Roberto Fabris Goerl

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/1130881950552804
  • Última atualização do currículo em 23/09/2018


Desde 2017 é Professor de Cartografia da Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Geociências. Também já atuou como professor de Topografia e Elementos de Geodesia da Universidade Federal de Santa Catarina - Campus Curitibanos (2015 a 2017) Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2005), Mestrado em Geografia pela Univerisdade Federal de Santa Catarina (2010) e Doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (2014). Tem experiência na área de Geografia Física, atuando principalmente nos seguintes temas: desastres naturais, inundações, escorregamentos (debris flow), hidrogeomorfologia, risco, perigo, vulnerabilidade, cartografia de risco, modelagem de evolução da paisagem e monitoramento de processos hidrogeomorfológicos. Participa como um dos lideres do Grupo de pesquisa Estatística Teórica, Aplicada e Computacional da UFSC (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Roberto Fabris Goerl
Nome em citações bibliográficas
GOERL, Roberto Fabris;GOERL, ROBERTO FABRIS;FABRIS GOERL, ROBERTO

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Geociências.
UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina
Trindade
88040900 - Florianópolis, SC - Brasil
Telefone: (48) 37219282
URL da Homepage: http://gcn.cfh.ufsc.br/


Formação acadêmica/titulação


2010 - 2014
Doutorado em Geografia.
Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.
Título: Evolução da Paisagem e Conectividade Hidrogeomorfológica na bacia do Rio Cunha - SC, Ano de obtenção: 2014.
Orientador: Dr. Irani dos Santos.
Coorientador: Dr. Masato Kobiyama.
Bolsista do(a): Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades F, REUNI, Brasil.
2008 - 2010
Mestrado em Geografia.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Título: Estudo de Inundações em Rio Negrinho - SC sob a ótica dos desastres naturais.,Ano de Obtenção: 2010.
Orientador: Joel Robert Georges Marcel Pellerin.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
2001 - 2005
Graduação em Geografia.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Título: Análise do índice de perigo utilizado no zoneamento de áreas susceptíveis a inundação.
Orientador: Joel Robert Georges Marcel Pellerin.
2009 interrompida
Curso técnico/profissionalizante interrompido em 2009.
Instituto Federal de Santa Catarina, IFSC, Brasil.
Ano de interrupção: 2009




Formação Complementar


2015 - 2015
Capacitação para o Cadastro Ambiental Rural (CapCAR). (Carga horária: 78h).
Universidade Federal de Lavras, UFLA, Brasil.
2015 - 2015
Word para ambiente de trabalho. (Carga horária: 36h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2010 - 2010
Curso de Cartografia Geomorfológica. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2009 - 2009
Curso de Capacitação em Hidrologia e Hidrolmetria. (Carga horária: 40h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2008 - 2008
Forçantes Climáticas. (Carga horária: 12h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2006 - 2006
Programa de Capacitação de Voluntários. (Carga horária: 40h).
Departamento Estadual de Defesa Civil, DEDC, Brasil.
2003 - 2003
Capacitação em Defesa Civil: Prev. Red. Desastres. (Carga horária: 40h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2003 - 2003
Processos Costeiros e Ocupação das Praias na Ilha. (Carga horária: 20h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2002 - 2002
Curso de Capacitação em Auditoria Ambiental. (Carga horária: 40h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2002 - 2002
Cartografia Aplicada a Educação Ambiental. (Carga horária: 12h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Efetivo, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2013 - 2015
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor Substituto, Carga horária: 40

Vínculo institucional

2006 - 2006
Vínculo: Livre, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 30
Outras informações
Tutor no curso a distância "Capacitação em Mapeamento e Gerenciamento de Risco", realizado pelo Laboratório de Ensino a Distância, do Programa de Pós-graduação Engenharia e Gestão do Conhecimeto

Vínculo institucional

2004 - 2005
Vínculo: Livre, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 20
Outras informações
Estagio no Projeto "Diagnóstico geoambiental das áreas de risco (deslizamentos e enchentes) e plano de prevenção dos desastres naturais causados pelas adversidades climáticas no estado de Santa Catarina, fase 1 (Mesorregião Vale do Itajaí)". Financiado pela Fundação de Amparo a Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina - FAPESC

Vínculo institucional

2004 - 2004
Vínculo: Livre, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20
Outras informações
Tutor no Curso de Capacitação em Defesa Civil - Sistema de Comando em Operações, realizado pela Secretária de Ensino a Distância

Vínculo institucional

2004 - 2004
Vínculo: Livre, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 40
Outras informações
Tutor do curso de Atualização de Conhecimentos Sobre Redução da Demanda de Drogas, realizado pela Secretária de Educação a Distância

Vínculo institucional

2003 - 2004
Vínculo: Livre, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 20
Outras informações
"Diagnóstico geoambiental das áreas de risco dos municípios do Estado de Santa Catarina afetados pelas adversidades climáticas", Grupo de Estudos de Desastres Naturais (GEDN), Departamento de Geociências, UFSC. Financiado pelo Departamento Estadual de Defesa Civil do Estado de Santa Catarina (DEDC-SC).

Vínculo institucional

2003 - 2003
Vínculo: Livre, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20
Outras informações
Tutor no Curso de Capacitação em Defesa Civil - Prevenção e Redução de Desastres, realizado pela Secretária de Educação a Distância

Atividades

03/2018 - Atual
Ensino, Geografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Análise de Imagens I
Cartografia
03/2015 - 03/2018
Ensino, Engenharia Florestal, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Elementos de Geodesia
Topografia
03/2015 - 03/2018
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Elementos de Geodesia
Topografia
06/2014 - 02/2015
Ensino, Geografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
GCN7006 - Geologia
GCN7500 - Análise de Imagens II
01/2014 - 06/2014
Ensino, Geografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Análise de Imagens II
Geologia II
Geologia para Biologia
09/2013 - 12/2013
Ensino, Geografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Analise de Imagens II
Geologia para Biologia

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2007
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Supervisor, Carga horária: 40
Outras informações
Agente Censitário Municipal - ACM, supervisor geral das atividades do Censo 2007 no município de Pomerode - Santa Catarina



