Alexandre Almeida Marcussi

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2823588004623625
  • Última atualização do currículo em 04/12/2018


Historiador, atuante na área de História da África e história cultural da escravidão, com Mestrado (2010) e Doutorado (2015) em História Social pela Universidade de São Paulo. É professor de História da África na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) desde 2016, já tendo atuado também na área de patrimônio cultural como pesquisador de conteúdos do Museu Afro Brasil (São Paulo). Alguns temas relevantes em sua produção acadêmica incluem Pensamento Social Africano, Religiões Afro-Brasileiras, História da Cultura Afro-Americana, História de Angola, História do Brasil Colonial, Historiografia e Antropologia das Culturas Afro-Americanas. Foi vencedor da edição 2017 do "Prémio CES para Jovens Cientistas Sociais de Língua Portuguesa", conferido pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Alexandre Almeida Marcussi
Nome em citações bibliográficas
MARCUSSI, Alexandre A.;MARCUSSI, ALEXANDRE ALMEIDA

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de História.
Universidade Federal de Minas Gerais
Pampulha
31270901 - Belo Horizonte, MG - Brasil
Telefone: (031) 34095045


Formação acadêmica/titulação


2010 - 2015
Doutorado em História Social.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Cativeiro e cura: experiências religiosas da escravidão atlântica nos calundus de Luzia Pinta, séculos XVII-XVIII, Ano de obtenção: 2015.
Orientador: Marina de Mello e Souza.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: Calundu; Religiões afro-brasileiras; Ideologia da escravidão; Inquisição.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia das Populações Afro-Brasileiras.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História de Angola.
2007 - 2010
Mestrado em História Social.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Diagonais do afeto: teorias do intercâmbio cultural nos estudos da diáspora africana,Ano de Obtenção: 2010.
Orientador: Marina de Mello e Souza.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: Crioulização; Diáspora africana; Trocas culturais; Culturalismo.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História Moderna e Contemporânea.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia das Populações Afro-Brasileiras.
2002 - 2006
Graduação em História.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.




Atuação Profissional



Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

09/2018 - Atual
Direção e administração, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de História.

Cargo ou função
Chefe do Departamento de História da FAFICH/UFMG.
02/2018 - Atual
Direção e administração, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, .

Cargo ou função
Membro da Comissão Permanente de Infraestrutura e Uso do Espaço.
08/2017 - Atual
Ensino, História, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Tópico Especial I: Frantz Fanon: anticolonialismo, psiquiatria e política
Tópico Especial I: Pan-africanismo e pensamento pós-colonial na África
06/2016 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de História.

06/2016 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de História.

03/2016 - Atual
Ensino, Formação Transversal em Relações Étnico-Raciais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História e Cultura Afro-Brasileira
História intelectual da África
02/2016 - Atual
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da África
História Moderna
Tópicos em História IV: A Diáspora Africana no Novo Mundo
Tópicos em História IV: Frantz Fanon: anticolonialismo, psiquiatria e política
Tópicos em História IV: História intelectual da África
10/2016 - 09/2018
Direção e administração, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de História.

Cargo ou função
Membro titular da Câmara Departamental de História.
05/2017 - 08/2018
Direção e administração, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de História.

Cargo ou função
Suplente do Colegiado de Graduação em História.
06/2016 - 06/2018
Direção e administração, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de História.

Cargo ou função
Membro titular do Núcleo Docente Estruturante do curso de Graduação em História.

Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2008
Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 6
Outras informações
Estagiário na disciplina obrigatória "História da África", ministrada pela Profa. Dra. Marina de Mello e Souza.

Atividades

08/2008 - 12/2008
Estágios , Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, .

Estágio realizado
Programa de Aperfeiçoamento de Ensino (PAE), com estágio de docência realizado na disciplina obrigatória História da África, sob supervisão da Profa. Dra. Marina de Mello e Souza.

Associação Brasileira de Estudos Africanos, ABE-ÁFRICA, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Membro do Conselho Fiscal, Enquadramento Funcional: Membro do Conselho Fiscal, Carga horária: 2

Vínculo institucional

2016 - 2018
Vínculo: Vice-Presidente, Enquadramento Funcional: Vice-Presidente, Carga horária: 0


Museu Afro Brasil - Organização Social de Cultura, MAB, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Pesquisador de Conteúdos, Carga horária: 40
Outras informações
Exposições e projetos de pesquisa realizados: - Reformulação do catálogo do Museu Afro Brasil para publicação do Banco Safra - O Haiti está vivo ainda lá: bandeiras, recortes e garrafas consagradas ao Vodu - A história do parque: o IV Centenário - A arte do povo brasileiro: quatro olhares, uma homenagem - Delmar Mavignier - Águas: Fotografias, Vídeos e Lumigramas - Deuses d'África, visualidades brasileiras - Elos da Lusofonia

Atividades

07/2010 - 06/2011
Pesquisa e desenvolvimento , Núcleo de Pesquisa, .


Universidade Bandeirante de São Paulo, UNIBAN, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2012
Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Docente, Carga horária: 11

Atividades

04/2011 - 06/2012
Ensino, Publicidade e Propaganda, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estética e História da Arte
História da Arte
Leitura e Produção de Texto
04/2011 - 06/2012
Ensino, Tecnologia em Produção Audiovisual, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Leitura e Produção de Texto
Realidade Sócio-Econômica e Política Brasileira
04/2011 - 06/2012
Ensino, Turismo, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estética e História da Arte
História e Patrimônio Cultural
Arquitetura, Urbanismo e Turismo

Universidade Ibirapuera, UNIB, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Titular Doutor, Carga horária: 1
Outras informações
Elaboração do projeto para o curso de Mestrado em Educação para as Relações Étnico-Raciais.

