Doriedson Ferreira Gomes

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8362416389366966
  • Última atualização do currículo em 17/09/2018


Bacharel em Ciências Biológicas-Ecologia:Recursos Ambientais pela Universidade Federal da Bahia (1998); Mestrado em Geologia pela Universidade Federal da Bahia (2002) e Doutorado em Geologia Ambiental (Paleoambientes, Paleoclima e Paleoecologia) pela Universidade Federal Fluminense. Atualmente é professor associado da Universidade Federal da Bahia. Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Biomonitoramento do Instituto de Biologia-Ufba - Conceito Capes 6. Tem experiência na área de Ecologia e Paleoecologia, com ênfase em Ecologia de Ecossistemas, atuando principalmente nos seguintes temas: Ecologia e Palaeoecologia, Neolimnologia e Paleolimnologia, Neo e Paleoceanografia, Ecologia do fitoplâncton, Ecologia de diatomáceas, Reconstituições paleoambientais quantitativas, bioindicadores. Na UFBA, coordena o laboratório EcoPaleo. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Doriedson Ferreira Gomes
Nome em citações bibliográficas
GOMES, D. F.;GOMES, DORIEDSON FERREIRA;GOMES, DORIEDSON F.;GOMES, DORIEDSON F

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal da Bahia, Instituto de Biologia.
Rua Barão de jeremoabo, 147, Campus Universitário de Ondina
Ondina
40170-290 - Salvador, BA - Brasil
Telefone: (71) 32836532
Fax: (71) 32836514
URL da Homepage: www.ufba.br


Formação acadêmica/titulação


2003 - 2007
Doutorado em Geociências (Geoquímica).
Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
Título: Elaboração de funções de transferência para a reconstituição de paleoprofundidade na Lagoa do Boqueirão - RN - com base em diatomáceas, Ano de obtenção: 2007.
Orientador: Ana Luiza Spadano Albuquerque.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Paleolimnologia; Paleoambientes; Paleohidrologia; Função de transferência; Reconstituição paleoambiental quantitativa; Diatomáceas.
1999 - 2002
Mestrado em Geologia.
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Título: Paleoprodutividade do setor sul da Baía de Iguape, Baixo Paraguaçu (Bahia, Brasil),Ano de Obtenção: 2002.
Orientador: Arno Brichta.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Diatomáceas; Paleopigmentos; Estuários; Fósforo; Bahia.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Microbiologia.
Setores de atividade: Outras Atividades de Assessoria e Consultoria Às Empresas; Educação Superior.
1993 - 1998
Graduação em Bach. C. Biológicas-Ecologia:Recursos Ambientais.
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Título: Aspectos limnológicos de seis alagadiços, Estrada do feijão, FS, Ba.
Orientador: Eduardo Mendes da Silva.




Formação Complementar


2007 - 2007
CIANOPHYTAS. (Carga horária: 80h).
Universidad Pedagógica y Tecnologica de Colombia, UPTC, Colômbia.
2006 - 2006
EUGLENOPHYTA: Taxonomia e ecologia atual. (Carga horária: 40h).
Universidad Pedagógica y Tecnologica de Colombia, UPTC, Colômbia.
2006 - 2006
Fitoflagelados. (Carga horária: 60h).
Facultad de Ciencias Exactas y Naturales-Universidad de Buenos Aires, FCEYN-UBA, Argentina.
2006 - 2006
Chlorococcales. (Carga horária: 40h).
Universidade Federal de Goiás, UFG, Brasil.
2003 - 2003
Taxonomia e Ecologia de Diatomáceas. (Carga horária: 40h).
Universidad de la Republica Uruguay, UDELAR, Uruguai.
2001 - 2001
Bases Científicas Instrumentais Gestão ZonasÚmidas. (Carga horária: 96h).
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
1997 - 1997
Extensão universitária em Ecologia e Manejo de Plantas Aquáticas. (Carga horária: 40h).
Universidade Estadual de Feira de Santana, UEFS, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Adjunto II, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

10/2004 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Biologia, .

10/2004 - Atual
Ensino, Bach. C. Biológicas-Ecologia:Recursos Ambientais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Fitoplâncton - BIO146
Limnologia - BIO145
10/2004 - Atual
Ensino, Bach. em Oceanografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Limnologia - BIO145
Fitoplâncton - BIO146
10/2004 - 12/2010
Ensino, Engenharia Sanitária e Ambiental, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Biologia Geral - Botânica - BIO009
03/2006 - 07/2006
Ensino, Bach. C. Biológicas-Ecologia:Recursos Ambientais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Fundamentos de Ecologia - BIO121

Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
Vínculo institucional

2003 - 2007
Vínculo: Estudante, Enquadramento Funcional: pesquisador - doutorando



