Paulo Roberto Viana Gentil

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/1035626376037407
  • Última atualização do currículo em 19/11/2018


Possui graduação em Educação Física pela Universidade de Brasília (2000), mestrado em Educação Física pela Universidade Católica de Brasília (2006) e doutorado em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília (2010). Atualmente é professor na Faculdade de Educação Física e Dança da Universidade Federal de Goiás. Atua principalmente nos seguintes temas: treinamento de força, força muscular, composição corporal e doenças crônico-degenerativas. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Paulo Roberto Viana Gentil
Nome em citações bibliográficas
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Educação Física.
Universidade Federal de Goiás - UFG - Campus II
Campus Samambaia - UFG
74690900 - Goiânia, GO - Brasil
Telefone: (62) 35211105
URL da Homepage: http://www.paulogentil.com


Formação acadêmica/titulação


2006 - 2010
Doutorado em Ciências da Saúde.
Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Título: Adaptações neuromusculares do exercício resistido: influência da variação R577X do gene alfa actina 3, Ano de obtenção: 2010.
Orientador: Martim Francisco Bottaro Marques.
2004 - 2006
Mestrado em Educação Física.
Universidade Católica de Brasília, UCB/DF, Brasil.
Título: Interação entre polimorfismos do gene VDR e padrões de atividade física na determinação da DMO de mulheres brasileiras no período pós-menopausa,Ano de Obtenção: 2006.
Orientador: Rinaldo Wellerson Pereira.
Grande área: Ciências Biológicas
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Educação Física.
2003 - 2004
Especialização em Fisiologia do Exercício. (Carga Horária: 360h).
Universidade Veiga de Almeida, UVA/RJ, Brasil.
2001 - 2002
Especialização em Treinamento de Força e Musculação. (Carga Horária: 360h).
Universidade Gama Filho, UGF, Brasil.
1996 - 2000
Graduação em Educação Física.
Universidade de Brasília, UnB, Brasil.




Formação Complementar


1998 - 1998
Extensão universitária em Exercício Físico Terapêutico em Dif. Efermidades. (Carga horária: 40h).
Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
1998 - 1998
Extensão universitária em Musculação. (Carga horária: 100h).
Universidade Gama Filho, UGF, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador Colaborado Pleno


Departamento de Polícia Federal, DPF, Brasil.
Vínculo institucional

2003 - 2014
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 8


Universidade Federal de Goiás, UFG, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.



Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Análise do nível de atividade física, composição corporal, desempenho muscular, qualidade de vida, transtornos de humor, depressão, hábitos alimentares e respostas cardiovasculares de agentes da guarda civil metropolitana

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Carlos Alexandre Vieira em 20/06/2017.
Descrição: Estudos científicos demonstram existir uma relação entre a mortalidade, por todas as causas, e as doenças crônicas em todo o mundo. Para além disso, existem evidências científicas sobre a importância de ser ativo e seus efeitos sobre a redução das doenças crônicos degenerativas, no entanto, na literatura da área não existe um consenso sobre a quantidade de atividade física que pode propiciar um fator preventivo, tão pouco estudos que correlacionem o nível de atividade da população com as variáveis associadas a aptidão física relacionada à saúde. Esse estudo tem características de um projeto ?guarda-chuva?, portanto o objetivo geral desse estudo é determinar o nível de atividade física, perfil antropométrico, desempenho muscular, qualidade de vida, transtornos de humor, depressão, hábitos alimentares e respostas cardiovasculares de Agentes da Guarda Civil Metropolitana de Goiânia (AGCMG). A pesquisa tem duração de três anos, e poderão participar, ao longo do tempo, cerca de 1500 AGCMG. Caso os voluntários concordem em participar do estudo deverão assinar o TCLE e posterior a isso responderão a anamnese e realizarão as medidas antropométricas. Adicionalmente, responderão aos seguintes questionários, em ordem aleatória: qualidade de vida, inventário de depressão, questionário sobre ansiedade, questionário de perfil de estado de humor, escala de fadiga e nível de atividade física. Para além disso serão realizadas as medidas de desempenho muscular e condição aeróbia. Espera-se com os resultados do estudo obter informações sobre os níveis de atividade física e sua associação com as respostas neuromusculares, cardiorrespiratórias, níveis de fadiga, qualidade de vida, transtornos de humor dos AGCMG..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
Avaliação da utilização da internet e das mídias sociais como ferramenta didática por estudantes dos cursos de graduação da área da saúde

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Claudio Andre Barbosa de Lira em 30/08/2017.
Descrição: As mídias sociais cresceram vigorosamente, em quantidade e em número de usuários, nos últimos anos e ganharam dimensões antes inimagináveis e já produzem notórios impactos na vida da população. Muitos estudantes de graduação relatam utilizar as mídias sociais como ferramenta de estudo. Entretanto, pelo menos do que é do nosso conhecimento, nenhum estudo avaliou qualitativamente a utilização das mídias sociais por estudantes de graduação da área da saúde. Portanto, o objetivo do presente estudo é caracterizar o perfil de uso das mídias sociais por estudantes dos cursos de graduação da área da saúde da Universidade Federal de Goiás (UFG). Serão convidados a fazer parte do estudo, 500 estudantes de graduação, de ambos os sexos, dos cursos da área da saúde da UFG. Os voluntários serão recrutados por meio de contato direto dos pesquisadores e cartazes afixados nos murais da UFG. Para atender aos objetivos propostos, foi criado um questionário, contendo 10 questões, para investigar as fontes de pesquisa utilizadas por estudantes de graduação da área da saúde. O questionário é dividido em duas partes: 1-Dados pessoais e acadêmicos (6 questões) e 2-Fontes de pesquisa (4 questões). Todos os procedimentos do estudos serão submetidos à aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da UFG..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
Perfil antropomérico e prevalência de obesidade de indivíduos atendidos por unidades básicas de saúde

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Tadeu João Ribeiro Baptista em 22/06/2017.
Descrição: Estudos científicos demonstram existir uma relação entre a mortalidade, por todas as causas, e as doenças crônicas em todo o mundo, estando entre as que mais preocupam, a obesidade. Para além disso, existem evidências científicas sobre a importância de ser ativo e seus efeitos sobre a redução das doenças crônicos degenerativas, no entanto, na literatura da área não existe um consenso sobre a quantidade de atividade física que pode propiciar um fator preventivo, tão pouco estudos que correlacionem o nível de atividade da população com as variáveis associadas a aptidão física relacionada à saúde, portanto o objetivo geral desse estudo é Determinar o perfil antropométrico, dos indivíduos atendidos por Equipes das Estratégias de Saúde da Família da Cidade de Goiânia. Tem-se como objetivos específicos: a) Correlacionar o perfil antropométrico com a faixa etária; b) correlacionar o perfil antropométrico com o sexo das pessoas atendidas e; c) fazer uma estimativa do nível de obesidade em diferentes Unidades de Atenção Básica à Saúde e Distritos Sanitários na cidade de Goiânia. A pesquisa tem duração de três anos e será desenvolvida em duas etapas. Em um primeiro momento, pretende-se analisar as informações referentes ao perfil antropométrico, que foram coletadas em atividades de estágio do curso de Bacharelado em Educação Física em uma Unidade de Saúde da Família durante o ano de 2011. Essas informações fazem parte do banco de dados anônimo e construído inicialmente em uma planilha excel. Em um segundo momento, pretende-se ampliar esta amostragem com a coleta de dados em outros CS, os quais sejam autorizados pela Secretaria Municipal de Saúde e pelas gestões das UABSF?s e CS?S. O banco de dados gerado inicialmente conta com aproximadamente 1000 pessoas atendidas por uma Equipe de Estratégia de Saúde da Família (ESF), espera-se analisar em torno de 20.000 prontuários no total..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
Análise das práticas adotadas por praticantes de treinamento resistido

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Claudio Andre Barbosa de Lira em 22/06/2017.
Descrição: Devido aos reconhecidos benefícios para a saúde, o treinamento resistido tornou-se parte integrante de um programa de condicionamento físico. O tempo de repouso entre as séries é um dos determinantes da intensidade do exercício e, consequentemente, dos resultados obtidos e por esse motivo deve ser controlado. A maneira mais precisa/confiável de controlar o tempo de repouso entre as séries é através de relógio/cronômetro. Objetivo: Considerando a importância do controle do intervalo de recuperação para o treinamento resistido, os objetivos do presente estudo são avaliar (1) se o praticante de treinamento resistido controla o intervalo de recuperação e (2) como controla o intervalo de recuperação. Métodos: Serão selecionados 500 voluntários, de ambos os sexos, participantes de treinamento resistido. Para atender os objetivos propostos, foi criado um questionário constituído por 30 questões e dividido em duas partes: 1-dados pessoais (profissão, escolaridade e doenças existentes) e 2-atividade física (práticas adotados no treinamento resistido). Os dados serão analisados por meio de estatística descritiva (média, desvio padrão, frequência absoluta e frequência relativa). Todos os procedimentos experimentais do presente estudo serão submetidos à apreciação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Goiás..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
Efeitos agudos e crônicos de diferentes programas de treinamento em atletas paralímpicos.

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Gustavo De Conti Teixeira Costa em 20/06/2017.
Descrição: O desempenho esportivo é correlacionado com a periodização do treinamento e, dentre as valências físicas, a força e a potência são críticas para o alcance de desempenho superiores. Para tal, torna-se necessário o planejamento sistemático e a estruturação das variáveis de treinamento (intensidade, volume, frequência e repouso) ao longo de períodos determinados de treinamento visando maximizar os ganhos de desempenho e minimizar o potencial de over training ou decréscimos no desempenho. Desta forma, torna-se interessante analisar a relação entre o tipo de periodização, o esporte praticado e a alteração na produção de força e potência, bem como compreender a relação multidimensional dos fatores inerentes ao desempenho esportivo. Neste contexto, o objetivo do presente estudo é analisar, avaliar e comparar o desempenho físico de atletas de halterofilismo paraolímpico, segundo os modelos tradicionais e contemporâneos de periodização. A amostra do presente estudo será composta por praticantes de halterofilismo paraolímpico, maiores de 18 anos, e os parâmetros analisados serão: avaliação antropométrica, avaliação da composição corporal, potência, força muscular, torque e humor. Os programas de treinamento envolverão exercícios básicos de treinamento de força realizados segundo as diretrizes de segurança estabelecidas. Assim, serão avaliadas: Intervalos entre as sessões de treino, dentro da sessão de treino e a seleção de exercícios poderá contar com exercícios uni ou multiarticulares, variando-se a ordem em que determinados grupos musculares ou exercícios são executados..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
Influência do uso do aparelho celular sobre variáveis fisiológicas, biomecânicas e posturais avaliadas durante a marcha