Projetos de pesquisa


2011 - Atual
MAPLU2 - Manejo de águas pluviais em meio urbano
Descrição: Desenvolver soluções urbanísticas e ambientalmente adequadas de manejo de águas pluviais para a redução de impactos sobre o hidrograma de enchentes, com especial atenção para a qualidade da água, o controle de vetores e gestão de resíduos sólidos em bacias experimentais urbanas..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2012
Análise de produção de água e sedimento da bacia do Rio Preto com uso de bacias escola
Descrição: O presente projeto realiza o monitorar detalhado da dinâmica da água na região de nascente em quatro bacias escola experimentais de diferentes tipos de uso do solo (floresta nativa, reflorestamento de pinus, área desmatada, e agricultura) dentro da bacia do Rio Preto que faz parte da rede de bacias escola na região do Alto Rio Negro, região sul do Brasil. Pretende compreender mecanismo de geração de vazão em dois tipos de vegetação.....
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2011
Prevenção e Mitigação de Desastres Hidrológicos na Bacia do Rio Dos Cedros ? SC
Descrição: O presente projeto tem por objetivo elaborar e implementar medidas não-estruturais como mapeamento e monitoramento para prevenção de desastres hidrológicos na bacia do rio dos Cedros SC.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2011
CLIMASUL- Estudo de mudanças climáticas na região sul do Brasil
Descrição: O projeto é desenvolvido por uma rede cooperativa proposta pela FURB, com a participação das Universidades Federais UFSM, UFRGS, UFSC, UFPR e das empresas EPAGRI, EMBRAPA - Trigo e IAPAR, com a interveniencia técnica do INPE. Ele tem por objetivo a formação de uma rede cooperativa em pesquisa na área de agrometeorlogia e recursos hídricos visando incrementar o monitoramento hidrometeorológico com foco na evaporação e evapotranspiração, elaborar cenários de mudanças climáticas para a região sul do Brasil e estudar os impactos das mudanças climáticas no regime hidrológico através de modelos de simulação numérica. Envolve instituições universitárias e centros de pesquisas em hidrologia, meteorologia e agrometeorologia dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os objetivos específicos são: - Elaborar cenários climáticos regionalizados e agrícolas de culturas importante no Sul do Brasil - avaliar a evolução temporal da evaporação e da evapotranspiração em bacias agrícolas; - avaliar os regimes hídricos quantitativos e qualitativos em bacias hidrográficas com diferentes usos e ocupações do solo. - desenvolver um sistema de classificação da origem e tipo de vórtices ciclônicos.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2008 - 2010
Implantação de rede de bacias escola para gerenciamento de recursos hídricos na região do Alto Rio Negro, região sul brasileira
Descrição: A cobertura florestal na região serrana de Santa Catarina e do Paraná era representada principalmente pela Floresta Ombrófila Mista (FOM). Pouco mais de um século da exploração econômica sem planejamento levaram essa rica e singular floresta a uma situação de visível decadência biológica. Os raros remanescentes florestais nativos perfazem entre 1 a 2% da área original nos estados, pois vêm sendo suprimidos para dar lugar a cultivos agrícolas e atividades pecuárias e florestais (reflorestamento de pinus). Com esta situação, atualmente, existem muitos comentários sobre o uso do solo adequado para esta região. Ambientalistas e comunidade condenam principalmente as atividades de reflorestamento de pinus alegando a deterioração da qualidade da água e redução da sua quantidade e solicitam a transformação das áreas de pinus em FOM, não levando em conta que a economia da região está galgada em atividades de reflorestamento. Quais serão as reais implicações no comportamento hidrossedimentológico da bacia hidrográfica quando se compara áreas compostas por floresta nativa, reflorestamento de pinus e a agricultura? Tomando esta comparação como base, qual destes usos seria uma alternativa sustentável para a região? Para responder estas perguntas é importante realizar monitoramento e modelagem hidrossedimentológica com bacias escola com realização de conscientização. Neste contexto, o Grupo de Estudo de Bacias Hidrográficas da UFSC, coordenado por Prof. Masato Kobiyama, vem realizando diversos projetos científicos e de extensão com diferentes objetivos na Bacia do Alto Rio Negro (BARN), região sul brasileira. Adicionando o aspecto de operação de barragem cuja construção poderá ser bastante comum no futuro, o presente projeto pretende manter o funcionamento automático das estações fluviométricas e pluviométricas e conseqüentemente diversas bacias escola na BARN.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2006 - 2011
Monitoramento e modelagem hidrossedimentológica da bacia hidrográfica do Alto Rio Negro - Região Sul - Brasileira
Descrição: O objetivo do projeto é monitorar vazão e vazão sólida em rio e algumas parâmetros meteorológicos em pequenas bacias hidrográficas que fazem parte da bacia alto Rio Negro que se localiza na divisa entre os estados do Paraná e Santa Catarina a fim de compreender o comportamento dos processos hidrossedimentológicos em nível de bacias caracterizadas pela Floresta Ombrófila Mista (Floresta de Araucária), pelo reflorestamento de pinus e pelas atividades agro-pastoral. Além disso, o projeto possui por objetivo de modelar esses processos em diferentes usos do solo, junto com modelos hidrológicos distribuídos (SWAT, HYCYMODEL modificado e TOPMODEL) e um modelo BHS para estimar evapotranspiração real sazonal. A cobertura florestal na região serrana do estado de Santa Catarina e do Paraná era representada principalmente pela Floresta Ombrófila Mista (Floresta de Araucária). Pouco mais de um século de exploração econômica sem planejamento levaram essa rica e singular floresta a uma situação de visível decadência biológica. Os raros remanescentes florestais nativos perfazem entre 1 e 2% da área original nos estados, pois vêm sendo suprimidos para dar lugar a cultivos agrícolas e atividades pecuárias e florestais (reflorestamento de pinus). Com esta situação, atualmente, observam-se muitos comentários sobre o uso do solo adequado para esta região. Ambientalistas e comunidade condenam as atividades de reflorestamento de pinus alegando a deterioração da qualidade da água e redução da sua quantidade e solicitam a transformação das áreas de pinus em Floresta Ombrófila Mista, não levando em conta que a economia da região está galgada em atividades de reflorestamento...
