Alexandre Ragazzi

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/7324327996376435
  • Última atualização do currículo em 22/10/2018


Alexandre Ragazzi é especialista em História da Arte do Século XX pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP), mestre e doutor em História da Arte pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), tendo realizado seu doutoramento em um programa de cooperação com a Università degli Studi di Firenze (UniFI). Entre 2012 e 2014, foi bolsista da Villa I Tatti - The Harvard University Center for Italian Renaissance Studies e da Fundación Carolina de Madri. Atualmente é professor adjunto do Departamento de Teoria e História da Arte da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Seus interesses de pesquisa estão voltados para as relações entre pintura e escultura durante o Renascimento e o Maneirismo italianos. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Alexandre Ragazzi
Nome em citações bibliográficas
RAGAZZI, Alexandre

Endereço


Endereço Profissional
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Centro de Educação e Humanidades, Instituto de Artes.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ
Maracanã
20550900 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil
Telefone: (21) 23340423
URL da Homepage: www.uerj.br


Formação acadêmica/titulação


2006 - 2010
Doutorado em História da Arte.
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
com período sanduíche em Università degli Studi di Firenze (Orientador: Antonio Pinelli).
Título: Os modelos plásticos auxiliares e suas funções entre os pintores italianos, Ano de obtenção: 2010.
Orientador: Luiz Cesar Marques Filho.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
2002 - 2004
Mestrado em História da Arte.
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Título: Daumier escultor: correspondências com a pintura e a obra gráfica,Ano de Obtenção: 2004.
Orientador: Luciano Migliaccio.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Honoré Daumier (1808-1879); Arte Francesa; Escultura; Pintura.
Grande área: Ciências Humanas
Setores de atividade: Educação Superior.
2000 - 2002
Especialização em História da Arte do Século XX. (Carga Horária: 360h).
Escola de Música e Belas Artes do Paraná, EMBAP, Brasil.
Título: Aceitação do feio como elemento estético.
Orientador: Roberto Figurelli.
1990 - 1993
Graduação em Comunicação Social.
Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUC/PR, Brasil.




Atuação Profissional



Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

03/2015 - Atual
Ensino, História da Arte, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da Arte III: Arte e Religião
História da Arte VI: Arte e Vitalidade
Historiografia da Arte I
Historiografia da Arte II
Seminário de História, Crítica e Teoria da Arte
Trabalho Final de Graduação
03/2016 - 02/2018
Direção e administração, Centro de Educação e Humanidades, Instituto de Artes.

Cargo ou função
Chefe de Departamento.

Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2015
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

2013 - 2015
Ensino, Artes Visuais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Artes Visuais II
Crítica das Artes Visuais
2013 - 2015
Ensino, Museologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Arte e Musealização I
Arte e Musealização II
2012 - 2015
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Ciência da Informação, .

Cargo ou função
Representante dos professores do Departamento de Artes Plásticas (Escola de Belas Artes) junto ao Colegiado do curso de Museologia.
2011 - 2013
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Ciência da Informação, .

Cargo ou função
Membro da comissão de reformulação do currículo do curso de graduação em Museologia.
2011 - 2013
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Ciência da Informação, .

Cargo ou função
Membro da comissão encarregada de elaborar o projeto para o laboratório do curso de graduação em Museologia.
2011 - 2013
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Belas Artes, .

Cargo ou função
Representante suplente dos professores adjuntos junto à Congregação.
2012 - 2012
Ensino, Museologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Arte e Musealização I
Arte e Musealização II
2012 - 2012
Ensino, Artes Visuais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Artes Visuais I
Artes Visuais II
História Social da Arte
2011 - 2011
Ensino, Artes Visuais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
A história da crítica de arte
A literatura artística do século XVI
Classicismo e anticlassicismo
Temas de história social da arte

Fundación Carolina - Centro de Estudos Hispanicos e Iberoamericanos, CEHI, Espanha.
Vínculo institucional

2013 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador - Universidad de Sevilla


Villa I Tatti - Harvard University Center for Italian Renaissance Studies, VIT, Itália.
Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador


Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Programa de Estágio Docente ? PED B, Carga horária: 4

Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Programa de Estágio Docente ? PED B, Carga horária: 4


Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2012
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador



Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Estudos da tradição clássica
Descrição: A História da Arte vem passando por mudanças epistemológicas, que colocam em escrutínio suas construções discursivas, levando-a a rever suas práticas interpretativas e a adotar novas abordagens e metodologias, conduzindo-a a novos objetos de estudo. Nesse contexto, as pesquisas que articulam Arte e Tradição Clássica têm se demonstrado promissoras e renovadoras. Composto por pesquisadores e estudantes brasileiros e estrangeiros, o grupo visa ao fomento, à integração e à divulgação das pesquisas desenvolvidas no país, bem como seu contato e interação com aquelas do âmbito internacional. De modo a atingir a este objetivo, são desenvolvidas três atividades: 1) Encontros semanais entre os pesquisadores e os estudantes que estão sob sua orientação; 2) Encontros semestrais para a apresentação das pesquisas discentes, que são debatidas pelos pesquisadores; 3) Reuniões Científicas, que visam ao debate e à divulgação das pesquisas realizadas..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2014 - 2017
Imagem e preservação
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2012 - 2016
Matteo Perez de Alecio and the use of auxiliary plastic models
Descrição: During the Quattrocento, Italian painters developed a new procedure which became very popular: the use of auxiliary plastic models (figurines made of clay or wax) to serve as models. This research project investigates the role of Matteo Perez d'Aleccio in the dissemination of this artistic practice..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2011 - Atual
Perspectiva Pictorum: as arquiteturas ilusórias nos tetos pintados no Mundo Português entre os séculos XVII e XVIII
Descrição: Esta pesquisa insere-se no campo da História Modera, voltada para a área da História da Arte e com especial atenção para as investigações relativas à produção pictórica entre o Renascimento e o Tardo Barroco na Europa e no Brasil. Concentra esforços em estudar a representação da arquitetura picta aplicada a grandes decorações, como por exemplo em tetos ou paredes. No âmbito da historiografia da arte luso-brasileira, esse tema não tem sido alvo de estudos específicos. Normalmente, estuda-se a arquitetura real e a pintura dita figurativa sob o ponto de vista iconográfico ou documental, mas sem uma atenção em relação à pintura que cria espaços arquitetônicos fictícios. Um campo vasto, rico e que se integra claramente noutra vertente, qual seja, o paralelo entre a história da arte e a história da ciência. Nesta investigação, procura-se analisar a contrafação pictórica de formas reais de arquitetura, a qual é denominada como quadratura. Trata-se do poder de sedução da imagem e sua capacidade de invadir o espaço do fruidor. Para além da específica preocupação com a própria pintura, a relação entre espaço real e espaço falsamente construído justifica-se por propiciar um melhor entendimento de toda a componente artística do tempo do barroco no mundo português. A pintura ilusionista constitui uma modalidade essencial na criação de ricos interiores numa espécie de contaminação formal em que pintura e arquitetura se interpenetram e simulam audaciosos efeitos cenográficos. Além dos protagonistas dessa forma decorativa, situada pelo historiador da arte e o da arquitetura, esta pesquisa privilegia a difusão do conhecimento teórico da perspectiva. Nesse sentido, tenta-se conciliar prática e teoria. Essa fase da pintura do século XVIII no Brasil cria um novo capítulo na historiografia de arte e abre uma nova vertente no estudo da pintura setecentista, isto é, a análise de sua tratadística..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2011 - Atual
A arte e seus modelos
Descrição: O termo modelo, tal qual entendido nos dias atuais, pode comportar dois sentidos que, embora complementares, na verdade são bastante distintos. De um lado pode significar algo abstrato, remetendo a uma noção genérica na qual as principais características de uma espécie ou categoria manifestam-se em sua plenitude. Nesse caso, representa uma orientação ideal, exemplo de conduta ou de perfeição que existe apenas como referência para o mundo físico. Por outro lado, no entanto, a palavra modelo também pode ser empregada para designar algo concreto e que tem como função essencial atuar como guia visual para a realização de um determinado projeto. O que pretendemos, a partir desse duplo significado, é reunir elementos para a construção de uma estrutura teórica que possibilite a compreensão da atividade artística em suas mais variadas manifestações. Ultrapassando os limites anteriormente estipulados para distinguir os campos da mímesis e da invenção, é possível verificar a existência de um elemento comum e inaugural para todo e qualquer fazer artístico. Nesse sentido, o conceito de modelo, entendido de maneira mais dilatada, poderá servir para entrelaçar produções artísticas aparentemente inconciliáveis, as quais, de outro modo, estariam condenadas a interpretações fundadas apenas em análises fenomenológicas. É certo que, desse modo, diversas possibilidades de trabalho apresentam-se, mas nossa atenção estará voltada sobretudo para o estudo das práticas artísticas, nas quais procuraremos identificar a função exercida pelos modelos nos processos de elaboração da arte. O recurso a modelos bidimensionais, naturais e artificiais, a arte que serve de modelo para a arte, as teorias elaboradas para sistematizar o fazer artístico e mesmo tudo aquilo que pode ser reunido no vasto território da imaginação com o intuito de direcionar o trabalho do artista, tudo isso será alvo de análise para que possamos situar, da melhor forma possível, o campo da arte e de seus modelos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Alexandre Ragazzi - Coordenador.Financiador(es): Fundación Carolina - Centro de Estudos Hispanicos e Iberoamericanos - Bolsa / Villa I Tatti - Harvard University Center for Italian Renaissance Studies - Auxílio financeiro / Villa I Tatti - Harvard University Center for Italian Renaissance Studies - Bolsa.
2008 - 2012
Plus ultra: a recepção e a transferência da tradução artística clássica entre a Europa Mediterrânea e a América Latina
Descrição: ?PLUS ULTRA? é um projeto de pesquisa que articula instituições de ensino superior do estado de São Paulo, nacionais e internacionais, mais instituições de conservação e tutela do patrimônio artístico brasileiro, visando prosseguir, consolidar e ampliar as ações do projeto temático Biblioteca Cicognara - A Constituição da Tradição Clássica financiado pela FAPESP no período 2001- 2005, e imprimir ulterior impulso quantitativo e qualitativo aos estudos de história da arte no Brasil, dotando a universidade brasileira de instrumentos, recursos e métodos, que permitam a sua inserção a um nível cada vez mais alto na cooperação internacional no setor. Seus objetivos podem ser assim resumidos: A) adquirir e disponibilizar ao público brasileiro, por meio de estudos e traduções, editados por via eletrônica ou impressos, textos da literatura artística fundamentais para a transmissão e a recepção da Tradição Clássica; B) desenvolver ulteriormente o banco de dados eletrônicos em rede Urânia, sobre a iconografia da Tradição Clássica, realizado durante o projeto temático Biblioteca Cicognara como instrumento básico da pesquisa histórico-artística no país; C) realizar atividades de pesquisa, individual e coletiva, mensuradas e avaliadas por encontros regulares e intercâmbios nas seguintes áreas: I) História da Arte e Historiografia Artística dos séc. XIV a XX; II) História da Retórica e das Poéticas (Séculos XIV-XVIII); III) Iconografia; IV) Recepção e Transferência Cultural da Tradição Clássica na Europa e na América Contemporânea e no Brasil em particular (séculos XVIII - XX); D) contribuir para tornar disponíveis em rede ao público dos estudiosos instrumentos para a pesquisa sobre o patrimônio iconográfico e bibliográfico vinculado à transmissão da Tradição Clássica existente nos acervos das instituições públicas brasileiras; E) participar da criação de uma rede internacional de centros de pesquisa para permitir a formação de pesquisadores brasileiros..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2004 - Atual
Studiolo: Estudos em História da Arte da Antiguidade à Primeira Época Moderna
Descrição: A existência deste grupo de pesquisa vem possibilitando a publicação de diversos artigos em meios científicos e participação de seus integrantes em eventos de âmbito nacional relativos à história da arte, levando a uma maior divulgação e problematização de questões em torno da História da Arte da Antiguidade à Primeira Época Moderna no campo das artes visuais no país. Tem sido notável o intercâmbio acadêmico entre os membros do grupo e instituições e pesquisadores de diversas áreas do conhecimento dentro e fora do Brasil, o que fortalece a rede de pesquisa sobre a história da arte internacional no país..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2011 - 2013
Projeto Portal Lygia Clark
Descrição: O ?Projeto Portal Lygia Clark? tem como objetivo desenvolver um banco de dados completo sobre a obra da artista Lygia Clark, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais e a Associação Cultural ?O Mundo de Lygia Clark?. Trata-se de uma iniciativa inédita, voltada para a elaboração de um site sobre a referida artista plástica, contendo seu acervo pessoal reformatado digitalmente, além de transcrições de textos inéditos. O site também permitirá a identificação e o levantamento completo da obra da artista, tornando possível o conhecimento, por parte de especialistas e do grande público, das esculturas, pinturas, vídeos, textos originais e imagens biográficas de Lygia Clark..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (7) .
Integrantes: Alexandre Ragazzi - Integrante / Renato Venancio - Coordenador / Yacy-Ara Froner - Integrante / Rita Lages - Integrante / Alessandra Rosado - Integrante / Luiz Souza - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Outra.


