Débora Monteiro Brentano

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8494789742757076
  • Última atualização do currículo em 03/07/2018


Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade de Santa Cruz do Sul (2003), Mestre em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006) e Doutora em Ecologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2016). Atualmente é professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - IFSC, onde coordena o Laboratório de Ecotoxicologia. Tem experiência na área de Ecologia - Limnologia, explorando as relações ecológicas das cianobactérias e a produção de cianotoxinas nos recursos hídricos. Atua na área da Ecotoxicologia em atividades que envolvam testes de toxicidade aguda e crônica para avaliação, monitoramento ambiental e fiscalização. Utilizando ferramentas de Microbiologia Aplicada, desenvolve análises e estudos para determinação de potabilidade, balneabilidade e enquadramento legal dos recursos hídricos. Em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio, instituição com a qual o IFSC possui Acordo de Cooperação Técnica, desenvolve pesquisa de qualidade da água em Unidades de Conservação. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Débora Monteiro Brentano
Nome em citações bibliográficas
BRENTANO, D. M.;BRENTANO, DÉBORA MONTEIRO

Endereço


Endereço Profissional
Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, Campus Florianópolis.
Av. Mauro Ramos, 950
Centro
88020300 - Florianópolis, SC - Brasil
Telefone: (48) 32210646


Formação acadêmica/titulação


2013 - 2016
Doutorado em Ecologia.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
com período sanduíche em University of New South Wales (Orientador: Brett Neilan).
Título: A RELAÇÃO DOS FATORES ABIÓTICOS E DA DENSIDADE DE Cylindrospermopsis raciborskii (CYANOPHYCEAE) NA CONCENTRAÇÃO DE CIANOTOXINAS E ESTRUTURAÇÃO DA COMUNIDADE ZOOPLANCTÔNICA EM UMA LAGOA COSTEIRA SUBTROPICAL, Ano de obtenção: 2017.
Orientador: Maurício Mello Petrucio.
Palavras-chave: bottom-up; Cianobactéria; comunidade fitoplantônica; gerenciamento de lagos; testes ecotoxicológicos; saxitoxinas.
2004 - 2006
Mestrado em Engenharia Ambiental.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Título: Desenvolvimento e aplicação do teste de toxicidade crônica com Daphnia magna: Avaliação de efluentes tratados de um aterro sanitário,Ano de Obtenção: 2006.
Orientador: William Gerson Matias.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Toxicidade crônica; Percolado de aterro sanitário; Daphnia magna.
Grande área: Ciências Biológicas
Setores de atividade: Produtos e Serviços Voltados Para A Defesa e Proteção do Meio Ambiente, Incluindo O Desenvolvimento Sustentado.
1998 - 2003
Graduação em Ciênicas Biológicas.
Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC, Brasil.
Título: Avaliação ecotoxicológica de efluentes de curtume do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil, utilizando Daphnia magna Straus como organismo teste.
Orientador: Eduardo Alexis Lobo Alcayaga.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPQ, Brasil.




Formação Complementar


2014 - 2014
Semana de Integração da Pós-graduação. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2009 - 2009
Fortalecimento das ações em Biosseguridade. (Carga horária: 32h).
Associação Nacional de Biossegurança, ANBIO, Brasil.
2005 - 2005
Segurança do Trabalho em Laboratórios. (Carga horária: 2h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2004 - 2004
Análise Estatística Em Ecotoxicologia. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2002 - 2002
Ensaios Ecotoxicológicos com org de água doce. (Carga horária: 6h).
Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil.
2002 - 2002
Abelhas o Mundo Social Dentro de Uma Colméia. (Carga horária: 8h).
Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC, Brasil.
2002 - 2002
Noções Técnicas Preparação de Coleções Científicas. (Carga horária: 8h).
Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC, Brasil.
2002 - 2002
Estágio no Núcleo de Educação Ambiental. (Carga horária: 20h).
Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro, JBRJ, Brasil.
2002 - 2002
Treinamento Para Visitação Didática. (Carga horária: 8h).
Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro, JBRJ, Brasil.
2001 - 2001
Extensão universitária em Educação Ambiental Vivenciada. (Carga horária: 40h).
Univates Centro Universitário, UNIVATES, Brasil.
2001 - 2001
Introdução a Cronobiologia. (Carga horária: 6h).
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
2001 - 2001
Cultivo e Testes Ecotoxicológicos. (Carga horária: 35h).
Bioensaios Análise e Consultoria Ambiental, BIOENSAIOS, Brasil.
2001 - 2001
Oficina Para Capacitação de Bolsistas. (Carga horária: 16h).
Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC, Brasil.
2000 - 2000
Ecotoxicologia Aquática. (Carga horária: 6h).
Sociedade Brasileira de Ecotoxicologia, SBETOX, Brasil.
2000 - 2000
Permacultura. (Carga horária: 8h).
Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC, Brasil.
2000 - 2000
Plantas Como Indicadoras de Ambientes. (Carga horária: 5h).
Sociedade Botânica do Brasil, SBB, Brasil.
1999 - 1999
Extensão universitária em Biologia Marinha. (Carga horária: 40h).
Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC, Brasil.
1999 - 1999
Extensão universitária em Educação Ambiental Gestão e Sustentabilidade de Ba. (Carga horária: 20h).
Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC, Brasil.
1999 - 1999
A Educação Ambiental na Gestão Municipal. (Carga horária: 26h).
Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul, FAMURS, Brasil.
1999 - 1999
Microbiologia no Tratamento de Efluentes. (Carga horária: 8h).
Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC, Brasil.
1999 - 1999
Estágio no Setor de Bioensaios. (Carga horária: 16h).
Fundação Estadual de Proteção Ambiental Luís Henrique Roessler, FEPAM, Brasil.
1998 - 1998
Microbiologia de Alimentos e Sanitização. (Carga horária: 8h).
Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC, Brasil.


Atuação Profissional



Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, IF-SC, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor do Ensino Técnico e Tecnológico, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

05/2018 - Atual
Ensino, Mestrado Profissional Clima e Ambiente, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Impacto do clima nos estudos limnológicos
11/2010 - Atual
Direção e administração, Campus Florianópolis, .

Cargo ou função
Chefe do Laboratório de Ecotoxicologia.
03/2008 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Campus Florianópolis, .

02/2007 - Atual
Ensino,

Disciplinas ministradas
Bacteriologia
Estudos Ecológicos
Fundamentos Biológicos para Saneamento
Monitoramento Ambiental
Poluição das Águas
Toxicologia Aquática
Métodos Microbiológicos e Toxicológicos para Avaliação Ambiental
07/2008 - 11/2010
Direção e administração, Campus Florianópolis, .

Cargo ou função
Chefe Laboratório Bacteriologia.
01/2009 - 01/2010
Direção e administração, Campus Florianópolis, .

Cargo ou função
Coordenador de Curso.

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, ICMBio, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professora Pesquisador, Carga horária: 4


Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, IBAMA, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2008
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professor Pesquisador, Carga horária: 4


Laboratório de Recursos Hídricos e Qualidade da Água da Esec Carijós, LABHIDRO, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2007
Vínculo: Prestador de Serviço, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 40

Atividades

5/2006 - 4/2007
Pesquisa e desenvolvimento , Ibama, .


Prefeitura Municipal de Lajeado, PML, Brasil.
Vínculo institucional

2001 - 2004
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Responsável Setor de Educação Ambiental, Carga horária: 20
Outras informações
Atividades: * Responsável pelo setor de Educação Ambiental do Departamento do Meio Ambiente de Lajeado * Orientação a estagiários do Departamento do Meio Ambiente de Lajeado * Coordenação de campanhas e projetos de Educação Ambiental

Vínculo institucional

1999 - 2001
Vínculo: Outro, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 15
Outras informações
Atividade Desenvolvida: * Elaboração de projetos de Educação Ambiental; * Monitoria de visitas ao Aterro Sanitário; * Acompanhamento dirigido de visitas ao Jardim Botânico de Lajeado; * Docente de palestras sobre o tema Meio Ambiente; * Elaboração e acompanhamento de campanhas ambientais.

Atividades

3/2001 - 2/2004
Ensino,

Disciplinas ministradas
Educação Ambiental (Coordenação de Setor)
4/1999 - 2/2001
Estágios , Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente, Departamento do Meio Ambiente.

Estágio realizado
Atividades Desenvolvidas: Elaboração de projetos de Educação Ambiental; Monitoria de visitas ao Aterro Sanitário; Acompanhamento de visitas ao Jardim Botânico de Lajeado; Docente de palestras sobre temas de Meio Ambiente; Elaboração e acompanhamento de Ca.

Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2006
Vínculo: Bolsista CAPES, Enquadramento Funcional: , Carga horária: 40

Atividades

3/2004 - 3/2006
Pesquisa e desenvolvimento , Centro Tecnológico, Departamento de Engenharia Sanitária.

Linhas de pesquisa
Toxicologia crônica
7/2004 - 6/2005
Ensino, Engenharia Sanitária e Ambiental, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Toxicologia Ambiental
Qualidade de Água

Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC, Brasil.
Vínculo institucional

1999 - 2003
Vínculo: Outro, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20