Atividades

08/2015 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Associação Princesa Isabel de Educação e Cultura, .



Linhas de pesquisa


1.
Índice Biográfico e Cultural de Artistas do Acervo do Museu Afro Brasil

Objetivo: Este projeto propõe uma abordagem a respeito dos artistas do acervo que articule a especificidade de suas trajetórias particulares com processos históricos mais amplos envolvendo as populações afro-brasileiras, e que contemple o caráter plurifacetado da memória social com que dialogam e a partir da qual elaboraram suas propostas estéticas. A diversidade dessa memória foi frequentemente minimizada, desqualificada ou simplesmente ignorada pelas instituições artísticas oficiais, ancoradas numa concepção eurocêntrica da História da Arte. Por isso, este índice não deve se ater apenas à trajetória individual dos artistas no interior das instituições oficiais (sua educação artística formal, as exposições das quais participaram, os prêmios oficiais que amealharam, as instituições que adquiriram e expõem sua produção), devendo abordar sua relação com uma tradição mais ampla (expressa na religiosidade, nas festas, na culinária e na cultura popular de uma forma geral). O percurso individual dos artistas no interior das instituições artísticas constitui um elemento importante de sua trajetória e não será ignorado, mas deverá ser contemplado como uma entre outras dimensões, mostrando como, em muitos casos, as instituições circunscreveram o desenvolvimento de sua obra, quer no sentido da adequação de suas tendências estéticas aos estilos artísticos socialmente prestigiados, quer no sentido do direcionamento de sua produção por um mercado consumidor de obras de arte portador de preferências específicas. Assim sendo, este índice não poderá ser apenas ?biográfico?, devendo converter-se também em um índice ?cultural? da produção artística afro-brasileira. O projeto curatorial da exposição de longa duração do Museu Afro Brasil empreende sempre a articulação entre as dimensões estéticas, históricas, sociológicas, religiosas e culturais das populações afrodescendentes no Brasil; motivo pelo qual entendemos que o índice de artistas do museu deve reapresentar, na escala ?microhistórica.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes
Setores de atividade: Atividades ligadas ao patrimônio cultural e ambiental.
Palavras-chave: Arte afro-brasileira.
2.
Programa de Pós-Graduação em Educação para as Relações Étnico-Raciais
3.
A itinerância de atores e saberes e as resistências e estratégias políticas em África (séculos XIX-XX)

Objetivo: Este projeto de pesquisa trata dos trânsitos e das articulações entre atores e saberes em África, Europa e Américas durante a segunda metade do século XIX e todo o século XX. Ao partilhar propostas teóricas próprias da abordagem pós-colonial, propomos identificar e compreender em que lugares e momentos emergiram atores políticos e sociais, bem como onde e como foram produzidos e reinterpretados diversos tipos de saberes, ideias, técnicas e conhecimentos, atentando ainda para os limites em suas transformações e na reorientação de suas formas de atuação. Nesta chave analítica, consideramos que as práticas políticas gestadas em contextos de profunda reconfiguração das relações entre a África e outros territórios, assim como as representações construídas a respeito de processos e prospectos de transformação social nesse período, devem ser consideradas como frutos de dinâmicas multilaterais de transculturação em contextos plurais e com temporalidades heterogêneas. As situações que este grupo propõe investigar de forma articulada, a partir das pesquisas de seus membros integrantes, são as que ocorrem em conjunturas nas quais eclodem resistências e estratégias de enfrentamento dos processos políticos, econômicos e sociais ligados às tentativas de consolidação do poder imperial europeu no continente africano, as contestações da situação colonial e os desafios dos estados pós-coloniais, observando as particularidades dos diferentes contextos geográficos e temporais em que essas dinâmicas se processaram em cada caso..
Grande área: Ciências Humanas
Palavras-chave: África colonial; África pós-colonial; Movimentos de independência.
4.
História Social da Cultura

Objetivo: A inserção da linha de pesquisa "História Social da Cultura", no Programa de Pós-Graduação em História, explica-se, primeiramente, pelo fato de diversos pesquisadores, no Departamento de História da UFMG, desenvolverem estudos relativos aos domínios da história cultural e social. Além disso, resulta do aprofundamento da reflexão metodológica e historiográfica sobre os conceitos de cultura e sociedade, realizado em sintonia com o amplo quadro de pesquisas historiográficas que se desenvolveram e ganharam amplitude nas últimas décadas..
Grande área: Ciências Humanas
Palavras-chave: História da Cultura; História Social.
5.
Grupo de Estudos Africanos e Pós-Coloniais

Objetivo: O Grupo de Estudos Africanos e Pós-Coloniais consiste em um espaço de debate e discussão de leituras clássicas nas áreas dos estudos africanos e pós-coloniais. O grupo tem como objetivo primordial oferecer repertório teórico, conceitual e historiográfico para fomentar o desenvolvimento de projetos individuais de pesquisa de seus membros integrantes, predominantemente alunos de Graduação e Pós-Graduação de diversas áreas disciplinares envolvidos com o estudo de temáticas africanas, afro-diaspóricas e com contextos de colonialidade..
Grande área: Ciências Humanas
Palavras-chave: História da África; Estudos Africanos; Teoria pós-colonial.


