Jeferson Pereira Martins Silva

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6748966859692740
  • Última atualização do currículo em 01/10/2018


Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Minas Gerais (2015) e mestrado em Ciências Florestais pela Universidade Federal do Espírito Santo (2018). (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Jeferson Pereira Martins Silva
Nome em citações bibliográficas
SILVA, J. P. M.


Formação acadêmica/titulação


2016 - 2018
Mestrado em Ciências Florestais.
Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil.
Título: PROGNOSE DA PRODUÇÃO FLORESTAL UTILIZANDO SISTEMAS NEURO-FUZZY E RANDOM FOREST,Ano de Obtenção: 2018.
Orientador: Mayra Luiza Marques da Silva.
Coorientador: Adriano Ribeiro de Mendonça.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
2011 - 2015
Graduação em Engenharia Florestal.
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Bolsista do(a): Programa de Educação Tutorial, PET, Brasil.
2008 - 2010
Curso técnico/profissionalizante.
Instituto Federal do Norte Minas Gerais Campus-Januária, IFNMG, Brasil.
2008 - 2010
Ensino Médio (2º grau).
Instituto Federal do Norte Minas Gerais Campus-Januária, IFNMG, Brasil.




Formação Complementar


2018 - 2018
ANÁLISE DE VARIÂNCIA MULTIVARIADA (MANOVA) E VARIÁVEIS CANÔNICAS. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil.
2017 - 2017
LiDAR E GOOGLE EARTH ENGINE: APLICAÇÕES EM INVENTÁRIO E MONITORAMENTO FLOR. (Carga horária: 12h).
Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil.
2014 - 2014
EXCEL. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2014 - 2014
USO DE MÉTRICAS NA DESCRIÇÃO E ANÁLISE AMBIENTAL D. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2014 - 2014
Minicurso-Redes Neurais Artificiais aplicadas à En. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2014 - 2014
Introdução ao MATLAB. (Carga horária: 6h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2014 - 2014
COMBATE ÁS FORMIGAS CORTADEIRAS. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2014 - 2014
Fundamentos de Inventário Florestal. (Carga horária: 3h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2014 - 2014
Noções básicas de GPS. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2014 - 2014
Noções Básicas de Sistema de Posicionamento Global. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2013 - 2013
Excel Avançado. (Carga horária: 21h).
Microlins, MCRLNS, Brasil.
2013 - 2013
GPS. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Monitoria Voluntária, Enquadramento Funcional: Monitor- Estatística Experimental, Carga horária: 2
Outras informações
Orientador: Christian Dias Cabacinha

Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Monitoria Voluntária, Enquadramento Funcional: Monitora - Dendrometria, Carga horária: 2
Outras informações
Orientador: Christian Dias Cabacinha

Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Tutoria Voluntária, Enquadramento Funcional: Tutor- Estatística Básica, Carga horária: 2
Outras informações
Orientadora: Eliandra Maria Bianchini Oliveira


Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Estágio, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 40
Outras informações
Atividades desenvolvidas: Treinamento em mensuração e manejo, com enfase na modelagem do crescimento de povoamentos equiâneos e no emprego de redes neurais artificiais para análise e solução de problemas de manejo florestal. Orientador: Hélio Garcia Leite


Programa de Educação Tutorial, PET, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Petiano, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.


Pró- Reitoria de Extensão, PROEXT, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Voluntário, Enquadramento Funcional: Voluntário, Carga horária: 10

Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de extensão, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Projeto: Manejo florestal sustentável em reservas legais: conciliando conservação e uso sustentável do cerrado. Orientador: Christian Dias Cabacinha.



Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Avaliação econômica de diferentes modelos de sistemas silvipastoris
Descrição: A região Sul do Espírito Santo apresenta um grande quantitativo de áreas degradadas, especialmente por pastagens mal conduzidas, ou mal utilizadas para fins agrícolas. Por outro lado, a pecuária é uma tradição dos agricultores desta região, que enfrentam dificuldades por conta do relevo acidentado e por falta de acesso a tecnologias mais adequadas, o que explica de certa forma a elevada quantidade de áreas degradadas pelo inadequado manejo das áreas de pastagem. Uma alternativa para essas áreas são os sistemas integrados de produção, especialmente os sistemas silvipastoris. Esses sistemas integram a pecuária com a produção de madeira, o que pode gerar mais uma alternativa econômica para os pequenos produtores rurais, além de ser um tipo de manejo que pode mitigar o impacto sobre o solo das áreas utilizadas para pastagens. Em função disso, o objetivo geral desse projeto é avaliar, do ponto de vista econômico, diferentes modelos de sistemas silvipastoris no Sul do Espírito Santo. Os modelos a serem analisados serão os seguintes: 1) Capim-marandu (CM) em monocultivo; 2) Eucalipto em monocultivo; 3) CM em sistema silvipastoril com eucalipto; 4) CM em sistema silvipastoril com eucalipto+leucena; 5) CM em sistema silvipastoril com angico-mirim+leucena; 6) CM em sistema silvipastoril com eucalipto+dejeto suíno líquido. Para cada um desses modelos, será feito o levantamento detalhado dos custos de produção, a simulação de potenciais receitas a serem produzidas e a análise da viabilidade econômica. Como subsídio à realização da análise econômica, será feita uma prospecção de mercado dos produtos (gado de corte, madeira e créditos de carbono) gerados pelos modelos silvipastoris considerados. Ao final deste projeto, espera-se demostrar o potencial para aumento das receitas e da produção de espécies florestais com mercado consolidado e/ou potencial. Além disso, aumentar o uso de sistemas integrados de produção em lugares onde originalmente eram utilizados como pastagens, comumente em estado de degradação, com o objetivo de recuperação e aumento da renda do produtor rural. Como impacto científico, almeja-se gerar conhecimento acerca desse tema voltado para áreas do Estado, como é o sul do ES, que geralmente não tem-se informações sobre silvicultura ou sistemas integrados e, com isso, gerar como produto publicações (dissertações, artigos científicos ou trabalhos em congressos) de grande interesse do setor florestal capixaba..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2015 - Atual
Variação longitudinal e radial da densidade básica de espécies lenhosas do cerrado stricto sensu
Descrição: A massa específica ou densidade, reflete a quantidade de matéria lenhosa por unidade de volume, ou do volume de espaços vazios existentes em uma madeira. Assim, deve-se observar que a avaliação da qualidade da madeira com base na densidade é bastante útil do ponto de vista tecnológico, sendo um excelente indicador das propriedades da madeira. A literatura pertinente tem mostrado ao longo de décadas, inúmeros trabalhos que evidenciam a sua relação entre outras como as dimensões das fibras, particularmente com a espessura da parede celular, volume de vasos e parênquimas, proporção entre madeira primaveril e outonal, e arranjo dos elementos anatômicos. A densidade é um importante fator na determinação das propriedades físicas e mecânicas as quais caracterizam diferentes espécies lenhosas, diferentes árvores de uma dada espécie e até mesmo, diferentes regiões de uma mesma árvore, em função de sua variabilidade. No cerrado existem muitas espécies lenhosas potenciais para serem usadas como matéria prima na construção civil e como energia, mas a utilização intensiva da madeira como matéria prima para tais fins só pode ocorrer a partir do conhecimento adequado de suas propriedades. Conforme exposto percebe-se a importância da densidade da madeira para indústria de base florestal, bem como a realização de estudos com espécies nativas, portanto o presente trabalho tem como objetivo a determinação da densidade básica da madeira de algumas espécies do cerrado, bem como caracterizar sua variação longitudinal (sentido base/topo) e radial (sentido medula/casca).
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2015 - Atual
Classificação de sítios florestais a partir de redes neurais artificiais de multicamadas
Descrição: Busca-se com este projeto avaliar a classificação de sítios florestais a partir da estimativa da altura de árvores dominantes utilizando Redes Neurais Artificiais (RNA) de multicamadas de dados de inventários em parcelas permanentes e temporárias, utilizando atributos edáficos categóricos (tipo de solo) e idade em anos (I) como parâmetros de entrada das RNA. Utilizando uma base de parcelas permanentes de inventário florestal com dados de idade, altura das árvores dominantes de cada árvore e atributos edáficos das parcelas fornecidos por uma empresa de base florestal, redes com arquiteturas Multilayer Perceptron (MLP) serão testadas. Será retirada da base de dados as últimas medições de cada parcela para simular parcelas temporárias. Redes MLP serão construídas com dois tipos de entradas, uma somente com idade e outra com idade e atributos edáficos para as bases de parcelas permanentes (remedidas) e temporárias (uma medição). A função de ativação a ser utilizada será a de tangentes hiperbólicas, devido apresentarem bons resultados. O processo de treinamento para as MLP será baseado no ajuste dos pesos através do algoritmo de treino, tendo como finalidade a geração de uma rede que realize certa tarefa de interesse. O algoritmo de treino que será utilizado é de Levenberg- Marquardt. Os pesos a princípio, serão escolhidos aleatoriamente, sem a utilização de parâmetros adaptativos de taxa de aprendizado. Estatísticas para cada rede e arquitetura para cada situação, serão avaliadas para selecionar os melhores resultados.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2015
Estimativa da densidade básica e peso de matéria seca de uma vegetação lenhosa de cerrado stricto sensu em Montes Claros, MG
Descrição: Este projeto tem como objetivo geral determinar a densidade básica e peso seco da vegetação lenhosa de um cerrado stricto sensu em Montes Claros, norte de Minas Gerais, ao longo do fuste da árvore. A área estudada localiza-se na Universidade Federal de Minas Gerais, ocupando uma hectare e dividida em 25 parcelas de 20 x 20 m cada. A densidade será determinada a partir de discos coletados a 0%, 25%, 50%, 75% e 100% da altura do fuste comercial. Especificamente pretende-se mostrar o comportamento da densidade básica no fuste de acordo as espécies e classes diamétricas, e a partir dos dados encontrados, obter a estimativa do peso seco, pelo produto da densidade básica encontrada e o volume das árvores. Espera-se com esse projeto determinar a densidade básica e o peso de matéria seca, que são variáveis de grande importância na determinação do rendimento e qualidade da madeira a ser utilizada, principalmente em florestas sujeitas a prática de manejo sustentável..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2015
