Marcus Vinicius Cianciaruso

Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3421612628316830
  • Última atualização do currículo em 30/09/2018


Marcus V. Cianciaruso é bacharel em ciências biológicas, mestre e doutor em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos. Atualmente, é professor adjunto no Departamento de Ecologia da Universidade Federal de Goiás. Foi pesquisador visitante no Animal and Plant Sciences Department da Universidade de Sheffield (Reino Unido), sob a supervisão de Owen L. Petchey e Kevin Gaston. Atua na área de Ecologia, com ênfase em ecologia de comunidades, diversidade funcional e filogenética. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Marcus Vinicius Cianciaruso
Nome em citações bibliográficas
CIANCIARUSO, M. V.;CIANCIARUSO, M;Cianciaruso, Marcus Vinicius;Cianciaruso, MV.;Cianciaruso, Marcus V.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Goiás, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Ecologia.
Campus II
.
74001970 - Goiânia, GO - Brasil - Caixa-postal: 74663520
Telefone: (62) 981881717


Formação acadêmica/titulação


2005 - 2009
Doutorado em Ecologia e Recursos Naturais.
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
com período sanduíche em University of Sheffield (Orientador: Dr. Owen L. Petchey e Dr. Kevin J. Gaston).
Título: Diversidade funcional: como incluir a variação intra-específica e o efeito do fogo em comunidades vegetais do cerrado, Ano de obtenção: 2009.
Orientador: Marco Antônio Batalha.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: diversidade funcional; complementariedade; cerrado; fogo; Parque Nacional das Emas; savana.
Grande área: Ciências Biológicas
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia Teórica.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia Funcional.
2003 - 2005
Mestrado em Ecologia e Recursos Naturais.
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Título: Análise da vegetação em cerrado hiperestacional e estacional no Brasil Central (Parque Nacional das Emas, GO),Ano de Obtenção: 2005.
Orientador: Marco Antônio Batalha.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: cerrado; cerrado hiperestacional; diversidade; estacionalidade; florística; Parque Nacional das Emas.
Grande área: Ciências Biológicas
1999 - 2002
Graduação em Licenciatura Em Ciências Biológicas.
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
1999 - 2002
Graduação em Bacharelado Em Ciências Biológicas.
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Título: Produção de serapilheira e decomposição do material foliar em cerradão da Estação Ecológica de Jataí (Luiz Antõnio, SP).
Orientador: José Salatiel Rodrigues Pires.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.




Formação Complementar


2008 - 2008
Indentificacao de tribos e generos de Asteraceae. (Carga horária: 6h).
Sociedade Botânica do Brasil - DF, SBB, Brasil.
2006 - 2006
Extensão universitária em Tópicos em Ecologia. (Carga horária: 90h).
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
2006 - 2006
Métodos em filogenia de plantas. (Carga horária: 4h).
Sociedade Botânica de São Paulo, SBSP, Brasil.
2005 - 2005
Systematic Conservation Planning.
Society for Conservation Biology, SCB, Estados Unidos.
2004 - 2004
Extensão universitária em Ecologia de campo II. (Carga horária: 250h).
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
2004 - 2004
Extensão universitária em Ecologia de Campo I. (Carga horária: 240h).
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Brasil.
2003 - 2003
Extensão universitária em Estágio Supervisionado de Capacitação Docente. (Carga horária: 45h).
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
2003 - 2003
Ecologia da Restauração. (Carga horária: 5h).
Sociedade de Ecologia do Brasil, SEB, Brasil.
2002 - 2002
Interações entre Insetos e Plantas. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
2001 - 2002
Extensão universitária em Estágio em Ecologia Vegetal. (Carga horária: 360h).
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
2001 - 2001
Evolução do Comportamento Social. (Carga horária: 6h).
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
2000 - 2000
Poluição dos Ecossistemas Aquáticos por compostos.. (Carga horária: 6h).
Universidade Santa Cecília, UNISANTA, Brasil.
2000 - 2000
Impactos Humanos Sobre Ecossistemas de Águas.... (Carga horária: 6h).
Universidade Santa Cecília, UNISANTA, Brasil.
2000 - 2000
Vegetação Brasileira. (Carga horária: 6h).
Sociedade Botânica de São Paulo, SBSP, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2014
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Integrante, Carga horária: 4


Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, INPA, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 40
Outras informações
XIX Curso de Campo "Ecologia da Floresta Amazônica - EFA 2010"


Universidade Federal de Goiás, UFG, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

08/2010 - Atual
Ensino, Ecologia e Analise Ambiental, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Métodos em Ecologia
03/2010 - Atual
Ensino, Ecologia e Analise Ambiental, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ecologia de Comunidades
03/2010 - Atual
Ensino, Ecologia e Analise Ambiental, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ecologia de Comunidades
09/2009 - Atual
Ensino, Ecologia e Evolução, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Diversidade funcional: conceitos e aplicações
05/2009 - Atual
Ensino, Biologia (Bacharelado), Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ecologia
05/2009 - Atual
Ensino, Biologia (Licenciatuta), Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ecologia
03/2009 - Atual
Ensino, Biologia (Bacharelado), Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ecologia do Cerrado
03/2009 - Atual
Ensino, Geografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ecologia do Cerrado
01/2009 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Biologia Geral.

07/2013 - 08/2016
Direção e administração, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Ecologia.

Cargo ou função
Coordenador PPG Ecologia e Evolução.
08/2009 - 12/2009
Ensino, Ecologia e Analise Ambiental, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Filosofia e Metodologia Cientifica

University of Sheffield, SHEFFIELD, Inglaterra.
Vínculo institucional

2007 - 2007
Vínculo: Visiting Scholar, Enquadramento Funcional: Pesquisador visitante, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Visitante no "The Biodiversity and Macroecology Group" (BIOME).

Atividades

01/2007 - 08/2007
Extensão universitária , Department of Animal and Plant Sciences, .

Atividade de extensão realizada
Pesquisador Visitante.

Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Vínculo institucional

2005 - 2009
Vínculo: pós-graduação, estagiário, Enquadramento Funcional: pós-graduando (nível doutorado), Carga horária: 0, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Desenvolvendo projeto de doutorado junto ao PPGERN-Ufscar, no Laboratóro de Ecologia Vegetal, Departamento de Botânica da Universidade Federal de São Carlos

Vínculo institucional

2003 - 2005
Vínculo: Pós-graduação, estagiário, mon, Enquadramento Funcional: pós-graduando (nível mestrado), Carga horária: 0, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Desenvolvendo projeto, nível mestrado, intitulado: "Ecologia de um cerrado hiperestacional no Paque Nacional das Emas (GO). Estagiário do Laboratório de Ecologia vegetal (DB-Ufscar) e monitor das disciplinas de Botânica Econômica e Ecologia Vegetal.

Vínculo institucional

2001 - 2002
Vínculo: Estágio, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 12
Outras informações
Estagiário do Laboratório de Análise e Planejamento Ambiental (Ufscar)

Atividades

3/2001 - 3/2002
Estágios , Departamento de Hidrobiologia, Departamento de Hidrobiologia.

Estágio realizado
Estágio no Laboratório de Análise e PLanejamento Ambiental.

Museo Nacional de Ciencias Naturales, CSIC-MNCN, Espanha.
Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Visitante, Carga horária: 40
Outras informações
Intercâmbio de Pesquisadores no Ambito de Projeto de Cooperação Internacional CAPES/Espanha. Coordenador espanhol: Dr. Joaquín Hortal.


University of Zurich, UZH, Suiça.
Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Visitante, Carga horária: 40
Outras informações
Projeto de Cooperação Internacional. Visitante do Laboratório do Dr. Owen Petchey.



Linhas de pesquisa


1.
Diversidade funcional: causas e consequências

Objetivo: Existe um grande debate sobre até que ponto a biodiversidade está relacionada com o funcionamento das comunidades e ecossistemas. Porém, nós estamos longe de chegar perto de um consenso. A abordagem funcional é uma forma promissora para elucidarmos hipóteses importantes na Ecologia. Assim, nosso objetivo principal é responder uma série de questões que envolvem as relações entre as características funcionais dos organismos (independentemente do grupo taxonômico) e funcionamento e a estrutura de comunidades. Exemplos de questões que iremos abordar são: 1. Qual o papel dos filtros ambientais na montagem de assembléias? 2. Como a diversidade funcional se distribui no tempo e no espaço? 3. Qual o papel da história evolutiva e do ambiente na determinação de diferentes níveis de diversidade funcional nas comunidades? 4. Qual o impacto da extinção de espécies para a diversidade funcional e filogenética das comunidades? Além disso, estamos interessados em desenvolver maneiras eficazes de quantificar a diversidade funcional. Por exemplo, devemos incluir a abundância das espécies? Como fazer isso? Devemos incluir também a variação intraespecífica dos traços funcionais nessas medidas?.
Palavras-chave: biodiversidade; diversidade funcional; diversidade taxonômica; ecologia de ecossistemas terrestres.


