Jhonatas Sirino Monteiro

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/1268583354894840
  • Última atualização do currículo em 08/08/2018


Jhonatas Sirino Monteiro é mestre em Bioinformática formado pela Universidade de São Paulo (USP) e atualmente é aluno de doutorado em Bioinformática na mesma instituição. Cursou a graduação na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) no curso de Bacharelado Interdisciplinar em Ciência do Mar (BICT-Mar), onde foi monitor do módulo de Funcionamento da Vida I e II dentro do eixo Vida Marinha e contemplado com bolsa na modalidade de Iniciação Tecnológica (PIBITI) do CNPq para trabalhar com o projeto "Biorremediação de óleo em terminais portuários: subsídios para uma abordagem da biologia de sistemas". Projeto que teve continuidade no estudo "Reconstrução da filogenia de Pseudomonas como método para predição de genes relacionados com a degradação de antraceno" também financiada pelo CNPq na modalidade PIBITI. A dissertação de mestrado teve como tema o estudo o transcritoma de um mexilhão marinho exposto a derivados do petróleo na tentativa de identificar quais genes são induzidos ou inibidos pela presença do contaminante. Espera-se que essa pesquisa contribua para o panorama geral da biologia desta espécie de mexilhão, o que pode permitir o desenvolvimento de novas aplicações em outros campos científicos, como a aquicultura e a ecotoxicologia. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Jhonatas Sirino Monteiro
Nome em citações bibliográficas
SIRINO, J. M.;MONTEIRO, J. S.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade de São Paulo, Instituto de Química, Departamento de Bioquímica.
Avenida Professor Lineu Prestes
Butantã
05508000 - São Paulo, SP - Brasil
Telefone: (11) 30919162
URL da Homepage: http://lbi.usp.br/


Formação acadêmica/titulação


2017
Doutorado em andamento em Bioinformática.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Orientador: João Carlos Setubal.
2015 - 2017
Mestrado em Bioinformática.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Análise do transcritoma do mexilhão marrom (Perna perna) sob contaminação por antraceno,Ano de Obtenção: 2017.
Orientador: João Carlos Setubal.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Bioinformática; Transcritoma; Ecotoxicologia.
Grande área: Ciências Biológicas
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Biologia Molecular.
2012 - 2014
Graduação em Interdisciplinar em Ciência do Mar.
Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, Brasil.
Título: Análise de impacto por antraceno oriundo das atividades antropogênicas no histórico evolutivo das bactérias do gênero Pseudomonas.
Orientador: Igor Dias Medeiros.
2009 - 2012
Ensino Médio (2º grau).
Instituto Federal Fluminense campus Cabo Frio, IFF, Brasil.




Formação Complementar


2015 - 2015
Current methodologies in transcriptome analysis. (Carga horária: 3h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
2015 - 2015
Introductory course on genomic informatics. (Carga horária: 30h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
2012 - 2012
Espanhol A1. (Carga horária: 60h).
Universia Brasil, UNIVERSIA, Brasil.
2009 - 2012
Língua Inglesa. (Carga horária: 245h).
Wizard Brasil, WIZARD, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Aluno-pesquisador
Outras informações
Desenvolve atividade de pesquisa relacionada com a dissertação do mestrado intitulada "Análise do transcritoma do mexilhão marrom (Perna perna) sob contaminação por antraceno" contemplada com bolsa de mestrado da CAPES.

Atividades

08/2015 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Química, Departamento de Bioquímica.


Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Aluno-pesquisador
Outras informações
- Desenvolver experimentos laboratoriais com biomarcadores de exposição em bivalves marinhos com a técnica de PCR em tempo real, realizando também análises de expressão diferencial de genes; - Desenvolver atividade de pesquisa relacionada com os projetos de iniciação científica intitulados: "Biorremediação de óleo em terminais portuários: subsídios para uma abordagem da biologia de sistemas" e "Reconstrução da filogenia de Pseudomonas como método para predição de genes relacionados com a degradação de antraceno" contemplados com bolsas de iniciação tecnológica (PIBIT) do CNPq.

