Andréa Queiroz Vilas Boas

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3422387910908268
  • Última atualização do currículo em 01/05/2018


Possui graduação em medicina pela Universidade Federal da Bahia (1993) e mestrado em Tecnologias em Saúde pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (2016). Atualmente é professor assistente da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. Trabalha como medica diarista da enfermaria e pre natal na Maternidade de alta complexidade do Estado Maternidade Jose Maria Magalhães Neto . Tem experiência na área de planejamento familiar com ênfase em métodos de longa duração , patologia do trato genital inferior e reposição hormonal. Atua em consultório particular desde 1997. Faz parte do grupo de pesquisa GERSON e esta em andamento com o projeto de Doutorado em anticoncepção . (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Andréa Queiroz Vilas Boas
Nome em citações bibliográficas
VILAS BOAS, A. Q.;Andréa Queiroz Vilas Boas;andrea queiroz vilas boas

Endereço


Endereço Profissional
Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.
Avenida Dom João VI - de 1 a 99998 - lado direito
Acupe de Brotas
40290000 - Salvador, BA - Brasil
Telefone: (71) 32768200


Formação acadêmica/titulação


2017
Doutorado em andamento em Medicina e Saúde Humana.
Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, EBMSP, Brasil.
Título: uso do implante contraceptivo de etnogestrel em pacientes portadoras de anemia falciforme,
Orientador: milena bastos brito.
Palavras-chave: anticoncepção; implante; anemia falciforme.
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: Saúde Materno-Infantil.
Setores de atividade: Atividades de atenção à saúde humana.
2014 - 2016
Mestrado em Tecnologias em Saúde.
Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, EBMSP, Brasil.
Título: radiofrequencia na incontinencia urinaria de esforço: estudo piloto,Ano de Obtenção: 2016.
Orientador: Patricia Virginia Silva Lordelo Garboggini.
Coorientador: Sibele de Oliveira Tozetto Klein.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia, FAPESB, Brasil.
Palavras-chave: incontinencia urinaria; radiofrequencia não ablativa.
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Fisioterapia e Terapia Ocupacional.
Setores de atividade: Atividades de atenção à saúde humana.
1995 - 1997
Especialização - Residência médica.
Hospital Ana Nery, HAN, Brasil. Residência médica em: ginecologia e obstetricia
Número do registro: .
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: gincologia e obstetricia.
Setores de atividade: Atividades de atenção à saúde humana.
1987 - 1993
Graduação em medicina.
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.




Formação Complementar


2016
pos graduação em homeopatia.
Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, EBMSP, Brasil.
2016 - 2016
Extensão universitária em produção de conteudo para EAD. (Carga horária: 50h).
Centro Universitário Senac, SENAC/SP, Brasil.
2015 - 2015
histeroscopia ambulatorial. (Carga horária: 26h).
instituto europeu de ciencias endoscopicas, EIES, Brasil.
2015 - 2015
histeroscopia cirurgica com ressetoscopio. (Carga horária: 26h).
instituto europeu de ciencias endoscopicas, EIES, Brasil.
2011 - 2013
Extensão universitária em especialização em ciencia anti-aging e longevidade humana. (Carga horária: 80h).
Universidade Anhembi Morumbi, UAM, Brasil.
2010 - 2011
Extensão universitária em POS GRADUAÇÃO LATU SENSO MEDICINA ORTOMOLECULAR. (Carga horária: 400h).
Universidade Veiga de Almeida, UVA/RJ, Brasil.