Estimativas do volume, biomassa, estoque de carbono e da densidade básica da vegetação lenhosa de um cerrado stricto sensu
Descrição: Este projeto tem como objetivo geral selecionar equações para estimar o volume, biomassa, estoque de carbono e a densidade básica para a vegetação lenhosa de um cerrado senso strictu. Especificamente pretende-se, realizar a caracterização florística da área; analisar a estrutura vertical e horizontal da vegetação por meio de parâmetros fitossociológicos; selecionar equações genéricas e por espécie para estimar o volume, a biomassa verde, a biomassa seca, o estoque de carbono e a densidade básica; mostrar o comportamento do volume, da densidade básica verde, da biomassa seca e do estoque de carbono no fuste e na copa até galhos de 3 cm de diâmetro; mostrar o comportamento do volume, da biomassa verde, da biomassa seca e da densidade básica das diferentes classes diamétricas e avaliar a percentagem de casca por classe diamétrica.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2014
Estimativas volumétricas para o cerrado sensu stricto a partir de redes neurais artificiais
Descrição: O Bioma Cerrado, fisionomicamente, é formado por uma ampla diversidade vegetal, com espécies arbóreas de copas bastante abertas e estrato arbóreo-arbustivo com presença de gramíneas Neste bioma há muitos estudos que tentam descrever a riqueza florística, o número de indivíduos por hectare e a área basal. Todavia, estudos sobre volumetria, biomassa lenhosa, estoque de carbono e densidade básica das espécies, ainda são poucos. Os métodos utilizados para determinação do volume de um povoamento são objetivos do inventário florestal. Este volume é uma estimativa que se faz através do volume de algumas árvores que são cubadas. A estimação é feita a partir de equações volumétricas ajustadas a uma base de dados de cubagem rigorosa, entretanto muitos técnicos negligenciam a cubagem devido ao alto custo e ao tempo desta atividade, o que por conseqüência compromete a eficiência das estimativas das equações volumétricas. Recentemente, estão sendo utilizadas técnicas computacionais para reduzir e otimizar o tempo dos inventários florestais, como por exemplo as Redes Neurais Artificiais (RNA). Na literatura existem relatos de que as RNA vêm sendo utilizadas para estimar diâmetro, altura, volume entre outras variáveis dendrométricas, mas especificamente em dados de povoamentos plantados, não identifica-se estudos de aplicação das RNA em vegetação nativa. As RNA são compostas por sistemas massivos e paralelos, que possuem unidades de processamento simples que são determinadas por funções matemáticas. Além disso, as RNA(s) têm a capacidade de generalizar o conhecimento assimilado para um conjunto de dados desconhecidos. Estas técnicas computacionais apresentam diversas arquiteturas, como por exemplo, as Perceptron de Múltiplas Camadas (MLP) e Função de Base Radial (RBF). Utilizando uma base de dados de inventário florestal com o volume de cada árvore determinado pela cubagem rigorosa dos indivíduos redes com arquiteturas MLP e RBF serão testadas. As redes MLP serão construídas com dois tipos de entradas, uma generalizando as espécies e outra às especificando. A rede generalizada terá a camada de entrada constituída por dois neurônios correspondentes a diâmetro e altura, uma camada oculta e uma de saída, sendo o volume total. A rede especifica tomará como camada de entrada três neurônios sendo o diâmetro, a altura e a espécie correspondente, uma camada oculta e uma camada de saída cujo neurônio corresponde, também, ao volume total da árvore. A função de ativação a ser utilizada será a de tangentes hiperbólicas, devido apresentarem bons resultados. O processo de treinamento para as MLP será baseado no ajuste dos pesos através do algoritmo de treino, tendo como finalidade a geração de uma rede que realize certa tarefa de interesse. O algoritmo de treino que será utilizado é de Levenberg- Marquardt. Os pesos a princípio, serão escolhidos aleatoriamente, sem a utilização de parâmetros adaptativos de taxa de aprendizado. Para as redes RBF, durante o treinamento, é importante definir a estruturação da rede e seus parâmetros: pesos, número de centros e a largura da função Gaussiana. A estruturação da rede seguirá conforme a metodologia de Soares et al. (2012). O valor da largura da função Gaussiana é fixado em 1,0 para todos os centros, sendo que a principio a camada oculta não possuirá nenhum neurônio. Estatísticas para cada rede e arquitetura serão avaliadas para selecionar os melhores resultados.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2011 - Atual
401135 Projeto Grupo de Estudos em Fitopatologia-GEFIT
Descrição: O GEFIT é grupo de estudo composto por acadêmicos dos cursos de agronomia e engenharia florestal e pós-granduandos em ciências agrárias. O GEFIT esta supervisionado por docentes com formação na área de fitopatologia. O GEFIT é impotante para a complementação das atividades acadêmicas dos estudantes envolvidos na sua formação profissional, atuando em atividades de ensino, pesquisa e extensão..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2014 - Atual
Educação Ambiental no Parque da Lapa Grande, Montes Claros
Descrição: Tem como intuito conscientizar a comunidade sobre a importância das florestas para nossas vidas, por meio de jogos.
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
2013 - 2013
Manejo Sustentável do Barbatimão no norte de Minas Gerais
Descrição: A partir do conhecimento tradicional, o barbatimão despertou o interesse das indústrias farmacêuticas, pois muitas delas comercializam produtos derivados de suas cascas, onde toda a matéria prima é originada de extrativismo. Não são conhecidos cultivos comerciais para atendimento da demanda de cascas de barbatimão, o mercado é totalmente atendido pela colheita em áreas nativas, fato que pode em curto prazo colocar as populações desta espécie sob risco.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2011 - Atual
Manejo florestal sustentável em reservas legais: conciliando conservação e uso sustentável do cerrado
Descrição: Fomentar a prática do manejo florestal sustentável em reservas legais comunitárias e assentamentos rurais da região de Montes Claros a partir de cursos de capacitação e dias de campo voltados para os proprietários rurais, técnicos, líeres comunitários, entre outros e da instalação de uma área piloto que servirá como uma vitrine para futuros trabalhos e ações contínuas ligadas a este projeto..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .
Integrantes: Jeferson Pereira Martins Silva - Integrante / LUIZ OTAVIO RODRIGUES PINTO - Integrante / ANA CAROLINA DA SILVA CARDOSO ARAUJO - Integrante / VITOR UCHOA BATISTA - Integrante / CHRISTIAN DIAS CABACINHA - Coordenador.


