Natália Ayo Schmiedecke

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/0770326864184529
  • Última atualização do currículo em 18/10/2018


Atualmente realizo estágio de Pós-Doutorado no Departamento de História do IFCH-UNICAMP, com bolsa da FAPESP. Sou Doutora (2017) e Mestre (2013) em História pela FCHS-UNESP, com estágio de pesquisa realizado na Universidade de Helsinki (2015-2016); Bacharel e Licenciada (2010) em História pelo IFCH- UNICAMP. Atuo na área de História Latino-Americana, com ênfase no movimento da Nova Canção Chilena, no governo da Unidade Popular e na Revolução Cubana. Sou autora do livro "Não há revolução sem canções": utopia revolucionária na Nova Canção Chilena (São Paulo: Alameda, 2015), entre outros textos acadêmicos. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Natália Ayo Schmiedecke
Nome em citações bibliográficas
SCHMIEDECKE, N. A.;SCHMIEDECKE, NATÁLIA AYO


Formação acadêmica/titulação


2013 - 2017
Doutorado em História.
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
com período sanduíche em University of Helsinki (Orientador: Alfonso Padilla).
Título: ?Nuestra mejor contribución la hacemos cantando?: a Nova Canção Chilena e a "questão cultural" no Chile da Unidade Popular, Ano de obtenção: 2017.
Orientador: Tania da Costa Garcia.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: Nova Canção Chilena; Unidade Popular; Música engajada.
Grande área: Ciências Humanas
2011 - 2013
Mestrado em História.
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Título: ?Tomemos la historia en nuestras manos?: utopia revolucionária e música popular no Chile (1966-1973),Ano de Obtenção: 2013.
Orientador: Tania da Costa Garcia.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
2006 - 2010
Graduação em História.
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Título: Povo e folclore: bandeiras da Nova Canção Chilena na música de Víctor Jara (1966-1973).
Orientador: José Alves de Freitas Neto.
Bolsista do(a): Serviço de Apoio ao Estudante - Unicamp, SAE, Brasil.
2002 - 2005
Ensino Médio (2º grau).
Colégio Marista Arquidiocesano de São Paulo, ARQUI, Brasil.


Pós-doutorado


2018
Pós-Doutorado.
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas


Atuação Profissional



Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Estágio Pós-Doutoral, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Supervisor: Prof. Dr. José Alves de Freitas Neto

Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitora de disciplina, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Monitora da disciplina História da América II, ministrada pelo Prof. Dr. José Alves de Freitas Neto.

Vínculo institucional

2009 - 2010
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica - PIBIC/SAE, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

08/2018 - Atual
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
HH954A - Ênfase em Patrimônio Histórico e Cultural II

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2017
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Doutorado

Vínculo institucional

2011 - 2013
Vínculo: Outro (especifique), Enquadramento Funcional: Bolsista de Mestrado, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

10/2013 - 11/2013
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da América III

Museu da Cidade de Campinas, MUCI, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2010
Vínculo: Colaboradora, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 16
Outras informações
Projeto de Catalogação do Acervo Histórico do Museu da Cidade, financiado pelo Fundo de Investimento à Cultura de Campinas.


CPFL Energia, CPFL ENERGIA, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2008
Vínculo: Estágio - CPFL Cultura, Enquadramento Funcional: Estagiária de Marketing, Carga horária: 30



Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Cultura e socialismo: entre a Revolução Cubana e a Via chilena (1970-1973)
Descrição: O presente projeto se centra no período de 1970 a 1973 para analisar as relações estabelecidas entre Chile e Cuba no plano cultural, a fim de observar até que ponto o projeto socialista conectou os dois países e como os diferentes caminhos escolhidos por seus governantes para fazer a revolução repercutiram no meio intelectual. Considerando as políticas culturais dos governos liderados por Salvador Allende e Fidel Castro, as circulações dos intelectuais chilenos e cubanos e o debate cultural do período, analisarei as aproximações e distanciamentos observados entre os governos; entre os governos e os intelectuais; e entre os intelectuais naquele contexto, verificando em que medida seus posicionamentos frente à ?questão cultural? contribuíram para amenizar ou reforçar as diferenças entre a Revolução Cubana e a Via chilena ao socialismo. Para atingir os objetivos propostos, consultarei veículos de imprensa e outros documentos ligados à intelectualidade de esquerda. O estudo proposto visa chamar atenção para a importância de se pensar os governos de Allende e Castro no âmbito regional, bem como explicitar a riqueza e a complexidade do debate cultural travado na América Latina de meados dos anos 1970..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2017
A Nova Canção Chilena e o projeto de uma ?nova cultura? no governo da Unidade Popular (1970-1973)
Descrição: A vitória eleitoral de Salvador Allende, candidato pela Unidade Popular (UP), nas eleições presidenciais de 1970 trouxe consigo o imperativo de construir uma ?nova cultura? para um ?novo Chile?, o que gerou intensos debates entre seus apoiadores. Tendo no horizonte a perspectiva de influir na formulação de políticas culturais oficiais, diversos cientistas sociais, escritores, artistas e militantes dos partidos integrantes da coalizão governista procuraram postular suas bases, revelando posições heterogêneas e inclusive contraditórias nas discussões sobre o papel que deveriam assumir os ?trabalhadores da cultura? na realização da via chilena ao socialismo. Tendo esse quadro como referência, o presente projeto de Doutorado se propõe a examinar como os músicos identificados com o movimento da Nova Canção Chilena procuraram responder, em seus discursos veiculados na imprensa e em sua produção discográfica, ao desafio da construção de uma ?nova cultura?. Por outro lado, indagaremos até que ponto as ?respostas? elaboradas pelos músicos estiveram afinadas com os propósitos governamentais e se eles de fato chegaram a influenciar as políticas culturais debatidas e levadas a cabo pela UP entre 1970 e 1973. Buscaremos, a partir daí, compreender quais elementos contribuíram para a identificação do movimento com os novos valores propostos pelos dirigentes políticos, permitindo que essa produção se tornasse perante o púbico o principal referente cultural do governo de Allende em nível nacional e internacional..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2011 - 2013
?Tomemos la historia en nuestras manos?: utopia revolucionária e música popular no Chile (1966-1973)
Descrição: A presente pesquisa se dedica a analisar a maneira pela qual Víctor Jara, Quilapayún e Inti-Illimani ? músicos ligados ao movimento da Nova Canção Chilena ? procuraram ?tomar a história em suas mãos?, colocando-se ao lado do ?povo? na realização do que consideravam ser o seu devir. Reivindicando protagonismo na transformação da ordem social vigente e elaborando discursos sobre o papel social da arte, tais músicos buscaram filiar seu repertório a determinada tradição musical, reinventando-a. Em contraposição ao que consideravam uma visão estática do folclore, defenderam seu caráter dinâmico, que permitiria sua transformação e atualização de acordo com as demandas políticas do presente. Filiados ao Partido Comunista, ofereceram apoio a Salvador Allende durante a campanha eleitoral de 1970 e, posteriormente, passaram a integrar seu governo, contribuindo para a identificação da Nova Canção Chilena ? termo cunhado no festival homônimo realizado em 1969 ? como um movimento politicamente engajado. A fim de compreender como esse movimento participou do processo intenso de transformações sociais ocorrido no Chile entre a segunda metade dos anos 1960 e o início dos 1970, examinamos o universo de referências estéticas, políticas e históricas presentes nos LPs dos artistas selecionados ? abarcando desde suas primeiras gravações (1966) até o golpe militar (1973) ?, tendo como foco as relações estabelecidas entre música popular e ideais revolucionários..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Natália Ayo Schmiedecke - Coordenador.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.
2009 - 2010
?Yo no canto por cantar?: análise da construção do discurso musical da Nova Canção Chilena através de canções de Victor Jara (1970-1973)
Descrição: Através da música, o movimento da Nova Canção Chilena (NCCh) se propõs a ?ir ao povo?, construindo uma representação deste e do cenário político de então, no qual busca intervir diretamente. Ligados, em sua maioria, ao Partido Comunista do Chile, esses artistas tiveram papel fundamental na campanha eleitoral de 1970 e, posteriormente, nos três anos de governo da Unidade Popular, sob a presidência de Salvador Allende. Encarando a canção popular como discurso, a pesquisa enfocará sua construção, isto é, as formas pelas quais buscou legitimidade perante o público-alvo: o ?povo oprimido?, que deveria se libertar e participar politicamente do país que ajudava a construir. O trabalho se centrará na obra musical de Victor Jara (1966-1973), cantor, compositor e diretor de teatro que foi uma das grandes figuras da NCCh. Reconhecendo sua origem camponesa, o artista buscou recriar, por meio de canções e performances, os laços que o ligariam ao ?povo?, insistindo no protagonismo deste na necessária transformação social que estava sendo realizada e afirmando o valor da cultura popular, que não poderia ser simplesmente ?resgatada? ou imposta por uma classe supostamente mais consciente. Assim, por meio do questionamento das noções de ?povo?, ?cultura popular?, ?folclore? e ?prática política? e do reconhecimento da canção enquanto documento histórico portador de conteúdo discursivo, a pesquisa perguntou pela relação estabelecida entre música e política nesse capítulo original da história chilena recente que vai de 1970 a 1973..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Natália Ayo Schmiedecke - Coordenador.Financiador(es): Serviço de Apoio ao Estudante - Unicamp - Bolsa.