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Claudio Andre Barbosa de Lira em 22/06/2017.
Descrição: O aparelho celular se tornou um objeto comum na vida dos brasileiros. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE (2013), 77,9% dos brasileiros com mais de 10 anos possuem ao menos um aparelho celular. Em virtude do grande número de funções desempenhadas pelo aparelho, cresce o número de adeptos dessa tecnologia. É comum a utilização do celular, por exemplo, para acessar a internet e aplicativos de troca de mensagens de texto. Neste contexto, é comum as pessoas utilizarem o aparelho celular concomitantemente com outra atividade, tais como, dirigir e caminhar. Neste sentido, já foi demonstrado que utilizar o celular ao mesmo tempo que se conduz um veículo aumenta sobremaneira o risco de acidentes. Também foi demonstrado que variáveis biomecânicas da marcha são alteradas durante o uso concomitante do aparelho celular, podendo aumentar o risco de queda. Entretanto, pelo menos do que é do nosso conhecimento, não existem trabalhos que investigaram os efeitos do uso do aparelho celular sobre as variáveis fisiológicas durante a marcha. Portanto, o objetivos do presente estudo é avaliar as respostas fisiológicas e posturais de jovens adultos de ambos os sexo enquanto caminham e utilizam aparelho celular. Para tanto, serão convidados a participar do estudo 40 indivíduos de ambos os sexos (20 homens e 20 mulheres). O estudo será conduzido em cinco etapas realizadas em dois dias: 1ª etapa ? Anamnese e avaliação antropométrica (dia 1), 2ª e 3a etapas - Avaliação das respostas fisiológicas, biomecânicas e posturais ao exercício durante a caminhada em esteira (dia 1), 4ª e 5a etapas - Avaliação das respostas fisiológicas e biomecânicas ao exercício durante a caminhada em pista (dia 2)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
Efeito da suplementação de creatina associada ou não ao treinamento resistido em obesos submetidos à cirurgia bariátrica
Descrição: A cirurgia bariátrica tem sido considerada uma das estratégias mais eficazes para o tratamento da obesidade mundialmente. Todavia, este procedimento está intimamente relacionado com a depleção de massa magra, tecidos muscular e ósseo. A perda de massa muscular, resultante de degradação proteica aumentada, causa déficits funcionais e orgânicos, trazendo consequências como fraqueza muscular, lentidão dos movimentos, fadiga precoce, limitações funcionais, diminuição da amplitude de movimento articular e encurtamentos musculares. O conjunto destas alterações caracteriza a sarcopenia. A combinação da sarcopenia com a obesidade está associada ao processo inflamatório, uma vez que o tecido adiposo produz citocinas inflamatórias que estimulam o catabolismo proteico, estabelecendo dessa forma um ciclo vicioso que acelera a perda de massa magra. Além da massa muscular, a perda de massa óssea também tem efeito negativo sobre a agilidade e o equilíbrio, aumentando-se os riscos de quedas, lesões e fraturas. Assim, em decorrência do grande impacto que a cirurgia bariátrica causa no estado de saúde e na qualidade de vida da população obesa, o objetivo deste estudo é avaliar o efeito da suplementação de creatina monohidratada associada ou não ao exercício resistido sobre a composição corporal, a massa óssea, a força, as concentrações de citocinas inflamatórias, a resistência à insulina e a qualidade de vida de indivíduos submetidos ao procedimento de cirurgia bariátrica. O estudo será do tipo ensaio clínico, duplo-cego, randomizado, controlado por placebo com duração de 06 meses. O estudo será dividido em duas fases (M1 a M2 / M2 a M3) e composto por três momentos de avaliação: antes da cirurgia (M1), após três meses (M2) e seis meses (M3) de intervenção..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
Síndrome metabólica: respostas metabólicas, oxidativas e inflamatórias de programas de exercício físico e nutricional em escolares de 4 a 11 anos de Santo Antônio de Goiás
Descrição: A prevalência da síndrome metabólica (SM) em crianças tem crescido nas últimas décadas, configura fator de risco para doença cardiovascular, têm como principal fator a obesidade e se associa com o processo inflamatório, oxidativo, sedentarismo e alterações séricas de micronutrientes. O objetivo do estudo foi avaliar o efeito de programas de exercício físico e nutricional sobre as respostas metabólicas, oxidativas e inflamatórias em escolares de 4 a 11 anos de idade. As crianças serão selecionadas da população de escolares de 4 a 11 anos do município de Santo Antônio de Goiás. Serão avaliadas as variáveis: bioquímicas (glicemia de jejum e perfil lipídico), antropométricas (circunferência da cintura) e sinais clínicos (aferição da pressão arterial). Também serão avaliados o índice de massa corporal, a composição corporal, os níveis séricos de proteína C-reativa (PCR), homocisteína, glutationa peroxidase, por meio de técnicas específicas, além da capacidade física (PROESP-BR) e cardiorrespiratória (teste de esforço cardiopulmonar ? TECP). Serão realizados estudos: 1) transversal que avaliará a prevalência da síndrome metabólica, composição corporal em crianças e o processo inflamatório por meio da PCR; 2) estudos caso-controle que estimarão a concentração de enzimas envolvidas no processo oxidativo; determinarão a aptidão física e cardiorrespiratória das crianças com e sem síndrome metabólica e, avaliarão a relação da obesidade e da resistência à insulina com a deficiência de vitamina A e seu ligante RBP-4; 3) ensaio clínico que avaliarão os efeitos da suplementação de vitamina D, da educação alimentar e nutricional e dos exercícios físicos sobre os fatores antropométricos e bioquímicos de crianças com e sem síndrome metabólica, ou em criança com e sem excesso de peso corporal. Os dados serão analisados no Statistical Package Social Science (SPSS). O valor de p considerado será <0,05..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
Efeitos agudos e crônicos de diferentes tipos de treinamento resistido sobre a pressão arterial e outros fatores de risco cardiovasculares
Descrição: A hipertensão arterial é uma das principais causas de morte do Mundo e está associada a diversos problemas de saúde, como infarto do miocárdio e eventos cerebrovasculares. Atualmente, os índices de prevalência refletem que a hipertensão arterial vem se tornando um grave problema de saúde pública entre a população urbana do Brasil. Habitualmente, seu tratamento envolve intervenções farmacológicas e comportamentais, com mudanças em hábitos alimentares e estímulo à prática de exercícios físicos. Dentre os tipos de exercício, o treinamento resistido têm ganhado destaque, pois além de diminuir a pressão arterial, ele também produz alterações positivas, como melhoras na força, as quais estão associadas com aumento da longevidade no hipertenso. Para alcançar seus objetivos o treinamento resistido pode sofrer manipulação de diversas variáveis, como carga, quantidade de repetições, velocidade de execução, seleção de exercícios, etc. No entanto, os estudos dessas variáveis habitualmente se limitam a pessoas saudáveis e existem poucos estudos que tenham avaliados os efeitos agudos do treinamento em hipertensos, impedindo a definição de quais protocolos seriam mais seguros para essa população. Além disso, é importante compreender os efeitos desses protocolos no longo prazo, para que se posso escolher estratégias que, ao mesmo tempo, sejam seguras e eficientes. Outro ponto que também merece maior atenção são as medidas de pressão central, que parece estar mais fortemente relacionadas com a função do órgãos alvos (coração, rins) e danos cardiovasculares, podendo assim trazer novas perspectivas e dados adicionais para a estratificação cardiovascular no manejo de pacientes com hipertensão arterial e doença cardiovascular. No entanto, boa parte dos estudos sobre o tema foram realizados com medidas de pressão arterial periférica. Desse modo, o objetivo do presente estudo é avaliar e comparar os efeitos de diferentes protocolos de Treinamento Resistido sobre as respostas agudas e crônicas da pressão arterial central e periférica em pessoas hipertensas..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Paulo Roberto Viana Gentil - Coordenador / MÁRIO HEBLING CAMPOS - Integrante / CARLOS ALEXANDRE VIEIRA - Integrante / CLAUDIO ANDRE BARBOSA DE LIRA - Integrante / JULIANA ALVES CARNEIRO - Integrante / THIAGO DE SOUZA VEIGA JARDIM - Integrante / Camila Simões Seguro - Integrante.
2016 - Atual
Análise das práticas adotadas por competidores e praticantes de fisiculturismo
Descrição: O fisiculturismo é uma atividade em que os participantes são avaliados pelos níveis elevados de massa muscular associados com baixa gordura corporal. Tal aparência é decorrente da combinação de treinamento resistido, dietas, suplementos alimentares e recursos farmacológicos. No entanto, a maioria dessas estratégias é baseada no senso comum, e não em evidências científicas, o que pode gerar danos graves à saúde e resultados sub ótimos. No entanto, muitas das práticas podem não ser necessárias, ou mesmo contraproducentes para os objetivos propostos. Desse modo, empregar uma visão crítica das práticas adotadas e propor alternativas baseadas em evidências científicas pode ajudar fisiculturistas a preservarem suas saúdes sem prejudicar seus resultados. Vale destacar que esse tipo de análise teria um alcance mais amplo do que o fisiculturismo em si, já que as práticas associadas à modalidade costumam ser adotadas por muitas pessoas, especialmente as interessadas em aumentar a massa muscular e/ou reduzir a gordura corporal. Desse modo, o presente projeto tem como objetivo analisar as práticas adotadas por competidores e praticantes e fisiculturismo. O estudo será realizado com homens e mulheres adultos que sejam praticantes ou competidores de fisiculturismo, selecionados por diversas vias, como as chamadas abertas e buscas nas redes sociais, além da busca pelos participantes de campeonatos de fisiculturismo. Também serão usados informantes-chave, pessoas com conhecimento e envolvimento na área que poderão facilitar a aproximação dos investigadores à população-alvo. Posteriormente, se continuará a seleção com a técnica de amostragem por cadeias, em especial pela técnica bola-de-neve, por meio da qual os primeiros entrevistados indicarão outros, que, por sua vez, indicaram outros, e assim sucessivamente. Como instrumentos principais serão adotadas as entrevistas estruturada e semi estruturada, sendo esta última direcionada por questionário composto por perguntas abertas e fechadas. Os relatórios serão individualmente avaliados e interpretados, e também sintetizados por meio de números e padrões gerais. Avaliações adicionais de composição corporal, bem como de capacidade física poderão ser realizadas para complementar ou esclarecer as informações obtidas e suas implicações..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Paulo Roberto Viana Gentil - Coordenador / MÁRIO HEBLING CAMPOS - Integrante / CARLOS ALEXANDRE VIEIRA - Integrante / CLAUDIO ANDRE BARBOSA DE LIRA - Integrante / TADEU JOÃO RIBEIRO BAPTISTA - Integrante.
2016 - Atual
Avaliação das variáveis cardiorrespiratórias e metabólicas em pacientes coronariopatas submetidos a diferentes tipos de treinamento intervalado: ensaio clínico randomizado
Descrição: Contextualização: O treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) tem se mostrado mais eficiente que outras formas de exercício para promover melhoras clínicas e funcionais em pacientes com problemas cardíacos. No entanto, há muitas formas possíveis de se realizar HIIT, o que resulta em sérios questionamentos com relação a segurança e eficiência dessas variações. Apesar de o HIIT ter sido recomendado como parte de programas de reabilitação para pessoas com doenças cardiovasculares, há carência de estudos que tenham comparado e correlacionado as variáveis cardiovasculares, ventilatórias e metabólicas com os benefícios de diferentes protocolos de treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) sobre a capacidade funcional aeróbia e a modulação autonômica da frequência cardíaca e biomarcadores inflamatórios em indivíduos que apresentam fatores de risco para DAC ou então a DAC já estabelecida. Objetivos: Avaliar e comparar a influência de diferentes protocolos de HIIT sobre a modulação autonômica da frequência cardíaca; sobre as variáveis cardiorrespiratórias e metabólicas e testes funcionais e sobre os biomarcadores inflamatórios. Material e Métodos: Ensaio clínico randomizado com características de um estudo longitudinal e amostragem tipo não-probabilística de casos consecutivos de coronariopatas serviço de hemodinâmica do Hospital das Clínicas ? UFG, Goiânia, Goiás, Brasil. A amostra será composta de 120 homens entre 35 e 70 anos coronariopatas que realizaram cateterismo (CAT) com no mínimo 30 dias apresentando lesão coronária de 30 a 70%, sem intervenção cirúrgica stent. Em primeira etapa os voluntários serão divididos em dois grupos: pacientes com disfunção sistólica (DS), caracterizada por fração de ejeção <50%, pacientes com função sistólica preservada (FP). Em segunda etapa os integrantes dos grupos DS e FS serão randomizados em: grupo 1 (G1) realizará 3 tiros de 4 minutos a 90-95% da frequência cardíaca máxima (FCM) intercalados por 3 minutos de intervalo a 50-60% da FCM; grupo 2 (G2) realizará 20 tiros a 100% da velocidade equivalente ao VO2máx (vVO2max) com intervalos de 30 segundos a 50% of vVO2máx, o grupo controle (GC) não realizará HIIT. Os voluntários passarão pelas seguintes etapas: a)Avaliação clínica médica e anamnese; b): Eletrocardiograma em repouso; c) Teste ergométrico; d) Exames bioquímicos de sangue e biomarcadores inflamatórios; e) Captação da FC e dos intervalos R-R durante o repouso; f) Teste cardiopulmonar do tipo rampa g) Teste Glittre; h) Teste de Caminhada de 6 min; i) Incremental Shuttle walk test; j) Sit-to-Stand 5 e 60; Avaliação da resistência muscular e Força muscular periférica. A intervenção de treinamento físico será a partir dos protocolos HIIT durante 24 semanas. A escolha dos testes estatísticos dependerá dos resultados dos testes, das distribuições encontradas e da homogeneidade ou não das respectivas variâncias..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Paulo Roberto Viana Gentil - Coordenador / JULIANA ALVES CARNEIRO - Integrante / ANA CRISTINA SILVA REBELO - Integrante / Camila Simões Seguro - Integrante / Marco Antonio Basso Filho - Integrante.
2016 - Atual
Adaptações agudas e crônicas de diferentes protocolos de treinamento resistido e concorrente
Descrição: O treinamento resistido é um método essencial nos programas de treinamento para diversos fins e níveis de aptidão física. É considerado seguro para todas as faixas etárias, saudáveis, atletas ou ate mesmo portadores de doenças crônicas. Essa modalidade tem sido muito usada pela sua importância em parâmetros de saúde, o que está associado aos seus benefícios como aumento da força muscular, redução de gordura corporal, melhoras na flexibilidade, dentre outros. Inúmeras variáveis devem ser consideradas na montagem do programa de treinamento resistido como: número de séries e repetições, intervalo entre séries e exercício, cadência, ordem dos exercícios, frequência semanal, amplitude de movimento, intensidade dentre outros. No entanto, ainda não se tem uma compreensão adequada de quais variações seriam mais eficientes ou da melhor forma de emprega-las. Dessa maneira, o objetivo do presente estudo é comparar alterações agudas e crônicas da composição corporal, metabólicas e nível de força entre diferentes volumes e intensidades de treinamento resistido e concorrente, verificando a contribuição de cada um nos parâmetros avaliados..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Paulo Roberto Viana Gentil - Coordenador / MÁRIO HEBLING CAMPOS - Integrante / CLAUDIO ANDRE BARBOSA DE LIRA - Integrante / JULIANA ALVES CARNEIRO - Integrante / MARIA SEBASTIANA SILVA - Integrante / Marcelo Henrique Silva - Integrante.
2016 - Atual
Relações entre aptidão física e desempenho de atletas de lutas
Descrição: As modalidades de combate são os esportes mais antigas e praticadas do mundo e caracteriza-se como um esporte de contato e alta intensidade, no qual um atleta procura manter superioridade através do controle físico do adversário. O objetivo destas modalidades esportivas estilos é imobilizar os adversários de modo vencer os seus adversários de maneira mais rápida e eficiente. No Brasil, o interesse por esses esportes tem aumentado nos últimos anos. Aproximadamente 10.000 atletas inscritos em 5 confederações nacionais que participam regularmente de campeonatos. Apesar de um crescimento das práticas de modalidade esportiva de combate de forma generalizada, ainda existe uma despreparação de treinadores e preparadores físicos, faltando conhecimento fisiológico e cinesiológico manifestados durante a luta, o que predispõe aos seus atletas um treinamento de forma empírica baseado em conhecimentos ultrapassados que duram mais de décadas. Nos Jogos olímpicos a Luta Olímpica apresentam relevância pois tanto a Luta Greco Romana quanto a Luta Livre Olímpica distribuem um percentual muito grande de medalhas em eventos multiesportivos. Tanto a Luta Livre Olímpica quanto a Luta Greco Romana apresentam habilidades técnicas para serem incrementadas em outras modalidades de luta como por exemplo o MMA, pois ambas são modalidades esportivas em que seu lutadores tem como objetivo dominar os seus adversários. Deste modo, o presente estudo torna-se relevante por investigar de maneira objetiva o papel da aptidão física no padrão de luta e no desempenho competitivo.Neste sentido o objetivo é relacionar as variáveis da aptidão física com parâmetros de análise temporo ? movimento e técnico ? táctica em atletas de lutas em geral..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Paulo Roberto Viana Gentil - Coordenador / Fabrício Boscolo Del Vecchio - Integrante / MARIA SEBASTIANA SILVA - Integrante.
2015 - Atual
Efeitos do treinamento resistido sobre a qualidade de vida, transtornos de humor, curvatura vertebral, indicadores de fadiga e desempenho muscular em sobreviventes de câncer de mama

