Daniel Tourinho Peres

Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/4742017058571120
  • Última atualização do currículo em 09/07/2018


Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal da Bahia (1992), mestrado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1997) e doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (2002). É professor, desde 1994, da Universidade Federal da Bahia, Departamento de Filosofia e desde 2002 Programa de Pós-Graduação em Filosofia. É pesquisador correspondente do Núcleo Direito e Democracia, do CEBRAP. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Alemã, atuando principalmente nos seguintes temas: Immanuel Kant, história da filosofia, filosofia política, direito e filosofia da história. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Daniel Tourinho Peres
Nome em citações bibliográficas
PERES, D. T.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de Filosofia.
Estrada de São Lázaro s/n
Federação
40201909 - Salvador, BA - Brasil
Telefone: (71) 32472800
URL da Homepage: https://blog.ufba.br/kant


Formação acadêmica/titulação


1998 - 2002
Doutorado em Filosofia.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Lógica, Metafísica e Política em Kant - um estudo sobre a faculdade de julgar prática, Ano de obtenção: 2002.
Orientador: José Arthur Giannotti.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Kant; Lógica; Metafísica; Política; História da Filosofia Moderna.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: História da Filosofia / Especialidade: Filosofia Alemã.
Setores de atividade: Educação.
1993 - 1997
Mestrado em Filosofia.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Kant e a fundamentação do Direito Político,Ano de Obtenção: 1997.
Orientador: José Arthur Giannotti.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Kant; Política; Direito; Moral.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: História da Filosofia / Especialidade: Filosofia Alemã.
Setores de atividade: Educação.
1988 - 1992
Graduação em Filosofia.
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.


Pós-doutorado


2011 - 2011
Pós-Doutorado.
Stanford University, STANFORD, Estados Unidos.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Filosofia.


Atuação Profissional



Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2010
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Consultor Comite Filosofia


Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Vínculo institucional

1994 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 0, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2011 - 2013
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Coordenador de Curso de Pós-Graduação, Carga horária: 20

Vínculo institucional

2002 - 2006
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Coordenador de Curso de Graduação, Carga horária: 20

Atividades

09/2007 - Atual
Direção e administração, Departamento de Filosofia, .

Cargo ou função
Chefe de Departamento.
06/2007 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, .

Cargo ou função
Representante da FFCH.
8/2002 - Atual
Ensino, Filosofia, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Tópicos especias de filosofia política
Tópicos de Filosofia da História
8/2002 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Mestrado Em Filosofia.

Cargo ou função
Membro de colegiado superior.
7/2002 - Atual
Ensino, Filosofia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Teoria do Conhecimento
Introdução à Filosofia
Metodologia da Pesquisa em Filosofia
Prática de Investigação em Filosofia
5/2002 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de Filosofia.

4/2002 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Colegiado do Curso de Filosofia.

Cargo ou função
Membro do Colegiado de Graduação.
08/2007 - 08/2007
Extensão universitária , Departamento de Filosofia, .

Atividade de extensão realizada
Mini-Curso Moral, Direito e Política em Kant, com o Prof. Heiner Klemme.
4/2002 - 06/2006
Direção e administração, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de Filosofia.

Cargo ou função
Coordenador de curso de Graduação.
4/2002 - 06/2006
Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Congregação de Ffch.

Cargo ou função
Membro de colegiado superior.
7/1994 - 1/1998
Ensino, Filosofia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Filosofia Política
Introdução à Filosofia
Prática de Investigação em Filosofia

Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, CEBRAP, Brasil.
Vínculo institucional

1998 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Corrrespondente do Núcleo Direito Democracia, Carga horária: 0

Vínculo institucional

1999 - 2003
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Seminário Kant, Carga horária: 0

Vínculo institucional

1993 - 1999
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Grupo Lógica, Ontologia e Filosofia Política, Carga horária: 0
Outras informações
Grupo de Estudos de Lógica, Ontologia e Filosofia Política

Atividades

3/1998 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, .

8/1993 - 12/2003
Pesquisa e desenvolvimento , Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, .

Linhas de pesquisa
Filosofia e Política

Université de Rennes I, RENNES 1, França.
Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Chair des Amérique/Département de Phhlosophie



Linhas de pesquisa


1.
Filosofia Política

Objetivo: A pesquisa tem como tema certos aspectos da filosofia prática de Kant, notadamente sua filosofia política, e isso no que ela possui de vínculo sistemático tanto com a sua filosofia da história como com a sua antropologia. Investiga-se assim o formalismo kantiano, analisando justamente os momentos de passagens (Übergangen) que se vão construindo no interior do sistema, quando então conceitos práticos, representações refletidas e discursivas, encontram sua via de aplicação ao empírico..
Grande área: Ciências Humanas
Setores de atividade: Educação Superior.
Palavras-chave: Razão Prática; História da Filosofia; Filosofia Transcendental; Immanuel Kant; Filosofia Política.
2.
HIstória da Filosofia Moderna e Contemporânea
3.
Ética e Filosofia Política
4.
Metafísica e Política
5.
Filosofia e Política


Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Cultura Política e Representação
Descrição: O projeto tem como objetivo dar suporte, em termos de interlocução e inserção internacional, ao projeto "Kant, imaginação prática e representação política". Do ponto de vista institucional, pretende-se estreitar os vínculos entre os Programas de Filosofia da UFBA com os Programas de Filosofia da USP, UNICAMP, UFABC e em especial com o Laboratório "Philosophie des Normes", da Universidade de Rennes I. Do ponto de vista filosófico, o projeto pretende introduzir o conceito de cultura político na discussão sobre o problema da representação política. O conceito de cultura política sem dúvida merece uma melhor determinação, sobretudo no que ele pode operar na tensão entre universal e particular de modo a tornar uma perspectiva filosófico-normativa mais atenta às particularidades do caso que pretende subsumir. Trata-se de projeto com duplo viés: investigativo e formativo. A formação encontra seu lugar natural na graduação, mas sobretudo na Pós-Graduação em Filosofia da UFBA ? graças à sua temática, o projeto poderá beneficiar também alunos e pesquisadores dos cursos de História, Direito e Ciências Sociais, em especial de Ciência Política. Mais especificamente, porém, o projeto será desenvolvido no quadro do Grupo Kant, que retoma suas atividades, com encontros quinzenais de leitura e discussão de textos clássicos do pensamento político. Do ponto de vista da investigação, trata-se de fazer com que a pesquisa principal aqui proposta (Kant, imaginação prática e representação política) dialogue com outras pesquisas, todas levadas de modo independente, mas que podem se beneficiar de um contato entre os diversos pesquisadores aqui presentes. Quanto ao seu objeto, o projeto visa a relação entre representação e cultura política. Se considerarmos que a representação política tem como função a formação de uma vontade política em espaço público, tal formação não se dá no vazio, mas se alimenta e leva em conta as tensões da cultura (em geral) e da cultura política (particular) em que está inserida. Ela deve não apenas ser o resultado, mas igualmente transformar tal cultura política, o que em termos filosóficos pode ser entendido com a determinação de princípios universais normativos abertos à variações decorrentes do momento de sua aplicação. Tal passagem do universal ao particular não está imune, porém, a patologias, derivadas, por assim dizer, da anfibologia de tomar o particular pelo universal.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Daniel Tourinho Peres - Coordenador / Fernando Costa Mattos - Integrante / Maurício Keinert - Integrante / Yara Adario Frateschi - Integrante / Monique Hulshof - Integrante / François Calori - Integrante / Magali Besone - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2014 - Atual
Kant: Imaginação Prática e Representação Política
Descrição: A pesquisa dá prosseguimento ao projeto Imanência e Transcendência na Filosofia Prática de Kant, agora analisando pontos centrais de sua filosofia política, em particular o problema da representação política, mas associado ao modo como Kant articular as figuras do direito e do poder, as noções de soberania, legalidade e legitimidade. Trata-se justamente de ver a centralidade da representação na filosofia política de Kant, que compre uma função própria da imaginação, isto é, traduzir uma síntese inteligível (ou pura) em sua contrapartida sensível (ou empírica). Assim, se pretende analisar a função própria da representação política como espaço para a articulação entre universal e particular, entre vontade geral e sua institucionalização. Além disso, se pretende avaliar alguns do paradoxos que estão envolvidos na noção de representação política, buscando apontar nela uma condição necessária, porque própria da formação de juízos políticos, para um exercício do poder nos limites da simples razão, que se reconhece falível e precário, isto é, sujeito à revisão constante..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - Atual
Organizações Internacionais e Processos Políticos Contemporâneos
Descrição: Esta pesquisa tem como foco a análise das contribuições do pensamento político moderno no campo teórico do cosmopolitismo, a partir de autores centrais como Immanuel Kant e Jurgen Habermas. Contemporaneamente, um dos principais desafios das relações internacionais é enfrentar, normativa e institucionalmente, as diversas questões que emergem com a intensificação do processo de globalização, particularmente no âmbito da construção de governanças, organizações internacionais e estruturas políticas, econômicas e jurídicas supranacionais regionalizadas. De outra parte, o surgimento de movimentos sociais e redes transnacionais, que apontam novas possibilidades e configurações para uma sociedade civil global ou para uma esfera pública mundial também merecem uma análise aprofundada do ponto de vista normativo. Nesse contexto, a reconstrução dos trabalhos de Kant e Habermas constitui campo privilegiado de estudo nessa pesquisa..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2009 - Atual
Estudos de Filosofia Moderna e Contemporânea II: Grupo Kant
Descrição: O projeto entende que a reflexão filosófica não se dá em separado da reflexão sobre a história da filosofia; do mesmo modo, uma reflexão filosófica sobre a política marca sua especificidade filosófica justamente por implicar, também, a reflexão sobre a propria razão prática, isto é, sobre a racionalidade prática. Se uma reflexão sobre a lógica talvez nada ganhe com uma reflexão sobre a política, a recíproca certamente não é verdadeira. É justamente isso que Kant, o primerio pós-metafísico, chama de metafísica. Aqui não se trata de um projeto único, mas de um grupo de pesquisadores com interesses e consepções comuns do trabalho em filosofia. Alguns já maduros, outros não tanto, e ainda outros ainda bem jovens. Se cada pesquisa é individual, isso não significa que esteja ausente o trabalho de orientação - temos mestres, prováveis doutorandos já docentes, alunos PIBIC -, e mesmo as discussões em grupo, regulares. Assim, mais do que um projeto de pesquisa, o que se desenha é um projeto em formação em pesquisa filosófica.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Daniel Tourinho Peres - Coordenador / Roberto Rivelino Evangelista - Integrante / Mônica Maria Cintra Leone Cravo - Integrante / Pedro Jonas de Almeida - Integrante / Thiago Santana Fonseca - Integrante.Número de orientações: 3
2008 - 2010
Reflexão e Determinação
Descrição: A filosofia de Kant é marcada por dois momentos da atividade do julgar: determinação e reflexão. Essa distinção, que aparece explicitada de modo claro na Primeira Introdução e na Introdução definitiva da Crítica da Faculdade de Julgar, quando então Kant define os usos determinante e reflexionante do juízo, percorre em verdade toda a filosofia crítica, seja teórica ou prática. O Grupo aqui reunido é constituído por jovens pesquisadores, que têm na filosofia de Kant o ponto central de sua atividade de pesquisa e docência. Somado a alguns outros pesquisadores, temos nos reunido anualmente para discutirmos nosso trabalho e resultado parcial de nossas pesquisas. Tais reuniões já conheceram cinco edições, sempre intituladas ?Colóquio Kant: determinação e reflexão?, e a quinta que ocorreu agora em maio de 2008, em Porto Alegre. O próximo encontro será realizado em 2009, na cidade de São Carlos, em data a ser definida pelos participantes. Do ponto de vista institucional e estratégico, o objetivo principal do Grupo consiste justamente em consolidar essa pequena rede de jovens pesquisadores, permitindo encontros ainda mais constantes, de modo a tornar o diálogo ainda mais efetivo. Reuniões de trabalho e mini-curos serão realizadados na UFBA, junto ao Grupo de Estudos Kant, de modo que seu impacto se faça sentir também no Programas de Pós-Graduação e Curso de Graduação dessa Instituição. É preciso ressaltar que o programa terá então forte impacto na UFBA, instituição sede, onde o coordenador, desde 2002, realiza, com regularidade, seminários semanais sobre a filosofia de Kant. O Grupo Kant conta hoje com um site em construção e em endereço provisório, onde divulga suas atividades e disponibiliza material resultante de pesquisas em andamento: www.kant.dominiotemporario.com Com o projeto, e com a alocação na UFBA do material permanente aqui adquirido, as condições para pesquisas receberão forte incremento, contribuindo assim para elevar ainda mais o padrão de qualidade que tem s.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Daniel Tourinho Peres - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2006 - 2008