Membro de corpo editorial


2018 - Atual
Periódico: REVISTA ELETRÔNICA DA ANPHLAC
2013 - 2014
Periódico: História e cultura


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da América/Especialidade: História Latino-Americana.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da Música/Especialidade: História da Música Popular.


Idiomas


Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Francês
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Alemão
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2013
Segundo Lugar - Concurso de Trabajos Académicos en Ciencias Sociales e Humanidades "A 40 años del Golpe de Estado en Chile", Instituto de Estudios Avanzados de la Universidad de Santiago de Chile e Revista Izquierdas.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
SCHMIEDECKE, NATÁLIA AYO2017 SCHMIEDECKE, NATÁLIA AYO. -Ayudar a aquellos artistas que transformaron la canción en un arma de lucha-: o papel das Juventudes Comunistas na difusão da Nova Canção Chilena (1968-1973). TEMPO E ARGUMENTO, v. 9, p. 146-173, 2017.

2.
SCHMIEDECKE, N. A.;SCHMIEDECKE, NATÁLIA AYO2015SCHMIEDECKE, N. A.. Ambições e vocações cruzadas: a cantata popular Santa María de Iquique (1970). MÚSICA POPULAR EM REVISTA, v. 1, p. 6-26, 2015.

3.
SCHMIEDECKE, N. A.;SCHMIEDECKE, NATÁLIA AYO2014 SCHMIEDECKE, N. A.. O engajamento político da Nova Canção Chilena e a construção musical de um devir histórico durante a Unidade Popular. Izquierdas (Santiago), v. 20, p. 27-51, 2014.

4.
SCHMIEDECKE, N. A.;SCHMIEDECKE, NATÁLIA AYO2014 SCHMIEDECKE, N. A.. Os primeiros festivais da Nova Canção Chilena e a invenção de um movimento musical. ArtCultura (UFU), v. 16, p. 23-37, 2014.

5.
SCHMIEDECKE, N. A.;SCHMIEDECKE, NATÁLIA AYO2013SCHMIEDECKE, N. A.. 'Canto porque la guitarra / tiene sentido y razón': folclore e política na música de Víctor Jara (1966-1973). História e Cultura, v. 2, p. 59-80, 2013.

6.
SCHMIEDECKE, N. A.;SCHMIEDECKE, NATÁLIA AYO2013SCHMIEDECKE, N. A.; SILVA JUNIOR, J. A. F. . Esquerdas latino-americanas e discursos identitários nos anos 1960/70: os casos da revista Casa de las Américas e da Nova Canção Chilena. Fronteiras, v. 21, p. 118-143, 2013.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
SCHMIEDECKE, N. A.. 'Não há revolução sem canções': utopia revolucionária na Nova Canção Chilena, 1966-1973. 1. ed. São Paulo: Alameda, 2015. v. 1. 356p .