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2004 - 2006
Diagnóstico Geoambiental das áreas de risco (deslizamentos e enchentes) e plano de prevenção dos desastres naturais causados pelas adversidades climáticas no estado de Santa Catarina fase 1 (Mesorregião do Vale do Itajaí)
Descrição: O presente projeto tem por objetivo analisar as áreas de risco do vale do itajaí e propor medidas mitigatórias, com enfase nas nao-estruturais, como mapeamento e implementação do sistema de alerta..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2016 - Atual
Simplificando a Topografia
Descrição: Existem diversos aplicativos mobile desenvolvidos para levantamentos topográficos pelos quais é possível mapear e monitorar os limites e os usos de uma propriedade. Grande parte desses aplicativos é gratuita ou são de baixo custo e, apesar da sua grande viabilidade, são pouco explorados. Além disso, atualmente os aparelhos mobiles já são integrados com tecnologia de posicionamento (GPS). Contudo, poucos materiais didáticos e pedagógicos têm sido elaborados sobre essas novas tecnologias. Uma das possíveis causas pode ser ausência de exemplos práticos sobre a precisão de aparelhos mobiles, funcionalidades de aplicativos, normas que atende, entre outros. Caso possua viabilidade, o uso de aparelhos mobiles com aplicativos poderia ser uma alternativa de baixo custo para pequenos produtores rurais. Neste contexto, o presente projeto tem por objetivo a criação do Grupo de Estudos de Topografia Aplicada, que busca, por meio de exemplos práticos simplificar a topografia, produzindo materiais didáticos, pedagógicos, cursos e palestras, com ênfase em métodos de baixo custo com ênfase em pequenas propriedades rurais. Os materiais didáticos e pedagógicos serão produzidos a partir de levantamentos topográficos e dos usos de duas propriedades rurais localizadas no município de Curitibanos-SC. Como meta um blog também será criado, onde todos os materiais serão disponibilizados gratuitamente. Espera-se que com o presente projeto preencher este hiato em relação a materiais explicativos sobre métodos topográficos de baixo custo, que podem ser utilizadas em pequenas propriedades rurais, realidade encontrada em Santa Catarina..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Roberto Fabris Goerl - Coordenador / Jeanderlon Veiga - Integrante.
2015 - 2015
O CAR na Prática
Descrição: O presente projeto trata de um curso sobre o Cadastro Ambiental Rural (CAR). Recentemente o Brasil prorrogou o prazo de Maio de 2015 para Maio de 2016 para que os donos das propriedades rurais regularizassem a sua situação perante o INCRA, por meio do CAR. Ainda assim, a crescente demanda e o não cumprimento das metas, aponta para mais um período de prorrogação, até 2018. Dessa maneira, o presente projeto visa promover um curso sobre o CAR, abordando questões conceituais e práticas. O curso destina-se a qualquer pessoa que tenha interesse na temática, visto que o CAR pode ser preenchido por qualquer pessoa acima dos 18 anos..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Roberto Fabris Goerl - Coordenador / Crysttian Arantes Paixão - Integrante / Evandro Loch Boeing - Integrante / Guilherme Romani de Mello - Integrante.
2009 - 2009
Resposta ao Desastre de Novembro de 2008
Descrição: O presente projeto teve por objetivo a avaliação in loco dos locais afetados por escorregamos em virtude das chuvas intensas que ocorreram em Santa Catarina em nov. de 2008..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2008 - 2010
Aprender hidrologia para prevenção de desastres naturais
Descrição: ada vez mais, o estado de Santa Catarina vem sofrendo com desastres naturais, especialmente hidrológicos (inundação, deslizamento, estiagem, ressaca, etc.) Para prevenir tais desastres, é fundamental para as comunidades entender e aplicar a hidrologia no gerenciamento de desastres naturais. Para prevenção, há dois tipos de medidas: estruturais e não estruturais. A segunda tem chamado atenção da população devido a seu baixo custo e sua alta eficiência. Dentro das medidas não-estruturais, a conscientização é uma das mais importantes. Em ano 2005 em dezembro, ocorreu um gigante tsunami na Ásia que causou mais de 100 mil mortes. Naquele desastre natural, aconteceu um episódio que prova a importância da conscientização. Uma aluna de primeiro grau na Inglaterra aprendeu o fenômeno de tsunami na aula de geografia duas semanas antes desta ocorrência. O professor dela ensinou detalhadamente para a classe desta aluna e ela captou bem. Por causa da correta atitude dela, ela conseguiu salvar mais de 100 turistas numa praia. Assim sendo, a atividade de conscientização deve ser melhor maneira de proteger as comunidades contra desastres naturais. Os principais objetivos do presente projeto são: (1) produzir materiais didáticos para o entendimento e aplicação da hidrologia pelas comunidades para prevenção de desastres naturais; (2) realizar cursos, encontros, e seminários juntos com prefeituras, escolas, associações, etc., a fim de conscientização.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.


