Jonis. Participação em banca de João Marcos Mesquita.Uma ?lei para inglês ver?? O processo de construção de uma lei nacional sobre o tráfico de escravos (1822 - 1831). 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense.

8.
FREIRE, Jonis. Participação em banca de Mariane Figueiredo dos Santos.Os militares no caminho do Imperador: a República se aproxima. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense.

9.
FREIRE, Jonis. Participação em banca de Géssica de Souza Santos.Por um bordel higienizado: a união médica e a regulamentação da prostituição no Rio de Janeiro (1881-1890). 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense.

10.
FREIRE, Jonis. Participação em banca de Amanda Bastos da Silva.Considerações sobre a Revolução Haitiana e suas possibilidades de análise através das imagens.. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense.

11.
SLENES, R. W.; FREIRE, Jonis; PIROLA, Ricardo. Participação em banca de Joice Fernanda de Souza Oliveira."Forasteiros do Oeste Paulista": Comércio interno e experiência cativa em Campinas, 1865-18880. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Estadual de Campinas.

12.
SLENES, R. W.; FREIRE, Jonis; PIROLA, Ricardo. Participação em banca de Laura Candian Fraccaro.Negras e forras no comércio a retalho em Campinas 1830-1870. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Estadual de Campinas.

13.
SLENES, R. W.; FREIRE, Jonis; PIROLA, Ricardo. Participação em banca de Mariana Heloiza Meschiatti.Comércio desvelado. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Estadual de Campinas.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
KODAMA, Kaori; LUSTOSA, Isabel; MARTINS, Maria Fernanda Vieira; SECRETO, Maria Veronica.; FREIRE, Jonis. Concurso público para Professor Adjunto em História do Brasil Império. 2016. Universidade Federal Fluminense.

2.
HONORATO, C.; KOCHER, B.; FREIRE, Jonis. Concurso para Professor Substituto de História Econômica Geral e do Brasil. 2015. Universidade Federal Fluminense.

Outras participações
1.
FREIRE, Jonis. Banca de Avaliação Interna da Área de Ciências Humanas - PIBIC 2018/2019. 2018.

2.
FREIRE, Jonis. Banca de seleção do PPGH/UFF (Mestrado e Doutorado). 2018. Universidade Federal Fluminense.

3.
FREIRE, Jonis. Banca de seleção do PPGH/UFF (Mestrado e Doutorado). 2017. Universidade Federal Fluminense.

4.
FREIRE, Jonis. Banca de Avaliação Interna do XXVI Seminário de Iniciação Cientifica - Prêmio Vasconcellos Torres de Ciência e Tecnologia. 2016.

5.
FREIRE, Jonis. Banca de seleção PPGH/UFF (Mestrado e Doutorado). 2016. Universidade Federal Fluminense.

6.
FREIRE, Jonis; SARAIVA, Luiz Fernando; PATUZZI, Silvia. Banca de Seleção de Monitoria em Brasil Império: Pesquisa e Ensino sobre o Brasil do século XIX. 2015. Universidade Federal Fluminense.

7.
FREIRE, Jonis; SARAIVA, Luiz Fernando; ONOFRE, Gabriel. Banca de Seleção de Monitoria em Métodos de Ensino da História Econômica. 2015. Universidade Federal Fluminense.

8.
CARRARA, A. A.; OLIVEIRA, Mônica Ribeiro de; FREIRE, Jonis. Comissão Examinadora de relatório de atividades acadêmicas - Mudança de nível. 2015. Universidade Federal de Juiz de Fora.

9.
FREIRE, Jonis; SCHITTINO, Renata; VENANCIO, Gisele. XXIV Seminário de Iniciação Científica e Prêmio UFF Vasconcellos Torres de Ciência e Tecnologia 2014. 2014. Universidade Federal Fluminense.

10.
FREIRE, Jonis. banca de seleção do processo seletivo 1.2012 do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em História da Universidade Salgado de Oliveira. 2012. Universidade Salgado de Oliveira.

11.
FREIRE, Jonis. banca de seleção do processo seletivo 1.2010 do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em História da Universidade Salgado de Oliveira. 2010. Universidade Salgado de Oliveira.

12.
FREIRE, Jonis. banca de seleção do processo seletivo 2.2010 do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em História da Universidade Salgado de Oliveira. 2010. Universidade Salgado de Oliveira.