Linhas de pesquisa


1.
Paleoceanografia
2.
Palelimnologia
3.
Ecologia de comunidades
4.
Ecologia de diatomáceas


Projetos de pesquisa


2014 - Atual
RECONSTRUÇÃO PALEOAMBIENTAL DA BAÍA DE CAMAMU: IMPLICAÇÕES PARA A GESTÃO ECOSSISTÊMICA
Descrição: A Paleoecologia tem se apresentado como uma ferramenta útil na gestão ambiental como o único modo de estabelecer as condições pré-impacto, as taxas, extensão, direção e causa das mudanças, bem como estabelecer a variabilidade natural do ambiente. Ela se mostra uma ferramenta importante especialmente nos ambientes estuarinos, os quais estão associados ao início do estabelecimento da civilização humana, muito antes de qualquer preocupação com a deterioração e possibilidade de acompanhamento destas alterações por meio de instrumentos. Podemos citar quatro categorias básicas de injúrias infligidas aos sistemas estuarinos, quais sejam: (i) acréscimo de nutrientes; (ii) alterações físicas, mudanças hidrológicas (alterações hidrodinâmicas sem extinção do estuário); e conversão de estuários em terras agriculturáveis; (iii) introdução de substâncias tóxicas; e (iv) mudanças diretas na estrutura das comunidades, que podem ocorrer através da introdução de espécies exóticas ou da colheita excessiva. Portanto, este projeto tem por objetivo reconstruir o ambiente estuarino da Baía de Camamu utilizando indicadores biogeoquímicos e arqueológicos, os quais fornecerão informações sobre as condições prístinas do ambiente e metas quantitativas que sirvam como guias para a gestão ecossistêmica e conservação do ambiente estuarino na Baía de Camamu. Para a consecução do projeto serão realizadas campanhas para (i) coletar testemunhos de sedimentos, os quais serão datados, terão as suas facies descritas e os indicadores biológicos (diatomáceas, foraminíferos e pólen), biogeoquímicos (derivados da clorofila e os orgânicos - n-alcanos e HPAs) e isotópicos (13C e 15N) serão analisados em alta resolução, ou seja cm a cm, com o fito de estabelecer as condições ambientais do sistema em estudo antes da intensificação dos usos da terra na região; ademais, (ii) identificar e mapear sítios arqueológicos que possam revelar os modos de vida das comunidades passadas que habitavam a região. A equipe de pesquisadores do projeto espera que a partir dos resultados obtidos possamos: (i) indicar os chamados níveis de base do ecossistema, ou seja, cenários pretéritos sobre a produtividade do ecossistema, alterações nos usos da bacia de captação da Baía de Camamu e reflexos no sistema aquático, incluindo as mudanças na cobertura florestal, mudanças no tipo de deposição da matéria orgânica no ecossistema, alterações de produtividade e alterações na estrutura das comunidades antes da intensificação dos processos antrópicos na Baía de Camamu; (ii) propor metas que possam nortear os projetos de gestão ambiental da Baía de Camamu; (iii) propiciar a formação de estudantes nos vários níveis acadêmicos de iniciação científica e mestrado em estudos interdisciplinares, que envolvam estudos paleoecológicos e arqueológicos com o fito de melhorar as propostas dos programas de gestão ambiental em sistemas estuarinos, especialmente a Baía de Camamu..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (5) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (9) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Coordenador / Simone Souza de Moraes - Integrante / Adriana Lanfredi Rangel - Integrante / Cristiana de Cerqueira Silva Santana - Integrante / Alexandre Barreto Costa - Integrante / Cláudio Pereira Figueira - Integrante / Eduardo Reis Viana Rocha Júnior - Integrante / Maria do Rosário Zucchi - Integrante / Maria Lucia Vieira Moreno - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia - Auxílio financeiro.Número de orientações: 3
2014 - Atual
PALEOCEANO - A CORRENTE DO BRASIL: Variabilidade decadal a milenar durante os últimos 130.000 anos e seu impacto sobre o clima da América do Sul
Descrição: o Projeto PALEOCEANO visa aprofundar o conhecimento sobre os modos de funcionamento e variabilidade da principal corrente de contorno oeste do Oceano Atlântico Sul, ou seja a Corrente do Brasil (CB), e seus impactos sobre o clima da América do Sul. A CB representa o ramo sul da bifurcação da Corrente Sul Equatorial, que interage com a margem leste e sul do Brasil. Constituindo um ramo do Giro Subtropical do Atlântico Sul, a CB influencia e é influenciada pelas mudanças de larga escala da Célula de Revolvimento Meridional do Atlântico (AMOC, do inglês Atlantic Meridional Overturning Circulation), com consequências no clima global. Além disto, a CB exerce um importante papel no transporte meridional de calor no sudoeste do Atlântico, cuja variabilidade se relaciona com a intensidade do Sistema de Monção da América do Sul, que é responsável pela precipitação em grande parte do continente sulamericano. Os poucos e esparsos registros paleoceanográficos disponíveis no sudoeste do Atlântico demonstram uma clara mudança nos padrões de circulação da CB entre o último período glacial e o interglacial atual. No entanto, nenhum dos estudos paleoceanográficos da CB atingiu, ainda, o último período interglacial, i.e., estágio isotópico marinho 5e (MIS 5e, do inglês Marine Isotopic Stage), o qual representa um período de clima globalmente mais quente que o interglacial atual, mas sem ação antrópica. Neste sentido, o Projeto PALEOCEANO visa reconstituir com alta resolução temporal a variabilidade oceanográfica da CB desde o último interglacial (130 ka) como forma de compreender os possíveis mecanismos de retroalimentação do clima. Além dos dados paleoceanográficos, o projeto também se baseará na estratégia de confronto de dados e cenários de modelos climáticos numéricos, o que permitirá tanto entender os mecanismos ligados às diversas variabilidades, quanto avaliar as incertezas relacionadas as ferramentas de modelagem. Procurar-se-á responder as seguintes questões: (i) existe uma relação direta entre o enfraquecimento(fortalecimento) da AMOC e o fortalecimento(enfraquecimento) da CB, produzindo um padrão antifásico entre a Corrente Norte do Brasil e a CB?; (ii) a intensificação do vazamento da Corrente das Agulhas para o Atlântico pode ser detectada como um aumento no potencial de transporte de calor pela CB?; (iii) o fortalecimento da CB tem um reflexo direto sobre a intensidade e o posicionamento da Zona de Convergência do Atlântico Sul/Sistema de Monção da América do Sul, o qual altera o clima do continente?; e (iv) a estrutura vertical e o padrão de circulação da CB durante o último período interglacial (130ka - MIS 5e) é semelhante ao interglacial atual? Para tanto, o Projeto PALEOCEANO será estruturado em quatro eixos temáticos, são eles: (1) calibração de proxies; (2) variabilidades de alta frequência (i.e, interanual, multidecadal e secular) da CB; (3) variabilidade milenar da CB; e (4) comparação entre dados de reconstituições paleoceangráficas e saídas de modelos climáticos numéricos. Os dados paleoceanográficos gerados neste projeto serão integrados em uma base de dados única que estará disponível para as equipes envolvidas no projeto, que os tratarão através de abordagens multi-, trans- e interdisplinar, visando tanto o desenvolvimento da pesquisa científica na área da paleoceanografia, quanto, e principalmente, a capacitação de recursos humanos neste tema. Vale notar que a capacitação de recursos humanos na área de paleoceanografia assumiu um caráter de destaque frente a atual condição do Brasil como membro pleno do Integrated Ocean Drilling Program - International Ocean Discovery Program (IODP)..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
2012 - 2015
MONITORAMENTO AMBIENTAL INTEGRADO DA BAÍA DE CAMAMU
Descrição: A presente proposta visa realizar um monitoramento ambiental integrado da Baía de Camamu, reunindo o levantamento de informações quali-quantitativas acerca dos organismos que compõem seus distintos habitats, principalmente das espécies que direta ou indiretamente são de interesse econômico para a região, a dados culturais e do uso e ocupação da terra no intuito de desenvolver, executar e avaliar a efetividade de ações educativas participativas destinadas a fomentar na comunidade local a percepção de que a sua sustentabilidade socioeconômica é indissociável da sustentabilidade ambiental. Deste modo, além de contribuições científicas, este projeto terá também impactos sociais e ambientais ao produzir colaborativamente materiais educativos para a realização de atividades didáticas formais e não formais sobre a história ambiental da região, estimulando assim o envolvimento dos grupos locais na defesa dos seus ambientes e modos de vida. Acrescenta-se ainda o fato de que o desenvolvimento do Banco de Dados Geográfico da Baia de Camamu poderá fundamentar a criação de programas permanentes de biomonitoramento e educação ambiental na área e de planos de gestão que visem a preservação e conservação dos recursos naturais e a melhoria da qualidade de vida da população. Por fim, prevê-se ainda: (i) a iniciação científica de quatro alunos do ensino médio; (ii) a realização de monografias de conclusão dos cursos de graduação em Oceanografia, Geologia e Biologia; (iii) a participação de alunos dos cursos de pós-graduação em Educação, Ciência Animal e Geologia para troca de informações e ampliação da experiência na realização de pesquisas; (iv) a integração de sete grupos de pesquisa da UFBA e do IFBA para o compartilhamento de conhecimentos, instalações e equipamentos, possibilitando a diversificação de procedimentos e o enriquecimento das investigações científicas em ambientes costeiros do Estado; (v) a elaboração de publicações em eventos científicos e periódicos indexad.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (7) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Integrante / Simone Souza de Moraes - Coordenador / Caio Fernando Gromboni - Integrante / Rosiléia Oliveira de Almeida - Integrante / Adriana Magalhães Lucio - Integrante / Augusto Minervino Netto - Integrante / Francisco Kelmo - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia - Auxílio financeiro.
