Xenya Bernardes Garcia da Luz

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/0499367117473012
  • Última atualização do currículo em 24/11/2015


Possui bacharelado em Ecologia pela Universidade Católica de Pelotas e mestrado em Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais, pela Universidade Federal do Rio Grande. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia de campo. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Xenya Bernardes Garcia da Luz
Nome em citações bibliográficas
LUZ, X. B. G.;GARCIA, X. B.;Garcia, X.;DA LUZ, X. BERNARDES GARCIA

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Rio Grande, ICB - Instituto de Ciências Biológicas..
Av. Itália, Km 8 - Campus Carreiros; Laboratório de Aves Aquáticas
Carreiros
96203900 - Rio Grande, RS - Brasil
Telefone: (53) 32935118


Formação acadêmica/titulação


2013 - 2015
Mestrado em Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais.
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
Título: Ecologia alimentar da ave herbívora Chauna torquata no Taim, sul do Brasil,Ano de Obtenção: 2015.
Orientador: Leandro Bugoni.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul, FAPERGS, Brasil.
2003 - 2006
Graduação em Bacharelado em Ecologia.
Universidade Católica de Pelotas, UCPEL, Brasil.
Título: Diversidade de mamíferos de médio e grande porte da Serra do Sudeste, Rio Grande do Sul, Brasil.
Orientador: Maximiano Pinheiro Cirne.




Formação Complementar


2008 - 2008
Ecologia e conservação de maçaricos migratórios. (Carga horária: 24h).
Parque Nacional da Lagoa do Peixe, PARNA LAGOA DO P, Brasil.
2008 - 2008
Técnicas de amostragem e análise em ecologia.... (Carga horária: 20h).
Universidade Católica de Pelotas, UCPEL, Brasil.
2005 - 2005
mamíferos de médio e grande porte: como, e por que. (Carga horária: 8h).
Sociedade Brasileira de Mastozoologia, SBMZ, Brasil.
2004 - 2004
Ecologia e Manejo de Marismas. (Carga horária: 16h).
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.


Atuação Profissional



Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Atividades de gestão e apoio ao projeto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.


Museu Nacional/UFRJ, MN/UFRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: Colaboradora, Enquadramento Funcional: Estruturação da base de dados, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Colaboradora, Enquadramento Funcional: Colaboradora em campo, Carga horária: 48, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Colaboradora, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 20


Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, INPA, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2008
Vínculo: Estágio, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 20
Outras informações
Instituições parceiras: Estación Biológica Doñana - EBD (Espanha) e Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM)

Vínculo institucional

2007 - 2007
Vínculo: Estágio, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 20


Universidade Católica de Pelotas, UCPEL, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2006
Vínculo: Estágio, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 20

Vínculo institucional

2003 - 2005
Vínculo: Estágio, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 20