Capítulos de livros publicados
1.
SCHMIEDECKE, N. A.. ?Todos juntos seremos la historia a cumplir?: representações sobre o sentido da história na canção engajada chilena (1969-1973). In: GARCIA, Tânia C.; FENERICK, José Adriano. (Org.). Música popular ? História, memória e identidades. 1ed.São Paulo: Alameda, 2015, v. , p. 83-107.

2.
SCHMIEDECKE, N. A.. La influencia de DICAP en la Nueva Canción Chilena. In: Eileen Karmy; Martín Farías. (Org.). Palimpsestos Sonoros: Reflexiones sobre la Nueva Canción Chilena. 1ed.Santiago: Ceibo, 2014, v. , p. 201-218.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
SCHMIEDECKE, N. A.. 'Cantores que reflexionan': diferentes formas asumidas por el 'engajamento' en la Nueva Canción Chilena. In: II Congreso de la ASEMPCh: Direcciones y convergencias para la resignificación en la investigación musical, 2016, Santiago. Actas del II Congreso de la ASEMPCh, 2014. p. 282-291.

2.
SCHMIEDECKE, N. A.; SILVA JUNIOR, J. A. F. . Esquerdas latino-americanas e discursos identitários nos anos 1960/70: Os casos da revista Casa de las Américas e da Nova Canção Chilena. In: Entre espacios: la historia latinoamericana en el contexto global, 2016, Berlim. Actas del XVII Congreso Internacional de la AHILA. Berlim: Freie Universität, 2014. p. 3036-3054.

3.
SCHMIEDECKE, N. A.. ?Música en Onda?: a esquerda chilena na disputa pelo público jovem (1971-1973). In: XXVIII Simpósio Nacional de História, 2015, Florianópolis. Anais eletrônicos, 2015. p. 1-10.

4.
SCHMIEDECKE, N. A.. O movimento da Nova Canção Chilena no debate sobre a ?questão cultural? travado na revista La Quinta Rueda (1972- 1973). In: XI Encontro Internacional da ANPHLAC, 2014, Niterói. Anais do XI Encontro Internacional da ANPHLAC, 2014. p. 1-13.

5.
SCHMIEDECKE, N. A.. A Discoteca del Cantar Popular (DICAP) entre 1968 e 1973: música, engajamento político e sociabilidade na Nova Canção Chilena. In: X Congreso de la Asociación Internacional para el Estudio de la Música Popular Latinoamericana, 2012, Córdoba, Argentina. Enfoques interdisciplinarios sobre músicas populares en Latinoamérica: retrospectivas, perspectivas, críticas y propuestas. Actas del X Congreso de la IASPM-AL. Montevidéo: IASPM-AL; CIAMEN (UdelaR), 2012. p. 301-312.

6.
SCHMIEDECKE, N. A.. As diferentes faces da Nova Canção Chilena: folclore e política nos discos Inti-Illimani e Canto al programa (1970). In: X Encontro Internacional da ANPHLAC, 2012, São Paulo. Anais Eletrônicos do X Encontro Internacional da ANPHLAC, 2012. p. 01-15.

7.
SCHMIEDECKE, N. A.. Entre chamantos, smokings e ponchos: representações identitárias na música popular chilena (1950-1973). In: XXI Encontro Estadual de História da ANPUH-SP: Trabalho, Cultura e Memória, 2012, Campinas. Anais do XXI Encontro Estadual de História: trabalho, cultura e memória - ANPUH-SP, 2012. v. 1. p. 01-13.

8.
SCHMIEDECKE, N. A.. Canciones folklóricas de América e a proposta de renovação da música popular empreendida pela Nova Canção Chilena. In: XXVI Simpósio Nacional de História da ANPUH, 2011, São Paulo. Anais do XXVI Simpósio Nacional da ANPUH. São Paulo: ANPUH-SP, 2011. v. 1. p. 1-12.

9.
SCHMIEDECKE, N. A.. Usos do passado na Nova Canção Chilena: Rolando Alarcón, Inti-Illimani e a representação sonora da Revolução Mexicana e da Guerra Civil Espanhola (1969). In: I Seminário Internacional História do Tempo Presente, 2011, Florianópolis. Anais do I Seminário Internacional História do Tempo Presente, 2011. v. 1. p. 204-218.

