Maysa Espíndola-Souza

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6792317051449730
  • Última atualização do currículo em 17/01/2019


Doutorado em andamento pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na grande área de História da África, com ênfase em História Social do Trabalho, atuando principalmente nos seguintes temas: História do Direito, Império Português (séc. XIX-XX) e História do Trabalho. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Maysa Espíndola-Souza
Nome em citações bibliográficas
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.


Formação acadêmica/titulação


2018
Doutorado em andamento em Programa de Pós-Graduação em História da UFSC.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Título: Projetos coloniais: A questão do trabalho na África Portuguesa, 1880-1970.,
Orientador: Henrique Espada Rodrigues Lima Filho.
Coorientador: Beatriz Gallotti Mamigonian.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
2018
Doutorado em andamento em Doutorado em História.
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Orientador: Lucilene Reginaldo.
2014 - 2017
Mestrado em História.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Título: A liberdade do contrato: O trabalho africano na legislação do Império Português, 1854-1910,Ano de Obtenção: 2017.
Orientador: Henrique Espada Rodrigues Lima Filho.
Coorientador: Beatriz Gallotti Mamigonian.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: História da África; Império Português; História Social do Direito.
Grande área: Ciências Humanas
2013 interrompida
Graduação interrompida em 2017 em Direito.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Ano de interrupção: 2017
2007 - 2012
Graduação em História.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Título: Africanos livres em Desterro: trabalho, tutela e liberdade.
Orientador: Beatriz Gallotti Mamigonian.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.




Formação Complementar


2018
Francês.
Aliança Francesa Florianópolis, AF, Brasil.
2014 - 2015
Inglês.
American Vision, AV, Brasil.
2013 - 2015
Online English Language Learning Level 1, 2, 3, 4.
CAPES - MyELT, CAPES - MYELT, Brasil.
2012 - 2012
Extensão universitária em Francês. (Carga horária: 36h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2011 - 2011
Extensão universitária em Inglês. (Carga horária: 72h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2010 - 2010
Extensão universitária em Francês. (Carga horária: 72h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.


Atuação Profissional



Centro Educacional Marista Lúcia Mayvorne, CEMLM, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2018
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Educadora Social, Carga horária: 40


Universidade do Sul de Santa Catarina, UNISUL, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professora tutora, Carga horária: 44


Centro de Educação a Distância (Cead) - Udesc, CEAD - UDESC, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Designer instrucional - tutoria ead.


Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Designer instrucional, Carga horária: 16

Vínculo institucional

2013 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de extensão, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Iniciação Científica - Pibic/Cnpq, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Projeto de Pesquisa: Pluralismo Jurídico, Direitos Humanos e Cidadania na Perspectiva da Interculturalidade. Antonio Carlos Wolkmer (Coordenador).

Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de extensão, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Bolsista do projeto de extensão "Santa Afro Catarina: Educação Patrimonial sobre a Presença de Africanos e Afrodescendentes em Santa Catarina".

Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Iniciação Científica - Pibic/Cnpq, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitora - História da América Portuguesa, Carga horária: 12, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitora - História da África, Carga horária: 12, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitora - Introdução aos Estudos Históricos, Carga horária: 12, Regime: Dedicação exclusiva.


Escola de Educação Básica Aderbal Ramos da Silva, E.E.B.A.R.S., Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professora substituta, Carga horária: 40

Vínculo institucional

2008 - 2008
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professora substituta, Carga horária: 40
Outras informações
Ensino; Nível: Médio. Disciplina ministrada: História


Curso e Colégio Definição, C.C.D., Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Professora de História
Outras informações
Professora de História


Middlebury College, M.C., Estados Unidos.
Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Faculty, Enquadramento Funcional: Faculty Middlebury College Language School, Carga horária: 40
Outras informações
Middlebury College, Vermont - United States.