Linhas de pesquisa


1.
Toxicologia crônica
2.
Ecologia
3.
Monitoramento Ambiental
4.
Microbiologia aplicada
5.
Ecotoxicologia


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Caracterização ambiental de uma área urbana da Grande Florianópolis: a ação dos discentes na aplicação integrada dos conhecimentos através de prática didático-pedagógica do Curso Técnico de Meio Ambiente
Descrição: O Projeto Integrador (PI) concebido para o Curso Técnico de Meio Ambiente do Instituto Federal de Santa Catarina, descrito no Projeto Pedagógico deste respectivo curso, vem sendo desenvolvido, sistematicamente, desde a criação do curso no ano de 2000. O objetivo da presente proposta é incrementar a execução do PI das turmas de formandos do ano de 2018, no 1o e 2o semestre, através de aporte financeiro para as ações de pesquisa e extensão executadas nesta atividade didático-pedagógica. Cerca de 32 alunos estarão envolvidos em 200h horas de atividades que contemplarão planejamento, investigação e intervenção na comunidade de uma área escolhida como objeto de estudo. As investigações se darão nas linhas de Qualidade de água, Infraestrutura urbana, Uso e ocupação do solo, e Educação Ambiental. Os resultados gerados sob o rigor da aplicação de metodologia científica serão base para a execução de ações dentro da comunidade em estudo, buscando a melhoria de diferentes aspectos ambientais. A metodologia da investigação-ação adotada permite a retroalimentação do sistema aprimorando a práxis e permitindo aos docentes a construção do conhecimento, a experiência e a segurança necessária ao fazer técnico. Os resultados esperados permeiam o ensino, através da formação de profissionais plenos; a pesquisa, através da geração de modestos conhecimentos locais de qualidade; e a extensão, a medida que a instituição penetra em comunidades com demandas ambientais e firma seu nome como entidade executora e promotora de melhorias da qualidade de vida, seja por ação local ou pela formação de profissionais exemplares para o mercado de trabalho e fazer cidadão..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (15) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Coordenador / Ricardo Reis Maciel - Integrante / Luis Carlos Marinho Cavalheiro - Integrante / Cristiane Ottes - Integrante.Financiador(es): Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - Auxílio financeiro.
2013 - 2014
Testes de toxicidade aguda como tecnologia para alerta de produção de cianotoxinas relacionada a densidade de Cylindrospermopsis raciborskii
Descrição: A floração de cianobactérias é um problema por afetar manaciais de abastecimento público. Muitas cianobactérias, como a Cyilindrospermopsis raciborskii são potencialmente produtoras de toxina. A avaliação desta produção pode ser mensurada através de efeitos sobre o zooplâncton, por exemplo. O presente trabalho avaliou a toxicidade aguda da água bruta da Lagoa do Peri, relacionando-a com a produção de cianotoxinas ?in locu? e com a porção intra ou extracelular. A água da Lagoa do Peri foi amostrada mensalmente, durante um ano, e submetida a testes de toxicidade aguda com a amostra bruta, filtrada e sonicada. Utilizou-se como organismo-teste o microcrustáceo Daphnia magna. Posteriormente, a concentração de toxinas dissolvida mensurada para a Lagoa do Peri foi relacionada à toxicidade aguda. Observou-se que a amostra bruta provocou toxicidade aguda ao organismo-teste Daphnia magna em todos os meses testados e foi considerado significativamente maior que a toxicidade provocada pela amostra sonicada (P=0,0042). A amostra filtrada não provocou toxicidade ao organismo-teste em qualquer mês, diferindo das demais. A relação entre a concentração de cianotoxinas dissolvida na Lagoa do Peri e a toxicidade aguda da amostra bruta para Daphnia magna é fraca, o que aponta para o fato de que o efeito sobre o zooplâncton deve-se a toxina presente no meio intracelular e/ou ao efeito mecânico ocasionado pelo tricoma alongado das cianobactérias. Dentre as toxinas, STX apresentou a maior concentração para o período, diferindo significativamente da concentração de MCYST e CYL (P<0,0001). Não observou-se relação entre a sazonalidade e a toxicidade aguda..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2014
Produção de cianotoxinas em Lagoas Costeiras:tecnologia para estimar o efeito sobre a biota aquática
Descrição: Dentre os impactos ecológicos de cianobactérias em comunidades aquáticas, destacam-se as alterações na estrutura da comunidade. Esta pesquisa objetivou avaliar a toxicidade aguda e crônica da água bruta da Lagoa do Peri, utilizando indicadores que refletem a saúde de um grupo de organismos, relacionando toxicidade e variáveis físico-químicas. Analisou-se descritores de qualidade da água, a toxicidade aguda ao organismo-teste Daphnia magna e realizou-se análise histológica de peixes das espécies Jenynsia lineata, através do monitoramento passivo, e Paracheirodon sp., através do biomoniotaramento ativo. A água da Lagoa do Peri apresentou-se tóxica em todas as amostragens realizadas, provocando efeito agudo ao zooplâncton exposto. A CE(I)50 48h variou de 7,95 a 70,71% e o FT de >16 a 4. O valores de nutrientes para a lagoa foram considerados baixos e, provavelmente devido ao curto tempo de amostragem, não foi possível evidenciar um padrão de relação entre a toxicidade aguda e os dados de qualidade de água. A ictiofauna estudada não apresenta efeitos agudos ou crônicos à água da lagoa em estudo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2012 - 2013
Uso de Hyalella azteca como tecnologia para análise da toxicidade de sedimentos límnicos com salinidade variável
Descrição: A análise ecotoxicológica dos sedimentos traz uma visão holística dos danos acarretados por poluentes advindos da atividade antrópica. Para tal há necessidade de cultivo de um organismo que habita tal compartimento aquático. Durante o período de um ano cultivou-se o organismo-teste Hyalella azteca sob três diferentes condições de cultivo e observou-se variáveis como natalidade, mortalidade, número de cópulas por lote de cultivo, expectativa de vida objetivando verificar qual o método de cultura mais adequado. Nos dois primeiros cultivos experimentais os organismos-teste apresentaram baixa longevidade e no segundo não houve fecundidade. O terceiro cultivo experimental encontra-se em andamento, utilizando Elodea como substrato e cubas de vidro, uma vez que estas são as variáveis que inerferiram nas tentativas anteriores de cultivo. Após o sucesso do estabelecimento do cultivo deste organismo será elaborado o POP para tal metodologia, permitindo o contínuo cultivo do organismo no Laboratório de Ecotoxicolgia do IFSC e futuras pesquisas envolvendo os testes de toxicidade com o sedimento límnico..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2011 - 2012
Toxicidade crônica aplicada a efluentes de ETEs: tecnologia para implementação da legislação ambiental
Descrição: Testes de toxicidade têm sido amplamente utilizados para verificar a qualidade da água e ajudar no controle de despejos de substâncias químicas que podem causar impactos aos organismos aquáticos. Porém anteriormente à realização de testes de toxicidade é necessário conhecer a sensibilidade dos organismos-teste para estimar a precisão e confiabilidade dos dados produzidos em laboratório. O presente estudo objetivou realizar testes de sensibilidade com Ceriodaphnia dubia a fim de verificar se os cultivos do Laboratório de Toxicologia Ambiental do IFSC apresentam sensibilidade de acordo com o descrito na literatura, tornando-os aptos para uso em testes de toxicidade. Desenvolveram-se dois protocolos de teste, A e B diferindo quanto à concentração das soluções-teste e manejo. Observou-se que os próximos testes de sensibilidade a serem executados devem apresentar soluções-teste com menor diferença de concentração entre elas favorecendo a geração de dados consistentes em um intervalo não superior a 0,20 e 1,50 mg.L-1. Ainda, há necessidade de ajustes no cultivo dos organismos-testes no Laboratório de Toxicologia Ambiental do IFSC pois, possivelmente, os organismos estão sendo submetidos à substância de referência já fragilizados..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2010 - 2011
Avaliação da toxicidade aguda do efluente das ETEs do entorno da ESEC Carijós, utilizando Daphnia magna
Descrição: A Estação Ecológica de Carijós ? ESEC Carijós ? é uma unidade de conservação que abriga dois manguezais: Saco Grande e Ratones. Como o objetivo de uma ESEC é salvaguardar a área da intervenção antrópica, viu-se a necessidade de realizar um monitoramento constante no entorno desta unidade de conservação. O objetivo do presente trabalho foi analisar a toxicidade aguda do efluente proveniente das estações de tratamento de esgoto doméstico ? ETEs ? do entrono da ESEC Carijós, a saber: ETE Saco Grande, ETE Vila União, ETE Habitasul e ETE Canasvieiras. Utilizou-se como organismo-teste o microcrustáceo Daphnia magna. Anteriormente a execução dos testes de toxicidade, verificou-se a tolerância dos organismos à substância tóxica de referência através de testes de sensibillidade com Dicromato de Potássio (K2Cr2O7). O testes de toxicidade aguda expôs organismos juvenis com período de vida de 2 a 26 horas a diferentes concentrações da amostra, por um período de 48 h. Dentre as ETEs estudadas, a ETE Saco Grande é a que lança efluente de maior toxicidade, na qual observou-se Fator de Toxicidade - FT de até 128. Essa toxicidade pode ser proveniente do uso de cloro para desinfecção, já que este na presença de matéria orgânica gera compostos tóxicos, como trihalometanos (THMs) e ácidos haloacéticos (HAA). Todas as análises ecotoxicológicas foram realizadas no Laboratório de Ecotoxicologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina ? IF-SC..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2010 - 2011
Avaliação da toxicidade crônica do efluente de usinas de produção de concreto, no norte da Ilha de Santa Catarina
Descrição: Diversos empreendimentos que utilizam água em seus processos produtivos lançam o efluente sem atender a legislação vigente, especialmente quanto ao parâmetro de toxicidade estabelecido pela Resolução CONAMA nº 357/05 e Portaria FATMA nº 17/02. Citam-se as usinas de produção de concreto do entorno da Estação Ecológica de Carijós ? ESEC Carijós ? gerida pelo ICMBio, uma unidade de conservação localizada no norte da Ilha de Santa Catarina. Estas usinas tiveram seus efluentes analisados em 2008, revelando que o mesmo apresentava pH básico, provocando toxicidade aguda à Daphnia magna. Tais dados subsidiaram ação de fiscalização. Atualmente, objetiva-se verificar as alterações adotadas pelas usinas de produção de concreto em seus sistemas de tratamento de efluentes, bem como avaliar a toxicidade crônica do mesmo. Foram realizadas 7 saídas a campo e todas as 4 usinas de produção de concreto do entorno da ESEC Carijós foram visitadas. Após as visitas realizadas, foi verificado que alterações no processo produtivo e gestão dos resíduos foram implementadas, promovendo a reutilização e/ou reaproveitamento de concreto e da água. Três usinas apresentaram lançamento de efluente para o ambiente e tiveram o mesmo amostrado e avaliado quanto à toxicidade aguda utilizando Daphnia magna. Os resultados apontaram para amostras não tóxicas em duas usinas e, em uma delas, observou-se FT=4. Com as informações colhidas em campo, elaboraram-se relatórios descritivos do processo produtivo e da estação de tratamento de efluentes (ETE), ilustrados através de fluxogramas, para cada uma das usinas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2010 - 2011
Testes de toxicidade crônica com Ceriodaphnia dubia: refinamento para aplicação em águas com salinidade variável
Descrição: A avaliação da toxicidade crônica determina os possíveis efeitos adversos de uma amostra após longo tempo de exposição a concentrações subletais. No Laboratório de Ecotoxicologia do IF-SC, Campus Florianópolis, encontra-se implantada a rotina para detecção de genotoxicidade e toxicidade aguda. Assim, o objetivo desta pesquisa foi implementar metodologia para detecção de toxicidade crônica utilizando o microcrustáceo Ceriodaphnia dubia, e posteriormente realizar testes de toxicidade crônica para avaliar a toxicidade da Bacia Hidrográfica do Rio Ratones. Implementou-se a rotina de cultivo do organismo-teste Ceriodaphnia dubia, juntamente com a microalga Pseudokirchneriella subcaptata que serve de alimento para o mesmo, segundo a NBR 13373. Trabalhos anteriores demonstraram o comprometimento da qualidade hídrica através de testes físico-químicos. Foi identificada como principal fonte poluidora o efluente doméstico, oriundo da ocupação humana no entorno da bacia. Testes de toxicidade aguda foram realizados, e não foi encontrado efeito tóxico agudo. Porém, amostras que não apresentam toxicidade aguda podem apresentar efeito adverso para a biota, pois interferem no ciclo de vida dos organismos, causando efeito crônico. Assim, A segunda etapa consistirá na avaliação da toxicidade crônica das águas da Bacia Hidrográfica do Rio Ratones, que apresenta uma salinidade variável, pois parte dela é estuário..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2010 - Atual
Implementação da rotina de teste crônico com Ceriodaphnia dubia
Descrição: A avaliação da toxicidade crônica determina os possíveis efeitos adversos de uma amostra após longo tempo de exposição a concentrações subletais. No Laboratório de Ecotoxicologia do IF-SC, Campus Florianópolis, encontra-se implantada a rotina para detecção de genotoxicidade e toxicidade aguda. Assim, o objetivo desta pesquisa foi implementar metodologia para detecção de toxicidade crônica utilizando o microcrustáceo Ceriodaphnia dubia, e posteriormente realizar testes de toxicidade crônica para avaliar a toxicidade da Bacia Hidrográfica do Rio Ratones. Implementou-se a rotina de cultivo do organismo-teste Ceriodaphnia dubia, juntamente com a microalga Pseudokirchneriella subcaptata que serve de alimento para o mesmo, segundo a NBR 13373. Trabalhos anteriores demonstraram o comprometimento da qualidade hídrica através de testes físico-químicos. Foi identificada como principal fonte poluidora o efluente doméstico, oriundo da ocupação humana no entorno da bacia. Testes de toxicidade aguda foram realizados, e não foi encontrado efeito tóxico agudo. Porém, amostras que não apresentam toxicidade aguda podem apresentar efeito adverso para a biota, pois interferem no ciclo de vida dos organismos, causando efeito crônico. Assim, A segunda etapa consistirá na avaliação da toxicidade crônica das águas da Bacia Hidrográfica do Rio Ratones, que apresenta uma salinidade variável, pois parte dela é estuário. Outros autores mostram também a sensibilidade do organismo à salinidade como Coelho (2001) que estabelece a faixa de sensibilidade do organismo entre 1,25 g/L-1 e 1,53g/L-1 de NaCl e Takenaka (2007) que estabelece a sensibilidade do organismo entre 1,06 g/L-1 e 1,64 g/L-1 de NaCl..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2010
Desenvolvimento do Teste do Micronúcleo para águas salobras: avaliação do potencial mutagênico do Rio Papaquara, Município de Florianópolis/SC
Descrição: O Rio Papaquara constitui-se um dos principais rios da Ilha de Santa Catarina, por sua expressiva extensão e volume d?água. Compõe, juntamente com os rios Ratones e Veríssimo, a Bacia Hidrográfica do Ratones, localizada a noroeste de Florianópolis. Possui origem nas encostas do maciço do Morro do Caçador, recoberta por Floresta Ombrófila Densa. Deságua na Estação Ecológica Carijós, onde está inserido o Manguezal de Ratones, após passar por uma área de intensa urbanização. Visando a conservação do Manguezal de Ratones e a complementação de estudos já realizados pelo IF-SC/ICMBio, avaliou-se o potencial mutagênico do Rio Papaquara, através do Teste do Micronúcleo (MN), utilizando como organismo-teste Oreochromis niloticus (tilápia do Nilo). Inicialmente, aclimatou-se 20 indivíduos em água doce, por aproximadamente 8 dias. Após, os peixes foram submetidos, por 48 horas, a amostras de três pontos do rio Papaquara (nascente, ponto intermediário e ponto próximo ao estuário) e ao controle negativo. Para o teste do MN, retirou-se o sangue da veia caudal dos peixes; prepararam-se esfregaços em lâminas e fixaram-se as células para coloração, realizada através do método Feulgen-Fast-Green. Quatro mil eritrócitos de cada animal (5 peixes por ponto e para o controle) foram analisados quanto à presença de MN. Para comparação dos quatro grupos, realizou-se o teste paramétrico ANOVA, com nível de significância 0,05, utilizando o programa estatístico Instat. Como resultado, verificou-se diferença significativa do número de MN entre o ponto intermediário, os demais pontos e o controle negativo. Assim, este resultado demonstra que, além do comprometimento físico, químico e biológico da água do rio Papaquara já estudados, poderá haver também um comprometimento da carga genética da biota local, prejudicando populações aquáticas e a conservação destas espécies. Ainda, verifica-se que este resultado condiz com a realidade, visto que o ponto três demonstrou ser, em comparação aos demais po.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2010
Avaliação da toxicidade aguda do Rio Papaquara no entorno da ESEC Carijós, Município de Florianópolis/SC
Descrição: O Rio Papaquara que compõe a Bacia Hidrográfica do Rio Ratones, é um dos principais rios do da Ilha de Santa Catarina. Este recurso hídrico abrange uma área de 4.800 m2, em uma região com grande ocupação urbana. O Rio Papaquara, por situar-se principalmente nos locais de maior uso e ocupação do solo, necessita de atenção para os possíveis lançamentos de efluente que podem comprometer a biota que habita essa Bacia Hidrográfica. Estudos anteriores demonstraram o comprometimento da qualidade física e química deste recurso hídrico. A complementação destes estudos visa verificar os efeitos nocivos de substâncias e compostos químicos presentes no Rio Papaquara sobre os organismos. Assim, o objetivo desta pesquisa é avaliar a toxicidade aguda do Rio Papaquara, usando o organismo-teste Daphnia magna. Saídas de campo foram realizadas para o reconhecimento dos 7 pontos, onde as amostras de água foram coletadas para análises anteriores. Selecionaram-se três pontos isentos da contribuição de cunha salina para realização de coletas de amostras. Tais coletas ocorreram em três momentos distintos e as amostras foram testadas a partir da exposição de neonatos de Daphnia magna, de 2 a 26h de idade, em que o número de organismos imóveis determina estatisticamente o efeito agudo, a partir da CE50 48h ? Concentração Efetiva Inicial Mediana. Observou-se que em todos os momentos de coleta e em todos os pontos amostrados a água do Rio Papaquara não apresentou efeito tóxico agudo sobre o organismo-teste. Estudos posteriores de toxicidade crônica e genotoxicidade são recomendados visando demonstrar como as alterações no ambiente podem comprometer a biota, e salientar a importância de um manejo e monitoramento desses ecossistemas, a fim de preservar a natureza..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2010
Avaliação da toxicidade aguda do efluente dos postos de abastecimento de combustíveis e outras atividades potencialmente poluidoras no entorno da ESEC Carijós
Descrição: O despejo de poluentes como óleo automotivo, solventes e detergentes na água e no solo é potencialmente negativo à qualidade da água. Pesquisa realizada anteriormente, pelo grupo de Gestão Ambiental: Estudos e Análises, (dados não publicados) resultou na adequação de quase 20 postos de combustíveis às condições e padrões de lançamento de efluentes. Todos os postos do estudo estão localizados no entorno da Estação Ecológica (ESEC) Carijós, uma unidade de conservação no Norte da Ilha de Santa Catarina gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), e criada por Decreto Federal, em 1987, para preservar os manguezais do Saco Grande e do Rio Ratones, ameaçados pelo acelerado processo de urbanização de Florianópolis. Dada a importância da continuidade do monitoramento dos efluentes destes estabelecimentos, este trabalho buscou avaliar a atual qualidade dos efluentes gerados por três destes estabelecimentos anteriormente analisados. Amostras de efluentes tratados dos mesmos foram submetidos a testes de toxicidade aguda, utilizando o organismo-teste Daphnia magna, permitindo avaliar quantitativamente a toxicidade desses efluentes Parâmetros físicos (temperatura) e químicos (potencial hidrogeniônico (pH) e oxigênio dissolvido (OD)) também foram analisados. Os resultados foram comparados com os limites preconizados pela legislação ambiental vigente. Verificou-se a inadequação de dois dos estabelecimentos sendo os mesmos penalizados pelo órgão ambiental competente..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2009
Preservação do Manguezal de Ratones: Avaliação da qualidade da água no entorno da Estação Ecológica de Carijós, Município de Florianópolis/SC
Descrição: Os manguezais são ecossistemas costeiros de transição entre os ambientes terrestres e marinhos, localizados nas regiões tropicais e subtropicais, sob influência do regime das marés. Eles possuem grande importância ecológica e econômica por caracterizarem-se em um refúgio natural para a alimentação, proteção e desenvolvimento de diversas espécies de animais. Ainda, fornecem, às águas costeiras, grandes quantidades de matéria orgânica importante para a cadeia alimentar e para a manutenção da atividade pesqueira. No entanto, apesar de estarem protegidos legalmente, os manguezais vêm sofrendo diversos tipos de impactos como a poluição decorrente do lançamento de efluentes domésticos. A Estação Ecológica Carijós, localizada no noroeste da Ilha de Santa Catarina, é uma unidade de conservação de proteção integral que tem como um dos principais objetivos a preservação do Manguezal de Ratones. A conservação deste ecossistema implica em manter a integridade dos recursos hídricos, já que os manguezais possuem relação intrínseca com a água. Neste contexto, identificou-se a necessidade de monitorar a qualidade da água da Bacia Hidrográfica do Ratones. Esta ação gera subsídio científico para o conhecimento do status atual da bacia, potencializando ações futuras de planejamento, o que inclui a fiscalização de atividades poluidoras. A Bacia do Rio Ratones está localizada a noroeste da Ilha de Santa Catarina, no Município de Florianópolis. Ela deságua na Baía Norte após atravessar a ESEC Carijós, sendo formada principalmente pelos Rios Ratones, Veríssimo e Papaquara. Para o diagnóstico da qualidade da água desta Bacia realizaram-se três coletas da água em sete pontos ao longo dos Rios Ratones e Papaquara, durante a estação de outono. Estes pontos caracterizam-se por localizarem-se em regiões estratégicas: nas proximidades das nascentes, com pouca ou nenhuma intervenção antrópica a montante; em áreas com grande ocupação populacional e na foz de cada rio, localizados no Manguezal de R.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Coordenador.Financiador(es): Ministério do Meio Ambiente - Bolsa.Número de orientações: 1
2008 - 2009
Avaliação da qualidade da água do entorno da ESEC Carijós: Bacia do Rio Ratones, Município de Florianópolis/SC
Descrição: A Bacia Hidrográfica do Rio Ratones é formada principalmente pelos rios Ratones, Veríssimo e Papaquara e situa-se no noroeste da Ilha de Santa Catarina, onde se localiza a Estação Ecológica de Carijós (ESEC Carijós). A ESEC Carijós é uma Unidade de Proteção Integral e foi criada visando salvaguardar os manguezais de Ratones e do Saco Grande, localizados no município de Florianópolis/SC, das alterações causadas por ações antrópicas. Este trabalho objetivou avaliar a qualidade da água na Bacia Hidrográfica do Rio Ratones, pois a manutenção da biodiversidade abrigada pela ESEC Carijós está intimamente relacionada com a qualidade do meio hídrico. Selecionaram-se sete pontos de amostragem distribuídos desde a nascente até a foz do rio e realizaram-se três coletas em cada ponto de amostragem em duas estações do ano: primavera e verão. As seguintes variáveis foram analisadas: temperatura, turbidez, transparência, salinidade, condutividade, fosfato, nitrito, pH, OD, DBO5 e coliformes totais e termotolerantes. Observou-se que a Bacia Hidrográfica do Rio Ratones encontra-se sob influência de altas concentrações de matéria orgânica nas áreas com adensamento populacional, estando as nascentes preservadas. As condições da qualidade das águas indicam o provável lançamento de esgoto doméstico ou dejetos de animais ao longo do curso do rio..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Coordenador.Financiador(es): Ministério do Meio Ambiente - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 1
2008 - 2009
Avaliação da toxicidade aguda do efluente das Estações de Tratamento de Esgoto do entorno da ESEC Carijós, utilizando o organismo-teste Daphnia magna
Descrição: Os manguezais são ecossistemas costeiros de grande importância ecológica e econômica, que vêm sofrendo degradação devido à ocupação humana. Com o objetivo de proteger os manguezais da Ilha de Santa Catarina, foi criada a Estação Ecológica Carijós em 1987. Seu Plano de Manejo tem como prioritária a avaliação do risco de contaminação da ESEC. Muitas são as atividades potencialmente poluidoras presentes no entorno da ESEC Carijós, dentre elas, as Estações de Tratamento de Esgoto (ETE), que foram objeto deste estudo. A ETE de Jurerê Internacional teve os efluentes bruto e tratado avaliados quanto aos parâmetros temperatura, pH, OD, DBO, fosfato e toxicidade aguda. Foram realizadas três coletas de cada um dos efluentes. Os valores encontrados foram comparados aos valores permitidos pela legislação do Estado de SC. O efluente bruto apresentou altos valores de DBO e fosfato, característicos de efluentes ricos em matéria orgânica. Para o efluente tratado, os valores de temperatura e pH estavam dentro do permitido pelo Decreto Estadual nº 14.250/81, mas os valores de DBO e fosfato encontraram-se fora do permitido pela legislação. Para os testes de toxicidade aguda, foi utilizado o microcrustáceo Daphnia magna. O efluente bruto apresentou FT 2 na primeira e na segunda coleta, e FT > 16 na terceira coleta. O efluente tratado apresentou FT 1 nas duas primeiras coletas, e FT 2 na terceira coleta, extrapolando nesta última o limite permitido pela legislação estadual. Os resultados permitiram perceber a importância do monitoramento destes e de outros parâmetros para garantir a qualidade da água, especialmente em uma região ambientalmente sensível..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Coordenador / Fernanda Pilatti - Integrante.Financiador(es): Ministério do Meio Ambiente - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1
2008 - 2008
Avaliação da toxicidade aguda do efluente das lavanderias do entorno da ESEC Carijós, utilizando o organismo-teste Daphnia magna
Descrição: O processo de lavagem acarreta na geração de águas residuais que apresentam volumes significativos, os quais contém tensoativos, amaciantes, alvejantes, entre outros. Desta forma, a água residual apresenta uma carga orgânica significativa, uma baixa tensão superficial e conseqüente diminuição na concentração de oxigênio dissolvido (elemento vital para a vida aquática) e um volume razoável de sólidos suspensos o que diminui a permeabilidade da luz. Esta pesquisa buscou identificar as lavanderias existentes no entorno da ESEC Carijós, bem como avaliar a toxicidade aguda de efluentes desta atividade, visando estabelecer bases científicas para tomada de decisões. Foram identificadas apenas duas lavanderias de porte industrial, passíveis de licenciamento. Destas uma lançava efluente de acordo com a legislação vigente, equanto que a outra lançava efluente tóxico (CE(I)50 48h = 10,5% e CE(I)50 48h = 18,5%) em dois dos três momentos de coleta. Os dados das ireegularidades de lançamento nestes efluentes foram reportados ao IBAMA..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Coordenador / Vanessa Teixeira Soares - Integrante.Financiador(es): Ministério do Meio Ambiente - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1
2008 - 2008
Avaliação da Qualidade da Água do entorno da ESEC Carijós: Rio Papaquara, Município de Florianópolis/SC
Descrição: A Bacia Hidrográfica Rio Papaquara situa-se no noroeste da Ilha de Santa Catarina. Nela, encontra-se parte de um frágil ecossistema de manguezal protegido pela Estação Ecológica de Carijós. Dentro dessa bacia, há grandes espaços com ocupações irregulares que podem afetar a biodiversividade do ecossistema litorâneo pela destruição de habitats e pela poluição que eventualmente acarretam nos recursos hídricos especialmente pelo lançamento de esgoto doméstico. O objtivo desta pesquisa foi avaliar a qualidade da água na bacia hidrográfica do Rio Papaquara no município de Florianópolis ? SC, através do monitoramento dos parâmetros físico-químicos e biológicos da água do Rio Papaquara, desde a sua nascente até foz, comparando os resultados com os limites estabelecidos, para um rio de Classe I, na Resolução CONAMA n° 357/2005. Os resultados apontaram para perda da qualidae da água da nascente à foz, apresentando IQA de 72 nas nascente a 24 em pontos intermediários do rio. No estuário a diluição com a água oceânica permite uma melhroa da qualidade da água. Este trabalho terá continuidade com outros desdobramentos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Coordenador / Thiago Won Dias Baldini Victorete - Integrante / Guilherme Bruno da Silva Santos - Integrante.Financiador(es): Ministério do Meio Ambiente - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 1
2006 - 2007
Implantação de rotina analítica para testes agudos com o organismo Daphnia magna STRAUS (1820)
Descrição: Este projeto teve como objetivo implementar a rotina analítica de testes ecotoxicológicos em água, utilizando como organismos-teste o microcrustáceo Daphnia magna., visando a pesquisa, o monitoramento e o diagnóstico ambiental. Este trabalho possibilitará: - Incrementar as análises atualmente realizadas pelo IBAMA - Estação Ecológica de Carijós para monitoramento e caracterização dos recursos aquáticos da Estação e do Estado de Santa Catarina. - Detectar poluição em ambientes aquáticos, garantindo a aplicação da legislação. - Desenvolver pesquisas que visam a avaliação da toxicidade das águas naturais (superficiais e subterrâneas), efluentes industriais e domésticos do Estado de Santa Catarina..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Coordenador.Financiador(es): Ministerio Publico Federal - Auxílio financeiro.
2006 - 2007
Avaliação do efluente de postos de abastecimento de combustível através de testes de toxicidade aguda com Daphnia magna
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Coordenador.Financiador(es): Ministerio Publico Federal - Auxílio financeiro.
2002 - 2003
Avaliação ecotoxicológica de efluentes industriais da Bacia Hidrográfica do Rio Pardinho, RS, Brasil, utilizando Daphnia magna Straus
Descrição: O projeto foi concluído, tendo como principais resutçados A sociedade gera resíduos potencialmente impactantes ao meio ambiente. Dentre eles selecionou-se para avaliação na presente pesquisa oefluente do Laboratório de Anatomia Humana da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) e o efluente de uma indústria têxtil da região do Vale do Rio Pardo. Visando a detoxificação destes efluentes, uma técnica química possível de ser aplicada são os Processos Oxidativos Avançados (POA's), cujos resultados podem de ser avaliados através do monitoramento ecotoxicológico. O presente trabalho teve por objetivo verificar a eficiência de POA´s (fenton e fenton + carvão ativado) quando aplicados aos efluentes brutos selecionados, através da avaliação ecotoxicológica utilizando o microcrustáceo Daphnia magna. Realizaram-se nove baterias de testes ecotoxicológicos co o efluente do laboratório de anatomia da UNISC: em três testou-se a amostra bruta e após o tratamento empregando o processo fenton; nas demais testou-se a amostra bruta e as amostras tratadas através das técnicas de remediação fenton e fenton + carvão ativado. Já o efluente da idústria têxtil sofreu apenas uma avaliação ecotoxicológica preliminar, considerando que uma única amostra foi testada. Estimou-se a CE(I)50 48h de cada teste ecotoxicológico, utilizando os métodos estatísticos Probit, para dados paramétricos e Trimmed Spearman-Karber, para dados não paramétricos. Utilizou-se o teste U de Mann-Whitney a fim de comparar as distribuições das médias de toxicidade do efluente bruto e dos efluentes tratados, com níveis de significância de 5%. Em relação ao efluente do laboratório de anatomia, os resultados indicaram que o efluente bruto é extremamente tóxico ao organismo Daphnia magna, quando comparado ao efluente do Laboratório de Anatomia da UNISC. Contudo, somente será possível alguma inferência após a realização de uma bateria de testes que possibilitem a aplicação de provas estatísticas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Integrante / Eduardo Lobo - Coordenador / Ediberto de Oliveira Machado - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2001 - 2002
Avaliação ecotoxicológica de efluentes de curtumes da Região do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil, utilizando bioensaios
Descrição: As indústrias de curtimento de couro caracterizam-se por produzirem efluentes líquidos com grande quantidade de substâncias tóxicas ou potencialmente tóxicas, que comprometem os corpos receptores destes despejos. Assim, torna-se essencial um acompanhamento ecotoxicológico dos efluentes líquidos das mesmas, visando avaliar os distintos efluentes do processo produtivo. Para tal, selecionou-se um curtume representativo da Região do Vale do Rio Pardo, onde coletaram-se amostras do efluente final durante 7 meses consecutivos, a partir de novembro de 2001. Estas foram submetidas à provas físicas, químicas e ecotoxicológicas utilizando Daphnia magna. Paralelo a isto, investigou-se os diferentes efluentes do processo produtivo e o efluente do tanque de homogeneização. Estes efluentes totalizam 5 amostras que foram testadas em triplicata. O cultivo e testes com o organismo Daphnia magna foram conduzidos segundo protocolos reconhecidos. Estimou-se CE(I)50 48h utilizando os métodos estatísticos Probit, para dados paramétricos e Trimmed Spearman-Karber, para dados não paramétricos. O efluente final apresentou uma CE(I)50 48h média de 36,96 ± 17,87 (C.V. = 48,3%), enquanto que o efluente do tanque de homogeneização apresentou uma CE(I)50 48h média de 4,13 ± 5,01 (C.V. = 121%), existindo redução significativa da toxicidade ao longo do processo sofrido na ETE. O efluente do processo produtivo píquel/curtimento caracterizou-se como a vertente de maior potencial tóxico. Desta forma, os resultados indicam que o sistema de tratamento do efluente deste curtume minimiza os efeitos da toxicidade, não provocando efeito agudo no corpo receptor. Se esforços forem investidos visando aumentar a eficiência da ETE, acoselha-se tratamento diferenciado para o efluente do processo produtivo com alta carga tóxica identificada..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Integrante / Eduardo Lobo - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2000 - 2001
Avaliação da toxicidade da água em unidades familiares produtoras de tabaco no município de Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, utilizando bioensaios
Descrição: O presente trabalho teve por objetivo principal avaliar a toxicidade da águas, em sistemas aquáticos, que potencialmente apresentem riscos de contaminação em unidades familiares produtoras de tabaco, no município de Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, através da aplicação de testes de toxicidade aguda, utilizando como organismo teste o microcrustáceo da ordem Cladócera Daphnia magna Straus. Cinqüenta e seis unidades familiares produtoras de fumo do município de Santa Cruz do Sul, localizadas na bacia do Rio Pardinho, cujas áreas não ultrapassam 25 hectares, foram selecionadas aleatoriamente de acordo com o plano amostral do projeto Tobacco growing and ecossistems effects. Para coleta de água priorizou-se os corpos d'água que apresentavam-se potencialmente contaminados. O teste foi realizado com 59 amostras (56 de água natural e 3 do sistema float). Os bioensaios foram realizados utilizando-se as metodologias descritas em ISO 6341 e ISO 8692. O teste foi desenvolvido para determinar a toxicidade aguda, expressa em CE 50 (48h). A partir das 59 amostras testadas, 15,2% tiveram efeito tóxico agudo sobre o organismo Daphnia magna. Das amostras de água natural, 10,7% apresentaram-se tóxicas a Daphnia magna e das amostras do sistema float, 100% apresentou-se tóxica. Percebe-se que esforços devem ser investidos para substituir alguns pesticidas provados altamente tóxicos, bem como na redução sistemática do uso de pesticidas na indústria fumageira, visando a melhoria da qualidade de vida da população e redução de impacto no ambiente..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Integrante / Eduardo Lobo - Coordenador / Fabiana Silveira Rathke - Integrante.Financiador(es): International Development Research Council - Auxílio financeiro.
1999 - 1999
Implementação da análise de ecotoxicologia em águas
Descrição: A pesquisa objetivou pesquisar em diferentes bibliografias a melhor e mais eficiente rotina de análise de toxicidade em água de abastecimento e efluentes, e implementar uma rotina ecotoxicológica para testes agudos, capaz de dar respostas em testes com substâncias químicas, efluentes industriais, esgotos domésticos e águas superficiais e subterrâneas. Como resultado implantou-se no Laboratório de Hidrobiologia da UNISC - Universidade de Santa Cruz do Sul, uma rotina de testes ecotoxicológicos agudos com o organismo teste Daphnia magna Straus..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Coordenador / Eduardo Lobo - Integrante / Elisângela Patrícia Bender - Integrante.Financiador(es): Universidade de Santa Cruz do Sul - Bolsa.