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Carlos Alexandre Vieira em 20/06/2017.
Descrição: Evidências científicas reportam que um programa de exercício para sobreviventes de câncer de mama (SCM) deve combinar treinamento resistido e exercícios aeróbios, contudo, questões fundamentais ainda necessitam ser respondidas. Existem estudos pesquisando os efeitos do treinamento resistido nas diferentes populações, faixas etárias, gênero, entretanto, não sabemos se esses resultados podem ser aplicados a SCM, tão pouco sabemos sobre os efeitos desses exercícios para essa população. Portanto o objetivo do presente estudo será avaliar os efeitos do treinamento resistido nas respostas neuromusculares, cardiorrespiratórias, níveis de fadiga, qualidade de vida, transtornos de humor e curvatura vertebral de mulheres sobreviventes de câncer de mama (SCM) e grupo controle de mulheres aparentemente saudáveis (CNT). A pesquisa tem duração de três anos e poderão participar cerca de 300 mulheres ao longo do tempo. As mulheres SCM serão recrutadas no Hospital Universitário de Goiânia (Hospital das Clínicas) e no Hospital Araújo Jorge, as voluntárias do grupo CNT serão recrutadas nas regiões centrais e arredores da cidade de Goiânia. As voluntárias deverão assinar o TCLE, responder a anamnese, o questionário sobre a qualidade de vida, escala de humor e perfil de estado de humor, escala de fadiga de Piper e realizar as medidas antropométricas, espessura muscular, densitometria óssea, medidas de força máxima isométrica e dinâmica e medidas de Consumo Máximo de Oxigênio. Essas medidas serão realizadas pré e pós intervenções. As voluntárias serão submetidas a uma semana de familiarização e na sequência serão submetidas aos protocolos de treinamento. Ao término dos protocolos as voluntárias serão submetidas à mesma bateria de teste realizada pré treinamento. Espera-se com os resultados desse projeto, determinar parâmetros que possam ser utilizados para a prescrição de exercícios para mulheres SCM, bem como avaliar o impacto dos exercícios para essa população..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2015 - Atual
Estudo da dinâmica da frequência cardíaca a partir do teste cardiopulmonar de esforço em pacientes com síndrome metabólica: estudo randomizado
Descrição: Diversos estudos têm mostrado importante correlação entre a resposta lenta da recuperação frequência cardíaca (FC) e do consumo de oxigênio (VO2) e maior índice de desfechos graves em eventos cardiovasculares tanto em paciente de doença arterial coronariana (DAC) quanto em pacientes normais. Sabe-se da ação inflamatória da síndrome metabólica que pode contribuir para tais desfechos. Com isso torna-se necessário esclarecer sobre os mecanismos que levam a essa lentificação da FC e do VO2 na transição repouso-exercício-recuperação, o presente estudo tem como objetivo investigar os efeitos do envelhecimento e da síndrome metabólica (SM) sobre a dinâmica da frequência cardíaca (FC) e consumo de oxigênio (VO2) durante as passagens repouso-exercício-recuperação (fase-on e fase-off), antes e após intervenção com exercício físico. Os sujeitos serão submetidos ao teste cardiopulmonar para verificação da resposta muscular e cardiorrespiratória na transição repouso-exercício recuperação, posteriormente passarão por um período de intervenção com um protocolo de treinamento físico combinado (aeróbico + resistido + flexibilidade) e, após esse tempo passarão por uma reavaliação para verificar as alterações e possíveis melhoras na resposta cardiorrespiratória..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2015 - Atual
Efeito de diferentes protocolos de treino intervalado de alta intensidade em jovens
Descrição: O treinamento intervalado consiste em esforços de alta intensidade intercalados por períodos de recuperação, passiva ou em menor intensidade. Esse tipo de treino vem sendo usado há mais de um século com diferentes objetivos. Mais recentemente, o treinamento intervalado foi redescoberto pelas suas aplicações voltadas para o campo da saúde e emagrecimento. Com relação às aplicações voltadas ao emagrecimento, uma revisão sobre o tema sugere que a perda de gordura com essa modalidade é superior à obtida com atividades contínuas de intensidade moderada a baixa e os estudos indicam que a perda de peso parece ser maior mesmo que o gasto calórico obtido com o treino intervalado seja menor ou igual ao do treino contínuo. Tais resultados podem ser atribuídos aos efeitos do treinamento intervalado no metabolismo, promovendo aumento do gasto energético de repouso e maior utilização de gordura. Entretanto, os estudos sobre os efeitos do treinamento intervalado no metabolismo e no emagrecimento normalmente o compararam com atividades moderadas e contínuas que sugere que tal modalidade seja eficiente em relação aos modelos contínuos, mas não permite estabelecer se existe algum tipo de protocolo que promova maiores resultados nesse sentido. Como existem diversas maneiras de se realizar o treinamento intervalado, o conhecimento sobre os efeitos de protocolos específicos é necessário para embasar as decisões dos profissionais de saúde. Dois dos tipos mais populares de treinamento intervalado são os apresentados pelo grupo de Tabata e pelo grupo de Gibala. O protocolo proposto por Izumi Tabata consiste na realização de 7 a 8 séries de 20 segundos de esforço intercalados por 10 segundos de recuperação. Já o protocolo proposto por Martin Gibala consiste na realização de 4-6 esforços máximo de 30 segundos intercalados por 4 minutos de recuperação. Tais protocolos ganharam notoriedade por induzirem adaptações cardiovasculares e de desempenho iguais ou superiores ao treinamento continuo em intensidade moderada, a despeito do menor volume de exercício. Além disso, o fato de não precisarem de testes complexos para definição da intensidade, os levaram a ser amplamente utilizados em centros de atividade física, especialmente por pessoas buscando melhorias na composição corporal. Outros protocolos que ganham destaque são os usados em reabilitação pelo grupo de Ulrich Wisloff que envolvem esforços de 4 minutos a cerca de 90% da frequência cardíaca máxima (FCM) com intervalos de 3 minutos a 70% da FCM. Já o protocolo composto por 30 segundos de esforço na velocidade correspondente a 100% do consumo máximo de oxigênio ( ) intercalados por 30 segundos de recuperação ativa, apresentado por Billat, é bastante popular no atletismo, por permitir que se trabalhe em intensidade elevada e por promover adaptações importantes para performance. No entanto, apesar de sua popularidade, os efeitos desses protocolos no metabolismo de repouso e de gordura permanecem desconhecidos, bem como a comparação entre eles. Desse modo, o objetivo do presente estudo será comparar os efeitos de diferentes tipos de treino intervalado em indivíduos jovens..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2014 - Atual
Síndrome metabólica: prevalência e efeitos do exercício físico e da suplementação nutricional em adultos e idosos da cidade de santo antônio de goiás
Descrição: A síndrome metabólica (SM) é uma condição fisiopatológica que configura risco eminente para as doenças cardiovasculares e aumentam a taxa de mortalidade da população. A SM ainda precisa ser mais bem compreendida, e também são necessários estudos populacionais onde se promova e avalie estratégias de intervenção para o tratamento da mesma. Neste sentido, o objetivo do presente estudo é determinar a prevalência e avaliar os parâmetros fisiológicos, metabólicos e nutricionais relacionados à síndrome metabólica, antes e após a prática de exercícios físicos e a suplementação de cúrcuma, linhaça ou amêndoa de baru, da população adulta e idosa do município de Santo Antônio de Goiás. Todos os sujeitos serão recrutados por meio do Programa de Estratégia de Saúde de Família. Após assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, responderão questionário com dados sócioeconômico e serão submetidos a testes e exames bioquímicos para se detectar os fatores de riscos para as doenças cardiovasculares e determinação da prevalência da SM. Em continuidade, serão estruturados grupos de indivíduos com e sem SM que participaram dos protocolos de intervenção: prática de exercícios físicos e suplementação alimentar, durante 6 meses. Serão construídos 8 grupos contendo 30 sujeitos cada: 1 grupo com SM que participará do programa de exercícios físicos (G1); 1 grupo sem SM que participará do programa de exercícios físicos (G2); 1 grupo com SM que receberá a suplementação de cúrcuma (G3); 1 grupo sem SM que receberá a suplementação de cúrcuma (G4); 1 grupo com SM que receberá suplementação de linhaça (G5); 1 grupo sem SM que receberá suplementação de linhaça (G6); 1 grupo placebo (receberá sache com substância inerte) (G7), 1 grupo controle (não participa dos protocolos de intervenção) (G8), 1 grupo com diabetes tipo 2 que consumirá amêndoa de baru (G9) e 1 grupo com diabetes que consumirá placebo (cápsula de amido de milho) (G10)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2011 - Atual
Avaliação cinemática da postura vertebral
Descrição: Trata-se de um projeto guarda-chuva? que tem o objetivo de investigar o comportamento cinemático da coluna vertebral e desenvolver métodos de avaliação postural de baixo custo. Teve início em 2011 e será desenvolvido continuamente, com data prevista para finalização da próxima etapa para 2020. Durante os experimentos, uma câmera fotográfica digital será utilizada para registro de posturas estáticas e cinco filmadoras digitais (100 Hz) irão registrar situações de movimentação corporal. Cerca de 75 marcadores retrorrefletivos, retangulares (1,2 x 0,8 cm) e esféricos (1,7 cm de diâmetro), serão aderidos à pele, em diversos locais do corpo, com fita adesiva dupla-face (antialergênica e descartável), para identificação de acidentes anatômicos de interesse. É previsto para esta pesquisa o desenvolvimento de algoritmos de identificação automática e rastreamento desses marcadores, além de protocolos de análise da postura em diferentes testes: postura ortostática, teste de Adams, marcha, corrida, agachamento, posturas do ballet clássico, posturas do yoga e teste de esforço máximo incremental em esteira e ciclo-ergômetro. Cada participante poderá ser convidado a participar de um ou mais testes, dependendo de sua disponibilidade e aptidão biomotora. Nos experimentos, pretende-se mensurar as seguintes variáveis posturais: curvatura vertebral (cifose, lordose e desvios laterais), torção do tronco e ângulos articulares de tornozelo, joelho, quadril, ombro e cotovelo..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Paulo Roberto Viana Gentil - Integrante / MÁRIO HEBLING CAMPOS - Coordenador / CARLOS ALEXANDRE VIEIRA - Integrante / CLAUDIO ANDRE BARBOSA DE LIRA - Integrante / JULIANA ALVES CARNEIRO - Integrante / VANESSA HELENA SANTANA DALLA DÉA - Integrante.
2007 - 2011
Polimorfismos nos genes do fator neurotrófico ciliar (CNTF e CTNFR) e da alfa-actina 3 (ACTN3), e fatores envolvidos com o processo inflamatório: Repostas musculares do exercício resistido

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Martim Francisco Bottaro Marques em 19/12/2014.
Descrição: O treinamento resistido (TR) é recomendo pelas principais organizações desportivas e de saúde do mundo. No meio desportivo, esta atividade normalmente é indicada com a finalidade de aumentar o desempenho e prevenir lesões, porém, um dos campos no qual o TR vem sendo mais reconhecido e estudado é no tratamento e prevenção de doenças, como osteoporose, sarcopenia, AIDS, diabetes, hipertensão e na reabilitação. Tanto no campo desportivo quanto no terapêutico, os objetivos mais buscados com o TR são obter ganhos de força e massa muscular. Estes ganhos de força e massa muscular são influenciados por diversos fatores, os quais podem se dividir em fatores ambientais e genéticos. Dentre os fatores ambientais, pode-se destacar os efeitos de diferentes protocolos de treinamento, os quais resultam em diferentes características metabólicas e mecânicas. Dentre os meios mais comuns de se manipular estas características estão variações na quantidade de repetições realizadas e no intervalo entre as series de exercícios. Apesar de se reconhecer que tanto os fatores metabólicos quanto mecânicos sejam importantes para os ganhos de força e massa muscular, e de existirem recomendações sobre protocolos baseados no senso comum, ainda não se pode afirmar, com base nas evidências encontradas, quais fatores sejam mais importantes para os resultados e quais variações sejam mais recomendas. Com relação aos fatores genéticos, atualmente reconhece-se que variações nos genes do fator neurotrófico ciliar (CNTF), em seu receptor (CNTFR), na alfa actina 3 (ACTN3) e nas citocinas envolvidas no processo inflamatório podem influenciar tanto a força quanto a massa muscular. Além da influencia basal, também é reconhecido que genes específicos podem influenciar na respostas dos indivíduos ao exercício, porém, estudos de delineamentos experimentais com relação à interação entre os genes citados anteriormente e os efeitos do TR ainda são escassos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Paulo Roberto Viana Gentil - Integrante / Martim Bottaro - Coordenador / Rinaldo Wellerson Pereira - Integrante.
2005 - 2006
Alterações Crônicas e Agudas do Treinamento Resistido em Crianças e Jovens

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Martim Francisco Bottaro Marques em 19/12/2014.
Descrição: A popularidade do treinamento resistido entre pré-adolescentes e adolescentes vêm aumentando drasticamente na ultima década (Fleck e Kraemer, 2004) e está se tornando universalmente aceita por organizações profissionais qualificadas. A American Academy of Pediatrics (1990), o American College of Sports Medicine (1993), a American Orthopedic Society for Sports Medicine (1988) e a National Strength and Conditioning Association (1996) declararam que o treinamento de força em crianças e adolescentes é eficaz e seguro quando devidamente supervisionado. Além disso, estudos demonstraram que o treinamento contra resistência melhora a força muscular, a potência, e a resistência muscular, diminui o número de lesões e aumenta o desempenho em esportes e atividades recreacionais (Fleck & Kraemer, 2004). Apesar disso, ainda existem controvérsias sobre as alterações morfofuncionais advindas desse modelo de atividade em crianças. Sabendo dessas controvérsias criou-se o projeto de pesquisa sobre alterações crônicas e agudas do treinamento resistido em escolares. Desta forma, a base de repercussão desse projeto é proporcionar aos profissionais da área da saúde um melhor entendimento sobre os benefícios dos diferentes métodos de exercícios resistidos e sobre a maneira eficiente e segura de prescrevê-los, por meio de desenvolvimento de pesquisas. Além disso, o melhor entendimento motivará as autoridades a desenvolverem políticas públicas e programas, bem como proporcionar um impulso para maiores alocações e recursos financeiros destinados a investigação no campo do exercício em crianças e jovens.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Paulo Roberto Viana Gentil - Integrante / Martim Bottaro - Coordenador / João Henrique Carneiro Veloso - Integrante / Leonardo Michelstadter Cunha - Integrante / Breno Martins - Integrante.


Projetos de extensão


2016 - Atual
Programa de Emagrecimento para Mulheres
Descrição: O treinamento intervalado consiste em esforços de alta intensidade intercalados por períodos de recuperação passiva ou em menor intensidade. Esse tipo de treino vem sendo usado há mais de um século com diferentes objetivos. Mais recentemente, o treinamento intervalado foi redescoberto pelas suas aplicações voltadas para o campo da saúde e emagrecimento. Desse modo, o objetivo do presente projeto será empregar diferentes tipos de treino intervalado para promover emagrecimento em mulheres..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Especialização: (2) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Paulo Roberto Viana Gentil - Coordenador / ANA CRISTINA SILVA REBELO - Integrante.
2016 - Atual
Musculação para comunidade
Descrição: O projeto de extensão e pesquisa promove a experimentação e a prática regular do treinamento resistido (musculação), realizado no Laboratório de Treinamento Resistido da FEFD- UFG. A musculação é uma excelente prática corporal, para jovens, adultos e idosos. Sua prática regular desenvolve a resistência muscular e a força muscular, proporciona o amento da massa magra, e melhora das condições de saúde. Na pesquisa, o projeto é espaço de intervenção e coleta de dados sobre os efeitos da musculação na capacidade física funcional e na qualidade de vida dos praticantes.
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Especialização: (3) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Paulo Roberto Viana Gentil - Coordenador / MÁRIO HEBLING CAMPOS - Integrante / CARLOS ALEXANDRE VIEIRA - Integrante / CLAUDIO ANDRE BARBOSA DE LIRA - Integrante / JULIANA ALVES CARNEIRO - Integrante.