Revisor de periódico


2014 - Atual
Periódico: Caminhos de Geografia (UFU)


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Geodésia/Especialidade: Cartografia Básica.
2.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Prevenção de Desastres Naturais.
3.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Hidrogeomorfologia.
4.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Geografia Física.
5.
Grande área: Engenharias / Área: Engenharia Civil / Subárea: Engenharia Hidráulica/Especialidade: Hidrologia.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
KOBIYAMA, M.2018KOBIYAMA, M. ; GOERL, ROBERTO FABRIS ; FAN, F. M. ; CORSEUIL, C. W. ; MICHEL, G.P. ; DULAC, V. F. . Abordagem integrada para gerenciamento de desastre em região montanhosa com ênfase no fluxo de detritos. Revista Gestão e Sustentabilidade Ambiental, v. 7, p. 31-65, 2018.

2.
KOBIYAMA, M.2018KOBIYAMA, M. ; GOERL, ROBERTO FABRIS ; MONTEIRO, L. R. . Integração das ciências e das tecnologias para redução de desastres naturais: Sócio-Hidrologia e Sócio-Tecnologia. Revista Gestão e Sustentabilidade Ambiental, v. 7, p. 206-231, 2018.

3.
GOERL, Roberto Fabris;GOERL, ROBERTO FABRIS;FABRIS GOERL, ROBERTO2017GOERL, Roberto Fabris; MICHEL, G.P. ; KOBIYAMA, Masato . Mapeamento de áreas susceptíveis a inundação com o modelo HAND e análise do seu desempenho em diferentes resoluções espaciais.. RBC. REVISTA BRASILEIRA DE CARTOGRAFIA (ONLINE), v. 69, p. 61-69, 2017.

4.
TASCA, F. A.2017TASCA, F. A. ; FINOTTI, A. R. ; POMPEO, C. A. ; GOERL, Roberto Fabris . O papel da drenagem urbana na prevenção de desastres hidrológicos na bacia hidrográfica do rio Itajaí Açu. RBC. REVISTA BRASILEIRA DE CARTOGRAFIA (ONLINE), v. 69, p. 129-142, 2017.

5.
SPECKHANN, GUSTAVO ANDREI2017SPECKHANN, GUSTAVO ANDREI ; BORGES CHAFFE, PEDRO LUIZ ; FABRIS GOERL, ROBERTO ; ABREU, JANETE JOSINA DE ; ALTAMIRANO FLORES, JUAN ANTONIO . Flood hazard mapping in Southern Brazil: a combination of flow frequency analysis and the HAND model. Hydrological Sciences Journal, v. 63, p. 87-100, 2017.

6.
MICHEL, GEAN PAULO2015MICHEL, GEAN PAULO ; GOERL, ROBERTO FABRIS ; KOBIYAMA, Masato . Critical rainfall to trigger landslides in Cunha River basin, southern Brazil. Natural Hazards (Dordrecht), v. 75, p. 2369-2384, 2015.

7.
KOBIYAMA, Masato2014KOBIYAMA, Masato ; MICHEL, GEAN PAULO ; GOERL, Roberto Fabris . Comparative analysis of SHALSTAB and SINMAP for landslide susceptibility mapping in the Cunha River basin, southern Brazil. Journal of Soils and Sediments (Print), v. 14, p. 1266-1277, 2014.

8.
GOERL, Roberto Fabris;GOERL, ROBERTO FABRIS;FABRIS GOERL, ROBERTO2013 GOERL, Roberto Fabris; KOBIYAMA, Masato . Redução dos desastres naturais: desafio dos geógrafos / Natural disaster reduction: the challenge of geographers. Ambiência (Online), v. 9, p. 145-172, 2013.

9.
GOERL, Roberto Fabris;GOERL, ROBERTO FABRIS;FABRIS GOERL, ROBERTO2012GOERL, Roberto Fabris; KOBIYAMA, Masato ; PELLERIN, J. R. G. M. . Proposta metodológica para mapeamento de áreas de risco a inundação: estudo de caso do município de Rio Negrinho ? SC. Boletim de Geografia (UEM), v. 30, p. 81-100, 2012.

10.
KOBIYAMA, M.2012KOBIYAMA, M. ; MICHEL, G. P. ; GOERL, Roberto Fabris . Relação entre desastres naturais e floresta. Revista Geonorte, v. 1, p. 17-48, 2012.

11.
GOERL, Roberto Fabris;GOERL, ROBERTO FABRIS;FABRIS GOERL, ROBERTO2012 GOERL, Roberto Fabris; KOBIYAMA, Masato ; SANTOS, I. . Hidrogeomorfologia: princípios, conceitos, processos e aplicações. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 13, p. 103-111, 2012.

12.
GOERL, Roberto Fabris;GOERL, ROBERTO FABRIS;FABRIS GOERL, ROBERTO2011GOERL, Roberto Fabris; KOBIYAMA, Masato ; PELLERIN, J. R. G. M. . Mapeamento de vulnerabilidade no município de Rio Negrinho SC: Uma proposta metodológica. Caminhos de Geografia (UFU), v. 12, p. 205-221, 2011.

13.
GOERL, Roberto Fabris;GOERL, ROBERTO FABRIS;FABRIS GOERL, ROBERTO2011GOERL, Roberto Fabris; SIEFERT, C. A. C. ; SCHULTZ, G. B. ; SANTOS, C. S. ; SANTOS, I. . Elaboração e Aplicação de Índices de Fragmentação e Conectividade da Paisagem para Análise de Bacias Hidrográficas. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 4, p. 1000-1012, 2011.

14.
GOERL, Roberto Fabris;GOERL, ROBERTO FABRIS;FABRIS GOERL, ROBERTO2011GOERL, Roberto Fabris; SIEFERT, C. A. C. ; SCHULTZ, G. B. ; SANTOS, C. S. ; SANTOS, I. . Elaboração e Aplicação de Índices de Fragmentação e Conectividade da Paisagem para análise de bacias hidrográficas. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 4, p. 1000-1012, 2011.

15.
MARCELINO, Emerson Vieira2008MARCELINO, Emerson Vieira ; RUDORFF, Frederico de Moraes ; GOERL, Roberto Fabris ; HAAS, Reinaldo. . Observações "in loco" realizadas durante a passagem do furacão Catarina. Caminhos de Geografia (UFU), v. 9, p. 37-56, 2008.

16.
KOBIYAMA, Masato2007KOBIYAMA, Masato ; GOERL, Roberto Fabris . Quantitative method to distinguish flood and flash flood as disasters. Suisui Hydrological Research Letters, v. 1, p. 11-14, 2007.

17.
MARCELINO, Emerson Vieira2005MARCELINO, Emerson Vieira ; RUDORFF, Frederico de Moraes ; MARCELINO, Isabela Pena Viana de Oliveira ; GOERL, Roberto Fabris ; KOBIYAMA, Masato . Impacto do Ciclone Catarina sobre a região sul catarinense: monitoramento e avaliação pós-desastre. Geografia (Rio Claro), Rio Claro, v. 30, p. 559-582, 2005.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
SILVEIRA, W. N. ; KOBIYAMA, Masato ; GOERL, Roberto Fabris ; BRANDENBURG, B. . História de Inundações em Joinville 1851 - 2008. 1. ed. Curitiba: Organic Trading, 2009. v. 1. 153p .

