Josimar Firmino de Lima

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/9793848128229172
  • Última atualização do currículo em 03/03/2017


Técnico 1-1 do Centro de Tecnologia Mineral - CETEM/MCT. Possuo 17 anos de experiência em mineralogia com atividades de laboratório e campo na Rio Tinto Mineração, BP Mineração e Laboratório Nomoa. Coordenou e integrou equipes de mineralogia e preparação de amostras minerais. Trabalhou com montagem de fluxograma de processamento e avaliação de performance e qualidade. Coordenou a elaboração de procedimentos operacionias padrão e de HSEC. Integrou e coordenou equipe da CIPA. Atualmente, trabalha no Setor de Caracterização Tecnológica do CETEM, atuando principalmente na preparação de amostras, para análise de microscopia eletrônica de varredura, petrografia, difratometria de raios-X, análise granulometrica a laser e picnometria. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Josimar Firmino de Lima
Nome em citações bibliográficas
LIMA, J. F.


Formação acadêmica/titulação


2011
Graduação em andamento em QUÍMICA.
Universidade do Grande Rio, UNIGRANRIO, Brasil.
2015 - 2016
Curso técnico/profissionalizante em TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO.
CENTRO EDUCACIONAL PEDRO ERNESTO, ACEPE, Brasil.
2000 - 2002
Ensino Médio (2º grau).
Centro Educacional 01 Do Guará, DF., CENTRO EDUCACION, Brasil.




Formação Complementar


2016 - 2016
PREPARAÇÃO DE LÂMINAS DELGADAS DE ROCHAS. (Carga horária: 20h).
NÚCLEO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO DO CENTRO DE TECNOLOGIA MINERAL, NRES/CETEM, Brasil.
2011 - 2011
CURSO PRÁTICO DE GEMOLOGIA. (Carga horária: 60h).
Centro de Tecnologia Mineral, CETEM, Brasil.
2009 - 2009
Noções Básicas de Primeiros Socorros. (Carga horária: 8h).
Resgate Treinamentos, RESGATE, Brasil.
2008 - 2008
INTRODUÇÃO DE LEAN THINKING. (Carga horária: 8h).
LEAN INSTITUTO BRASIL, LIB, Brasil.
2008 - 2008
MAPEAMENTO DO FLUXO DE VAPOR. (Carga horária: 16h).
LEAN INSTITUTO BRASIL, LIB, Brasil.
2006 - 2006
Microscopia de Minérios. (Carga horária: 40h).
SERGEO - Serviços Geológicos e Representações, SERGEO, Brasil.
2006 - 2006
Petrografia. (Carga horária: 48h).
SERGEO - Serviços Geológicos e Representações, SERGEO, Brasil.
2001 - 2001
CONSELHO INTERAMERICANO DE SEGURANÇA. (Carga horária: 8h).
CONSELHO INTERAMERICANO DE SEGURANÇA, CIAS, Brasil.
2001 - 2001
ESTÁGIO BÁSICO DE COMBATE A INCÊNDIO E PRIMEIROS S. (Carga horária: 8h).
Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, CBMDF, Brasil.
1997 - 1997
PACARD INFORMÁTICA. (Carga horária: 21h).
PACARD INFORMÁTICA, P, Brasil.
1994 - 1994
CONSULTORIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO LTDA. (Carga horária: 40h).
CONSULTORIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO LTDA, PROCTER, Brasil.
1993 - 1993
CONSULTORIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO LTDA. (Carga horária: 40h).
CONSULTORIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO LTDA, PROCTER, Brasil.


Atuação Profissional



Centro de Tecnologia Mineral, CETEM, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Técnico 1.1, Carga horária: 40

Vínculo institucional

2010 - 2013
Vínculo: outros, Enquadramento Funcional: Bolsista PCI, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.


BP Mineração Ltda, BP, Brasil.
Vínculo institucional

1988 - 1989
Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Auxiliar de Laboratório, Carga horária: 48, Regime: Dedicação exclusiva.


Nomos Análises Minerais Ltda, NOMOS, Brasil.
Vínculo institucional

1990 - 1997
Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Técnico em Mineralogia, Carga horária: 48, Regime: Dedicação exclusiva.


Rio Tinto Desenvolvimento Mineral, RTDM, Brasil.
Vínculo institucional

2000 - 2009
Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Tecnico em Mineralogia Sênior, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.



