Marcia Sueli Amantino

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2233504271082722
  • Última atualização do currículo em 09/10/2018


Possui graduação em Historia pela Universidade Federal Fluminense (1992), mestrado (1996) e doutorado (2001) em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestrado (2016) em História do Império Português pela Universidade Nova de Lisboa e pos-doutoramento pela Universidade Federal de Minas Gerais (2009-2010) e pela Universidade de Évora, Portugal (2012). É professora e coordenadora do Programa de Pós Graduação da Universidade Salgado de Oliveira. Lidera o Grupo de Pesquisa do CNPq intitulado Sociedades escravistas nas Américas. É membro pesquisador também do Grupo de Pesquisa do CNPq "Jesuítas nas Américas", liderado pela prof. Maria Cristina Bohn Martins (UNISINOS), do Grupo de Pesquisa Escravidão e mestiçagens: escravidão, comércio e trânsitos culturais nos sertões da Bahia e de Minas Gerais, século XVIII, liderado por Isnara Pereira Ivo (UNESB) e do Grupo de pesquisa Eclésia (Unirio), liderado pelo prof. Anderson José Machado de Oliveira. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil Colônia. Atua principalmente nos seguintes temas: Companhia de Jesus, cultura, escravidão negra e indígena, Rio de Janeiro e Minas Gerais. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Marcia Sueli Amantino
Nome em citações bibliográficas
AMANTINO, Marcia

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Salgado de Oliveira, Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.
Rua Marechal Deodoro 211
Centro
24030060 - Niterói, RJ - Brasil
Telefone: (21) 21384926
URL da Homepage: http://www.universo.edu.br


Formação acadêmica/titulação


1997 - 2001
Doutorado em História Social.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Título: O mundo das feras: os moradores do Sertão Oeste de Minas Gerais: século XVIII, Ano de obtenção: 2001.
Orientador: Manolo Garcia Florentino.
Palavras-chave: quilombos; fronteiras; sertão; civilização; índios.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil.
Setores de atividade: Educação Superior.
2013 - 2016
Mestrado em História do Império POrtuguês.
Universidade Nova de Lisboa, UNL, Portugal.
Título: O Engenho Velho: uma propriedade agrária da Companhia de Jesus no Rio de Janeiro colonial,Ano de Obtenção: 2016.
Orientador: Pedro Cardim.
Coorientador: Paulo Teodoro de Matos.
Palavras-chave: Companhia de Jesus; Fazendas; escravidão; economia.
1993 - 1996
Mestrado em História Social.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Título: O mundo do fugitivo: Rio de Janeiro- século XIX,Ano de Obtenção: 1996.
Orientador: Manolo Garcia Florentino.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: escravidão; quilombos; rebeldia negra.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil / Especialidade: História do Brasil Colônia.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil / Especialidade: História do Brasil Império.
Setores de atividade: Educação Superior.
2006 - 2007
Especialização em Formação de tutor on-line. (Carga Horária: 500h).
Università Ca' Foscari Venezia, UNIVE, Itália.
Título: Fundamentos teorico-metodologico do projeto Alfa Miforcal.
1987 - 1992
Graduação em Historia.
Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.


Pós-doutorado


2012 - 2012
Pós-Doutorado.
Universidade de Évora, UE, Portugal.
Grande área: Ciências Humanas
2009 - 2010
Pós-Doutorado.
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas


Atuação Profissional



Université Paris-Ouest Nanterre la Défense, PARIS OUEST, França.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidade Salgado de Oliveira, UNIVERSO, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Titular na graduação de História, Carga horária: 4
Outras informações
Disciplinas História do Brasil I e Produção Científica na graduação do curso de História EAD

Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: coordenadora do PPGH, Carga horária: 20

Vínculo institucional

2006 - Atual
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor Titular do Mestrado em História, Carga horária: 40

Vínculo institucional

2000 - 2006
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor titular da graduação em História, Carga horária: 40

Atividades

02/2014 - Atual
Direção e administração, Pró-reitoria de pós-graduação e pesquisa, .

Cargo ou função
coordenação do programa de pós graduação.
2006 - Atual
Ensino, Mestrado em História do Brasil, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Cultura, etnicidade e Sociedade brasileira
Desempenhando múltiplos papeis: os jesuítas na América Portuguesa
Escravidão e Sociedade
Relações étnicas e sociedade
Seminário de Linha de Pesquisa
Seminário de Pesquisa I
Sociedades escravistas nas Américas
03/2005 - Atual
Serviços técnicos especializados , Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, .

Serviço realizado
Parecerista de projetos de iniciação científica.
03/2005 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Conselho Universitário, .

Cargo ou função
Membro do Comitê de ética CEP/UNIVERSO.
2/2004 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Pró-reitoria de pós-graduação e pesquisa, .

2004 - Atual
Ensino, Pos Graduação Lato Sensu em História do Brasil, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
Formação da sociedade brasileira
Historiografia do Brasil Colônial
Metodologia da pesquisa histórica
O século XVIII: a mineração e a formação de uma nova sociedade
Orientação monográfica sobre Colônia
03/2005 - 07/2006
Direção e administração, Reitoria, .

Cargo ou função
Diretora de Pós Graduação e Pesquisa.
9/2000 - 7/2006
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da África
história do Brasil colonial
Historiografia
Historiografia brasileira
Introdução aos estudos históricos
Vivência e prática da docência
2004 - 2006
Direção e administração, Reitoria, .

Cargo ou função
Coordenador de Curso de Pós Graduação Lato Snsu.
02/2004 - 02/2005
Outras atividades técnico-científicas , Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.

Atividade realizada
Coordenadora de Pós Graduação.
04/2002 - 06/2004
Direção e administração, Reitoria, .

Cargo ou função
Coordenador de Curso.

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - Atual
Vínculo: pesquisador-colaborador, Enquadramento Funcional: Membro do Grupo de Pesquisa
Outras informações
Membro pesquisador-colaborador do Grupo de Pesquisa Unesb/CNPq "Escravidão e mestiçagens: escravidão, comércio e trânsitos culturais nos sertões da Bahia e de Minas Gerais, século XVIII sob a liderança de Isnara Pereira Ivo.

Vínculo institucional

2007 - Atual
Vínculo: pesquisador- colaborador, Enquadramento Funcional: Membro de Grupo de Pesquisa
Outras informações
Membro pesquisador-colaborador do Grupo de Pesquisa UFMG/CNPq "Escravidão e mestiçagens" sob a liderança de Eduardo França Paiva.

Vínculo institucional

2005 - Atual
Vínculo: Líder de Grupo de pesquisa, Enquadramento Funcional: Líder de Grupo de pesquisa, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Em função da incorporação de novos pesquisadores e temas o grupo Sociedade Escravista no Centro Sul brasileiro alterou seu nome em outubro de 2010 para Sociedades escravistas nas Américas. Entende-se a sociedade escravista como aquela em que o cativeiro foi o principal definidor dos valores, hierarquias e vivências de seus diferentes grupos e instituições. Projetos e atividades: 1. digitalização, conservação e análise de fontes no município de Macaé. Trata-se de fontes eclesiásticas e jurídicas e o acervo engloba o final do século XVIII e todo o seguinte. Esta documentação faz parte do acervo do Laboratório de documentação histórica - LADOCH sediado na Universidade Salgado de Oliveira. Este laboratório congrega não só acervos documentais como também material bibliográfico. Além disto, é um espaço de discussão sobre análises que envolvem temas desenvolvidos pelos membros do grupo de pesquisa. 2. Evento "1o. Encontro Macaé em fontes primárias: escravidão, cultura e sociedade" na cidade de Macaé (30/10 a 1/11 de 2007) onde se discutiu algumas pesquisas que estavam sendo desenvolvidas por seus membros. O evento gerou um caderno de resumos, Anais e em maio de 2011 foi lançado o livro intitulado Povoamento, catolicismo e escravidão na antiga Macaé, séculos XVII ao XIX. 3. Exposição de imagens produzidas por Rugendas e Debret acerca de indígenas na referida cidade (2008). 4. Curso de extensão sobre a temática indígena na região. 5. 1o. Encontro sobre Fontes Históricas: abordagens, narrativas e concepções teóricas na cidade de Cachoeiras de Macacu, cujo resultado foi publicado nos anais do evento (3/2008). 6. Curso de extensão com 32 horas intitulado "África, escravidão e sociedades indígenas"(julho e agosto de 2008). 7. Em maio de 2009 foi realizado o encontro do grupo contando com a apresentação de quatorze trabalhos. Apresentaram comunicações alunos de variados cursos de pós- graduação em História do Estado do Rio de Janeiro (UFF, UFRJ, UERJ, UNIVERSO, PUC e outros).


Rede de Grupos de Pesquisa Escravidão e Mestiçagens, RGPEM, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - Atual
Vínculo: coordenador, Enquadramento Funcional: pesquisador, Carga horária: 20
Outras informações
A Rede de Grupos de Pesquisa Escravidão e Mestiçagens foi fundada em 27 de outubro de 2014, em Mariana, MG, por Eduardo França Paiva, Isnara Pereira Ivo e Marcia Amantino, que a co-coordenam e que lideram, respectivamente, os seguintes grupos de pesquisa cadastrados no CNPq: Grupo de Pesquisa CNPQ-UFMG Escravidão, mestiçagem, trânsito de culturas e globalização - séculos XV a XIX; Grupo de Pesquisa CNPQ-UESB Escravidão e mestiçagens: escravidão, comércio e trânsitos culturais nos sertões da Bahia e de Minas Gerais. Século XVIII e Grupo de Pesquisa CNPQ-UNIVERSO Sociedades escravistas nas Américas. Outros grupos de pesquisa brasileiros e estrangeiros encontram-se associados à Rede, que nessa ocasião passou a substituir o Grupo de Estudos Escravidão e Mestiçagens, criado em 2005 e atuante desde então, contando com encontros bianuais, tendo publicados 3 livros resultantes destes encontros e um quarto no prelo. A Rede tem sede no Departamento de História da Universidade Federal de Minas Gerais e possui o Selo Editorial MESTIÇOS, dedicados a publicações eletrônicas.


Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2010
Vínculo: Estágio pós doutoral, Enquadramento Funcional: Professor colaborador, Carga horária: 20
Outras informações
Disciplina ministrada: Tópico especial I- Identidades, mestiçagens e sociedade colonial brasileira


Faculdade de Filosofia e Ciências de Cataguases, FAFIC, Brasil.
Vínculo institucional

2001 - 2005
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 20

Atividades

2/2001 - 7/2005
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Escravidão e Sociedade
Didática de História
História Colonial Brasileira
História do Brasil Imperial
2003 - 2003
Ensino, Pos Graduação Lato Sensu em História, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Os excluídos da Colônia: índios e negros na sociedade brasileira

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO, Brasil.
Vínculo institucional

2000 - 2001
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: professor assistente, Carga horária: 12
Outras informações
Professora assistente do curso "Ritos e conflitos no Brasil ColÔnia: performance e política". Ministrado no curso de Mestrado em Teatro.

Atividades

3/2001 - 7/2001
Ensino, Artes Cênicas, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Ritos e conflitos no Brasil Império: performance e política
8/2000 - 12/2000
Ensino, Artes Cênicas, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Ritos e conflitos no Brasil Colônia: performance e política

Universidade Severino Sombra, USS, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2005
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 10
Outras informações
Professora da graduação do curso de História e do mestrado.

Atividades

2004 - 2005
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da África
2004 - 2005
Ensino, História, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
A escravidão em Mnas Gerais no século XIX

Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: professor do Mestrado PROFHIST, Enquadramento Funcional: professor permanente do mestrado PROFHIST, Carga horária: 20

Vínculo institucional

1997 - 1998
Vínculo: Outro, Enquadramento Funcional: professor substituto, Carga horária: 12
Outras informações
Professora substituta das disciplinas História Fluminense I e II

Atividades

1998 - 1999
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
história fluminense

Universidad Catolica de La Plata, U.LA PLATA*, Argentina.
Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: não
Outras informações
Professora convidada pela Faculdade de Direito e Ciências Políticas.



Linhas de pesquisa


1.
Sociedade, Cultura e Trabalho

Objetivo: A linha se propõe a discutir as seguintes temáticas: o escravismo brasileiro e suas interfaces, continuidades e rupturas; a dinâmica social e cultural em sociedades agrárias e urbanas; as formas de organização do trabalho e suas relações com a ordem jurídica, o cotidiano, a família, a hierarquia e os valores sociais constituídos; a etnicidade, cultura , identidade e gênero nos diversos grupos sociais; as dimensões sociais e culturais da morte e cultura e representações sociais no campo do ensino, das religiosidades, dos saberes e das instituições..
Grande área: Ciências Humanas
Setores de atividade: Educação.
Palavras-chave: escravidão; sociedade; trabalho; Jesuitas; mestiçagens.