Estudos de Filosofia Moderna e Contemporânea
Descrição: Os pesquisadores envolvidos neste projeto compartilham de uma mesma compreensão da relação entre filosofia e história da filosofia, que pode ser bem expressa na seguinte afirmação de Vuillemin: "Eu procurei reconstituir o pensamento kantiano sem nada acrescentar de minha parte, crendo entretanto que a história da filosofia nada valeria se não nos conduzisse a uma reflexão sobre nosso mundo atual" (Vuillemin, Jules, Physique et Métaphysique Kantienne, Paris, PUF, 1948, p. 2). Ou seja, compreendemos, com Vuillemin, a relevância filosófica da história da filosofia, pois sabemos bem que critérios precisos de elevada qualidade argumentativa e de rigoroso procedimento analítico foram desenvolvidos segundo tal incursão paciente à obra clássica e que está, apesar de poder estar circunscrita no campo que se costuma denominar de filosofia moderna não deixa de ter seu impacto e relevância para a compreensão da contemporaneidade.Daí a proposta de fortalecimento do diálogo aqui proposto, que já se mostra efetivo no interior do Grupo de Pesquisa/CNPq ?Estudos de Filosofia Moderna e Contemporânea?, sediado na Universidade Federal da Bahia, e que realiza de modo contínuo os ?Seminários Kant? e o Grupo de Estudos ?Empirismo, Fenomenologia e Gramática?. Os dois pesquisadores principais aqui envolvidos descrevem a seguir, de modo resumido, sua a problemática de sua atividade de pesquisa:.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Daniel Tourinho Peres - Coordenador / João Carlos Salles Pires da Silva - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 6 / Número de orientações: 3
2005 - 2013
Imanência e Transcendência na Filosofia Prática de Kant
Descrição: A pesquisa tem como objetivo analisar os momentos de imanência e de transcendência da filosofia prática de Kant, em especial de sua filosofia da história, que tem como principal fio condutor a idéia de direito. É a dupla perspectiva com que opera a filosofia da história que marca a especificidade do modo como Kant compreende a relação entre direito natural, direito positivo, e política, está última que ele afirma ser a doutrina do direito posta em prática. Trata-se então de prosseguir na Investigação do formalismo kantiano, seguindo os seguintes passos: 1) análise da problemática da lei permissiva e seu vínculo com a noção de progresso, modo como Kant pensa a realização, a institucionalização do direito racional; 2) a análise do sentido de justiça, figura da reflexão que comparece no § 40 da Crítica da Faculdade de Julgar, que deve ser considerada tanto de uma perpectiva imanente, como resultado da reflexão sobre soluções determinadas acerca de conflitos de justiça, mas também, enquanto idéia, deve igualmente ser considerada de uma perspectiva transcendente, ou melhor, transcendental, porque condição de possibilidade para soluções de conflito acerca do justo e do injusto. Que tal solução seja também ela precária; que deva, portanto, ser corrigida, nos leva a 3) considerar o modo como Kant pensa a formação do juízo, que deve sempre levar em conta seus erros e acertos, formação esta, para ser bem sucedida, não deve se dar no interior de uma subjetividade isolada, mas que, ao incorporar a perspectiva do outro - como potencial elemento conflito - e se mostra intersubjetiva..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Especialização: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Daniel Tourinho Peres - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 10
2004 - 2005
Kant, a racionalidade prática e a filosofia política
Descrição: O projeto tem como objetivo viabilizar o intercâmbio efetivo de pesquisadores de duas instituições de pesquisa e ensino, localizadas em diferentes Estados da Federação: Mestrado em Filosofia da Universidade Federal da Bahia e Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP). Os pesquisadores aqui reunidos compartilham uma série de interesses sobre temas da filosofia e da racionalidade, em particular sobre Kant e a tradição que tem nele a sua origem. Porém, com tal projeto, mais do que um diálogo sobre um ponto específico da história da filosofia, o que se pretende é fortalecer e criar condições para a boa realização de pesquisa que se integra na linha Filosofia Política e Teoria Social do Mestrado em Filosofia da UFBA, que aqui está então representado por um pesquisador e seus orientandos, os quais atuam no seu interior, e que então passam a ser parceiros, na execução desse projeto, de um centro interdisciplinar de pesquisa em Ciências Humanas de reconhecida importância, principalmente por sua contribuição à excelência no trabalho em filosofia. Tal projeto se revela importante se considerarmos ainda que o Mestrado em Filosofia da UFBA se encontra ainda em fase de consolidação. Aqui estão previstos intercâmbio e missões de trabalho de ambas as equipes, a realização de seminários, mini-cursos, um Colóquio sobre tema relevante para o grupo, e ainda a formação de uma pequena biblioteca especializada. Tais atividades sem dúvida terão, para a comunidade de pesquisa filosófica na Bahia, um impacto positivo na consolidação de um padrão de elevada competência acadêmica, e se fará sentir tanto na Graduação como na Pós-graduação em Filosofia da UFBA..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (3) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Daniel Tourinho Peres - Coordenador / Rogério Soares Mascarenhas - Integrante / Luis Fernando Conceição Pereira - Integrante / Roberto Rivelino Evangelista - Integrante / Ronney Costa Greve - Integrante / Ilo Alves dos Santos - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 6 / Número de orientações: 3
2003 - 2004
A política nos limites da simples razão
Descrição: A pesquisa tem como tema certos aspectos da filosofia prática de Kant, notadamente sua filosofia política, e isso no que ela possui de vínculo sistemático tanto com a sua filosofia da história como com a sua antropologia. Investiga-se assim o formalismo kantiano, analisando justamente os momentos de passagens (Übergangen) que se vão construindo no interior do sistema, quando então conceitos práticos, representações refletidas e discursivas, encontram sua via de aplicação ao empírico. Dentro dessa perspectiva, alguns conceitos merecem um destaque particular. Dentre eles, por exemplo, tem-se o conceito de um necessário uso público da razão, que, em À Paz Perpétua, Kant afirma ser o princípio transcendental da política, ou melhor, do direito político. Ora, tal conceito acaba por se mostrar como a regra da reflexão para todo uso público empírico da razão, o qual irá se revelar então, na medida de sua institucionalização em uma esfera pública de discussão, como os casos em que as unidades analíticas discursivas puras efetuam suas sínteses. Assim, sem abrir mão do formalismo, cuida-se de mostrar que de maneira alguma se trata de um formalismo vazio, pois os princípios práticos são procedimentos de universalização das pretensões, essas sim materialmente determinadas. Pretende-se assim mostrar, sob novo ângulo, o vínculo entre a reflexão em direção ao princípios sintéticos a priori políticos-jurídicos (instância normativa), reflexão que adquire originariamente as unidades discursivas puras, e as sínteses historicamente determinadas (momento de efetividade). Pois a reflexão, assim nos parece, toma como objeto os esquemas (Schemata), os símbolos historicamente constituídos, e que portanto trazem em si certa precariedade; mas eis que tais esquemas devem ser justamente corrigidos quando da sua comparação, na reflexão, com o seu modelo originário, isto é, com o seu modelo em idéia, forma da faculdade prática de julgar..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Daniel Tourinho Peres - Coordenador / Luis Fernando Conceição Pereira - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 8 / Número de orientações: 1