Projetos de extensão


2005 - 2006
Parceria IBAMA-Cepsul e LABTOX: Monitoramento da qualidade da água do litoral catarinense
Descrição: Mensalmente realiza-se um cruzeiro com o Navio Soloncy Moura, de propriedade do IBAMA-Cepsul, onde pesquisadores do LABTOX coletam dados de 14 pontos do litoral catarinense. Estes dados são de natureza físico-química e bacteriológica. Além disto trabalha-se com o levantamento do fito e zooplâncton locais..
Situação: Desativado; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Integrante / Cátia Regina Silva de CarvalhoPinto - Integrante / Marília Campos Moser - Integrante / Leonardo Hoinaski - Integrante / William Gerson Matias - Coordenador / Letícia Flohr - Integrante / Paulo Salomon - Integrante.Financiador(es): Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - Cooperação.
2004 - 2006
Programa de Pesquisa em Saneamento Básico - PROSAB. Desenvolvimento tecnológico experimental de procedimentos de controle ambiental em aterros sanitários: processos físico-químicos e biológicos de lixiviados de aterros sanitários e monitoramento toxicológ
Descrição: Este projeto interinstitucional objetiva aplicar técnicas modernas e economicamente viáveis para o tratamento de percolados de aterros sanitários..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (5) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Integrante / Leonardo Hoinaski - Integrante / William Gerson Matias - Integrante / Armando Borges Castilhos Junior - Coordenador / Paulo Belli Filho - Integrante / Rejane Helena Ribeiro da Costa - Integrante / Joel Dias da Silva - Integrante / Camila Dantas Lúcio - Integrante / Cláudia Lavina Martins - Integrante / Marina de Castro Rodrigues - Integrante / Vivian Alves Máximo - Integrante / Edinéia Caldas Correa - Integrante.Financiador(es): Financiadora de Estudos e Projetos - Auxílio financeiro / Caixa Econômica Federal - Auxílio financeiro / Associação Brasileira de Engenharia Sanitaria e Ambiental - Cooperação / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.


Projetos de desenvolvimento


2003 - 2004
"Conhecer para Preservar" Implantação de metodologia de educação ambiental para preservação de espécies nativas
Descrição: O projeto objetivou a implantação de uma coleção arbórea de espécies ameaçadas de extinção da flora nativa do RS, no Jardim Botânico de Lajeado. A coleção de arbóreas ameaçadas de extinção foi fonte de exploração didática para encontros de educação ambiental, visando a formação de professores para atuarem na educação de conservação das espécies ameaçadas de extinção..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Débora Monteiro Brentano - Coordenador / Karine das Neves - Integrante / Leonardo Santi Bazanella - Integrante / Kelen Paula Batistti - Integrante.Financiador(es): Hsbc - Auxílio financeiro.


Membro de corpo editorial


2009 - Atual
Periódico: Revista Brasileira de Educação Profissional e Tecnológica


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecotoxicologia.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Monitoramento Ambiental.
3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Microbiologia / Subárea: Microbiologia Aplicada.
4.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Limnologia.