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Monitoramento da biodiversidade e de processos ecossistêmicos com o uso de Veículos Aéreos Não Tripulados em áreas de cerrado do parque nacional das emas e entorno
Descrição: PRONEM-FAPEG.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
INCT - Ecologia, Evolução e Conservação da Biodiversidade
Descrição: A diversidade biológica engloba diferentes níveis da organização, desde genes e espécies até ecossistemas e biomas, estando distribuída de forma heterogênea no espaço geográfico. Essa diversidade responde a diferentes componentes de variação ambiental de forma complexa, em diferentes escalas espaciais. Ao mesmo tempo, a biodiversidade possui um forte componente histórico, uma vez que os padrões emergem pela ação de processos atuando nos diferentes níveis de organização e escalas espaciais ao longo do processo evolutivo. Compreender esses padrões e processos requer, cada vez mais, a integração de pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento. Essa compreensão, por sua vez, é importante não só para entender melhor a origem e manutenção da biodiversidade, como também para manter processos ecossistêmicos que permitem a continuidade da espécie humana na Terra. A perda de biodiversidade em diferentes escalas é um processo intensificado pelas atividades humanas que têm gerado preocupação global. Sem dúvida, mudanças no uso da terra (especialmente perda de habitat), invasões biológicas e as mudanças climáticas de origem antrópica são atualmente os fatores de ameaça mais relevantes para a extinção de espécies e perda de serviços ecossistêmicos cruciais para a persistência da própria espécie humana. O Instituto Nacional de Ciência & Tecnologia (INCT) em Ecologia, Evolução e Conservação da Biodiversidade (EECBio) foi criado a partir da Chamada MCTI/CNPq/CAPES/FAPs 016/2014, com financiamento do CNPq e FAPEG (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás). O principal objetivo do EECBIO é criar, ampliar e formalizar redes de cooperação entre mais de 150 pesquisadores de diferentes instituições do Brasil e do exterior atuando em diferentes áreas do conhecimento sobre biodiversidade, facilitando assim o intercâmbio de ideias em termos de métodos, teorias e fornecendo subsídios para solução de problemas de conservação. Embora o tema geral do projeto seja consideravelmente amplo, a definição da equipe e as linhas de pesquisa reforçam claramente um foco em teoria e métodos, integrando questões ecológicas e evolutivas com o objetivo de avaliar de forma mais abrangente os efeitos de mudanças climáticas, invasões biológicas e mudanças no uso do solo. Não há um foco específico em organismos ou biomas, mas sim nas questões científicas e aplicadas envolvendo biodiversidade (embora projetos empíricos e experimentais sejam desenvolvidos principalmente na região do Cerrado). O EECBio apoiará o desenvolvimento de projetos integrados em 3 grandes eixos temáticos, com um forte componente teórico-metodológico e de inovação. Os projetos de pesquisa são explicitamente delineados combinando diferentes áreas de pesquisa a fim de avaliar padrões e processos ecológicos e evolutivos atuando em diferentes escalas espaciais, e como essa abordagem integrada pode contribuir para a conservação. I) PADRÕES DE DIVERSIDADE EM DIFERENTES NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO E ESCALAS DE TEMPO E ESPAÇO; II) ADAPTAÇÃO, EVOLUÇÃO DO NICHO ECOLÓGICO E MUDANÇAS CLIMÁTICAS; III) PLANEJAMENTO EM CONSERVAÇAO E USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE...
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
Fatores determinantes da diversidade, concordância e persistência interanual de comunidades animais e vegetais no Cerrado
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2016
Estrutura filogenética de assembleias de plantas do Cerrado
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (3) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Coordenador / Rosane G Colevatti - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2011 - 2014
PADRÕES MACROECOLÓGICOS E BIOGEOGRAFIA DA CONSERVAÇÃO DE PREDADORES DE TOPO BRASILEIROS: UMA ABORDAGEM FILOGENÉTICA E FUNCIONAL
Descrição: Este projeto faz parte da rede SISBIOTA (Projeto Temático ?Predadores de topo de cadeia alimentar?, sob coordenação do Prof. Dr. Pedro Galetti, UFSCar). O objetivo do projeto é compreender os padrões espaciais da riqueza, diversidade funcional e filogenética das aves de rapina (Falconiformes e Strigiformes) e mamíferos predadores de topo de cadeia (Carnivora) em todo o território nacional. Ainda, iremos relacionar esses padrões com o padrão de diversidade filogenética e funcional para os demais mamíferos e aves do país. Para isso, elaboraremos um banco de atributos ecológicos e de história de vida (massa corporal, dieta, método de forrageamento, esforço reprodutivo, habitat etc) para todas as aves e mamíferos brasileiros, com especial refinamento para aves de rapina e mamíferos da ordem Carnivora, ou seja, para os predadores de topo de cadeia. Ainda, iremos construir uma árvore filogenética para esses grupos, baseando-nos em filogenias disponíveis na literatura. O banco de dados será fundamental para que os demais objetivos desse projeto sejam atingidos e irá gerar dados que poderão ser utilizados pelos demais projetos da rede. Além disso, reuniremos informações ecológicas e evolutivas sobre todos os mamíferos e aves brasileiros e que poderão subsidiar diversos estudos futuros..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Especialização: (1) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Coordenador / Rafael D. Loyola - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2011 - 2014
Girinos de Anuros da Mata Atlântica, da Amazônia, do Pantanal, do Cerrado e de Zonas de Transição: Caracterização Morfológica, Distribuição Espacial e Padrões de Diversidade
Descrição: Os anfíbios constituem um grupo em declínio mundial e o Brasil é o detentor da maior riqueza total e de espécies endêmicas nos Neotrópicos. A dificuldade para identificação dos girinos é o principal obstáculo em inventários de anuros e para o desenvolvimento de programas de conservação e manejo, além de limitar o avanço necessário em pesquisas ecológicas experimentais. A presente proposta representa um grande passo para implantar um plano de conservação dos anfíbios brasileiros e para a compreensão dos efeitos das alterações ambientais na sua diversidade. A rede proposta integrará Instituições e pesquisadores de cinco Instituições (UNESP, UFMA, UFG, UFMS e UFAM), quatro situadas nas regiões brasileiras com maior deficiência de dados de biodiversidade e de formação de recursos humanos qualificados. Todos os pesquisadores integrantes da Rede têm experiência com anuros de um ou mais dos quatro biomas e ecossistemas associados: Mata Atlântica, Amazônia, Pantanal, Cerrado e Zonas de Transição do nordeste brasileiro - cujas competências, e linhas de pesquisa serão integradas de forma complementar nos projetos propostos, possibilitando uma abordagem com amplitude geográfica e escopo teórico em ecologia de girinos ainda inéditos no país. O objetivo geral é promover um expressivo avanço no conhecimento da diversidade e ecologia de girinos, bem como fundamentar estudos em sistemática de anuros brasileiros, por meio da construção de uma base de dados aberta, com amplitude e alcance também inéditos no país, agregando todo o conhecimento atual sobre morfologia e ecologia de girinos de quatro biomas diferentes. A capacidade preditiva de respostas às mudanças de uso e cobertura da terra será alcançada pela aplicação de modelos construídos a partir dos dados de efeitos das principais variáveis ambientais sobre a diversidade e uso de hábitat pelos anfíbios em áreas naturais e com diferentes tipos de uso, especialmente agrícola. Além disso, serão integrados os Programas de Pós-..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Integrante / Fausto Nomura - Integrante / Rogério Pereira Bastos - Integrante / Denise CR Feres - Coordenador.
2010 - 2013
Danos foliares em plantas do cerrado: relação com fator bióticos e abióticos em diferentes escalas
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2010 - Atual
Determinantes da diversidade funcional e filogenética no Cerrado
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2013
Componentes Ecológicos e Evolutivos da Diversidade Funcional de Mamíferos e Aves das Américas Componentes Ecológicos e Evolutivos da Diversidade Funcional de Mamíferos e Aves das Américas
Descrição: Uma questão ainda pouco compreendida é a respeito de quais fatores determinam a diversidade funcional das comunidades. Comunidades naturais são assembléias de espécies coocorrentes que interagem potencialmente umas com a outras. Elas resultam não só de processos ecológicos presentes, como a competição entre as espécies e os filtros ambientais, mas também de processos evolutivos passados e contínuos. Assim, se por um lado, a presença ou ausência de certas características funcionais em uma comunidade pode ser atribuída ao ambiente, e a amplitude dessas características relacionada à competição entre as espécies, por outro, em escalas geográficas maiores a história evolutiva das espécies deve influenciar a diversidade de características funcionais. No continente Americano, variáveis climáticas, especialmente aquelas ligadas à quantidade de energia disponível, água e produtividade, explicam a maior parte da variação na riqueza de espécies aves e mamíferos. Outra explicação possível para padrões de diversidade é a heterogeneidade de hábitats. Essa heterogeneidade pode ser uma das explicações para a alta biodiversidade nas regiões tropicais e, conseqüentemente, implica faunas que muitas vezes estão intimamente associadas com esses diferentes hábitats. Aves e mamíferos, por exemplo, podem ser divididos em grupos independentes, semidependentes, e dependentes em relação a hábitats florestais. Porém, existem diferenças funcionais e evolutivas entre esses grupos? Neste projeto, investigaremos os padrões espaciais da diversidade funcional de aves e mamíferos que ocorrem nas Américas, especialmente relacionando-os com variáveis bióticas e abióticas, e com o padrão evolutivo das assembléias de espécies. Além disso, testaremos se o padrão evolutivo e a diversidade funcional são diferentes do esperado ao acaso em grupos de espécies que diferem no grau de dependências a hábitas florestais. Essa abordagem nos permitirá aumentar a compreensão geral dos padrões de biodiversidade e regra.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Coordenador / José Alexandre Felizola Diniz Filho - Integrante.
2009 - 2011
?Diversidade funcional e funcionamento de comunidades: teste em uma comunidade de cerrado?
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Integrante / Batalha, MA. - Coordenador.
2009 - 2011
A inclusão da abundância na diversidade funcional aumenta o seu poder de previsão?: teste em uma comunidade de cerrado
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Integrante / Batalha, M. A. - Coordenador.
2009 - 2011
Diversidades funcional e filogenética em função do fogo, invasão por espécies exóticas e variáveis edafo-topográficas em áreas de cerrado no Parque Nacional das Emas (GO)
Descrição: A diversidade biológica pode influenciar a estrutura e o funcionamento das comunidades de muitas maneiras, como, por exemplo, alterando a complementaridade no uso de recursos pelas espécies. Porém, as medidas tradicionais de diversidade têm sido consideradas estimativas muito grosseiras da estrutura e do funcionamento da comunidade. Medidas que incorporem informações sobre as relações filogenéticas das espécies ou das suas características funcionais devem ser melhores do que essas medidas tradicionais. Devido à sua alta riqueza, alto grau de endemismo e baixo estado de preservação, o cerrado é considerado um pontos quentes no mundo para a conservação da biodiversidade. Estudaremos uma importante reserva de cerrado, localizada no Brasil central, em que lançaremos 100 unidades amostrais. Esperamos chegar a um modelo para prever as diversidades funcional e filogenética em cerrado, com base em perturbações como o fogo e o grau de invasão por gramíneas exóticas e em variáveis edafo-topográficas. Pretendemos, assim, identificar até que ponto as diversidades funcional e filogenética respondem às perturbações e até que ponto são determinadas pelo solo e relevo, procurando fazer previsões para as propriedades da comunidade com propósitos de manejo. Com este projeto, pretendemos também fornecer avanços na aplicabilidade das diversidades funcional e filogenética para prever mudanças vegetacionais ? notadamente, do componente arbustivo-arbóreo ? em sítios de cerrado sujeitos a diferentes regimes de fogo e graus de invasão. Este projeto contará com a participação de dois pesquisadores que estão no final dos seus doutorados, desenvolvendo suas teses sobre as diversidades funcional e filogenética. Também contará com a participação de dois mestrandos, que desenvolverão suas dissertações dentro desses assuntos. Já mantemos uma parceria com os Drs. Owen Petchey e Kevin Gaston, da Universidade de Sheffield, Inglaterra, e pretendemos continuá-la durante o desenvolvimento deste projeto..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Integrante / Batalha, M. A. - Coordenador / Silva, I. A. - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro.
2009 - 2011
Herbivoria foliar por insetos no cerrado: relação com riqueza, densidade e atributos das plantas, fogo e características do solo
Descrição: Identificar os mecanismos que determinam os padrões de diversidade nas comunidades naturais é um dos grandes desafios na ecologia. Uma maneira de atingirmos esse objetivo consiste em investigar simultaneamente as interações entre os organismos e as relações destes com o meio em que vivem. A interação entre os herbívoros e as plantas selecionou diversas estratégias de defesa contra a herbivoria. Portanto, os danos causados pelos herbívoros às plantas ? por exemplo, a área foliar consumida ou danificada ? podem ser controlados por ?efeitos de baixo para cima?, como, por exemplo, a densidade, qualidade e distribuição dos recursos vegetais disponíveis, além de fatores ambientais como características físico-químicas do solo e perturbações. Apesar da existência de muitos estudos relacionando a diversidade de plantas com a diversidade de insetos herbívoros, ainda sabemos muito pouco a respeito da relação entre a diversidade de plantas e os danos causados por esses insetos (por exemplo, área foliar perdida ou danificada), tanto no nível da comunidade como no nível dos indivíduos. Neste projeto chegaremos a modelos que prevejam a intensidade de herbivoria com base em propriedades das comunidades de plantas, atributos funcionais das plantas, frequência de fogo e variáveis edáficas. Pretendemos, assim, identificar até que ponto a pressão causada pelos herbívoros responde à riqueza e densidade de plantas e às suas características, e até que ponto são determinadas pelo solo, pela frequência de fogo. Testaremos as hipóteses da concentração de recursos, do vigor e do estresse da planta, respondendo às seguintes questões: (1) qual é a percentagem de área foliar danificada por insetos herbívoros nos cerrados do Parque Nacional das Emas?, (2) quais espécies de plantas apresentam maior dano foliar em média?, (3) qual a relação entre dano por herbivoria foliar e descritores da comunidade de plantas como riqueza de espécies e densidade de indivíduos?, (4) quanto da variação do dano por.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2009 - Atual
Fatores determinantes da diversidade, concordância e persistência interanual de comunidades animais e vegetais no Cerrado
Descrição: Projeto aprovado no Edital CNPq PELD 2009-2012 (sitio 13 - Parque Nacional das Emas).
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Especialização: (2) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Integrante / Luis Maurício Bini - Integrante / Rafael D. Loyola - Integrante / Daniel Brito - Integrante / Thiago Rangel - Integrante / Diniz-Filho, José Alexandre F. - Integrante / Adriano S Melo - Coordenador / Fausto Nomura - Integrante / Rogério Pereira Bastos - Integrante / Paulo De Marco - Integrante.
2009 - Atual
Fatores determinantes da diversidade funcional em diferentes escalas e implicações para a conservação
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2009 - Atual
Implicações do uso de diferentes métricas de diversidade no planejamento sistemático de conservação
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2005 - 2009
Diversidade funcional do componente arbustivo-arbóreo em áreas de cerrado no Parque Nacional das Emas (GO) com diferentes regimes de fogo
Descrição: Recentemente, alguns autores têm sugerido que o funcionamento das comunidades é dependente não do número de espécies por si só, mas dos caracteres funcionais das espécies presentes. Comunidades com uma maior diversidade de caracteres funcionais, isto é, com uma maior diversidade funcional, devem operar de modo mais eficiente. Assim, a diversidade funcional de uma comunidade seria a medida de biodiversidade ecologicamente mais relevante. A diversidade funcional pode ser estimada por meio de caracteres simples que são indicativos de características funcionais da comunidade. Podemos calcular a diversidade funcional (DF) diretamente dos caracteres das espécies de modo similar a um método pelo qual a diversidade taxonômica é quantificada. Como uma quantificação da diversidade funcional, a DF mede a extensão da complementaridade entre os valores de características das espécies. Diferenças maiores entre os valores das características das espécies representam maior complementaridade e, portanto, maior DF. A DF é uma combinação da diversidade definida pela riqueza de espécies, número de grupos funcionais, composição específica e identidade das espécies. O cerrado brasileiro pode ser definido como um complexo de fisionomias que vão do campo limpo ao cerradão, passando por fisionomias savânicas (campo sujo, campo cerrado e cerrado sensu stricto), que representam ecótonos entre as duas fisionomias extremas. O fogo é um importante processo ecológico que afeta dramaticamente a estrutura, composição e a ciclagem de nutrientes nas comunidades de cerrado. O objetivo deste projeto é estudar a ecologia de áreas de campo cerrado com diferentes históricos de fogo no Parque Nacional das Emas (GO), comparando-as no que diz respeito a diversidade funcional. Com isso, pretendemos procurar correlações com características da comunidade e do ambiente, testar hipóteses sobre o efeito do fogo na diversidade funcional e fazer previsões para as propriedades da comunidade com propósitos de manejo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Integrante / Marco Antônio Batalha - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 3
2005 - 2007
Estratégias ecológicas em espécies vegetais de uma área de cerrado sensu stricto na Estação Experimental de Itirapina (Itirapina, SP)
Descrição: Tipos funcionais vegetais (TFVs) são grupos não-filogenéticos de espécies que exibem similaridades em seus usos de recursos e respostas a fatores ambientais e bióticos. Usaremos um método para agrupar as espécies em TFVs usando características funcionais consideradas vitais para a sobrevivência, regeneração e dispersão em uma comunidade de cerrado: forma de vida, altura potencial, sistema de polinização e modo de dispersão. Embora o cerrado seja um dos tipos vegetacionais mais estudados no Brasil, as respostas produzidas por esses estudos, muitas vezes, são incipientes e inconclusivas. Se pretendemos entender as forças seletivas que moldam a ecologia das plantas de cerrado e a descrever os princípios gerais da relação entre essas espécies e os fatores ecológicos que atuam sobre esse tipo vegetacional, sem a necessidade de detalhamento taxonômico, precisamos distinguir as estratégias ecológicas dessas plantas, a fim de que possamos comparar não só as comunidades de cerrado entre si, mas também elas com outros tipos vegetacionais em escala mundial. O objetivo deste trabalho será distinguir estratégias ecológicas em espécies vegetais, testando se há grupos entre as espécies vegetais de cerrado que diferem quanto à forma de vida, à altura, ao sistema de polinização e à síndrome de dispersão, características importantes no que se refere à carga de informações trazidas sobre as espécies vegetais. (FAPESP: processo 05/52216-0).
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (2) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Integrante / Igor Aurélio da Silva - Integrante / Marco Antônio Batalha - Coordenador.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro.
2005 - 2007
Diversidade funcional do componente arbustivo-arbóreo em duas fisionomias de cerrado em São Carlos (SP)
Descrição: Recentemente, alguns autores têm sugerido que o funcionamento das comunidades é dependente não do número de espécies por si só, mas dos caracteres funcionais das espécies presentes. Assim, a chamada ?diversidade funcional? seria uma medida mais eficiente de biodiversidade. Nosso objetivo foi comparar a diversidade funcional do componente arbustivo-arbóreo em duas fisionomias do cerrado (campo cerrado e cerrado sensu stricto) localizadas em São Carlos (SP). Lançamos 20 linhas em cada área, em que amostramos pelo método de ponto-quadrante as plantas lenhosas com diâmetro do caule no nível do solo igual ou maior a 3 cm. Usamos as espécies mais abundantes, aquelas com ao menos 10 indivíduos, para o cálculo da DF. Os valores de DF para as duas fisionomias não diferiram significativamente, mas todas as características funcionais, exceto o perímetro, apresentaram diferenças significativas. Assim, embora diferentes estruturalmente, a extensão da complementaridade no uso dos recursos se manteve constante nas duas fisionomias, indicando que, ao menos a curto prazo, o componente arbustivo-arbóreo do campo cerrado, mais perturbado do que o cerrado sensu stricto, apresentou resistência e resiliência frente às perturbações sofridas. FAPESP (06/50508-7).
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Integrante / Marco Antônio Batalha - Coordenador / Máira Maia - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.
2004 - 2005
Produção de serapilheira e decomposição foliar ao longo do ano em um fragmento de cerrado em São Carlos (SP)
Descrição: Investigamos a produção de serapilheira em uma área disjunta de cerrado sensu stricto e comparamos a taxa de decomposição foliar com aquela estudada em um cerradão. Coletamos mensalmente a serapilheira do componente arbustivo-arbóreo de abril de 2001 a março de 2002 e de julho de 2003 a julho de 2004. Dispusemos 13 coletores (0.5 m x 0.5 m) sistematicamente em uma linha, com distância de 10 m entre eles. Separamos a serapilheira nas frações ?folhas?, ?galhos?, ?estruturas reprodutivas? e ?miscelânea?, secamos em estufa a 80ºC até atingir massa constante e pesamos o material seco. Dispusemos sete conjuntos de nove sacos de decomposição em uma linha, distantes 10 m um do outro, sobre a superfície do solo da área de estudo e retiramos nove sacos a cada coleta depois de 1, 2, 3, 4, 6, 9 e 12 meses. As produções totais e de folhas apresentaram um padrão estacional relacionado a umidade relativa do ar, precipitação mensal média e temperaturas médias máxima e média mensais. A fração foliar apresentou a melhor relação com os fatores climáticos. A queda de folhas foi um atributo fenológico que respondeu à estacionalidade e à seca. A decomposição foi mais lenta no cerrado sensu stricto do que no cerradão, o que refletiu suas diferenças estruturais e ambientais. As taxas de decomposição devem aumentar das fisionomias de cerrado abertas para as fechadas, provavelmente devido ao aumento da umidade e dos nutrientes do solo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Integrante / Marco Antônio Batalha - Coordenador / Mayla Willik Valenti - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 2
2003 - 2005
Ecologia de um cerrado hiperestacional no Parque Nacional das Emas (GO)
Descrição: O Parque Nacional das Emas representa uma das principais reservas de Cerrado no Brasil e é considerado uma das maiores e mais bem preservadas, sendo, pois, uma das áreas criticamente prioritárias para a conservação desse domínio. Savanas são formações vegetais em que o componente herbáceo-subarbustivo é quase contínuo, interrompido apenas por arbustos e árvores em densidades variáveis, e em que os principais padrões de crescimento estão fortemente associados às estações úmida e seca alternantes. As savanas, de acordo com sua estacionalidade, podem ser divididas em: a) savanas semi-estacionais, sob clima na maior parte do tempo úmido, com uma ou duas pequenas estações secas; b) savanas estacionais, em que uma estação sem chuvas maior faz com que o fogo e a seca definam a ritmicidade do seu funcionamento; c) savanas hiperestacionais, em que há alternância de dois estresses contrastantes durante o ciclo anual, um induzido pela seca e fogo e outro induzido pela saturação do solo.; e d) esteros, em que o período de excedente hídrico persiste pela maior parte do ano. O objetivo deste projeto é comparar três tipos vegetacionais no Parque Nacional das Emas, cerrado hiperestacional, cerrado estacional e campo úmido, no que diz respeito à composição florística, riqueza, diversidade, densidade, área basal, volume cilíndrico, padrões fenológicos e proporção de espécies anuais. Até o momento, não há nenhum estudo em alguma das raras áreas de cerrado hiperestacional existentes. Portanto, uma área de cerrado hiperestacional, como a que pretendemos analisar, fornece uma situação propícia para o estudo dos fatores que determinam a ecologia da comunidade vegetal no cerrado, especialmente se comparado com outras áreas de cerrado estacional, sem o período de alagamento no final da estação úmida, e de campo úmido, em que a saturação do solo persiste pela maior parte do ano. (FAPESP 02/02873-7).
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (3) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Integrante / Igor Aurélio da Silva - Integrante / Marco Antônio Batalha - Coordenador / Priscila K Amorim - Integrante.Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 12
2001 - 2002
Produção de serapilheira e decomposição do material foliar em um fragmento florestal na Estação Experimental de Luiz Antônio (EELA) e Estação Ecológica do Jataí (EEJ), Luiz Antônio-SP.
Descrição: Projeto iniciação científica.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Marcus Vinicius Cianciaruso - Integrante / José Salatiel Rodrigues Pires - Coordenador / Wellington Braz Carvalho Delitti - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 3