Projetos de pesquisa


2014 - Atual
A itinerância de atores e saberes e as resistências e estratégias políticas na África (séculos XIX-XX)
Descrição: Este projeto de pesquisa trata dos trânsitos e das articulações entre atores e saberes em África, Europa e Américas durante a segunda metade do século XIX e todo o século XX. Ao partilhar propostas teóricas próprias da abordagem pós-colonial, propomos identificar e compreender em que lugares e momentos emergiram atores políticos e sociais, bem como onde e como foram produzidos e reinterpretados diversos tipos de saberes, ideias, técnicas e conhecimentos, atentando ainda para os limites em suas transformações e na reorientação de suas formas de atuação. Nesta chave analítica, consideramos que as práticas políticas gestadas em contextos de profunda reconfiguração das relações entre a África e outros territórios, assim como as representações construídas a respeito de processos e prospectos de transformação social nesse período, devem ser consideradas como frutos de dinâmicas multilaterais de transculturação em contextos plurais e com temporalidades heterogêneas. As situações que este projeto propõe investigar de forma articulada, a partir das pesquisas de seus membros integrantes, são as que ocorrem em conjunturas nas quais eclodem resistências e estratégias de enfrentamento dos processos políticos, econômicos e sociais ligados às tentativas de consolidação do poder imperial europeu no continente africano, as contestações da situação colonial e os desafios dos estados pós-coloniais, observando as particularidades dos diferentes contextos geográficos e temporais em que essas dinâmicas se processaram em cada caso..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (2) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Alexandre Almeida Marcussi - Integrante / Bevilacqua, Juliana Ribeiro da Silva - Integrante / Leila Maria Gonçalves Leite Hernandez - Coordenador / Angela Fileno da Silva - Integrante / Helena Wakim Moreno - Integrante / Rosana Andréa Gonçalves - Integrante / Márcia Cristina Pacito Fonseca Almeida - Integrante / Amanda Carneiro Santos - Integrante / Caio do Valle Souza - Integrante / Rafaél Antônio Cruz - Integrante / Gabriele Rosa de Novaes - Integrante / Josilene Silva Campos - Integrante.
2011 - 2015
A África no Brasil e o Brasil na África: novos horizontes
Descrição: O projeto ?A África no Brasil e o Brasil na África: novos horizontes? reúne pesquisadores de várias unidades da Universidade de São Paulo, ligados às disciplinas da antropologia, da literatura, da história social, da cultura e da história econômica, que compartilham temas relativos aos estudos africanos. Sediado no Núcleo de Apoio à Pesquisa Brasil-África, seus propósitos mais amplos relacionam-se, aos efeitos positivos das práticas interdisciplinares sobre áreas específicas e ao estreitamento das conexões entre a universidade e a sociedade brasileira. De acordo com a tradição da Universidade de São Paulo nos estudos africanos e afro-brasileiros, pretende-se contribuir para a renovação dos caminhos da pesquisa e da constituição de conhecimento a partir do diálogo interdisciplinar e da interface possível entre as disciplinas envolvidas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2005 - 2010
Dimensões do Império Português
Descrição: O projeto temático "Dimensões do Império português" pretende desenvolver um conjunto variado de atividades de pesquisa no âmbito da problemática do Império português, com destaque para a região Atlântica, desde seus primórdios, com a circunavegação da África no século XV, até o primeiro quartel do século XIX, com o estabelecimento do Império Luso-brasileiro no Rio de Janeiro. Contudo, a ênfase dominante incide sobre o período que se convencionou chamar de Época Moderna (séculos XVI-XVIII). Os integrantes do projeto são docentes do Departamento de História da USP, do Instituto de Economia e Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, e pesquisadores do Cebrap. Os locais de realização do projeto serão dois: a Cátedra Jaime Cortesão, alocada na FFLCH-USP e dotada de recursos próprios graças ao convênio firmado com o Instituto Camões de Lisboa; e, ainda, o Núcleo de História Econômica do Instituto de Economia da Unicamp..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (21) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (11) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (16) .
Integrantes: Alexandre Almeida Marcussi - Integrante / Laura de Mello e Souza - Coordenador / Leila Mezan Algranti - Integrante / Vera Lucia Amaral Ferlini - Integrante / José Jobson de Andrade Arruda - Integrante / Marina de Mello e Souza - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Outra.


Projetos de extensão


2017 - 2017
Artes africanas contemporâneas e as estéticas da pós-colonialidade
Descrição: Sessão de debate destinada à formação e aperfeiçoamento dos profissionais atuantes na curadoria e na equipe educativa da exposição Ex Africa, em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil de Belo Horizonte de 11/10/2017 a 30/11/2017. Foram abordados aspectos ligados à produção artística do continente africano nas três últimas décadas, questões conceituais ligadas às definições de arte africana contemporânea e suas fronteiras e relações com a arte tradicional. Foram também apresentados alguns artistas africanos contemporâneos de destaque internacional. Objetivo geral: oferecer informações e qualificação específica para membros da equipe educativa da exposição Ex Africa, em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil de Belo Horizonte. Objetivos específicos: 1. Discutir conceitos e definições de arte africana contemporânea; 2. Explorar as fronteiras e interconexões entre arte contemporânea e arte tradicional na África; 3. Apresentar informações de contextualização história da produção artística africana; 4. Apresentar um panorama com alguns artistas africanos representativos de tendências contemporâneas e com renome internacional..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Alexandre Almeida Marcussi - Coordenador.Financiador(es): Centro Cultural Banco do Brasil - Belo Horizonte - Remuneração.