Idiomas


Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Prêmios e títulos


2016
Endeavour Research Fellowship, Australian Government.
2012
Premiação VI Mostra de Pôsteres da Pesquisa do IFSC, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Santa Catarina.
2011
2° lugar - V Mostra de Pôsteres do IFSC, IFSC.
2010
3° lugar - V Seminário de Pesquisa do IF-SC, IFSC.
2003
Modelos nos Jardins Botânicos Brasileiros 'Educação para conservação de espéices nativas', Projeto Investing in Nature (HSBC, WWF, Earthwather e BGCI).
2003
Destaque em Ciência e Tecnologia - 1º lugar em trabalho científico apresentado em 2001, Câmara Municipal de Vereadores de Santa Cruz do Sul, RS.
2001
1º Lugar - Prêmio Talento Universitário - 3ª Edição, Universidade de Santa Cruz do Sul e ACI.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
MIOTTO, M. C.2017MIOTTO, M. C. ; BRENTANO, D. M. ; RÖRIG, L. . Ecophysiological characterization and toxin profile of two strains of Cylindrospermopsis raciborskii isolated from a subtropical lagoon in Southern Brazil. HYDROBIOLOGIA, p. 1-17, 2017.

2.
BRENTANO, DÉBORA MONTEIRO2016 BRENTANO, DÉBORA MONTEIRO; GIEHL, EDUARDO L. HETTWER ; PETRUCIO, MAURÍCIO MELLO . Abiotic variables affect STX concentration in a meso-oligotrophic subtropical coastal lake dominated by Cylindrospermopsis raciborskii (Cyanophyceae). Harmful Algae, v. 56, p. 22-28, 2016.

3.
TONETTA, D.2015 TONETTA, D. ; HENNEMANN, M. C. ; BRENTANO, D. M. ; PETRUCIO, M. M. . Considerations regarding the dominance of Cylindrospermopsis raciborskii under low light availability in a low phosphorus lake. Acta Botanica Brasilica, v. 29, p. 448-451, 2015.

4.
Gislon, N. S.2013Gislon, N. S. ; BRENTANO, D. M. . Metodologia para cultivo de Hyalella azteca: tecnologia para análise da toxicidade de sedimentos límnicos com salinidade variável. Revista Técnico-Científica do IFSC, v. 1, p. 131-137, 2013.

5.
VITORETE, T. W. D. B.2010VITORETE, T. W. D. B. ; DAMIAN, I. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da qualidade da água da Bacia Hidrográfica do Rio Ratones, Município de Florianópolis/SC, localizada no entorno da Estação Ecológica de Carijós. Revista Brasileira de Educação Profissional e Tecnológica, v. 1, p. 60-68, 2010.

6.
PILATTI, F.2010PILATTI, F. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da toxicidade aguda do efluente de Estação de Tratamento de Esgoto do entorno da ESEC Carijós, em Florianópolis ? SC, utilizando o organismo-teste Daphnia magna.. Revista Brasileira de Educação Profissional e Tecnológica, v. 1, p. 97-105, 2010.

7.
BRENTANO, D. M.;BRENTANO, DÉBORA MONTEIRO2010BRENTANO, D. M.; Laurinavicius, L. . Balneabilidade de duas praias no Distrito do Ribeirão da Ilha, Florianópolis/SC. Revista Brasileira de Educação Profissional e Tecnológica, v. 1, p. 79-86, 2010.

8.
OLIVEIRA, J. C.2010OLIVEIRA, J. C. ; BRENTANO, D. M. . Projeto Verde Novo: levantamento florístico preliminar do IF-SC Campus Florianópolis. Caderno de Publicações Acadêmicas IF-SC, v. 2, p. 35-42, 2010.

9.
VITORETE, T. W. D. B.2010VITORETE, T. W. D. B. ; BRENTANO, D. M. . Qualidade da água da Bacia Hidrográfica do Rio Ratones, Flrianópolis/SC, nas estações de primavera e verão. Caderno de Publicações Acadêmicas do IF-SC, v. 2, p. 43-51, 2010.

10.
LOBO, Eduardo2009LOBO, Eduardo ; Machado, E. L. ; BRENTANO, D. M. ; MACHADO, Ediberto de Oliveira . Avaliação da eficiência de detoxificação de processos oxidativos avançados, aplicados a três diferentes efluentes, utilizando testes ecotoxicológicos. Caderno de Pesquisa. Série Biologia (UNISC), v. 21, p. 23-34, 2009.

11.
DIAS, Alexandre2006DIAS, Alexandre ; BRENTANO, D. M. ; PINTOSILVA, Cátia Regina de Carvalho ; MATIAS, William Gerson . Avaliação da toxicidade aguda de fluidos de corte utilizados em processos de usinagem usando como organismos-teste Poecilia reticulata e Daphnia magna. Biotemas (UFSC), Florianópolis, v. 19, n.1, p. 7-13, 2006.

12.
FLOHR, L.2005 FLOHR, L. ; BRENTANO, D. M. ; CARVALHO PINTO-SILVA, C. R. ; MACHADO, Vanessa Guimarães ; MATIAS, William Gerson . Classificação de resíduos sólidos industriais com base em teste ecotoxicológicos utilizando Daphnia magna: uma alternativa. Biotemas (UFSC), Florinanópolis, v. 18, n.2, p. 7-18, 2005.

13.
BRENTANO, D. M.;BRENTANO, DÉBORA MONTEIRO2004BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Avaliação ecotoxicológica do processo produtivo de um curtume, utilizando Daphnia magna Straus como organismo teste. Revista Brasileira de Toxicologia, São Paulo, v. 17, n.2, p. 13-18, 2004.

14.
BRENTANO, D. M.;BRENTANO, DÉBORA MONTEIRO2003BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Biomonitoramento de caráter ecotoxicológico no Vale do Rio Pardo, RS, Brasil. Tecno-lógica (Santa Cruz do Sul . Online), Santa Cruz do Sul, v. 7, n.2, p. 85-95, 2003.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
Perez, L. F. (Org.) ; BRENTANO, D. M. (Org.) ; Segal, B. (Org.) ; Hernández, M. I. M. (Org.) . ECOLOGIA DE CAMPO: do ambiente à comunidade. 1. ed. Florianópolis: Editora da UFSC, 2015. v. 1. 266p .

2.
BRENTANO, D. M.. Livro da Água. 1. ed. Lajeado: Prefeitura Municipal de Lajeado, 2002. v. 1. 40p .

Capítulos de livros publicados
1.
BRENTANO, D. M.; MATIAS, William Gerson . Determinação da toxicidade de efluente tratado de aterro sanitário antes e após desinfecção por cloração, utilizando Daphnia magna. In: Jorge Herkovits. (Org.). Química y Toxicología Ambiental en América Latina. Buenos Aires: SETAC Latino America, 2009, v. , p. 153-155.

2.
LOBO, Eduardo ; BRENTANO, D. M. ; RATHKE, Fabiana Silveira . Ecotoxicologia Aplicada: o caso dos produtores de tabaco na Bacia Hidrográfica do Rio Pardinho, RS, Brasil. In: Virgínia Elisabeta Etges; Marcos Fischborn Ferreira. (Org.). A Produção de Tabaco: impacto no ecossistema e na saúde humana na Região de Santa Cruz do Sul/RS. 1ed.Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2006, v. , p. 41-68.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
BRENTANO, D. M.. Você é parte do Ambiente. Jornal o Informativo do Vale, Lajeado/RS, p. 14, 09 abr. 2000.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
Lima, M. S. ; BRENTANO, D. M. . TOXICIDADADE CRÔNICA APLICADA À EFLUENTES DE ETEs: TECNOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL. In: II Seminário de Pesquisa: a dimensão profissional na formação profssional, 2012, Gaspar. Anais I Seminário de Pesquisa: a dimensão profissional na formação profssional. Gaspar, 2012.

2.
HILLESHEIM, F. R. ; BRENTANO, D. M. . MONITORAMENTO DA QUALIDADE DA ÁGUA NO ENTORNO DA ESTAÇÃO ECOLÓGICA DE CARIJÓS, FLORIANÓPOLIS/SC. In: II Seminário de Pesquisa: a dimensão ambiental na formação profissional, 2012, Gaspar. Anais II Seminário de Pesquisa: a dimensão ambiental na formação profissional. Gaspar, 2012.

3.
BUZZI, V. H. ; BRENTANO, D. M. . AVALIAÇÃO PRELIMINAR DA TOXICIDADE AGUDA DA ÁGUA DO RIO PAPAQUARA, MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS/SC, UTILIZANDO O ORGANISMO-TESTE Daphnia magna. In: Seminário de Pesquisa, 2010, Camboriú. Anais do Seminário de Pesquisa "a questão ambiental na formação profissional". Camboriu: Editora do IF-SC, 2010.

4.
MARTINS, L. ; PAZ, A. V. ; JACQUES, R. ; BRENTANO, D. M. . AVALIAÇÃO DA GERAÇÃO DE MICRONÚCLEO EM JUVENIS DE CENTROPOMUS PARALLELUS (ROBALO-PEVA) EXPOSTOS A DIFERENTES CONCENTRAÇÕES SALINAS. In: Seminário de Pesquisa, 2010, Camboriu. Anais do Seminário de Pesquisa "a questão ambiental na formação profissional". Camboriu: Editora do IF-SC, 2010.

5.
PAZ, A. V. ; MARTINS, L. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da geração de micronúcelo em juvenis de Centropomus paraleleus (robalo-peva) expostos a diferntes concentrações salinas. In: I Congresso de Iniciação Científica e Pós-graduação, 2010, Florianópolis. Anais do I Congresso de Iniciação Científica e Pós-graduação, 2010.

6.
ALBINO, V, ; BRENTANO, D. M. ; CAVALHEIRO, L. C. M. . Alunos de turismo como agentes participativos na preservação ambiental dos ecossistemas, Florianópolis/SC. In: Mostra Nacional de Iniciação Científica e Tecnológica Interdisciplinar ? III MICTI, 2009, Camboriu. Anais da Mostra Nacional de Iniciação Científica e Tecnológica Interdisciplinar ? III MICTI. Camboriu, 2009.

7.
BRENTANO, D. M.; Silvério, C. ; Souza, I. ; Lopes, K. ; Laurinavicius, L. ; Martins, V. . Balneabilidade de duas praias do Distrito do Ribeirão da Ilha, Florianópolis/SC. In: II Jornada da Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul, 2008, Pelotas. II Jornada da Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul "Educação Profissional e Tecnológica no Mundo do Trabalho". Pelotas, 2008.

8.
BRENTANO, D. M.; MACHADO, Ediberto de Oliveira ; LOBO, Eduardo . Avaliação da eficiência da detoxificação de efluetne através de processos químicos, utilizando Daphnia magna Straus, como organismo teste. In: 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária, 2003, Joinville. Anais do 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária, 2003.

9.
COSTA, Adilson Ben da ; LIMA, Lilian Rodrigues de ; LOBO, Eduardo ; BRENTANO, D. M. . Avaliação física, química e ecotoxicológica do sedimento produzido em estações de tratamento de água (ETAs) para abastecimento público. In: 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária, 2003, Joinville. Anais do 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária, 2003.

10.
BRENTANO, D. M.; GIONGO, Kelen Paula Batistti . Jardim Botânico de Lajeado - Conhecer para Preservar - Implantação de metodologia de Educação Ambiental para conservação de espécies nativas. In: XII Reunião de Jardins Botânicos, 2003, Belém. Anais da XII Reunião de Jardins Botânicos. Rio de Janeiro: EMC-Edições, 2003. v. 1. p. 51-56.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
BRENTANO, D. M.; RODRIGUES, G. ; PEREIRA, D. ; SOARES, A. P. ; Cargnin-Ferreira, E. ; JUNKES, B. S. . Floração de cianobactérias e o efeito sobre a biota aquática na Lagoa do Peri, SC, Brasil. In: 4º Seminário de Pesquisa Extensão e Inovação do IFSC - SEPEI 2014, 2014, Gaspar/SC. Anais do SEPEI 2014. Florianópolis, 2014.

2.
BRENTANO, D. M.; CARDOSO, G. C. ; SOUZA, B. . Cianotoxinas em um manancial dominado por Cylindrospermopsis raciborskii e a avaliação da toxicidade aguda deste ambiente. In: 4º Seminário de Pesquisa Extensão e Inovação do IFSC - SEPEI 2014, 2014, Gaspar/SC. Anais do SEPEI 2014. Florianópolis, 2014.

3.
BRENTANO, D. M.; FRAGA, B. C. . Sensibilidade de Daphnia magna às substâncias de referência K2Cr2O7 e NaCl: uma comparação visando a gestão dos resíduos laboratoriais. In: SEPEI 2013 - Seminário de Pesquisa Extensão e Inovação do IFSC, 2013, Lages. SEPEI 2013 - Seminário de Pesquisa Extensão e Inovação do IFSC. Lages: IFSC, 2013.

4.
Gislon, N. S. ; BRENTANO, D. M. . Metodologia para cultivo de Hyalella azteca: tecnologia para análise da toxicidade de sedimentos límnicos com salinidade variável. In: SEPEI 2013 - Seminário de Pesquisa Extensão e Inovação do IFSC, 2013, Lages/SC. Anais do SEPEI 2013. Florianópolis, 2013. v. 1.

5.
MARTINS, L. ; PAZ, A. V. ; JACQUES, R. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da geração de micronúcleo em juvenis de Centropomus parallelus (robalo-peva) expostos a diferentes concentrações salinas. In: II Seminário de Pesquisa: a dimensão ambiental na formação profissional, 2012, Gaspar/SC. Anais do II Seminário de Pesquisa: a dimensão ambiental na formação profissional. Florianópolis: IFSC, 2012. p. 207-212.

6.
BUZZI, V. H. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação preliminar da toxicidade aguda da água do Rio Papaquara, município de Florianópolis/SC, utilizando o organismo-teste Daphnia magna. In: II Seminário de Pesquisa: a dimensão ambiental na formação profissional, 2012, Gaspar/SC. Anais do II Seminário de Pesquisa: a dimensão ambiental na formação profissional. Florianópolis: IFSC, 2012. p. 144-149.

7.
PAZ, A. V. ; MARTINS, L. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da geração de micronúcleo em juvenis de Centropomus parallelus (robalo-peva) expostos a diferentes concentrações salinas. In: 63a Reunião Anual da SBPC, 2011, Goiânia. Anais/Resumos da 62ª Reunião Anual da SBPC, 2011.

8.
SOARES, V. T. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação e monitoramento da toxicidade aguda do efluente das lavanderias do entorno da Estação Ecológica de Carijós (ESEC Carijós), utilizando o organismo-teste Daphnia magna. In: II Jornada de Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul, 2008, Pelotas. II Jornada de Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul "Educação Profissional e Tecnológica no Mundo do Trabalho". Pelotas, 2008.

9.
ALBINO, V, ; MARIN, M. A. B. ; GIACOMELLI, M. B.O. ; BRENTANO, D. M. . Caracterização pontual da degradação do rio Sangradouro. In: II Jornada de Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul, 2008, Pelotas. II Jornada de Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul "Educação Profissional e Tecnológica no Mundo do Trabalho". Pelotas, 2008.

10.
VITORETE, T. W. D. B. ; SANTOS, G. B. S. ; BRENTANO, D. M. ; CHAVES, E. S. . Avaliação da qualidade da água do entorno da ESEC Carijós: Rio Papaquara, Município de Florianópolis/SC. In: II Jornada da Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul, 2008, Pleotas. II Jornada de Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul "Educação Profissional e Tecnológica no Mundo do Trabalho". Pelotas, 2008.

11.
BRENTANO, D. M.; Brognoli, A. ; Costa, R. M. ; Andrade, L. A. R. . Implantação de um sistema de gestão ambiental no CEFET SC - Unidade Continente. In: I Jornada da Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul, 2007, Florianópolis. Anais da I Jornada da Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul. Florianópolis, 2007.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
BRENTANO, D. M.; PETRUCIO, M. M. . Effect of STX concentration variation in a natural freshwater system dominated by Cylindrospermopsis raciborskii as factor affecting cladoceran. In: SETAC Latin America 12th Biennial Meeting, 2017, Santos. ABSTRACT BOOK ?Bridging the Gap between Science and Governance?. Santos/SP, 2017. p. 100-100.

2.
BRENTANO, DÉBORA MONTEIRO; PETRY, E. ; WEIRICH, C. ; MILLER, T. ; PETRUCIO, M. M. . What is the density effect of Cylindrospermopsis raciborskii in the concentration of saxitoxin in a freshwater system where it is dominant?. In: The 17th International Conference on Harmful Algae, 2016, Florianópolis. Abstract Book, 2016. p. 52-52.