Projetos de pesquisa


2012 - 2013
Pluralismo Jurídico, Direitos Humanos e Cidadania na Perspectiva da Interculturalidade
Descrição: O objetivo geral desta pesquisa é examinar de que forma e em que medida o pluralismo jurídico vem contribuindo, especialmente, em sociedades como a brasileira, para expressar a legitimidade e a eficácia de novas juridicidades extra-estatais (insurgência de "novos direitos"), capazes de reafirmar o comprometimento social com os direitos humanos e com as práticas de cidadania enquanto espaço de luta e de emancipação(...)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado profissional: (5) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Maysa Espíndola-Souza - Integrante / Antonio Carlos Wolkmer - Coordenador / Marina Correa de Almeida - Integrante / Carlos Magno - Integrante / Anne Caroline Batista - Integrante / Fernanda Trentin - Integrante / Lucas Machado - Integrante / Mateus Ebling - Integrante / Maria Aparecida Caovilla - Integrante.
2010 - 2012
Africanos livres (só) no papel: o Estado imperial, os registros individuais e as fronteiras da escravidão e da liberdade no século XIX.
Descrição: Os africanos que foram emancipados dos navios negreiros e postos sob a tutela do governo imperial entre 1821 e 1856 compuseram a categoria que as autoridades imperiais mais se preocuparam em registrar. Dos "africanos livres" temos listagens nominais de distintos momentos de suas vidas: da emancipação na chegada, da distribuição para o serviço obrigatório junto a particulares ou instituições públicas, da presença nas instituições e também feitos por ocasião da concessão das cartas de emancipação definitivas. Além disto, em contexto político delicado, procurando responder às demandas britânicas e as pressões pela extensão do direito à emancipação a todos os africanos importados durante o tráfico ilegal, o governo brasileiro emancipou os últimos e procedeu a uma "matrícula geral dos africanos livres" entre 1865 e 1868. Este projeto visa coletar, transcrever e analisar as listagens nominais dos africanos livres da Corte e das províncias e problematizar a produção da matrícula, considerando esta preocupação com o registro e a identificação no contexto da modernização das formas de "legibilidade" da população pelos Estados modernos no século XIX mas também no contexto específico da política da escravidão no Império. Num sentido mais amplo, o projeto se insere numa investigação comparativa acerca das transformações do status civil e dos direitos dos africanos no Brasil e no Atlântico na era da abolição.. Beatriz Gallotti Mamigonian - Coordenadora..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Maysa Espíndola-Souza - Integrante / Beatriz Gallotti Mamigonian - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História Social.
2.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Direito / Subárea: Teoria do Direito/Especialidade: História do Direito.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da África.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.
Francês
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.2015ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Africanos livres sob a tutela do Imperial Hospital de Caridade. Revista Santa Catarina em História, v. 8, p. 40, 2015.

Capítulos de livros publicados
1.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Congo e Dongo na escola: Histórias na África Centro-Ocidental. In: Cristiani Bereta da Silva; Andréa Ferreira Delgado; Clarícia Otto; Luciana Rossato (orgs). (Org.). Experiências de Ensino de História no Estágio Supervisionado. 1ed.Florianópolis: UDESC, 2011, v. 1, p. 331-349.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. A LIBERDADE DA LEI: O TRABALHO DO INDÍGENA AFRICANO NA LEGISLAÇÃO DO IMPÉRIO PORTUGUÊS. In: 7º Encontro de Escravidão e Lliberdade no Brasil Meridional, 2015, Curitiba. Anais do 7º Encontro de Escravidão e Lliberdade no Brasil Meridional, 2015.

2.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Assuntos Coloniais: as políticas de administração do trabalho livre na África Portuguesa. In: IX Semana de História Política. Política, Conflitos e Identidades na Modernidade/ VI Seminário Nacional de História. Política, Cultura e Sociedade, 2014, Rio de Janeiro - RJ. IX Semana de História Política. Política, Conflitos e Identidades na Modernidade/ VI Seminário Nacional de História. Política, Cultura e Sociedade. RJ: PPGH/UERJ, 2014. p. 2337-2346.

3.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Identificação de Africanos Livres no Império do Brasil. In: XIX Jornadas de Jóvenes Investigadores. Ciência en el bicentenário de los pueblos latinoamenricanos., 2011, Ciudad del Este. XIX Jornadas de Jóvenes Investigadores. Ciência en el bicentenário de los pueblos latinoamenricanos.. Paraguai: Universidad Nacional del Este, 2011.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Assuntos Coloniais: as políticas de administração do trabalho livre na África Portuguesa. In: IX Semana de História Política. Política, Conflitos e Identidades na Modernidade/ VI Seminário Nacional de História. Política, Cultura e Sociedade, 2014, Rio de Janeiro - RJ. Semana de História Política/Seminário Nacional de História: política, cultura e sociedade. Caderno de Resumos. Rio de Janeiro: UERJ, 2014. p. 346-347.