13.
FREIRE, Jonis; AMANTINO, Marcia; CARVALHO, Marieta Pinheiro de; ENGEMANN, Carlos; SOUSA, Jorge Prata de. banca de seleção do processo seletivo 2.2009 do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em História da Universidade Salgado de Oliveira. 2009. Universidade Salgado de Oliveira.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
V Seminário Fluminense de Pós-graduandos.Abolicionismos e antiescravismo no Brasil oitocentista. 2017. (Seminário).

2.
Colóquio Movimentos, Trânsitos e Memórias.Tráfico, Escravidão e Mestiçagens. 2016. (Outra).

3.
III Encontro Sul-americano de Estudos Agrários.Escravidão e trabalho forçado da Colônia aos dias atuais. 2016. (Encontro).

4.
V CLADHE. Coordenador do Simpósio Escravidão e História Econômica. 2016. (Congresso).

5.
1 Seminário de estudos da escravidão na Baixada Fluminense.Trafico ilegal e batismo de escravos na Freguesia de Nossa Senhora das Neves do Sertão de Macaé, c.1798 - c.1858. 2015. (Seminário).

6.
2 Encontro de Pós-graduando do CEO-NUPEHC.História e Instituições. 2015. (Encontro).

7.
Escravidão e Mestiçagens. De que estamos falando? Antigos conceitos e novos anacronismos.. Problematizador na Sessão "Mestiço e mescla". 2015. (Congresso).

8.
XIII Semana de História da UERJ.Liberdade e escravidão: legados e desafios. 2015. (Outra).

9.
Congreso Internacional Mestizajes/Mestiçagens. Los mestizajes en los mundos ibéricos: esclavitud, agentes, sociedades (siglos XIV - XVIII). 2014. (Congresso).

10.
Congreso Internacional Mestizajes/Mestiçagens. Sociedad, trabajo y cambio cultural en los mundos ibéricos: Perspectivas comparadas en Historia Moderna. 2014. (Congresso).

11.
Congresso Internacional Familias y Redes Sociales. Etnicidad, Movilidad y Marginalidad en el Mundo Atlántico. Relações familiares e compadrio de inocentes e de adultos no Rio de Janeiro, c. 1798 - c.1841.. 2014. (Congresso).

12.
Debatedor na M R: História Atlântica? Conceitos, metodologias, historiografiasfiss.Mesa Redonda: História Atlântica? Conceitos, metodologias, historiografia. 2014. (Encontro).

13.
Encontro Tardes de Pesquisa CEO/NUPEHC.Batismo de adultos e tráfico de escravos no norte fluminense (primeira metade do século XIX). 2014. (Encontro).

14.
Escravidão e Cultura Afro-Brasileira: temas e problemas em torno da obra de Robert Slenes.Família. 2014. (Seminário).

15.
Projeto de extensão "Limpeza total: EJA, UFF e Trabalhadores Terceirizados".Mobilidade social negra e educação. 2014. (Encontro).

16.
VII Encontro de Pós-graduação em História Econômica e 5 Conferência Internacional de História Econômica.Simpósio Temático - Brasil e América Latina no século XIX: Escravidão, Trabalho e Emancipação no Império do Brasil. 2014. (Encontro).

17.
VII Simpósio Internacional Escravidão e Mestiçagens: modos de trabalhar.Trabalhadores Mestiços e as fontes históricas. 2014. (Simpósio).

18.
XVI Encontro Regional de História da Anpuh-Rio: Saberes e práticas científicas.Compadrio entre os escravos da Freguesia de Nossa Senhora das Neves, primeira metade do século XIX. 2014. (Encontro).

19.
2 Seminário Fluminense de Pós-Graduando em História.Sociedade escravista: senhores e escravos. 2013. (Seminário).

20.
A Companhia de Jesus e os índios. 2013. (Seminário).

21.
Congresso Internacional. Relações familiares e batismos de inocentes e adultos entre escravos do Norte fluminense - Rio de Janeiro século XIX. 2013. (Congresso).

22.
III Congreso Internacional - Ciencias, Tecnologias Y Culturas. Dialogos entre las disciplinas Del Conocimiento. Mirando Al Futuro de América Latina Y El Caribe. Hacia Una internacional Del Conocimiento.. Relações familiares entre escravos da Província do Rio de Janeiro, século XIX. 2013. (Congresso).

23.
III Workshop Grupo de pesquisa Escravidão, mestiçagem, trânsito de culturas e globalização - séculos XV a XIX. 2013. (Outra).