2012 - 2015
CIRCULAÇÃO RESIDUAL E DINÂMICA DO MATERIAL EM SUSPENSÃO E MATÉRIA ORGÂNICA NA BTS
Descrição: Este projeto se propõe a estudar a circulação residual (gravitacional, topograficamente induzida e gerada pelo cisalhamento eólico) da BTS e investigar seus efeitos na dispersão do plancton e material particulado em suspensão (inorgânico e frações orgânicas). Possui uma vertente quimica que analisa as várias formas de carbono presentes na água e sedimentos da porção central da baía e o fluxo de gases entre a baía e a atmosfera. A associação do fluxo residual com as concentrações das diversas substâncias investigadas permitirá avaliar o trânsito de massa entre a baía e a plataforma e entre setores internos da baia, e ainda verificar a existência de ciclos que modulem o sistema de transporte. A avaliação das direções de transporte e o mapeamento das concentrações de materia orgânica irá contribuir para a maior compreensão das fontes antrópicas associadas aos poluentes encontrados ao longo do maior eixo da BTS. O cálculo dos fluxos de CO2 entre a água e a atmosfera terá como resultado uma avaliação do papel da BTS como fonte ou acumuladora de CO2 atmosférico, contribuindo com o esforço internacional para a quantificação do ciclo global do carbono. Além disto, será possível caracterizar o sistema CO2-H2O, importante para o estabelecimento e sobrevivência das comunidades bióticas. A intenção de se estabelecer bases para um monitoramento de longo prazo das caracteristicas hidrológicas da BTS permitirá suprir a carência de longas séries temporais quem permitam diferenciar impactos recentes de mudanças climáticas a tendências associadas a ciclos naturais de longo período, ou até mesmo das alterações impostas por ações humanas, as quais podem ser bem mais agudas. Servirá tambem, com a disponiblização regular dos registros na web, como uma base de dados para fomentar estudos acadêmicos e subsidiar a avaliação da implantação de projetos na baía, pois não existem séries históricas que sirvam de referência para avaliar potenciais alterações ambientais. A aquisição de dados.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Integrante / Guilherme de Camargo Lessa - Coordenador / Marcelo Friederichs Landim de Souza - Integrante / Paulo de Oliveira Mafalda Júnior - Integrante.Financiador(es): Universidade Federal da Bahia - Auxílio financeiro.
2012 - 2014
Avaliação das comunidades planctônicas (fitoplâncton, micromacrozooplâncton e ictioplâncton) e neustônicas (zoo e ictioneuston), ao largo de Salvador, Bahia.
Descrição: As mudanças climáticas deverão afetar as características físicas, biológicas e biogeoquímicas das zonas costeiras e oceanos, modificando sua estrutura ecológica, suas funções e os diferentes serviços prestados ao Homem. Estas mudanças tem o potencial de causar sérios impactos sócio-econômicos nas escalas local (zona costeira), regional (plataforma e mares rasos) e global (oceano). As respostas dos ambientes marinhos às mudanças climáticas irão também depender da variabilidade natural destes sistemas e de outras mudanças introduzidas pelo homem como resultado dos diferentes usos dos recursos marinhos. O bem-estar das comunidades humanas depende intrinsecamente da disponibilidade dos serviços que os ecossistemas costeiros e marinhos provêem. Isto é particularmente importante para a região norte e nordeste, que apresenta em alguns dos seus municípios costeiros, algumas das densidades populacionais mais elevadas do Brasil. O INCT AmbTropic tem como objetivo central unificador a avaliação de como a heterogeneidade espaço-temporal dos ambientes marinhos tropicais poderá determinar os padrões de resposta destes ambientes e sua resiliência às mudanças climáticas que afetarão o norte-nordeste do Brasil neste século. Este aspecto é de grande importância estratégica para a região. Outros objetivos deste INCT incluem: (i) Gerar uma sólida base conceitual sobre os processos, a dinâmica e o funcionamento da zona costeira, plataforma e oceano tropicais do Brasil e sua variabilidade espaço-temporal. (ii) Dotar a região norte/nordeste do Brasil de uma infraestrutura de pesquisa moderna e adequada para o avanço e consolidação das atividades em Ciências do Mar nesta região. (iii) Expandir e consolidar a incipiente estrutura de ensino, treinamento e formação de pessoal, para fazer frente ao conjunto de desafios atuais e futuros a serem enfrentados por esta região principalmente como conseqüência das mudanças climáticas. (iv) Criar uma rede de excelência para dar suporte na.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Coordenador.
2012 - 2013
Influência meteorológica e oceanográfica sobre a variação espaço-temporal das comunidades planctônicas na Baía de Todos os Santos
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Coordenador.
2012 - Atual
Fluxos de sedimentação e biodiversidade da comunidade fitoplanctônica da Plataforma Continental de Cabo Frio
Descrição: O sistema de ressurgência de Cabo Frio (SRCF) é reconhecido como uma das áreas mais produtivas do leste da costa sul-americana, mas o papel do aporte continental tem sido negligenciado. Este estudo investigará a biodiversidade e os fluxos de sedimentação da comunidade fitoplanctônica em dois experimentos de armadilhas de sedimentos, situados a 50 m de profundidade (armadilha superior) e a 100 m (armadilha de fundo) sobre a plataforma continental de Cabo Frio (140 m de profundidade, 23 36' S - 041 34' W) no período entre os anos de 2012 e 2014..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Coordenador / Angelica Yohana Cardozo Vargas - Integrante.
2012 - Atual
MONITORAMENTO AMBIENTAL INTEGRADO DOS AMBIENTES COSTEIROS DE MANGUE SECO
Descrição: A presente proposta visa realizar um monitoramento ambiental integrado inédito para os ambientes costeiros do distrito de Mangue Seco, Município de Jandaíra, reunindo o levantamento de informações quali-quantitativas acerca dos organismos que compõem seus distintos habitats, principalmente das espécies que direta ou indiretamente são de interesse econômico para a região, a dados culturais e do uso e ocupação da terra que irão subsidiar o desenvolvimento, execução e avaliação da efetividade de ações educativas participativas destinadas a fomentar na comunidade local a percepção de que a sua sustentabilidade socioeconômica é indissociável da sustentabilidade ambiental. Serão produzidos, colaborativamente, materiais educativos para a realização de atividades didáticas formais e não formais sobre a história ambiental da região. Além disso, o desenvolvimento do Banco de Dados Geográfico de Mangue Seco fundamentará planos de gestão e programas permanentes de biomonitoramento e educação ambiental na área que visem a preservação e conservação dos recursos naturais e a melhoria da qualidade de vida da população. Por fim, prevê-se ainda a: (i) iniciação científica de alunos do ensino médio; (ii) realização de monografias de graduação; (iii) participação de alunos dos cursos de pós-graduação; (iv) integração de grupos de pesquisa; e (v) elaboração de publicações em eventos científicos e periódicos indexados..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (15) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Integrante / Simone Souza de Moraes - Coordenador / Caio Fernando Gromboni - Integrante / Rosiléia Oliveira de Almeida - Integrante / Adriana Magalhães Lucio - Integrante / Camila Magalhães Pigozzo - Integrante / Augusto Minervino Netto - Integrante / Francisco Kelmo - Integrante / Edinaldo Luz das Neves - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia - Auxílio financeiro.
2012 - Atual
GERAÇÃO DE CONHECIMENTO PARA O MANEJO E PRESERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE VEGETAL NA SERRA DA JIBÓIA, BAHIA, BRASIL.
Descrição: O Brasil, devido a sua localização geográfica e dimensão territorial, é um dos maiores repositórios de espécies nativas do mundo, possuindo importantes centros de biodiversidade. No entanto, o processo de ocupação, desmatamento e o extrativismo não sustentável em varias regiões, inclusive no Nordeste, têm provocado a redução na densidade populacional, e conseqüentemente a perda da variabilidade genética de muitas espécies, com alto potencial energético e medicinal. As mesmas pressões antrópicas têm acelerado os processos de desertificação, especialmente no Brasil, o que pode levar a extinção dos sistemas aquáticos desta região e conseqüente perda da diversidade biológicas dos mesmos. O mais agravante é que grande parte dessa variabilidade já foi perdida antes mesmo de ser conhecida. A fim de minimizar o impacto da extração da madeira na região, são necessárias estratégias visando à conscientização da população local sobre a importância da preservação e a oferta de alternativas para reduzir a retirada dessas plantas do ambiente. Estudos relacionados às melhores condições de propagação contribuirão para o aumento do conhecimento científico sobre estas espécies, e poderão produzir plantas tanto para a utilização da lenha, como para a recuperação de áreas degradadas, promovendo a sua conservação em ambientes naturais. Os estudos com os microorganismos aquáticos poderão criar subsídios para a construção de ferramentas de monitoramento biológico da região..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Coordenador / Sheila Vitória Resende - Integrante / Camila Magalhães Pigozzo - Integrante / Vagner Maximino Leite - Integrante.