3.
PETRUCIO, M. M. ; TONETTA, D. ; BRENTANO, D. M. . RAINFALL AND TEMPERATURE INFLUENCE IN LIMNOLOGICAL CONDITIONS IN AN OLIGOTROPHIC CYANOBACTERIAL DOMINATE SUBTROPICAL LAKE. In: SEFS 9 - Symposium for European Freshwater Sciences, 2015, Genebra, Suiça. Abstract Book - 9th Symposium for European Freshwater Sciences. Genebra, Suiça. p. 32-32.

4.
BRENTANO, D. M.; PETRUCIO, M. M. . ABIOTIC FACTORS AND ITS RELATION WITH THE STX PRODUCTION IN A MESO-OLIGOTROPHIC SUBTROPICAL LAKE DOMINATED BY Cylindrospermopsis raciborskii. In: XV Congresso Brasileiro de Limnologia, 2015, Maringá. XV Congresso Brasileiro de Limnologia - Perspectivas Evolutivas. Maringá, 2015.

5.
BRENTANO, D. M.; SOUZA, B. ; FONSECA, C. G. . Sensibilidade de Daphnia magna para dois tóxicos de referência: NaCl e K2Cr2O7. In: XIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia - ECOTOX 2014, 2014, Guarapari/ES. Anais ECOTOX 2014. Guarapari/ES, 2014.

6.
BRENTANO, D. M.; FONSECA, C. G. ; CARDOSO, G. C. ; RODRIGUES, G. ; PETRUCIO, M. M. . Efeito sobre o zooplâncton através do uso de testes de toxicidade para avaliação de cianotoxinas no meio intra e extracelular. In: XIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia - ECOTOX 2014, 2014, Guarapari/ES. Anais ECOTOX 2014. Guarapari/ES, 2014.

7.
BRENTANO, D. M.; RODIGUES, C. J. ; FONSECA, Alessandra Larissa D'oliveira . A qualidade hídrica em unidade de conservação de proteção integral: o que é prioritário proteger?. In: XIV Congresso Brasileiro de Limnologia, 2013, Bonito/MS. XIV CBL - Águas Brasileiras: Conservação Gestão e Sustentabilidade. Bonito/MS, 2013.

8.
BRENTANO, D. M.. Ecotoxicology as a tool for protecting mangrove ecosystems: a Southern Brazilian experience. In: 33rd Annual Meeting SETAC North America, 2012, Long Beach. 33rd Annual Meeting SETAC North America. Long Beach, 2012.

9.
BRENTANO, D. M.; MARTINS, L. . Geração de micronúcleos em juvenis de Oreochromis niloticus e Centropomus paralelus expostos a amostras do Rio Papaquara, Florainópolis/SC (Brasil). In: XII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2012, Porto de Galinhas. Anais ECOTOX 2012 - O desafio da sustentabilidade. Porto de Galinhas, 2012.

10.
BRENTANO, D. M.; MATIAS, William Gerson . Influëncia da forma de preservacao da amostra do efluente tratado de aterro sanitario na execucao de testes de toxicidade cronica. In: X Congreso Latinoamericano de Toxicologia y Quimica Ambiental, 2011, Cumaná. Memorias X Congreso de SETAC-LA, 2011.

11.
MARTINS, L. ; PAZ, A. V. ; BRENTANO, D. M. . Geração de micronúcleos em juvenis de Oreochromis niloticus expostos a amostras do Rio Papaquara, Flroianópolis/SC. In: X Congreso Latinoamericano de Toxicologia y Quimica Ambiental, 2011, Cumaná. Memorias X Congreso de SETAC-LA, 2011.

12.
BRENTANO, D. M.. Ecotoxicology as a tool for protecting mangrove ecosystems: a Southern Brazilian experience. In: SETAC Europe 20th Annual Meeting, 2010, Sevilha. Abtract Book SETAC Europe 20th Annual Meeting, 2010. p. 179.

13.
MARTINS, L. ; BUZZI, V. H. ; BRENTANO, D. M. . Preservação do manguezal de ratones: avaliação da qualidade e toxicidade da água no entorno da Estação Ecológica de Carijós: Florianópolis/SC. In: XI Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2010, Bombinhas. Ecotox 2010, 2010.

14.
MARTINS, L. ; PAZ, A. V. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da geração de micronúcleo em juvenis de Centropomus paralelus (Robalo-peva) expostos a diferentes concetrações salinas. In: XI Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2010, Bombinhas. Ecotox 2010, 2010.

15.
SCHMITT, R. ; SILVA, A. R. C. S. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da toxicidade aguda do efluente da ETEs do entorno da ESEC Carijós, utilizando Daphnia magna. In: III Jornada de Produção Cinetífica da Educação Profissional e Tecnologica, 2010, Foz do Iguaçu. Anais da III Jornada de Produção Cinetífica da Educação Profissional e Tecnologica, 2010.

16.
PAZ, A. V. ; MARTINS, L. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da geração de micronúcleo em juvenis de Centropomus paralelus (Robalo-peva) expostos a diferentes concetrações salinas. In: III Jornada de Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul, 2010, Foz do Iguaçu. Anais da III Jornada de Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul, 2010.

17.
PUTTKAMMER, C. C. ; BRENTANO, D. M. ; RODIGUES, C. J. . Avaliação da qualidade da água de recintos no Centro de Triagem de Animais Silvestres através da técnica do tubos múltiplos. In: III Jornada de Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul, 2010, Foz do Iguaçu. Anais da III Jornada de Produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul, 2010.

18.
PUTTKAMMER, C. C. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da qualidade da água de recintos no Centro de Triagem de Animais Silvestres através da técnica do tubos múltiplos. In: I Congresso de Iniciação Científica e Pós-Grauação do sul do Brasil, 2010, Florianópolis. I CICPG. Florianópolis, 2010.

19.
BRENTANO, D. M.; FORMIGONI, G. E. ; SPILLER, V. . Avaliação do potencial tóxico do efluente de usinas de produção de concreto utilizando como organismo-teste Daphnia magna. In: ECOTOX - X Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2008, Bento Gonçalves. Anais do ECOTOX - X Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia. Bento Gonçalves, 2008. v. 1. p. 202.

20.
BRENTANO, D. M.; CORD, D. D. . Inlfuência da ação fiscalizatória na toxicidade aguda de efluentes de postos de abastecimento de combustível. In: ECOTOX - X Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2008, Bento Gonçalves. Anais do ECOTOX - X Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia. Bento Gonçalves, 2008. v. 1. p. 201.

21.
BRENTANO, D. M.; MATIAS, William Gerson . Potential toxicity of the percolated liquid in sanitary landfills as tested by Daphnia magna. In: Meeting of the Ecological Society of America - Ecology in an Era of Globalization, 2006, Mérida. The Ecological Society of America. Mérida, 2006. p. 107-108.

22.
BRENTANO, D. M.; HOINASKI, Leonardo ; MATIAS, William Gerson . Determinação da toxicidade de líquidos percolados em aterros sanitários antes e após desinfecção por cloração, utilizando Daphnia magna. In: VII Congreso SETAC - L.A. - química y toxicología ambiental en América Latina, 2005, Santiago do Chile. Anais do VII Congreso SETAC - L.A. - química y toxicología ambiental en América Latina. Santiago: Universidad Andres Bello, 2005. p. 35.

23.
MOSER, Marília Campos ; MACHADO, Vanessa Guimarães ; PINTOSILVA, Cátia Regina de Carvalho ; HOINASKI, Leonardo ; BRENTANO, D. M. ; VIEIRA, Francyne Carolina dos Santos ; MATIAS, William Gerson . Sensibilidade do cultivo de Daphnia magna no laboratório de toxicologia ambiental - LABTOX-ENS/UFSC. In: VII Congreso SETAC - L.A. - química y toxicología ambiental en América Latina, 2005, Santiago do Chile. Anais do VII Congreso SETAC - L.A. - química y toxicología ambiental en América Latina. Santiago do Chile, 2005. p. 62.

24.
HOINASKI, Leonardo ; BRENTANO, D. M. ; MOSER, Marília Campos ; LEMOS, Vanessa Laus ; MATIAS, William Gerson . Avaliação do efeito tóxico agudo de líquidos percolados após diferentes tratamentos, usando Daphnia magna como organismo-teste. In: Seminário de Iniciação Científica da UFSC, 2005, Florianópolis. Livro de Resumos do Seminário de Iniciação Científica da UFSC. Florianópolis: Editora da UFSC, 2005.

25.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Avaliação ecotoxicológica de efluentes de curtume do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil, utilizando Daphnia magna Straus como organismo bioindicador. In: I Seminário Estadual de Educação Ambiental e IV Seminário Regional de Educação Ambiental, 2004, Santa Cruz do Sul. Anais do I Seminário Estadual de Educação Ambiental e IV Seminário Regional de Educação Ambiental. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2003. p. 95.

26.
BRENTANO, D. M.; TURCATO, Karolina ; MACHADO, Ediberto de Oliveira ; LOBO, Eduardo . Avaliação da eficiência da detoxificação de efleutnes através de processos químicos, utilizando Daphnia magna Straus, como organismo teste. In: I Seminário Estadual de Educação Ambiental e IV Seminário Regional de Educação Ambiental, 2004, Santa Cruz do Sul. Anais do I Seminário Estadual de Educação Ambiental e IV Seminário Regional de Educação Ambiental. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2003. p. 96.

27.
MACHADO, Vanessa Guimarães ; CARVALHOPINTO, Cátia Regina Silva de ; BRENTANO, D. M. ; MOSER, Marília Campos ; HOINASKI, Leonardo ; MATIAS, William Gerson . Determinação do potencial tóxico e genotóxico de líquido percolado gerado em aterramento de resíduos sólidos urbanos. In: VIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2004, Florianópolis. Livro de de Resumos do VIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia. Florianópolis: Editora da UFSC, 2004. v. 1. p. 174-174.

28.
MOSER, Marília Campos ; MACHADO, Vanessa Guimarães ; CARVALHOPINTO, Cátia Regina Silva de ; HOINASKI, Leonardo ; BRENTANO, D. M. ; VIEIRA, Francyne Carolina dos Santos ; MATIAS, William Gerson . Sensibilidade do cultivo de Daphnia magna no Laboratório de Toxicologia Ambienatl - LABTOX - ENS/UFSC. In: VIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2004, Florianópolis. Livro de Resumos do VIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia. Florianópolis: Editora da UFSC, 2004. v. 1. p. 74-74.

29.
BRENTANO, D. M.; MACHADO, Vanessa Guimarães ; MOSER, Marília Campos ; HOINASKI, Leonardo ; MATIAS, William Gerson . Determinação da toxicidade crônica de líquido percolado em aterro sanitário antes e após desinfecção por cloração, utilizando Daphnia magna. In: VIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2004, Florianópolis. Livro de Resumos do VIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia. Florianópolis: Editora da UFSC, 2004. v. 1. p. 64-64.

30.
TURCATO, Karolina ; BRENTANO, D. M. ; MACHADO, Ediberto de Oliveira ; LOBO, Eduardo . Avaliação da eficiência de detoxificação de efluentes com potencial tóxico descartados na Bacia Hidrográfica do Rio Pardinho, RS, Brasil, utilizando Daphnia magna Straus. In: VIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2004, Florianópolis. Livro de Resumos do VIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia. Florianópolis: Editora da UFSC, 2004. v. 1. p. 61-61.

31.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Avaliação ecotoxicológica de efluentes industriais da Bacia Hidrográfica do Rio Pardinho, RS, Brasil, utilizando Daphnia magna Straus. In: IX Seminário de Iniciação Científica e VIII Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade de Santa Cruz do Sul, 2003, Santa Cruz do Sul. Anais do IX Seminário de Iniciação Científica e VIII Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade de Santa Cruz do Sul. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2003.

32.
TURCATO, Karolina ; BRENTANO, D. M. ; MACHADO, Ediberto de Oliveira ; LOBO, Eduardo . Avaliação da eficiência da detoxicifcação de efluentes através de processos químicos, utilizando Daphnia magna Straus, como organismo teste. In: IX Seminário de Iniciação Científica e VIII Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão da UNISC, 2003, Santa Cruz do Sul. Anais IX Seminário de Iniciação Científica e VIII Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão da UNISC. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2003.

33.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Avaliação ecotoxicológica de efluentes industriais da Bacia Hidrográfica do Rio Pardinho, RS, Brasil, utilizando Daphnia magna Straus. In: 55ª Reunião Anual da SBPC, 2003, Recife. Anais da 55ª Reunião Anual da SBPC. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2003.

34.
BRENTANO, D. M.; KÜNZEL, D. B. ; ZAGONEL, A. P. . Trilhas de interpretação ambiental como metodologia de educação ambiental: a experiência do Jardim Botânico de Lajeado/RS. In: VIII Seminário de Iniciação Científica e VII Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2002, Santa Cruz do Sul. Anais VIII Seminário de Iniciação Científica e VII Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2002.

35.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Avaliação ecotoxicológica de efluentes de curtume da Região do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil, utilizando bioensaios. In: VIII Seminário de Iniciação Científica e VII Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2002, Santa Cruz do Sul. Anais VIII Seminário de Iniciação Científica e VII Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2002.

36.
BRENTANO, D. M.; KÜNZEL, D. B. . Trilhas de interpretação ambiental como metodologia de educação ambiental: a experiência do Jardim Botânico de Lajeado, RS. In: XI Encontro de Botânicos do Rio Grande do Sul e III Encontro Estadual de Herbários, 2002, Santa Cruz do Sul. Livro de Resumos do XI Encontro de Botânicos do Rio Grande do Sul e III Encontro Estadual de Herbários. Santa Cruz do Sul, 2002. p. 49.

37.
BES, D. ; HERMANY, G. ; BRENTANO, D. M. ; WETZEL, C. ; LOBO, Eduardo . Avaliação preliminar da qualidade da água do Arroio Moinhos d'Água, Jardim Botânico de Lajeado, RS, Brasil, utilizando diatomáceas epilíticas como bioindicadores. In: XI Encontro de Botânicos do Rio Grande do Sul e III Encontro Estadual de Herbários, 2002, Santa Cruz do Sul. Anais do XI Encontro de Botânicos do Rio Grande do Sul e III Encontro Estadual de Herbários. Santa Cruz do Sul, 2002. p. 16.

38.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Utilização de ensaios ecotoxicológicos com Daphnia magna Straus, 1820 (Cladocera, Crustacea) para avaliação de efluentes de curtume da Região do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil. In: VII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia e V Reunião da Setac Latino-americana, 2002, Vitória. Livro de Resumos do VII Ecotox. Vitória: UFES, 2002. v. 1. p. 193.

39.
RATHKE, Fabiana Silveira ; LOBO, Eduardo ; ETGES, Virgínia Elisabeta ; TORRES, J. P. M. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da qualidade da água em propriedades produtoras de tabaco nos Municípios de Gramado Xavier, Sinimbu e Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, utilizando bioensaios. In: VII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia e V Reunião da Setac Latino-americana, 2002, Vitória. Livro de Resumos do VII Ecotox. Vitória: UFES, 2002. v. 1. p. 257.

40.
BRENTANO, D. M.; KÜNZEL, D. B. . A experiência do Jardim Botânico do Município de Lajeado/RS usando trilhas de interpretação ambiental como metodologia de Educação Ambiental.. In: III Seminário Regional de Educação Ambiental: Lixo e Sustentabilidade, 2002, Santa Cruz do Sul. Anais do do III Seminário Regional de Educação Ambiental: Lixo e Sustentabilidade. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2002. p. 134.

41.
BRENTANO, D. M.; RATHKE, Fabiana Silveira ; LOBO, Eduardo . Avaliação da toxicidade da água em unidades familiares produtoras de tabaco no Município de Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, utilizando bioensaios.. In: VII Seminário de Iniciação Científica e VI Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2001, Santa Cruz do Sul. Anais VII Seminário de Iniciação Científica e VI Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão. Santa Cruz do Sul, 2001.

42.
RATHKE, Fabiana Silveira ; LOBO, Eduardo ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da qualidade da água em propriedades produtoras de tabaco nos municípios de Gramado Xavier, Sinimbu e Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, utilizando bioensaios.. In: XII Congresso Brasileiro de Toxicologia, 2001, Porto Alegre. Revista Brasileira de Toxicologia, 2001. v. 14. p. 139.