24.
1 Seminário Fluminense de Pós-Graduandos em História.1 Seminário Fluminense de Pós-Graduandos em História. 2012. (Seminário).

25.
II Seminário de História do Brasil Colonial.A ocupação da Zona da Mata Mineira nos séculos XVIII e XIX. 2012. (Seminário).

26.
VI Simpósio Escravidão e Mestiçagens: religiões e religiosidades.Batismos mestiços: mestiçagens na freguesia de Nossa Senhora da Neves do Sertão de Macaé (RJ), século XIX. 2012. (Simpósio).

27.
VI Simpósio Escravidão e Mestiçagens: religiões e religiosidades.Coordenador da mesa redonda "Mestiçagens, trabalho, religiões e religiosidades na Ibero-América". 2012. (Simpósio).

28.
XV Anpuh-RJ. Coordenador de Simpósio Temático..Coordenação do Simpósio Temático 038. Sociedades Escravistas nas Américas: identidades e sociabilidades no mundo colonial ibérico. 2012. (Simpósio).

29.
III Seminário de História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira.Tráfico interno de escravos: Juiz de Fora, segunda metade do XIX. 2011. (Seminário).

30.
II Workshop Grupo de pesquisa Escravidão, mestiçagem, trânsito de culturas e globalização - séculos XV a XIX. 2011. (Outra).

31.
Encontro de Grupo de Pesquisas - A África em Rede. 2010. (Encontro).

32.
IV Jornada Desigualdades Raciais na Educação Brasileira.Famílias negras, alforrias e as lutas pela liberdade no Brasil do século XIX. 2010. (Outra).

33.
IX Congresso da Associação de Demografia Histórica. Relações familiares e de parentesco entre cativos: Minas Gerais - Brasil, século XIX. 2010. (Congresso).

34.
Seminário Internacional sobre a Presença Africana no Mundo Moderno - Os Angolas no Brasil, O Brasil em Angola- África, Europa e América e a construção do Mundo Moderno. 2010. (Seminário).

35.
VII Simpósio de História - o Passado no Presente: Reflexões Sobre os Usos da História.Escravidão e família escrava em Minas Gerais do século XIX. 2010. (Simpósio).

36.
V Semana Acadêmica de História -.Escravidão e família escrava na Zona da Mata Mineira Oitocentista. 2010. (Outra).

37.
V Simpósio Escravidão e Mestiçagens: Ambientes, Paisagens e Espaços.Coordenação da mesa-redonda "Famílias negras e mestiças: relações sociais e experiências de vida familiar no mundo escravista". 2010. (Simpósio).

38.
V Simpósio Escravidão e Mestiçagens: Ambientes, Paisagens e Espaços.Comprando, ganhando, negociando, brigando. Família escrava e manumissão em Minas Gerais - a Vila de Santo Antonio do Paraibuna, século XIX. 2010. (Simpósio).

39.
XIV Seminário sobre a Economia Mineira.O parentesco e a estabilidade das famílias escravas nas Minas Gerais Oitocentista. 2010. (Seminário).

40.
III Semana de História.Coordenou a mesa redonda "História da África e dos africanos no Mundo Atlântico: direitos, trabalho e segregação". 2009. (Outra).

41.
VIII Congresso Brasileiro de História Econômica e 9 Conferência Internacional de História de Empresas. Relação dos habitantes do Districto de Santo Antonio do Juiz de Fora... "as listas nominativas de 1831 e algumas características de sua população. 2009. (Congresso).

42.
II Seminário de História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira.Expectativas e tensões: estabilidade das famílias escravas, em uma sociedade escravista mineira, século XIX. 2008. (Seminário).

43.
V Colóquio Internacional Trabalho Forçado Africano - Brasil, 120 da abolição."Os tráficos" de escravos nas Monas Gerais oitocentista: a Vila de Santo Antonio do Paraibuna e a manutenção/ampliação das posses de escravos. 2008. (Outra).

44.
XIII Seminário sobre a Economia Mineira.Famílias Senhoriais, Estratégias de Manutenção e/ou Ampliação de Posses em Escravos: Zona da Mata Mineira, século XIX. 2008. (Seminário).

45.
II Seminário de Pesquisas e Estudos Negros.Famílias escravas na Zona da Mata Mineira, século XIX. 2007. (Seminário).

46.
Seminário: As atas paroquiais dos setecentos e oitocentos: linhas e entrelinhas (as diferentes leituras). 2007. (Seminário).