Atuação Profissional



Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, EBMSP, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: aluno doutorado, Enquadramento Funcional: aluno doutorado

Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: professor assistente, Carga horária: 20

Vínculo institucional

2014 - 2016
Vínculo: aluno mestrado, Enquadramento Funcional: aluno


Maternidade Jose Maria Magalhães Neto, MJMMN, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: pessoa juridica, Enquadramento Funcional: diarista enfermaria e pre natalista, Carga horária: 24
Outras informações
Trabalho como medico diarista de enfermaria e pré- natal em maternidade de alta complexidade


Consultório Médico Especializado, CARDIOGRAPH, Brasil.
Vínculo institucional

1997 - Atual
Vínculo: medica, Enquadramento Funcional: diretira tecnica
Outras informações
Consultorio medico especializado ginecologia e obstetrícia com atendimento particular e convênio desde 1997 . Complexo Odontomedico Itaigara sala 704 itagara tel 33533549



Projetos de pesquisa


2017 - Atual
USO DO IMPLANTE CONTRACEPTIVO LIBERADOR DE ETONOGESTREL EM
Descrição: A anemia falciforme é uma doença genética homozigótica com alta prevalência no Brasil. Relaciona-se a alterações na conformação e propriedades físico-químicas dos eritrócitos que geram manifestações clínicas variadas entre as quais destacam-se anemia hemolítica crônica, alterações cardiovasculares, febre, sequestro esplênico e, comumente, crises álgicas. Mulheres portadoras de anemia falciforme possuem elevada morbimortalidade materno-fetal e neonatal. Durante o período gestacional, há intensificação da anemia materna, dos episódios de crises álgicas; além de mais riscos obstétricos, como pré-eclâmpsia, tromboembolismo e hemorragia. Deste modo, destaca-se a necessidade do planejamento reprodutivo adequado para esta população realizado principalmente através dos métodos contraceptivos hormonais. A Organização Mundial de Saúde preconiza que todos os métodos contraceptivos podem ser prescritos para mulheres portadoras de anemia falciforme, diante da alta morbimortalidade de gestação nesta população. Deve-se optar pela prescrição dos progestagênios isolados em portadoras de anemia falciforme, por estes não alterarem o risco de trombose venosa ou arterial, inerentes a esta patologia. Apesar disso, há necessidade de maiores evidências científicas quanto a melhor e mais segura opção contraceptiva para este grupo de mulheres, que constantemente são internadas por crises álgicas. O objetivo do presente estudo é avaliar o efeito clínico através do número e intensidade de crises álgicas em mulheres portadoras de anemia falciforme com uso do implante subdérmico liberador de etonogestrel durante doze meses..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Andréa Queiroz Vilas Boas - Integrante / milena bastos - Coordenador.
2013 - 2015
radiofrequencia vaginal na incontinencia urinaria de esforço
Descrição: Radiofrequência Vaginal na Incontinência Urinária de Esforço: Um Estudo Piloto Objetivo: Descrever a utilização da radiofrequência (RF) não ablativa vaginal, sendo um novo conceito no tratamento da incontinência urinária de esforço (IUE) feminina. Metodologia: Nós testamos a técnica por meio de um estudo piloto com 10 mulheres com faixa etária entre 18 a 66 anos, encaminhadas para tratamento da IUE. Foram realizadas cinco sessões de RF, com intervalo de sete dias entre elas. A aplicação da RF foi realizada em introito vaginal por dois minutos após atingir a temperatura de 39 a 41ºC (mensurada por termômetro digital infravermelho), as participantes estavam em posição ginecológica durante o procedimento. Foi utilizado o Pad test de 1h, no início e no final do tratamento, para quantificar a perda urinária. Para avaliar o grau de satisfação do tratamento foi aplicada a escala de Likert de cinco pontos (muito insatisfeito, insatisfeito, indiferente, satisfeito e muito satisfeito). Resultados: A média de idade das pacientes tratadas foi de 51,9 ± 8,63 anos. Todas as 10 participantes apresentaram um Pad Test inicial positivo. Segundo a International Continence Society 4 participantes apresentaram um pad test com perdas leves, 5 com perdas moderadas e 1 com perda severa. Na avaliação do pad test final 7 apresentaram redução da perda (sendo que 2 não apresentaram mais perdas) e 3 tiveram piora. O grau de satisfação foi de 90% satisfeito com o tratamento e sem efeitos colaterais. Conclusão: Nós apresentamos um novo conceito terapêutico, o método da radiofrequência não ablativa vaginal, com redução das perdas urinárias. Acreditamos que ele favoreça a produção de colágeno local favorecendo os fatores intrínsecos de continência, por meio de uma técnica conservadora, com menos riscos e baixo custo, além de alto grau de satisfação, sendo uma nova perspectiva nos tratamentos das IUE em mulheres..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) .

