Vitor Simonis Richter

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3158204847807403
  • Última atualização do currículo em 10/01/2019


Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009), mestre (2012) e doutor (2016) em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAS/UFRGS) com estágio sanduíche no programa de antropologia da University of Pennsylvania (UPenn). Em 2018 iniciou estágio de pós-doutoramento no Programa de Pós-graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAS/UFRGS). Realiza pesquisas nas áreas de: antropologia do direito, da ciência e do Estado e vem desenvolvendo pesquisa sobre tecnologias de identificação no Brasil. É pesquisador vinculado ao Núcleo de Antropologia e Cidadania (NACi/PPGAS-UFRGS) e ao grupo de pesquisa Ciências na Vida (PPGAS/UFRGS). (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Vitor Simonis Richter
Nome em citações bibliográficas
RICHTER, V. S.


Formação acadêmica/titulação


2012 - 2016
Doutorado em Antropologia Social.
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
com período sanduíche em University of Pennsylvania (Orientador: Adriana Petryna).
Título: Identificaçao genética e crime: a introdução dos bancos de DNA no Brasil, Ano de obtenção: 2016.
Orientador: Claudia Lee Williams Fonseca.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Bancos de DNA; Genética Forense; Tecnologia de Identificação; Identificação Criminal; Antropologia do Estado; Antropologia da ciência.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia da Ciência.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia do Estado.
Setores de atividade: Pesquisa e desenvolvimento científico; Atividades de vigilância, segurança e investigação.
2010 - 2012
Mestrado em Antropologia Social.
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
Título: Seguindo as ?vias?: Declaração de Nascido Vivo, Identificação e Mediação,Ano de Obtenção: 2012.
Orientador: Claudia Lee Williams Fonseca.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Antropologia do Direito; Antropologia do Estado; Antropologia da Administração e da Governança.
Grande área: Ciências Humanas
Setores de atividade: Atividades profissionais, científicas e técnicas.
2004 - 2009
Graduação em Ciências Sociais.
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
Título: Brincadeira, mímesis e alteridade. Uma etnografia na creche da UFRGS.
Orientador: Ondina Fachel Leal.


Pós-doutorado


2018
Pós-Doutorado.
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia da Ciência.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Antropologia do Direito.


Formação Complementar


2014 - 2014
Novos desafios ao direito e à justiça: informação genética e proteçao de da. (Carga horária: 36h).
Universidade de Coimbra, UC, Portugal.
2014 - 2014
FAPESP Summer School. (Carga horária: 20h).
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
2013 - 2013
Escrita Acadêmica. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
2010 - 2010
Extensão universitária em Linguagem Audiovisual. (Carga horária: 40h).
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
2008 - 2008
Extensão universitária em Seminário sobre Educação em Presídios. (Carga horária: 16h).
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
2007 - 2007
Reprodução Interpretativa e Cultura de Pares. (Carga horária: 16h).
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2016
Vínculo: Estudante de Pós-Graduação, Enquadramento Funcional: Estudante

Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: Tutor a distância, Enquadramento Funcional: Temporário, Carga horária: 20
Outras informações
Curso de extensão Educação para Diversidade no Ambiente Escolar ? Ênfase: Infâncias de 0 a 10 anos

Atividades

08/2013 - 12/2013
Estágios , Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de Antropologia Social.

Estágio realizado
Estágio de docência na disciplina HUM 05021 Antropologia Desafios Contemporâneos.
03/2013 - 07/2013
Estágios , Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de Antropologia Social.

Estágio realizado
Estágio de docência na disciplina HUM05030 Antropologia do Corpo e da Saúde A.
03/2013 - 05/2013
Estágios , Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de Antropologia Social.

Estágio realizado
Estágio de docência na disciplina HUM05054 Introdução à Antropologia do Corpo e da Saúde.
08/2011 - 12/2011
Estágios , Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de Antropologia Social.