Membro de corpo editorial


2017 - Atual
Periódico: Perspectives in Ecology and Conservation
2015 - 2017
Periódico: Natureza & Conservação
2015 - Atual
Periódico: Brazilian Journal of Botany
2011 - Atual
Periódico: Frontiers of Biogeography
2009 - 2011
Periódico: Revista de Biologia Neotropical


Revisor de periódico


2007 - 2007
Periódico: Megadiversidade (Belo Horizonte)
2009 - Atual
Periódico: Allelopathy Journal
2009 - Atual
Periódico: Acta Botanica Brasilica
2009 - Atual
Periódico: Plant Ecology (Dordrecht)
2009 - Atual
Periódico: Global Ecology and Biogeography
2009 - Atual
Periódico: Oikos (Copenhagen)
2009 - Atual
Periódico: Revista de Biologia Neotropical
2009 - Atual
Periódico: Biota Neotropica (Edição em Português. Online)
2010 - Atual
Periódico: Biotropica (Lawrence, KS)
2010 - Atual
Periódico: Oecologia Australis
2010 - Atual
Periódico: Bioikos
2010 - Atual
Periódico: Hydrobiologia (The Hague. Print)
2010 - Atual
Periódico: Journal of Arid Environments
2010 - Atual
Periódico: Diversity and Distributions
2011 - Atual
Periódico: Check List (São Paulo. Online)
2011 - Atual
Periódico: Rodriguesia
2012 - Atual
Periódico: Plant Ecology & Diversity
2011 - Atual
Periódico: Ecography (Copenhagen)
2012 - Atual
Periódico: Journal of Vegetation Science
2012 - Atual
Periódico: Ibis (London. 1859)
2012 - Atual
Periódico: Biodiversity and conservation (Dordrecht. Online)
2012 - Atual
Periódico: Journal of Ecology (Print)
2012 - Atual
Periódico: Biological Conservation
2012 - Atual
Periódico: Plos One
2012 - Atual
Periódico: Revista Brasileira de Biociências (Impresso)
2013 - Atual
Periódico: Ecology (Brooklyn, New York, N.Y.)
2013 - Atual
Periódico: Ecology and Evolution
2013 - Atual
Periódico: Journal of Animal Ecology
2013 - Atual
Periódico: Perspectives in Plant Ecology, Evolution and Systematics (Print)
2013 - Atual
Periódico: Journal of Plant Ecology
2013 - Atual
Periódico: Journal of Biogeography
2015 - Atual
Periódico: International Journal of Wildland Fire
2015 - Atual
Periódico: Conservation Biology


Revisor de projeto de fomento


2013 - Atual
Agência de fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
2013 - Atual
Agência de fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de Ecossistemas/Especialidade: Ecologia de Comunidades.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia Funcional.
3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia Vegetal.
4.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de Ecossistemas/Especialidade: Biodiversidade.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2016
Paraninfo - Bacharelado Ecologia e Análise Ambiental, UFG.
2014
I Prêmio de Popularização da Ciência 2014 -SBPC/GO, SBPC/GO.
2011
IX Premio de Iniciação Científica da UFG (orientador), Universidade Federal de Goiás.
2010
VIII Prêmio UFG de Iniciação Científica (orientador), Universidade Federal de Goiás.
2009
PhD em Ecologia com louvor e distinção, Programa de Pós-graduação em Ecologia e Recursos Naturais - UFSCar.
2005
Melhor trabalho apresentado na XIII JORNADAS DE JÓVENES INVESTIGADORES DE AUGM (Tucumán, Argentina) na área temática Meio ambiente-Biodiversidade, Asociacíon de Universidades Grupo Montevideo (AUGM).