Integrantes: Andréa Queiroz Vilas Boas - Integrante / Patricia Lordelo - Coordenador / Cristina Brasil - Integrante.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: gincologia e obstetricia.
2.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: longevidade humana.
3.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: tecnologia em saude.
4.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: planejamento familiar.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


1997
titulo de especialista em ginecologia e obstetrícia, sociedade brasileira de ginecologia e obstetrícia.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
LORDELO, P.2017LORDELO, P. ; VILAS BOAS, A. Q. ; SODRE, D. ; LEMOS, A. ; TOZETTO, S. ; Brasil, C. . new concept for treating female stress urinary incontinence with radiofrequency. International Braz J Urol, v. junho, p. 43, 2017.

2.
VILAS BOAS, A. Q.2014VILAS BOAS, A. Q.; Brasil, C. ; Pavie, M.C. ; DAMASCENO, L. S. ; MENEZES, J. ; LORDÊLO, P. . non ablative radiofrequency in the tratament of stress urinary incontinence. Revista Pesquisa em Fisioterapia, v. 4, p. 215-221, 2014.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
VILAS BOAS, A. Q.; LORDÊLO, P. ; Brasil, C. ; MENEZES, J. ; Pavie, M.C. ; DAMASCENO, L. S. . radiofrequencia no tratamento da incontinencia urinaria de esforço. I saude bahia, internet, 01 jun. 2015.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
VILAS BOAS, A. Q.; Brasil, C. ; LORDÊLO, P. . radiofrequencia vaginal na incontinencia urinaria de esforço : um estudo piloto. In: XX congresso paulista de obstetricia e ginecologia, 2015, Sao paulo. anais XX congresso paulista de obstetricia e ginecologia. sao paulo, 2015.

2.
VILAS BOAS, A. Q.; GOMES, T. ; LORDÊLO, P. . analise da inserção da fisioterapia uroginecologica no sistema unico de saúde. In: XI enfism encontro nordestino de fisioterapia em saude da mulher, 2015, Campina Grande. resumos XI encontro nordestino de fisioterapia e saude da mulher. fortaleza, 2015.

3.
VILAS BOAS, A. Q.; Brasil, C. ; LORDÊLO, P. . radiofrequencia na incontinencia urinria de esforço - estudo piloto. In: XIV mostra cientifica e cultural, 2014, salvador. revista anais MCC salvador. Salvador: Biblioteca central EBMSP, 2014.

Apresentações de Trabalho
1.
LORDELO, P. ; Pavie, M.C. ; TOZETTO, S. ; LEAL, M. R. D. ; VILAS BOAS, A. Q. . uso do diodo emissor de luz azul 405NM no tratamento de candidiase vulvovaginal recorrente : um relato de caso. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
Lins, CF ; VILAS BOAS, A. Q. ; Nunez Filha , MCD . Distribuiçaõ de mamografias no Brasil no ano de 2014. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

3.
VILAS BOAS, A. Q.. A utilização de farmacos na uroginecologia. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
VILAS BOAS, A. Q.. radiofrequencia na incontinencia urinaria feminina. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
VILAS BOAS, A. Q.. Cancer de Colo Uterino e HPV. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

6.
VILAS BOAS, A. Q.. Reposição bioidêntica é mais segura para mama ?. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

7.
VILAS BOAS, A. Q.; LORDÊLO, P. ; Brasil, C. . Radiofrequência Vaginal na Incontinência Urinária de Esforço ; estudo piloto. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

8.
VILAS BOAS, A. Q.. Ortomolecular para ginecologista. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

9.
VILAS BOAS, A. Q.. Associação de Vitamina D e Cancer. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).


Produção técnica
Redes sociais, websites e blogs
1.
VILAS BOAS, A. Q.; Lordelo Patricia ; Brasil, C. . rediofrequencia na incontinencia urinaria de esforço. 2015; Tema: radiofrequencia na incontinência urinária. (Site).