2011 - 2012
Diversidade biológica do Cerrado: estrutura e padrões
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (10) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Integrante / Jorge Antonio Silva Costa - Integrante / Ana Maria Mapeli - Integrante / Aryanne Golçalves do Amaral - Integrante / Cristiana Barros Nascimento Costa - Integrante / Daniéla Cristina  Calado - Integrante / Leonardo Henrique  Gil-Azevedo  - Integrante / Mercedes Maria da Cunha Bustamante - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2011 - Atual
Avaliação dos Impactos Hidrológicos da Implantação do Hidrograma Ambiental do Baixo Trecho do Rio São Francisco - AIHA. Componente da Rede de Pesquisa HIDROECO
Descrição: O objetivo geral da pesquisa é adequar a metodologia de avaliação do hidrograma ambiental Building Block Methodology (BBM) para o cálculo dos impactos hidrológicos decorrentes da implantação do hidrograma ambiental (AIHA). A metodologia BBM busca identificar as vazões mais importantes que, em conjunto, fornecem as características essenciais para a garantia da biodiversidade Diferentes escoamentos, variáveis no tempo e espaço, produzem o mosaico de habitats que permitem a existência das espécies nativas. A adequação da metodologia de avaliação do hidrograma ambiental visa dar mais flexibilidade ao processo de alocação de água pois, em vez do critério de vazão mínima efluente, baseia-se na construção de curvas de demanda dos ecossistemas juntamente com curvas das demandas antrópicas para otimizar a operação de sistemas de reservatórios (Medeiros et al., 2006b). A quantidade, qualidade e distribuição de água, requeridas pelos ecossistemas aquáticos dependem dos objetivos ambientais definidos (demandas) definidos no âmbito da bacia hidrográfica. Para verificação da adequação da metodologia proposta será utilizada, como caso de estudo, a bacia hidrográfica do rio São Francisco, na região do baixo curso do rio. Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Integrante / Yvonilde Medeiros - Coordenador / Alexandre Clistenes de Alcântara Santos - Integrante / Marlene Campos Peso de Aguiar - Integrante / Vânia Palmeira Campos - Integrante / Andrea Sousa Fontes - Integrante / Sandira Lívia Moraes Fonseca de Jesus - Integrante.
2008 - 2010
EVOLUÇÃO TRÓFICA DOS ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS DA AMÉRICA DO SUL - BASES HISTÓRICAS PARA ELABORAÇÃO DE CENÁRIOS E PROGNÓSTICOS VOLTADOS À GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS - AQUATROFISUL
Descrição: O progressivo enriquecimento nutricional dos ecossistemas aquáticos epicontinentais em todo mundo, provocado em especial pelos impactos antrópicos, tem se mostrado como um dos principais desafios associados ao uso sustentável dos recursos hídricos. O processo de eutrofização acarreta numa quebra de conectividade entre a água e os ecossistemas terrestres adjacentes, conduzindo desde a redução, até mesmo à perda completa da qualidade dos serviços oferecidos pelos sistemas aquáticos, tais como: (1) uso da água para abastecimento humano e irrigação; (2) fonte de proteínas para as populações ribeirinhas; (3) locais de lazer para a prática de esportes náuticos; dentre outros. Em face desta perda de recursos, o entendimento das causas, conseqüências e das taxas dos processos de eutrofização natural e, principalmente, antrópica permitirá um gerenciamento mais efetivo e consolidado por modelos probabilísticos, acarretando um benefício imediato para a qualidade de vida das populações, de forma direta ou indiretamente. Frente aos países desenvolvidos, a situação da América do Sul pode até ser considerada mais grave em função dos poucos estudos realizados na região, especialmente com enfoque que se baseiem em uma ?anamnese? dos sistemas aquáticos, como forma de elaborar prognósticos ou cenários futuros que tenham como objetivo levantar subsídios consistentes para a tomada de decisões dos gestores. Parte deste problema talvez se deva ao distanciamento entre as equipes de pesquisa, incluindo aí, a própria carência de integração entre as equipes multidisciplinares de pesquisadores brasileiros, o que impede e dificulta a troca de informações e de ações pró-ativas neste sentido. Portanto, esta proposta tem como objetivo principal dar início a formatação de uma Rede Sul-Americana de Estudos acerca da Evolução Trófica dos Ecossistemas Aquáticos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2008 - 2010
Evolução Climática Secular em Ecossistemas da América do Sul - ECLIPSE
Descrição: A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) é um dos sistemas meteorológicos mais importantes nas regiões tropicais. Caracteriza-se como uma faixa de nuvens sobre o continente e é um dos principais responsáveis por levar chuvas ao Nordeste do Brasil e à Colômbia. No Brasil, os estudos sobre a influência da ZCIT nas condições atmosféricas têm sido realizados por pesquisadores da UFF a partir de um sítio lacustre, localizado em terras baixas, o Lago Caçó, no Maranhão. A experiência obtida no Caçó mostrou que é necessário considerar de forma independente os dados referentes aos níveis lacustres e da reconstituição da vegetação por meio dos pólens, bem como procurar sítios em regiões mais áridas, onde o registro sedimentar será, provavelmente, mais marcante. Na Colômbia, a reconstrução da variação da vegetação e do clima durante o Quaternário se baseia em estudos estratigráficos e palinológicos, principalmente no altiplano da Savana de Bogotá, numa altitude de 2.500 metros, na Cordilheira Oriental. Durante a segunda parte do Peniglacial Superior (ca. 21.000 a 14.000 anos AP.), o clima era muito frio e seco, e o limite do bosque se fazia ao redor dos 2.000 metros. Durante os últimos 10.000 anos, se nota mudanças freqüentes na precipitação e temperatura, as quais mostram influência na vegetação de alta montanha; mudanças no limite de altitude do bosque em várias centenas de metros, mudanças no nível de sistemas aquáticos e na extensão das turfeiras, entre outras influências. Esta proposta, então, pretende dar continuidade aos estudos de variação climática na costa leste do Brasil, em alta resolução, e ampliar o entendimento da influência da ZCIT por meio da comparação da paleohidrologia de sistemas lacustres situados em latitudes semelhantes, porém em diferentes altitudes...
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Integrante / Ana Luiza Spadano Albuquerque - Coordenador / Angélica Yohana Cardozo Vargas - Integrante.
2008 - 2010
Programa de Avaliação de Riscos Associados à Eutrofização no Reservatório de Pedra do Cavalo (Bahia). 1. Estudos Básicos: Influências das descargas de esgoto sobre as variáveis limnológicas do Rio Jacuípe
Descrição: Os reservatórios fazem parte da paisagem dos rios sejam eles, pequenos ou grandes, longos ou curtos, em todos os continentes. A construção de reservatórios provoca alterações econômico-sociais e ecológicas, em distintos níveis: local, regional, supra-regional e global. Independente da localização geográfica e da posição política, o armazenamento de água em reservatórios para a utilização humana constitui-se ainda como a primeria alternativa que vem à mente dos técnicos. Os reservatórios, ecologicamente falando, são resultantes dos processos que ocorrem à sua montante, refletindo, ou em alguns casos, magnifcando os impactos. A questão da eutrofização, uma das mais perniciosas formas de degradação das águas, segue este mesmo padrão, e reservatórios contidos em bacias hidrográficas com entradas excessivas de nutrientes, tendem a refletir tais sucessos. No caso específico do reservatório de Pedra do Cavalo (Bahia), construído em 1976, próximo à foz do Rio Paraguaçu, existe um risco não determinado, em termos de eutrofização, devido aos usos inadequados do solo na bacia hidrográfica do rio: agricultura extensiva e intensiva, pecuária, erosão e lançamento de esgotos domésticos. O projeto pretende através do estudo de indicadores, bioindicadores e de processos biológicos, determinar eventuais riscos à eutrofização no reservatório, que presentemente serve de suporte de água potável para aproximadamente dois milhões de pessoas, na Região Metropolitana de Salvador, determinando eventuais níveis metabólicos, construindo cenários e sugerindo medidas mitigadoras....
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Coordenador / Angélica Yohana Cardozo Vargas - Integrante / Graziele J. Carrascosa Pereira - Integrante.
2003 - 2007
Paleohidrologia da Lagoa do Boqueirão, RN: fundamentos para estudos paleohidrológicos
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Doriedson Ferreira Gomes - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Cooperação.