Estágio realizado
Estágio de docência na disciplina HUM 05015 Direitos, Legalidade e Moralidade.

University of Pennsylvania, UPENN, Estados Unidos.
Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Visiting Scholar, Carga horária: 40

Atividades

01/2015 - 04/2015
Estágios , Department of Anthropology, .

Estágio realizado
Estágio de docência (Teaching Assistant - TA) na disciplina Cultures of science and technology (Anthro 260).


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Agregados Forenses: Bancos de DNA, construção de categorias de vítimas de violência e linguagem dos direitos humanos no Brasil
Descrição: O projeto Agregados Forenses: Bancos de DNA, construção de categorias de vítimas de violência e linguagem dos direitos humanos no Brasil busca entender as relações entre a emergência dos bancos de dados de DNA no Brasil e as demandas por busca de desaparecidos e reconhecimento de vítimas de violência do Estado. O objetivo é voltar a atenção para o cenário político de construção dos direitos humanos no Brasil buscando compreender como a infraestrutura da perícia criminal brasileira, especialmente depois da estabilização da genética forense e dos bancos de DNA, usa e organiza as tecnologias que a compõem de maneira a permitir ou impedir, facilitar ou dificultar a circulação das demandas dos familiares de vítimas de violência. Para uma compreensão etnográfica dos nexos entre ciência, tecnologia, infraestrutura, direito e direitos humanos, propõe buscar dar conta das questões e objetivos desta pesquisa através do trabalho de campo em laboratórios de genética forense e em contextos de demandas por laudos periciais..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Vitor Simonis Richter - Coordenador / Claudia Lee Williams Fonseca - Integrante.
2014 - 2017
Tecnologias de governabilidade e investigação criminal: ciência, política e controle social
Descrição: Trata-se de um projeto de cooperação bilateral Brasil-Portugal CAPES ? Edital 038/2013 do Programa CAPES-FCT. A presente cooperação investigará os processos de co-produção entre ciência, política e controlo social em Portugal e Brasil, analisando questões éticas, sociais e políticas associadas à criação de bancos de dados genéticos e à utilização de tecnologia de DNA na investigação criminal, no combate ao terrorismo e no controlo da imigração ilegal. Esta agenda científica almeja 1. Criar instrumentos conceptuais inovadores que emergem de uma perspectiva comparativa do enquadramento jurídico-legal das tecnologias de genética forenses nos dois países e perspectivar o seu impacto nas políticas públicas de controlo da criminalidade 2. Promover a integração de jovens investigadores e consolidar a formação avançada através da organização de seminários temáticos no âmbito de cursos das instituições proponentes 3. Criar impacto científico internacional e nacional pelo enfoque, do ponto de vista das ciências sociais, num fenómeno que tem assumido crescente importância política a uma escala global..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Vitor Simonis Richter - Integrante / Fabíola Rohden - Integrante / Claudia Lee Williams Fonseca - Coordenador / Glaucia Maricato - Integrante / Helena Machado - Integrante / Patrice Schuch - Integrante / Susana Costa - Integrante / Susana Silva - Integrante / Filipe Santos - Integrante.
2012 - 2016
Identificaçao genética e crime: a introdução dos bancos de DNA no Brasil
Descrição: Em 2012, o Brasil aprovou a lei 12.654 que regulamenta o uso dos bancos de perfis genéticos para fins de investigação criminal. Esta lei é um dos marcos nas discussões acerca do uso do DNA nas investigações criminais que se intensificaram no país a partir de 2009 quando o FBI doou ao Brasil o Combined DNA Index System (CODIS). A chegada dos bancos de dados de DNA ao Brasil faz parte de um processo de expansão internacional de bancos nacionais de perfis genéticos. Esta tese trata do processo de introdução desta tecnologia no Brasil. Através de entrevistas com especialistas de diferentes áreas, tais como perícia criminal, direito e bioética, da observação e participação em seminários e congressos de perícia criminal e das discussões travadas em publicações de revistas científicas esta pesquisa busca uma compreensão etnográfica dos nexos entre ciência, direito, tecnologia, segurança e poder em torno do processo de introdução dos bancos de perfis genéticos no Brasil. Na primeira parte, a tese descreve algumas relações e significados que fizeram a identificação genética vir a ser sinônimo de precisão científica acerca da identificação humana e o deslizamento para sua aplicação nas investigações criminais. Na segunda parte, aborda os primeiros efeitos do processo de introdução da tecnologia de bancos de perfis genéticos no Brasil a partir do processo de elaboração da lei dos bancos de DNA, da emergência de novas trajetórias de peritos criminais em genética forense e de alguns desafios do cotidiano da coleta, análise e armazenamento dos vestígios da cena do crime. Conhecer e entender como são colocadas em prática as diversas mediações que envolvem a estabilização do banco de DNA para fins de investigação criminal no Brasil permite refletir como a relação entre tecnociência, direitos, cidadania e políticas de segurança implicam em opções técnicas, éticas e políticas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Vitor Simonis Richter - Coordenador / Claudia Lee Williams Fonseca - Integrante.
2010 - 2012
Seguindo as vias: Práticas e significados na (re)construção e nos usos da Declaração de Nascido Vivo
Descrição: Essa pesquisa pretende investigar a elaboração e os usos que as pessoas fazem da Declaração de Nascido Vivo (DNV) na cidade de Porto Alegre/RS. Partindo do referencial que concebe a DNV com uma tecnologia de governo (Rose e Miller, 1992) buscamos realizar pesquisa etnográfica acompanhando os percursos das três vias DNV ? pais do recém-nascido, hospital e Equipe de Eventos Vitais ? Secretária Municipal de Saúde ? para tentar conhecer as práticas e significados, os atores envolvidos na elaboração, na utilização pelos representantes da administração pública e que efeitos ela produz na administração da população e na constituição de identidades, subjetividades e cidadanias particulares..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Vitor Simonis Richter - Coordenador.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.