Membro de corpo editorial


2013 - Atual
Periódico: Figura. Studi sull`Immagine nella Tradizione Classica


Membro de comitê de assessoramento


2012 - Atual
Agência de fomento: Agenzia Nazionale di Valutazione del Sistema Universitario e della Ricerca


Áreas de atuação


1.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Fundamentos e Crítica das Artes/Especialidade: História da Arte.


Idiomas


Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Francês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Italiano
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Latim
Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Grego
Lê Pouco, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
RAGAZZI, Alexandre2018RAGAZZI, Alexandre. Revista Figura: sobre a constituição, recepção e atualidade da tradição clássica. CONCINNITAS (ONLINE) (RIO DE JANEIRO), v. 01, p. 05-14, 2018.

2.
RAGAZZI, Alexandre2017RAGAZZI, Alexandre. Degas escultor, Degas pintor: confissões de vida e arte. FIGURA. STUDI SULL`IMMAGINE NELLA TRADIZIONE CLASSICA, v. 5, p. 237-255, 2017.

3.
RAGAZZI, Alexandre2017RAGAZZI, Alexandre. Duas lições de Giulio Romano para Cristoforo Sorte: continuidade e ruptura de uma tradição. LOCUS (UFJF), v. 23, p. 383-397, 2017.

4.
RAGAZZI, Alexandre2015RAGAZZI, Alexandre. O modelo renascentista e sua expansão para além da Península Itálica. Revista Diálogos Mediterrânicos, v. 8, p. 99-119, 2015.

5.
RAGAZZI, Alexandre2015RAGAZZI, Alexandre. O Marte de Giambologna: sobre o colecionismo de modelos preparatórios e estatuetas de bronze. Figura. Studi sull`Immagine nella Tradizione Classica, v. 3, p. 107-132, 2015.

6.
RAGAZZI, Alexandre2013 RAGAZZI, Alexandre. Ancora il paragone tra pittura e scultura: I modelli plastici ausiliari e una possibilità di conciliazione. Ricerche di Storia dell'Arte, v. 110-11, p. 137-150, 2013.

7.
RAGAZZI, Alexandre2013RAGAZZI, Alexandre. Giorgio Vasari e i modelli plastici ausiliari: sforzo dissimulato, apparente facilità. Figura. Studi sull`Immagine nella Tradizione Classica, v. I, p. 7, 2013.

8.
RAGAZZI, Alexandre2012 RAGAZZI, Alexandre. Um desenho do círculo de Antonio Pollaiolo como modelo para 'Sansão e os filisteus' de Michelangelo. Revista de História da Arte e Arqueologia, v. 18, p. 75-90, 2012.

9.
RAGAZZI, Alexandre2007 RAGAZZI, Alexandre. Um episódio na história dos modelos plásticos auxiliares - O ?Parecer sobre a pintura? de Bernardino Campi. Revista de História da Arte e Arqueologia, v. 8, p. 39-49, 2007.