2.
KOBIYAMA, Masato ; MENDONÇA, M. ; MORENO, Davis Anderson ; MARCELINO, Isabela Pena Viana de Oliveira ; MARCELINO, Emerson Vieira ; GONÇALVEZ, E. F. ; BRAZETTI, L.L.P ; GOERL, Roberto Fabris ; MOLLERI, Gustavo Souto Fontes ; RUDORFF, Frederico de Moraes . Prevenção de Desastres Naturais: Conceitos Básicos. Curitiba: Organic Trading, 2006. 109p .

Capítulos de livros publicados
1.
KOBIYAMA, Masato ; MICHEL, G.P. ; GOERL, Roberto Fabris . Historical views and current perspective of debris flow disaster management in Brazil. In: Stefano Aversa; Leonardo Cascini; Luciano Picarelli; Claudio Scavia. (Org.). Landslides and Engineered Slopes - Experience, Theory and Practice. 1ed.Leiden: CRC Press, 2016, v. 1, p. 1189-1194.

2.
MICHEL, G. P. ; KOBIYAMA, Masato ; GOERL, Roberto Fabris . Análise comparativa entre os modelos Shalstab e Sinmap na indentificação de áres susceptíveis a escorregamentos translacionais. In: Cristiano Poleto; Adelmo Lowe Pletsch; Eloy Lemos de Mello; Newton de Oliveira Carvalho. (Org.). X ENES - Encontro Nacional de Engenharia de Sedimentos: artigos selecionados. 1ed.Porto Alegre: ABRH, 2012, v. 1, p. 209-225.

3.
KOBIYAMA, Masato ; GOERL, Roberto Fabris ; CORREA, G. P. ; MICHEL, G. P. . Debris flow occurence in Rio dos Cedros, Southern Brazil: meteorologic e geomorphic aspects. In: D. de WRACHIEN; C.A. BREBBIA. (Org.). Monitoring, Simulation, Prevention and Remediation of Dense and Debris Flows III. Southampton: WitPress, 2010, v. 1, p. 77-88.

4.
KOBIYAMA, Masato ; CHAFFE, P. L. B. ; GOERL, Roberto Fabris ; GIGLIO, J. N. ; REGINATTO, G. M. P. . Hydrological disasters reduction: lessons from hydrology. In: Mauricio Luiz Sens; Renata Iza Mondardo. (Org.). Science and Technology for Environmental Studies: Experiences from Brazil, Portugal and Germany. 1ed.Florianópolis: Federal University of Santa Catarina, 2010, v. 1, p. 49-72.

5.
MARCELINO, Isabela Pena Viana de Oliveira ; MOLLERI, Gustavo Souto Fontes ; GOERL, Roberto Fabris ; MARCELINO, Emerson Vieira ; MORENO, Davis Anderson ; RUDORFF, Frederico de Moraes . Adversidades atmosféricas no Estado de Santa Catarina no período de 1980 a 2003. In: Maria Lúcia de Paula Herrmann. (Org.). Atlas de Desastres Naturais do Estado de Santa Catarina. Florianópolis: IOESC, 2007, v. , p. -.

6.
MARCELINO, Emerson Vieira ; RUDORFF, Frederico de Moraes ; GOERL, Roberto Fabris ; MARCELINO, Isabela Pena Viana de Oliveira . Furacão Catarina. In: Maria Lúcia de Paula Herrmann. (Org.). Atlas de Desastres Naturais do Estado de Santa Catarina. Florianópolis: IOESC, 2007, v. , p. -.

7.
MARCELINO, Emerson Vieira ; GOERL, Roberto Fabris . Inundação Brusca. In: Maria Lúcia de Paula Herrmann. (Org.). Atlas de Desastres Naturais do Estado de Santa Catarina. Florianópolis: IOESC, 2007, v. , p. -.

8.
MARCELINO, Emerson Vieira ; MARCELINO, Isabela Pena Viana de Oliveira ; RUDORFF, Frederico de Moraes ; GOERL, Roberto Fabris . Geoinformação e Desastres Naturais em Áreas Urbanas: O Caso do Furacão Catarina. In: Claudia Maria de Almeida; Gilberto Camara; Antonio Miguel Vieira Monteiro. (Org.). Geoinformação em Urbanismo: cidade real X cidade virtual. 1ed.São Paulo: Oficina de textos, 2007, v. 1, p. 210-229.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
GOERL, Roberto Fabris. Inundações em Joinville: um desafio para a sustentabilidade. Jornal da ACIJ, Joinville, p. 2 - 2, 01 dez. 2009.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
CARON, B. ; KOBIYAMA, M. ; GOERL, ROBERTO FABRIS . Determination of the hazard index from the mapping of susceptible areas to flood with the HAND model. In: I Encontro Nacional de Desatres, 2018, Porto Alegre. Anais do I Encontro Nacional de Desatres, 2018.

2.
GOERL, ROBERTO FABRIS; TASCA, F. A. ; SPECKHANN, G. A. ; CHAFFE, P. L. B. . Análise da evolução populacional em áreas propensas a inundação: estudo de caso de Santa Catarina. In: I Encontro Nacional de Desatres, 2018, Porto Alegre. Anais do I Encontro Nacional de Desatres, 2018.

3.
TASCA, F. A. ; GOERL, ROBERTO FABRIS ; CAPRARIO, J. ; RECH, A. S. ; MIRANDA, N. M. G. ; FINOTTI, A. R. ; POMPEO, C. A. . Análise espacial de desastres hidrológicos sob a ótica de bacias hidrográficas. In: XXII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2017, Florianópolis. Anais do XXII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2017.

4.
TASCA, F. A. ; GOERL, Roberto Fabris ; FINOTTI, A. R. . Efeito da resolução espacial na simulação de uma taxa de drenagem. In: XXII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2017, Florianópolis. Anais do XXII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2017.

5.
SPECKHANN, G. A. ; CHAFFE, P. L. B. ; GOERL, Roberto Fabris ; BARTIKO, D. . Uma proposta de mapeamento de risco de inundação utilizando feições morfométricas, luzes noturnas e informações censitárias.. In: XXII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2017, Florianópolis. Anais do XXII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2017.