Membro de corpo editorial


2005 - Atual
Periódico: Sabios


Revisor de periódico


2004 - Atual
Periódico: SaBios - Revista de Saúde e Biologia
2008 - 2008
Periódico: Acta Botanica Brasilica
2009 - Atual
Periódico: Caldasia (Bogotá)
2014 - Atual
Periódico: Brazilian Journal of Botany
2016 - Atual
Periódico: Phytotaxa (Online)
2017 - Atual
Periódico: QUATERNARY AND ENVIRONMENTAL GEOSCIENCES


Revisor de projeto de fomento


2016 - Atual
Agência de fomento: Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de Ecossistemas.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia do fitoplâncton.
3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Paleoecologia.
4.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Paleolimnologia.
5.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Paleoceanografia.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

Web of Science
Total de trabalhos:1
Total de citações:2
Fator H:1
Gomes, Doriedson F.  Data: 02/09/2015

Artigos completos publicados em periódicos

1.
NOGA, PIETRO MARTINS BARBOSA2018NOGA, PIETRO MARTINS BARBOSA ; GOMES, DORIEDSON FERREIRA . Scientometrical review of Dinoflagellate studies in Brazil. ACTA BOTANICA BRASILICA, v. 03, p. 1-8, 2018.

2.
DUBOIS, NATHALIE2017DUBOIS, NATHALIE SAULNIER-TALBOT, ÉMILIE MILLS, KEELY GELL, PETER BATTARBEE, RICK BENNION, HELEN CHAWCHAI, SAKONVAN DONG, XUHUI FRANCUS, PIERRE FLOWER, ROGER GOMES, DORIEDSON F GREGORY-EAVES, IRENE HUMANE, SUMEDH KATTEL, GIRI JENNY, JEANPHILIPPE LANGDON, PETER MASSAFERRO, JULIETA MCGOWAN, SUZANNE MIKOMÄGI, ANNIKA NGOC, NGUYEN THI MINH RATNAYAKE, AMILA SANDARUWAN REID, MICHAEL ROSE, NEIL SAROS, JASMINE SCHILLEREFF, DANIEL , et al.TOLOTTI, MONICA VALERO-GARCÉS, BLAS ; First human impacts and responses of aquatic systems: A review of palaeolimnological records from around the world. THE ANTHROPOCENE REVIEW, v. 4, p. 205301961774036-41, 2017.

3.
CARDOZO-VARGAS, A. Y.2014 CARDOZO-VARGAS, A. Y. ; GOMES, D. F. ; SILVA, E. M. ; DUQUE-ESCOBAR, S. R. ; CHURIO, J. O. R. ; Sifeddine, A. ; Turcq, B. ; Albuquerque, A. L. S. . Holocene paleolimnological reconstruction of a high altitude Colombian tropical lake. Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology, v. 415, p. 127-136, 2014.

4.
GOMES, DORIEDSON F.2014 GOMES, DORIEDSON F.; ALBUQUERQUE, A.L.S. ; TORGAN, L.C. ; Turcq, B. ; Sifeddine, A. . Assessment of a diatom-based transfer function for the reconstruction of lake-level changes in Boqueirão Lake, Brazilian Nordeste. Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology, v. 415, p. 105-116, 2014.

5.
VIANA, JOÃO CLÁUDIO CERQUEIRA2014 VIANA, JOÃO CLÁUDIO CERQUEIRA ; SIFEDDINE, ABDELFETTAH ; TURCQ, BRUNO ; ALBUQUERQUE, ANA LUIZA SPADANO ; MOREIRA, LUCIANE SILVA ; GOMES, DORIEDSON FERREIRA ; CORDEIRO, RENATO CAMPELLO . A late Holocene paleoclimate reconstruction from Boqueirão lake sediments, northeastern Brazil. Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology, v. 415, p. 117-126, 2014.

6.
GOMES, D. F.2012 GOMES, D. F.; Ferreira Gomes, Doriedson ; Caldas, Oberdan ; Mendes Da Silva, Eduardo ; Andrew Gell, Peter ; Williams, David M. . Father Zimmermann (1871 1950): the first Brazilian diatomist. Diatom Research, v. 27, p. 1-12, 2012.

7.
FRANCA, F.2003FRANCA, F. ; MELO, E. ; GOES-NETO, A. ; ARAUJO, D. ; BEZERRA, M. G. ; RAMOS, H. M. ; CASTRO, I. ; GOMES, D. F. . Flora vascular de açudes de uma região do semi-árido da Bahia, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 17, p. 549-559, 2003.

Capítulos de livros publicados
1.
LESSA, G. C. ; SOUZA, M. F. L. ; MAFALDA JUNIOR, P. O. ; GOMES, D. F. ; SOUZA, C. S. ; TEIXEIRA, C. E. P. ; SOUZA, J. R. L. B. ; ZUCCHI, M. R. . Variabilidade intra-anual da oceanografia da Baía de Todos os Santos: evidências de três anos de monitoramento. In: Vanessa Hatje; Lys Maria Vinhaes Dantas; Jaílson B. de Andrade. (Org.). Baía de Todos os Santos: avanços nos estudos de longo prazo. 1ed.Salvador: Editora da Universidade Federal da Bahia, 2018, v. , p. 159-192.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
ARAUJO, A. V. ; BASTOS-LEAL, L. R. ; GOMES, D. F. . VARIAÇÃO SAZONAL, VERTICAL E LONGITUDINAL DOS COMPONENTES HIDROQUÍMICOS E FISICO-QUÍMICOS EM UM SISTEMA CÁRSTICO DE UMA REGIÃO SEMIÁRIDA NO NORTE DA BAHIA ? BRASIL. In: 34o Congresso Brasileiro de Espeleologia, 2017, Ouro Preto. ANAIS do 34o Congresso Brasileiro de Espeleologia, 2017.

2.
ARAUJO, A. V. ; BASTOS-LEAL, L. R. ; GOMES, D. F. . Variação sazonal, vertical e longitudinal dos componentes hidroquímicos e fisico-químicos em um sistema cárstico de uma região semiárida no norte da Bahia ? Brasil.. In: 34o Congresso Brasileiro de Espeleologia, 2016, Ouro Preto. 34o Congresso Brasileiro de Espeleologia, 2016. p. 89-100.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
SOARES NETO, L. ; GOMES, D. F. ; CARDOZO, A. Y. V. ; LESSA, G. C. . Variação espaço-temporal da comunidade fitoplanctônica na Baía de Todos os Santos na baixa-mar de sizígia. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2014, Itajaí. Anais do Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2014. p. 1023-1024.

2.
ALMEIDA, A. ; CARDOZO, A. Y. V. ; GOMES, D. F. ; LESSA, G. C. . Variação espaço-temporal da comunidade fitoplanctônica na Baía de Todos os Santos em marés de quadratura. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2014, Itajaí. Anais do Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2014. p. 1027-1028.

3.
GOMES, D. F.; Albuquerque, A. L. S. ; Sifeddine, A. ; Turcq, B. . Heterogeneidade espacial da comunidade de diatomáceas nos sedimentos superficiais da lagoa do boqueirão (RN) como fator de calibração para interpretações paleolimnológicas. In: 10º Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário, 2005, Guarapari. Anais da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário, 2005.

4.
GOMES, D. F.; Albuquerque, A. L. S. ; Sifeddine, A. ; Turcq, B. ; Torgan, L. . Estabelecimento da relação entre a profundidade e a comunidade de diatomáceas da lagoa do boqueirão(RN). In: X Congresso Brasileiro de Limnologia, 2005, Ilhéus. Anais do X Congresso Brasileiro de Limnologia, 2005.

5.
MACHADO, R. R. ; Albuquerque, A. L. S. ; GOMES, D. F. ; Turcq, B. ; Sifeddine, A. ; BICUDO, D. C. . Distribuição de diatomáceas em sedimentos superficiais de lagos do Nordeste visando a elaboração de modelos de função de transferência para aplicação em estudos paleoambientais... In: X Congresso da ABEQUA - Associação Brasileira de Estudos do Quaternário, 2005, Guarapari. Anais do X Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário. Rio de Janeiro: Meta Eventos, 2005. v. 01.

6.
GOMES, D. F.; Fernandes ; Brichta ; SILVA, E. M. . Aulacoseira granulata (Ehrenberg) como um possível marcador do enchimento do reservatório de Pedra do Cavalo. In: I Workshop Nacional sobre Algas, 2003, Santa Cruz do Sul. I Workshop Nacional sobre Algas, 2003.

7.
ALVES, S. M. B. ; ACCIOLY, M. ; SILVA, E. M. ; GOMES, D. F. . Dique do Tororó (Salvador, Bahia): Passado, presente e futuro. In: Congresso Nacional de Meio Ambiente na Bahia, 1998, Feira de Santana. Anais do Congresso Nacional de Meio Ambiente na Bahia. Feira de Santana: UEFS, 1998. v. 1. p. 223-225.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
ASSIS, R. O. ; CARDOZO-VARGAS, A. Y. ; GOMES, D. F. . Comunidade Fitoplanctônica no Estuário do Rio Serinhaém, Baía de Camamu-Bahia. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016, Salvador. Anais do VII Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016.