Projetos de pesquisa


2015 - 2018
O Engenho Velho dos jesuitas na cidade do Rio de Janeiro, século XVIII
Descrição: Esse projeto de pesquisa tem por objeto de análise a primeira estrutura econômica de caráter agrícola estabelecida pelos jesuítas na capitania do Rio de Janeiro e a que mais próxima ficava da cidade: o Engenho Velho, de invocação de São Francisco Xavier. O recorte temporal abarcará basicamente a segunda metade do século XVII até a expulsão dos padres da Companhia de Jesus em 1759. As fontes utilizadas serão o Catalogus Primus ex Triennalibus da Província Brasílica, de 1701-1757, os Catálogos breves e trienais de 1701 a 1736, o Livro de Tombo do Colégio do Rio de Janeiro, os registros de batismos de São Francisco Xavier de 1642 a 1759, o auto de inventário e sequestro do Engenho Velho de 1759 e a Cópia das denúncias que deram os arrendatários das terras pertencentes ao Engenho Velho também de 1759, além é claro, de uma série de documentos avulsos provenientes do Conselho Ultramarino e das cartas jesuíticas. No Engenho Velho os padres inacianos desenvolveram uma espécie de ?laboratório? onde testaram variados mecanismos de administração de terras e de pessoas, englobando desde os homens livres que eram lavradores e meeiros, até os escravos indígenas e/ou negros. Dentro dessas terras havia uma comunidade, onde cada um tinha seu lugar e seu papel, mas todos deveriam viver de acordo com as normas impostas pelos padres da Companhia de Jesus. Entretanto, os administradores do engenho eram homens práticos (coadjutores temporais) e sabiam da necessidade de estarem inseridos no mercado e em sua lógica comercial. Assim, os produtos do engenho, principalmente o açúcar, precisava gerar lucros e para isso, deveria ser escoado da melhor forma possível. Para atingirem esse objetivo eram imprescindíveis as relações políticas com a nobreza da terra e com as autoridades..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Marcia Sueli Amantino - Coordenador.Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.
2015 - Atual
Investir dans le sacré, Europe-Amériqes (XVI-XIX siècles)
Descrição: A travers l?étude de l?investissement des laïcs dans les fondations pieuses et les missions, la réflexion que nous comptons mener avec ce projet entend privilégier le point de vue des acteurs sociaux catholiques, tant en Europe que dans les espaces impériaux américains, à travers leurs stratégies, leurs moyens, les modalités de leur participation, leurs sensibilités, leurs attentes eschatologiques. Le terme « d?investissement » doit donc être entendu aussi bien comme un placement de type financier et matériel que comme une participation symbolique, politique et religieuse. Etudier cet investissement, divers dans son ampleur, ses modalités, sa chronologie, c?est l?envisager comme un « signe » de « l?expérience religieuse », selon les termes qu?Alphonse Dupront applique au pèlerinage. La quête du salut pour les chrétiens se réalise dans des actions concrètes, dont les promesses de sens sont attendues à la fois dans le monde et dans l?au-delà..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2017
ESCRAVIDÃO, TRÁFICO E MESTIÇAGENS NA IBERO-AMÉRICA, EM PERSPECTIVA COMPARADA
Descrição: Definitivamente, a história da escravidão e das mestiçagens deve ser estudada em perspectivas comparadas, sob pena de continuarmos entendendo esses processos a partir de pressupostos nacionalistas, que desde o século XIX vêm marcando nossa produção historiográfica. Ao contrário do que se pensou e do que se continua acreditando, a escravidão no âmbito mais geral e o tráfico, particularmente, foram expressões do que havia de mais mundializado entre os séculos XV e XVIII, isto é, o comércio, entendido de maneira mais ampliada o que significou, para além das trocas econômicas, o deslocamentos de gentes, culturas, flora e fauna , desenvolvido entre as quarto partes do mundo. A partir das conquistas ibéricas no Novo Mundo a escravidão adquiriu um caráter ainda mais complexo, uma vez que os naturais das terras conquistadas foram submetidos a essa forma de trabalho forçado, logo sendo substituídos por escravos africanos ou compartilhando o cativeiro com esses últimos, além dos crioulos e dos mestiços. É esse mundo ibero-americano, no qual a escravidão e as mestiçagens biológicas e culturais se associam desde muito cedo, que nos interessa como recorte espacial neste projeto. Já o plano temporal se estende desde os primeiros anos posteriores à chegada dos ibéricos no Novo Mundo até o século XIX, quando foram extintos os últimos regimes escravistas americanos. A partir de uma perspectiva comparada, que é nosso objetivo aqui, pensamos em revisitar essa longa e extensa história, assim como a enorme historiografia produzida sobre ela, considerando a necessidade de se proceder a uma revisão conceitual, metodológica e teórica sobre as temáticas. Afinal, de que efetivamente estamos falando quando nos referimos à escravidão moderna? O que isso significou e significa hoje? O que nos oculta esse filtro escravidão? O que foi, como foi e quando foi definido isso que chamamos de tráfico de escravos, a quem esse conceito inclui e a quem costuma excluir?.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2015
Colégios e fazendas da Companhia de Jesus: um estudo comparado entre o colégio do Rio de Janeiro e o colégio de Córdoba, século XVIII
Descrição: Esta proposta de pesquisa prevê a análise, numa perspectiva comparada, do papel desempenhado pelos colégios e pelas fazendas da Companhia de Jesus, debruçando-se, especialmente, sobre o Colégio do Rio de Janeiro (América portuguesa) e sobre o Colégio de Córdoba (América hispânica) no Setecentos. No Rio de Janeiro, os jesuítas, por meio de seu Colégio, eram administradores das fazendas e engenhos de São Cristovão, do Engenho Velho, do Engenho Novo, de Santo Ignácio dos Campos Novos, de Sant?Anna de Macaé, dos Campos dos Goitacazes, da Papucaia de Macacu, do Saco de São Francisco Xavier e de Santa Cruz. Já o Colégio de Córdoba era responsável por uma série de fazendas, destacando-se dentre elas Santa Catalina, Caroya, Jesus Maria e Alta Gracia. Interessa-nos compreender como os jesuítas se inseriam nestas lógicas sociais, econômicas e políticas na condição de administradores de seus latifúndios [as fazendas], transformando-se em senhores de terras e de cativos, ao mesmo tempo em que mantinham centros de formação religiosa [os colégios], através dos quais difundiam crenças e dogmas e comportamentos morais desejáveis às sociedades. Vale ressaltar, que estes mesmos padres mantinham aldeamentos e reduções, nos quais controlavam centenas de braços aptos ao trabalho, definindo quando, como, para quem e por quanto os índios trabalhariam e desempenhando papel de destaque nos intricados sistemas agrários das Américas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2012 - 2015
Sobre o papel desempenhado pelos colégios e fazendas da Companhia de Jesus:um estudo comparado entre o colégio do RJ e o colégio de Córdoba, séc. XVIII
Descrição: Este projeto de pesquisa prevê a análise, numa perspectiva comparada, do papel desempenhado pelos colégios e pelas fazendas da Companhia de Jesus, debruçando-se, especialmente, sobre o Colégio do Rio de Janeiro (América portuguesa) e sobre o Colégio de Córdoba (América hispânica) no Setecentos. No Rio de Janeiro, os jesuítas, por meio de seu Colégio, eram administradores das fazendas e engenhos de São Cristovão, do Engenho Velho, do Engenho Novo, de Santo Ignácio dos Campos Novos, de Sant?Anna de Macaé, dos Campos dos Goitacazes, da Papucaia de Macacu, do Saco de São Francisco Xavier e de Santa Cruz. Já o Colégio de Córdoba era responsável por uma série de fazendas, destacando-se dentre elas Santa Catalina, Caroya, Jesus Maria e Alta Gracia. Ao empreendermos uma análise comparativa buscamos verificar se a Companhia de Jesus atribuiu os mesmos papéis [funções] aos colégios e às fazendas que mantiveram na América portuguesa e na hispânica, detendo-nos, especificamente, no estudo de dois colégios, o do Rio de Janeiro e o de Córdoba e como estas estruturas administravam as fazendas/estâncias que estavam sob seu controle. Prevê-se, ainda, a análise das estratégias usadas pelos jesuítas para integrá-los ? os colégios e as fazendas ? à sociedade colonial e, sobretudo, para que atendessem ao previsto pelas Coroas ibéricas, pelas Províncias jesuíticas e pelo Generalato da Companhia de Jesus em Roma..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Marcia Sueli Amantino - Coordenador / Carlos Engemann - Integrante / Jonis Freire - Integrante / Marieta Pinheiro de Carvalho - Integrante / Eliane Cristina Deckmann Fleck - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2011 - 2013
?Fazendas, engenhos e haciendas: Os bens materiais e os escravos dos Jesuítas na Capitania do Rio de Janeiro e na Província Jesuítica do Paraguai, século XVIII?
Descrição: Esta proposta de pesquisa pretende analisar, ao longo dos Setecentos, as relações estabelecidas entre os Jesuítas e a mão-de-obra escrava que vivia nas fazendas/engenhos da Capitania do Rio de Janeiro e em algumas haciendas da Província Jesuítica do Paraguai (hoje esta região compreende a Argentina, o Paraguai, o Uruguai, parte do Chile, parte meridional da Bolívia, os Estados brasileiros do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul). No Rio de Janeiro, os Jesuítas, através do Colégio eram responsáveis pelas fazendas de Santo Ignácio dos Campos Novos, de Sant?anna de Macaé, dos Campos dos Goitacases, da Papucaia de Macacu, do Saco de São Francisco Xavier, de Santa Cruz e pelos Engenhos de São Cristóvão, do Engenho Velho e do Engenho Novo. Na Província Jesuítica do Paraguai os inacianos, no século XVIII, possuíam os Colégios de Córdoba, Assunción, Santiago del Estero, Buenos Aires, Santa Fé, San Miguel de Tucuman, Salta, La Rioja, Corrientes e Tarija. Estas estruturas administravam uma série de haciendas, destacando-se dentre elas Santa Catalina, San Ignacio, San Lorenzo, Paraguarí e Alta Gracia. O objetivo de empreender uma análise comparativa é tentar identificar se a Companhia de Jesus conseguiu ou não desenvolver um único modelo econômico e social a fim de manter seus projetos evangelizadores nas Américas, ainda que estes modelos sofressem adaptações locais. Além disto, busca-se identificar as estratégias usadas pelos religiosos para controlar e conviver com um elevado número de homens cativos, tanto de origem nativa como também africana e as possíveis relações sociais entre estes..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Marcia Sueli Amantino - Coordenador.Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.Número de orientações: 1
2011 - 2012
História dos homens no Brasil
Descrição: A história já mostrou, por variados caminhos, que a relação de uma sociedade com os gêneros sexuais refletem as mudanças complexas vivenciadas ao longo de variados processos históricas. Um dos objetivos deste projeto coletivo que envolve pesquisadores de várias temáticas e diferentes instituições de ensino e pesquisa é apresentar as variações sofridas pelos homens e como as sociedades lidaram com elas. A idéia principal é enfocar o gênero masculino a partir de variadas óticas, abordagens e concepções teóricas, pensando-o em uma perspectiva histórica e inserindo-o num momento específico da sociedade brasileira. A partir destas concepções gerais, cada pesquisador, utilizando informações provenientes de fontes diferentes, busca entender os processos de construção do corpo masculino do brasileiro..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2010 - 2012
Projeto editorial sobre a Fazenda de Santa CRuz
Descrição: A Fazenda de Santa Cruz, situada no caminho que ia para as Minas Gerais e ponto de passagem de viajantes que cruzavam os limites entre as capitanias fluminense e mineira, foi durante muitos anos propriedade da Companhia de Jesus. Com o advento da Era Pombalina, a fazenda foi seqüestrada e incorporada ao erário real. A administração da Coroa gerou um considerável volume documental que se compõe de, pelo menos, cinco inventários cobrindo o período imediatamente seguinte à expulsão dos jesuítas e o desenvolvimento da fazenda nos primeiros anos do século XIX. Além destes, é possível encontrar resumos estatísticos, diários de trabalho da escravaria, cartas e memorandos sobre o cotidiano na fazenda. A partir deste rico corpo documental, o que se planeja é produzir, através dos textos de especialistas, uma obra com visão geral sobre aspectos importantes da vida da Companhia de Jesus em particular e da sociedade escravista como um todo. O ponto de partida para os trabalhos seria o conjunto de fontes sobre Santa Cruz, elemento a partir do qual se exporia de modo mais amplo os aspectos caracterizados pela fonte em questão. Dito de outro modo, os textos não versariam apenas sobre a Fazenda de Santa Cruz, mas a partir dela e de suas fontes se estenderia um olhar sobre a sociedade escravista como um todo. Desse modo, espera-se tanto cobrir uma lacuna no que respeita aos estudos sobre esta importante fazenda, quanto aproveitar para explorar os aspectos da sociedade escravista que tangenciam a vida desta propriedade em particular..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Marcia Sueli Amantino - Coordenador / Jorge Luiz Prata de Souza - Integrante / Carlos Engemann - Integrante / Jonis Freire - Integrante / Marieta Pinheiro de Carvalho - Integrante.
2010 - 2011
Os corpos e suas histórias
Descrição: A história já mostrou, por variados caminhos, que a relação de uma sociedade com seu próprio corpo também reflete as mudanças complexas vivenciadas ao longo de variados processos históricas. Este é um dos objetivos deste projeto coletivo que envolve pesquisadores de várias temáticas e diferentes instituições de ensino e pesquisa: apresentar as variações sofridas pelos corpos e como as sociedades lidaram com elas. A idéia principal é enfocar o corpo humano a partir de variadas óticas, abordagens e concepções teóricas, pensando-o em uma perspectiva histórica, inserindo-o num momento específico da sociedade brasileira. A partir destas concepções gerais, cada pesquisador, utilizando informações provenientes de fontes diferentes, busca entender os processos de construção do corpo do (a) brasileiro (a)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Marcia Sueli Amantino - Integrante / Diana Maul de Carvalho - Integrante / Jorge Luiz Prata de Souza - Integrante / Mary Del Priore - Coordenador / Carlos Engemann - Integrante / Jonis Freire - Integrante.
Número de produções C, T & A: 2
2009 - 2010
Macaé em fontes primárias: fundos eclesiásticos para um acervo virtual
Descrição: O projeto ?Macaé em Fontes Primárias?: fundos eclesiásticos para um acervo virtual se propõe a formar, organizar, manter, incrementar e disponibilizar um acervo virtual de documentos eclesiásticos sobre Macaé no período colonial e imperial. Tal acervo reunirá fontes capturadas em foto ou transcritas dos livros paroquiais de batismos, matrimônios e óbitos e da documentação das associações religiosas (localizados em Macaé); dos breves apostólicos, dos documentos relativos a divórcios, dos libelos contra padres, dos processos de gênere, dos banhos matrimoniais (localizados no Arquivo da Cúria Metropolitana do Rio de Janeiro); de documentos da Mesa de Consciência e Ordem (localizados no Arquivo Nacional) e de documentos do Arquivo Ultramarino (localizados no IHGB). Ao cabo desta etapa de coleta das fontes, será construído e alimentado um banco de dados com as informações provenientes da documentação serial de registros paroquiais e os demais documentos serão organizados em fundos e coleções próprias. Por último, uma vez formado o acervo digital sobre a história de Macaé no período colonial e imperial, contendo o material fotografado e transcrito, tornar-se-á disponível a pesquisadores cadastrados para consultas locais ou pela internet, via mecanismo próprio abrigado no site do LADOCH e divulgar nos programas de Pós-graduação e ao público geral interessado. Paralelamente, serão promovidos encontros e debates, propiciando a integração de pesquisadores de diferentes níveis e instituições, articulando-os em torno de temáticas comuns acerca da história macaense, e a formação de agentes multiplicadores do conhecimento, com fornecimento de instrumentais teórico-metodológicos a professores do Ensino Básico..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Marcia Sueli Amantino - Coordenador / Claudia Rodrigues - Integrante / Carlos Engemann - Integrante / Jonis Freire - Integrante.Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 2
2007 - 2010
Terras, escravos e índios: o poder temporal dos Jesuítas na Capitania do Rio de Janeiro- século XVIII
Descrição: Esta proposta de pesquisa pretende analisar, ao longo dos Setecentos, na Capitania do Rio de Janeiro as relações estabelecidas entre os Jesuítas e as sociedades que circundavam os aldeamentos, as fazendas e os engenhos administrados pela ordem, bem como, busca identificar a geração de riqueza produzida por eles, através de seus três mais importantes bens: as terras, os escravos e os índios. Entende-se que estes elementos eram condições imprescindíveis e necessitavam estar interligados para que houvesse crescimento econômico, político e social destes religiosos na Colônia e porque não, do próprio projeto colonizador..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Marcia Sueli Amantino - Coordenador / Kelly Ferreira da Costa Santos - Integrante / Maria Ortelia Moraes de Oliveira - Integrante.Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 3 / Número de orientações: 2
2006 - 2009
Acervo e patrimônio histório: ensino e pesquisa
Descrição: Este projeto é o resultado da siostematização de trabalhos de pesquisa, ensino e extensão que vêm sendo desenvolvidos em parcerias com as prefeituras de Macaé e de Cachoeiras de Macacu através de suas secretarias de Acervo e patrimônio histórico e de cultura, respectivamente, há algum tempo. Assim, há no momento dois sub-projetos em andamento (Macaé em fontes primárias e Cachoeiras de Macacu em fontes primárias). Ambos estão voltados para a realizção de levantamento de fontes históricas sobre os municípios, sua digitalização e a disponibilidade de acesso para pesquisadores através do Laboratório de acervo e documentação histórica (LADOCH)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Marcia Sueli Amantino - Coordenador / Jorge Luiz Prata de Souza - Integrante / Vinicius Maia Cardoso - Integrante / Claudia Rodrigues - Integrante / Roberto Guedes Ferreira - Integrante / Kelly Ferreira da Costa Santos - Integrante / Maria Ortelia Moraes de Oliveira - Integrante / Lidia de Aguiar Silva de Paula - Integrante / Vitória da Silveira Martins - Integrante.Número de orientações: 5
2004 - 2008
As manifestações culturais negras no Vale do Paraiba Fluminense e Mineiro no século XIX
Descrição: Este projeto de pesquisa busca mapear e identificar as diferentes práticas culturais vivenciadas pelos escravos que, no século XIX habitavam ao longo da bacia hidrográfica do rio Paraíba do Sul, enfocando a região compreendida entre as províncias do Rio de Janeiro e Minas Gerais. A fim de viabilizar o projeto, escolhi pela importância de sua produção agrícola e pelo número considerável de escravos, dois municípios de Minas Gerais e dois do Rio de Janeiro. Os mesmos são respectivamente, Cataguases e Leopoldina e Vassouras e Valença. O objetivo é traçar uma análise comparativa dos padrões culturais encontrados nestes municípios que durante alguns anos vivenciaram a grande presença numérica de cativos e uma intensa mobilidade de escravos em seus territórios. As diferentes manifestações culturais serão analisadas com o objetivo de identificar que traços das culturas africanas foram mantidos e ou reelaboradas pelos cativos. Como a grande maioria dos escravos que foram levados para esta área era proveniente da região Centro-ocidental da África , metodologicamente, haverá a necessidade de associarmos as análises sobre estas culturas ainda no continente africano e as que foram formadas no contexto da escravidão no Novo Mundo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (1) .
Integrantes: Marcia Sueli Amantino - Coordenador / Randolpho Radsack Correa - Integrante.
Número de produções C, T & A: 10 / Número de orientações: 4
2004 - 2005
Levantamento de fontes sobre escravidão na Província do Rio de Janeiro -sec. XIX
Descrição: O projeto pretendeu realizar um levamentamento de fontes sobre escravidão existentes na província do Rio de Janeiro ao longo do século XIX. Foram realizados mapeamentos em Petrópolis, Cachoeiras de Macacu e Rio Bonito..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Marcia Sueli Amantino - Coordenador / Vinicius Maia Cardoso - Integrante.
Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 3