Revisor de periódico


2017 - 2017
Periódico: HISTÓRIA, CIÊNCIAS, SAÚDE-MANGUINHOS (IMPRESSO)
2017 - 2017
Periódico: ATHENEA DIGITAL


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia do Direito.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Francês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Produções



Produção bibliográfica
Capítulos de livros publicados
1.
RICHTER, V. S.; FONSECA, C. L. W. . Desafios éticos da genética forense no Brasil: sentidos práticas em debate.. In: SCHIOCCHET, T.; GARRIDO, R. G.. (Org.). Bancos de perfis genéticos para fins de persecução criminal.. 1ed.Rio de Janeiro: Multifoco, 2018, v. 2, p. 23-50.

2.
RICHTER, V. S.. Uma lição de imaginação antropológica. In: BRITES, J.; MOTTA, F. M. (Org.). Etnografia, O Espírito da Antropologia. Tecendo linhagens, homenagem a Claudia Fonseca. 1ed.Santa Cruz do Sul: ABA Publicações; EDUNISC, 2017, v. 1, p. 394-400.

3.
RICHTER, V. S.. Nascimento dos dados: artefatos e mediações nas práticas cotidianas da produção da população em Porto Alegre, Brasil.. In: FONSECA, C. L. W.; MARICATO, G. DUARTE, L. C.; BESEN, L. R.. (Org.). Ciência, Medicina e Perícia nas Tecnologias de Governo. 1ed.Porto Alegre: Editora da UFRGS/CEGOV, 2016, v. , p. 61-86.

4.
SANTOS, F. ; COSTA, S. ; RICHTER, V. S. . O Banco de Dados Genéticos no Brasil: os desafios operacionais e legais de um processo de modernização. In: FONSECA. C. L. W.; MARICATO, G.; DUARTE, L. C.; BESEN, L. R.. (Org.). Ciência, Medicina e Perícias nas Tecnologias de Governo. 1ed.Porto Alegre: Editora da UFRGS/CEGOV, 2016, v. , p. 130-150.