10.
SCHMIEDECKE, N. A.. ?Yo no canto por cantar?: análise da construção do discurso musical da Nova Canção Chilena através de canções de Victor Jara (1970-1973). In: III Encontro de Pesquisa da Graduação em História - UNICAMP, 2010, Campinas. III Encontro de Pesquisa de Graduação, 2010.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
SCHMIEDECKE, N. A.; ARANTES, M. O. . O campo na cidade: Neofolklore e Nova Canção Chilena. In: III Colóquio Internacional História e Música, 2016, Franca. Caderno de Resumos, 2016. p. 9-9.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
SCHMIEDECKE, N. A.. 'Cantores que reflexionan': diferentes formas assumidas pelo engajamento na Nova Canção Chilena. In: II Congreso Chileno de Estudios en Música Popular, 2014, Santiago. Resumenes de ponencias, 2014. p. 94-95.

2.
SCHMIEDECKE, N. A.. Entre chamantos, smokings e ponchos: representações identitárias na música popular chilena (1950-1973). In: XVIII Semana de História da UNESP-Franca, 2011, Franca. Caderno de Resumos, 2011.

3.
SCHMIEDECKE, N. A.. ?Yo no canto por cantar?: análise da construção do discurso musical da Nova Canção Chilena através de canções de Victor Jara (1970-1973). In: XVIII Congresso Interno de Iniciação Científica - UNICAMP, 2010, Campinas. Caderno de resumos, 2010.

Artigos aceitos para publicação
1.
SCHMIEDECKE, N. A.. O panfleto político na Nova Canção Chilena durante a Unidade Popular: entre o ?amor ao processo? e o ?terrorismo musical'. Revista de História da Unisinos, 2019.

Apresentações de Trabalho
1.
SCHMIEDECKE, N. A.. O movimento estudantil e a canção engajada na América Latina. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
SCHMIEDECKE, N. A.. Por uma cultura nacional e popular: a Nova Canção Chilena nos anos 1960/70. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
SCHMIEDECKE, N. A.. A intelectualidade de esquerda e a questão feminina: o lugar da mulher na revista La Quinta Rueda (1972-1973). 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

4.
SCHMIEDECKE, N. A.. Música Típica, Neofolklore e Nova Canção Chilena: representações identitárias. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
SCHMIEDECKE, N. A.. Comemorar para intervir: a contingência política nos discos dedicados ao processo chileno (1970-1973). 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

6.
SCHMIEDECKE, N. A.. Da canção de protesto à canção governista: a Nova Canção Chilena de fins dos anos 1960 a 1973. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
SCHMIEDECKE, N. A.. Nova Canção Chilena e revolução. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

8.
SCHMIEDECKE, N. A.; SILVA JUNIOR, J. A. F. . Entre a Revolução Cubana e a Via Chilena: intelectuais, cultura e política nas páginas de Casa de las Américas e La Quinta Rueda (1971-1973). 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

9.
SCHMIEDECKE, N. A.. 'Não há revolução sem canções': utopia revolucionária na Nova Canção Chilena, 1966-1973. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

10.
SCHMIEDECKE, N. A.; ARANTES, M. O. . O campo na cidade: Neofolklore e Nova Canção Chilena. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
SCHMIEDECKE, N. A.. Comemorar para intervir: a contingência política nos discos dedicados ao processo chileno (1970-1973). 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

12.
SCHMIEDECKE, N. A.. ?Música en Onda?: a esquerda chilena na disputa pelo público jovem (1971-1973). 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

13.
SCHMIEDECKE, N. A.; SILVA JUNIOR, J. A. F. . Casa de las Américas e Nova Canção Chilena: circulação de ideias e engajamento político no imaginário das esquerdas latino-americanas nos anos 1960/70. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

14.
SCHMIEDECKE, N. A.. ?Cantores que reflexionan?: diferentes formas asumidas por el engajamento en la Nueva Canción Chilena. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