Revisor de periódico


2013 - 2013
Periódico: Varia História (UFMG. Impresso)
2015 - 2015
Periódico: Revista de Ciências Humanas
2014 - 2014
Periódico: Revista de Ciências Humanas
2016 - 2016
Periódico: Anais do Museu Paulista (Impresso)
2016 - 2016
Periódico: Mosaico (Rio de Janeiro)
2017 - 2017
Periódico: TEMPO (NITERÓI. ONLINE)
2017 - 2017
Periódico: TEMPO (NITERÓI. ONLINE)
2017 - 2017
Periódico: REVISTA ESCRITA DA HISTÓRIA
2018 - 2018
Periódico: Revista de História (USP)
2018 - 2018
Periódico: ESTUDOS IBERO-AMERICANOS
2018 - 2018
Periódico: REVISTA MARACANAN
2018 - 2018
Periódico: Revista Ars Histórica


Revisor de projeto de fomento


2018 - 2018
Agência de fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
2018 - 2018
Agência de fomento: Diretoria de Relações Internacionais da UFMG
2017 - 2017
Agência de fomento: Diretoria de Relações Internacionais da UFMG
2018 - 2018
Agência de fomento: Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico
2018 - 2018
Agência de fomento: Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico
2017 - 2017
Agência de fomento: Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico
2016 - 2016
Agência de fomento: Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil/Especialidade: História do Brasil Colônia.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia das Populações Afro-Brasileiras.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Teoria Antropológica.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História Moderna e Contemporânea.


Idiomas


Francês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Alemão
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Prêmios e títulos


2017
Prémio CES para Jovens Cientistas Sociais de Língua Portuguesa, Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.
2005
Menção Honrosa no 13º Simpósio Internacional de Iniciação Científica da Universidade de São Paulo, Universidade de São Paulo.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

Outras
Total de trabalhos:10
Total de citações:34
Alexandre A. Marcussi  Data: 28/06/2018

Artigos completos publicados em periódicos

1.
MARCUSSI, Alexandre A.2018 MARCUSSI, Alexandre A.. Liberdade e Solidariedade: visões sobre o cativeiro em um julgamento afro-baiano do século XVII. HISTÓRIA (SÃO PAULO), v. 37, p. 8-24, 2018.

2.
MARCUSSI, Alexandre A.2018 MARCUSSI, Alexandre A.. Utopias centro-africanas: ressignificações da ancestralidade nos calundus da América portuguesa nos séculos XVII e XVIII. REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA (IMPRESSO), v. 38, p. 19-40, 2018.

3.
MARCUSSI, Alexandre A.2018MARCUSSI, Alexandre A.. O anticolonialismo como tragédia: 'Os jacobinos negros' entre a História e a política. CADERNOS DE HISTÓRIA, v. 19, p. 95-122, 2018.

4.
MARCUSSI, Alexandre A.2016MARCUSSI, Alexandre A.. Um pregador africano na inquisição portuguesa: Bento de Jesus e a ideologia da escravidão em Cabo Verde no século XVII. Odeere (UESB), v. 1, p. 8-31, 2016.

5.
MARCUSSI, Alexandre A.2014MARCUSSI, Alexandre A.. Um olhar sobre o reino do Congo restaurado: resenha do livro Muana Congo, Muana Nzambi a Mpungu. Arte 21, v. 2, p. 93-96, 2014.

6.
MARCUSSI, Alexandre A.;MARCUSSI, ALEXANDRE ALMEIDA2013MARCUSSI, Alexandre A.. O dever catequético: A evangelização dos escravos em Luanda nos séculos XVII e XVIII. 7 Mares, v. 1, p. 64-79, 2013.

7.
MARCUSSI, ALEXANDRE ALMEIDA2013 MARCUSSI, ALEXANDRE ALMEIDA. Mestiçagem e perversão sexual em Gilberto Freyre e Arthur de Gobineau. ESTUDOS HISTORICOS (RIO DE JANEIRO), v. 26, p. 275-293, 2013.

8.
MARCUSSI, Alexandre A.;MARCUSSI, ALEXANDRE ALMEIDA2012MARCUSSI, Alexandre A.. A formação do clero africano nativo no Império Português nos séculos XVI e XVII. Temporalidades, v. 4, p. 38-61, 2012.

9.
MARCUSSI, ALEXANDRE ALMEIDA2012MARCUSSI, ALEXANDRE ALMEIDA. From Africa to Brazil: culture, identity, and an Atlantic slave trade, 1600-1830. VARIA HISTÓRIA (UFMG. IMPRESSO), v. 28, p. 943-946, 2012.

10.
MARCUSSI, Alexandre A.;MARCUSSI, ALEXANDRE ALMEIDA2006 MARCUSSI, Alexandre A.. Estratégias de mediação simbólica em um calundu colonial. Revista de Historia (USP), v. 0, p. 97-124, 2006.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
MARCUSSI, Alexandre A.. Diagonais do afeto: teorias do intercâmbio cultural nos estudos da diáspora africana. 1. ed. São Paulo: Intermeios / FAPESP, 2016. v. 1. 258p .

Capítulos de livros publicados
1.
MARCUSSI, Alexandre A.. Personalidade, raça e nação na África pós-colonial: alguns apontamentos a partir das ideias de Kwame Nkrumah. In: REIS, Raissa Brescia dos; RESENDE, Taciana Almeida Garrido de; MOTA, Thiago Henrique. (Org.). Estudos sobre África Ocidental: dinâmicas culturais, diálogos atlânticos. 1ed.Curitiba: Editora Prismas, 2016, v. , p. 259-286.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
MARCUSSI, Alexandre A.. O clero secular na África Centro-Ocidental: problemas e perspectivas. In: XXII Encontro Estadual de História da ANPUH-SP, 2014, Santos. Anais do XXII Encontro Estadual de História da ANPUH-SP. São Paulo: ANPUH-São Paulo, 2014. v. 1. p. 1-12.