Atividades

08/2013 - 07/2015
Pesquisa e desenvolvimento , Campus Baixada Santista- SP, .

2014 - 2015
Extensão universitária , Campus Baixada Santista- SP, .

Atividade de extensão realizada
ExpoMar: Exposição interativa sobre a biodiversidade marinha - do micro ao macro.
08/2013 - 07/2014
Outras atividades técnico-científicas , Campus Baixada Santista- SP, Campus Baixada Santista- SP.

Atividade realizada
Monitoria do Eixo Vida Marinha: Funcionamento da Vida I e II.

Instituto Federal Fluminense, IFF, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2012
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Aluno-pesquisador
Outras informações
- Desenvolver atividade de pesquisa relacionada com o projeto "Elaboração de Práticas Experimentais Relacionadas com a Reciclagem de Materiais Usados no Nosso Cotidiano". - Desenvolver atividade de pesquisa relacionada com o projeto de iniciação científica júnior (ICJ) intitulado "Verticalização do Ensino Através do Estudo da Biorremediação em Áreas Contaminadas por Hidrocarbonetos do Petróleo" contemplado com bolsa de iniciação científica júnior (ICJ) do CNPq.

Atividades

08/2010 - 01/2012
Pesquisa e desenvolvimento , Institut Federal Fluminense, .



Linhas de pesquisa


1.
Bioquímica dos Microorganismos
2.
Biologia Molecular
3.
Bioquímica dos Microorganismos
4.
Bioinformática
5.
Transcritômica
6.
Biologia Molecular