Projetos de pesquisa


2011 - 2011
Estruturação de escritórios técnicos - ETS - com o objetivo de consolidar a implantação do Campus Fiocruz Mata Atlântica
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2010 - 2011
Estrutura e Heterogeneidade da Paisagem da Estância Ecoloógica do SESC Pantanal (Barão de Melgaço, MT): efeitos sobre a riqueza e densidade de mamíferos ungulados.
Descrição: O presente Projeto objetiva (1) contribuir ao conhecimento da fauna de mamíferos ungulados e suas relações com a paisagem da região do Pantanal de Barão do Melgaço, Mato Grosso. Como cenário para a compreensão das relações das espécies com o mosaico da paisagem pretende-se (2) gerar mapas temáticos de diversas categorias tais como mapa da vegetação atual, mapa das áreas alagáveis, mapas de classes de perturbação antrópica, mapas hidrológicos, e de classes de hábitat, entre outros. A base de dados, centrada em um Sistema de Informações Geográficas, contendo imagens Landsat -TM e diferentes mapas vetoriais, constituirão a ferramenta fundamental das análises visando a (3) compreensão dos padrões de distribuição de grupos de mamíferos selecionados. Pretende-se (4) identificar fatores, na escala da paisagem e dos hábitats, que condicionem a distribuição e a abundância e (5) avaliar o efeito da escala e da complexidade do mosaico da paisagem sobre as probabilidades de ocorrência dos componentes da mastofauna estudados. Pretende-se (6) gerar mapas probabilísticos de distribuição sobre os grupos selecionados (antas, cervídeos, caititus, queixadas e porcos - monteiros) permitindo que esse produto constitua um modelo, sobre a qual, futuros planos de manejo da fauna do Pantanal sejam desenvolvidos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2009
Monitoramento de Fauna da área de Influência da Usina Hidrelétrica de Barra Grande ? Monitoramento de mamíferos de médio e grande porte
Descrição: Atendendo a exigências do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente/IBAMA, a empresa Bourscheid S.A. Engenharia e Meio Ambiente desenvolveu, de 2002 a 2005, o trabalho de Monitoramento da Fauna Pré-Enchimento do Reservatório da Usina Hidrelétrica (UHE) Barra Grande em quatro áreas afetadas direta e/ou indiretamente por esta. Este trabalho resultou no registro de 59 espécies de mamíferos, 282 de aves, 27 de répteis e 43 de anfíbios. Dentre as espécies registradas merecem destaque as consideradas ameaçadas pelo IBAMA. Dando continuidade aos trabalhos de monitoramento de fauna iniciados na fase de pré-enchimento do supracitado reservatório, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, através do Departamento de Zoologia do Instituto de Biociências, vem desenvolvendo o trabalho de Monitoramento da Fauna Pós-Enchimento do reservatório da UHE Barra Grande desde maio de 2006, conforme contrato B-MA-06-016, BAESA/FAURGS. Visando atender as especificações técnicas para contratação de serviços de Monitoramento da Fauna Pós-Enchimento da UHE Barra Grande, considerando-se as exigências estabelecidas na Licença de Operação nº 447/2005 do Aproveitamento Hidrelétrico Barra Grande, em especial as condicionantes 2.63, 2.65, 2.68 e 2.74, e as recomendações do Ofício nº 152/04 CGFAU/LIC, IBAMA de julho de 2004, este trabalho vem sendo realizados pelas equipes de herpeto, ornito e mastofauna. Este estudo visa avaliar as alterações e/ou possíveis danos sofridos pela fauna nas referidas áreas atingidas pelo enchimento do reservatório. Através dos resultados obtidos nas pesquisas a campo e em laboratório, as equipes procuram estudar o atual status de conservação da fauna destas quatro áreas selecionadas, dando especial atenção, através de projetos especiais, a espécies consideradas ameaçadas pelo IBAMA..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2007 - 2008
Seleção de hábitat, estimativas de abundância e marcadores moleculares de onça pintada, Panthera onca, em ambientes fragmentados e contínuos no Brasil e no México
Descrição: Projeto de cooperação internacional financiado pela Fundación BBVA (Espanha) entre INPA (Brasil), Estación Biológica Doñana (Espanha) e UNAM (México). Valor total: R$ 484.500,00; valor da parte brasileira no projetol: R$ 157.500,00. Entre as espécies mais sensíveis à perda e degradação do hábitat se encontram os grandes predadores, que normalmente têm baixa densidade populacional, requerem grandes extensões de hábitat e, com frequência, são especialistas em hábitat e/ou dieta. Estudos sobre o processo de extinção de grandes predadores indicam que as espécies podem ser mais vulneráveis às alterações do hábitat nos limites do que no centro de sua área de distribuição, devido a que as populações tendem a ocupar hábitats menos favoráveis e a apresentar menor densidade nas zonas limite. A conservação de espécies requer uma escala de análise que inclua informação tanto do centro como da periferia da área de distribuição da espécie. A onça pintada (Panthera onca) é o maior felino da América Latina, e constitui um bom indicador do estado de conservação da biodiversidade. Sua área de distribuição foi reduzida em 40-65% em tempos recentes. A nível global, assim como em vários países, a espécie é classificada como ameaçada de extinção. Atualmente, seu limite norte de distribuição se situa no México, onde ocupa básicamente hábitats tropicais e onde suas populações vêm diminuindo sem que se conheça sua situação atual com precisão. Os hábitats tropicais de México são os mais ameaçados pelas atividades humanas, devido à acelerada taxa de mudança no uso da terra nessas regiões. Em contraste com o estado de degradação de ambientes tropicais no México, na Amazônia brasileira (centro da atual área de distribuição da onça) a espécie ainda não se encontra ameaçada, porque ainda existem extensas áreas de floresta primária. O projeto tem por objetivo avaliar o uso do hábitat por populações de onças no México e na Amazônia por meio de censos sistemáticos de pegadas, e estimar a abundância..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2007 - 2007
Fatores determinantes para o recrutamento e estabelecimento de plântulas de uma herbácea tropical (Heliconia acuminata) em uma paisagem fragmentada da Amazônia central.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2004 - 2005
Avaliação da fauna afetada por atropelamento na Estação Ecológica do Taim e no seu entorno.- 2 Fase
Descrição: Projeto visa avaliar o efeito causado por atropelamentos sobre as populações da fauna da Estação Ecológica do Taim e do seu entorno..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2003 - 2004
Estudo de viabilidade da implantação do Parque Farroupilha como uma unidade de conservação no Municipio de Pelotas - RS
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2003 - 2004
Avaliação da fauna afetada por atropelamento na Estação Ecológica do Taim e seu entorno
Descrição: Projeto visa avaliar o efeito causado por atropelamentos sobre as populações da fauna da Estação Ecológica do Taim e do seu entorno..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2006 - 2006
Estudo integrado de ecossistemas nas áreas destinadas ao plantio de eucalipto da VCP - Projeto Conserv-Ação Flora e Fauna, RS
Descrição: Monitoramento Ambiental das áreas de silvicultura no sul do Brasil..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia Aplicada/Especialidade: Ecologia de Mamíferos.
3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Zoologia / Subárea: Zoologia Aplicada/Especialidade: Conservação das Espécies Animais.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
ROQUES, S.2015ROQUES, S. ; SOLLMAN, R. ; JÁCOMO, A. ; TÔRRES, N. ; SILVEIRA, L. ; CHÁVEZ, C. ; KELLER, C. ; DO PRADO, D. MELLO ; TORRES, P. CARIGNANO ; DOS SANTOS, C. JORGE ; DA LUZ, X. BERNARDES GARCIA ; MAGNUSSON, W. E. ; GODOY, J. A. ; CEBALLOS, G ; PALOMARES, F. . Effects of habitat deterioration on the population genetics and conservation of the jaguar. Conservation Genetics, v. 00, p. 1-15, 2015.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
BASTAZINI, V. A. G. ; SOUSA, K. S. ; DUTRA, F. A. ; LUZ, X. B. G. ; MAZIM, F. D. . ANÁLISE DE FATORES DE EXTINÇÃO EM MAMÍFEROS DE MÉDIO E GRANDE PORTE NO EXTREMO SUL DO BRASIL: IMPLICAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DE PRÁTICAS CONSERVACIONISTAS. In: XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008, Curitiba. Anais do XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008.