Membro de corpo editorial


2013 - Atual
Periódico: Canoa do Tempo (UFAM)
2012 - Atual
Periódico: Rede A Revista de Estudos Americanos
2011 - Atual
Periódico: Revista Ultramares
2005 - Atual
Periódico: Revista Intellector: Centro de estudos em Geopolítica e Relações Internacio


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil/Especialidade: História do Brasil Colônia.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil/Especialidade: História Regional do Brasil.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil/Especialidade: História do Brasil Império.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da América.
5.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História Comparada.


Idiomas


Francês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2003
Sócia colaboradora do Instituto Histórico e geográfico de São Gonçalo, IHGSG.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

SCOPUS

Artigos completos publicados em periódicos

1.
AMANTINO, Marcia2016AMANTINO, Marcia; CARVALHO, M. P. . La famosa riqueza de los jesuitas y la expulsión. Algunos aspectos. IHS Antiguos Jesuitas en Iberoamerica, v. 4, p. 5-30, 2016.

2.
AMANTINO, Marcia2016AMANTINO, Marcia; FLECK, Eliane C.D. . Produção, comércio e mediação política a serviço da catequese: os colégios e as fazendas da Companhia de esus no Rio de Janeiro e em Córdoba, séc. XVIII. Revista Maracanan, v. 15, p. 119-140, 2016.

3.
AMANTINO, Marcia2016AMANTINO, Marcia. As origens da terra jesuítica na capitania do Rio de Janeiro e a implantação do Engenho Velho no século XVII. America Latina en la historia economica, v. 23, p. 7-36, 2016.

4.
AMANTINO, Marcia2014AMANTINO, Marcia. Reprodução endógena e mestiçagens: os escravos nas fazendas jesuíticas na capitania do Rio de Janeiro, 1759-1779. História e Cultura, v. 3, p. 250-273, 2014.

5.
FLECK, Eliane C.D.2014FLECK, Eliane C.D. ; AMANTINO, Marcia . Uma só ordem religiosa, duas coroas: os colégios da Companhia de Jesus no Rio de Janeiro e de Córdoba (séculos XVI-XVIII). Antíteses (Londrina), v. 7, p. 442-468, 2014.

6.
AMANTINO, Marcia2014AMANTINO, Marcia. As Correrias dos Guarulhos em Macaé, Rio de Janeiro, século XVIII. Revista Ultramares, v. 5, p. 78-98, 2014.

7.
AMANTINO, Marcia2014AMANTINO, Marcia. Sertões, índios e quilombolas. Revista do Arquivo Publico Mineiro, v. 1, p. 92-109, 2014.

8.
AMANTINO, Marcia2014AMANTINO, Marcia. Os escravos da Companhia de Jesus no Rio de Janeiro e em Córdoba (Argentina) no momento dos sequestros de seus bens, 1759 e 1767. Revista do Instituto Histórico e Geographico Brazileiro, v. 464, p. 199-222, 2014.

9.
AMANTINO, Marcia2013AMANTINO, Marcia; CARDOSO, V. M. . A fazenda Jesuítica da Papucaia, Rio de Janeiro, século XVIII. Revista IHS Antiguos Jesuitas en Iberoamerica, v. 1, p. 44-66, 2013.

10.
AMANTINO, Marcia2013AMANTINO, Marcia. Identidades e mestiçagens entre negros e indios e o controle da Companhia de Jesus no Rio de Janeiro colonial. Perspectivas: Portuguese Journal of Political Science and International Relations, v. 10, p. 29-44, 2013.

11.
FLORENTINO, M.2012FLORENTINO, M. ; AMANTINO, Marcia . Fugas, quilombos e fujões nas Américas, séculos XVI-XIX. Análise Social, v. XLVII, p. 236-267, 2012.

12.
FLORENTINO, M.2012FLORENTINO, M. ; AMANTINO, Marcia . Uma morfologia dos quilombos nas Américas, séculos XVI-XIX. História, Ciências, Saúde-Manguinhos (Impresso), v. 19, p. 259-297, 2012.

13.
AMANTINO, Marcia2011AMANTINO, Marcia. A Companhia de Jesus na India (1542-1622):atividades religiosas, poderes e contactos culturais.. História Unisinos, v. 15, p. 466-467, 2011.

14.
AMANTINO, Marcia2009AMANTINO, Marcia. A escravidão indígena e seus disfarces em Minas Gerais no século XVIII. Revista do Instituto Histórico e Geographico Brazileiro, v. 442, p. 163-182, 2009.

15.
AMANTINO, Marcia2009AMANTINO, Marcia. Indios e colonos em Minas Gerais no século XIX: contatos e convivências ambíguas. Revista do Arquivo Público Mineiro, v. 46, p. 212-222, 2009.

16.
AMANTINO, Marcia2009AMANTINO, Marcia; Engemann, Carlos ; RODRIGUES, C. . Os Jesuitas e a Ilustração na administração de Manuel Martins do Couto Reis da Real Fazenda de Santa Cruz, RJ, 1793-1804. História Unisinos, v. 13, p. 241-252, 2009.

17.
AMANTINO, Marcia2009AMANTINO, Marcia. Auto de sequestro e inventario que D. João Cardoso de Azevedo, desembargador .... CLIO. Série História do Nordeste (UFPE), v. 27, p. 247-267, 2009.

18.
AMANTINO, Marcia2009AMANTINO, Marcia. A expulsão dos jesuitas da capitania do Rio de Janeiro e o confisco de seus bens. Revista do Instituto Histórico e Geographico Brazileiro, v. 443, p. 169-191, 2009.

19.
AMANTINO, Marcia2008AMANTINO, Marcia; CARDOSO, V. M. . Múltiplas Alternativas: diversidade econômica na Vila de Santo Antônio de Sá de Macacu - Século XVIII. Heera (UFJF. Online), v. 03, p. 78-106, 2008.

20.
AMANTINO, Marcia2007AMANTINO, Marcia. As condiçõs físicas e de saúde dos escravos fugitivos anunciados no Jornal do Comercio (RJ) em 1850. História, Ciências, Saúde-Manguinhos (Impresso), v. 14, p. 1377-1399, 2007.

21.
AMANTINO, Marcia2007AMANTINO, Marcia. Exposição do Pde. Antonio Vaz Pereira acerca da degradação dos Indios do aldeamento de S. Lourenço e de S. Pedro. Revista do Instituto Histórico e Geographico Brazileiro, v. 168, p. 321-332, 2007.

22.
AMANTINO, Marcia2007AMANTINO, Marcia. Os quilombos em Macaé no século XIX. Especiaria (UESC), v. 10, p. 623-648, 2007.

23.
AMANTINO, Marcia2006AMANTINO, Marcia. Os avanços e recuos no povoamento do Sertão Oeste de Minas Gerais no século XVIII: os limites da pobreza. Boletim de História Demográfica, São Paulo, v. 41, p. 10-23, 2006.

24.
AMANTINO, Marcia2006AMANTINO, Marcia. Os escravos fugitivos em Minas Gerais e os anúncios do Jornal. Locus (Juiz de Fora), v. 12, p. 59-74, 2006.

25.
AMANTINO, Marcia2006AMANTINO, Marcia. As Guerras Justas e a escravidão indígena em Minas Gerais nos séculos XVIII e XIX. Varia História, Belo Horizonte, v. 22, n.35, p. 189-206, 2006.

26.
AMANTINO, Marcia2003AMANTINO, Marcia. O Sertão Oeste em Minas Gerais: um espaço rebelde.. Varia História, Minas Gerais, v. 29, p. 79-97, 2003.

27.
AMANTINO, Marcia2002AMANTINO, Marcia. A conquista de uma fronteira; o Sertão Oeste de Minas Gerais no século XVIII. Revista de História (UFES), Espírito Santo, v. 14, p. 65-90, 2002.

28.
AMANTINO, Marcia1999AMANTINO, Marcia. Os diferentes lados de uma mesma moeda: o abolicionismo de Patrocínio e de Lacerda.. Revista Eletrônica de História do Brasil, Juiz de Fora, v. 3, n.1, p. 19-35, 1999.

29.
AMANTINO, Marcia1998AMANTINO, Marcia; LUFT, W. ; MACEDO, J. . Uma análise prévia da documentação sobre os Diretores Gerais de Índios da província de Minas Gerais (1863-1894). Revista Eletrônica de História do Brasil, Juiz de Fora, v. 2, n.2, p. 37-47, 1998.

30.
AMANTINO, Marcia1997AMANTINO, Marcia. O perfil demográfico do escravo fugitivo. Estudos Afro-Asiáticos, Rio de Janeiro, v. 31, p. 169-188, 1997.

31.
AMANTINO, Marcia1995AMANTINO, Marcia. Banditismo Social e quilombolas no RJ, século XIX. Caderno do Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa Em Historia Social, Rio de Janeiro, v. 1, n.1, p. 21-33, 1995.