Projetos de pesquisa


2015 - Atual
Análise do transcritoma do mexilhão marrom (Perna perna) sob contaminação por antraceno
Descrição: Estuários e outros ecossistemas costeiros são suscetíveis à contaminação por hidrocarbonetos poliaromáticos (HPAs), como o antraceno (ANT), devido à intensa atividade humana nessas regiões. O ANT é um dos HPAs com maior solubilidade em água e sua toxicidade aumenta com a exposição à luz solar. Os moluscos bivalves são organismos modelo em estudos ecotoxicológicos, porém poucos mecanismos de biotransformação de xenobióticos a nível genômico são conhecidos para Perna perna. Através do sequenciamento do transcritoma de mexilhões expostos ao ANT serão identificados os principais genes de biotransformação envolvidos no processo, bem como a diferença na expressão destes genes induzida pela exposição..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Jhonatas Sirino Monteiro - Integrante / Igor Dias Medeiros - Integrante / João Carlos Setubal - Coordenador.
2014 - 2015
Reconstrução da filogenia de Pseudomonas como método para predição de genes relacionados com a degradação de antraceno
Descrição: O presente trabalho propõe investigar se a reconstrução da filogenia de bactérias do gênero Pseudomonas pode servir como método para predição de genes relacionados com a degradação de antraceno em genomas de bactérias ainda não testadas. Atividade antropogênicas, como as atividades portuárias que são fontes de contaminação de antraceno no estuário de Santos e em outros ecossistemas, podem ter impactado na história evolutiva de bactérias do gênero Pseudomonas. Utilizando técnicas em bioinformática, será(ão) identificada(s) a(s) enzima(s) que participa(am) do processo de degradação do antraceno e as Pseudomonas que possuem os genes para essa(s) enzima(s). Posteriormente, as sequências do gene 16S RNA ribossomal dessas bactérias serão utilizadas para reconstruir a história evolutiva de Pseudomonas que possuem os genes relacionados com a degradação do antraceno, assim como também daquelas que não possuem. Uma vez construída a filogenia será feita uma análise da mesma para verificar se a capacidade de degradar antraceno surgiu de forma única ou em múltiplas linhagens deste gênero de bactérias e então concluir sobre a possibilidade desse estudo ser um método para predição de genes relacionados com a degradação de antraceno em genomas de bactérias ainda não testadas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Jhonatas Sirino Monteiro - Integrante / Igor Dias Medeiros - Coordenador / Marcelo Visentini Kitahara - Integrante.
2013 - 2014
Biorremediação de óleo em terminais portuários: subsídios para uma abordagem da biologia de sistemas.
Descrição: O processo de manutenção do maquinário e os recorrentes acidentes nas operações de carga e descarga dos navios no porto de Santos são uma das fontes de contaminação do estuário por óleo lubrificante ou outros derivados do petróleo, como óleo diesel. Tanto no óleo diesel quanto no óleo lubrificante estão presentes compostos de hidrocarbonetos poliaromáticos (HPA?s), hidrocarbonetos formados por dois ou mais anéis benzênicos, como por exemplo, o antraceno. A preocupação envolvida na presença de antraceno no ambiente decorre de sua toxicidade. Apesar de efeitos carcinogênicos em humanos ainda não serem relatados, estudos com Pomatoschistus microps, um peixe estuarino, mostram que o antraceno provocou alterações em seu mecanismo neurotransmissor e o induziu a sofrer estresse oxidativo. A toxicidade do antraceno pode ainda ser aumentada com a exposição à luz solar, e, devido ao seu baixo peso molecular, possui alta solubilidade em água. Como solução para a descontaminação do solo existe a biorremediação. Biorremediação é uso de microrganismos capazes de metabolizar compostos persistentes no meio ambiente para a descontaminação do mesmo, porém os ambientes possuem relações complexas, sendo impossíveis de se reproduzir em laboratório. Para isso, existe a abordagem da biologia de sistemas, em que se estuda as interações e redes metabólicas de organismos nos níveis moleculares, celulares, em comunidade e ecossistêmicos, de forma integrada para se analisar complexos sistemas biológicos. A principal base de dados pública sobre biotransformação microbiana é da Universidade de Minessota (EUA), e a investigação dessa base de dados permitiu a identificação das principais espécies de microrganismos com potencial para esse tipo de biorremediação assim como a análise a possibilidade de formação de consórcios entre microrganismos com intuito de promover a biodegradação do antraceno. Assim sendo, este trabalho teve por objetivo um método que visa realizar uma triagem de microrganismos capazes de biorremediar o antraceno e planejar consórcios formados entre os mesmos, para aumentar a eficiência do processo, a partir da análise das vias metabólicas dos microrganismos disponíveis gratuitamente na UMBBD (University of Minnesota Biocatalysis/Biodegradation Database), contribuindo com subsídios para a abordagem da biorremediação de óleo nos terminais portuários a partir da ótica da Biologia de Sistemas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Jhonatas Sirino Monteiro - Integrante / Igor Dias Medeiros - Coordenador.
2012 - 2013
Diagnóstico de resíduos sólidos, efluentes líquidos e fauna sinantrópica nociva nos portos de Santos e São Sebastião
Descrição: Os portos marítimos, localizados normalmente em zonas de elevada sensibilidade ambiental e na proximidade de zonas urbanas, exigem investimentos visando a minimização de eventuais impactos ambientais negativos de seu funcionamento, implicando que se atenda à melhoria das condições de operação, integração e de requalificação urbana das áreas limítrofes das zonas portuárias. Em função disso, é imprescindível a realização de estudos para a obtenção de uma avaliação precisa da atual realidade dos portos, pois, a partir dessas análises, se definirão ações e proposições buscando tanto a adequação às normas existentes, como à criação ou otimização de mecanismos de gestão portuária, contribuindo também com instrumentos inovadores de controle ambiental nos portos organizados nacionais. Do ponto de vista da saúde pública, a adequada gestão de resíduos, efluentes e fauna sinantrópica nociva é procedimento fundamental para a melhoria, controle e eliminação de situações de risco para operadores portuários e população local, uma vez que a presença não controlada destes elementos pode causar danos ambientais e à saúde humana. A Secretaria Especial de Portos da Presidência da República vem implementando o Programa de Conformidade do Gerenciamento de Resíduos Sólidos e Efluentes Líquidos nos Portos Marítimos Brasileiros, coordenado nacionalmente pelo COPPE/UFRJ, cujo objetivo inicial é elaborar um diagnóstico/inventário de resíduos sólidos, efluentes líquidos e fauna sinantrópica nociva nos vinte e dois portos marítimos brasileiros. O objetivo deste projeto é, portanto, identificar as fontes e quantificar a geração de resíduos sólidos e efluentes líquidos em toda a área do porto organizado, sejam eles de originados nas operações de bordo, operações portuárias ou atividades administrativas. Também se quantificará a ocorrência de fauna sinantrópica (roedores, aves e entomofauna) em locais específicos previamente determinados. Deste modo, este projeto contribuirá de forma técnica e cie.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (21) / Mestrado acadêmico: (5) .
Integrantes: Jhonatas Sirino Monteiro - Integrante / Rodrigo Brasil Choueri - Coordenador / Camilo D. S. Pereira - Integrante / Igor Dias Medeiros - Integrante / Ronaldo Adriano Christofoletti - Integrante.
2011 - 2012
Verticalização do Ensino Através do Estudo da Biorremediação em Áreas Contaminadas por Hidrocarbonetos do Petróleo
Descrição: A importância do desenvolvimento de abordagens multi-disciplinares para a resolução de problemas relativos à poluição antropogênica é agora claramente apreciada pela comunidade científica, e isso é especialmente evidente nos ecossistemas expostos a crescentes ameaças de hidrocarbonetos do petróleo expandidas através das atividades de extração e contaminação dos recursos naturais (ROBERTSON et al., 2007). A crescente conscientização dos efeitos nocivos da poluição para o meio ambiente e para saúde humana levou a um aumento acentuado na investigação de diversas estratégias que poderão ser utilizadas para a descontaminação de ambientes poluídos. Muitos métodos convencionais de descontaminação são caros devido ao custo de escavação e transporte de grandes quantidades de materiais contaminados para tratamento ex situ, como a lavagem do solo, inativação química e incineração (CHAUDHRY et al., 2005; PILON-SMITS, 2005). O elevado custo e limitada eficiência destes tratamentos tradicionais físico-químicos tem estimulado o desenvolvimento de tecnologias alternativas para aplicações in situ, em especial os baseados em remediação biológica com a utilização de plantas e micro-organismos (CHAUDHRY et al., 2005; SINGH & JAIN, 2003; DORAN, 2009). A fitoremediação realizada com os vegetais que compõem o ecossistema de restinga destaca-se como campo de pesquisa inovador na área da biorremediação. Nesse contexto, a introdução seletiva de micro-organismos específicos com grande capacidade biodegradante na rizosfera de plantas características desse ecossistema, pode acelerar a recuperação de solos contaminados com produtos químicos orgânicos. Os micro-organismos mais adequados para biorremediação podem ser aqueles isolados de sítios contaminados com um particular composto alvo..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Jhonatas Sirino Monteiro - Integrante / Victor Barbosa Saraiva - Coordenador / Leonízia Valdeci de Melo - Integrante / Ana Carolina da Silveira Dias - Integrante / Roberta de Sousa Ramalho - Integrante / Leonardo Munalde Lube - Integrante / Tarsila Sales - Integrante / Viviane de Oliveira da Silva - Integrante / Luiz Felipe Umbelino - Integrante / Gisely de Paula Mendes - Integrante / Gabriele Vitorino dos Santos - Integrante.
2011 - 2012
Elaboração de Práticas Experimentais Relacionadas com a Reciclagem de Materiais Usados no Nosso Cotidiano
Descrição: A reciclagem de materiais é um tema presente no nosso cotidiano e em aulas, principalmente, da área de Ciências. No entanto, a integração entre a reciclagem e os conteúdos abordados nas disciplinas não é recorrente. A reciclagem química engloba processos de transformação de materiais que normalmente eliminamos, a partir de etapas que dependem de processos químicos cujos conceitos são discutidos no ambiente escolar. Portanto, esses conceitos podem ser interpretados de forma significativa através de experiências relacionadas a etapas da reciclagem de alguns materiais. Para atingir esse objetivo, esse projeto consiste na elaboração de atividades práticas utilizando-se a reciclagem de materiais presentes no nosso cotidiano como pilhas comuns, papéis, latas de alumínio, óleos e plásticos em geral, para o aprendizado eficaz de alguns conceitos químicos..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
2010 - 2011
Biorremediação como Eixo Temático para o Ensino de Ciências
Descrição: O ensino de ciências oferecido pelas escolas é, na maioria das vezes, inadequado, visto que os conteúdos são transmitidos ao aluno de forma fragmentada, ou seja, sem correlação entre as ciências, desvalorizando os conteúdos e a forma com que eles realmente acontecem no cotidiano. O projeto tem como objetivo apresentar métodos interdisciplinares para o ensino de ciências por meio da biorremediação, pois esse fenômeno traz a mesclagem de disciplinas de diferentes níveis de ensino, como a biologia, a química, a física, a geografia, e a matemática que juntas proporcionam um completo sentido do processo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2014 - 2015
Exposição Interativa Interdisciplinar sobre a Célula: aspectos estruturais e funcionais (ExpoCell)