2.
NABUCO, L. N. ; CRUZ, P. L. ; SOARES NETO, L. ; CARDOZO-VARGAS, A. Y. ; GOMES, D. F. . Estrutura da Comunidade Fitoplanctônica na Baía de Todos os Santos em Marés de Sizígia. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016, Salvador. Anais do VII Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016.

3.
PROTASIO, L. S. ; OLIVEIRA, F. R. ; GOMES, D. F. . Reconstrução da Paleoprodutividade da Baía de Camamu. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016, Salvador. Anais do VII Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016.

4.
ENCARNACAO, A. J. ; GOMES, D. F. . Avaliação das Partículas Carbonizadas na Baía de Camamu. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016, Salvador. Anais do VII Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016.

5.
ARAUJO, W. D. ; CARDOZO-VARGAS, A. Y. ; GOMES, D. F. . Variabilidade Espaço-Temporal na Comunidade Fitoplanctônica no Estuário do Rio Sorojó, Baía de Camamu-Bahia. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016, Salvador. Anais do VII Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016.

6.
ALVES, L. D. ; OLIVEIRA, F. R. ; CARDOZO-VARGAS, A. Y. ; GOMES, D. F. . Comunidade Fitoplanctônica de Face Praial no Estuário do Rio Real, Mangue-Seco, Bahia. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016, Salvador. Anais do VII Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2016.

7.
CARDOZO, A. Y. V. ; GOMES, D. F. ; Albuquerque, A. L. S. ; SILVA, E. M. ; RANGEL, J. O. ; Escobar, S. D. . RESPOSTAS DAS DIATOMÁCEAS A MUDANÇAS AMBIENTAIS NO LAGO DE TOTA- COLOMBIA DURANTE O HOLOCENO. In: XIII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário (ABEQUA) e III Encontro do Quaternário Sulamericano, 2011, Armação dos Búzios. Anais do XIII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário (ABEQUA) e III Encontro do Quaternário Sulamericano, 2011.

8.
BORGES, R. C. ; CARDOZO, A. Y. V. ; GOMES, D. F. . MICROALAGAS DO RIO DE ONDAS, BA, BRASIL. In: IX Congreso de Ficología de Latinoamérica y el Caribe, 2011, La Plata. Anais do IX Congreso de Ficología de Latinoamérica y el Caribe, 2011.

9.
CARDOZO, A. Y. V. ; GOMES, D. F. ; Albuquerque, A. L. S. ; Escobar, S. D. ; Turcq, B. ; Sifeddine, A. . Diatomáceas como indicadoras de mudanças paleoambientais no Lago de Tota - Colômbia. In: XIII Simpósio Brasileiro de Paleobotânica e Paleolimnologia, 2010, Salvador. Anais do XIII Simpósio Brasileiro de Paleobotânica e Paleolimnologia, 2010.

10.
BORGES, R. C. ; CARDOZO, A. Y. V. ; GOMES, D. F. ; RODRIGUES, G. G. ; SILVA, E. M. . Desmidioflórula associada a Salvínia oblongifolia Mart. (Pteridophyta: Pteridopsida) da Lagoa Pindoba - Propiá - SE.. In: X Congresso Latino americano de Botânica, 2010, La Serena. Anais do X Congresso Latino americano de Botânica, 2010.

11.
BORGES, R. C. ; CARDOZO, A. Y. V. ; GOMES, D. F. ; RODRIGUES, G. G. ; AZEVEDO, L. S. ; Freire, R. R. ; ALENCAR, A. P. ; SILVA, E. M. . Perifíton associado a Salvinia auriculata Aulb. (Pteridophyta: Pteridopsida) da Lagoa Pindoba - Propriá - SE. In: 60 Congresso Brasileiro de Botânica, 2009, Feira de Santana. Anais do 60 Congresso Brasileiro de Botânica. Feira de Santana - BA.

12.
PEREIRA, G. J. C. ; CARDOZO, A. Y. V. ; GOMES, D. F. ; SILVA, E. M. ; COHEN-DE-PINHO, S. . Influência da descarga de esgoto da cidade de Feira de Santana sobre as variáveis físico-químicas do Rio Jacuípe. In: XII Congresso Brasileiro de Limnologia, 2009, Gramado. Anais do XII Congresso Brasileiro de Limnologia. Porto Alegre: UFRGS, 2009.

13.
Viana ; SILVA, E. M. ; GOMES, D. F. . Diatomáceas epilíticas nos rios Cumbuca, Piabinha e Mucugê (Chapada Diamantina-BA). In: Congresso Brasileiro de Ficologia, 2006, Itajaí. Anais do XI Congresso Brasileiro de Ficologia, 2006.

14.
GOMES, D. F.; SILVA, E. M. ; Brichta ; Fernandes . Paleoproductivity of the Iguape Bay at the Lower Paraguaçu River (Bahia, Brazil). In: 23rd Annual Meeting, June 2-7, 2002 of the Society of Wetland Scientists, 2002, Lake Placid. 23rd Annual Meeting, June 2-7, 2002 of the Society of Wetland Scientists, 2002.

15.
GOMES, D. F.; GOES-NETO, A. . Fungos zoospóricos do Brasil: Uma revisão histórica. In: II Congresso Brasileiro de Micologia, 1998, Rio de Janeiro. Anais do II Congresso Brasileiro de Micologia, 1998.

16.
GOMES, D. F.; SILVA, E. M. . Variações Nictemerais (24h) e estacionais emalguns parâmetros limnológicos em um brejo de Feira de Santana. In: XVII Seminário Estudantil de Pesquisa, 1998, Salvador. Anais do XVII Seminário Estudantil de Pesquisa, 1998.

17.
GOMES, D. F.; SOUZA, F. B. C. . Diferenças nas espécies de briozoários no litoral de Salvador e Camaçari submetidas a impacto ambiental. In: XV Seminário Estudantil de Pesquisa, 1996, Salvador. Anais do XV Seminário Estudantil de Pesquisa, 1996.

Apresentações de Trabalho
1.
GOMES, D. F.; VARGAS, A. Y. C. ; ALMEIDA, A. ; SOARES NETO, L. ; LESSA, G. C. . Estrutura, Espacialização e Temporalidade da Comunidade Fitoplanctônica na Baía de Todos os Santos. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
GOMES, DORIEDSON FERREIRA. Aplicações da Paleoecologia em Conservação. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

3.
GOMES, D. F.; Albuquerque, A. L. S. ; Turcq, B. ; Sifeddine, A. ; Torgan, L. . PALEOHIDROLOGIA HOLOCÊNICA DA LAGOA DO BOQUEIRÃO ? RN ? COM BASE EM DIATOMÁCEAS. 2010. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
GOMES, D. F.; BORGES, R. C. ; VARGAS, A. Y. C. . Fitoplâncton do estuário do Rio Jequitinhonha - III. 2012.

2.
GOMES, D. F.; VARGAS, A. Y. C. ; BORGES, R. C. . Fitoplâncton do estuário do Rio Jequitinhonha - II. 2011.

3.
GOMES, D. F.; CARDOZO, A. Y. V. ; BORGES, R. C. . Fitoplâncton do estuário do Rio Jequitinhonha - I. 2010.

4.
GUEDES, M. L. S. ; GOMES, D. F. . Estudo Fitossociológico do Empreendimento "Brasil 2000". 2000.

Trabalhos técnicos


Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
MAFALDA JUNIOR, P. O.; SOUZA, C. S.; GOMES, D. F.. Participação em banca de Ramon Mendes Ferreira. A influência da estrutura oceanográfica e da qualidade da água sobre o biovolume e a densidade planctônica na Baía de Todos os Santoss, Bahia. 2015. Dissertação (Mestrado em Geoquímica: Petróleo e Meio Ambiente) - Universidade Federal da Bahia.

2.
MEDEIROS, A. O.; Giglio, J. N.; GOMES, D. F.. Participação em banca de Fernanda Macedo Andrade. Diretrizes para a avaliação dos impactos ambientais de barramentos em ecossistemas fluviais. 2015. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Biomonitoramento) - Universidade Federal da Bahia.