Membro de corpo editorial


2007 - Atual
Periódico: Cadernos de Filosofia Alemã
2005 - Atual
Periódico: Cadernos PET-Filosofia (UFPR)


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: História da Filosofia/Especialidade: Filosofia Alemã.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: História da Filosofia/Especialidade: Filosofia Geral.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: História da Filosofia/Especialidade: Filosofia Política.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Metafísica.


Idiomas


Francês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.
Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.
Alemão
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
PERES, D. T.2017PERES, D. T.. Reflexão e Normativismo em Kant. CADERNOS DE FILOSOFIA ALEMÃ, v. 22, p. 103-113, 2017.

2.
PERES, D. T.2011PERES, D. T.. Notas sobre o déficit teórico da imaginação sociológica na filosofia da história de Kant. Dois Pontos (UFPR), v. 8, p. 113-126, 2011.

3.
PERES, D. T.2008PERES, D. T.. Imagination and Practical Reason. Kant e-Prints (Online), v. 3, p. 293-296, 2008.

4.
PERES, D. T.2008 PERES, D. T.. Imaginação e razão prática. Analytica (UFRJ), v. 12, p. 99-130, 2008.

5.
PERES, D. T.2004 PERES, D. T.. Direito, História e Esquematismo Prático. Discurso. Departamento de Filosofia da FFLCH da USP, São Paulo, v. 34, p. 109-124, 2004.