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Igor Dias Medeiros em 10/03/2016.
Descrição: Em 2012, a UNIFESP campus Baixada Santista, seguindo uma vocação regional, iniciou a implantação do Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia do Mar (BICTMar). O BICTMar está planejado numa concepção modular de currículo, procurando integrar conteúdos/disciplinas em Eixos e Módulos interdisciplinares. Entre as unidades curriculares fixas do curso, estão os Módulos ?Funcionamento da Vida I e II?, que integram os conteúdos relacionados à Biologia Celular e Molecular, à Bioquímica e à Genética. A metodologia de ensino desses módulos envolve aulas teóricas expositivas e dialogadas, aulas práticas, estudo dirigido, além de um trabalho final, onde os alunos elaboram projetos interdisciplinares, como gibis, jogos, maquetes e vídeos. A construção desses materiais lúdicos contribui significativamente para o entendimento dos processos moleculares e aproxima os estudantes do conhecimento. Sendo assim, o objetivo desse projeto é organizar uma exposição interativa com os materiais lúdicos produzidos relacionados aos conteúdos de Biologia Celular e Molecular, Genética e Bioquímica com a finalidade de divulgação científica voltada às Escolas de Ensino Médio da região da Baixada Santista.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (8) .
Integrantes: Jhonatas Sirino Monteiro - Integrante / Igor Dias Medeiros - Coordenador / Andrezza Justino Gozzo Andreotti - Integrante / José Juan Barrera Alba - Integrante / Gustavo Bueno Gregoracci - Integrante.