Produções



Produção bibliográfica
Citações

Web of Science
Total de trabalhos:57
Total de citações:878
Fator H:15
Cianciaruso, Marcus V  Data: 30/09/2018

SCOPUS
Total de trabalhos:61
Total de citações:973

Artigos completos publicados em periódicos

1.
LI, YUANZHI2018LI, YUANZHI SHIPLEY, BILL PRICE, JODI N. DE L. DANTAS, VINÍCIUS TAMME, RIIN WESTOBY, MARK SIEFERT, ANDREW SCHAMP, BRANDON S. SPASOJEVIC, MARKO J. JUNG, VINCENT LAUGHLIN, DANIEL C. RICHARDSON, SARAH J. LE BAGOUSSE-PINGUET, YOANN SCHÖB, CHRISTIAN GAZOL, ANTONIO PRENTICE, HONOR C. GROSS, NICOLAS OVERTON, JAKE Cianciaruso, Marcus V. LOUAULT, FRÉDÉRIQUE KAMIYAMA, CHIHO NAKASHIZUKA, TOHRU HIKOSAKA, KOUKI SASAKI, TAKEHIRO KATABUCHI, MASATOSHI , et al.FRENETTE DUSSAULT, CÉDRIC GAUCHERAND, STEPHANIE CHEN, NING VANDEWALLE, MARIE BATALHA, Marco Antônio ; Habitat filtering determines the functional niche occupancy of plant communities worldwide. JOURNAL OF ECOLOGY, v. 106, p. 1001-1009, 2018.

2.
Villalobos, F.2017Villalobos, F. ; OLALLA-TARRAGA, M. ; Cianciaruso, MV. ; Rangel, Thiago Fernando ; Diniz-Filho, J. A. F. . Global patterns of mammalian co-occurrence: phylogenetic and body size structure within species ranges. Journal of Biogeography (Print), v. 44, p. 136-146, 2017.

3.
PEIXOTO, FRANCIELE P.2017PEIXOTO, FRANCIELE P. ; Villalobos, F. ; Melo AS ; Diniz-Filho, J. A. F. ; LOYOLA, RAFAEL ; Rangel, Thiago Fernando ; CIANCIARUSO, M . Geographical patterns of phylogenetic beta-diversity components in terrestrial mammals. GLOBAL ECOLOGY AND BIOGEOGRAPHY, p. 573-583, 2017.

4.
PEIXOTO, F. P.2017PEIXOTO, F. P. ; Villalobos, F. ; CIANCIARUSO, M . Phylogenetic conservatism of climatic niche in bats. GLOBAL ECOLOGY AND BIOGEOGRAPHY, v. 26, p. 1055-1065, 2017.

5.
CASSIA-SILVA, C.2017CASSIA-SILVA, C. ; CIANCIARUSO, M ; Maracahipes, L ; COLLEVATTI, ROSANE G. . When the same is not the same: phenotypic variation reveals different plant ecological strategies within species occurring in distinct Neotropical savanna habitats. PLANT ECOLOGY, v. 218, p. 1221-1231, 2017.

6.
Cianciaruso, Marcus V.2017Cianciaruso, Marcus V.; SOBRAL, FERNANDO ; LEES, ALEXANDER . On dendrograms, ordinations and functional spaces: methodological choices or pitfalls?. FRONTIERS OF BIOGEOGRAPHY, v. 9, p. 1, 2017.

7.
Laureto, LMO2017Laureto, LMO ; Cianciaruso, Marcus Vinicius . Palm economic and traditional uses, evolutionary history and the IUCN Red List. BIODIVERSITY AND CONSERVATION, p. 1587-1600, 2017.

8.
Sobral, Fernando Landa2016 Sobral, Fernando Landa ; Cianciaruso, MV. . Functional and phylogenetic structure of forest and savanna bird assemblages across spatial scales. Ecography (Copenhagen), v. 39, p. 533-541, 2016.

9.
SAITO, V. S.2016SAITO, V. S. ; CIANCIARUSO, M. V. ; Siqueira, Tadeu ; GESSNER, A. A. F. ; PAVOINE, S. . Phylogenies and traits provide distinct insights about the historical and contemporary assembly of aquatic insect communities. Ecology and Evolution, v. 6, p. 2925-2937, 2016.

10.
SOUZA-NETO, ADVALDO C.2016SOUZA-NETO, ADVALDO C. ; Cianciaruso, Marcus V. ; COLLEVATTI, ROSANE G. . Habitat shifts shaping the diversity of a biodiversity hotspot through time: insights from the phylogenetic structure of Caesalpinioideae in the Brazilian Cerrado. Journal of Biogeography (Print), v. 43, p. 340-350, 2016.

11.
DUNCK, B.2016DUNCK, B. ; ALGARTE, V. M. ; Cianciaruso, MV. ; RODRIGUES, L. . Functional diversity and trait-environment relationships of periphytic algae in subtropical floodplain lakes. Ecological Indicators, v. 67, p. 257-266, 2016.

12.
Sobral, Fernando Landa2016 Sobral, Fernando Landa ; LEES, A. ; CIANCIARUSO, M . Introductions do not compensate for functional and phylogenetic losses following extinctions in insular bird assemblages. Ecology Letters (Print), v. 19, p. 1091-1100, 2016.

13.
SANTOS, ANA M. C.2016SANTOS, ANA M. C. ; Cianciaruso, Marcus V. ; DE MARCO, PAULO . Global patterns of functional diversity and assemblage structure of island parasitoid faunas. Global Ecology and Biogeography (Print), v. 25, p. 869-879, 2016.

14.
SANTOS, A. M. C.2015SANTOS, A. M. C. ; CARNEIRO, F. ; Cianciaruso, MV. . Predicting productivity in tropical reservoirs: The roles of phytoplankton taxonomic and functional diversity. Ecological Indicators, v. 48, p. 428-435, 2015.

15.
TERESA, F.2015TERESA, F. ; CASATTI, L. ; Cianciaruso, MV. . Functional differentiation between fish assemblages from forested and deforested streams. Neotropical Ichthyology (Online), v. 13, p. 361-370, 2015.

16.
GARCIA, L. C.2015GARCIA, L. C. ; Cianciaruso, Marcus V. ; MAES, F. S. ; RODRIGUES, R. R. . Flower functional trait responses to restoration time. Applied Vegetation Science, p. n/a-n/a, 2015.

17.
Laureto, LMO2015Laureto, LMO ; Cianciaruso, MV. . Trait distribution patterns in savanna and forest plant assemblages and their relationship with soil features. Plant Ecology (Dordrecht), v. 216, p. 629-639, 2015.

18.
HIDASI-NETO, JOSÉ2015HIDASI-NETO, JOSÉ ; LOYOLA, RAFAEL ; Cianciaruso, Marcus V. . Global and local evolutionary and ecological distinctiveness of terrestrial mammals: identifying priorities across scales. Diversity and Distributions (Print), p. n/a-n/a, 2015.

19.
SIEFERT, A.2015SIEFERT, A. VIOLLE, C. CHALMANDRIER, L. ALBERT, C. TAUDIERE, A. FARJADO, A. AARSSEN, L. BARALOTO, C. CARLUCCI, M. Cianciaruso, MV. Dantas, V. DE BELLO, F. Duarte, L. FONSECA, C. R. FRESCHET, G. GAUCHERAND, S. GROSS, N. HIROSAKA, K. JACKSON, B. JUNG, V. KAMIYAMA, C. KATABUSHI, M. KEMBEL, S. KICHENIN, E. KRAFT, N. , et al.OUTROS, E. ; A global meta-analysis of the relative extent of intraspecific trait variation in plant communities. Ecology Letters (Print), v. 18, p. 1406-1419, 2015.

20.
CARLUCCI, M.2015CARLUCCI, M. ; HIDASI-NETO, JOSÉ ; BRUM, F. T. ; CIANCIARUSO, M. V. . Placing phylogenetic diversity back on the evolutionary track. Frontiers of Biogeography, v. 7, p. 83-85, 2015.

21.
Laureto, LMO2015Laureto, LMO ; SAMIA, D. ; Cianciaruso, Marcus V. . Functional diversity: an overview of its history and applicability. Natureza & Conservação, p. 112-116, 2015.

22.
MAZEL, F.2014MAZEL, F. ; GUILHAUMON, F. ; MOUQUET, N. ; DEVICTOR, V. ; GRAVEL, D. ; RENAUD, J. ; Cianciaruso, MV. ; LOYOLA, R. D. ; Diniz-Filho, J. A. F. ; MOUILLOT, D. ; THUILLER, W. . Multifaceted diversity-area relationships reveal global hotspots of mammalian species, trait and lineage diversity. Global Ecology and Biogeography (Print), v. 23, p. 836-847, 2014.

23.
Carvalho, Gustavo Henrique2014Carvalho, Gustavo Henrique ; BATALHA, Marco Antônio ; CIANCIARUSO, M ; Silva, I. A. ; Petchey, O. L. . Are fire, soil fertility and toxicity, water availability, plant functional diversity, and litter decomposition related in a Neotropical savanna?. Oecologia, p. 923-935, 2014.

24.
MELO, A. S.2014MELO, A. S. ; ALMEIDA NETO, M. ; Cianciaruso, Marcus V. . treeNODF: nestedness to phylogenetic, functional and other tree-based diversity metrics. Methods in Ecology and Evolution, v. 5, p. 563-572, 2014.

25.
ZAVA, P.2014ZAVA, P. ; Cianciaruso, MV. . Can we use plant traits and soil characteristics to predict leaf damage in savanna woody species?. Plant Ecology (Dordrecht), v. 215, p. 625-637, 2014.

26.
PEIXOTO, FRANCIELE P.2014PEIXOTO, FRANCIELE P. ; BRAGA, PEDRO HENRIQUE P. ; Cianciaruso, Marcus Vinicius ; Diniz-Filho, José Alexandre F. ; BRITO, DANIEL . Global patterns of phylogenetic beta diversity components in bats. Journal of Biogeography (Print), v. 41, p. 762-772, 2014.

27.
MORAIS, J. M.2014MORAIS, J. M. ; CIANCIARUSO, M . Plant functional groups: scientometric analysis focused on removal experimentsPlant functional groups: scientometric analysis focused on removal experiments. Acta Botanica Brasílica (Impresso), v. 28, p. 502-511, 2014.

28.
SANTOS, C. M.2014SANTOS, C. M. ; Cianciaruso, MV. ; SGARBI, L. S. ; FERRO, V. G. . Richness and composition of tiger moths (Erebidae: Arctiinae) in a Neotropical savanna: are heterogeneous habitats richer in species?. Natureza & Conservação, v. 12, p. 138-143, 2014.

29.
SOBRAL, F.L.2014SOBRAL, F.L. ; JARDIM, L. ; LEMES, P. ; MACHADO, N. ; Loyola, Rafael Dias ; Cianciaruso, MV. . Spatial conservation priorities for top predators reveal mismatches among taxonomic, phylogenetic and functional diversity. Natureza & Conservação, v. 12, p. 150-155, 2014.

30.
Dantas, V.2013Dantas, V. ; Pausas, J. ; Batalha, MA. ; Loiola, P. P. ; CIANCIARUSO, M . The role of fire in structuring trait variability in Neotropical savannas. Oecologia, v. 171, p. 487-494, 2013.

31.
SILVA, D. M.2013SILVA, D. M. ; BATALHA, Marco Antônio ; Cianciaruso, MV. . Influence of fire history and soil properties on plant species richness and functional diversity in a Neotropical savanna. Acta Botanica Brasílica (Impresso), v. 27, p. 490-497, 2013.

32.
CIANCIARUSO, M2013CIANCIARUSO, M; BATALHA, Marco Antônio ; Petchey, O.L. . High Loss of Plant Phylogenetic and Functional Diversity Due to Simulated Extinctions of Pollinators and Seed Dispersers in a Tropical Savanna. Natureza & Conservação, v. 11, p. 36-42, 2013.

33.
Cianciaruso, Marcus V.2013Cianciaruso, Marcus V.; Silva, Igor A. ; MANICA, L. T. ; SOUZA, J. P. . Leaf habit does not predict leaf functional traits in cerrado woody species. Basic and Applied Ecology (Print), v. 14, p. 404-412, 2013.

34.
Hidasi, J2013Hidasi, J ; LOYOLA, R. D. ; Cianciaruso, MV. . Conservation Actions Based on Red Lists Do Not Capture the Functional and Phylogenetic Diversity of Birds in Brazil. Plos One, v. 8, p. e73431, 2013.

35.
VIEIRA, M. C.2013VIEIRA, M. C. ; Cianciaruso, MV. ; ALMEIDA NETO, M. . Plant-Pollinator Coextinctions and the Loss of Plant Functional and Phylogenetic Diversity. Plos One, v. 8, p. e81242, 2013.

36.
Freitas, J2012Freitas, J ; Cianciaruso, MV. ; Batalha, MA. . Functional diversity, soil features and community functioning: a test in a cerrado site. Brazilian Journal of Biology (Impresso), v. 72, p. 463-470, 2012.

37.
CIANCIARUSO, M2012 CIANCIARUSO, M; Silva, Igor A. ; Batalha, Marco A. ; Gaston, Kevin J. ; Petchey, Owen L. . The influence of fire on phylogenetic and functional structure of woody savannas: Moving from species to individuals. Perspectives in Plant Ecology, Evolution and Systematics (Print), v. 14, p. 205-216, 2012.