32.
AMANTINO, Marcia1993AMANTINO, Marcia. Uma carta de Pero de Góes. Infoarqueodata, Rio de Janeiro, v. 1, n.1, 1993.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
AMANTINO, Marcia. A Companhia de Jesus na cidade do Rio de janeiro: o caso do Engenho Velho, século XVIII.. 1. ed. São Paulo: Paco Editorial, 2018. v. 1. 320p .

2.
Paiva, Eduardo França (Org.) ; IVO, Isnara Pereira (Org.) ; AMANTINO, Marcia (Org.) . Religião e religiosidades, escravidão e mestiçagens. 1. ed. São Paulo: Intermeios, 2016. v. 1. 240p .

3.
AMANTINO, Marcia; FLECK, Eliane C.D. (Org.) ; Engemann, Carlos (Org.) . A Companhia de Jesus na América por seus colégios e fazendas:aproximações entre Brasil e Argentina, século XVIII. 1. ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2015. v. 1.

4.
Priore, Mary Del. (Org.) ; AMANTINO, Marcia (Org.) . História dos Homens no Brasil. 1. ed. São Paulo: Unesp, 2013. v. 1. 415p .

5.
Engemann, Carlos (Org.) ; AMANTINO, Marcia (Org.) . Santa Cruz: de legado dos jesuítas a pérola da Coroa. 1. ed. Rio De Janeiro: EdUERJ, 2013. v. 1. 354p .

6.
AMANTINO, Marcia; RODRIGUES, C. (Org.) ; Engemann, Carlos (Org.) ; Freire, Jonis (Org.) . Povoamento, Catolicismo e escravidão na Antiga Macaé (séculos XVI-XIX). 1. ed. Rio de Janeiro: Apicuri, 2011. v. 1. 200p .

7.
Paiva, Eduardo França (Org.) ; AMANTINO, Marcia (Org.) ; IVO, Isnara Pereira (Org.) . Escravidão, mestiçagens, ambientes, paisagens e espaços. 1. ed. São Paulo: Annablume, 2011. v. 1. 284p .

8.
Engemann, Carlos (Org.) ; AMANTINO, Marcia (Org.) ; CARVALHO, M. P. (Org.) ; SARMIENTO, E. (Org.) . História Universo - Publicação discente do programa de Mestrado em História da Universidade Salgado de Oliveira. 1. ed. Niteroi: Asoec, 2011. v. 1. 148p .

9.
Priore, Mary Del. (Org.) ; AMANTINO, Marcia (Org.) . História do Corpo no Brasil. São Paulo: Unesp, 2011. v. 1. 568p .

10.
RODRIGUES, C. (Org.) ; Engemann, Carlos (Org.) ; AMANTINO, Marcia (Org.) . Caderno de Programação e Resumos do IV Congresso Latino-americano de Ciências Sociais e Humanidades: Imagens da Morte.. 1. ed. Niteroi: UNIVERSO, 2010. v. 1. 87p .

11.
RODRIGUES, C. (Org.) ; Engemann, Carlos (Org.) ; AMANTINO, Marcia (Org.) . Anais Eletrônicos do IV Congresso Latino-americano de Ciênciais Sociais e Humanidades: Imagens da Morte.. Niteroi: Universo, 2010. v. 1.

12.
AMANTINO, Marcia. O Mundo das feras:os moradores do sertão oeste de Minas Gerais, século XVIII. 1. ed. São Paulo: Annablume Editora, 2008. v. 1. 260p .

Capítulos de livros publicados
1.
AMANTINO, Marcia. Os doadores da Companhia de Jesus e a consolidação territorial ao Sul da América portuguesa, Rio de Janeiro e São Vicente, 1553-1630. In: DI STEFANO, Roberto; MALDAVISKY, Aliocha. (Org.). Investir en lo sagrado: salvación y dominación territorial em América y Europa (siglos XVI-XX).. 1ed.Santa Rosa: Universidade nacional de los Pampas, 2018, v. , p. 87-104.

2.
AMANTINO, Marcia. Cabras. In: PAIVA, Eduardo França; CHAVES, Manuel E. Fernandez; GARCíA, Rafael M. Perez. (Org.). De que estamos falando? Antigos conceitos e modernos anacronismos: escravidão e mestiçagens.. 1ed.RIO DE JANEIRO: Garamond, 2016, v. 1, p. 83-97.

3.
AMANTINO, Marcia. Escravidão, mestiçagens e o projeto cristão dos jesuítas na Argentina colonial e no Rio de Janeiro, séculos XVI-XVIII.. In: Paiva, Eduardo França, IVO, Isnara pereira; AMANTINO, Marcia. (Org.). Religião, religiosidades, escravidão e mestiçagens. 1ed.São Paulo: Intermeios, 2016, v. 1, p. 115-140.

4.
AMANTINO, Marcia; CARVALHO, M. P. . Pombal, a riqueza dos jesuítas e a expulsão. In: Francisco Falcon; Cláudia Rodrigues. (Org.). A época pombalina no mundo luso-brasileiro. 1ed.Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2015, v. 1, p. 59-90.

5.
AMANTINO, Marcia. A Companhia de Jesus e o comércio na Iberoamérica (Rio de Janeiro e região do Rio da Prata, séc. XVI- XVIII. In: AMANTINO, Marcia, FLECK, Eliane Cristina Deckmann e ENGEMANN, Carlos. (Org.). A Companhia de Jesus na América por seus colégios e fazendas: aproximações entre Brasil e Argentina, século XVIII. 1ed.Rio de Janeiro: Garamond, 2015, v. 1, p. 11-35.

6.
AMANTINO, Marcia. El paraíso de mulatos y mulatas; el mestizaje de los esclavos de la Compañía de Jesús en Rio de Janeiro y Argentina colonial, siglo XVIII. In: Juan Manuel de la Serna. (Org.). Negros y morenos en Iberoamérica: adaptación y conflicto. 1ed.Mexico: UNAM, 2015, v. 1, p. 24-34.

7.
AMANTINO, Marcia. Os escravos da Companhia de Jesus na capitania do Rio de Janeiro. In: Adriana Romeiro; Magno Moraes Mello. (Org.). Cultura, arte e história: a contribuição dos jesuítas entre os séculos XVI e XIX. 1ed.Belo Horizonte: Fino Traço, 2014, v. 1, p. 145-167.

8.
AMANTINO, Marcia. Mobilidades, hierarquias e as condições sociojurídicas dos índios na América Portuguesa, séculos XVI-XVIII. In: SCOTT, Ana Silvia Volpi et al. (Org.). Mobilidade Social e formação de hierarquias: subsídios para a história da população. 1ed.São Leopoldo: Oikos, 2014, v. 3, p. 104-128.

9.
AMANTINO, Marcia. Os jesuítas e a economia na capitania do Rio de Janeiro no século XVIII: uma conexão imperial. In: Ângelo Adriano Faria de Assis; Joseph Abraham Levi; Maria de Deus Beites Manso. (Org.). A expansão: quando o mundo foi português. Da conquista de Ceuta (1415) à atribuição da soberania de Timor-Leste (2002). 1ed.Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 2014, v. 1, p. 200-228.

10.
FLECK, Eliane C.D. ; AMANTINO, Marcia . Una sola orden religiosa, dos coronas. Los colegios de la Companía de Jesús de Rio de Janeiro (Brasil) y Cordoba (Argentina). siglos XVI-XVIII. In: FLECK, Eliane C Deckmann; REGUERA, Andrea. (Org.). Variaciones em la comparacion: processos, instituciones y memorias em la historia de Brasil, Uruguay y Argentina. Siglos XVIII-XXI.. 1ed.Tandil: Universidad Nacional del Centro de la Provincia de Buenos Aires, 2014, v. 1, p. 25-64.

11.
AMANTINO, Marcia. Caiapós, Bororos, fronteiras e os projetos coloniais para o sertão do Campo Grande no século XVIII. In: LUZ, Guilherme Amaral; ABREU, Jean Luiz Neves; NASCIMENTO, Mara Regina. (Org.). Ordem crítica: a América portuguesa nas 'fronteiras' do século XVIII. 1ed.Belo Horizonte: Fino Traço, 2013, v. 1, p. 151-168.

12.
AMANTINO, Marcia; Freire, Jonis . Ser homem... ser escravo. In: Mary del Priore; Marcia Amantino. (Org.). História dos Homens no Brasil. 1ed.São Paulo: Unesp, 2013, v. 1, p. 15-48.

13.
AMANTINO, Marcia; Couto, Ronaldo . De "curral dos padres" à gigantesca Fazenda de Santa Cruz. In: Carlos Engemann; Marcia Amantino. (Org.). Santa Cruz: de legado dos jesuítas a pérola da Coroa. 1ed.Rio De Janeiro: EdUERJ, 2013, v. 1, p. 15-42.

14.
AMANTINO, Marcia. Os jesuítas e seus escravos na capitania do Rio de Janeiro, século XVIII. In: Eunícia Fernandes. (Org.). A Companhia de Jesus na América. 1ed.Rio De Janeiro: Puc Rio e Contra Capa, 2013, v. 1, p. 115-137.

15.
AMANTINO, Marcia; Engemann, Carlos ; RODRIGUES, C. . Os jesuítas e a Ilustração na administração de Manuel Martins do Couto Reis da Rea Fazenda de Santa Cruz. In: Engemann, Carlos; Amantino, Marcia. (Org.). Santa Cruz: de legado dos jesuítas a pérola da Coroa. 1ed.Rio De Janeiro: Eduerj, 2013, v. 1, p. 291-314.

16.
AMANTINO, Marcia. A escravidão em Cataguases e os cativos da família Vieira. In: Sousa, Jorge Luis Prata; Andrade, Rômulo Garcia de. (Org.). Zona da Mata Mineira: escravos, família e liberdade. 1ed.Rio de Janeiro: Apicuri, 2012, v. 1, p. 13-44.

17.
AMANTINO, Marcia. Os arquivos do Rio de Janeiro e a documentação sobre a Companhia de Jesus. In: PEREIRA, Sara Marques; VAZ, Francisco Lourenço. (Org.). Universidade de Évora, 1559-2009: 450 anos de modernidade educativa. 1ed.Lisboa: Chiado Editora, 2012, v. 1, p. 119-127.

18.
AMANTINO, Marcia. Os jesuitas na capitania do Rio de Janeiro e suas atuações no estabelecimento e na consolidação da cidade. In: Suely C Cordeiro de Almeida; Marília de Azambuja Ribeiro; Gian Carlo de Melo Silva. (Org.). Cultura e sociabilidades o Mundo Atlântico. 1ed.Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2012, v. , p. 45-67.

19.
AMANTINO, Marcia. Macaé nos séculos XVII e XVIII: ocupação e povoamento. In: Amantino, M; Rodrigues, C; Engemann,C; Freire, J.. (Org.). Povoamento, Catolicismo e escraviidão na Antiga Macaé (séculos XVII-XIX). 1ed.Rio de Janeiro: Apicuri, 2011, v. 1, p. 39-60.

20.
AMANTINO, Marcia. A fazenda jesuítica de São Cristovão: espaços de sociabilidades cativas e mestiças- Rio de Janeiro, século XVIII. In: Paiva, Eduardo França;Amantino, Marcia; Ivo, Isnara Pereira. (Org.). Escravidão, mestiçagens, ambientes, paisagens e espaços. 1ed.São Paulo: Annablume, 2011, v. 1, p. 139-164.

21.
AMANTINO, Marcia. E eram pardos, todos nus, sem coisa alguma que lhes cobrisse suas vergonhas. In: Del Priore, Mary; Amantino, Marcia. (Org.). História do corpo no Brasil. São Paulo: Unesp, 2011, v. 1, p. 15-44.

22.
FLORENTINO, M. ; AMANTINO, M. S. ; AMANTINO, Marcia . Runaways and Quilombolas in the Americas. In: David Eltis; Stanley L. Engerman. (Org.). The Cambridge World History of Slavery. 1ed.Nova York: Cambridge University Press, 2011, v. 3, p. 708-740.

23.
AMANTINO, Marcia. Jesuítas, negros e índios: as mestiçagens nas fazendas inacianas do Rio de Janeiro no século XVIII.. In: PAIVA, Eduardo França; IVO, Isnara Pereira; MARTINS, Ilton. (Org.). Escravidão e mestiçagens: populações e identidades culturais. São Paulo: Annablume, 2010, v. , p. 81-100.

24.
AMANTINO, Marcia. Caxambu, cateretê e feitiçaria entre os escravos do Rio de Janeiro e MInas Gerais - séc. XIX. In: Eduardo França Paiva; Isnara Pereira Ivo. (Org.). Escravidão, mestiçagem e histórias comparadas. São Paulo: Annablume, 2008, v. 1, p. 257-276.

25.
AMANTINO, Marcia. A convivência entre índios e negros nas dança folclóricas brasileiras: uma análise histórico-antropológica. In: Zeca Ligiero;Claudio Alberto dos Santos. (Org.). Dança da Terra: tradição, história, linguagem e teatro. Rio de Janeiro: Papel Virtual, 2005, v. 1, p. 91-117.

26.
AMANTINO, Marcia. Sobre os quilombos do Sudeste Brasileiro nos séculos XVIII e XIX.. In: Florentino, Manolo; Machado, Cacilda. (Org.). Ensaios sobre a escravidão. Belo Horizonte: Editora da Universidade Federal de Minas Gerais, 2003, v. 1, p. 235-262.

27.
AMANTINO, Marcia. Comunidades quilombolas na cidade do Rio de Janeiro e seus arredores. In: Jorge Prata de Souza. (Org.). Escravidao: ofícios e liberdades. Rio de Janeiro: Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, 1998, v. 1, p. 109-133.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
AMANTINO, Marcia. Sacerdotes, administradores e empreendedores:as bases econômicas do projeto missionário jesuita. Revista do Instituto Humanitas Unisinos, São Leopoldo, p. 28 - 32, 10 nov. 2014.