2.
MARCUSSI, Alexandre A.. Implicações atuais do debate entre Herskovits e Frazier sobre os africanismos. In: XXVI Simpósio Nacional de História, 2011, São Paulo. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História. São Paulo: ANPUH-SP, 2011.

3.
MARCUSSI, Alexandre A.. Trocas culturais e afetividade em Gilberto Freyre e Franz Boas. In: 3º Seminário Nacional de História da Historiografia: aprender com a história?, 2009, Mariana. Anais do 3º. Seminário Nacional de História da Historiografia: aprender com a história?. Ouro Preto: Edufop, 2009.

4.
MARCUSSI, Alexandre A.. A crioulização nas armadilhas do culturalismo. In: IV Encontro de Pós-Graduandos da FFLCH, 2009, São Paulo. Anais do IV Encontro de Pós-Graduandos da FFLCH/USP 2009, 2009.

5.
MARCUSSI, Alexandre A.. Iniciações rituais nas Minas Gerais do século XVIII: os calundus de Luzia Pinta. In: II Encontro Nacional do GT História das Religiões e das Religiosidades, 2008, Franca. Anais do II Encontro Nacional do GT História das Religiões e das Religiosidades. Maringá: Revista Brasileira de História das Religiões - ANPUH, 2008.

6.
MARCUSSI, Alexandre A.. Paralelos entre sabá e kimpasi no reino do Congo no século XVII. In: XIX Encontro Regional de História ANPUH São Paulo, 2008, São Paulo. Anais do XIX Encontro Regional de História: Poder, Violência e Exclusão. São Paulo: ANPUH-SP, 2008.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
MARCUSSI, Alexandre A.. Ambiguidades do conceito de crioulização entre a teoria e a empiria. In: XXV Simpósio Nacional de História: História e Ética, 2009, Fortaleza. História e Ética: Simpósios Temáticos e Resumos [do] XXV Simpósio Nacional de História, Fortaleza, CE, 12 a 17 de julho de 2009. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 2009. p. 88-88.

Apresentações de Trabalho
1.
MARCUSSI, Alexandre A.. A pedagogia da libertação nas obras de C. L. R. James e Frantz Fanon. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
MARCUSSI, Alexandre A.. Contribuições dos estudos africanos e afro-diaspóricos para uma revisão da história da modernidade. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
MARCUSSI, Alexandre A.. Possibilidades para uma história intelectual da diáspora africana. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
MARCUSSI, Alexandre A.. Parentesco e ancestralidade: categorias centro-aficanas para pensar a escravidão luso-americana nos séculos XVII e XVIII. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
MARCUSSI, Alexandre A.. Patologias da ancestralidade em Angola nos séculos XVII e XVIIII. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

6.
MARCUSSI, Alexandre A.. Personalidade, raça e nação na África pós-colonial: alguns apontamentos a partir das ideias de Kwame Nkrumah. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
MARCUSSI, Alexandre A.. Para além da sala de aula: o historiador na pesquisa e na área de patrimônio. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

8.
MARCUSSI, Alexandre A.. A doença da escravidão: calundus e a terapêutica centro-africana na América Portuguesa nos séculos XVII e XVIIII. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

9.
MARCUSSI, Alexandre A.. O clero secular na África Centro-Ocidental: problemas e perspectivas. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

10.
MARCUSSI, Alexandre A.. O ofício do historiador no século XXI: a pesquisa e o mercado. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

11.
MARCUSSI, Alexandre A.. Creolization between Culturalism and Sociology. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

12.
MARCUSSI, Alexandre A.. Implicações atuais do debate entre Herskovits e Frazier sobre os africanismos. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

13.
MARCUSSI, Alexandre A.. Trocas culturais e afetividade em Gilberto Freyre e Franz Boas. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

14.
MARCUSSI, Alexandre A.. Ambiguidades do conceito de crioulização entre a teoria e a empiria. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

15.
MARCUSSI, Alexandre A.. A crioulização nas armadilhas do culturalismo. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

16.
MARCUSSI, Alexandre A.. Paralelos entre sabá e kimpasi no reino do Congo no século XVII. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

17.
MARCUSSI, Alexandre A.. Estratégias da Salvação: o processo inquisitorial de Luzia Pinta e as metamorfoses da alteridade no Império Português nos séculos XVII e XVIII. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

18.
MARCUSSI, Alexandre A.. Iniciações rituais nas Minas Gerais do século XVIII: os calundus de Luzia Pinta. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

19.
MARCUSSI, Alexandre A.. Estratégias de mediação simbólica no universalismo cristão e nas práticas rituais afro-luso-americanas. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

20.
MARCUSSI, Alexandre A.. Feitiços e fetiches: Magia e religiosidade africana na América Portuguesa. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

21.
MARCUSSI, Alexandre A.. Olhares recíprocos: Magia, religiosidade africana e traduções culturais na América Portuguesa. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções bibliográficas
1.
ARAUJO, E. ; JOSEPHSON, N. ; BARTOLI, J. ; FERRETTI, S. ; FRANKÉTIENNE ; MÉTRAUX, A. ; MCALISTER, E. ; LEREBOURS, M. P. ; ROUMAIN, J. ; ALEXIS, G. ; GUATELLI, C. ; SCHNEIDER, A. ; SANTOS, M. S. ; MARCUSSI, Alexandre A. ; ARAÚJO, R. ; RYKOVSKY, R. . O Haiti está vivo ainda lá: a arte das bandeiras, dos recortes e das garrafas consagradas ao Vodu. São Paulo: Museu Afro Brasil, 2010 (Traduções e artigos).