Outros Projetos


2013 - 2014
Monitoria do Eixo Vida Marinha: Funcionamento da Vida I e II
Descrição: O projeto de monitoria do Eixo Vida Marinha teve como objetivos: apresentar o cotidiano acadêmico aos monitores, despertar o interesse pela carreira docente e facilitar a relação docente/estudante e estudante/conteúdo, auxiliando no aprendizado dos alunos do curso de Bacharelado Interdisciplinar em Ciências do Mar (BICMar). Durante a execução do projeto, que beneficiou 383 alunos que cursaram os módulos Funcionamento da Vida I e II, a monitoria desempenhou diversas atividades junto aos professores, para que esses objetivos fossem alcançados. Entre elas, foram criados diversos canais de comunicação com os alunos, como plantões de dúvida, site, email e grupo em rede social. As atividades da monitoria foram avaliadas pelos discentes por meio de um questionário realizado ao final de cada um dos módulos. De acordo com essa avaliação, aproximadamente 90% dos alunos participaram de alguma forma das atividades executadas pela monitoria e a maioria aprovou e indicou que os objetivos propostos foram atingidos. Segundo avaliação do público-alvo, o site, criado exclusivamente pelos monitores, foi umas das formas de comunicação mais eficazes e elogiadas da monitoria. Nele, os discentes tinham acesso aos conteúdos complementares ao módulo, disponibilizados pelos monitores, como vídeos, informativos de eventos e atividades, guias de estudo e dicas sobre o conteúdo, além de avisos e recados dos professores para os alunos. Outro aspecto interessante foi a participação dos monitores na organização e execução do Evento de Extensão ?Expocell: uma exposição interativa e interdisciplinar sobre a célula?, evento proposto pelos docentes e apoiado pelo CNPq. A exposição, para alunos do ensino médio da região da Baixada Santista, foi feita com os trabalhos dos alunos dos módulos de Funcionamento da Vida I e II, como jogos, maquetes, gibis e vídeos. A monitoria participou, de forma orientada pelos Docentes, da escolha e restauração desses trabalhos, dos convites para as Escolas de Ensino Médio visitantes, da confecção de material de divulgação, bem como de uma visita guiada dos alunos do ensino médio pela Exposição. Os monitores também avaliaram o programa e, de acordo com essa avaliação e com o entusiasmo nas suas respostas, foi possível averiguar que os objetivos foram atingidos e a metodologia empregada foi eficiente, atestando a necessidade da iniciativa de se criar e manter um Programa de Monitoria..
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
Alunos envolvidos: Graduação: (7) .
Integrantes: Jhonatas Sirino Monteiro - Integrante / Igor Dias Medeiros - Integrante / Andrezza Justino Gozzo Andreotti - Coordenador / Fabrini Copetti Temistocles Menezes - Integrante / Max Miller da Silva - Integrante / Michelle Cristina Souza Freitas - Integrante / Nathalia Clyo Rizzo de Freitas Neves - Integrante / Victor Marques de Oliveira Gambarini - Integrante / Vinicius Beltran Dos Santos - Integrante.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Biologia Molecular/Especialidade: BIOINFORMÁTICA.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Biologia Molecular.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Bem.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2015
Aluno Destaque do curso de Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia do Mar, Universidade Federal de São Paulo.
2010
2° Lugar na FEMUCTI - Feira Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, Prefeitura Municipal de Cabo Frio.