6.
PERES, D. T.2002PERES, D. T.. O soberano como idéia e a filosofia como uso público da razão. Cadernos de Ética e Filosofia Política (USP), São Paulo, v. 4, p. 99-114, 2002.

7.
PERES, D. T.1999PERES, D. T.. Kant e a política como realização do direito. Cadernos de Ética e Filosofia Política (USP), São Paulo, v. 1, p. 67-78, 1999.

8.
PERES, D. T.1998PERES, D. T.. Imperativo categórico e Doutrina do Direito. Cadernos de Filosofia Alemã, São Paulo, v. 4, p. 43-64, 1998.

9.
PERES, D. T.1992PERES, D. T.. Kant: razão e finitude. Revista de Filosofia e Ciências Humanas, Salvador, v. 3, p. 141-148, 1992.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
PERES, D. T.; MATTOS, F. C. (Org.) ; REPA, L. S. (Org.) ; Nobre, M. (Org.) ; LOPES, M. (Org.) ; KEINERT, M. (Org.) ; MELO, R. S. (Org.) . Tensões e Passagens - Filosofia Crítica e Modernidade: uma homenagem a Ricardo Terra. 1. ed. São Paula: Esfera Pública, 2007. v. 1. 290p .

2.
PERES, D. T.. Justiça, Virtude e Democracia. Salvador: Quarteto, 2006.

3.
PERES, D. T.. Kant: Metafísica e Política. Salvador: Edufba, 2004. v. 1. 169p .

Capítulos de livros publicados
1.
PERES, D. T.. La philosophie kantienne de l'histoire entre la rhétorique et la connaissance objective. In: Graptte, Sophie; Ruffing, Margit; Terra, Ricardo. (Org.). Kant, la raison pratique: concepts et héritages. 1ed.Paris: Vrin, 2015, v. , p. 343-352.

2.
PERES, D. T.. Kant, a natureza humana e os limites da ação. In: Leonel Ribeiro dos Santos. (Org.). Que é o homem? Antropologia, Estéica e Teleologia em Kant. Lisboa: Universidade de Lisboa, 2010, v. , p. 717-724.

3.
PERES, D. T.. Direito, História e Política em Kant. In: Alexandre Travassoni. (Org.). Kant e o Direito. 1ed.Belo Horizonte: Mandamentos, 2009, v. , p. 629-649.

4.
PERES, D. T.. Notas sobre Direito, Política e Religião em Kant. In: STORCK, A.; LISBOA, W. B.. (Org.). Norma, moralidade e interpretação: temas de filosofia política e do direito. Porto Alegre: Linus, 2009, v. , p. 105-110.

5.
PERES, D. T.. A filosofia kantiana da história entre a retórica e o conhecimento objetivo. In: Clélia Martins e Ubirajara Rancan. (Org.). Kant e o kantismo: heranças interpretativas. São Paulo: Brasiliense, 2009, v. , p. 219-230.

6.
PERES, D. T.. Kant et le sens de la justice. In: Ricardo Terra. (Org.). Recht und Frieden in der Philosophie Kants. Berlin: Walter de Gruyter, 2008, v. , p. 625-633.

7.
PERES, D. T.. Juízo estético, juízo político e imaginação em Kant. In: João Carlos Salles. (Org.). Pesquisa e Filosofia. Salvador: Quarteto, 2007, v. , p. 93-106.

8.
PERES, D. T.. Notas sobre Hannah Arendt leitora de Kant. In: Adriano Correia. (Org.). Hannah Arednt e a Condição Humana. Salvador: Quarteto, 2006, v. , p. 303-314.

9.
PERES, D. T.. Kant e o sentido de justiça. In: Daniel Touirnho Peres. (Org.). Justiça, Virtude e Democracia. Salvador: Quarteto, 2006, v. , p. 43-52.

10.
PERES, D. T.. Senilidade Kantiana. In: João Carlos Salles. (Org.). Schopenhauer e o Idealismo. Salvador: Quarteto, 2004, v. , p. 35-44.

11.
PERES, D. T.. Kant: Filosofia e Política. In: Eduardo Chagas Oliveira. (Org.). Filosofia Política e Teoria Social. Feira de Santana: Universidade Estadual de Feira de Santana, 2001, v. 1, p. 09-26.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
PERES, D. T.. Kant e os combates da razão. A Tarde Cultural, Salvador, p. 2 - 3, 02 nov. 1991.

2.
PERES, D. T.. De Quincey: a lógica de um pensador trágico. A Tarde Cultural, Salvador, p. 4 - 5, 20 abr. 1991.

3.
PERES, D. T.. Montaigne: da morte e da vida.. A Tarde Cultural, Salvador, p. 12 - 12, 17 nov. 1990.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
PERES, D. T.. Kant, a natureza humana e os limites da ação. In: Was ist des Mencsh Que é o homem? Antropologia, Estética e teleologia em Kant, 2010, Lisboa. Was ist des Mencsh Que é o homem? Antropologia, Estética e teleologia em Kant.. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2009. p. 717-723.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
PERES, D. T.. Kant, a esfera pública e a formação de juízos políticos. In: XII Encontro Nacional da ANPOF, 2006, Salvador. Atas do XII Encontro Nacional da ANPOF. Salvador: Edufba, 2006. p. 130-130.

2.
PERES, D. T.. Kant et le sens de la justice. In: X Congresso Kant Internacional, 2005, São Paulo. X Internationale Kantkongress, 2005. v. I.