Demais tipos de produção técnica


Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
VILAS BOAS, A. Q.; Goes , teixeira Bruno. Participação em banca de Priscila Santos de Santana.fisioterapia na mulher mastectomizada. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fisioterapia) - Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

2.
VILAS BOAS, A. Q.; Goes , teixeira Bruno. Participação em banca de Daniele Campodônio da Silva.dor neuropatica em mulheres mastectomizadas. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fisioterapia) - Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

3.
VILAS BOAS, A. Q.; Mendes, Selena Marcia. Participação em banca de Bruna Guimarães castelo Branco.qualidade de vida em mulheres com constipação em Salvador. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fisioterapia) - Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
Tozetto, Sibele de Oliveira; Teles, Alcina de Oliveira; VILAS BOAS, A. Q.. comissão examinadora do concurso publico para docente do magisterio superior. 2016. Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

Avaliação de cursos
1.
VILAS BOAS, A. Q.. Osce Objective Strutured Examination. 2016. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

2.
VILAS BOAS, A. Q.. Oficina de semiologia médica- aprimorando conhecimentos. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

3.
VILAS BOAS, A. Q.. material didático desenvolvido para monitoria de histologia. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

Outras participações
1.
VILAS BOAS, A. Q.. Osce Objective Strutured Examination. 2016. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

2.
VILAS BOAS, A. Q.. Incidencia de nauseas e vomitos em pacientes submetidas a histerectomia abdominal sob raquianestesia. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

3.
VILAS BOAS, A. Q.. Método Johrei na qualidade de vida em mulheres mastectomizadas. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

4.
VILAS BOAS, A. Q.. Qualidade de vida em mulheres constipadas. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

5.
VILAS BOAS, A. Q.. uso de reveratrol na prevenção de doenças cardiovasculares : uma revisão sistemática. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

6.
VILAS BOAS, A. Q.. achados ultrassonograficos nas mãos e nos punhos de pacientes com lupos eritemtoso sistemico sem sintomas musculoesqueleticos. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

7.
VILAS BOAS, A. Q.. causas de não adesão a profilaxia secundária para febre reumática. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

8.
VILAS BOAS, A. Q.. lesão renal aguda em pacientes em uso de inibidor da enzima conversora de angiotensina para tratar insuficiencia cardiaca descompensada. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

9.
VILAS BOAS, A. Q.. internações e obitos por acidente vascular encefálico em algumas capitais do brasil. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

10.
VILAS BOAS, A. Q.. Vacina contra virus influenza e mortalidade por doenças do aparelho cardiovascular em idosos na bahia. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

11.
VILAS BOAS, A. Q.. estudo das principais lesões em vitimas de acidentes automobilisticos entre 5 e 9 anos em Salvador. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

12.
VILAS BOAS, A. Q.. Prevalência de dor neuropática em mullheres mastectomizadas. 2014. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
20 HORMOGIN. 2017. (Simpósio).

2.
II simposio de doenças da mama na pratica ginecologica.terapia hormonal - estado da arte. 2016. (Simpósio).

3.
x enfisxm. USO DO PAD TEST NA AVALIAÇÃO DA RESPOSTA À RADIOFREQUÊNCIA NA PERDA URINÁRIA FEMININA POR ESFORÇO: UM ESTUDO PILOTO. 2016. (Congresso).

4.
I jornada de anatomia medica da Bahia.radiofrequencia na incontinencia urinaria feminina. 2015. (Simpósio).

5.
I jornada de anatomia medica da Bahia.radiofrequencia na incontinencia urinaria feminina. 2015. (Simpósio).

6.
IX enfism encontro nordestino de fisioterapia em saude da mulher.analise da inserção da fisioterapia uroginecologica no sistema unico de saúde. 2015. (Encontro).