Produções



Produção bibliográfica
Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
NUNES, R. C. ; BARBOZA, A. L. ; SANTOS, G. V. ; COSTA, S. M. ; MONTEIRO, J. S. ; HENRIQUE, V. . A produção de vídeos e a Educação em Química: a IFF TV. In: 52º Congresso Brasileiro de Química, 2012, Recife. Anais do 52º Congresso Brasileiro de Química, 2012.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
MONTEIRO, J. S.; BICEGO, M. C. ; TANIGUCHI, S. ; SASAKI, S. T. ; SETUBAL, J. C. ; MEDEIROS, I. D. . The transcriptome of the brown mussel Perna perna when exposed to anthracene. In: SETAC Latin America 12th Biennal Meeting, 2017, Santos. SETAC Latin America 12th Biennal Meeting: Bridging the gap between science and govenance, 2017.

2.
MONTEIRO, J. S.; SETUBAL, J. C. ; MEDEIROS, I. D. . Análise do transcritoma do mexilhão marrom (Perna perna) sob contaminação por antraceno. In: XIV Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2016, Curitiba. ECOTOX - XIV Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia 2016: Anais de resumos, 2016. p. 422-424.

3.
ORTEGA, C. M. ; CENEDESI, M. F. ; MONTEIRO, J. S. ; MEDEIROS, I. D. . Biomarcadores moleculares em ostras nativas expostas a ambiente contaminado por combustíveis. In: XIV Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2016, Curitiba. ECOTOX - Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia 2016: Anais de resumos, 2016. p. 456-458.

4.
MONTEIRO, J. S.; KITAHARA, M. V. ; MEDEIROS, I. D. . Reconstrução da filogenia de Pseudomonas como método para predição de genes relacionados com a degradação de antraceno. In: I Congresso Acadêmico Unifesp, 2015, São Paulo. I Congresso Acadêmico Unifesp, 2015. p. 629-629.

5.
MONTEIRO, J. S.; MEDEIROS, I. D. . Biorremediação de óleo em terminais portuários: subsídios para uma abordagem da biologia de sistema. In: I Simpósio da Graduação UNIFESP, 2014, São Paulo. Simpósio da Graduação UNIFESP, 2014. p. 588-588.