38.
Hidasi, J2012Hidasi, J ; Barlow, J ; CIANCIARUSO, M . Bird functional diversity and wildfires in the Amazon: the role of forest structure. Animal Conservation (Print), v. 15, p. 407-415, 2012.

39.
Trindade-Filho, Joaquim2012Trindade-Filho, Joaquim ; SOBRAL, F.L. ; CIANCIARUSO, M ; LOYOLA, R. D. . Using indicator groups to represent bird phylogenetic and functional diversity. Biological Conservation, v. 145, p. 00-00, 2012.

40.
SOBRAL, F.L.2012SOBRAL, F.L. ; CIANCIARUSO, M . Estrutura filogenética e funcional de assembleias: (re)montando a Ecologia de Comunidades em diferentes escalas espaciais. Bioscience Journal (UFU. Impresso), v. 28, p. 617-631, 2012.

41.
PROVETE, D. B.2012PROVETE, D. B. ; Villalobos, F. ; CIANCIARUSO, M . Shadows of the past: paleo-reconstructions, phylogenies, and macroecological hypotheses. Frontiers of Biogeography, v. 4, p. 54-55, 2012.

42.
Maracahipes, L2012Maracahipes, L ; CIANCIARUSO, M ; Lenza, E. ; Pinto, JRR ; Marimon, B. ; Santos, TRR . Tibouchina papyrus (Pohl) Toledo, 1952 (Plantae, Melastomataceae): Distribution extension to the northern part of Brazilian Cerrado.. Check List (São Paulo. Online), v. 8, p. 765-767, 2012.

43.
Safi, K.2011 Safi, K. ; CIANCIARUSO, M. V. ; LOYOLA, R. D. ; Brito, D. ; ARMOUR-MARSHALL, K. ; Diniz-Filho, J. A. F. . Understanding global patterns of mammalian functional and phylogenetic diversity. Philosophical Transactions - Royal Society. Biological Sciences (Print), v. 366, p. 2536-2544, 2011.

44.
Diniz-Filho, José Alexandre F.2011Diniz-Filho, José Alexandre F. ; Cianciaruso, Marcus Vinicius ; Rangel, Thiago Fernando ; Bini, Luis Mauricio . Eigenvector estimation of phylogenetic and functional diversity. Functional Ecology (Print), v. 25, p. 735-744, 2011.

45.
BATALHA, Marco Antônio2011BATALHA, Marco Antônio ; Silva, Igor Aurélio ; Cianciaruso, Marcus Vinicius ; de Carvalho, Gustavo Henrique . Trait diversity on the phylogeny of cerrado woody species. Oikos (Kobenhavn), v. 120, p. 1741-1751, 2011.

46.
BATALHA, Marco Antônio2011BATALHA, Marco Antônio ; Silva, Igor Aurélio ; Cianciaruso, Marcus Vinicius ; França, Helena ; de Carvalho, Gustavo Henrique . Phylogeny, traits, environment, and space in cerrado plant communities at Emas National Park (Brazil). Flora (Jena), v. 206, p. 949-956, 2011.

47.
CIANCIARUSO, M2011CIANCIARUSO, M. Beyond taxonomical space: large scale ecology meets functional and phylogenetic diversity. Frontiers of Biogeography, v. 3, p. 87-90, 2011.

48.
Silva, DM2011Silva, DM ; Loiola, P. P. ; Rosatti, NB ; Silva, I. A. ; CIANCIARUSO, M ; Batalha, MA. . Os efeitos do regime de fogo sob a vegetação de cerrado no Parque Nacional das Emas, GO: considerações para a conservação da biodiversidade. Biodiversidade Brasileira, v. 1, p. 26-39, 2011.

49.
Carvalho, Gustavo Henrique2010Carvalho, Gustavo Henrique ; Cianciaruso, Marcus Vinicius ; BATALHA, Marco Antônio . Plantminer: A web tool for checking and gathering plant species taxonomic information. Environmental Modelling & Software, v. 25, p. 815-816, 2010.

50.
Loiola, P. P.2010Loiola, P. P. ; CIANCIARUSO, M. V. ; Silva, I. A. ; Batalha, MA. . Functional diversity of herbaceous species under different fire frequencies in Brazilian savannas. Flora (Jena), v. 205, p. 674-681, 2010.

51.
Cianciaruso, Marcus Vinicius2010Cianciaruso, Marcus Vinicius; Aurélio da Silva, Igor ; BATALHA, Marco Antônio . Aboveground biomass of functional groups in the ground layer of savannas under different fire frequencies. Australian Journal of Botany (Print), v. 58, p. 169-174, 2010.

52.
UEHARA-PRADO, M.2010UEHARA-PRADO, M. ; Bello, AM ; Fernandes, JO ; Santos, AJ ; SILVA, Igor Aurélio da ; CIANCIARUSO, M . Abundance of epigaeic arthropods in a Brazilian savanna under different fire frequencies. Zoologia (Curitiba. Impresso), v. 27, p. 718-724, 2010.

53.
Silva, Igor Aurélio2010Silva, Igor Aurélio ; Cianciaruso, Marcus Vinicius ; BATALHA, Marco Antônio . Abundance distribution of common and rare plant species of Brazilian savannas along a seasonality gradient. Acta Botanica Brasílica (Impresso), v. 24, p. 407-413, 2010.

54.
BATALHA, Marco Antônio2010BATALHA, Marco Antônio ; Cianciaruso, Marcus Vinicius ; Motta-Junior, José Carlos . Consequences of Simulated Loss of Open Cerrado Areas to Bird Functional Diversity. Natureza & Conservação, v. 08, p. 34-40, 2010.

55.
Silva, I. A.2010Silva, I. A. ; Carvalho, Gustavo Henrique ; Loiola, P. P. ; CIANCIARUSO, M ; Batalha, MA. . Herbaceous and shrubby species co-occurrences in Brazilian savannas: the roles of fire and chance. Community Ecology (Print), v. 11, p. 97-104, 2010.

56.
Carvalho RA2010Carvalho RA ; CIANCIARUSO, M ; Trindade-Filho J ; Sagnori MD ; LOYOLA, R. D. . Drafting a blueprint for functional and phylogenetic conservation in the Brazilian Cerrado. Natureza & Conservação, v. 8, p. 171-176, 2010.

57.
CIANCIARUSO, M. V.2009 CIANCIARUSO, M. V.; Batalha, M. A. ; Gaston, K. J. ; Petchey, O. L. . Including intraspecific variability in functional diversity. Ecology (Brooklyn, New York, N.Y.), v. 90, p. 81-89, 2009.

58.
Silva, Igor Aurélio2009Silva, Igor Aurélio ; Cianciaruso, Marcus Vinicius ; BATALHA, Marco Antônio . Dispersal modes and fruiting periods in hyperseasonal and seasonal savannas, central Brazil. Revista Brasileira de Botânica (Impresso), v. 32, p. 155-163, 2009.

59.
Cianciaruso, MV.2009Cianciaruso, MV.; Batalha, MA. . Short-term community dynamics in seasonal and hyperseasonal cerrados. Brazilian Journal of Biology, v. 69, p. 631-637, 2009.

60.
CIANCIARUSO, M2009CIANCIARUSO, M; Silva, I. A. ; Batalha, MA. . DIVERSIDADES FILOGENÉTICA E FUNCIONAL: NOVAS ABORDAGENS PARA A ECOLOGIA DE COMUNIDADES. Biota Neotropica (Edição em Português. Online), v. 9, p. 1-1, 2009.

61.
Siqueira, Tadeu2009Siqueira, Tadeu ; Bini, Luis Mauricio ; Cianciaruso, Marcus Vinicius ; Roque, Fabio Oliveira ; Trivinho-Strixino, Susana . The role of niche measures in explaining the abundance distribution relationship in tropical lotic chironomids. Hydrobiologia (The Hague. Print), v. 636, p. 163-172, 2009.

62.
Valenti, MW.2008Valenti, MW. ; CIANCIARUSO, M ; Batalha, MA. . Seasonality of litterfall and leaf decomposition in a cerrado site. Brazilian Journal of Biology, v. 68, p. 459-465, 2008.

63.
Cianciaruso, MV.2008Cianciaruso, MV.; Batalha, MA. . A year in a Cerrado wet grassland: a non-seasonal island in a seasonal savanna environment. Brazilian Journal of Biology, v. 68, p. 495-501, 2008.

64.
Cianciaruso, Marcus Vinicius2006Cianciaruso, Marcus Vinicius; PIRES, José Salatiel Rodrigues ; Delitti, Welington Bráz Carvalho ; Silva, Érico Fernando Lopes Pereira da . Produção de serapilheira e decomposição do material foliar em um cerradão na Estação Ecológica de Jataí, município de Luiz Antônio, SP, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 20, p. 49-59, 2006.

65.
Batalha, M. A.2005Batalha, M. A. ; CIANCIARUSO, M. V. ; Silva, I. A. ; Delitti, W. B. C. . Hyperseasonal cerrado, a new brazilian vegetation form. Brazilian Journal of Biology (Impresso), São Carlos/SP, v. 65, n.4, p. 735-738, 2005.

66.
CIANCIARUSO, M2005CIANCIARUSO, M; BATALHA, Marco Antônio ; Silva, I. A. . Seasonal variation of a hyperseasonal cerrado in Emas National Park, central Brazil. Flora (Jena), Jena, v. 200, n.4, p. 345-353, 2005.

Capítulos de livros publicados
1.
HIDASI-NETO, JOSÉ ; Cianciaruso, MV. . DEFININDO PRIORIDADES PARA A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. In: SBPC/GO. (Org.). Prêmio SBPC-GO de Popularização da Ciência ? 2014: Coletânea de Projetos Premiados. 1ed.Goiania: Gráfica e Editora Sete, 2014, v. , p. 48-.

2.
LOYOLA, R. D. ; Carvalho RA ; FALEIRO, FAMV ; Trindade-Filho J ; LEMES, P. ; CIANCIARUSO, M . Conservação da diversidade filogenética e funcional de mamíferos do Brasil. In: Freitas, TRO; Vieira, EM.. (Org.). Mamíferos do Brasil: Genética, Sistemática, Ecologia e Conservação - vol II.. Ribeirão Preto: SBG, 2011, v. 1, p. 00-00.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
LIMA, F. P. ; Cianciaruso, MV. . Você sabia que as queimadas também ocorrem por causas naturais?. Ciência Hoje das Crianças, p. 12 - 12, 10 jan. 2013.

2.
LOYOLA, R. D. ; CIANCIARUSO, M ; Brito, D ; DINIZ FILHO, J. A. F. . O ano internacional da Biodiversidade. Jornal da UFG, Goiânia, p. 15 - 15, 15 set. 2010.

3.
UNGAR, Alexandre Bernardini ; FLEURI-JARDIM, André Vitor ; BARBIERI JR, Celso Alfredo ; BIRINDELI, José Luis Olivan ; SANTOS, Mateus Henrique dos ; CIANCIARUSO, M. V. ; BATALHA, Marco Antônio . Invasão de gramíneas exóticas no cerrado. Univerciência, São Carlos, , v. 7-9, p. 40 - 43, 01 dez. 2004.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
CIANCIARUSO, M. V.; SILVA, Igor Aurélio da ; BATALHA, Marco Antônio . Diversidades Taxonômica e Funcional: novas ferramentas para a Ecologia de Comunidades. In: 58 Congresso Nacional de Botânica, 2007, São Paulo. Anais do 58 Congresso Nacional de Botânica, 2007. p. 606-610.

2.
CIANCIARUSO, M. V.; BATALHA, Marco Antônio . Parque Nacional das Emas - Um resumo da biodiversidade do Cerrado. In: XIII Jornadas de Jóvenes Investigadores de AUGM, 2005, San Miguel de Tucumán. Trabajos Completos - XIII Jornadas de Jóvenes Investigadores de AUGM, 2005.

3.
CIANCIARUSO, M. V.; SILVA, Igor Aurélio da ; BATALHA, Marco Antônio . Riqueza e diversidade alfa de um cerrado hiperestacional no Parque Nacional das Emas (GO). In: VI Congresso de Ecologia do Brasil, 2003, Fortaleza. Anais de trabalhos completos. Simpósios Biodiversidade, Unidades de Conservação, Indicadores Ambientais, Caatinga, Cerrado. Fortaleza: Editora da Universidade Federal do Ceará, 2003. p. 532-534.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
Laureto, LMO ; Santos, CM ; DINIZ FILHO, J. A. F. ; CIANCIARUSO, M . Variação latitudinal na massa da semente de palmeiras brasileiras. In: X Congresso de Ecologia do Brasil, 2011, São Lourenço, MG. X Congresso de Ecologia do Brasil. 1: 1, 2011. v. 1. p. 1-1.