Membro de corpo editorial


2017 - Atual
Periódico: Pensar a Prática (Online)
2016 - Atual
Periódico: European Journal of Translational Myology


Revisor de periódico


2015 - Atual
Periódico: Pensar a Prática (UFG. Impresso)


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

Web of Science
Total de trabalhos:145
Total de citações:517
Fator H:13
Gentil, P  Data: 06/11/2018

SCOPUS
Total de trabalhos:84
Total de citações:671
Gentil, P; Gentil, Paulo  Data: 06/11/2018

Artigos completos publicados em periódicos

1.
LEAL, A. G. F.2018LEAL, A. G. F. ; VANCINI, R. L. ; Gentil, Paulo ; BENEDITO-SILVA, A. A. ; SILVA, A. C. ; CAMPOS, M. H. ; ANDRADE, M. S. ; LIRA, C. A. B. . Knowledge about sport and exercise science: a cross-sectional survey among health professionals in Brazil. Health Education (London), v. 00, p. 00-00, 2018.

2.
SOUZA, D. C.2018SOUZA, D. C. ; VIANA, R. B. ; COSWIG, V. S. ; FISHER, JAMES ; STEELE, JAMES ; Gentil, Paulo . Comment on: Volume for Muscle Hypertrophy and Health Outcomes: The Most Effective Variable in Resistance Training. SPORTS MEDICINE, v. 00, p. 00, 2018.

3.
RAMIREZ-CAMPILLO, R.2018RAMIREZ-CAMPILLO, R. ; ALVAREZ, C. ; GARCIA-HERMOSO, A. ; RAMIREZ-VELEZ, R. ; Gentil, Paulo ; ASADI, A. ; CHAABENE, H. ; MORAN, J. ; MEYLAN, C. ; NAKAMURA, F. ; ALCARAZ, A. G. ; SANCHEZ-SANCHEZ, J. ; GRANACHER, U. ; KRAEMER, W. ; IZQUIERDO, M. . Methodological Characteristics and Future Directions for Plyometric Jump Training Research: A Scoping Review. SPORTS MEDICINE, v. 00, p. 01, 2018.

4.
STEELE, JAMES2018STEELE, JAMES ; BUTLER, A. ; COMERFORD, Z. ; DYER, J. ; LLOYD, N. ; WARD, J. ; FISHER, JAMES ; Gentil, Paulo ; SCOTT, C. ; OZAKI, H. . Similar acute physiological responses from effort and duration matched leg press and recumbent cycling tasks. PeerJ, v. xx, p. 01, 2018.

5.
VIANA, R. B.2018VIANA, R. B. ; LIRA, C. A. B. ; NAVES, J. P. A. ; COSWIG, V. S. ; DEL VECCHIO, F. B. ; Gentil, Paulo . Tabata protocol: a review of its application, variations and outcomes. CLINICAL PHYSIOLOGY AND FUNCTIONAL IMAGING, v. 00, p. 1-8, 2018.

6.
RAMIREZ-CAMPILLO, R.2018RAMIREZ-CAMPILLO, R. ; ALVAREZ, C. ; Gentil, Paulo ; LOTURCO, I. ; SANCHEZ-SANCHEZ, J. ; IZQUIERDO, M. ; MORAN, J. ; NAKAMURA, F. ; CHAABENE, H. ; GRANACHER, U. . Sequencing Effects of Plyometric Training Applied Before or After Regular Soccer Training on Measures of Physical Fitness in Young Players. JOURNAL OF STRENGTH AND CONDITIONING RESEARCH, v. 00, p. 1, 2018.

7.
GENTIL, P2018GENTIL, P; MARQUES, V. A. ; NETO, J. P. P. ; SANTOS, A. C. ; STEELE, JAMES ; FISHER, JAMES ; PAOLI, ANTONIO ; BOTTARO, M . Using velocity loss for monitoring resistance training effort in a real world setting. Applied Physiology Nutrition and Metabolism, v. 00, p. 01, 2018.

8.
VIANA, R. B.2018VIANA, R. B. ; NAVES, J. P. A. ; LIRA, C. A. B. ; COSWIG, V. S. ; DEL VECCHIO, F. B. ; VIEIRA, C. A. ; Gentil, Paulo . Defining the number of bouts and oxygen uptake during the Tabata protocol performed at different intensities. PHYSIOLOGY & BEHAVIOR, v. 00, p. 00, 2018.

9.
COSTA, G. C. T.2018COSTA, G. C. T. ; FREIRE, A. B. ; ROCHA, A. ; EVANGELISTA, B. F. B. ; KRAHENBUHL, T. ; CAMPOS, M. H. ; Gentil, Paulo . Superliga masculina brasileira: associação entre procedimentos de jogo e ataques realizados a partir das posições 1 e 6. REVISTA DA EDUCAÇÃO FÍSICA (UEM. IMPRESSO), v. 29, p. e2967, 2018.

10.
STUART, C.2018STUART, C. ; STEELE, JAMES ; GENTIL, P ; GIESSING, J. ; FISHER, JAMES . Fatigue and perceptual responses of heavier- and lighter-load isolated lumbar extension resistance exercise in males and females. PeerJ, v. 6, p. e4523, 2018.

11.
BARBALHO, M. S. M.2018BARBALHO, M. S. M. ; GENTIL, P ; RAIOL, R. A. ; FISHER, JAMES ; STEELE, JAMES ; COSWIG, V. S. . Influence of Adding Single-Joint Exercise to a Multijoint Resistance Training Program in Untrained Young Women. JOURNAL OF STRENGTH AND CONDITIONING RESEARCH, v. 00, p. 1, 2018.

12.
COSWIG, V. S.2018COSWIG, V. S. ; GENTIL, P ; IRIGON, F. ; DEL VECCHIO, F. B. . Caffeine ingestion changes time-motion and technical-tactical aspects in simulated boxing matches: A randomized double-blind PLA-controlled crossover study. European Journal of Sport Science, v. 00, p. 1-9, 2018.

13.
VIANA, R. B.2018VIANA, R. B. ; LIRA, C. A. B. ; NAVES, J. P. A. ; COSWIG, V. S. ; DEL VECCHIO, F. B. ; RAMIREZ-CAMPILLO, R. ; VIEIRA, C. A. ; GENTIL, P . Can we draw general conclusions from interval training studies?. SPORTS MEDICINE, v. 00, p. 1-9, 2018.

14.
FISHER, JAMES2018FISHER, JAMES ; STEELE, J. ; SMITH, D. ; Gentil, Paulo . Periodization for optimizing strength and hypertrophy; the forgotten variables. Journal of Trainology, v. 7, p. 10-XX, 2018.

15.
VIEIRA, C. A.2018VIEIRA, C. A. ; Gentil, Paulo ; CAMPOS, M. H. ; SANTOS, W. D. N. ; COSTA, G. C. T. ; LIRA, C. A. B. ; PRADO, E. C. G. ; BAPTISTA, T. J. R. . Prevalence of Overweight and Obesity in a Primary Healthcare Center in Goiania City. Journal of Functional Morphology and Kinesiology, v. 3, p. 27, 2018.

16.
SOUZA, D. C.2018SOUZA, D. C. ; SANTOS, J. A. B. ; JESUS, D. M. ; Gentil, Paulo . Biochemical Profile and Body Composition Alteration of Amateur Bodybuilders during the Pre-Contest Period. Journal of Functional Morphology and Kinesiology, v. 3, p. 26, 2018.

17.
COSWIG, V. S.2018COSWIG, V. S. ; Gentil, Paulo ; BUENO, J. C. A. ; FOLLMER, B. ; MARQUES, V. A. ; DEL VECCHIO, F. B. . Physical fitness predicts technical-tactical and time-motion profile in simulated Judo and Brazilian Jiu-Jitsu matches. PeerJ, v. 6, p. e4851, 2018.

18.
BARBALHO, M. S. M.2018BARBALHO, M. S. M. ; Gentil, Paulo ; RAIOL, R. A. ; DEL VECCHIO, F. B. ; RAMIREZ-CAMPILLO, R. ; COSWIG, V. S. . Non-Linear Resistance Training Program Induced Power and Strength but Not Linear Sprint Velocity and Agility Gains in Young Soccer Players. SPORTS, v. 6, p. 43, 2018.

19.
ANDROULAKIS-KORAKAKIS, P.2018ANDROULAKIS-KORAKAKIS, P. ; Gentil, Paulo ; FISHER, JAMES ; STEELE, JAMES . Comparison of Isolated Lumbar Extension Strength in Competitive and Noncompetitive Powerlifters, and Recreationally Trained Men. JOURNAL OF STRENGTH AND CONDITIONING RESEARCH, v. Jul, p. 1, 2018.

20.
MARTINS, WAGNER RODRIGUES2018MARTINS, WAGNER RODRIGUES ; BLASCZYK, JUSCELINO CASTRO ; SOARES, SAULO ; DE PAULA, WAGNER DINIZ ; BOTTARO, MARTIM ; Gentil, Paulo . A novel approach for rehabilitation of a triceps tendon rupture: A case report. PHYSICAL THERAPY IN SPORT, v. 32, p. 194-199, 2018.

21.
VIANA, R. B.2018VIANA, R. B. ; Gentil, Paulo ; LORENCO, V. S. ; VIEIRA, C. A. ; CAMPOS, M. H. ; SANTOS, D. A. T. ; SILVA, W. F. ; ANDRADE, M. S. ; VANCINI, R. L. ; LIRA, C. A. B. . Identifying the predisposing factors, signs and symptoms of overreaching and overtraining in physical education professionals. PeerJ, v. 6, p. e4994, 2018.

22.
Gentil, Paulo2018Gentil, Paulo; FISHER, J. ; STEELE, J. ; CAMPOS, M. H. ; SILVA, M. H. ; PAOLI, A. ; GIESSING, J. ; BOTTARO, M. . Effects of equal-volume resistance training with different training frequencies in muscle size and strength in trained men. PeerJ, v. 00, p. 10.7717/peerj.5, 2018.

23.
MANN, S.2018MANN, S. ; WADE, M. ; FISHER, JAMES ; GIESSING, J. ; GENTIL, P ; STEELE, J. . Phase Angle as an Indicator of Health and Fitness in Patients Entering an Exercise Referral Scheme. Journal of the American Medical Directors Association, v. 00, p. j.jamda.2018.06, 2018.

24.
RAMIREZ-CAMPILLO, R.2018RAMIREZ-CAMPILLO, R. ; ALVAREZ, C. ; GARCIA-HERMOSO, A. ; CELIS-MORALES, C. ; RAMIREZ-VELEZ, R. ; Gentil, Paulo ; IZQUIERDO, M. . High-speed resistance training in elderly women: Effects of cluster training sets on functional performance and quality of life. EXPERIMENTAL GERONTOLOGY, v. 00, p. 00, 2018.

25.
RAMIREZ-CAMPILLO, R.2018RAMIREZ-CAMPILLO, R. ; GARCIA-PINILLOS, F. ; RAMOS, A. G. ; YANCI, J. ; Gentil, Paulo ; CHAABENE, H. ; GRANACHER, U. . Effects of Different Plyometric Training Frequencies on Components of Physical Fitness in Amateur Female Soccer Players. Frontiers in Physiology, v. 9, p. 10.3389/fphys.2, 2018.

26.
VIANA, R. B.2018VIANA, R. B. ; VANCINI, R. L. ; VIEIRA, C. A. ; Gentil, Paulo ; CAMPOS, M. H. ; ANDRADE, M. S. ; LIRA, C. A. B. . Profiling exercise intensity during the exergame Hollywood Workout on XBOX 360 Kinect®. PeerJ, v. 6, p. e5574, 2018.

27.
VALE, A. F.2018VALE, A. F. ; CARNEIRO, J. A. ; JARDIM, P. C. V. ; JARDIM, T. S. V. ; STEELE, J. ; FISHER, J. ; GENTIL, P . Acute effects of different resistance training loads on cardiac autonomic modulation in hypertensive postmenopausal women. Journal of Translational Medicine, v. 16, p. s12967-3, 2018.

28.
ANDROULAKIS-KORAKAKIS, P.2018ANDROULAKIS-KORAKAKIS, P. ; FISHER, J. ; KOLOKOTRONIS, P. ; GENTIL, P ; STEELE, J. . Reduced Volume `Daily Max’ Training Compared to Higher Volume Periodized Training in Powerlifters Preparing for Competition A Pilot Study. SPORTS, v. 6, p. 86, 2018.

29.
BARBALHO, M. S. M.2018BARBALHO, M. S. M. ; COSWIG, V. S. ; STEELE, JAMES ; FISHER, JAMES ; PAOLI, ANTONIO ; GENTIL, P . Evidence for an Upper Threshold for Resistance Training Volume in Trained Women. MEDICINE AND SCIENCE IN SPORTS AND EXERCISE, v. 00, p. 1, 2018.

30.
NILO DOS SANTOS, WANDERSON DIVINO2018NILO DOS SANTOS, WANDERSON DIVINO ; Gentil, Paulo ; LIMA DE ARAÚJO RIBEIRO, ALEXANDRE ; VIEIRA, CARLOS ALEXANDRE ; MARTINS, WAGNER RODRIGUES . Effects of Variable Resistance Training on Maximal Strength. JOURNAL OF STRENGTH AND CONDITIONING RESEARCH, v. 32, p. e52-e55, 2018.

31.
RAMIREZ-CAMPILLO, R.2018RAMIREZ-CAMPILLO, R. ; ALVAREZ, C. ; Gentil, Paulo ; MORAN, J. ; GARCIA-PINILLOS, F. ; ALONSO-MARTINEZ, A. M. ; IZQUIERDO, M. . Inter-individual Variability in Responses to 7 Weeks of Plyometric Jump Training in Male Youth Soccer Players. Frontiers in Physiology, v. 9, p. 10.3389/fphys.2, 2018.

32.
GENTIL, P2017GENTIL, P; FISHER, J. ; STEELE, J. ; ARRUDA, A. . Manuscript clarification: Dose-Response of 1, 3, and 5 Sets of Resistance Exercise on Strength, Local Muscular Endurance, and Hypertrophy. Journal of Strength and Conditioning Research, v. 31, p. e5-e7, 2017.

33.
SOUZA, D. C.2017SOUZA, D. C. ; ARRUDA, A. ; GENTIL, P . Crossfit®: uma análise crítica e fundamentada de custo-benefício. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 64, p. 138-139, 2017.

34.
GENTIL, P2017GENTIL, P; DEL VECCHIO, F. B. ; PAOLI, A. ; SCHOENFELD, B. J. ; BOTTARO, M . Isokinetic Dynamometry and 1RM Tests Produce Conflicting Results for Assessing Alterations in Muscle Strength. JOURNAL OF HUMAN KINETICS, v. 56, p. 19-27, 2017.

35.
GENTIL, P2017GENTIL, P; ARRUDA, A. ; SOUZA, D. C. ; GIESSING, J. ; PAOLI, A. ; FISHER, J. ; STEELE, J. . Is There Any Practical Application of Meta-Analytical Results in Strength Training?. Frontiers in Physiology, v. 8, p. 2017.00001, 2017.

36.
STEELE, J.2017STEELE, J. ; FISHER, J. ; GIESSING, J. ; GENTIL, P . Clarity in Reporting Terminology and Definitions of Set End Points in Resistance Training. Muscle & Nerve (Print), v. Jan, p. 25557, 2017.