2.
AMANTINO, Marcia; Freire, Jonis . Amor em cativeiro. Revista de História (Rio de Janeiro), Rio de Janeiro, p. 26 - 27, 01 fev. 2013.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
AMANTINO, Marcia. Os bens da Companhia: meios para a missão. In: Bicentenário da Restauração da Companhia de jesus (1814-2014), 2014, São Paulo. Anais do Simpósio Nacional Bicentenário da Restauração da Companhia de jesus (1814-2014). São Paulo: Edições Loyola, 2014. v. 1. p. 199-211.

2.
AMANTINO, Marcia. A população escrava das fazendas e estancias jesuiticas: uma comparação entre a capitania do Rio de Janeiro e a Provincia Jesuitica do Paraguai. XVIII. In: I Workshop Argentino-Brasileno de Historia comparada, 2011, Buenos Aires. Actas electronicas I-WAB. Buenos Aires, 2011. v. 1.

3.
AMANTINO, Marcia. Relaçoes economicas e sociais entre os aldeamentos e as fazendas jesuiticas no Rio de Janeiro, século XVIII. In: III Simposio internacional sobre religiosidad, cultura y poder (III SIRCP), 2010, Buenos Aires. III Simposio internacional sobre religiosidad, cultura y poder (III SIRCP). Buenos Aires, 2010. v. 1.

4.
AMANTINO, Marcia. Aldeamentos e fazendas jesuíticas: espaços de trocas econômicas e sociais entre índios e negros cativos. In: XII Simposio Intercional IHU: A experiência missioneira: território, cultura e identidade, 2010, São Leopoldo. Simpósio Internacional IHU. São Leopoldo: Casa Leiria, 2010. v. 1.

5.
AMANTINO, Marcia. Relações sociais entre negros e indios nas fazendas inacianas na Capitania do Rio de Janeiro - século XVIII. In: XVI Encontro Regional de História, 2008, Belo Horizonte. Anais do XVI Encontro Regional de História. Belo Horizonte: UFMG, 2008. v. 1.

6.
AMANTINO, Marcia. A escravidão em Cataguases e os cativos da família Vieira. In: II Seminário de História econômica e social da Zona da Mata Mineira, 2008, Muriaé. II Seminário de História econômica e social da Zona da Mata Mineira. Niterói: Asoec, 2008. v. 1.

7.
AMANTINO, Marcia. Notas de pesquisa:terras, escravos, índios e o poder dos Jesuitas na Capitania do Rio de Janeiro no século XVIII. In: I Encontro de História:Fontes históricas: abordagens, narrativas e concepções teóricas, 2008, Cachoeiras de Macacu. I Encontro de História:Fontes históricas: abordagens, narrativas e concepções teóricas. São Gonçalo: ASOEC, 2008. v. 1.

8.
AMANTINO, Marcia. Escravos e terras jesuiticas na América Portuguesa e espanhola no século XVIII. In: IV Simpósio Internacional de Estudos sobre América Colonial CASO, 2008, Belo Horizonte. Anais do IV Simpósio Internacional de Estudos sobre América Colonial CASO. Belo Horizonte: UFMG, 2008. v. 1.

9.
AMANTINO, Marcia. Escravos e terras jesuiticas na America portuguesa e espanhola no século XVIII. In: IV Simpósio Internacional de estudos sobre América Colonial- CASO, 2008, Belo Horizonte. Anais do IV Simpósio Internacional de Estudos sobre America Colonial - CASO. Belo Horizonte: Universidade Federal de MInas Gerais, 2008. v. 1.

10.
AMANTINO, Marcia. Relações sociais ente negros e índios nas fazendas inacianas na Capitania do Rio de Janeiro, séc. XVIII. In: XIX Encontro Regional de História: Poder, violência e exclusão, 2008, São Paulo. Anais do XIX Encontro Regional de História: Poder, violência e exclusão. São Paulo: USP, 2008. v. 1.

11.
AMANTINO, M. ; AMANTINO, Marcia . Conflitos inter-étnicos e tentativas de povoamento no Sul do Brasil - séc. XVIII. In: 3º Encontro Escravidão e liberdade no Brasil Meridional, 2007, Florianópolis. 3º Encontro Escravidão e liberdade no Brasil Meridional. Santa Catarina: Universidade Federal de Santa Catarina, 2007. v. 1. p. 1-16.

12.
AMANTINO, Marcia. Macaé nos séculos XVII e XVIII: origens e povoamento. In: Macaé em fontes primárias: escravidão, cultura e sociedade, 2007, Macaé. Anais do I Encontro Macaé em fontes primárias: escravidão, cultura e sociedade. Niteroi: ASOEC, 2007. v. 1.

13.
AMANTINO, Marcia. Os quilombo de Macaé no século XIX. In: Macaé em fontes primárias: escravidão, cultura e sociedade, 2007, Macaé. Anais do I Encontro Macaé em fontes primárias: escravidão, cultura e sociedade. Niteroi: ASOEC, 2007.

14.
AMANTINO, Marcia. O cotidiano escravo em Cataguases na segunda metade do século XIX. In: 1. Seminário História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira, 2005, Juiz de Fora. 1. Seminário História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira, 2005. v. 1.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
AMANTINO, Marcia. A escravidão indígena e suas variações - Minas Gerais - séculos XVIII e XIX. In: XXIV Simpósio Nacional de História, 2007, São Leopoldo. História e Multidisciplinaridade: territórios e deslocamentos. São Leopoldo: Oikos, 2007. v. 1. p. 147.

2.
AMANTINO, Marcia; H, R. P. ; PEDRO, M. F. S. ; R, B. . Uma abordagem da Arqueologia Histórica no estudo, conservação e manejo do maciço da Tijuca.. In: 4ª Simpósio Internacional sobre ecossistemas florestais, 1996, Belo Horizonte. Resumos do 4ª Simpósio Internacional sobre ecossistemas florestais. Belo Horizonte, 1996. p. 160-1'61.

3.
AMANTINO, Marcia. Depois da fuga. In: Primeiro encontro de Pós Graduandos em História UFF, 1995, Niteroi. Resumo das comunicações do primeiro encontro de Pós Graduandos em História. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 1995.

4.
AMANTINO, Marcia; LUFT, W. ; A, A. . O Programa Arquológico Puri Coroado. In: VIII Reunião de Arqueologia Brasileira, 1995, Porto Alegre. Anais da VIII Reunião de Arqueologia Brasileira. Porto Alegre: Editora da Pontifícia Universidade Católica, 1995.

Apresentações de Trabalho
1.
AMANTINO, Marcia. A iconografia europeia sobre indios brasileiros e a reafirmação dsa desigualdades, séculos XVI-XIX. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
AMANTINO, Marcia. A iconografia europeia sobre indios brasileiros e a reafirmação das desigualdades, séculos XVIII e XIX. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
AMANTINO, Marcia. A escravidão no Norte Fluminense. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
AMANTINO, Marcia. Os bens da Companhia: meios para a missão. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

5.
AMANTINO, Marcia. O paraíso dos mulatos e das mulatas: a mestiçagem dos escravos da Companhia de Jesus, RJ, séc. XVIII. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

6.
AMANTINO, Marcia. Repensando espaços e protagonistas a Companhia de Jesus na América Ibérica colonial. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
AMANTINO, Marcia. Os escravos mestiços da Companhia de Jesus no Rio de Janeiro colonial. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

8.
AMANTINO, Marcia. A Companhia de Jesus e a cidade do Rio de Janeiro: o caso do Engenho Velho, séculos XVII e XVIII. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
AMANTINO, Marcia. A Companhia de Jesus e seu projeto demográfico escravista mestiço, RJ, século XVIII. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

10.
AMANTINO, Marcia. A Companhia de Jesus e o império português e espanhol. 2013. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

11.
AMANTINO, Marcia. Mobilidades, hierarquias e as condições sócio-jurídicas dos indios na América portuguesa, séc. XVI-XVIII. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

12.
AMANTINO, Marcia. Os escravos da Companhia de Jesus na capitania do Rio de Janeiro no período colonial. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

13.
AMANTINO, Marcia. Os escravos da Companhia de Jesus no Rio de Janeiro e em Córdoba no momento dos sequestros de seus bens. 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

14.
AMANTINO, Marcia. Os jesuitas no Rio de Janeiro e em Córdoba no século XVIII: uma análise comparada de suas atividades econômicas. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

15.
AMANTINO, Marcia. Fazendas, engenhos e haciendas: os bens materiais e os escravos dos jesuitas na capitania do Rio de Janeiro e na Provincia Jesuitica do Paraguai, séclo XVIII. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

16.
AMANTINO, Marcia. A fazenda jesuitica de São Cristovão: espaços de sociabilidades cativas, século XVIII. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

17.
AMANTINO, Marcia; Engemann, Carlos . A fazenda de Campos Novos e as políticas de gestão da ppopulaçao e costumes escravos nas fazendas da Cia de Jesus no Rio de Janeiro, seculos XVII e XVIII. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

18.
AMANTINO, Marcia. Aldeamentos e fazendas jesuíticas: espaços de trocas econômicas e sociais entre índios e negros cativos. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

19.
AMANTINO, Marcia. Relaçcoes economicas e sociais entre os aldeamentos e as fazendas jesuiticas no RJ, século XVIII. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

20.
AMANTINO, Marcia. Aldeamentos e fazendas jesuíticas: espaços de trocas econômicas e sociais entre índios e negros cativos. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

21.
AMANTINO, Marcia. A expulsão da Companhia de Jesus da Capitania do Rio de Janeiro e o confisco de seus bens. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
AMANTINO, Marcia. Terras, escravos e indios: o poder temporal dos jesuitas na Capitania do Rio de Janeiro no século XVIII. 2009. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

23.
AMANTINO, Marcia. Aldeamentos e fazendas jesuiticas: espaços de sociabilizaçao para indios e negros no Rio de Janeiro, séc. XVIII. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

24.
AMANTINO, Marcia. Terras, escravos e indios: o poder temporal dos jesuitas na capitania do Rio de Janeiro. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

25.
AMANTINO, Marcia. A expuslão dos jesuitas da Capitania do Rio de Janeiro: aspectos economicos. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

26.
AMANTINO, Marcia. Os arquivos do Ro de Janeiro e a documentaçao sobre a Companhia de Jesus. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

27.
AMANTINO, Marcia. Escravidão de Indios e negros nos livros didáticos brasileiros. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

28.
AMANTINO, Marcia. A educaçao no Brasil e o ensino de História: algumas questões. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

29.
AMANTINO, Marcia. Relações sociais entre negros e índios nas fazendas inacianas na Capitania do Rio de Janeiro - século XVIII. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

30.
AMANTINO, Marcia. A escravidão em Cataguases e os cativos da família Vieira. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

31.
AMANTINO, Marcia. Escravidão urbana: doenças, mazelas e marcas do trabalho. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

32.
AMANTINO, Marcia. Notas de pesquisa:terras, escravos, indios e o poder dos jesuitas na Capitania do Rio de Janeiro no século XVIII. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

33.
AMANTINO, Marcia. Terras,negros escravos e índios: os jesuitas na Capitania do Rio de Janeiro no século XVIII. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

34.
AMANTINO, Marcia. Escravos e terras jesuiticas na América portuguesa e espanhola no século XVIII. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

35.
AMANTINO, Marcia. Relações sociais ente negros e índios nas fazendas inacianas na Capitania do Rio de Janeiro, séc. XVIII. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

36.
AMANTINO, Marcia. Conflitos interetnicos e tentativas de povoamento dos Sertões do Tibaji - séc. XVIII. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

37.
AMANTINO, Marcia. O professor-pesquisador: um novo profissional?. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

38.
AMANTINO, Marcia. A escravidão indígena e suas variações: Minas Gerais - séculos XVIII e XIX. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

39.
AMANTINO, Marcia. A escravidão e os quilombos em Macaé no século XIX. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

40.
AMANTINO, Marcia. Macaé nos séculos XVII e XVIII: ocupação e povoamento. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

41.
AMANTINO, Marcia. Práticas religiosas apresentadas por escravos em Cataguases e em Vassouras no século XIX. 2006. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

42.
AMANTINO, Marcia. Historiografia das relações entre Portugal, Brasil e Africa. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

43.
AMANTINO, Marcia. O cotidiano escravo em cataguases na segunda metade do século XIX. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

44.
AMANTINO, Marcia. A disciplina História da África no ensino superior privado: o caso da Universidade Salgado de Oliveira. 2005. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

45.
AMANTINO, Marcia. Quilombos no interior do Oeste de Minas Gerais: proposta de uma tipologia para análise arquológica destas estruturas. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

46.
AMANTINO, Marcia. Ignacio Correia de Pamplona: uma trajetória civilizadora em Minas Gerais no século XVIII. 2002. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

47.
AMANTINO, Marcia. Uma trajetória civilizadora: o mestre de campo Ignacio Correia de Pamplona. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

48.
AMANTINO, Marcia. A presença negra nas danças coloniais brasileiras. 2001. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

49.
AMANTINO, Marcia. A convivência entre índios e quilombolas nas danças folclóricas. 2000. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

50.
AMANTINO, Marcia. Minas Gerais: Cativos e indígenas nos séculos XVIII e XIX. 2000. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

51.
AMANTINO, Marcia. Os Sertões e a História do Oeste de Minas Gerais no século XVIII. 1999. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

52.
AMANTINO, Marcia. A Dança do Quilombo. 1998. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

53.
AMANTINO, Marcia. O Aldeamento do Etueto durante o século XIX. 1997. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

54.
AMANTINO, Marcia. O Programa arquológico Puri-Coroado. 1995. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

55.
AMANTINO, Marcia. Memórias da escravidão e a condição do negro no Brasil. 1995. (Apresentação de Trabalho/Outra).

56.
AMANTINO, Marcia. Notas sobre quilombos fluminenses no século XIX. 1993. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
AMANTINO, Marcia. Consultoria para a revista Veja sobre os 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. 2015.