2.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Identificação de Africanos Livres no Império do Brasil. In: XIX Jornadas de Jóvenes Investigadores. Ciência en el bicentenário de los pueblos latinoamenricanos., 2011, Ciudad del Este. XIX Jornadas de Jóvenes Investigadores. Ciência en el bicentenário de los pueblos latinoamenricanos.. Ciudad del Este: Ediciones UNE, 2011. v. 1. p. 378-378.

Apresentações de Trabalho
1.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.; MARQUES, G. M. . Oficina de meninas livres. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

2.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. A ?questão do trabalho? na África Portuguesa, 1878-1914.. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Identificação dos africanos livres no Império do Brasil. 2011. (Apresentação de Trabalho/Outra).

4.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Identificação de africanos livres em São Paulo: dos registros de chegada aos de emancipação da tutela.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Outra).

5.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Identificação de africanos livres em São Paulo: dos registros de chegada aos de emancipação da tutela.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Uma experiência de Estágio em História da África. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

7.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Congo e Dongo na escola: histórias na África Centro-Ocidental. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

8.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. A Escola de Educação Básica Aderbal Ramos da Silva e a Implementação da Lei 10.639.. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções bibliográficas
1.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.; MELLO, C. C. P. . Viver de Quitandas 2011 (Módulo de roteiro de visita guiada).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Avaliador de periódico´- Revista Santa Catarina em História. 2014.

2.
WOLKMER, A. C. ; CORREAS, Oscar ; ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa. ; Et. Alli. . Membro do conselho executivo do evento e do livro 'Crítica Jurídica na América Latina'.. 2013.

3.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Membro da Comissão de Execução do V Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional. 2011.


Demais tipos de produção técnica
1.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.; DAROSSI, F. P. ; ANACLETO, M. A. ; PASSOS, A. F. . Fontes e metodologias em História Social - Pedagogia. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.; MARQUES, G. M. . Territoriar-se: historicidade e educação. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.; MARQUES, G. M. . Gênero e Diversidade: Repensando nosso lugar. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

4.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. A resistência escrava no Brasil Escravista. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

5.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Pluralismo Jurídico, Direitos Humanos e Cidadania na Perspectiva da Interculturalidade. 2013. (Relatório de pesquisa).

6.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. Africanos livres (só) no papel: o Estado Imperial, os registros individuais e as fronteiras da escravidão e da liberdadeno século XIX. 2011. (Relatório de pesquisa).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.; MAMIGONIAN, Beatriz Gallotti.; SILVA, M.. Participação em banca de Amanda Koschnik.Injustiças notórias: um debate de propriedade escrava no final do século XIX.. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal de Santa Catarina.

2.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.; Lima, Henrique Espada; Lima, A. B.. Participação em banca de Cássila Cavaler Pessoa de Mello.A busca de espaço para o comércio de gêneros em Desterro: galpões, quiosques e o novo Mercado Público Municipal. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Santa Catarina.




Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
5° Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações.África ilustrada: representações dos povos e do meio ambiente nas páginas do Occidente, 1878-1915.. 2018. (Simpósio).

2.
5° Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações.África ilustrada: representações dos povos e do meio ambiente nas páginas do Occidente, 1878-1915. 2018. (Simpósio).

3.
III Jornadas do LEGH: Feminismos e Democracia. 2018. (Outra).

4.
IV Congreso de estudios poscoloniales y VI Jornadas de feminismo poscolonial. A invenção da liberdade e o trabalho na África Portuguesa, 1880-1930.. 2018. (Congresso).

5.
Políticas de estado para a população negra: diálogos entre a história. direito e psicologia.Escravidão e história social do direito: leituras possíveis. 2018. (Seminário).

6.
RODA DE CONVERSA: HIP HOP E SLAM : RESISTÊNCIAS E RE-EXISTÊNCIAS DESENVOLVIMENTO E CULTURA AFRO BRASILEIRA NA REGIÃO SUL. 2018. (Outra).

7.
Seminário Direito e Trabalho.Minicurso: ?Direito e Escravidão?. 2018. (Seminário).

8.
Seminário Direito e Trabalho.PROMULGANDO LEIS, LEGISLANDO A LIBERDADE: O TRABALHO LIVRE NA ÁFRICA PORTUGUESA.. 2018. (Seminário).

9.
XIII CONGRESSO DE DIREITO DA UFSC. Projetos Coloniais: "a transição para o trabalho livre". 2018. (Congresso).

10.
XIV Semana Estudantil: Escravidão, trabalho e culturas de resistência: a necessidade dos estudos históricos.As mulheres indígenas africanas e o colonialismo português. 2018. (Encontro).