10.
RAGAZZI, Alexandre2005RAGAZZI, Alexandre. Daumier e o silêncio de Baudelaire. Revista Letras (Curitiba), Curitiba - Paraná, v. 66, p. 61-75, 2005.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
RAGAZZI, Alexandre; MENESES, Patricia D. (Org.) ; QUIRICO, Tamara (Org.) . Ensaios Interdisciplinares sobre o Renascimento Italiano. 1. ed. São Paulo: Editora Unifesp, 2017.

2.
AMBROSIO, E. (Org.) ; NUCCI, Angela (Org.) ; PHILIPPOV, K. (Org.) ; RAGAZZI, Alexandre (Org.) ; RIBEIRO, M. K. (Org.) ; SILVA, Maria Antonia C. (Org.) ; SILVA, Maria do Carmo C. (Org.) ; SILVA, Rosangela (Org.) . História da Arte e Instituições Culturais: Perspectivas em Debate. Campinas: Unicamp / Ifch, 2007. v. 1. 705p .

Capítulos de livros publicados
1.
RAGAZZI, Alexandre. Da Itália ao Peru: Considerações sobre o Maneirismo e a arte sul-americana. In: RAGAZZI, A.; MENESES, P. D.; QUÍRICO, T.. (Org.). Ensaios Interdisciplinares sobre o Renascimento Italiano. 1ed.São Paulo: Editora Unifesp, 2017, v. , p. 93-110.

2.
RAGAZZI, Alexandre. O jovem Rafael e a Ressurreição de Cristo. In: Adriano Pedrosa; Luciano Migliaccio. (Org.). Entre nós: antologia. A figura humana no acervo do MASP. 1ed.São Paulo: MASP, 2017, v. , p. 24-29.

3.
RAGAZZI, Alexandre. Teoria e prática da arte segundo o Codex Huygens. Formas Imagens Sons ? O Universo Cultural da Obra de Arte. 1ed.Belo Horizonte: Clio, 2014, v. , p. 281-288.

4.
RAGAZZI, Alexandre. O 'paragone' entre a pintura e a escultura: a proposição de uma via conciliatória através dos modelos plásticos. In: BERBARA, M.. (Org.). Renascimento italiano ? Ensaios e traduções. 1ed.Rio de Janeiro: NAU, 2010, v. , p. 268-294.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
RAGAZZI, Alexandre. Renascimento (verbete). História Viva ? Coleção História de A a Z, São Paulo, , v. 3, p. 38 - 39, 01 nov. 2009.

2.
RAGAZZI, Alexandre. Barroco (verbete). História Viva ? Coleção História de A a Z, São Paulo, , v. 3, p. 24 - 25, 01 nov. 2009.

3.
RAGAZZI, Alexandre. Esculturas antigas como modelos para a pintura. Revista História Viva ? O Tempo do Renascimento 3, São Paulo, p. 32 - 41, 01 jun. 2009.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
RAGAZZI, Alexandre. Entrecruzamentos culturais: superstição, mito e fé nos amuletos de coral. In: XXXVI Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte, 2016, Campinas. Arte em Ação. Campinas: Comitê Brasileiro de História da Arte, 2016. p. 34-41.

2.
RAGAZZI, Alexandre. A transferência de teorias e práticas artísticas da Itália para o Peru. In: XXXIV Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte, 2014, Uberlândia. Territórios da História da Arte. Uberlândia: Comitê Brasileiro de História da Arte, 2014. v. 1. p. 409-419.

3.
RAGAZZI, Alexandre. O diário da viagem de Bernini à França: o surgimento de um novo Michelangelo. In: XXXII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte, 2012, Brasília. Direções e sentidos da História da Arte. Campinas: Comitê Brasileiro de História da Arte, 2012. p. 1199-1210.

4.
RAGAZZI, Alexandre. A viagem de Bernini à França: o busto de Luís XIV e algumas considerações sobre a arte do retrato. In: II Colóquio Internacional de História da Arte e da Cultura, 2012, Juiz de Fora. Anais do II Colóquio Internacional de História da Arte e da Cultura. Juiz de Fora: LAHA/ICH/IAD/UFJF, 2012. p. 36-44.

5.
RAGAZZI, Alexandre. Controvérsias acerca do uso de modelos plásticos auxiliares para a pintura: Michelangelo e os afrescos da Sistina. In: IV Encontro de História da Arte, 2008, Campinas. A arte e a história da arte entre a produção e a reflexão. Campinas: Unicamp / Ifch, 2008. p. 746-752.

6.
RAGAZZI, Alexandre. Os modelos plásticos auxiliares e a realização de escorços: disputas entre conhecimento científico e conhecimento empírico. In: III Encontro de História da Arte, 2007, Campinas. História da arte e instituições culturais: perspectivas em debate. Campinas: Unicamp / Ifch, 2007. p. 539-549.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
RAGAZZI, Alexandre. O melhor arquiteto do mundo: Bernini e a Itália como objetos de desejo de Luís XIV. In: XXXVIII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte, 2018, Florianópolis. Arte e Erotismo: Prazer e transgressão na história da arte, 2018. p. 58-58.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
RAGAZZI, Alexandre. A transferência de teorias e práticas artísticas da Itália para o Peru. In: XXXIV Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte, 2014, Uberlândia. Territórios da História da Arte - Caderno de Resumos. Uberlândia: Comitê Brasileiro de História da Arte, 2014. p. 137-138.