43.
ETGES, Virgínia Elisabeta ; TRAPÉ, Angelo ; CARBONARI, Siomara ; BOTEGA, Neury ; TORRES, João Paulo ; BENVEGNU, Luiz ; FERREIRA, Marcos ; LIMA, Ronaldo ; CAMARGO, Maria Emília ; FIALHO, Raquel ; LOBO, Eduardo ; FERRÃO, Marco ; COLLISCHON, Érica ; HERMES, Nadir ; RATHKE, Fabiana Silveira ; ALVES, Emerson ; REHBEIN, Moises ; BRENTANO, D. M. . O impacto do tabaco no ecossistema e na saúde humana na Região de Santa Cruz do Sul, RS, Brasil. In: VI Seminário Nacional sobre Desenvolvimento Regional, 2001, Santa Cruz do Sul. Anais do VI Seminário Nacional sobre Desenvolvimento Regional. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2001.

44.
RATHKE, Fabiana Silveira ; LOBO, Eduardo ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da qualidade da água em propriedades produtoras de tabaco nos municípios de Gramado Xavier, Sinimbu e Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, utilizando bioensaios. In: VI Seminário Nacional sobre Desenvolvimento Regional, 2001, Santa Cruz do Sul. Anais do VI Seminário Nacional sobre Desenvolvimento Regional. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2001.

45.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Implantação da rotina de ecotoxicologia utilizando Daphnia magna Staus como organismo bioindicador, na Universidade de Santa Cruz do Sul, RS, Brasil.. In: VI Seminário de Iniciação Científica e V Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão da UNISC, 2000, Santa Cruz do Sul. Anais do VI Seminário de Iniciação Científica, V Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2000. v. VI.

46.
LOBO, Eduardo ; BRENTANO, D. M. ; RATHKE, Fabiana Silveira . Implantação da rotina de ecotoxicologia utilizando Daphnia magna como organismo bioindicador, na Universidade de Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil.. In: VI Encontro de Ecotoxicologia e III Reunião da SETAC Latino-americana, 2000, São Carlos. ECOTOX, 2000. v. VI. p. 65.

47.
LOBO, Eduardo ; RATHKE, Fabiana Silveira ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da toxicidade da água em sistemas lóticos e lênticos em Municípios da Região do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil, em decorrência da produção de fumo, utilizando bioensaios.. In: VI Encontro de Ecotoxicologia e III Reunião da SETAC Latino-americana, 2000, São Carlos. ECOTOX, 2000. v. VI. p. 48.

48.
BRENTANO, D. M.; KÜNZEL, D. B. ; BOHN, A. . A variável Educação Ambiental dentro do Plano de Controle da Arborização Urbana no Município de Lajeado, RS, Brasil.. In: Seminário Regional Educação Ambiental: ética e cotidiano, 2000, Santa Cruz do Sul. Anais do Seminário Regional de Educação Ambiental: ética e cotidiano. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2000. p. 67.

Apresentações de Trabalho
1.
BRENTANO, D. M.. Efeito da variação da STX sobre Cladóceros na Lagoa do Peri. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
BRENTANO, D. M.. Meio Ambiente na Semana do DACC. 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).

3.
BRENTANO, D. M.; PETRY, E. ; WEIRICH, C. ; MILLER, T. ; PETRUCIO, M. M. . Qual o efeito da densidade de Cylindrospermopsis raciborskii na concentração de saxitoxina em um ambiente de água doce onde ela é abundante (Lagoa do Peri SC-Brasil). 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
BRENTANO, D. M.. Ecotoxicologia Aquática. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
BRENTANO, D. M.; PETRUCIO, M. M. . ABIOTIC FACTORS AND ITS RELATION WITH THE STX PRODUCTION IN A MESO-OLIGOTROPHIC SUBTROPICAL LAKE DOMINATED BY Cylindrospermopsis raciborskii. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
BRENTANO, D. M.; PETRUCIO, M. M. . Abiotic Factors and its Relation with the STX production in a Meso-Oligotrophic Subtropical Lake Dominated by Cylindrospermopsis raciborskii. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
BRENTANO, D. M.; FONSECA, C. G. ; CARDOSO, G. C. ; RODRIGUES, G. ; PETRUCIO, M. M. . Efeito sobre o zooplâncton através do uso de testes de toxicidade para avaliação de cianotoxinas no meio intra e extracelular. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
BRENTANO, D. M.; SOUZA, B. ; FONSECA, C. G. . Sensibilidade de Daphnia magna para dois tóxicos de referência: NaCl e K2Cr2O7. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
BRENTANO, D. M.. ECOTOXICOLOGIA AQUÁTICA E APLICAÇÕES. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

10.
BRENTANO, D. M.; RODRIGUES, G. ; PEREIRA, D. ; SOARES, A. P. ; Cargnin-Ferreira, E. ; JUNKES, B. S. . Floração de cianobactérias e o efeito sobre a biota aquática na Lagoa do Peri, SC, Brasil. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

11.
BRENTANO, D. M.; CARDOSO, G. C. ; SOUZA, B. . Cianotoxinas em um manancial de dominado por Cylindrospermopsis raciborskii e a avaliação da toxicidade aguda deste ambeinte. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

12.
BRENTANO, D. M.; FRAGA, B. C. . Sensibilidade de Daphnia magna às substâncias de referência K2Cr2O7 e NaCl: uma comparação visando a gestão dos resíduos laboratoriais. 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

13.
BRENTANO, D. M.; FRAGA, B. C. ; Gislon, N. S. . Metodologia para cultivo de Hyalella azteca: tecnologia para análises da toxicidade de sedimentos limnícos com salinidade variável. 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

14.
BRENTANO, D. M.; RODIGUES, C. J. ; FONSECA, Alessandra Larissa D'oliveira . A qualidade hídrica em unidade de conservação de proteção integral: o que é prioritário proteger?. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

15.
Lima, M. S. ; BRENTANO, D. M. . Toxicidade crônica aplicada à efluentes de ETEs: tecnologia para implantação da legislação ambiental. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

16.
HILLESHEIM, F. R. ; BRENTANO, D. M. . Monitoramento da qualidade da água no entorno da Estação Ecológica de Carijós, Florianópolis/SC. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

17.
Lima, M. S. ; BRENTANO, D. M. . Toxicidade crônica aplicada à efluentes de ETEs: tecnologia para implantação da legislação ambiental. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

18.
HILLESHEIM, F. R. ; BRENTANO, D. M. . Monitoramento da Qualidade da Água no Entorno da Estação Ecológica de Carijós. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

19.
BRENTANO, D. M.. Ecotoxicology as a tool for protecting mangrove ecosystems: a Southern Brazilian experience. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

20.
Lima, M. S. ; BRENTANO, D. M. . Toxicidade crônica aplicada à efluentes de ETEs: tecnologia para implantação da legislação ambiental. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

21.
HILLESHEIM, F. R. ; BRENTANO, D. M. . Monitoramento da qualidade da água no entorno da Estação Ecológica de Carijós, Florianópolis/SC. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

22.
BRENTANO, D. M.; MARTINS, L. . Geração de micronúcleos em juvenis de Oreochromis niloticus e Centropomus paralelus expostos a amostras do Rio Papaquara, Florainópolis/SC (Brasil). 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

23.
PAZ, A. V. ; MARTINS, L. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da geração de micronúcleo em juvenis de Centropomus parallelus (robalo-peva) expostos a diferentes concentrações salinas. 2011. (Apresentação de Trabalho/Outra).

24.
VIEIRA, G. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da toxicidade crônica do efluente de usinas de produção de concreto, no norte da Ilha de Santa Catarina utilizando o organismo-teste Ceriodaphnia dubia. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

25.
SCHMITT, R. ; SILVA, A. R. C. S. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da toxicidade aguda do efluente das ETEs do entorno da ESEC Carijós utilizando Daphnia magna. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

26.
PAZ, A. V. ; BRENTANO, D. M. . Testes de toxicidade crônica com Ceriodaphnia dubia: refinamento para aplicação em águas com salinidade variável. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

27.
MARTINS, L. ; PAZ, A. V. ; BRENTANO, D. M. . Geração de micronúcleos em juvenis de Oreochromis niloticus expostos a amostras do Rio Papaquara, Flroianópolis/SC. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

28.
BRENTANO, D. M.; MATIAS, William Gerson . Influëncia da forma de preservacao da amostra do efluente tratado de aterro sanitario na execucao de testes de toxicidade cronica. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

29.
BRENTANO, D. M.. Ecotoxicology as a tool for protecting mangrove ecosystems: a Southern Brazilian experience. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

30.
MARTINS, L. ; PAZ, A. V. ; JACQUES, R. ; BRENTANO, D. M. . AVALIAÇÃO DA GERAÇÃO DE MICRONÚCLEO EM JUVENIS DE CENTROPOMUS PARALLELUS (ROBALO-PEVA) EXPOSTOS A DIFERENTES CONCENTRAÇÕES SALINAS. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

31.
BUZZI, V. H. ; BRENTANO, D. M. . AVALIAÇÃO PRELIMINAR DA TOXICIDADE AGUDA DA ÁGUA DO RIO PAPAQUARA, MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS/SC, UTILIZANDO O ORGANISMO-TESTE Daphnia magna. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

32.
HENRIQUE, F. L. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da toxicidade aguda da água do Rio Papaquara no entorno da ESEC Carijós, Município de Florianópolis/SC, utilizando o organismo-teste Daphnia magna. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

33.
PAZ, A. V. ; BRENTANO, D. M. . Desenvolvimento do Teste do Micronúcleo para águas salobras: avaliação do potencial mutagênico do Rio Papaquara, Florianópolis/SC, sobre a biota aquática. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

34.
PAZ, A. V. ; BRENTANO, D. M. . Desenvolvimento do Teste do Micronúcleo para águas salobras: avaliação do potencial mutagênico do Rio Papaquara, Florianópolis/SC, sobre a biota aquática. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

35.
PAZ, A. V. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da geração de micronúcleo em juvenis de Centropomus paralelus (Robalo-peva) expostos a diferentes concetrações salinas. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

36.
PUTTKAMMER, C. C. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da qualidade da água de recintos no centro de triagem de animais silvestres através da técnica de tubos múltiplos. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

37.
MARTINS, L. ; PAZ, A. V. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da geração de micronúcleo em juvenis de Centropomus paralelus (Robalo-peva) expostos a diferentes concetrações salinas. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

38.
MARTINS, L. ; BUZZI, V. H. ; BRENTANO, D. M. . Preservação do manguezal de ratones: avaliação da qualidade e toxicidade da água no entorno da Estação Ecológica de Carijós: Florianópolis/SC. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

39.
ROSA, G. C. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da toxicidade aguda do efluente de postos de abastecimento de combustíveis e outras atividades potencialmente poluidoras situadas no entorno da ESEC Craijós. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

40.
BRENTANO, D. M.; Laurinavicius, L. . Balneabilidade de duas praias do distrito do Ribeirão da Ilha, Florianópolis/SC. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

41.
BRENTANO, D. M.; MATIAS, William Gerson . Potential toxicity of the percolated liquid in sanitary landfills as tested by Daphnia magna. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

42.
MOSER, Marília Campos ; MACHADO, Vanessa Guimarães ; PINTOSILVA, Cátia Regina de Carvalho ; HOINASKI, Leonardo ; BRENTANO, D. M. ; VIEIRA, Francyne Carolina dos Santos ; MATIAS, William Gerson . Sensibilidade do cultivo de Daphnia magna no laboratório de toxicologia ambiental - LABTOX-ENS/UFSC. 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

43.
HOINASKI, Leonardo ; BRENTANO, D. M. ; MOSER, Marília Campos ; LEMOS, Vanessa Laus ; MATIAS, William Gerson . Avaliação do efeito tóxico agudo de líquidos percolados após diferentes tratamentos, usando Daphnia magna como organismo-teste. 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

44.
BRENTANO, D. M.; HOINASKI, Leonardo ; MATIAS, William Gerson . Determinação da toxicidade de líquidos percolados em aterros sanitários antes e após desinfecção por cloração, utilizando Daphnia magna. 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

45.
MOSER, Marília Campos ; MACHADO, Vanessa Guimarães ; CARVALHO PINTO-SILVA, C. R. ; HOINASKI, Leonardo ; BRENTANO, D. M. ; VIEIRA, Francyne Carolina dos Santos ; MATIAS, William Gerson . Sensibilidade do cultivo de Daphnia magna no Laboratório de Toxicologia Ambienatl - LABTOX - ENS/UFSC. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

46.
MACHADO, Vanessa Guimarães ; CARVALHO PINTO-SILVA, C. R. ; BRENTANO, D. M. ; MOSER, Marília Campos ; HOINASKI, Leonardo ; MATIAS, William Gerson . Determinação do potencial tóxico e genotóxico de líquido percolado gerado em aterramento de resíduos sólidos urbanos. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

47.
BRENTANO, D. M.; MACHADO, Vanessa Guimarães ; MOSER, Marília Campos ; HOINASKI, Leonardo ; MATIAS, William Gerson . Determinação da toxicidade crônica de líquido percolado em aterro sanitário antes e após desinfecção por cloração, utilizando Daphnia magna. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

48.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Avaliação ecotoxicológica de efluentes de curtume do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil, utilizando Daphnia magna Straus como organismo bioindicador. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

49.
TURCATO, Karolina ; BRENTANO, D. M. ; MACHADO, Ediberto de Oliveira ; LOBO, Eduardo . Avaliação da eficiência de detoxificação de efluentes com potencial tóxico descartados na Bacia Hidrográfica do Rio Pardinho, RS, Brasil, utilizando Daphnia magna Straus. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

50.
TURCATO, Karolina ; BRENTANO, D. M. ; MACHADO, Ediberto de Oliveira ; LOBO, Eduardo . Avaliação da eficiência da detoxificação de efluentes através de processos químicos, utilizando Daphnia magna Straus, como organismo teste. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

51.
BRENTANO, D. M.; OSTERKAMP, Isa Carla . Educação Ambiental para o ensino fundamental através de encontros extracurriculares no Departamento do Meio Ambiente de Lajeado. 2003. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

52.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Avalliação ecotoxicológica de efluentes de curtume do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil, utilizando Daphnia magna Straus como organismo bioindicador. 2003. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

53.
TURCATO, Karolina ; BRENTANO, D. M. ; MACHADO, Ediberto de Oliveira ; LOBO, Eduardo . Avaliação da eficiência da detoxificação de efluentes através de processos químicos, utilizando Daphnia magna Straus, como organismo teste. 2003. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

54.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Avaliação ecotoxicológica de efleuntes industriais da Bacia Hidrográfica do Rio Pardinho, RS, Brasil, utilizando Daphnia magna Straus. 2003. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

55.
BRENTANO, D. M.; MACHADO, Ediberto de Oliveira ; LOBO, Eduardo . Avaliação da eficiência da detoxificação de efluentes através do processo químicos, utilizando Daphia magna Straus como organismo bioindicador. 2003. (Apresentação de Trabalho/Outra).

56.
BRENTANO, D. M.; MACHADO, Ediberto de Oliveira ; LOBO, Eduardo . Avaliação da detoxificação de efluentes através de processos químicos, utilizando Daphnia magna Straus, como organismo teste. 2003. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

57.
COSTA, Adilson Ben da ; LIMA, Lilian Rodrigues de ; LOBO, Eduardo ; BRENTANO, D. M. . Avaliação física, química e ecotoxicológica do sedimento produzido em estações de tratamento de água (ETAs) para abastecimento público. 2003. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

58.
BRENTANO, D. M.; GIONGO, Kelen Paula Batistti . Conhecer para Presservar - Implantação de metodologia de educação ambiental para conservação das espécies nativas. 2003. (Apresentação de Trabalho/Outra).

59.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Avaliação ecotoxicológica de efluentes industriais da Bacia Hidrográfica do Rio Pardinho, RS, Brasil, utlizando Daphnia magna Straus. 2003. (Apresentação de Trabalho/Outra).

60.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Biomonitoramento ecotoxicológico no Vale do Rio Pardo, RS, Brasil. 2003. (Apresentação de Trabalho/Outra).

