Raíssa Vitória Oliveira Caetano

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/5634078103433014
  • Última atualização do currículo em 07/08/2012


Cursando licenciatura em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerias, habilitação dupla Português/Italiano. Atualmente, professora de língua italiana no Centro de Extensão da Faculdade de Letras. Realizou projetos de pesquisa em Linguística, em 2010 e 2011, investigando a fala espontânea a partir de estudos de corpus. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Raíssa Vitória Oliveira Caetano
Nome em citações bibliográficas
CAETANO, R. V. O.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Letras.
Avenida Presidente Antônio Carlos, número 6627
Pampulha
31270-901 - Belo Horizonte, MG - Brasil
Telefone: (31) 34096002
URL da Homepage: http://www.letras.ufmg.br/cenex/


Formação acadêmica/titulação


2009
Graduação em andamento em Letras.
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.




Atuação Profissional



Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - Atual
Vínculo: Pesquisadora bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisadora-júnior, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.



Projetos de pesquisa


2011 - 2012
Modalidade na fala espontânea: domínio de aplicação e a interface semântico-pragmática
Descrição: A proposta de IC ora submetida insere-se no subprojeto de pesquisa Modalidade na fala espontânea do Português Brasileiro: um estudo de corpus, o qual integra um projeto guarda-chuva intitulado C-ORAL-BRASIL. formação de corpus e estudos sobre a fala espontânea do português do Brasil. Este já foi avaliado e aprovado pela COEP (autorização ETIC 0209.07). O termo Modalidade diz respeito a um domínio semântico que acomoda variadas nuances de sentido, adicionadas a uma hipotética estrutura neutra, qual seja, uma proposição factual e declarativa. Essa variedade de sentidos encobre um espectro de sub-classes que inclui conteúdos semânticos desiderativos, intentivos, hipotéticos, dubidativos, dentre outros. Tanto a definição de modalidade quanto a identificação de categorias lingüísticas que a codificam constituem amplos campos de estudo e apresentam visões controversas e muitas vezes conflitantes, dependendo do quadro teórico a ser adotado. Contribuições importantes para a melhor compreensão da Modalidade em línguas naturais podem ser alcançadas através de estudos de corpora, como propomos, uma vez que assim observam-se tendências estatisticamente significantes de padrões e índices modalizadores. A modalidade, codificada lexicalmente, pode se manifestar através de verbos, advérbios, adjetivos e nomes. A presente proposta de IC focaliza a natureza semântica dos índices modais (e seu valor proposicional) e os fatores pragmáticos que levam às suas variadas interpretabilidades e funcionalidades contextuais. O mapeamento de categorias modalizadoras é de difícil operacionalização e só pode ser feita experimentalmente mediante uma ampla base de dados lingüísticos, sistematizados em formato de corpus e com relevância estatística, para que se verifique: (a) quais são os tipos modalizadores e (b) qual a sua freqüência e representatividade no sistema lingüístico. Para tal fim, será utilizado o C-ORAL-BRASIL como fonte de dados representativos da fala espontânea, já tratad.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2010 - 2011
Construções adverbiais modalizadoras na fala espontânea: um estudo prospectivo
Descrição: A proposta de IC ora submetida insere-se no subprojeto de pesquisa Modalidade na fala espontânea do Português Brasileiro: um estudo de corpus, o qual integra um projeto guarda-chuva intitulado C-ORAL-BRASIL. formação de corpus e estudos sobre a fala espontânea do português do Brasil. Este já foi avaliado e aprovado pela COEP (autorização COEP 0209.0.203.000-17). O termo Modalidade diz respeito a um domínio semântico que acomoda variadas nuances de sentido, adicionadas a uma hipotética estrutura neutra, qual seja, uma proposição factual e declarativa. Essa variedade de sentidos encobre um espectro de sub-classes que inclui conteúdos semânticos desiderativos, intentivos, hipotéticos, dubidativos, dentre outros. Tanto a definição de modalidade quanto a identificação de categorias lingüísticas que a codificam constituem amplos campos de estudo e apresentam visões controversas e muitas vezes conflitantes, dependendo do quadro teórico a ser adotado. Contribuições importantes para a melhor compreensão da Modalidade em línguas naturais podem ser alcançadas através de estudos de corpora, como propomos, uma vez que assim observam-se tendências estatisticamente significantes de padrões e índices modalizadores. A modalidade, codificada lexicalmente, pode se manifestar através de verbos, advérbios, adjetivos e nomes. A presente proposta de IC focaliza o problema de identificação de categorias e sub-categorias nocionais associadas à modalidade e à sua codificação lingüística via advérbios e construções com valor adverbial. O mapeamento de categorias é de difícil operacionalização e só pode ser feita experimentalmente mediante uma ampla base de dados lingüísticos, sistematizados em formato de corpus e com relevância estatística, para que se verifique: (a) quais são os tipos adverbiais modalizadores e (b) qual a sua frequência e representatividade no sistema lingüístico. Para tal fim, será utilizado o C-ORAL-BRASIL como fonte de dados representativos da fala espontânea, já tra.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Lingüística.
2.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Lingüística / Subárea: Linguística de Corpus.


Idiomas


Espanhol
Compreende BemLê Bem.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Italiano
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Produções



Produção bibliográfica
Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
CÔRTES, P. O. ; MITTMANN, M. M. ; RASO, T. ; CAETANO, R. V. O. ; MELLO, H. R. . A convergência entre anotadores na segmentação prosódica do corpus C-ORAL-BRASIL. In: III Colóquio Nacional Brasileiro de Prosódia da Fala, 2011, Belo Horizonte. Anais do Colóquio Brasileiro de Prosódia da Fala, 2012. v. 1. p. 1.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
GSCP 2012 International Conference. In search of modality: a spontaneous speech corpus based study. 2012. (Congresso).

2.
18º Intercâmbio de Pesquisas em Linguística Aplicada. A linguística de corpus como elemento metodológico no estudo da modalidade no PB. 2011. (Congresso).

3.
III Colóquio Brasileiro de Prosódia da Fala. A convergência entre anotadores na segmentação prosódica do corpus C-ORALBRASIL. 2011. (Congresso).

4.
V ESCOLA BRASILEIRA DE LINGUÍSTICA COMPUTACIONAL. 2011. (Oficina).

5.
X ENCONTRO DE LINGUÍSTICA DE CORPUS. Formas modais equivalentes com valores semânticos diversos: um mapeamento em corpora. 2011. (Congresso).

6.
Parser PALAVRAS. 2010. (Oficina).

7.
V LABLITA and II Brazilian Seminar on Pragmatics and Prosody: Ilocution, modality, attitude, information patterning and speech annotation. 2010. (Congresso).

8.
Aspectos da Linguística de corpora. 2009. (Seminário).

9.
Segmentação e análise da fala através da percepção e do software WinPitch. 2009. (Oficina).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 10/12/2018 às 7:30:07