6.
GOERL, Roberto Fabris; CHAFFE, P. L. B. ; SPECKHANN, G. A. ; PELLERIN, J. R. G. M. ; ALTAMIRANO FLORES, JUAN ANTONIO ; ABREU, J. J. ; SANCHEZ, G. M. . O modelo HAND como ferramenta de mapeamento de áreas propensas a inundar. In: XXII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2017, Florianópolis. Anais do XXII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 2017.

7.
MICHEL, G. P. ; KOBIYAMA, M. ; GOERL, Roberto Fabris ; MICHEL, R. D. L. . Metodologia de mapeamento de escorregamentos e fluxos de detritos. In: XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2015, Brasília. Anais do XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2015.

8.
PAULINO, R. B. ; GOERL, Roberto Fabris . Modelo AHP aplicado ao mapeamento de áreas de risco de inundação nas planícies de Joinville-SC. In: 15° Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental, 2015, Bento Gonçalves. Anais do 15° Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental, 2015.

9.
MICHEL, G. P. ; KOBIYAMA, Masato ; GOERL, Roberto Fabris . AVALIAÇÃO DO PAPEL DA VEGETAÇÃO NA ESTABILIDADE DE ENCOSTAS ATRAVÉS DO MODELO SHALSTAB MODIFICADO. In: 9º SINAGEO - Simpósio Nacional de Geomorfologia, 2012, Rio de Janeiro. Anais do 9º Simpósio Nacional de Geomorfologia, 2012. p. 1-4.

10.
GOERL, Roberto Fabris; MICHEL, G. P. ; KOBIYAMA, Masato ; SANTOS, I. . O Papel dos processos hidrogeomorfológicos extremos na evolução de paisagem. In: 9º SINAGEO - Simpósio Nacional de Geomorfologia, 2012, Rio de Janeiro. Anais do 9º Simpósio Nacional de Geomorfologia, 2012. p. 1-6.

11.
MICHEL, G. P. ; GOERL, Roberto Fabris ; KOBIYAMA, Masato ; HIGASHI, R. A. R. . Estimativa da quantidade de chuva necessária para deflagrar escorregamentos. In: XIX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2011, Maceió. Anais do XIX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2011.

12.
SANTOS, C. S. ; GOERL, Roberto Fabris ; SIEFERT, C. A. C. . Construção e Análise de Índices de Fragmentação da Paisagem e Conectividade Hidrológica em uma Bacia Hidrográfica de 4ª Ordem. In: XIV Simpósio Brasileiro de Geografia Física e Aplicada, 2011, Dourados. Anais do XIV Simpósio Brasileiro de Geografia Física e Aplicada, 2011.

13.
TASCA, F. A. ; GOERL, Roberto Fabris ; KOBIYAMA, Masato . Prevenção de desastres naturais através da educação ambiental com enfase na ciência hidrológica. In: 1 Simpósio de Engenharia Sanitária e Meio Ambiente da Zona da Mata Mineira, 2010, Juiz de Froa. 1 Simpósio de Engenharia Sanitária e Meio Ambiente da Zona da Mata Mineira. Juiz de Fora, 2010. p. 1-15.

14.
GOERL, Roberto Fabris. Análise de vulnerabilidade no estudo de riscos ambientais: uma revisão conceitual.. In: V SIMPÓSIO PARANAENSE DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA ? SIMPGEO, 2010, Curitiba. Anais do V SIMPÓSIO PARANAENSE DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA, 2010. p. 1262-1275.

15.
MICHEL, G. P. ; GOERL, Roberto Fabris ; KOBIYAMA, Masato . APLICAÇÃO DO SINMAP (STABILITY INDEX MAPPING) NA BACIA DO RIO CUNHA, RIO DOS CEDROS-SC, PARA PREVISÃO DE ÁREAS SUSCEPTÍVEIS A ESCORREGAMENTOS. In: VIII Simpósio Nacional de Geomorfologia, 2010, Recife. Anais do VIII Simpósio Nacional de Geomorfologia, 2010. p. 1-17.

16.
GOERL, Roberto Fabris; KOBIYAMA, Masato ; LOURENCO, L. L. ; GRANDO, A. . Características gerais dos escorregamentos ocorridos em novembro de 2008 nos municípios de Bruscque, Rio dos Cedros e Timbó ? SC. In: XIII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada, 2009, Viçosa. Anais do XIII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada, 2009. v. 1. p. 1-16.

17.
GOERL, Roberto Fabris. Desastres naturais no contexto das políticas de desenvolvimento sustentável. In: III Encontro Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Geografia - ENANPEGE, 2009, Curitiba. Anais do III Encontro Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Geografia - ENANPEGE, 2009. v. 1.

18.
GOERL, Roberto Fabris; KOBIYAMA, Masato ; CORREA, G. P. ; ROCHA, H. L. ; GIGLIO, J. N. . Desastre hidrológico resultante das chuvas intensas no município de Rio dos Cedros ? SC. In: XVIII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2009, 2009, Campo Grande. Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 2009, 2009. v. 1.

19.
TASCA, F. A. ; MICHEL, G. P. ; KOBIYAMA, Masato ; GOERL, Roberto Fabris . Prevenção de desastres naturais através da popularização da hidrologia. In: V Seminário Internacional de Defesa Civil, 2009, São Paulo. Anais do V Seminário Internacional de Defesa Civil. São Paulo, 2009. p. 1-9.

20.
CORREA, G. P. ; KOBIYAMA, Masato ; GIGLIO, J. N. ; MICHEL, G. P. ; TASCA, F. A. ; GOERL, Roberto Fabris . Análise geométrica para estimativa de volume em fluxo de detritos. In: V Seminário Internacional de Defesa Civil, 2009, São Paulo. Anais do V Seminário Internacional de Defesa Civil. São Paulo, 2009. p. 1-10.

21.
KOBIYAMA, Masato ; MOTA, A. A. ; GIGLIO, J. N. ; MICHEL, G. P. ; GOERL, Roberto Fabris ; CORSEUIL, C. W. . Aprender hidrologia para prevenção de desastres naturais.. In: X Congreso Iberoamericano de Extensión Universitaria, 2009, Montevidéu. Anais do X Congreso Iberoamericano de Extensión Universitaria, 2009. p. 1-13.