2.
Hidasi, J ; Barlow, J ; CIANCIARUSO, M . Effects of wildfires on Amazonian avifauna functional diversity. In: 25th International Ornithological Congress, 2010, Campos do Jordão. 25th International Ornithological Congress, 2010.

3.
CIANCIARUSO, M. V.; BATALHA, Marco Antônio ; Gaston, K.J. ; Petchey, O.L. . Diversidade funcional de comunidades arboreas de cerrado sob diferentes regimes de fogo. In: 59 Congresso Nacional de Botânica, 2008, Natal. Atualidades, desafios e perspectivas da Botânica no Brasil, 2008.

4.
Carvalho, GH ; CIANCIARUSO, M. V. ; Batalha, MA. . Plantminer: uma ferramenta para busca de informações taxonômicas e traços ecológicos de espécies vegetais na rede mundial de computadores. In: XVII Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo, 2008, Guarulhos. Tendências e Desafios do uso e da conservação da biodiversidade paulista, 2008.

5.
CIANCIARUSO, M; Petchey, O.L. ; Gaston, K.J. ; Batalha, MA. . Including intraspecific variability in functional diversity. In: Congreso Mexicano de Ecología, 2008, Mérida. Resumenes de el Congreso Mexicano de Ecología, 2008.

6.
Loiola, P. P. ; BATALHA, Marco Antônio ; SILVA, Igor Aurélio da ; CIANCIARUSO, M. V. . Diversidade funcional do componente herbáceo subarbustivo em áreas com diferentes frequências de fogo no Parque Nacional das Emas, Goiás. In: XV Congresso de Iniciação Científica da Universidade Federal de São Carlos, 2007, São Carlos. Anais de Eventos UFSCar: XV Congresso de Inciação Científica. São Carlos, 2007. v. 3. p. 109-109.

7.
CIANCIARUSO, M. V.; SILVA, Igor Aurélio da ; BATALHA, Marco Antônio . Dinâmica da vegetação em campo úmido no Parque Nacional das Emas (GO). In: Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo, 2006, Piracicaba. RESUMOS DO XVI Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo, 2006.

8.
SILVA, Igor Aurélio da ; CIANCIARUSO, M. V. ; BATALHA, Marco Antônio . Convergência em formas de vida em cerrados hiperestacional e estacional no Brasil Central. In: XVI Congresso da Sociedade de Botânica de São Paulo, 2006, Piracicaba. Resumos do XVI Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo, 2006.

9.
CIANCIARUSO, M. V.; BATALHA, Marco Antônio ; SILVA, Igor Aurélio da . Seasonal variation of a hyperseasonal cerrado in Emas national Park, Central Brazil. In: XIX Annual Meeting of the Society for Conservation Biology, 2005, Brasília. Conservation Biology Capacity Building and practice in a globalized world - Book of Abstracts, 2005. p. 42-43.

10.
CIANCIARUSO, M. V.; SILVA, Igor Aurélio da ; BATALHA, Marco Antônio . Hyperseasonal cerrado, a new brazilian vegetation form. In: Annual Meeting of the Association for Tropical Biology and Conservation, 2005, Uberlândia. Frontiers in tropical biology and conservation, 2005. p. 86-86.

11.
CIANCIARUSO, M. V.; BATALHA, Marco Antônio . PARQUE NACIONAL DAS EMAS - UM RESUMO DA BIODIVERSIDADE DO CERRADO. In: XIII JORNADA DE JOVENS PESQUISADORES DA AUGM, 2005, Tucuman, Argentina, 2005.

12.
VALENTI, Mayla Willik ; CIANCIARUSO, M. V. ; BATALHA, Marco Antônio . Litterfall and leaf-litter decomposition in a cerrado site at São Carlos (São Paulo State, Brazil). In: Annual Meeting of the Association for Tropical Biology and Conservation, 2005, Uberlândia. Proceedings of the Annual Meeting of the Association for Tropical Biology and Conservation, 2005. p. 162-162.

13.
CIANCIARUSO, M. V.; PIRES, José Salatiel Rodrigues . Produção de serapilheira e decomposição do material foliar em um fragmento florestal de cerradão na Estação Experimental de Luiz Antônio e Estação Ecológica de Jataí (EEJ), Luiz Antônio, SP. In: X Congresso de Iniciação Científica da Universidade Federal de São Carlos, 2002, São Carlos. Resumos do X CIC - Congresso de Inciação Científica da UFSCar, 2002.

14.
CIANCIARUSO, M. V.; SILVA, Erico Fernado L. P. ; BARBIERI JUNIOR, Celso Alfredo . Produção de serapilheira num fragmento de cerrado da Universidade Federal de São Carlos. In: XIV Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo, 2002, Rio Claro. Resumos do XIV Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo, 2002.

15.
SILVA, Erico Fernado L. P. ; Santos, J. E ; Kageyama, Y. P. ; Vieira, E. H. A. ; CIANCIARUSO, M. V. . Composição Florística e Fitossociologia do Componente Arbustivo-Arbóreo de um Fragmento de Cerradão, Luís Antônio, SP. In: XIV Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo, 2002, Rio Claro. Resumos do XIV Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo, 2002.

16.
SILVA, Erico Fernado L. P. ; PIRES, José Salatiel Rodrigues ; Lima, M. I. S. ; BARBIERI JUNIOR, Celso Alfredo ; CIANCIARUSO, M. V. . Aspectos morfológicos de espécies arbóreas da mata do infernão (MI), Estação Ecológica de Jataí (EEJ), Luiz Antônio, SP. In: XIII Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo, 2000, São Paulo. Resumos do XIII Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo, 2000.

17.
SILVA, Erico Fernado L. P. ; BARBIERI JUNIOR, Celso Alfredo ; CIANCIARUSO, M. V. ; PIRES, José Salatiel Rodrigues ; Santos, J. E ; Lima, M. I. S. ; Canteiro, R. . Composição e Similaridade Florísticas e Fitossociologia do Estrato Arbóreo de um Cerradão na Estação Ecológica de Jataí (EEJ), Luiz Antônio, São Paulo. In: IV Simpósio Nacional de Recuperação de Áreas Degradadas - Silvicultura Ambiental, 2000, Blumenau. Resumos do IV Simpósio Nacional de Recuperação de Áreas Degradadas ?Silvicultura Ambiental, 2000.

Artigos aceitos para publicação
1.
BOVENDORP, R. ; BRUM, F. T. ; MCCLEERY, R. ; BAISER, B. ; LOYOLA, RAFAEL ; CIANCIARUSO, M ; GALETTI, M. . Defaunation and fragmentation erode small mammal diversity dimensions in tropical forests. ECOGRAPHY, 2018.

2.
Maracahipes, L ; CARLUCCI, M. ; Lenza, E. ; GUILHERME, F. ; Marimon, B. ; MARIMON, B. H. ; Cianciaruso, MV. . How to live in contrasting habitats? Acquisitive and conservative strategies emerge at inter- and intraspecific levels in savanna and forest woody plants. PERSPECTIVES IN PLANT ECOLOGY EVOLUTION AND SYSTEMATICS, 2018.

3.
HIDASI-NETO, JOSÉ ; BAILEY, R. I. ; VASSEUR, C. ; WOAS, S. ; ULRICH, W. ; JAMBON, O. ; SANTOS, A. M. C. ; CIANCIARUSO, M. V. ; PRIZING, A. . A forest canopy as a living archipelago: why phylogenetic isolation may increase and age decrease diversity. JOURNAL OF BIOGEOGRAPHY, 2018.

4.
ROA-FUENTES, C. A. ; HENO, J. ; CIANCIARUSO, M ; FERRAZ, S. ; ZENI, J. O. ; CASATTI, L. . Taxonomic, phylogenetic and functional beta diversity patterns of stream fish in tropical agroecosystems. FRESHWATER BIOLOGY, 2018.

Apresentações de Trabalho
1.
Cianciaruso, MV.. Placing phylogenetic diversity back on the evolutionary track. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
Cianciaruso, MV.; LOYOLA, RAFAEL ; Diniz-Filho, J. A. F. ; HIDASI-NETO, JOSÉ ; Petchey, O. L. . Non random extinction and the loss of phylogenetic and functional diversity in Global Hotspots. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
Santos, AMC ; CIANCIARUSO, M ; De Marco P . Functional diversity of island parasitoid communities worldwide. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
CIANCIARUSO, M; BATALHA, Marco Antônio ; Gaston, K.J. ; Petchey, O.L. . Diversidade funcional de comunidades arboreas de cerrado sob diferentes regimes de fogo. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
Carvalho, GH ; CIANCIARUSO, M ; Batalha, MA. . Plantminer: uma ferramenta para busca de informações taxonômicas e traços ecológicos de espécies vegetais na rede mundial de computadores. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
Loiola, P. P. ; Batalha, MA. ; CIANCIARUSO, M ; Silva, I. A. . Diversidade funcional do componente herbáceo subarbustivo em áreas com diferentes frequências de fogo no Parque Nacional das Emas, Goiás. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
CIANCIARUSO, M; Petchey, O.L. ; Gaston, K.J. ; BATALHA, Marco Antônio . Including intraspecific variability in functional diversity. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
Loiola, P. P. ; BATALHA, Marco Antônio ; SILVA, Igor Aurélio da ; CIANCIARUSO, M. V. . Diversidade funcional do componente herbáceo-subarbustivo em áreas com diferentes frequências de fogo no Parque Nacional das Emas, GO.. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
CIANCIARUSO, M. V.; SILVA, Igor Aurélio da ; BATALHA, Marco Antônio . Dinâmica da comunidade vegetal em um campo úmido no Parque Nacional das Emas, Goiás. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

10.
SILVA, Igor Aurélio da ; CIANCIARUSO, M. V. ; BATALHA, Marco Antônio . Convergência em formas de vida em cerrados hiperestacional e estacional no Brasil Central. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

11.
CIANCIARUSO, M. V.; BATALHA, Marco Antônio ; SILVA, Igor Aurélio da . Seasonal variation of a hyperseasonal cerrado in Emas National Park, central Brazil. 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

12.
VALENTI, Mayla Willik ; CIANCIARUSO, M. V. ; BATALHA, Marco Antônio . Litterfall and leaf-litter decomposition in a cerrado site at São Carlos (São Paulo State, Brazil). 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

13.
CIANCIARUSO, M. V.; SILVA, Igor Aurélio da ; BATALHA, Marco Antônio . Hyperseasonal cerrado, a new brazilian vegetation form. 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

14.
VALENTI, Mayla Willik ; CIANCIARUSO, M. V. ; BATALHA, Marco Antônio . Produção de serapilheira em um fragmento de cerrado sensu stricto em São Carlos (SP) - dados preliminares. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

15.
CIANCIARUSO, M. V.; DELITTI, Wellington Braz Carvalho ; PIRES, José Salatiel Rodrigues . Dinâmica da Serapilheira em Cerradão da Estação Ecológica de Jataí (Luiz Antônio, SP): correlação com as variáveis climáticas e comparação com outras fisionomias vegetais. 2003. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

16.
CIANCIARUSO, M. V.; SILVA, Igor Aurélio da ; BATALHA, Marco Antônio . Riqueza e Diversidade Alfa de um Cerrado Hiper-estacional no Parque Nacional das Emas (Goiás). 2003. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

17.
CIANCIARUSO, M. V.; SILVA, Erico Fernado L. P. ; BARBIERI JR, Celso Alfredo . Produção de serapilheira num fragmento de cerrado da Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP. 2002. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

18.
CIANCIARUSO, M. V.; PIRES, José Salatiel Rodrigues . Produção de serapilheira e decomposição do material foliar em um fragmento florestal de cerradão na Estação Experimental de Luiz Antônio e Estação Ecológica de Jataí (EEJ), Luiz Antônio, SP. 2002. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

19.
SILVA, Erico Fernado L. P. ; PIRES, José Salatiel Rodrigues ; Lima, M. I. S. ; Santos, J. E ; BARBIERI JR, Celso Alfredo ; CIANCIARUSO, M. V. . Composição florística e estrutura do estrato arbóreo da mata do infernão (MI), Estação Ecológia de Jataí (EEJ), Luiz Antônio-SP.. 2000. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