47.
VII Congresso Brasileiro de História Econômica. A Vila de Santo Antonio do Paraibuna: apontamentos sobre algumas variáveis e características da população cativa, século XIX. 2007. (Congresso).

48.
1 Seminário História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira.Compadrio, legitimidade e família escrava em uma freguesia escravista na Zona da Mata mineira, século XIX. 2005. (Seminário).

49.
XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais.Compadrio em uma freguesia escravista, Senhor Bom Jesus do Rio Pardo, 1838-1888. 2004. (Encontro).

50.
Ciclo de Estudos PET (Programa Especial de Treinamento) Serviço Social e PET (Programa Especial de Treinamento) História - Educação: Relações e Identidades Múltiplas. 2003. (Outra).

51.
I Simpósio Internacional de História: Cultura e Identidades.Compadrio e identidade escrava: Senhor Bom Jesus do Rio Pardo, 1838-1887. 2003. (Simpósio).

52.
I Encontro Interdisciplinar de Metodologia e Pesquisa Científica. 2002. (Encontro).

53.
II Ciclo de Estudos PET. 2002. (Outra).

54.
XIII Encontro Regional de História - "História: o saber produzido e o saber difundido".Estruturas demográficas de uma freguesia escravista: Senhor Bom Jesus do Rio Pardo, 1838-1888. 2002. (Encontro).

55.
XVI Encontro Regional de História - Poderes e Representações. 2002. (Encontro).

56.
VIII Seminário de Iniciação Científia da Universidade Federal de Ouro Preto.Espaços urbanos de uma sociedade rural. 2000. (Seminário).

57.
III Ciclo de Estudos da Religião. 1997. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
FREIRE, Jonis; CARVALHO, Marieta Pinheiro de ; TAVARES, C. C. S. ; BARCELOS, A. P. ; ALII, E. . IV Seminário Fluminense de Pós-graduando em História. 2016. (Outro).

2.
GANDELMAN, L. ; MAGALHAES, M. ; BARCELOS, A. P. ; CATAO, B. ; SOUSA, Jorge Prata de ; KAMITA, J. M. ; GONTIJO, R. ; KROPF, S. ; FREIRE, Jonis . III Seminário Fluminense de Pós-graduandos em História. 2015. (Congresso).

3.
SARAIVA, Luiz Fernando ; ALMICO, Rita C. ; GUIMARAES, Carlos Gabriel ; VALENCIA, Carlos ; PEREIRA, Walter Luiz C. M. ; SAES, Alexandre M. ; FREIRE, Jonis . VII Encontro de Pós-Graduação em História Econômica e 5 Conferência Internacional de História Econômica. 2014. (Congresso).

4.
CHALHOUB, Sidney ; RIBEIRO, Gladys S. ; ABREU, Martha ; FREIRE, Jonis . Escravidão e Cultura Afro-Brasileira: temas e problemas em torno da obra de Robert Slenes. 2014. (Congresso).

5.
LAMAS, Fernando G. ; OLIVEIRA JUNIOR, Lourival Batista de ; FREIRE, Jonis ; SOUSA, Jorge Prata de ; ALMICO, Rita de Cássia ; GUIMARÃES, Elione ; LACERDA, Henrique Duarte ; PIRES, Anderson ; SARAIVA, Luiz Fernando ; SCHETTINI, Vitória Fernanda . III Seminário de História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira. 2011. (Outro).

6.
FREIRE, Jonis. V Simpósio Escravidão e Mestiçagens: Ambientes, Paisagens e Espaços. 2010. (Outro).

7.
FREIRE, Jonis. IV Congresso Latino-americano de Ciências Sociais e Humanidades: Imagens da Morte. 2010. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Juliana Santos de Lima. Africanos livres em anúncios de jornais: retratos falados da sociedade brasileira oitocentista. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

2.
Vitor Hugo Monteiro Franco. Escravos da Religião: família e comunidade nas propriedades beneditinas no Recôncavo da Guanabara, 1817 - 1884. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Jurama Bergmann Vieira. Filhos do "pecado": as crianças ilegítimas na antiga cidade de Florianópolis-SC (1870-1910). Início: 2018. Tese (Doutorado em Doutorado em História) - Universidade Federal Fluminense. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Lucas Abreu Gomes. As práticas de alforria em posses ligadas a uma economia agro-exportadora, Vale do Paraíba Mineiro segunda metade do século XIX. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Dermeval Marins de Freitas. Famílias escravas na Freguesia de Santo Antônio de Sá (1769-1809). 2016. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Jonis Freire.