22.
GOERL, Roberto Fabris; KOBIYAMA, Masato . Consideração sobre as inundações no Brasil. In: Simpósio Brasileiro de Recursos Hidricos, 2005, João Pessoa. Anais, 2005.

23.
MARCELINO, Emerson Vieira ; GOERL, Roberto Fabris ; RUDORFF, Frederico de Moraes . Distribuição Espaço-Temporal de Inundações Bruscas em Santa Catarina (Período 1980-2003). In: 1º Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais, 2004, Florianópolis. Anais..., 2004. p. 554-564.

24.
MARCELINO, Isabela Pena Viana de Oliveira ; SAITO, S. M. ; MARCELINO, Emerson Vieira ; GOERL, Roberto Fabris ; MOLLERI, Gustavo Souto Fontes . Análise dos questionários aplicados nas comunidades catarinenses mais atingidas pelo ciclone catarina. In: 1º Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais, 2004, Florianópolis. Anais..., 2004. p. 719-733.

25.
MARCELINO, Emerson Vieira ; RUDORFF, Frederico de Moraes ; GOERL, Roberto Fabris ; MARCELINO, Isabela Pena Viana de Oliveira ; GONÇALVEZ, E. F. . Cyclone Catarina: Intensity Map and Preliminary Damage Assessment. In: 1º Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais, 2004, Florionópolis. Anais..., 2004. p. 734-748.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
PAIXAO, C. A. ; GOERL, Roberto Fabris ; COELHO, F. C. . Combining individual based model with flood hazard mapping towards preliminary dengue fever risk assessment.. In: Conference on Mathematical Modeling and Control of Communicable Diseases, 2016, Rio de Janeiro. Book of abstracts, 2016.

2.
MICHEL, G. P. ; KOBIYAMA, M. ; GOERL, Roberto Fabris . Effevtiveness analysis of small artificial reservoir for reduncing sediment delivery due debris flow with KANAKO model. In: 6th International Conference on Debris-Flow Hazards Mitigation: Mechanics, Prediction and Assessment, 2015, Tsukuba. Proceedings of 6th International Conference on Debris-Flow Hazards Mitigation, 2015. v. 1. p. 119-119.

3.
MICHEL, G. P. ; KOBIYAMA, M. ; GOERL, Roberto Fabris . Evaluation of vegetation effects on slope stability through sensitive analysis with new safety factor formulation. In: 6th International Conference on Debris-Flow Hazards Mitigation: Mechanics, Prediction and Assessment, 2015, Tsukuba. Proceedings of 6th International Conference on Debris-Flow Hazards Mitigation, 2015. v. 1. p. 120-120.

4.
PELLERIN, J. R. G. M. ; KOBIYAMA, Masato ; GOERL, Roberto Fabris ; MARCELINO, Emerson Vieira ; LYRA, L. G. . Desastres naturais causados pela chuva intensa no dia 16 de novembro de 2005, no município de Vidal Ramos-SC, Brasil. In: VI Simpósio Nacional de Geomorfologia/ Regional Conference on Geomorphology, 2006, Goiânia. Geomorfologia tropical e subtropical: processos, métodos e técnicas. Goiania, 2006. p. 109-109.

5.
RUDORFF, Frederico de Moraes ; GOERL, Roberto Fabris ; BONETTI, Jarbas . Monitoramento da maré de tempestade durante a passagem do ciclone Catarina no município do Balneário Arroio do Silva entre os dias 27 e 28 de março de 2004. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2004, Itajaí. Anais, 2004.

6.
RUDORFF, Frederico de Moraes ; BONETTI, Jarbas ; GOERL, Roberto Fabris . Efeitos da passagem do ciclone Catarina na alteração morfológica e construção de feições praiais. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2004, Itajaí. Anais, 2004.

Apresentações de Trabalho
1.
GOERL, Roberto Fabris. ANÁLISE DE VULNERABILIDADE NO ESTUDO DE RISCOS AMBIENTAIS: UMA REVISÃO CONCEITUAL. 2010. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

Outras produções bibliográficas
1.
GOERL, Roberto Fabris. Reflexões sobre o registro de desastres naturais no Brasil. Curitiba, 2009. (Prefácio, Pósfacio/Posfácio)>.


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
MARCELINO, Emerson Vieira ; RUDORFF, Frederico de Moraes ; GOERL, Roberto Fabris . Observações "in loco" durante a passagem do Furacão Catarina realizadas pelo Grupo de Estudos de Desastres Naturais - GEDN. 2004.

2.
MARCELINO, Isabela Pena Viana de Oliveira ; SAITO, S. M. ; MARCELINO, Emerson Vieira ; GOERL, Roberto Fabris ; MOLLERI, Gustavo Souto Fontes . Levantamento de campo dos danos causados pelo Fenômeno Catarina no sul do Estado de Santa Catarina. 2004.


Demais tipos de produção técnica
1.
GOERL, Roberto Fabris. Aplicação da hidrologia para prevenção de desastres naturais com ênfase em mapeamento. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

2.
GOERL, Roberto Fabris. Aplicação da hidrologia na prevenção de desastres naturais. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

3.
KOBIYAMA, Masato ; GOERL, Roberto Fabris ; MOTA, A. A. . Aprender Hidrologia para a Prevenção de Desastres Naturais. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

4.
GOERL, Roberto Fabris. Prevenção de Desastres Naturais - conceitos básicos. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

5.
GOERL, Roberto Fabris. Aprender Hidrologia para a prevenção de Desastres Naturais, parte 1. 2009. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

6.
GOERL, Roberto Fabris. Aprender Hidrologia para a Prevenção de Desastres Naturais, parte 2. 2009. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

7.
KOBIYAMA, Masato ; MENDONÇA, M. ; MORENO, Davis Anderson ; MARCELINO, Isabela Pena Viana de Oliveira ; MARCELINO, Emerson Vieira ; GONÇALVEZ, E. F. ; BRAZETTI, L.L.P ; GOERL, Roberto Fabris ; MOLLERI, Gustavo Souto Fontes . Introdução a Prevenção de Desastres Naturais. 2004. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Apostila).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
GOERL, Roberto Fabris; PELLERIN, J. R. G. M.; VERDUM, R.. Participação em banca de Gerly Mattos Sánchez. Análise da relação entre as inundações e a evolução urbana na bacia do ribeirão forquilhas, São José/SC, no período de 1975 a 2011. 2015. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal de Santa Catarina.

