Vivian Bonezi

Bolsista de Doutorado do CNPq

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6217088119598311
  • Última atualização do currículo em 16/05/2018


Doutoranda pelo pelo Programa de Pós Graduação em Farmácia (Fisiopatologia e Toxicologia) da Universidade de São Paulo (USP), no departamento de Análises Clínicas, com ênfase em Imunologia de linfócitos B no contexto de infecções pelo vírus da Dengue (em andamento - início em 2015). Mestre em Ciências pelo Programa de Pós Graduação de Farmácia (Análises Clínicas) - USP, na área de Análises Clínicas, onde era membro do Laboratório de Biologia Molecular Aplicada ao Diagnóstico e trabalhava com expressão gênica e microRNAs (2015). Possui graduação em Farmácia Generalista pelo Centro Universitário São Camilo (2010), onde já organizou e ministrou o curso "Farmacogenômica: a individualização da terapêutica", com a duração de 5 semanas (2017). Já atuou como monitora nas disciplinas de Fisiopatologia (2014), Fisiologia do Sistema Hematopoético (2016) e Imunodiagnóstico (2018), através do Programa de Aprimoramento de Ensino (PAE), da Faculdade de Ciências Farmacêuticas - USP, onde pôde adquirir experiências em didática e em metodologias ativas de ensino (incluindo TBL). Foi membro da Comissão Organizadora do International Symposium on Pathophysiology and Toxicology & Simpósio de Pós-Graduação em Análises Clínicas, por dois anos consecutivos (2015 e 2016), e representante discente junto à Comissão Coordenadora do Programa de Pós Graduação (2015-2016). (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Vivian Bonezi
Nome em citações bibliográficas
BONEZI, V.


Formação acadêmica/titulação


2015
Doutorado em andamento em Ciências Farmacêuticas.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Avaliação da sinalização intracelular em células B humanas após infecção pelo vírus da Dengue,
Orientador: Eduardo Lani Volpi da Silveira.
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Imunologia.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Microbiologia / Subárea: Biologia e Fisiologia dos Microorganismos / Especialidade: Virologia.
2013 - 2015
Mestrado em Farmácia (Fisiopatologia e Toxicologia).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Relação entre o perfil de expressão de genes envolvidos na farmacodinâmica de imunossupressores e de microRNAs reguladores, com a resposta terapêutica em transplantados renais,Ano de Obtenção: 2015.
Orientador: Rosario Domingues Crespo Hirata.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Farmacogenômica; Expressão gênica; miRNA; Imunossupressores; Transplante renal.
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Farmácia.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Imunologia.
2006 - 2010
Graduação em Farmácia.
Centro Universitário São Camilo, USC, Brasil.
Título: DPOC e Asma: Protocolo de Atenção Farmacêutica.
Orientador: Válter Luiz da Costa Júnior.




Formação Complementar


2017 - 2017
Docência no Ensino Superior: Uma primeira Aproximação. (Carga horária: 8h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
2012 - 2013
Programa de Atualização Profissional. (Carga horária: 400h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitor, Carga horária: 6
Outras informações
Monitoria acadêmica vinculada ao Programa de Aprimoramento de Ensino na disciplina Fisiologia do Sistema Hematopoético

Vínculo institucional

2014 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitor, Carga horária: 6
Outras informações
Monitoria acadêmica vinculada ao Programa de Aprimoramento de Ensino na disciplina Fisiopatologia III


CordCell - Centro de Terapia Celular, CORDCELL, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2012
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Gestão Laboratorial, Carga horária: 50, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Experiência em atividades de criopreservação de células tronco hematopoiéticas, sejam elas provenientes do sangue de cordão umbilical e placentário, de coletas de stem cell periférico ou de coletas de medula óssea em centros cirúrgicos. Desenvolvimento nas áreas de gestão de processos e pessoas, sistema da qualidade, certificações e acreditações.


Centro Universitário São Camilo, USC, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - 2017
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 4
Outras informações
Organizou e ministrou o curso "Farmacogenômica: a individualização da terapêutica"

Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitor, Carga horária: 8
Outras informações
Monitoria acadêmica na disciplina de Cosmetologia, incluindo prática laboratorial.



Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Avaliação da sinalização intracelular em células B humanas após infecção pelo vírus da Dengue
Descrição: O agente causador da Dengue é um vírus da família Flaviviridae que é transmitido pelo mosquitos vetores Aedes aegypti ou Aedes albopictus aos humanos. Este vírus causa um gigantesco impacto anualmente na saúde pública das áreas endêmicas de infecção (países tropicais). De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 50-100 milhões de infecções são detectadas anualmente em mais de 100 países tropicais no mundo. Entre estes países, está o Brasil que apresenta praticamente uma nova epidemia dessa infecção a cada ano. Em 2015, houve um aumento significativo no número de casos confirmados em relação a 2014. Há 4 diferentes sorotipos do vírus da Dengue (DENV-1, -2, -3 e -4), os quais possuem uma certa diversidade quanto às seqüências de proteínas. Após a infecção primária, ocorre a produção de anticorpos que, na sua maioria, reagem cruzadamente com os diferentes sorotipos, mas não são neutralizantes contra eles, mas somente contra o próprio sorotipo. Inicialmente, essa resposta humoral não é efetiva, já que é detectada no soro normalmente após o declínio da viremia. Apesar disso, a resposta celular que suporta a produção de anticorpos é extremamente alta e específica. Pacientes infectados pelo vírus da Dengue apresentam um grande aumento na freqüência de plasmablastos (células secretoras de anticorpos de vida curta) na circulação durante os primeiros 7 dias após o desenvolvimento de sintomas. A grande maioria destes plasmablastos é específica a epítopos do envelope viral. Além disso, pacientes que apresentam dengue grave (hemorrágica) têm uma maior magnitude de resposta de plasmablastos específicos que os pacientes com Dengue moderada. Curiosamente, a quantidade de plasmablastos oriundos desta resposta equivale a mais de 50% de todas as células B circulantes no sangue. Essa representatividade é muito maior que a observada durante respostas imunes induzidas contra outros flavivírus (vacina da febre amarela) ou outros vírus (gripe), as quais não atingem 10% de média. Assim, como a infecção pelo vírus da Dengue é capaz de induzir uma resposta tão alta de plasmablastos? Para responder essa pergunta, pretendo abordar quais vias de sinalização são ativadas (e alteradas) durante esta resposta de células B durante esta infecção viral para gerar tantas células. Amostras de sangue serão coletadas durante a visita do indivíduo infectado ao hospital, as quais terão as células B isoladas por meio de beads magnéticas conjugadas a anticorpos anti-CD19. Uma vez isoladas, as células B de cada indivíduo serão homogeneizadas com tampão RIPA e terão um extrato proteico isolado. Este extrato proteico será utilizado em ensaios de Western blotting para avaliação da expressão de diversas proteínas envolvidas em cascatas de sinalização envolvidas na diferenciação de células B em plasmablastos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2015 - 2016
miRNoma exossomal urinário como fonte de biomarcadores potenciais de nefropatia do enxerto renal
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
2013 - Atual
Relação entre o perfil de expressão de genes envolvidos na farmacodinâmica de imunossupressores e de microRNAs reguladores, com a resposta terapêutica em transplantados renais
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Farmácia.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Imunologia.
3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Biologia Molecular.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2015
Menção Honrosa entre os trabalhos científicos apresentados na forma oral, XVIII Congresso Farmacêutico de São Paulo e X Seminário Internacional de Ciências Farmacêuticas.


Produções



Produção bibliográfica
Resumos publicados em anais de congressos
1.
GENVIGIR, F. D. V. ; NISHIKAWA, A. M. ; SALGADO, P. C. ; SALAZAR, A. B. C. ; BONEZI, V. ; FELIPE, C. R. ; SILVA JUNIOR, H. T. ; PESTANA, J. O. M. ; DOI, S. Q. ; HIRATA, M. H. ; HIRATA, R. D. C. . Influência de polimorfismos nos genes ABCC2 e ABCG2 em parâmetros farmacocinéticos e na segurança do tratamento com tacrolimo e micofenolato de sódio em transplantados renais. In: 43º Congresso da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas, 2016, São Paulo. Revista Brasileira de Análises Clínicas, 2016. v. 48. p. 45-45.

2.
SALGADO, P. C. ; GENVIGIR, F. D. V. ; CERDA, A. ; BONEZI, V. ; FELIPE, C. R. ; SILVA JUNIOR, H. T. ; PESTANA, J. O. M. ; DOI, S. Q. ; HIRATA, M. H. ; HIRATA, R. D. C. . Influence of CYP3A5 and PPP3CA polymorphisms on tacrolimus response in the Brazilian kidney transplant recipients. In: XVIII Congresso Farmacêutico de São Paulo, 2015, São Paulo. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, 2015. v. 51. p. 109-109.