20.
SILVA, Erico Fernado L. P. ; PIRES, José Salatiel Rodrigues ; Santos, J. E ; BARBIERI JR, Celso Alfredo ; CIANCIARUSO, M. V. . Uso de Sistema de Informação Geográfica (SIG) para análise da vegetação arbórea do cerradão na mata do infernão (MI), Estação Ecológica de Jataí (EEJ), Luiz Antônio, SP. 2000. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

21.
SILVA, Erico Fernado L. P. ; PIRES, José Salatiel Rodrigues ; Lima, M. I. S. ; Santos, J. E ; BARBIERI JR, Celso Alfredo ; CIANCIARUSO, M. V. . Aspectos morfológicos de espécies arbóreas da mata do infernão (MI), Estação Ecológica de Jataí (EEJ), Luiz Antônio, SP. 2000. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

22.
SILVA, Erico Fernado L. P. ; BARBIERI JR, Celso Alfredo ; CIANCIARUSO, M. V. ; PIRES, José Salatiel Rodrigues ; Santos, J. E ; Lima, M. I. S. ; Canteiro, R. . Composição e similaridade florísticas e fitossociologia do estrato árboreo de um cerradão na Estação Ecológica de Jataí (EEJ), Luis Antônio, São Paulo. 2000. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

23.
SILVA, Erico Fernado L. P. ; PIRES, José Salatiel Rodrigues ; Lima, M. I. S. ; Santos, J. E ; BARBIERI JUNIOR, Celso Alfredo ; CIANCIARUSO, M. V. . Similaridade Florística entre áreas de cerrado da APA de Corumbataí e a Estação Ecológica de Jataí (EEJ), SP.. 2000. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Outras produções bibliográficas
1.
COLPAS, Flávia T. ; GARCIA, Emilio ; CIANCIARUSO, M. V. ; GIMENEZ, Valéria M.m. ; PEREIRA, Zefa V. . Distribuição de abundância das espécies na comunidade arbustivo-arbórea de um fragmento de cerrado sensu stricto na Estação Experimental e Ecológica de Itirapina, SP 2004 (relatório de pesquisa).

2.
COLPAS, Flávia T. ; GARCIA, Emilio ; CIANCIARUSO, M. V. ; GIMENEZ, Valéria M.m. ; PEREIRA, Zefa V. . Variações alométricas em espécies lenhosas de um fragmento de cerrado sensu stricto em Itirapina, SP 2004 (relatório de pesquisa).

3.
MARTINS, Fernanda Quintas ; RODRIGUES, Gastão Bosco ; GARCIA, Emilio ; CIANCIARUSO, M. V. . Síndromes de dispersão no componente arbustivo-arbóreo em fragmento de cerrado, no município de Itirapina 2004 (relatório de pesquisa).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
BATALHA, Marco Antônio ; CIANCIARUSO, M. V. . Levantamento de campo da vegetação para o plano de manejo do Parque Nacional das Emas. 2003.

Programas de computador sem registro
1.
Carvalho, GH ; CIANCIARUSO, M ; Batalha, MA. . Plantminer. 2008.

Trabalhos técnicos
1.
CIANCIARUSO, M. Revisor de 1 manuscrito para o periodico Biotropica. 2010.

2.
CIANCIARUSO, M. Revisor de 1 manuscrito submetido à Diversity & Distributions. 2010.

3.
CIANCIARUSO, M. Revisor de 1 manuscrito submetido à Journal of Arid Environments. 2010.

4.
CIANCIARUSO, M. Revisor de 2 manuscritos para a Revista Biota Neotropica. 2009.

5.
CIANCIARUSO, M. Revisor de 2 manuscritos submetidos ao periodico Global Ecology and Biogeography. 2009.

6.
CIANCIARUSO, M. Revisor de 3 manuscritos submetidos ao periodico Acta Botanica Brasilica. 2009.

7.
CIANCIARUSO, M. Revisor de 1 manuscrito para o periodico The Allelopathy Journal. 2009.

8.
CIANCIARUSO, M. Revisor de 1 manuscrito para o periodico Oikos. 2009.

9.
CIANCIARUSO, M. Revisor de 1 manuscrito para o periodico Plant Ecology. 2009.

10.
CIANCIARUSO, M. Revisor de 2 manuscritos para a Revista de Biologia Neotropical. 2009.

11.
CIANCIARUSO, M. Parecer para projetos de mestrado candidatos ao curso de Pos-Graduacao em Ecologia e Conservacao da Biodiversidade (UESC). 2009.

12.
CIANCIARUSO, M. Resumos de trabalhos da Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica da Ufscar. 2008.


Demais tipos de produção técnica
1.
Cianciaruso, MV.. Redação Científica. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

2.
CIANCIARUSO, M. Ecologia do Cerrado. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

3.
CIANCIARUSO, M. Comunicação Científica. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

4.
CIANCIARUSO, M. Diversidade taxonomica e funcional. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

5.
CIANCIARUSO, M. Ritmos biológicos. 2008. (aula).

6.
CIANCIARUSO, M. Respostas do crescimento à temperatura. 2008. (aula).

7.
CIANCIARUSO, M. Delineamento experimental em Ciências Biológicas. 2008. (aula).

8.
CIANCIARUSO, M. Diversidade funcional. 2008. (aula).

9.
CIANCIARUSO, M. Medindo a diversidade: indo além das espécies. 2008. (palestra).

10.
CIANCIARUSO, M. R.4.All: Import, explore, graph - an introduction to R & Linear models and basic statistics in R. 2008. (monitoria).

11.
CIANCIARUSO, M; SILVA, Igor Aurélio da ; Batalha, MA. . Diversidade funcional e taxonômica. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

12.
CIANCIARUSO, M. V.. Diversidade funcional. 2007. (aula).

13.
CIANCIARUSO, M. V.. Ecologia do Cerrado. 2006. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

14.
CIANCIARUSO, M. V.. Medidas tradicionais de diversidade. 2006. (palestra).

15.
CIANCIARUSO, M. V.. A vegetação do cerrado. 2006. (palestra).

16.
CIANCIARUSO, M. V.. Práticas em Ecologia Vegetal. 2005. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

17.
CIANCIARUSO, M. V.. A vegetação do cerrado. 2005. (palestra).

18.
CIANCIARUSO, M. V.. Levantamento da vegetação de cerrado do Município de Itirapina (SP). 2005. (monitoria).

19.
CIANCIARUSO, M. V.. A vegetação do cerrado. 2005. (palestra).

20.
CIANCIARUSO, M. V.. Ecologia vegetal. 2004. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

21.
CIANCIARUSO, M. V.. Valoração de uma silvicultura. 2004. (monitoria).

22.
CIANCIARUSO, M. V.. Diversidade funcional. 2004. (aula).

23.
CIANCIARUSO, M. V.. A vegetação do cerrado. 2004. (palestra).

24.
CIANCIARUSO, M. V.. Ecologia do Cerrado. 2004. (palestra).

25.
CIANCIARUSO, M. V.. Curso para formação de monitores da Trilha da Natureza. 2003. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

26.
CIANCIARUSO, M. V.. Valoração de uma silvicultura. 2003. (monitoria).

27.
CIANCIARUSO, M. V.. Ecologia Vegetal e Conservação. 2003. (palestra).

28.
CIANCIARUSO, M. V.. Vegetação do Cerrado da UFSCar. 2002. (membro de mesa redonda).

29.
CIANCIARUSO, M. V.. Disciplina Sistemática dos Vegetais Superiores. 2002. (monitoria).

30.
CIANCIARUSO, M. V.. Museu Itininerante do Instituto Butantan. 2000. (monitor).


Produção artística/cultural
Música
1.
Cianciaruso, MV.; ZORZAL, D. ; BUENO, F. ; GARCIA, O. ; FERRAZ, D. . Quero ser Paulo Ricardo. 2005. Registro Fonográfico.

2.
Cianciaruso, MV.; FERRAZ, D. ; ZORZAL, D. ; BUENO, F. ; GARCIA, O. . Porque fazer as coisas bêbado é muito mais divertido!. 2003. Registro Fonográfico.

3.
Cianciaruso, MV.; ZORZAL, D. ; BUENO, F. ; GARCIA, O. ; FERRAZ, D. . E se for ele mesmo?. 2001. Registro Fonográfico.

4.
ZORZAL, D. ; FERRAZ, D. ; BUENO, F. ; GARCIA, O. ; Cianciaruso, MV. . Children Revolution. 2000. Registro Fonográfico.



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
ANJOS, L.; SHIBATTA, O. A.; Cianciaruso, MV.. Participação em banca de Bruno Castelo branco Damiani. Grupos funcionais de aves Papa-moscas são selecionados por tipos de floresta no sul do Brasil. 2014. Dissertação (Mestrado em Programa em Ciências Biológicas - Área de Concentração Zoologia) - Universidade Estadual de Londrina.

2.
Cianciaruso, MV.; De Marco P; PAGLIA, A.. Participação em banca de José Hidasi Neto. Conservação de diversidade funcional e filogenética: identificando padrões e definindo prioridades. 2014. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás.

3.
Cianciaruso, MV.; CARVALHO, P.; PORTES, T. A.. Participação em banca de Joicy Martins Morais. Experimentos de remoção de plantas: abordagem cienciométrica e estudo de caso. 2013. Dissertação (Mestrado em Biodiversidade Vegetal) - Universidade Federal de Goiás.

4.
CIANCIARUSO, M; Almeida Neto, M; Müller, S.C.. Participação em banca de Livia Maria Orlandi Laureto. Estratégias ecológicas com base no modelo LHS em plantas lenhosas ao longo de gradientes ambientais. 2012. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás.

5.
CIANCIARUSO, M; Pillar, V. DP.; Duarte, L.. Participação em banca de Adriane Esquivel Muelbert. Padrões de variação de diversidade funcional e de espécies em comunidades arbóreas na Floresta Atlântica do Sul do Brasil. 2012. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

6.
CIANCIARUSO, M; Lenza, E.; Marimon, B.. Participação em banca de Leandro Maracahipes dos Santos. Estrutura e dinâmica de florestas inundáveis (impucas), na transição Cerrado-Floresta Amazônica, Leste de Mato Grosso, Brasil. 2011. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Conservação) - Universidade do Estado de Mato Grosso.

7.
CIANCIARUSO, M; BINI,LM; Padial, A.A.. Participação em banca de Thaisa Sala Michelan. Efeito da riqueza e abundância de espécies de macrófitas aquáticas nativas sobre a invasibilidade de Urochloa subquadripara (Trin.) R.D. Webster. 2011. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás.

8.
CIANCIARUSO, M; DINIZ FILHO, J. A. F.; Rangel, T. Participação em banca de Nayara Pereira Rezende de Sousa. Estrutura Hierárquica na resposta das distribuições geográficas de plantas do Cerrado à mudanças climáticas. 2011. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás.

9.
CIANCIARUSO, M; Duarte, L.; Hortal, J.. Participação em banca de Fernando Landa Sobral. Regras de assembleia em aves do Cerrado:estrutura funcional em diferentes escalas espaciais. 2011. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás.

10.
CIANCIARUSO, M; Lima, M. I. S.; Gualtieri, SCJ. Participação em banca de Leandro Kenji Takao. Potencial Alelopático de Macrófitas Aquáticas e a Influência dos Fatores Ambientais na sua Distribuição em um Estuário Cego. 2010. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Recursos Naturais) - Universidade Federal de São Carlos.

11.
CIANCIARUSO, M; Klein VG; Reis, A. Participação em banca de Danielle Soares de Almeida. Distribuição e conservação do gênero Cayaponia no Brasil. 2010. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás.

12.
Thomaz, SM; CIANCIARUSO, M; Bini, LM. Participação em banca de Rodrigo Carvalho de Azevedo. Evidências experimentais para a associação entre o nível de relação filogenética e a intensidade de competição entre espécies de gramíneas exóticas e nativa.. 2009. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás.

Teses de doutorado
1.
Loyola, Rafael Dias; Cianciaruso, MV.; GRELLE, C. E. V.. Participação em banca de Priscilla Lemes de Azevedo Silva. Prioridades para conservação de anfíbios da Mata Atlântica. 2014. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás.

2.
CIANCIARUSO, M; ESTEVES, K. E.; CETRA, M.; FERES, D. C.; CASATTI, L.. Participação em banca de Fabricio Barreto Teresa. Diversidade funcional de comunidades de peixes de riachos. 2012. Tese (Doutorado em Biologia Animal) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

3.
Klein VG; Pedroni F; Sant'anna CER; Anacleto TC; CIANCIARUSO, M. Participação em banca de Alexandre Curcino. Avifauna em áreas de mineiração:diversidade e conservação na região da Serra da Mesa. 2011. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás.