Teses de doutorado
1.
Franco, D.; BONUMA, N. B.; HAAS, R.; PAIVA, R. C. D.; RAFAELI NETO, S. L.; GOERL, Roberto Fabris. Participação em banca de Pablo Gustavo del Petre. Análise da influência do Rio Negro nos eventos de inundação no município de Rio Negrinho - SC. 2014. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental) - Universidade Federal de Santa Catarina.

Qualificações de Mestrado
1.
KOBIYAMA, Masato; GOERL, Roberto Fabris; BORGES, A. L. O.. Participação em banca de Fernando Campo Zambrano. MODELAGEM DE EVOLUÇÃO DA PAISAGEM COM ÊNFASES EM INUNDAÇÃO BRUSCA NA BACIA DO ARROIO FORROMECO - RS. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
GOERL, Roberto Fabris; SILVA, E.; CHAFFE, P. L. B.. Participação em banca de Priscilla Veiga Bernardelli.Caracterização morfométrica da bacia hidrográfica da Lagoa do Peri. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Sanitaria e Ambiental) - Universidade Federal de Santa Catarina.

2.
CHAFFE, P. L. B.; BONUMA, N. B.; GOERL, Roberto Fabris. Participação em banca de Thiago Marcis Silva.Caracterização de bacias hidrográficas utilizadas na geração de energia elétrica em Santa Catarina. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Sanitaria e Ambiental) - Universidade Federal de Santa Catarina.

3.
KOBIYAMA, Masato; GOERL, Roberto Fabris; Franco, D.. Participação em banca de Rene Lebarbenchon Macedo.Estudo Hidrológico da bacia do rio Negrinho - SC utilizando o HEC-HMS. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental) - Universidade Federal de Santa Catarina.

4.
GOERL, Roberto Fabris; SANTOS, I.; PAULA, E. V.. Participação em banca de Felipe Costa de Abreu Lopes.Relação entre vazão mínima e índice topográfico na bacia do altíssimo rio Negro ? PR/SC. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Geografia) - Universidade Federal do Paraná.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
GOERL, Roberto Fabris. Concurso Público n. 01/2015-UDESC/CAV para o cargo de Professor Efetivo de Topografia. 2015. Universidade do Estado de Santa Catarina.

Outras participações
1.
GOERL, Roberto Fabris. 19º Evinci - Programa de Iniciação Científica da UFPR. 2011. Universidade Federal do Paraná.

2.
GOERL, Roberto Fabris. Comissão de Bolsa de Mestrado e Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Geografia - UFSC. 2008. Universidade Federal de Santa Catarina.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
9º SINAGEO - Simpósio Nacional de Geomorfologia.O Papel dos processos hidrogeomorfológicos extremos na evolução de paisagem. 2012. (Simpósio).

2.
III Seminário para troca de experiencias e tecnologias em gestão de desastres. 2011. (Seminário).

3.
1 Conferencia Municipal de Defesa Civil e Assistencia Humanitária de Rio Negrinho - SC. 2010. (Encontro).

4.
V Simpósio Paranaense de Pós-Graduação em Geografia.ANÁLISE DE VULNERABILIDADE NO ESTUDO DE RISCOS AMBIENTAIS: UMA REVISÃO CONCEITUAL. 2010. (Simpósio).

5.
Prevenção de Desastres Relacionados a Sedimentos. 2006. (Encontro).

6.
1 Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais - SIBRADEN.1 Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais - SIBRADEN. 2004. (Simpósio).

7.
Semana da Geografia. 2003. (Outra).

8.
Forum Permanente do Desenvolvimento Sustentável de Santa Catarina... 2002. (Outra).

9.
Semana da Geografia. 2002. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
MONTENEGRO, J. ; MENDONCA, F. A. ; SANTOS, G. A. ; TEIXEIRA, S. K. ; GOERL, Roberto Fabris . V SIMPÓSIO PARANAENSE DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA ? SIMPGEO. 2010. (Congresso).

2.
HERRMANN, M. L. P. ; KOBIYAMA, Masato ; MARCELINO, Emerson Vieira ; MARCELINO, Isabela Pena Viana de Oliveira ; SAITO, S. M. ; CHECCHIA, T ; GONÇALVEZ, E. F. ; MORENO, Davis Anderson ; SCHROEDER, P. H. ; BRAZETTI, L.L.P ; GOERL, Roberto Fabris ; MOLLERI, Gustavo Souto Fontes . I SIMPÓSIO BRASILEIRO DE DESASTRES NATURAIS - SIBRADEN. 2004. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Daniela Prá S. de Sousa. Estimativa de dano associado a inundações no município de Timbó/SC.. Início: 2017. Dissertação (Mestrado profissional em Programa de Pós-Graduação em Desastres Naturais) - Universidade Federal de Santa Catarina. (Orientador).

2.
Francisco Carlos Portela. RELAÇÃO ENTRE DESASTRES NATURAIS E EPIDEMIOLOGIA: A OCORRÊNCIA DE LEPTOSPIROSE E DOENÇAS DIARREICAS APÓS INUNDAÇÕES NO VALE DO ITAJAÍ. Início: 2017. Dissertação (Mestrado profissional em Programa de Pós-Graduação em Desastres Naturais) - Universidade Federal de Santa Catarina. (Coorientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Gustavo Andrei Speckhann. Identificação de áreas propensas a inundação através de classificadores topográficos em municípios da bacia do Rio Itajaí. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental) - Universidade Federal de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Roberto Fabris Goerl.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Jeanderlon Veiga. LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES GEOESPACIAIS COM MÉTODOS DE BAIXO CUSTO. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Catarina. Orientador: Roberto Fabris Goerl.




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 18/10/2018 às 16:11:39