2.
AMANTINO, Marcia. Consultoria para a gravação de uma mini-série da TV Globo. 2010.

3.
AMANTINO, Marcia. Revista Temporalidades. 2008.

4.
AMANTINO, Marcia. Levantamento histórico e bibliográfico sobre a área do Rio Pomba, Minas Gerais. 1994.

5.
AMANTINO, Marcia. Levantamento histórico e bibliográfico sobre a área de Campos dos Goitacazes. 1992.

Trabalhos técnicos
1.
AMANTINO, Marcia. Avaliador da 24 semana de Iniciação Científica da UERJ. 2015.

2.
AMANTINO, Marcia. Avaliador Ad hoc para a revista Diálogos- Maringá. 2015.

3.
AMANTINO, Marcia. Avaliador Ad hoc revista Latino-americana de História. 2015.

4.
AMANTINO, Marcia. Parecer Ad hoc para a revista História Social - Campinas. 2013.

5.
AMANTINO, Marcia. Parecer Ad hoc para a revista Latino Americana de História. 2013.

6.
AMANTINO, Marcia. Parecer Ad hoc Revista Ultramares. 2012.

7.
AMANTINO, Marcia. Parecer Revista Diálogos. 2012.

8.
AMANTINO, Marcia. Parecer Ad hoc para a FAPERJ. 2012.

9.
AMANTINO, Marcia. Parecer Ad hoc para a FAPERJ. 2012.

10.
AMANTINO, Marcia. Parecer Ad hoc -Revista de História da Unisinos. 2011.

11.
AMANTINO, Marcia. Parecer ad hoc - Revista de História Unisinos. 2011.

12.
AMANTINO, Marcia. Parecer Ad hoc FAPERJ. 2011.

13.
AMANTINO, Marcia. Parecer Revista História Unisinos. 2011.

14.
AMANTINO, Marcia. Parecer "ad hoc" para a FAPERJ. 2010.

15.
AMANTINO, Marcia. Parecer "ad hoc" para a FAPERJ. 2010.

16.
AMANTINO, Marcia. Parecer "ad hoc" para a FAPERJ. 2009.

17.
AMANTINO, Marcia. Parecer "ad hoc" para a FAPERJ. 2009.

18.
AMANTINO, Marcia. Parecer para a revista Temporalidades. 2009.

19.
AMANTINO, Marcia. Parecer para a revista UNISINOS de Historia. 2009.

20.
AMANTINO, Marcia; Engemann, Carlos . A fazenda de Campos Novos e sua história ? séculos XVII e XVIII. 2009.

21.
AMANTINO, Marcia. Revista de História da Unisinos. 2008.

22.
AMANTINO, Marcia. Parecer "ad hoc" para a FAPERJ. 2008.

23.
AMANTINO, Marcia. Parecer "ad hoc" para a Universidade EStadual da Bahia. 2008.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
AMANTINO, Marcia. Sacerdotes, administradores e empreendedores:as bases econômicas do projeto missionário jesuita. 2014. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

2.
AMANTINO, M. ; AMANTINO, Marcia . A sociedade escravista em Macaé. 2007. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

Redes sociais, websites e blogs
1.
Engemann, Carlos ; AMANTINO, Marcia ; CARDOSO, V. M. . Memórias de Cachoeiras de Macacu. 2015. (Site).


Demais tipos de produção técnica
1.
AMANTINO, Marcia. Relatório de Pesquisa apresentado à Pro-reitoria de pesquisa. 2018. (Relatório de pesquisa).

2.
AMANTINO, Marcia. Curso Lei 11645/08 A efetiva aplicação na Rede Municipal de ensino. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
AMANTINO, Marcia. Relatorio de pesquisa apresentado a FAPERJ. 2015. (Relatório de pesquisa).

4.
AMANTINO, Marcia. A pesquisa em história. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

5.
Engemann, Carlos ; AMANTINO, Marcia . A fundação da cidade do Rio de Janeiro e as relações político comerciais com os povos indígenas 2. 2014. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo aula).

6.
Engemann, Carlos ; AMANTINO, Marcia . A fundação da cidade do Rio de Janeiro e as relações político comerciais com os povos indígenas 1. 2013. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo aula).

7.
AMANTINO, Marcia. Relatório de pesquisa apresentado ao CNPq. 2013. (Relatório de pesquisa).

8.
AMANTINO, Marcia. Relatório apresentado a FAPERJ APQ1. 2012. (Relatório de pesquisa).

9.
AMANTINO, Marcia. Relatório apresentado como requisito para conclusão de pós-doutoramento na Universidade de Évora. 2012. (Relatório de pesquisa).

10.
AMANTINO, Marcia. Relatório de pesquisa apresentado a UFMG como requisito final do pos doutorado. 2010. (Relatório de pesquisa).

11.
AMANTINO, Marcia. Relatório apresentado a FAPERJ. 2010. (Relatório de pesquisa).

12.
AMANTINO, Marcia. O ensino da Cultura afro-brasileira no Ensino médio. 2010. (Palestra).

13.
AMANTINO, Marcia. As identidades etnicas no Brasil colônia. 2009. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

14.
AMANTINO, Marcia. Relatorio apresentado à FAPERJ. 2009. (Relatório de pesquisa).

15.
AMANTINO, Marcia. África, escravidão e sociedades indígenas. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

16.
AMANTINO, Marcia. História, historiadores e índios: desafios para um entendimento. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

17.
AMANTINO, Marcia; RODRIGUES, C. . Escravidão e Sociedade Brasileira. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

18.
AMANTINO, Marcia. A escravidão Atlântica. 2006. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

19.
AMANTINO, Marcia. A África e a cultura afro-brasileira. 2004. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

20.
AMANTINO, Marcia. Historia e Cultura Afro brasileira. 2004. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

21.
AMANTINO, Marcia. Cadernos de Estudos e Pesquisas - História. 2004. (Editoração/Periódico).

22.
AMANTINO, Marcia. A história da África nas escolas do ensino fundamental e médio. 2004. (Oficina).

23.
AMANTINO, Marcia. A disciplina de História da África nas escolas do ensino fundamental e médio. 2004. (Palestra).

24.
AMANTINO, Marcia. Construindo identidades. 2003. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

25.
AMANTINO, Marcia. Minas Gerais, seus quilombos e índios. 2003. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

26.
AMANTINO, Marcia. Novos caminhos e ou vertentes historiográficas produzidas atualmente pela historiografia. 2002. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

27.
AMANTINO, Marcia. A escravidão na Província do Rio de Janeiro- século XIX. 1998. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

28.
AMANTINO, Marcia. Escravidão na Província do Rio de Janeiro. 1996. .



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
Engemann, Carlos; Fernandes, Eunícia Barros Barcelos; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Marcia Candida Araújo de Campos. Outros olhares: Uma reflexão sobre a ação catequética nos relato das cartas da Cia de Jesus na América portuguesa (c. 1549-1580). 2015. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira.

2.
QUELHAS, I. T. G.; Falcon, Francisco José Calazans; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Antonio Paulo dos Santos Filho. A presença de elementos medievais em escritos da AMérica portuguesa no século XVIII. 2015. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira.

3.
MELLO, M. E. A. S. E.; COSTA, H. L.; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Kleber Barbosa de Moura. Caixeiros: organização e vivências em Manaus. 2014. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Amazonas.

4.
Priore, Mary Del.; DENER, W.; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Daniele Baptista Martins Ribeiro. Pelo santo poder da cruz: as acusadas pela Terceira Visitação do Santo Ofício ao Grão-Pará e Maranhão no séc. XVIII. 2014. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira.

5.
AMANTINO, Marcia; FLORENTINO, M.. Participação em banca de Letícia Cristina Fonseca Destro. Serão todos filhos de Adão? A invenção da África Negra pelo imaginario cristão a partir da literatura de viagem e cartografia dos seculos XV e XVI. 2012. Dissertação (Mestrado em História Social) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

6.
Priore, Mary Del.; Falci, Miridan B Brito; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Ruth Lucimar Gomes. Mulheres no Acre: uma leitura do cotidiano através da imprensa, 1907-1917.. 2010. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira.

7.
AMANTINO, Marcia; SOUZA, J. L. P.; SANTOS, Joaquim Justino Moura dos. Participação em banca de Maria Izabel Rodrigues Braga. Jacarepaguá dos Teles: um estudo regional na transição do século XIX ao século XX. 2009. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira.

8.
SOUZA, J. L. P.; RODRIGUES, C.; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Josane Rodrigues Boechat. O trafico ilícito na região de Macaé: estratégias, embarcações e traficantes. 2009. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira.

9.
Priore, Mary Del.; WANDERLEY, R. M. M. P.; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Maria Janaina Botelho Correa. A representação da cidade salubre: uma leitura do cotidiano da cidade de Nova Friburgo através da imprensa, 1890-1900. 2008. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira.

10.
AMANTINO, Marcia; COELHO, J. L. L.. Participação em banca de Valdir Nunes dos Santos. As manifestações culturais em Helvécia no Extremo Sul da BA: a dança Bate-Barriga como fabricante de performance afrodescendente. 2007. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) - Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

11.
AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Martha Rebelatto. Fugas escravas e quilombos na Ilha de Santa Catarina, século XIX. 2006. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Santa Catarina.

12.
AMANTINO, Marcia; ROCHA, G. W. F.; SANTOS, M. L.. Participação em banca de Lucilene Nunes da Silva. As condições de saúde do operariado têxtil na Zona da mata Mineira, 1941 - Cataguases. 2005. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

13.
AMANTINO, Marcia; MIRANDA, A. C.. Participação em banca de Deodoro Alves Wirzma. Criança e educação ambiental: uma prática participativa. 2005. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências da saúde e do ambiente) - Centro Universitário Plínio Leite.

Teses de doutorado
1.
FLORENTINO, M.; Soares, Marcio; Machado, Cacilda; Goes, José Roberto; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Vanessa Gomes Ramos Sanches. Cartas de liberdade no Rio de Janeiro oitocentista (1840-1888). 2017. Tese (Doutorado em História Social) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

2.
MOTTA, M. M. M.; SARAVIA, L. F.; SAMPAIO, A. C. J.; CARRARA, A. A.; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Fernando Gaudereto Lamas. Conflitos agrários em Minas Gerais: o processo de conquista da terra na área Central da Zona da Mata 1767-1820. 2013. Tese (Doutorado em DOUTORADO EM HISTÓRIA) - Universidade Federal Fluminense.

3.
Libby, Douglas Colly; Paiva, Eduardo França; IVO, Isnara Pereira; FERREIRA, R. G.; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Rangel Cerceau Netto. Entre as formas de se pensar e as maneiras de se viver: a família mestiça e a vida familiar em Minas Gerais. 2013. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
ROMEIRO, A.; MENESES, J. N.; FURTADO, J. F.; SILVEIRA, M. A.; AMANTINO, Marcia; Paiva, Eduardo França. Participação em banca de Adriano Toledo Paiva. Aranzéis da tradição: cinquistadores nos sertões do ouro (1760-1800). 2013. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

5.
Fernandes, Eunícia Barros Barcelos; Mattos, Ilmar Rholoff de; AMANTINO, Marcia; Oliveira Filho, João Pacheco de; Salles, Ricardo Henrique. Participação em banca de Ana Maria Reis de Faria. Leste Oeste: frentes de expansão em bravo sertão, Rio de Janeiro-Minas Gerais, XVIII-XIX. 2012. Tese (Doutorado em História Social da Cultura) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

6.
AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Celia Nonata da Silva. Sertão Mestiço: mandões e bandidos na Capitania das Minas. 2004. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Qualificações de Doutorado
1.
Almeida, M R C; GARCIA, E.F.; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Marcelo Sant'Ana Lemos. Retirando o manto da invisibilidade dos índios fluminenses e valeparaibanos, 1781-1890. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal Fluminense.

2.
FLORENTINO, M.; Engemann, Carlos; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Ricardo Muniz de Ruiz. A família escrava em Itaguahy: um município escravista no Império do café (século XIX - 1820-1872. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em História Social) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

3.
AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Rangel Cerceau Netto. Entre as formas de se pensar e as maneiras de se viver: a família mestiça em MG nos séc. XVIII e XIX. 2012. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Qualificações de Mestrado
1.
SOUZA, A. B.; Ribeiro, Monica S; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Thales Gustavo Tardivo Costa. Entre administradores, juntas e vice-reis: uma história administrativa da Real Fazenda de Santa Cruz. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

2.
Vianna, Marly de Almeida Gomes; Assis, C. J.S.; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Alex sandro Amaral Rodrigues. Ubirajara MUniz: prefeito cassado com o golpe de 1964. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira.

3.
Engemann, Carlos; FLECK, Eliane C.D.; AMANTINO, Marcia. Participação em banca de Marcia Candida Araujo de Campos. Outros olhares: uma reflexão sobre o contexto institucional e a ação catequética nos relatos das cartas da Cia de Jesus na América portuguesa. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
SARMIENTO, E.; Engemann, Carlos; CARVALHO, M. P.; Vianna, Marly de Almeida Gomes; AMANTINO, Marcia. Seleção para ingresso no Programa de mestrado Universo. 2014. Universidade Salgado de Oliveira.

2.
AMANTINO, Marcia; Freire, Jonis; COSTA, Marcelo Thimoteo da.; SARMENTO, Érica. Selação para ingresso no Programa de Pós Graduação Universo. 2011. Universidade Salgado de Oliveira.

3.
AMANTINO, Marcia; Falcon, Francisco José Calazans; Linhares, Maria Yedda; Vianna, Marly de Almeida Gomes. Seleção para ingresso no Programa de Pos Graduação - mestrado. 2007. Universidade Salgado de Oliveira.

4.
PENNA, L. A.; Falcon, Francisco José Calazans; Linhares, Maria Yedda; PAULO, Heloisa Helena de Jesus; AMANTINO, Marcia. Seleção para ingresso no programa de pós graduação - mestrado. 2006. Universidade Salgado de Oliveira.

Outras participações
1.
AMANTINO, Marcia. 24a. semana de Iniciação científica da UERJ. 2015. Universidade do Estado do Rio de Janeiro.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
IV Semana de História - Viçosa.O indígena no Brasil colonial. 2018. (Outra).