Idiomas


Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2014
Mensão Honrosa - PET - Engenharia Florestal, Pró-Reitoria de Graduação UFMG.
2014
Relevância Acadêmica-XVII ENCONTRO DE EXTENSÃO, Pró-Reitoria de Extensão.


Produções



Produção bibliográfica
Capítulos de livros publicados
1.
SILVA, J. P. M.; CORDEIRO, N. G. ; SOUZA, D. C. ; ASSIS, A. L. ; CABACINHA, C. D. . REDES NEURAIS DE MULTICAMADAS PARA ESTIMAR DENSIDADE BÁSICA DE ESPÉCIES DO CERRADO STRICTO SENSU. Ana Paula Dalla Corte, Carlos Roberto Sanquetta, Aurélio Lourenço Rodrigues, Sebastião do Amaral Machado, Sylvio Péllico Netto, Afonso Figueiredo Filho, Gilciano Saraiva Nogueira. (Org.). Atualidades em Mensuração Florestal. 1ed.Curitiba: UFPR, 2014, v. 1, p. 385-388.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
SILVA, J. P. M.; GONCALVES, A. F. A. ; LOPES, I. L. ; BARBOSA, L. O. ; CABACINHA, C. D. ; MAIA, R. D. . SISTEMA NEURO-FUZZY PARA ESTIMAR DENSIDADE BÁSICA DA MADEIRA DE ESPÉCIES DO CERRADO. In: I Semana de Aperfeiçoamento em Engenharia Florestal, 2017, Curitiba. Anais da I Semana de Aperfeiçoamento em Engenharia Florestal da UFPR.

2.
LEITE, M. V. S. ; SILVA, J. P. M. ; CABACINHA, C. D. ; ASSIS, A. L. . REDES NEURAIS ARTIFICIAIS PARA ESTIMATIVA DE ALTURA DOMINANTES EM POVOAMENTOS DE EUCALIPTO. In: IV SEMANA DE ENGENHARIA FLORESTAL DA BAHIA E I MOSTRA DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UESB, 2016, Vitória da Conquista. ANAIS DA IV SEMANA DE ENGENHARIA FLORESTAL DA BAHIA E I MOSTRA DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UESB, 2016.

3.
SILVA, J. P. M.; LEITE, M. V. S. ; SOUZA, D. C. ; CABACINHA, C. D. ; ASSIS, A. L. . REDES NEURAIS ARTIFICIAIS PARA ESTIMAR VOLUME COMERCIAL E TOTAL DE Eucalyptus spp. In: IV SEMANA DE ENGENHARIA FLORESTAL DA BAHIA E I MOSTRA DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UESB, 2016, Vitória da Conquista. ANAIS DA IV SEMANA DE ENGENHARIA FLORESTAL DA BAHIA E I MOSTRA DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UESB, 2016.