Projetos de pesquisa


2014 - Atual
Caracterização tecnológica dos minérios e rejeitos dos pegmatitos da Mina do Volta Grande em São João del Rei, Minas Gerais, visando recuperação de minerais de terras raras como subprodutos.
Descrição: Os elementos terras raras são hoje considerados um recurso mineral estratégico, tendo em vista (i) sua utilização em condição de demanda crescente em produtos de alta tecnologia, e (ii) as condições limitadas de oferta no mercado mundial, com produção concentrada na China (97%). O Plano Nacional de Mineração 2030 (MME, 2011) considera os ETR, junto com Li, Co, Ta, e alguns outros elementos, como um grupo de recursos minerais estratégicos que deverão crescer em importância em função de sua aplicação em produtos de alta tecnologia. O desenvolvimento e estabelecimento da cadeia produtiva de elementos terras raras no Brasil, desde a produção de seus óxidos até a sua aplicação em componentes de produtos de alta tecnologia, é definida como desafio pelo Programa Setorial ?Minerais Estratégicos?, pertencente à Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação 2012-2015 (ENCTI 2012 - 2015). Os depósitos de ETR podem ser classificados em ígneos, sedimentares e secundários, e dentre estes os relacionados a pegmatitos, que incluem corpos importantes como o de Tamco, no Canadá. Na porção sudeste do estado de Minas Gerais ocorre uma situação geológica bastante propícia para a concentração de minerais de ETR, que é representada por um enxame de corpos pegmatíticos, os quais foram reunidos na Província Pegmatítica de São João del Rei, que ocupa uma área de cerca de 2700 km2. A Mina do Volta Grande opera desde 1945 na exploração industrial de cassiterita, e depois de tantalita-columbita e feldspato, com capacidade instalada para 50.000 ton/mês de pegmatito. As reservas de Ta, Nb, Sn e Li foram redefinidas em 2013, com crescimento da ordem de 200% e extensão da vida útil da Mina para 20 anos adicionais.Se forem consideradas as similaridades com outros depósitos ou ocorrências com geologia similar, não só a Mina do Volta Grande, mas outros dos corpos pegmatíticos da região podem se tornar alvos promissores para exploração de minerais de ETR. A Mina do Volta Grande, com uma planta de concentração instalada e economicamente viável sem considerar os minerais de ETR, poderá recuperá-los agregando valor e em tempo relativamente curto para adequação do seu circuito, se isto puder ser viabilizado por este projeto. Por outro lado, vários dos corpos pegmatíticos da região, que atualmente são considerados subeconômicos podem ser viáveis ao se acrescentar monazita, xenotímio e eventualmente outros minerais aos produtos comerciais...
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - Atual
Quantificação de fases e das respectivas composições de calcita e dolomita em minérios e rochas carbonáticas por DRX/método de Rietveld, e implicações para beneficiamento mineral e sistemas petrolíferos.
Descrição: Calcita e dolomita são minerais de ganga comuns, e que assumem um papel progressivamente mais importante na mineração brasileira à medida que minérios não alterados são minerados, em decorrência, entre outros fatores, da exaustão dos níveis lateríticos superiores e de técnicas de prospecção mais apuradas, que identificam jazidas em subsuperfície. Em jazidas geneticamente relacionadas a carbonatitos, como de apatita e pirocloro, a explotação do minério de transição para a rocha fresca, sílico-carbonatado, já é penalizada pela presença de calcita e dolomita, que representam um grande problema à recuperação comercial de apatita. Em sistemas petrolíferos, os carbonatos passaram a ser os tipos dominantes nas extensas reservas de petróleo e gás do pré-sal, principalmente calcários calcíticos biogênicos, seus cimentos e produtos da diagênese. A composição e o quimismo dos carbonatos são elementos-chave para a compreensão dos reservatórios. Neste projeto pretende-se desenvolver e implantar métodos para quantificação de carbonatos por difração de raios X, método de Rietveld, tanto como minerais predominantes como no caso dos calcários, quanto como minerais de ganga em processamento mineral, passando pelo desenvolvimento de técnicas para refinamento condicionado da substituição isomórfica de Ca por Mg em calcita, e de Ca e Mg no lugar de Mg e Ca, respectivamente, em dolomita. Os resultados serão comparados àqueles calculados a partir da quantificação de CO2 derivado de cada um dos carbonatos presentes nas amostras, inclusive dos componentes magnesita e calcita de dolomita, por análise termogravimétrica (ATG) com atmosfera controlada. Além disso, as substituições isomórficas de Fe2+ e Mn2+ em calcita e dolomita serão monitoradas por ressonância paramagnética eletrônica (EPR), tanto para evitar falsos mínimos no refinamento, quanto para conciliação de valores e balanço metalúrgico e ambiente genético no caso de calcários de sistemas petrolíferos...
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.


Produções



Produção bibliográfica

Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
LIMA, J. F.; GOMES, O. D. M. . Caracterização mineralógica qualitativa de areia, visando a determinação de minerais pesados. 2010.



Outras informações relevantes


HABILIDADES PROFISSIONAIS

Dezessete anos de experiência com atividades de laboratório
Coordenar equipes de mineralogia ? minerais pesados, indicadores de diamante e outros minerais;
Coordenar equipes de preparação de amostras ? britagem, pulverização, quarteamento, separação magnética, eletromagnética, meio denso, fusão alcalina, produtos químicos e controle de qualidade;
Montagem de fluxograma de processamento e avaliação de performance e qualidade;
Coordenação e elaboração de procedimentos operacionias padrão e de HSEC;
Suporte e coordenação a equipe da CIPA;



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 17/10/2018 às 14:11:25