3.
PERES, D. T.. Filosofia da História e Esquematismo Prático. In: XI Encontro Nacional de Filosofia, 2004, Salvador. XI Encontro Nacional de Filosofia - Livro de Atas. Salvador: EDUFBA, 2004. v. 1. p. 118-119.

4.
PERES, D. T.. Imanência e Transcendência da razão prática em Kant. In: V Semana de Filosofia - UESC, 2003, Ilhéus. V Semana de Filosofia - UESC - Livro de Resumos. Salvador: Edufba, 2003. v. 1. p. 42-42.

5.
PERES, D. T.. Autonomia, independência e propriedade em Kant. In: X Encontro Nacional de Filosofia da Anpof, 2002, São Paulo. Atas do X encontro Nacional de Filosofia da Anpof. Campinas: Anpof, 2002. p. 325-325.

6.
PERES, D. T.. Kant e a política como realização do direito. In: VIII Encontro Nacional de Filosofia da ANPOF, 1998, Caxambu. Livro de Resumos. Campinas, 1998. p. 88-88.

7.
PERES, D. T.. Imperativo categórico e doutrina do direito. In: VII Encontro Nacional de Filosofia da ANPOF, 1996, Águas de Lindoia. Livro de Resumos, 1996. p. 57-58.

8.
PERES, D. T.. Paixão e Liberdade em Kant. In: XI seminário estudantil de pesquisa, 1992, Salvador. Resumos do XI Seminário Estudantil de Pesquisa, 1992. p. 140-140.

Artigos aceitos para publicação
1.
PERES, D. T.. Sobre o défict da imaginação sociologica. Dois Pontos (UFPR), 2012.

Apresentações de Trabalho
1.
PERES, D. T.. Kant: representação política e governo republicano. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
PERES, D. T.. Kant: Hegemonia e Representação Política. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
PERES, D. T.. Kant: imagem e política. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
PERES, D. T.. Kant e o Conflito das Faculdades. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
PERES, D. T.. Sobre os conceitos de homem e pessoa em Kant. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
PERES, D. T.. Metaphysics, History and Politics: The work of imagination. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
PERES, D. T.. Imagination and Practical Reason. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

8.
PERES, D. T.. Imaginação e Razão Prática. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

9.
PERES, D. T.. Kant, Lei Moral e Natureza Humana. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

10.
PERES, D. T.. Jacobi: David Hume, ou sobre a crença. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

11.
PERES, D. T.. Juízo Político e Juízo Estético em Kant. 2007. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

12.
PERES, D. T.. Kant, a natureza humana e os limites da ação. 2007. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

13.
PERES, D. T.. Schelling: Cartas filosóficas sobre o dogmatismo e o criticismo. 2007. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

14.
PERES, D. T.. Imaginação e Razão Prática. 2007. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

15.
PERES, D. T.. Kant e a Revolução Francesa. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

16.
PERES, D. T.. Kant, a esfera pública e a formação de juízos políticos. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

17.
PERES, D. T.. A filosofia kantiana da história entre a retórica e o conhecimento objetivo. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

18.
PERES, D. T.. Sentimento do sublime e reflexão. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

19.
PERES, D. T.. A Doutrina da Ciência de. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

20.
PERES, D. T.. História e Política em Kant. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

21.
PERES, D. T.. Kant et le sens de la justice. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
PERES, D. T.. Kant e a Crítica da Razão Prática. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

23.
PERES, D. T.. Sentido de justiça, reflexão e determinação. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

24.
PERES, D. T.. Sentido de justiça, autonomia e responsabilidade. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

25.
PERES, D. T.. Filosofia da História e Esquematismo Prático. 2004. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

26.
PERES, D. T.. Notas sobre Hannah Arendt leitora de Kant. 2004. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

27.
PERES, D. T.. Senilidade Kantiana. 2003. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

28.
PERES, D. T.. Autonomia, independência e propriedade em Kant. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

29.
PERES, D. T.. O juízo jurídico e o problema da determinação da propriedade. 2001. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

30.
PERES, D. T.. Direito, História e Política em Kant. 2000. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

31.
PERES, D. T.. O soberano como idéia e a filosofia como uso público da razão. 2000. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

32.
PERES, D. T.. Kant e a política como realização do direiro. 1998. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

33.
PERES, D. T.. A distinção entre direito e virtude em Kant. 1997. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

34.
PERES, D. T.. Imperativo Categórico e Doutrina do Direito. 1996. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

35.
PERES, D. T.. Paixão e Liberdade em Kant. 1992. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).


Demais tipos de produção técnica
1.
PERES, D. T.; FRATESCHI, Y. A. ; DALAQUA, G. H. ; VARDEN, H. ; MELO, R. S. ; CONSANI, C. F. ; LISBOA, W. B. ; STIVAL, M. L. ; DANNER, L. F. ; LANDEMORRE, H. . Dois Pontos: Representação Política. 2016. (Editoração/Periódico).

2.
Louzado, Gerson ; Gonçalves, R. G. C. ; PERES, D. T. . Kant. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

3.
PERES, D. T.. Tópicos de Filosofia Política VII: Filosofia Política e Contempraneidade. 2005. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

4.
PERES, D. T.; TERRA, Ricardo Ribeiro ; FIGUEIREDO, Vinícius de ; MENEZES, Edmilson . A filosofia de Kant. 2004. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
FIGUEIREDO, Vinícius Berlendis de; Perez D. O.; Bocca, F.; PERES, D. T.. Participação em banca de Leyserée Adriene F. Xavier. O imperativo categórico e o superego freudiano. 2008. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná.