2.
GARCIAS, F. ; SOUSA, K. S. ; MAZIM, F. D. ; SOARES, J. B. G. ; BASTAZINI, V. A. G. ; LUZ, X. B. G. ; VILAGRAN, L. . Abundância relativa de mamíferos de médio e grande porte na Estação Ecológica do Taim, RS. In: I Congresso Sul Americano de Mastozoologia, 2006, Gramado. Anais do I congresso Sul Americano de Mastozoologia, 2006.

3.
BASTAZINI, V. A. G. ; SOUSA, K. S. ; LUZ, X. B. G. ; MAZIM, F. D. ; SOARES, J. B. G. ; GARCIAS, F. . Análise preliminar do hábito alimentar da lontra neotropical (Lontra longicaudis) (Olfers, 1818) (Carnivora: mustelidae) em áreas da porção meridional da Planície Costeira. In: I Congresso Sul Americano de Mastozoologia, 2006, Gramado. Anais do I Congresso Sul Americano de Mastozoologia, 2006.

4.
BASTAZINI, V. A. G. ; MAZIM, F. D. ; LUZ, X. B. G. ; SOUSA, K. S. ; SOARES, J. B. G. ; GARCIAS, F. ; RESENDE, L. ; SCHINESTSCK, C. ; PISKE, A. D. . Estudo sobre a sobreposição de nicho temporal de Cerdocyon thous (Linnaeus,1766) e Pseudalopex gymnocercus (G. Fischer, 1814) (Carnivora:canidae) no sul do Brasil. In: I congresso Sul Americano de Mastozoologia, 2006, Gramado. Anais do I Congresso Sul Americano de Mastozoologia, 2006.

5.
LUZ, X. B. G.; MAZIM, F. D. ; BASTAZINI, V. A. G. ; SOARES, J. B. G. ; PISKE, A. D. ; SOUSA, K. S. ; KASPER, C. B. . Mastofauna de médio e grande porte da Serra do Sudeste, sul do Brasil. In: I Congresso Sul Americano de Mastozoologia, 2006, Gramado. Anais do I Congresso Sul Americano de Mastozoologia, 2006.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
III Simpósio de Ecologia Teórica. 2011. (Simpósio).

2.
Simpósio - O futuro dos campos: conservação e uso sustentável. 2009. (Simpósio).

3.
Seminário Internacional de Educação e Pesquisa em Ecologia. 2008. (Seminário).

4.
VIII Festival Brasileiro das Aves Migratórias. 2008. (Simpósio).

5.
I Congresso Sul Americano de Mastozoologia. 2006. (Congresso).

6.
III Congresso Brasileiro de Mastozoologia. 2005. (Congresso).

7.
II Conferência de Qualidade Ambiental. 2004. (Encontro).

8.
II Congresso Sul-Rio-Grandense de Biociências. 2004. (Congresso).

9.
II Seminário de Educação Ambiental de Pelotas-RS. 2004. (Seminário).

10.
Semana Acadêmica da Biologia - UCPel. 2004. (Outra).

11.
VI Jornada Biológica / I Workshop: Manejo e conservação de ecossitemas aquáticos. 2004. (Outra).

12.
Projeto Ecoleta.Projeto Ecoleta. 2003. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
LUZ, X. B. G.. II Simpósio de Áreas Protegidas: Conservação no Âmbito do CONESUL. 2003. (Outro).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 18/12/2018 às 20:12:10