4.
LOPES, I. L. ; SILVA, J. P. M. ; GONCALVES, A. F. A. ; Santana, P. H. L ; SOUZA, D. C. ; CABACINHA, C. D. . Máquina de vetor de suporte para estimar volume de árvores de eucalipto. In: IX Simpósio Brasileiro de Pós-Graduação em Ciências Florestais, 2016, Guarapari. Disseminação e Aplicação do Conhecimento Científico e Tecnológico nas Ciências Florestais, 2016.

5.
LOPES, I. L. ; SILVA, J. P. M. ; GONCALVES, A. F. A. ; CABACINHA, C. D. ; FIGUEIREDO. L. T. M ; CORDEIRO, N. G. . Densidade básica e massa seca para espécies do Cerrado. In: IX Simpósio Brasileiro de Pós-Graduação em Ciências Florestais, 2016, Guarapari. Disseminação e Aplicação do Conhecimento Científico e Tecnológico nas Ciências Florestais, 2016.

6.
Santana, P. H. L ; GONCALVES, A. F. A. ; LOPES, I. L. ; SILVA, J. P. M. ; FERREIRA, A. C. F ; FRAZÃO, L. A. . Produção do eucalipto em sistema de integração lavoura-pecuária-floresta e correlação com atributos químicos do solo. In: IX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS, 2016, Guarapari. Disseminação e Aplicação do Conhecimento Científico e Tecnológico nas Ciências Florestais, 2016.

7.
GONCALVES, A. F. A. ; SILVA, J. P. M. ; LOPES, I. L. ; BARBOSA, L. O. ; SOUZA, D. C. ; CABACINHA, C. D. . Relação hipsométrica em povoamento de eucalipto: avaliação de diferentes estratégias de ajustes. In: IX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS, 2016, Guarapari. Disseminação e Aplicação do Conhecimento Científico e Tecnológico nas Ciências Florestais, 2016.

8.
SILVA, J. P. M.; GONCALVES, A. F. A. ; LOPES, I. L. ; CORDEIRO, N. G. ; SOUZA, D. C. ; CABACINHA, C. D. . Redes neuro fuzzy e redes neurais artificiais para estimar volume de Eucalipto. In: IX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS, 2016, GUARAPARI. Disseminação e Aplicação do Conhecimento Científico e Tecnológico nas Ciências Florestais, 2016.

9.
SILVA, J. P. M.; LOPES, I. L. ; GONCALVES, A. F. A. ; SOUZA, L. A. ; AOZANI, T. S. ; SILVA, M. L. M. . Redes neurais artificiais para estimar o afilamento do fuste de árvores de clones de Eucalyptus sp. In: IX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS, 2016, GUARAPARI. Disseminação e Aplicação do Conhecimento Científico e Tecnológico nas Ciências Florestais, 2016.

10.
SOUZA, L. A. ; BINOTI, D. H. B. ; SILVA, J. P. M. ; MATIAS, H. B. ; PIRES, S. A. O. ; LEITE, H. G. . Método de estimação do volume de árvores de eucalipto utilizando máquina de vetor de suporte. In: IX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS, 2016, GUARAPARI. Disseminação e Aplicação do Conhecimento Científico e Tecnológico nas Ciências Florestais, 2016.

11.
JESUS, R. B. ; SILVA, J. P. M. ; LACERDA, T. H. S. ; MOREIRA, J. L. ; HEIN, P. R. G. . Efeito da irrigação nas caracteristicas da madeira de Tectona grandis cultivada no semi-árido. In: XV EBRAMEM-Encontro Brasileiro em Madeiras e em Estruturas de Madeira, 2014, Natal. Cadernos de Resumos do XV EBRAMEM. João Pessoa: Moura Ramos, 2014. v. 1. p. 370.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
FERNANDES, M. R. M. ; SILVA, G. F. ; SILVA, J. P. M. ; ALMEIDA, A. Q. ; FERNANDES, M. M. . ESTIMAÇÃO DE VOLUME DA MADEIRA DE ESPÉCIES DA CAATINGA COM MODELOS MISTOS. In: VII Congresso Florestal Latino-Americano, 2018, Vitória-ES. VII Congresso Florestal Latino-Americano, 2018.

2.
LOPES, I. L. E. ; SILVA, J. P. M. ; GONCALVES, A. F. A. ; MANHAES, L. P. ; SILVA, M. L. M. ; SILVA, G. F. . INFLUÊNCIA DAS VARIÁVEIS PREDITORAS NAS ESTIMATIVAS DA DENSIDADE BÁSICA DA MADEIRA DE EUCALIPTO. In: VII Congresso Florestal Latino-Americano, 2018, Vitória-ES. VII Congresso Florestal Latino-Americano, 2018.