3.
LUZ, L. D.; Joana Angélica Guimarães Luz; GOMES, D. F.. Participação em banca de Francylenna Lima. Qualidade das águas do Rio Capivara (Camaçari, Bahia) inferida por condições hidrológicas e bioindicadores zooplanctônicos. 2009. Dissertação (Mestrado em Geologia) - Universidade Federal da Bahia.

4.
ALELUIA, F. T. F.; LUZ, L. D.; GOMES, D. F.; Schiavetti, A.. Participação em banca de Fabrício Tourinho Fontes Aleluia. Estado trófico do reservatório de Pituaçú - Salvador, Bahia: investigação sobre as inter-relações entre as condições ambientais, parâmetros físico-químicos da água e comunidades zooplanctônicas. 2008. Dissertação (Mestrado em Geologia) - Universidade Federal da Bahia.

Teses de doutorado
1.
MOSER, G. A. O.; GOMES, D. F.; MAFALDA JUNIOR, P. O.; NUNES, J. M. C.. Participação em banca de Helen Michelle de Jesus Affe. Estrutura, Composição e Diversidade Funcional da Comunidade Fitoplanctônica em um Sistema Estuarino Tropical no Nordeste do Brasil. 2017. Tese (Doutorado em Ecologia e Biomonitoramento) - Universidade Federal da Bahia.

2.
NUNES, J. M. C.; MOSER, G. A. O.; GOMES, D. F.; LIMA, S. T. C.. Participação em banca de Maria Cristina de Queiroz Mendes. Comunidade de Dinoflagelados Epibentônicos Potencialmente Nocivos no Litoral da Bahia, Brasil. 2017. Tese (Doutorado em Ecologia e Biomonitoramento) - Universidade Federal da Bahia.

3.
NUNES, J. M. C.; GOMES, D. F.; MAFALDA JUNIOR, P. O.; SOUZA, F. B. C.. Participação em banca de Aline Noguira Ferreira. EFEITOS DA DRAGAGEM SOBRE A QUALIDADE DA ÁGUA E ESTRUTURA DA COMUNIDADE FITOPLANCTÔNICA EM DOIS AMBIENTES COSTEIROS TROPICAIS NA BAHIA DE TODOS OS SANTOS, BRASIL. 2016. Tese (Doutorado em Geologia) - Universidade Federal da Bahia.

Qualificações de Mestrado
1.
GOMES, DORIEDSON FERREIRA; MAFALDA JUNIOR, P. O.; SOUZA, C. S.. Participação em banca de Ramon Mendes Ferreira. Avaliação da Influência da pluma de efluente industrial orgânico sobre a associação macrozooplanctônica no litoral Norte da Bahia. 2012. Exame de qualificação (Mestrando em Geoquímica: Petróleo e Meio Ambiente) - Universidade Federal da Bahia.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
NUNES, J. M. C.; GOMES, D. F.; MAFALDA JUNIOR, P. O.. Participação em banca de Lorena Petersen Nasacimento Santos.Comunidade microfitoplanctônica da baía de Todos os Santos, Bahia. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia.

2.
MAFALDA JUNIOR, P. O.; GOMES, D. F.; VARGAS, A. Y. C.. Participação em banca de Natália Cristina Souza da Costa.EFEITOS DA QUALIDADE DA ÁGUA SOBRE A ESTRUTURA DA ASSEMBLÉIA DE COPÓPODOS E CLADÓCEROS NO ESTUÁRIO DO RIO JEQUITINHONHA, BAHIA. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia.

3.
MAFALDA JUNIOR, P. O.; SOUZA, C. S.; GOMES, D. F.. Participação em banca de Tamires Santana Santos.Dispersão superficial do zooplâncton, com ênfase em Chaetognatha, na Baía de Todos os Santos, Bahia, Brasil. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia.

4.
GOMES, DORIEDSON FERREIRA; MEDEIROS, A. O.; AQUINO, J. G.. Participação em banca de Jeferson Costa da Silva.Efeito das mudanças climáticas e das espécies invasoras na diversidade microbiana de sedimentos estuarinos. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - Ciências Biológicas) - Universidade Federal da Bahia.

5.
GOMES, DORIEDSON FERREIRA; MAFALDA JUNIOR, P. O.; SOUZA, C. S.. Participação em banca de Laura Rodrigues Conceição.Variabilidade espaço-temporal na estrutura das associações zooplanctônicas através da plataforma continental de Salvador, Bahia. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia.

6.
GOMES, DORIEDSON FERREIRA; MAFALDA JUNIOR, P. O.; FERREIRA, A. N.. Participação em banca de Igor Lima Aboim.Ocorrência e distribuição espaço-temporal de Carangidae na Baía de Todos os Santos. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia.

7.
Boaventura, M. P. B.; GOMES, D. F.. Participação em banca de Marcos Paulo Bomfim Boaventura.Levantamento dos Gêneros Fitoplanctônicos do manguezal formado pelo Rio Passa Vaca ? Salvador ? BA. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Católica do Salvador.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
GOMES, D. F.; Gestinari, L. M. de S.. Concurso para professor Assistente. 2008. Universidade Federal da Bahia.

2.
GOMES, D. F.; ACCIOLY, M.; BASTOS, C. J. P.. Concurso para professor substituto -- Ecologia Geral e Fitoplâncton. 2008. Universidade Federal da Bahia.

3.
GOMES, D. F.. Concurso para professor substituto - Ecologia Geral. 2006. Universidade Federal da Bahia.

Outras participações
1.
GOMES, D. F.. MEMBRO DO CONSELHO CONSULTIVO DE SABIOS-REVISTA DE SAÚDE E BIOLOGIA DA FACULDADE INTEGRADO DE CAMPO MOURÃO. 2005.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
XIII Simpósio Brasileiro de Paleobotânica e Palinologia.f. 2010. (Simpósio).

2.
XII Congresso Brasileiro de Limnologia. F. 2009. (Congresso).

3.
XII Congresso Brasileiro de Ficologia. FUNÇÕES DE TRANSFERÊNCIA NA RECONSTRUÇÃO PALEOAMBIENTAL. 2008. (Congresso).

4.
X Congresso Brasileiro de Limnologia. F. 2005. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
GABRIELA DE ALMEIDA CASTRO. Modelagem ecossistêmica das interações tróficas planctônicas na Baía de Todos os Santos, BA.. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Biomonitoramento) - Universidade Federal da Bahia. (Orientador).

2.
Amana Silva Cordeiro de Almeida. Metacomunidade fitoplanctônica na Baía de Camamu, Bahia, Brasil. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Biomonitoramento) - Universidade Federal da Bahia. (Orientador).

3.
Loreane Dias Alves. O uso de modelos matemáticos no estudo da dinâmica trófica do ambiente pelágico da plataforma continental de Salvador, BA.. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Biomonitoramento) - Universidade Federal da Bahia. (Orientador).

4.
Tamires Santana Santos. Os usos da terra na bacia de captação de um sistema estuarino de região tropical e sua relação com os processos sucessionais das assembleias de Cladocera ao longo dos últimos 500 anos... Início: 2017. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Biomonitoramento) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

5.
Beatriz Lima Vieira. Processos sucessionais das comunidades de diatomáceas como indicadores da dinâmica das massas d´água e do caudal do rio Amazonas na Plataforma Continental da Amazônia ao longo dos últimos 45.000 anos A. P.. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Biomonitoramento) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. (Orientador).

6.
Raísa Elias Teodoro Santos Pereira. RECONSTRUÇÃO PALEOAMBIENTAL QUANTITATIVA DO DELTA DO SÃO FRANCISCO COM BASE NO ESTUDO DE FORAMINÍFEROS. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em Geologia) - Universidade Federal da Bahia. (Coorientador).

Tese de doutorado
1.
Carlos Lopez Ortis. Estrutura e relações ambientais das comunidades planctônicas na Baía de Todos os Santos, Brasil. Início: 2018. Tese (Doutorado em Ecologia e Biomonitoramento) - Universidade Federal da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

2.
Fernando Oliveira. Impactos ecológicos dos ciclos econômicos brasileiros sobre a bacia de Camamu-BA: uma abordagem neo e paleolimnológica.. Início: 2016. Tese (Doutorado em Ecologia e Biomonitoramento) - Universidade Federal da Bahia. (Coorientador).