15.
SCHMIEDECKE, N. A.. O movimento da Nova Canção Chilena no debate sobre a ?questão cultural? travado na revista La Quinta Rueda (1972-1973). 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

16.
SCHMIEDECKE, N. A.. A identidade 'terceiro mundista' nas discografias de Víctor Jara e Quilapayún, 1968-1973. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

17.
SCHMIEDECKE, N. A.. A Discoteca del Cantar Popular (DICAP) entre 1968 e 1973: música, engajamento político e sociabilidade na Nova Canção Chilena. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

18.
SCHMIEDECKE, N. A.. As diferentes faces da Nova Canção Chilena: folclore e política nos discos Inti-Illimani e Canto al programa (1970). 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

19.
SCHMIEDECKE, N. A.. Entre chamantos, smokings e ponchos: representações identitárias na música popular chilena (1950-1973). 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

20.
SCHMIEDECKE, N. A.. Entre chamantos, smokings e ponchos: representações identitárias na música popular chilena (1950-1973). 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

21.
SCHMIEDECKE, N. A.. 'Canciones folklóricas de América' e a proposta de renovação da música popular empreendida pela Nova Canção Chilena. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
SCHMIEDECKE, N. A.. Usos do passado na Nova Canção Chilena: Rolando Alarcón, Inti-Illimani e a representação sonora da Revolução Mexicana e da Guerra Civil Espanhola (1969). 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

23.
SCHMIEDECKE, N. A.. ??Yo no canto por cantar?: análise da construção do discurso musical da Nova Canção Chilena através de canções de Victor Jara (1970-1973)?. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

24.
SCHMIEDECKE, N. A.. Por uma história da Banda do Boi. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

25.
SCHMIEDECKE, N. A.. ??Yo no canto por cantar?: análise da construção do discurso musical da Nova Canção Chilena através de canções de Victor Jara (1970-1973)?. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

26.
SCHMIEDECKE, N. A.. ??Yo no canto por cantar?: análise da construção do discurso musical da Nova Canção Chilena através de canções de Victor Jara (1970-1973)?. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
SCHMIEDECKE, N. A.. Parecer de Artigo Científico. 2018.

2.
SCHMIEDECKE, N. A.. Parecer de artigo científico. 2018.

3.
SCHMIEDECKE, N. A.. Parecer de artigo científico. 2017.

4.
SCHMIEDECKE, N. A.. Parecer de Artigo Científico. 2014.

5.
SCHMIEDECKE, N. A.. Parecer de Artigo Científico. 2012.


Demais tipos de produção técnica
1.
ARANTES, M. O. ; SCHMIEDECKE, N. A. . Imprensa e música popular: questões metodológicas. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
SCHMIEDECKE, N. A.. Más cerca de la luz: Teatro callejero en Santiago de Chile. 2014. (Tradução de documentário - legendas).

3.
SCHMIEDECKE, N. A.. A Nova Canção Chilena como objeto da pesquisa histórica.. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Colóquio Internacional "Conceitos e Linguagens: construções identitárias". 2012. (Outra).

2.
I Colóquio Internacional História e Música. 2011. (Outra).

3.
II Encontro do Programa de Apoio Didático e do Programa de Apoio Docente da UNICAMP. 2010. (Encontro).

4.
Extensão Cultural na UNICAMP. 2007. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
GARCIA, T. C. ; FENERICK, J. A. ; SCHMIEDECKE, N. A. ; AVILA, D. ; RUIZ, R. ; SANTOS, N. L. . III Colóquio Internacional História e Música: "Tempos de Música e seus fazeres". 2016. (Congresso).

2.
GARCIA, T. C. ; FENERICK, J. A. ; SCHMIEDECKE, N. A. ; CAVICHIA, A. H. ; GIMENEZ, A. W. ; AVILA, D. ; SANTOS, A. S. ; LINS, N. ; SILVA, R. A. C. . II Colóquio Internacional História e Música: "Música popular: história, memória e identidades". 2013. (Congresso).



Outras informações relevantes


Integrante do Grupo de Pesquisa "História e Música" do CNPq.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 18/11/2018 às 19:28:00