3.
SILVA, J. P. M.; FERNANDES, M. R. M. ; GONCALVES, A. F. A. ; LOPES, I. L. ; SILVA, G. F. ; CABACINHA, C. D. . MODELOS LINEARES MISTOS NA ESTIMAÇÃO DA DENSIDADE BÁSICA DA MADEIRA DE ESPÉCIES NATIVAS. In: VII Congresso Florestal Latino-Americano, 2018, Vitória-ES. VII Congresso Florestal Latino-Americano, 2018.

4.
GONCALVES, A. F. A. ; SILVA, J. P. M. ; SILVA, L. D. C. ; FERNANDES, M. R. M. ; LOPES, I. L. ; SILVA, G. F. . MODELOS MISTOS PARA A ESTIMAÇÃO DO VOLUME DE MADEIRA DE UMA FLORESTA DA MATA ATLÂNTICA. In: VII Congresso Florestal Latino-Americano, 2018, Vitória-ES. VII Congresso Florestal Latino-Americano, 2018.

5.
GONCALVES, A. F. A. ; FERNANDES, M. R. M. ; SILVA, J. P. M. ; SILVA, G. F. ; ALMEIDA, A. Q. ; CORDEIRO, N. G. . USO DE DADOS DO SENSOR MSI E SRTM NA ESTIMAÇÃO DE VOLUME DE MADEIRA EM UMA FLORESTA ESTACIONAL SEMIDECIDUAL. In: VII Congresso Florestal Latino-Americano, 2018, Vitória-ES. VII Congresso Florestal Latino-Americano, 2018.

6.
BARROSO, P. D. ; SILVA, J. P. M. ; LEITE, M. V. S. ; CABACINHA, C. D. ; ASSIS, A. L. . Redes Neurais Artificiais Com Diferentes Algorítimos de Treinamento Para Estimar Volume de Eucalipto. In: 2º Congresso Florestal no Cerrado & 4º Simpósio sobre Eucaliptocultura, 2015. 2º Congresso Florestal no Cerrado & 4º Simpósio sobre Eucaliptocultura. Goiânia, 2015.

7.
SOUZA, D. C. ; CABACINHA, C. D. ; SILVA, J. P. M. ; CORDEIRO, N. G. ; PINTO, L. O. R. ; OLIVEIRA, L. G. G. ; BATISTA, P. H. F. . AJUSTE DE EQUAÇÕES PARA ESTIMATIVA DE PESO DE MATÉRIA SECA EM UM CERRADO STRICTO SENSU. In: XXIII SEMANA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA / PRPQ, 2014, Montes Claros. XXIII Semana de Iniciação Científica/PRPQ. Montes Claros, 2014. v. 1. p. 1-1.

8.
SILVA, J. P. M.; SOUZA, D. C. ; CORDEIRO, N. G. ; LACERDA, T. H. S. ; ASSIS, A. L. ; MAIA, R. D. ; CABACINHA, C. D. . MODELAGEM NEURO-FUZZY PARA ESTIMATIVA DO VOLUME DE MACHAERIUM OPACUM VOGEL. In: XXIII SEMANA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA / PRPQ, 2014, Montes Claros. XXIII SEMANA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA / PRPQ, 2014. v. 1. p. 1.

9.
PINTO, L. O. R. ; SOUZA, D. C. ; SILVA, J. P. M. ; BATISTA, P. H. F. ; OLIVEIRA, L. G. G. ; SOUZA, L. R. . MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL EM RESERVAS LEGAIS: CONCILIANDO CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DO CERRADO. In: XVII ENCONTRO DE EXTENSÃO, 2014, Montes Claros. XVII ENCONTRO DE EXTENSÃO, 2014. v. 1. p. 1.

10.
BATISTA, P. H. F. ; SILVA, J. P. M. ; SOUZA, D. C. ; PINTO, L. O. R. ; OLIVEIRA, L. G. G. ; CABACINHA, C. D. ; ASSIS, A. L. ; MAIA, R. D. . UTILIZAÇÃO DA REDE NEURO-FUZZY PARA DETERMINAÇÃO DA ALTURA DE MACHAERIUM OPACUM VOGEL. In: XXIII SEMANA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA / PRPQ, 2014, Montes Claros. XXIII SEMANA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA / PRPQ, 2014. v. 1. p. 1-1.

11.
SILVA, J. P. M.; SOUZA, D. C. ; LOPES, I. L. ; OLIVEIRA, L. G. G. ; CABACINHA, C. D. ; ASSIS, A. L. ; MAIA, R. D. . Redes neuro-fuzzy para estimação volumétrica de espécies do cerrado stricto sensu. In: III Simpósio Nacional de Inventário Florestal, 2014, Manaus. Anais do III Simpósio Nacional de Inventário Florestal. Manaus, 2014. v. 1. p. 17-17.

12.
SOUZA, D. C. ; SILVA, J. P. M. ; PINTO, L. O. R. ; GONCALVES, A. F. A. ; BATISTA, P. H. F. ; CABACINHA, C. D. ; ASSIS, A. L. ; MAIA, R. D. . Redes neurais para estimativa de peso seco de espécies do cerrado stricto sensu. In: III Simpósio Nacional de Inventário Florestal, 2014, Manaus. Anais do III Simpósio Nacional de Inventário Florestal, 2014. v. 1. p. 22-22.