37.
ANDROULAKIS-KORAKAKIS, P.2017ANDROULAKIS-KORAKAKIS, P. ; LANGDOWN, A. ; LEWIS, A. ; FISHER, J. ; GENTIL, P ; PAOLI, ANTONIO ; STEELE, J. . The effects of exercise modality during additional high-intensity interval training upon aerobic fitness and strength in powerlifting and strongman athletes. JOURNAL OF STRENGTH AND CONDITIONING RESEARCH, v. 00, p. 1, 2017.

38.
GENTIL, P2017GENTIL, P; LIRA, C. A. B. ; PAOLI, A. ; SANTOS, J. A. B. ; SILVA, R. D. T. ; PEREIRA JUNIOR, J. R. ; SILVA, E. P. ; MAGOSSO, R. F. . Nutrition, pharmacological and training strategies adopted by six bodybuilders: case report and critical review. European Journal of Translational Myology, v. 27, p. 6247, 2017.

39.
ASSUNCAO, A. R.2017ASSUNCAO, A. R. ; BOTTARO, M. ; CARDOSO, E. A. ; SILVA, D. P. D. ; FERRAZ, M. ; VIEIRA, C. A. ; GENTIL, P . Effects of a low-volume plyometric training in anaerobic performance of adolescent athletes. Journal of Sports Medicine and Physical Fitness (Testo stampato), v. Feb 22, p. 00, 2017.

40.
STEELE, J.2017STEELE, J. ; RAUBOLD, K. ; KEMMLER, W. ; FISHER, J. ; GENTIL, P ; GIESSING, J. . The Effects of 6 Months of Progressive High Effort Resistance Training Methods upon Strength, Body Composition, Function, and Wellbeing of Elderly Adults. Biomed Research International, v. 2017, p. 1-14, 2017.

41.
GENTIL, P2017GENTIL, P. Comment on: Determining Strength: A Case for Multiple Methods of Measurement . SPORTS MEDICINE, v. 00', p. 10.1007/s40279-, 2017.

42.
Gentil, Paulo2017Gentil, Paulo; DE LIRA, CLAUDIO ANDRE BARBOSA ; FILHO, SUEDI GONÇALVES CARDOSO ; LA SCALA TEIXEIRA, CAUÊ VAZQUEZ ; STEELE, JAMES ; FISHER, JAMES ; CARNEIRO, JULIANA ALVES ; CAMPOS, MÁRIO HEBLING . High intensity interval training does not impair strength gains in response to resistance training in premenopausal women. EUROPEAN JOURNAL OF APPLIED PHYSIOLOGY, v. 117, p. 1257-1265, 2017.

43.
Gentil, P.2017Gentil, P.; DEL VECCHIO, F. B. . Commentary: High-intensity Intermittent Training vs. Moderate-intensity Intermittent Training: Is It a Matter of Intensity or Intermittent Efforts?. Frontiers in Physiology, v. 8, p. fphys.2017.0037, 2017.

44.
GENTIL, P2017GENTIL, P; FISHER, JAMES ; STEELE, JAMES . Why intensity is not a bad word - benefits and practical aspects of high effort resistance training to the older. CLINICAL NUTRITION, v. 00, p. j.clnu.2017.05, 2017.

45.
FERREIRA, D. V.2017FERREIRA, D. V. ; GENTIL, P ; FERREIRA JUNIOR, J. B. ; SOARES, S. R. S. ; BROWN, L. E. ; BOTTARO, M . Dissociated time course between peak torque and total work recovery following bench press training in resistance trained men. PHYSIOLOGY & BEHAVIOR, v. 179, p. 143-147, 2017.

46.
GENTIL, P2017GENTIL, P; BOTTARO, M. ; NOLL, M. ; WERNER, S. ; VASCONCELOS, J. C. ; SEFFRIN, A. ; CAMPOS, M. H. . Muscle activation during resistance training with no external load - effects of training status, movement velocity, dominance, and visual feedback. PHYSIOLOGY & BEHAVIOR, v. x, p. S0031-9384(17)3, 2017.

47.
SANTOS, W. D. N.2017SANTOS, W. D. N. ; GENTIL, P ; MORAES, R. F. ; FERREIRA JUNIOR, J. B. ; CAMPOS, M. H. ; LIRA, C. A. B. ; FREITAS JUNIOR, R. ; BOTTARO, M. ; VIEIRA, C. A. . Chronic Effects of Resistance Training in Breast Cancer Survivors. Biomed Research International, v. 2017, p. 1-18, 2017.

48.
SILVA, L. R. B. E.2017SILVA, L. R. B. E. ; ZAMUNER, A. R. ; GENTIL, P ; ALVES, F. M. ; LEAL, A. G. F. ; SOARES, V. ; SILVA, M. S. ; VIEIRA, M. F. ; SIMOES, K. ; PEDRINO, G. R. ; REBELO, A. C. S. . Cardiac Autonomic Modulation and the Kinetics of Heart Rate Responses in the On- and Off-Transient during Exercise in Women with Metabolic Syndrome. Frontiers in Physiology, v. 8, p. 2017.00542, 2017.

49.
GENTIL, P2017GENTIL, P; DEL VECCHIO, F. B. ; STEELE, JAMES . Exercise for Health and Disease: Time to Move Ahead. Biomed Research International, v. 2017, p. 1-2, 2017.

50.
BARBALHO, M. S. M.2017BARBALHO, M. S. M. ; GENTIL, P ; IZQUIERDO, M. ; FISHER, J. ; STEELE, JAMES ; RAIOL, R. A. . There are no no-responders to low or high resistance training volumes among older women. EXPERIMENTAL GERONTOLOGY, v. 00, p. 30487-4, 2017.

51.
VIANA, R. B.2017VIANA, R. B. ; ALVES, C. ; VIEIRA, C. A. ; VANCINI, R. L. ; CAMPOS, M. H. ; GENTIL, P ; ANDRADE, M. S. ; LIRA, C. A. B. . Anxiolytic Effects of a Single Session of the Exergame Zumba ® Fitness on Healthy Young Women. Games for Health Journal, v. 00, p. 10.1089/g4h.201, 2017.

52.
FISHER, JAMES2017FISHER, JAMES ; STEELE, JAMES ; GENTIL, P ; GIESSING, J. ; WESTCOTT, W. L. . A minimal dose approach to resistance training for the older adult; the prophylactic for aging. EXPERIMENTAL GERONTOLOGY, v. 99, p. 80-86, 2017.

53.
VIANA, R. B.2017VIANA, R. B. ; Gentil, Paulo ; BRASILEIRO, E. ; PIMENTEL, G. D. ; VANCINI, R. L. ; ANDRADE, M. S. ; LIRA, C. A. B. . High Resistance Training Volume and Low Caloric and Protein Intake Are Associated with Detrimental Alterations in Body Composition of an Amateur Bodybuilder Using Anabolic Steroids: A Case Report. Journal of Functional Morphology and Kinesiology, v. 2, p. 37, 2017.

54.
Gentil, Paulo2017Gentil, Paulo; CAMPOS, M. H. ; SOARES, S. R. S. ; COSTA, G. C. T. ; PAOLI, ANTONIO ; BIANCO, A. ; BOTTARO, MARTIM . Comparison of elbow flexor isokinetic peak torque and fatigue index between men and women of different training level. European Journal of Translational Myology, v. 27, p. 246-250, 2017.

55.
STEELE, JAMES2017STEELE, JAMES ; ENDRES, A. ; FISHER, JAMES ; Gentil, Paulo ; GIESSING, J. . Ability to predict repetitions to momentary failure is not perfectly accurate, though improves with resistance training experience. PeerJ, v. 5, p. e4105, 2017.

56.
PAOLI, A.2017PAOLI, A. ; Gentil, Paulo ; MORO, T. ; MARCOLIN, G. ; BIANCO, A. . Resistance Training with Single vs. Multi-joint Exercises at Equal Total Load Volume: Effects on Body Composition, Cardiorespiratory Fitness, and Muscle Strength. Frontiers in Physiology, v. 8, p. 01, 2017.

57.
Gentil, Paulo2016Gentil, Paulo; STEELE, JAMES ; PEREIRA, MARIA C. ; CASTANHEIRA, RAFAEL P.M. ; PAOLI, ANTONIO ; BOTTARO, MARTIM . Comparison of upper body strength gains between men and women after 10 weeks of resistance training. PEERJ, v. 4, p. e1627, 2016.

58.
GENTIL, P2016GENTIL, P; NAVES, J. P. A. ; VIANA, R. B. ; COSWIG, V. S. ; VAZ, M. ; BARTEL, C. ; DEL VECCHIO, F. B. . Revisiting Tabata?s Protocol. Medicine and Science in Sports and Exercise, v. 48, p. 2070-2071, 2016.

59.
CAMPOS, M. H.2016CAMPOS, M. H. ; GIRALDI, N. M. ; GENTIL, P ; LIRA, C. A. B. ; VIEIRA, C. A. ; PAULA, M. C. . The geometric curvature of the spine during the sirshasana, the yoga’s headstand. Journal of Sports Sciences (Print), v. 00, p. 1-8, 2016.

60.
ASSUNÇÃO, ARI R.2016ASSUNÇÃO, ARI R. ; BOTTARO, M. ; FERREIRA-JUNIOR, JOÃO B. ; Izquierdo, Mikel ; CADORE, EDUARDO L. ; GENTIL, P . The Chronic Effects of Low- and High-Intensity Resistance Training on Muscular Fitness in Adolescents. Plos One, v. 11, p. e0160650, 2016.

61.
ARRUDA, A.2016ARRUDA, A. ; SOUZA, D. C. ; FISHER, J. ; STEELE, J. ; GIESSING, J. ; GENTIL, P . Reliability of meta-analyses to evaluate resistance training programmes. Journal of Sports Sciences (Print), v. 00, p. 1-3, 2016.

62.
Gentil, Paulo2016Gentil, Paulo; FISHER, JAMES ; STEELE, JAMES . A Review of the Acute Effects and Long-Term Adaptations of Single- and Multi-Joint Exercises during Resistance Training. Sports Medicine (Auckland), v. 00, p. 1-13, 2016.

63.
MORO, T.2016MORO, T. ; TINSLEY, G. ; BIANCO, A. ; MARCOLIN, G. ; PACELLI, Q. F. ; BATTAGLIA, G. ; PALMA, A. ; GENTIL, P ; NERI, M. ; PAOLI, A. . Effects of eight weeks of time-restricted feeding (16/8) on basal metabolism, maximal strength, body composition, inflammation, and cardiovascular risk factors in resistance-trained males. Journal of Translational Medicine, v. 14, p. 290, 2016.

64.
COSWIG, V. S.2016COSWIG, V. S. ; GENTIL, P ; NAVES, J. P. A. ; VIANA, R. B. ; BARTEL, C. ; DEL VECCHIO, F. B. . Commentary: The Effects of High Intensity Interval Training vs Steady State Training on Aerobic and Anaerobic Capacity. Frontiers in Physiology, v. 7, p. 10.3389/fphys.2, 2016.

65.
STEELE, JAMES2016STEELE, JAMES ; FISHER, JAMES ; ASSUNÇÃO, ARI R. ; BOTTARO, M ; GENTIL, P . The role of volume-load in strength and absolute endurance adaptations in adolescent’s performing high- or low-load resistance training. Applied Physiology, Nutrition and Metabolism, v. 00, p. 10.1139/apnm-20, 2016.

66.
GENTIL, P2016GENTIL, P; STEELE, J. ; FISHER, J. . Authors'; Reply to Ribeiro et al.: 'A Review of the Acute Effects and Long-Term Adaptations of Single- and Multi-Joint Exercises During Resistance Training'. Sports Medicine (Auckland), v. 00, p. 00, 2016.

67.
FERREIRA, D. V.2016FERREIRA, D. V. ; GENTIL, P ; SOARES, S. R. S. ; BOTTARO, M. . Recovery of pectoralis major and triceps brachii after bench press exercise. Muscle & Nerve (Print), v. Dec, p. 25541, 2016.

68.
GENTIL, P2015GENTIL, P; FISCHER, B. ; MARTORELLI, A. S. ; LIMA, R. M. ; BOTTARO, M. . Effects of equal-volume resistance training performed one or two times a week in upper body muscle size and strength of untrained young men. Journal of Sports Medicine and Physical Fitness (Testo stampato), v. 55, p. 144-149, 2015.

69.
COSWIG, V. S.2015COSWIG, V. S. ; FREITAS, D. ; GENTIL, P ; FUKUDA, D. ; DEL VECCHIO, F. B. . Kinematics and kinetics of multiple sets using lifting straps during deadlift training. Journal of Strength and Conditioning Research, v. 29, p. 399-404, 2015.

70.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2015GENTIL, P; SOARES, SAULO ; BOTTARO, M. . Single vs. Multi-Joint Resistance Exercises: Effects on Muscle Strength and Hypertrophy. Asian Journal of Sports Medicine, v. 6, p. 1-7, 2015.

71.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2015GENTIL, P; FERREIRA-JUNIOR, J. B. ; BEMBEN, MICHAEL G. ; FERREIRA, D. V. ; BOTTARO, M. . The Effects of Resistance Training on Lower and Upper Body Strength Gains in Young Women. International Journal of Kinesiology & Sports Science, v. 3, p. 18-23, 2015.

72.
DEL VECCHIO, F. B.2015DEL VECCHIO, F. B. ; GENTIL, P ; COSWIG, V. S. ; FUKUDA, D. . Commentary: Why sprint interval training is inappropriate for a largely sedentary population. Frontiers in Psychology, v. 6, p. 1359, 2015.

73.
SOARES, SAULO2015SOARES, SAULO ; FERREIRA-JUNIOR, JOÃO B. ; PEREIRA, MARIA C. ; CLETO, VITOR A. ; CASTANHEIRA, RAFAEL P. ; CADORE, EDUARDO L. ; Brown, Lee E. ; GENTIL, P ; BEMBEN, MICHAEL G. ; BOTTARO, M. . Dissociated Time Course of Muscle Damage Recovery Between Single- and Multi-Joint Exercises in Highly Resistance-Trained Men. Journal of Strength and Conditioning Research, v. 29, p. 2594-2599, 2015.

74.
TEIXEIRA, C. L. S.2015TEIXEIRA, C. L. S. ; MOTOYAMA, Y. ; Gentil, P. . Musculação: crença vs. evidências. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 9, p. 562-571, 2015.

75.
GENTIL, P2015GENTIL, P. A nutrition and conditioning intervention for natural bodybuilding contest preparation: observations and suggestions. Journal of the International Society of Sports Nutrition, v. 12, p. 50, 2015.

76.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2015GENTIL, P; FERREIRA-JUNIOR, JOÃO B. ; SOARES, SAULO R. S. ; MARTORELLI, ANDRÉ S. ; BOTTARO, M. ; CADORE, EDUARDO L. ; LOENNEKE, JEREMY P. . EFFECTS OF PERIODIC AND CONTINUOUS RESISTANCE TRAINING ON MUSCLE STRENGTH IN DETRAINED WOMEN 1 , 2. Perceptual and Motor Skills, v. epub, p. ahead of print, 2015.