61.
BRENTANO, D. M.; TURCATO, Karolina ; LOBO, Eduardo . Avaliação da eficiência da detoxificação de efleuntes através de processos químicos, utilizando Daphnia magna Straus, como organismo teste. 2003. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

62.
BRENTANO, D. M.. Meio Ambiente e Saúde Pública. 2003. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

63.
BRENTANO, D. M.. Qualidade Ambiental e Segurança Alimentar. 2003. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

64.
BRENTANO, D. M.; KÜNZEL, D. B. ; ZAGONEL, A. P. . A experiência do Jardim Botânico do Município de Lajeado/RS usando trilhas de interpretação ambiental como metodologia de Educação Ambiental. 2002. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

65.
RATHKE, Fabiana Silveira ; LOBO, Eduardo ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da qualidade da água em propriedades produtoras de tabaco nos municípios de Gramado Xavier, Sinimbu e Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, utilizando bioensaios. 2002. (Apresentação de Trabalho/Outra).

66.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Utilização de ensaios ecotoxicológicos com Daphnia magna Straus, 1820 (Cladocera, Crustacea) para avaliação de efluentes de curtume da Região do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil. 2002. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

67.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Avaliação ecotoxicológica de efluentes de curtume da Região do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil, utilizando bioensaios. 2002. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

68.
BRENTANO, D. M.; KÜNZEL, D. B. ; ZAGONEL, A. P. . Trilhas de interpretação ambiental como metodologia de educação ambiental: a experiência do Jardim Botânico de Lajeado/RS. 2002. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

69.
BRENTANO, D. M.; KÜNZEL, D. B. . Trilhas de interpretação ambiental como metodologia de educação ambiental: a experiência do Jardim Botânico de Lajeado, RS. 2002. (Apresentação de Trabalho/Outra).

70.
BES, D. ; HERMANY, G. ; BRENTANO, D. M. ; WETZEL, C. ; LOBO, Eduardo . Avaliação preliminar da qualidade da água do Arroio Moinhos d'Água, Jardim Botânico de Lajeado, RS, Brasil, em termos de poluição orgânica e eutrofização, utilizando diatomáceas epilíticas como bioindicadores. 2002. (Apresentação de Trabalho/Outra).

71.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Implantação do Centro de Referência de Ecotoxicologia Aquática para a Região do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil. 2001. (Apresentação de Trabalho/Outra).

72.
BRENTANO, D. M.; RATHKE, Fabiana Silveira ; LOBO, Eduardo . Avaliação da toxicidade da água em unidades familiares produtoras de tabaco no município de Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, utilizando bioensaios.. 2001. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

73.
RATHKE, Fabiana Silveira ; LOBO, Eduardo ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da qualidade da água em propriedades produtoras de tabaco nos municípios de Gramado Xavier, Sinimbu e Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, utilizando bioensaios.. 2001. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

74.
ETGES, Virgínia Elisabeta ; TRAPÉ, Angelo ; CARBONARI, Siomara ; BOTEGA, Neury ; TORRES, João Paulo ; BENVEGNU, Luiz ; FERREIRA, Marcos ; LIMA, Ronaldo ; CAMARGO, Maria Emília ; FIALHO, Raquel ; LOBO, Eduardo ; FERRÃO, Marco ; COLLISCHON, Érica ; HERMES, Nadir ; RATHKE, Fabiana Silveira ; ALVES, Emerson ; REHBEIN, Moises ; BRENTANO, D. M. . O Impacto da cultura do tabaco no ecossistema e na saúde humana na Região de Santa Cruz do Sul/RS/Brasil. 2001. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

75.
RATHKE, Fabiana Silveira ; BRENTANO, D. M. ; LOBO, Eduardo . Avaliação da qualidade da água em propriedades produtoras de tabaco nos municípios de Gramado Xavier, Sinimbu e Santa Cruz do Sul, RS, Brasil utilizando bioensaios.. 2001. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

76.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Avaliação da toxicidade da água em unidades familiares produtoras de tabaco no município de Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, utilizando bioensaios.. 2001. (Apresentação de Trabalho/Outra).

77.
BRENTANO, D. M.; KÜNZEL, D. B. ; BOHN, A. . A variável educação ambiental dentro do plano de controle da arborização urbana no município de Lajeado, RS, Brasil. 2000. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

78.
BRENTANO, D. M.; LOBO, Eduardo . Implantação da rotina de ecotoxicologia utilizando Daphnia magna Straus como organismo bioindicador, na Universidade de Santa Cruz do SUl, RS, Brasil.. 2000. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

79.
LOBO, Eduardo ; RATHKE, Fabiana Silveira ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da toxicidade da água em sistemas lóticos e lênticos em municípios da região do Vale do Rio Pardo, RS, brasil, em decorrência da produção de fumo, utilizando bioensaios. 2000. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

80.
LOBO, Eduardo ; BRENTANO, D. M. ; RATHKE, Fabiana Silveira . Implantação da rotina de ecotoxicologia utilizando Daphnia magna como organismo bioindicador, na Universidade de Santa Cruz do sul, RS, Brasil. 2000. (Apresentação de Trabalho/Congresso).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
BRENTANO, D. M.. Solicitação de Licença Prévia de Ampliação de indústria de artefatos plásticos - laudo de flora e descrição de fauna. 2005.

2.
KÜNZEL, D. B. ; BRENTANO, D. M. . Plano Ambiental Municipal de Carlos Barbosa. 2003.

3.
BRENTANO, D. M.; KÜNZEL, D. B. . Regularização Ambiental de Indústria de Produtos Higiênicos Descartáveis. 2003.

Trabalhos técnicos
1.
BRENTANO, D. M.; RODIGUES, C. J. . Avaliação físico-química e ecotoxicológica do efluente da insústria Alumetal Placas de Identificação Ltda. 2011.

2.
BRENTANO, D. M.; RODIGUES, C. J. . Avaliação físico-química e ecotoxicológica do efluente da indústria Chantelle Malharia e Tinturaria Ltda. 2011.

3.
BRENTANO, D. M.; RODIGUES, C. J. . Avalição físico-química e ecotoxicológica do efluente da indústria Bunge Alimentos S.A.. 2011.

4.
BRENTANO, D. M.; RODIGUES, C. J. . Avalição físico-química e ecotoxicológica do efluente da indústria Circulo SA. 2011.

5.
BRENTANO, D. M.; RODIGUES, C. J. . Avalição físico-química e ecotoxicológica do efluente da indústria Dicotone Têxtil Ltda. 2011.

6.
BRENTANO, D. M.; RODIGUES, C. J. . Avalição físico-química e ecotoxicológica do efluente da indústria Projesan Saneamento Ambiental Ltda. 2011.

7.
BRENTANO, D. M.; RODIGUES, C. J. . Avalição físico-química e ecotoxicológica do efluente da indústria Massa Falida Sul Fabril S/A. 2011.

8.
BRENTANO, D. M.. Avaliação da toxicidade aguda dos postos de abastecimento de combustível localizados no entorno da ESEC Carijós. 2007.

9.
COSTA, A. K. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da qualidade e toxicidade do efluente de empresa criadora de suínos localizada em Canoinhas/SC. 2007.

10.
BRENTANO, D. M.; FONSECA, Alessandra Larissa D'oliveira . Avaliação da qualidade da água e qualidade da carne do berbigão na Reserva Extrativista de Pirajubaé (SC), a partir de dados secundários com informações dos últimos 7 anos (1999-2006). 2006.

11.
BRENTANO, D. M.. Solicitação de renovação de Licença de Operação de indústria de artefatos plásticos. 2005.

12.
BRENTANO, D. M.. Instalação do Porto da Murta. Programa para resgate de flora - Família Bromeliaceae.. 2005.

13.
BRENTANO, D. M.. Instalação do Porto da Murta. Projeto de estudos complemetares de espécies faunísticas terrestres e aquáticas. 2005.

14.
BRENTANO, D. M.. Instalação do Porto da Murta. Programa para resgate e salvamento da fauna.. 2005.

15.
BRENTANO, D. M.. Instalação do Porto da Murta. Proposta para resgate e salvamento de habitats.. 2005.

16.
BRENTANO, D. M.. Instalação do Porto da Murta. Programa para monitoramento de lontra - Lontra longicaudis - no baixo vale do Rio Itajaí-açú.. 2005.

17.
BRENTANO, D. M.; AMARAL, Kárlia Dalla Santa ; HOELZEL, Marlon Colombo . Elaboração de Estudo Ambiental Simplificado para licenciamento de antenas de telecomunicações.. 2005.

18.
BRENTANO, D. M.; PALMA, P. S. . Avaliação de Impacto Ambiental para licenciamento ambiental de contrução de ponte em Forquetinha/RS. 2004.

19.
BRENTANO, D. M.. Projeto de Recuparação de Área Degradada. 2004.

20.
BRENTANO, D. M.; GIONGO, Kelen Paula Batistti . Conhecer para Preservar - Implantação de metodologia de educação ambiental para conservação de espécies nativas. 2003.

21.
BRENTANO, D. M.; KÜNZEL, D. B. . Reposição Vegetal devido a supressão em loteamento residencial. 2003.

22.
BRENTANO, D. M.. Solicitação de Registro e Enquadramento do JBL - Jardim Botânico de Lajeado. 2002.


Demais tipos de produção técnica
1.
BRENTANO, D. M.. Introdução à Ecotoxicologia. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
BRENTANO, D. M.. Ecotoxicologia - Ferramenta para a preservação ambiental. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
BRENTANO, D. M.. Trilhas de Interpretação Ambiental no JBL. 2003. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

4.
BRENTANO, D. M.. Educação Ambiental. 2002. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

5.
BRENTANO, D. M.. Gestão Ambiental. 2002. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

6.
BRENTANO, D. M.. Seminário 'Livro da Água'. 2002. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

7.
BRENTANO, D. M.. Gestão Ambiental. 2002. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

8.
BRENTANO, D. M.. Educação Ambiental. 2002. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

9.
BRENTANO, D. M.. Educação Ambiental no contexto municipal. 2001. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

10.
BRENTANO, D. M.; BATTISTI, K. P. . Resíduos Sólidos. 2001. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

11.
BRENTANO, D. M.. Lixo e Meio Ambiente. 2000. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

12.
BRENTANO, D. M.. Reciclagem de Lixo. 2000. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

13.
BRENTANO, D. M.. Meio Ambiente e Cidadania. 2000. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

14.
BRENTANO, D. M.; KÜNZEL, D. B. . Oficina Limpando o Lixo, Preservando a Vida. 1999. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
BRENTANO, D. M.; SALATIEL, J.; Soares, C. H. L.. Participação em banca de Bruna Viviane Vaz. Análise dos autos de infrações administrativas ambientais aplicados pelo Instituto Estadual do Ambiente (INEA) do Rio de Janeiro. 2018. Dissertação (Mestrado em Mestrado Profissional em Perícias Ambientais) - Universidade Federal de Santa Catarina.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
BRENTANO, D. M.; ESPERANÇA, C. G.. Participação em banca de Lucas Patrício Lopes.Sistema microcontrolado de aquisição e tratamento de imagem para contagem automática de colônia de bactérias. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Curso Superior de Tecnologia em Sistemas Eletrônic) - Instituto Federal de Santa Catarina.

2.
Ferreira, C.; SORIANO-SIERRA, E. J.; BRENTANO, D. M.. Participação em banca de Chirle Ferreira.Influência antrópica sobre as caracterísitcas hidrlógicas da Lagoa de Ibiraquera (Municípios de Garopaba e Imbituba - Santa Catarina - Brasil). 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Santa Catarina.

3.
SPILLER, V.; BRENTANO, D. M.. Participação em banca de Giane Elenice Formigoni.Avaliação ecotoxicológica do efluente final de usinas de produção de concreto no entorno da ESEC Carijós, Florianópolis/SC. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Ambiental) - Universidade do Sul de Santa Catarina.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
BRENTANO, D. M.; MACIEL, R. R.; GIACOMELLI, M. B.O.. Professor de Monitoramento Ambiental - Físico-química. 2008. Instituto Federal de Santa Catarina.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Australia Alumni Leadership Conference. 2018. (Outra).

2.
Aquatic Symposium. 2017. (Simpósio).

3.
Australia Alumni Leadership Conference. 2017. (Outra).

4.
ENDEAVOUR SCHOLARSHIPS AND FELLOWSHIPS PROFESSIONAL DEVELOPMENT WORKSHOP. 2016. (Outra).

5.
The 17th International Conference on Harmful Algae. What is the density effect of Cylindrospermopsis raciborskii in the concentration of saxitoxin in a freshwater system where it is dominant?. 2016. (Congresso).

6.
11th SETAC Latin America Bienial Meeting. ABIOTIC FACTORS AND ITS RELATION WITH THE STX PRODUCTION IN A MESO-OLIGOTROPHIC SUBTROPICAL LAKE DOMINATED BY Cylindrospermopsis raciborskii. 2015. (Congresso).

7.
XV Congresso Brasileiro de Limnologia. ABIOTIC FACTORS AND ITS RELATION WITH THE STX PRODUCTION IN A MESO-OLIGOTROPHIC SUBTROPICAL LAKE DOMINATED BY Cylindrospermopsis raciborskii. 2015. (Congresso).

8.
IV Curso de Inverno em Ecologia do PPGECO/UFSC.ECOTOXICOLOGIA AQUÁTICA E APLICAÇÕES. 2014. (Outra).

9.
IV Seminário sobre estudos Limnológicos em Clima Subtropical. 2014. (Seminário).

10.
SEPEI 2014 - Seminário de Pesquisa Extensão e Inovação do IFSC.Floração de cianobactérias e o efeito sobre a biota aquática na Lagoa do Peri, SC, Brasil. 2014. (Seminário).

11.
SEPEI 2014 - Seminário de Pesquisa Extensão e Inovação do IFSC.Cianotoxinas em um manancial de dominado por Cylindrospermopsis raciborskii e a avaliação da toxicidade aguda deste ambeinte. 2014. (Seminário).

12.
XIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia - ECOTOX 2014. Efeito sobre o zooplâncton através do uso de testes de toxicidade para avaliação de cianotoxinas no meio intra e extracelular. 2014. (Congresso).

13.
XIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia - ECOTOX 2014. Sensibilidade de Daphnia magna para dois tóxicos de referência: NaCl e K2Cr2O7. 2014. (Congresso).

14.
III Seminário de Pesquisa, Extensão e Inovação - SEPEI/IFSC.Metodologia para cultivo de Hyalella azteca: tecnologia para análises da toxicidade de sedimentos limnícos com salinidade variável. 2013. (Seminário).

15.
III Seminário de Pesquisa, Extensão e Inovação - SEPEI/IFSC.Sensibilidade de Daphnia magna às substâncias de referência K2Cr2O7 e NaCl: uma comparação visando a gestão dos resíduos laboratoriais. 2013. (Seminário).

16.
XIV Congresso Brasileiro de Limnologia. A qualidade hídrica em unidade de conservação de proteção integral: o que é prioritário proteger?. 2013. (Congresso).

17.
33rd Annual Meeting SETAC North America.Ecotoxicology as a tool for protecting mangrove ecosystems: a Southern Brazilian experience. 2012. (Encontro).

18.
II Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica. 2012. (Outra).

19.
VI Mostra de Pôsteres da Pesquisa do IFSC.Monitoramento da qualidade da água no entorno da Estação Ecológica de Carijós, Florianópolis/SC. 2012. (Outra).

20.
VI Mostra de Pôsteres da Pesquisa do IFSC.Toxicidade crônica aplicada à efluentes de ETEs: tecnologia para implantação da legislação ambiental. 2012. (Outra).

21.
XII ECOTOX. Geração de micronúcleos em juvenis de Oreochromis niloticus e Centropomus paralelus expostos a amostras do Rio Papaquara, Florainópolis/SC (Brasil). 2012. (Congresso).

22.
Seminário de Ensino, Pesquisa e Extensão do IF-SC.Testes de toxicidade crônica com Ceriodaphnia dubia: refinamento para aplicação em águas com salinidade variável. 2011. (Seminário).

23.
X Congreso Latinoamericano de Toxicologia y Quimica Ambiental. Geração de micronúcleos em juvenis de Oreochromis niloticus expostos a amostras do Rio Papaquara, Flroianópolis/SC. 2011. (Congresso).

24.
Mostra de Posters de Projetos de Pesqusia do IF-SC.Desenvolvimento do teste do micronúcelo para águas salobras: avaliação do potencial mutagênico do Rio Papaquara, Florianópolis/SC. 2010. (Outra).

25.
Seminário de Pesquisa.Avaliação da toxicidade aguda da água do Rio Papaquara no entorno da Estação Ecológica de Carijós/SC, utilizando o organismo-teste Daphnia magna. 2010. (Seminário).