2.
Seminario Corporaciones, servicios al rey y corrupción en Hispanoamerica, siglos XVIII y XIX.Os serviços prestados ao rei no processo de conquista e consolidação da capitania do Rio de Janeiro nos séculos XVI e XVII. 2018. (Seminário).

3.
XXI Encontro Nacional de Estudos populacionais.Viver em família: a comunidade do Engenho Velho da Companhia de Jesus, Rio de Janeiro, século XVIII. 2018. (Encontro).

4.
Encuentro de saberes.A Companhia de Jesus na capitania do Rio de Janeiro, séculos XVI ao XVIII. 2017. (Encontro).

5.
II Congresso Internacional de Estudos Históricos Latino-americanos. Índios e negros convivendo sob a administração jesuitisa no Rio de Janeiro colonial. 2017. (Congresso).

6.
Seminário Permanente do CEPAMM.A Companhia de Jesus e as mestiçagens em suas fazendas, RJ, séculos XVII e XVIII. 2017. (Seminário).

7.
VIII Encontro Internacional Escravidão e Mestiçagens e III Encontro África-Brasil.O cotidiano entre índios e negros nas fazendas jesuíticas do Rio de Janeiro. 2017. (Encontro).

8.
XVI Jornadas Interescuelas Mar del Plata.Coordenação da mesa Presencia en el tiempo: los jesuitas en Iberoamerica. 2017. (Outra).

9.
XVI Jornadas Interescuelas Mar del Plata.As arrematações dos escravos da Fazenda de São Cristóvão, RJ, 1761-1762. 2017. (Outra).

10.
Colóquio Movimentos, trânsitos e Memórias.O Engenho Velho dos jesuítas e sua comunidade por meio de seus livros de batismos, RJ, 1642-1759. 2016. (Outra).

11.
Investindo no sagrado nas Américas (séculos XVI-XIX).Doadores e Companhia de Jesus na capitania do Rio de Janeiro, séculos XVI e XVII: fontes para o entendimento de sua estruturação e de seu poder socioeconomomico. 2016. (Outra).

12.
IV Seminário Fluminense de pós graduandos em História.Populações Coloniais. 2016. (Seminário).

13.
VI Encontro Internacional de História Colonial.O livro de batismos do Engenho Velho e as diferentes qualidades das suas gentes. 2016. (Encontro).

14.
VI Encontro Internacional de História Colonial.Coordenação de mesa redonda Categorias de distinção da escravidão e das mestiçagens na América portuguesa. 2016. (Encontro).

15.
VI Simpósio Internacional sobre religiosidades, cultura y poder.O Engenho Velho dos jesuítas visto por seu auto de sequestro e inventário, Rio de Janeiro, 1759. 2016. (Simpósio).

16.
Encontro de História: trocas historiográficas em História Regional.A Companhia de Jesus e a Fazenda de Nossa senhora da Conceição de Papucaia, sec. XVIII. 2015. (Encontro).

17.
II Forum discente do PPGHB Universo.Conflitos e alianças: militares e poder. 2015. (Encontro).

18.
III Workshop Argentino-Brasileiro de História Comparada.Os jesuitas e os descaminhos na região do Prata. 2015. (Oficina).

19.
Investir en lo sagrado: salvación y dominación territorial en lAmerica y Europa siglos XVI-XX.Os doadores da Companhia de Jesus e a consolidação territorial ao sul da América portuguesa, Rio de Janeiro e São Vicente, 1553-1589. 2015. (Outra).

20.
Congreso Internacional Mestizajes/mestiçagens. A Companhia de Jesus e seu projeto demográfico escravista mestiço, RJ, século XVIII. 2014. (Congresso).

21.
Congreso Internacional Mestizajes/mestiçagens. A Companhia de Jesus e a cidade do Rio de Janeiro: o caso do Engenho Velho, séculos XVII e XVIII. 2014. (Congresso).

22.
Dois períodos de uma mesma história, num mesmo espírito.Os bens da Companhia: meios para a missão. 2014. (Seminário).

23.
VII Simpósio Escravidão e Mestiçagens: Modos de Trabalhar.Trabalhadores mestiços e as fontes históricas. 2014. (Simpósio).

24.
Colóquio Internacional Mobilidade Social e formação de hierarquias.Mobilidades, hierarquias e as condições sócio-jurídicas dos Índios na América portuguesa, séculos XVI- XVIII. 2013. (Seminário).

25.
I seminário de História social Brasil-Argentina.Os escravos da Companhia de Jesus no Rio de Janeiro e em Córdoba no momento dos sequestros de seus bens. 2013. (Seminário).

26.
Senhores e escravos nas sociedades Ibero-Atlânticas. Os escravos da Companhia de jesus na capitania do Rio de Janeiro no período colonial. 2013. (Congresso).

27.
XIV Jornadas Interescuelas.Os jesuítas no Rio de Janeiro e em Córdoba no século XVIII: uma análise comparada de suas atividades econômicas. 2013. (Outra).

28.
X Simpósio de História.A Companhia de Jesus e o império português e espanhol. 2013. (Simpósio).

29.
Colóquio Internacional Cores da Escravidão e Cores da Liberdade.Reprodução endógena e mestiçagens entre negros e índios nas fazendas dos jesuítas na capitania do Rio de Janeiro, século XVIII. 2012. (Outra).

30.
Colóquio Internacional Mestiçagens e identidades intercontinentais nas sociedades lusófonas.Identidades e mestiçagens entre negros e índios e o controle da Companhia de Jesus no Rio de Janeiro colonial. 2012. (Outra).

31.
IV Encontro Internacional de História Colonial.Sobre o papel desempenhado pelos colégios e fazendas da Cia de Jesus: um estudo comparado entre o colégio do RJ e o colégio de Córdoba, séc. XVIII. 2012. (Encontro).

32.
VI Simpósio Escravidão e mestiçagens: religiões e religiosidades.Escravidão, mestiçagens e projetos cristãos dos jesuítas na América portuguesa e espanhola, Argentina colonial e Rio de Janeiro. 2012. (Simpósio).

33.
I Simpósio de História do Brasil colonial.Sobre o papel dos jesuitas no território brasileiro. 2011. (Simpósio).

34.
I Workshop Argentino-Brasileno de Historia comparada.A população escrava das fazendas e estancias jesuiticas: uma comparação entre a capitania do Rio de Janeiro e a Provincia Jesuitica do Paraguai. XVIII. 2011. (Oficina).

35.
Seminário A Companhia de Jesus na América: Pesquisas e contrastes.A presença dos jesuitas na Capitania do Rio de Janeiro. 2011. (Seminário).

36.
Workshop do GP Escravidão, mestiçagem, transito de culturas e globalizaçãoa.Os indios na America portuguesa, séc. XVI-XVIII: aldeados, escravizados e administrados. 2011. (Oficina).

37.
XXVI Simpósio Nacional de HIstória.Fazendas, engenhos e haciendas: os bens materiais e os escravos dos jesuitas na capitania do Rio de janeiro e na Provincia Jesuitica do Paraguai, séc. XVIII. 2011. (Simpósio).

38.
3o. Encontro Internacional de História Colonial.A chegada dos jesuítas ba cappitania do Rio de Janeiro. 2010. (Encontro).

39.
3o. Encontro Internacional de História Colonial.Jesuítas na América portuguesa. 2010. (Encontro).

40.
Encontro do Grupo de pesquisas A Africa em rede.reunião de trabalho. 2010. (Encontro).

41.
III Simposio Internacional sobre religiosida, cultura y poder.Relações economicas e sociais entre os aldeamentos e as fazendas jesuiticas no Rio de Janeiro. 2010. (Simpósio).

42.
III Simposio internacional sobre religiosidad, cultura y poder (III SIRCP).Relaçcoes economicas e sociais entre os aldeamentos e as fazendas jesuiticas no RJ, século XVIII. 2010. (Simpósio).

43.
seminário internacional Cultura, Arte e História: a contribuição dos jesuitas entre os séculos XVI e XIX.Os escravos da Companhia de Jesus na Capitania do Rio de Janeiro.. 2010. (Seminário).

44.
VII Simpósio de História: o passado no presente: reflexões sobre os usos da História.Desvendando imagens construidas sobre a Companhia de Jesus: usos e abusos da história. 2010. (Simpósio).

45.
XII Simpósio Internacional IHU- A experiência missioneira: território, cultura, identidade.Aldeamentos e fazendas jesuíticas: espaços de trocas econômicas e sociais entre índios e negros cativos. 2010. (Simpósio).

46.
XIV Encontro regional da ANPUH-Rio.A Fazenda de Campos Novoa e as políticas de gestão da populaçao e costumes escravos nas fazendas da Cia de Jesus no Rio de Janeiro seculos XVII-XVIII. 2010. (Encontro).

47.
LASA: Rethinking inequalities. Terras, escravos e indios: o poder temporal dos jesuitas na Capitania do Rio de Janeiro no seculo XVIII. 2009. (Congresso).

48.
XXV Simposio nacional de Historia.A expulsao dos Jesuitas da Capitania do Rio de Janeiro: aspectos economicos. 2009. (Simpósio).

49.
Encontro Fontes Históricas:abordagens, narrativas e concepções teóricas.Notas de pesquisa: terras, escravos, índios e o poder dos Jesuítas na Capitania do Rio de Janeiro no século XVIII?. 2008. (Encontro).

50.
II Seminário de História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira.A esravidao em Cataguases e os cativos da família Vieira. 2008. (Seminário).

51.
II Simpósio de História.Os Jesuítas na Capitania do Rio de Janeiro: poder e conflitos. 2008. (Simpósio).

52.
IV Simposio Escravidão e mestiçagens: populações e identidades culturais.Terras, negros escravos e indios: os Jesuitas na Capitania do Rio de Janeiro no século XVIII. 2008. (Simpósio).

53.
IV Simpósio Internacional de estudos sobre América Colonial- CASO.Escravos e terras jesuiticas na America Portuguesa e espanhola no século XVIII. 2008. (Simpósio).

54.
XVI Encontro Regional de História.Relações sociais entre negros e indios nas fazendas inacianas na Capitania do Rio de Janeiro século XVIII. 2008. (Encontro).

55.
3. Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional.Conflitos inter etnicos e tentativas de povoamento dos Sertões do Tibagi. 2007. (Encontro).

56.
I Encontro de Ensino de História.O professor pesquisador: um novo profissional. 2007. (Encontro).

57.
Imperios, religiosidades e etnias. Pombal e a expulsão dos jesuitas: um estudo de caso sobre as fazendas inacianas no Rio de Janeiro setecentista. 2007. (Congresso).

58.
Macaé em fontes primárias: escravidão, cultura e sociedade.Macaé nos séculos XVII e XVIII: origens e povoamento. 2007. (Encontro).

59.
XXIV Simpósio Nacional de História.A escravidão indígena e suas variações: Minas Gerais - séculos XVIII e XIX. 2007. (Simpósio).

60.
III Simpósio de História.Caminhos da liberdade no Brasil escravista: fugas, alforrias, africanos livres e hierarquias sociais. 2006. (Simpósio).

61.
II Simpósio Escravidão e Mestiçagem: histórias comparadas.Práticas religiosas de escravos em Cataguases e Vassouras no século XIX. 2006. (Simpósio).

62.
Seminário de Desenvolvimento Regional. 2006. (Seminário).

63.
I. Seminário de História Econômica e Social da Zona da Mata Mineira.O cotidiano escravo em Cataguases na segunda metade do século XIX. 2005. (Seminário).

64.
I Jornada de Estudos Históricos do programa de Pos Graduação em História Social.Fronteiras, poder e povoamento na Colônia. 2005. (Outra).

65.
II Congresso de Performance e Política das Américas. A presença negra nas danças coloniais brasileiras. 2001. (Congresso).

66.
Ciclo de conferencias das 9 horas: Encontro de mares e terras: corsarios,indios e negros no Brasil e na Noouvelle France.Aldeamentos e fazendas jesuitcas: espaços de sociabilização para indios e ngros, RJ, séc. XVIII. 2000. (Encontro).

67.
Congresso de Performance e Política das Américas. A convivência de índios e quilombolas nas danças folclóricas. 2000. (Congresso).

68.
Semana de História.Os Sertões e a História do Oeste de Minas Gerais no século XVIII. 1999. (Seminário).

69.
VIII Encontro Regional da ANPUH-RJ.A dança do Quilombo. 1998. (Encontro).

70.
Reunião da SBPC. O Aldeamento do Etueto durante o século XIX. 1997. (Congresso).

71.
Encontro de Estudos Africanos.Memórias da escravidão e a condição do negro no Brasil. 1995. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
AMANTINO, Marcia; CARDOSO, V. M. . Diversidades em Estudos Regionais. 2016. (Outro).

2.
AMANTINO, Marcia; CARDOSO, V. M. . A Dolorosa. 2016. (Exposição).

3.
Engemann, Carlos ; AMANTINO, Marcia ; CARDOSO, V. M. . Exposição sobre a construção da matriz de Cachoeiras de Macacu. 2015. (Exposição).

4.
Engemann, Carlos ; AMANTINO, Marcia ; CARDOSO, V. M. . Maurílio Pinheiro. 2015. (Exposição).

5.
Engemann, Carlos ; AMANTINO, Marcia ; CARDOSO, V. M. . Memória e educação em Cachoeiras de Macacu. 2015. (Exposição).

6.
Engemann, Carlos ; AMANTINO, Marcia ; CARDOSO, V. M. . Memória Ferroviária. 2015. (Exposição).

7.
Engemann, Carlos ; AMANTINO, Marcia ; CARDOSO, V. M. . Cachoeiras na imprensa. 2015. (Exposição).

8.
Engemann, Carlos ; AMANTINO, Marcia ; CARDOSO, V. M. . Via Sacra de Maurílio Pinheiro. 2015. (Exposição).

9.
Paiva, Eduardo França ; IVO, Isnara Pereira ; AMANTINO, Marcia ; ANDRADE, F. E. . VII Simpósio EScravidão e Mestiçagens: Modos de trabalhar. 2014. (Congresso).