2.
RAGAZZI, Alexandre. O diário da viagem de Bernini à França: o surgimento de um novo Michelangelo. In: XXXII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte, 2012, Brasília. Direções e sentidos da História da Arte. Brasília: Comitê Brasileiro de História da Arte, 2012.

Apresentações de Trabalho
1.
RAGAZZI, Alexandre. Apagamento e vitalidade da tradição clássica no Brasil. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
RAGAZZI, Alexandre. O melhor arquiteto do mundo: Bernini e a Itália como objetos de desejo de Luís XIV. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
RAGAZZI, Alexandre. O Jovem Rafael e a 'Ressurreição de Cristo'. 2017. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

4.
RAGAZZI, Alexandre. O modelo renascentista e sua expansão para além da Península Itálica. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
RAGAZZI, Alexandre. Amuletos de coral: do paganismo ao cristianismo. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

6.
RAGAZZI, Alexandre. Teorias e práticas artísticas: do Maneirismo italiano ao Vice-reinado do Peru. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
RAGAZZI, Alexandre. Maneirismos: o modelo italiano e o Vice-reinado do Peru. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
RAGAZZI, Alexandre. O colecionismo de modelos preparatórios e estatuetas de bronze. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

9.
RAGAZZI, Alexandre. The practice of art: Auxiliary plastic models and prints in Italy, Spain, and Peru. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

10.
RAGAZZI, Alexandre. Considerações sobre teoria e prática da arte segundo o Codex Huygens. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
RAGAZZI, Alexandre. Da Itália ao Peru: considerações sobre o Maneirismo e a arte sul-americana. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

12.
RAGAZZI, Alexandre. A transferência de teorias e práticas artísticas da Itália para o Peru. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

13.
RAGAZZI, Alexandre. Os modelos plásticos auxiliares e suas funções entre os pintores italianos. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

14.
RAGAZZI, Alexandre. O pintor Mateo Pérez de Alesio e a transferência de práticas artísticas da Itália para o Peru. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

15.
RAGAZZI, Alexandre. As figuras que parecem ?balzar fuori dei muri? do ?Oratorio del Gonfalone? de Roma. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

16.
RAGAZZI, Alexandre. A viagem de Bernini à França: o busto de Luís XIV e algumas considerações sobre a arte do retrato. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

17.
RAGAZZI, Alexandre. O diário da viagem de Bernini à França: o surgimento de um novo Michelangelo. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

18.
RAGAZZI, Alexandre. Giorgio Vasari e os modelos plásticos auxiliares: esforço dissimulado, aparente facilidade. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

19.
RAGAZZI, Alexandre. Perspectivas ?di sotto in su?: duas lições de Giulio Romano para Cristoforo Sorte. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

20.
RAGAZZI, Alexandre. Um desenho do círculo de Antonio Pollaiuolo como modelo para Sansão e os filisteus de Michelangelo?. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

21.
RAGAZZI, Alexandre. Correggio, Begarelli e o uso de modelos plásticos auxiliares. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
RAGAZZI, Alexandre. A recepção de modelos da Antigüidade durante o Renascimento - A utilização de esculturas de origem clássica como modelo para a pintura. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

23.
RAGAZZI, Alexandre. Controvérsias acerca do uso de modelos plásticos auxiliares para a pintura: Michelangelo e os afrescos da Sistina. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

24.
RAGAZZI, Alexandre. Os modelos plásticos auxiliares e a realização de escorços - Disputas entre conhecimento científico e conhecimento empírico. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções bibliográficas
1.
RAGAZZI, Alexandre; MENESES, Patricia D. ; QUIRICO, Tamara . Apresentação. São Paulo, 2017. (Prefácio, Pósfacio/Apresentação)>.

2.
RAGAZZI, Alexandre. Presentation. Campinas: UNICAMP, 2016 (Apresentação e organização da Revista Figura - Studies on the Classical Tradition).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
RAGAZZI, Alexandre. Parecer para a Revista Nava. 2014.

2.
RAGAZZI, Alexandre. Membro do Júri: I Tatti Prize for Best Essay by a Junior Scholar. 2013.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
RAGAZZI, Alexandre. A invenção do artista moderno. 2014. (Programa de rádio ou TV/Comentário).


Demais tipos de produção técnica
1.
RAGAZZI, Alexandre. O Maneirismo na Itália. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
RAGAZZI, Alexandre. Figura - Studies on the Classical Tradition. 2017. (Editoração/Periódico).

3.
RAGAZZI, Alexandre. Figura - Studies on the Classical Tradition. 2017. (Editoração/Periódico).

4.
RAGAZZI, Alexandre. Renascimento e Barroco. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

5.
RAGAZZI, Alexandre. Figura - Studies on the Classical Tradition. 2016. (Editoração/Periódico).

6.
RAGAZZI, Alexandre. Figura - Studi sull'Immagine nella Tradizione Classica. 2015. (Editoração/Periódico).

7.
MARQUES, Luiz ; MIGLIACCIO, Luciano ; RAGAZZI, Alexandre ; SIMIONI, A. P. ; MATTOS, Cláudia V. ; MARINHO, Fernanda ; DIAS, Elaine . MARE - Museu de Arte para a Pesquisa e Educação. 2011. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Verbete).

8.
RAGAZZI, Alexandre. Modelos plásticos auxiliares utilizados por pintores - O ambiente italiano entre 1568 e 1607. 2009. (Relatório de pesquisa).