2.
MARCUSSI, Alexandre A.; SANTOS, M. S. ; ARAÚJO, R. . Para ler e discutir... Sete resenhas para boas leituras. São Paulo: Museu Afro Brasil, 2010 (Artigo em revista).

3.
MARCUSSI, Alexandre A.; ARAÚJO, R. . Para ler e discutir... Seis resenhas para boas leituras. São Paulo: Museu Afro Brasil, 2010 (Artigo em revista).

4.
MARCUSSI, Alexandre A.; SANTOS, M. S. ; ARAÚJO, R. ; ARAUJO, E. ; SILVA, A. C. . O Museu Afro Brasil. São Paulo: Banco Safra, 2010 (Verbetes).


Produção técnica
Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
MARCUSSI, Alexandre A.. A construção histórica do racismo no Brasil. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

2.
MARCUSSI, Alexandre A.. Entrevista sobre o centenário do nascimento de Nelson Mandela. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).


Demais tipos de produção técnica
1.
MARCUSSI, Alexandre A.. Franz Fanon: o anticolonialismo como clínica. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
MARCUSSI, Alexandre A.. Relatório parcial de Mestrado. 2009. (Relatório de pesquisa).

3.
MARCUSSI, Alexandre A.. Relatório de qualificação. 2008. (Relatório de pesquisa).

4.
MARCUSSI, Alexandre A.. Relatório de Iniciação Científica. 2006. (Relatório de pesquisa).

5.
MARCUSSI, Alexandre A.. Relatório de Iniciação Científica. 2005. (Relatório de pesquisa).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
ROMEIRO, Adriana; MARCUSSI, Alexandre A.; COATES, Timothy. Participação em banca de Thais Tanure de Oliveira Costa. "Nas terras remotas o diabo anda solto": degredo, Inquisição e escravidão no mundo atlântico português (séculos XVI a XVIII). 2018. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
HERNANDEZ, L. L.; SILVA, R. V. R. E.; MARCUSSI, Alexandre A.. Participação em banca de Luiz Guimarães Sousa. Tertúlias moçambicanas: periódicos de cultura, literatura e construção nacional em Moçambique pós-independência (1978-1986). 2016. Dissertação (Mestrado em História Social) - Universidade de São Paulo.

3.
SANTOS, Vanicléia S.; HORTA, José A. N. da S.; MARCUSSI, Alexandre A.. Participação em banca de Jeocasta Juliet Oliveira Martins de Freitas. A Religião dos Barbacins, Casangas, Banhuns e Papéis Nos Relatos de Viagem Na Guiné (1560-1625). 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Teses de doutorado
1.
PAIVA, Eduardo F.; MARCUSSI, Alexandre A.; MANSO, Maria D. B.; TAVARES, Célia C. S.; LOBATO, Manuel L. M.. Participação em banca de Ana Paula Sena Gomide. Entre Goa e Ceilão: a formação do clero nativo e as dimensões das mestiçagens no Oriente português (Séculos XVI-XVIII). 2018. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
SANTOS, Vanicléia S.; CAHEN, Michel; CORREA, Silvio M. de S.; CROGUENNEC, Soizic; MACHADO, Fernanda M.; MARCUSSI, Alexandre A.. Participação em banca de Raissa Brescia dos Reis. África imaginada: história intelectual, pan-africanismo, nação e unidade africana na Présence Africaine (1947-1966). 2018. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

3.
HERNANDEZ, Leila M. G. L.; SOUZA, M. L. E.; MARCUSSI, Alexandre A.; SANTOS, A. S. A.; SOUZA, M. M. E.. Participação em banca de Angela Fileno da Silva. Vozes de Lagos: brasileiros em tempos do império britânico. 2016. Tese (Doutorado em História Social) - Universidade de São Paulo.

Qualificações de Doutorado
1.
LIBBY, D. C.; PAIVA, Eduardo F.; MARCUSSI, Alexandre A.. Participação em banca de Ivanice Teixeira Silva Ortiz. Entre "meu filho" e "minha cria": a criança escravizada no serio da família, na rota do tráfico e na luta pela liberdade (Caetité, Alto Sertão, 1830-1871). 2018. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Qualificações de Mestrado
1.
SANTOS, Vanicléia S.; MARCUSSI, Alexandre A.; LARANJEIRA, Lia D.; TEMBE, Joel M. das N.. Participação em banca de Cintia Mary de Oliveira. O Massacre de Mueda (1960) e a constituição das narrativas nacionais em Moçambique (1962-1986). 2018. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
MARCUSSI, Alexandre A.; ROMEIRO, Adriana; LARA, S. H.. Participação em banca de Thais Tanure de Oliveira Costa. Movimento e circulação no espaço atlântico: o degredo de escravizados e alforriados pela Inquisição portuguesa na época moderna. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

3.
PAIVA, Eduardo F.; MARCELINO, Douglas A.; MARCUSSI, Alexandre A.. Participação em banca de Stéfany Sidô Ventura. Conceitos e categorias conceituais na historiografia brasileira dos séculos XIX e XX: a produção de um corpus teórico. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
LACERDA, Mariana de O.; MARCUSSI, Alexandre A.; NOGUEIRA, Marly. Participação em banca de Marlene Josiane Gbedeme Monou.O papel do Museu Casa do Benin na construção de uma narrativa sobre os agudás. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Turismo) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
MARCUSSI, Alexandre A.; SANTOS, Vanicléia S.. Participação em banca de Gabriel Felipe Silva Bem.Resistências africanas à presença portuguesa em dois relatos de expedição em Angola no século XIX. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
MARCUSSI, Alexandre A.; SCOPACASA, Rafael; DUARTE, Regina H.. Professor Substituto de História da Ciência e da Técnica. 2017. Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
MARCUSSI, Alexandre A.; ROMEIRO, Adriana; SILVA, Regina H. A.. Processo Seletivo 2017 - Programa de Pós-Graduação em História, Linha de História Social da Cultura. 2016. Universidade Federal de Minas Gerais.