5.
RICHTER, V. S.. Bancos de perfis genéticos para fins criminais no Brasil: notas de um debate incipiente. In: Claudia Fonseca; Helena Machado. (Org.). Ciência, Identificação e Tecnologias de Governo. 1ed.Porto Alegre: Editora da UFRGS/CEGOV, 2015, v. 1, p. 170-194.

6.
RICHTER, V. S.; DORNELLES, R. C. . Ciência e processo de produção do conhecimento. In: MEIRELLES, M.; RAIZER, L.; PEREIRA, L. H.; PEDDE, V.. (Org.). Ensino de Sociologia. Trabalho, Ciência e Cultura. 1ed.Porto Alegre: Evangraf, 2013, v. , p. 197-222.

7.
ROBIN, S. S. ; RICHTER, V. S. . Diversidade, Diferença, Singularidade e Identidade Social. In: ROBIN, S. S.; RICHTER, V. S.. (Org.). Diversidade, Diferença, Singularidade e Identidade Social. 1ed.Porto Alegre: Evangraf/UFRGS, 2011, v. , p. 65-77.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
RICHTER, V. S.. Match e reconhecimento: a credibilidade do DNA em um caso criminal. In: XI Jornadas Latino-Americanas de Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia-ESOCITE 2016, 2016, Curitiba. Anais Eletronicos ESOCITE 2016 - 21 anos: Trajetórias plurais entre passados e futuros, 2016. p. 245-245.

2.
RICHTER, V. S.. Diante do "estado"? Práticas e significados no registro de recém-nascidos em Porto Alegre. In: IX Reunião de Antropologia do Mercosul, 2011, Curitiba, PR. IX Reunião de Antropologia do Mercosul. Culturas, Encontros e Desigualdades, 2011.

3.
RICHTER, V. S.. A busca pela cura em um contexto intercultural. O caso dos Kaingang do "Morro do Osso". In: XXI Salão de Iniciação Científica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2009, Porto Alegre. XXI Salão de Iniciação Científica. Porto Alegre: Propesq UFRGS, 2009.

4.
RICHTER, V. S.. Corpo, Fantasia e Significado: contribuições da antropologia para os estudos com crianças pequenas. In: XX Salão de Iniciação Científica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2008, Porto Alegre. XX Salão de Iniciação Científica. Porto Alegre: Propesq UFRGS, 2008.

5.
RICHTER, V. S.. Corpo, Fantasia e Significado: contribuições da antropologia para os estudos com crianças pequenas. In: XIV Seminário de Iniciação Científica, 2008, Santa Cruz do Sul. XIV Seminário de Iniciação Científica - UNISC. Santa Cruz do Sul, 2008.

Apresentações de Trabalho
1.
RICHTER, V. S.. ?There?s no use for an empty database?: mandatory DNA collection in Brazilian prisons and the making of a national DNA database. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
RICHTER, V. S.. Match e reconhecimento: a credibilidade do DNA em um caso criminal. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
RICHTER, V. S.. Forensic DNA Databases and citizenship in Brazil: outline of an early process. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
RICHTER, V. S.. Desafios éticos da genética forense no Brasil: sentidos e práticas em debate. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
RICHTER, V. S.. Ciência e garantia de direitos: biotecnologia, direitos humanos e persecução criminal.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
RICHTER, V. S.. Biolegalidade e trabalho de fronteira na perícia criminal brasileira. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
RICHTER, V. S.. The birht of data: artefacts and mediations in the everyday practices of the production of population in Porto Alegre, Brazil. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
RICHTER, V. S.. ?Autonomia e isenção?: reconfigurações da perícia técnico-científica no Brasil. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
RICHTER, V. S.. De ?atividade meio? a ?atividade fim?: trabalho de fronteira na busca da ?autonomia? da perícia técnico-científica brasileira. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