3.
BONEZI, V.; SALGADO, P. C. ; CERDA, A. ; HIRATA, M. H. ; FELIPE, C. R. ; OLIVEIRA, N. ; SILVA JUNIOR, H. T. ; PESTANA, J. O. M. ; FAJARDO, C. M. ; GENVIGIR, F. D. V. ; DOI, S. Q. ; HIRATA, R. D. C. . Association of PPP3CA, FKBP5 and FKBP1B mRNA expression in leucocytes with tacrolimus blood levels in kidney transplant recipients. In: XVIII Congresso Farmacêutico de São Paulo, 2015, São Paulo. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, 2015. v. 51. p. 104-104.

4.
BASTOS, G. M. ; LEITE, G. G. S. ; SILVA, J. L. ; SANTOS, J. G. ; BONEZI, V. ; FAJARDO, C. M. ; HIRATA, R. D. C. ; HIRATA, M. H. . HspX protein of Mycobacterium tuberculosis enhances the IL-1b mRNA expression and cytokine secretion in macrophage-like THP-1 cultures. In: 23rd European Society of Clinical Microbiology and Infectious Disease, 2013, Berlin. European Society of Clinical Microbiology and Infectious Disease, 2013.

5.
BASTOS, G. M. ; LEITE, G. G. S. ; SILVA, J. L. ; FAJARDO, C. M. ; SANTOS, J. G. ; BONEZI, V. ; FREITAS, K. V. ; MYATA, M. ; SOUZA, W. A. ; HIRATA, R. D. C. ; HIRATA, M. H. . PROTEÍNA HSPX DO MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS ALTERA A EXPRESSÃO DE GENES ENVOLVIDOS COM A SÍNTESE DE COMPONENTES DA PAREDE CELULAR. In: XXI ALAM - Congresso Latinoamericano de Microbiologia, 2012, Santos - SP. XXI ALAM - Congresso Latinoamericano de Microbiologia, 2012.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
VIII Simpósio de Pós-Graduação em Análises Clínicas (SIMPAC) ans III International Symposium on Pathophysiology and Toxicology (ISPAT).B cell signalling on antibody-secreting cell differentiation in vitro and in Dengue patients. 2018. (Simpósio).

2.
XVI Simpósio de Biossegurança e Descarte de Produtos Químicos Perigosos em Instituições de Ensino em. 2017. (Simpósio).

3.
XV Simpósio de Biossegurança e Descarte de Produtos Químicos Perigosos em Instituições de Ensino em Pesquisa. 2016. (Simpósio).

4.
XVIII Congresso Farmacêutico de São Paulo. Association of PPP3CA, FKBP5 and FKBP1B mRNA expression in leucocytes with tacrolimus blood levels in kidney transplant recipients. 2015. (Congresso).

5.
XIII Simpósio de Biossegurança e Descarte de Produtos Químicos Perigosos em Instituições de Ensino em Pesquisa. 2014. (Simpósio).

6.
Seminários da Comissão de Pesquisa - Do sequenciamento de nova ga geração à PCR digital. 2013. (Seminário).

7.
XII Simpósio de Biossegurança e Descarte de Produtos Químicos Perigosos em Instituições de Ensino em Pesquisa. 2013. (Simpósio).

8.
XVII Congresso Paulista de Farmacêiticos - CRF-SP. 2013. (Congresso).

9.
XI Simpósio de Biossegurança e Descarte de Produtos Químicos Perigosos em Instituições de Ensino em Pesquisa. 2012. (Simpósio).

10.
VI Semana de Farmácia do Centro Universitário São Camilo. 2008. (Seminário).

11.
Ciclo de Estudos em Farmacoterapia do Centro Universitário São Camilo. 2007. (Encontro).

12.
V Semana de Farmácia. 2007. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
BONEZI, V.. II International Symposium on Pathophysiology and Toxicology & VII Simpósio de Pós-Graduação em Análises Clínicas. 2016. (Congresso).

2.
BONEZI, V.. I International Symposium on Pathophysiology and Toxicology & VI Simpósio de Pós-Graduação em Análises Clínicas. 2015. (Congresso).

3.
BONEZI, V.. XIV Campanha de Diabetes e Hipertensão da Faculdade de Ciências Farmacêuticas - USP. 2014. (Outro).

4.
BONEZI, V.. XIII Campanha de Diabetes e Hipertensão da Faculdade de Ciências Farmacêuticas - USP. 2013. (Outro).

5.
BONEZI, V.. VII Semana de Assistência Farmacêutica. 2009. (Outro).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 21/10/2018 às 9:14:48