Outras participações
1.
MARCUSSI, Alexandre A.. Programa Minas Mundi. 2018. Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
MARCUSSI, Alexandre A.; PAIVA, Eduardo F.; SCOPACASA, Rafael; ARNAUT, Luiz D. H.. XXVII Semana de Iniciação Científica. 2018. Universidade Federal de Minas Gerais.

3.
MARCUSSI, Alexandre A.; LIEBEL, Silvia; ROMEIRO, Adriana. Processo Seletivo 2019 - Programa de Pós-Graduação em História da UFMG, Linha de História Social da Cultura. 2018. Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
MARCUSSI, Alexandre A.. Programa Minas Mundi. 2017. Universidade Federal de Minas Gerais.

5.
MARCUSSI, Alexandre A.. Prêmio História Social. 2017. Universidade de São Paulo.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Curso de Difusão Cultural Introdução aos Estudos de África (Módulo I).Contribuições dos estudos africanos e afro-diaspóricos para uma revisão da história da modernidade. 2018. (Outra).

2.
I Encontro Internacional da Associação Brasileira de Estudos Africanos.Tradições e trajetórias dos Estudos Africanos no Brasil. 2018. (Encontro).

3.
I Encontro Internacional da Associação Brasileira de Estudos Africanos.A pedagogia da libertação nas obras de C. L. R. James e Frantz Fanon. 2018. (Encontro).

4.
XVI Simpósio do ICH: Campos da política - Muitos Espaços, Vários Caminhos.Franz Fanon: o anticolonialismo como clínica. 2018. (Simpósio).

5.
69ª Reunião Anual da SBPC. Possibilidades para uma história intelectual da diáspora africana. 2017. (Congresso).

6.
69ª Reunião Anual da SBPC. As pesquisas sobre História, a História da África e a diáspora no Brasil. 2017. (Congresso).

7.
I Seminário Internacional: Patrimônio, História Intelectual e Cultura na África Ocidental / V Jornada do Centro de Estudos Africanos.Memória coletiva e educação. 2017. (Seminário).

8.
Primeiro Fórum Jovem de Cultura Científica.Mesa de abertura. 2017. (Outra).

9.
XII Encontro Regional Sudeste de História Oral: Alteridade em tempos de (in)certeza: escutas sensíveis.Cinema em debate - "Raça e racismo". 2017. (Encontro).

10.
Centro de Estudos sobre a Presença Africana no Mundo Moderno - CEPAMM-UFMG.Parentesco e ancestralidade: categorias centro-africanas para pensar a escravidão luso-americana nos séculos XVII e XVIII. 2016. (Outra).

11.
IV Encontro Internacional de Estudos Africanos da UFF e IV Conferência Internacional sobre Desporto na África.Patologias da ancestralidade em Angola nos séculos XVII e XVIII. 2016. (Encontro).

12.
Feitiço(s) do(s) Tempo(s): escravidão, malefício, cura.A doença da escravidão: calundus e a terapêutica centro-africana na América portuguesa nos séculos XVII e XVIII. 2015. (Seminário).

13.
I Jornada de Estudos sobre África Ocidental.Personalidade, raça e nação na África pós-colonial: alguns apontamentos a partir das ideias de Kwame Nkrumah. 2015. (Outra).

14.
Semana da História.Para além da sala de aula: o historiador na pesquisa e na área de patrimônio. 2015. (Outra).

15.
IV Encontro de Pesquisa na Graduação em História.Religiosidades no Brasil. 2014. (Encontro).

16.
XIV Semana de História 2014 - Histórias de uma Guerra - 100 anos de consequências pelo mundo.O ofício do historiador no século XXI: a pesquisa e o mercado. 2014. (Seminário).

17.
XXII Encontro Estadual de História - História: da produção ao espaço público.O clero secular na África Centro-Ocidental: problemas e perspectivas. 2014. (Encontro).

18.
Interlocuções Brasil África. 2013. (Seminário).

19.
International Conference on African Studies: Revisiting the First International Congress of Africanists in a Globalized World. Creolization between Culturalism and Sociology. 2013. (Congresso).

20.
1º Seminário Interno do Núcleo de Apoio à Pesquisa Brasil África.Cativeiro e cura: práticas rituais africanas e as margens da liberdade no Atlântico Português, século XVIII. 2012. (Seminário).

21.
Semana da Comunicação - Uniban.Outros Atlânticos: Elos da Lusofonia no Museu Afro Brasil. 2011. (Outra).

22.
XXVI Simpósio Nacional de História.Implicações atuais do debate entre Herskovits e Frazier sobre os africanismos. 2011. (Simpósio).

23.
3º Seminário Nacional de História da Historiografia: aprender com a história?.Trocas culturais e afetividade em Gilberto Freyre e Franz Boas. 2009. (Seminário).

24.
IV Encontro de Pós-Graduandos da FFLCH.A crioulização nas armadilhas do culturalismo. 2009. (Encontro).

25.
Seminário Temático: O Brasil (não é) para principiantes - Seminário Intermediário: GT Pensamento Social no Brasil - ANPOCS/2009. 2009. (Seminário).