26.
SETAC Europe 20th Annual Meeting.Ecotoxicology as a tool for protecting mangrove ecosystems: a Southern Brazilian experience. 2010. (Encontro).

27.
V Seminário de Pesquisa do IF-SC.Avaliação da toxicidade aguda do efluente dos postos de abastecimento de combustíveis e outras atividades potencialmente poluidoras situadas no entorno da ESEC Carijós. 2010. (Seminário).

28.
XI Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia. Avaliação da geração de micronúcleo em juvenis de Centropomus parallelus (robalo-peva) expostos a diferentes concentrações salinas. 2010. (Congresso).

29.
Mostra Nacional de Iniciação Científica e Tecnológica Interdisciplinar ? III MICTI.Avaliador de trabalhos técnicos. 2009. (Outra).

30.
IV Simpósio da Engenharia Ambiental da UNESP de Presidente Prudente.Introdução à Ecotoxicologia. 2008. (Simpósio).

31.
I Jornada de produção Científica da Educação Profissional e Tecnológica da Região Sul.Agroindústria e Agropecuária. 2007. (Outra).

32.
Seminário 2007: Pensando a Educação Profissional e tecnológica no CEFETSC. 2007. (Seminário).

33.
I Semana de Ciência e Tecnologia do IBAMA.A experiência da ESEC Carijós na implantação de um Laboratório de Toxicologia Ambiental. 2006. (Outra).

34.
Meeting of the Ecological Society of America - Ecology in an Era of Globalization.Potential toxicity of the percolated liquid in sanitary landfills as tested by Daphnia magna. 2006. (Encontro).

35.
VII Congreso SETAC-LA Química y Toxicolgía Ambiental en América Latina: desafíos, perspectivas y nuevos enfoques. VII Congreso SETAC-LA Química y Toxicolgía Ambiental en América Latina: desafíos, perspectivas y nuevos enfoques. 2005. (Congresso).

36.
Mutagênese, Carcinogênese e Teratogênese Ambiental. 2004. (Encontro).

37.
Seminário Internacional sobre Gestão Social de Bacias Hidrográficas. 2004. (Seminário).

38.
VIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia. VIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia. 2004. (Congresso).

39.
22º Congresso Brasilerio de Engenharia Sanitária. 22º Congresso Brasilerio de Engenharia Sanitária. 2003. (Congresso).

40.
3ª Conferência Municipal de Saúde.3ª Conferência Municipal de Saúde. 2003. (Outra).

41.
55º Reunião Anual da SBPC.55º Reunião Anual da SBPC. 2003. (Outra).

42.
II Seminário Regional sobre Meio Ambiente. 2003. (Seminário).

43.
I Seminário Estadual de Educação Ambiental e IV Seminário Regional de Educação Ambiental: a gestão dos Recursos Hídricos.I Seminário Estadual de Educação Ambiental e IV Seminário Regional de Educação Ambiental: a gestão dos Recursos Hídricos. 2003. (Seminário).

44.
IX Seminário de Iniciação Científica e VIII Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão da UNISC.IX Seminário de Iniciação Científica e VIII Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão da UNISC. 2003. (Seminário).

45.
Workshop Bacias Hidrográficas: unidade de gestão ambiental. 2003. (Outra).

46.
XII Reunião Brasileira de Jardins Botânicos.XII Reunião Brasileira de Jardins Botânicos. 2003. (Outra).

47.
Aula Inaugural. 2002. (Outra).

48.
Desenvolvimento do plano de ação para os Jardins Botânicos: fase 1. Workshoop Nacional para Jardins Botânicos Brasileiros. 2002. (Congresso).

49.
I Fórum de Gestão Ambiental Municipal. 2002. (Outra).

50.
III Seminário Regional de Educação Ambiental: lixo e sustentabilidade.A experiência do Jardim Botânico do Município de Lajeado usando trilhas de interpretação ambiental como metodologia de educação ambiental. 2002. (Seminário).

51.
Seminário Regional sobre Mata Ciliar e II Seminário sobre reflorestamento ambiental no Pró-Guaíba. 2002. (Seminário).

52.
VII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia e V Reunião da SETAC Latino-Americana. Utilização de ensaios ecotoxicológicos com Daphnia magna Straus, 1820 (Cladocera, Crustacea) para avaliação de efluentes de curtume da região do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil. 2002. (Congresso).

53.
VIII Seminário de Iniciação Científica e VII Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão.Avaliação ecotoxicológica de efleuntes de curtume da região do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil, utilizando bioensaios. 2002. (Seminário).

54.
V Jornada Científica Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho. 2002. (Outra).

55.
Workshop Nacional para Jardins Botânicos Brasileiros.Workshop Nacional para Jardins Botânicos Brasileiros. 2002. (Outra).

56.
XI Encontro de Botânicos do Rio Grande do Sul.Trilhas de interpretação como metodologia de educação ambiental: a experiência do Jardim Botânico de Lajeado, RS. 2002. (Encontro).

57.
X Semana Acadêmica do Curso de Ciências Biológicas/Ecologia da UNISC. 2002. (Outra).

58.
53ª Reunião Anual da SBPC.Avaliação da toxicidade da água em unidades familiares produtoras de tabaco no município de Santa Cruz do Sul/RS, Brasil, utilizando bioensaios. 2001. (Outra).

59.
IX Semana Acadêmica do Curso de Ciências Biológicas/Ecologia da UNISC. 2001. (Outra).

60.
Seminário Nacional de Recursos Hídricos, Microbacias e Combate à Pobreza Rural. 2001. (Seminário).

61.
Seminário Regional sobre Meio Ambiente - a busca do desenvolvimento sustentável. 2001. (Seminário).

62.
XII Congresso Brasileiro de Toxicologia. XII Congresso Brasileiro de Toxicologia. 2001. (Congresso).

63.
51º Congresso Nacional de Botânica. 2000. (Congresso).

64.
I Encontro de Biólogos da Região Centro. 2000. (Encontro).

65.
Seminário Regional Educação Ambiental: Ética e Cotidiano.Seminário Regional Educação Ambiental: Ética e Cotidiano. 2000. (Seminário).

66.
VI Ecotox.VI Encontro de Ecotoxicologia - Ecotoxicologia e desenvolvimento sustentável: perspectivas para o século XXI e 3ª Reunião da SETAC Latino Americana. 2000. (Encontro).

67.
VIII Semana Acdêmica do Curso de Ciências Biológicas/Ecologia. 2000. (Encontro).

68.
VI Seminário de Iniciação Científica e V Jornada de Ensino, Pesquisa e extensão da UNISC.Implantação da rotina de ecotoxicologia utilizando Daphnia magna Straus como organismo bioindicador, na Universidade de Santa Cruz do Sul, RS, Brasil. 2000. (Seminário).

69.
I Fórum de Educação Ambiental da Bacia Hidrgráfica do Rio Taquari-Antas. 1999. (Outra).

70.
VII Semana Acadêmica do Curso de Ciências Biológicas. 1999. (Encontro).

71.
V Seminário de Iniciação Científica e IV Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão. 1999. (Seminário).

72.
VI Semana Acadêmica do Curso de Ciências Biológicas/Ecologia. 1998. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
PETRUCIO, M. M. ; BRENTANO, D. M. . IV Seminários de Estudos Limnológicos em Clima Subtropical. 2014. (Outro).

2.
BRENTANO, D. M.; Weigmann, P. R. . Capacitação de Tutores Júnior e Professores Novos do Programa UAB. 2012. (Outro).

3.
CRUZ, D. M. ; BRENTANO, D. M. ; MORAES, M. . III Seminário de Pesquisa em EAD - A UAB e seus reflexos no ensino superior brasileiro. 2011. (Outro).

4.
MORAES, M. ; CRUZ, D. M. ; BRENTANO, D. M. . Capacitação de Tutores Presenciais - PACC 2011. 2011. (Outro).

5.
MORAES, M. ; BRENTANO, D. M. ; CRUZ, D. M. . Capacitação de Tutores - PACC 2011. 2011. (Outro).

6.
BRENTANO, D. M.. I Dia Mundial do Meio Ambiente CEFET SC - UC. 2007. (Outro).

7.
BRENTANO, D. M.; GIONGO, Kelen Paula Batistti ; NEVES, Karine das . Encontro de Educação Ambiental "Preservação da Flora Ameaçada" - 1ª turma. 2003. (Outro).

8.
ZAGONEL, A. P. ; BRENTANO, D. M. . Exposição de Pintura óleo sobre tela 'Belas árvores, Verde cidade'. 2002. (Exposição).

9.
BRENTANO, D. M.. II Curso de Capacitação de Professores em Educação Ambiental. 2002. (Outro).

10.
BRENTANO, D. M.. Curso de Capacitação de Professores Municipais em Educação Ambiental. 2001. (Outro).

11.
BRENTANO, D. M.. Retrato Ambiental. 1999. (Exposição).



Orientações



Orientações e supervisões concluídas
Iniciação científica
1.
Bruna Souza. Testes de toxicidade aguda como tecnologia para alerta de produção de cianotoxinas relacionada a densidade de Cylindrospermopsis raciborskii. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

2.
Gabriela Correa Cardoso. Testes de toxicidade aguda como tecnologia para alerta de produção de cianotoxinas relacionada a densidade de Cylindrospermopsis raciborskii. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

3.
Gabriela Rodrigues. Produção de cianotoxinas em Lagoas Costeiras: tecnologia para estimar o efeito sobre a biota aquática. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

4.
Matheus Del Pizzo. Uso de Hyalella azteca como tecnologia pra análises da toxicidade de sedimentos límnicos com salinidade variável. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Técnico em Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

5.
Mariana de Souza Lima. Toxicidade crônica aplicada à efluentes de ETEs: tecnologia para implementação da legislação ambiental. 2011. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

6.
Flávia Regina Hillessheim. Monitoramento da qualidade da água no entorno da Estação Ecológica de Carijós, Florianópolis/SC. 2011. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

7.
Marcele Eifler. Monitoramento da qualidade da água no entorno da Estação Ecológica de Carijós, Florianópolis/SC. 2011. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

8.
Catarina Corrêa Puttkammer. Análises microbiológicas para determinação de coliformes totais e termotolerantes utilizando a técnica dos tubos múlitplos e membrana filtrante. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

9.
Fernanda Lamin Henrique. Avaliação da toxicidade aguda da água do Rio Papaquara no entorno da ESEC Carijós, Município de Florianópolis/SC, utilizando o organismo-teste Daphnia magna. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

10.
Aurora Vargas Paz. Desenvolvimento do Teste do Micronúcleo para águas salobras: avaliação do potencial mutagênico do Rio Papaquara, Florianópolis/SC, sobre a biota aquática. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

11.
Amanda Regina Coutinho da Silva. Avaliação da toxicidade aguda do efluente das ETEs do entorno da ESEC Carijós, utilizando como organismo-teste Daphnia magna. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

12.
Gabrielli Vieira. Avaliação da toxicidade crônica de usinas de produção de concreto, no norte da Ilha de Santa Catarina utilizando o organismo-teste Cerodaphnia dubia. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Superior de Tec em Construção de Edifícios) - Instituto Federal de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

13.
Rafael Schmitt. Avaliação da toxicidade aguda do efluente das ETEs do entorno da ESEC Carijós, utilizando como organismo-teste Daphnia magna. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

14.
Aurora Vargas Paz. Testes de toxicidade crônica com Ceriodaphnia dubia: refinamento para aplicação em águas com salinidade variável. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

15.
Larissa Martins. Desenvolvimento do Teste do Micronúcleo para Águas Salobras: avaliação do potencialmutagênico do Rio Papaquara, Florianópolis/SC. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

16.
Victor Hugo Buzzi. Toxicidade aguda da água do Rio Papaquara no entorno da ESEC Carijós. Florianópolis/SC, utilizando Daphnia magna. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

17.
Gabriela Cristina da Rosa. Toxicidade aguada de atividades potencialmente poluidoras localizadas no entorno da ESEC Carijós. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

18.
Fernanda Kokowicz Pilatti. Avaliação da toxicidade aguda do efluente das Estações de Tratamento de Esgoto do entorno da ESEC Carijós, utilizando o organismo-teste Daphnia magna. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Ministério do Meio Ambiente. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

19.
Izabelle Nunes Damian. Avaliação da qualidade da água do entorno da ESEC Carijós: Bacia do Rio Ratones, Município de Florianópolis/SC. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Ministério do Meio Ambiente. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

20.
Larissa Dalpaz de Azevedo. Preservação do Manguezal de Ratones: Avaliação da qualidade da água no entorno da Estação Ecológica de Carijós, Município de Florianópolis/SC. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Ministério do Meio Ambiente. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

21.
Vanessa Teixeira Soares. Avaliação e monitoramento da toxicidade aguda do efluente de lavanderias do entorno da ESEC Carijós, utilizando o organismo-teste Daphnia magna. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Ministério do Meio Ambiente. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

22.
Guilherme Bruno da Silva dos Santos. Avaliação da Qualidade da Água do entorno da ESEC Carijós: Rio Papaquara, Município de Florianópolis/SC. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Ministério do Meio Ambiente. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

23.
Thiago Baldini Von Dias Victorette. Avaliação da Qualidade da Água do entorno da ESEC Carijós: Rio Papaquara, Município de Florianópolis/SC. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina, Ministério do Meio Ambiente. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

24.
Rafael Vieira Vilela. Avaliação da qualidade da água na Bacia Hidrográfica do Rio Papaquara/SC. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Engenharia de Aquicultura) - Universidade Federal de Santa Catarina. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

25.
Mariana Marques Morelli. Análise da qualidade da água de oito rios da região de Florianópolis/SC. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Ecologia) - Instituto de Biociências, UNESP, Rio Claro, SP. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

Orientações de outra natureza
1.
Letícia Meurer. Balneabilidade de duas praias do Distrito do Ribeirão da Ilha, Florianópolis/SC. 2008. Orientação de outra natureza. (Curso Técnico de Meio Ambiente) - Instituto Federal de Santa Catarina. Orientador: Débora Monteiro Brentano.

2.
Júlia Viviane Plentz. Contribuição dos postos de abastecimento de combustível na poluição do ambiente aquático, considerando a bacia hidrográfica como unidade de gestão. 2007. Orientação de outra natureza. (Curso Técnico de Meio Ambiente) - Escola Técnica Teutônia. Orientador: Débora Monteiro Brentano.



Educação e Popularização de C & T



Artigos
Artigos completos publicados em periódicos
1.
VITORETE, T. W. D. B.2010VITORETE, T. W. D. B. ; DAMIAN, I. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da qualidade da água da Bacia Hidrográfica do Rio Ratones, Município de Florianópolis/SC, localizada no entorno da Estação Ecológica de Carijós. Revista Brasileira de Educação Profissional e Tecnológica, v. 1, p. 60-68, 2010.

2.
PILATTI, F.2010PILATTI, F. ; BRENTANO, D. M. . Avaliação da toxicidade aguda do efluente de Estação de Tratamento de Esgoto do entorno da ESEC Carijós, em Florianópolis ? SC, utilizando o organismo-teste Daphnia magna.. Revista Brasileira de Educação Profissional e Tecnológica, v. 1, p. 97-105, 2010.

3.
BRENTANO, D. M.;BRENTANO, DÉBORA MONTEIRO2010BRENTANO, D. M.; Laurinavicius, L. . Balneabilidade de duas praias no Distrito do Ribeirão da Ilha, Florianópolis/SC. Revista Brasileira de Educação Profissional e Tecnológica, v. 1, p. 79-86, 2010.

4.
OLIVEIRA, J. C.2010OLIVEIRA, J. C. ; BRENTANO, D. M. . Projeto Verde Novo: levantamento florístico preliminar do IF-SC Campus Florianópolis. Caderno de Publicações Acadêmicas IF-SC, v. 2, p. 35-42, 2010.

5.
VITORETE, T. W. D. B.2010VITORETE, T. W. D. B. ; BRENTANO, D. M. . Qualidade da água da Bacia Hidrográfica do Rio Ratones, Flrianópolis/SC, nas estações de primavera e verão. Caderno de Publicações Acadêmicas do IF-SC, v. 2, p. 43-51, 2010.


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
BRENTANO, D. M.; Weigmann, P. R. . Capacitação de Tutores Júnior e Professores Novos do Programa UAB. 2012. (Outro).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 17/12/2018 às 11:21:55