77.
DE FRANÇA, HENRIQUE SILVESTRE2015DE FRANÇA, HENRIQUE SILVESTRE ; BRANCO, PAULO ALEXANDRE NORDESTE ; GUEDES JUNIOR, DILMAR PINTO ; Gentil, Paulo ; STEELE, JAMES ; TEIXEIRA, CAUÊ VAZQUEZ LA SCALA . The effects of adding single-joint exercises to a multi-joint exercise resistance training program on upper body muscle strength and size in trained men. Applied Physiology, Nutrition and Metabolism, v. 40, p. 822-826, 2015.

78.
GENTIL, P2013GENTIL, P; BOTTARO, M. . Effects of training attendance on muscle strength of youngmen after 11 weeks of resistance training. Asian Journal of Sports Medicine, v. 4, p. 101-106, 2013.

79.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2013GENTIL, P; SOARES, SAULO RODRIGO SAMPAIO ; PEREIRA, MARIA CLAÚDIA ; CUNHA, RAFAEL RODRIGUES DA ; MARTORELLI, SAULO SANTOS ; MARTORELLI, ANDRÉ SANTOS ; BOTTARO, M. . Effect of adding single-joint exercises to a multi-joint exercise resistance-training program on strength and hypertrophy in untrained subjects. Applied Physiology, Nutrition and Metabolism (Print), v. 38, p. 341, 2013.

80.
GENTIL, P2012GENTIL, P; LIMA, R. M. ; PEREIRA, R. W. ; MOUROT, J. ; LEITE, T. K. M. ; BOTTARO, M. . Lack of association of the ACE genotype with the muscle strength response to resistance training. European Journal of Sport Science, v. 12, p. 331-337, 2012.

81.
CARREGARO, R. L.2011CARREGARO, R. L. ; GENTIL, P ; BROWN, L. E. ; PINTO, R. S. ; BOTTARO, M. . Effects of Antagonist Pre-load on Knee Extensor Isokinetic Muscle Performance. Journal of Sports Sciences (Print), v. 29, p. 271-278, 2011.

82.
BOTTARO, M.2011BOTTARO, M. ; VELOSO, J. H. C. ; WAGNER, D. ; GENTIL, P . Resistance training for strength and muscle thickness: effect of number of sets and muscle group trained. Science & Sports, v. 26, p. 259-264, 2011.

83.
Flores, D2011Flores, D ; GENTIL, P ; BROWN, L. E. ; PINTO, R. S. ; CARREGARO, R. L. ; BOTTARO, M. . Dissociated time course of recovery between genders following resistance exercise. Journal of Strength and Conditioning Research, v. 25, p. 3039-3044, 2011.

84.
GENTIL, P2011GENTIL, P; PEREIRA, R. W. ; LEITE, T. K. M. ; BOTTARO, M. . ACTN3 R577X polymorphism and neuromuscular response to resistance training. Journal of Sports Science and Medicine, v. 10, p. 393-399, 2011.

85.
LINS, T. C. L.2011LINS, T. C. L. ; VIEIRA, R. G. ; ABREU, B. S. ; GENTIL, P ; LIMA, R. M. ; OLIVEIRA, R. J. ; PEREIRA, R. W. . Genetic Heterogeneity of Self-Reported Ancestry Groups in an Admixed Brazilian Population. Journal of Epidemiology, v. 21, p. 240-245, 2011.

86.
FROIS, R. R. S.2011FROIS, R. R. S. ; GENTIL, P . O uso do método de repetições forçadas no treinamento de força para incremento das respostas hormonais e neuromusculares. Revista brasileira de prescrição e fisiologia do exercício, v. 5, p. 473-479, 2011.

87.
RIBEIRO NETO, F.2011RIBEIRO NETO, F. ; GENTIL, P . Treinamento resistido como intervenção na reabilitação em pacientes com lesão medular: uma revisão de literatura. Acta Fisiatrica, v. 18, p. 91-96, 2011.

88.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2010GENTIL, P; BOTTARO, M. ; OLIVEIRA, E. ; VELOSO, J. H. C. ; AMORIM, N. ; SAIURI, A. ; WAGNER, D. . The chronic effects of different between-set rest duration on muscle strength in non-resistance trained young men. Journal of Strength and Conditioning Research, v. 24, p. 37-42, 2010.

89.
GENTIL, P2010GENTIL, P; BOTTARO, M. . Influence of Supervision Ratio on Muscle Adaptations to Resistance Training in Nontrained Subjects. Journal of Strength and Conditioning Research, v. 24, p. 639-643, 2010.

90.
BOTTARO, M2009BOTTARO, M ; MARTINS, B ; GENTIL, P ; WAGNER, D . Effects of rest duration between sets of resistance training on acute hormonal responses in trained women. Journal of Science and Medicine in Sport, v. 12, p. 73-78, 2009.

91.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2009GENTIL, P; LINS, T. C. L. ; LIMA, R. M. ; ABREU, B. S. ; GRATTAPAGLIA, D. ; BOTTARO, M. ; OLIVEIRA, R. J. ; PEREIRA, R. W. . Vitamin D receptor genotypes and bone mineral density in postmenopausal women: interaction with physical activity. Journal of Aging and Physical Activity, v. 17, p. 31-45, 2009.

92.
NOGUEIRA, W.2009NOGUEIRA, W. ; GENTIL, P ; Mello, S. ; Oliveira, R. ; Bezerra, A. ; BOTTARO, M. . Effects of Power Training on Muscle Thickness of Older Men. International Journal of Sports Medicine, v. 30, p. 200-204, 2009.

93.
OLIVEIRA, E.2009OLIVEIRA, E. ; GENTIL, P ; BOTTARO, M. . O intervalo de recuperação afeta o volume da sessão de exercício resistido em mulheres?. Fisioterapia em Movimento, v. 22, p. 239-247, 2009.

94.
OLIVEIRA, R. J.2008OLIVEIRA, R. J. ; LIMA, R. M. ; GENTIL, P ; SIMOES, H. G. ; AVILA, W. R. M. ; SILVA, R. W. ; SILVA, F. M. . Respostas Hormonais Agudas a Diferentes Intensidades de Exercícios Resistidos em Mulheres Idosas. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 14, p. 367-371, 2008.

95.
ROCHA JUNIOR, V. A.2007ROCHA JUNIOR, V. A. ; GENTIL, P ; OLIVEIRA, E. ; CARMO, J. . Comparação entre a atividade EMG do peitoral maior, deltóide anterior e tríceps braquial durante os exercícios supino reto e crucifixo. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 13, p. 51-54, 2007.

96.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2007GENTIL, P; LIMA, R. M. ; OLIVEIRA, R. J. ; PEREIRA, R. W. ; REIS, V. M. . Association Between Femoral Neck Bone Mineral Density and Lower Limb Fat-Free Mass in Postmenopausal Women. Journal of Clinical Densitometry, v. 17, p. 174-178, 2007.

97.
LINS, T. C. L.2007LINS, T. C. L. ; NOGUEIRA, L. R. ; LIMA, R. M. ; GENTIL, P ; OLIVEIRA, R. J. ; PEREIRA, R. W. . A multiplex single-base extension protocol for genotyping Cdx2, FokI, BsmI, ApaI, and TaqI polymorphisms of the vitamin D receptor gene. Genetics and Molecular Research, v. 6, p. 216-224, 2007.

98.
LIMA, R. M.2007LIMA, R. M. ; ABREU, B. S. ; GENTIL, P ; LINS, T. C. L. ; GRATTAPAGLIA, D. ; PEREIRA, R. W. ; OLIVEIRA, R. J. . Lack of Association Between Vitamin D Receptor Genotypes and Haplotypes With Fat-Free Mass in Postmenopausal Brazilian Women. The Journals of Gerontology. Series A, Biological Sciences and Medical Sciences, v. 62A, p. 966-972, 2007.

99.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2007GENTIL, P; LIMA, R. M. ; LINS, T. C. L. ; ABREU, B. S. ; PEREIRA, R. W. ; OLIVEIRA, R. J. . Physical Activity, Cdx-2 Genotype, and BMD. International Journal of Sports Medicine, v. 28, p. 1065-1069, 2007.

100.
SILVA, R. P.2007SILVA, R. P. ; NOVAES, J. ; OLIVEIRA, R. J. ; GENTIL, P ; WAGNER, D. ; BOTTARO, M. . High-velocity resistance exercise protocols in older women: Effects on cardiovascular response. Journal of Sports Science and Medicine, v. 6, p. 560-567, 2007.

101.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2007GENTIL, P; OLIVEIRA, E. ; ROCHA JUNIOR, V. A. ; CARMO, J. . Effects of Exercise Order on Upper-Body Muscle Activation and Exercise Performance. Journal of Strength and Conditioning Research, v. 21, p. 1082-1086, 2007.

102.
NASSAU, F.F.2006NASSAU, F.F. ; GENTIL, P ; LOBATO, S. R. U. ; COSTA, P. I. A. M. ; ROCHA JUNIOR, V. A. . Correlação entre perfil datiloscópico e perfomance nos testes de 12 minutos e de impulsão horizontal em jovens do sexo masculino. Lecturas Educación Física y Deportes (Buenos Aires), v. 100, p. 1, 2006.

103.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2006GENTIL, P; OLIVEIRA, E. ; BOTTARO, M. . Time under Tension and Blood Lactate Response during Four Different Resistance Training Methods. Journal of Physiological Anthropology (Online), v. 25, p. 339-344, 2006.

104.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2006GENTIL, P; OLIVEIRA, E. ; FONTANA, K. ; MOLINA, G. ; OLIVEIRA, R. J. ; BOTTARO, M. . Efeitos agudos de vários métodos de treinamento de força no lactato sanguíneo e características de cargas em homens treinados recreacionalmente. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 12, p. 303-307, 2006.

105.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2005GENTIL, P; OLIVEIRA, E. ; LOPEZ, R. F. A. . Growth hormone as an ergogenic aid to resistance training: a brief review. Lecturas En Educación Física y Deportes, Argentina, v. 10, n.84, 2005.

106.
GENTIL, P;Gentil, P.;Gentil, Paulo2003GENTIL, P; FISCHER, B. ; GALVAO, A. ; DUARTE, G. ; ROCHA, L. ; CARMO, J. . Efeitos da variação do posicionamento dos pés no leg press 45°. Revista Vida & Saúde, Juiz de Fora, v. 2, n.1, 2003.

107.
PULCINELLI, A. J.2002PULCINELLI, A. J. ; GENTIL, P . Treinamento com pesos: efeitos na composição corporal de mulheres jovens. Revista da Educação Física, Maringá, v. 13, n.2, p. 41-45, 2002.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
GENTIL, P. Bases Científicas do Treinamento de Hipertrofia. 5. ed. Char: Create Space, 2014. 224p .

2.
GENTIL, P. Emagrecimento: Quebrando Mitos e Mudando Paradigmas. 3. ed. Charleston: Createspace, 2014. 248p .

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
VELOSO, J. H. C. ; BOTTARO, M ; RIBEIRO, T. ; CELES, R. S. ; GENTIL, P . Effects of rest interval between sets of resistance training on post-exercise hypotensive response in normotensive young men. In: 6th International Conference on Strength Training, 2008, Colorado Springs. 6th International Conference on Strength Training, 2008. v. 1. p. 87-88.

2.
BOTTARO, M ; GENTIL, P ; VELOSO, J. H. C. ; CELES, R. S. ; OLIVEIRA, E. ; AMORIM, N. . The chronic effects of resistance training between-set rest duration on muscle strength in young men. In: 6th International Conference on Strength Training, 2008, Colorado Springs. 6th International Conference on Strength Training, 2008. v. 1. p. 89-90.

3.
GENTIL, P; OLIVEIRA, E. ; ROCHA JUNIOR, V. A. ; CARMO, J. . Atividade EMG durante o método de pré-exaustão e sistema prioritário. In: XI Congresso Brasileiro de Biomecânica, 2005, João Pessoa. Anais do XI Congresso Brasileiro de Biomecânica, 2005. v. 1. p. 16-21.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
PIMENTEL, G. D. ; MOTA, J. F. ; VIEIRA, C. A. ; GENTIL, P ; QUEIROZ, M. ; FIGUEIREDO, N. ; FELICIO, F. ; SANTOS, J. ; CARDOSO, P. ; GUIMARAES, V. . Caffeine Mouth Rinse Does Not Affect Sweating Rate And Performance In Runners. In: American College of Sports Medicine (ACSM) Annual Meeting, 2017, Denver. Medicine in Science in Sports Exercise. USA: Wolters Kluwer, 2017. v. 49. p. 218-218.

2.
GENTIL, P; FERREIRA, D. V. ; FERREIRA-JUNIOR, JOÃO B. ; SOARES, SAULO ; BROWN, L. E. ; BOTTARO, M. . Peak torque and total work recovery following bench press training in trained men. In: 22nd Annual Congress of the European College of Sport Science, 2017, Essen. Book of Abstracts of the 22nd Annual Congress of the European College of Sport Science. Colonia: SporTools Gmb, 2017. v. 0. p. 598-598.

3.
VIEIRA, C. A. ; CAMPOS, M. H. ; GENTIL, P ; COSTA, G. C. T. ; LIRA, C. A. B. ; PRADO, E. C. G. ; BAPTISTA, T. J. R. . Prevalence of overweight and obesity in volunteers of a primary health care centers in the city of Goiania/Brazil. In: 22nd Annual Congress of the European College of Sport Science, 2017, Essen. Book of Abstracts of the 22nd Annual Congress of the European College of Sport Science. Colonia: SporTools GmbH, 2017. v. 0. p. 597-598.

4.
SEFFRIN, A. ; GENTIL, P ; SANTOS, Y. H. C. ; LIRA, C. A. B. ; VIEIRA, C. A. ; CAMPOS, M. H. . A técnica sumô de levantamento terra minimiza a flexão da coluna lombar inferior. In: XVII Congresso Brasileiro de Biomeccânica/ I Encontro Latino Americano de Biomecânica/ VIII Simpósio em Neuromecânica Aplicada, 2017, Porto Alegre. Anais do XVII Congresso Brasileiro de Biomecânica, 2017. p. 140-141.

5.
GENTIL, P; PEREIRA, MARIA C. ; CASTANHEIRA, RAFAEL P. ; STEELE, J. ; PAOLI, ANTONIO ; BOTTARO, M . Comparison of upper body strength gains between men and women after 10 weeks of resistance training. In: European College of Sport Science, 2016, Viena. European College of Sport Science, 2016. v. 21.

6.
SILVA, W. F. ; VIANA, R. B. ; CAMPOS, M. H. ; VIEIRA, C. A. ; GENTIL, P ; SANTANA, F. ; VANCINI, R. L. ; ANDRADE, M. S. ; LIRA, C. A. B. . Descrição dos intervalos de recuperação entre séries adotados por praticantes de treinamento resistido. In: 39o. Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, 2016, São Paulo. Anais do 39o. Simpósio Internacional de Ciências do Esporte. São Caetano do Sul (SP), 2016. v. 22. p. 122.

