Camila Bosenbecker

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2738415998391984
  • Última atualização do currículo em 26/08/2018


Possui graduação em Ciências Biológicas bacharelado pela Universidade Federal de Pelotas (2015), mestre em Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais pela Universidade Federal do Rio Grande (2018). Atualmente está vinculado ao Projeto Tubarão Azul pelo Laboratório de Recursos Pesqueiros Demersais da Universidade Federal do Rio Grande. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Camila Bosenbecker
Nome em citações bibliográficas
BOSENBECKER, C.;BOSENBECKER, C. F.


Formação acadêmica/titulação


2016
Mestrado em andamento em Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais.
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
Título: Partição de recursos alimentares e nicho isotópico de três espécies de sabiás em matas paludosas no sul do Brasil,Orientador: Leandro Bugoni.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Dieta; Isótopos estáveis; Redes de interações; Sobreposição de nicho; Turdus.
Grande área: Ciências Biológicas
2011 - 2015
Graduação em Ciências Biológicas.
Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.
Título: A presença de árvores aumenta a diversidade de aves em ambientes campestres?.
Orientador: Rafael Antunes Dias.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.




Formação Complementar


2017 - 2017
Dispersão de sementes por animas: implicações ecológicas e evolutivas. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil.
2017 - 2017
II CURSO TEÓRICO DE MANIPULAÇÃO DE ANIMAIS PARA EXPERIMENTAÇÃO. (Carga horária: 12h).
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
2016 - 2016
Introdução ao uso do programa de estatística R. (Carga horária: 16h).
Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.
2015 - 2015
Educação Ambiental. (Carga horária: 14h).
SENAI - Departamento Regional do Acre, SENAI/DR/AC, Brasil.
2015 - 2015
Captura, biometria e anilhamento de aves silvestres. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.
2014 - 2014
Extensão universitária em Bioestatística Teórica e Aplicada. (Carga horária: 40h).
Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.
2011 - 2014
Curso de lingua Inglesa. (Carga horária: 384h).
Centro de Cultura Anglo Americana, CCAA, Brasil.
2011 - 2011
Coleta, Montagem e Identificação de Insetos. (Carga horária: 20h).
Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Monitoria, Enquadramento Funcional: Monitor, Carga horária: 6
Outras informações
Disciplina de Ecologia

Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Monitoria, Enquadramento Funcional: Monitor, Carga horária: 2
Outras informações
Inventários de fauna: Aspectos teóricos e analíticos

Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: estagiário, Carga horária: 4
Outras informações
Estruturação taxonômica, filogenética e funcional de comunidades de aves campestres e de áreas úmidas do sul do Brasil

Atividades

03/2014 - Atual
Estágios , Unidades e Cursos de Graduação, Instituto de Biologia (IB).

Estágio realizado
Ecologia.


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Subsídios científicos para o plano de gestão da pesca de Tubarão Azul no Rio Grande do Sul
Descrição: O projeto tem como objetivo avaliar o estado atual de exploração de Prionace glauca no sul do Brasil. Para tal, serão monitorados desembarques e viagens de pesca industrial de espinhel pelágico ao longo de 5 anos. Serão coletados dados de capturas, esforço, composição de comprimentos e idades de Prionace glauca no sul do Brasil. Serão avaliadas tendências temporais de CPUE e aplicados modelos de avaliação de estoques para estimar o estado de explotação atual do estoque.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Camila Bosenbecker - Coordenador / Camila Ferreira Bosenbecker - Integrante / Luis Gustavo Cardoso - Integrante / Manuel Haimovici - Integrante / Marcio de Araújo Freire - Integrante / Stefan Cruz Weigert - Integrante / Lucas dos Santos Rodrigues - Integrante / Felipe Abbatepaulo - Integrante / Yan Gonçalves Gowert - Integrante.
2014 - 2015
Estruturação taxonômica, filogenética e funcional de comunidades de aves campestres e de áreas úmidas do sul do Brasil
Descrição: Compreender como as comunidades ecológicas são organizadas e reconhecer os processos envolvidos em sua estruturação constituem oportunidades de estudo que podem contribuir de forma objetiva para o avanço da teoria ecológica e a elaboração de diretrizes práticas de manejo e conservação ambiental. Três hipóteses fundamentais explicam os processos envolvidos na construção das comunidades: seleção de espécies, competição-parentesco e neutralidade. É possível testar essas hipóteses do ponto de vista taxonômico, funcional ou filogenético. Campos e áreas úmidas de latitudes médias figuram dentre os ambientes mais ameaçados da Terra. Consequentemente, aves campestres e de áreas úmidas constituem o terceiro e quarto grupo mais ameaçado de extinção em termos de uso de habitat no Novo Mundo. No extremo sul do Brasil, a conversão de áreas úmidas e campos em áreas de cultivos têm avançado rapidamente, ameaçando a avifauna desses ambientes. Avançar o conhecimento referente à diversidade e estruturação de comunidades ecológicas de aves campestres e de áreas úmidas no sul do Brasil possibilitará compreender como está distribuída a diversidade taxonômica, funcional e filogenética desses organismos nesses ambientes, o que permitirá avaliar o papel das poucas unidades de conservação existentes na região para a conservação da biodiversidade e a identificação de eventuais lacunas. De mesmo modo, o conhecimento sobre os processos envolvidos na estruturação dessas comunidades é chave para compreender como os atuais usos da terra na região, como a criação extensiva de gado e a silvicultura industrial afetam a avifauna.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.