10.
RICHTER, V. S.. Dos ?microelementos? e ?microestrias?: balística e aceitação ?crítica? da ciência em um processo crime. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
RICHTER, V. S.. Diante do. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

12.
RICHTER, V. S.. A busca pela cura em um contexto intercultural. O caso dos Kaingang do "Morro do Osso". 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

13.
RICHTER, V. S.. Corpo e Mímesis: construção de alteridades. 2009. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

14.
RICHTER, V. S.. Corpo, fantasia e significado: contribuições da antropologia para os estudos com crianças pequenas. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

15.
RICHTER, V. S.. Programa de Prestação de Serviços à Comunidade - PPSC/UFRGS. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

16.
RICHTER, V. S.. Corpo, Fantasia e Significado: contribuições da antropologia para os estudos com crianças pequenas. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
GARRIDO, R. G.; RICHTER, V. S.; SANTORO, A. E. R.. Participação em banca de Rafael Suita Lopes. Banco Nacional de Perfis Genéticos: identificação criminal, meio de prova e vigilânica. 2016. Dissertação (Mestrado em DIREITO) - Universidade Católica de Petrópolis.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
ALMEIDA, J. P.; RICHTER, V. S.; RIFIOTIS, F.. Participação em banca de Felipe Schifino Burd.DOWNBURST OU TORNADO: CONSTRUÇÕES DO EVENTO ATMOSFÉRICO DE 29 DE JANEIRO DE 2016 EM PORTO ALEGRE/RS. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

2.
AYDOS, V.; RICHTER, V. S.; QUINTERO, P.. Participação em banca de Lisiane Marcia Michaelsen.PRESERVAÇÃO DA CULTURA MBYÁ GUARANI: A TRAJETÓRIA DE HUGO/ WERÁ. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.




Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
International Conference Genetic identities and identification: Social issues surrounding non- medical DNA testing."There?s no use for an empty database": mandatory DNA collection in Brazilian prisons and the making of a national DNA database. 2018. (Seminário).

2.
XI Jornadas Latino-Americanas de Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia-ESOCITE 2016. Match e reconhecimento: a credibilidade do DNA em um caso criminal. 2016. (Congresso).

3.
II Congresso Internacional sobre Bancos de Perfis Genéticos para Fins de Persecução Criminal. Desafios éticos da Genética Forense no Brasil: sentidos e práticas em debate. 2015. (Congresso).

4.
XI Reunión de Antropología del Mercosur. A economia moral dos bancos de dados de perfis genéticos no Brasil. 2015. (Congresso).

5.
XXXIII Congresso Internacional da Associaçào de Estudos Latino-Americanos. Forensic DNA Databases and citizenship in Brazil: outline of an early process. 2015. (Congresso).

6.
29ª Reunião Brasileira de Antropologia. Ciência e garantia de direitos: biotecnologia, direitos humanos e persecução criminal.. 2014. (Congresso).

7.
ESOCITE/4S. Biolegalidade e trabalho de fronteira na perícia criminal brasileira. 2014. (Congresso).

8.
FAPESP São Paulo School of Advenced Sciences on Biotechnology, Biosocialities and Governance of Life Sciences. 2014. (Outra).

9.
Ética na Pesquisa Antropológica. 2013. (Seminário).

10.
II Seminário Internacional de Ciência, Tecnologia e Inovação em Segurança Pública. 2013. (Congresso).

11.
IV Reunião de Antropologia da Ciência e da Tecnologia. De ?atividade meio? a ?atividade fim?: trabalho de fronteira na busca da ?autonomia? da perícia técnico-científica brasileira. 2013. (Congresso).

12.
Producing Knowledge, Governing Populations.The birht of data: artefacts and mediations in the everyday practices of the production of population in Porto Alegre, Brazil. 2013. (Seminário).