9.
RAGAZZI, Alexandre. Modelos plásticos auxiliares utilizados por pintores - O ambiente italiano entre 1568 e 1607. 2008. (Relatório de pesquisa).

10.
RAGAZZI, Alexandre. Modelos plásticos auxiliares utilizados por pintores - O ambiente italiano entre 1568 e 1607. 2007. (Relatório de pesquisa).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
BERBARA, Maria; RAGAZZI, Alexandre; FERNANDES, Cássio S.; CAPISTRANO, T.. Participação em banca de Jefferson de Albuquerque Mendes. Imago signorum: a doutrina do homem microcosmo nas ilustrações médico-astrológicas entre os séculos XIV e XVI. 2018. Dissertação (Mestrado em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

2.
COLI, Jorge; RAGAZZI, Alexandre; MENESES, Patricia D.. Participação em banca de Inácio Bittencourt Rebetez. O tondo ?Virgem com Menino, São João Batista criança e um anjo? de Piero di Cosimo do Masp. 2017. Dissertação (Mestrado em História da Arte) - Universidade Estadual de Campinas.

3.
MARQUES, Luiz; RAGAZZI, Alexandre; MENESES, Patricia D.. Participação em banca de Gabriela Paiva de Toledo. Idea del tempio della pittura (1590) de Giovanni Paolo Lomazzo. 2017. Dissertação (Mestrado em História da Arte) - Universidade Estadual de Campinas.

4.
OLENDER, M.; MENESES, Patricia D.; PIFANO, R. Q.; RAGAZZI, Alexandre. Participação em banca de Lorraine Pinheiro Mendes. A cidade ideal de Francesco di Giorgio Martini. 2015. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

5.
MARQUES, Luiz; RAGAZZI, Alexandre; MENESES, Patricia D.. Participação em banca de Renato Menezes Ramos. Michelangelo como modelo de artista moderno (França, 1830-1876). 2015. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Estadual de Campinas.

Teses de doutorado
1.
MARQUES, Luiz; RAGAZZI, Alexandre; BRANDAO, Angela; BONADIO, M. C.. Participação em banca de Larissa Sousa de Carvalho. Mapeando os livros de trajes do século XVI e a literatura de moda no Brasil. 2018. Tese (Doutorado em Doutorado em História) - Universidade Estadual de Campinas.

2.
BERBARA, Maria; RAGAZZI, Alexandre; CARREÓN BLAINE, E.; BAUMGARTEN, J. M.; QUIRICO, Tamara. Participação em banca de Rafael Augusto Castells de Andrade. Tlacamictiliztli: Os rituais sacrificiais nahuas e sua recepção no universo artístico europeu e do Vice-reino da Nova Espanha. 2018. Tese (Doutorado em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

3.
SIQUEIRA, Vera B.; RAGAZZI, Alexandre; CONDURU, R.; PICCOLI, V.; MARTINS, L.. Participação em banca de Carla Guimarães Hermann. O Rio de Janeiro para inglês ver: o panorama de Robert Burford em Londres, 1827. 2016. Tese (Doutorado em Artes) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

4.
CHRISTO, Maraliz C. V.; MENESES, Patricia D.; RAGAZZI, Alexandre; FERNANDES, Cássio S.; PIFANO, R. Q.; COSTA JUNIOR, M. A.. Participação em banca de Rogéria Olimpio dos Santos. O Álbum de Antigualhas de Francisco de Holanda. 2015. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

Qualificações de Doutorado
1.
MARQUES, Luiz; RAGAZZI, Alexandre; FIGUINHA, M. C.. Participação em banca de Antônio Leandro Gomes de Souza Barros. Questões de história da arte nos livros da História Natural, de Plínio, o Velho. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em História) - Universidade Estadual de Campinas.

2.
MARQUES, Luiz; RAGAZZI, Alexandre; BRANDAO, Angela. Participação em banca de Larissa Sousa de Carvalho. O percurso iconográfico dos livros de trajes do século XVI e a formação do conceito de moda renascentista. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em História da Arte) - Universidade Estadual de Campinas.

3.
BERBARA, Maria; RAGAZZI, Alexandre; CARREÓN BLAINE, E.. Participação em banca de Rafael Augusto Castells de Andrade. Titlamictia: Os rituais sacrificiais nahuas e seus desdobramentos no universo artístico europeu e colonial dos séculos XVI, XVII e XVIII. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Qualificações de Mestrado
1.
BERBARA, Maria; RAGAZZI, Alexandre; FERNANDES, Cássio S.; CAPISTRANO, T.. Participação em banca de Jefferson de Albuquerque Mendes. Homo Zodiacalis: A doutrina do homem-microcosmo nos tratados astrológicos e artísticos nos séculos XIV ao XVI. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

2.
COLI, Jorge; MENESES, Patricia D.; RAGAZZI, Alexandre. Participação em banca de Inácio Rebetez Bittencourt. O tondo "Virgem com o Menino, São João Batista criança e um anjo" do MASP e as demais obras de Piero di Cosimo. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História da Arte) - Universidade Estadual de Campinas.

3.
MARQUES, Luiz; RAGAZZI, Alexandre; MENESES, Patricia D.. Participação em banca de Gabriela Paiva de Toledo. ?L?Idea del tempio della pittura? di Giovanni Paolo Lomazzo ? Estudo crítico da obra e tradução comentada. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História da Arte) - Universidade Estadual de Campinas.