7.
SEFFRIN-NETO, A. ; SANTOS, Y. H. C. ; LIRA, C. A. B. ; VIEIRA, C. A. ; GENTIL, P ; CAMPOS, M. H. . A técnica sumô é mais segura para a coluna vertebral do que a técnica tradicional de levantamento terra?. In: 39o. Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, 2016, São Paulo. Anais do 39o. Simpósio Internacional de Ciências do Esporte. São Caetano do Sul: CELAFISCS, 2016. v. 22. p. 68.

8.
NAVES, J. P. A. ; SEFFRIN-NETO, A. ; LIRA, C. A. B. ; GENTIL, P ; VIANA, R. B. ; GALVAO, L. ; SILVA, M. H. ; CAMPOS, M. H. . Existe um limiar postural similar ao limiar de lactato no teste de esforço progressivo máximo em esteira?. In: 39o Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, 2016, São Paulo. Anais do 39o Simpósio Internacional de Ciências do Esporte. São Caetano do Sul: CELAFISCS, 2016. v. 22. p. 102.

9.
CARDOSO, R. F. ; VIEIRA, C. A. ; GENTIL, P ; CAMPOS, M. H. ; BRAGA, P. P. P. ; PRADO, E. C. G. ; LIRA, C. A. B. ; BAPTISTA, T. J. R. . Análise da prevalência de sobrepeso e obesidade de uma unidade de atenção básica de saúde da família - Goiânia (GO). In: 39o. Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, 2016, São Paulo. Anais do 39o. Simpósio Internacional de Ciências do Esporte. São Caetano do Sul: CELAFISCS, 2016. v. 22. p. 143-143.

10.
SOARES, SAULO RODRIGO SAMPAIO ; GENTIL, P ; MARTORELLI, ANDRÉ SANTOS ; MARTORELLI, SAULO SANTOS ; GUEDES, R. ; VIEIRA, C. A. ; FERREIRA JUNIOR, J. B. ; BOTTARO, M. . EFeitos da Escolha dos Exercícios Resistidos sobre os Ganhos de Força e Massa Muscular: Exercícios de Isolamento vs Compostos. In: XXXV Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, 2012, São Paulo. Anais do XXXV Simpósio Internacional de Ciência do Esporte, 2012. p. 291.

11.
FISCHER, B. ; SOARES, SAULO RODRIGO SAMPAIO ; CELES, R. S. ; MARTORELLI, ANDRÉ SANTOS ; GENTIL, P ; CASTANHEIRA, R. P. ; GUEDES, R. ; MARTORELLI, SAULO SANTOS ; BOTTARO, M. . Comparação do Pico de Torque e ìndice de Fadiga em Mulheres JOvens Destreinadas e Treinadas em Exercícios Resistidos. In: XXXV Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, 2012, São Paulo. Anais do XXXV Simpósio Internacional de Ciência do Esporte, 2012. p. 291.

12.
MARTORELLI, ANDRÉ SANTOS ; GENTIL, P ; SOARES, SAULO RODRIGO SAMPAIO ; CUNHA, RAFAEL RODRIGUES DA ; MARTORELLI, SAULO SANTOS ; PEREIRA, MARIA CLAÚDIA ; BOTTARO, M. . Efeitos da Adição de Exercícios para Grupos Musculares Acessórios na Força e Hipertrofia Muscular. In: IV Congresso Brasileiro de Metabolismo, Nutrição e Exercício, 2012, Londrina. Anais do IV Congresso Brasileiro de Metabolismo, Nutrição e Exercício, 2012.

13.
BOTTARO, M. ; BROWN, L. E. ; GENTIL, P ; PINTO, R. S. ; MARTORELLI, SAULO SANTOS ; JESUS, D. ; Flores, D . Dissociated Time Course of Recovery Between Genders Following Resistance Exercise. In: 58th Annual Meeting and 2nd World Congress on Exercise is Medicine of the American College of Sports Medicine, 2011, Denver. Medicine and Science in Sports and Exercise, 2011. v. 43.

14.
CUNHA, R. R. ; CARREGARO, R. L. ; MARTORELLI, ANDRÉ SANTOS ; JESUS, D. ; MARTORELLI, SAULO SANTOS ; LIMA, R. M. ; PEREIRA, MARIA CLAÚDIA ; GENTIL, P ; BOTTARO, M. . Treinamento isocinético de curta duração: efeitos de um protocolo de ações musculares recíprocas entre agonistas e antagonistas. In: XXXIV Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, 2011, São Paulo. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 2011. v. 19.

15.
BOTTARO, M ; GENTIL, P ; OLIVEIRA, E. ; VELOSO, J. H. C. ; CELES, R. S. . Intervalo de recuperação entre séries de exercícios resistidos: efeitos crônicos. In: XII Congresso de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Lingua Portuguesa, 2008, Porto Alegre. Anais do XII Congresso de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Lingua Portuguesa, 2008.

16.
VELOSO, J. H. C. ; BOTTARO, M. ; RIBEIRO, T. ; GENTIL, P ; CELES, R. S. . Efeitos de diferentes intervalos de recuperação entre séries de exercícios resistidos nas respostas cardiovasculares pós-exercício. In: 31 Simpósio Internacional de Ciência do Esporte, 2008, São Paulo. Anais do 31 Simpósio Internacional de Ciência do Esporte, 2008. p. 41-41.

17.
BOTTARO, M. ; MARTINS, B. ; BARROS, J. F. ; GENTIL, P ; WAGNER, D. . Effects of rest duration between sets of resistance training on hormonal responses in young women. In: Annual Meeting of the American College of Sports Medicine, 2007, New Orleans. Medicine and Science in Sports and Exercise. Indianapolis: Lippincott Williams & Wilkins, 2007. v. 39. p. 294-294.

18.
OLIVEIRA, E. ; GENTIL, P ; BOTTARO, M . Efeitos de diferentes intervalos de recuperação entre séries de supino horizontal no número de repetições realizadas por mulheres jovens treinadas. In: XXX Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, 2007, São Paulo. Edição Especial da Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Brasília: Universa, 2007. v. 15. p. 262-262.

19.
GENTIL, P; PEREIRA, R. W. ; CAVALCANTI NETO, F. F. ; OLIVEIRA, R. J. ; LIMA, R. M. . Interação entre padrões de atividade física e polimorfismos no gene VDR na determinação da DMO do colo do fêmur em mulheres no período pós-menopausa. In: XI Congresso de Ciências do Deporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, 2006, São Paulo. Anais do XI Congresso de Ciências do Deporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, 2006.

20.
FAVERO, A. P. ; OLIVEIRA, R. J. ; ABDALLA, L. ; GENTIL, P ; NEVES JUNIOR, S. ; AVILA, W. R. M. E. . Efeitos do exercícios resistido nos leucócitos e igA de idosas. In: XI Congresso de Ciências do Deporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, 2006, São Paulo. Anais do XI Congresso de Ciências do Deporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, 2006.

21.
VIEIRA, R. G. ; SILVA, M. L. ; ABREU, B. S. ; LIMA, R. M. ; GENTIL, P ; OLIVEIRA, R. J. ; GRATTAPAGLIA, D. ; PEREIRA, R. W. . Autodenominação de cor de pele e ancestralidade genômica em uma amostra de mulheres brasileiras pós-menopausa utilizada em estudos de associação genética. In: 52º Congresso Brasileiro de Genética, 2006, Foz do Iguaçu. Resumos do 52º Congresso Brasileiro de Genética, 2006. p. 695-695.

22.
LINS, T. C. L. ; ABREU, B. S. ; VIEIRA, R. G. ; SILVA, M. L. ; GENTIL, P ; LIMA, R. M. ; GRATTAPAGLIA, D. ; OLIVEIRA, R. J. ; PEREIRA, R. W. . Polimorfismos no gene receptor de vitamina D (VDR) e análise de haplótipos de acordo com ancestralidade genômica individual em mulheres brasileiras em pós-menopausa. In: 52º Congresso Brasileiro de Genética, 2006, Foz do Iguaçu. Resumos do 52º Congresso Brasileiro de Genética, 2006. p. 685-685.

23.
ABREU, B. S. ; LINS, T. C. L. ; VIEIRA, R. G. ; SILVA, M. L. ; GENTIL, P ; LIMA, R. M. ; GRATTAPAGLIA, D. ; OLIVEIRA, R. J. ; PEREIRA, R. W. . Ancestralidade Genômica e Autodenominação de cor de pele e suas correlações com Densidade Mineral Óssea (DMO) e Índice de Massa Corporal (IMC). In: 52º Congresso Brasileiro de Genética, 2006, Foz do Iguaçu. Resumos do 52º Congresso Brasileiro de Genética, 2006. p. 693-693.

24.
GENTIL, P; ROCHA JUNIOR, V. A. ; OLIVEIRA, E. ; CARMO, J. . Atividade eletromiográfica dos exercícios supino e crucifixo. In: XXVIII Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, 2005, São Paulo. Revista Brasileira de Ciência do Movimento, 2005. v. 13. p. 64-64.

25.
OLIVEIRA, E. ; GENTIL, P ; BOTTARO, M. ; FONTANA, K. ; MOLINA, G. ; OLIVEIRA, R. J. . Efeitos agudos de diferentes métodos de treinamento de força. In: XXVIII Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, 2005, São Paulo. Revista Brasileira de Ciência do Movimento, 2005. v. 13. p. 75-75.

26.
LOBATO, S. R. U. ; GENTIL, P ; SILVA, L. M. ; DANTAS, M. M. B. ; COSTA, P. I. A. M. ; ROCHA JUNIOR, V. A. ; MELO, E. B. ; ARAUJO, M. E. C. ; OLIVEIRA, H. B. . Correlação entre perfil datiloscópico e perfomance nos testes de 12 minutos e de impulsão horizontal em jovens do sexo masculino. In: XXVII Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, 2005, São Paulo. Revista Brasileira de Ciência do Movimento, 2005. v. 13. p. 120-120.

27.
BOTTARO, M. ; MELLO, S. N. M. ; NOGUEIRA, W. ; VELOSO, J. H. C. ; GENTIL, P . Treinamento de potência em idosos: efeitos na potência muscular. In: Simpósio Internacional de Ciências do Esporte, 2005, São Paulo. Revista Brasileira de Ciência do Movimento, 2005. v. 13. p. 331-331.

28.
PULCINELLI, A. J. ; DAVID, A. C. ; PASSOS, A. ; SALES, A. ; OLIVEIRA, D. ; MOURA, G. ; GENTIL, P ; SANTOS, S. . Aptidão física e composição corporal de crianças do projeto oficinas infantis de atividades esportivas. In: Forum Brasil Esporte, 2000, Londrina. Anais do Fórum Nacional do Esporte, 2000. p. 111-111.

Artigos aceitos para publicação
1.
SANTOS, W. D. N. ; VIEIRA, C. A. ; BOTTARO, M. ; NUNES, V. A. ; RAMIREZ-CAMPILLO, R. ; STEELE, J. ; FISHER, J. ; GENTIL, P . Resistance training performed to failure or not to failure result in similar total volume, but with different fatigue and discomfort levels. JOURNAL OF STRENGTH AND CONDITIONING RESEARCH, 2018.

2.
NAVES, J. P. A. ; REBELO, A. C. S. ; SILVA, L. R. B. E. ; SILVA, M. S. ; RAMIREZ-CAMPILLO, R. ; RAMIREZ-VELEZ, R. ; GENTIL, P . Cardiorespiratory and perceptual responses of two interval training and a continuous training protocol in healthy young men. European Journal of Sport Science, 2018.

3.
FISHER, J. ; STUART, C. ; STEELE, J. ; GENTIL, P ; GIESSING, J. . Heavier- and lighter-load isolated lumbar extension resistance training produce similar strength increases, but different perceptual responses, in healthy males and females. PeerJ, 2018.

4.
GRIFFITHS, B. ; LEWIS, A. ; GRANT, J. ; LANGDOWN, L. ; GENTIL, P ; FISHER, J. ; STEELE, J. . The Effect of In-Season Traditional and Explosive Resistance Training Programs in Recreational Soccer Players. RESEARCH QUARTERLY FOR EXERCISE AND SPORT, 2018.

5.
NAVES, J. P. A. ; VIANA, R. B. ; REBELO, A. C. S. ; LIRA, C. A. B. ; PIMENTEL, G. D. ; LOBO, P. C. B. ; OLIVEIRA, J. C. ; RAMIREZ-CAMPILLO, R. ; GENTIL, P . Effects of high-intensity interval training vs sprint interval training on anthropometric measures and cardiorespiratory fitness in healthy young women. Frontiers in Physiology, 2018.

6.
BARBALHO, M. S. M. ; COSWIG, V. S. ; RAIOL, R. A. ; STEELE, J. ; FISHER, J. ; PAOLI, A. ; BIANCO, A. ; GENTIL, P . Does the addition of single joint exercises to a resistance training program improve changes in performance and anthropometric measures in untrained men?. European Journal of Translational Myology, 2018.

Apresentações de Trabalho
1.
OLIVEIRA, J. C. M. ; SOUSA FILHO, L. F. M. ; SILVA, L. R. B. E. ; OLIVEIRA, C. G. ; BASSO FILHO, M. A. ; RIBEIRO, M. K. A. ; BOAVENTURA, F. M. ; RASSI, S. ; TUMBURUS, N. Y. ; GENTIL, P ; REBELO, A. C. S. . Influência da Reabilitação Cardíaca com ênfase em exercícios resistidos sobre a Pressão Arterial e Frequência Cardíaca em pacientes hipertensos: Estudo preliminar. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
SILVA, L. R. B. E. ; SEGURO, C. S. ; GALVAO, L. ; GENTIL, P ; REBELO, A. C. S. ; SILVA JUNIOR, P. V. ; RASSI, S. . Correlação entre qualidade de vida e capacidade funcional em idosos encaminhados a reabilitação cardíaca em um hospital universitário. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
SEGURO, C. S. ; GENTIL, P ; SILVA, L. R. B. E. ; GALVAO, L. . Efeito de 10 semanas de treinamento de força na pressão arterial de uma paciente idosa encaminhada a reabilitação cardíaca: relato de caso. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
SOUSA FILHO, L. F. M. ; OLIVEIRA, J. C. M. ; SILVA, L. R. B. E. ; OLIVEIRA, C. G. ; BARROS, S. B. L. ; SOUSA, R. B. N. ; DUTRA, J. B. R. ; BOAVENTURA, F. M. ; RASSI, S. ; GENTIL, P ; REBELO, A. C. S. . Influência da Reabilitação Cardíaca com ênfase em exercícios resistidos sobre a variabilidade da frequência cardíaca em pacientes hipertensos: Estudo preliminar. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
REBELO, A. C. S. ; SILVA, L. R. B. E. ; ZAMUNER, A. R. ; GENTIL, P ; ALVES, F. M. ; LEAL, A. G. F. ; SOARES, V. ; SILVA, M. S. ; OLIVEIRA, C. G. ; DUTRA, J. B. R. ; CAMARGOS, C. I. P. ; SIMOES, K. ; PEDRINO, G. R. . Heart rate recovery is delayed in women with metabolic syndrome. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
PIMENTEL, G. D.; OLIVEIRA, E. P.; Gentil, Paulo. Participação em banca de Ana Clara Barreto Marini. Avaliação da suplementação de creatina e da eletro estimulação neuromuscular em pacientes renais em hemodiálise. 2018. Dissertação (Mestrado em Nutrição e Saúde) - Universidade Federal de Goiás.