11.
7º Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional.A liberdade da lei: O trabalho do indígena africano na legislação do Império Português, 1878-1914. 2015. (Encontro).

12.
X Congresso de Direito da UFSC. 2015. (Congresso).

13.
3º Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações.Cadernos Coloniais: da colonização dos autóctones à colonização do espaço no Império Português. 2014. (Seminário).

14.
IX Semana de História Política. VI Seminário Nacional de História Política, Cultura e Sociedade.Assuntos Coloniais: as políticas de administração do trabalho livre na África Portuguesa. 2014. (Seminário).

15.
23º Seminário de Iniciação Científica.Pluralismo Jurídico, Direitos Humanos e Cidadania na Perspectiva da Interculturalidade. 2013. (Seminário).

16.
A democracia em Cuba. Análise do sistema político jurídico revolucionário. 2012. (Outra).

17.
As fronteiras da escravidão moderna e contemporânea sob a ótica da História do Direito e da História do Trabalho?. 2012. (Seminário).

18.
Teoria Crítica Dos Direitos Humanos e América Latina. 2012. (Outra).

19.
VII Conferência de Crítica Jurídica. 2012. (Seminário).

20.
Minicurso: Santa Afro Catarina: Viver de Quitandas.Roteiro Viver de Quitandas. 2011. (Outra).

21.
V Encontro de Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional. Identificação de africanos livres em São Paulo: dos registros de chegada aos de emancipação da tutela.. 2011. (Congresso).

22.
VII Semana Acadêmica de História. 2011. (Outra).

23.
XIX jornadas de jóvenes investigadores (Paraguay).Identificação dos africanos livres no Império do Brasil. 2011. (Seminário).

24.
6º Seminário Regional de Cidades Fortificadas. 2010. (Seminário).

25.
Colônia e Metrópole no direito do Antigo Regime. 2010. (Outra).

26.
Fazendo Gênero 9: Diásporas, diversidades, deslocamentos.. 2010. (Seminário).

27.
I Seminário Internacional Mundos do Trabalho: Histórias do Trabalho no Sul Global. V Jornada Nacional de História do Trabalho.. 2010. (Seminário).

28.
IV Seminário educação, relações raciais e multiculturalismo.. 2010. (Seminário).

29.
Primeiro Encontro Técnico de Gestores de Fortificações. 2010. (Encontro).

30.
Semana dos Direitos Humanos da UFSC. 2010. (Outra).

31.
Seminário: Reflexões sobre a prática docente no estágio supervisionado de História.Congo e Ndongo na escola: uma experiência de Estágio em História da África. 2010. (Seminário).

32.
Africanidades: história, arte e cultura.. 2009. (Outra).

33.
I Seminário Internacional Áfricas: Historiografia Africana e Ensino de História. 2009. (Seminário).

34.
IV Encontro de Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional. 2009. (Encontro).

35.
Seminário Internacional de Diálogos Políticos Sobre o Ensino de História da África e Estudos Africanos. 2009. (Seminário).

36.
SEPEX - Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFSC. 2009. (Outra).

37.
III Semana da Consciência Negra.A Escola de Educação Básica Aderbal Ramos da Silva e a Implementação da Lei 10.639. 2008. (Outra).

38.
SEPEX - Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFSC. 2008. (Outra).

39.
SEPEX - Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFSC. 2007. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.; SCHIMIDT, S. ; ALO, J. ; Bassika, Thiago . Seminário Internacional África, um outro olhar: histórias e perspectivas. 2009. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões concluídas
Orientações de outra natureza
1.
Fernando Souza. Estágio obrigatório em História. 2012. Orientação de outra natureza. (História) - CENTRO UNIVERSITÁRIO LEONARDO DA VINCI. Orientador: Maysa Espíndola-Souza.

2.
Lucas Vieira. Estágio obrigatório em História. 2012. Orientação de outra natureza. (História) - CENTRO UNIVERSITÁRIO LEONARDO DA VINCI. Orientador: Maysa Espíndola-Souza.

3.
Diego Wendhausen Passos. Estágio obrigatório em História. 2012. Orientação de outra natureza - CENTRO UNIVERSITÁRIO LEONARDO DA VINCI. Orientador: Maysa Espíndola-Souza.



Educação e Popularização de C & T



Cursos de curta duração ministrados
1.
ESPÍNDOLA-SOUZA, Maysa.. A resistência escrava no Brasil Escravista. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 22/01/2019 às 15:53:34