2.
Jurama Maria Bergmann Vieira. Maria Margaria e Hercílio, o que o sangue uniu a decisão do juiz separou: a trajetória de uma mãe liberta e seu filho livre durante os anos finais da escravidão e período pós-Abolição no Brasil. 2015. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense, . Orientador: Jonis Freire.

3.
Caio Sérgio de Moraes Santos e Silva. Canto pro meu Orixá: As religiões afro-brasileiras no cotidiano carioca durante a Primeira República (1890 ? 1920). 2015. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em História) - Universidade Federal Fluminense, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Jonis Freire.

4.
Caio da Silva Batista. A escravidão Urbana na Freguesia de Santo Antônio do Paraibuna - 1860/1888. 2013. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira, . Orientador: Jonis Freire.

5.
Eduardo Possidonio. Calundus, batuques e mandingas: a (re)criaçãoo da religiosidade banto no Rio de janeiro oitocentista. 2013. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira, . Coorientador: Jonis Freire.

6.
Randolpho Radsack Corrêa. Escravidão, criminalidade e cotidiano: Santa Luzia do Carangola - MG (1880-1888). 2012. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira, . Orientador: Jonis Freire.

7.
Luciano C. Tardock. "Convicto, negativo e pertinaz": o caso de João Dique de Souza e a sociedade cristã-nova na freguesia de São Gonçalo do Amarante - século XVII-XVIII. 2010. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História) - Universidade Salgado de Oliveira, . Orientador: Jonis Freire.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Eline da Silva Conceição. O homem de cor no Brasil (1880-1900) ? Liberdade controlada e cidadania em curso. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense. Orientador: Jonis Freire.

2.
Welleson da Silva Bastos. Abastecimento de gêneros alimentícios na cidade do Rio de Janeiro e suas implicações na economia e sociedade no período joanino (1808-1822). 2018. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense. Orientador: Jonis Freire.

3.
Paulo César Pereira de Oliveira. FAMÍLIA, COMPADRIO E ALFORRIAS NA PIA BATISMAL. VILA DE SANTA MARIA DE MARICÁ (RJ), 1835-1849. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal Fluminense. Orientador: Jonis Freire.

4.
Marcio Eugênio Garcia de Britto Nascimento. O Gabinete do Ventre Livre : A aprovação do projeto de Lei de 1871 pelas páginas dos jornais O Diário do Rio de Janeiro e A Reforma. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal Fluminense. Orientador: Jonis Freire.

5.
Raísa Alves Moreno. O LÍRIO E A IMPRENSA FEMININA OITOCENTISTA NA EDIFICAÇÃO DE UMA NOVA MULHER. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal Fluminense. Orientador: Jonis Freire.

6.
Brenda Ferreira dos Santos. Compadrio e Família Escrava na Freguesia Nossa Senhora das Neves e Santa Rita do Rio Macaé (1808 a 1828). 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Jonis Freire.

Iniciação científica
1.
Vitor Hugo Monteiro Franco. Escravos da Religião: família e comunidade nas propriedades beneditinas no Recôncavo da Guanabara, 1817-1884. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ. Orientador: Jonis Freire.

2.
Matheus Castro Rezende. Família escrava, demografia e mestiçagens: Nossa Senhora das Neves do Sertão de Macaé (RJ), c.1798-c.1850. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal Fluminense, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Jonis Freire.

3.
Maria Julia Dias Rodrigues. Família escrava, demografia e mestiçagens : Nossa Senhora das Neves do Sertão de Macaé (RJ), c.1798 - c.1850. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Abi - História) - Universidade Federal Fluminense, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Jonis Freire.

4.
Brenda Ferreira dos Santos. Relações familiares entre os escravos da Freguesia de Nossa Senhora das Neves do Sertão de Macaé, c. 1840 - c.1888. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Jonis Freire.



Educação e Popularização de C & T



Textos em jornais de notícias/revistas
1.
FREIRE, Jonis. A liberdade e a relação com a família escrava. Leituras da História, 01 mar. 2010.

2.
FREIRE, Jonis; AMANTINO, Marcia . Amor em cativeiro. Revista de História (Rio de Janeiro), , v. 89, p. 26 - 27, 01 fev. 2013.


Cursos de curta duração ministrados
1.
FREIRE, Jonis. Escravidão indígena e africana: conflitos e negociações. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 19/12/2018 às 24:23:55