13.
X Reunión de Antropología del Mercosur. ?Autonomia e isenção?: reconfigurações da perícia técnico-científica no Brasil. 2013. (Congresso).

14.
Congresso da Associação Brasileira de Criminalística. 2012. (Congresso).

15.
Jornada Ciência em Perspectiva.Dos ?microelementos? e ?microestrias?: balística e aceitação ?crítica? da ciência em um processo crime. 2012. (Seminário).

16.
I Ciclo Antropologia e Etnografia em Contextos Urbanos. 2011. (Simpósio).

17.
Seminário Internacional Cultura, Percepção e Ambiente: a contribuição de Tim Ingold para uma mudança de paradigma. 2011. (Seminário).

18.
III Seminário Olhares Diversos e Contemporâneos: Corpos & Identidades.Corpo e Mímesis: construção de alteridades. 2009. (Seminário).

19.
XXI Salão de Iniciação Científica.A busca pela cura em um contexto intercultural. O caso dos Kaingang do "Morro do Osso". 2009. (Outra).

20.
II Seminário Corpo e Saúde: Olhares diversos e contemporâneos. 2008. (Seminário).

21.
XX Salão de Iniciação Científica.Corpo, Fantasia e Significado: contribuições da antropologia para os estudos com crianças pequenas. 2008. (Outra).

22.
VII Reunião de Antropologia do Mercosul. 2007. (Congresso).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
FONSECA, C. L. W. ; ROHDEN, F. ; PAIM, H. ; RICHTER, V. S. ; TONIOL, R. ; MARICATO, G. ; SILBERMAN, M. ; ZANELLA, E. ; BESEN, L. ; MACHADO, P. S. . II Jornada Ciências em Perspectiva. 2013. (Congresso).

2.
VICTORA, C. ; DIAS, M. ; RICHTER, V. S. ; CAETANO, A. H. ; SCHIMITT, M. . VII Olhares Diversos e Contemporâmeos. 2013. (Congresso).

3.
ROHDEN, F. ; DORNELLES, R. C. ; TONIOL, R. ; MACHADO, P. S. ; REIS, R. ; SORDI, C. ; RICHTER, V. S. . Jornada Ciências em Perspectiva. 2012. (Congresso).

4.
RICHTER, V. S.. V Seminário Olhares Diversos e Contemporâneos. 2011. (Congresso).

5.
RICHTER, V. S.. Ciências na Vida: antropologia da ciência em perspectiva. 2011. (Congresso).

6.
RICHTER, V. S.. II Jornada de Pesquisa sobre Infância e Família. 2011. (Congresso).

7.
RICHTER, V. S.. IV Seminário Olhares Diversos e Contemporâneos: Práticas de Saúde. 2010. (Congresso).

8.
RICHTER, V. S.. III Seminário Olhares Diversos e Contemporâneos: corpos & identidades. 2009. (Congresso).

9.
RICHTER, V. S.. II Seminário Corpo e Saúde: Olhares diversos e contemporâneos. 2008. (Outro).



Educação e Popularização de C & T



Apresentações de Trabalho
1.
RICHTER, V. S.. Forensic DNA Databases and citizenship in Brazil: outline of an early process. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).



Outras informações relevantes


Bolsista voluntário no Programa de Prestação de Serviços à Comunidade da UFRGS no período de outubro de 2007 até março de 2008. Bolsista de Extenção na ação [10766] - Programa de Prestação de Serviços à Comunidade da UFRGS - PPSC - 2007/2008 de abril até outubro de 2008 sob orientação da Professora Dra. Carmem Maria Craidy. Bolsista de iniciação científica CNPq no projeto Índios na Urbanidade: relações entre diferentes sistemas médicos e sistemas culturais na busca pela cura de março até julho de 2009, sob orientação da professora Dra. Ceres Gomes Victora.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 20/02/2019 às 9:47:54