7.
Saude Intima.Disturbios do asssoalho pélvico. 2015. (Outra).

8.
Segunda sessão aberta da LASM.A Utilização de Farmacos na uroginecologia. 2015. (Outra).

9.
xx congresso paulista de obstetricia e ginecologia. radiofrequencia vaginal na incontinencia urinaria de esforço : um estudo piloto. 2015. (Congresso).

10.
Mostra cientifica cultural EBMSP.radiofrequencia vaginal na incontinencia urinaria de esforço :estudo piloto. 2014. (Simpósio).

11.
Semiinario de integração das pós-graduações da EBMSP.radiofrequencia vaginal na incontinencia urinaria de esforço :estudo piloto. 2014. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
LORDÊLO, P. ; VILAS BOAS, A. Q. ; Brasil, C. . 1 congresso internacional de fisioterapia em pelviperineologia X ENFISM III Enfish. 2016. (Congresso).

2.
LORDELO, P. ; GOMES, T. ; LEAL, M. R. D. ; Pavie, M.C. ; SODRE, D. ; Brasil, C. ; VILAS BOAS, A. Q. ; LEMOS, A. . I congresso internacional de fisioterapia em pelviperineologia X ENFISM III ENFISH. 2016. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Cecilia Souza Freire. frequencia de amenorreia em pacientes submetidas ao tratamento quimioterapico para cancer de mama; uma revisão sistematica. Início: 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina) - Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
LUISA FERREIRA SILVA LOPES. tendencia da mortalidade por cancer de colo de utero no estado da bahia no periodo de 2004 a 2014. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina) - Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. Orientador: Andréa Queiroz Vilas Boas.

2.
Acacia Oliveira Amorim. uso do pad test na avaliação da resposta à radiofrequencia na perda urinaria feminina por esforço: resultados preliminares. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina) - Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Andréa Queiroz Vilas Boas.



Inovação



Projetos de pesquisa


Educação e Popularização de C & T



Artigos
Artigos completos publicados em periódicos
1.
VILAS BOAS, A. Q.2014VILAS BOAS, A. Q.; Brasil, C. ; Pavie, M.C. ; DAMASCENO, L. S. ; MENEZES, J. ; LORDÊLO, P. . non ablative radiofrequency in the tratament of stress urinary incontinence. Revista Pesquisa em Fisioterapia, v. 4, p. 215-221, 2014.

2.
LORDELO, P.2017LORDELO, P. ; VILAS BOAS, A. Q. ; SODRE, D. ; LEMOS, A. ; TOZETTO, S. ; Brasil, C. . new concept for treating female stress urinary incontinence with radiofrequency. International Braz J Urol, v. junho, p. 43, 2017.


Textos em jornais de notícias/revistas
1.
VILAS BOAS, A. Q.; LORDÊLO, P. ; Brasil, C. ; MENEZES, J. ; Pavie, M.C. ; DAMASCENO, L. S. . radiofrequencia no tratamento da incontinencia urinaria de esforço. I saude bahia, internet, 01 jun. 2015.


Apresentações de Trabalho
1.
Lins, CF ; VILAS BOAS, A. Q. ; Nunez Filha , MCD . Distribuiçaõ de mamografias no Brasil no ano de 2014. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

2.
LORDELO, P. ; Pavie, M.C. ; TOZETTO, S. ; LEAL, M. R. D. ; VILAS BOAS, A. Q. . uso do diodo emissor de luz azul 405NM no tratamento de candidiase vulvovaginal recorrente : um relato de caso. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
LORDELO, P. ; GOMES, T. ; LEAL, M. R. D. ; Pavie, M.C. ; SODRE, D. ; Brasil, C. ; VILAS BOAS, A. Q. ; LEMOS, A. . I congresso internacional de fisioterapia em pelviperineologia X ENFISM III ENFISH. 2016. (Congresso).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 18/02/2019 às 18:52:20