2.
CARDOZO, A. C.; GANCALVES, M.; Gentil, Paulo. Participação em banca de Gabriel De Paula Lira. Análise da atividade muscular em diferentes tipos de levantamento terra. 2018. Dissertação (Mestrado em DESENVOLVIMENTO HUMANO E TECNOLOGIAS) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

3.
Gentil, Paulo; VIEIRA, C. A.; SIMOES, H. G.. Participação em banca de Arthur Ferreira do Vale. Efeitos agudos de diferentes tipos de treinamento resistido na modulação autonômica cardíaca de mulheres hipertensas. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás.

4.
REBELO, A. C. S.; BAPTISTA, T. J. R.; GENTIL, P. Participação em banca de Lucas Raphael Bento e Silva. Análise da variabilidade e cinética da frequência cardíaca a partir do teste cardiopulmonar de esforço em mulheres com síndrome metabólica: Estudo Transversal. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás.

5.
GENTIL, P; LIMA, R. M.; BOTTARO, M.. Participação em banca de Ubiratan Contreira Padilha. Efeitos do Fascia Stretch Training nas respostas neuromusculares e metabólicas em homens treinados. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade de Brasília.

6.
MOTA, J. F.; SILVA, A. E. L.; GENTIL, P. Participação em banca de Flavia Rasmussen Faria. Efeito da suplementação de curcuma longa L. sobre marcadores de inflamação e dano muscular após exercício de endurance. 2016. Dissertação (Mestrado em Nutrição e Saúde) - Universidade Federal de Goiás.

7.
PINTO, R. S.; VAZ, M. A.; GENTIL, P. Participação em banca de Jerônimo Jaspe Rodrigues Silva. Agachamento x box-squat ? análise e comparação da resposta neuromuscular aguda em função da amplitude de movimento em atletas de powerlifting. 2016. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

8.
PEIXOTO, M. R. G.; GENTIL, P. Participação em banca de Lorena Cristina Curado Lopes. Efeito de diferentes intensidades do treinamento de força intradialítico sobre a massa muscular e capacidade funcional de pacientes em hemodiálise: ensaio clínico randomizado. 2016. Dissertação (Mestrado em Nutrição e Saúde) - Universidade Federal de Goiás.

9.
Gentil, P.; VAZ, M. A.; CADORE, E. L.. Participação em banca de Marcelo Gava Pompermayer. Comparação entre o dano muscular induzido por exercícios de força: multiarticulares versus uniarticulares. 2015. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

10.
DIAS, A. S.; CADORE, E. L.; GENTIL, P. Participação em banca de Cristiano Cavedon Ughini. Efeitos de diferentes volumes de treino de força nas adaptações neuromusculares de homnes jovens destreinados. 2014. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

11.
BOTTARO, M.; GENTIL, P; CADORE, E. L.. Participação em banca de Saulo Rodrigo Sampaio Soares. Efeitos de diferentes exercícios resistidos no dano muscular dos flexores de cotovelo em indivíduos treinados: compostos isolados. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade de Brasília.

12.
OLIVEIRA, R. J.; GENTIL, P; MARRA, C. A. C.. Participação em banca de Elisa Dornelas Borges. Desempenho muscular isocinético dos extensores de joelho em indivíduos com Doença de Parkinson. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade de Brasília.

Teses de doutorado
1.
GENTIL, P; SOUZA, W. K. S. B.; SILVA, S. J.; AVELAR, I. S.; CURADO, M. P.. Participação em banca de Célio Antônio de Paula Júnior. Caracterização da atividade física, composição corporal e força muscular de uma população em envelhecimento (CAFOR-GO). 2017. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás.

2.
BOTTARO, M; TRICOLI, V.; DURIGAN, J.; GENTIL, P. Participação em banca de João Batista Ferreira Junior. Efeito da crioterapia de corpo inteiro na recuperação muscular após exercício de força. 2014. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade de Brasília.

3.
BOTTARO, M.; GENTIL, P; CARMO, J.; PINTO, R. S.; OLIVEIRA, R. J.. Participação em banca de Maria Claudia Cardoso Pereira. Efeitos do uso de mangas de compressão gradual na recuperação do dano muscular em jovens treinados. 2012.

4.
GENTIL, P; LIMA, R. M.; OLIVEIRA, R. J.; CIPRIANO JR, G; BOTTARO, M.. Participação em banca de Rodrigo Luiz Carregaro. Efeitos agudos de diferentes manipulações de pré-fadiga dos músculos antagonistas nas respostas neuromusculares dos antagonistas. 2011. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade de Brasília.

Qualificações de Doutorado
1.
Gentil, Paulo; CARREGARO, R. L.; Oliveira, Ricardo J; BOTTARO, MARTIM. Participação em banca de Saulo Rodrigo Sampaio Soares. Efeitos de diferentes intervalos de recuperação entre sessões de treinamento de força nos ganhos de força e massa muscular em indivíduos jovens treinados. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em Educação Física) - Universidade de Brasília.

2.
Gentil, Paulo; PAGOTTO, V.; REBELO, A. C. S.. Participação em banca de Camila Cardoso. Efeito da obesidade e do azeite de oliva na densidade mineral óssea: ensaio clínico randomizado. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás.

Qualificações de Mestrado
1.
PIMENTEL, G. D.; SILVA, M. S.; ROSCHEL, H.; GENTIL, P. Participação em banca de Patrícia Cristina Barreto Lobo. Efeitos do ácido ursólico sobre a composição corporal e perfil metabólico em indivíduos fisicamente ativos submetidos ao exercício de forca. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Nutrição e Saúde) - Universidade Federal de Goiás.

2.
GENTIL, P; TAMBURUS, N. Y.; REBELO, A. C. S.. Participação em banca de Lucas Raphael Bento e Silva. Análise da dinâmica da frequência cardíaca a partir do teste de esforço cardiopulmonar em mulheres com síndrome metabólica: estudo transversal. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás.

3.
MARTINS, W. R.; BOTTARO, M.; SAFONS, M. P.; GENTIL, P. Participação em banca de Alexandre Lima de Araújo Ribeiro. Efeitos de 10 semanas de treinamento de resistência elástica no desempenho muscular do quadríceps femoral em adultos jovens. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Educação Física) - Universidade de Brasília.

4.
PIMENTEL, G. D.; OLIVEIRA, E. P.; Gentil, Paulo. Participação em banca de Ana Clara Barreto Marini. Avaliação da suplementação de creatina e da eletro estimulação neuromuscular em pacientes renais em hemodiálise. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Nutrição e Saúde) - Universidade Federal de Goiás.

5.
CARDOZO, A. C.; Gentil, Paulo; GANCALVES, M.. Participação em banca de Gabriel De Paula Lira. Análise da atividade muscular em diferentes tipos de levantamento terra. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em DESENVOLVIMENTO HUMANO E TECNOLOGIAS) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

6.
Gentil, Paulo; JARDIM, P. C. V.; LIRA, C. A. B.. Participação em banca de ARTHUR FERREIRA DO VALE. Efeitos Agudos de Diferentes Protocolos de Treinamento Resistido na Modulação Autonômica Cardíaca de Mulheres Hipertensas. 2017.

7.
Gentil, Paulo; VIEIRA, A.; BOTTARO, M.. Participação em banca de Ubiratan Contreira Padilha. Efeitos do método facial streching trainig (FST-7) nas respostas neuromusculares e metabólicas em jovens praticantes de treinamento de força. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Educação Física) - Universidade de Brasília.

Monografias de cursos de aperfeiçoamento/especialização
1.
ZOUAIN, D. M.; GENTIL, P; RICCIO, V.. Participação em banca de Cristiane V. M. Pimentel e Roberta S. S. Lima. Benefícios da prática desportiva no ambiente de trabalho da Polícia Federal. 2005. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em MBA em Execução de Políticas de Segurança Pública) - Fundação Getúlio Vargas.

2.
ZOUAIN, D. M.; GENTIL, P; RICCIO, V.. Participação em banca de Filadélfio Batista Magalhães. Atividade física como fator de qualidade de vida, saúde e sociabilização: uma abordagem acerca dos servidores do DPF em Mato Grosso. 2005. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em MBA em Execução de Políticas de Segurança Pública) - Fundação Getúlio Vargas.




Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
. XI Congresso Brasileiro de Biomecânica. 2005. (Congresso).

2.
.XXVIII Simpósio Internacional de Atividade Física e Saúde. 2005. (Simpósio).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Itamar Pedro Vieira. Influência da suplementação com creatina sobre a força muscular durante sessão de exercício concorrente. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em Nutrição e Saúde) - Universidade Federal de Goiás. (Orientador).

2.
Patrícia Cristina Barreto Lobo. Efeitos do ácido ursólico sobre a composição corporal e perfil metabólico em indivíduos fisicamente ativos submetidos ao exercício de forca. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em Nutrição e Saúde) - Universidade Federal de Goiás. (Coorientador).

3.
Matheus de Siqueira Mendes Barbalho. Efeitos de diferentes volumes de treino e frequências semanais de treinamento resistido em mulheres idosas. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás. (Orientador).

4.
Gislene Batista Lima. Efeito placebo e expectativa de emagrecimento em mulheres submetidas a treinamento intervalado de alta intensidade. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em Nutrição e Saúde) - Universidade Federal de Goiás, Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Goiás. (Orientador).

5.
Camila Simões Seguro. Efeitos agudos de diferentes tipos de treinamento nas variáveis cardiorrespiratórias, metabólicas e na modulação autonômica da frequência cardíaca em pacientes com hipertensão arterial: ensaio clínico cruzado. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em Nutrição e Saúde) - Universidade Federal de Goiás. (Orientador).

6.
João Pedro de Araújo Naves. Efeito de diferentes protocolos de treino intervalado de alta intensidade em mulheres. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Arthur Ferreira do Vale. Efeitos crônicos de diferentes protocolos de treinamento resistido na modulação autonômica cardíaca de mulheres hipertensas. Início: 2018. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás. (Orientador).

2.
Marcelo Henrique Silva. Comparação das alterações cardiorrespiratórias, neuromusculares e na composição corporal entre treinamento de força e aeróbio em ciclo ergômetro em jovens saudáveis. Início: 2018. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás. (Orientador).

3.
Daniel Costa de Souza. Efeito do treinamento de força convencional e com elásticos na capacidade funcional, risco cardiovascular e qualidade de vida de idosas residentes na comunidade. Início: 2018. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás. (Orientador).

4.
Luan de Sousa Galvão. Efeitos de 12 semanas de diferentes protocolos de treinamento resistido sobre a pressão arterial central de idosas hipertensas fisicamente ativas: ensaio clínico. Início: 2018. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Bruno Cavalcante Gomes. Comparação da ativação muscular no quadríceps durante treinos com e sem carga. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Engenharia Física) - Universidade Federal de Goiás. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Arthur Ferreira do Vale. Efeitos agudos de diferentes tipos de treinamento resistido na modulação autonômica cardíaca de mulheres hipertensas. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.

2.
Marcelo Henrique Silva. Treinamento aeróbio em ciclo ergômetro promove aumento nos níveis de força similar ao treinamento de força no leg press. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.

3.
Marcelo Henrique Silva. Uma análise de que as adaptações provenientes de um programa de exercícios dependem da intensidade. 2016. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.

4.
Ari Rodrigo Assunção. Efeitos de diferentes protocolos de treinamento resistido na função neuromuscular em adolescentes. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade de Brasília, . Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.

5.
Bruno Leonardo Fischer. Efeitos do treinamento de potência na força muscular de indivíduos com doença de Parkinson. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade de Brasília, . Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Thaynã Coelho Guimarães. Correlação entre parâmetros da aptidão física de mulheres fisicamente ativas. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Educação Física) - Universidade Federal de Goiás. Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.

2.
Gisele Ferreira Campos. Efeitos do treinamento resistido na força muscular em idosos. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Educação Física) - Universidade Federal de Goiás. Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.

3.
Thais Gonçalves Araújo. Alterações nos parâmetros cardiorrespiratórios em dois protocolos de treino resistido em idosos. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Educação Física) - Universidade Federal de Goiás. Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.

4.
Murilo Augusto Soares De Araújo. Correlação entre força e capacidade cardiorrespiratória em idosos. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Educação Física) - Universidade Federal de Goiás. Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.

5.
Renata Rodrigues Santos. Análise comparativa entre práticas de treinamento para hipertrofia adotadas por fisiculturistas e as evidências científicas. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Educação Física) - Universidade Federal de Goiás. Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.

Iniciação científica
1.
Scott Werner Rocha Gomes Schelle Artiaga. Comparação dos efeitos de diferentes protocolos de treino intervalado de alta intensidade sobre a composição corporal de mulheres. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Educação Física) - Universidade Federal de Goiás, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.

2.
Alex Vito Santos Neves Silva. Efeitos do Treinamento Intervalado de Alta Intensidade Sobre a Frequência e Autonomia Cardíaca em Pacientes com Doença Arterial Coronariana. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Educação Física) - Universidade Federal de Goiás. Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.

3.
Arthur Camargo Novais. Efeitos agudos de diferentes tipos de treinamento resistido sobre a pressão arterial periférica em mulheres hipertensas. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Educação Física) - Universidade Federal de Goiás. Orientador: Paulo Roberto Viana Gentil.



Outras informações relevantes


* Apoio financeiro - Edital Universal 2016 (CNPq) - R$ 21.000,00; 
* Apoio financeiro Edital 01/2016 FAPEG para participação em Congresso Internacional - European College of Sports Science (Viena) - R$ 7.000,00.
* Apoio financeiro Edital 01/2017 FAPEG para participação em Congresso Internacional - European College of Sports Science (Essen) - R$ 7.000,00.
* Apoio financeiro Edital 01/2017 FAPEG para participação em Congresso no Brasil - World Congress of Physiology (Rio de Janeiro) - R$ 4.000,00.
* Apoio financeiro Mais Ciência para participação em Eventos Internacionais - R$800,00
* Apoio financeiro Edital 01/2018 FAPEG para participação em Congresso Internacional - European College of Sports Science (Dublin) - R$ 7.000,00.
* Apoio financeiro Edital 01/2017 FAPEG para participação em Congresso no Brasil - CELAFISCS (São Paulo) - R$ 4.000,00.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 19/11/2018 às 10:16:21