10.
FLORENTINO, M. ; SOUSA, J. J. V. ; FOGELMAN, P. ; AMANTINO, Marcia . I Seminário de História Social Brasil-Argentina. 2013. (Congresso).

11.
Paiva, Eduardo França ; IVO, Isnara Pereira ; AMANTINO, Marcia . VI Simpósio Escravidão e mestiçagens: religiões e religiosidades. 2012. (Outro).

12.
AMANTINO, Marcia. VI Simpósio Escravidão e mestiçagens: religiões e religiosidades. 2012. (Outro).

13.
AMANTINO, Marcia; MANSO, Maria de Deus Beites . Jesuitas nas Américas: entre o projeto colonial ibérico e a missionação Para maior glória de Deus. 2011. (Outro).

14.
AMANTINO, Marcia; Paiva, Eduardo França . V Encontro Escavidão e Mestiçagens: ambientes, paisagens e espaços. 2010. (Outro).

15.
AMANTINO, Marcia. IV Congresso Latino-americano de Ciëncias sociais e Humanidades: Imagens da Morte. 2010. (Congresso).

16.
AMANTINO, Marcia. 1759-2009:250 anos da expulsão dos jesuitas das Americas. 2009. (Outro).

17.
AMANTINO, Marcia. 1o. Encontro sobre fontes históricas: abordagens, narrativas e concepções teóricas. 2008. (Outro).

18.
AMANTINO, Marcia. Exposição Cativeiro e Liberdade. 2007. (Exposição).

19.
AMANTINO, Marcia; RODRIGUES, C. . Encontro sobre Escravidão, cultura negra e cidadania. 2007. (Outro).

20.
AMANTINO, Marcia. 1o. Encontro Macaé em fontes primárias: escravidão, cultura e sociedade. 2007. (Outro).

21.
AMANTINO, Marcia. VII Jornada Científica e Vi de Inicação Científica da Universo. 2005. (Outro).

22.
AMANTINO, Marcia. IX e X Semanas de História da Universidade Salgado de Oliveira. 2004. (Outro).

23.
AMANTINO, Marcia. VII, VIII, Semanas de História e Geografia da Universidade Salgado de Oliveira. 2002. (Outro).

24.
AMANTINO, Marcia. VI Reunião científica de Sociedade de Arqueologia Brasileira. 1991. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Valdenora de Oliveira Rufino Owerney. Família Gonçalves Martins: riqueza, política, redes de sociabiliddes e escravidão em Resende no século XIX. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Vinicius Maia Cardoso. ?Pouco conhecido, montuoso e emboscado?: Poder, Economia e Dinâmicas de Mestiçagens nos Sertões do Macacu - 1750 a 1800". Início: 2018. Tese (Doutorado em Programa de Pós Graduação em História) - Universidade Salgado de Oliveira. (Orientador).

2.
João Filipe Domingues Brasil. Movimentos, Redes de Relações e Práticas Culturais Chané-Guaná/Kinikinau em Fronteiras (1767 - 1864).. Início: 2018. Tese (Doutorado em Programa de Pós Graduação em História) - Universidade Salgado de Oliveira. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Mirian Cristina Siqueira de Cristo. A elite imperial entre mulas, bruacas, caixas e faluas: Porto das caixas, 1831-1874. 2016. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira, . Orientador: Marcia Sueli Amantino.

2.
Sonia Ferreira Jobim de Carvalho. A Escravidão no Brasil: ensaio histórico, jurídico e social de Agostinho Marques Perdigão Malheiros e seu impacto na elaboração da Lei do Ventre Livre. 2015. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira, . Orientador: Marcia Sueli Amantino.

3.
Agla Santos. São Lourenço dos índios e os ensaios estatísticos do Império (1835-1866). 2014. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira, . Orientador: Marcia Sueli Amantino.

4.
Claudia Cristina Alexandre de Oliveira Santiago. As missões jesuíticas em Angola e suas ligações com a América portuguesa de 1575 a 1592. 2013. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira, . Orientador: Marcia Sueli Amantino.

5.
Kelly Ferreira da Costa Santos. Os desordeiros nas Bandas d'Além na segunda metade do século XVIII. 2010. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira, . Orientador: Marcia Sueli Amantino.

6.
Ronaldo Teixeira do Couto. Os jesuitas na América portuguesa e seus paradigmas: a conquista de riquezas na Capitania do Rio de Janeiro, séculos XVI a XVIII. 2010. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira, . Orientador: Marcia Sueli Amantino.

7.
Vinicius Maia Cardoso. Fazenda do Colégio:família, fortuna e escravismo no Vale do Macacu, séculos XVIII e XIX.. 2009. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira, . Orientador: Marcia Sueli Amantino.

8.
Valdir de Almeida Porto. A Fazenda jesuitica de Sant'Anna de Macaé nos séculos XIII e XIX. 2009. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira, . Orientador: Marcia Sueli Amantino.

9.
Luciano Duarte Peixoto. Tramas e Dramas: o escravo nas peças teatrais do século XIX. 2009. Dissertação (Mestrado em Mestrado em História do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira, . Orientador: Marcia Sueli Amantino.

Monografia de conclusão de curso de aperfeiçoamento/especialização
1.
Alexandre José Vieira Machado Pereira. Os escravos islamizados na Bahia. 2009. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Historia Social do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

2.
Nadia Maria Silva Berendonk. Tráfico clandestino negreiro em Macaé de 1850-70: o caminho da fuga. 2007. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Ensino de História e cultura da África e Afro Bras) - Fundação Educacional de Macaé. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

3.
Lidia de Aguiar Silva de Paula. A Festa de São João em Macaé na segunda metade do século XIX. 2007. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Historia Social do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

4.
Randolpho Radsack Correa. Os escravos e seus crimes em Carangola na segunda metade do século XIX. 2007. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Historia Social do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

5.
Marco Antonio Granito. O TRABALHO ESCRAVO URBANO NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO NAS ICONOGRAFIAS DE JEAN BAPTISTE DEBRET. Uma análise historiográfica da primeira metade do século XIX (1816 - 1834).. 2007. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Historia Social do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

6.
Josane Rodrigues Boechat. Norte Fluminense:lugar de desembarque ilegal do tráfico negreiro em meados do século XIX. 2007. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Ensino de História e cultura da África e Afro Bras) - Fundação Educacional de Macaé. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

7.
Maria Celia de O. Serpa. Abolição e cidadania: a abolição e a luta do negro pelo seu espaço na sociedade brasileira. 2004. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Historia Social do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

8.
Maria Angelica Franceschi. A formação do Estado Nacional na obra O Guarani. 2004. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Historia Social do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

9.
Marilza Pereira de Oliveira. Casa de caridade de Nossa Senhora de Nazareth de Saquarema. 2004. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Historia Social do Brasil) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

10.
Cristiane Almeida de Oliveira. Batismo de escravos em Leopoldina, Minas Gerais, 1860-1880. 2003. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em História do Brasil: ensino e escrita) - Faculdades Integradas de Cataguases. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

11.
Inácio Manuel Neves Frade da Cruz. O caso do Dr. Fritz. 2003. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em História do Brasil: ensino e escrita) - Faculdades Integradas de Cataguases. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

12.
Ana Lígia Rodrigues Silva. Comércio de varejo na praça comercial de Cataguases, 1900-1930. 2003. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em História do Brasil: ensino e escrita) - Faculdades Integradas de Cataguases. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

13.
Lígia Pinheiro Guedes. Testemunhos do período ditatorial: operários e comerciantes em Cataguases, 1964-68. 2003. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em História do Brasil: ensino e escrita) - Faculdades Integradas de Cataguases. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

14.
Milena de Fatima Souza Duarte. O Colégio de Cataguases:origens. 2002. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em História do Brasil: ensino e escrita) - Faculdades Integradas de Cataguases. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

15.
Solange Alves Oliveira Barbosa. Casamentos de livres e escravos em Cataguases, 1852-1888. 2002. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em História do Brasil: ensino e escrita) - Faculdades Integradas de Cataguases. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
João Luiz da Silva Filho. Catalogação do livro de batizado da freguesia de São Sebastião da cidade de Leopoldina. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Faculdade Santa Marcelina. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

2.
Renata Oliveira deAbreu. A família escrava no O Engenho Velho. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

3.
Jordana Castro de Oliveira. O aldeamento jesuítico de Itaguai. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

4.
Evelyn Louise Dutra Capa Quelhas. Estrutura familiar escrava na fazenda do Engenho Velho em 1759. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

5.
Raquel Castro Rodrigues. O desenrolar dos conflitos que sedembocaram no embatefrontal do século XVIII: a expulsão dos jesuitas do Brasil. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

6.
Maria Ortelia Moraes Oliveira. O aldeamento de São Francisco Xavier de Itinga: A importância dos aldeamentos no projeto de colonização e a influência dos jesuítas nesse espaço.. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

7.
Leandro Marins. Marginalidade e identidade nas maltas da capoeira do Rio de Janeiro. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

8.
Kelly Ferreira da Costa Santos. Relações familiares entre os escravos da Fazenda dos Jesuitas em Macaé - 1759. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

9.
Thamiris Carvalho de Campos. Joaquim Nabuco e o fim da escravidão: um abolicionista do Império?. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

10.
Patrícia da Silva Rocha Sampaio. Batismo de escravos:uma possibilidade de resistência na freguesia de Nossa Senhora das Neves- Macaé. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

Iniciação científica
1.
Renata Oliveira de Abreu. A família escrava no Engenho Velho. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

2.
Jordana Castro de Oliveira. O aldeamento jesuítico de Itaguai. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

3.
Dina Siqueira de Carvalho. A Companhia de Jesus e a Armação das Baleias na capitania do Rio de Janeiro, séculos XVII e XVIII. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

4.
Evelyn Louise Dutra Capa. Os escravos dos Jesuitas no Rio de janeiro. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

5.
Vitória daSilveira Martins. Arrematações de escravos sequestrados aos jesuitas na Capitania do Rio de Janeiro. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

6.
Katia de Oliveira Farias. A fazenda jesuitica de São Cristovão. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

7.
Maria Ortelia Moraes Oliveira. O adeamento de São Francisco Xavier de Itinga: a importância dos aldeamentos no processo de catequização indígena. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

8.
Kelly Ferreira da Costa Santos. Relações familiares entre os escravos da Fazenda de Macaé, 1767. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.

9.
Leandro Marins. Levantamento de fontes para a escravidão na província do Rio de Janeiro no século XIX. 2005. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Salgado de Oliveira. Orientador: Marcia Sueli Amantino.



Educação e Popularização de C & T



Artigos
Artigos completos publicados em periódicos
1.
FLORENTINO, M.2012FLORENTINO, M. ; AMANTINO, Marcia . Uma morfologia dos quilombos nas Américas, séculos XVI-XIX. História, Ciências, Saúde-Manguinhos (Impresso), v. 19, p. 259-297, 2012.

2.
AMANTINO, Marcia2014AMANTINO, Marcia. Reprodução endógena e mestiçagens: os escravos nas fazendas jesuíticas na capitania do Rio de Janeiro, 1759-1779. História e Cultura, v. 3, p. 250-273, 2014.


Livros e capítulos
1.
Priore, Mary Del. (Org.) ; AMANTINO, Marcia (Org.) . História dos Homens no Brasil. 1. ed. São Paulo: Unesp, 2013. v. 1. 415p .

2.
Engemann, Carlos (Org.) ; AMANTINO, Marcia (Org.) ; CARVALHO, M. P. (Org.) ; SARMIENTO, E. (Org.) . História Universo - Publicação discente do programa de Mestrado em História da Universidade Salgado de Oliveira. 1. ed. Niteroi: Asoec, 2011. v. 1. 148p .

1.
AMANTINO, Marcia. A escravidão em Cataguases e os cativos da família Vieira. In: Sousa, Jorge Luis Prata; Andrade, Rômulo Garcia de. (Org.). Zona da Mata Mineira: escravos, família e liberdade. 1ed.Rio de Janeiro: Apicuri, 2012, v. 1, p. 13-44.

2.
AMANTINO, Marcia; Freire, Jonis . Ser homem... ser escravo. In: Mary del Priore; Marcia Amantino. (Org.). História dos Homens no Brasil. 1ed.São Paulo: Unesp, 2013, v. 1, p. 15-48.


Textos em jornais de notícias/revistas
1.
AMANTINO, Marcia; Freire, Jonis . Amor em cativeiro. Revista de História (Rio de Janeiro), Rio de Janeiro, p. 26 - 27, 01 fev. 2013.

2.
AMANTINO, Marcia. Sacerdotes, administradores e empreendedores:as bases econômicas do projeto missionário jesuita. Revista do Instituto Humanitas Unisinos, São Leopoldo, p. 28 - 32, 10 nov. 2014.


Apresentações de Trabalho
1.
AMANTINO, Marcia. A escravidão no Norte Fluminense. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
AMANTINO, Marcia. A iconografia europeia sobre indios brasileiros e a reafirmação dsa desigualdades, séculos XVI-XIX. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
AMANTINO, Marcia. A iconografia europeia sobre indios brasileiros e a reafirmação das desigualdades, séculos XVIII e XIX. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).


Cursos de curta duração ministrados
1.
AMANTINO, Marcia. Curso Lei 11645/08 A efetiva aplicação na Rede Municipal de ensino. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Outra).


Desenvolvimento de material didático ou instrucional
1.
Engemann, Carlos ; AMANTINO, Marcia . A fundação da cidade do Rio de Janeiro e as relações político comerciais com os povos indígenas 1. 2013. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo aula).

2.
Engemann, Carlos ; AMANTINO, Marcia . A fundação da cidade do Rio de Janeiro e as relações político comerciais com os povos indígenas 2. 2014. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - vídeo aula).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
AMANTINO, Marcia; CARDOSO, V. M. . Diversidades em Estudos Regionais. 2016. (Outro).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 10/12/2018 às 5:24:23