4.
MENESES, Patricia D.; PIFANO, R. Q.; RAGAZZI, Alexandre. Participação em banca de Lorraine Pinheiro Mendes. Francesco di Giorgio Martini e o projeto de cidade ideal renascentista. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora.

5.
MELLO, Magno M.; ROMEIRO, A.; RAGAZZI, Alexandre. Participação em banca de Renata Nogueira Gomes de Morais. Reflexões sobre o tratado ?Arte da pintura, symmetria e perspectiva? de Philippe Nunes, Lisboa, 1615. 2012. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

6.
QUITES, Maria Regina. E.; HILL, M.; RAGAZZI, Alexandre. Participação em banca de Thiago Pinho Botelho. Ex-votos de Congonhas do Campo. 2012. Exame de qualificação (Mestrando em Artes) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
BERBARA, Maria; RAGAZZI, Alexandre. Participação em banca de Heloize Amaro.A Iconografia da ninfa na historiografia de Aby Warburg. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

2.
RAGAZZI, Alexandre; TRINDADE, M.. Participação em banca de Mayara Gomes Louzada.Caravaggio e o Século XX ? da realidade negada à realidade concedida. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

3.
QUIRICO, Tamara; RAGAZZI, Alexandre. Participação em banca de Alice Varginha Monteiro da Palma.Do Verbo à carne: Reflexões acerca da obra Madona com Menino de Antoniazzo Romano. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

4.
RAGAZZI, Alexandre; QUIRICO, Tamara. Participação em banca de Daniella Matsunaga Vasconcelos.A constituição da pintura de trompe l'oeil em Roma e Mântua. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

5.
BERBARA, Maria; RAGAZZI, Alexandre. Participação em banca de Marina Barbosa do Rego Silva.Construção do pensamento moderno a partir da obra de arte renascentista: Uma análise iconográfica da Ressurreição de Cristo de Rafael Sanzio. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
RAGAZZI, Alexandre; LAGES, R.; VENEROSO, M. C. F.; UTSCH TERRA, A. C.; MAIA, A. C. N.. Concurso Público para Professor Adjunto A - Teoria e História da Arte - DAPL / EBA. 2017. Universidade Federal de Minas Gerais.

Outras participações
1.
RAGAZZI, Alexandre; PEQUENO, F.; TRINDADE, M.. Comissão Examinadora do Processo Seletivo para Contratação de Professor Substituto. 2017. Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

2.
RAGAZZI, Alexandre. Comissão de análise e julgamento do Prêmio Capes de Tese ? Área Artes/Música. 2016. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Entre Nós: A Figura Humana no Acervo do MASP.O Jovem Rafael e a "Ressurreição de Cristo". 2017. (Seminário).

2.
Colóquio de História da Arte e da Cultura do Renascimento.O modelo renascentista e sua expansão para além da Península Itálica. 2016. (Outra).

3.
XXXVI Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte. Amuletos de coral: do paganismo ao cristianismo. 2016. (Congresso).

4.
Coloquio Internacional El Renacimiento Italiano desde América Latina. Teorias e práticas artísticas: do Maneirismo italiano ao Vice-reinado do Peru. 2015. (Congresso).

5.
Fundação Eva Klabin - Encontros com a Tradição Clássica.O colecionismo de modelos preparatórios e estatuetas de bronze. 2015. (Outra).

6.
XXXV Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte - New Worlds: Frontiers, inclusion, Utopias. Maneirismos: o modelo italiano e o Vice-reinado do Peru. 2015. (Congresso).

7.
História e cultura, gênero artístico ? Processo artístico: o universo cultural da obra de arte.Considerações sobre teoria e prática da arte segundo o Codex Huygens. 2014. (Seminário).

8.
Renascimento no Brasil - Desafios de Pesquisa e Ensino. Da Itália ao Peru: considerações sobre o Maneirismo e a arte sul-americana. 2014. (Congresso).

9.
The Renaissance Society of America - 60th Annual Conference. The practice of art: Auxiliary plastic models and prints in Italy, Spain, and Peru. 2014. (Congresso).

10.
XXXIV Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte. A transferência de teorias e práticas artísticas da Itália para o Peru. 2014. (Congresso).

11.
A arquitetura do engano: Redes de difusão e o desafio da representação perspéctica no universo pictórico barroco. As figuras que parecem ?balzar fuori dei muri? do ?Oratorio del Gonfalone? de Roma. 2013. (Congresso).

12.
Global dialogues: The Italian Renaissance as seen from Latin America. O pintor Mateo Pérez de Alesio e a transferência de práticas artísticas da Itália para o Peru. 2013. (Congresso).

13.
Seminário Conservadores-Pesquisadores.Os modelos plásticos auxiliares e suas funções entre os pintores italianos. 2013. (Seminário).

14.
II Colóquio Internacional de História da Arte e da Cultura. A viagem de Bernini à França: o busto de Luís XIV e algumas considerações sobre a arte do retrato. 2012. (Congresso).

15.
XXXII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte. O diário da viagem de Bernini à França: o surgimento de um novo Michelangelo. 2012. (Congresso).

16.
A Arquitetura do Engano ? Entre Europa e Brasil: Redes de difusão e o desafio da representação perspéctica no Setecentos. Perspectivas ?di sotto in su?: duas lições de Giulio Romano para Cristoforo Sorte. 2011. (Congresso).

17.
Colóquio Internacional Giorgio Vasari no Quinto Centenário de Nascimento. Giorgio Vasari e os modelos plásticos auxiliares: esforço dissimulado, aparente facilidade. 2011. (Congresso).