Produções



Produção bibliográfica
Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
BOSENBECKER, C. F. ; DIAS, R. A. . A presença de árvores aumenta a diversidade de aves em ambientes campestres?. In: XXIV Congresso de iniciação científica da Universidade Federal de Pelotas, 2015, Pelotas. A presença de árvores aumenta a diversidade de aves em ambientes campestres?, 2015.

2.
BOSENBECKER, C. F. ; DIAS, R. A. . Avifauna do bioma pampa, Brasil. In: XXIII Congresso de iniciação científica da Universidade Federal de Pelotas, 2014, Pelotas. Resumos, 2014.

3.
ISLAS, C. A. ; VERMAN, M. P. ; BOSENBECKER, C. F. ; LOBATO, I. B. ; BEHLING, G. M. . Avaliação da mastofauna de médio e grande porte de remanescente florestal no sul do Rio Grande do Sul.. In: XXI Congresso de Iniciação Científica, 2012, Pelotas. AVALIAÇÃO DA MASTOFAUNA DE MÉDIO E GRANDE PORTE DE REMANESCENTE FLORESTAL NO SUL DO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL, 2012.


Demais tipos de produção técnica
1.
SILVA, C. F. M. ; BOSENBECKER, C. F. . Ecologia computacional: Introdução ao ambiente R. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
BOSENBECKER, C. F. ; BARRETO, C. T. ; FARIA, F. . Subtropical Physiology and Ecology. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
BOSENBECKER, C. F. . Taxidermia de aves. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
XIII Congresso de Ecologia do Brasil e III International Symposium of Ecology and Evolution. Partição de recursos alimentares e nicho Isotópico de três espécies de sabiás, sul do Brasil. 2017. (Congresso).

2.
XIII Congresso de Ecologia do Brasil e III International Symposium of Ecology and Evolution. 2017. (Congresso).

3.
Estação Ecológica do Taim 30 anos Conservando a Biodiversidade. 2016. (Seminário).

4.
I Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão. 2015. (Congresso).

5.
XXIV Congresso de iniciação científica da Universidade Federal de Pelotas. A presença de árvores aumenta a diversidade de aves em ambientes campestres?. 2015. (Congresso).

6.
III Congreso Uruguayo de zoología. 2014. (Congresso).

7.
XXIII Congresso de iniciação científica da Universidade Federal de Pelotas. Avifauna do bioma pampa, Brasil. 2014. (Congresso).

8.
XXIII Congresso de iniciação científica da Universidade Federal de Pelotas. 2014. (Congresso).

9.
II Congreso Uruguayo de zoología. 2012. (Congresso).

10.
XII Semana Acadêmica da Biologia. 2011. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
BOSENBECKER, C. F. . XVII Encontro de Pós-Graduação. 2015. (Congresso).

2.
BOSENBECKER, C. F. ; DIAS, R. A. . Curso de Bioestatística Teórica e Aplicada. 2014. (Outro).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 18/10/2018 às 20:17:37