Supervisão de pós-doutorado
1.
João Cláudio Cerqueira Viana. Início: 2016. Universidade Federal da Bahia.

Iniciação científica
1.
Elizia Celestina Montenegro. Diatomáceas como paleoindicadoras dos ciclos econômicos na região estuarina da Baía de Aratu, Bahia.. Início: 2018 - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

2.
Isabela xxx. Comunidades de diatomáceas de apicuns na Baía de Todos os Santos. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Abi - Ciências Biológicas) - Universidade Federal da Bahia. (Orientador).

3.
Eduarda Francielle Soares Miranda. Comunidade fitoplanctônica do baixo curso do rio São Francisco. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Bach. C. Biológicas-Ecologia:Recursos Ambientais) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Igor Lima Aboim. A INFLUÊNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA SOBRE A ESTRUTURA DA COMUNIDADE FITOPLANCTÔNICA EM UMA SÉRIE TEMPORAL DE 3 ANOS, NO RIO JEQUITINHONHA, BAHIA.. 2018. Dissertação (Mestrado em Geoquímica: Petróleo e Meio Ambiente) - Universidade Federal da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Doriedson Ferreira Gomes.

2.
ANDRÉ VIEIRA DE ARAÚJO. ECOLOGIA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA: A INFLUÊNCIA DA HIDROQUÍMICA NA COMPOSIÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DAS COMUNIDADES DE INVERTEBRADOS AQUÁTICOS EM UM AQUÍFERO CÁRSTICO. 2017. Dissertação (Mestrado em Geoquímica e Meio Ambiente) - Universidade Federal da Bahia, . Coorientador: Doriedson Ferreira Gomes.

3.
Pietro Martins Barbosa Noga. Dinoflagelados como indicadores paleoambientais na Baía de Camamu (Bahia). 2016. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Biomonitoramento) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

4.
Rafaela de Cerqueira Borges. Avaliação da Influência da maré na variabilidade espaço-temporal da comunidade fitoplanctônica da Baía de Aratu: Implicações para Programas de Biomonitoramento. 2014. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Biomonitoramento) - Universidade Federal da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Doriedson Ferreira Gomes.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Crícia Cavalcanti da Silva. VARIABILIDADE ESPACIAL E TEMPORAL DA COMUNIDADE DE DIATOMÁCEAS NOS SEDIMENTOS SUPERFICIAIS DA BAÍA DE CAMAMU (BAHIA, BRASIL) E SUAS VARIÁVEIS ESTRUTURANTES. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Bach. em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

2.
Loreane Dias Alves. Ecologia da comunidade fitoplanctônica do estuário do Rio Real, Mangue-Seco, Bahia. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

3.
Amana Silva Cordeiro de Almeida. VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA COMUNIDADE FITOPLANCTÔNICA NA BAÍA DE TODOS-OS-SANTOS, EM DIFERENTES CONDIÇÕES HIDROLÓGICAS. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

4.
Fernando Oliveira. Avaliação Rápida de Ecossistemas Aquáticos Continentais Utilizando Substratos Artificiais. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

5.
Vladimir Airam Quirino da Silva. Aspectos limnológicos do reservatório de Pituaçú (salvador - BA). 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Bach. C. Biológicas-Ecologia:Recursos Ambientais) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

6.
Leonardo Fernandes. Limnologia da Lagoa do Boqueirão - RN. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Biologia) - Universidade Federal Fluminense. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

Iniciação científica
1.
Otto Schaeppi. Comunidade de foraminíferos da Baía de Todos os Santos. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Bach. em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

2.
Jadiel Mendes Cerqueira Júnior. Paleopigmentos como descritores de paleoprodutividade na Baía de Camamu.. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Abi - Ciências Biológicas) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

3.
Andresa de Jesus da Encarnação. Determinação dos regimes de queimadas pretéritos na bacia de captação da Baía de Camamu a partir do estudos de microcarvões preservados em sedimentos.. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

4.
Sérgio Sena. Paleoecologia da Lagoa Encantada - Bahia. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Abi - Ciências Biológicas) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

5.
Loreane Dias Alves. Efeitos da fragmentação do Rio São Francisco sobre a comunidade fitoplanctônica. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

6.
Laianne dos Santos Protasio. Desenvolvimento de aplicações computacionais para a implantação da chave de identificação de organismos on line. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

7.
Rebeca Oliveira Assis. Paleopigmentos como indicadores de paleoprodutividade na Baía de Camamu. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

8.
William Dias Araujo. MONITORAMENTO AMBIENTAL INTEGRADO DA BAÍA DE CAMAMU. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

9.
Loreane Dias Alves. MONITORAMENTO AMBIENTAL INTEGRADO DOS AMBIENTES COSTEIROS DE MANGUE SECO. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

10.
Crícia Cavalcanti Ferreira da Silva. Diatomáceas como indicadoras ambientais ao longo do Holoceno, na Baía de Camamu, BA. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

11.
Laiane dos Santos Protasio. Paleopigmentos como descritores de paleoprodutividade na Baía de Camamu.. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

12.
Jocasta da Costa. Comunidades de microalgas ? fitoplâncton e microfitobentos ? de três sistemas estuarinos da Bahia: Baía de Todos os Santos, Baía de Camamú e estuário do rio Real, Mangue-Seco.. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Farmácia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

13.
Saulo Passos. MONITORAMENTO AMBIENTAL INTEGRADO DOS AMBIENTES COSTEIROS DE MANGUE SECO. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

14.
Ingrid Caroline Mota de Sena. HETEROGENEIDADE ESPAÇO-TEMPORAL E RESPOSTAS ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS - GT 2.2 - Variabilidade Espaço-Temporal da Diversidade e Estrutura Trófica do Ambiente Pelágico na Plataforma Continental.. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

15.
Laiane Protásio. MONITORAMENTO AMBIENTAL INTEGRADO DA BAÍA DE CAMAMU. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

16.
Raíssa de Oliveira. Comunidades de microalgas ? fitoplâncton e microfitobentos ? de três sistemas estuarinos da Bahia: Baía de Todos os Santos, Baía de Camamú e estuário do rio Real, Mangue-Seco.. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

17.
Nathalia Vasconcelos. MONITORAMENTO AMBIENTAL INTEGRADO DA BAÍA DE CAMAMU. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

18.
Tayane Lopes Santos. MONITORAMENTO AMBIENTAL INTEGRADO DA BAÍA DE CAMAMU. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

19.
Leonidas Neto. Distribuição espaço-temporal da comunidade fitoplanctônica na Baía de Todos os Santos em marés de quadratura. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

20.
Amana Silva Cordeiro de Almeida. Estrutura da comunidade fitoplanctônica do setor leste da Baía de Todos os Santos. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Bach. em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

21.
Leonidas Soares de A. Neto. Diatomáceas das praias de Salvador, Ba, Brasil.. 2011. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

22.
Rafaela de Cerqueira Borges. Biodiversidade de microalgas dos rios do Borá, de Ondas, Intrudo e de Janeiro ? Município de Luís Eduardo Magalhães ? BA. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Bach. C. Biológicas-Ecologia:Recursos Ambientais) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

23.
Fernando Ribeiro de Oliveira. Uso da comunidade de diatomáceas como bioindicador para a condição de balneabilidade das praias de Salvador, Ba, Brasil.. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Bach. em Oceanografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

24.
Marcus Vicente Souza Santos. Veias da Terra Conhecendo a biodiversidade de microalgas e o estado de qualidade das águas de rios soteropolitanos. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Licenciatura em Ciências) - Universidade Federal da Bahia, Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

25.
Rafaela Borges. As comunidades perifíticas como indicadores de vazões ecológicas no Rio São Francisco, BA. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Bach. C. Biológicas-Ecologia:Recursos Ambientais) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.

26.
Graziele Jamile Carrascos. Limnologia do Rio Jacuípe, BA. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Bach. C. Biológicas-Ecologia:Recursos Ambientais) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Doriedson Ferreira Gomes.




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/11/2018 às 8:19:45