Artigos aceitos para publicação
1.
FERNANDES, M. M. ; SOUSA, F. L. ; SILVA, J. P. M. ; ARAUJO, E. F. ; FERNANDES, M. R. M. ; NOBREGA, R. S. A. . Variáveis biométricas de mudas de espécies florestais em diferentes substratos estimadas por redes neurais artificiais. REVISTA DE CIÊNCIAS AGROVETERINÁRIAS (UDESC), 2019.

Apresentações de Trabalho
1.
JESUS, R. B. ; SILVA, J. P. M. ; SILVA, P. N. ; HEIN, P. R. G. . Variação da densidade básica da madeira de Eucalyptus em função da altura das árvores. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

2.
PINTO, L. O. R. ; SILVA, J. P. M. ; BATISTA, V. U. ; ARAUJO, A. C. S. C. ; SOUZA, D. C. ; PINHEIRO, D. T. C. ; SOARES, S. J. S. . Produção de madeira colhida em planos de manejo de baixo impacto no cerrado da região de Montes Claros. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

3.
CORDEIRO, N. G. ; SANTOS, D. P. M. ; CARVALHO, G. A. ; SILVA, K. D. A. ; SILVA, J. P. M. ; SALES, N. L. P. . Fungos em sementes de Triplaris gardneriana. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

4.
SILVA, K. D. A. ; SILVA, J. P. M. ; CARVALHO, G. A. ; SANTOS, D. P. M. ; CORDEIRO, N. G. ; SALES, N. L. P. . Manchas foliares em árvores de ipê-roxo (Handroanthus avellanedae) no campus do ICA-UFMG. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

5.
FIRMO, D. H. T. ; SILVA, J. P. M. ; SILVA, A. C. ; FREITAS , D. A. ; PEREIRA, K. M. G. ; CARVALHO, L. R. ; SALES, N. L. P. . IDENTIFICAÇÃO DE REGENERANTES EM ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DEGRADADA NO CAMPUS DO ICA-UFMG, MONTES CLAROS ?MG. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

6.
JESUS, R. B. ; SILVA, J. P. M. ; SILVA, P. N. ; LACERDA, T. H. S. ; MATOS, L. M. A. ; PLAZAS, I. V. C. ; SILVA, G. C. C. ; GONCALVES, A. F. A. ; CABACINHA, C. D. . Efeito da irrigação no teor de casca e excentricidade da medula em madeira de Tectona grandis. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).


Demais tipos de produção técnica
1.
SILVA, J. P. M.. Redes Neurais Aplicada à Engenharia Florestal. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
PLAZAS, I. V. C. ; SILVA, J. P. M. . Caminhada Dendrológica. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Bancas




Participação em bancas de comissões julgadoras
Outras participações
1.
CABACINHA, C. D.; SILVA, J. P. M.. Seleção de voluntário para o Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Engenharia Florestal. 2014. 2014. Universidade Federal de Minas Gerais.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
2° DIA F. 2015. (Outra).

2.
Ciclo de Palestras sobre Gestão Florestal. 2015. (Outra).

3.
IX Encontro Sobre Prevenção e Combate a Incêndios Florestais. 2015. (Encontro).

4.
Dia F. 2014. (Outra).

5.
Implantação e Manutenção de Plantio de Eucalipto. 2014. (Outra).

6.
Inteligência computacional: o que é e para que serve. 2014. (Outra).

7.
Produção de Energia. 2014. (Outra).

8.
1° ciclo de Palestras do Programa Florestas. 2013. (Outra).

9.
Circuito Cemig/UFMG de Arborização Urbana. 2013. (Outra).

10.
Participante da visita técnica sobre recuperação de áreas degradadas na Barragem de Juramento. 2013. (Outra).

11.
XI CONGRESSO DE ECOLOGIA DO BRASIL E I CONGRESSO INTERNACIONAL DE ECOLOGIA. 2013. (Congresso).

12.
Ouvinte do 2° ILPF- Simpósio de Integração Lavoura Pecuária Floresta. 2012. (Outra).

13.
Ouvinte do curso Implantação de Florestas de Produção do 2º ILPF-Simpósio de Integração Lavoura- Pecuária-Floresta. 2012. (Simpósio).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
SILVA, J. P. M.; MATOS, L. M. A. ; PEREIRA, K. M. G. ; SOUZA, D. C. ; JESUS, R. B. ; GONCALVES, A. F. A. . 2° DIA F. 2015. (Outro).

2.
SILVA, J. P. M.; LACERDA, T. H. S. ; GONCALVES, A. F. A. ; MATOS, L. M. A. ; SOUZA, D. C. ; JESUS, R. B. ; SILVA, G. C. C. . Redes Neurais Artificiais aplicadas à Engenharia Florestal. 2014. (Outro).