18.
VI Encontro de História da Arte / Unicamp.Um desenho do círculo de Antonio Pollaiuolo como modelo para Sansão e os filisteus de Michelangelo?. 2010. (Encontro).

19.
V Encontro de História da Arte / Unicamp.Correggio, Begarelli e o uso de modelos plásticos auxiliares. 2009. (Encontro).

20.
IV Encontro de História da Arte / Unicamp.Controvérsias acerca do uso de modelos plásticos auxiliares para a pintura: Michelangelo e os afrescos da Sistina. 2008. (Encontro).

21.
XIV Colóquio em Estudos Clássicos.A recepção de modelos da Antigüidade durante o Renascimento - A utilização de esculturas de origem clássica como modelo para a pintura. 2008. (Outra).

22.
III Encontro de História da Arte / Unicamp.Os modelos plásticos auxiliares e a realização de escorços - Disputas entre conhecimento científico e conhecimento empírico. 2007. (Encontro).

23.
II Simpósio de Críticos de Arte ? O Exercício da Crítica. 2003. (Simpósio).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
RAGAZZI, Alexandre; BERBARA, Maria ; AZEVEDO, Evelyne ; QUIRICO, Tamara . I Congresso da Sociedade Brasileira de Estudos do Renascimento: O Conceito de Cópia e a Figura do Artista. 2018. (Congresso).

2.
RAGAZZI, Alexandre; MARQUES, Luiz ; BERRIEL, Carlos E. O. . Coordenação da mesa de abertura do I Congresso da Sociedade Brasileira de Estudos do Renascimento. 2018. (Congresso).

3.
RAGAZZI, Alexandre; PEQUENO, F. ; MARTINEZ, Elisa S. ; SIQUEIRA, Vera B. . Organização da Sessão Temática 3 no XXXVIII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte. 2018. (Congresso).

4.
RAGAZZI, Alexandre; REBETEZ, Inácio S. B. ; BERBARA, Maria . Um Maneirismo mais material: A arte de Jacopo Pontormo (Palestra com Dennis Geronimus). 2017. (Outro).

5.
RAGAZZI, Alexandre; MENESES, Patricia D. ; QUIRICO, Tamara . Renascimento no Brasil - Desafios de Pesquisa e Ensino. 2014. (Congresso).

6.
AMBROSIO, E. ; NUCCI, Angela ; PHILIPPOV, K. ; RAGAZZI, Alexandre ; RIBEIRO, M. K. ; SILVA, Maria do Carmo C. ; SILVA, Maria Antonia C. ; SILVA, Rosangela . III Encontro de História da Arte ? História da Arte e Instituições Culturais: Perspectivas em Debate. 2007. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Thiago Freitas Herdy Lima. Antônio Carlos Gomes, nacionalismo e identidade nacional na arte. Início: 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

2.
Daniel Casassola Goncalves. A transformação de padrões clássicos nas iluminuras realizadas entre os séculos IV e VI. Início: 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

3.
Tamiris Lima Carvalho. O requinte na corte do rei Sol: o luxo como estratégia de propaganda. Início: 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Fernanda Felix da Silva. Coleção de gravuras italianas da Biblioteca Nacional. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. (Orientador).

2.
Julia Barros Nogueira. Coleção de gravuras italianas da Biblioteca Nacional. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Iniciação Científica UERJ. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Mayara Gomes Louzada. Caravaggio e o Século XX ? da realidade negada à realidade concedida. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Orientador: Alexandre Ragazzi.

2.
Daniella Matsunaga Vasconcelos. A constituição da pintura de trompe l'oeil em Roma e Mântua. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Orientador: Alexandre Ragazzi.

Iniciação científica
1.
Ana Clara Ribeiro Simões Lopes. Coleção de gravuras italianas da Biblioteca Nacional. 2018. Iniciação Científica. (Graduando em História da Arte) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Iniciação Científica UERJ. Orientador: Alexandre Ragazzi.

Orientações de outra natureza
1.
Ana Carolina Rezende Fonseca. Conservação-Restauração de Bens Culturais Móveis. 2013. Orientação de outra natureza. (História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Alexandre Ragazzi.



Educação e Popularização de C & T



Cursos de curta duração ministrados
1.
RAGAZZI, Alexandre. Renascimento e Barroco. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Outras informações relevantes


Captação de recursos junto à CAPES (Edital 03/2017 CAPES/PAEP) para a organização do "I Congresso da Sociedade Brasileira de Estudos do Renascimento: O Conceito de Cópia e a Figura do Artista".

Selecionado para o programa "Hôtes en résidence" da Villa Médicis ? Académie de France à Rome (01/10/2017 a 15/10/2017).

Captação de recursos junto à "Lila Wallace ? Reader's Digest (The Andrew W. Mellon Foundation)" para a organização do congresso "Renascimento no Brasil: Desafios de Pesquisa e Ensino", 5 a 7 de novembro de 2014.

Bolsa de estudo: Fundación Carolina - 2013-2014 (Sevilha, Espanha).

CNPq ? Chamada universal 14/2013 / Apoio Financeiro a proposta de natureza científica, tecnológica e/ou de inovação.

Bolsa de estudo: Villa I Tatti ? The Harvard University Center for Italian Renaissance Studies ? Mellon Visiting Fellow 2012-2013 (Florença, Itália).



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 23/10/2018 às 21:36:53