2.
SILVA, João Carlos Salles Pires da; LECLERC, A.; PERES, D. T.. Participação em banca de Reynaldo de Oliveira Santos. Experiência e Linguagem em Locke. 2007. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia.

3.
TERRA, Ricardo Ribeiro; Pimenta, Pedro Paulo; PERES, D. T.. Participação em banca de Bruno Nadai. Teleologia e história em Kant: a idéia de uma história universal de um ponto de vista cosmopolita. 2007. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade de São Paulo.

4.
SOUZA, José Crisóstomo de; ARAUJO, L. B. L.; PERES, D. T.. Participação em banca de Alexsandra Andrade Santanta. A segunda posição originária: Rawls e o direito dos povos. 2006. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia.

5.
PERES, D. T.; FIGUEIREDO, Vinícius Berlendis de; MENEZES, Edmilson. Participação em banca de Paulo Andrade Gomes. Democracia e Estado Liberal. 2005. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia.

6.
PERES, D. T.; CACCIOLA, M. L. M. O.; TERRA, R. R.. Participação em banca de Paulo Roberto Pinheiro da Silva. A liberdade e a passagem do teórico para o prático em Kant. 2003. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade de São Paulo.

Teses de doutorado
1.
SOUZA, José Crisóstomo de; Berten, Andre; CORREIA, A.; Lino, Pedro; PERES, D. T.. Participação em banca de Ilca Santos de Menezes. A atualização do conceito de cidadania, frente aos desafios do multiculturalismo globalização, na filosofia de Jürgen Habermas. 2018. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia.

2.
BORGES, M. L.; HAMM, C.; PINZANI, A.; EULER, W.; PERES, D. T.. Participação em banca de Joel Thiago Klein. Kant e a ideia de uma história universal nos limites da razão. 2012. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Federal de Santa Catarina.

3.
TERRA, R. R.; CACCIOLA, Maria Lúcia Mello de Oliveira; PERES, D. T.; Pimenta, Pedro Paulo; SANTOS, P. R. L.. Participação em banca de Maurício Cardoso Keinert. Crítica e Autonomia: a forma legislçativa entre Determinação e Reflexão. 2007. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade de São Paulo.

4.
PERES, D. T.; CACCIOLA, Maria Lúcia Mello de Oliveira; TERRA, Ricardo Ribeiro; HAMM, Christian Viktor; MACEDO JUNIOR, Ronaldo Porto. Participação em banca de José Humberto de Brito Cruz. Autonomia e Obediência: o Problema do Direito de Resistência na Filosofia Moral e Política de Immanuel Kant. 2004. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade de São Paulo.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
PERES, D. T.; SOUZA, José Crisóstomo de; MENEZES, Edmilsno Santos. Participação em banca de Daniel Santos Solter.Autoconsciência e liberdade em Hegel. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia.

2.
PERES, D. T.; SILVA, João Carlos Salles Pires da; FERREIRA, Acylene Maria Cabral. Participação em banca de Geovana da Paz Monteiro.Descartes e os dados dos sentidos. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia.

3.
PERES, D. T.; SOUZA, José Crisóstomo de; MOURA, Mauro Castelo Branco de. Participação em banca de Jeudy Machado de Aragão.A desigualdade entre os homens segundo J. J. Rousseau. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia.

4.
PERES, D. T.; SILVA, João Carlos Salles Pires da; FERREIRA, Acylene Maria Cabral. Participação em banca de Reynaldo de OLiveira Santos.A fonte das idéias em Locke: o tratamento da percepção. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia.

5.
PERES, D. T.; SOUZA, José Crisóstomo de; MOURA, Mauro Castelo Branco de. Participação em banca de Maria de Fátima Ferreira Pinto.A questão da servidão voluntária em Etienne de la Boétie. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia.

6.
PERES, D. T.; SOUZA, José Crisóstomo de; MOURA, Mauro Castelo Branco de. Participação em banca de Alexsandra Andrade Santana.A relação entre os Estados autônomos na teoria de Thomas Hobbes. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
PERES, D. T.; STORCK, Alfredo; FONSECA, Thelma Lessa da. Concurso para Prof. Assistente. 2006. Universidade Federal da Bahia.

2.
PERES, D. T.; BARBOSA FILHO, Balthazar; PERINI, Marcelo. Concurso para Prof. Adjunto. 2005. Universidade Federal da Bahia.

3.
PERES, D. T.; SILVA FILHO, Waldomiro; BATISTINI, Cesar. Concurso para Prof. Adjunto. 2005. Universidade Estadual de Santa Cruz.

Outras participações
1.
PERES, D. T.; SOUZA, José Crisóstomo de; LEITE, José Lorenço. Seleção para Prof. Substituo. 2004. Universidade Federal da Bahia.

2.
PERES, D. T.; SANTOS, J. A. S. R.; PEREIRA, R. C.. Seleção para Prof. Substituto. 2003. Universidade Federal da Bahia.

3.
PERES, D. T.; SILVA FILHO, W. J.; COUTO, E. S.. Seleção para aluno regular do Mestrado em Filosofia - UFBA. 2003. Universidade Federal da Bahia.