26.
XXV Simpósio Nacional de História: História e Ética.Ambiguidades do conceito de crioulização entre a teoria e a empiria. 2009. (Simpósio).

27.
II Encontro Nacional do GT História das Religiões e das Religiosidades.Iniciações rituais nas Minas Gerais do século XVIII: os calundus de Luzia Pinta. 2008. (Encontro).

28.
III Encontro de Pós-Graduandos da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP.Estratégias da Salvação: o processo inquisitorial de Luzia Pinta e as metamorfoses da alteridade no Império Português nos séculos XVII e XVIII. 2008. (Encontro).

29.
XIX Encontro Regional de História ANPUH São Paulo.Paralelos entre sabá e kimpasi no reino do Congo no século XVII. 2008. (Encontro).

30.
Colóquio Internacional Contextos Missionários: Poder e Religião no Império Português. Estratégias de mediação simbólica no universalismo cristão e nas práticas rituais afro-luso-americanas. 2007. (Congresso).

31.
Reunião do Núcleo de Estudos Ibéricos da Universidade Federal de São Paulo.Estratégias de negociação simbólica no processo inquisitorial de Luzia Pinta (1742-1744). 2007. (Encontro).

32.
14º Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP.Feitiços e fetiches: Magia e religiosidade africana na América Portuguesa. 2006. (Simpósio).

33.
Escrita, Memória e Vida Material: formas de transmissão da cultura letrada no Império Português (sécs. XVI-XIX). 2006. (Seminário).

34.
Seminário do Núcleo "Religião e Evangelização" do Projeto Temático FAPESP "Dimensões do Império Português".Olhares recíprocos: Práticas mágicas e a hermenêutica do contato no Império Português. 2006. (Seminário).

35.
13º Simpósio Internacional de Iniciação Científica USP/CNPq.Olhares recíprocos: Magia, religiosidade africana e traduções culturais na América Portuguesa. 2005. (Simpósio).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
CARVALHO FILHO, Silvio de A. ; GEBARA, Alexsander ; NASCIMENTO, Washington S. ; PEREIRA, Luena N. N. ; SOUZA, M. L. E. ; MARCUSSI, Alexandre A. . I Encontro Internacional da Associação Brasileira de Estudos Africanos. 2018. (Congresso).

2.
MARCUSSI, Alexandre A.; SANTOS, Vanicléia S. ; RESENDE, Taciana A. G. ; MALACCO, Felipe S. de O. . I Seminário Internacional: Patrimônio, História Intelectual e Cultura na África Ocidental / V Jornada do Centro de Estudos Africanos. 2017. (Congresso).

3.
ARAUJO, E. ; RYKOVSKY, R. ; MARCUSSI, Alexandre A. ; ARAÚJO, R. ; BEVILACQUA, J. . I Encontro Afro Atlântico na Perspectiva dos Museus. 2011. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Tainá Elis Santos de Souza. Os primeiros discursos de Edward Blyden e seu projeto para a regeneração da África (1857-1865). Início: 2018. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

2.
Gabriel Felipe Silva Bem. O discurso colonial português nas obras de Marquês de Sá da Bandeira e de João de Andrade Corvo, no século XIX. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Isabela de Andrade Pena Miranda Corby. Minas Setecentista e Inquisição (1700-1774): Tensões Constitutivas entre Norma e Prática nas denúncias de Feitiçarias presentes nos Cadernos do Promotor. Início: 2018. Tese (Doutorado em Direito) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Coorientador).

2.
Maria do Rosário Gomes da Silva. O candombe em canto e verso: narrativas poéticas da resistência quilombola em Minas Gerais. Início: 2018. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Mikaela Monteiro Moraes. As bases teológicas, históricas e jurídicas para o trato negreiro expostas em Baltazar Barreira e Luís Brandão. Início: 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Mara Lívia de Abreu Teodoro. Escravizados: sujeitos políticos na História: as organizações político-sociais de pessoas escravizadas no Brasil numa perspectiva historiográfica concebida entre 1959-2003. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

2.
Eric Serbinenko. Violência colonial, destruição metropolitana: um estudo comparativo sobre a noção de ?efeito-bumerangue? em Hannah Arendt e Homi Bhabha. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Monografia de conclusão de curso de aperfeiçoamento/especialização
1.
Gabriel Felipe Silva Bem. Resistências africanas à presença portuguesa em dois relatos de expedição em Angola no século XIX. 2017. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Alexandre Almeida Marcussi.

Iniciação científica
1.
Marlon Marcelo. Entre irmãos: os vínculos entre a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e o Clube Mundo Velho em Sabará (1870-1910). 2017. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Alexandre Almeida Marcussi.

2.
Alaor Souza Oliveira. A irmandade muçulmana e a identidade nacional egípcia nos anos 1930 e 1940. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Alexandre Almeida Marcussi.

3.
Tainá Elis Santos de Souza. Os primeiros discursos de Edward Blyden e a construção da Libéria (1857-1865). 2016. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Alexandre Almeida Marcussi.

4.
Gabriel Felipe Silva Bem. Resistências africanas à presença portuguesa em dois relatos de expedição em Angola no século XIX. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Alexandre Almeida Marcussi.



Educação e Popularização de C & T



Apresentações de Trabalho
1.
MARCUSSI, Alexandre A.. Contribuições dos estudos africanos e afro-diaspóricos para uma revisão da história da modernidade. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 17/12/2018 às 18:24:53