6.
ANDREOTTI, A. J. G. ; MEDEIROS, I. D. ; MONTEIRO, J. S. ; TEMISTOCLES, F. C. ; SILVA, M. M. ; FREITAS, M. C. S. ; NEVES, N. C. R. F. ; GAMBARINI, V. M. O. ; SANTOS, V. B. . Monitoria do Eixo Vida Marinha: Módulos Funcionamento da Vida I e II. In: I Simpósio da Graduação UNIFESP, 2014, São Paulo. Simpósio da Graduação UNIFESP, 2014. p. 844-844.

Apresentações de Trabalho
1.
MONTEIRO, J. S.; BICEGO, M. C. ; TANIGUCHI, S. ; SASAKI, S. T. ; SETUBAL, J. C. ; MEDEIROS, I. D. . The transcriptome of the brown mussel Perna perna when exposed to anthracene. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
MONTEIRO, J. S.; SETUBAL, J. C. ; MEDEIROS, I. D. . Análise do transcritoma do mexilhão marrom (Perna perna) sob contaminação por antraceno. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
ORTENEY, N. E. ; MONTEIRO, J. S. ; SILVA, M. M. ; SOARES, B. L. ; GONCALVES, K. R. ; CENEDESI, M. F. ; BRITO, G. G. ; GIUSTI, G. ; ANDREOTTI, A. J. G. ; BARRERA-ALBA, J. J. ; GREGORACCI, G. B. ; LAGE, B. I. ; MEDEIROS, I. D. . ExpoMar: Exposição interativa sobre a biodiversidade marinha - do micro ao macro. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
ORTENEY, N. E. ; MONTEIRO, J. S. ; SILVA, M. M. ; FREITAS, M. C. S. ; ANDREOTTI, A. J. G. ; MEDEIROS, I. D. . ExpoCell: Exposição interativa interdisciplinar sobre a célula. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
ORTEGA, C. M. ; CENEDESI, M. F. ; MONTEIRO, J. S. ; MEDEIROS, I. D. . Biomarcadores moleculares em ostras nativas expostas a ambiente contaminado por combustíveis. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
MONTEIRO, J. S.; MEDEIROS, I. D. . Biorremediação de óleo em terminais portuários: subsídios para uma abordagem da biologia de sistemas. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

7.
MONTEIRO, J. S.; KITAHARA, M. V. ; MEDEIROS, I. D. . Reconstrução da filogenia de Pseudomonas como método para predição de genes relacionados com a degradação de antraceno. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
MONTEIRO, J. S.; MEDEIROS, I. D. . Biorremediação de óleo em terminais portuários: subsídios para uma abordagem da biologia de sistemas.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

9.
ANDREOTTI, A. J. G. ; MEDEIROS, I. D. ; TEMISTOCLES, F. C. ; MONTEIRO, J. S. ; SILVA, M. M. ; FREITAS, M. C. S. ; NEVES, N. C. R. F. ; GAMBARINI, V. M. O. ; SANTOS, V. B. . Monitoria do Eixo Vida Marinha: Funcionamento da Vida I e II. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

10.
NUNES, R. C. ; MONTEIRO, J. S. ; BARBOZA, A. L. ; SANTOS, G. V. ; COSTA JÚNIOR, S. M. F. ; HENRIQUE, V. S. . A produção de vídeos e a Educação Química: a IFF TV.. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

11.
MONTEIRO, J. S.; SANTOS, G. V. ; DIAS, A. C. S ; SARAIVA, V. B. . Biorremediação como Eixo Temático para o Ensino de Ciências.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).


Produção técnica
Redes sociais, websites e blogs
1.
FREITAS, M. C. S. ; MONTEIRO, J. S. ; GAMBARINI, V. M. O. ; SILVA, M. M. ; NEVES, N. C. R. F. ; SANTOS, V. B. ; TEMISTOCLES, F. C. . Monitoria Funcionamento da Vida. 2013. (Site).


Demais tipos de produção técnica


Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Next Frontiers to Cure Cancer. 2018. (Congresso).

2.
SETAC Latin America 12th Biennal Meeting. The transcriptome of the brown mussel Perna perna when exposed to anthracene. 2017. (Congresso).

3.
7º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária. ExpoCell: Exposição interativa interdisciplinar sobre a célula. 2016. (Congresso).