3.
SILVA, J. P. M.; JESUS, R. B. ; GONCALVES, A. F. A. ; LACERDA, T. H. S. ; SILVA, G. C. C. ; PLAZAS, I. V. C. ; SOUZA, D. C. . Caminhada Dendrológica. 2014. (Outro).

4.
SILVA, J. P. M.; JESUS, R. B. ; GONCALVES, A. F. A. ; SILVA, G. C. C. ; PLAZAS, I. V. C. ; PEREIRA, K. M. G. ; SOUZA, D. C. . COMBATE ÁS FORMIGAS CORTADEIRAS. 2014. (Outro).

5.
SILVA, J. P. M.; LACERDA, T. H. S. ; PLAZAS, I. V. C. ; SILVA, G. C. C. ; PINHEIRO, D. T. C. ; SOUZA, D. C. . Noções Básicas de Sistema de Posicionamento Global (GPS). 2014. (Outro).

6.
SILVA, J. P. M.; JESUS, R. B. ; GONCALVES, A. F. A. ; SOUZA, D. C. ; LACERDA, T. H. S. ; SILVA, G. C. C. ; PEREIRA, K. M. G. . Introdução ao MATLAB. 2014. (Outro).

7.
SILVA, J. P. M.; LACERDA, T. H. S. ; SILVA, G. C. C. ; PLAZAS, I. V. C. ; GONCALVES, A. F. A. ; MATOS, L. M. A. . Manejo sustentável em Reserva Legal: conciliando conservação e uso do cerrado. 2014. (Outro).

8.
SILVA, J. P. M.; JESUS, R. B. ; GONCALVES, A. F. A. ; LACERDA, T. H. S. ; PINHEIRO, D. T. C. ; SOUZA, D. C. . Pragas da Cultura do Eucalipto. 2014. (Outro).

9.
SILVA, J. P. M.; JESUS, R. B. ; PEREIRA, K. M. G. ; MATOS, L. M. A. ; GONCALVES, A. F. A. . Produção de Energia. 2014. (Outro).

10.
SILVA, J. P. M.; JESUS, R. B. ; GONCALVES, A. F. A. ; LACERDA, T. H. S. ; SOUZA, D. C. ; PEREIRA, K. M. G. . Inteligência computacional: o que é e para que serve. 2014. (Outro).

11.
SILVA, J. P. M.; JESUS, R. B. ; SILVA, G. C. C. ; LACERDA, T. H. S. ; MATOS, L. M. A. ; SOUZA, D. C. . Dia F. 2014. (Outro).

12.
SILVA, J. P. M.; JESUS, R. B. ; PEREIRA, K. M. G. ; SOUZA, D. C. . Implantação e Manutenção de Plantio de Eucalipto. 2014. (Outro).

13.
SILVA, J. P. M.; LACERDA, T. H. S. ; SILVA, G. C. C. ; GONCALVES, A. F. A. ; JESUS, R. B. . Dia de Campo: Fundamentos de Inventário Florestal. 2014. (Outro).

14.
SILVA, J. P. M.; LACERDA, T. H. S. ; SILVA, G. C. C. ; PEREIRA, K. M. G. ; MATOS, L. M. A. ; SOUZA, D. C. . visita técnica na empresa Plantar Siderúrgica S/A. 2014. (Outro).

15.
SILVA, J. P. M.; SOUZA, D. C. ; GONCALVES, A. F. A. ; PEREIRA, K. M. G. ; JESUS, R. B. . Fitossociologia. 2014. (Outro).

16.
SILVA, J. P. M.; SOUZA, D. C. ; PEREIRA, K. M. G. ; MATOS, L. M. A. . Minicurso EXCEL. 2014. (Outro).

17.
SILVA, J. P. M.. Questões Florestais da atualidade no norte de Minas Gerais. 2013. (Outro).

18.
SILVA, J. P. M.; JESUS, R. B. ; GONCALVES, A. F. A. ; LACERDA, T. H. S. ; PLAZAS, I. V. C. ; SILVA, G. C. C. . MiniCurso de GPS. 2013. (Outro).



Educação e Popularização de C & T



Artigos
Artigos aceitos para publicação
1.
FERNANDES, M. M. ; SOUSA, F. L. ; SILVA, J. P. M. ; ARAUJO, E. F. ; FERNANDES, M. R. M. ; NOBREGA, R. S. A. . Variáveis biométricas de mudas de espécies florestais em diferentes substratos estimadas por redes neurais artificiais. REVISTA DE CIÊNCIAS AGROVETERINÁRIAS (UDESC), 2019.


Cursos de curta duração ministrados
1.
PLAZAS, I. V. C. ; SILVA, J. P. M. . Caminhada Dendrológica. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
SILVA, J. P. M.. Redes Neurais Aplicada à Engenharia Florestal. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Outra).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/11/2018 às 6:18:50