Qualificações de Doutorado
1.
DINIZ FILHO, J. A. F.; Rangel, T; CIANCIARUSO, M. Participação em banca de Vanessa Graziele Staggemeier. Macroecologia de Myrteae (Myrtaceae): Padrões de distribuição espacial, riqueza e ecologia reprodutiva. 2012. Exame de qualificação (Doutorando em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
Nomura F; Cianciaruso, MV.. Participação em banca de Muryllo Ferreira de Melo.Escalonando padrões em assembleias de anuros do Cerrado: nicho versus efeitos neutros. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ecologia e Análise Ambiental) - Universidade Federal de Goiás.

2.
CIANCIARUSO, M; De Marco P; FRANCESCHINELLI, E. V.. Participação em banca de Cellini Castro de Oliveira.Efeito do fogo na assimetria flutuante foliar em espécies de cerrado. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biologia (Bacharelado)) - Universidade Federal de Goiás.

3.
De Marco P; CIANCIARUSO, M; FERREIRA, M. E.. Participação em banca de Caroline Costa Corrêa.Fogo em formação savânica: dinâmica temporal de regeneração pós-queimada. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biologia (Bacharelado)) - Universidade Federal de Goiás.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
Cianciaruso, MV.. Concurso Público Professor Adjunto: Ecologia da Paisagem e Macroecologia. 2013. Universidade Federal de Sergipe.

2.
BUCHAS, R. M.; CIANCIARUSO, M; Martins, Rogério P.. Concurso para Professor Adjunto de Ecologia: Ecologia de Comunidades. 2012. Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

3.
Siqueira T; COLEVATTI, R. G.; PADUA, A.; Cianciaruso, MV.. Concurso para Pesquisador Nível I (Ecologia Molecular). 2012. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

4.
CIANCIARUSO, M; Martins, Rogério P.; Gomes, Luiz Carlos. Concurso para professor adjunto - Área: Ecologia. 2010. Universidade Federal de Goiás.

Outras participações
1.
Cianciaruso, MV.. Comissão de Avaliação Interativa do XV Encontro de Pós-graduandos do PPG em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais. 2012. Universidade Estadual de Maringá.

2.
CIANCIARUSO, M. Coordenador da Sessão Oral na Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica da Ufscar. 2008. Universidade Federal de São Carlos.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
XV Congresso de Limnologia. Diversidade Funcional e Filogenética. 2015. (Congresso).

2.
X Congresso Ecologia. Workshop Ecologia do Cerrado. 2011. (Congresso).

3.
59° Congresso Nacional de Botânica. Diversidade funcional de comunidades arboreas de cerrado sob diferentes regimes de fogo. 2008. (Congresso).

4.
Congreso Mexicano de Ecologia. Including intraspecific variability in functional diversity. 2008. (Congresso).

5.
58° Congresso Nacional de Botânica. Mini-curso: Diversidade funcional e taxonômica. 2007. (Congresso).

6.
XVI Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo. Dinâmica da vegetação em campo úmido no Parque Nacional das Emas (GO). 2006. (Congresso).

7.
Annual meeting of the association for tropical biology and conservation... 2005. (Encontro).

8.
XIII JORNADA DE JOVENS INVESTIGADORES DE AUGM.Parque Nacional das Emas - Um resumo da biodiversidade do Cerrado. 2005. (Encontro).

9.
XIX Annual Meeting of the Society for Conservation Biology.XIX Annual Meeting of the Society for Conservation Biology. 2005. (Encontro).

10.
Semana de Biologia da Universidade de Santo Amaro.Ecologia do Cerrado. 2004. (Outra).

11.
VI Congresso de Ecologia do Brasil. .. 2003. (Congresso).

12.
XI Congresso de Iniciação Científica da Ufscar. Dinâmica da Serapilheira em Cerradão da Estação Ecológica de Jataí (Luiz Antônio, SP): correlação com as variáveis climáticas e comparação com outras fisionomias vegetais. 2003. (Congresso).

13.
Mesa-redonda: Vegetação do cerrado da Ufscar.Vegetação do cerrado da Ufscar. 2002. (Outra).

14.
X Congresso de Iniciação Científica da Universidade de São Carlos.. Produção de serapilheira e decomposição do material foliar em um cerradão da Estação Ecológica de Jataí, Luiz Antônio, SP. 2002. (Congresso).

15.
XIV Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo. .. 2002. (Congresso).

16.
I Semana da Biologia UFSCar. 2001. (Encontro).

17.
5° Simpósio de Biologia da Universidade Santa Cecília - UNISANTA. 2000. (Simpósio).

18.
XIII Congresso da Sociedade Botânica de São Paulo. 2000. (Congresso).

19.
XIV Simpósio de Biologia Marinha. 1999. (Simpósio).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
CIANCIARUSO, M. V.. XIX Annual Meeting of the Society for Conservation Biology. 2005. (Congresso).

2.
CIANCIARUSO, M. V.. I Congresso de Ciências do Ensino Fundamental. 2002. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Rhayane Werneck. Padrões de Diversidade Filogenética e Funcional em Aves e Mamíferos Americanos. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Oscar Daniel Plazas Jiménez. Funcionamento de comunidades em diversas escalas. Início: 2018. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

2.
Paola Nobre. Importância da variação intra-específica de atributos ecológicos para a coexistência de plantas. Início: 2017. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

3.
Karlo Gregório Guidoni Martins. RESPOSTAS DAS COMUNIDADES ECOLÓGICAS FRENTE ÀS MUDANÇAS NOS REGIMES DE DISTÚRBIOS. Início: 2017. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

4.
Barbbara Rocha. Padrões temporais de estruturas funcionais e filogenéticas influenciados por efeitos antrópicos. Início: 2017. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

5.
Márcia Kurtz. UMA ANÁLISE DA MONTAGEM DAS COMUNIDADES ATRAVÉS DE SÉRIES TEMPORAIS. Início: 2016. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Daniel Plazas Jimenez. EFEITO DOS ATRIBUTOS FUNCIONAIS DOMINANTES E DIVERSIDADE FUNCIONAL NA DECOMPOSIÇÃO DE SERAPILHEIRA EM UM AMBIENTE TROPICAL. 2018. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

2.
Fabio Martins Labecca. Menos complementares e redundantes, porém mais jóvens: organização de assembleias de aves em monoculturas florestais. 2015. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

3.
José Hidasi Neto. Conservação de diversidade funcional e filogenética: identificando padrões e definindo prioridades. 2014. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

4.
Marcos Costa Vieira. Um modelo estocástico de coextinções em redes mutualísticas. 2014. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

5.
Paulo Francisco da S. C. M. Zava. Herbivoria foliar no cerrado: o papel dos traços funcionais das plantas, fogo e solo. 2013. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, . Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

6.
Joicy Martins Morais. Experimentos de remoção de plantas: abordagem cienciométrica e estudo de caso. 2013. Dissertação (Mestrado em Biodiversidade Vegetal) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

7.
Livia Maira Orlandi Laureto. Estratégias ecológicas com base no modelo LHS em plantas lenhosas ao longo de gradientes ambientais. 2012. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

8.
Juliana Ribeirão de Freitas. Diversidade funcional e funcionamento de comunidades: teste em uma comunidade de cerrado. 2009. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Recursos Naturais) - Universidade Federal de São Carlos, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

9.
Raquel Carolina Miatto. A inclusão da abundância na diversidade funcional aumenta o seu poder de previsão?. 2009. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Recursos Naturais) - Universidade Federal de São Carlos, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

10.
Fernando Landa Sobral. Regras de assembleias em aves do Cerrado: uma busca por padrões funcionais em diferentes escalas espaciais. 2009. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

Tese de doutorado
1.
José Hidasi Neto. Homogeneidade filogenética e funcional: acúmulo de genótipos e fenótipos no espaço e no tempo. 2018. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

2.
Maria Fabíola Gomes da Silva de Barros. Regeneração natural da Caatinga após agricultura: mudanças funcionais e filogenéticas nas assembleias de plantas. 2018. Tese (Doutorado em Biologia Vegetal) - Universidade Federal de Pernambuco, Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco. Coorientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

3.
Franciele Parreira Peixoto. Padrões macroecológicos da diversidade filogenética e funcional de morcegos. 2017. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, . Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

4.
Fernando Landa Sobral. Padrões e processos na montagem de assembleias de aves em diferentes escalas. 2017. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

5.
Leandro Maracahipes. Regras de montagem em assembleias de árvores de floresta e savana. 2017. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

6.
Livia Orlandi Laureto. Conservando a diversidade filogenética, funcional e de usos potenciais de palmeiras em um mundo em mudanças. 2016. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, . Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

7.
Advaldo Carlos de Souza Neto. Estrutura filogenética de plantas lenhosas do Cerrado. 2015. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

8.
Lara Gomes Côrtes. Características funcionais direcionando o futuro: distribuição de árvores do Cerrado e predições ecológicas para mudanças climáticas globais. 2011. Tese (Doutorado em Ecologia e Evolução) - Universidade Federal de Goiás, . Coorientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

Supervisão de pós-doutorado
1.
Marcos Bergmann Carlucci. 2016. Universidade Federal de Goiás, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Marcus Vinicius Cianciaruso.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Rhayane Werneck. Diversidade Funcional e Filogenética em Unidades de Conservação. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Biologia (Bacharelado)) - Universidade Federal de Goiás. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

2.
Cellini Castro de Oliveira. Efeito do fogo na assimetria flutuante foliar em espécies de cerrado. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Biologia (Bacharelado)) - Universidade Federal de Goiás. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

Iniciação científica
1.
Jaqueline Reis Ramos. Consequências da translocação de nutrientes minerais em plantas do cerrado. 2018. Iniciação Científica. (Graduando em Abi - Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Goiás, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

2.
Ana Clara Santos. Invasoras no Cerrado. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Ecologia e Análise Ambiental) - Universidade Federal de Goiás, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

3.
Rhayane Pires Werneck. Padrões Macroecológicos da diversidade funcional de predadores de topo brasileiros. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Goiás, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

4.
Cellini Castro de Oliveira. Efeito do fogo na assimetria flutuante foliar em espécies de cerrado. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Biologia (Bacharelado)) - Universidade Federal de Goiás. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

5.
José Hidasi Neto. Efeito do fogo na diversidade funcional de aves da Amazônia. 2010. Iniciação Científica - Universidade Federal de Goiás, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

6.
José Hidasi Neto. Aves brasileiras ameaçadas de extinção: quanta diversidade funcional estamos perdendo?. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em Biologia (Licenciatuta)) - Universidade Federal de Goiás, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

Orientações de outra natureza
1.
Danira Leticia Padilha. Regras de montagem em assembleias de plantas do Cerrado. 2012. Orientação de outra natureza - Universidade Federal de Goiás, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

2.
Alexandre Colpatti Loregian. Levantamento da flora e caracterização da vegetação das áreas da empresa Anglo American em Niquelândia e Barro Alto (GO). 2012. Orientação de outra natureza - Universidade Federal de Goiás. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

3.
Leandro Maracahipes dos Santos. Determinantes da diversidade funcional e filogenética em assembleias de plantas do Cerrado. 2011. Orientação de outra natureza - Universidade Federal de Goiás, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

4.
Edmar Almeida de Oliveira. Determinantes da diversidade funcional e filogenética em assembleias de plantas do Cerrado. 2011. Orientação de outra natureza - Universidade Federal de Goiás, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.

5.
Fernando Landa Sobral. Diversidade funcional e filogenética de predadores de topo brasileiros. 2011. Orientação de outra natureza - Universidade Federal de Goiás, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Marcus Vinicius Cianciaruso.



Educação e Popularização de C & T



Textos em jornais de notícias/revistas
1.
LIMA, F. P. ; Cianciaruso, MV. . Você sabia que as queimadas também ocorrem por causas naturais?. Ciência Hoje das Crianças, p. 12 - 12, 10 jan. 2013.


Cursos de curta duração ministrados
1.
Cianciaruso, MV.. Redação Científica. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).



Outras informações relevantes


Proficiência na lingua inglesa:
"Test of English as a Foreign Language" (TOEFL), em 20/08/2005: 600 pontos ("paper-based test").

Apoio financeiro:
PIBIC/CNPq/UFSCar (agosto de 2001/março de 2003).
CAPES - mestrado (2003/2005)
CNPq - doutorado (março-maio 2005)
FAPESP - doutorado (julho 2005 - 2009)
PDE/CAPES - doutorado sanduíche (janeiro 2007 - agosto 2007)



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 21/11/2018 às 8:41:38