4.
7º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária. ExpoMar: Exposição interativa sobre a biodiversidade marinha - do micro ao macro. 2016. (Congresso).

5.
XIV Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia. Biomarcadores moleculares em ostras nativas expostas a ambiente contaminado por combustíveis. 2016. (Congresso).

6.
XIV Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia. Análise do transcritoma do mexilhão marrom (Perna perna) sob contaminação por antraceno. 2016. (Congresso).

7.
I Congresso Acadêmico Unifesp. Reconstrução da filogenia de Pseudomonas como método para predição de genes relacionados com a degradação de antraceno. 2015. (Congresso).

8.
I Paper Contest da II Edição do PetroScience. Biorremediação de óleo em terminais portuários: subsídios para uma abordagem da biologia de sistemas. 2015. (Exposição).

9.
X-Meeting 2015 - 11th International Conference of th AB3C + Brazilian Symposium of Bioinformatics. 2015. (Simpósio).

10.
I Simpósio da Graduação UNIFESP.Monitoria do Eixo Vida Marinha: Funcionamento da Vida I e II. 2014. (Simpósio).

11.
I Simpósio da Graduação UNIFESP.Biorremediação de Óleo em Terminais Portuários: subsídios para abordagem da Biologia de Sistemas. 2014. (Simpósio).

12.
Seminário Gestão da Biodiversidade Costeira. 2013. (Seminário).

13.
Debate "Lutas Feministas e Políticas de Combate à Opressão". 2012. (Outra).

14.
Palestra "A Universidade Pública e a Expansão do Ensino Superior no Brasil" com a Profª Marilena Chauí. 2012. (Outra).

15.
Brasil Offshore. 2011. (Outra).

16.
FEMUCTI - Feira Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação.Biorremediação como Eixo Temático para o Ensino de Ciências. 2011. (Outra).

17.
III Conferência de Iniciação Científica e Tecnológica (CONFICT)..Biorremediação como Eixo Temático para o Ensino de Ciências.. 2011. (Outra).

18.
Profissões de Futuro - Petrobrás. 2011. (Outra).

19.
FEMUCTI - Feira Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação.Verticalização do Ensino Através do Estudo da Biorremediação em Áreas Contaminadas por Hidrocarbonetos do Petróleo. 2010. (Outra).

20.
Semana de Química da UERJ. 2010. (Outra).

21.
Brasil Offshore. 2009. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
MEDEIROS, I. D. ; ANDREOTTI, A. J. G. ; BARRERA-ALBA, J. J. ; GREGORACCI, G. B. ; SILVA, M. M. ; ORTENEY, N. E. ; MONTEIRO, J. S. . ExpoMar: Exposição sobre a biodiversidade marinha. 2015. (Exposição).

2.
MEDEIROS, I. D. ; ANDREOTTI, A. J. G. ; TEMISTOCLES, F. C. ; MONTEIRO, J. S. ; SILVA, M. M. ; FREITAS, M. C. S. ; NEVES, N. C. R. F. ; GAMBARINI, V. M. O. ; SANTOS, V. B. . Exposição Interativa Interdisciplinar sobre a Célula: aspectos estruturais e funcionais (ExpoCell). 2014. (Exposição).



Educação e Popularização de C & T



Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
MEDEIROS, I. D. ; ANDREOTTI, A. J. G. ; TEMISTOCLES, F. C. ; MONTEIRO, J. S. ; SILVA, M. M. ; FREITAS, M. C. S. ; NEVES, N. C. R. F. ; GAMBARINI, V. M. O. ; SANTOS, V. B. . Exposição Interativa Interdisciplinar sobre a Célula: aspectos estruturais e funcionais (ExpoCell). 2014. (Exposição).

2.
MEDEIROS, I. D. ; ANDREOTTI, A. J. G. ; BARRERA-ALBA, J. J. ; GREGORACCI, G. B. ; SILVA, M. M. ; ORTENEY, N. E. ; MONTEIRO, J. S. . ExpoMar: Exposição sobre a biodiversidade marinha. 2015. (Exposição).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 19/12/2018 às 6:35:07