4.
PERES, D. T.; UNGER, N. M.; SANTOS, J. A. S.. Seleção para Prof. Substituto. 2002. Universidade Federal da Bahia.

5.
PERES, D. T.; PEREIRA, R. C.; MOURA, Mauro Castelo Branco de. Seleção para Prof. Substituto. 2002. Universidade Federal da Bahia.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
X Colóquio Lógica e Ontologia.Debatedor de trabalho apresentado. 2007. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
PERES, D. T.; VITALE, D. ; STORCK, Alfredo ; FRATESCHI, Y. A. ; LOPES, M. . IV Colóquio Justiça, Virtude e Democracia: Representação Política. 2014. (Congresso).

2.
PERES, D. T.. Entlightenment e Aufklärung. 2008. (Congresso).

3.
PERES, D. T.. IV Colóquio Kant: reflexão e determinaçào. 2007. (Outro).

4.
PERES, D. T.. Colóquio Justiça, Virtude e Democracia. 2005. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
JOÃO PAULO RIBEIRO RODRIGUES. A definir. Início: 2018. Dissertação (Mestrado profissional em Relações Internacionais) - Universidade Federal da Bahia. (Orientador).

2.
Vanessa Duarte Mesa. Teatro e Política. Início: 2018. Dissertação (Mestrado profissional em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

3.
Reinaldo Batista dos Santos Filho. O problema da autoridade no pensamento de Hannah Arendt. Início: 2018. Dissertação (Mestrado profissional em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Laio Bispo. Sobre o conceito de biopolítica. Início: 2017. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Gabriel Santiago. Sobre o debate Schmitt e Kelsen. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Direito) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Mario Bastos. A PESSOA LIVRE E OS LABIRINTOS DA LIBERDADE. 2016. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

2.
Everton Mendes Francelino. John Rawls e a fundamentação dos direitos. 2016. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

3.
Moisés Moreira Vieira. BIOPOLÍTICAS DE EXCLUSÃO. 2016. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) - Universidade Federal da Bahia, . Orientador: Daniel Tourinho Peres.

4.
Monica Maria Cravo. A política nos limites da simples razão. 2013. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

5.
Tiago Dorea Pereira. A síntese na analítica dos conceitos. 2011. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

6.
Roberto Rivelino Evangelista da Silva. A relação entre o supra-sensível e o sensível : estética e teleologia na filosofia kantiana da história. 2006. 167 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

7.
Ronney Costa Greve. Qual Liberalismo? Individualismo e republicanismo em Tocqueville. 2006. 0 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, . Orientador: Daniel Tourinho Peres.

8.
Rogério Soares Mascarenhas. As paixôes em David Hume. 2005. 120 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

Tese de doutorado
1.
Luis Marcelo Rusmando. O problema da substância única em Espinosa: da conciliação do múltiplo à unicidade do diverso, sob a perspectiva do Breve tratado e da Ética. 2017. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

2.
Ricardo Calheiros Pereira. Foucault e a epistemologia. 2016. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, . Orientador: Daniel Tourinho Peres.

3.
Alan Sampaio. Nietzsche e a História. 2015. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, . Orientador: Daniel Tourinho Peres.

4.
Pedro Jonas Almeida. Kant e o ideal da razão. 2015. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, . Orientador: Daniel Tourinho Peres.

5.
Roberto Rivelino Evangelista da Silva. Metafísica e Experiência: Limites da Razão e Filosofia Prática em Leibniz. 2013. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, . Orientador: Daniel Tourinho Peres.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Thiago Santana Fonseca. Kant e a Revolução Francesa: direito de resistência e entusiasmo. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

2.
Jacques Luis Dias Alves. A doutrina do direito de Kant. 2004. 25 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

Iniciação científica
1.
Rafael Augusto Machado Sera. Kant:liberalismo e utilitarismo. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

2.
Cainan Anjos Meira. Sobre o Belo como Simbolo da Moralidade. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Direito) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

3.
Cristiane dos Santos. Sobre a vontade boa na filosofia moral de Kant. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Interdisciplinar em Humanidades) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

4.
Rafael Augusto Machado Serra. Sobre o papel do conflito na filosofia política de Kant. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

5.
Gabriel de Souza Pinheiro. Ética e Direito em Kant. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

6.
André Luiz Marques Souza. A noção kantiana de racionalidade. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

7.
Bruna Frascola Bloise. A antropologia de Rousseau. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

8.
Bruna Frascolla Bloise. O racionalismo político de Rousseau. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

9.
Thiago Santana Fonseca. Lógica Formal e Transcendental. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

10.
Monica Cravo. Kant, Neumann e a Teoria Crítica do Direito. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em Direito) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

11.
Thiago Fonseca. Lógica Formal e Lógica Transcendetal em Kant. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

12.
Mônica Cravo. Imperativo categórico e formulação da humanidade como fim em sim. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Direito) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

13.
Naara Lima Azevedo. Direito Natural e Direito Positivo em Kant. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Direito) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

14.
Mônica Cravo. Moral e Direito em Kant. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Direito) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

15.
Naara Lima Azevedo. Moral, Ética e Direito em Kant. 2006. 0 f. Iniciação Científica. (Graduando em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

16.
Rafael Grimaldi Neto. Kant: Reflexão e Analogia. 2005. 0 f. Iniciação Científica. (Graduando em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

17.
Ilo Alves dos Santos. Juízo Estético e Juízo Político em Kant. 2004. 15 f. Iniciação Científica. (Graduando em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.

18.
Luis Fernando Conceição Pereira. A política nos limites da simples razão. 2003. 0 f. Iniciação Científica. (Graduando em Filosofia) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Daniel Tourinho Peres.




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/11/2018 às 21:06:50